SlideShare uma empresa Scribd logo
Revolução Francesa
• Muitos fatores levaram á Revolução
Francesa, o Sistema de Governo deles era
Monarquia Absoluta; O rei governava
com poderes absolutos, controlando a
economia, a justiça, a política e até
mesmo a religião dos súditos.
Em 1789 (Século XXIII) a população da França
era a maior do mundo, e era dividida em três
estados:
• Clero (1º Estado)
• Nobreza(2º Estado)
• Povo (3º Estado)
• Clero
Alto clero (bispos, abades e cônicos), Baixo clero
(sacerdotes pobres)
• Nobreza
Rei, sua família, condes, duques, marqueses e
outros nobres
• Povo
Camponeses, Grande burguesia (banqueiros,
grandes empresários e comerciantes), Média
burguesia (profissionais liberais), Pequena
burguesia (artesãos e comerciantes), Sans-
culottes (aprendizes de ofícios, assalariados,
desempregados)
• O clero e a nobreza tinham vários privilégios: não
pagavam impostos, recebiam pensões do estado
e podiam exercer cargos públicos.
• O povo tinha que arcar com todas as despesas do
1º e 2º estado. Com o passar do tempo e
influenciados pelos ideais do Iluminismo, o 3º
estado começou a se revoltar e a lutar pela
igualdade de todos perante a lei. Pretendiam
combater, dentre outras coisas, o absolutismo
monárquico e os privilégios da nobreza e do
clero.
• O quadro econômico na França era péssimo e a
fome ameaça a população. Secas prejudicavam a
agricultura e acentuavam a miséria. A indústria
têxtil também passava por dificuldades por causa
da concorrência com os tecidos ingleses. Havia
escassez de alimentos e desemprego. O que
aumentava ainda mais a revolta da população.
Alguns Fatores que também
incentivaram a Revolução:
Assembleia dos Estados Gerais (1789)
• Para resolver a questão do impostos, o Rei
convoca a Assembleia dos Estados Gerais com
representantes dos 3 estados;
• A nobreza e o clero queria de qualquer jeito fazer
valer o voto por ordem social. O povo (que levava
vantagem) queria que o voto fosse individual.
• Diante da impossibilidade de resolver a questão,
o 3º estado se separou dos demais e formou a
Assembleia Nacional Constituinte;
• O rei Luís XVI tentou reagir, mas o povo
permaneceu unido. Então foram para as ruas
dizendo:
“Liberdade, Igualdade e Fraternidade”
Assembleia Nacional Constituinte
(1789-1791)
• Ela representaria o fim do absolutismo
monárquico na França;
• Os cidadãos de Paris invadiram e tomaram
a Bastilha que representou simbolicamente o
fim do antigo regime;
• O rei já não tinha mais como controlar a fúria
popular e tomou algumas precauções como,
abolir o regime feudal sobre os camponeses e
os privilégios tributários do clero e da nobreza
acabaram.
A Tomada da Bastilha, 1789
Declaração do Direito do Homem
e Cidadão:
• Igualdade jurídica entre os indivíduos
• Fim dos privilégios do clero e nobreza
• Liberdade de produção e de comércio (sem a
interferência do estado)
• Proibição de greves
• Liberdade de crença
• Separação do estado da Igreja
• Nacionalização dos bens do clero
• Três poderes criados (Legislativo, Executivo e
Judiciário)
Monarquia Constitucional (1791-1792)
• O Rei Luís XVI aceitou a constituição, mas tentou
fugir e foi capturado, preso e mantido sob
vigilância;
• As monarquias absolutistas da Europa
começaram a organizar uma ofensiva contra a
França e, diante da invasão prussiana, a
Assembleia convocou todos os cidadãos a guerra;
• A multidão, enfurecida, invadiu o local onde o rei estava
preso, considerando-o um traidor. Os revolucionários
aboliram a monarquia e proclamaram a república;
Invasão ao palácio das Tulherias, 10 de agosto de 1792
Nessa época, as forças políticas que mais se
destacavam eram as seguintes:
• Girondinos: alta burguesia
• Jacobinos: burguesia (pequena e média) e o
proletariado de Paris. Eram radicais e
defendiam os interesses do povo. Liderados
por Robespierre e Saint-Just, pregavam a
condenação à morte do rei.
• Grupo da Planície: Apoiavam sempre quem
estava no poder.
Morte de Luís XVI
• Mesmo com o apoio dos
girondinos, Luís XVI foi
julgado e guilhotinado
em janeiro de 1793. A
morte do rei trouxe uma
série de problemas como
revoltas internas e uma
reorganização das forças
absolutistas estrangeiras
contra a França;
República Jacobina (Junho de 1793 á
Julho de 1794)
• Esse período ficou conhecido
como “Terror”, ou "Grande Medo",
pois os não-jacobinos tinham
medo de perder suas cabeças.
• Começa uma ditadura jacobina,
liderada por Robespierre. Durante
seu governo, ele procurava
equilibrar-se entre várias
tendências políticas, umas mais
identificadas com a alta burguesia
e outras mais próximas das
aspirações das camadas populares.
Robespierre
Robespierre conseguiu algumas realizações
significativas.
• Durante o governo dele vigorou a nova
Constituição da República (1793) que assegurava
ao povo:
• Direito ao voto
• Direito de rebelião
• Direito ao trabalho e a subsistência
• Continha uma declaração de que o objetivo do
governo era o bem comum e a felicidade de
todos.
Quando as tensões decorrentes da ameaça
estrangeira diminuíram, os girondinos e o grupo
da planície uniram-se contra Robespierre que
sem o apoio popular foi preso e guilhotinado em
1794.
• Após a sua morte, a Convenção Nacional foi
controlada por políticos que representavam os
interesses da alta burguesia. Com nova
orientação política, essa convenção decidiu
elaborar outra constituição para a França.
• A nova constituição estabelecia a continuidade
do regime republicano que seria controlado pelo
Diretório (1795 - 1799). Neste período houve
várias tentativas para controlar o
descontentamento popular e afirmar o controle
político da burguesia sobre o país.
O Diretório (1795-1799)
• Nessa época, Napoleão Bonaparte ganhou
prestígio como militar e com o apoio da
burguesia e do exército, provocou um golpe.
• Em 10/11/1799, Napoleão dissolveu o diretório
e estabeleceu um novo governo chamado
Consulado. Esse episódio ficou conhecido
como 18 Brumário.
• Com isso ele consolidava as conquistas da
burguesia dando um fim para a revolução.
Conclusão
• A Revolução Francesa foi um importante marco
na História Moderna da nossa civilização.
Significou o fim do sistema absolutista e dos
privilégios da nobreza. O povo ganhou mais
autonomia e seus direitos sociais passaram a ser
respeitados. Ela deu inicio á democracia;

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

9. revolução inglesa
9. revolução inglesa9. revolução inglesa
9. revolução inglesa
José Augusto Fiorin
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasil
Marilia Pimentel
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
Stefânia Balestero
 
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º anoAula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
7 de Setembro
 
Revolução francesa 8º
Revolução francesa 8ºRevolução francesa 8º
Revolução francesa 8º
Vagner Roberto
 
A revolução inglesa
A revolução inglesaA revolução inglesa
A revolução inglesa
Janayna Lira
 
Chegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasilChegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasil
Geová da Silva
 
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
Daniel Alves Bronstrup
 
A revolta pernambucana de 1817
A revolta pernambucana de 1817A revolta pernambucana de 1817
A revolta pernambucana de 1817
Fabiana Tonsis
 
Conjuração Baiana
Conjuração BaianaConjuração Baiana
Conjuração Baiana
Flávio Silva
 
Imperialismo - Neocolonialismo - Partilha da África e da Ásia
Imperialismo - Neocolonialismo - Partilha da África e da ÁsiaImperialismo - Neocolonialismo - Partilha da África e da Ásia
Imperialismo - Neocolonialismo - Partilha da África e da Ásia
Portal do Vestibulando
 
Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)
Isaquel Silva
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Leide Soares Matoso
 
A era napoleônica
A era napoleônicaA era napoleônica
A era napoleônica
Fatima Freitas
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
Portal do Vestibulando
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
Paulo Alexandre
 
o primeiro reinado (1822-1831)
o primeiro reinado (1822-1831)o primeiro reinado (1822-1831)
o primeiro reinado (1822-1831)
Colégio Basic e Colégio Imperatrice
 
Colonização da América Espanhola
Colonização da América EspanholaColonização da América Espanhola
Colonização da América Espanhola
Edenilson Morais
 
Independência dos eua (1776)
Independência dos eua (1776)Independência dos eua (1776)
Independência dos eua (1776)
Janayna Lira
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
Edenilson Morais
 

Mais procurados (20)

9. revolução inglesa
9. revolução inglesa9. revolução inglesa
9. revolução inglesa
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasil
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
 
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º anoAula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
 
Revolução francesa 8º
Revolução francesa 8ºRevolução francesa 8º
Revolução francesa 8º
 
A revolução inglesa
A revolução inglesaA revolução inglesa
A revolução inglesa
 
Chegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasilChegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasil
 
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
 
A revolta pernambucana de 1817
A revolta pernambucana de 1817A revolta pernambucana de 1817
A revolta pernambucana de 1817
 
Conjuração Baiana
Conjuração BaianaConjuração Baiana
Conjuração Baiana
 
Imperialismo - Neocolonialismo - Partilha da África e da Ásia
Imperialismo - Neocolonialismo - Partilha da África e da ÁsiaImperialismo - Neocolonialismo - Partilha da África e da Ásia
Imperialismo - Neocolonialismo - Partilha da África e da Ásia
 
Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
A era napoleônica
A era napoleônicaA era napoleônica
A era napoleônica
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
o primeiro reinado (1822-1831)
o primeiro reinado (1822-1831)o primeiro reinado (1822-1831)
o primeiro reinado (1822-1831)
 
Colonização da América Espanhola
Colonização da América EspanholaColonização da América Espanhola
Colonização da América Espanhola
 
Independência dos eua (1776)
Independência dos eua (1776)Independência dos eua (1776)
Independência dos eua (1776)
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
 

Destaque

Revolução francesa módulo 7
Revolução francesa  módulo 7Revolução francesa  módulo 7
Revolução francesa módulo 7
Carla Teixeira
 
Radicais gregos e latinos
Radicais gregos e latinosRadicais gregos e latinos
Radicais gregos e latinos
André Luiz Guedes
 
Formação das Palavras
Formação das PalavrasFormação das Palavras
Formação das Palavras
Cleber Reis
 
A revolta da chibata
A revolta da chibata A revolta da chibata
A revolta da chibata
Laís Maíne
 
Revolucao Francesa
Revolucao FrancesaRevolucao Francesa
Revolucao Francesa
Gabriel Moreira
 
Aula Revolta da Chibata
Aula Revolta da ChibataAula Revolta da Chibata
Aula Revolta da Chibata
seixasmarianas
 
Grécia Antiga - Legado
Grécia Antiga - LegadoGrécia Antiga - Legado
Grécia Antiga - Legado
Thiago Bro
 
Aula 3 Filosofia grega e o mundo ocidental - 1º Filosofia - Prof. Noe Assunção
Aula 3  Filosofia grega e o mundo ocidental - 1º Filosofia - Prof. Noe AssunçãoAula 3  Filosofia grega e o mundo ocidental - 1º Filosofia - Prof. Noe Assunção
Aula 3 Filosofia grega e o mundo ocidental - 1º Filosofia - Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Revolta da chibata
Revolta da chibataRevolta da chibata
Revolta da chibata
Mariana Silva
 
Legado grego
Legado gregoLegado grego
Legado grego
Maria Gomes
 
Revolta da chibata
Revolta da chibataRevolta da chibata
Revolta da chibata
Mariana Silva
 
Lista de radicais, sufixos e prefixos gregos e latinos
Lista de radicais, sufixos e prefixos gregos e latinosLista de radicais, sufixos e prefixos gregos e latinos
Lista de radicais, sufixos e prefixos gregos e latinos
Andriane Cursino
 
A influência cultural grega no mundo moderno
A influência cultural grega no mundo modernoA influência cultural grega no mundo moderno
A influência cultural grega no mundo moderno
Luciane
 
Características da cultura grega
Características da cultura gregaCaracterísticas da cultura grega
Características da cultura grega
KAOSBRASILLIS
 
A Revolta da Chibata
A Revolta da ChibataA Revolta da Chibata
A Revolta da Chibata
Mari Anny Souza
 
Os Jogos Olímpicos na Grécia Antiga
Os Jogos Olímpicos na Grécia AntigaOs Jogos Olímpicos na Grécia Antiga
Os Jogos Olímpicos na Grécia Antiga
Natalina Safara
 
Revolta da Vacina
Revolta da VacinaRevolta da Vacina
Revolta da Vacina
Guigaa23
 
Antiguidade Clássica
Antiguidade ClássicaAntiguidade Clássica
Antiguidade Clássica
eiprofessor
 
Resumão história antiga
Resumão história antigaResumão história antiga
Resumão história antiga
Karoline Oliveira
 
Trabalho revolução francesa
Trabalho revolução francesaTrabalho revolução francesa
Trabalho revolução francesa
bbrunasantana
 

Destaque (20)

Revolução francesa módulo 7
Revolução francesa  módulo 7Revolução francesa  módulo 7
Revolução francesa módulo 7
 
Radicais gregos e latinos
Radicais gregos e latinosRadicais gregos e latinos
Radicais gregos e latinos
 
Formação das Palavras
Formação das PalavrasFormação das Palavras
Formação das Palavras
 
A revolta da chibata
A revolta da chibata A revolta da chibata
A revolta da chibata
 
Revolucao Francesa
Revolucao FrancesaRevolucao Francesa
Revolucao Francesa
 
Aula Revolta da Chibata
Aula Revolta da ChibataAula Revolta da Chibata
Aula Revolta da Chibata
 
Grécia Antiga - Legado
Grécia Antiga - LegadoGrécia Antiga - Legado
Grécia Antiga - Legado
 
Aula 3 Filosofia grega e o mundo ocidental - 1º Filosofia - Prof. Noe Assunção
Aula 3  Filosofia grega e o mundo ocidental - 1º Filosofia - Prof. Noe AssunçãoAula 3  Filosofia grega e o mundo ocidental - 1º Filosofia - Prof. Noe Assunção
Aula 3 Filosofia grega e o mundo ocidental - 1º Filosofia - Prof. Noe Assunção
 
Revolta da chibata
Revolta da chibataRevolta da chibata
Revolta da chibata
 
Legado grego
Legado gregoLegado grego
Legado grego
 
Revolta da chibata
Revolta da chibataRevolta da chibata
Revolta da chibata
 
Lista de radicais, sufixos e prefixos gregos e latinos
Lista de radicais, sufixos e prefixos gregos e latinosLista de radicais, sufixos e prefixos gregos e latinos
Lista de radicais, sufixos e prefixos gregos e latinos
 
A influência cultural grega no mundo moderno
A influência cultural grega no mundo modernoA influência cultural grega no mundo moderno
A influência cultural grega no mundo moderno
 
Características da cultura grega
Características da cultura gregaCaracterísticas da cultura grega
Características da cultura grega
 
A Revolta da Chibata
A Revolta da ChibataA Revolta da Chibata
A Revolta da Chibata
 
Os Jogos Olímpicos na Grécia Antiga
Os Jogos Olímpicos na Grécia AntigaOs Jogos Olímpicos na Grécia Antiga
Os Jogos Olímpicos na Grécia Antiga
 
Revolta da Vacina
Revolta da VacinaRevolta da Vacina
Revolta da Vacina
 
Antiguidade Clássica
Antiguidade ClássicaAntiguidade Clássica
Antiguidade Clássica
 
Resumão história antiga
Resumão história antigaResumão história antiga
Resumão história antiga
 
Trabalho revolução francesa
Trabalho revolução francesaTrabalho revolução francesa
Trabalho revolução francesa
 

Semelhante a Revolução francesa

As fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profneliaAs fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profnelia
historiando
 
As fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profneliaAs fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profnelia
Nelia Salles Nantes
 
A Revolução Francesa de 1789
A Revolução Francesa de 1789A Revolução Francesa de 1789
A Revolução Francesa de 1789
Fatima Freitas
 
A grande revolução francesa
A grande revolução francesaA grande revolução francesa
A grande revolução francesa
Fernando Alcoforado
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
Nelia Salles Nantes
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
Nelia Salles Nantes
 
As fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profneliaAs fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profnelia
historiando
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
Joemille Leal
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
Nelia Salles Nantes
 
Revoluções Francesa, Inglesa e Industrial
Revoluções Francesa, Inglesa e IndustrialRevoluções Francesa, Inglesa e Industrial
Revoluções Francesa, Inglesa e Industrial
Rivea Leal
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
Nelia Salles Nantes
 
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDOA GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
Fernando Alcoforado
 
Revolucao francesa
Revolucao francesaRevolucao francesa
Revolucao francesa
mesmoeumesmo
 
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Francesa - Prof. Altair AguilarRevolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Roteiro de Aula - Da Revolução Francesa ao Imperialismo do Séc. XIX
Roteiro de Aula - Da Revolução Francesa ao Imperialismo do Séc. XIXRoteiro de Aula - Da Revolução Francesa ao Imperialismo do Séc. XIX
Roteiro de Aula - Da Revolução Francesa ao Imperialismo do Séc. XIX
josafaslima
 
A revolução francesa prof nélia
A revolução francesa prof néliaA revolução francesa prof nélia
A revolução francesa prof nélia
historiando
 
Revolução francesa. liberdade igualdade fraternidade
Revolução francesa. liberdade  igualdade  fraternidadeRevolução francesa. liberdade  igualdade  fraternidade
Revolução francesa. liberdade igualdade fraternidade
Ricardo Diniz campos
 
Revolução francesa.liberdade igualde fraternidade
Revolução francesa.liberdade igualde fraternidadeRevolução francesa.liberdade igualde fraternidade
Revolução francesa.liberdade igualde fraternidade
Ricardo Diniz campos
 
Resumo revolucao francesa
Resumo revolucao francesaResumo revolucao francesa
Resumo revolucao francesa
David Muniz
 
Revoluã§ã£o francesa.
Revoluã§ã£o francesa.Revoluã§ã£o francesa.
Revoluã§ã£o francesa.
Jornal Ovale
 

Semelhante a Revolução francesa (20)

As fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profneliaAs fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profnelia
 
As fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profneliaAs fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profnelia
 
A Revolução Francesa de 1789
A Revolução Francesa de 1789A Revolução Francesa de 1789
A Revolução Francesa de 1789
 
A grande revolução francesa
A grande revolução francesaA grande revolução francesa
A grande revolução francesa
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
 
As fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profneliaAs fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profnelia
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
 
Revoluções Francesa, Inglesa e Industrial
Revoluções Francesa, Inglesa e IndustrialRevoluções Francesa, Inglesa e Industrial
Revoluções Francesa, Inglesa e Industrial
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
 
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDOA GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
A GRANDE REVOLUÇÃO FRANCESA QUE MUDOU O MUNDO
 
Revolucao francesa
Revolucao francesaRevolucao francesa
Revolucao francesa
 
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Francesa - Prof. Altair AguilarRevolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
 
Roteiro de Aula - Da Revolução Francesa ao Imperialismo do Séc. XIX
Roteiro de Aula - Da Revolução Francesa ao Imperialismo do Séc. XIXRoteiro de Aula - Da Revolução Francesa ao Imperialismo do Séc. XIX
Roteiro de Aula - Da Revolução Francesa ao Imperialismo do Séc. XIX
 
A revolução francesa prof nélia
A revolução francesa prof néliaA revolução francesa prof nélia
A revolução francesa prof nélia
 
Revolução francesa. liberdade igualdade fraternidade
Revolução francesa. liberdade  igualdade  fraternidadeRevolução francesa. liberdade  igualdade  fraternidade
Revolução francesa. liberdade igualdade fraternidade
 
Revolução francesa.liberdade igualde fraternidade
Revolução francesa.liberdade igualde fraternidadeRevolução francesa.liberdade igualde fraternidade
Revolução francesa.liberdade igualde fraternidade
 
Resumo revolucao francesa
Resumo revolucao francesaResumo revolucao francesa
Resumo revolucao francesa
 
Revoluã§ã£o francesa.
Revoluã§ã£o francesa.Revoluã§ã£o francesa.
Revoluã§ã£o francesa.
 

Último

Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
davidreyes364666
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 

Último (20)

Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 

Revolução francesa

  • 1.
  • 2. Revolução Francesa • Muitos fatores levaram á Revolução Francesa, o Sistema de Governo deles era Monarquia Absoluta; O rei governava com poderes absolutos, controlando a economia, a justiça, a política e até mesmo a religião dos súditos.
  • 3. Em 1789 (Século XXIII) a população da França era a maior do mundo, e era dividida em três estados: • Clero (1º Estado) • Nobreza(2º Estado) • Povo (3º Estado)
  • 4. • Clero Alto clero (bispos, abades e cônicos), Baixo clero (sacerdotes pobres) • Nobreza Rei, sua família, condes, duques, marqueses e outros nobres • Povo Camponeses, Grande burguesia (banqueiros, grandes empresários e comerciantes), Média burguesia (profissionais liberais), Pequena burguesia (artesãos e comerciantes), Sans- culottes (aprendizes de ofícios, assalariados, desempregados)
  • 5. • O clero e a nobreza tinham vários privilégios: não pagavam impostos, recebiam pensões do estado e podiam exercer cargos públicos. • O povo tinha que arcar com todas as despesas do 1º e 2º estado. Com o passar do tempo e influenciados pelos ideais do Iluminismo, o 3º estado começou a se revoltar e a lutar pela igualdade de todos perante a lei. Pretendiam combater, dentre outras coisas, o absolutismo monárquico e os privilégios da nobreza e do clero.
  • 6.
  • 7. • O quadro econômico na França era péssimo e a fome ameaça a população. Secas prejudicavam a agricultura e acentuavam a miséria. A indústria têxtil também passava por dificuldades por causa da concorrência com os tecidos ingleses. Havia escassez de alimentos e desemprego. O que aumentava ainda mais a revolta da população. Alguns Fatores que também incentivaram a Revolução:
  • 8.
  • 9. Assembleia dos Estados Gerais (1789) • Para resolver a questão do impostos, o Rei convoca a Assembleia dos Estados Gerais com representantes dos 3 estados; • A nobreza e o clero queria de qualquer jeito fazer valer o voto por ordem social. O povo (que levava vantagem) queria que o voto fosse individual. • Diante da impossibilidade de resolver a questão, o 3º estado se separou dos demais e formou a Assembleia Nacional Constituinte;
  • 10. • O rei Luís XVI tentou reagir, mas o povo permaneceu unido. Então foram para as ruas dizendo: “Liberdade, Igualdade e Fraternidade”
  • 11. Assembleia Nacional Constituinte (1789-1791) • Ela representaria o fim do absolutismo monárquico na França; • Os cidadãos de Paris invadiram e tomaram a Bastilha que representou simbolicamente o fim do antigo regime; • O rei já não tinha mais como controlar a fúria popular e tomou algumas precauções como, abolir o regime feudal sobre os camponeses e os privilégios tributários do clero e da nobreza acabaram.
  • 12. A Tomada da Bastilha, 1789
  • 13. Declaração do Direito do Homem e Cidadão: • Igualdade jurídica entre os indivíduos • Fim dos privilégios do clero e nobreza • Liberdade de produção e de comércio (sem a interferência do estado) • Proibição de greves • Liberdade de crença • Separação do estado da Igreja • Nacionalização dos bens do clero • Três poderes criados (Legislativo, Executivo e Judiciário)
  • 14. Monarquia Constitucional (1791-1792) • O Rei Luís XVI aceitou a constituição, mas tentou fugir e foi capturado, preso e mantido sob vigilância; • As monarquias absolutistas da Europa começaram a organizar uma ofensiva contra a França e, diante da invasão prussiana, a Assembleia convocou todos os cidadãos a guerra;
  • 15. • A multidão, enfurecida, invadiu o local onde o rei estava preso, considerando-o um traidor. Os revolucionários aboliram a monarquia e proclamaram a república; Invasão ao palácio das Tulherias, 10 de agosto de 1792
  • 16. Nessa época, as forças políticas que mais se destacavam eram as seguintes: • Girondinos: alta burguesia • Jacobinos: burguesia (pequena e média) e o proletariado de Paris. Eram radicais e defendiam os interesses do povo. Liderados por Robespierre e Saint-Just, pregavam a condenação à morte do rei. • Grupo da Planície: Apoiavam sempre quem estava no poder.
  • 17. Morte de Luís XVI • Mesmo com o apoio dos girondinos, Luís XVI foi julgado e guilhotinado em janeiro de 1793. A morte do rei trouxe uma série de problemas como revoltas internas e uma reorganização das forças absolutistas estrangeiras contra a França;
  • 18. República Jacobina (Junho de 1793 á Julho de 1794) • Esse período ficou conhecido como “Terror”, ou "Grande Medo", pois os não-jacobinos tinham medo de perder suas cabeças. • Começa uma ditadura jacobina, liderada por Robespierre. Durante seu governo, ele procurava equilibrar-se entre várias tendências políticas, umas mais identificadas com a alta burguesia e outras mais próximas das aspirações das camadas populares. Robespierre
  • 19. Robespierre conseguiu algumas realizações significativas. • Durante o governo dele vigorou a nova Constituição da República (1793) que assegurava ao povo: • Direito ao voto • Direito de rebelião • Direito ao trabalho e a subsistência • Continha uma declaração de que o objetivo do governo era o bem comum e a felicidade de todos. Quando as tensões decorrentes da ameaça estrangeira diminuíram, os girondinos e o grupo da planície uniram-se contra Robespierre que sem o apoio popular foi preso e guilhotinado em 1794.
  • 20. • Após a sua morte, a Convenção Nacional foi controlada por políticos que representavam os interesses da alta burguesia. Com nova orientação política, essa convenção decidiu elaborar outra constituição para a França. • A nova constituição estabelecia a continuidade do regime republicano que seria controlado pelo Diretório (1795 - 1799). Neste período houve várias tentativas para controlar o descontentamento popular e afirmar o controle político da burguesia sobre o país.
  • 21. O Diretório (1795-1799) • Nessa época, Napoleão Bonaparte ganhou prestígio como militar e com o apoio da burguesia e do exército, provocou um golpe. • Em 10/11/1799, Napoleão dissolveu o diretório e estabeleceu um novo governo chamado Consulado. Esse episódio ficou conhecido como 18 Brumário. • Com isso ele consolidava as conquistas da burguesia dando um fim para a revolução.
  • 22. Conclusão • A Revolução Francesa foi um importante marco na História Moderna da nossa civilização. Significou o fim do sistema absolutista e dos privilégios da nobreza. O povo ganhou mais autonomia e seus direitos sociais passaram a ser respeitados. Ela deu inicio á democracia;