SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Ms. Miquéias Vitorino
O que são as relações lexicais?
 Podemos relacionar significados das
palavras pensando em como estabelecer
entre elas conceitos de semelhança ou
oposição, categorias, conjuntos e partes
de um conjunto.
 A língua permite que organizemos o
nosso inventário de palavras e as
comparemos para decidir colocar ou não
no texto.
Como organizamos e
escolhemos as palavras?
 A Semântica Lexical, vertente de estudos
linguísticos, permite que investiguemos
como nós organizamos e estabelecemos
relações de sentido entre as palavras.
 A relação de sentido entre as palavras
depende não somente do conhecimento
de língua, mas do nosso conhecimento de
mundo.
 Estabelecer essas ligações entre palavras
também faz parte da coesão textual.
Relações lexicais
Relações lexicais
Relações lexicais
Como funciona no texto?
 Exemplo 1:
“(...)
No processo de pasteurização, a polpa do açaí é aquecida
durante alguns segundos a temperaturas entre 80° C e
90° C, e depois é imediatamente resfriada. Esse
processo elimina o agente causador da doença de
Chagas. Além disso, a polpa vendida é congelada, o que
elimina a possibilidade de o protozoário Trypanosoma
cruzi estar presente na fruta. ”
Folha de S. Paulo, 18 ago. 2007 (apud. KOCH, I.V.; ELIAS, V. M. Ler e escrever:
estratégias de produção textual. São Paulo: Contexto, 2009. p.151)
Como funciona no texto?
 Exemplo 2:
“Comemora-se este ano o sesquicentenário de
Machado de Assis. As comemorações devem ser
discretas para que dignas de nosso maior
escritor. Seria ofensa à memória do Mestre
qualquer comemoração que destoasse da
sobriedade e do recato que ele imprimiu a sua
vida, já que o bruxo de Cosme Velho continua
vivo entre nós”
Folha de S. Paulo, 4 fev. 1989 (apud. Favero, L. L. Coesão e coerência
textuais. 11 ed. São Paulo: Ática, 2009. p.12)
Substituição Lexical
 Antunes (2005 p.96) assevera que a
substituição lexical de um termo pode
acontecer quando uma palavra é substituída
por outra ou expressão que seja
“textualmente equivalente”.
 Além disso, a substituição tem por
finalidades: evitar repetições de um mesmo
termo, adicionar informações novas ao texto,
trazer referências novas sobre um mesmo
objeto ou pessoa no mundo.
Sinonímia
O combate à inflação, a luta pelo equilíbrio
orçamentário, (...) a batalha da moralização
da coisa pública (...) estão sendo levados a
sério.
O governo se vem preocupando com o
problema da redução dos gastos do erário,
atacando um dos setores mais melindrosos –
o das despesas com o funcionalismo.
Diário de Pernambuco, 1/10/1969 (extraído de ANTUNES, I. Lutar com
palavras: coesão e coerência. Parábola: São Paulo, 2005. p. 101.)
Hiperonímia/hiponímia
Depois das eleições presidenciais torna-se possível surgir no
seio do PDS um outro partido político (...); outros não
serãos os resultados que não o do aparecimento de (...)
novas agremiações.
Diário de Pernambuco, 1/10/1985 (extraído de ANTUNES, I. Lutar com palavras: coesão e
coerência. Parábola: São Paulo, 2005. p. 101.)
Existem evidências de que os sapos habitam a terra desde o
período jurássico. Mas, ao contrário dos dinossauros, a
mais imponente estirpe de 200 milhões de anos atrás, os
anfíbios sempre foram considerados párias do reino
animal.
Época, 28 jun. 2004 (extraído de ANTUNES, I. Lutar com palavras: coesão e coerência.
Parábola: São Paulo, 2005. p. 104)
Referências
ANTUNES, I. Lutar com palavras:
coesão e coerência. São Paulo:
Parábola, 2005.
FÁVERO, L. L. Coesão e coerência
textuais. 11.ed. São Paulo: Ática, 2009.
KOCH, I.V; ELIAS, V. M. Ler e escrever.
São Paulo: Contexto, 2009.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Semântica pragmática
Semântica pragmáticaSemântica pragmática
Semântica pragmática
 
Morfossintaxe
MorfossintaxeMorfossintaxe
Morfossintaxe
 
Coesão e coerencia
Coesão e coerenciaCoesão e coerencia
Coesão e coerencia
 
Concepções de linguagem
Concepções de linguagemConcepções de linguagem
Concepções de linguagem
 
AULA 02 - FATORES DE TEXTUALIDADE - PRONTO
AULA 02 -  FATORES DE TEXTUALIDADE  - PRONTOAULA 02 -  FATORES DE TEXTUALIDADE  - PRONTO
AULA 02 - FATORES DE TEXTUALIDADE - PRONTO
 
VariaçãO LinguíStica
VariaçãO LinguíSticaVariaçãO LinguíStica
VariaçãO LinguíStica
 
Períodos simples e composto
Períodos simples e compostoPeríodos simples e composto
Períodos simples e composto
 
Sintaxe
SintaxeSintaxe
Sintaxe
 
Coerência textual
Coerência textualCoerência textual
Coerência textual
 
Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2Lingua e-linguagem2
Lingua e-linguagem2
 
Teoria da enunciação
Teoria da enunciaçãoTeoria da enunciação
Teoria da enunciação
 
Sinonimia slide apresentação
Sinonimia slide apresentaçãoSinonimia slide apresentação
Sinonimia slide apresentação
 
Conjunções coordenativas e subordinativas
Conjunções coordenativas e subordinativasConjunções coordenativas e subordinativas
Conjunções coordenativas e subordinativas
 
Preconceito linguístico
Preconceito linguísticoPreconceito linguístico
Preconceito linguístico
 
Fonética fonologia
Fonética fonologiaFonética fonologia
Fonética fonologia
 
Preposições
PreposiçõesPreposições
Preposições
 
Coerência e coesão textual
Coerência e coesão textualCoerência e coesão textual
Coerência e coesão textual
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
LINGUAGEM CULTA X COLOQUIAL
LINGUAGEM CULTA X COLOQUIALLINGUAGEM CULTA X COLOQUIAL
LINGUAGEM CULTA X COLOQUIAL
 
Gêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuaisGêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuais
 

Semelhante a Relações lexicais e coesão textual

Direito LéXico 110304
Direito   LéXico 110304Direito   LéXico 110304
Direito LéXico 110304Augusto Seixas
 
Semana 03 conflitos na escola modeos de transformar
Semana 03 conflitos na escola modeos de transformarSemana 03 conflitos na escola modeos de transformar
Semana 03 conflitos na escola modeos de transformarSandra Menucelli
 
Aula pronome e coesão textual
Aula  pronome e coesão textualAula  pronome e coesão textual
Aula pronome e coesão textualMarcia Oliveira
 
Construindo argumentação na sala de aula
Construindo argumentação na sala de aulaConstruindo argumentação na sala de aula
Construindo argumentação na sala de aulapibidbio
 
Gêneros do discurso o que os pcns dizem e o que a prática escolar revela
Gêneros do discurso o que os pcns dizem e o que a prática escolar revelaGêneros do discurso o que os pcns dizem e o que a prática escolar revela
Gêneros do discurso o que os pcns dizem e o que a prática escolar revelaFrancimeire Cesario
 
Slides_FATORES_DE_TEXTUALIDADE_Intencion.pdf
Slides_FATORES_DE_TEXTUALIDADE_Intencion.pdfSlides_FATORES_DE_TEXTUALIDADE_Intencion.pdf
Slides_FATORES_DE_TEXTUALIDADE_Intencion.pdfKarlianaArruda1
 
Questionamentos em Mediação de Conflitos
Questionamentos em Mediação de ConflitosQuestionamentos em Mediação de Conflitos
Questionamentos em Mediação de ConflitosCorinna Schabbel
 
ASSUNTO ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS - REDAÇÃO
ASSUNTO ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS - REDAÇÃOASSUNTO ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS - REDAÇÃO
ASSUNTO ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS - REDAÇÃOssuser39999f1
 
COESÃO E COERÊNCIA - 8 ANO - VR.pdf
COESÃO E COERÊNCIA - 8 ANO - VR.pdfCOESÃO E COERÊNCIA - 8 ANO - VR.pdf
COESÃO E COERÊNCIA - 8 ANO - VR.pdfJosVeniciusRamosdaSi
 
FUNDAMENTOS SOCIOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO etnico racial.pdf
FUNDAMENTOS SOCIOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO etnico racial.pdfFUNDAMENTOS SOCIOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO etnico racial.pdf
FUNDAMENTOS SOCIOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO etnico racial.pdfLilianeBA
 
Estudo das palavras (aula 4)
Estudo das palavras (aula 4)Estudo das palavras (aula 4)
Estudo das palavras (aula 4)Helen Cristina
 
Texto homens mulheres e matemática grupo 3 - dia 04 de novembro
Texto homens mulheres e matemática   grupo 3 - dia 04 de novembroTexto homens mulheres e matemática   grupo 3 - dia 04 de novembro
Texto homens mulheres e matemática grupo 3 - dia 04 de novembroProfesonline
 
Artigo de almeidaperez1
Artigo de almeidaperez1Artigo de almeidaperez1
Artigo de almeidaperez1Thais Estrela
 
Elementos de coesão e coerência no texto argumentativo
Elementos de coesão e coerência no texto argumentativoElementos de coesão e coerência no texto argumentativo
Elementos de coesão e coerência no texto argumentativoThiago Soares
 

Semelhante a Relações lexicais e coesão textual (20)

Direito LéXico 110304
Direito   LéXico 110304Direito   LéXico 110304
Direito LéXico 110304
 
A coesão textual
A coesão textualA coesão textual
A coesão textual
 
Semana 03 conflitos na escola modeos de transformar
Semana 03 conflitos na escola modeos de transformarSemana 03 conflitos na escola modeos de transformar
Semana 03 conflitos na escola modeos de transformar
 
Aula pronome e coesão textual
Aula  pronome e coesão textualAula  pronome e coesão textual
Aula pronome e coesão textual
 
Construindo argumentação na sala de aula
Construindo argumentação na sala de aulaConstruindo argumentação na sala de aula
Construindo argumentação na sala de aula
 
06
0606
06
 
Gêneros do discurso o que os pcns dizem e o que a prática escolar revela
Gêneros do discurso o que os pcns dizem e o que a prática escolar revelaGêneros do discurso o que os pcns dizem e o que a prática escolar revela
Gêneros do discurso o que os pcns dizem e o que a prática escolar revela
 
Apostila modulo v
Apostila   modulo vApostila   modulo v
Apostila modulo v
 
Slides_FATORES_DE_TEXTUALIDADE_Intencion.pdf
Slides_FATORES_DE_TEXTUALIDADE_Intencion.pdfSlides_FATORES_DE_TEXTUALIDADE_Intencion.pdf
Slides_FATORES_DE_TEXTUALIDADE_Intencion.pdf
 
Questionamentos em Mediação de Conflitos
Questionamentos em Mediação de ConflitosQuestionamentos em Mediação de Conflitos
Questionamentos em Mediação de Conflitos
 
ASSUNTO ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS - REDAÇÃO
ASSUNTO ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS - REDAÇÃOASSUNTO ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS - REDAÇÃO
ASSUNTO ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS - REDAÇÃO
 
COESÃO E COERÊNCIA - 8 ANO - VR.pdf
COESÃO E COERÊNCIA - 8 ANO - VR.pdfCOESÃO E COERÊNCIA - 8 ANO - VR.pdf
COESÃO E COERÊNCIA - 8 ANO - VR.pdf
 
FUNDAMENTOS SOCIOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO etnico racial.pdf
FUNDAMENTOS SOCIOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO etnico racial.pdfFUNDAMENTOS SOCIOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO etnico racial.pdf
FUNDAMENTOS SOCIOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO etnico racial.pdf
 
Estudo das palavras (aula 4)
Estudo das palavras (aula 4)Estudo das palavras (aula 4)
Estudo das palavras (aula 4)
 
REVISÃO PAS - AULA 02 .ppt
REVISÃO PAS - AULA 02 .pptREVISÃO PAS - AULA 02 .ppt
REVISÃO PAS - AULA 02 .ppt
 
Coerencia e coesão
Coerencia e coesãoCoerencia e coesão
Coerencia e coesão
 
Coerencia e coesão
Coerencia e coesãoCoerencia e coesão
Coerencia e coesão
 
Texto homens mulheres e matemática grupo 3 - dia 04 de novembro
Texto homens mulheres e matemática   grupo 3 - dia 04 de novembroTexto homens mulheres e matemática   grupo 3 - dia 04 de novembro
Texto homens mulheres e matemática grupo 3 - dia 04 de novembro
 
Artigo de almeidaperez1
Artigo de almeidaperez1Artigo de almeidaperez1
Artigo de almeidaperez1
 
Elementos de coesão e coerência no texto argumentativo
Elementos de coesão e coerência no texto argumentativoElementos de coesão e coerência no texto argumentativo
Elementos de coesão e coerência no texto argumentativo
 

Mais de Miquéias Vitorino

Argumentação em redações do enem
Argumentação em redações do enemArgumentação em redações do enem
Argumentação em redações do enemMiquéias Vitorino
 
Breve exposição sobre a coesão textual e seus elementos
Breve exposição sobre a coesão textual e seus elementosBreve exposição sobre a coesão textual e seus elementos
Breve exposição sobre a coesão textual e seus elementosMiquéias Vitorino
 
Melhores Redações da etapa escolar da OLP 2014
Melhores Redações da etapa escolar da OLP 2014Melhores Redações da etapa escolar da OLP 2014
Melhores Redações da etapa escolar da OLP 2014Miquéias Vitorino
 
Proposta de redação - REPENSAR O PAPEL DO TORCEDOR: LIMITES ENTRE A PAIXÃO E ...
Proposta de redação - REPENSAR O PAPEL DO TORCEDOR: LIMITES ENTRE A PAIXÃO E ...Proposta de redação - REPENSAR O PAPEL DO TORCEDOR: LIMITES ENTRE A PAIXÃO E ...
Proposta de redação - REPENSAR O PAPEL DO TORCEDOR: LIMITES ENTRE A PAIXÃO E ...Miquéias Vitorino
 
Principais obras e autores do modernismo
Principais obras e autores do modernismoPrincipais obras e autores do modernismo
Principais obras e autores do modernismoMiquéias Vitorino
 
Algumas dicas básicas para a redação do enem
Algumas dicas básicas para a redação do enemAlgumas dicas básicas para a redação do enem
Algumas dicas básicas para a redação do enemMiquéias Vitorino
 
Conceitos básicos em análise semântica
Conceitos básicos em análise semânticaConceitos básicos em análise semântica
Conceitos básicos em análise semânticaMiquéias Vitorino
 
Anáfora, contexto e coesão textual
Anáfora, contexto e coesão textualAnáfora, contexto e coesão textual
Anáfora, contexto e coesão textualMiquéias Vitorino
 

Mais de Miquéias Vitorino (20)

A redação do enem hoje
A redação do enem hojeA redação do enem hoje
A redação do enem hoje
 
Argumentação em redações do enem
Argumentação em redações do enemArgumentação em redações do enem
Argumentação em redações do enem
 
Paráfrase
ParáfraseParáfrase
Paráfrase
 
Breve exposição sobre a coesão textual e seus elementos
Breve exposição sobre a coesão textual e seus elementosBreve exposição sobre a coesão textual e seus elementos
Breve exposição sobre a coesão textual e seus elementos
 
Melhores Redações da etapa escolar da OLP 2014
Melhores Redações da etapa escolar da OLP 2014Melhores Redações da etapa escolar da OLP 2014
Melhores Redações da etapa escolar da OLP 2014
 
Proposta de redação - REPENSAR O PAPEL DO TORCEDOR: LIMITES ENTRE A PAIXÃO E ...
Proposta de redação - REPENSAR O PAPEL DO TORCEDOR: LIMITES ENTRE A PAIXÃO E ...Proposta de redação - REPENSAR O PAPEL DO TORCEDOR: LIMITES ENTRE A PAIXÃO E ...
Proposta de redação - REPENSAR O PAPEL DO TORCEDOR: LIMITES ENTRE A PAIXÃO E ...
 
Principais obras e autores do modernismo
Principais obras e autores do modernismoPrincipais obras e autores do modernismo
Principais obras e autores do modernismo
 
Quinhentismo no brasil
Quinhentismo no brasilQuinhentismo no brasil
Quinhentismo no brasil
 
Modernismo no brasil
Modernismo no brasilModernismo no brasil
Modernismo no brasil
 
Modernismo fases
Modernismo fasesModernismo fases
Modernismo fases
 
Barroco no brasil
Barroco no brasilBarroco no brasil
Barroco no brasil
 
Arcadismo no brasil
Arcadismo no brasilArcadismo no brasil
Arcadismo no brasil
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
 
Arcadismo no brasil
Arcadismo no brasilArcadismo no brasil
Arcadismo no brasil
 
Arcadismo no brasil
Arcadismo no brasilArcadismo no brasil
Arcadismo no brasil
 
Algumas dicas básicas para a redação do enem
Algumas dicas básicas para a redação do enemAlgumas dicas básicas para a redação do enem
Algumas dicas básicas para a redação do enem
 
Conceitos básicos em análise semântica
Conceitos básicos em análise semânticaConceitos básicos em análise semântica
Conceitos básicos em análise semântica
 
Anáfora, contexto e coesão textual
Anáfora, contexto e coesão textualAnáfora, contexto e coesão textual
Anáfora, contexto e coesão textual
 
Barroco no brasil
Barroco no brasilBarroco no brasil
Barroco no brasil
 

Último

EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxpatriciapedroso82
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfMaiteFerreira4
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 

Último (20)

EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 

Relações lexicais e coesão textual

  • 2. O que são as relações lexicais?  Podemos relacionar significados das palavras pensando em como estabelecer entre elas conceitos de semelhança ou oposição, categorias, conjuntos e partes de um conjunto.  A língua permite que organizemos o nosso inventário de palavras e as comparemos para decidir colocar ou não no texto.
  • 3. Como organizamos e escolhemos as palavras?  A Semântica Lexical, vertente de estudos linguísticos, permite que investiguemos como nós organizamos e estabelecemos relações de sentido entre as palavras.  A relação de sentido entre as palavras depende não somente do conhecimento de língua, mas do nosso conhecimento de mundo.  Estabelecer essas ligações entre palavras também faz parte da coesão textual.
  • 7. Como funciona no texto?  Exemplo 1: “(...) No processo de pasteurização, a polpa do açaí é aquecida durante alguns segundos a temperaturas entre 80° C e 90° C, e depois é imediatamente resfriada. Esse processo elimina o agente causador da doença de Chagas. Além disso, a polpa vendida é congelada, o que elimina a possibilidade de o protozoário Trypanosoma cruzi estar presente na fruta. ” Folha de S. Paulo, 18 ago. 2007 (apud. KOCH, I.V.; ELIAS, V. M. Ler e escrever: estratégias de produção textual. São Paulo: Contexto, 2009. p.151)
  • 8. Como funciona no texto?  Exemplo 2: “Comemora-se este ano o sesquicentenário de Machado de Assis. As comemorações devem ser discretas para que dignas de nosso maior escritor. Seria ofensa à memória do Mestre qualquer comemoração que destoasse da sobriedade e do recato que ele imprimiu a sua vida, já que o bruxo de Cosme Velho continua vivo entre nós” Folha de S. Paulo, 4 fev. 1989 (apud. Favero, L. L. Coesão e coerência textuais. 11 ed. São Paulo: Ática, 2009. p.12)
  • 9. Substituição Lexical  Antunes (2005 p.96) assevera que a substituição lexical de um termo pode acontecer quando uma palavra é substituída por outra ou expressão que seja “textualmente equivalente”.  Além disso, a substituição tem por finalidades: evitar repetições de um mesmo termo, adicionar informações novas ao texto, trazer referências novas sobre um mesmo objeto ou pessoa no mundo.
  • 10. Sinonímia O combate à inflação, a luta pelo equilíbrio orçamentário, (...) a batalha da moralização da coisa pública (...) estão sendo levados a sério. O governo se vem preocupando com o problema da redução dos gastos do erário, atacando um dos setores mais melindrosos – o das despesas com o funcionalismo. Diário de Pernambuco, 1/10/1969 (extraído de ANTUNES, I. Lutar com palavras: coesão e coerência. Parábola: São Paulo, 2005. p. 101.)
  • 11. Hiperonímia/hiponímia Depois das eleições presidenciais torna-se possível surgir no seio do PDS um outro partido político (...); outros não serãos os resultados que não o do aparecimento de (...) novas agremiações. Diário de Pernambuco, 1/10/1985 (extraído de ANTUNES, I. Lutar com palavras: coesão e coerência. Parábola: São Paulo, 2005. p. 101.) Existem evidências de que os sapos habitam a terra desde o período jurássico. Mas, ao contrário dos dinossauros, a mais imponente estirpe de 200 milhões de anos atrás, os anfíbios sempre foram considerados párias do reino animal. Época, 28 jun. 2004 (extraído de ANTUNES, I. Lutar com palavras: coesão e coerência. Parábola: São Paulo, 2005. p. 104)
  • 12. Referências ANTUNES, I. Lutar com palavras: coesão e coerência. São Paulo: Parábola, 2005. FÁVERO, L. L. Coesão e coerência textuais. 11.ed. São Paulo: Ática, 2009. KOCH, I.V; ELIAS, V. M. Ler e escrever. São Paulo: Contexto, 2009.