SlideShare uma empresa Scribd logo
PROJETO: Cultura, Literatura e Criatividade: Do erudito ao popular – CLIC
COORDENADORA DA ÁREA DE LETRAS: Magliana Rodrigues da Silva
ESCOLA PARTICIPANTE: E.E.E. Fundamental e Médio Professor Raul Córdula
SUPERVISORA DA ESCOLA: Diana Nunes Ramalho
LICENCIANDOS EM LETRAS: Ana Daniele Félix
Eloiza de Oliveira Chaves
Lígia Albuquerque Queiroz
Monalisa Barboza Santos
Nathalia Isis Oliveira
PROGRAMA DE ATIVIDADES
TEMÁTICA PRINCIPAL:
 IDENTIDADE FEMININA: ATUAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA MULHER NA
SOCIEDADE
GÊNEROS:
 Poemas, músicas, conto.
CONTEÚDO:
 Florbela Espanca e a escrita de Si.
OBJETIVO GERAL:
Despertar o senso-crítico dos discentes, utilizando-se de discussões e leituras que os
façam refletir sobre a realidade que cerca a figura feminina na sociedade
contemporânea.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
 Motivar a competência de leitura e interpretação de textos literários e não
literários;
 Contribuir para aprimorar a capacidade crítica, analítica, argumentativa e reflexiva
dos educandos acerca dos preconceitos de gênero;
 Observar o modo como a mulher é retratada em diversos meios, como, por
exemplo, na literatura e na música.
 Refletir sobre os papéis destinados às mulheres e aos homens na sociedade;
 Discutir a (des) valorização no campo profissional do homem x mulher;
 Identificar os desafios que a mulher ainda enfrenta na busca por igualdade e
respeito social;
 Conhecer as diferenças entre os termos: feminismo, femismo e machismo.
 Refletir como surgiu o movimento feminista e seus efeitos na vida das mulheres;
 Perceber a importância do movimento feminista na conquista de espaços e de
direitos para as mulheres.
 Trabalhar a criatividade por meio de uma produção audiovisual.
PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS
 17º MÓDULO: IDENTIDADE FEMININA: ATUAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA
MULHER NA SOCIEDADE
1º ENCONTRO – SER MULHER
 Ambientação: A sala estará decorada com objetos que remetam ao universo feminino.
Exemplo: bolsas, maquiagens, roupas, etc. Ficarão expostas imagens de
personalidades femininas conhecidas na sociedade. Além disso, teremos cartazes que
remetam à Literatura, a cultura e a criatividade.
 Inicialmente, haverá um momento de apresentações entre professores e alunos.
 Em seguida, realizaremos a dinâmica “dos rótulos”, para realizarmos essa dinâmica, os
docentes organizaram etiquetas para colocar na cabeça de cada educando se quem
eles leiam o que tem na sua própria cabeça. O objetivo é que eles possam circular na
sala lendo os rótulos de cada colega da turma e reagindo de acordo com o que ler.
- Sugestões de rótulos:
Sou tímido,
Me abrace,
Me ignore,
Me trate mal,
Me trate bem,
Ria de mim,
Me acompanhe até a porta,
Me aconselhe,
Me faça sorrir,
Faça caretas.
Pule quando olhar para mim.
 Após, a dinâmica teremos um elemento motivador dando início a temática do
encontro.
Elemento motivador: Realizaremos a dinâmica: É só um corpinho bonito?
Descrição: Primeiramente, a turma estará organizada em círculo, e o manequim (de
corpo feminino) ficará no centro da sala. Cada discente escreverá no papel uma
característica designada para mulher em nossa sociedade e pregará no manequim.
O objetivo da dinâmica é estabelecer uma relação entre o que os alunos escreveram e
o corpo manequim feminino presente no centro da sala. Os docentes irão ler cada
característica problematizando, inicialmente, a temática do encontro.
Material: Manequim de um corpo feminino, papéis.
 Em seguida, leremos o conto fantástico “entre a espada e a rosa” da autora Marina
Colasanti. O conto aborda as diversas formas de como a mulher se posiciona diante
das situações e da sociedade. Questionaremos os alunos sobre todos os aspectos do
texto e os pontos que mais foram determinantes para a representação da protagonista
na estória.
 Logo após a leitura e discussão do conto, iremos dividir a turma em cinco grupos.
Cada grupo receberá uma piada relacionada à temática da aula – ser mulher: mulher,
mulherzinha, mulherão. As piadas são: “piada da mulher”, “ela está de TPM”, “Loja
de maridos”, “sem se ver” e “grávida no supermercado”. O objetivo da atividade é
promover a reflexão sobre o gênero textual piada – texto narrativo que no final deve
promover riso ou surpresa. Nessa atividade, buscaremos problematizar sobre o modo
como as mulheres são representadas e caracterizadas nas piadas e o que os grupos
conseguiram observar.
 Posteriormente, cada grupo fará uma breve apresentação sobre todos os aspectos
observados nas piadas para as outras equipes.
 Para finalizar, realizaremos a leitura do poema “Ser mulher” de Silvana Duboc, na
intensão de refletir o que foi proposto durante o primeiro encontro, retomando os
aspectos abordados na dinâmica: “É só um corpinho bonito?”.
2º ENCONTRO – CINE CLIC
 Em nosso CINECLIC, traremos o filme "Mulan", que narra a história de uma jovem
angustiada ao ver seu velho pai, velho e doente, ser convocado para a guerra. A filha
rouba a armadura e espada do pai, se disfarça de homem e se apresenta em seu lugar,
vivendo diversas aventuras e superando os obstáculos surgidos pelo caminho.
Através dessa animação dos estúdios Walt Disney, refletiremos acercas dos papéis
sociais apresentados no filme, ligadas ao lugar do feminino e masculino que acabam
sendo quebrados pela protagonista.
3º ENCONTRO – A REPRESENTAÇÃO DA MULHER NA MÍDIA
MUSICAL
Ambientação: A sala estará decorada com cartazes e cifras musicais.
Elemento motivador: Dinâmica “Play CLIC”
Descrição: Executaremos alguns play-backs de músicas que tenham a mulher como
temática principal. A partir do momento em que os sons forem executados, os alunos
deverão completar a letra da música, dizer o título e quem é o cantor. Cada etapa
dessas valerá um ponto, os alunos que mais obtiverem acertos, ganharão um brinde
no final da dinâmica.
O objetivo da dinâmica, é permitir que eles analisem o que há em comum nas músicas
que foram executadas, permitindo que eles participem de forma dinâmica para a
introdução dessa subtemática.
 A partir da dinâmica, discutiremos as mensagens e a temática que as músicas
executadas transmitem. Logo após, levaremos letras de quatro músicas, a fim de
realizarmos uma análise comparativa. Duas dessas músicas abordarão a valorização
da mulher, são elas: “Mulher, de Erasmo Carlos” e “Ela uni todas as coisas, de Jorge
Vecilo”; como contraponto, apresentaremos as músicas: “Malandramente, de Mc
Nandinho” e “Piriguete, de Mc Papo”, que diz respeito à uma outra visão da mesma.
Para aprofundarmos melhor esta análise, elaboraremos um roteiro de discussão, que
estará impresso junto das letras.
 Após a discussão e realização da análise, apresentaremos a tirinha “ Sertanejo e
mulheres loucas”, do cartunista Will Leite. A apresentação dessa tirinha, servirá
como introdução para a leitura do artigo de opinião “A degradação da mulher na
música brasileira”, de Geneceuda Monteiro.
 Por fim, exibiremos o vídeo “A evolução das mulheres através da música”,
fazendo relação entre a dinâmica e as músicas executada em sala. Mostraremos a
forma como elas eram tratadas nas letras músicais em décadas passadas e, como elas
estão sendo representadas nas músicas do século XXI.
4º ENCONTRO – A FIGURA FEMININA NOS CONTOS MARAVILHOSOS
Elemento motivador: As professoras realização uma pequena dramatização.
 Descrição: Serão apresentadas quatro personagens que remetem aos contos fantásticos
– Bela adormecida, Cinderela, Chapeuzinho vermelho.
 O objetivo da dinâmica é problematizar e caracterizar como cada personagem é
descrita e abordada em cada estória. As falas de cada personagem terão um tom de
criticidade.
 Em seguida, discutiremos sobre as impressões que os educandos tiveram ao ver a
dramatização, questionaremos se eles conhecem cada estória e o que eles
conseguiram observar.
 Após a discussão, teremos a leitura do livro infanto-juvenil “uma chapeuzinho
vermelho” de Marjolaine Leray. O livro aborda e caracteriza de forma diferente a
personagem chapeuzinho vermelho. Iremos questionar os alunos sobre as impressões
que tiveram, associando de que forma é representada a personagem Chapeuzinho
Vermelho na versão original e no livro de Leray.
 Em um slide, trabalharemos os elementos da narrativa – tempo, espaço, personagens,
enredo, etc. O objetivo é determinar como se estrutura os contos e suas narrações a
partir de cada elemento.
 Após os slides, iremos ler e discutir o artigo “contos de fadas atuais mudam imagem
da mulher” de Hellen Reis Mourão, a fim de refletir sobre como a imagem das
mulheres são caracterizadas nos contos;
 Para finalizar, em um slide, mostraremos outras personagens de contos fantásticos, que
têm versões e características diferentes das suas obras originais. Por exemplo: “A
bela que despertou”, “A nova cinderela”, “Deu a Louca na Chapeuzinho”, entre
outras.
5º ENCONTRO: A MULHER NAS MÍDIAS
• Para começarmos o encontro faremos a dinâmica intitulada “ Corpo
adequado”. Nessa dinâmica, levaremos três cartazes com desenhos de corpos
femininos de diferentes formas. Levaremos, para o auxílio da dinâmica, alguns
modelos de roupas como, por exemplo, shorts, calça, vestidos, mini saias.
Solicitaremos que os discentes coloquem tais roupas nos corpos que eles julgam ser
mais adequados. Nesse sentido, objetivamos levar os alunos a refletir, a partir de suas
escolhas, que não importa se a mulher é magra ou gorda, pois vemos que a mídia
cria, constantemente, estereótipos acerca do modo como a mulher se veste. Diante
disso, a finalidade da dinâmica é discutir sobre os padrões e modelos de roupa
imposto par cada corpo.
• Em seguida, faremos a leitura do artigo de opinião “A ditadura da beleza e a
autoestima feminina”, de Jéssica Rodrigues com o objetivo de mostrarmos o quando
a mídia influencia na questão de um padrão de beleza que a mulher deve seguir para
se enquadrar na sociedade.
• Logo após, ouviremos a música “Máscaras” de Pitty, com o objetivo de fazer
uma reflexão a partir da letra da música do quanto as pessoas se deixam levar pelas
imagens que a mídia propaga e, por conta disso, as pessoas deixam de ser quem são,
utilizando-se de máscaras para serem aceitas pela sociedade.
• Dando continuidade ao encontro, analisaremos duas propagandas referentes a
personalidade feminina, uma da cerveja Devassa e a outra de uma moto Honda. Com
o objetivo de mostrar de que maneira as mulheres são retratadas em tais
propagandas. E para fazer um contraponto com a propaganda, apresentaremos duas
capas de revistas com personalidades femininas, apresentadas de duas maneiras, uma
capa de revista com a mulher magra, oferecendo métodos de emagrecimento em doze
dias e a outra com uma mulher gorda, capa de uma revista Britânica, que causou
muita polemica por se tratar de uma mulher plus size.
6º ENCONTRO: A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER
 Iniciaremos a aula com a dinâmica “Segredo”. A dinâmica é organizada da seguinte
forma: levaremos uma caixa preta e com o nome silêncio, dentro da caixa traremos
depoimentos anônimos de mulheres, que de alguma forma já sofreram agressão. Nesse
sentido, solicitaremos que os discentes retirem da os depoimentos da caixa e os leiam,
fazendo uma discussão sobre o conteúdo de cada deles. O objetivo dessa dinâmica é
mostrar o quanto ainda é latente as formas de agressões contra a mulher, sendo
algumas tão chocantes que fica até difícil de acreditar.
 Em seguida faremos a leitura do artigo de opinião “Violência contra a mulher: tempo
de medo, tempo de lutas”, de Viviane Melo de Mendonça, com o objetivo de
apresentarmos como se dá o alto grau de violência.
 Após a leitura do artigo, faremos a dinâmica “De qual lado você está? ”. Dividiremos
o ambiente em três espaços: o do “concordo”, o do “discordo” e o do “não sei”.
Levaremos, para os discentes, situações relacionadas a relacionamentos abusivos,
como: Ciúmes de uma determinada roupa, não pode ir para academia, entre outros.
Exibiremos tais situações e pediremos para que os alunos se posicionem de qual lado
eles estão e o porquê, criando assim na sala um momento de debate, de como se dá a
questão dos relacionamentos abusivos e como os alunos irão se posicionar diante de
tais questões. Tal dinâmica tem o objetivo de mostrar que essas situações são
recorrentes entre relacionamentos abusivos, por isso, objetivamos identificar até que
ponto isso torna-se perigoso.
 Em seguida, exibiremos um vídeo depoimento intitulado “O silêncio das inocentes”,
que mostra depoimentos de mulheres que sofreram algum tipo de agressão, e que estão
de alguma forma esperando que a lei haja de forma certa para com essas vítimas,
punindo o agressor.
7º ENCONTRO: GUERRA DOS SEXOS (EXISTE MESMO UMA GUERRA
DOS SEXOS?)
 Iniciaremos o encontro com a dinâmica “Quebrando paradigmas”. O objetivo dessa
atividade é quebrar os paradigmas impostos socialmente entre homens x mulheres,
ampliar a visão de futuro e a mudança de conceitos e preconceitos estabelecidos
durante nossa formação;
 Para o desenvolvimento da atividade precisaremos de folhas previamente preparadas e
canetas. A turma será dividida em dois grupos: masculino x feminino e
estabeleceremos distância entre eles. Em seguida, entregaremos para o grupo
masculino uma folha, já preparada, contendo a seguinte frase: "Como homem, eu
tenho de...". Proceder da mesma forma com o grupo feminino, contendo a seguinte
frase: "Como mulher, eu tenho de...". Orientar que cada grupo terá 10 minutos para
completar a frase proposta tantas vezes que consigam;
 Após esse tempo, recolheremos as folhas com as frases produzidas pelos discentes e,
no segundo momento da atividade, será entregue outra folha contendo: para o grupo
feminino – “Se eu fosse homem, poderia...”, e para o grupo masculino – “Se eu fosse
mulher, poderia...”. Dizer a eles que terão, nessa segunda fase, mais 10 minutos.
Após esse novo tempo, as professoras trocarão as folhas respondidas pelos grupos e
pedirá que discutam o que o outro grupo respondeu;
 Iremos realizar um momento bem dinâmico, onde teremos oportunidade de questionar
algumas de nossas maneiras de ser, enquanto homens e enquanto mulheres. Para
tanto, promoveremos questionamentos do que foi elaborado, tais como: até que ponto
homens e mulheres têm os privilégios que foram atribuídos? Você considera justo?
Porque existe essa divisão de atividades entre os sexos? Desse modo, observaremos
se ambos os grupos se respeitam, se os participantes conseguiriam trabalhar com
pessoas que são diferentes entre si e se conhecem seus próprios defeitos e qualidades.
Conceder um tempo de 15 minutos para a discussão conforme a interação e
necessidade de aprofundamento;
 Em seguida, leremos o conto “Apelo”, de Dalton Trevisan. O objetivo será aprofundar
as discussões sobre a temática desenvolvida, promover um debate sobre os papeis
femininos e masculinos dentro de casa, incluindo a desvalorização das atividades
realizadas pelas mulheres em casa e as atitudes muitas vezes “machistas” de alguns
homens com relação a realizar alguma tarefa considerada “obrigação da mulher”,
além de despertar o gosto pela leitura literária, conhecer o escritor Dalton Trevisan e
as características de sua obra;
 Para finalizar as discussões assistiremos ao vídeo “Morando sozinho”, o qual mostra a
nova rotina de um homem que ao morar sozinho se depara com o acumulo de
afazeres domésticos e não sabe como resolver o problema;
 No próximo momento, motivaremos os discentes para em grupos realizarem leituras e
interpretações de tirinhas e charges que abordam situações machistas consideradas
normais em nossa sociedade. Os textos selecionados serão impressos e entregues um
ou dois para cada grupo que ao final das análises serão apresentados pelos próprios
discentes para toda a turma através de cartazes. Os textos escolhidos foram: “Sem
óculos – com óculos”, “tudo explicado”, “como o machismo funciona”, “tudo
coberto menos os olhos” e “cabelos brancos”;
 Finalizaremos o encontro com o vídeo “Estudante compõe sátira ao machismo e
bomba na internet”.
8º ENCONTRO: O QUE VOCÊ SABE SOBRE O FEMINISMO?
 Elemento motivador: “Teste do feminismo”. O objetivo da atividade é introduzir o
encontro a partir dos termos machismo x feminismo, pois o conceito de feminismo
ainda é mal compreendido. Através dessa dinâmica discutiremos se os discentes
apresentam comportamento feminista ou não. Esse teste foi elaborado pela psicóloga
Nereide Salette Paulo da Silva, especialista em gênero e professora da universidade
de São Paulo;
 Após, os discentes responderem ao teste, iremos avaliar suas respostas coletivamente
refletindo cada pergunta de acordo com os ideais do movimento feminista e
confirmar se os educandos são feministas ou não;
 Em seguida, apresentaremos em slides a definição e diferenciação dos termos:
feminismo, feminismo, femismo, machismo, misoginia, misandria e sexismo, bem
como esclarecer que os termos feminismo x machismo não são análogos;
 Levaremos textos que aborda a história de lutas e conquistas das mulheres ao longo do
tempo, em termos de trabalho, remuneração salarial, vida familiar, participação na
política, escolarização, entre outros, com as respectivas datas e suas principais
representantes;
 Dividiremos a turma em grupos para através da leitura e reflexão dos textos elencados
anteriormente, eles possam elaborar cartazes criativos, com imagens de mulheres
ocupando diversos espaços sociais, através do auxílio de jornais e revistas, sobre
tudo o que aprenderam durante as pesquisas. As professoras auxiliarão para
complementar conquistas das mulheres que não forem elencadas pelos discentes. Os
cartazes serão apresentados ao final das produções para toda a turma e,
posteriormente, expostos nos corredores da escola;
 Para finalizar o encontro aplicaremos a atividade intitulada “caça palavras”, com o
objetivo de relembrar e fixar o conteúdo trabalhado neste encontro;
 A atividade será desenvolvida da seguinte forma: precisaremos de duas caixas, em
uma colocaremos palavras e/ou frases relacionados ao conteúdo trabalhado na aula e,
na outra caixa, colocaremos o contexto histórico, definição, diferenciação e/ou
explicação dessas palavras ou frases. Cada discente terá a oportunidade de escolher
uma palavra ou frase e “caçar” seu completo. A atividade acabará após todos terem
participado.
9º ENCONTRO: EMPODERAMENTO FEMININO
 Iniciaremos nossa aula com a dinâmica “Definindo o empoderamento”, cujo objetivo é
trazer aos discentes o conhecimento acerca do termo, levando-os a compreender o
que vem a ser o “empoderamento feminino”. Teremos diversos balões espalhados
pela sala, dentro deles teremos algumas frases que trazem o significado do termo em
questão, os alunos deverão estourar, um de cada vez, o balão e, em seguida, montar o
conceito, como uma espécie de quebra cabeça.
 Após a realização da dinâmica, questionaremos os discentes se eles já ouviram falar
nessa palavra em relação a figura da mulher. Após uma conversa inicial sobre o
termo, iremos trazer quatro vídeos, sendo o trailer de um filme e os outros três
referentes a músicas. O primeiro vídeo será do trailer do filme “Mulher maravilha”
que será lançado no ano de 2017; os outros serão das músicas: “Desconstruindo a
Amélia”, da cantora Pitty; “Pagu”, interpretado por Rita Lee e o terceiro com a
música “Like a Boy”, de Ciara.
 Exibiremos os vídeos e indagaremos: de que forma a mulher foi representada?
Questionaremos se eles observam semelhanças e diferenças entre o termo
empoderamento e o que fora exibido, incentivando a reflexão dos discentes acerca
das igualdades e diferenças entre homens e mulheres na sociedade.
 A partir da música de Ciara, “Like a boy”, questionaremos os discentes como,
geralmente, a mulher é representada nas relações amorosas. Uma vez que a letra da
canção demonstra diversos posicionamentos de inversão de papéis nos
relacionamentos. Em seguida, traremos o elemento da Literatura, demonstrando que
essa escrita feminina é bastante marcada por essa “fragilidade”.
 Tomando como base essa premissa, apresentaremos o poema “O meu orgulho”, da
autora Florbela Espanca. Questionaremos os discentes acerca da representação do eu-
lírico, de que forma este eu-poético feminino demonstra seus sentimentos?
 Em seguida, nesse mesmo trajeto, visando refletir sobre a escrita feminina de Florbela,
realizaremos a leitura dos sonetos “Supremo enleio” e “Amar”, cuja temática
demonstra uma mulher consciente e mesmo magoada mostra-se forte e superior,
questionaremos, a partir da leitura desses dois poemas, como poderíamos caracterizar
nossas impressões sobre a escrita de Florbela Espanca.
 Depois disso, problematizaremos acerca da forma como a Escrita de Florbela Espanca
é definida, muitas vezes vista como uma escrita triste e melancólica, para isso
traremos alguns slides com algumas definições, questionaremos os discentes de que
forma eles as interpretam em relação aos poemas que lemos? Demonstrando que um
autor não pode ser definido sobre uma única perspectiva, pois ele poderá demonstrar
outras características, assim como observamos, pois, Florbela Espanca mostra uma
escrita consciente.
 Durante a discussão dos poemas, demonstraremos alguns traços biográficos da autora
e sobre sua figuração na cultura portuguesa, demonstrando a quebra de padrões da
época em que ela viveu. Nessa discussão, levaremos em conta também, que o
empoderamento se dá de forma diferente, em diferentes épocas, demonstrando,
portanto, que em décadas anteriores a mulher era empoderada pela sua figura de mãe,
dona do lar, etc.
10º RELEMBRANDO
 Diante do trabalho com a sequência didática, realizaremos a dinâmica
“Relembrando”.
 Objetivo: Promover um momento de interação entre os alunos e, ao mesmo
tempo, testar o conhecimento dos mesmos, a partir do resgate de conteúdos
e discussões realizadas anteriormente.
 Material: Balões coloridos; diversas perguntas sobre a sequência
“Identidade Feminina”.
 Descrição: Os educandos serão dispostos em um círculo e balões de
diversas cores serão colocados no quadro, estes balões terão em seu interior
questões relacionadas a todos os encontros da sequência. Também terão
perguntas e imagens relacionadas aos encontros ministrados embaixo das
cadeiras, para que ao final da dinâmica com os balões os alunos também
possam refletir sobre as imagens e perguntas que estrão embaixo das
cadeiras.
11 º ENCONTRO: PRODUÇÃO AUDIOVISUAL
 Iniciaremos a aula colocando no quadro as temáticas trabalhadas por nós professoras
ao longo dos encontros ministrados da sequência “Identidade feminina”;
 Em seguida conversaremos com os discentes sobre a produção de um material
audiovisual sobre duas das temáticas trabalhadas. Nisso os alunos escolherão as duas
temáticas e em seguida faremos junto com os mesmos os roteiros de como será feita a
produção do vídeo;
 Por fim, dividiremos os grupos participantes das duas peças audiovisuais, para que os
mesmos já comecem a estudar suas falas, para o próximo encontro que consistirá na
gravação da produção.
12 º E 13º ENCONTROS: PRODUÇÃO AUDIOVISUAL
 Iniciaremos o encontro entregando os roteiros das produções que os alunos
fizerem, de acordo com as temáticas escolhidas, para que os mesmos estudem suas
falas para montagem da peça audiovisual.
 Em seguida, faremos a gravação das peças audiovisuais encenadas pelos alunos.
 Concluindo, daremos início a edição dos vídeos, e traremos os mesmos com os
devidos ajustes de edição no próximo encontro, para que os discentes vejam como
ficaram suas produções.
14º ENCONTRO: CONFRATERNIZAÇÃO E FECHAMENTO DO
SEMESTRE 2016.2
 Para fecharmos o trabalho com esta sequência faremos uma confraternização; bem
como a exibição das peças audiovisuais produzidas pelos alunos do projeto.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Projeto ensinoliteraturabrasileiramemorias
Projeto ensinoliteraturabrasileiramemoriasProjeto ensinoliteraturabrasileiramemorias
Projeto ensinoliteraturabrasileiramemorias
Ilenice Trojahn
 
Sequência Didática: Ôxente! Isso Aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatu...
Sequência Didática: Ôxente! Isso Aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatu...Sequência Didática: Ôxente! Isso Aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatu...
Sequência Didática: Ôxente! Isso Aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatu...
Pibid-Letras Córdula
 
Ana maria machado biografia
Ana maria machado biografiaAna maria machado biografia
Ana maria machado biografia
Alziany Mello
 
Sequência didática poemas
Sequência didática poemasSequência didática poemas
Sequência didática poemas
Dário Reis
 
Sequência 2015.1
Sequência 2015.1Sequência 2015.1
Sequência 2015.1
Renally Arruda
 
C:\Fakepath\Em Defesa Dos Quadrinhos
C:\Fakepath\Em Defesa Dos QuadrinhosC:\Fakepath\Em Defesa Dos Quadrinhos
C:\Fakepath\Em Defesa Dos Quadrinhos
Eneida da Rosa
 

Mais procurados (6)

Projeto ensinoliteraturabrasileiramemorias
Projeto ensinoliteraturabrasileiramemoriasProjeto ensinoliteraturabrasileiramemorias
Projeto ensinoliteraturabrasileiramemorias
 
Sequência Didática: Ôxente! Isso Aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatu...
Sequência Didática: Ôxente! Isso Aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatu...Sequência Didática: Ôxente! Isso Aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatu...
Sequência Didática: Ôxente! Isso Aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatu...
 
Ana maria machado biografia
Ana maria machado biografiaAna maria machado biografia
Ana maria machado biografia
 
Sequência didática poemas
Sequência didática poemasSequência didática poemas
Sequência didática poemas
 
Sequência 2015.1
Sequência 2015.1Sequência 2015.1
Sequência 2015.1
 
C:\Fakepath\Em Defesa Dos Quadrinhos
C:\Fakepath\Em Defesa Dos QuadrinhosC:\Fakepath\Em Defesa Dos Quadrinhos
C:\Fakepath\Em Defesa Dos Quadrinhos
 

Semelhante a Sequência didática Identidade feminina (versão final)

Sequencia 2015.2 (1)
Sequencia 2015.2 (1)Sequencia 2015.2 (1)
Sequencia 2015.2 (1)
Amanda Melo
 
Sequencia 2015.2 (1)
Sequencia 2015.2 (1)Sequencia 2015.2 (1)
Sequencia 2015.2 (1)
pibidbar
 
Esboço da sequência didática 02
Esboço da sequência didática   02Esboço da sequência didática   02
Esboço da sequência didática 02
Renally Arruda
 
Sequência - As várias faces do amor
Sequência - As várias faces do amorSequência - As várias faces do amor
Sequência - As várias faces do amor
Pibid-Letras Córdula
 
Sequência Racismo
Sequência RacismoSequência Racismo
Sequência Racismo
Bruna Maria
 
Situação de Aprendizagem texto "Pausa" Moacyr Scliar
Situação de Aprendizagem texto "Pausa" Moacyr ScliarSituação de Aprendizagem texto "Pausa" Moacyr Scliar
Situação de Aprendizagem texto "Pausa" Moacyr Scliar
Maria Rodrigues
 
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Nastrilhasdalinguaportuguesa/sequência-didática-2017.2
Nastrilhasdalinguaportuguesa/sequência-didática-2017.2 Nastrilhasdalinguaportuguesa/sequência-didática-2017.2
Nastrilhasdalinguaportuguesa/sequência-didática-2017.2
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1
Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1
Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1
Pibid-Letras Córdula
 
Sequência I - Crônica
Sequência I - CrônicaSequência I - Crônica
Sequência I - Crônica
Bruna Maria
 
A criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo gallo
A criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo galloA criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo gallo
A criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo gallo
Andrezza Belota Lopes Machado
 
Cleosimarina maia de lima professor inovador
Cleosimarina maia de lima   professor inovadorCleosimarina maia de lima   professor inovador
Cleosimarina maia de lima professor inovador
SimoneHelenDrumond
 
Apostila_sugestoes_para a _aula_letramento_literario.pdf
Apostila_sugestoes_para a _aula_letramento_literario.pdfApostila_sugestoes_para a _aula_letramento_literario.pdf
Apostila_sugestoes_para a _aula_letramento_literario.pdf
LilianPiola
 
Minicurso: Racismos, Relações de Gênero e Ideologias Políticas nas Histórias ...
Minicurso: Racismos, Relações de Gênero e Ideologias Políticas nas Histórias ...Minicurso: Racismos, Relações de Gênero e Ideologias Políticas nas Histórias ...
Minicurso: Racismos, Relações de Gênero e Ideologias Políticas nas Histórias ...
Valéria Shoujofan
 
Unid3 ativ2 planodeaula_luciana_carneiro
Unid3 ativ2 planodeaula_luciana_carneiroUnid3 ativ2 planodeaula_luciana_carneiro
Unid3 ativ2 planodeaula_luciana_carneiro
erivaldo1975
 
Curso de formação situação de aprendizagem
Curso de formação   situação de aprendizagemCurso de formação   situação de aprendizagem
Curso de formação situação de aprendizagem
Maria Rodrigues
 
Sequencia 2016.1 - Nas trilhas da lingua portuguesa
Sequencia 2016.1 - Nas trilhas da lingua portuguesaSequencia 2016.1 - Nas trilhas da lingua portuguesa
Sequencia 2016.1 - Nas trilhas da lingua portuguesa
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Apresentação sequência 2017.2
Apresentação sequência   2017.2Apresentação sequência   2017.2
Apresentação sequência 2017.2
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Sequência didática 2017.1
Sequência didática 2017.1Sequência didática 2017.1
Sequência didática 2017.1
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Sequência meu primeiro beijo
Sequência meu primeiro beijoSequência meu primeiro beijo
Sequência meu primeiro beijo
João da Silva
 

Semelhante a Sequência didática Identidade feminina (versão final) (20)

Sequencia 2015.2 (1)
Sequencia 2015.2 (1)Sequencia 2015.2 (1)
Sequencia 2015.2 (1)
 
Sequencia 2015.2 (1)
Sequencia 2015.2 (1)Sequencia 2015.2 (1)
Sequencia 2015.2 (1)
 
Esboço da sequência didática 02
Esboço da sequência didática   02Esboço da sequência didática   02
Esboço da sequência didática 02
 
Sequência - As várias faces do amor
Sequência - As várias faces do amorSequência - As várias faces do amor
Sequência - As várias faces do amor
 
Sequência Racismo
Sequência RacismoSequência Racismo
Sequência Racismo
 
Situação de Aprendizagem texto "Pausa" Moacyr Scliar
Situação de Aprendizagem texto "Pausa" Moacyr ScliarSituação de Aprendizagem texto "Pausa" Moacyr Scliar
Situação de Aprendizagem texto "Pausa" Moacyr Scliar
 
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
 
Nastrilhasdalinguaportuguesa/sequência-didática-2017.2
Nastrilhasdalinguaportuguesa/sequência-didática-2017.2 Nastrilhasdalinguaportuguesa/sequência-didática-2017.2
Nastrilhasdalinguaportuguesa/sequência-didática-2017.2
 
Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1
Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1
Sequência Didática - A arte de Adultecer 2016.1
 
Sequência I - Crônica
Sequência I - CrônicaSequência I - Crônica
Sequência I - Crônica
 
A criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo gallo
A criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo galloA criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo gallo
A criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo gallo
 
Cleosimarina maia de lima professor inovador
Cleosimarina maia de lima   professor inovadorCleosimarina maia de lima   professor inovador
Cleosimarina maia de lima professor inovador
 
Apostila_sugestoes_para a _aula_letramento_literario.pdf
Apostila_sugestoes_para a _aula_letramento_literario.pdfApostila_sugestoes_para a _aula_letramento_literario.pdf
Apostila_sugestoes_para a _aula_letramento_literario.pdf
 
Minicurso: Racismos, Relações de Gênero e Ideologias Políticas nas Histórias ...
Minicurso: Racismos, Relações de Gênero e Ideologias Políticas nas Histórias ...Minicurso: Racismos, Relações de Gênero e Ideologias Políticas nas Histórias ...
Minicurso: Racismos, Relações de Gênero e Ideologias Políticas nas Histórias ...
 
Unid3 ativ2 planodeaula_luciana_carneiro
Unid3 ativ2 planodeaula_luciana_carneiroUnid3 ativ2 planodeaula_luciana_carneiro
Unid3 ativ2 planodeaula_luciana_carneiro
 
Curso de formação situação de aprendizagem
Curso de formação   situação de aprendizagemCurso de formação   situação de aprendizagem
Curso de formação situação de aprendizagem
 
Sequencia 2016.1 - Nas trilhas da lingua portuguesa
Sequencia 2016.1 - Nas trilhas da lingua portuguesaSequencia 2016.1 - Nas trilhas da lingua portuguesa
Sequencia 2016.1 - Nas trilhas da lingua portuguesa
 
Apresentação sequência 2017.2
Apresentação sequência   2017.2Apresentação sequência   2017.2
Apresentação sequência 2017.2
 
Sequência didática 2017.1
Sequência didática 2017.1Sequência didática 2017.1
Sequência didática 2017.1
 
Sequência meu primeiro beijo
Sequência meu primeiro beijoSequência meu primeiro beijo
Sequência meu primeiro beijo
 

Mais de Pibid-Letras Córdula

Clic cordel
Clic cordelClic cordel
Slide entre a espada e a rosa
Slide entre a espada e a rosaSlide entre a espada e a rosa
Slide entre a espada e a rosa
Pibid-Letras Córdula
 
Paisagens do Nordeste brasileiro
Paisagens do Nordeste brasileiroPaisagens do Nordeste brasileiro
Paisagens do Nordeste brasileiro
Pibid-Letras Córdula
 
Características gerais do texto dramático
Características gerais do texto dramáticoCaracterísticas gerais do texto dramático
Características gerais do texto dramático
Pibid-Letras Córdula
 
Módulo Didático: Luz, CLIC e Ação: A Reciprocidade Cultural entre a Literatur...
Módulo Didático: Luz, CLIC e Ação: A Reciprocidade Cultural entre a Literatur...Módulo Didático: Luz, CLIC e Ação: A Reciprocidade Cultural entre a Literatur...
Módulo Didático: Luz, CLIC e Ação: A Reciprocidade Cultural entre a Literatur...
Pibid-Letras Córdula
 
Módulo Didático: Ôxente! Isso aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatura ...
Módulo Didático: Ôxente! Isso aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatura ...Módulo Didático: Ôxente! Isso aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatura ...
Módulo Didático: Ôxente! Isso aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatura ...
Pibid-Letras Córdula
 
Sequência Didática: Luz, CLIC e Ação: a reciprocidade cultural entre a Litera...
Sequência Didática: Luz, CLIC e Ação: a reciprocidade cultural entre a Litera...Sequência Didática: Luz, CLIC e Ação: a reciprocidade cultural entre a Litera...
Sequência Didática: Luz, CLIC e Ação: a reciprocidade cultural entre a Litera...
Pibid-Letras Córdula
 
Florbela Espanca (DADOS BIOGRÁFICOS)
Florbela Espanca  (DADOS BIOGRÁFICOS)Florbela Espanca  (DADOS BIOGRÁFICOS)
Florbela Espanca (DADOS BIOGRÁFICOS)
Pibid-Letras Córdula
 
SLIDES CONTOS ATUALIZADOS
SLIDES CONTOS ATUALIZADOSSLIDES CONTOS ATUALIZADOS
SLIDES CONTOS ATUALIZADOS
Pibid-Letras Córdula
 
Elementos da narrativa 2016.2
Elementos da narrativa 2016.2Elementos da narrativa 2016.2
Elementos da narrativa 2016.2
Pibid-Letras Córdula
 
Dramatização clic entrevista a algumas personagens dos contos maravilhosos-
Dramatização clic   entrevista a algumas personagens dos contos maravilhosos-Dramatização clic   entrevista a algumas personagens dos contos maravilhosos-
Dramatização clic entrevista a algumas personagens dos contos maravilhosos-
Pibid-Letras Córdula
 
Módulo 19 - IDENTIDADE FEMININA: ATUAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA MULHER
Módulo 19 - IDENTIDADE FEMININA: ATUAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA MULHERMódulo 19 - IDENTIDADE FEMININA: ATUAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA MULHER
Módulo 19 - IDENTIDADE FEMININA: ATUAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA MULHER
Pibid-Letras Córdula
 
Artigo de opinião - Aspectos gerais
Artigo de opinião - Aspectos geraisArtigo de opinião - Aspectos gerais
Artigo de opinião - Aspectos gerais
Pibid-Letras Córdula
 
Slide - Profissões antigas
Slide - Profissões antigas Slide - Profissões antigas
Slide - Profissões antigas
Pibid-Letras Córdula
 
Artigo de opinião - SLIDE
Artigo de opinião - SLIDEArtigo de opinião - SLIDE
Artigo de opinião - SLIDE
Pibid-Letras Córdula
 
Módulo avulso - A arte de Adultecer
Módulo avulso - A arte de AdultecerMódulo avulso - A arte de Adultecer
Módulo avulso - A arte de Adultecer
Pibid-Letras Córdula
 
Módulo 17: A arte de Adultecer
Módulo 17: A arte de AdultecerMódulo 17: A arte de Adultecer
Módulo 17: A arte de Adultecer
Pibid-Letras Córdula
 
AS FASES DA VIDA - TIPOS DE VIOLÊNCIA
AS FASES DA VIDA - TIPOS DE VIOLÊNCIAAS FASES DA VIDA - TIPOS DE VIOLÊNCIA
AS FASES DA VIDA - TIPOS DE VIOLÊNCIA
Pibid-Letras Córdula
 
FASES DA VIDA - TIPOS DE FAMÍLIA
FASES DA VIDA - TIPOS DE FAMÍLIAFASES DA VIDA - TIPOS DE FAMÍLIA
FASES DA VIDA - TIPOS DE FAMÍLIA
Pibid-Letras Córdula
 
FASES - CHARGE
FASES - CHARGEFASES - CHARGE
FASES - CHARGE
Pibid-Letras Córdula
 

Mais de Pibid-Letras Córdula (20)

Clic cordel
Clic cordelClic cordel
Clic cordel
 
Slide entre a espada e a rosa
Slide entre a espada e a rosaSlide entre a espada e a rosa
Slide entre a espada e a rosa
 
Paisagens do Nordeste brasileiro
Paisagens do Nordeste brasileiroPaisagens do Nordeste brasileiro
Paisagens do Nordeste brasileiro
 
Características gerais do texto dramático
Características gerais do texto dramáticoCaracterísticas gerais do texto dramático
Características gerais do texto dramático
 
Módulo Didático: Luz, CLIC e Ação: A Reciprocidade Cultural entre a Literatur...
Módulo Didático: Luz, CLIC e Ação: A Reciprocidade Cultural entre a Literatur...Módulo Didático: Luz, CLIC e Ação: A Reciprocidade Cultural entre a Literatur...
Módulo Didático: Luz, CLIC e Ação: A Reciprocidade Cultural entre a Literatur...
 
Módulo Didático: Ôxente! Isso aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatura ...
Módulo Didático: Ôxente! Isso aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatura ...Módulo Didático: Ôxente! Isso aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatura ...
Módulo Didático: Ôxente! Isso aqui é Nordeste: Um passeio entre a Literatura ...
 
Sequência Didática: Luz, CLIC e Ação: a reciprocidade cultural entre a Litera...
Sequência Didática: Luz, CLIC e Ação: a reciprocidade cultural entre a Litera...Sequência Didática: Luz, CLIC e Ação: a reciprocidade cultural entre a Litera...
Sequência Didática: Luz, CLIC e Ação: a reciprocidade cultural entre a Litera...
 
Florbela Espanca (DADOS BIOGRÁFICOS)
Florbela Espanca  (DADOS BIOGRÁFICOS)Florbela Espanca  (DADOS BIOGRÁFICOS)
Florbela Espanca (DADOS BIOGRÁFICOS)
 
SLIDES CONTOS ATUALIZADOS
SLIDES CONTOS ATUALIZADOSSLIDES CONTOS ATUALIZADOS
SLIDES CONTOS ATUALIZADOS
 
Elementos da narrativa 2016.2
Elementos da narrativa 2016.2Elementos da narrativa 2016.2
Elementos da narrativa 2016.2
 
Dramatização clic entrevista a algumas personagens dos contos maravilhosos-
Dramatização clic   entrevista a algumas personagens dos contos maravilhosos-Dramatização clic   entrevista a algumas personagens dos contos maravilhosos-
Dramatização clic entrevista a algumas personagens dos contos maravilhosos-
 
Módulo 19 - IDENTIDADE FEMININA: ATUAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA MULHER
Módulo 19 - IDENTIDADE FEMININA: ATUAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA MULHERMódulo 19 - IDENTIDADE FEMININA: ATUAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA MULHER
Módulo 19 - IDENTIDADE FEMININA: ATUAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA MULHER
 
Artigo de opinião - Aspectos gerais
Artigo de opinião - Aspectos geraisArtigo de opinião - Aspectos gerais
Artigo de opinião - Aspectos gerais
 
Slide - Profissões antigas
Slide - Profissões antigas Slide - Profissões antigas
Slide - Profissões antigas
 
Artigo de opinião - SLIDE
Artigo de opinião - SLIDEArtigo de opinião - SLIDE
Artigo de opinião - SLIDE
 
Módulo avulso - A arte de Adultecer
Módulo avulso - A arte de AdultecerMódulo avulso - A arte de Adultecer
Módulo avulso - A arte de Adultecer
 
Módulo 17: A arte de Adultecer
Módulo 17: A arte de AdultecerMódulo 17: A arte de Adultecer
Módulo 17: A arte de Adultecer
 
AS FASES DA VIDA - TIPOS DE VIOLÊNCIA
AS FASES DA VIDA - TIPOS DE VIOLÊNCIAAS FASES DA VIDA - TIPOS DE VIOLÊNCIA
AS FASES DA VIDA - TIPOS DE VIOLÊNCIA
 
FASES DA VIDA - TIPOS DE FAMÍLIA
FASES DA VIDA - TIPOS DE FAMÍLIAFASES DA VIDA - TIPOS DE FAMÍLIA
FASES DA VIDA - TIPOS DE FAMÍLIA
 
FASES - CHARGE
FASES - CHARGEFASES - CHARGE
FASES - CHARGE
 

Último

Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
CamilaSouza544051
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 

Sequência didática Identidade feminina (versão final)

  • 1. PROJETO: Cultura, Literatura e Criatividade: Do erudito ao popular – CLIC COORDENADORA DA ÁREA DE LETRAS: Magliana Rodrigues da Silva ESCOLA PARTICIPANTE: E.E.E. Fundamental e Médio Professor Raul Córdula SUPERVISORA DA ESCOLA: Diana Nunes Ramalho LICENCIANDOS EM LETRAS: Ana Daniele Félix Eloiza de Oliveira Chaves Lígia Albuquerque Queiroz Monalisa Barboza Santos Nathalia Isis Oliveira PROGRAMA DE ATIVIDADES TEMÁTICA PRINCIPAL:  IDENTIDADE FEMININA: ATUAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA MULHER NA SOCIEDADE GÊNEROS:  Poemas, músicas, conto. CONTEÚDO:  Florbela Espanca e a escrita de Si. OBJETIVO GERAL: Despertar o senso-crítico dos discentes, utilizando-se de discussões e leituras que os façam refletir sobre a realidade que cerca a figura feminina na sociedade contemporânea.
  • 2. OBJETIVOS ESPECÍFICOS:  Motivar a competência de leitura e interpretação de textos literários e não literários;  Contribuir para aprimorar a capacidade crítica, analítica, argumentativa e reflexiva dos educandos acerca dos preconceitos de gênero;  Observar o modo como a mulher é retratada em diversos meios, como, por exemplo, na literatura e na música.  Refletir sobre os papéis destinados às mulheres e aos homens na sociedade;  Discutir a (des) valorização no campo profissional do homem x mulher;  Identificar os desafios que a mulher ainda enfrenta na busca por igualdade e respeito social;  Conhecer as diferenças entre os termos: feminismo, femismo e machismo.  Refletir como surgiu o movimento feminista e seus efeitos na vida das mulheres;  Perceber a importância do movimento feminista na conquista de espaços e de direitos para as mulheres.  Trabalhar a criatividade por meio de uma produção audiovisual. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS  17º MÓDULO: IDENTIDADE FEMININA: ATUAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA MULHER NA SOCIEDADE 1º ENCONTRO – SER MULHER  Ambientação: A sala estará decorada com objetos que remetam ao universo feminino. Exemplo: bolsas, maquiagens, roupas, etc. Ficarão expostas imagens de personalidades femininas conhecidas na sociedade. Além disso, teremos cartazes que remetam à Literatura, a cultura e a criatividade.  Inicialmente, haverá um momento de apresentações entre professores e alunos.  Em seguida, realizaremos a dinâmica “dos rótulos”, para realizarmos essa dinâmica, os docentes organizaram etiquetas para colocar na cabeça de cada educando se quem
  • 3. eles leiam o que tem na sua própria cabeça. O objetivo é que eles possam circular na sala lendo os rótulos de cada colega da turma e reagindo de acordo com o que ler. - Sugestões de rótulos: Sou tímido, Me abrace, Me ignore, Me trate mal, Me trate bem, Ria de mim, Me acompanhe até a porta, Me aconselhe, Me faça sorrir, Faça caretas. Pule quando olhar para mim.  Após, a dinâmica teremos um elemento motivador dando início a temática do encontro. Elemento motivador: Realizaremos a dinâmica: É só um corpinho bonito? Descrição: Primeiramente, a turma estará organizada em círculo, e o manequim (de corpo feminino) ficará no centro da sala. Cada discente escreverá no papel uma característica designada para mulher em nossa sociedade e pregará no manequim. O objetivo da dinâmica é estabelecer uma relação entre o que os alunos escreveram e o corpo manequim feminino presente no centro da sala. Os docentes irão ler cada característica problematizando, inicialmente, a temática do encontro. Material: Manequim de um corpo feminino, papéis.  Em seguida, leremos o conto fantástico “entre a espada e a rosa” da autora Marina Colasanti. O conto aborda as diversas formas de como a mulher se posiciona diante das situações e da sociedade. Questionaremos os alunos sobre todos os aspectos do texto e os pontos que mais foram determinantes para a representação da protagonista na estória.  Logo após a leitura e discussão do conto, iremos dividir a turma em cinco grupos. Cada grupo receberá uma piada relacionada à temática da aula – ser mulher: mulher, mulherzinha, mulherão. As piadas são: “piada da mulher”, “ela está de TPM”, “Loja de maridos”, “sem se ver” e “grávida no supermercado”. O objetivo da atividade é
  • 4. promover a reflexão sobre o gênero textual piada – texto narrativo que no final deve promover riso ou surpresa. Nessa atividade, buscaremos problematizar sobre o modo como as mulheres são representadas e caracterizadas nas piadas e o que os grupos conseguiram observar.  Posteriormente, cada grupo fará uma breve apresentação sobre todos os aspectos observados nas piadas para as outras equipes.  Para finalizar, realizaremos a leitura do poema “Ser mulher” de Silvana Duboc, na intensão de refletir o que foi proposto durante o primeiro encontro, retomando os aspectos abordados na dinâmica: “É só um corpinho bonito?”. 2º ENCONTRO – CINE CLIC  Em nosso CINECLIC, traremos o filme "Mulan", que narra a história de uma jovem angustiada ao ver seu velho pai, velho e doente, ser convocado para a guerra. A filha rouba a armadura e espada do pai, se disfarça de homem e se apresenta em seu lugar, vivendo diversas aventuras e superando os obstáculos surgidos pelo caminho. Através dessa animação dos estúdios Walt Disney, refletiremos acercas dos papéis sociais apresentados no filme, ligadas ao lugar do feminino e masculino que acabam sendo quebrados pela protagonista. 3º ENCONTRO – A REPRESENTAÇÃO DA MULHER NA MÍDIA MUSICAL Ambientação: A sala estará decorada com cartazes e cifras musicais. Elemento motivador: Dinâmica “Play CLIC” Descrição: Executaremos alguns play-backs de músicas que tenham a mulher como temática principal. A partir do momento em que os sons forem executados, os alunos deverão completar a letra da música, dizer o título e quem é o cantor. Cada etapa dessas valerá um ponto, os alunos que mais obtiverem acertos, ganharão um brinde no final da dinâmica. O objetivo da dinâmica, é permitir que eles analisem o que há em comum nas músicas que foram executadas, permitindo que eles participem de forma dinâmica para a introdução dessa subtemática.
  • 5.  A partir da dinâmica, discutiremos as mensagens e a temática que as músicas executadas transmitem. Logo após, levaremos letras de quatro músicas, a fim de realizarmos uma análise comparativa. Duas dessas músicas abordarão a valorização da mulher, são elas: “Mulher, de Erasmo Carlos” e “Ela uni todas as coisas, de Jorge Vecilo”; como contraponto, apresentaremos as músicas: “Malandramente, de Mc Nandinho” e “Piriguete, de Mc Papo”, que diz respeito à uma outra visão da mesma. Para aprofundarmos melhor esta análise, elaboraremos um roteiro de discussão, que estará impresso junto das letras.  Após a discussão e realização da análise, apresentaremos a tirinha “ Sertanejo e mulheres loucas”, do cartunista Will Leite. A apresentação dessa tirinha, servirá como introdução para a leitura do artigo de opinião “A degradação da mulher na música brasileira”, de Geneceuda Monteiro.  Por fim, exibiremos o vídeo “A evolução das mulheres através da música”, fazendo relação entre a dinâmica e as músicas executada em sala. Mostraremos a forma como elas eram tratadas nas letras músicais em décadas passadas e, como elas estão sendo representadas nas músicas do século XXI. 4º ENCONTRO – A FIGURA FEMININA NOS CONTOS MARAVILHOSOS Elemento motivador: As professoras realização uma pequena dramatização.  Descrição: Serão apresentadas quatro personagens que remetem aos contos fantásticos – Bela adormecida, Cinderela, Chapeuzinho vermelho.  O objetivo da dinâmica é problematizar e caracterizar como cada personagem é descrita e abordada em cada estória. As falas de cada personagem terão um tom de criticidade.  Em seguida, discutiremos sobre as impressões que os educandos tiveram ao ver a dramatização, questionaremos se eles conhecem cada estória e o que eles conseguiram observar.  Após a discussão, teremos a leitura do livro infanto-juvenil “uma chapeuzinho vermelho” de Marjolaine Leray. O livro aborda e caracteriza de forma diferente a personagem chapeuzinho vermelho. Iremos questionar os alunos sobre as impressões que tiveram, associando de que forma é representada a personagem Chapeuzinho Vermelho na versão original e no livro de Leray.
  • 6.  Em um slide, trabalharemos os elementos da narrativa – tempo, espaço, personagens, enredo, etc. O objetivo é determinar como se estrutura os contos e suas narrações a partir de cada elemento.  Após os slides, iremos ler e discutir o artigo “contos de fadas atuais mudam imagem da mulher” de Hellen Reis Mourão, a fim de refletir sobre como a imagem das mulheres são caracterizadas nos contos;  Para finalizar, em um slide, mostraremos outras personagens de contos fantásticos, que têm versões e características diferentes das suas obras originais. Por exemplo: “A bela que despertou”, “A nova cinderela”, “Deu a Louca na Chapeuzinho”, entre outras. 5º ENCONTRO: A MULHER NAS MÍDIAS • Para começarmos o encontro faremos a dinâmica intitulada “ Corpo adequado”. Nessa dinâmica, levaremos três cartazes com desenhos de corpos femininos de diferentes formas. Levaremos, para o auxílio da dinâmica, alguns modelos de roupas como, por exemplo, shorts, calça, vestidos, mini saias. Solicitaremos que os discentes coloquem tais roupas nos corpos que eles julgam ser mais adequados. Nesse sentido, objetivamos levar os alunos a refletir, a partir de suas escolhas, que não importa se a mulher é magra ou gorda, pois vemos que a mídia cria, constantemente, estereótipos acerca do modo como a mulher se veste. Diante disso, a finalidade da dinâmica é discutir sobre os padrões e modelos de roupa imposto par cada corpo. • Em seguida, faremos a leitura do artigo de opinião “A ditadura da beleza e a autoestima feminina”, de Jéssica Rodrigues com o objetivo de mostrarmos o quando a mídia influencia na questão de um padrão de beleza que a mulher deve seguir para se enquadrar na sociedade. • Logo após, ouviremos a música “Máscaras” de Pitty, com o objetivo de fazer uma reflexão a partir da letra da música do quanto as pessoas se deixam levar pelas imagens que a mídia propaga e, por conta disso, as pessoas deixam de ser quem são, utilizando-se de máscaras para serem aceitas pela sociedade. • Dando continuidade ao encontro, analisaremos duas propagandas referentes a personalidade feminina, uma da cerveja Devassa e a outra de uma moto Honda. Com o objetivo de mostrar de que maneira as mulheres são retratadas em tais
  • 7. propagandas. E para fazer um contraponto com a propaganda, apresentaremos duas capas de revistas com personalidades femininas, apresentadas de duas maneiras, uma capa de revista com a mulher magra, oferecendo métodos de emagrecimento em doze dias e a outra com uma mulher gorda, capa de uma revista Britânica, que causou muita polemica por se tratar de uma mulher plus size. 6º ENCONTRO: A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER  Iniciaremos a aula com a dinâmica “Segredo”. A dinâmica é organizada da seguinte forma: levaremos uma caixa preta e com o nome silêncio, dentro da caixa traremos depoimentos anônimos de mulheres, que de alguma forma já sofreram agressão. Nesse sentido, solicitaremos que os discentes retirem da os depoimentos da caixa e os leiam, fazendo uma discussão sobre o conteúdo de cada deles. O objetivo dessa dinâmica é mostrar o quanto ainda é latente as formas de agressões contra a mulher, sendo algumas tão chocantes que fica até difícil de acreditar.  Em seguida faremos a leitura do artigo de opinião “Violência contra a mulher: tempo de medo, tempo de lutas”, de Viviane Melo de Mendonça, com o objetivo de apresentarmos como se dá o alto grau de violência.  Após a leitura do artigo, faremos a dinâmica “De qual lado você está? ”. Dividiremos o ambiente em três espaços: o do “concordo”, o do “discordo” e o do “não sei”. Levaremos, para os discentes, situações relacionadas a relacionamentos abusivos, como: Ciúmes de uma determinada roupa, não pode ir para academia, entre outros. Exibiremos tais situações e pediremos para que os alunos se posicionem de qual lado eles estão e o porquê, criando assim na sala um momento de debate, de como se dá a questão dos relacionamentos abusivos e como os alunos irão se posicionar diante de tais questões. Tal dinâmica tem o objetivo de mostrar que essas situações são recorrentes entre relacionamentos abusivos, por isso, objetivamos identificar até que ponto isso torna-se perigoso.  Em seguida, exibiremos um vídeo depoimento intitulado “O silêncio das inocentes”, que mostra depoimentos de mulheres que sofreram algum tipo de agressão, e que estão de alguma forma esperando que a lei haja de forma certa para com essas vítimas, punindo o agressor. 7º ENCONTRO: GUERRA DOS SEXOS (EXISTE MESMO UMA GUERRA DOS SEXOS?)  Iniciaremos o encontro com a dinâmica “Quebrando paradigmas”. O objetivo dessa atividade é quebrar os paradigmas impostos socialmente entre homens x mulheres, ampliar a visão de futuro e a mudança de conceitos e preconceitos estabelecidos durante nossa formação;
  • 8.  Para o desenvolvimento da atividade precisaremos de folhas previamente preparadas e canetas. A turma será dividida em dois grupos: masculino x feminino e estabeleceremos distância entre eles. Em seguida, entregaremos para o grupo masculino uma folha, já preparada, contendo a seguinte frase: "Como homem, eu tenho de...". Proceder da mesma forma com o grupo feminino, contendo a seguinte frase: "Como mulher, eu tenho de...". Orientar que cada grupo terá 10 minutos para completar a frase proposta tantas vezes que consigam;  Após esse tempo, recolheremos as folhas com as frases produzidas pelos discentes e, no segundo momento da atividade, será entregue outra folha contendo: para o grupo feminino – “Se eu fosse homem, poderia...”, e para o grupo masculino – “Se eu fosse mulher, poderia...”. Dizer a eles que terão, nessa segunda fase, mais 10 minutos. Após esse novo tempo, as professoras trocarão as folhas respondidas pelos grupos e pedirá que discutam o que o outro grupo respondeu;  Iremos realizar um momento bem dinâmico, onde teremos oportunidade de questionar algumas de nossas maneiras de ser, enquanto homens e enquanto mulheres. Para tanto, promoveremos questionamentos do que foi elaborado, tais como: até que ponto homens e mulheres têm os privilégios que foram atribuídos? Você considera justo? Porque existe essa divisão de atividades entre os sexos? Desse modo, observaremos se ambos os grupos se respeitam, se os participantes conseguiriam trabalhar com pessoas que são diferentes entre si e se conhecem seus próprios defeitos e qualidades. Conceder um tempo de 15 minutos para a discussão conforme a interação e necessidade de aprofundamento;  Em seguida, leremos o conto “Apelo”, de Dalton Trevisan. O objetivo será aprofundar as discussões sobre a temática desenvolvida, promover um debate sobre os papeis femininos e masculinos dentro de casa, incluindo a desvalorização das atividades realizadas pelas mulheres em casa e as atitudes muitas vezes “machistas” de alguns homens com relação a realizar alguma tarefa considerada “obrigação da mulher”, além de despertar o gosto pela leitura literária, conhecer o escritor Dalton Trevisan e as características de sua obra;  Para finalizar as discussões assistiremos ao vídeo “Morando sozinho”, o qual mostra a nova rotina de um homem que ao morar sozinho se depara com o acumulo de afazeres domésticos e não sabe como resolver o problema;
  • 9.  No próximo momento, motivaremos os discentes para em grupos realizarem leituras e interpretações de tirinhas e charges que abordam situações machistas consideradas normais em nossa sociedade. Os textos selecionados serão impressos e entregues um ou dois para cada grupo que ao final das análises serão apresentados pelos próprios discentes para toda a turma através de cartazes. Os textos escolhidos foram: “Sem óculos – com óculos”, “tudo explicado”, “como o machismo funciona”, “tudo coberto menos os olhos” e “cabelos brancos”;  Finalizaremos o encontro com o vídeo “Estudante compõe sátira ao machismo e bomba na internet”. 8º ENCONTRO: O QUE VOCÊ SABE SOBRE O FEMINISMO?  Elemento motivador: “Teste do feminismo”. O objetivo da atividade é introduzir o encontro a partir dos termos machismo x feminismo, pois o conceito de feminismo ainda é mal compreendido. Através dessa dinâmica discutiremos se os discentes apresentam comportamento feminista ou não. Esse teste foi elaborado pela psicóloga Nereide Salette Paulo da Silva, especialista em gênero e professora da universidade de São Paulo;  Após, os discentes responderem ao teste, iremos avaliar suas respostas coletivamente refletindo cada pergunta de acordo com os ideais do movimento feminista e confirmar se os educandos são feministas ou não;  Em seguida, apresentaremos em slides a definição e diferenciação dos termos: feminismo, feminismo, femismo, machismo, misoginia, misandria e sexismo, bem como esclarecer que os termos feminismo x machismo não são análogos;  Levaremos textos que aborda a história de lutas e conquistas das mulheres ao longo do tempo, em termos de trabalho, remuneração salarial, vida familiar, participação na política, escolarização, entre outros, com as respectivas datas e suas principais representantes;  Dividiremos a turma em grupos para através da leitura e reflexão dos textos elencados anteriormente, eles possam elaborar cartazes criativos, com imagens de mulheres ocupando diversos espaços sociais, através do auxílio de jornais e revistas, sobre tudo o que aprenderam durante as pesquisas. As professoras auxiliarão para complementar conquistas das mulheres que não forem elencadas pelos discentes. Os
  • 10. cartazes serão apresentados ao final das produções para toda a turma e, posteriormente, expostos nos corredores da escola;  Para finalizar o encontro aplicaremos a atividade intitulada “caça palavras”, com o objetivo de relembrar e fixar o conteúdo trabalhado neste encontro;  A atividade será desenvolvida da seguinte forma: precisaremos de duas caixas, em uma colocaremos palavras e/ou frases relacionados ao conteúdo trabalhado na aula e, na outra caixa, colocaremos o contexto histórico, definição, diferenciação e/ou explicação dessas palavras ou frases. Cada discente terá a oportunidade de escolher uma palavra ou frase e “caçar” seu completo. A atividade acabará após todos terem participado. 9º ENCONTRO: EMPODERAMENTO FEMININO  Iniciaremos nossa aula com a dinâmica “Definindo o empoderamento”, cujo objetivo é trazer aos discentes o conhecimento acerca do termo, levando-os a compreender o que vem a ser o “empoderamento feminino”. Teremos diversos balões espalhados pela sala, dentro deles teremos algumas frases que trazem o significado do termo em questão, os alunos deverão estourar, um de cada vez, o balão e, em seguida, montar o conceito, como uma espécie de quebra cabeça.  Após a realização da dinâmica, questionaremos os discentes se eles já ouviram falar nessa palavra em relação a figura da mulher. Após uma conversa inicial sobre o termo, iremos trazer quatro vídeos, sendo o trailer de um filme e os outros três referentes a músicas. O primeiro vídeo será do trailer do filme “Mulher maravilha” que será lançado no ano de 2017; os outros serão das músicas: “Desconstruindo a Amélia”, da cantora Pitty; “Pagu”, interpretado por Rita Lee e o terceiro com a música “Like a Boy”, de Ciara.  Exibiremos os vídeos e indagaremos: de que forma a mulher foi representada? Questionaremos se eles observam semelhanças e diferenças entre o termo empoderamento e o que fora exibido, incentivando a reflexão dos discentes acerca das igualdades e diferenças entre homens e mulheres na sociedade.  A partir da música de Ciara, “Like a boy”, questionaremos os discentes como, geralmente, a mulher é representada nas relações amorosas. Uma vez que a letra da canção demonstra diversos posicionamentos de inversão de papéis nos
  • 11. relacionamentos. Em seguida, traremos o elemento da Literatura, demonstrando que essa escrita feminina é bastante marcada por essa “fragilidade”.  Tomando como base essa premissa, apresentaremos o poema “O meu orgulho”, da autora Florbela Espanca. Questionaremos os discentes acerca da representação do eu- lírico, de que forma este eu-poético feminino demonstra seus sentimentos?  Em seguida, nesse mesmo trajeto, visando refletir sobre a escrita feminina de Florbela, realizaremos a leitura dos sonetos “Supremo enleio” e “Amar”, cuja temática demonstra uma mulher consciente e mesmo magoada mostra-se forte e superior, questionaremos, a partir da leitura desses dois poemas, como poderíamos caracterizar nossas impressões sobre a escrita de Florbela Espanca.  Depois disso, problematizaremos acerca da forma como a Escrita de Florbela Espanca é definida, muitas vezes vista como uma escrita triste e melancólica, para isso traremos alguns slides com algumas definições, questionaremos os discentes de que forma eles as interpretam em relação aos poemas que lemos? Demonstrando que um autor não pode ser definido sobre uma única perspectiva, pois ele poderá demonstrar outras características, assim como observamos, pois, Florbela Espanca mostra uma escrita consciente.  Durante a discussão dos poemas, demonstraremos alguns traços biográficos da autora e sobre sua figuração na cultura portuguesa, demonstrando a quebra de padrões da época em que ela viveu. Nessa discussão, levaremos em conta também, que o empoderamento se dá de forma diferente, em diferentes épocas, demonstrando, portanto, que em décadas anteriores a mulher era empoderada pela sua figura de mãe, dona do lar, etc. 10º RELEMBRANDO  Diante do trabalho com a sequência didática, realizaremos a dinâmica “Relembrando”.  Objetivo: Promover um momento de interação entre os alunos e, ao mesmo tempo, testar o conhecimento dos mesmos, a partir do resgate de conteúdos e discussões realizadas anteriormente.
  • 12.  Material: Balões coloridos; diversas perguntas sobre a sequência “Identidade Feminina”.  Descrição: Os educandos serão dispostos em um círculo e balões de diversas cores serão colocados no quadro, estes balões terão em seu interior questões relacionadas a todos os encontros da sequência. Também terão perguntas e imagens relacionadas aos encontros ministrados embaixo das cadeiras, para que ao final da dinâmica com os balões os alunos também possam refletir sobre as imagens e perguntas que estrão embaixo das cadeiras. 11 º ENCONTRO: PRODUÇÃO AUDIOVISUAL  Iniciaremos a aula colocando no quadro as temáticas trabalhadas por nós professoras ao longo dos encontros ministrados da sequência “Identidade feminina”;  Em seguida conversaremos com os discentes sobre a produção de um material audiovisual sobre duas das temáticas trabalhadas. Nisso os alunos escolherão as duas temáticas e em seguida faremos junto com os mesmos os roteiros de como será feita a produção do vídeo;  Por fim, dividiremos os grupos participantes das duas peças audiovisuais, para que os mesmos já comecem a estudar suas falas, para o próximo encontro que consistirá na gravação da produção. 12 º E 13º ENCONTROS: PRODUÇÃO AUDIOVISUAL  Iniciaremos o encontro entregando os roteiros das produções que os alunos fizerem, de acordo com as temáticas escolhidas, para que os mesmos estudem suas falas para montagem da peça audiovisual.  Em seguida, faremos a gravação das peças audiovisuais encenadas pelos alunos.  Concluindo, daremos início a edição dos vídeos, e traremos os mesmos com os devidos ajustes de edição no próximo encontro, para que os discentes vejam como ficaram suas produções.
  • 13. 14º ENCONTRO: CONFRATERNIZAÇÃO E FECHAMENTO DO SEMESTRE 2016.2  Para fecharmos o trabalho com esta sequência faremos uma confraternização; bem como a exibição das peças audiovisuais produzidas pelos alunos do projeto.