SlideShare uma empresa Scribd logo
Revolução
Francesa
Prof.ª Isabel Aguiar
1. Sua importância
• A revolução marcou a passado do mundo moderno
para o contemporâneo
• Influência dos ideais:
 Liberdade
 Igualdade
 Fraternidade
Impactos:
• Politicamente:
 Fim do absolutismo
• Socialmente:
 Alteração nos grupos sociais e de poder
 Fim do feudalismo
• Econômico:
 Era do capitalismo industrial
2. Antecedentes
• Enquanto os reis de outras nações europeias eram influenciados
pelas ideias do iluminismo
 Na França o absolutismo prevaleceu
• As condições socioeconômicos da nação não permitiam mais a
manutenção desse sistema (absolutismo)
 Tensões internas dos grupos sociais
• Na Inglaterra, a Revolução Industrial provocou muitas mudanças
na sociedade
 Cidades cresciam e aumentava a produção fabril
• Na França: 80% dos habitantes estavam diretamente ligados ao
campo
Início do processo revolucionário:
• Tempos difíceis:
 Problemas agrícolas (clima e aumento do preço)
 Vida urbana difícil (não havia oferte de empregos)
 Cofres públicos estavam esgotados (nação francesa tinha muitas
dívidas)
Apoio na independência das Treze Colônias Inglesas da América
• França “ajudou” financeiramente a independência
• Os gastos com essa “ajuda” tornaram a situação financeira interna
muito difícil – Resultado:
Aumento da carga tributária:
Os pobres já pagavam demais e não tinha como elevar as taxas
ainda mais. Como resolver?
Incluir classes privilegiadas no
sistema de pagamento de imposto
Divisão da sociedade pré-revolução
o PRIMEIRO ESTADO:
• Alto clero – altos cargos eclesiásticos, bispos, enorme poder
econômico e político (protegidos pelo rei)
• Baixo clero – padres de paróquias mais humildes
o SEGUNDO ESTADO
• Nobreza
• nobreza cortesã – pessoas que viviam em torno do rei
• nobreza provincial – nobres que viviam nas províncias
• nobreza de toga – burgueses ricos que compravam títulos
de nobreza
o TERCEIRO ESTADO
• Alta burguesia: banqueiros, grandes empresários
• Média burguesia: médicos, advogados, professores
• Pequena burguesia: pequenos comerciantes e artesãos – “sans-culotte”
• Camponeses – trabalhadores rurais
• Independente das diferenças entre o Primeiro e o Segundo estado, seus
membros mantinham alguns interesses em comum:
Carga tributária
• Mesmo representando a parte da sociedade que mais teria condições de colaborar
com tributos, estavam dispensados dessa obrigação!
• Representavam cerce de 2% de uma população de 25 milhões.
• Faziam sua vontade prevalecer na sociedade francesa
Pirâmide social pré-revolução
• Situação:
 Miséria e fome
 Crise no setor têxtil
 Crise nas finanças públicas – maior cobrança de impostos da burguesia
 Terceiro Estado sustentava economicamente, por meio do pagamento de
impostos, os outros dois Estados. Ao mesmo tempo, era ignorado nas decisões
políticas.
• Os membros do Terceiro Estado passaram a reivindicar a igualdade de todos os setores:
• Combater o absolutismo
• Reestruturação no Estado que favorecesse o desenvolvimento do
capitalismo
• A excessiva intervenção na economia
• Acabar com os privilégios da nobreza e do clero
3. A Fase Aristocrática
• Em 1786, governo francês assinou um tratado que “piorou a sua
situação”:
 Os franceses garantem a entrada de produtos ingleses e vice-versa
 A indústria francesa não conseguiu concorrer com a qualidade do produto
inglês
• Para “melhorar” a situação, o rei (Luís XVI) determinou o início de
um processo de reforma:
 Cobrar impostos dos que não contribuíam anteriormente
• Após muitos conflitos e brigas por parte do primeiro e segundo
estado, ocorreu a convocação da Assembleia dos Estados Gerais:
(representantes dos três estados se reuniram para solucionar o problema)
RESULTADO:
• A convocação não teve bons resultados e o terceiro
estado demonstrou interesse em elaborar uma
constituição
(reunião de uma Assembleia Nacional Constituinte)
• O rei foi obrigado a ceder e ordenou ao clero e à nobreza
(primeiro e segundo estado) que se juntassem ao
terceiro estado
4. A Fase Burguesa
• A Assembleia Nacional Constituinte reuniu-se de
meados de 1789 a 1871
• Rapidamente a burguesia tomou consciência de que
as intenções do rei não eram a de submissão para
uma nova constituição
• Burguesia toma uma atitude radical:
 Queda da Bastilha (14 de julho de 1789)
 Uma multidão invadiu e tomou a
prisão da Bastilha (símbolo do
poder absoluto do rei).
 Libertaram os presos (inimigos
políticos da monarquia francesa)
 Se apropriaram das armas
 Diante da enorme manifestação
popular o rei reconheceu a
legitimidade da Assembleia
Nacional Constituinte
Tomada da Bastilha
• A Assembleia Nacional Constituinte foi forçada a tomar
medidas imediatas para acalmar o ânimo dos grupos
revolucionários.
• Massacre aos nobres e tomada de seus bens.
• Castigo aos nobres: tortura, enforcamento.
 Esses episódios ficaram conhecidos como Grande Medo
• Medidas:
o Fim dos direitos senhoriais sobre os camponeses
o Fim dos privilégios tributários do clero e da nobreza
o Extinção do regime feudal na França
o Redução do poder clero
 A Assembleia Nacional Constituinte confiscou terras da Igreja e
subordinou o clero à autoridade do Estado.
• Pouco mais de um mês do famoso “14 de julho”, a
Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão foi
aprovada:
 Documento considerado o símbolo máximo da ideologia sobre a qual se
estabelecem os direitos de liberdade e igualdade para o ser humano
 Respeito pela dignidade das pessoas
 Liberdade e igualdade dos cidadãos
 Direito à propriedade individual
 Direito de resistência à opressão
política
 Liberdade de pensamento e opinião
• Fim da monarquia
 22 de setembro de 1792: início da República
 O rei foi preso e acusado de traição
• O Terceiro Estado assumiu o poder efetivamente:
 Formação da “Convenção Nacional”
 Divisão em três grupos:
1º) Lado direito: girondinos (alta burguesia)
2º) Centro: planície (grupo sem posição política definida)
3º) Lado esquerdo: jacobinos (média e pequena burguesia; proletariado rural e urbano)
• O sistema republicano exigia uma nova Constituição
 A Convenção Nacional deveria elaborar
5. A Fase Republicana e o “período do terror”
• Em junho de 1793, tem início a REPÚBLICA JACOBINA (“o Terror”)
 Os sans-culottes e os jacobinos, invadiram a Convenção e prenderam os líderes
girondinos
 O rei foi julgado e condenado à morte – guilhotina
República Jacobina (junho de 1793 – julho de 1794)
• Criação do Tribunal Revolucionário, que julgava os
opositores da Revolução e condenava-os à morte
na guilhotina;
• Houve a criação do ensino público e gratuito,
abolição da escravidão nas colônias, tabelamento
dos preços dos alimentos;
• Os jacobinos perderam popularidade por causa do
terror e, graças a um golpe, os girondinos voltam ao
poder na França (Golpe de 9 Termidor).
• O fim do “período do terror” deu lugar à fase da reação
termidoriana
• Promulgação de uma nova Constituição, que estabelecia que o
Poder Executivo seria exercido pelo Diretório, além do retorno do
voto censitário.
 Diretório: cinco pessoas que exercem o poder executivo
 Censitário: dar direito de voto somente a pessoas com certa condição financeira.
• Em agosto de 1795, foi criado o Diretório - Esta fase encerrou em 1799.
• A crise econômica agravava-se a cada dia, a corrupção aumentava e faltavam
alimentos. Com o passar do tempo, o governo do Diretório foi ficando cada vez
mais enfraquecido.
6. A Reação da Alta Burguesia
• Com a França imersa no caos, e sob a ameaça de ataques internos e
externos, a burguesia articulou entregar o poder a alguém influente e
poderoso.
• Esse alguém foi o jovem general Napoleão Bonaparte, que, a partir de
1799, começou a governar a França.
• Para consolidar sua República burguesa, os girondinos apoiaram o Golpe
do 18 Brumário (Bonaparte derrubou o Diretório e instituiu o Consulado).
1ª fase: Assembleia Nacional
Constituinte (1789-91)
2ª fase: A Convenção (1792-93)
3ª fase: O Diretório (1795-99)
 Reação termidoriana (1794-95)
Fases da Revolução Francesa
Fim ! 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Vinda Da Familia Real Para O Brasil
Vinda Da Familia Real Para O BrasilVinda Da Familia Real Para O Brasil
Vinda Da Familia Real Para O Brasil
henrique.jay
 
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASILABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
Isabel Aguiar
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
Edenilson Morais
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
Stefânia Balestero
 
Brasil imperial
Brasil imperialBrasil imperial
Brasil imperial
Vivihistoria
 
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução IndustrialDas Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Douglas Barraqui
 
A transferência da corte portuguesa para o Brasil
A transferência da corte portuguesa para o BrasilA transferência da corte portuguesa para o Brasil
A transferência da corte portuguesa para o Brasil
Edenilson Morais
 
00 revolução russa – 9º ano sj
00 revolução russa – 9º ano sj00 revolução russa – 9º ano sj
00 revolução russa – 9º ano sj
Rafael Noronha
 
9. revolução inglesa
9. revolução inglesa9. revolução inglesa
9. revolução inglesa
José Augusto Fiorin
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
Marcos Oliveira
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
Portal do Vestibulando
 
Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Segundo Reinado
Portal do Vestibulando
 
Era napoleonica
Era napoleonicaEra napoleonica
Era napoleonica
Isabel Aguiar
 
Independencia dos Estados Unidos
Independencia dos Estados UnidosIndependencia dos Estados Unidos
Independencia dos Estados Unidos
Slides de Tudo
 
Brasil Período Joanino
Brasil Período JoaninoBrasil Período Joanino
Brasil Período Joanino
dmflores21
 
A vinda da familia real e a independência do brasil
A vinda da familia real e a independência do brasilA vinda da familia real e a independência do brasil
A vinda da familia real e a independência do brasil
Janayna Lira
 
A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados Nacionais
Douglas Barraqui
 
O fim da escravidão negra no brasil
O fim da escravidão negra no brasilO fim da escravidão negra no brasil
O fim da escravidão negra no brasil
Nome Sobrenome
 
Revoltas coloniais
Revoltas coloniaisRevoltas coloniais
Revoltas coloniais
Rayan Gomes
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
Douglas Barraqui
 

Mais procurados (20)

Vinda Da Familia Real Para O Brasil
Vinda Da Familia Real Para O BrasilVinda Da Familia Real Para O Brasil
Vinda Da Familia Real Para O Brasil
 
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASILABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
 
Brasil imperial
Brasil imperialBrasil imperial
Brasil imperial
 
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução IndustrialDas Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
 
A transferência da corte portuguesa para o Brasil
A transferência da corte portuguesa para o BrasilA transferência da corte portuguesa para o Brasil
A transferência da corte portuguesa para o Brasil
 
00 revolução russa – 9º ano sj
00 revolução russa – 9º ano sj00 revolução russa – 9º ano sj
00 revolução russa – 9º ano sj
 
9. revolução inglesa
9. revolução inglesa9. revolução inglesa
9. revolução inglesa
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
 
Segundo Reinado
Segundo ReinadoSegundo Reinado
Segundo Reinado
 
Era napoleonica
Era napoleonicaEra napoleonica
Era napoleonica
 
Independencia dos Estados Unidos
Independencia dos Estados UnidosIndependencia dos Estados Unidos
Independencia dos Estados Unidos
 
Brasil Período Joanino
Brasil Período JoaninoBrasil Período Joanino
Brasil Período Joanino
 
A vinda da familia real e a independência do brasil
A vinda da familia real e a independência do brasilA vinda da familia real e a independência do brasil
A vinda da familia real e a independência do brasil
 
A Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados NacionaisA Formação dos Estados Nacionais
A Formação dos Estados Nacionais
 
O fim da escravidão negra no brasil
O fim da escravidão negra no brasilO fim da escravidão negra no brasil
O fim da escravidão negra no brasil
 
Revoltas coloniais
Revoltas coloniaisRevoltas coloniais
Revoltas coloniais
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
 

Destaque

Período Imperial - História do Brasil
Período Imperial - História do BrasilPeríodo Imperial - História do Brasil
Período Imperial - História do Brasil
Diana Figueiredo
 
Brasil Império (Primeiro Reinado / Regências / Segundo Reinado)
Brasil Império (Primeiro Reinado / Regências / Segundo Reinado)Brasil Império (Primeiro Reinado / Regências / Segundo Reinado)
Brasil Império (Primeiro Reinado / Regências / Segundo Reinado)
profrogerio1
 
Slides revolução francesa
Slides revolução francesaSlides revolução francesa
Slides revolução francesa
profalced04
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
Lucas Nunes de Souza
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
edna2
 
Ficha de Avaliação - 6º Ano - As Invasões Francesas/ A revolução Liberal de 1822
Ficha de Avaliação - 6º Ano - As Invasões Francesas/ A revolução Liberal de 1822Ficha de Avaliação - 6º Ano - As Invasões Francesas/ A revolução Liberal de 1822
Ficha de Avaliação - 6º Ano - As Invasões Francesas/ A revolução Liberal de 1822
maria.antonia
 
1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo
cruchinho
 

Destaque (7)

Período Imperial - História do Brasil
Período Imperial - História do BrasilPeríodo Imperial - História do Brasil
Período Imperial - História do Brasil
 
Brasil Império (Primeiro Reinado / Regências / Segundo Reinado)
Brasil Império (Primeiro Reinado / Regências / Segundo Reinado)Brasil Império (Primeiro Reinado / Regências / Segundo Reinado)
Brasil Império (Primeiro Reinado / Regências / Segundo Reinado)
 
Slides revolução francesa
Slides revolução francesaSlides revolução francesa
Slides revolução francesa
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
Ficha de Avaliação - 6º Ano - As Invasões Francesas/ A revolução Liberal de 1822
Ficha de Avaliação - 6º Ano - As Invasões Francesas/ A revolução Liberal de 1822Ficha de Avaliação - 6º Ano - As Invasões Francesas/ A revolução Liberal de 1822
Ficha de Avaliação - 6º Ano - As Invasões Francesas/ A revolução Liberal de 1822
 
1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo
 

Semelhante a Slide revolução francesa

Revolução Francesa - Completo
Revolução Francesa - CompletoRevolução Francesa - Completo
Revolução Francesa - Completo
Aline Oliveira
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
Marcelo Ferreira Boia
 
As fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profneliaAs fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profnelia
historiando
 
As fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profneliaAs fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profnelia
historiando
 
As fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profneliaAs fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profnelia
Nelia Salles Nantes
 
Revolução francesa. liberdade igualdade fraternidade
Revolução francesa. liberdade  igualdade  fraternidadeRevolução francesa. liberdade  igualdade  fraternidade
Revolução francesa. liberdade igualdade fraternidade
Ricardo Diniz campos
 
Revolução francesa.liberdade igualde fraternidade
Revolução francesa.liberdade igualde fraternidadeRevolução francesa.liberdade igualde fraternidade
Revolução francesa.liberdade igualde fraternidade
Ricardo Diniz campos
 
Revolução francesa - Prof. Elvis John
Revolução francesa - Prof. Elvis JohnRevolução francesa - Prof. Elvis John
Revolução francesa - Prof. Elvis John
ElvisJohnR
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
alunoitv
 
Historia
HistoriaHistoria
Historia
nadinefs
 
REVOLUÇÃO FRANCESA
REVOLUÇÃO FRANCESAREVOLUÇÃO FRANCESA
REVOLUÇÃO FRANCESA
FelipeBicudo1
 
REVOLUÇÃO FRANCESA.pptxmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm
REVOLUÇÃO FRANCESA.pptxmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmREVOLUÇÃO FRANCESA.pptxmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm
REVOLUÇÃO FRANCESA.pptxmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm
AdrianiSaleteMokfaPa
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
MarceloFreitas
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
Nelia Salles Nantes
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
Nelia Salles Nantes
 
Resumo revolucao francesa
Resumo revolucao francesaResumo revolucao francesa
Resumo revolucao francesa
David Muniz
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolucao francesa
Revolucao francesaRevolucao francesa
Revolucao francesa
mesmoeumesmo
 
Apostilabjutfourdhutsvhtdtuibfringgujjft
ApostilabjutfourdhutsvhtdtuibfringgujjftApostilabjutfourdhutsvhtdtuibfringgujjft
Apostilabjutfourdhutsvhtdtuibfringgujjft
science0philosophy
 
História 11ºano ( matéria do 1º período)
 História 11ºano ( matéria do 1º período) História 11ºano ( matéria do 1º período)
História 11ºano ( matéria do 1º período)
Andreia Pacheco
 

Semelhante a Slide revolução francesa (20)

Revolução Francesa - Completo
Revolução Francesa - CompletoRevolução Francesa - Completo
Revolução Francesa - Completo
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
As fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profneliaAs fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profnelia
 
As fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profneliaAs fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profnelia
 
As fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profneliaAs fases da revolução francesa profnelia
As fases da revolução francesa profnelia
 
Revolução francesa. liberdade igualdade fraternidade
Revolução francesa. liberdade  igualdade  fraternidadeRevolução francesa. liberdade  igualdade  fraternidade
Revolução francesa. liberdade igualdade fraternidade
 
Revolução francesa.liberdade igualde fraternidade
Revolução francesa.liberdade igualde fraternidadeRevolução francesa.liberdade igualde fraternidade
Revolução francesa.liberdade igualde fraternidade
 
Revolução francesa - Prof. Elvis John
Revolução francesa - Prof. Elvis JohnRevolução francesa - Prof. Elvis John
Revolução francesa - Prof. Elvis John
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Historia
HistoriaHistoria
Historia
 
REVOLUÇÃO FRANCESA
REVOLUÇÃO FRANCESAREVOLUÇÃO FRANCESA
REVOLUÇÃO FRANCESA
 
REVOLUÇÃO FRANCESA.pptxmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm
REVOLUÇÃO FRANCESA.pptxmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmREVOLUÇÃO FRANCESA.pptxmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm
REVOLUÇÃO FRANCESA.pptxmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
 
Resumo revolucao francesa
Resumo revolucao francesaResumo revolucao francesa
Resumo revolucao francesa
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Revolucao francesa
Revolucao francesaRevolucao francesa
Revolucao francesa
 
Apostilabjutfourdhutsvhtdtuibfringgujjft
ApostilabjutfourdhutsvhtdtuibfringgujjftApostilabjutfourdhutsvhtdtuibfringgujjft
Apostilabjutfourdhutsvhtdtuibfringgujjft
 
História 11ºano ( matéria do 1º período)
 História 11ºano ( matéria do 1º período) História 11ºano ( matéria do 1º período)
História 11ºano ( matéria do 1º período)
 

Mais de Isabel Aguiar

Astecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e TupisAstecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e Tupis
Isabel Aguiar
 
A GUERRA FRIA
A GUERRA FRIAA GUERRA FRIA
A GUERRA FRIA
Isabel Aguiar
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
Isabel Aguiar
 
A marcha da colonização da América Portuguesa
A marcha da colonização da América PortuguesaA marcha da colonização da América Portuguesa
A marcha da colonização da América Portuguesa
Isabel Aguiar
 
EUA E EUROPA NO SÉCULO XIX
EUA E EUROPA NO SÉCULO  XIXEUA E EUROPA NO SÉCULO  XIX
EUA E EUROPA NO SÉCULO XIX
Isabel Aguiar
 
Eua séc XIX
Eua séc XIXEua séc XIX
Eua séc XIX
Isabel Aguiar
 
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAISEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
Isabel Aguiar
 
REGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASILREGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASIL
Isabel Aguiar
 
Quiz Historia
Quiz Historia Quiz Historia
Quiz Historia
Isabel Aguiar
 
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASILEMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
Isabel Aguiar
 
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIALSEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
Isabel Aguiar
 
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLAINDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
Isabel Aguiar
 
Revolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era NapoleonicaRevolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era Napoleonica
Isabel Aguiar
 
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUAINDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
Isabel Aguiar
 
ILUMINISMO SÉCULO XVIII
ILUMINISMO SÉCULO XVIIIILUMINISMO SÉCULO XVIII
ILUMINISMO SÉCULO XVIII
Isabel Aguiar
 
Slide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 anoSlide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 ano
Isabel Aguiar
 
Slide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historiaSlide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historia
Isabel Aguiar
 
AFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASILAFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASIL
Isabel Aguiar
 
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
Isabel Aguiar
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
Isabel Aguiar
 

Mais de Isabel Aguiar (20)

Astecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e TupisAstecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e Tupis
 
A GUERRA FRIA
A GUERRA FRIAA GUERRA FRIA
A GUERRA FRIA
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
 
A marcha da colonização da América Portuguesa
A marcha da colonização da América PortuguesaA marcha da colonização da América Portuguesa
A marcha da colonização da América Portuguesa
 
EUA E EUROPA NO SÉCULO XIX
EUA E EUROPA NO SÉCULO  XIXEUA E EUROPA NO SÉCULO  XIX
EUA E EUROPA NO SÉCULO XIX
 
Eua séc XIX
Eua séc XIXEua séc XIX
Eua séc XIX
 
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAISEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
 
REGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASILREGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASIL
 
Quiz Historia
Quiz Historia Quiz Historia
Quiz Historia
 
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASILEMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
 
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIALSEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
 
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLAINDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
 
Revolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era NapoleonicaRevolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era Napoleonica
 
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUAINDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
 
ILUMINISMO SÉCULO XVIII
ILUMINISMO SÉCULO XVIIIILUMINISMO SÉCULO XVIII
ILUMINISMO SÉCULO XVIII
 
Slide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 anoSlide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 ano
 
Slide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historiaSlide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historia
 
AFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASILAFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASIL
 
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
 

Último

Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 

Último (20)

Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 

Slide revolução francesa

  • 2. 1. Sua importância • A revolução marcou a passado do mundo moderno para o contemporâneo • Influência dos ideais:  Liberdade  Igualdade  Fraternidade
  • 3. Impactos: • Politicamente:  Fim do absolutismo • Socialmente:  Alteração nos grupos sociais e de poder  Fim do feudalismo • Econômico:  Era do capitalismo industrial
  • 4. 2. Antecedentes • Enquanto os reis de outras nações europeias eram influenciados pelas ideias do iluminismo  Na França o absolutismo prevaleceu • As condições socioeconômicos da nação não permitiam mais a manutenção desse sistema (absolutismo)  Tensões internas dos grupos sociais • Na Inglaterra, a Revolução Industrial provocou muitas mudanças na sociedade  Cidades cresciam e aumentava a produção fabril • Na França: 80% dos habitantes estavam diretamente ligados ao campo
  • 5. Início do processo revolucionário: • Tempos difíceis:  Problemas agrícolas (clima e aumento do preço)  Vida urbana difícil (não havia oferte de empregos)  Cofres públicos estavam esgotados (nação francesa tinha muitas dívidas)
  • 6. Apoio na independência das Treze Colônias Inglesas da América • França “ajudou” financeiramente a independência • Os gastos com essa “ajuda” tornaram a situação financeira interna muito difícil – Resultado: Aumento da carga tributária: Os pobres já pagavam demais e não tinha como elevar as taxas ainda mais. Como resolver? Incluir classes privilegiadas no sistema de pagamento de imposto
  • 7. Divisão da sociedade pré-revolução o PRIMEIRO ESTADO: • Alto clero – altos cargos eclesiásticos, bispos, enorme poder econômico e político (protegidos pelo rei) • Baixo clero – padres de paróquias mais humildes o SEGUNDO ESTADO • Nobreza • nobreza cortesã – pessoas que viviam em torno do rei • nobreza provincial – nobres que viviam nas províncias • nobreza de toga – burgueses ricos que compravam títulos de nobreza
  • 8. o TERCEIRO ESTADO • Alta burguesia: banqueiros, grandes empresários • Média burguesia: médicos, advogados, professores • Pequena burguesia: pequenos comerciantes e artesãos – “sans-culotte” • Camponeses – trabalhadores rurais • Independente das diferenças entre o Primeiro e o Segundo estado, seus membros mantinham alguns interesses em comum: Carga tributária • Mesmo representando a parte da sociedade que mais teria condições de colaborar com tributos, estavam dispensados dessa obrigação! • Representavam cerce de 2% de uma população de 25 milhões. • Faziam sua vontade prevalecer na sociedade francesa
  • 10.
  • 11. • Situação:  Miséria e fome  Crise no setor têxtil  Crise nas finanças públicas – maior cobrança de impostos da burguesia  Terceiro Estado sustentava economicamente, por meio do pagamento de impostos, os outros dois Estados. Ao mesmo tempo, era ignorado nas decisões políticas. • Os membros do Terceiro Estado passaram a reivindicar a igualdade de todos os setores: • Combater o absolutismo • Reestruturação no Estado que favorecesse o desenvolvimento do capitalismo • A excessiva intervenção na economia • Acabar com os privilégios da nobreza e do clero
  • 12. 3. A Fase Aristocrática • Em 1786, governo francês assinou um tratado que “piorou a sua situação”:  Os franceses garantem a entrada de produtos ingleses e vice-versa  A indústria francesa não conseguiu concorrer com a qualidade do produto inglês • Para “melhorar” a situação, o rei (Luís XVI) determinou o início de um processo de reforma:  Cobrar impostos dos que não contribuíam anteriormente • Após muitos conflitos e brigas por parte do primeiro e segundo estado, ocorreu a convocação da Assembleia dos Estados Gerais: (representantes dos três estados se reuniram para solucionar o problema)
  • 13. RESULTADO: • A convocação não teve bons resultados e o terceiro estado demonstrou interesse em elaborar uma constituição (reunião de uma Assembleia Nacional Constituinte) • O rei foi obrigado a ceder e ordenou ao clero e à nobreza (primeiro e segundo estado) que se juntassem ao terceiro estado
  • 14. 4. A Fase Burguesa • A Assembleia Nacional Constituinte reuniu-se de meados de 1789 a 1871 • Rapidamente a burguesia tomou consciência de que as intenções do rei não eram a de submissão para uma nova constituição • Burguesia toma uma atitude radical:  Queda da Bastilha (14 de julho de 1789)
  • 15.  Uma multidão invadiu e tomou a prisão da Bastilha (símbolo do poder absoluto do rei).  Libertaram os presos (inimigos políticos da monarquia francesa)  Se apropriaram das armas  Diante da enorme manifestação popular o rei reconheceu a legitimidade da Assembleia Nacional Constituinte Tomada da Bastilha
  • 16. • A Assembleia Nacional Constituinte foi forçada a tomar medidas imediatas para acalmar o ânimo dos grupos revolucionários. • Massacre aos nobres e tomada de seus bens. • Castigo aos nobres: tortura, enforcamento.  Esses episódios ficaram conhecidos como Grande Medo
  • 17. • Medidas: o Fim dos direitos senhoriais sobre os camponeses o Fim dos privilégios tributários do clero e da nobreza o Extinção do regime feudal na França o Redução do poder clero  A Assembleia Nacional Constituinte confiscou terras da Igreja e subordinou o clero à autoridade do Estado.
  • 18. • Pouco mais de um mês do famoso “14 de julho”, a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão foi aprovada:  Documento considerado o símbolo máximo da ideologia sobre a qual se estabelecem os direitos de liberdade e igualdade para o ser humano  Respeito pela dignidade das pessoas  Liberdade e igualdade dos cidadãos  Direito à propriedade individual  Direito de resistência à opressão política  Liberdade de pensamento e opinião
  • 19. • Fim da monarquia  22 de setembro de 1792: início da República  O rei foi preso e acusado de traição • O Terceiro Estado assumiu o poder efetivamente:  Formação da “Convenção Nacional”  Divisão em três grupos: 1º) Lado direito: girondinos (alta burguesia) 2º) Centro: planície (grupo sem posição política definida) 3º) Lado esquerdo: jacobinos (média e pequena burguesia; proletariado rural e urbano) • O sistema republicano exigia uma nova Constituição  A Convenção Nacional deveria elaborar 5. A Fase Republicana e o “período do terror”
  • 20. • Em junho de 1793, tem início a REPÚBLICA JACOBINA (“o Terror”)  Os sans-culottes e os jacobinos, invadiram a Convenção e prenderam os líderes girondinos  O rei foi julgado e condenado à morte – guilhotina República Jacobina (junho de 1793 – julho de 1794) • Criação do Tribunal Revolucionário, que julgava os opositores da Revolução e condenava-os à morte na guilhotina; • Houve a criação do ensino público e gratuito, abolição da escravidão nas colônias, tabelamento dos preços dos alimentos; • Os jacobinos perderam popularidade por causa do terror e, graças a um golpe, os girondinos voltam ao poder na França (Golpe de 9 Termidor).
  • 21. • O fim do “período do terror” deu lugar à fase da reação termidoriana • Promulgação de uma nova Constituição, que estabelecia que o Poder Executivo seria exercido pelo Diretório, além do retorno do voto censitário.  Diretório: cinco pessoas que exercem o poder executivo  Censitário: dar direito de voto somente a pessoas com certa condição financeira. • Em agosto de 1795, foi criado o Diretório - Esta fase encerrou em 1799. • A crise econômica agravava-se a cada dia, a corrupção aumentava e faltavam alimentos. Com o passar do tempo, o governo do Diretório foi ficando cada vez mais enfraquecido. 6. A Reação da Alta Burguesia
  • 22. • Com a França imersa no caos, e sob a ameaça de ataques internos e externos, a burguesia articulou entregar o poder a alguém influente e poderoso. • Esse alguém foi o jovem general Napoleão Bonaparte, que, a partir de 1799, começou a governar a França. • Para consolidar sua República burguesa, os girondinos apoiaram o Golpe do 18 Brumário (Bonaparte derrubou o Diretório e instituiu o Consulado).
  • 23. 1ª fase: Assembleia Nacional Constituinte (1789-91) 2ª fase: A Convenção (1792-93) 3ª fase: O Diretório (1795-99)  Reação termidoriana (1794-95) Fases da Revolução Francesa