SlideShare uma empresa Scribd logo
Aula – 02/06
Conteúdos apresentados:
 Interiorização brasileira
 Ciclo do Ouro brasileiro
Prof. Rodrigo Mothé
Contexto Histórico
• Portugal entra em crise:
Após a expulsão dos holandeses do
território brasileiro, as Antilhas holandesas
passam a produzir açúcar de beterraba
mais barato que o brasileiro.
Tratado de Panos e Vinhos com a
Inglaterra acarreta prejuízos à economia
lusitana.
PORTUGAL PASSA A BUSCAR UMA NOVA FONTE DE RENDA.
Como resolver essa crise financeira?
• Incentivo às bandeiras;
Tinham como objetivo: a captura de escravos
fugitivos, o aprisionamento de indígenas e a
busca por metais preciosos;
Por volta de 1693, bandeirantes paulistas
encontram ouro na região de Minas Gerais
A maior parte do ouro brasileiro era de aluvião (leito
dos rios)
Formas de exploração do ouro:
LAVRA
FAISCAÇÃO
• LAVRA: grande extração em jazidas;
exigiam técnicas, ferramentas e muitos
escravos para esse trabalho.
• FAISCAÇÃO: exploração simples feita nos
leitos dos rios, com auxílio da bateia (
bacia rasa, cônica, feita de madeira ou
metal). Praticada por pequeno número
de escravos.
Mudanças
• Intensa migração e imigração;
• Aumento na compra de escravos;
• Urbanização;
• Surgiu uma camada social entre os
escravos e os senhores: comerciantes e
profissionais liberais
Acima, as
cidades de
Mariana e
Sabará. Ao
lado, Vila Rica.
O caminho percorrido
pela busca do ouro,
originou estradas e
ligações importantes
para a ampliação do
território da colônia.
CAMINHO DO OURO ATÉ O
PORTO DO RIO DE JANEIRO
O comércio entre a
região
mineradora e o
restante da
capitania foi
intensificado,
promovendo uma
Integração, antes
limitada.
Uma das comidas típicas de
Minas Gerais é o Feijão Tropeiro, você sabe
como é feito e porque tem esse nome?
Abastecimento das cidades
• Tropeiros (carregavam alimentos e
outros produtos);
(UFCE)
Leia o trecho abaixo.
"Na mineração, como de resto em qualquer atividade primordial da
colônia, a força de trabalho era basicamente escrava, havendo
entretanto os interstícios ocupados pelo trabalho livre ou
semilivre." (Souza, Laura de M. Desclassificados do Ouro: pobreza
mineira no século XVIII. 3 ed. Rio de Janeiro: Graal, 1990, p.68)
Com base neste trecho sobre o trabalho livre praticado nas áreas
mineradoras do Brasil Colônia, é correto afirmar que:
a) devido à abundância de escravos no período do apogeu da
mineração, os homens livres conseguiam viver exclusivamente do
comércio de ouro.
b) em função da riqueza geral proporcionada pelo ouro, os homens
livres dedicavam-se à agricultura comercial, vivendo com relativo
conforto nas fazendas.
c) perseguidos pela Igreja e pela Coroa, os homens livres procuravam
sobreviver às custas da mendicância e da caridade pública.
d) sem condições de competir com as grandes empresas
mineradoras, os homens livres dedicavam-se à "faiscagem" e à
agricultura de subsistência.
e) em função de sua educação, os homens livres conseguiam
trabalho especializado nas grandes empresas mineradoras, obtendo
confortáveis condições de vida.
Abastecimento das cidades
• Boiadeiros (gado para o transporte do
ouro);
• Comboieiros (transporte de escravos);
• A Coroa Portuguesa possuía uma política
rigorosa na fiscalização e exploração do
ouro. Exercendo seu controle por meio
de impostos e órgãos específicos;
• A idéia era explorar ao máximo e investir
pouco;
Principais impostos
• Quinto*: um quinto, ou seja, 20% das
riquezas extraídas;
• Capitação: imposto sobre o número de
escravos;
• Derrama: não um imposto, mas a
cobrança através da força do Quinto
atrasado.
*Novo valor do Quinto: posteriormente foi estabelecida a
quantidade de 1.500 quilos de ouro.
Órgãos de controle:
• Intendência das Minas: fiscalizava o
controle e distribuição de terras para
exploração e cobrança dos impostos;
• Casa de fundição: para evitar
contrabando, todo o ouro encontrado
era fundido em barras, com o selo da
Coroa. Também era retirado o Quinto.
MINERAÇÃO NO BRASIL
Antiga Intendência e Casa de
fundição (Museu do Ouro),
Sabará.
Casa de fundição de Ouro Preto
(MG)
• Após a descoberta das minas no sudeste e centro-
oeste da colônia, a capital transferiu-se de Salvador
para o Rio de Janeiro, essa medida foi para aumentar o
controle administrativo.
• O ouro era transportado através de cavalos e escravos
até o porto da nova capital.
(UFV-MG)
"O ouro brasileiro deixou buracos no Brasil,
templos em Portugal e fábricas na
Inglaterra." (Eduardo Galeano)
Explique de que forma os fatos contidos na
frase anterior estão relacionados
historicamente.
Revoltas ocorridas em decorrência da
exploração aurífera e das medidas da
Coroa portuguesa:
• Guerra dos Emboabas – 1708/09
• Revolta de Vila Rica – 1710
• Inconfidência Mineira - 1789
Guerra dos Emboabas
A Guerra dos
Emboabas foi a
insatisfação dos
paulistas,
que encontraram as
jazidas e acreditavam
ter o
monopólio da
extração, com as
pessoas vindas de
outros
lugares.
Resultados: Portugal interferiu e as consequências foram a criação da
capitania de Minas Gerais e a saída dos paulistas para Goiás
e Mato Grosso, onde também encontraram ouro.
Revolta de Vila Rica
A Revolta de Vila Rica,
foi a reação contra a
criação
das Casas de
Fundição, liderados
por Felipe dos
Santos.
Resultados: o movimento foi sufocado pelas tropas reais e seu
líder condenado, executado e esquartejado.
• A exploração contínua levou o ouro a entrar
em crise e ficou difícil pagar as tributações
da Coroa, o risco de sofrer a derrama era
constante.
• Além dessas questões, a proibição de
manufaturas e a crescente dívida com
Portugal motivaram a elite e pensadores a
organizarem o movimento contra essa
política e a favor da independência, a
Inconfidência Mineira.
Inconfidência Mineira
A insatisfação dos
mineiros com a
exploração da
metrópole fez brotar o
sentimento de
liberdade e
independência.
Inconfidência Mineira
O movimento foi realizado por
elementos da elite intelectual e
econômica de Vila Rica, movidos
pelas idéias de liberdade e
autonomia.
Resultados: o movimento foi reprimido violentamente, sendo
os principais líderes presos e degredados, enquanto Tiradentes foi
enforcado para servir de exemplo.
Consequências da mineração no Brasil
• Expansão territorial;
• Crescimento populacional;
• Desenvolvimento do comércio interno;
• Transferência do pólo econômico e social
para o interior;
• Transferência da capital para o Rio de
Janeiro, em 1763;
• Surgimento de cidades;
• Criação da capitania de Minas Gerais.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
Fatima Freitas
 
Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)
Isaquel Silva
 
Brasil Período Joanino
Brasil Período JoaninoBrasil Período Joanino
Brasil Período Joanino
dmflores21
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasil
Douglas Barraqui
 
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 19183ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
Daniel Alves Bronstrup
 
Primeiro reinado
Primeiro reinadoPrimeiro reinado
Primeiro reinado
Ramiro Bicca
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
Edenilson Morais
 
Independência do Brasil
Independência do BrasilIndependência do Brasil
Independência do Brasil
Janaína Tavares
 
2° ano - Brasil Império: Segundo Reinado
2° ano  - Brasil Império: Segundo Reinado2° ano  - Brasil Império: Segundo Reinado
2° ano - Brasil Império: Segundo Reinado
Daniel Alves Bronstrup
 
A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados Nacionais
Douglas Barraqui
 
Chegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasilChegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasil
Geová da Silva
 
Brasil colônia4 revoltas nativistas
Brasil colônia4 revoltas nativistasBrasil colônia4 revoltas nativistas
Brasil colônia4 revoltas nativistas
dmflores21
 
O brasil na primeira republica
O brasil na primeira republicaO brasil na primeira republica
O brasil na primeira republica
Simone P Baldissera
 
A colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesaA colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesa
Edenilson Morais
 
Sociedade Mineradora
Sociedade MineradoraSociedade Mineradora
Sociedade Mineradora
jessycalafaiete
 
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoA Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
Rodrigo Luiz
 
Revoltas Coloniais
Revoltas ColoniaisRevoltas Coloniais
Revoltas Coloniais
Edenilson Morais
 
3º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 19173º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 1917
Daniel Alves Bronstrup
 
Mineração no Brasil colônia
Mineração no Brasil colôniaMineração no Brasil colônia
Mineração no Brasil colônia
João Marcelo
 
Brasil república
Brasil repúblicaBrasil república
Brasil república
dmflores21
 

Mais procurados (20)

Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)
 
Brasil Período Joanino
Brasil Período JoaninoBrasil Período Joanino
Brasil Período Joanino
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasil
 
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 19183ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
 
Primeiro reinado
Primeiro reinadoPrimeiro reinado
Primeiro reinado
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
 
Independência do Brasil
Independência do BrasilIndependência do Brasil
Independência do Brasil
 
2° ano - Brasil Império: Segundo Reinado
2° ano  - Brasil Império: Segundo Reinado2° ano  - Brasil Império: Segundo Reinado
2° ano - Brasil Império: Segundo Reinado
 
A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados Nacionais
 
Chegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasilChegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasil
 
Brasil colônia4 revoltas nativistas
Brasil colônia4 revoltas nativistasBrasil colônia4 revoltas nativistas
Brasil colônia4 revoltas nativistas
 
O brasil na primeira republica
O brasil na primeira republicaO brasil na primeira republica
O brasil na primeira republica
 
A colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesaA colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesa
 
Sociedade Mineradora
Sociedade MineradoraSociedade Mineradora
Sociedade Mineradora
 
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulãoA Era Vargas (1930 1945)-aulão
A Era Vargas (1930 1945)-aulão
 
Revoltas Coloniais
Revoltas ColoniaisRevoltas Coloniais
Revoltas Coloniais
 
3º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 19173º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 1917
 
Mineração no Brasil colônia
Mineração no Brasil colôniaMineração no Brasil colônia
Mineração no Brasil colônia
 
Brasil república
Brasil repúblicaBrasil república
Brasil república
 

Destaque

Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
Beatriz Dantas
 
Ciclo do Ouro
Ciclo do OuroCiclo do Ouro
Ciclo do Ouro
raphacorrea
 
O Ciclo do ouro
O Ciclo do  ouroO Ciclo do  ouro
O Ciclo do ouro
Yara Ribeiro
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
raqueel_costa
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
Lucas Reis
 
G2 – o ciclo do ouro
G2 – o ciclo do ouroG2 – o ciclo do ouro
G2 – o ciclo do ouro
Rafael Vasco
 
A época do ouro no brasil
A época do ouro no brasilA época do ouro no brasil
A época do ouro no brasil
Andressa Fontenele
 
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino FundamentalA Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
Alinnie Moreira
 
Bandeirantes e expansão
Bandeirantes e expansãoBandeirantes e expansão
Bandeirantes e expansão
mundica broda
 
G2 – o ciclo do ouro final
G2 – o ciclo do ouro finalG2 – o ciclo do ouro final
G2 – o ciclo do ouro final
Rafael Vasco
 
O ciclo do ouro brasileiro e a cultura
O ciclo do ouro brasileiro e a culturaO ciclo do ouro brasileiro e a cultura
O ciclo do ouro brasileiro e a cultura
historiamurialdo
 
Ouro preto 2012
Ouro preto 2012Ouro preto 2012
Ouro preto 2012
infoccbh
 
O ciclo do ouro
O ciclo do ouroO ciclo do ouro
O ciclo do ouro
Luanamelo
 
Prova dia 27 05
Prova dia 27 05Prova dia 27 05
Monarquias Nacionais, absolutismo e grandes navegações
Monarquias Nacionais, absolutismo e grandes navegaçõesMonarquias Nacionais, absolutismo e grandes navegações
Monarquias Nacionais, absolutismo e grandes navegações
Naiani Fenalti
 
Monarquias
MonarquiasMonarquias
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
historiamurialdo
 
O ciclo do acúçar e o ciclo do ouro
O ciclo do acúçar e o ciclo do ouroO ciclo do acúçar e o ciclo do ouro
O ciclo do acúçar e o ciclo do ouro
anabelasilvasobral
 
Sociedades mineiras
Sociedades mineirasSociedades mineiras
Sociedades mineiras
tyromello
 
Mineração
MineraçãoMineração

Destaque (20)

Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
 
Ciclo do Ouro
Ciclo do OuroCiclo do Ouro
Ciclo do Ouro
 
O Ciclo do ouro
O Ciclo do  ouroO Ciclo do  ouro
O Ciclo do ouro
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
 
G2 – o ciclo do ouro
G2 – o ciclo do ouroG2 – o ciclo do ouro
G2 – o ciclo do ouro
 
A época do ouro no brasil
A época do ouro no brasilA época do ouro no brasil
A época do ouro no brasil
 
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino FundamentalA Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
A Mineração no Brasil Colonial - Ensino Fundamental
 
Bandeirantes e expansão
Bandeirantes e expansãoBandeirantes e expansão
Bandeirantes e expansão
 
G2 – o ciclo do ouro final
G2 – o ciclo do ouro finalG2 – o ciclo do ouro final
G2 – o ciclo do ouro final
 
O ciclo do ouro brasileiro e a cultura
O ciclo do ouro brasileiro e a culturaO ciclo do ouro brasileiro e a cultura
O ciclo do ouro brasileiro e a cultura
 
Ouro preto 2012
Ouro preto 2012Ouro preto 2012
Ouro preto 2012
 
O ciclo do ouro
O ciclo do ouroO ciclo do ouro
O ciclo do ouro
 
Prova dia 27 05
Prova dia 27 05Prova dia 27 05
Prova dia 27 05
 
Monarquias Nacionais, absolutismo e grandes navegações
Monarquias Nacionais, absolutismo e grandes navegaçõesMonarquias Nacionais, absolutismo e grandes navegações
Monarquias Nacionais, absolutismo e grandes navegações
 
Monarquias
MonarquiasMonarquias
Monarquias
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
O ciclo do acúçar e o ciclo do ouro
O ciclo do acúçar e o ciclo do ouroO ciclo do acúçar e o ciclo do ouro
O ciclo do acúçar e o ciclo do ouro
 
Sociedades mineiras
Sociedades mineirasSociedades mineiras
Sociedades mineiras
 
Mineração
MineraçãoMineração
Mineração
 

Semelhante a Ciclo do ouro

Mineracao no brasil
Mineracao no brasilMineracao no brasil
Mineracao no brasil
Loredana Ruffo
 
Mineração no Brasil Colonial..ppt
Mineração no Brasil Colonial..pptMineração no Brasil Colonial..ppt
Mineração no Brasil Colonial..ppt
JosWilliam14
 
Mineração 8º ano
Mineração 8º anoMineração 8º ano
Mineração 8º ano
Cristine Becker
 
Brasil na época do Ouro
Brasil na época do OuroBrasil na época do Ouro
Brasil na época do Ouro
JESSICAFRONTELLIRIBE
 
ciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdfciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdf
DenisBrito16
 
O controle sobre ouro- Sociedade mineradora
O controle sobre ouro- Sociedade mineradoraO controle sobre ouro- Sociedade mineradora
O controle sobre ouro- Sociedade mineradora
jessica Nogueira
 
Mineração no brasil
Mineração no brasilMineração no brasil
Mineração no brasil
Lúcia Santana
 
A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.
A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.
A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.
Lara Lídia
 
Sistema colonial portugues (mineração)
Sistema colonial portugues (mineração)Sistema colonial portugues (mineração)
Sistema colonial portugues (mineração)
Marcelo Ferreira Boia
 
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
marlete andrade
 
Ouro em minas gerais
Ouro em minas geraisOuro em minas gerais
Ouro em minas gerais
Marcia Dias da Silva
 
Ciclo do Ouro - A mineração no Brasil Colonial
Ciclo do Ouro - A mineração no Brasil ColonialCiclo do Ouro - A mineração no Brasil Colonial
Ciclo do Ouro - A mineração no Brasil Colonial
LeandroDiniz36
 
Sistema e economia colonial parte 2
Sistema e economia colonial parte 2Sistema e economia colonial parte 2
Sistema e economia colonial parte 2
Eliphas Rodrigues
 
A exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasilA exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasil
Stephani Coelho
 
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
Franciele Marques
 
Revolta de Felipe dos Santos
Revolta de Felipe dos SantosRevolta de Felipe dos Santos
Revolta de Felipe dos Santos
poxalivs
 
A economia do brasil colonial
A economia do brasil colonialA economia do brasil colonial
A economia do brasil colonial
Nelia Salles Nantes
 
Brasil colonia
Brasil coloniaBrasil colonia
Brasil colonia
Pérysson Nogueira
 
Brasil colônia II economia
Brasil colônia II   economiaBrasil colônia II   economia
Brasil colônia II economia
Eduard Henry
 
A economia do brasil colonial
A economia do brasil colonialA economia do brasil colonial
A economia do brasil colonial
historiando
 

Semelhante a Ciclo do ouro (20)

Mineracao no brasil
Mineracao no brasilMineracao no brasil
Mineracao no brasil
 
Mineração no Brasil Colonial..ppt
Mineração no Brasil Colonial..pptMineração no Brasil Colonial..ppt
Mineração no Brasil Colonial..ppt
 
Mineração 8º ano
Mineração 8º anoMineração 8º ano
Mineração 8º ano
 
Brasil na época do Ouro
Brasil na época do OuroBrasil na época do Ouro
Brasil na época do Ouro
 
ciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdfciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdf
 
O controle sobre ouro- Sociedade mineradora
O controle sobre ouro- Sociedade mineradoraO controle sobre ouro- Sociedade mineradora
O controle sobre ouro- Sociedade mineradora
 
Mineração no brasil
Mineração no brasilMineração no brasil
Mineração no brasil
 
A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.
A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.
A mineração no período colonial e as atividades subsidiárias.
 
Sistema colonial portugues (mineração)
Sistema colonial portugues (mineração)Sistema colonial portugues (mineração)
Sistema colonial portugues (mineração)
 
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
Amineraonobrasilcolonial 140308144938-phpapp02
 
Ouro em minas gerais
Ouro em minas geraisOuro em minas gerais
Ouro em minas gerais
 
Ciclo do Ouro - A mineração no Brasil Colonial
Ciclo do Ouro - A mineração no Brasil ColonialCiclo do Ouro - A mineração no Brasil Colonial
Ciclo do Ouro - A mineração no Brasil Colonial
 
Sistema e economia colonial parte 2
Sistema e economia colonial parte 2Sistema e economia colonial parte 2
Sistema e economia colonial parte 2
 
A exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasilA exploração do ouro no brasil
A exploração do ouro no brasil
 
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
22024408 historia-brasil-colonia-mineracao-resumo-questoes-gabarito-prof-marc...
 
Revolta de Felipe dos Santos
Revolta de Felipe dos SantosRevolta de Felipe dos Santos
Revolta de Felipe dos Santos
 
A economia do brasil colonial
A economia do brasil colonialA economia do brasil colonial
A economia do brasil colonial
 
Brasil colonia
Brasil coloniaBrasil colonia
Brasil colonia
 
Brasil colônia II economia
Brasil colônia II   economiaBrasil colônia II   economia
Brasil colônia II economia
 
A economia do brasil colonial
A economia do brasil colonialA economia do brasil colonial
A economia do brasil colonial
 

Mais de Rodrigo HistóriaGeografia

Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)
Rodrigo HistóriaGeografia
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
Rodrigo HistóriaGeografia
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
Rodrigo HistóriaGeografia
 
Revoltas do brasil colonial
Revoltas do brasil colonialRevoltas do brasil colonial
Revoltas do brasil colonial
Rodrigo HistóriaGeografia
 
Sociedade açucareira
Sociedade açucareiraSociedade açucareira
Sociedade açucareira
Rodrigo HistóriaGeografia
 
Conquista da américa e brasil
Conquista da américa e brasilConquista da américa e brasil
Conquista da américa e brasil
Rodrigo HistóriaGeografia
 
Grandes navegações
Grandes navegaçõesGrandes navegações
Grandes navegações
Rodrigo HistóriaGeografia
 
Monarquias nacionais
Monarquias nacionaisMonarquias nacionais
Monarquias nacionais
Rodrigo HistóriaGeografia
 
Programação 1ªsérie
Programação 1ªsérieProgramação 1ªsérie
Programação 1ªsérie
Rodrigo HistóriaGeografia
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
Rodrigo HistóriaGeografia
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Bárbaros feudalismo - igreja feudal
Bárbaros   feudalismo - igreja feudalBárbaros   feudalismo - igreja feudal
Bárbaros feudalismo - igreja feudal
Rodrigo HistóriaGeografia
 
Programação 2º bimestre
Programação 2º bimestreProgramação 2º bimestre
Programação 2º bimestre
Rodrigo HistóriaGeografia
 

Mais de Rodrigo HistóriaGeografia (13)

Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)Segundo reinado (1840 1889)
Segundo reinado (1840 1889)
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
Revolução inglesa
Revolução inglesaRevolução inglesa
Revolução inglesa
 
Revoltas do brasil colonial
Revoltas do brasil colonialRevoltas do brasil colonial
Revoltas do brasil colonial
 
Sociedade açucareira
Sociedade açucareiraSociedade açucareira
Sociedade açucareira
 
Conquista da américa e brasil
Conquista da américa e brasilConquista da américa e brasil
Conquista da américa e brasil
 
Grandes navegações
Grandes navegaçõesGrandes navegações
Grandes navegações
 
Monarquias nacionais
Monarquias nacionaisMonarquias nacionais
Monarquias nacionais
 
Programação 1ªsérie
Programação 1ªsérieProgramação 1ªsérie
Programação 1ªsérie
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Bárbaros feudalismo - igreja feudal
Bárbaros   feudalismo - igreja feudalBárbaros   feudalismo - igreja feudal
Bárbaros feudalismo - igreja feudal
 
Programação 2º bimestre
Programação 2º bimestreProgramação 2º bimestre
Programação 2º bimestre
 

Ciclo do ouro

  • 1. Aula – 02/06 Conteúdos apresentados:  Interiorização brasileira  Ciclo do Ouro brasileiro Prof. Rodrigo Mothé
  • 2. Contexto Histórico • Portugal entra em crise: Após a expulsão dos holandeses do território brasileiro, as Antilhas holandesas passam a produzir açúcar de beterraba mais barato que o brasileiro. Tratado de Panos e Vinhos com a Inglaterra acarreta prejuízos à economia lusitana. PORTUGAL PASSA A BUSCAR UMA NOVA FONTE DE RENDA.
  • 3.
  • 4. Como resolver essa crise financeira? • Incentivo às bandeiras; Tinham como objetivo: a captura de escravos fugitivos, o aprisionamento de indígenas e a busca por metais preciosos;
  • 5. Por volta de 1693, bandeirantes paulistas encontram ouro na região de Minas Gerais
  • 6. A maior parte do ouro brasileiro era de aluvião (leito dos rios)
  • 7. Formas de exploração do ouro: LAVRA FAISCAÇÃO
  • 8. • LAVRA: grande extração em jazidas; exigiam técnicas, ferramentas e muitos escravos para esse trabalho. • FAISCAÇÃO: exploração simples feita nos leitos dos rios, com auxílio da bateia ( bacia rasa, cônica, feita de madeira ou metal). Praticada por pequeno número de escravos.
  • 9. Mudanças • Intensa migração e imigração; • Aumento na compra de escravos; • Urbanização; • Surgiu uma camada social entre os escravos e os senhores: comerciantes e profissionais liberais
  • 10. Acima, as cidades de Mariana e Sabará. Ao lado, Vila Rica.
  • 11. O caminho percorrido pela busca do ouro, originou estradas e ligações importantes para a ampliação do território da colônia. CAMINHO DO OURO ATÉ O PORTO DO RIO DE JANEIRO
  • 12. O comércio entre a região mineradora e o restante da capitania foi intensificado, promovendo uma Integração, antes limitada.
  • 13. Uma das comidas típicas de Minas Gerais é o Feijão Tropeiro, você sabe como é feito e porque tem esse nome?
  • 14. Abastecimento das cidades • Tropeiros (carregavam alimentos e outros produtos);
  • 15. (UFCE) Leia o trecho abaixo. "Na mineração, como de resto em qualquer atividade primordial da colônia, a força de trabalho era basicamente escrava, havendo entretanto os interstícios ocupados pelo trabalho livre ou semilivre." (Souza, Laura de M. Desclassificados do Ouro: pobreza mineira no século XVIII. 3 ed. Rio de Janeiro: Graal, 1990, p.68) Com base neste trecho sobre o trabalho livre praticado nas áreas mineradoras do Brasil Colônia, é correto afirmar que: a) devido à abundância de escravos no período do apogeu da mineração, os homens livres conseguiam viver exclusivamente do comércio de ouro. b) em função da riqueza geral proporcionada pelo ouro, os homens livres dedicavam-se à agricultura comercial, vivendo com relativo conforto nas fazendas. c) perseguidos pela Igreja e pela Coroa, os homens livres procuravam sobreviver às custas da mendicância e da caridade pública. d) sem condições de competir com as grandes empresas mineradoras, os homens livres dedicavam-se à "faiscagem" e à agricultura de subsistência. e) em função de sua educação, os homens livres conseguiam trabalho especializado nas grandes empresas mineradoras, obtendo confortáveis condições de vida.
  • 16. Abastecimento das cidades • Boiadeiros (gado para o transporte do ouro); • Comboieiros (transporte de escravos);
  • 17. • A Coroa Portuguesa possuía uma política rigorosa na fiscalização e exploração do ouro. Exercendo seu controle por meio de impostos e órgãos específicos; • A idéia era explorar ao máximo e investir pouco;
  • 18. Principais impostos • Quinto*: um quinto, ou seja, 20% das riquezas extraídas; • Capitação: imposto sobre o número de escravos; • Derrama: não um imposto, mas a cobrança através da força do Quinto atrasado. *Novo valor do Quinto: posteriormente foi estabelecida a quantidade de 1.500 quilos de ouro.
  • 19. Órgãos de controle: • Intendência das Minas: fiscalizava o controle e distribuição de terras para exploração e cobrança dos impostos; • Casa de fundição: para evitar contrabando, todo o ouro encontrado era fundido em barras, com o selo da Coroa. Também era retirado o Quinto.
  • 20. MINERAÇÃO NO BRASIL Antiga Intendência e Casa de fundição (Museu do Ouro), Sabará. Casa de fundição de Ouro Preto (MG)
  • 21. • Após a descoberta das minas no sudeste e centro- oeste da colônia, a capital transferiu-se de Salvador para o Rio de Janeiro, essa medida foi para aumentar o controle administrativo. • O ouro era transportado através de cavalos e escravos até o porto da nova capital.
  • 22. (UFV-MG) "O ouro brasileiro deixou buracos no Brasil, templos em Portugal e fábricas na Inglaterra." (Eduardo Galeano) Explique de que forma os fatos contidos na frase anterior estão relacionados historicamente.
  • 23. Revoltas ocorridas em decorrência da exploração aurífera e das medidas da Coroa portuguesa: • Guerra dos Emboabas – 1708/09 • Revolta de Vila Rica – 1710 • Inconfidência Mineira - 1789
  • 24. Guerra dos Emboabas A Guerra dos Emboabas foi a insatisfação dos paulistas, que encontraram as jazidas e acreditavam ter o monopólio da extração, com as pessoas vindas de outros lugares. Resultados: Portugal interferiu e as consequências foram a criação da capitania de Minas Gerais e a saída dos paulistas para Goiás e Mato Grosso, onde também encontraram ouro.
  • 25. Revolta de Vila Rica A Revolta de Vila Rica, foi a reação contra a criação das Casas de Fundição, liderados por Felipe dos Santos. Resultados: o movimento foi sufocado pelas tropas reais e seu líder condenado, executado e esquartejado.
  • 26. • A exploração contínua levou o ouro a entrar em crise e ficou difícil pagar as tributações da Coroa, o risco de sofrer a derrama era constante. • Além dessas questões, a proibição de manufaturas e a crescente dívida com Portugal motivaram a elite e pensadores a organizarem o movimento contra essa política e a favor da independência, a Inconfidência Mineira.
  • 27. Inconfidência Mineira A insatisfação dos mineiros com a exploração da metrópole fez brotar o sentimento de liberdade e independência.
  • 28. Inconfidência Mineira O movimento foi realizado por elementos da elite intelectual e econômica de Vila Rica, movidos pelas idéias de liberdade e autonomia. Resultados: o movimento foi reprimido violentamente, sendo os principais líderes presos e degredados, enquanto Tiradentes foi enforcado para servir de exemplo.
  • 29. Consequências da mineração no Brasil • Expansão territorial; • Crescimento populacional; • Desenvolvimento do comércio interno; • Transferência do pólo econômico e social para o interior; • Transferência da capital para o Rio de Janeiro, em 1763; • Surgimento de cidades; • Criação da capitania de Minas Gerais.