SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 52
CENTRO DE
TRABALHOS ESPÍRITA
ANA LUZ
Fenômenos mediúnicos que antecederam a
Codificação: Hydesville e mesas girantes
1804-1869
Fenômeno mediúnicos que antecederam
a codificação:
Hydesville e mesas girantes
Objetivo Específico
Ilustrar a importância dos fenômenos de
Hydesville e das mesas girantes para o
surgimento do Espiritismo
InformativoInformativo
ESDE - Em meados do século XIX,
surgiram na América, fenômenos que,
pelo caráter ostensivo e intencional,
causaram forte impacto na opinião
pública, em geral, com ressonância no
mundo intelectual da época:
Os fenômenos de Hydesville, que,
ao lado das mesas girantes,
contribuiriam efetivamente para o
surgimento do Espiritismo.
Aldeia de Hydesville, condado de Wayne,
Estado de New York, distante 30 km da cidade
de Rochester, pequeno aglomerado de casas
de madeiras com uma típica população de
agricultores.
Sra. Magaret FoxSra. Magaret FoxSr. John FoxSr. John Fox
SubsídiosSubsídios
 Em 1847, a casa [uma
tosca cabana] de um certo
John Fox [e sua mulher
Margareth], residente em
Hydesville, pequena
cidade do Estado de New York, foi perturbada por
estranhas manifestações; ruídos inexplicáveis
faziam-se ouvir com tal intensidade que essa
família não pôde mais repousar.
Apesar das mais numerosas pesquisas, não se
pôde encontrar o autor dessa bulha insólita
(barulho confuso de sons, contrários às regras e
tradições); logo, porém, se notou que a causa
produtora parecia ser inteligente.(4)
 As filhas do casal
Fox, Margareth e Kate e
ainda a mais velha, Lia,
casada, eram médiuns.
Kate, de 11 anos, no
dia 31 de março de 1848,
quando as pancadas
(em inglês chamadas raps) se tornaram mais
persistentes e fortes, resolveu desafiar o
mistério, travando-se um diálogo com o que
todos julgavam fosse o diabo:
— Senhor Pé-rachado, faça o que eu faço,
batendo palmas.
Imediatamente se
ouviram pancadas, em
número igual ao das
palmas.
A Sra. Margareth,
animada, disse, por
sua vez:
— Agora faça exatamente como eu. Conte
um, dois, três, quatro.
Logo se fizeram ouvir as pancadas
correspondentes.
— É um espírito? perguntou, em seguida.
Se for, dê duas batidas.
A resposta, afirmativa, não se fez esperar.
— Se for um espírito assassinado, dê duas
batidas. Foi assassinado nesta casa?
Duas pancadas estrepitosas se fizeram
ouvir. (3).
 Resolveram escavar a
adega para encontrar o
esqueleto do suposto
assassinado. Inicialmente,
encontraram apenas vestígios
e somente após 50 anos foi
descoberto a ossada do
homem assassinado.
 Chamados os vizinhos, estes foram
testemunhas dos mesmos fenômenos.
Todos os meios de vigilância foram postos
em ação para a descoberta do invisível
batedor, mas o inquérito da família e o de toda
a vizinhança foi inútil.
Não se pôde descobrir a causa real
daquelas singulares manifestações.
As experiências seguiram-se, numerosas e
precisas.
Os curiosos, atraídos por esses fenômenos
novos, não se contentaram mais com perguntas
e respostas.
Um deles, chamado Isaac Post, teve a ideia
de nomear em voz alta as letras do alfabeto,
pedindo ao Espírito para bater uma pancada
quando a letra entrasse na composição das
palavras que quisesse fazer compreender.
Desde esse dia, ficou descoberta a
telegrafia espiritual;
Este processo é o que vemos aplicado nas
mesas girantes. (5).
 Por este processo foi obtida a seguinte
comunicação, a primeira que apresentou,
em comparação com as anteriores, maior
extensão, verdadeira mensagem
reveladora dos Desígnios Superiores:
“Caros amigos, deveis proclamar ao
Mundo estas verdades.
É a aurora de uma nova era; e não deveis
tentar ocultá-la por mais tempo.
Quando houverdes cumprido o vosso
dever, Deus vos protegerá; e os bons
Espíritos velarão por vós”. (12).
 Os Fox, vítimas da intolerância e do
fanatismo dos conservadores da fé, resolveram,
então, oferecer-se para mostrar publicamente os
fenômenos à população reunida no Corynthian-
Hall, o maior salão da cidade de Rochester.
Essas apresentações, após passarem
pelo exame rigoroso de três comissões,
foram declaradas verdadeiras, e, como era
de se esperar, grande foi o tumulto, com o
quase linchamento das jovens Fox.
Mas a perseguição traz, como
consequência, o aumento do número de
adeptos para as ideias que combate.
Assim, poucos anos depois, já havia
alguns milhares de seguidores do
espiritualismo moderno nos Estados Unidos.
(6).
 1837 – Na Califórnia,
EUA, um grupo da seita
shakers é abordado por
Espíritos indígenas “peles-
vermelhas”, que se
manifestariam durante sete anos
pela mediunidade dos adeptos.
1850 - Manifesta-se nos
EUA o médium Daniel Dunglas
Home, causando grande
impacto social. (Slide 9-p.27)
 É necessário dizer-se que o fenômeno
tomou, em seguida, outro aspecto.
As pancadas, em vez de se produzirem
sobre as paredes e sobre o assoalho, faziam-se
ouvir na mesa, em torno da qual estavam
reunidos os experimentadores.
Este modo de proceder fora indicado pelos
próprios Espíritos. (7).
 O primeiro fato observado foi o da
movimentação de objetos diversos.
Designaram-no vulgarmente pelo nome de
mesas girantes ou dança das mesas.
Este fenômeno, que parece ter sido notado
primeiramente na América [...], se produziu
rodeado de circunstâncias estranhas, tais como
ruídos insólitos (incomuns), pancadas sem
nenhuma causa ostensiva.
Em seguida, propagou-se rapidamente pela
Europa e pelas outras partes do mundo (1).
 As primeiras manifestações inteligentes se
produziram por meio de mesas que se levantavam
e, com um dos pés, davam certo número de
pancadas, respondendo desse modo – sim, ou não - ,
conforme fora convencionado, a uma pergunta feita.
Até aí nada de convincente havia para os
cépticos, porquanto bem podiam crer que tudo
fosse obra do acaso.
Obtiveram-se depois respostas mais
desenvolvidas com o auxílio das letras do
alfabeto: dando o móvel um número de
pancadas correspondente ao número de ordem
de cada letra, chegava-se a formar palavras e
frases que respondiam às questões propostas.
A precisão das respostas e a correlação
que denotavam com as perguntas causaram
espanto.
O ser misterioso que assim respondia,
interrogado sobre a sua natureza, declarou
que era Espírito ou Gênio, declinou um nome
e prestou diversas informações a seu
respeito.
Há aqui uma circunstância muito
importante, que se deve assinalar.
É que ninguém imaginou os Espíritos
como meio de explicar o fenômeno;
Foi o próprio fenômeno que revelou a
palavra. (2).
 Vale enfatizar que, a propósito
dessas manifestações novas na América,
muitos intelectuais, como:
...o juiz John W. Edmonds,
...o professor James J. Mapes,
...o célebre professor Roberto Hare,
...o sábio Robert Dale Owen, dentre
outros, aproximaram-se das novas ideias
com o objetivo de esclarecer as pessoas
quanto à ilusão em que estavam imersas.
 Mas, em vez disso, eles, os sábios,
recuando honestamente em seus propósitos,
declararam a veracidade dos fatos,
aumentando ainda mais o interesse pelas
manifestações mediúnicas, portadoras de
mensagens vindas do mundo espiritual.
(8,11).
 A notícia dos fenômenos misteriosos
que se produziam na América suscitou na
França viva curiosidade e, em pouco tempo,
a experiência das mesas girantes atingiu
grau extraordinário.
Nos salões, a moda era interrogá-las
sobre as mais fúteis questões. Era um
passatempo de nova espécie e que fez furor.
(9).
 Em 1853, a Europa inteira tinha as
atenções gerais convergidas para o
fenômeno das chamadas mesas girantes e
dançantes, considerado o maior
acontecimento do século pelo Revmo. padre
Ventura de Raulica, então o mais ilustre
representante da teologia e da filosofia
católicas. (14).
 A imprensa informava e tecia largos
comentários acerca das estranhas
manifestações, e, a não ser o grande físico
inglês Faraday;
O sábio químico Chevreul,
O conde de Gasparin,
O marquês de Mirville,
O abade Moigno, Arago, Babinet e
alguns outros eminentes homens de ciência,
bem poucos se importavam em descobrir-
lhes as causas, em explicá-las, a maioria
dos acadêmicos olhando os fenômenos com
superioridade e desdém. (15).
 Voltando aos dias da tumultuosa
França de meados de 1853, vemos que grupos
e mais grupos de experimentadores curiosos
se haviam organizado num fechar de olhos.
A maravilhosa loucura do século XIX já se
havia infiltrado no cérebro da Humanidade [...].
E Paris inteira assistia, atônita e
estarrecida, a este turbilhão feérico de
fenômenos imprevistos que, para a maioria, só
alucinadas imaginações poderiam criar mas
que a realidade impunha aos mais cépticos e
frívolos.
A Imprensa francesa, diante da
demonstração irrefragável (incontestável)
dos novos fatos [manifestações de
Espíritos], que saltavam aos olhos de todos,
franqueou (deu a conhecer - revelou) mais
amplamente suas colunas ao noticiário a
respeito, dessa forma ateando mais fogo
nos debates e controvérsias que então se
levantaram entre os observadores menos
superficiais. (13).
Mas as mesas continuaram... Veio o
Santo Ofício e, em 4 de agosto de 1856,
condenou os fenômenos em voga, dizendo
serem consequência de hipnotismo e
magnetismo (já que pouca gente acreditava
em peripécias do diabo), e tachava de
hereges as pessoas por intermédio das
quais eles eram produzidos. (16).
 Os fenômenos das mesas girantes
passaram a fazer parte dos noticiários e em
muitos casos de forma irônica.
Dissestes que a vossa cozinheira vos
furtou, mas, e as provas?
Senhor, comissário, eis a mesa da cozinha,
que está pronta para depor por escrito.
Senhor, já que não sei ler, diga-me então,
o que a mesa acaba de escrever.
Ele escreveu que Batista é um maroto, e
que vinho é meu vinho.
 Estava, assim, cumprindo o papel dos
fenômenos dessa fase inicial – invasão
organizada, no dizer do escritor Arthur Conan
Doyle —, programada pelos Espíritos Superiores,
com vistas à chegada de uma nova era de
progresso para os homens. (10).
Jovem mesa, de exterior simpática, que fala
várias línguas e conhece um pouco de aritmética e
muitas histórias, pede lugar de intendente de
finanças.
Nascimento: Edimburgo na Escócia em 22-
05-1859 – escritor e médico britânico -
Mundialmente famoso por suas 60 histórias
sobre o detetive Sherlock Holmes.
Consideradas uma grande inovação no
campo da literatura criminal.
● Travou o seu primeiro contato com
o Espiritismo em 1887, iniciando neste mesmo
ano, junto ao seu amigo Ball, arquiteto, sessões
Mediúnicas que o fizeram rever seus conceitos.
● Encontrou consolação apoiando-se no
espiritismo, envolvimento que o levou a
escrever sobre o assunto.
● No auge da fama, em 1918, enfrenta todos
os céticos e publica “A Nova Revelação”, obra
em que manifesta a sua convicção na
explicação espírita para as manifestações
paranormais estudadas a esmo (ao acaso)
durante o século XIX, e inicia uma série de
palestras sobre o tema, em meio a outras.
No episódio de Hydesville, paira certa
dúvida sobre a identidade do morto.
É possível que seu nome fosse outro e os
Espíritos que dirigiam esses fenômenos não
teriam permitido que fosse revelada sua
verdadeira identidade.
Isso significa que nem tudo os Espíritos
podem revelar;
As comunicações não limitaram às irmãs
Fox, se espalharam rapidamente para chamar
a atenção dos homens sobre a existência do
mundo dos espírito.
 As mesas eram movidas por uma forçaAs mesas eram movidas por uma força
inteligente.inteligente.
 A moda das « Mesas Dançantes » teve
por efeito fazer numerosas pessoas
refletirem e desenvolver
consideravelmente a nova ideia;
 O próprio Allan Kardec era, no início,
muito cético face aos fenômenos
Espíritas, mas foi convencido da
veracidade dos fatos.
 Como planejaram os Espíritos, os
fenômenos de “Hydesville” repercutiria na
Europa, despertando as consciências e, ao
lado dos fenômenos das “Mesas Girantes”,
prepararia o advento do ESPIRITSMO.
 E eu rogarei ao Pai, e ele vos daráE eu rogarei ao Pai, e ele vos dará
outro Consolador, para que fique convoscooutro Consolador, para que fique convosco
para semprepara sempre (João 14:16);
 Mas aquele Consolador, o EspíritoMas aquele Consolador, o Espírito
Santo, que o Pai enviará em meu nome,Santo, que o Pai enviará em meu nome,
esse vos ensinará todas as coisas, e vos faráesse vos ensinará todas as coisas, e vos fará
lembrar de tudo quanto vos tenho ditolembrar de tudo quanto vos tenho dito (João
14:26).
 Mas, quando vier o Consolador, queMas, quando vier o Consolador, que
eu da parte do Pai vos hei de enviar, aqueleeu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele
Espírito de Verdade, que procede do Pai, eleEspírito de Verdade, que procede do Pai, ele
testificará de mimtestificará de mim (João 15:26).
1. KARDEC, Allan. O livro dos Espíritos. Tradução
de J. Herculano Pires. 68ª ed. São Paulo: LAKE, 2013.
Introdução ao Estudo da Doutrina Espírita - Item: III – A
Doutrina e seus Contraditores - Pág. 28.
2. ______. Item: IV – Manifestações Inteligentes -
Pág. 30.
3. BARBOS, Pedro Franco. O Espiritismo
Básico. 5ª Ed. - Rio de Janeiro: FEB, 2002.
Primeira Parte – Notícias Históricas –
(Episódio de Hydesville) - Págs. 42.
ReferênciasReferências
BibliográficasBibliográficas
4. DELLANE, Gabriel. O Fenômeno Espírita. Tradução de
Francisco Raymundo Ewerton Quadros. 8ª ed. Rio de Janeiro:
FEB 2005. – Parte Primeira – Cap. 2 (Na América) - Pág. 23.
5. ______. Pág. 24.
6. ______. Págs. 25-26.
7. ______. Pág. 27.
8. ______. Págs. 29-33.
9. ______. Pág. 38.
10. DOYLE, Arthur Conan. História do Espiritismo.
Tradução de Júlio Abreu Filho – São Paulo: Pensamento. S/d. –
Cap. I - Pág. 33.
11. ______. Cap. VI - Págs. 120-128.
12. WANTUIL, Zéus. As Mesas Girantes
e o Espiritismo. 4ª ed. Rio de Janeiro: FEB
2005 – Cap. Págs. 6-7
13. ______. Cap. 9 – Pág. 57.
14. WANTUIL, Zéus e THIESEN,
Francisco. Allan Kardec - 4ª ed. Rio de
Janeiro: FEB 1996 – vol. 2 - Cap. 2 - Pág. 56-
57
15. ______. Pág. 57.
16. ______. Págs. 59-60.
Roteiro 1   fenômenos mediúnicos que anteceredam a codificação

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Provas da existência deus
Provas da existência deusProvas da existência deus
Provas da existência deusDenise Aguiar
 
A fé transporta montanhas cap 19 ese
A fé transporta montanhas cap 19 eseA fé transporta montanhas cap 19 ese
A fé transporta montanhas cap 19 esectollin
 
O que é o Espiritismo? (o tríplice aspecto)-1,5h
O que é o Espiritismo? (o tríplice aspecto)-1,5hO que é o Espiritismo? (o tríplice aspecto)-1,5h
O que é o Espiritismo? (o tríplice aspecto)-1,5hhome
 
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meuProgressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meuEduardo Ottonelli Pithan
 
Aula 97 evolução anímica ii
Aula 97  evolução anímica iiAula 97  evolução anímica ii
Aula 97 evolução anímica iiDenise Tofoli
 
Provas da Reencarnação
Provas da ReencarnaçãoProvas da Reencarnação
Provas da Reencarnaçãoigmateus
 
Aula - Fluido Cósmico Universal - Rosana De Rosa
Aula - Fluido Cósmico Universal - Rosana De RosaAula - Fluido Cósmico Universal - Rosana De Rosa
Aula - Fluido Cósmico Universal - Rosana De RosaRosana De Rosa
 
Princípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do EspiritismoPrincípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do Espiritismopaikachambi
 
Roteiro 2 espiritismo ou doutrina espírito - conceito e objeto
Roteiro 2   espiritismo ou doutrina espírito - conceito e objetoRoteiro 2   espiritismo ou doutrina espírito - conceito e objeto
Roteiro 2 espiritismo ou doutrina espírito - conceito e objetoBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 5 diferentes categorias de mundos habitados
Roteiro 5   diferentes categorias de mundos habitadosRoteiro 5   diferentes categorias de mundos habitados
Roteiro 5 diferentes categorias de mundos habitadosBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 3 triplice aspecto da doutrina espírita
Roteiro 3   triplice aspecto da doutrina espíritaRoteiro 3   triplice aspecto da doutrina espírita
Roteiro 3 triplice aspecto da doutrina espíritaBruno Cechinel Filho
 
Estranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIIIEstranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIIIgrupodepaisceb
 
Roteiro 2 allan kardec o professor e o codificador
Roteiro 2   allan kardec  o professor e o codificadorRoteiro 2   allan kardec  o professor e o codificador
Roteiro 2 allan kardec o professor e o codificadorBruno Cechinel Filho
 
Aula 03 FCU - Fluído Cósmico ou Universal
Aula 03 FCU - Fluído Cósmico ou UniversalAula 03 FCU - Fluído Cósmico ou Universal
Aula 03 FCU - Fluído Cósmico ou Universalcarlos freire
 
Fluidos e Perispírito
Fluidos e PerispíritoFluidos e Perispírito
Fluidos e Perispíritoigmateus
 
Falsos Cristos Falsos profetas
Falsos Cristos Falsos profetasFalsos Cristos Falsos profetas
Falsos Cristos Falsos profetasVanda Machado
 
2.9.2 Possessos - Convulsionários
2.9.2   Possessos - Convulsionários2.9.2   Possessos - Convulsionários
2.9.2 Possessos - ConvulsionáriosMarta Gomes
 

Mais procurados (20)

Provas da existência deus
Provas da existência deusProvas da existência deus
Provas da existência deus
 
A fé transporta montanhas cap 19 ese
A fé transporta montanhas cap 19 eseA fé transporta montanhas cap 19 ese
A fé transporta montanhas cap 19 ese
 
O livro dos espíritos !
O  livro dos espíritos !O  livro dos espíritos !
O livro dos espíritos !
 
O que é o Espiritismo? (o tríplice aspecto)-1,5h
O que é o Espiritismo? (o tríplice aspecto)-1,5hO que é o Espiritismo? (o tríplice aspecto)-1,5h
O que é o Espiritismo? (o tríplice aspecto)-1,5h
 
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meuProgressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
 
Aula 97 evolução anímica ii
Aula 97  evolução anímica iiAula 97  evolução anímica ii
Aula 97 evolução anímica ii
 
Perispírito
PerispíritoPerispírito
Perispírito
 
Provas da Reencarnação
Provas da ReencarnaçãoProvas da Reencarnação
Provas da Reencarnação
 
Aula - Fluido Cósmico Universal - Rosana De Rosa
Aula - Fluido Cósmico Universal - Rosana De RosaAula - Fluido Cósmico Universal - Rosana De Rosa
Aula - Fluido Cósmico Universal - Rosana De Rosa
 
Princípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do EspiritismoPrincípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do Espiritismo
 
Roteiro 2 espiritismo ou doutrina espírito - conceito e objeto
Roteiro 2   espiritismo ou doutrina espírito - conceito e objetoRoteiro 2   espiritismo ou doutrina espírito - conceito e objeto
Roteiro 2 espiritismo ou doutrina espírito - conceito e objeto
 
Roteiro 5 diferentes categorias de mundos habitados
Roteiro 5   diferentes categorias de mundos habitadosRoteiro 5   diferentes categorias de mundos habitados
Roteiro 5 diferentes categorias de mundos habitados
 
Roteiro 3 triplice aspecto da doutrina espírita
Roteiro 3   triplice aspecto da doutrina espíritaRoteiro 3   triplice aspecto da doutrina espírita
Roteiro 3 triplice aspecto da doutrina espírita
 
Roteiro 4 os reinos da natureza
Roteiro 4   os reinos da naturezaRoteiro 4   os reinos da natureza
Roteiro 4 os reinos da natureza
 
Estranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIIIEstranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIII
 
Roteiro 2 allan kardec o professor e o codificador
Roteiro 2   allan kardec  o professor e o codificadorRoteiro 2   allan kardec  o professor e o codificador
Roteiro 2 allan kardec o professor e o codificador
 
Aula 03 FCU - Fluído Cósmico ou Universal
Aula 03 FCU - Fluído Cósmico ou UniversalAula 03 FCU - Fluído Cósmico ou Universal
Aula 03 FCU - Fluído Cósmico ou Universal
 
Fluidos e Perispírito
Fluidos e PerispíritoFluidos e Perispírito
Fluidos e Perispírito
 
Falsos Cristos Falsos profetas
Falsos Cristos Falsos profetasFalsos Cristos Falsos profetas
Falsos Cristos Falsos profetas
 
2.9.2 Possessos - Convulsionários
2.9.2   Possessos - Convulsionários2.9.2   Possessos - Convulsionários
2.9.2 Possessos - Convulsionários
 

Semelhante a Roteiro 1 fenômenos mediúnicos que anteceredam a codificação

Esde leitura proximo encontro
Esde leitura proximo encontroEsde leitura proximo encontro
Esde leitura proximo encontroEric Arieiv
 
05.[2014] fund i-mod ii-rot 1-euzebio aula
05.[2014] fund i-mod ii-rot 1-euzebio aula05.[2014] fund i-mod ii-rot 1-euzebio aula
05.[2014] fund i-mod ii-rot 1-euzebio aulaEuzebio Medrado
 
Primeiro Módulo - Aula 1 - Espiritismo - antecedentes da codificação
Primeiro Módulo - Aula 1 - Espiritismo - antecedentes da codificaçãoPrimeiro Módulo - Aula 1 - Espiritismo - antecedentes da codificação
Primeiro Módulo - Aula 1 - Espiritismo - antecedentes da codificaçãoCeiClarencio
 
Fenômenos Hydesville Mesas Girantes
Fenômenos Hydesville Mesas GirantesFenômenos Hydesville Mesas Girantes
Fenômenos Hydesville Mesas GirantesFatima Carvalho
 
Fenomenos hydesville-mesas-girantes-
Fenomenos hydesville-mesas-girantes-Fenomenos hydesville-mesas-girantes-
Fenomenos hydesville-mesas-girantes-Levi Antonio Amancio
 
Módulo II - Aula I - Mansão Espírita
Módulo II - Aula I - Mansão EspíritaMódulo II - Aula I - Mansão Espírita
Módulo II - Aula I - Mansão Espíritabrunoquadros
 
fenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptx
fenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptxfenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptx
fenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptxFilipeDuartedeBem
 
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docx
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docxApresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docx
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docxMarta Gomes
 
02.01 fenominos parte 1_hydesville
02.01 fenominos parte 1_hydesville02.01 fenominos parte 1_hydesville
02.01 fenominos parte 1_hydesvilleDenise Aguiar
 
Antecedentes Da Doutrina EspíRita
Antecedentes Da Doutrina EspíRitaAntecedentes Da Doutrina EspíRita
Antecedentes Da Doutrina EspíRitaPower Point
 
Aula 03 - Introdução Estudo DE - 2023-02-23.pptx
Aula 03 - Introdução Estudo DE - 2023-02-23.pptxAula 03 - Introdução Estudo DE - 2023-02-23.pptx
Aula 03 - Introdução Estudo DE - 2023-02-23.pptxLuizHenriqueTDias
 
Manifestações 1 e ideias espíritas em outros povos 1
Manifestações 1 e ideias espíritas em outros povos 1Manifestações 1 e ideias espíritas em outros povos 1
Manifestações 1 e ideias espíritas em outros povos 1Jose Maria Magalhaes
 
Espiritismo - Seitas e Heresias
Espiritismo - Seitas e HeresiasEspiritismo - Seitas e Heresias
Espiritismo - Seitas e HeresiasLuan Almeida
 

Semelhante a Roteiro 1 fenômenos mediúnicos que anteceredam a codificação (20)

Esde leitura proximo encontro
Esde leitura proximo encontroEsde leitura proximo encontro
Esde leitura proximo encontro
 
05.[2014] fund i-mod ii-rot 1-euzebio aula
05.[2014] fund i-mod ii-rot 1-euzebio aula05.[2014] fund i-mod ii-rot 1-euzebio aula
05.[2014] fund i-mod ii-rot 1-euzebio aula
 
As mesas girantes e o espiritismo
As mesas girantes e o espiritismoAs mesas girantes e o espiritismo
As mesas girantes e o espiritismo
 
Primeiro Módulo - Aula 1 - Espiritismo - antecedentes da codificação
Primeiro Módulo - Aula 1 - Espiritismo - antecedentes da codificaçãoPrimeiro Módulo - Aula 1 - Espiritismo - antecedentes da codificação
Primeiro Módulo - Aula 1 - Espiritismo - antecedentes da codificação
 
Fenômenos Hydesville Mesas Girantes
Fenômenos Hydesville Mesas GirantesFenômenos Hydesville Mesas Girantes
Fenômenos Hydesville Mesas Girantes
 
Fenomenos hydesville-mesas-girantes-
Fenomenos hydesville-mesas-girantes-Fenomenos hydesville-mesas-girantes-
Fenomenos hydesville-mesas-girantes-
 
F 1 m_2_r_1
F 1 m_2_r_1F 1 m_2_r_1
F 1 m_2_r_1
 
Módulo II - Aula I - Mansão Espírita
Módulo II - Aula I - Mansão EspíritaMódulo II - Aula I - Mansão Espírita
Módulo II - Aula I - Mansão Espírita
 
fenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptx
fenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptxfenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptx
fenmenos-hydesville-mesas-girantes-Complementar.pptx
 
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docx
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docxApresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docx
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docx
 
AULA 1.pptx
AULA 1.pptxAULA 1.pptx
AULA 1.pptx
 
02.01 fenominos parte 1_hydesville
02.01 fenominos parte 1_hydesville02.01 fenominos parte 1_hydesville
02.01 fenominos parte 1_hydesville
 
Irmãs fox
Irmãs foxIrmãs fox
Irmãs fox
 
Antecedentes Da Doutrina EspíRita
Antecedentes Da Doutrina EspíRitaAntecedentes Da Doutrina EspíRita
Antecedentes Da Doutrina EspíRita
 
Aula 03 - Introdução Estudo DE - 2023-02-23.pptx
Aula 03 - Introdução Estudo DE - 2023-02-23.pptxAula 03 - Introdução Estudo DE - 2023-02-23.pptx
Aula 03 - Introdução Estudo DE - 2023-02-23.pptx
 
Manifestações 1 e ideias espíritas em outros povos 1
Manifestações 1 e ideias espíritas em outros povos 1Manifestações 1 e ideias espíritas em outros povos 1
Manifestações 1 e ideias espíritas em outros povos 1
 
História do espiritismo no Brasil
História do espiritismo no BrasilHistória do espiritismo no Brasil
História do espiritismo no Brasil
 
18 abril 1857
18 abril 185718 abril 1857
18 abril 1857
 
Espiritismo - Seitas e Heresias
Espiritismo - Seitas e HeresiasEspiritismo - Seitas e Heresias
Espiritismo - Seitas e Heresias
 
A Trajetória de Kardec
A Trajetória de KardecA Trajetória de Kardec
A Trajetória de Kardec
 

Mais de Bruno Cechinel Filho

Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2   a prece = importância, eficácia e açãoRoteiro 2   a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e açãoBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1 adoração = significado e objetivo
Roteiro 1   adoração = significado e objetivoRoteiro 1   adoração = significado e objetivo
Roteiro 1 adoração = significado e objetivoBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1.1 anexo - a luta contra o mal
Roteiro 1.1   anexo - a luta contra o malRoteiro 1.1   anexo - a luta contra o mal
Roteiro 1.1 anexo - a luta contra o malBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1 lei natural - definições e caracteres
Roteiro 1   lei natural - definições e caracteresRoteiro 1   lei natural - definições e caracteres
Roteiro 1 lei natural - definições e caracteresBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7   a terra - mundo de expiação e provasRoteiro 7   a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provasBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 6 materialização nos diferentes mundos
Roteiro 6   materialização nos diferentes mundosRoteiro 6   materialização nos diferentes mundos
Roteiro 6 materialização nos diferentes mundosBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 3 formação dos mundos e dos seres vivos
Roteiro 3   formação dos mundos e dos seres vivosRoteiro 3   formação dos mundos e dos seres vivos
Roteiro 3 formação dos mundos e dos seres vivosBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espíritoRoteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espíritoBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1 o fluído cósmico universal
Roteiro 1   o fluído cósmico universalRoteiro 1   o fluído cósmico universal
Roteiro 1 o fluído cósmico universalBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 6 o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Roteiro 6    o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidadeRoteiro 6    o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Roteiro 6 o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidadeBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5    retorno à vida corporal - infânciaRoteiro 5    retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infânciaBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 4.1 segismundo - planejamento rematerializatório
Roteiro 4.1   segismundo - planejamento  rematerializatórioRoteiro 4.1   segismundo - planejamento  rematerializatório
Roteiro 4.1 segismundo - planejamento rematerializatórioBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Roteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpoRoteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpoBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 3.1 estudo de caso simplificado - a história de stella
Roteiro 3.1   estudo de caso simplificado - a história de stellaRoteiro 3.1   estudo de caso simplificado - a história de stella
Roteiro 3.1 estudo de caso simplificado - a história de stellaBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 3 retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Roteiro 3   retorno à vida corporal - planejamento rematerializatórioRoteiro 3   retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Roteiro 3 retorno à vida corporal - planejamento rematerializatórioBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 2 provas da rematerialização
Roteiro 2   provas da rematerializaçãoRoteiro 2   provas da rematerialização
Roteiro 2 provas da rematerializaçãoBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1.1 lógica da rematerialização - anexo
Roteiro 1.1   lógica da rematerialização - anexoRoteiro 1.1   lógica da rematerialização - anexo
Roteiro 1.1 lógica da rematerialização - anexoBruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1 fundamento e finalidade da rematerialização
Roteiro 1   fundamento e finalidade da rematerializaçãoRoteiro 1   fundamento e finalidade da rematerialização
Roteiro 1 fundamento e finalidade da rematerializaçãoBruno Cechinel Filho
 

Mais de Bruno Cechinel Filho (20)

Roteiro 3 evangelho no lar
Roteiro 3   evangelho no larRoteiro 3   evangelho no lar
Roteiro 3 evangelho no lar
 
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2   a prece = importância, eficácia e açãoRoteiro 2   a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
 
Roteiro 1 adoração = significado e objetivo
Roteiro 1   adoração = significado e objetivoRoteiro 1   adoração = significado e objetivo
Roteiro 1 adoração = significado e objetivo
 
Roteiro 2 o bem e o mal
Roteiro 2   o bem e o malRoteiro 2   o bem e o mal
Roteiro 2 o bem e o mal
 
Roteiro 1.1 anexo - a luta contra o mal
Roteiro 1.1   anexo - a luta contra o malRoteiro 1.1   anexo - a luta contra o mal
Roteiro 1.1 anexo - a luta contra o mal
 
Roteiro 1 lei natural - definições e caracteres
Roteiro 1   lei natural - definições e caracteresRoteiro 1   lei natural - definições e caracteres
Roteiro 1 lei natural - definições e caracteres
 
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7   a terra - mundo de expiação e provasRoteiro 7   a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
 
Roteiro 6 materialização nos diferentes mundos
Roteiro 6   materialização nos diferentes mundosRoteiro 6   materialização nos diferentes mundos
Roteiro 6 materialização nos diferentes mundos
 
Roteiro 3 formação dos mundos e dos seres vivos
Roteiro 3   formação dos mundos e dos seres vivosRoteiro 3   formação dos mundos e dos seres vivos
Roteiro 3 formação dos mundos e dos seres vivos
 
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espíritoRoteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
 
Roteiro 1 o fluído cósmico universal
Roteiro 1   o fluído cósmico universalRoteiro 1   o fluído cósmico universal
Roteiro 1 o fluído cósmico universal
 
Roteiro 6 o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Roteiro 6    o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidadeRoteiro 6    o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Roteiro 6 o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
 
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5    retorno à vida corporal - infânciaRoteiro 5    retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
 
Roteiro 4.1 segismundo - planejamento rematerializatório
Roteiro 4.1   segismundo - planejamento  rematerializatórioRoteiro 4.1   segismundo - planejamento  rematerializatório
Roteiro 4.1 segismundo - planejamento rematerializatório
 
Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Roteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpoRoteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
 
Roteiro 3.1 estudo de caso simplificado - a história de stella
Roteiro 3.1   estudo de caso simplificado - a história de stellaRoteiro 3.1   estudo de caso simplificado - a história de stella
Roteiro 3.1 estudo de caso simplificado - a história de stella
 
Roteiro 3 retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Roteiro 3   retorno à vida corporal - planejamento rematerializatórioRoteiro 3   retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Roteiro 3 retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
 
Roteiro 2 provas da rematerialização
Roteiro 2   provas da rematerializaçãoRoteiro 2   provas da rematerialização
Roteiro 2 provas da rematerialização
 
Roteiro 1.1 lógica da rematerialização - anexo
Roteiro 1.1   lógica da rematerialização - anexoRoteiro 1.1   lógica da rematerialização - anexo
Roteiro 1.1 lógica da rematerialização - anexo
 
Roteiro 1 fundamento e finalidade da rematerialização
Roteiro 1   fundamento e finalidade da rematerializaçãoRoteiro 1   fundamento e finalidade da rematerialização
Roteiro 1 fundamento e finalidade da rematerialização
 

Último

Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............MilyFonceca
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfnestorsouza36
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoNilson Almeida
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoFabioLofrano
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfStelaWilbert
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaRicardo Azevedo
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxViniciusPetersen1
 

Último (10)

Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 

Roteiro 1 fenômenos mediúnicos que anteceredam a codificação

  • 1. CENTRO DE TRABALHOS ESPÍRITA ANA LUZ Fenômenos mediúnicos que antecederam a Codificação: Hydesville e mesas girantes
  • 3.
  • 4.
  • 5. Fenômeno mediúnicos que antecederam a codificação: Hydesville e mesas girantes Objetivo Específico Ilustrar a importância dos fenômenos de Hydesville e das mesas girantes para o surgimento do Espiritismo
  • 7. ESDE - Em meados do século XIX, surgiram na América, fenômenos que, pelo caráter ostensivo e intencional, causaram forte impacto na opinião pública, em geral, com ressonância no mundo intelectual da época: Os fenômenos de Hydesville, que, ao lado das mesas girantes, contribuiriam efetivamente para o surgimento do Espiritismo.
  • 8. Aldeia de Hydesville, condado de Wayne, Estado de New York, distante 30 km da cidade de Rochester, pequeno aglomerado de casas de madeiras com uma típica população de agricultores.
  • 9.
  • 10. Sra. Magaret FoxSra. Magaret FoxSr. John FoxSr. John Fox
  • 11.
  • 13.
  • 14.  Em 1847, a casa [uma tosca cabana] de um certo John Fox [e sua mulher Margareth], residente em Hydesville, pequena cidade do Estado de New York, foi perturbada por estranhas manifestações; ruídos inexplicáveis faziam-se ouvir com tal intensidade que essa família não pôde mais repousar. Apesar das mais numerosas pesquisas, não se pôde encontrar o autor dessa bulha insólita (barulho confuso de sons, contrários às regras e tradições); logo, porém, se notou que a causa produtora parecia ser inteligente.(4)
  • 15.  As filhas do casal Fox, Margareth e Kate e ainda a mais velha, Lia, casada, eram médiuns. Kate, de 11 anos, no dia 31 de março de 1848, quando as pancadas (em inglês chamadas raps) se tornaram mais persistentes e fortes, resolveu desafiar o mistério, travando-se um diálogo com o que todos julgavam fosse o diabo: — Senhor Pé-rachado, faça o que eu faço, batendo palmas.
  • 16. Imediatamente se ouviram pancadas, em número igual ao das palmas. A Sra. Margareth, animada, disse, por sua vez: — Agora faça exatamente como eu. Conte um, dois, três, quatro. Logo se fizeram ouvir as pancadas correspondentes. — É um espírito? perguntou, em seguida. Se for, dê duas batidas.
  • 17. A resposta, afirmativa, não se fez esperar. — Se for um espírito assassinado, dê duas batidas. Foi assassinado nesta casa? Duas pancadas estrepitosas se fizeram ouvir. (3).  Resolveram escavar a adega para encontrar o esqueleto do suposto assassinado. Inicialmente, encontraram apenas vestígios e somente após 50 anos foi descoberto a ossada do homem assassinado.
  • 18.  Chamados os vizinhos, estes foram testemunhas dos mesmos fenômenos. Todos os meios de vigilância foram postos em ação para a descoberta do invisível batedor, mas o inquérito da família e o de toda a vizinhança foi inútil. Não se pôde descobrir a causa real daquelas singulares manifestações. As experiências seguiram-se, numerosas e precisas.
  • 19. Os curiosos, atraídos por esses fenômenos novos, não se contentaram mais com perguntas e respostas. Um deles, chamado Isaac Post, teve a ideia de nomear em voz alta as letras do alfabeto, pedindo ao Espírito para bater uma pancada quando a letra entrasse na composição das palavras que quisesse fazer compreender. Desde esse dia, ficou descoberta a telegrafia espiritual; Este processo é o que vemos aplicado nas mesas girantes. (5).
  • 20.  Por este processo foi obtida a seguinte comunicação, a primeira que apresentou, em comparação com as anteriores, maior extensão, verdadeira mensagem reveladora dos Desígnios Superiores: “Caros amigos, deveis proclamar ao Mundo estas verdades. É a aurora de uma nova era; e não deveis tentar ocultá-la por mais tempo. Quando houverdes cumprido o vosso dever, Deus vos protegerá; e os bons Espíritos velarão por vós”. (12).
  • 21.  Os Fox, vítimas da intolerância e do fanatismo dos conservadores da fé, resolveram, então, oferecer-se para mostrar publicamente os fenômenos à população reunida no Corynthian- Hall, o maior salão da cidade de Rochester.
  • 22. Essas apresentações, após passarem pelo exame rigoroso de três comissões, foram declaradas verdadeiras, e, como era de se esperar, grande foi o tumulto, com o quase linchamento das jovens Fox. Mas a perseguição traz, como consequência, o aumento do número de adeptos para as ideias que combate. Assim, poucos anos depois, já havia alguns milhares de seguidores do espiritualismo moderno nos Estados Unidos. (6).
  • 23.  1837 – Na Califórnia, EUA, um grupo da seita shakers é abordado por Espíritos indígenas “peles- vermelhas”, que se manifestariam durante sete anos pela mediunidade dos adeptos. 1850 - Manifesta-se nos EUA o médium Daniel Dunglas Home, causando grande impacto social. (Slide 9-p.27)
  • 24.
  • 25.
  • 26.  É necessário dizer-se que o fenômeno tomou, em seguida, outro aspecto. As pancadas, em vez de se produzirem sobre as paredes e sobre o assoalho, faziam-se ouvir na mesa, em torno da qual estavam reunidos os experimentadores. Este modo de proceder fora indicado pelos próprios Espíritos. (7).  O primeiro fato observado foi o da movimentação de objetos diversos. Designaram-no vulgarmente pelo nome de mesas girantes ou dança das mesas.
  • 27. Este fenômeno, que parece ter sido notado primeiramente na América [...], se produziu rodeado de circunstâncias estranhas, tais como ruídos insólitos (incomuns), pancadas sem nenhuma causa ostensiva. Em seguida, propagou-se rapidamente pela Europa e pelas outras partes do mundo (1).  As primeiras manifestações inteligentes se produziram por meio de mesas que se levantavam e, com um dos pés, davam certo número de pancadas, respondendo desse modo – sim, ou não - , conforme fora convencionado, a uma pergunta feita.
  • 28. Até aí nada de convincente havia para os cépticos, porquanto bem podiam crer que tudo fosse obra do acaso. Obtiveram-se depois respostas mais desenvolvidas com o auxílio das letras do alfabeto: dando o móvel um número de pancadas correspondente ao número de ordem de cada letra, chegava-se a formar palavras e frases que respondiam às questões propostas. A precisão das respostas e a correlação que denotavam com as perguntas causaram espanto.
  • 29. O ser misterioso que assim respondia, interrogado sobre a sua natureza, declarou que era Espírito ou Gênio, declinou um nome e prestou diversas informações a seu respeito. Há aqui uma circunstância muito importante, que se deve assinalar. É que ninguém imaginou os Espíritos como meio de explicar o fenômeno; Foi o próprio fenômeno que revelou a palavra. (2).
  • 30.  Vale enfatizar que, a propósito dessas manifestações novas na América, muitos intelectuais, como: ...o juiz John W. Edmonds, ...o professor James J. Mapes, ...o célebre professor Roberto Hare, ...o sábio Robert Dale Owen, dentre outros, aproximaram-se das novas ideias com o objetivo de esclarecer as pessoas quanto à ilusão em que estavam imersas.
  • 31.  Mas, em vez disso, eles, os sábios, recuando honestamente em seus propósitos, declararam a veracidade dos fatos, aumentando ainda mais o interesse pelas manifestações mediúnicas, portadoras de mensagens vindas do mundo espiritual. (8,11).  A notícia dos fenômenos misteriosos que se produziam na América suscitou na França viva curiosidade e, em pouco tempo, a experiência das mesas girantes atingiu grau extraordinário.
  • 32.
  • 33. Nos salões, a moda era interrogá-las sobre as mais fúteis questões. Era um passatempo de nova espécie e que fez furor. (9).  Em 1853, a Europa inteira tinha as atenções gerais convergidas para o fenômeno das chamadas mesas girantes e dançantes, considerado o maior acontecimento do século pelo Revmo. padre Ventura de Raulica, então o mais ilustre representante da teologia e da filosofia católicas. (14).
  • 34.  A imprensa informava e tecia largos comentários acerca das estranhas manifestações, e, a não ser o grande físico inglês Faraday; O sábio químico Chevreul, O conde de Gasparin, O marquês de Mirville, O abade Moigno, Arago, Babinet e alguns outros eminentes homens de ciência, bem poucos se importavam em descobrir- lhes as causas, em explicá-las, a maioria dos acadêmicos olhando os fenômenos com superioridade e desdém. (15).
  • 35.  Voltando aos dias da tumultuosa França de meados de 1853, vemos que grupos e mais grupos de experimentadores curiosos se haviam organizado num fechar de olhos. A maravilhosa loucura do século XIX já se havia infiltrado no cérebro da Humanidade [...]. E Paris inteira assistia, atônita e estarrecida, a este turbilhão feérico de fenômenos imprevistos que, para a maioria, só alucinadas imaginações poderiam criar mas que a realidade impunha aos mais cépticos e frívolos.
  • 36. A Imprensa francesa, diante da demonstração irrefragável (incontestável) dos novos fatos [manifestações de Espíritos], que saltavam aos olhos de todos, franqueou (deu a conhecer - revelou) mais amplamente suas colunas ao noticiário a respeito, dessa forma ateando mais fogo nos debates e controvérsias que então se levantaram entre os observadores menos superficiais. (13).
  • 37.
  • 38. Mas as mesas continuaram... Veio o Santo Ofício e, em 4 de agosto de 1856, condenou os fenômenos em voga, dizendo serem consequência de hipnotismo e magnetismo (já que pouca gente acreditava em peripécias do diabo), e tachava de hereges as pessoas por intermédio das quais eles eram produzidos. (16).  Os fenômenos das mesas girantes passaram a fazer parte dos noticiários e em muitos casos de forma irônica.
  • 39. Dissestes que a vossa cozinheira vos furtou, mas, e as provas? Senhor, comissário, eis a mesa da cozinha, que está pronta para depor por escrito. Senhor, já que não sei ler, diga-me então, o que a mesa acaba de escrever. Ele escreveu que Batista é um maroto, e que vinho é meu vinho.
  • 40.  Estava, assim, cumprindo o papel dos fenômenos dessa fase inicial – invasão organizada, no dizer do escritor Arthur Conan Doyle —, programada pelos Espíritos Superiores, com vistas à chegada de uma nova era de progresso para os homens. (10). Jovem mesa, de exterior simpática, que fala várias línguas e conhece um pouco de aritmética e muitas histórias, pede lugar de intendente de finanças.
  • 41. Nascimento: Edimburgo na Escócia em 22- 05-1859 – escritor e médico britânico - Mundialmente famoso por suas 60 histórias sobre o detetive Sherlock Holmes. Consideradas uma grande inovação no campo da literatura criminal.
  • 42. ● Travou o seu primeiro contato com o Espiritismo em 1887, iniciando neste mesmo ano, junto ao seu amigo Ball, arquiteto, sessões Mediúnicas que o fizeram rever seus conceitos. ● Encontrou consolação apoiando-se no espiritismo, envolvimento que o levou a escrever sobre o assunto. ● No auge da fama, em 1918, enfrenta todos os céticos e publica “A Nova Revelação”, obra em que manifesta a sua convicção na explicação espírita para as manifestações paranormais estudadas a esmo (ao acaso) durante o século XIX, e inicia uma série de palestras sobre o tema, em meio a outras.
  • 43.
  • 44. No episódio de Hydesville, paira certa dúvida sobre a identidade do morto. É possível que seu nome fosse outro e os Espíritos que dirigiam esses fenômenos não teriam permitido que fosse revelada sua verdadeira identidade. Isso significa que nem tudo os Espíritos podem revelar; As comunicações não limitaram às irmãs Fox, se espalharam rapidamente para chamar a atenção dos homens sobre a existência do mundo dos espírito.
  • 45.  As mesas eram movidas por uma forçaAs mesas eram movidas por uma força inteligente.inteligente.  A moda das « Mesas Dançantes » teve por efeito fazer numerosas pessoas refletirem e desenvolver consideravelmente a nova ideia;  O próprio Allan Kardec era, no início, muito cético face aos fenômenos Espíritas, mas foi convencido da veracidade dos fatos.
  • 46.  Como planejaram os Espíritos, os fenômenos de “Hydesville” repercutiria na Europa, despertando as consciências e, ao lado dos fenômenos das “Mesas Girantes”, prepararia o advento do ESPIRITSMO.
  • 47.
  • 48.  E eu rogarei ao Pai, e ele vos daráE eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convoscooutro Consolador, para que fique convosco para semprepara sempre (João 14:16);  Mas aquele Consolador, o EspíritoMas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome,Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos faráesse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho ditolembrar de tudo quanto vos tenho dito (João 14:26).  Mas, quando vier o Consolador, queMas, quando vier o Consolador, que eu da parte do Pai vos hei de enviar, aqueleeu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito de Verdade, que procede do Pai, eleEspírito de Verdade, que procede do Pai, ele testificará de mimtestificará de mim (João 15:26).
  • 49. 1. KARDEC, Allan. O livro dos Espíritos. Tradução de J. Herculano Pires. 68ª ed. São Paulo: LAKE, 2013. Introdução ao Estudo da Doutrina Espírita - Item: III – A Doutrina e seus Contraditores - Pág. 28. 2. ______. Item: IV – Manifestações Inteligentes - Pág. 30. 3. BARBOS, Pedro Franco. O Espiritismo Básico. 5ª Ed. - Rio de Janeiro: FEB, 2002. Primeira Parte – Notícias Históricas – (Episódio de Hydesville) - Págs. 42. ReferênciasReferências BibliográficasBibliográficas
  • 50. 4. DELLANE, Gabriel. O Fenômeno Espírita. Tradução de Francisco Raymundo Ewerton Quadros. 8ª ed. Rio de Janeiro: FEB 2005. – Parte Primeira – Cap. 2 (Na América) - Pág. 23. 5. ______. Pág. 24. 6. ______. Págs. 25-26. 7. ______. Pág. 27. 8. ______. Págs. 29-33. 9. ______. Pág. 38. 10. DOYLE, Arthur Conan. História do Espiritismo. Tradução de Júlio Abreu Filho – São Paulo: Pensamento. S/d. – Cap. I - Pág. 33. 11. ______. Cap. VI - Págs. 120-128.
  • 51. 12. WANTUIL, Zéus. As Mesas Girantes e o Espiritismo. 4ª ed. Rio de Janeiro: FEB 2005 – Cap. Págs. 6-7 13. ______. Cap. 9 – Pág. 57. 14. WANTUIL, Zéus e THIESEN, Francisco. Allan Kardec - 4ª ed. Rio de Janeiro: FEB 1996 – vol. 2 - Cap. 2 - Pág. 56- 57 15. ______. Pág. 57. 16. ______. Págs. 59-60.