SlideShare uma empresa Scribd logo
Ms. Miquéias Vitorino
O que são as relações lexicais?
 Podemos relacionar significados das
palavras pensando em como estabelecer
entre elas conceitos de semelhança ou
oposição, categorias, conjuntos e partes
de um conjunto.
 A língua permite que organizemos o
nosso inventário de palavras e as
comparemos para decidir colocar ou não
no texto.
Como organizamos e
escolhemos as palavras?
 A Semântica Lexical, vertente de estudos
linguísticos, permite que investiguemos
como nós organizamos e estabelecemos
relações de sentido entre as palavras.
 A relação de sentido entre as palavras
depende não somente do conhecimento
de língua, mas do nosso conhecimento de
mundo.
 Estabelecer essas ligações entre palavras
também faz parte da coesão textual.
Relações lexicais
Relações lexicais
Relações lexicais
Como funciona no texto?
 Exemplo 1:
“(...)
No processo de pasteurização, a polpa do açaí é aquecida
durante alguns segundos a temperaturas entre 80° C e
90° C, e depois é imediatamente resfriada. Esse
processo elimina o agente causador da doença de
Chagas. Além disso, a polpa vendida é congelada, o que
elimina a possibilidade de o protozoário Trypanosoma
cruzi estar presente na fruta. ”
Folha de S. Paulo, 18 ago. 2007 (apud. KOCH, I.V.; ELIAS, V. M. Ler e escrever:
estratégias de produção textual. São Paulo: Contexto, 2009. p.151)
Como funciona no texto?
 Exemplo 2:
“Comemora-se este ano o sesquicentenário de
Machado de Assis. As comemorações devem ser
discretas para que dignas de nosso maior
escritor. Seria ofensa à memória do Mestre
qualquer comemoração que destoasse da
sobriedade e do recato que ele imprimiu a sua
vida, já que o bruxo de Cosme Velho continua
vivo entre nós”
Folha de S. Paulo, 4 fev. 1989 (apud. Favero, L. L. Coesão e coerência
textuais. 11 ed. São Paulo: Ática, 2009. p.12)
Substituição Lexical
 Antunes (2005 p.96) assevera que a
substituição lexical de um termo pode
acontecer quando uma palavra é substituída
por outra ou expressão que seja
“textualmente equivalente”.
 Além disso, a substituição tem por
finalidades: evitar repetições de um mesmo
termo, adicionar informações novas ao texto,
trazer referências novas sobre um mesmo
objeto ou pessoa no mundo.
Sinonímia
O combate à inflação, a luta pelo equilíbrio
orçamentário, (...) a batalha da moralização
da coisa pública (...) estão sendo levados a
sério.
O governo se vem preocupando com o
problema da redução dos gastos do erário,
atacando um dos setores mais melindrosos –
o das despesas com o funcionalismo.
Diário de Pernambuco, 1/10/1969 (extraído de ANTUNES, I. Lutar com
palavras: coesão e coerência. Parábola: São Paulo, 2005. p. 101.)
Hiperonímia/hiponímia
Depois das eleições presidenciais torna-se possível surgir no
seio do PDS um outro partido político (...); outros não
serãos os resultados que não o do aparecimento de (...)
novas agremiações.
Diário de Pernambuco, 1/10/1985 (extraído de ANTUNES, I. Lutar com palavras: coesão e
coerência. Parábola: São Paulo, 2005. p. 101.)
Existem evidências de que os sapos habitam a terra desde o
período jurássico. Mas, ao contrário dos dinossauros, a
mais imponente estirpe de 200 milhões de anos atrás, os
anfíbios sempre foram considerados párias do reino
animal.
Época, 28 jun. 2004 (extraído de ANTUNES, I. Lutar com palavras: coesão e coerência.
Parábola: São Paulo, 2005. p. 104)
Referências
ANTUNES, I. Lutar com palavras:
coesão e coerência. São Paulo:
Parábola, 2005.
FÁVERO, L. L. Coesão e coerência
textuais. 11.ed. São Paulo: Ática, 2009.
KOCH, I.V; ELIAS, V. M. Ler e escrever.
São Paulo: Contexto, 2009.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Uso dos porquês
Uso dos porquêsUso dos porquês
Uso dos porquês
Sabrina Paiva
 
Conjunções subordinativas.pptx
Conjunções subordinativas.pptxConjunções subordinativas.pptx
Conjunções subordinativas.pptx
CarlaElisngelaBndche
 
Gêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuaisGêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuais
marlospg
 
Crase
CraseCrase
Interjeição
InterjeiçãoInterjeição
Interjeição
Fábio Guimarães
 
Regência Nominal
Regência NominalRegência Nominal
Regência Nominal
Andriane Cursino
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
guest4f8ac9b
 
Recursos morfossintáticos, lexicais,semânticos
Recursos morfossintáticos, lexicais,semânticosRecursos morfossintáticos, lexicais,semânticos
Recursos morfossintáticos, lexicais,semânticos
Marcia Oliveira
 
Acentuação gráfica
Acentuação gráficaAcentuação gráfica
Acentuação gráfica
Mara dalto
 
Figuras de linguagem slide
Figuras de linguagem slideFiguras de linguagem slide
Figuras de linguagem slide
Ivana Bastos
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
Carolina Loçasso Pereira
 
Adjetivos
AdjetivosAdjetivos
Adjetivos
7 de Setembro
 
Coesão e coerencia
Coesão e coerenciaCoesão e coerencia
Coesão e coerencia
silnog
 
Passos para a redação do enem
Passos para a redação do enemPassos para a redação do enem
Passos para a redação do enem
Luciene Gomes
 
Interpretação e Compreensão de Texto
Interpretação e Compreensão de Texto Interpretação e Compreensão de Texto
Interpretação e Compreensão de Texto
Cláudia Heloísa
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
Valeria Nunes
 
Artigo de opinião slides
Artigo de opinião slidesArtigo de opinião slides
Artigo de opinião slides
Isis Barros
 
1.3 ortografia
1.3   ortografia1.3   ortografia
1.3 ortografia
Ivana Mayrink
 
Pronomes ensino médio
Pronomes ensino médioPronomes ensino médio
Pronomes ensino médio
Escola Estadual Joaquim Abarca -
 
Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.
Keu Oliveira
 

Mais procurados (20)

Uso dos porquês
Uso dos porquêsUso dos porquês
Uso dos porquês
 
Conjunções subordinativas.pptx
Conjunções subordinativas.pptxConjunções subordinativas.pptx
Conjunções subordinativas.pptx
 
Gêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuaisGêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuais
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Interjeição
InterjeiçãoInterjeição
Interjeição
 
Regência Nominal
Regência NominalRegência Nominal
Regência Nominal
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
 
Recursos morfossintáticos, lexicais,semânticos
Recursos morfossintáticos, lexicais,semânticosRecursos morfossintáticos, lexicais,semânticos
Recursos morfossintáticos, lexicais,semânticos
 
Acentuação gráfica
Acentuação gráficaAcentuação gráfica
Acentuação gráfica
 
Figuras de linguagem slide
Figuras de linguagem slideFiguras de linguagem slide
Figuras de linguagem slide
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
 
Adjetivos
AdjetivosAdjetivos
Adjetivos
 
Coesão e coerencia
Coesão e coerenciaCoesão e coerencia
Coesão e coerencia
 
Passos para a redação do enem
Passos para a redação do enemPassos para a redação do enem
Passos para a redação do enem
 
Interpretação e Compreensão de Texto
Interpretação e Compreensão de Texto Interpretação e Compreensão de Texto
Interpretação e Compreensão de Texto
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
 
Artigo de opinião slides
Artigo de opinião slidesArtigo de opinião slides
Artigo de opinião slides
 
1.3 ortografia
1.3   ortografia1.3   ortografia
1.3 ortografia
 
Pronomes ensino médio
Pronomes ensino médioPronomes ensino médio
Pronomes ensino médio
 
Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.
 

Semelhante a Relações lexicais e coesão textual

Direito LéXico 110304
Direito   LéXico 110304Direito   LéXico 110304
Direito LéXico 110304
Augusto Seixas
 
A coesão textual
A coesão textualA coesão textual
A coesão textual
Júnior Aguiar
 
Semana 03 conflitos na escola modeos de transformar
Semana 03 conflitos na escola modeos de transformarSemana 03 conflitos na escola modeos de transformar
Semana 03 conflitos na escola modeos de transformar
Sandra Menucelli
 
Aula pronome e coesão textual
Aula  pronome e coesão textualAula  pronome e coesão textual
Aula pronome e coesão textual
Marcia Oliveira
 
Construindo argumentação na sala de aula
Construindo argumentação na sala de aulaConstruindo argumentação na sala de aula
Construindo argumentação na sala de aula
pibidbio
 
06
0606
Gêneros do discurso o que os pcns dizem e o que a prática escolar revela
Gêneros do discurso o que os pcns dizem e o que a prática escolar revelaGêneros do discurso o que os pcns dizem e o que a prática escolar revela
Gêneros do discurso o que os pcns dizem e o que a prática escolar revela
Francimeire Cesario
 
Apostila modulo v
Apostila   modulo vApostila   modulo v
Apostila modulo v
Marcos Monte Cruz
 
Slides_FATORES_DE_TEXTUALIDADE_Intencion.pdf
Slides_FATORES_DE_TEXTUALIDADE_Intencion.pdfSlides_FATORES_DE_TEXTUALIDADE_Intencion.pdf
Slides_FATORES_DE_TEXTUALIDADE_Intencion.pdf
KarlianaArruda1
 
Questionamentos em Mediação de Conflitos
Questionamentos em Mediação de ConflitosQuestionamentos em Mediação de Conflitos
Questionamentos em Mediação de Conflitos
Corinna Schabbel
 
ASSUNTO ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS - REDAÇÃO
ASSUNTO ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS - REDAÇÃOASSUNTO ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS - REDAÇÃO
ASSUNTO ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS - REDAÇÃO
ssuser39999f1
 
COESÃO E COERÊNCIA - 8 ANO - VR.pdf
COESÃO E COERÊNCIA - 8 ANO - VR.pdfCOESÃO E COERÊNCIA - 8 ANO - VR.pdf
COESÃO E COERÊNCIA - 8 ANO - VR.pdf
JosVeniciusRamosdaSi
 
Tipos-e-mecanismos-de-coesao-textual.ppt
Tipos-e-mecanismos-de-coesao-textual.pptTipos-e-mecanismos-de-coesao-textual.ppt
Tipos-e-mecanismos-de-coesao-textual.ppt
Rosy Almeida
 
FUNDAMENTOS SOCIOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO etnico racial.pdf
FUNDAMENTOS SOCIOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO etnico racial.pdfFUNDAMENTOS SOCIOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO etnico racial.pdf
FUNDAMENTOS SOCIOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO etnico racial.pdf
LilianeBA
 
Estudo das palavras (aula 4)
Estudo das palavras (aula 4)Estudo das palavras (aula 4)
Estudo das palavras (aula 4)
Helen Cristina
 
REVISÃO PAS - AULA 02 .ppt
REVISÃO PAS - AULA 02 .pptREVISÃO PAS - AULA 02 .ppt
REVISÃO PAS - AULA 02 .ppt
Adriano Alves de Souza
 
Coerencia e coesão
Coerencia e coesãoCoerencia e coesão
Coerencia e coesão
Marcia Helena Ribeiro
 
Coerencia e coesão
Coerencia e coesãoCoerencia e coesão
Coerencia e coesão
Marcia Helena Ribeiro
 
Texto homens mulheres e matemática grupo 3 - dia 04 de novembro
Texto homens mulheres e matemática   grupo 3 - dia 04 de novembroTexto homens mulheres e matemática   grupo 3 - dia 04 de novembro
Texto homens mulheres e matemática grupo 3 - dia 04 de novembro
Profesonline
 
Artigo de almeidaperez1
Artigo de almeidaperez1Artigo de almeidaperez1
Artigo de almeidaperez1
Thais Estrela
 

Semelhante a Relações lexicais e coesão textual (20)

Direito LéXico 110304
Direito   LéXico 110304Direito   LéXico 110304
Direito LéXico 110304
 
A coesão textual
A coesão textualA coesão textual
A coesão textual
 
Semana 03 conflitos na escola modeos de transformar
Semana 03 conflitos na escola modeos de transformarSemana 03 conflitos na escola modeos de transformar
Semana 03 conflitos na escola modeos de transformar
 
Aula pronome e coesão textual
Aula  pronome e coesão textualAula  pronome e coesão textual
Aula pronome e coesão textual
 
Construindo argumentação na sala de aula
Construindo argumentação na sala de aulaConstruindo argumentação na sala de aula
Construindo argumentação na sala de aula
 
06
0606
06
 
Gêneros do discurso o que os pcns dizem e o que a prática escolar revela
Gêneros do discurso o que os pcns dizem e o que a prática escolar revelaGêneros do discurso o que os pcns dizem e o que a prática escolar revela
Gêneros do discurso o que os pcns dizem e o que a prática escolar revela
 
Apostila modulo v
Apostila   modulo vApostila   modulo v
Apostila modulo v
 
Slides_FATORES_DE_TEXTUALIDADE_Intencion.pdf
Slides_FATORES_DE_TEXTUALIDADE_Intencion.pdfSlides_FATORES_DE_TEXTUALIDADE_Intencion.pdf
Slides_FATORES_DE_TEXTUALIDADE_Intencion.pdf
 
Questionamentos em Mediação de Conflitos
Questionamentos em Mediação de ConflitosQuestionamentos em Mediação de Conflitos
Questionamentos em Mediação de Conflitos
 
ASSUNTO ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS - REDAÇÃO
ASSUNTO ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS - REDAÇÃOASSUNTO ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS - REDAÇÃO
ASSUNTO ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS - REDAÇÃO
 
COESÃO E COERÊNCIA - 8 ANO - VR.pdf
COESÃO E COERÊNCIA - 8 ANO - VR.pdfCOESÃO E COERÊNCIA - 8 ANO - VR.pdf
COESÃO E COERÊNCIA - 8 ANO - VR.pdf
 
Tipos-e-mecanismos-de-coesao-textual.ppt
Tipos-e-mecanismos-de-coesao-textual.pptTipos-e-mecanismos-de-coesao-textual.ppt
Tipos-e-mecanismos-de-coesao-textual.ppt
 
FUNDAMENTOS SOCIOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO etnico racial.pdf
FUNDAMENTOS SOCIOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO etnico racial.pdfFUNDAMENTOS SOCIOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO etnico racial.pdf
FUNDAMENTOS SOCIOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO etnico racial.pdf
 
Estudo das palavras (aula 4)
Estudo das palavras (aula 4)Estudo das palavras (aula 4)
Estudo das palavras (aula 4)
 
REVISÃO PAS - AULA 02 .ppt
REVISÃO PAS - AULA 02 .pptREVISÃO PAS - AULA 02 .ppt
REVISÃO PAS - AULA 02 .ppt
 
Coerencia e coesão
Coerencia e coesãoCoerencia e coesão
Coerencia e coesão
 
Coerencia e coesão
Coerencia e coesãoCoerencia e coesão
Coerencia e coesão
 
Texto homens mulheres e matemática grupo 3 - dia 04 de novembro
Texto homens mulheres e matemática   grupo 3 - dia 04 de novembroTexto homens mulheres e matemática   grupo 3 - dia 04 de novembro
Texto homens mulheres e matemática grupo 3 - dia 04 de novembro
 
Artigo de almeidaperez1
Artigo de almeidaperez1Artigo de almeidaperez1
Artigo de almeidaperez1
 

Mais de Miquéias Vitorino

A redação do enem hoje
A redação do enem hojeA redação do enem hoje
A redação do enem hoje
Miquéias Vitorino
 
Argumentação em redações do enem
Argumentação em redações do enemArgumentação em redações do enem
Argumentação em redações do enem
Miquéias Vitorino
 
Paráfrase
ParáfraseParáfrase
Paráfrase
Miquéias Vitorino
 
Breve exposição sobre a coesão textual e seus elementos
Breve exposição sobre a coesão textual e seus elementosBreve exposição sobre a coesão textual e seus elementos
Breve exposição sobre a coesão textual e seus elementos
Miquéias Vitorino
 
Melhores Redações da etapa escolar da OLP 2014
Melhores Redações da etapa escolar da OLP 2014Melhores Redações da etapa escolar da OLP 2014
Melhores Redações da etapa escolar da OLP 2014
Miquéias Vitorino
 
Proposta de redação - REPENSAR O PAPEL DO TORCEDOR: LIMITES ENTRE A PAIXÃO E ...
Proposta de redação - REPENSAR O PAPEL DO TORCEDOR: LIMITES ENTRE A PAIXÃO E ...Proposta de redação - REPENSAR O PAPEL DO TORCEDOR: LIMITES ENTRE A PAIXÃO E ...
Proposta de redação - REPENSAR O PAPEL DO TORCEDOR: LIMITES ENTRE A PAIXÃO E ...
Miquéias Vitorino
 
Principais obras e autores do modernismo
Principais obras e autores do modernismoPrincipais obras e autores do modernismo
Principais obras e autores do modernismo
Miquéias Vitorino
 
Quinhentismo no brasil
Quinhentismo no brasilQuinhentismo no brasil
Quinhentismo no brasil
Miquéias Vitorino
 
Modernismo no brasil
Modernismo no brasilModernismo no brasil
Modernismo no brasil
Miquéias Vitorino
 
Modernismo fases
Modernismo fasesModernismo fases
Modernismo fases
Miquéias Vitorino
 
Barroco no brasil
Barroco no brasilBarroco no brasil
Barroco no brasil
Miquéias Vitorino
 
Arcadismo no brasil
Arcadismo no brasilArcadismo no brasil
Arcadismo no brasil
Miquéias Vitorino
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
Miquéias Vitorino
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
Miquéias Vitorino
 
Arcadismo no brasil
Arcadismo no brasilArcadismo no brasil
Arcadismo no brasil
Miquéias Vitorino
 
Arcadismo no brasil
Arcadismo no brasilArcadismo no brasil
Arcadismo no brasil
Miquéias Vitorino
 
Algumas dicas básicas para a redação do enem
Algumas dicas básicas para a redação do enemAlgumas dicas básicas para a redação do enem
Algumas dicas básicas para a redação do enem
Miquéias Vitorino
 
Conceitos básicos em análise semântica
Conceitos básicos em análise semânticaConceitos básicos em análise semântica
Conceitos básicos em análise semântica
Miquéias Vitorino
 
Anáfora, contexto e coesão textual
Anáfora, contexto e coesão textualAnáfora, contexto e coesão textual
Anáfora, contexto e coesão textual
Miquéias Vitorino
 
Barroco no brasil
Barroco no brasilBarroco no brasil
Barroco no brasil
Miquéias Vitorino
 

Mais de Miquéias Vitorino (20)

A redação do enem hoje
A redação do enem hojeA redação do enem hoje
A redação do enem hoje
 
Argumentação em redações do enem
Argumentação em redações do enemArgumentação em redações do enem
Argumentação em redações do enem
 
Paráfrase
ParáfraseParáfrase
Paráfrase
 
Breve exposição sobre a coesão textual e seus elementos
Breve exposição sobre a coesão textual e seus elementosBreve exposição sobre a coesão textual e seus elementos
Breve exposição sobre a coesão textual e seus elementos
 
Melhores Redações da etapa escolar da OLP 2014
Melhores Redações da etapa escolar da OLP 2014Melhores Redações da etapa escolar da OLP 2014
Melhores Redações da etapa escolar da OLP 2014
 
Proposta de redação - REPENSAR O PAPEL DO TORCEDOR: LIMITES ENTRE A PAIXÃO E ...
Proposta de redação - REPENSAR O PAPEL DO TORCEDOR: LIMITES ENTRE A PAIXÃO E ...Proposta de redação - REPENSAR O PAPEL DO TORCEDOR: LIMITES ENTRE A PAIXÃO E ...
Proposta de redação - REPENSAR O PAPEL DO TORCEDOR: LIMITES ENTRE A PAIXÃO E ...
 
Principais obras e autores do modernismo
Principais obras e autores do modernismoPrincipais obras e autores do modernismo
Principais obras e autores do modernismo
 
Quinhentismo no brasil
Quinhentismo no brasilQuinhentismo no brasil
Quinhentismo no brasil
 
Modernismo no brasil
Modernismo no brasilModernismo no brasil
Modernismo no brasil
 
Modernismo fases
Modernismo fasesModernismo fases
Modernismo fases
 
Barroco no brasil
Barroco no brasilBarroco no brasil
Barroco no brasil
 
Arcadismo no brasil
Arcadismo no brasilArcadismo no brasil
Arcadismo no brasil
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagemFiguras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
 
Arcadismo no brasil
Arcadismo no brasilArcadismo no brasil
Arcadismo no brasil
 
Arcadismo no brasil
Arcadismo no brasilArcadismo no brasil
Arcadismo no brasil
 
Algumas dicas básicas para a redação do enem
Algumas dicas básicas para a redação do enemAlgumas dicas básicas para a redação do enem
Algumas dicas básicas para a redação do enem
 
Conceitos básicos em análise semântica
Conceitos básicos em análise semânticaConceitos básicos em análise semântica
Conceitos básicos em análise semântica
 
Anáfora, contexto e coesão textual
Anáfora, contexto e coesão textualAnáfora, contexto e coesão textual
Anáfora, contexto e coesão textual
 
Barroco no brasil
Barroco no brasilBarroco no brasil
Barroco no brasil
 

Último

Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
Manuais Formação
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
Química orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptxQuímica orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptx
KeilianeOliveira3
 
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
ssuser701e2b
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
MatildeBrites
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
Escola Municipal Jesus Cristo
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Luana Neres
 

Último (20)

Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
Química orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptxQuímica orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptx
 
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
LIBRO LAS MANOS NO SON PARA PEGAR-MAESTRA EN PREESCOLAR_organized_rotated (1)...
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
 
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...proposta curricular  ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
proposta curricular ou plano de cursode lingua portuguesa eja anos finais ( ...
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
 

Relações lexicais e coesão textual

  • 2. O que são as relações lexicais?  Podemos relacionar significados das palavras pensando em como estabelecer entre elas conceitos de semelhança ou oposição, categorias, conjuntos e partes de um conjunto.  A língua permite que organizemos o nosso inventário de palavras e as comparemos para decidir colocar ou não no texto.
  • 3. Como organizamos e escolhemos as palavras?  A Semântica Lexical, vertente de estudos linguísticos, permite que investiguemos como nós organizamos e estabelecemos relações de sentido entre as palavras.  A relação de sentido entre as palavras depende não somente do conhecimento de língua, mas do nosso conhecimento de mundo.  Estabelecer essas ligações entre palavras também faz parte da coesão textual.
  • 7. Como funciona no texto?  Exemplo 1: “(...) No processo de pasteurização, a polpa do açaí é aquecida durante alguns segundos a temperaturas entre 80° C e 90° C, e depois é imediatamente resfriada. Esse processo elimina o agente causador da doença de Chagas. Além disso, a polpa vendida é congelada, o que elimina a possibilidade de o protozoário Trypanosoma cruzi estar presente na fruta. ” Folha de S. Paulo, 18 ago. 2007 (apud. KOCH, I.V.; ELIAS, V. M. Ler e escrever: estratégias de produção textual. São Paulo: Contexto, 2009. p.151)
  • 8. Como funciona no texto?  Exemplo 2: “Comemora-se este ano o sesquicentenário de Machado de Assis. As comemorações devem ser discretas para que dignas de nosso maior escritor. Seria ofensa à memória do Mestre qualquer comemoração que destoasse da sobriedade e do recato que ele imprimiu a sua vida, já que o bruxo de Cosme Velho continua vivo entre nós” Folha de S. Paulo, 4 fev. 1989 (apud. Favero, L. L. Coesão e coerência textuais. 11 ed. São Paulo: Ática, 2009. p.12)
  • 9. Substituição Lexical  Antunes (2005 p.96) assevera que a substituição lexical de um termo pode acontecer quando uma palavra é substituída por outra ou expressão que seja “textualmente equivalente”.  Além disso, a substituição tem por finalidades: evitar repetições de um mesmo termo, adicionar informações novas ao texto, trazer referências novas sobre um mesmo objeto ou pessoa no mundo.
  • 10. Sinonímia O combate à inflação, a luta pelo equilíbrio orçamentário, (...) a batalha da moralização da coisa pública (...) estão sendo levados a sério. O governo se vem preocupando com o problema da redução dos gastos do erário, atacando um dos setores mais melindrosos – o das despesas com o funcionalismo. Diário de Pernambuco, 1/10/1969 (extraído de ANTUNES, I. Lutar com palavras: coesão e coerência. Parábola: São Paulo, 2005. p. 101.)
  • 11. Hiperonímia/hiponímia Depois das eleições presidenciais torna-se possível surgir no seio do PDS um outro partido político (...); outros não serãos os resultados que não o do aparecimento de (...) novas agremiações. Diário de Pernambuco, 1/10/1985 (extraído de ANTUNES, I. Lutar com palavras: coesão e coerência. Parábola: São Paulo, 2005. p. 101.) Existem evidências de que os sapos habitam a terra desde o período jurássico. Mas, ao contrário dos dinossauros, a mais imponente estirpe de 200 milhões de anos atrás, os anfíbios sempre foram considerados párias do reino animal. Época, 28 jun. 2004 (extraído de ANTUNES, I. Lutar com palavras: coesão e coerência. Parábola: São Paulo, 2005. p. 104)
  • 12. Referências ANTUNES, I. Lutar com palavras: coesão e coerência. São Paulo: Parábola, 2005. FÁVERO, L. L. Coesão e coerência textuais. 11.ed. São Paulo: Ática, 2009. KOCH, I.V; ELIAS, V. M. Ler e escrever. São Paulo: Contexto, 2009.