SlideShare uma empresa Scribd logo
CENTRO DECENTRO DE
TRABALHOS ESPÍRITATRABALHOS ESPÍRITA
ANA LUZANA LUZ
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos
e atos, e nos acontecimentos da vida.
1804-1869
Roteiro 1 – Influência dos Espíritos
em nossos pensamentos e atos, e nos
acontecimentos da vida;
Módulo V
Roteiro 2 – Mediunidade e médium;
Roteiro 3 – Mediunidade com Jesus.
Comunicabilidade dos Espíritos
A INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS EM
NOSSOS PENSAMENTOS E ATOS, E
NOS ACONTECIMENTOS DA VIDA
SubsídiosSubsídios
A INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS EM
NOSSOS PENSAMENTOS E ATOS, E
NOS ACONTECIMENTOS DA VIDA
☼ Allan Kardec pergunta aos Espíritos
Superiores:
459 - Os Espíritos influem em nossos
pensamentos e em nossas ações?
- Mais do que supões, porque frequentemente
são eles que vos dirigem (2).
Assim como recebemos influenciação de
nossos irmãos/familiares, que como nós,
mergulhados na carne, participam de um ir e vir por
intermédio de pensamento e atitudes.
O mesmo ocorre, naturalmente com os
habitantes do mundo espiritual.
Benfeitores e Amigos espirituais não são os
únicos dos quais somos alvo.
Podemos incluir entre eles os parentes e
amigos, bem como, os afins; isto é, aqueles com
os quais nos afinizamos por pensamentos ou
atitudes correlatas.
Esta influenciação pode ser positiva ou
negativa; isto é, pode advir de Espíritos com o
desejo do bem, assim como, pode advir dos
Espíritos com o desejo do mal, com a finalidade
única de evitar nossa ascensão espiritual.
O desejo de nos prejudicar está atrelado
àqueles pelos quais tenhamos prejudicado com
atos de maior ou menos gravidade, nesta ou em
anteriores existências, e que nos procuram para
cobrar a dívida que com eles contraímos.
Emmanuel nos diz que somos seres
espirituais vivendo uma experiência material, e não
o contrário.
“Os maus pensamentos corrompem os
fluidos espirituais, como os miasmas deletérios
corrompem o ar respirável” - (Allan Kardec - A
Gênese, cap. XIV, item 16).
Vimos que o pensamento exerce uma
poderosa influência nos fluidos espirituais,
modificando suas características básicas.
Os pensamentos bons impõem-lhes
luminosidade e vibrações elevadas que causam
conforto e sensação de bem estar às pessoas sob
sua influência.
Os pensamentos maus provocam alterações
vibratórias contrárias às citadas no slide anterior.
Os fluidos ficam escuros e sua ação provoca
mal estar físico e psíquico.
Pode-se concluir assim, que em torno de uma
pessoa, de uma família, de uma cidade, de uma
nação ou planeta, existe uma atmosfera espiritual
fluídica, que varia vibratoriamente, segundo a
natureza moral dos Espíritos envolvidos.
Porquanto, concluímos que a resposta dos
Espíritos a Kardec nos dá essa noção exata do
intercâmbio existente entre os seres do plano
espiritual e material, intercâmbio este real e
constante.
O Espiritismo torna compreensível o processo pelo
qual se dá a influência dos Espíritos no mundo corporal.
Como vimos, essa influência tem origem na
possibilidade de transmissão do pensamento.
Para que possamos entender como o pensamento se
transmite, descreveremos abaixo como se processa a forma
do pensamento no: “Cap. XXVII – Pedi e Obtereis – Item:
Ação de Prece – Transmissão do Pensamento – Questão 10
do Livro: O Evangelho Segundo Espiritismo¹”.
¹O Espiritismo nos faz compreender a ação da prece,
ao explicar a forma de transmissão de pensamento, seja
quando o ser a quem oramos atende ao nosso apelo, seja
quando o nosso pensamento eleva-se para ele.
Para se compreender o que ocorre neste caso, é
necessário imaginar todos os seres, materializados e
desmaterializados, mergulhados no fluido universal que
preenche o espaço, assim como na Terra estamos envolvidos
pela atmosfera.
Esse fluido e impulsionado pela vontade, pois é o
veículo do pensamento, como o ar é o veículo do som, com a
diferença de que as vibrações do ar são circunscritas,
enquanto as do fluido universal se ampliam ao infinito.
Quando, pois, o pensamento se dirige a algum ser, na
Terra ou no espaço, de materializado para desmaterializado,
ou vice-versa, uma corrente fluídica se estabelece de um a
outro, transmitindo o pensamento, como o ar transmite o som
(1).
Ensina ainda a Doutrina Espírita que por meio
[...] do perispírito é que os Espíritos atuam sobre a
matéria inerte [...].
Sua natureza etérea [do perispírito] não é que
a isso obstaria (dificultaria), pois se sabe que os
mais poderosos motores se nos deparam nos
fluidos mais rarefeitos e nos mais imponderáveis
(que não pode ser avaliado – imprevisível).
Não há, pois, motivo de espanto quando com
essa alavanca [ o perispírito], os Espíritos
produzem certos feitos físicos [...] (7).
Atuando sobre a matéria, podem os Espíritos
manifestar-se de muitas maneiras diferentes:
Por efeitos físicos, quais os ruídos e a
movimentação de objetos;
Pela transmissão do pensamento, visão,
audição, palavra, tato, escrita, desenho, música,
etc.
Numa palavra, por todos os meios que sirvam
a pô-los em comunicação com os homens (8).
525-a. - Exercem essa influência de outra
maneira, além dos pensamentos que sugerem,
ou seja, têm uma ação direta sobre a realização
da coisas ?
- Sim, mas não agem nunca fora das leis
naturais (6).
459 - Os Espíritos influem sobre nossos
pensamentos e as nossas ações?
- Nesse sentido a sua influência é maior do
que supondes, porque muito frequentemente são
eles que vos dirigem (2).
É preciso saber identificar a natureza dessa
influência, a fim de que não atendamos aos
alvitres (conselhos) dos Espíritos imperfeitos.
464 - Como distinguir se um pensamento
sugerido vem de um bom ou de um mau Espírito?
- Estudai o caso: os bons Espíritos aconselham
senão o bem; cabe a vós distinguir (3).
466 – Por que permite Deus que os Espíritos
nos incitem (provoquem, estimulem) ao mal?
- Os Espíritos imperfeitos são instrumentos
destinados a experimentar a fé e a constância dos
homens no bem.
Tu, sendo Espírito, deves progredir na
ciência do instinto, e é por isso que passas pelas
provas do mal, para chegar ao bem.
Nossa missão é a de colocar-te no bom
caminho, e quando más influências agem sobre ti,
és tu que as chamas, pelo desejo do mal, porque
os Espíritos inferiores vêm em teu auxílio no mal,
quando tens a vontade de o cometer;
Eles não podem ajudar-te no mal, senão
quando tu desejas o mal.
Se és inclinado ao assassínio, pois bem,
terás uma nuvem de Espíritos que entreterão
esse pensamento em ti;
Mas também terás outros que tratarão de
influenciar-te para o bem, o que faz que se
reequilibre a balança e te deixe senhor de ti.
É assim que Deus deixa à nossa consciência
a escolha da rota que devemos seguir e a
liberdade de ceder a uma ou s outra das
influências contrárias que se exercem sobre
nós (4).
☼ Assim, compete exclusivamente a nós
neutralizar a influência dos Espíritos imperfeitos.
469 - Por que meio se pode neutralizar a
influência dos maus Espíritos?
● Fazendo o bem e colocando toda a vossa
confiança em Deus, repelis a influência dos
Espíritos inferiores e destruís o império que
desejam ter sobre vós.
Guardai-vos de escutar as sugestões dos
Espíritos que suscitem (provoquem) em vós os
maus pensamentos, que insuflam (fazer penetrar)
a discórdia e excitam (estimulam) em vós todas
as más paixões.
Desconfiai sobretudo dos que exaltam o
vosso orgulho, porque eles vos atacam na vossa
fraqueza.
Eis porque Jesus vos faz dizer na oração
dominical:
“Senhor, não nos deixais cair em tentação,
mas livrai-nos do mal” (5).
470 - Há Espírito que nos induzem ao mal,
colocando à prova a nossa firmeza no bem,
receberam a missão de o fazer?
- Nenhum Espírito recebe a missão de fazer
o mal, quando ele o faz, é por sua própria
vontade, e sofrerá a consequência (5).
O cultivo de bons
pensamentos
enobrece o ser e
saneia a mente.
"Há corpos de
agora com almas de
outrora.
Corpo é vestido.
Alma é pessoa”.
Eça de Queirós.
LIVRE ARBÍTRIO
O
B
E
M
O
M
A
L
Consciência
Pesada
DESPERTAR DA
CONSCIÊNCIA
1.
Conhecimento
das Leis
Divinas
2. Aplicação2. Aplicação
dessas Leisdessas Leis
O que se faz
necessário?
FLUIDOSFLUIDOS
ENERGIAS
VIBRAÇÕES E
PENSAMENTOS
No materializado, a absorção
das energias, fluidos,
vibrações e pensamentos
ocorre automaticamente.
O perispírito
processa esse
“material” absorvido
e irradia parte dele
ao derredor do corpo
físico, formando
Irradiações
● Qual a relação entre a nossa conduta
moral e a natureza da influência que
recebemos dos Espíritos?
 Nossa atitude mental é que
estabelece o padrão vibratório característico
de nosso perispírito e o campo magnético
correspondente e, com isso, atrairá Espíritos
afins, sintonizados nessa mesma faixa
vibratória.
 Destacar os pontos significativos, da
narrativa “O poder das trevas”, considerando
a questão 459 de O Livro dos Espíritos.
☼☼ A lição destaca o pensamento como
a principal porta de entrada dos Espíritos em
nossas vidas.
Por isso, devemos nos manter em
constante vigilância mental para não cairmos
em tentações e nos livrar do mal, como
recomendou Jesus na oração dominical que
nos ensinou.
Energias Ruins
Traz Doenças
e
Desequilíbrio
Atrai maus
Espíritos
Abre as
Portas do Mal
e do Ódio
Energias Boas
Atrai Bons
Espíritos
Traz Saúde e
Equilíbrio
Abre as
Portas do Bem
e do Amor
● Vigilância mental;
● Oração (sintonia com os
planos superiores);
● Prática do bem e da
caridade;
● Não à fofoca e a
maledicência;
● Não aos vícios e as
drogas;
● Não ao ódio e a raiva;
● Corrigir
imediatamente qualquer
erro cometido;
● Lutar contra as
injustiças e não se
omitir;
● Pensamento
constante no bem;
 Por isso, é
importante não
esquecermos da
recomendação do
Mestre Jesus.
ReferênciaReferência
BibliográficaBibliográfica
1. KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo Espiritismo.
Tradução de J. Herculano Pires. 70ª ed. Brás – São Paulo – LAKE
2013 – Cap. XXVII – Pedi e Obtereis - Item: Ação da Prece.
Transmissão do Pensamento – Questão 10 - Pág. 302.
2. KARDEC, Allan. O livro dos Espíritos. Tradução de J.
Herculano Pires. 68ª ed. São Paulo: LAKE, 2009. Livro Segundo –
MUNDO ESPÍRITA OU DOS ESPÍRITOS - Cap. IX – Intervenção dos
Espíritos no Mundo Corpóreo – Item II – Influência Oculta dos
Espíritos Sobre os Nossos Pensamentos e as Nossas Ações –
Questão 459 - Pág. 184.
3. ______. Questão 464 - Pág. 185.
4. ______. Questão 466 - Págs. 185-186.
5. ______. Questões 469 e 470 - Pág. 186.
6. ______. Item VIII – Influência dos Espíritos Sobre os
Acontecimentos da Vida - Questão 525-a. - Pág. 199.
7. ______, Allan. Obras Póstumas. Tradução de Guillon
Ribeiro - 38ª ed. Rio de Janeiro: FEB 2005 – Primeira Parte –
Manifestações dos Espíritos – Cap. 1 – Item 13 - Pág. 46.
8. ______. Item XIV – Pág. 46.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Possessão (posse física do encarnado)-1,5h
Possessão (posse física do encarnado)-1,5hPossessão (posse física do encarnado)-1,5h
Possessão (posse física do encarnado)-1,5h
home
 
Roteiro 1 lei natural - definições e caracteres
Roteiro 1   lei natural - definições e caracteresRoteiro 1   lei natural - definições e caracteres
Roteiro 1 lei natural - definições e caracteres
Bruno Cechinel Filho
 
Aula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de Espiritismo
Aula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de EspiritismoAula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de Espiritismo
Aula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de Espiritismo
liliancostadias
 
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espíritaO PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
Jorge Luiz dos Santos
 
Sintonia e vibração
Sintonia e vibraçãoSintonia e vibração
Sintonia e vibração
Louis Oliver
 
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalhoSegundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
CeiClarencio
 
O passe espirita
O passe espiritaO passe espirita
O passe espirita
carlos freire
 
Primeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da alma
Primeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da almaPrimeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da alma
Primeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da alma
CeiClarencio
 
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade  - SintoniaMecanismo das comunicações - Afinidade  - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
jcevadro
 
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan KardecEscala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
marjoriestavismeyer
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDASINFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
Rodrigo Leite
 
Reencarnação
ReencarnaçãoReencarnação
Reencarnação
paikachambi
 
2.1.4 perispirito
2.1.4   perispirito2.1.4   perispirito
2.1.4 perispirito
Marta Gomes
 
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meuProgressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Eduardo Ottonelli Pithan
 
O médium e o exercício mediúnico
O médium e o exercício mediúnicoO médium e o exercício mediúnico
O médium e o exercício mediúnico
home
 
A eficácia da Prece
A eficácia da PreceA eficácia da Prece
A eficácia da Prece
Izabel Cristina Fonseca
 
Retorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptx
Retorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptxRetorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptx
Retorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptx
Rosimeire Alves
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Transfiguração
Mocidade Espírita Chico Xavier - TransfiguraçãoMocidade Espírita Chico Xavier - Transfiguração
Mocidade Espírita Chico Xavier - Transfiguração
Sergio Lima Dias Junior
 
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
Wagner Quadros
 

Mais procurados (20)

Possessão (posse física do encarnado)-1,5h
Possessão (posse física do encarnado)-1,5hPossessão (posse física do encarnado)-1,5h
Possessão (posse física do encarnado)-1,5h
 
Roteiro 1 lei natural - definições e caracteres
Roteiro 1   lei natural - definições e caracteresRoteiro 1   lei natural - definições e caracteres
Roteiro 1 lei natural - definições e caracteres
 
Aula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de Espiritismo
Aula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de EspiritismoAula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de Espiritismo
Aula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de Espiritismo
 
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espíritaO PENSAMENTO Uma abordagem espírita
O PENSAMENTO Uma abordagem espírita
 
Sintonia e vibração
Sintonia e vibraçãoSintonia e vibração
Sintonia e vibração
 
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalhoSegundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
 
O passe espirita
O passe espiritaO passe espirita
O passe espirita
 
Primeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da alma
Primeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da almaPrimeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da alma
Primeiro Módulo - Aula 15 - Emancipação da alma
 
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade  - SintoniaMecanismo das comunicações - Afinidade  - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
 
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan KardecEscala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
 
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDASINFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
 
Reencarnação
ReencarnaçãoReencarnação
Reencarnação
 
2.1.4 perispirito
2.1.4   perispirito2.1.4   perispirito
2.1.4 perispirito
 
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meuProgressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
Progressão dos Mundos e dos Espíritos: Há muitas moradas na casa de meu
 
O médium e o exercício mediúnico
O médium e o exercício mediúnicoO médium e o exercício mediúnico
O médium e o exercício mediúnico
 
A eficácia da Prece
A eficácia da PreceA eficácia da Prece
A eficácia da Prece
 
Retorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptx
Retorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptxRetorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptx
Retorno à Vida Corporal - planejamento reencarnatório.pptx
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Transfiguração
Mocidade Espírita Chico Xavier - TransfiguraçãoMocidade Espírita Chico Xavier - Transfiguração
Mocidade Espírita Chico Xavier - Transfiguração
 
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
 

Destaque

Pensamento
PensamentoPensamento
Pensamento
Fórum Espírita
 
Pensamento e vontade
Pensamento e vontadePensamento e vontade
Pensamento e vontade
Dalila Melo
 
A maledicência
A maledicênciaA maledicência
A maledicência
Daniel Junior
 
A maledicencia
A maledicenciaA maledicencia
Maledicência
MaledicênciaMaledicência
Maledicência
Victor Passos
 
Fofoca
FofocaFofoca
Fofoca
pradeir
 
15 04 2016 A FOFOCA E O PRECONTEITO
15 04 2016   A FOFOCA E O PRECONTEITO15 04 2016   A FOFOCA E O PRECONTEITO
15 04 2016 A FOFOCA E O PRECONTEITO
Lar Irmã Zarabatana
 
Toc Espiritismo
Toc EspiritismoToc Espiritismo
Toc Espiritismo
Nelson Soares
 
Slide malecidência preparada pela ulmara
Slide malecidência   preparada pela ulmaraSlide malecidência   preparada pela ulmara
Slide malecidência preparada pela ulmara
bonattinho
 
Os cinco tipos de Fofoqueiros.
Os cinco tipos de Fofoqueiros.Os cinco tipos de Fofoqueiros.
Os cinco tipos de Fofoqueiros.
Rodrigo Mendonça
 
Maledicencia e fofoca
Maledicencia e fofocaMaledicencia e fofoca
Maledicencia e fofoca
Dagmar Wendt
 
Questões de o livro dos espíritos que abordam lições referentes à obsessão.
Questões de o livro dos espíritos que  abordam lições referentes à obsessão.Questões de o livro dos espíritos que  abordam lições referentes à obsessão.
Questões de o livro dos espíritos que abordam lições referentes à obsessão.
Graça Maciel
 
Apostila ESDE - Tomo I - Estudo Sistematizado Doutrina Espirita
Apostila ESDE - Tomo I - Estudo Sistematizado Doutrina EspiritaApostila ESDE - Tomo I - Estudo Sistematizado Doutrina Espirita
Apostila ESDE - Tomo I - Estudo Sistematizado Doutrina Espirita
Gevluz de Luz
 
PENSAR POSITIVAMENTE
PENSAR POSITIVAMENTEPENSAR POSITIVAMENTE
PENSAR POSITIVAMENTE
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
Sintonia e pensamento
Sintonia e pensamentoSintonia e pensamento
Sintonia e pensamento
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
A Influência dos Espíritos
A Influência dos EspíritosA Influência dos Espíritos
A Influência dos Espíritos
Fórum Espírita
 

Destaque (16)

Pensamento
PensamentoPensamento
Pensamento
 
Pensamento e vontade
Pensamento e vontadePensamento e vontade
Pensamento e vontade
 
A maledicência
A maledicênciaA maledicência
A maledicência
 
A maledicencia
A maledicenciaA maledicencia
A maledicencia
 
Maledicência
MaledicênciaMaledicência
Maledicência
 
Fofoca
FofocaFofoca
Fofoca
 
15 04 2016 A FOFOCA E O PRECONTEITO
15 04 2016   A FOFOCA E O PRECONTEITO15 04 2016   A FOFOCA E O PRECONTEITO
15 04 2016 A FOFOCA E O PRECONTEITO
 
Toc Espiritismo
Toc EspiritismoToc Espiritismo
Toc Espiritismo
 
Slide malecidência preparada pela ulmara
Slide malecidência   preparada pela ulmaraSlide malecidência   preparada pela ulmara
Slide malecidência preparada pela ulmara
 
Os cinco tipos de Fofoqueiros.
Os cinco tipos de Fofoqueiros.Os cinco tipos de Fofoqueiros.
Os cinco tipos de Fofoqueiros.
 
Maledicencia e fofoca
Maledicencia e fofocaMaledicencia e fofoca
Maledicencia e fofoca
 
Questões de o livro dos espíritos que abordam lições referentes à obsessão.
Questões de o livro dos espíritos que  abordam lições referentes à obsessão.Questões de o livro dos espíritos que  abordam lições referentes à obsessão.
Questões de o livro dos espíritos que abordam lições referentes à obsessão.
 
Apostila ESDE - Tomo I - Estudo Sistematizado Doutrina Espirita
Apostila ESDE - Tomo I - Estudo Sistematizado Doutrina EspiritaApostila ESDE - Tomo I - Estudo Sistematizado Doutrina Espirita
Apostila ESDE - Tomo I - Estudo Sistematizado Doutrina Espirita
 
PENSAR POSITIVAMENTE
PENSAR POSITIVAMENTEPENSAR POSITIVAMENTE
PENSAR POSITIVAMENTE
 
Sintonia e pensamento
Sintonia e pensamentoSintonia e pensamento
Sintonia e pensamento
 
A Influência dos Espíritos
A Influência dos EspíritosA Influência dos Espíritos
A Influência dos Espíritos
 

Semelhante a Roteiro 1 influência dos espíritos

Aula sobre Livro dos Espíritos - Segunda parte - Cap. 9
Aula sobre Livro dos Espíritos - Segunda parte - Cap. 9Aula sobre Livro dos Espíritos - Segunda parte - Cap. 9
Aula sobre Livro dos Espíritos - Segunda parte - Cap. 9
contatodoutrina2013
 
Influencia dos espíritos
Influencia dos espíritosInfluencia dos espíritos
Influencia dos espíritos
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
090624 faculdade, que têm os espíritos, de ver nossos pensamentos–livro ii, c...
090624 faculdade, que têm os espíritos, de ver nossos pensamentos–livro ii, c...090624 faculdade, que têm os espíritos, de ver nossos pensamentos–livro ii, c...
090624 faculdade, que têm os espíritos, de ver nossos pensamentos–livro ii, c...
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Influência dos espíritos em nossas vidas 1,5h
Influência dos espíritos em nossas vidas   1,5hInfluência dos espíritos em nossas vidas   1,5h
Influência dos espíritos em nossas vidas 1,5h
home
 
Aula intervencao dos espiritos no mundo fisico
Aula   intervencao dos espiritos no mundo fisicoAula   intervencao dos espiritos no mundo fisico
Aula intervencao dos espiritos no mundo fisico
Ceile Bernardo
 
Infllência dos espiritos
Infllência dos espiritosInfllência dos espiritos
Infllência dos espiritos
Graça Maciel
 
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptxINFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
GuilhermeTadeu11
 
Intervenção dos espiritos no mundo corporal
Intervenção dos espiritos no mundo corporalIntervenção dos espiritos no mundo corporal
Intervenção dos espiritos no mundo corporal
carlos freire
 
Intervenção dos espiritos no mundo corporal
Intervenção dos espiritos no mundo corporalIntervenção dos espiritos no mundo corporal
Intervenção dos espiritos no mundo corporal
carlos freire
 
Espírito , Materia e Fluidos - Kardec - Espiritismo
Espírito , Materia e Fluidos - Kardec - EspiritismoEspírito , Materia e Fluidos - Kardec - Espiritismo
Espírito , Materia e Fluidos - Kardec - Espiritismo
ssusere70e46
 
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS.pptx
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS.pptxINFLUENCIA DOS ESPIRITOS.pptx
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS.pptx
francisco celio
 
Fund1Mod05Rot1-[2007]euzebio
Fund1Mod05Rot1-[2007]euzebioFund1Mod05Rot1-[2007]euzebio
Fund1Mod05Rot1-[2007]euzebio
Guto Ovsky
 
A força do pensamento
A força do pensamentoA força do pensamento
A força do pensamento
Erik Gabriel Thomazi
 
Obsessao e desobsessaol1
Obsessao e desobsessaol1Obsessao e desobsessaol1
Obsessao e desobsessaol1
Manoel Gamas
 
Fundamental I - Modulo V - Roteiro 1 - [2007]Euzebio.ppt
Fundamental I - Modulo V - Roteiro 1 - [2007]Euzebio.pptFundamental I - Modulo V - Roteiro 1 - [2007]Euzebio.ppt
Fundamental I - Modulo V - Roteiro 1 - [2007]Euzebio.ppt
LeonardoCangussu
 
Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017
Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017
Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017
Euzebio Raimundo da Silva
 
Influência do Pensamento Positivo- Espiritismo
Influência do Pensamento Positivo- EspiritismoInfluência do Pensamento Positivo- Espiritismo
Influência do Pensamento Positivo- Espiritismo
Valéria Domingues
 
Como os espã ritos podem penetrar nossos pensamentos
Como os espã ritos podem penetrar nossos pensamentosComo os espã ritos podem penetrar nossos pensamentos
Como os espã ritos podem penetrar nossos pensamentos
Grupo Espírita Mensageiros
 
24 fluidos-percepção e análise
24 fluidos-percepção e análise24 fluidos-percepção e análise
24 fluidos-percepção e análise
Antonio SSantos
 
Aula 1 - Introdução ao Estudo sobre o Mundo Espiritual - Força do Pensameto
Aula 1 - Introdução ao Estudo sobre o Mundo Espiritual - Força do PensametoAula 1 - Introdução ao Estudo sobre o Mundo Espiritual - Força do Pensameto
Aula 1 - Introdução ao Estudo sobre o Mundo Espiritual - Força do Pensameto
Breno Ortiz Tavares Costa
 

Semelhante a Roteiro 1 influência dos espíritos (20)

Aula sobre Livro dos Espíritos - Segunda parte - Cap. 9
Aula sobre Livro dos Espíritos - Segunda parte - Cap. 9Aula sobre Livro dos Espíritos - Segunda parte - Cap. 9
Aula sobre Livro dos Espíritos - Segunda parte - Cap. 9
 
Influencia dos espíritos
Influencia dos espíritosInfluencia dos espíritos
Influencia dos espíritos
 
090624 faculdade, que têm os espíritos, de ver nossos pensamentos–livro ii, c...
090624 faculdade, que têm os espíritos, de ver nossos pensamentos–livro ii, c...090624 faculdade, que têm os espíritos, de ver nossos pensamentos–livro ii, c...
090624 faculdade, que têm os espíritos, de ver nossos pensamentos–livro ii, c...
 
Influência dos espíritos em nossas vidas 1,5h
Influência dos espíritos em nossas vidas   1,5hInfluência dos espíritos em nossas vidas   1,5h
Influência dos espíritos em nossas vidas 1,5h
 
Aula intervencao dos espiritos no mundo fisico
Aula   intervencao dos espiritos no mundo fisicoAula   intervencao dos espiritos no mundo fisico
Aula intervencao dos espiritos no mundo fisico
 
Infllência dos espiritos
Infllência dos espiritosInfllência dos espiritos
Infllência dos espiritos
 
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptxINFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NO PLANO FÍSICO.pptx
 
Intervenção dos espiritos no mundo corporal
Intervenção dos espiritos no mundo corporalIntervenção dos espiritos no mundo corporal
Intervenção dos espiritos no mundo corporal
 
Intervenção dos espiritos no mundo corporal
Intervenção dos espiritos no mundo corporalIntervenção dos espiritos no mundo corporal
Intervenção dos espiritos no mundo corporal
 
Espírito , Materia e Fluidos - Kardec - Espiritismo
Espírito , Materia e Fluidos - Kardec - EspiritismoEspírito , Materia e Fluidos - Kardec - Espiritismo
Espírito , Materia e Fluidos - Kardec - Espiritismo
 
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS.pptx
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS.pptxINFLUENCIA DOS ESPIRITOS.pptx
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS.pptx
 
Fund1Mod05Rot1-[2007]euzebio
Fund1Mod05Rot1-[2007]euzebioFund1Mod05Rot1-[2007]euzebio
Fund1Mod05Rot1-[2007]euzebio
 
A força do pensamento
A força do pensamentoA força do pensamento
A força do pensamento
 
Obsessao e desobsessaol1
Obsessao e desobsessaol1Obsessao e desobsessaol1
Obsessao e desobsessaol1
 
Fundamental I - Modulo V - Roteiro 1 - [2007]Euzebio.ppt
Fundamental I - Modulo V - Roteiro 1 - [2007]Euzebio.pptFundamental I - Modulo V - Roteiro 1 - [2007]Euzebio.ppt
Fundamental I - Modulo V - Roteiro 1 - [2007]Euzebio.ppt
 
Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017
Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017
Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017
 
Influência do Pensamento Positivo- Espiritismo
Influência do Pensamento Positivo- EspiritismoInfluência do Pensamento Positivo- Espiritismo
Influência do Pensamento Positivo- Espiritismo
 
Como os espã ritos podem penetrar nossos pensamentos
Como os espã ritos podem penetrar nossos pensamentosComo os espã ritos podem penetrar nossos pensamentos
Como os espã ritos podem penetrar nossos pensamentos
 
24 fluidos-percepção e análise
24 fluidos-percepção e análise24 fluidos-percepção e análise
24 fluidos-percepção e análise
 
Aula 1 - Introdução ao Estudo sobre o Mundo Espiritual - Força do Pensameto
Aula 1 - Introdução ao Estudo sobre o Mundo Espiritual - Força do PensametoAula 1 - Introdução ao Estudo sobre o Mundo Espiritual - Força do Pensameto
Aula 1 - Introdução ao Estudo sobre o Mundo Espiritual - Força do Pensameto
 

Mais de Bruno Cechinel Filho

Roteiro 3 evangelho no lar
Roteiro 3   evangelho no larRoteiro 3   evangelho no lar
Roteiro 3 evangelho no lar
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2   a prece = importância, eficácia e açãoRoteiro 2   a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1 adoração = significado e objetivo
Roteiro 1   adoração = significado e objetivoRoteiro 1   adoração = significado e objetivo
Roteiro 1 adoração = significado e objetivo
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 2 o bem e o mal
Roteiro 2   o bem e o malRoteiro 2   o bem e o mal
Roteiro 2 o bem e o mal
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1.1 anexo - a luta contra o mal
Roteiro 1.1   anexo - a luta contra o malRoteiro 1.1   anexo - a luta contra o mal
Roteiro 1.1 anexo - a luta contra o mal
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7   a terra - mundo de expiação e provasRoteiro 7   a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 6 materialização nos diferentes mundos
Roteiro 6   materialização nos diferentes mundosRoteiro 6   materialização nos diferentes mundos
Roteiro 6 materialização nos diferentes mundos
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 5 diferentes categorias de mundos habitados
Roteiro 5   diferentes categorias de mundos habitadosRoteiro 5   diferentes categorias de mundos habitados
Roteiro 5 diferentes categorias de mundos habitados
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 4 os reinos da natureza
Roteiro 4   os reinos da naturezaRoteiro 4   os reinos da natureza
Roteiro 4 os reinos da natureza
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 3 formação dos mundos e dos seres vivos
Roteiro 3   formação dos mundos e dos seres vivosRoteiro 3   formação dos mundos e dos seres vivos
Roteiro 3 formação dos mundos e dos seres vivos
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espíritoRoteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1 o fluído cósmico universal
Roteiro 1   o fluído cósmico universalRoteiro 1   o fluído cósmico universal
Roteiro 1 o fluído cósmico universal
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 6 o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Roteiro 6    o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidadeRoteiro 6    o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Roteiro 6 o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5    retorno à vida corporal - infânciaRoteiro 5    retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 4.1 segismundo - planejamento rematerializatório
Roteiro 4.1   segismundo - planejamento  rematerializatórioRoteiro 4.1   segismundo - planejamento  rematerializatório
Roteiro 4.1 segismundo - planejamento rematerializatório
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Roteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpoRoteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 3.1 estudo de caso simplificado - a história de stella
Roteiro 3.1   estudo de caso simplificado - a história de stellaRoteiro 3.1   estudo de caso simplificado - a história de stella
Roteiro 3.1 estudo de caso simplificado - a história de stella
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 3 retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Roteiro 3   retorno à vida corporal - planejamento rematerializatórioRoteiro 3   retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Roteiro 3 retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 2 provas da rematerialização
Roteiro 2   provas da rematerializaçãoRoteiro 2   provas da rematerialização
Roteiro 2 provas da rematerialização
Bruno Cechinel Filho
 
Roteiro 1.1 lógica da rematerialização - anexo
Roteiro 1.1   lógica da rematerialização - anexoRoteiro 1.1   lógica da rematerialização - anexo
Roteiro 1.1 lógica da rematerialização - anexo
Bruno Cechinel Filho
 

Mais de Bruno Cechinel Filho (20)

Roteiro 3 evangelho no lar
Roteiro 3   evangelho no larRoteiro 3   evangelho no lar
Roteiro 3 evangelho no lar
 
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2   a prece = importância, eficácia e açãoRoteiro 2   a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
 
Roteiro 1 adoração = significado e objetivo
Roteiro 1   adoração = significado e objetivoRoteiro 1   adoração = significado e objetivo
Roteiro 1 adoração = significado e objetivo
 
Roteiro 2 o bem e o mal
Roteiro 2   o bem e o malRoteiro 2   o bem e o mal
Roteiro 2 o bem e o mal
 
Roteiro 1.1 anexo - a luta contra o mal
Roteiro 1.1   anexo - a luta contra o malRoteiro 1.1   anexo - a luta contra o mal
Roteiro 1.1 anexo - a luta contra o mal
 
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7   a terra - mundo de expiação e provasRoteiro 7   a terra - mundo de expiação e provas
Roteiro 7 a terra - mundo de expiação e provas
 
Roteiro 6 materialização nos diferentes mundos
Roteiro 6   materialização nos diferentes mundosRoteiro 6   materialização nos diferentes mundos
Roteiro 6 materialização nos diferentes mundos
 
Roteiro 5 diferentes categorias de mundos habitados
Roteiro 5   diferentes categorias de mundos habitadosRoteiro 5   diferentes categorias de mundos habitados
Roteiro 5 diferentes categorias de mundos habitados
 
Roteiro 4 os reinos da natureza
Roteiro 4   os reinos da naturezaRoteiro 4   os reinos da natureza
Roteiro 4 os reinos da natureza
 
Roteiro 3 formação dos mundos e dos seres vivos
Roteiro 3   formação dos mundos e dos seres vivosRoteiro 3   formação dos mundos e dos seres vivos
Roteiro 3 formação dos mundos e dos seres vivos
 
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espíritoRoteiro 2   elementos gerais do universo - matéria e espírito
Roteiro 2 elementos gerais do universo - matéria e espírito
 
Roteiro 1 o fluído cósmico universal
Roteiro 1   o fluído cósmico universalRoteiro 1   o fluído cósmico universal
Roteiro 1 o fluído cósmico universal
 
Roteiro 6 o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Roteiro 6    o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidadeRoteiro 6    o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
Roteiro 6 o esquecimento do passado - justificativa da sua necessidade
 
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5    retorno à vida corporal - infânciaRoteiro 5    retorno à vida corporal - infância
Roteiro 5 retorno à vida corporal - infância
 
Roteiro 4.1 segismundo - planejamento rematerializatório
Roteiro 4.1   segismundo - planejamento  rematerializatórioRoteiro 4.1   segismundo - planejamento  rematerializatório
Roteiro 4.1 segismundo - planejamento rematerializatório
 
Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Roteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpoRoteiro 4    retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
Roteiro 4 retorno à vida corporal - união da alama ao corpo
 
Roteiro 3.1 estudo de caso simplificado - a história de stella
Roteiro 3.1   estudo de caso simplificado - a história de stellaRoteiro 3.1   estudo de caso simplificado - a história de stella
Roteiro 3.1 estudo de caso simplificado - a história de stella
 
Roteiro 3 retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Roteiro 3   retorno à vida corporal - planejamento rematerializatórioRoteiro 3   retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
Roteiro 3 retorno à vida corporal - planejamento rematerializatório
 
Roteiro 2 provas da rematerialização
Roteiro 2   provas da rematerializaçãoRoteiro 2   provas da rematerialização
Roteiro 2 provas da rematerialização
 
Roteiro 1.1 lógica da rematerialização - anexo
Roteiro 1.1   lógica da rematerialização - anexoRoteiro 1.1   lógica da rematerialização - anexo
Roteiro 1.1 lógica da rematerialização - anexo
 

Último

Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
marcobueno2024
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
FernandoCavalcante48
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 

Último (11)

Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 

Roteiro 1 influência dos espíritos

  • 1. CENTRO DECENTRO DE TRABALHOS ESPÍRITATRABALHOS ESPÍRITA ANA LUZANA LUZ Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos, e nos acontecimentos da vida.
  • 3.
  • 4. Roteiro 1 – Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos, e nos acontecimentos da vida; Módulo V Roteiro 2 – Mediunidade e médium; Roteiro 3 – Mediunidade com Jesus. Comunicabilidade dos Espíritos
  • 5. A INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS EM NOSSOS PENSAMENTOS E ATOS, E NOS ACONTECIMENTOS DA VIDA
  • 6.
  • 8. A INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS EM NOSSOS PENSAMENTOS E ATOS, E NOS ACONTECIMENTOS DA VIDA
  • 9. ☼ Allan Kardec pergunta aos Espíritos Superiores: 459 - Os Espíritos influem em nossos pensamentos e em nossas ações? - Mais do que supões, porque frequentemente são eles que vos dirigem (2). Assim como recebemos influenciação de nossos irmãos/familiares, que como nós, mergulhados na carne, participam de um ir e vir por intermédio de pensamento e atitudes. O mesmo ocorre, naturalmente com os habitantes do mundo espiritual. Benfeitores e Amigos espirituais não são os únicos dos quais somos alvo.
  • 10. Podemos incluir entre eles os parentes e amigos, bem como, os afins; isto é, aqueles com os quais nos afinizamos por pensamentos ou atitudes correlatas. Esta influenciação pode ser positiva ou negativa; isto é, pode advir de Espíritos com o desejo do bem, assim como, pode advir dos Espíritos com o desejo do mal, com a finalidade única de evitar nossa ascensão espiritual. O desejo de nos prejudicar está atrelado àqueles pelos quais tenhamos prejudicado com atos de maior ou menos gravidade, nesta ou em anteriores existências, e que nos procuram para cobrar a dívida que com eles contraímos.
  • 11. Emmanuel nos diz que somos seres espirituais vivendo uma experiência material, e não o contrário. “Os maus pensamentos corrompem os fluidos espirituais, como os miasmas deletérios corrompem o ar respirável” - (Allan Kardec - A Gênese, cap. XIV, item 16). Vimos que o pensamento exerce uma poderosa influência nos fluidos espirituais, modificando suas características básicas. Os pensamentos bons impõem-lhes luminosidade e vibrações elevadas que causam conforto e sensação de bem estar às pessoas sob sua influência.
  • 12. Os pensamentos maus provocam alterações vibratórias contrárias às citadas no slide anterior. Os fluidos ficam escuros e sua ação provoca mal estar físico e psíquico. Pode-se concluir assim, que em torno de uma pessoa, de uma família, de uma cidade, de uma nação ou planeta, existe uma atmosfera espiritual fluídica, que varia vibratoriamente, segundo a natureza moral dos Espíritos envolvidos. Porquanto, concluímos que a resposta dos Espíritos a Kardec nos dá essa noção exata do intercâmbio existente entre os seres do plano espiritual e material, intercâmbio este real e constante.
  • 13. O Espiritismo torna compreensível o processo pelo qual se dá a influência dos Espíritos no mundo corporal. Como vimos, essa influência tem origem na possibilidade de transmissão do pensamento. Para que possamos entender como o pensamento se transmite, descreveremos abaixo como se processa a forma do pensamento no: “Cap. XXVII – Pedi e Obtereis – Item: Ação de Prece – Transmissão do Pensamento – Questão 10 do Livro: O Evangelho Segundo Espiritismo¹”. ¹O Espiritismo nos faz compreender a ação da prece, ao explicar a forma de transmissão de pensamento, seja quando o ser a quem oramos atende ao nosso apelo, seja quando o nosso pensamento eleva-se para ele.
  • 14. Para se compreender o que ocorre neste caso, é necessário imaginar todos os seres, materializados e desmaterializados, mergulhados no fluido universal que preenche o espaço, assim como na Terra estamos envolvidos pela atmosfera. Esse fluido e impulsionado pela vontade, pois é o veículo do pensamento, como o ar é o veículo do som, com a diferença de que as vibrações do ar são circunscritas, enquanto as do fluido universal se ampliam ao infinito. Quando, pois, o pensamento se dirige a algum ser, na Terra ou no espaço, de materializado para desmaterializado, ou vice-versa, uma corrente fluídica se estabelece de um a outro, transmitindo o pensamento, como o ar transmite o som (1).
  • 15. Ensina ainda a Doutrina Espírita que por meio [...] do perispírito é que os Espíritos atuam sobre a matéria inerte [...]. Sua natureza etérea [do perispírito] não é que a isso obstaria (dificultaria), pois se sabe que os mais poderosos motores se nos deparam nos fluidos mais rarefeitos e nos mais imponderáveis (que não pode ser avaliado – imprevisível). Não há, pois, motivo de espanto quando com essa alavanca [ o perispírito], os Espíritos produzem certos feitos físicos [...] (7). Atuando sobre a matéria, podem os Espíritos manifestar-se de muitas maneiras diferentes:
  • 16. Por efeitos físicos, quais os ruídos e a movimentação de objetos; Pela transmissão do pensamento, visão, audição, palavra, tato, escrita, desenho, música, etc. Numa palavra, por todos os meios que sirvam a pô-los em comunicação com os homens (8). 525-a. - Exercem essa influência de outra maneira, além dos pensamentos que sugerem, ou seja, têm uma ação direta sobre a realização da coisas ? - Sim, mas não agem nunca fora das leis naturais (6).
  • 17. 459 - Os Espíritos influem sobre nossos pensamentos e as nossas ações? - Nesse sentido a sua influência é maior do que supondes, porque muito frequentemente são eles que vos dirigem (2). É preciso saber identificar a natureza dessa influência, a fim de que não atendamos aos alvitres (conselhos) dos Espíritos imperfeitos. 464 - Como distinguir se um pensamento sugerido vem de um bom ou de um mau Espírito? - Estudai o caso: os bons Espíritos aconselham senão o bem; cabe a vós distinguir (3).
  • 18. 466 – Por que permite Deus que os Espíritos nos incitem (provoquem, estimulem) ao mal? - Os Espíritos imperfeitos são instrumentos destinados a experimentar a fé e a constância dos homens no bem. Tu, sendo Espírito, deves progredir na ciência do instinto, e é por isso que passas pelas provas do mal, para chegar ao bem. Nossa missão é a de colocar-te no bom caminho, e quando más influências agem sobre ti, és tu que as chamas, pelo desejo do mal, porque os Espíritos inferiores vêm em teu auxílio no mal, quando tens a vontade de o cometer;
  • 19. Eles não podem ajudar-te no mal, senão quando tu desejas o mal. Se és inclinado ao assassínio, pois bem, terás uma nuvem de Espíritos que entreterão esse pensamento em ti; Mas também terás outros que tratarão de influenciar-te para o bem, o que faz que se reequilibre a balança e te deixe senhor de ti. É assim que Deus deixa à nossa consciência a escolha da rota que devemos seguir e a liberdade de ceder a uma ou s outra das influências contrárias que se exercem sobre nós (4).
  • 20. ☼ Assim, compete exclusivamente a nós neutralizar a influência dos Espíritos imperfeitos. 469 - Por que meio se pode neutralizar a influência dos maus Espíritos? ● Fazendo o bem e colocando toda a vossa confiança em Deus, repelis a influência dos Espíritos inferiores e destruís o império que desejam ter sobre vós. Guardai-vos de escutar as sugestões dos Espíritos que suscitem (provoquem) em vós os maus pensamentos, que insuflam (fazer penetrar) a discórdia e excitam (estimulam) em vós todas as más paixões.
  • 21. Desconfiai sobretudo dos que exaltam o vosso orgulho, porque eles vos atacam na vossa fraqueza. Eis porque Jesus vos faz dizer na oração dominical: “Senhor, não nos deixais cair em tentação, mas livrai-nos do mal” (5). 470 - Há Espírito que nos induzem ao mal, colocando à prova a nossa firmeza no bem, receberam a missão de o fazer? - Nenhum Espírito recebe a missão de fazer o mal, quando ele o faz, é por sua própria vontade, e sofrerá a consequência (5).
  • 22. O cultivo de bons pensamentos enobrece o ser e saneia a mente. "Há corpos de agora com almas de outrora. Corpo é vestido. Alma é pessoa”. Eça de Queirós.
  • 24. DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA 1. Conhecimento das Leis Divinas 2. Aplicação2. Aplicação dessas Leisdessas Leis O que se faz necessário?
  • 25.
  • 26.
  • 27. FLUIDOSFLUIDOS ENERGIAS VIBRAÇÕES E PENSAMENTOS No materializado, a absorção das energias, fluidos, vibrações e pensamentos ocorre automaticamente. O perispírito processa esse “material” absorvido e irradia parte dele ao derredor do corpo físico, formando Irradiações
  • 28. ● Qual a relação entre a nossa conduta moral e a natureza da influência que recebemos dos Espíritos?  Nossa atitude mental é que estabelece o padrão vibratório característico de nosso perispírito e o campo magnético correspondente e, com isso, atrairá Espíritos afins, sintonizados nessa mesma faixa vibratória.
  • 29.  Destacar os pontos significativos, da narrativa “O poder das trevas”, considerando a questão 459 de O Livro dos Espíritos. ☼☼ A lição destaca o pensamento como a principal porta de entrada dos Espíritos em nossas vidas. Por isso, devemos nos manter em constante vigilância mental para não cairmos em tentações e nos livrar do mal, como recomendou Jesus na oração dominical que nos ensinou.
  • 30.
  • 31. Energias Ruins Traz Doenças e Desequilíbrio Atrai maus Espíritos Abre as Portas do Mal e do Ódio Energias Boas Atrai Bons Espíritos Traz Saúde e Equilíbrio Abre as Portas do Bem e do Amor
  • 32. ● Vigilância mental; ● Oração (sintonia com os planos superiores); ● Prática do bem e da caridade; ● Não à fofoca e a maledicência; ● Não aos vícios e as drogas;
  • 33. ● Não ao ódio e a raiva; ● Corrigir imediatamente qualquer erro cometido; ● Lutar contra as injustiças e não se omitir; ● Pensamento constante no bem;
  • 34.  Por isso, é importante não esquecermos da recomendação do Mestre Jesus.
  • 36. 1. KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo Espiritismo. Tradução de J. Herculano Pires. 70ª ed. Brás – São Paulo – LAKE 2013 – Cap. XXVII – Pedi e Obtereis - Item: Ação da Prece. Transmissão do Pensamento – Questão 10 - Pág. 302. 2. KARDEC, Allan. O livro dos Espíritos. Tradução de J. Herculano Pires. 68ª ed. São Paulo: LAKE, 2009. Livro Segundo – MUNDO ESPÍRITA OU DOS ESPÍRITOS - Cap. IX – Intervenção dos Espíritos no Mundo Corpóreo – Item II – Influência Oculta dos Espíritos Sobre os Nossos Pensamentos e as Nossas Ações – Questão 459 - Pág. 184. 3. ______. Questão 464 - Pág. 185. 4. ______. Questão 466 - Págs. 185-186. 5. ______. Questões 469 e 470 - Pág. 186. 6. ______. Item VIII – Influência dos Espíritos Sobre os Acontecimentos da Vida - Questão 525-a. - Pág. 199.
  • 37. 7. ______, Allan. Obras Póstumas. Tradução de Guillon Ribeiro - 38ª ed. Rio de Janeiro: FEB 2005 – Primeira Parte – Manifestações dos Espíritos – Cap. 1 – Item 13 - Pág. 46. 8. ______. Item XIV – Pág. 46.