SlideShare uma empresa Scribd logo
Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões:
ramos@advir.comramos@advir.com
Respostas - Lição 10 O Papel da Igreja na Comunidade
Jesus conquistava a confiança das pessoas 27 de agosto a 3 de setembro de 2016
❉ Sábado à tarde
VERSO PARA MEMORIZAR: “Porém o que se dizia a Seu respeito cada vez mais se divulgava, e grandes
multidões afluíam para O ouvirem e serem curadas de suas enfermidades” (Lc 5:15).
Todo o ato do ministério de Cristo tinha um vasto alcance nos seus propósitos. Envolvia mais do que o ato em
si mesmo parecia encerrar. Foi o que se deu no caso do leproso. Enquanto Jesus atendia todos quantos vinham
até Ele, desejava também beneficiar os que não vinham. Enquanto atraía os publicanos, os Gentios e os
Samaritanos ansiavam alcançar os sacerdotes e os mestres que estavam aprisionados pelos preconceitos e
pelas tradições. Não deixava de tentar todos os meios pelos quais pudesse chegar até eles. Ao enviar o leproso
aos sacerdotes, proporcionou-lhes o testemunho calculado para lhes desarmar os preconceitos. O Desejado de
Todas as Nações, pp. 213 e 214. (Ed. P. Servir).
❉ Domingo, 28 de agosto - Conquistando a confiança
❉ Pergunta. 1. As seguintes passagens contêm uma palavra com base na raiz amn: Gênesis 15:6; Números
14:11;Isaías 7:9 e Habacuque 2:4. Como a palavra é usada em cada passagem, e como transmite a ideia de
confiança?
Gn 15:6, (ACF 1753); 6 E creu ele no SENHOR, e imputou-lhe isto por justiça.
Nm 14:11, (ACF 1753); 11 E disse o SENHOR a Moisés: Até quando me provocará este povo? e até quando
não crerá em mim, apesar de todos os sinais que fiz no meio dele?
Is 7:9, (ACF 1753); 9 Entretanto a cabeça de Efraim será Samaria, e a cabeça de Samaria o filho de Remalias; se
não o crerdes, certamente não haveis de permanecer.
Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões:
ramos@advir.comramos@advir.com
Hc 2:4, (ACF 1753); 4 Eis que a sua alma está orgulhosa, não é reta nele; mas o justo pela sua fé viverá.
❉ Resposta. 1. Crença: Abraão creu em Deus e foi considerado justo; no deserto, o povo de Israel não teve fé
e deixou de alcançar a promessa; em Isaías 7, aparece o verbo “crer”; em Habacuque 2:4, a palavra é fé: o
justo viverá pela fé.
No grego do Novo Testamento, a raiz usada para transmitir a ideia do termo hebraico amn (fé, crença) épistis.
Essa palavra grega para fé implica crença, confiança, certeza absoluta, confiabilidade e convicção. LES
Mq 7:5-6, (ACF 1753); 5 Não creiais no amigo, nem confieis no vosso guia; daquela que repousa no teu seio,
guarda as portas da tua boca. 6 Porque o filho despreza ao pai, a filha se levanta contra sua mãe, a nora contra
sua sogra, os inimigos do homem são os da sua própria casa.
Sl 118:9, (ACF 1753); 9 É melhor confiar no SENHOR do que confiar nos príncipes.
Muitos não exercem aquela fé que têm o privilégio e o dever de exercer, esperando muitas vezes receber
aquele sentimento que só a fé pode trazer. O sentimento não é fé; os dois são diferentes. Cabe-nos a nós
exercitar a fé; mas aquele sentimento de alegria e as bênçãos, é Deus Quem os dá. A graça de Deus chega até
nós através do canal da fé viva, e está ao nosso alcance exercitar essa fé.
A verdadeira fé apreende e suplica a bênção prometida, antes que esta se realize e a sintamos. Devemos, pela
fé, enviar as nossas petições para dentro do segundo véu, e fazer com que a nossa fé se apodere da bênção
prometida e a invoque como sendo nossa. Devemos então crer que recebemos a bênção, porque a nossa fé se
apoderou dela, e, segundo a Palavra, é nossa. “Tudo o que pedirdes, orando, crede que o recebereis e tê-lo-eis”
(Marcos 11:24). Isto é fé, e fé pura; o crer que recebemos a bênção, mesmo antes de a vermos. … Muitos
supõem, todavia … que não podem ter fé a menos que sintam o poder do Espírito. Tais pessoas confundem a
fé com as bênçãos que a acompanham. O tempo em que propriamente deveríamos exercer a fé é aquele em
que nos sentimos privados do Espírito. Quando densas nuvens de trevas parecem pairar sobre o espírito, é
ocasião para fazer com que a fé viva penetre nas trevas e disperse as nuvens. A verdadeira fé baseia-se nas
promessas contidas na Palavra de Deus, e apenas aqueles que obedecem a essa Palavra podem exigir as suas
gloriosas promessas. …
A medida do Espírito Santo que recebemos será proporcional à medida do nosso desejo e da fé exercida nesse
sentido. … Podemos estar certos de que receberemos o Espírito Santo, se fizermos individualmente a
experiência de pôr à prova a Palavra de Deus. – Maravilhosa Graça (Meditações Matinais, 1974), p. 206.
Revendo Moisés os resultados dos seus trabalhos, a sua vida de provações e sacrifícios parecia ter sido quase
em vão. Contudo, não se lamentava dos fardos que tinha suportado. Sabia que a sua missão e o seu trabalho
tinham sido designados pelo próprio Deus. …
Se bem que tivessem sido grandes as suas provações, tinha usufruído de testemunhos especiais do favor de
Deus. Tinha obtido uma rica experiência durante a permanência no deserto, testemunhando as manifestações
do poder e da glória de Deus, na comunhão do Seu amor; sentiu que tinha feito uma sábia decisão, preferindo
sofrer aflição com o povo de Deus, a desfrutar, durante algum tempo, do prazer do pecado. Patriarcas e
Profetas, pp. 427, 458. (Ed. P. SerVir).
❉ Segunda, 29 de agosto - Um equilíbrio cuidadoso
❉ Pergunta. 2. Leia 1 Coríntios 3:1-9; 5:1. Quais problemas Paulo enfrentou na igreja de Corinto? Se as
pessoas da comunidade fossem convidadas para visitar essa igreja e vissem essas coisas, o que elas pensariam?
1Co 3:1-9, (ACF 1753); 1 E EU, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a
meninos em Cristo. 2 Com leite vos criei, e não com carne, porque ainda não podíeis, nem tampouco ainda
Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões:
ramos@advir.comramos@advir.com
agora podeis, 3 Porque ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja, contendas e dissensões, não sois
porventura carnais, e não andais segundo os homens? 4 Porque, dizendo um: Eu sou de Paulo; e outro:
Eu de Apolo; porventura não sois carnais? 5 Pois, quem é Paulo, e quem é Apolo, senão ministros pelos
quais crestes, e conforme o que o SENHOR deu a cada um? 6 Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o
crescimento. 7 Por isso, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento. 8
Ora, o que planta e o que rega são um; mas cada um receberá o seu galardão segundo o seu trabalho. 9 Porque
nós somos cooperadores de Deus; vós sois lavoura de Deus e edifício de Deus.
1Co 5:1, (ARC); 1 Geralmente, se ouve que há entre vós fornicação e fornicação tal, qual nem ainda entre
os gentios, como é haver quem abuse da mulher de seu pai.
❉ Resposta. 2. Imaturidade espiritual, ciúmes, contendas, desunião, partidarismo e imoralidade. Essas coisas
escandalizariam a comunidade.
Enquanto se esforçava por levar as almas para ao pé da Cruz, Paulo não se aventurava a repreender
diretamente os licenciosos, ou a mostrar quão abominável era o seu pecado aos olhos de um Deus santo.
Primeiro expunha, perante eles, o verdadeiro objetivo da vida, e procurava imprimir na sua mente as lições do
divino Mestre, as quais, se fossem recebidas, tirá-los-iam do mundanismo e do pecado para a pureza e justiça.
Frisou especialmente a piedade prática e a santidade que deviam alcançar os que desejassem ser considerados
dignos de um lugar no reino de Deus. Ansiava ver a luz do Evangelho de Cristo arrancar as trevas do seu
espírito, para poderem ver como as suas práticas imorais eram ofensivas à vista de Deus. Por isso, o peso dos
seus ensinos entre eles era Cristo, e Este crucificado. Procurava mostrar-lhes que o seu mais fervoroso estudo
e a sua maior alegria devia ser a maravilhosa verdade da salvação mediante o arrependimento para com Deus e
a fé no Senhor Jesus Cristo.
Os filósofos desviam-se da luz da salvação, porque ela envergonha as suas orgulhosas teorias. Os mundanos
recusam recebê-la, porque ela separá-los-ia dos seus ídolos terrenos. Paulo viu que o caráter de Cristo
precisava de ser compreendido antes de os homens poderem Amá-lo, ou antes de contemplarem a Cruz com os
olhos da fé. Aqui deve começar o estudo que será a ciência e o cântico dos remidos através de toda a
eternidade. Apenas à luz do Calvário o verdadeiro valor da alma humana pode ser avaliado. A enobrecedora
influência da graça de Deus muda a disposição natural do homem. – Atos dos Apóstolos, p. 195. (Ed. P.
SerVir).
Que ninguém sobrecarregue as faculdades que Deus lhe deu num esforço por promover mais rapidamente a
causa do Senhor. O poder do homem não pode apressar a obra; a ele tem de unir-se o poder dos seres
celestiais. Só assim pode a obra de Deus ser levada à perfeição. O homem não pode fazer a parte do trabalho
que compete a Deus. Um Paulo pode plantar e um Apolo regar, mas Deus dá o crescimento. Em simplicidade e
humildade deve o homem cooperar com os agentes divinos, fazendo sempre o melhor que pode, contudo
reconhecendo sempre que é Deus o grande Obreiro Mestre. Não deve sentir-se confiante em si mesmo, pois
assim esgotará a sua força de reserva e destruirá as suas faculdades mentais e físicas. Mesmo que todos os
obreiros que agora suportam os mais pesados encargos fossem postos de lado, a obra de Deus seria levada
avante. Temperemos, pois, com a razão o nosso zelo no trabalho; cessemos os esforços para fazer aquilo que
só o Senhor pode efetuar. – Testemunhos Para a Igreja, vol. 7, p. 298.
Nada dará tanta reputação, nem poderá dar, à obra na apresentação da verdade como ajudar as pessoas
exatamente onde elas se encontram, como esta obra samaritana. Uma obra devidamente dirigida para salvar os
pobres pecadores passados por alto pelas igrejas será a cunha de entrada onde a verdade encontrará um lugar
permanente. É preciso estabelecer uma ordem diferente das coisas entre nós como um povo, e, à medida que
se faz este tipo de trabalho, criar-se-á uma atmosfera totalmente diferente, circundando a alma dos obreiros;
pois o Espírito Santo comunica com todos os que fazem o serviço de Deus, e os que são movidos pelo Espírito
Santo serão uma força para o bem, ao elevar, fortalecer, e salvar as almas prestes a perecer. – Special
Testimonies, Série A, nº 11, p. 32.
Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões:
ramos@advir.comramos@advir.com
❉ Terça, 30 de agosto - Capital social
Capital: Diz-se do que é principal, fundamental, também definido como recursos.
Social: Concernente a uma comunidade, a uma sociedade humana, ao relacionamento entre indivíduos etc.
Capital social dentro deste contexto refere-se a investir os recursos concedidos por Deus (talentos, dons e
posses) para ajuntar as pessoas nesta Terra, e indicar-lhes o caminho do reino dos céus. GGR.
Mt 6:19-21, (ACF 95); 19 Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os
ladrões minam e roubam; 20 Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde
os ladrões não minam nem roubam. 21 Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.
❉ Pergunta. 3. Como o conceito expresso em Provérbios 22:1 se relaciona com nosso testemunho e esforços
missionários na comunidade?
Pv 22:1, (ACF 95); 1 Vale mais ter um bom nome do que muitas riquezas; e o ser estimado é melhor do que a
riqueza e o ouro.
❉ Resposta. 3. O bom nome e a boa reputação têm grande valor na obra de alcançar pessoas. O bom
testemunho junto à comunidade é muito mais eficaz do que o dinheiro no esforço de alcançar corações.
Podem os homens aspirar ao renome. Podem desejar possuir um grande nome. Para alguns a posse de casas e
terras e bastante dinheiro (isso que os torna grandes segundo a medida do mundo), é o auge de sua ambição.
Desejam alcançar o lugar em que podem olhar de cima para baixo, com uma sensação de superioridade, aos
que são pobres. Todos esses estão a construir sobre areia, e sua casa ruirá subitamente. Não é verdadeira
grandeza a superioridade de posição. De nenhum valor real, em si, é aquilo que não aumenta o valor do
caráter. Aquilo que, unicamente, vale a pena obter, é a grandeza de espírito à vista do Céu. Talvez nunca
venhais a saber a verdadeira e exaltada natureza de vossa obra. O valor de vosso próprio ser só podereis
apreciar pelo valor daquela Vida que foi dada para salvar a todos os que a queiram receber.
Todo homem terá em certa estima o seu valor, quando se torna coobreiro de Cristo, fazendo a obra que Cristo
fez, enchendo o mundo com a justiça de Cristo, como portador de uma comissão entregue pelo Altíssimo. ... A
comissão confiada aos discípulos é dada a todos os que se acham relacionados com Cristo. Devem fazer todo e
qualquer sacrifício pela satisfação de ver, salvas, vidas que estão a perecer sem Cristo. Tudo que seja feito em
nome de Jesus, para abençoar e enobrecer, e para restaurar em seres humanos a imagem divina, é tão aceitável
a Deus como o foi a obra de Moisés. ...
A mais alta honra que se possa conferir a seres humanos, sejam jovens ou idosos, ricos ou pobres, é permitir-
se-lhes que levantem os oprimidos, confortem os desanimados. O mundo está cheio de sofredores. Ide, pregai
o evangelho aos pobres, curai os doentes. Esta é a obra que se deve relacionar com a mensagem do evangelho.
"Aos pobres é anunciado o evangelho." Mat. 11:5. Os cooperadores de Deus devem preencher com o amor de
Jesus o espaço que ocupam no mundo. ... O amor de Cristo no coração exprime-se nas ações. Se é frouxo
nosso amor a Cristo, o amor àqueles pelos quais Cristo morreu há de degenerar. ...
Verdadeiras riquezas são genuína fé e amor genuíno. Estes tornam o caráter completo em Cristo. Se houvesse
mais fé, simples, confiante fé em Jesus, haveria amor, puro amor, que é o ouro do caráter cristão. Manuscrito
61, 1898. Nos Lugares Celestiais, MM 1968, p. 173.
❉ Pergunta. 4. Além do ministério terrestre de Jesus, a Bíblia nos dá outros exemplos do que pode acontecer
quando o povo de Deus adquire “capital social”. Leia as seguintes passagens e descreva os relacionamentos
positivos que esses personagens bíblicos experimentaram com “os de fora” e o que aconteceu como resultado:
At 7:9-10, (ARC); 9 E os patriarcas, movidos de inveja, venderam a José para o Egito; mas Deus era com ele. 10
Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões:
ramos@advir.comramos@advir.com
E livrou-o de todas as suas tribulações e lhe deu graça e sabedoria ante Faraó, rei do Egito, que o
constituiu governador sobre o Egito e toda a sua casa.
Gn 41:38-45, (ACF 95); 38 E disse Faraó a seus servos: Acharíamos um homem como este em quem haja o
espírito de Deus? 39 Depois disse Faraó a José: Pois que Deus te fez saber tudo isto, ninguém há tão
entendido e sábio como tu. 40 Tu estarás sobre a minha casa, e por tua boca se governará todo o meu
povo, somente no trono eu serei maior que tu. 41 Disse mais Faraó a José: Vês aqui te tenho posto sobre
toda a terra do Egito. 42 E tirou Faraó o anel da sua mão, e o pós na mão de José, e o fez vestir de roupas de
linho fino, e pós um colar de ouro no seu pescoço. 43 E o fez subir no segundo carro que tinha, e clamavam
diante dele: Ajoelhai. Assim o pós sobre toda a terra do Egito. 44 E disse Faraó a José: Eu sou Faraó;
porém sem ti ninguém levantará a sua mão ou o seu pé em toda a terra do Egito. 45 E Faraó chamou a
José de Zafenate-Panéia, e deu-lhe por mulher a Azenate, filha de Potífera, sacerdote de Om; e saiu José por
toda a terra do Egito.
Dn 2:46-49, (ARC); 46 Então, o rei Nabucodonosor caiu sobre o seu rosto, e adorou a Daniel, e ordenou que lhe
fizessem oferta de manjares e perfumes suaves. 47 Respondeu o rei a Daniel e disse: Certamente, o vosso
Deus é Deus dos deuses, e o Senhor dos reis, e o revelador dos segredos, pois pudeste revelar este
segredo. 48 Então, o rei engrandeceu a Daniel, e lhe deu muitos e grandes presentes, e o pôs por
governador de toda a província de Babilônia, como também por principal governador de todos os sábios
de Babilônia. 49 E pediu Daniel ao rei, e constituiu ele sobre os negócios da província de Babilônia a
Sadraque, Mesaque e Abede-Nego; mas Daniel estava às portas do rei.
Dn 6:1-3, (ACF 1753); 1 E PARECEU bem a Dario constituir sobre o reino cento e vinte príncipes, que
estivessem sobre todo o reino; 2 E sobre eles três presidentes, dos quais Daniel era um, aos quais estes
príncipes dessem conta, para que o rei não sofresse dano. 3 Então o mesmo Daniel sobrepujou a estes
presidentes e príncipes; porque nele havia um espírito excelente; e o rei pensava constituí-lo sobre todo
o reino.
❉ Resposta. 4. Por sua sabedoria e fidelidade, e pela bênção divina, José conquistou a confiança do faraó e foi
constituído governador do Egito. Da mesma forma, Daniel impressionou Nabucodonosor e Dario, e se tornou
governador da província de Babilônia e do império medo-persa.
Em Patriarcas e Profetas (p. 217, 218, 221) e em Profetas e Reis (p. 628, 546) que as seguintes qualidades,
presentes nesses homens piedosos, ganharam a confiança e o favor dos “pagãos” ao seu redor: gentileza,
fidelidade, sabedoria, bom senso, habilidades, nobre dignidade e inabalável integridade.
Os homens parecem movidos por um desejo insano de buscar posses terrenas. Toda sorte de desonestidade é
praticada para acumular riquezas. Dedicam-se os homens a suas transações comerciais com intenso zelo, como
se o êxito nesse ramo fosse garantia de alcançar o Céu. Empregam o capital confiado pelo Senhor em bens
terrenos, e não há meios para fazer o reino de Deus avançar no mundo aliviando o sofrimento físico e mental
de seus habitantes. Muitos dos que professam ser cristãos deixam de atender às ordens de Cristo, quando diz:
"Ajuntai tesouros no Céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam, nem
roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração." Mat. 6:20 e 21. Conselhos
Sobre Mordomia, p. 137.
A fiel integridade de José levou-o à perda da sua reputação e da sua liberdade. Esta é a prova mais severa a
que os virtuosos e tementes a Deus são sujeitos: ver que o vício parece prosperar, enquanto a virtude é pisada
no pó. A sedutora estava a viver em prosperidade como modelo de retidão, enquanto José, fiel aos princípios,
estava sob a acusação degradante de um crime repulsivo. A religião de José conservou o seu gênio amável, a
cálida e forte simpatia em relação à Humanidade, apesar de todas as suas provas. Há pessoas que, se sentem
que não são tratadas com justiça, tornam-se azedas, sem generosidade, duras e descorteses nas palavras e no
comportamento. Sucumbem odiosas, e odiando os outros. Mas José era Cristão. Assim que começa a sua vida
Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões:
ramos@advir.comramos@advir.com
de prisioneiro, põe em exercício todo o brilho dos seus princípios cristãos na vida prática; começou a tornar-se
útil aos outros. Tomou parte nas tribulações dos seus companheiros de prisão. É alegre, porque é um
cavalheiro cristão. Sob esta disciplina, Deus estava a prepará-lo para uma situação de grande responsabilidade,
honra e utilidade, e ele estava pronto a aprender; acolheu de boa vontade as lições que o Senhor lhe queria
ensinar. Aprendeu a levar o jugo na sua juventude. Aprendeu a governar, aprendendo primeiro a obedecer.
Humilhou-se a si mesmo, e o Senhor exaltou-o a uma honra especial.
A parte desempenhada por José em relação às cenas da sombria prisão foi a que o ergueu, por fim, à
prosperidade e à honra. Deus pretendia que ele obtivesse experiência através de tentações, adversidades,
vicissitudes, a fim de prepará-lo para ocupar uma posição exaltada. – Comentários de Ellen G. White, The
SDA Bible Commentary, vol. 1, p. 1097.
O caso de Daniel tem uma lição para nós. Revela o facto de que o homem de negócios não é necessariamente
um homem astuto, esperto. Pode ser instruído por Deus a cada passo. Daniel, enquanto primeiro-ministro do
reino da Babilônia, era profeta de Deus e recebia a luz da inspiração divina. Estadistas mundanos e ambiciosos
são representados na Palavra de Deus como a relva que cresce, e como a flor da erva que perece. Contudo, o
Senhor deseja ter ao Seu serviço homens inteligentes, qualificados para os vários ramos da obra. Há
necessidade de homens de negócios que entreteçam em todas as transações os grandes princípios da verdade.
E os seus talentos devem ser aperfeiçoados pelo mais completo estudo e prática. Se os homens em qualquer
ramo de trabalho precisam de aproveitar as oportunidades para se tornarem sábios e eficientes, tanto mais
aqueles que empregam a sua perícia em edificar o reino de Deus no mundo. De Daniel sabemos que em todas
as suas transações comerciais, quando submetidas ao exame mais severo, não se podia encontrar uma falta ou
um erro. Era um modelo de como devem ser todos os homens de negócios. A sua história mostra o que pode
ser conseguido por alguém que consagra ao serviço de Deus toda a energia do cérebro, dos ossos e dos
músculos, do coração e da vida. – Parábolas de Jesus, p. 350.
❉ Quarta, 31 de agosto - O valor do capital social
❉ Pergunta. 5. Leia Neemias 2:1-9. O rei Artaxerxes confiou em Neemias. Qual foi o resultado dessa confiança
providencial?
Ne 2:1-9, (ACF 1753); 1 SUCEDEU, pois, no mês de Nisã, no ano vigésimo do rei Artaxerxes, que estava posto
vinho diante dele, e eu peguei o vinho e o dei ao rei; porém eu nunca estivera triste diante dele. 2 E o rei me
disse: Por que está triste o teu rosto, pois não estás doente? Não é isto senão tristeza de coração; então
temi sobremaneira. 3 E disse ao rei: Viva o rei para sempre! Como não estaria triste o meu rosto, estando a
cidade, o lugar dos sepulcros de meus pais, assolada, e tendo sido consumidas as suas portas a fogo? 4 E o rei
me disse: Que me pedes agora? Então orei ao Deus dos céus, 5 E disse ao rei: Se é do agrado do rei, e se o teu
servo é aceito em tua presença, peço-te que me envies a Judá, à cidade dos sepulcros de meus pais, para que eu
a reedifique. 6 Então o rei me disse, estando a rainha assentada junto a ele: Quanto durará a tua viagem,
e quando voltarás? E aprouve ao rei enviar-me, apontando-lhe eu um certo tempo. 7 Disse mais ao rei: Se ao
rei parece bem, dêem-se-me cartas para os governadores dalém do rio, para que me permitam passar
até que chegue a Judá. 8 Como também uma carta para Asafe, guarda da floresta do rei, para que me dê
madeira para cobrir as portas do paço da casa, para o muro da cidade e para a casa em que eu houver
de entrar. E o rei mas deu, segundo a boa mão de Deus sobre mim. 9 Então fui aos governadores dalém do
rio, e dei-lhes as cartas do rei; e o rei tinha enviado comigo capitães do exército e cavaleiros.
❉ Resposta. 5. O rei percebeu a tristeza de Neemias e se interessou em ajudá-lo. Deus tocou o coração do rei,
que autorizou Neemias a reedificar Jerusalém e proveu recursos para isso.
Os meios que [...] faltavam [a Neemias,] ele os solicitou dos que lhe podiam fornecer. E o Senhor está ainda
desejando mover o coração dos que têm a posse dos Seus bens, em favor da causa da verdade. Os que
Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões:
ramos@advir.comramos@advir.com
trabalham para Ele devem servir-se do auxílio que Ele move os homens a dar. [...] Os doadores podem não ter
fé em Cristo, nem familiaridade com Sua Palavra; mas suas doações não devem ser recusadas por causa disso.
Profetas e Reis, p. 634.
Enquanto Neemias implorava a ajuda de Deus, não cruzava os braços, julgando que não tinha mais nenhum
cuidado ou responsabilidade no cumprimento do seu propósito de restaurar Jerusalém. Com admirável
prudência e previsão, fez todos os preparativos necessários para garantir o êxito do empreendimento. …
O exemplo deste homem santo deve servir de lição a todo o povo de Deus, mostrando que não devem apenas
orar com fé, mas trabalhar com diligência e fidelidade. Quantas dificuldades encontramos, quantas vezes
estorvamos a operação da Providência em nosso favor, por julgarmos que a prudência, a previsão e o esforço
têm pouco a ver com a religião! Isto é um erro grave. É nosso dever cultivar e exercitar toda a faculdade que
nos torne obreiros mais eficientes para Deus. A consideração cuidadosa assim como os planos bem
amadurecidos são tão essenciais ao êxito dos empreendimentos sagrados hoje como no tempo de Neemias. …
Os homens de oração devem ser homens de ação. Os que são prontos e voluntários, encontrarão meios e
modos de trabalhar. Neemias não dependia de incertezas. Pediu os meios que lhe faltavam àqueles que
estavam em condições de conceder.
Enquanto estivermos neste mundo, enquanto o Espírito de Deus contender com os filhos dos homens, teremos
de receber e prestar favores. Temos de dar ao mundo a luz da verdade tal como está revelada nas Escrituras; e
de receber do mundo aquilo que Deus os impele a dar em benefício da Sua causa. – Vidas que Falam
(Meditações Matinais, 1971), p. 264.
Necessitamos de apreciar cada capacidade que possuímos, pois é capital emprestado, a ser desenvolvido para a
glória de Deus. … Há uma tentação constante para os seres humanos de considerar que qualquer influência
que tenham obtido seja resultado de alguma coisa de valor em si mesmos. O Senhor não atua com essas
pessoas, pois não dará a nenhum ser a glória que pertence ao Seu nome. … Faz do servo humilde, fiel, o Seu
representante – aquele que não se exalta, nem pensa de si mesmo mais do que deve. A vida de uma pessoa
assim será consagrada a Deus como sacrifício vivo, e essa vida Ele aceitará e usará, e susterá. Ele anseia tornar
os homens sábios com a Sua própria sabedoria, para que essa sabedoria seja exercida em Seu favor. Manifesta-
Se por intermédio do obreiro consagrado e humilde. …
Mantenham toda a capacidade que vos foi confiada como um sagrado tesouro para ser usado para comunicar
aos outros o conhecimento e a graça recebidos. Assim corresponderão ao desígnio para o qual Deus vo-los
concedeu. O Senhor requer que nós imerjamos o próprio eu em Jesus Cristo, e deixemos que a glória seja toda
de Deus. – Para Conhecê-l’O (Meditações Matinais, 1965), p. 84.
❉ Quinta, 1º de setembro - A simpatia de todo o povo
Simpatia: afinidade, relação, similitude, analogia, impressão agradável, disposição favorável que se
experimenta em relação a alguém que pouco se conhece; pessoa que costuma ser agradável, delicada, afável.
❉ Pergunta. 6. Leia Deuteronômio 4:1-9. O que precisamos fazer para que o mundo veja que temos sabedoria e
que Deus está conosco? O que devemos obedecer para alcançar sucesso no cumprimento da missão?
Dt 4:1-9, (ACF 1753); 1 AGORA, pois, ó Israel, ouve os estatutos e os juízos que eu vos ensino, para os
cumprirdes; para que vivais, e entreis, e possuais a terra que o SENHOR Deus de vossos pais vos dá. 2 Não
acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do
SENHOR vosso Deus, que eu vos mando. 3 Os vossos olhos têm visto o que o SENHOR fez por causa de
Baal-Peor; pois a todo o homem que seguiu a Baal-Peor o SENHOR teu Deus consumiu do meio de ti. 4
Porém vós, que vos achegastes ao SENHOR vosso Deus, hoje todos estais vivos. 5 Vedes aqui vos tenho
ensinado estatutos e juízos, como me mandou o SENHOR meu Deus; para que assim façais no meio da
terra a qual ides a herdar. 6 Guardai-os pois, e cumpri-os, porque isso será a vossa sabedoria e o vosso
Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões:
ramos@advir.comramos@advir.com
entendimento perante os olhos dos povos, que ouvirão todos estes estatutos, e dirão: Este grande povo é
nação sábia e entendida. 7 Pois, que nação há tão grande, que tenha deuses tão chegados como o SENHOR
nosso Deus, todas as vezes que o invocamos? 8 E que nação há tão grande, que tenha estatutos e juízos tão
justos como toda esta lei que hoje ponho perante vós? 9 Tão-somente guarda-te a ti mesmo, e guarda
bem a tua alma, que não te esqueças daquelas coisas que os teus olhos têm visto, e não se apartem do teu
coração todos os dias da tua vida; e as farás saber a teus filhos, e aos filhos de teus filhos.
❉ Resposta. 6. Ouvir e obedecer fielmente aos mandamentos de Deus, e ensiná-los aos filhos. Contar às novas
gerações os milagres realizados por Deus em nossa vida. Assim, as promessas divinas se cumprirão em nossa
vida e seremos abençoados. As pessoas perceberão que somos sábios e inteligentes, pelos nossos princípios
espirituais e pelo nosso relacionamento com Deus.
O povo de Israel deveria ocupar todo o território que Deus lhes designara. As nações que rejeitassem o culto
ou o serviço do verdadeiro Deus deveriam ser desapossadas. Era propósito de Deus, porém, que, pela
revelação do Seu caráter, através de Israel, os homens fossem atraídos a Ele. O convite do Evangelho deveria
ser transmitido a todo o mundo. Pela lição do sacrifício simbólico, Cristo deveria ser exaltado perante as
nações, e todos os que olhassem para Ele viveriam. Todos os que, como Raabe, a Cananeia, e Rute, a Moabita,
se volvessem da idolatria para o culto do verdadeiro Deus, deveriam unir-se ao povo escolhido. Quando o
número de Israel aumentasse, deveriam ampliar os limites até que o seu reino abarcasse o mundo.
Deus desejava trazer todos os povos sob o Seu governo misericordioso. Desejava que a Terra se enchesse de
alegria e paz. Criou o homem para a felicidade, e anseia encher da paz do Céu o coração humano. Anela que
as famílias da Terra sejam um tipo da grande família do Céu. – Parábolas de Jesus, p. 290.
Leia Atos 2:42-47. Que ligação havia entre “a simpatia de todo o povo” para com os cristãos (At 2:47) e o
crescimento da igreja? Compare os valores mencionados nessa passagem com os valores de sua igreja.
At 2:41-47, (ACF 1753); 41 De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e
naquele dia agregaram-se quase três mil almas, 42 E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na
comunhão, e no partir do pão, e nas orações. 43 E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e
sinais se faziam pelos apóstolos. 44 E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum. 45 E
vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister. 46 E,
perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e
singeleza de coração, 47 Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias
acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar.
Depois de receberem o Espírito Santo, os discípulos saíram a proclamar um Salvador ressurgido, sendo seu
desejo único a salvação das pessoas. Regozijavam-se na doce comunhão com os santos. Eram ternos, corteses,
abnegados, dispostos a fazer qualquer sacrifício pela causa da verdade. Na sua diária associação mútua,
revelavam o amor que Cristo lhes ordenara revelar. Por palavras e atos abnegados, procuravam acender esse
amor noutros corações.
Os crentes devem sempre acariciar o amor que enchia o coração dos apóstolos depois de receberem o Espírito
Santo. Devem avançar em obediência voluntária ao novo mandamento. “Como eu vos amei a vós, que também
vós uns aos outros vos ameis.” João 13:34. Tão intimamente devem achar-se ligados a Cristo que serão
capacitados para cumprir as Suas exigências. O poder de um Salvador capaz de os justificar pela Sua justiça
deve ser engrandecido. – Testemunhos Para a Igreja, vol. 8, p. 241.
Quando a graça de Cristo é expressa em palavras e obras por parte dos crentes, a luz brilhará para os que estão
nas trevas; pois, enquanto os lábios estão a proferir louvores a Deus, as mãos estão estendidas em beneficência
para ajudar os que estão a perecer. Lemos que, no dia do Pentecostes, quando o Espírito Santo desceu sobre os
discípulos, ninguém dizia que o que possuía era sua propriedade. Todos os seus bens eram para o avanço da
maravilhosa reforma. E milhares foram convertidos num dia. Quando o mesmo Espírito atuar nos crentes de
hoje, e eles derem a Deus as suas propriedades com a mesma liberalidade, será realizada uma obra ampla e de
vasto alcance. – Beneficência Social, p. 271.
Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A procura de deus
A procura de deusA procura de deus
A procura de deus
Katia Jonatam
 
Getsêmani
GetsêmaniGetsêmani
Getsêmani
www.osEXgays.com
 
A fé salvadora (charles haddon spurgeon)
A fé salvadora (charles haddon spurgeon)A fé salvadora (charles haddon spurgeon)
A fé salvadora (charles haddon spurgeon)
Deusdete Soares
 
03
0303
Como orar pelos perdidos
Como orar pelos perdidosComo orar pelos perdidos
Como orar pelos perdidos
MarceloeOtilia Sales
 
O apagar das graças do Espírito - John Dod
O apagar das graças do Espírito  -  John DodO apagar das graças do Espírito  -  John Dod
O apagar das graças do Espírito - John Dod
Silvio Dutra
 
185152 grandes sermoes do mundo
185152 grandes sermoes do mundo185152 grandes sermoes do mundo
185152 grandes sermoes do mundo
Edilson Silva
 
Sinais dos tempos
Sinais dos temposSinais dos tempos
Sinais dos tempos
Silvio Dutra
 
Os cacadores-de-deus
Os cacadores-de-deusOs cacadores-de-deus
Os cacadores-de-deus
Katia Jonatam
 
II Corintios cap 8 a 10
II Corintios cap 8 a 10II Corintios cap 8 a 10
II Corintios cap 8 a 10
Andreia Quesada
 
Livro ebook-perguntas-e-respostas-desde-a-cruz
Livro ebook-perguntas-e-respostas-desde-a-cruzLivro ebook-perguntas-e-respostas-desde-a-cruz
Livro ebook-perguntas-e-respostas-desde-a-cruz
Mateus Bragança
 
A liberação do espírito (watchman nee)
A liberação do espírito (watchman nee)A liberação do espírito (watchman nee)
A liberação do espírito (watchman nee)
Jonatas Mendes
 
John piper como matar o pecado
John piper   como matar o pecadoJohn piper   como matar o pecado
John piper como matar o pecado
Eney Araujo
 
A livre graça charles haddon spurgeon
A livre graça   charles haddon spurgeonA livre graça   charles haddon spurgeon
A livre graça charles haddon spurgeon
Deusdete Soares
 
A EXPERIÊNCIA DE CHARLES FINNEY
A EXPERIÊNCIA DE CHARLES FINNEYA EXPERIÊNCIA DE CHARLES FINNEY
A EXPERIÊNCIA DE CHARLES FINNEY
mudancadevidaja
 
Lição 912016_O grande conflito e a igreja primitiva + textos_GGR
Lição 912016_O grande conflito e a igreja primitiva + textos_GGRLição 912016_O grande conflito e a igreja primitiva + textos_GGR
Lição 912016_O grande conflito e a igreja primitiva + textos_GGR
Gerson G. Ramos
 
As engrenagens da salvação (charles haddon spurgeon)
As engrenagens da salvação (charles haddon spurgeon)As engrenagens da salvação (charles haddon spurgeon)
As engrenagens da salvação (charles haddon spurgeon)
Deusdete Soares
 
O cristão que intercede kenneth e. hagin
O cristão que intercede   kenneth e. haginO cristão que intercede   kenneth e. hagin
O cristão que intercede kenneth e. hagin
prfavinho
 
A verdade sobre o homem Paul Washer
A verdade sobre o homem   Paul WasherA verdade sobre o homem   Paul Washer
A verdade sobre o homem Paul Washer
Claudio Valentim Rebelo
 
Deus, a melhor porçao do cristão
Deus, a melhor porçao do cristãoDeus, a melhor porçao do cristão
Deus, a melhor porçao do cristão
Rogério Dias
 

Mais procurados (20)

A procura de deus
A procura de deusA procura de deus
A procura de deus
 
Getsêmani
GetsêmaniGetsêmani
Getsêmani
 
A fé salvadora (charles haddon spurgeon)
A fé salvadora (charles haddon spurgeon)A fé salvadora (charles haddon spurgeon)
A fé salvadora (charles haddon spurgeon)
 
03
0303
03
 
Como orar pelos perdidos
Como orar pelos perdidosComo orar pelos perdidos
Como orar pelos perdidos
 
O apagar das graças do Espírito - John Dod
O apagar das graças do Espírito  -  John DodO apagar das graças do Espírito  -  John Dod
O apagar das graças do Espírito - John Dod
 
185152 grandes sermoes do mundo
185152 grandes sermoes do mundo185152 grandes sermoes do mundo
185152 grandes sermoes do mundo
 
Sinais dos tempos
Sinais dos temposSinais dos tempos
Sinais dos tempos
 
Os cacadores-de-deus
Os cacadores-de-deusOs cacadores-de-deus
Os cacadores-de-deus
 
II Corintios cap 8 a 10
II Corintios cap 8 a 10II Corintios cap 8 a 10
II Corintios cap 8 a 10
 
Livro ebook-perguntas-e-respostas-desde-a-cruz
Livro ebook-perguntas-e-respostas-desde-a-cruzLivro ebook-perguntas-e-respostas-desde-a-cruz
Livro ebook-perguntas-e-respostas-desde-a-cruz
 
A liberação do espírito (watchman nee)
A liberação do espírito (watchman nee)A liberação do espírito (watchman nee)
A liberação do espírito (watchman nee)
 
John piper como matar o pecado
John piper   como matar o pecadoJohn piper   como matar o pecado
John piper como matar o pecado
 
A livre graça charles haddon spurgeon
A livre graça   charles haddon spurgeonA livre graça   charles haddon spurgeon
A livre graça charles haddon spurgeon
 
A EXPERIÊNCIA DE CHARLES FINNEY
A EXPERIÊNCIA DE CHARLES FINNEYA EXPERIÊNCIA DE CHARLES FINNEY
A EXPERIÊNCIA DE CHARLES FINNEY
 
Lição 912016_O grande conflito e a igreja primitiva + textos_GGR
Lição 912016_O grande conflito e a igreja primitiva + textos_GGRLição 912016_O grande conflito e a igreja primitiva + textos_GGR
Lição 912016_O grande conflito e a igreja primitiva + textos_GGR
 
As engrenagens da salvação (charles haddon spurgeon)
As engrenagens da salvação (charles haddon spurgeon)As engrenagens da salvação (charles haddon spurgeon)
As engrenagens da salvação (charles haddon spurgeon)
 
O cristão que intercede kenneth e. hagin
O cristão que intercede   kenneth e. haginO cristão que intercede   kenneth e. hagin
O cristão que intercede kenneth e. hagin
 
A verdade sobre o homem Paul Washer
A verdade sobre o homem   Paul WasherA verdade sobre o homem   Paul Washer
A verdade sobre o homem Paul Washer
 
Deus, a melhor porçao do cristão
Deus, a melhor porçao do cristãoDeus, a melhor porçao do cristão
Deus, a melhor porçao do cristão
 

Destaque

Bus 644 entire course operations management new syllabus 2013
Bus 644 entire course operations management new syllabus 2013Bus 644 entire course operations management new syllabus 2013
Bus 644 entire course operations management new syllabus 2013
supportonlineexam438
 
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRRespostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Isla caña
Isla cañaIsla caña
Isla caña
Ruslan Rodriguez
 
EleazarGarza
EleazarGarzaEleazarGarza
EleazarGarza
Eleazar Garza
 
Sea power 2 session 3-france joins
Sea power 2 session 3-france joinsSea power 2 session 3-france joins
Sea power 2 session 3-france joins
Jim Powers
 
DIGITALSIMI2016 : Quelles sont les 10 tendances disruptives dans l’immobilier ?
DIGITALSIMI2016 : Quelles sont les 10 tendances disruptives dans l’immobilier ?DIGITALSIMI2016 : Quelles sont les 10 tendances disruptives dans l’immobilier ?
DIGITALSIMI2016 : Quelles sont les 10 tendances disruptives dans l’immobilier ?
ARP-Astrance
 
8826869222 Emaar MGF Marbella Sector 65 Golf Course Extension Road Gurgaon
8826869222 Emaar MGF Marbella Sector 65 Golf Course Extension Road Gurgaon8826869222 Emaar MGF Marbella Sector 65 Golf Course Extension Road Gurgaon
8826869222 Emaar MGF Marbella Sector 65 Golf Course Extension Road Gurgaon
sarveshnassa11
 
線上報名
線上報名線上報名
線上報名
思璇 陳
 
Method of Statement - Pavement works
Method of Statement - Pavement worksMethod of Statement - Pavement works
Method of Statement - Pavement works
Mohd Nizam Mohd Zan
 

Destaque (11)

Bus 644 entire course operations management new syllabus 2013
Bus 644 entire course operations management new syllabus 2013Bus 644 entire course operations management new syllabus 2013
Bus 644 entire course operations management new syllabus 2013
 
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRRespostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
 
Isla caña
Isla cañaIsla caña
Isla caña
 
EleazarGarza
EleazarGarzaEleazarGarza
EleazarGarza
 
rasz
raszrasz
rasz
 
Sea power 2 session 3-france joins
Sea power 2 session 3-france joinsSea power 2 session 3-france joins
Sea power 2 session 3-france joins
 
Wiersze
WierszeWiersze
Wiersze
 
DIGITALSIMI2016 : Quelles sont les 10 tendances disruptives dans l’immobilier ?
DIGITALSIMI2016 : Quelles sont les 10 tendances disruptives dans l’immobilier ?DIGITALSIMI2016 : Quelles sont les 10 tendances disruptives dans l’immobilier ?
DIGITALSIMI2016 : Quelles sont les 10 tendances disruptives dans l’immobilier ?
 
8826869222 Emaar MGF Marbella Sector 65 Golf Course Extension Road Gurgaon
8826869222 Emaar MGF Marbella Sector 65 Golf Course Extension Road Gurgaon8826869222 Emaar MGF Marbella Sector 65 Golf Course Extension Road Gurgaon
8826869222 Emaar MGF Marbella Sector 65 Golf Course Extension Road Gurgaon
 
線上報名
線上報名線上報名
線上報名
 
Method of Statement - Pavement works
Method of Statement - Pavement worksMethod of Statement - Pavement works
Method of Statement - Pavement works
 

Semelhante a Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR

1608-2mentedecristo@1_slides.pdf
1608-2mentedecristo@1_slides.pdf1608-2mentedecristo@1_slides.pdf
1608-2mentedecristo@1_slides.pdf
luizandrade652015
 
A firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John Owen
A firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John OwenA firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John Owen
A firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John Owen
Silvio Dutra
 
42. a oração
42. a oração42. a oração
42. a oração
pohlos
 
29. preparação do povo de deus
29. preparação do povo de deus29. preparação do povo de deus
29. preparação do povo de deus
pohlos
 
Avaliando Como Deus Avalia
Avaliando Como Deus AvaliaAvaliando Como Deus Avalia
Avaliando Como Deus Avalia
Silvio Dutra
 
O que é crer
O que é crer O que é crer
O que é crer
Erberson Pinheiro
 
Avaliando conforme Deus avalia
Avaliando conforme Deus avaliaAvaliando conforme Deus avalia
Avaliando conforme Deus avalia
Silvio Dutra
 
Fé e obras
Fé e obrasFé e obras
Fé e obras
iasdvilaveronica
 
18. como estudar a biblía ii
18. como estudar a biblía ii18. como estudar a biblía ii
18. como estudar a biblía ii
pohlos
 
Filhos de Deus: desconstruindo o dogma separatista das igrejas evangélicas do...
Filhos de Deus: desconstruindo o dogma separatista das igrejas evangélicas do...Filhos de Deus: desconstruindo o dogma separatista das igrejas evangélicas do...
Filhos de Deus: desconstruindo o dogma separatista das igrejas evangélicas do...
Vandré
 
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Gerson G. Ramos
 
Fé e obras
Fé e obrasFé e obras
Fé e obras
Ismael Rosa
 
Santificação – Uma Obra Vitalícia - John Owern
Santificação – Uma Obra Vitalícia - John OwernSantificação – Uma Obra Vitalícia - John Owern
Santificação – Uma Obra Vitalícia - John Owern
Silvio Dutra
 
As batalhas espirituais finais - parte 7
As batalhas espirituais finais  -  parte 7As batalhas espirituais finais  -  parte 7
As batalhas espirituais finais - parte 7
Silvio Dutra
 
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGRLição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Gerson G. Ramos
 
5008118 curai-enfermos-e-expulsai-demonios-t-l-osborn-120624160506-phpapp01
5008118 curai-enfermos-e-expulsai-demonios-t-l-osborn-120624160506-phpapp015008118 curai-enfermos-e-expulsai-demonios-t-l-osborn-120624160506-phpapp01
5008118 curai-enfermos-e-expulsai-demonios-t-l-osborn-120624160506-phpapp01
GILMAR BASTOS
 
Raimundo moura crentes carnais – 1 coríntios 3. 1 a 3..
Raimundo moura   crentes carnais – 1 coríntios 3. 1 a 3..Raimundo moura   crentes carnais – 1 coríntios 3. 1 a 3..
Raimundo moura crentes carnais – 1 coríntios 3. 1 a 3..
norbertopm1
 
Um salmo para o ano novo (charles h. spurgeon)
Um salmo para o ano novo (charles h. spurgeon)Um salmo para o ano novo (charles h. spurgeon)
Um salmo para o ano novo (charles h. spurgeon)
Deonice E Orlando Sazonov
 
Estudo bomsossego-21.10.11
Estudo bomsossego-21.10.11Estudo bomsossego-21.10.11
Estudo bomsossego-21.10.11
Capelania Militar Evangélica
 
24. como estudar a biblía i
24. como estudar a biblía i24. como estudar a biblía i
24. como estudar a biblía i
pohlos
 

Semelhante a Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR (20)

1608-2mentedecristo@1_slides.pdf
1608-2mentedecristo@1_slides.pdf1608-2mentedecristo@1_slides.pdf
1608-2mentedecristo@1_slides.pdf
 
A firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John Owen
A firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John OwenA firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John Owen
A firmeza das promessas e a pecaminosidade de cambalear -John Owen
 
42. a oração
42. a oração42. a oração
42. a oração
 
29. preparação do povo de deus
29. preparação do povo de deus29. preparação do povo de deus
29. preparação do povo de deus
 
Avaliando Como Deus Avalia
Avaliando Como Deus AvaliaAvaliando Como Deus Avalia
Avaliando Como Deus Avalia
 
O que é crer
O que é crer O que é crer
O que é crer
 
Avaliando conforme Deus avalia
Avaliando conforme Deus avaliaAvaliando conforme Deus avalia
Avaliando conforme Deus avalia
 
Fé e obras
Fé e obrasFé e obras
Fé e obras
 
18. como estudar a biblía ii
18. como estudar a biblía ii18. como estudar a biblía ii
18. como estudar a biblía ii
 
Filhos de Deus: desconstruindo o dogma separatista das igrejas evangélicas do...
Filhos de Deus: desconstruindo o dogma separatista das igrejas evangélicas do...Filhos de Deus: desconstruindo o dogma separatista das igrejas evangélicas do...
Filhos de Deus: desconstruindo o dogma separatista das igrejas evangélicas do...
 
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
 
Fé e obras
Fé e obrasFé e obras
Fé e obras
 
Santificação – Uma Obra Vitalícia - John Owern
Santificação – Uma Obra Vitalícia - John OwernSantificação – Uma Obra Vitalícia - John Owern
Santificação – Uma Obra Vitalícia - John Owern
 
As batalhas espirituais finais - parte 7
As batalhas espirituais finais  -  parte 7As batalhas espirituais finais  -  parte 7
As batalhas espirituais finais - parte 7
 
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGRLição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
Lição 1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
 
5008118 curai-enfermos-e-expulsai-demonios-t-l-osborn-120624160506-phpapp01
5008118 curai-enfermos-e-expulsai-demonios-t-l-osborn-120624160506-phpapp015008118 curai-enfermos-e-expulsai-demonios-t-l-osborn-120624160506-phpapp01
5008118 curai-enfermos-e-expulsai-demonios-t-l-osborn-120624160506-phpapp01
 
Raimundo moura crentes carnais – 1 coríntios 3. 1 a 3..
Raimundo moura   crentes carnais – 1 coríntios 3. 1 a 3..Raimundo moura   crentes carnais – 1 coríntios 3. 1 a 3..
Raimundo moura crentes carnais – 1 coríntios 3. 1 a 3..
 
Um salmo para o ano novo (charles h. spurgeon)
Um salmo para o ano novo (charles h. spurgeon)Um salmo para o ano novo (charles h. spurgeon)
Um salmo para o ano novo (charles h. spurgeon)
 
Estudo bomsossego-21.10.11
Estudo bomsossego-21.10.11Estudo bomsossego-21.10.11
Estudo bomsossego-21.10.11
 
24. como estudar a biblía i
24. como estudar a biblía i24. como estudar a biblía i
24. como estudar a biblía i
 

Mais de Gerson G. Ramos

Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGRLição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGRLição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRLição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRRespostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRLição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRRespostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRLição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRLição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGRRespostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGRLição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGRRespostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGRLição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGRLição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRRespostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRLição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGRRespostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGRLição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGRRespostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGRLição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Gerson G. Ramos
 
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGRRespostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Gerson G. Ramos
 

Mais de Gerson G. Ramos (20)

Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGRLição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
Lição_1232016_Ministério urbano no tempo do fim_GGR
 
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGRLição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
Lição_1132016_Jesus ordenava_ “Segue-Me”_GGR
 
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGRLição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
Lição_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR
 
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRRespostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Respostas_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
 
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGRLição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
Lição_932016_ Jesus ministrava às necessidades das pessoas_GGR
 
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRRespostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Respostas_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
 
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGRLição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
Lição_832016_Jesus manifestava compaixão pelas pessoas_GGR
 
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRLição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Lição_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
 
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGRRespostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
Respostas_63201_ Jesus se misturava com as pessoas_GGR
 
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGRLição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
Lição_632016_Jesus Se misturava com as pessoas_GGR
 
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGRRespostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Respostas_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
 
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGRLição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
Lição_532016_Como o evangelho transforma a comunidade_GGR
 
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGRLição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
Lição_432016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 2_GGR
 
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRRespostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Respostas_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
 
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGRLição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
Lição_332016_Justiça e misericórdia no Antigo Testamento: Parte 1_GGR
 
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGRRespostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Respostas_232016_A Restauração do Domínio_GGR
 
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGRLição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
Lição_232016_A Restauração do Domínio_GGR
 
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGRRespostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Respostas_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
 
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGRLição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
Lição_132016_A restauração de todas as coisas_GGR
 
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGRRespostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
Respostas_1222016_Os últimos dias de Jesus_GGR
 

Último

Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 

Último (15)

Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 

Respostas_1032016_Jesus conquistava a confiança das pessoas_GGR

  • 1. Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comramos@advir.com Respostas - Lição 10 O Papel da Igreja na Comunidade Jesus conquistava a confiança das pessoas 27 de agosto a 3 de setembro de 2016 ❉ Sábado à tarde VERSO PARA MEMORIZAR: “Porém o que se dizia a Seu respeito cada vez mais se divulgava, e grandes multidões afluíam para O ouvirem e serem curadas de suas enfermidades” (Lc 5:15). Todo o ato do ministério de Cristo tinha um vasto alcance nos seus propósitos. Envolvia mais do que o ato em si mesmo parecia encerrar. Foi o que se deu no caso do leproso. Enquanto Jesus atendia todos quantos vinham até Ele, desejava também beneficiar os que não vinham. Enquanto atraía os publicanos, os Gentios e os Samaritanos ansiavam alcançar os sacerdotes e os mestres que estavam aprisionados pelos preconceitos e pelas tradições. Não deixava de tentar todos os meios pelos quais pudesse chegar até eles. Ao enviar o leproso aos sacerdotes, proporcionou-lhes o testemunho calculado para lhes desarmar os preconceitos. O Desejado de Todas as Nações, pp. 213 e 214. (Ed. P. Servir). ❉ Domingo, 28 de agosto - Conquistando a confiança ❉ Pergunta. 1. As seguintes passagens contêm uma palavra com base na raiz amn: Gênesis 15:6; Números 14:11;Isaías 7:9 e Habacuque 2:4. Como a palavra é usada em cada passagem, e como transmite a ideia de confiança? Gn 15:6, (ACF 1753); 6 E creu ele no SENHOR, e imputou-lhe isto por justiça. Nm 14:11, (ACF 1753); 11 E disse o SENHOR a Moisés: Até quando me provocará este povo? e até quando não crerá em mim, apesar de todos os sinais que fiz no meio dele? Is 7:9, (ACF 1753); 9 Entretanto a cabeça de Efraim será Samaria, e a cabeça de Samaria o filho de Remalias; se não o crerdes, certamente não haveis de permanecer. Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  • 2. Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comramos@advir.com Hc 2:4, (ACF 1753); 4 Eis que a sua alma está orgulhosa, não é reta nele; mas o justo pela sua fé viverá. ❉ Resposta. 1. Crença: Abraão creu em Deus e foi considerado justo; no deserto, o povo de Israel não teve fé e deixou de alcançar a promessa; em Isaías 7, aparece o verbo “crer”; em Habacuque 2:4, a palavra é fé: o justo viverá pela fé. No grego do Novo Testamento, a raiz usada para transmitir a ideia do termo hebraico amn (fé, crença) épistis. Essa palavra grega para fé implica crença, confiança, certeza absoluta, confiabilidade e convicção. LES Mq 7:5-6, (ACF 1753); 5 Não creiais no amigo, nem confieis no vosso guia; daquela que repousa no teu seio, guarda as portas da tua boca. 6 Porque o filho despreza ao pai, a filha se levanta contra sua mãe, a nora contra sua sogra, os inimigos do homem são os da sua própria casa. Sl 118:9, (ACF 1753); 9 É melhor confiar no SENHOR do que confiar nos príncipes. Muitos não exercem aquela fé que têm o privilégio e o dever de exercer, esperando muitas vezes receber aquele sentimento que só a fé pode trazer. O sentimento não é fé; os dois são diferentes. Cabe-nos a nós exercitar a fé; mas aquele sentimento de alegria e as bênçãos, é Deus Quem os dá. A graça de Deus chega até nós através do canal da fé viva, e está ao nosso alcance exercitar essa fé. A verdadeira fé apreende e suplica a bênção prometida, antes que esta se realize e a sintamos. Devemos, pela fé, enviar as nossas petições para dentro do segundo véu, e fazer com que a nossa fé se apodere da bênção prometida e a invoque como sendo nossa. Devemos então crer que recebemos a bênção, porque a nossa fé se apoderou dela, e, segundo a Palavra, é nossa. “Tudo o que pedirdes, orando, crede que o recebereis e tê-lo-eis” (Marcos 11:24). Isto é fé, e fé pura; o crer que recebemos a bênção, mesmo antes de a vermos. … Muitos supõem, todavia … que não podem ter fé a menos que sintam o poder do Espírito. Tais pessoas confundem a fé com as bênçãos que a acompanham. O tempo em que propriamente deveríamos exercer a fé é aquele em que nos sentimos privados do Espírito. Quando densas nuvens de trevas parecem pairar sobre o espírito, é ocasião para fazer com que a fé viva penetre nas trevas e disperse as nuvens. A verdadeira fé baseia-se nas promessas contidas na Palavra de Deus, e apenas aqueles que obedecem a essa Palavra podem exigir as suas gloriosas promessas. … A medida do Espírito Santo que recebemos será proporcional à medida do nosso desejo e da fé exercida nesse sentido. … Podemos estar certos de que receberemos o Espírito Santo, se fizermos individualmente a experiência de pôr à prova a Palavra de Deus. – Maravilhosa Graça (Meditações Matinais, 1974), p. 206. Revendo Moisés os resultados dos seus trabalhos, a sua vida de provações e sacrifícios parecia ter sido quase em vão. Contudo, não se lamentava dos fardos que tinha suportado. Sabia que a sua missão e o seu trabalho tinham sido designados pelo próprio Deus. … Se bem que tivessem sido grandes as suas provações, tinha usufruído de testemunhos especiais do favor de Deus. Tinha obtido uma rica experiência durante a permanência no deserto, testemunhando as manifestações do poder e da glória de Deus, na comunhão do Seu amor; sentiu que tinha feito uma sábia decisão, preferindo sofrer aflição com o povo de Deus, a desfrutar, durante algum tempo, do prazer do pecado. Patriarcas e Profetas, pp. 427, 458. (Ed. P. SerVir). ❉ Segunda, 29 de agosto - Um equilíbrio cuidadoso ❉ Pergunta. 2. Leia 1 Coríntios 3:1-9; 5:1. Quais problemas Paulo enfrentou na igreja de Corinto? Se as pessoas da comunidade fossem convidadas para visitar essa igreja e vissem essas coisas, o que elas pensariam? 1Co 3:1-9, (ACF 1753); 1 E EU, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a meninos em Cristo. 2 Com leite vos criei, e não com carne, porque ainda não podíeis, nem tampouco ainda Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  • 3. Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comramos@advir.com agora podeis, 3 Porque ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja, contendas e dissensões, não sois porventura carnais, e não andais segundo os homens? 4 Porque, dizendo um: Eu sou de Paulo; e outro: Eu de Apolo; porventura não sois carnais? 5 Pois, quem é Paulo, e quem é Apolo, senão ministros pelos quais crestes, e conforme o que o SENHOR deu a cada um? 6 Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento. 7 Por isso, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento. 8 Ora, o que planta e o que rega são um; mas cada um receberá o seu galardão segundo o seu trabalho. 9 Porque nós somos cooperadores de Deus; vós sois lavoura de Deus e edifício de Deus. 1Co 5:1, (ARC); 1 Geralmente, se ouve que há entre vós fornicação e fornicação tal, qual nem ainda entre os gentios, como é haver quem abuse da mulher de seu pai. ❉ Resposta. 2. Imaturidade espiritual, ciúmes, contendas, desunião, partidarismo e imoralidade. Essas coisas escandalizariam a comunidade. Enquanto se esforçava por levar as almas para ao pé da Cruz, Paulo não se aventurava a repreender diretamente os licenciosos, ou a mostrar quão abominável era o seu pecado aos olhos de um Deus santo. Primeiro expunha, perante eles, o verdadeiro objetivo da vida, e procurava imprimir na sua mente as lições do divino Mestre, as quais, se fossem recebidas, tirá-los-iam do mundanismo e do pecado para a pureza e justiça. Frisou especialmente a piedade prática e a santidade que deviam alcançar os que desejassem ser considerados dignos de um lugar no reino de Deus. Ansiava ver a luz do Evangelho de Cristo arrancar as trevas do seu espírito, para poderem ver como as suas práticas imorais eram ofensivas à vista de Deus. Por isso, o peso dos seus ensinos entre eles era Cristo, e Este crucificado. Procurava mostrar-lhes que o seu mais fervoroso estudo e a sua maior alegria devia ser a maravilhosa verdade da salvação mediante o arrependimento para com Deus e a fé no Senhor Jesus Cristo. Os filósofos desviam-se da luz da salvação, porque ela envergonha as suas orgulhosas teorias. Os mundanos recusam recebê-la, porque ela separá-los-ia dos seus ídolos terrenos. Paulo viu que o caráter de Cristo precisava de ser compreendido antes de os homens poderem Amá-lo, ou antes de contemplarem a Cruz com os olhos da fé. Aqui deve começar o estudo que será a ciência e o cântico dos remidos através de toda a eternidade. Apenas à luz do Calvário o verdadeiro valor da alma humana pode ser avaliado. A enobrecedora influência da graça de Deus muda a disposição natural do homem. – Atos dos Apóstolos, p. 195. (Ed. P. SerVir). Que ninguém sobrecarregue as faculdades que Deus lhe deu num esforço por promover mais rapidamente a causa do Senhor. O poder do homem não pode apressar a obra; a ele tem de unir-se o poder dos seres celestiais. Só assim pode a obra de Deus ser levada à perfeição. O homem não pode fazer a parte do trabalho que compete a Deus. Um Paulo pode plantar e um Apolo regar, mas Deus dá o crescimento. Em simplicidade e humildade deve o homem cooperar com os agentes divinos, fazendo sempre o melhor que pode, contudo reconhecendo sempre que é Deus o grande Obreiro Mestre. Não deve sentir-se confiante em si mesmo, pois assim esgotará a sua força de reserva e destruirá as suas faculdades mentais e físicas. Mesmo que todos os obreiros que agora suportam os mais pesados encargos fossem postos de lado, a obra de Deus seria levada avante. Temperemos, pois, com a razão o nosso zelo no trabalho; cessemos os esforços para fazer aquilo que só o Senhor pode efetuar. – Testemunhos Para a Igreja, vol. 7, p. 298. Nada dará tanta reputação, nem poderá dar, à obra na apresentação da verdade como ajudar as pessoas exatamente onde elas se encontram, como esta obra samaritana. Uma obra devidamente dirigida para salvar os pobres pecadores passados por alto pelas igrejas será a cunha de entrada onde a verdade encontrará um lugar permanente. É preciso estabelecer uma ordem diferente das coisas entre nós como um povo, e, à medida que se faz este tipo de trabalho, criar-se-á uma atmosfera totalmente diferente, circundando a alma dos obreiros; pois o Espírito Santo comunica com todos os que fazem o serviço de Deus, e os que são movidos pelo Espírito Santo serão uma força para o bem, ao elevar, fortalecer, e salvar as almas prestes a perecer. – Special Testimonies, Série A, nº 11, p. 32. Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  • 4. Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comramos@advir.com ❉ Terça, 30 de agosto - Capital social Capital: Diz-se do que é principal, fundamental, também definido como recursos. Social: Concernente a uma comunidade, a uma sociedade humana, ao relacionamento entre indivíduos etc. Capital social dentro deste contexto refere-se a investir os recursos concedidos por Deus (talentos, dons e posses) para ajuntar as pessoas nesta Terra, e indicar-lhes o caminho do reino dos céus. GGR. Mt 6:19-21, (ACF 95); 19 Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; 20 Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. 21 Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração. ❉ Pergunta. 3. Como o conceito expresso em Provérbios 22:1 se relaciona com nosso testemunho e esforços missionários na comunidade? Pv 22:1, (ACF 95); 1 Vale mais ter um bom nome do que muitas riquezas; e o ser estimado é melhor do que a riqueza e o ouro. ❉ Resposta. 3. O bom nome e a boa reputação têm grande valor na obra de alcançar pessoas. O bom testemunho junto à comunidade é muito mais eficaz do que o dinheiro no esforço de alcançar corações. Podem os homens aspirar ao renome. Podem desejar possuir um grande nome. Para alguns a posse de casas e terras e bastante dinheiro (isso que os torna grandes segundo a medida do mundo), é o auge de sua ambição. Desejam alcançar o lugar em que podem olhar de cima para baixo, com uma sensação de superioridade, aos que são pobres. Todos esses estão a construir sobre areia, e sua casa ruirá subitamente. Não é verdadeira grandeza a superioridade de posição. De nenhum valor real, em si, é aquilo que não aumenta o valor do caráter. Aquilo que, unicamente, vale a pena obter, é a grandeza de espírito à vista do Céu. Talvez nunca venhais a saber a verdadeira e exaltada natureza de vossa obra. O valor de vosso próprio ser só podereis apreciar pelo valor daquela Vida que foi dada para salvar a todos os que a queiram receber. Todo homem terá em certa estima o seu valor, quando se torna coobreiro de Cristo, fazendo a obra que Cristo fez, enchendo o mundo com a justiça de Cristo, como portador de uma comissão entregue pelo Altíssimo. ... A comissão confiada aos discípulos é dada a todos os que se acham relacionados com Cristo. Devem fazer todo e qualquer sacrifício pela satisfação de ver, salvas, vidas que estão a perecer sem Cristo. Tudo que seja feito em nome de Jesus, para abençoar e enobrecer, e para restaurar em seres humanos a imagem divina, é tão aceitável a Deus como o foi a obra de Moisés. ... A mais alta honra que se possa conferir a seres humanos, sejam jovens ou idosos, ricos ou pobres, é permitir- se-lhes que levantem os oprimidos, confortem os desanimados. O mundo está cheio de sofredores. Ide, pregai o evangelho aos pobres, curai os doentes. Esta é a obra que se deve relacionar com a mensagem do evangelho. "Aos pobres é anunciado o evangelho." Mat. 11:5. Os cooperadores de Deus devem preencher com o amor de Jesus o espaço que ocupam no mundo. ... O amor de Cristo no coração exprime-se nas ações. Se é frouxo nosso amor a Cristo, o amor àqueles pelos quais Cristo morreu há de degenerar. ... Verdadeiras riquezas são genuína fé e amor genuíno. Estes tornam o caráter completo em Cristo. Se houvesse mais fé, simples, confiante fé em Jesus, haveria amor, puro amor, que é o ouro do caráter cristão. Manuscrito 61, 1898. Nos Lugares Celestiais, MM 1968, p. 173. ❉ Pergunta. 4. Além do ministério terrestre de Jesus, a Bíblia nos dá outros exemplos do que pode acontecer quando o povo de Deus adquire “capital social”. Leia as seguintes passagens e descreva os relacionamentos positivos que esses personagens bíblicos experimentaram com “os de fora” e o que aconteceu como resultado: At 7:9-10, (ARC); 9 E os patriarcas, movidos de inveja, venderam a José para o Egito; mas Deus era com ele. 10 Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  • 5. Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comramos@advir.com E livrou-o de todas as suas tribulações e lhe deu graça e sabedoria ante Faraó, rei do Egito, que o constituiu governador sobre o Egito e toda a sua casa. Gn 41:38-45, (ACF 95); 38 E disse Faraó a seus servos: Acharíamos um homem como este em quem haja o espírito de Deus? 39 Depois disse Faraó a José: Pois que Deus te fez saber tudo isto, ninguém há tão entendido e sábio como tu. 40 Tu estarás sobre a minha casa, e por tua boca se governará todo o meu povo, somente no trono eu serei maior que tu. 41 Disse mais Faraó a José: Vês aqui te tenho posto sobre toda a terra do Egito. 42 E tirou Faraó o anel da sua mão, e o pós na mão de José, e o fez vestir de roupas de linho fino, e pós um colar de ouro no seu pescoço. 43 E o fez subir no segundo carro que tinha, e clamavam diante dele: Ajoelhai. Assim o pós sobre toda a terra do Egito. 44 E disse Faraó a José: Eu sou Faraó; porém sem ti ninguém levantará a sua mão ou o seu pé em toda a terra do Egito. 45 E Faraó chamou a José de Zafenate-Panéia, e deu-lhe por mulher a Azenate, filha de Potífera, sacerdote de Om; e saiu José por toda a terra do Egito. Dn 2:46-49, (ARC); 46 Então, o rei Nabucodonosor caiu sobre o seu rosto, e adorou a Daniel, e ordenou que lhe fizessem oferta de manjares e perfumes suaves. 47 Respondeu o rei a Daniel e disse: Certamente, o vosso Deus é Deus dos deuses, e o Senhor dos reis, e o revelador dos segredos, pois pudeste revelar este segredo. 48 Então, o rei engrandeceu a Daniel, e lhe deu muitos e grandes presentes, e o pôs por governador de toda a província de Babilônia, como também por principal governador de todos os sábios de Babilônia. 49 E pediu Daniel ao rei, e constituiu ele sobre os negócios da província de Babilônia a Sadraque, Mesaque e Abede-Nego; mas Daniel estava às portas do rei. Dn 6:1-3, (ACF 1753); 1 E PARECEU bem a Dario constituir sobre o reino cento e vinte príncipes, que estivessem sobre todo o reino; 2 E sobre eles três presidentes, dos quais Daniel era um, aos quais estes príncipes dessem conta, para que o rei não sofresse dano. 3 Então o mesmo Daniel sobrepujou a estes presidentes e príncipes; porque nele havia um espírito excelente; e o rei pensava constituí-lo sobre todo o reino. ❉ Resposta. 4. Por sua sabedoria e fidelidade, e pela bênção divina, José conquistou a confiança do faraó e foi constituído governador do Egito. Da mesma forma, Daniel impressionou Nabucodonosor e Dario, e se tornou governador da província de Babilônia e do império medo-persa. Em Patriarcas e Profetas (p. 217, 218, 221) e em Profetas e Reis (p. 628, 546) que as seguintes qualidades, presentes nesses homens piedosos, ganharam a confiança e o favor dos “pagãos” ao seu redor: gentileza, fidelidade, sabedoria, bom senso, habilidades, nobre dignidade e inabalável integridade. Os homens parecem movidos por um desejo insano de buscar posses terrenas. Toda sorte de desonestidade é praticada para acumular riquezas. Dedicam-se os homens a suas transações comerciais com intenso zelo, como se o êxito nesse ramo fosse garantia de alcançar o Céu. Empregam o capital confiado pelo Senhor em bens terrenos, e não há meios para fazer o reino de Deus avançar no mundo aliviando o sofrimento físico e mental de seus habitantes. Muitos dos que professam ser cristãos deixam de atender às ordens de Cristo, quando diz: "Ajuntai tesouros no Céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam, nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração." Mat. 6:20 e 21. Conselhos Sobre Mordomia, p. 137. A fiel integridade de José levou-o à perda da sua reputação e da sua liberdade. Esta é a prova mais severa a que os virtuosos e tementes a Deus são sujeitos: ver que o vício parece prosperar, enquanto a virtude é pisada no pó. A sedutora estava a viver em prosperidade como modelo de retidão, enquanto José, fiel aos princípios, estava sob a acusação degradante de um crime repulsivo. A religião de José conservou o seu gênio amável, a cálida e forte simpatia em relação à Humanidade, apesar de todas as suas provas. Há pessoas que, se sentem que não são tratadas com justiça, tornam-se azedas, sem generosidade, duras e descorteses nas palavras e no comportamento. Sucumbem odiosas, e odiando os outros. Mas José era Cristão. Assim que começa a sua vida Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  • 6. Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comramos@advir.com de prisioneiro, põe em exercício todo o brilho dos seus princípios cristãos na vida prática; começou a tornar-se útil aos outros. Tomou parte nas tribulações dos seus companheiros de prisão. É alegre, porque é um cavalheiro cristão. Sob esta disciplina, Deus estava a prepará-lo para uma situação de grande responsabilidade, honra e utilidade, e ele estava pronto a aprender; acolheu de boa vontade as lições que o Senhor lhe queria ensinar. Aprendeu a levar o jugo na sua juventude. Aprendeu a governar, aprendendo primeiro a obedecer. Humilhou-se a si mesmo, e o Senhor exaltou-o a uma honra especial. A parte desempenhada por José em relação às cenas da sombria prisão foi a que o ergueu, por fim, à prosperidade e à honra. Deus pretendia que ele obtivesse experiência através de tentações, adversidades, vicissitudes, a fim de prepará-lo para ocupar uma posição exaltada. – Comentários de Ellen G. White, The SDA Bible Commentary, vol. 1, p. 1097. O caso de Daniel tem uma lição para nós. Revela o facto de que o homem de negócios não é necessariamente um homem astuto, esperto. Pode ser instruído por Deus a cada passo. Daniel, enquanto primeiro-ministro do reino da Babilônia, era profeta de Deus e recebia a luz da inspiração divina. Estadistas mundanos e ambiciosos são representados na Palavra de Deus como a relva que cresce, e como a flor da erva que perece. Contudo, o Senhor deseja ter ao Seu serviço homens inteligentes, qualificados para os vários ramos da obra. Há necessidade de homens de negócios que entreteçam em todas as transações os grandes princípios da verdade. E os seus talentos devem ser aperfeiçoados pelo mais completo estudo e prática. Se os homens em qualquer ramo de trabalho precisam de aproveitar as oportunidades para se tornarem sábios e eficientes, tanto mais aqueles que empregam a sua perícia em edificar o reino de Deus no mundo. De Daniel sabemos que em todas as suas transações comerciais, quando submetidas ao exame mais severo, não se podia encontrar uma falta ou um erro. Era um modelo de como devem ser todos os homens de negócios. A sua história mostra o que pode ser conseguido por alguém que consagra ao serviço de Deus toda a energia do cérebro, dos ossos e dos músculos, do coração e da vida. – Parábolas de Jesus, p. 350. ❉ Quarta, 31 de agosto - O valor do capital social ❉ Pergunta. 5. Leia Neemias 2:1-9. O rei Artaxerxes confiou em Neemias. Qual foi o resultado dessa confiança providencial? Ne 2:1-9, (ACF 1753); 1 SUCEDEU, pois, no mês de Nisã, no ano vigésimo do rei Artaxerxes, que estava posto vinho diante dele, e eu peguei o vinho e o dei ao rei; porém eu nunca estivera triste diante dele. 2 E o rei me disse: Por que está triste o teu rosto, pois não estás doente? Não é isto senão tristeza de coração; então temi sobremaneira. 3 E disse ao rei: Viva o rei para sempre! Como não estaria triste o meu rosto, estando a cidade, o lugar dos sepulcros de meus pais, assolada, e tendo sido consumidas as suas portas a fogo? 4 E o rei me disse: Que me pedes agora? Então orei ao Deus dos céus, 5 E disse ao rei: Se é do agrado do rei, e se o teu servo é aceito em tua presença, peço-te que me envies a Judá, à cidade dos sepulcros de meus pais, para que eu a reedifique. 6 Então o rei me disse, estando a rainha assentada junto a ele: Quanto durará a tua viagem, e quando voltarás? E aprouve ao rei enviar-me, apontando-lhe eu um certo tempo. 7 Disse mais ao rei: Se ao rei parece bem, dêem-se-me cartas para os governadores dalém do rio, para que me permitam passar até que chegue a Judá. 8 Como também uma carta para Asafe, guarda da floresta do rei, para que me dê madeira para cobrir as portas do paço da casa, para o muro da cidade e para a casa em que eu houver de entrar. E o rei mas deu, segundo a boa mão de Deus sobre mim. 9 Então fui aos governadores dalém do rio, e dei-lhes as cartas do rei; e o rei tinha enviado comigo capitães do exército e cavaleiros. ❉ Resposta. 5. O rei percebeu a tristeza de Neemias e se interessou em ajudá-lo. Deus tocou o coração do rei, que autorizou Neemias a reedificar Jerusalém e proveu recursos para isso. Os meios que [...] faltavam [a Neemias,] ele os solicitou dos que lhe podiam fornecer. E o Senhor está ainda desejando mover o coração dos que têm a posse dos Seus bens, em favor da causa da verdade. Os que Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  • 7. Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comramos@advir.com trabalham para Ele devem servir-se do auxílio que Ele move os homens a dar. [...] Os doadores podem não ter fé em Cristo, nem familiaridade com Sua Palavra; mas suas doações não devem ser recusadas por causa disso. Profetas e Reis, p. 634. Enquanto Neemias implorava a ajuda de Deus, não cruzava os braços, julgando que não tinha mais nenhum cuidado ou responsabilidade no cumprimento do seu propósito de restaurar Jerusalém. Com admirável prudência e previsão, fez todos os preparativos necessários para garantir o êxito do empreendimento. … O exemplo deste homem santo deve servir de lição a todo o povo de Deus, mostrando que não devem apenas orar com fé, mas trabalhar com diligência e fidelidade. Quantas dificuldades encontramos, quantas vezes estorvamos a operação da Providência em nosso favor, por julgarmos que a prudência, a previsão e o esforço têm pouco a ver com a religião! Isto é um erro grave. É nosso dever cultivar e exercitar toda a faculdade que nos torne obreiros mais eficientes para Deus. A consideração cuidadosa assim como os planos bem amadurecidos são tão essenciais ao êxito dos empreendimentos sagrados hoje como no tempo de Neemias. … Os homens de oração devem ser homens de ação. Os que são prontos e voluntários, encontrarão meios e modos de trabalhar. Neemias não dependia de incertezas. Pediu os meios que lhe faltavam àqueles que estavam em condições de conceder. Enquanto estivermos neste mundo, enquanto o Espírito de Deus contender com os filhos dos homens, teremos de receber e prestar favores. Temos de dar ao mundo a luz da verdade tal como está revelada nas Escrituras; e de receber do mundo aquilo que Deus os impele a dar em benefício da Sua causa. – Vidas que Falam (Meditações Matinais, 1971), p. 264. Necessitamos de apreciar cada capacidade que possuímos, pois é capital emprestado, a ser desenvolvido para a glória de Deus. … Há uma tentação constante para os seres humanos de considerar que qualquer influência que tenham obtido seja resultado de alguma coisa de valor em si mesmos. O Senhor não atua com essas pessoas, pois não dará a nenhum ser a glória que pertence ao Seu nome. … Faz do servo humilde, fiel, o Seu representante – aquele que não se exalta, nem pensa de si mesmo mais do que deve. A vida de uma pessoa assim será consagrada a Deus como sacrifício vivo, e essa vida Ele aceitará e usará, e susterá. Ele anseia tornar os homens sábios com a Sua própria sabedoria, para que essa sabedoria seja exercida em Seu favor. Manifesta- Se por intermédio do obreiro consagrado e humilde. … Mantenham toda a capacidade que vos foi confiada como um sagrado tesouro para ser usado para comunicar aos outros o conhecimento e a graça recebidos. Assim corresponderão ao desígnio para o qual Deus vo-los concedeu. O Senhor requer que nós imerjamos o próprio eu em Jesus Cristo, e deixemos que a glória seja toda de Deus. – Para Conhecê-l’O (Meditações Matinais, 1965), p. 84. ❉ Quinta, 1º de setembro - A simpatia de todo o povo Simpatia: afinidade, relação, similitude, analogia, impressão agradável, disposição favorável que se experimenta em relação a alguém que pouco se conhece; pessoa que costuma ser agradável, delicada, afável. ❉ Pergunta. 6. Leia Deuteronômio 4:1-9. O que precisamos fazer para que o mundo veja que temos sabedoria e que Deus está conosco? O que devemos obedecer para alcançar sucesso no cumprimento da missão? Dt 4:1-9, (ACF 1753); 1 AGORA, pois, ó Israel, ouve os estatutos e os juízos que eu vos ensino, para os cumprirdes; para que vivais, e entreis, e possuais a terra que o SENHOR Deus de vossos pais vos dá. 2 Não acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do SENHOR vosso Deus, que eu vos mando. 3 Os vossos olhos têm visto o que o SENHOR fez por causa de Baal-Peor; pois a todo o homem que seguiu a Baal-Peor o SENHOR teu Deus consumiu do meio de ti. 4 Porém vós, que vos achegastes ao SENHOR vosso Deus, hoje todos estais vivos. 5 Vedes aqui vos tenho ensinado estatutos e juízos, como me mandou o SENHOR meu Deus; para que assim façais no meio da terra a qual ides a herdar. 6 Guardai-os pois, e cumpri-os, porque isso será a vossa sabedoria e o vosso Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos
  • 8. Dúvidas; Opiniões; Sugestões:Dúvidas; Opiniões; Sugestões: ramos@advir.comramos@advir.com entendimento perante os olhos dos povos, que ouvirão todos estes estatutos, e dirão: Este grande povo é nação sábia e entendida. 7 Pois, que nação há tão grande, que tenha deuses tão chegados como o SENHOR nosso Deus, todas as vezes que o invocamos? 8 E que nação há tão grande, que tenha estatutos e juízos tão justos como toda esta lei que hoje ponho perante vós? 9 Tão-somente guarda-te a ti mesmo, e guarda bem a tua alma, que não te esqueças daquelas coisas que os teus olhos têm visto, e não se apartem do teu coração todos os dias da tua vida; e as farás saber a teus filhos, e aos filhos de teus filhos. ❉ Resposta. 6. Ouvir e obedecer fielmente aos mandamentos de Deus, e ensiná-los aos filhos. Contar às novas gerações os milagres realizados por Deus em nossa vida. Assim, as promessas divinas se cumprirão em nossa vida e seremos abençoados. As pessoas perceberão que somos sábios e inteligentes, pelos nossos princípios espirituais e pelo nosso relacionamento com Deus. O povo de Israel deveria ocupar todo o território que Deus lhes designara. As nações que rejeitassem o culto ou o serviço do verdadeiro Deus deveriam ser desapossadas. Era propósito de Deus, porém, que, pela revelação do Seu caráter, através de Israel, os homens fossem atraídos a Ele. O convite do Evangelho deveria ser transmitido a todo o mundo. Pela lição do sacrifício simbólico, Cristo deveria ser exaltado perante as nações, e todos os que olhassem para Ele viveriam. Todos os que, como Raabe, a Cananeia, e Rute, a Moabita, se volvessem da idolatria para o culto do verdadeiro Deus, deveriam unir-se ao povo escolhido. Quando o número de Israel aumentasse, deveriam ampliar os limites até que o seu reino abarcasse o mundo. Deus desejava trazer todos os povos sob o Seu governo misericordioso. Desejava que a Terra se enchesse de alegria e paz. Criou o homem para a felicidade, e anseia encher da paz do Céu o coração humano. Anela que as famílias da Terra sejam um tipo da grande família do Céu. – Parábolas de Jesus, p. 290. Leia Atos 2:42-47. Que ligação havia entre “a simpatia de todo o povo” para com os cristãos (At 2:47) e o crescimento da igreja? Compare os valores mencionados nessa passagem com os valores de sua igreja. At 2:41-47, (ACF 1753); 41 De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas, 42 E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. 43 E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos. 44 E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum. 45 E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister. 46 E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração, 47 Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar. Depois de receberem o Espírito Santo, os discípulos saíram a proclamar um Salvador ressurgido, sendo seu desejo único a salvação das pessoas. Regozijavam-se na doce comunhão com os santos. Eram ternos, corteses, abnegados, dispostos a fazer qualquer sacrifício pela causa da verdade. Na sua diária associação mútua, revelavam o amor que Cristo lhes ordenara revelar. Por palavras e atos abnegados, procuravam acender esse amor noutros corações. Os crentes devem sempre acariciar o amor que enchia o coração dos apóstolos depois de receberem o Espírito Santo. Devem avançar em obediência voluntária ao novo mandamento. “Como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis.” João 13:34. Tão intimamente devem achar-se ligados a Cristo que serão capacitados para cumprir as Suas exigências. O poder de um Salvador capaz de os justificar pela Sua justiça deve ser engrandecido. – Testemunhos Para a Igreja, vol. 8, p. 241. Quando a graça de Cristo é expressa em palavras e obras por parte dos crentes, a luz brilhará para os que estão nas trevas; pois, enquanto os lábios estão a proferir louvores a Deus, as mãos estão estendidas em beneficência para ajudar os que estão a perecer. Lemos que, no dia do Pentecostes, quando o Espírito Santo desceu sobre os discípulos, ninguém dizia que o que possuía era sua propriedade. Todos os seus bens eram para o avanço da maravilhosa reforma. E milhares foram convertidos num dia. Quando o mesmo Espírito atuar nos crentes de hoje, e eles derem a Deus as suas propriedades com a mesma liberalidade, será realizada uma obra ampla e de vasto alcance. – Beneficência Social, p. 271. Participe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes RamosParticipe deste ministério: Banco Bradesco - Ag. 1991-7 - Conta Corrente 10.539-2 - Gerson Gomes Ramos