SlideShare uma empresa Scribd logo
Renovando Atitudes!
Leonardo Pereira
Ser Feliz
“... Assim, pois, aqueles que
pregam ser a Terra a única
morada do homem, e que
só nela, e numa só
existência, lhe é permitido
atingir o mais alto grau das
felicidades que a sua
natureza comporta, iludem-
se e enganam aqueles que
os escutam...”
Evangelho Capítulo 5, item 20
Ser feliz não é uma
questão de circunstância,
de estarmos sozinhos ou
acompanhados pelos
outros, porém de uma
atitude comportamental
em face
das tarefas que viemos
desempenhar na Terra.
Ser Feliz
Evangelho Capítulo 5, item 20
Nossa felicidade baseia-se
numa adaptação satisfatória à
nossa vida social, familiar,
psíquica e espiritual, bem como
numa capacidade de
ajustamento às diversas
situações vivenciais.
Felicidade não é simplesmente
a realização de todos os nossos
desejos; é antes a noção de que
podemos nos satisfazer com
nossas reais possibilidades.
Ser Feliz
Evangelho Capítulo 5, item 20
Tua medida
Em razão disso, os
frequentes julgamentos que
fazemos em relação às
outras pessoas nos
informam sobre tudo aquilo
que temos por dentro.
Explicando melhor, a
“forma” e o “material”
utilizados para sentenciar os
outros residem dentro de
nós.
Evangelho - Capítulo 10, item 11
Tua medida
Julgar uma ação é diferente de
julgar a criatura.
Posso julgar e considerar a
prostituição moralmente errada,
mas não posso e não devo julgar
a pessoa prostituída.
Ao usarmos da empatia,
colocando-nos no lugar do outro,
“sentindo e pensando com ele”,
em vez de “pensar a respeito
dele”, teremos o comportamento
ideal diante dos atos e atitudes
das pessoas.
Evangelho - Capítulo 10, item 11
A verdade
“... Pilatos, então, lhe
disse: Sois, pois, rei?
Jesus lhe replicou: Vós o
dissestes; eu sou rei; eu
não nasci nem vim a este
mundo senão para
testemunhar a verdade;
qualquer que pertença à
verdade escuta minha
voz.”
Evangelho - Capítulo 2, item 1
Não vemos a verdade, conforme
afirmou Jesus Cristo, porque nossa
mente trabalha sem estar ligada
aos nossos sentidos e emoções
mais profundos.
As ilusões nos impedem que
realmente tenhamos os olhos de
ver, e porque não buscamos a
verdade projetamos nos outros o
que não podemos aceitar como
nosso.
Tentamos nos livrar de nossos
próprios sentimentos atribuindo-
os a outras pessoas.
A verdade
Evangelho - Capítulo 2, item 1
Adão disse a Deus: “Eu não
pequei, a culpa foi da mulher que
me tentou”.
Eva se desculpa perante o
Criador: “Toda a discórdia
ocorrida cabe à maldita
serpente”.
Assim somos todos nós. Quando
desconhecemos os traços de
nossa personalidade,
condenamos fortemente e
responsabilizamos os outros por
aquilo que não podemos admitir
em nós próprios.
A verdade
Evangelho - Capítulo 2, item 1
Maneiras erradas de se ver a
sexualidade, a religião, o
casamento, as raças e as
profissões distanciam-nos cada
vez mais da realidade das
situações e das criaturas com as
quais convivemos.
Em vista disso, procuremos
sintonizar-nos com os olhos
espirituais, porquanto nossa
percepção intuitiva é mais ampla e
precisa que a visão física.
E abramos as comportas de nossa
alma, para que captemos as
inspirações divinas que deliberam
a vida em toda parte.
A verdade
Evangelho - Capítulo 2, item 1
Olhando para trás
“... Tal é aquele que tendo
feito mal sua tarefa, pede para
recomeçá-la afim de não
perder o benefício do seu
trabalho...”
“... Rendamos graças a Deus
que, na sua bondade, concede
ao homem a faculdade da
reparação e não o condena
irrevogavelmente pela
primeira falta.”
Evangelho - Capítulo 5, item 8
Olhando para trás
Culpa quer dizer paralisação das
nossas oportunidades de
crescimento no presente em
consequência da nossa fixação
doentia em comportamentos do
passado.
Quem se sente culpado se julga
em “peccatum”, palavra latina
que quer dizer “pecado ou
culpa”. Logo, todos nós vestimos
a densa capa da culpa desde a
mais tenra infância.
Evangelho - Capítulo 5, item 8
Olhando para trás
Esquecem-se, no entanto, de
que o Criador da Vida é
infinita Bondade e
Compreensão e que sempre
vê com os “olhos do amor”,
nunca punindo suas criaturas;
na realidade, são elas
mesmas que se
autopenalizam.
Por não se renovarem nas
oportunidades do livre-
arbítrio e por ficarem, no
presente, agarradas aos erros
do passado.
Evangelho - Capítulo 5, item 8
A todo momento, fazemos o
melhor que podemos fazer,
por estarmos agindo e
reagindo de acordo com nosso
“senso de realidade”.
O “arrependimento” resulta do
quanto sabíamos fazer melhor
e não o fizemos, enquanto que
a culpa é, invariavelmente, a
exigência de que deveríamos
ter feito algo, porém não o
fizemos por ignorância ou
impotência.
Olhando para trás
Evangelho - Capítulo 5, item 8
Tempo certo
“... Aquele que semeia saiu a
semear; e, enquanto
semeava, uma parte da
semente caiu ao longo do
caminho...”
“... Mas aquele que recebe a
semente numa boa terra é
aquele que escuta a palavra,
que lhe presta atenção e que
dá fruto, e rende cento, ou
sessenta, ou trinta por um.”
Evangelho - Capítulo 17, item 5
Tempo certo
Na vida, não existe antecipação
nem adiamento, somente o
tempo propício de cada um.
A humanidade, em geral, recebe
as sementes do crescimento
espiritual a todo o instante.
Constantemente, a “Organização
Divina” emite ideias de progresso
e desenvolvimento, devendo
cada indivíduo absorver a
sementeira de acordo com suas
possibilidades e habilidades
existenciais.
Evangelho - Capítulo 17, item 5
Tempo certo
Jesus, por compreender a imensa
multiformidade evolucional dos
homens, exemplificou nessa parábola
a “dissemelhança” das criaturas...
....As que caíram ao longo do
caminho, e os pássaros as comeram,
representam as pessoas de
mentalidade bloqueada e restringida,
que recusam todas as possibilidades
de conhecimento que as conteste, ou
mesmo, qualquer forma que venha
modificar sua vida ou interferir em
seus horizontes existenciais.
Evangelho - Capítulo 17, item 5
Tempo certo
Outras sementes caíram em
lugares pedregosos, onde não
havia muita terra, mas logo
brotaram.
Ao surgir o sol, queimaram-se
porque a terra era escassa e suas
raízes não eram suficientemente
profundas.
Foram logo ressecadas porque não
suportaram o “calor da prova”; e,
por serem qualificadas como
pessoas de convicção “flutuante”,
torraram rapidamente seus
projetos e intenções.
Evangelho - Capítulo 17, item 5
Tempo certo
Os espinheiros que, ao crescer,
abafaram as sementes representam
as “ideias sociais” que
impermeabilizam a mentalidade
dos seres humanos...
...Os indivíduos que não pensam
por si mesmos acabam caindo nos
domínios das “normas e regras”,
sem poder erguer em demasia a
sua mente, restrita pelas ideias
vigentes, o que os sentencia a viver
numa “frustração grupal”, visto que
seu grau de raciocínio não pode
ultrapassar os níveis permitidos...
pela comunidade.Evangelho - Capítulo 17, item 5
Tempo certo
As demais sementes, no entanto,
caíram em boa terra e deram
frutos abundantes. O que é um
“solo fértil”?
A boa absorção ou abertura de
consciência acontece somente no
momento em que não nos
prendemos na forma.
Evangelho - Capítulo 17, item 5
Simplesmente um sentido
“... Admira-se, por vezes, que
a mediunidade seja
concedida a pessoas indignas
e capazes de fazer mau uso
dela...”
“... a mediunidade se prende
a uma disposição orgânica da
qual todo homem pode estar
dotado, como a de ver, de
ouvir, de falar...”
Evangelho Capítulo 24, item 12
Simplesmente um sentido
Mediunidade é uma percepção
mental por meio da qual a
alma sutiliza, estimula e aguça
seus sentidos, a fim de
penetrar na essência das coisas
e das pessoas.
E uma das formas que
possuímos para sentir a vida, é
o “poder de sensibilização”
para ver e ouvir melhor a
excelência da criação divina.
Evangelho Capítulo 24, item 12
Simplesmente um sentido
A sensibilização progressiva da
humanidade é uma realidade.
Ela se processa, nos tempos
atuais, de maneira
indiscutível, pois, em verdade,
“o Espírito é derramado sobre
toda a carne”, tomando os
efeitos espirituais cada vez
mais eloquentes,
incontestáveis e
generalizados.
Evangelho Capítulo 24, item 12
Atos 2:17.
Grão de mostarda
“... Jesus lhes respondeu: É
por causa da vossa
incredulidade.
Porque eu vô-lo digo em
verdade: se tivésseis fé como
um grão de mostarda, diríeis
a esta montanha: transporta-
te daqui para ali, e ela se
transportaria, e nada vos
seria impossível.”
Evangelho Capítulo 19, item 1
Grão de mostarda
Essa convicção inabalável na
“Sabedoria Divina”, que é a
própria Inteligência que rege a
tudo e a todos, atinge sua
plenitude nas criaturas mais
evoluídas.
Tais valores se encontravam
inicialmente em estado
embriomírio e, ao longo das
encarnações sucessivas,
estruturaram-se entre as
experiências do sentimento e do
raciocínio.
Evangelho Capítulo 19, item 1
Fé
Grão de mostarda
Entendemos, dessa forma, que a
fé não equivale a uma “muleta
vantajosa” que nos ajuda
somente em nossas etapas
difíceis, nem “providências de
última hora” para alcançarmos
nossos caprichos imediatistas.
Ter fé é auscultar e perceber as
“verdadeiras intenções” da ação
divina em nós e, acima de tudo, é
o discernimento de que tudo
está absolutamente certo.
Evangelho Capítulo 19, item 1
Grão de mostarda
Em síntese, a fé como força
instintiva da alma guarda em
si possibilidades
transcendentes e poderes
infinitos.
Ao ampliá-la, o homem se
potencializa vigorosamente,
fluindo e contribuindo com o
próprio ritmo da vida como
um todo.
Evangelho Capítulo 19, item 1
Grão de mostarda
Devemos compreender, por
fim, que o “poder da fé”
realmente “transporta
montanhas” e que para o
espírito nada é inacessível,
pois, quando percebe a razão
de tudo e interpreta com
exatidão a sabedoria de
Deus, a vida para ele não
tem fronteiras.
Evangelho Capítulo 19, item 1
Bibliografia
Textos extraídos de capítulos
Do livro
Renovando Atitudes
Do espírito Hammed
Pelo médium
Francisco do Espírito Santo
Neto
Editora boa nova.
Imagens: Arquivos banco de
imagens google.
Evangelho Capítulo 19, item 1

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Alegria de Viver
Alegria de Viver Alegria de Viver
Alegria de Viver
Ricardo Azevedo
 
A lei de amor ppt
A lei de amor pptA lei de amor ppt
A lei de amor ppt
Silvânio Barcelos
 
Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
Marcos Antônio Alves
 
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DORO CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
Jorge Luiz dos Santos
 
O DUELO
O DUELOO DUELO
Perdão
PerdãoPerdão
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmo
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmoCap xi Amar ao proximo como a si mesmo
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmo
gmo1973
 
Pensamento e vontade
Pensamento e vontadePensamento e vontade
Pensamento e vontade
Dalila Melo
 
Família material e espiritual
Família material e espiritualFamília material e espiritual
Família material e espiritual
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Dores da Alma, a psicologia das dores humanas
Dores da Alma, a psicologia das dores humanasDores da Alma, a psicologia das dores humanas
Dores da Alma, a psicologia das dores humanas
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Retorno à vida corporal 1,5h
Retorno à vida corporal 1,5hRetorno à vida corporal 1,5h
Retorno à vida corporal 1,5h
home
 
Palestra o poder da fé
Palestra   o poder da féPalestra   o poder da fé
Palestra o poder da fé
KATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 
Honrai Pai e Mãe - ESE cap XIV
Honrai Pai e Mãe - ESE cap XIVHonrai Pai e Mãe - ESE cap XIV
Honrai Pai e Mãe - ESE cap XIV
Fábio Paiva
 
Palestra Espírita - Reforma íntima na prática
Palestra Espírita - Reforma íntima na práticaPalestra Espírita - Reforma íntima na prática
Palestra Espírita - Reforma íntima na prática
Divulgador do Espiritismo
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Evangeliza - Lei do Progresso
Evangeliza - Lei do ProgressoEvangeliza - Lei do Progresso
Evangeliza - Lei do Progresso
Antonino Silva
 
Estranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIIIEstranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIII
grupodepaisceb
 
O Poder da Fé
O Poder da FéO Poder da Fé
O Poder da Fé
igmateus
 
Aula 36. O Sermão do Monte. Escola de Aprendizes do Evangelho
Aula 36. O Sermão  do Monte. Escola de Aprendizes do EvangelhoAula 36. O Sermão  do Monte. Escola de Aprendizes do Evangelho
Aula 36. O Sermão do Monte. Escola de Aprendizes do Evangelho
liliancostadias
 
O Dever e a virtude
O Dever e a virtudeO Dever e a virtude
O Dever e a virtude
Izabel Cristina Fonseca
 

Mais procurados (20)

Alegria de Viver
Alegria de Viver Alegria de Viver
Alegria de Viver
 
A lei de amor ppt
A lei de amor pptA lei de amor ppt
A lei de amor ppt
 
Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
 
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DORO CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
O CARÁTER EDUCATIVO DA DOR
 
O DUELO
O DUELOO DUELO
O DUELO
 
Perdão
PerdãoPerdão
Perdão
 
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmo
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmoCap xi Amar ao proximo como a si mesmo
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmo
 
Pensamento e vontade
Pensamento e vontadePensamento e vontade
Pensamento e vontade
 
Família material e espiritual
Família material e espiritualFamília material e espiritual
Família material e espiritual
 
Dores da Alma, a psicologia das dores humanas
Dores da Alma, a psicologia das dores humanasDores da Alma, a psicologia das dores humanas
Dores da Alma, a psicologia das dores humanas
 
Retorno à vida corporal 1,5h
Retorno à vida corporal 1,5hRetorno à vida corporal 1,5h
Retorno à vida corporal 1,5h
 
Palestra o poder da fé
Palestra   o poder da féPalestra   o poder da fé
Palestra o poder da fé
 
Honrai Pai e Mãe - ESE cap XIV
Honrai Pai e Mãe - ESE cap XIVHonrai Pai e Mãe - ESE cap XIV
Honrai Pai e Mãe - ESE cap XIV
 
Palestra Espírita - Reforma íntima na prática
Palestra Espírita - Reforma íntima na práticaPalestra Espírita - Reforma íntima na prática
Palestra Espírita - Reforma íntima na prática
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
 
Evangeliza - Lei do Progresso
Evangeliza - Lei do ProgressoEvangeliza - Lei do Progresso
Evangeliza - Lei do Progresso
 
Estranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIIIEstranha moral ESE Cap XXIII
Estranha moral ESE Cap XXIII
 
O Poder da Fé
O Poder da FéO Poder da Fé
O Poder da Fé
 
Aula 36. O Sermão do Monte. Escola de Aprendizes do Evangelho
Aula 36. O Sermão  do Monte. Escola de Aprendizes do EvangelhoAula 36. O Sermão  do Monte. Escola de Aprendizes do Evangelho
Aula 36. O Sermão do Monte. Escola de Aprendizes do Evangelho
 
O Dever e a virtude
O Dever e a virtudeO Dever e a virtude
O Dever e a virtude
 

Destaque

PALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
PALESTRA - RENOVANDO ATITUDESPALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
PALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
Mauro Santos
 
Ninguém progride sem renovar se
Ninguém progride sem renovar seNinguém progride sem renovar se
Ninguém progride sem renovar se
Júlio Cesar Serrão de Araujo
 
Instituto Espírita de Educação - A Coragem De Mudar
Instituto Espírita de Educação - A Coragem De MudarInstituto Espírita de Educação - A Coragem De Mudar
Instituto Espírita de Educação - A Coragem De Mudar
Instituto Espírita de Educação
 
O Processo De Mudança
O Processo De MudançaO Processo De Mudança
O Processo De Mudança
ALTAIR GERMANO
 
Renovando atitudes
Renovando atitudesRenovando atitudes
Renovando atitudes
grupodepais
 
KARDEC E O ENSINO MORAL DE JESUS
KARDEC E O ENSINO MORAL DE JESUSKARDEC E O ENSINO MORAL DE JESUS
KARDEC E O ENSINO MORAL DE JESUS
Jorge Luiz dos Santos
 
A moral evangelica do espiritismo
A moral evangelica do espiritismoA moral evangelica do espiritismo
A moral evangelica do espiritismo
Marcos Antônio Alves
 
Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)
Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)
Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)
Fatima Carvalho
 
Refletindo a alma!
Refletindo a alma!Refletindo a alma!
Refletindo a alma!
Leonardo Pereira
 
A coragem de mudar
A coragem de mudarA coragem de mudar
A coragem de mudar
SlideXperience .
 
Como superar as dificuldades, sofrimentos e dores 2
Como superar as dificuldades, sofrimentos e dores 2Como superar as dificuldades, sofrimentos e dores 2
Como superar as dificuldades, sofrimentos e dores 2
Izabel Cristina Fonseca
 
Conflitos Existenciais e Maturidade do Espírito
Conflitos Existenciais e Maturidade do EspíritoConflitos Existenciais e Maturidade do Espírito
Conflitos Existenciais e Maturidade do Espírito
igmateus
 
Educação da alma - Reforma Íntima - Espiritsimo
Educação da alma - Reforma Íntima - EspiritsimoEducação da alma - Reforma Íntima - Espiritsimo
Educação da alma - Reforma Íntima - Espiritsimo
Marcio Augusto Guariente
 
Superação das dificuldades final (out 2012)
Superação das dificuldades final (out 2012)Superação das dificuldades final (out 2012)
Superação das dificuldades final (out 2012)
Fatima Carvalho
 
Reforma íntima
Reforma íntimaReforma íntima
Reforma íntima
Tatiana Cruz
 
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos Existenciais
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos ExistenciaisVazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos Existenciais
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos Existenciais
Fatima Carvalho
 
Renovação
RenovaçãoRenovação
Renovação
Alfredo Lopes
 
SUPERAÇÃO
SUPERAÇÃOSUPERAÇÃO
Zona De Coragem - Sergio Mena Barreto
Zona De Coragem - Sergio Mena BarretoZona De Coragem - Sergio Mena Barreto
Zona De Coragem - Sergio Mena Barreto
SERGIO MENA BARRETO
 
Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira).
Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira). Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira).
Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira).
Leonardo Pereira
 

Destaque (20)

PALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
PALESTRA - RENOVANDO ATITUDESPALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
PALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
 
Ninguém progride sem renovar se
Ninguém progride sem renovar seNinguém progride sem renovar se
Ninguém progride sem renovar se
 
Instituto Espírita de Educação - A Coragem De Mudar
Instituto Espírita de Educação - A Coragem De MudarInstituto Espírita de Educação - A Coragem De Mudar
Instituto Espírita de Educação - A Coragem De Mudar
 
O Processo De Mudança
O Processo De MudançaO Processo De Mudança
O Processo De Mudança
 
Renovando atitudes
Renovando atitudesRenovando atitudes
Renovando atitudes
 
KARDEC E O ENSINO MORAL DE JESUS
KARDEC E O ENSINO MORAL DE JESUSKARDEC E O ENSINO MORAL DE JESUS
KARDEC E O ENSINO MORAL DE JESUS
 
A moral evangelica do espiritismo
A moral evangelica do espiritismoA moral evangelica do espiritismo
A moral evangelica do espiritismo
 
Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)
Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)
Libertação da sombra (Joanna de Ângelis)
 
Refletindo a alma!
Refletindo a alma!Refletindo a alma!
Refletindo a alma!
 
A coragem de mudar
A coragem de mudarA coragem de mudar
A coragem de mudar
 
Como superar as dificuldades, sofrimentos e dores 2
Como superar as dificuldades, sofrimentos e dores 2Como superar as dificuldades, sofrimentos e dores 2
Como superar as dificuldades, sofrimentos e dores 2
 
Conflitos Existenciais e Maturidade do Espírito
Conflitos Existenciais e Maturidade do EspíritoConflitos Existenciais e Maturidade do Espírito
Conflitos Existenciais e Maturidade do Espírito
 
Educação da alma - Reforma Íntima - Espiritsimo
Educação da alma - Reforma Íntima - EspiritsimoEducação da alma - Reforma Íntima - Espiritsimo
Educação da alma - Reforma Íntima - Espiritsimo
 
Superação das dificuldades final (out 2012)
Superação das dificuldades final (out 2012)Superação das dificuldades final (out 2012)
Superação das dificuldades final (out 2012)
 
Reforma íntima
Reforma íntimaReforma íntima
Reforma íntima
 
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos Existenciais
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos ExistenciaisVazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos Existenciais
Vazio existencial (Joanna Angelis) Conflitos Existenciais
 
Renovação
RenovaçãoRenovação
Renovação
 
SUPERAÇÃO
SUPERAÇÃOSUPERAÇÃO
SUPERAÇÃO
 
Zona De Coragem - Sergio Mena Barreto
Zona De Coragem - Sergio Mena BarretoZona De Coragem - Sergio Mena Barreto
Zona De Coragem - Sergio Mena Barreto
 
Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira).
Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira). Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira).
Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira).
 

Semelhante a Renovando atitudes

Renovando atitudes
Renovando atitudesRenovando atitudes
Renovando atitudes
Leonardo Pereira
 
Alegria confiança video
Alegria confiança videoAlegria confiança video
Alegria confiança video
Ceile Maria Bernardo
 
Alegria confiança video
Alegria confiança videoAlegria confiança video
Alegria confiança video
Ceile Bernardo
 
Um bom julgamento
Um bom julgamentoUm bom julgamento
Um bom julgamento
Silvio Dutra
 
Manifestação da mente de deus
Manifestação da mente de deusManifestação da mente de deus
Manifestação da mente de deus
Alice Negrão
 
A comunhão com deus (sef)
A comunhão com deus (sef)A comunhão com deus (sef)
A comunhão com deus (sef)
Ricardo Akerman
 
As 7 leis espirituais para o sucesso
As 7 leis espirituais para o sucessoAs 7 leis espirituais para o sucesso
As 7 leis espirituais para o sucesso
Elmo Batista
 
# Crbbm - ser espirita e (juvenil) - [ espiritismo]
#   Crbbm - ser espirita e (juvenil) - [ espiritismo]#   Crbbm - ser espirita e (juvenil) - [ espiritismo]
# Crbbm - ser espirita e (juvenil) - [ espiritismo]
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
9 Essencia De Luz
9  Essencia De Luz9  Essencia De Luz
9 Essencia De Luz
Nelson Soares
 
Estudos do evangelho 14
Estudos do evangelho 14Estudos do evangelho 14
Estudos do evangelho 14
Leonardo Pereira
 
Resenha espirita on line 154
Resenha espirita on line 154Resenha espirita on line 154
Resenha espirita on line 154
MRS
 
Série Evangelho no Lar - Cap. 18 - Petição e Resposta
Série Evangelho no Lar - Cap. 18 - Petição e RespostaSérie Evangelho no Lar - Cap. 18 - Petição e Resposta
Série Evangelho no Lar - Cap. 18 - Petição e Resposta
Ricardo Azevedo
 
Decepções
DecepçõesDecepções
Decepções
Dalila Melo
 
As Bem-Aventuranças - Sermão do Monte
As Bem-Aventuranças - Sermão do MonteAs Bem-Aventuranças - Sermão do Monte
As Bem-Aventuranças - Sermão do Monte
Mensageiros De Luz
 
Aula 104 regras para educação e aperfeiçoamento dos seres ii - escola de ap...
Aula 104   regras para educação e aperfeiçoamento dos seres ii - escola de ap...Aula 104   regras para educação e aperfeiçoamento dos seres ii - escola de ap...
Aula 104 regras para educação e aperfeiçoamento dos seres ii - escola de ap...
Denise Tofoli
 
Livro despertai...
Livro despertai...Livro despertai...
Livro despertai...
Alice Negrão
 
Boletim o pae janeiro 2018
Boletim o pae   janeiro 2018Boletim o pae   janeiro 2018
Boletim o pae janeiro 2018
O PAE PAE
 
Livro dos Espíritos 456 ESE cap 3 - item3
Livro dos Espíritos 456 ESE cap 3 - item3Livro dos Espíritos 456 ESE cap 3 - item3
Livro dos Espíritos 456 ESE cap 3 - item3
Patricia Farias
 
Evangeliza - O dever
Evangeliza - O deverEvangeliza - O dever
Evangeliza - O dever
Antonino Silva
 
Apresentação Cosmovisão bíblica cos1.pdf
Apresentação Cosmovisão bíblica cos1.pdfApresentação Cosmovisão bíblica cos1.pdf
Apresentação Cosmovisão bíblica cos1.pdf
DboraPatrycia
 

Semelhante a Renovando atitudes (20)

Renovando atitudes
Renovando atitudesRenovando atitudes
Renovando atitudes
 
Alegria confiança video
Alegria confiança videoAlegria confiança video
Alegria confiança video
 
Alegria confiança video
Alegria confiança videoAlegria confiança video
Alegria confiança video
 
Um bom julgamento
Um bom julgamentoUm bom julgamento
Um bom julgamento
 
Manifestação da mente de deus
Manifestação da mente de deusManifestação da mente de deus
Manifestação da mente de deus
 
A comunhão com deus (sef)
A comunhão com deus (sef)A comunhão com deus (sef)
A comunhão com deus (sef)
 
As 7 leis espirituais para o sucesso
As 7 leis espirituais para o sucessoAs 7 leis espirituais para o sucesso
As 7 leis espirituais para o sucesso
 
# Crbbm - ser espirita e (juvenil) - [ espiritismo]
#   Crbbm - ser espirita e (juvenil) - [ espiritismo]#   Crbbm - ser espirita e (juvenil) - [ espiritismo]
# Crbbm - ser espirita e (juvenil) - [ espiritismo]
 
9 Essencia De Luz
9  Essencia De Luz9  Essencia De Luz
9 Essencia De Luz
 
Estudos do evangelho 14
Estudos do evangelho 14Estudos do evangelho 14
Estudos do evangelho 14
 
Resenha espirita on line 154
Resenha espirita on line 154Resenha espirita on line 154
Resenha espirita on line 154
 
Série Evangelho no Lar - Cap. 18 - Petição e Resposta
Série Evangelho no Lar - Cap. 18 - Petição e RespostaSérie Evangelho no Lar - Cap. 18 - Petição e Resposta
Série Evangelho no Lar - Cap. 18 - Petição e Resposta
 
Decepções
DecepçõesDecepções
Decepções
 
As Bem-Aventuranças - Sermão do Monte
As Bem-Aventuranças - Sermão do MonteAs Bem-Aventuranças - Sermão do Monte
As Bem-Aventuranças - Sermão do Monte
 
Aula 104 regras para educação e aperfeiçoamento dos seres ii - escola de ap...
Aula 104   regras para educação e aperfeiçoamento dos seres ii - escola de ap...Aula 104   regras para educação e aperfeiçoamento dos seres ii - escola de ap...
Aula 104 regras para educação e aperfeiçoamento dos seres ii - escola de ap...
 
Livro despertai...
Livro despertai...Livro despertai...
Livro despertai...
 
Boletim o pae janeiro 2018
Boletim o pae   janeiro 2018Boletim o pae   janeiro 2018
Boletim o pae janeiro 2018
 
Livro dos Espíritos 456 ESE cap 3 - item3
Livro dos Espíritos 456 ESE cap 3 - item3Livro dos Espíritos 456 ESE cap 3 - item3
Livro dos Espíritos 456 ESE cap 3 - item3
 
Evangeliza - O dever
Evangeliza - O deverEvangeliza - O dever
Evangeliza - O dever
 
Apresentação Cosmovisão bíblica cos1.pdf
Apresentação Cosmovisão bíblica cos1.pdfApresentação Cosmovisão bíblica cos1.pdf
Apresentação Cosmovisão bíblica cos1.pdf
 

Mais de Leonardo Pereira

Jesus " psicólogo por excelência"
Jesus " psicólogo por excelência" Jesus " psicólogo por excelência"
Jesus " psicólogo por excelência"
Leonardo Pereira
 
Jesus "o Cristo de nossos dias"
Jesus "o Cristo de nossos dias"Jesus "o Cristo de nossos dias"
Jesus "o Cristo de nossos dias"
Leonardo Pereira
 
E a morte o fim da vida
E a morte o fim da vidaE a morte o fim da vida
E a morte o fim da vida
Leonardo Pereira
 
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 09e 10
Escutando sentimentos cap 09e 10Escutando sentimentos cap 09e 10
Escutando sentimentos cap 09e 10
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 07e 08
Escutando sentimentos cap 07e 08Escutando sentimentos cap 07e 08
Escutando sentimentos cap 07e 08
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 06
Escutando sentimentos cap 06Escutando sentimentos cap 06
Escutando sentimentos cap 06
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 04
Escutando sentimentos cap 04Escutando sentimentos cap 04
Escutando sentimentos cap 04
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 03
Escutando sentimentos cap 03Escutando sentimentos cap 03
Escutando sentimentos cap 03
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 02
Escutando sentimentos cap 02Escutando sentimentos cap 02
Escutando sentimentos cap 02
Leonardo Pereira
 
Escutando sentimentos cap 1
Escutando sentimentos  cap 1Escutando sentimentos  cap 1
Escutando sentimentos cap 1
Leonardo Pereira
 
O apego e suas consequencias para o espirito imortal
O apego e suas consequencias para o espirito imortalO apego e suas consequencias para o espirito imortal
O apego e suas consequencias para o espirito imortal
Leonardo Pereira
 
Consciência e evolução
Consciência e evolução Consciência e evolução
Consciência e evolução
Leonardo Pereira
 
Prisões mentais
Prisões mentaisPrisões mentais
Prisões mentais
Leonardo Pereira
 
Seminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediadosSeminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediados
Leonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 

Mais de Leonardo Pereira (20)

Jesus " psicólogo por excelência"
Jesus " psicólogo por excelência" Jesus " psicólogo por excelência"
Jesus " psicólogo por excelência"
 
Jesus "o Cristo de nossos dias"
Jesus "o Cristo de nossos dias"Jesus "o Cristo de nossos dias"
Jesus "o Cristo de nossos dias"
 
E a morte o fim da vida
E a morte o fim da vidaE a morte o fim da vida
E a morte o fim da vida
 
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
Doentes da alma ' Raiva ' melindre e magoa
 
Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12Escutando sentimentos cap 10 a 12
Escutando sentimentos cap 10 a 12
 
Escutando sentimentos cap 09e 10
Escutando sentimentos cap 09e 10Escutando sentimentos cap 09e 10
Escutando sentimentos cap 09e 10
 
Escutando sentimentos cap 07e 08
Escutando sentimentos cap 07e 08Escutando sentimentos cap 07e 08
Escutando sentimentos cap 07e 08
 
Escutando sentimentos cap 06
Escutando sentimentos cap 06Escutando sentimentos cap 06
Escutando sentimentos cap 06
 
Escutando sentimentos cap 04
Escutando sentimentos cap 04Escutando sentimentos cap 04
Escutando sentimentos cap 04
 
Escutando sentimentos cap 03
Escutando sentimentos cap 03Escutando sentimentos cap 03
Escutando sentimentos cap 03
 
Escutando sentimentos cap 02
Escutando sentimentos cap 02Escutando sentimentos cap 02
Escutando sentimentos cap 02
 
Escutando sentimentos cap 1
Escutando sentimentos  cap 1Escutando sentimentos  cap 1
Escutando sentimentos cap 1
 
O apego e suas consequencias para o espirito imortal
O apego e suas consequencias para o espirito imortalO apego e suas consequencias para o espirito imortal
O apego e suas consequencias para o espirito imortal
 
Consciência e evolução
Consciência e evolução Consciência e evolução
Consciência e evolução
 
Prisões mentais
Prisões mentaisPrisões mentais
Prisões mentais
 
Seminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediadosSeminário Médiuns obsediados
Seminário Médiuns obsediados
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 

Último

16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 

Último (15)

16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 

Renovando atitudes

  • 2. Ser Feliz “... Assim, pois, aqueles que pregam ser a Terra a única morada do homem, e que só nela, e numa só existência, lhe é permitido atingir o mais alto grau das felicidades que a sua natureza comporta, iludem- se e enganam aqueles que os escutam...” Evangelho Capítulo 5, item 20
  • 3. Ser feliz não é uma questão de circunstância, de estarmos sozinhos ou acompanhados pelos outros, porém de uma atitude comportamental em face das tarefas que viemos desempenhar na Terra. Ser Feliz Evangelho Capítulo 5, item 20
  • 4. Nossa felicidade baseia-se numa adaptação satisfatória à nossa vida social, familiar, psíquica e espiritual, bem como numa capacidade de ajustamento às diversas situações vivenciais. Felicidade não é simplesmente a realização de todos os nossos desejos; é antes a noção de que podemos nos satisfazer com nossas reais possibilidades. Ser Feliz Evangelho Capítulo 5, item 20
  • 5. Tua medida Em razão disso, os frequentes julgamentos que fazemos em relação às outras pessoas nos informam sobre tudo aquilo que temos por dentro. Explicando melhor, a “forma” e o “material” utilizados para sentenciar os outros residem dentro de nós. Evangelho - Capítulo 10, item 11
  • 6. Tua medida Julgar uma ação é diferente de julgar a criatura. Posso julgar e considerar a prostituição moralmente errada, mas não posso e não devo julgar a pessoa prostituída. Ao usarmos da empatia, colocando-nos no lugar do outro, “sentindo e pensando com ele”, em vez de “pensar a respeito dele”, teremos o comportamento ideal diante dos atos e atitudes das pessoas. Evangelho - Capítulo 10, item 11
  • 7. A verdade “... Pilatos, então, lhe disse: Sois, pois, rei? Jesus lhe replicou: Vós o dissestes; eu sou rei; eu não nasci nem vim a este mundo senão para testemunhar a verdade; qualquer que pertença à verdade escuta minha voz.” Evangelho - Capítulo 2, item 1
  • 8. Não vemos a verdade, conforme afirmou Jesus Cristo, porque nossa mente trabalha sem estar ligada aos nossos sentidos e emoções mais profundos. As ilusões nos impedem que realmente tenhamos os olhos de ver, e porque não buscamos a verdade projetamos nos outros o que não podemos aceitar como nosso. Tentamos nos livrar de nossos próprios sentimentos atribuindo- os a outras pessoas. A verdade Evangelho - Capítulo 2, item 1
  • 9. Adão disse a Deus: “Eu não pequei, a culpa foi da mulher que me tentou”. Eva se desculpa perante o Criador: “Toda a discórdia ocorrida cabe à maldita serpente”. Assim somos todos nós. Quando desconhecemos os traços de nossa personalidade, condenamos fortemente e responsabilizamos os outros por aquilo que não podemos admitir em nós próprios. A verdade Evangelho - Capítulo 2, item 1
  • 10. Maneiras erradas de se ver a sexualidade, a religião, o casamento, as raças e as profissões distanciam-nos cada vez mais da realidade das situações e das criaturas com as quais convivemos. Em vista disso, procuremos sintonizar-nos com os olhos espirituais, porquanto nossa percepção intuitiva é mais ampla e precisa que a visão física. E abramos as comportas de nossa alma, para que captemos as inspirações divinas que deliberam a vida em toda parte. A verdade Evangelho - Capítulo 2, item 1
  • 11. Olhando para trás “... Tal é aquele que tendo feito mal sua tarefa, pede para recomeçá-la afim de não perder o benefício do seu trabalho...” “... Rendamos graças a Deus que, na sua bondade, concede ao homem a faculdade da reparação e não o condena irrevogavelmente pela primeira falta.” Evangelho - Capítulo 5, item 8
  • 12. Olhando para trás Culpa quer dizer paralisação das nossas oportunidades de crescimento no presente em consequência da nossa fixação doentia em comportamentos do passado. Quem se sente culpado se julga em “peccatum”, palavra latina que quer dizer “pecado ou culpa”. Logo, todos nós vestimos a densa capa da culpa desde a mais tenra infância. Evangelho - Capítulo 5, item 8
  • 13. Olhando para trás Esquecem-se, no entanto, de que o Criador da Vida é infinita Bondade e Compreensão e que sempre vê com os “olhos do amor”, nunca punindo suas criaturas; na realidade, são elas mesmas que se autopenalizam. Por não se renovarem nas oportunidades do livre- arbítrio e por ficarem, no presente, agarradas aos erros do passado. Evangelho - Capítulo 5, item 8
  • 14. A todo momento, fazemos o melhor que podemos fazer, por estarmos agindo e reagindo de acordo com nosso “senso de realidade”. O “arrependimento” resulta do quanto sabíamos fazer melhor e não o fizemos, enquanto que a culpa é, invariavelmente, a exigência de que deveríamos ter feito algo, porém não o fizemos por ignorância ou impotência. Olhando para trás Evangelho - Capítulo 5, item 8
  • 15. Tempo certo “... Aquele que semeia saiu a semear; e, enquanto semeava, uma parte da semente caiu ao longo do caminho...” “... Mas aquele que recebe a semente numa boa terra é aquele que escuta a palavra, que lhe presta atenção e que dá fruto, e rende cento, ou sessenta, ou trinta por um.” Evangelho - Capítulo 17, item 5
  • 16. Tempo certo Na vida, não existe antecipação nem adiamento, somente o tempo propício de cada um. A humanidade, em geral, recebe as sementes do crescimento espiritual a todo o instante. Constantemente, a “Organização Divina” emite ideias de progresso e desenvolvimento, devendo cada indivíduo absorver a sementeira de acordo com suas possibilidades e habilidades existenciais. Evangelho - Capítulo 17, item 5
  • 17. Tempo certo Jesus, por compreender a imensa multiformidade evolucional dos homens, exemplificou nessa parábola a “dissemelhança” das criaturas... ....As que caíram ao longo do caminho, e os pássaros as comeram, representam as pessoas de mentalidade bloqueada e restringida, que recusam todas as possibilidades de conhecimento que as conteste, ou mesmo, qualquer forma que venha modificar sua vida ou interferir em seus horizontes existenciais. Evangelho - Capítulo 17, item 5
  • 18. Tempo certo Outras sementes caíram em lugares pedregosos, onde não havia muita terra, mas logo brotaram. Ao surgir o sol, queimaram-se porque a terra era escassa e suas raízes não eram suficientemente profundas. Foram logo ressecadas porque não suportaram o “calor da prova”; e, por serem qualificadas como pessoas de convicção “flutuante”, torraram rapidamente seus projetos e intenções. Evangelho - Capítulo 17, item 5
  • 19. Tempo certo Os espinheiros que, ao crescer, abafaram as sementes representam as “ideias sociais” que impermeabilizam a mentalidade dos seres humanos... ...Os indivíduos que não pensam por si mesmos acabam caindo nos domínios das “normas e regras”, sem poder erguer em demasia a sua mente, restrita pelas ideias vigentes, o que os sentencia a viver numa “frustração grupal”, visto que seu grau de raciocínio não pode ultrapassar os níveis permitidos... pela comunidade.Evangelho - Capítulo 17, item 5
  • 20. Tempo certo As demais sementes, no entanto, caíram em boa terra e deram frutos abundantes. O que é um “solo fértil”? A boa absorção ou abertura de consciência acontece somente no momento em que não nos prendemos na forma. Evangelho - Capítulo 17, item 5
  • 21. Simplesmente um sentido “... Admira-se, por vezes, que a mediunidade seja concedida a pessoas indignas e capazes de fazer mau uso dela...” “... a mediunidade se prende a uma disposição orgânica da qual todo homem pode estar dotado, como a de ver, de ouvir, de falar...” Evangelho Capítulo 24, item 12
  • 22. Simplesmente um sentido Mediunidade é uma percepção mental por meio da qual a alma sutiliza, estimula e aguça seus sentidos, a fim de penetrar na essência das coisas e das pessoas. E uma das formas que possuímos para sentir a vida, é o “poder de sensibilização” para ver e ouvir melhor a excelência da criação divina. Evangelho Capítulo 24, item 12
  • 23. Simplesmente um sentido A sensibilização progressiva da humanidade é uma realidade. Ela se processa, nos tempos atuais, de maneira indiscutível, pois, em verdade, “o Espírito é derramado sobre toda a carne”, tomando os efeitos espirituais cada vez mais eloquentes, incontestáveis e generalizados. Evangelho Capítulo 24, item 12 Atos 2:17.
  • 24. Grão de mostarda “... Jesus lhes respondeu: É por causa da vossa incredulidade. Porque eu vô-lo digo em verdade: se tivésseis fé como um grão de mostarda, diríeis a esta montanha: transporta- te daqui para ali, e ela se transportaria, e nada vos seria impossível.” Evangelho Capítulo 19, item 1
  • 25. Grão de mostarda Essa convicção inabalável na “Sabedoria Divina”, que é a própria Inteligência que rege a tudo e a todos, atinge sua plenitude nas criaturas mais evoluídas. Tais valores se encontravam inicialmente em estado embriomírio e, ao longo das encarnações sucessivas, estruturaram-se entre as experiências do sentimento e do raciocínio. Evangelho Capítulo 19, item 1 Fé
  • 26. Grão de mostarda Entendemos, dessa forma, que a fé não equivale a uma “muleta vantajosa” que nos ajuda somente em nossas etapas difíceis, nem “providências de última hora” para alcançarmos nossos caprichos imediatistas. Ter fé é auscultar e perceber as “verdadeiras intenções” da ação divina em nós e, acima de tudo, é o discernimento de que tudo está absolutamente certo. Evangelho Capítulo 19, item 1
  • 27. Grão de mostarda Em síntese, a fé como força instintiva da alma guarda em si possibilidades transcendentes e poderes infinitos. Ao ampliá-la, o homem se potencializa vigorosamente, fluindo e contribuindo com o próprio ritmo da vida como um todo. Evangelho Capítulo 19, item 1
  • 28. Grão de mostarda Devemos compreender, por fim, que o “poder da fé” realmente “transporta montanhas” e que para o espírito nada é inacessível, pois, quando percebe a razão de tudo e interpreta com exatidão a sabedoria de Deus, a vida para ele não tem fronteiras. Evangelho Capítulo 19, item 1
  • 29. Bibliografia Textos extraídos de capítulos Do livro Renovando Atitudes Do espírito Hammed Pelo médium Francisco do Espírito Santo Neto Editora boa nova. Imagens: Arquivos banco de imagens google. Evangelho Capítulo 19, item 1