SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 43
Pragas quarentenárias ausentes de 
relevância para fruticultura tropical 
Regina Sugayama 
Agropec Consultoria 
(Centro Colaborador do MAPA para Análise de Risco de Pragas) 
Workshop Ameaças Fitossanitárias 
Fortaleza, Setembro/2014
Lobesia botrana 
Lepidoptera: Tortricidae 
Videira
Conteúdo 
Estágios da invasão biológica 
Análise de risco de pragas 
Histórico de introdução de pragas no Brasil 
• Geral 
• Frutas 
Metodologia 
Resultados 
Alguns exemplos 
Considerações finais
Invasão biológica: Entrada > Estabelecimento > Dispersão > Naturalização 
Transporte 
Ativo/ passivo 
Não sobrevive 
Entrada 
Não estabelece 
Estabelecimento 
5-20% (EUA) 
Permanece localizada 
Dispersão 
Impacto baixo 
Impacto alto
Período de latência 
Entrada Detecção 
Características intrínsecas 
Condições ambientais 
Capacidade de diagnóstico
Análise de Risco de Pragas 
Identifi-cação 
de 
perigos 
Fase 
1 
Avaliação 
de Risco 
Fase 
2 
Mitigação 
de Risco 
(MAPA) 
Fase 
3
Pelo menos 108 espécies entraram no Brasil desde 1890 
O ano de detecção 
não é, 
necessariamente, o 
ano em que a praga 
entrou no Brasil.
Ou melhor, 109: Anthonomus tomentosus
Categorias de Pragas Exóticas Detectadas no Brasil – 1890 a 2014
Origem Biogeográfica das Pragas Exóticas Detectadas no Brasil 
4 
10 
19 
9 
8 
21 
A origem 
biogeográfica não é, 
necessariamente, o 
local a partir de onde 
a praga entrou no 
Brasil
Primeira detecção no Brasil, por Unidade da Federação 
2 
1 
4 
1 
1 
1 
5 
2 
2 
1 
3 
2 
1 
2 
12 
4 
20 
5 
O local de primeira 
detecção não é, 
necessariamente, a 
UF onde a invasão 
começou.
65% das espécies que entraram foram auxiliadas pelas atividades humanas
Introdução de pragas de fruteiras: FUNGOS 
Colletotrichum acutatum, 1990 
Colletotrichum brevisporum, 2008 
Colletotrichum karstii, 2010 
Elsinoe australis, 1930 
Guignardia citricarpa, 1980 
Mycosphaerella fijiensis, 1998 
Neonectria galligena, 2002 
Taphrina deformans, ?
Introdução de pragas de fruteiras: PROCARIONTES 
Candidatus Liberibacter, 2004 
Erwinia ananas 
Phytomonas staheli, 1981 
Xanthomonas axonopodis pv. Citri, 1957 
Xanthomonas campestris pv. Passiflorae, 1968 
Xanthomonas campestris pv. Viticola, 1999 
Xanthomonas fragariae, 1970s 
Xylella fastidiosa, 1987
Introdução de pragas de fruteiras: VÍRUS E VIROIDES 
Citrus cachexia viroid, 1938 
Citrus exocortis viroid, 1947 
Citrus leprosis virus, 1933 
Citrus psorosis virus, Antes de 1955 
Grapevine leafroll virus, 1970s 
Vírus da tristeza do citros, 1937 
Zucchini yellow mosaic virus, 1990s
Introdução de pragas de fruteiras: ÁCAROS 
Aceria litchii, 2010 
Oligonychus annonicus, 2006 
Panonychus ulmi, 1976 
Raoiella indica, 2009 
Schizotetranychus hindustanicus, 2010
Introdução de pragas de fruteiras: COLEÓPTEROS 
Anthonomus tomentosus, 2014
Introdução de pragas de fruteiras: DÍPTEROS 
Bactrocera carambolae, 1996 
Ceratitis capitata, 1901 
Drosophila suzukii, 2013 
Erosomyia mangiferae, 1968 
Zaprionus indianus, 1999
Introdução de pragas de fruteiras: HEMÍPTEROS 
Aleurocanthus woglumi, 2001 
Aonidiella aurantii 
Aspidiotus destructor 
Bemisia tabaci biotipo B, 1990 
Diaphorina citri, 1940 
Greenidea ficicola, 2003 
Greenidea psidii, 2006 
Maconellicoccus hirsutus, 2012 
Parabemisia myricae, 2006 
Selenaspidus articulatus, 1988
Introdução de pragas de fruteiras: LEPIDÓPTEROS 
Cydia pomonella, 1991-2014 
Grapholita molesta, 1929 
Helicoverpa armigera, 2013 
Mocis repanda 
Phyllocnistis citrella, 1996
Introdução de pragas de fruteiras: TRIPS 
Elixothrips brevisetis, 2010 
Selenothrips rubrocinctus, 2004 
Thrips palmi, 1993
Impactos potenciais da introdução de uma nova praga 
Custos para fiscalização de trânsito e certificação fitossanitária 
Custo de controle 
Perdas diretas 
Aumento no custo de produção 
Perdas de mercados externos 
Aumento no risco ocupacional
Pragas quarentenárias de relevância para fruticultura tropical 
Bibliografia INs 
BDs 
Espécies que atacam frutas 
tropicais
Culturas consideradas
Espécie de fruta x Número de espécies de pragas quarentenárias (total = 166) 
79 
39 39 38 
26 25 24 24 
18 
14 
Uva Melão Banana Mamão Goiaba Manga Coco Abacaxi Melancia Caju
Especificidade Praga x Hospedeiro 
89 
35 
19 
12 
4 3 1 2 
1 2 3 4 5 6 7 8 
Número de espécies de pragas 
Número de plantas hospedeiras (entre as 10 
consideradas)
Anastrepha suspensa 
Altamente polífaga 
Caribe
Eudocima fullonia (Lepidoptera: Noctuidae) 
Detalhes: http://www.aphis.usda.gov/plant_health/plant_pest_info/pest_detection/downloads/pra/efulloniapra.pdf
Eudocima fullonia (Lepidoptera: Noctuidae) 
Fruit sucking moth 
Ásia, África, Oceania 
Actinidia chinensis, Anacardium occidentale, Ananas comosus, Annona muricata, 
Annona squamosa, Artocarpus altilis, Artocarpus heterophyllus, Averrhoa 
carambola, Capsicum annuum, Carica papaya, Casimiroa edulis, Chrysophyllum 
cainito, Citrus, Citrus limon, Citrus maxima, Citrus reticulata, Citrus sinensis, Citrus x 
paradisi, Cocculus hirsutus, Coffea arabica, Cucumis melo, Dimocarpus longan, 
Diospyros kaki, Eichhornia, Erythrina subumbrans, Erythrina variegata, Eugenia 
dombeyi, Ficus carica, Litchi chinensis, Malus sylvestris, Mangifera indica, Muntingia 
calabura, Musa, Nephelium lappaceum, Opuntia, Pachygone ovata, Passiflora 
edulis, Passiflora quadrangularis, Pometia pinnata, Prunus americana, Prunus 
domestica, Prunus persica, Prunus salicina, Psidium cattleianum, Psidium guajava, 
Punica granatum, Salvinia molesta, Sandoricum koetjape, Solanum lycopersicum, 
Solanum melongena, Syzygium malaccense, Tinospora cordifolia, Tinospora 
sinensis, Vitis vinifera
Aleurocanthus spp. (exceto A. woglumi) 
Ex.: Aleurocanthus spiniferus 
Ásia, África, EUA (Havaí) 
Citrus spp., Vitis vinifera, Psidium guajava, Pyrus communis, 
Diospyros caki, Rosa spp. 
https://www.eppo.int/QUARANTINE/insects/Aleurocanthus_spiniferus/ALECSN_d 
s.pdf
Ceratitis spp. (exceto C. capitata) 
Ceratitis catoirii 
África 
Ceratitis rosa 
África, EUA (interceptações apenas) 
Altamente polífaga 
Forte competidora de C. capitata
Bactrocera spp. (exceto B. carambolae) 
Ex.: Bactrocera invadens 
Ásia, África (em processo de expansão) 
46 espécies em 23 famílias botânicas 
Competidora de C. capitata
Icerya seychellarum 
Altamente polífaga 
Ásia e África
Ceroplastes rubens 
Altamente polífaga 
(centenas de espécies em 
pelo menos 80 famílias) 
América, Oceania, África, 
Ásia
Thaumatotibia (= Cryptophlebia) leucotreta 
> 70 plantas hospedeiras 
Praga importante de citrus, 
algodão e frutas de caroço 
África
Spodoptera littoralis 
Extremamente polífaga 
África, Europa, Ásia
128 
158 
188 
218 
2020 2030 2040 
Estimativa
Suspensão 
de produtos 
Lentidão no 
registro de 
novos produtos 
Leque reduzido 
de ferramentas 
para MIP e manejo 
de resistência 
Maior trânsito de 
pessoas 
e mercadorias 
Introdução de pragas 
agrícola 
SUSTENTABILIDADE? 
Novas fronteiras 
agrícolas 
Disseminação 
facilitada 
Considerações Finais
Considerações finais 
• Análise de Benefício: Custo como ferramenta para 
tomada de decisão 
• Estabelecimento de planos de contingência 
• Aumento da capacidade de diagnóstico 
• Formação de pessoas 
• Educação sanitária
É esta a conta que vocês vão 
deixar para eu pagar?
Obrigada. 
Regina Sugayama 
regina.sugayama@defesaagropecuaria.com 
• Agropec Pesquisa, Extensão e Consultoria 
www.defesaagropecuaria.com 
• Sociedade Brasileira de Defesa Agropecuária 
www.defesaagropecuaria.net 
• Mestrado Profissional em Defesa Sanitária Vegetal 
www.mpdefesa.ufv.br 
• Portal DefesaVegetal.Net www.defesavegetal.net 
• Biofábrica Moscamed Brasil www.moscamed.org.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Producao e comercializacao de frutas
Producao e comercializacao de frutasProducao e comercializacao de frutas
Producao e comercializacao de frutasgustavo_ruffeil
 
Cultura do arroz
Cultura do arrozCultura do arroz
Cultura do arrozKiller Max
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA Geagra UFG
 
Cultivo de bananeiras notas de aula.
Cultivo de bananeiras   notas de aula. Cultivo de bananeiras   notas de aula.
Cultivo de bananeiras notas de aula. CETEP, FTC, FASA..
 
Princiapais doenças do algodoeiro
Princiapais doenças do algodoeiroPrinciapais doenças do algodoeiro
Princiapais doenças do algodoeiroDavid Rodrigues
 
INTRODUÇÃO A COTONICULTURA
INTRODUÇÃO A COTONICULTURAINTRODUÇÃO A COTONICULTURA
INTRODUÇÃO A COTONICULTURAGeagra UFG
 
Identificação de plantas daninhas
Identificação de plantas daninhasIdentificação de plantas daninhas
Identificação de plantas daninhasGeagra UFG
 
Manejo de pragas no feijoeiro
Manejo de pragas no feijoeiro Manejo de pragas no feijoeiro
Manejo de pragas no feijoeiro Geagra UFG
 
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS NO ALGODOEIRO
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS NO ALGODOEIROMANEJO DE PLANTAS DANINHAS NO ALGODOEIRO
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS NO ALGODOEIROGeagra UFG
 
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃOMANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃOGeagra UFG
 
Manejo integrado de doenças da soja
Manejo integrado de doenças da sojaManejo integrado de doenças da soja
Manejo integrado de doenças da sojaSophie Gris
 
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do MilhoCultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do MilhoÍtalo Arrais
 
Pragas quarentenárias em fruticultura
Pragas quarentenárias em fruticulturaPragas quarentenárias em fruticultura
Pragas quarentenárias em fruticulturaJuan Rodríguez
 

Mais procurados (20)

Producao e comercializacao de frutas
Producao e comercializacao de frutasProducao e comercializacao de frutas
Producao e comercializacao de frutas
 
Cultura da Mandioca.pptx
Cultura da Mandioca.pptxCultura da Mandioca.pptx
Cultura da Mandioca.pptx
 
Cultura do arroz
Cultura do arrozCultura do arroz
Cultura do arroz
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NA SOJA
 
Cultivo de bananeiras notas de aula.
Cultivo de bananeiras   notas de aula. Cultivo de bananeiras   notas de aula.
Cultivo de bananeiras notas de aula.
 
Princiapais doenças do algodoeiro
Princiapais doenças do algodoeiroPrinciapais doenças do algodoeiro
Princiapais doenças do algodoeiro
 
Cultura do açaí.pptx
Cultura do açaí.pptxCultura do açaí.pptx
Cultura do açaí.pptx
 
INTRODUÇÃO A COTONICULTURA
INTRODUÇÃO A COTONICULTURAINTRODUÇÃO A COTONICULTURA
INTRODUÇÃO A COTONICULTURA
 
Identificação de plantas daninhas
Identificação de plantas daninhasIdentificação de plantas daninhas
Identificação de plantas daninhas
 
cultura da Acerola
cultura da Acerola cultura da Acerola
cultura da Acerola
 
Manejo de pragas no feijoeiro
Manejo de pragas no feijoeiro Manejo de pragas no feijoeiro
Manejo de pragas no feijoeiro
 
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS NO ALGODOEIRO
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS NO ALGODOEIROMANEJO DE PLANTAS DANINHAS NO ALGODOEIRO
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS NO ALGODOEIRO
 
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃOMANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO FEIJÃO
 
Manejo Integrado de Pragas
Manejo Integrado de PragasManejo Integrado de Pragas
Manejo Integrado de Pragas
 
Citrus de mesa
Citrus de mesaCitrus de mesa
Citrus de mesa
 
Cana de açúcar!
Cana de açúcar!Cana de açúcar!
Cana de açúcar!
 
Manejo integrado de doenças da soja
Manejo integrado de doenças da sojaManejo integrado de doenças da soja
Manejo integrado de doenças da soja
 
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do MilhoCultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
 
A cultura da banana minicurso
A cultura da banana   minicursoA cultura da banana   minicurso
A cultura da banana minicurso
 
Pragas quarentenárias em fruticultura
Pragas quarentenárias em fruticulturaPragas quarentenárias em fruticultura
Pragas quarentenárias em fruticultura
 

Destaque

Combate a pragas quarentenárias presentes e PNQR de relevância para a fruticu...
Combate a pragas quarentenárias presentes e PNQR de relevância para a fruticu...Combate a pragas quarentenárias presentes e PNQR de relevância para a fruticu...
Combate a pragas quarentenárias presentes e PNQR de relevância para a fruticu...Oxya Agro e Biociências
 
Programa fitossanitário - armigera
Programa fitossanitário - armigeraPrograma fitossanitário - armigera
Programa fitossanitário - armigeraTumate Virtual
 
Novas Tecnologiaas em Funcão de Ameaças Fitossanitárias - Alejandro Lorca
Novas Tecnologiaas em Funcão de Ameaças Fitossanitárias - Alejandro LorcaNovas Tecnologiaas em Funcão de Ameaças Fitossanitárias - Alejandro Lorca
Novas Tecnologiaas em Funcão de Ameaças Fitossanitárias - Alejandro LorcaOxya Agro e Biociências
 
Impactos econômicos da entrada de novas pragas - Sílvia Miranda
Impactos econômicos da entrada de novas pragas - Sílvia MirandaImpactos econômicos da entrada de novas pragas - Sílvia Miranda
Impactos econômicos da entrada de novas pragas - Sílvia MirandaOxya Agro e Biociências
 
A nova política fitossanitária para Brasil
A nova política fitossanitária para  BrasilA nova política fitossanitária para  Brasil
A nova política fitossanitária para BrasilOxya Agro e Biociências
 
Lições Aprendidas na Estrutura do Sistema de Vigilância e Prevenção de Pragas...
Lições Aprendidas na Estrutura do Sistema de Vigilância e Prevenção de Pragas...Lições Aprendidas na Estrutura do Sistema de Vigilância e Prevenção de Pragas...
Lições Aprendidas na Estrutura do Sistema de Vigilância e Prevenção de Pragas...Oxya Agro e Biociências
 
Ciência e Inovação para alimentar o mundo - José Perdomo
Ciência e Inovação para alimentar o mundo - José PerdomoCiência e Inovação para alimentar o mundo - José Perdomo
Ciência e Inovação para alimentar o mundo - José PerdomoOxya Agro e Biociências
 
Defesa Agropecuária: A nova política fitossanitária para o Brasil
Defesa Agropecuária: A nova política fitossanitária para o BrasilDefesa Agropecuária: A nova política fitossanitária para o Brasil
Defesa Agropecuária: A nova política fitossanitária para o BrasilIzabella Menezes
 
Prevenção da entrada e manejo de pragas quarentenárias: Proposição de arranjo...
Prevenção da entrada e manejo de pragas quarentenárias: Proposição de arranjo...Prevenção da entrada e manejo de pragas quarentenárias: Proposição de arranjo...
Prevenção da entrada e manejo de pragas quarentenárias: Proposição de arranjo...PNMF
 
Worshopp análise de risco embrapa novembro de 2012
Worshopp análise de risco embrapa novembro de 2012Worshopp análise de risco embrapa novembro de 2012
Worshopp análise de risco embrapa novembro de 2012Sofia Iba
 
O intercâmbio e a quarentena de germoplasma vegetal no brasil
O intercâmbio e a quarentena de germoplasma vegetal no brasilO intercâmbio e a quarentena de germoplasma vegetal no brasil
O intercâmbio e a quarentena de germoplasma vegetal no brasilRenato Ferraz de Arruda Veiga
 
Dr. Marcus Coelho - Indisponibilidade de produtos registrados para controle d...
Dr. Marcus Coelho - Indisponibilidade de produtos registrados para controle d...Dr. Marcus Coelho - Indisponibilidade de produtos registrados para controle d...
Dr. Marcus Coelho - Indisponibilidade de produtos registrados para controle d...Oxya Agro e Biociências
 
Cultivos agrícolas, pragas e seu manejo no Sul do Brasil
Cultivos agrícolas, pragas e seu manejo no Sul do BrasilCultivos agrícolas, pragas e seu manejo no Sul do Brasil
Cultivos agrícolas, pragas e seu manejo no Sul do BrasilIRAC-BR
 
O papel da CIPV e das ORPFs no contexto mundial e as novas discussões sobre p...
O papel da CIPV e das ORPFs no contexto mundial e as novas discussões sobre p...O papel da CIPV e das ORPFs no contexto mundial e as novas discussões sobre p...
O papel da CIPV e das ORPFs no contexto mundial e as novas discussões sobre p...Oxya Agro e Biociências
 
Manejo de Insetos nas cultura de soja, milho e algodão na Região de Goiás e M...
Manejo de Insetos nas cultura de soja, milho e algodão na Região de Goiás e M...Manejo de Insetos nas cultura de soja, milho e algodão na Região de Goiás e M...
Manejo de Insetos nas cultura de soja, milho e algodão na Região de Goiás e M...IRAC-BR
 

Destaque (20)

Fitopatologia
FitopatologiaFitopatologia
Fitopatologia
 
Combate a pragas quarentenárias presentes e PNQR de relevância para a fruticu...
Combate a pragas quarentenárias presentes e PNQR de relevância para a fruticu...Combate a pragas quarentenárias presentes e PNQR de relevância para a fruticu...
Combate a pragas quarentenárias presentes e PNQR de relevância para a fruticu...
 
Programa fitossanitário - armigera
Programa fitossanitário - armigeraPrograma fitossanitário - armigera
Programa fitossanitário - armigera
 
Agroterrorismo - Danilo Coelho
Agroterrorismo - Danilo CoelhoAgroterrorismo - Danilo Coelho
Agroterrorismo - Danilo Coelho
 
A quarentena e a fitossanidade 2008
A quarentena e a fitossanidade 2008A quarentena e a fitossanidade 2008
A quarentena e a fitossanidade 2008
 
Novas Tecnologiaas em Funcão de Ameaças Fitossanitárias - Alejandro Lorca
Novas Tecnologiaas em Funcão de Ameaças Fitossanitárias - Alejandro LorcaNovas Tecnologiaas em Funcão de Ameaças Fitossanitárias - Alejandro Lorca
Novas Tecnologiaas em Funcão de Ameaças Fitossanitárias - Alejandro Lorca
 
Impactos econômicos da entrada de novas pragas - Sílvia Miranda
Impactos econômicos da entrada de novas pragas - Sílvia MirandaImpactos econômicos da entrada de novas pragas - Sílvia Miranda
Impactos econômicos da entrada de novas pragas - Sílvia Miranda
 
A nova política fitossanitária para Brasil
A nova política fitossanitária para  BrasilA nova política fitossanitária para  Brasil
A nova política fitossanitária para Brasil
 
Slide curso defesa sanitaria vegetal
Slide curso defesa sanitaria vegetalSlide curso defesa sanitaria vegetal
Slide curso defesa sanitaria vegetal
 
Defesa Vegetal
Defesa VegetalDefesa Vegetal
Defesa Vegetal
 
Lições Aprendidas na Estrutura do Sistema de Vigilância e Prevenção de Pragas...
Lições Aprendidas na Estrutura do Sistema de Vigilância e Prevenção de Pragas...Lições Aprendidas na Estrutura do Sistema de Vigilância e Prevenção de Pragas...
Lições Aprendidas na Estrutura do Sistema de Vigilância e Prevenção de Pragas...
 
Ciência e Inovação para alimentar o mundo - José Perdomo
Ciência e Inovação para alimentar o mundo - José PerdomoCiência e Inovação para alimentar o mundo - José Perdomo
Ciência e Inovação para alimentar o mundo - José Perdomo
 
Defesa Agropecuária: A nova política fitossanitária para o Brasil
Defesa Agropecuária: A nova política fitossanitária para o BrasilDefesa Agropecuária: A nova política fitossanitária para o Brasil
Defesa Agropecuária: A nova política fitossanitária para o Brasil
 
Prevenção da entrada e manejo de pragas quarentenárias: Proposição de arranjo...
Prevenção da entrada e manejo de pragas quarentenárias: Proposição de arranjo...Prevenção da entrada e manejo de pragas quarentenárias: Proposição de arranjo...
Prevenção da entrada e manejo de pragas quarentenárias: Proposição de arranjo...
 
Worshopp análise de risco embrapa novembro de 2012
Worshopp análise de risco embrapa novembro de 2012Worshopp análise de risco embrapa novembro de 2012
Worshopp análise de risco embrapa novembro de 2012
 
O intercâmbio e a quarentena de germoplasma vegetal no brasil
O intercâmbio e a quarentena de germoplasma vegetal no brasilO intercâmbio e a quarentena de germoplasma vegetal no brasil
O intercâmbio e a quarentena de germoplasma vegetal no brasil
 
Dr. Marcus Coelho - Indisponibilidade de produtos registrados para controle d...
Dr. Marcus Coelho - Indisponibilidade de produtos registrados para controle d...Dr. Marcus Coelho - Indisponibilidade de produtos registrados para controle d...
Dr. Marcus Coelho - Indisponibilidade de produtos registrados para controle d...
 
Cultivos agrícolas, pragas e seu manejo no Sul do Brasil
Cultivos agrícolas, pragas e seu manejo no Sul do BrasilCultivos agrícolas, pragas e seu manejo no Sul do Brasil
Cultivos agrícolas, pragas e seu manejo no Sul do Brasil
 
O papel da CIPV e das ORPFs no contexto mundial e as novas discussões sobre p...
O papel da CIPV e das ORPFs no contexto mundial e as novas discussões sobre p...O papel da CIPV e das ORPFs no contexto mundial e as novas discussões sobre p...
O papel da CIPV e das ORPFs no contexto mundial e as novas discussões sobre p...
 
Manejo de Insetos nas cultura de soja, milho e algodão na Região de Goiás e M...
Manejo de Insetos nas cultura de soja, milho e algodão na Região de Goiás e M...Manejo de Insetos nas cultura de soja, milho e algodão na Região de Goiás e M...
Manejo de Insetos nas cultura de soja, milho e algodão na Região de Goiás e M...
 

Semelhante a Pragas quarentenárias ausentes fruticultura tropical

O perigo mora ao lado: 158 pragas quarentenárias para o Brasil relatadas nos ...
O perigo mora ao lado: 158 pragas quarentenárias para o Brasil relatadas nos ...O perigo mora ao lado: 158 pragas quarentenárias para o Brasil relatadas nos ...
O perigo mora ao lado: 158 pragas quarentenárias para o Brasil relatadas nos ...Oxya Agro e Biociências
 
O perigo mora ao lado: 158 pragas quarentenárias para o Brasil relatadas nos ...
O perigo mora ao lado: 158 pragas quarentenárias para o Brasil relatadas nos ...O perigo mora ao lado: 158 pragas quarentenárias para o Brasil relatadas nos ...
O perigo mora ao lado: 158 pragas quarentenárias para o Brasil relatadas nos ...Izabella Menezes
 
II WSF, São Paulo - Marcelo Lopes da Silva - “ PRAGAS QUARENTENÁRIAS PARA O B...
II WSF, São Paulo - Marcelo Lopes da Silva - “ PRAGAS QUARENTENÁRIAS PARA O B...II WSF, São Paulo - Marcelo Lopes da Silva - “ PRAGAS QUARENTENÁRIAS PARA O B...
II WSF, São Paulo - Marcelo Lopes da Silva - “ PRAGAS QUARENTENÁRIAS PARA O B...Oxya Agro e Biociências
 
Ameaças Fitossanitárias para o Brasil – A visão da Indústria
Ameaças Fitossanitárias para o Brasil – A visão da IndústriaAmeaças Fitossanitárias para o Brasil – A visão da Indústria
Ameaças Fitossanitárias para o Brasil – A visão da IndústriaOxya Agro e Biociências
 
Doenças da mangueira antracnose
Doenças da mangueira   antracnoseDoenças da mangueira   antracnose
Doenças da mangueira antracnoserfoltran
 
IV WSF, Vilhena - Luis Carlos Ribeiro - Ameaças Fitossanitárias para o Brasil...
IV WSF, Vilhena - Luis Carlos Ribeiro - Ameaças Fitossanitárias para o Brasil...IV WSF, Vilhena - Luis Carlos Ribeiro - Ameaças Fitossanitárias para o Brasil...
IV WSF, Vilhena - Luis Carlos Ribeiro - Ameaças Fitossanitárias para o Brasil...Oxya Agro e Biociências
 
I WSF, Brasília - Regina Sugayama - Entender o passado para prever o futuro: ...
I WSF, Brasília - Regina Sugayama - Entender o passado para prever o futuro: ...I WSF, Brasília - Regina Sugayama - Entender o passado para prever o futuro: ...
I WSF, Brasília - Regina Sugayama - Entender o passado para prever o futuro: ...Oxya Agro e Biociências
 
Técnica do Inseto Estéril A Experiência da Moscamed Brasil
Técnica do Inseto Estéril A Experiência da Moscamed BrasilTécnica do Inseto Estéril A Experiência da Moscamed Brasil
Técnica do Inseto Estéril A Experiência da Moscamed BrasilIzabella Menezes
 
Controle Biológico
Controle BiológicoControle Biológico
Controle BiológicoJoão Felix
 
Bactérias fitopatogênicas
Bactérias fitopatogênicasBactérias fitopatogênicas
Bactérias fitopatogênicasMatheus Trevisan
 
Cana-de-açúcar - Doenças e Pragas
Cana-de-açúcar - Doenças e PragasCana-de-açúcar - Doenças e Pragas
Cana-de-açúcar - Doenças e PragasSávio Sardinha
 
Aula 01 - Importancia e biologia de plantas daninhas pdf (1).pdf
Aula 01 - Importancia e biologia de plantas daninhas  pdf (1).pdfAula 01 - Importancia e biologia de plantas daninhas  pdf (1).pdf
Aula 01 - Importancia e biologia de plantas daninhas pdf (1).pdfGilsonRibeiroNachtig
 
Controle biológico
Controle biológicoControle biológico
Controle biológicounesp
 
Fruta de mesa (fitosanitário)
Fruta de mesa (fitosanitário)Fruta de mesa (fitosanitário)
Fruta de mesa (fitosanitário)João Carraça
 
III WSF, Campinas – Regina Sugayama - Histórico de introdução de pragas no Br...
III WSF, Campinas – Regina Sugayama - Histórico de introdução de pragas no Br...III WSF, Campinas – Regina Sugayama - Histórico de introdução de pragas no Br...
III WSF, Campinas – Regina Sugayama - Histórico de introdução de pragas no Br...Oxya Agro e Biociências
 
Pragas do eucalipto
Pragas do eucaliptoPragas do eucalipto
Pragas do eucaliptoDarioSousa10
 
Fórum jf mar 15 v2 [modo de compatibilidade]
Fórum jf mar 15 v2 [modo de compatibilidade]Fórum jf mar 15 v2 [modo de compatibilidade]
Fórum jf mar 15 v2 [modo de compatibilidade]Roosevelt Almado
 

Semelhante a Pragas quarentenárias ausentes fruticultura tropical (20)

O perigo mora ao lado: 158 pragas quarentenárias para o Brasil relatadas nos ...
O perigo mora ao lado: 158 pragas quarentenárias para o Brasil relatadas nos ...O perigo mora ao lado: 158 pragas quarentenárias para o Brasil relatadas nos ...
O perigo mora ao lado: 158 pragas quarentenárias para o Brasil relatadas nos ...
 
O perigo mora ao lado: 158 pragas quarentenárias para o Brasil relatadas nos ...
O perigo mora ao lado: 158 pragas quarentenárias para o Brasil relatadas nos ...O perigo mora ao lado: 158 pragas quarentenárias para o Brasil relatadas nos ...
O perigo mora ao lado: 158 pragas quarentenárias para o Brasil relatadas nos ...
 
Fitossanidade2003
Fitossanidade2003Fitossanidade2003
Fitossanidade2003
 
II WSF, São Paulo - Marcelo Lopes da Silva - “ PRAGAS QUARENTENÁRIAS PARA O B...
II WSF, São Paulo - Marcelo Lopes da Silva - “ PRAGAS QUARENTENÁRIAS PARA O B...II WSF, São Paulo - Marcelo Lopes da Silva - “ PRAGAS QUARENTENÁRIAS PARA O B...
II WSF, São Paulo - Marcelo Lopes da Silva - “ PRAGAS QUARENTENÁRIAS PARA O B...
 
Ameaças Fitossanitárias para o Brasil – A visão da Indústria
Ameaças Fitossanitárias para o Brasil – A visão da IndústriaAmeaças Fitossanitárias para o Brasil – A visão da Indústria
Ameaças Fitossanitárias para o Brasil – A visão da Indústria
 
Doenças da mangueira antracnose
Doenças da mangueira   antracnoseDoenças da mangueira   antracnose
Doenças da mangueira antracnose
 
IV WSF, Vilhena - Luis Carlos Ribeiro - Ameaças Fitossanitárias para o Brasil...
IV WSF, Vilhena - Luis Carlos Ribeiro - Ameaças Fitossanitárias para o Brasil...IV WSF, Vilhena - Luis Carlos Ribeiro - Ameaças Fitossanitárias para o Brasil...
IV WSF, Vilhena - Luis Carlos Ribeiro - Ameaças Fitossanitárias para o Brasil...
 
I WSF, Brasília - Regina Sugayama - Entender o passado para prever o futuro: ...
I WSF, Brasília - Regina Sugayama - Entender o passado para prever o futuro: ...I WSF, Brasília - Regina Sugayama - Entender o passado para prever o futuro: ...
I WSF, Brasília - Regina Sugayama - Entender o passado para prever o futuro: ...
 
Técnica do Inseto Estéril A Experiência da Moscamed Brasil
Técnica do Inseto Estéril A Experiência da Moscamed BrasilTécnica do Inseto Estéril A Experiência da Moscamed Brasil
Técnica do Inseto Estéril A Experiência da Moscamed Brasil
 
Controle Biológico
Controle BiológicoControle Biológico
Controle Biológico
 
Bactérias fitopatogênicas
Bactérias fitopatogênicasBactérias fitopatogênicas
Bactérias fitopatogênicas
 
Cana-de-açúcar - Doenças e Pragas
Cana-de-açúcar - Doenças e PragasCana-de-açúcar - Doenças e Pragas
Cana-de-açúcar - Doenças e Pragas
 
Aula 01 - Importancia e biologia de plantas daninhas pdf (1).pdf
Aula 01 - Importancia e biologia de plantas daninhas  pdf (1).pdfAula 01 - Importancia e biologia de plantas daninhas  pdf (1).pdf
Aula 01 - Importancia e biologia de plantas daninhas pdf (1).pdf
 
Popula+ç+òes e din+émica de popula+ç+òes para floresta
Popula+ç+òes e din+émica de popula+ç+òes para florestaPopula+ç+òes e din+émica de popula+ç+òes para floresta
Popula+ç+òes e din+émica de popula+ç+òes para floresta
 
Controle biológico
Controle biológicoControle biológico
Controle biológico
 
Fruta de mesa (fitosanitário)
Fruta de mesa (fitosanitário)Fruta de mesa (fitosanitário)
Fruta de mesa (fitosanitário)
 
Apresentação syngenta 2009
Apresentação syngenta 2009Apresentação syngenta 2009
Apresentação syngenta 2009
 
III WSF, Campinas – Regina Sugayama - Histórico de introdução de pragas no Br...
III WSF, Campinas – Regina Sugayama - Histórico de introdução de pragas no Br...III WSF, Campinas – Regina Sugayama - Histórico de introdução de pragas no Br...
III WSF, Campinas – Regina Sugayama - Histórico de introdução de pragas no Br...
 
Pragas do eucalipto
Pragas do eucaliptoPragas do eucalipto
Pragas do eucalipto
 
Fórum jf mar 15 v2 [modo de compatibilidade]
Fórum jf mar 15 v2 [modo de compatibilidade]Fórum jf mar 15 v2 [modo de compatibilidade]
Fórum jf mar 15 v2 [modo de compatibilidade]
 

Mais de Oxya Agro e Biociências

Segurança da informação - ISO 27001 - PRODESP
Segurança da informação - ISO 27001 - PRODESPSegurança da informação - ISO 27001 - PRODESP
Segurança da informação - ISO 27001 - PRODESPOxya Agro e Biociências
 
Segurança no recebimento e guarda de documentos digitais
Segurança no recebimento e guarda de documentos digitaisSegurança no recebimento e guarda de documentos digitais
Segurança no recebimento e guarda de documentos digitaisOxya Agro e Biociências
 
Apresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAs
Apresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAsApresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAs
Apresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAsOxya Agro e Biociências
 
Boas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto Regulatório
Boas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto RegulatórioBoas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto Regulatório
Boas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto RegulatórioOxya Agro e Biociências
 
Campanha contra defensivos agrícolas ilegais
Campanha contra defensivos agrícolas ilegaisCampanha contra defensivos agrícolas ilegais
Campanha contra defensivos agrícolas ilegaisOxya Agro e Biociências
 
Impacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileira
Impacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileiraImpacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileira
Impacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileiraOxya Agro e Biociências
 
Impacto econômico de pragas agrícolas no Brasil
Impacto econômico de pragas agrícolas no BrasilImpacto econômico de pragas agrícolas no Brasil
Impacto econômico de pragas agrícolas no BrasilOxya Agro e Biociências
 
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afins
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afinsNovas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afins
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afinsOxya Agro e Biociências
 
Novas Legislações e Procedimentos na área de Agrotóxicos
Novas Legislações e Procedimentos na área de AgrotóxicosNovas Legislações e Procedimentos na área de Agrotóxicos
Novas Legislações e Procedimentos na área de AgrotóxicosOxya Agro e Biociências
 
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicosNovas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicosOxya Agro e Biociências
 
Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...
Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...
Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...Oxya Agro e Biociências
 
Gestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVE
Gestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVEGestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVE
Gestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVEOxya Agro e Biociências
 
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...Oxya Agro e Biociências
 
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na Anvisa
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na AnvisaSituação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na Anvisa
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na AnvisaOxya Agro e Biociências
 
Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...
Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...
Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...Oxya Agro e Biociências
 

Mais de Oxya Agro e Biociências (20)

Flyer eletrônico - simpdcana
Flyer eletrônico - simpdcanaFlyer eletrônico - simpdcana
Flyer eletrônico - simpdcana
 
Segurança da informação - ISO 27001 - PRODESP
Segurança da informação - ISO 27001 - PRODESPSegurança da informação - ISO 27001 - PRODESP
Segurança da informação - ISO 27001 - PRODESP
 
Apresentação do Projeto Colmeia Viva
Apresentação do Projeto Colmeia VivaApresentação do Projeto Colmeia Viva
Apresentação do Projeto Colmeia Viva
 
Segurança no recebimento e guarda de documentos digitais
Segurança no recebimento e guarda de documentos digitaisSegurança no recebimento e guarda de documentos digitais
Segurança no recebimento e guarda de documentos digitais
 
Sistema GEDAVE
Sistema GEDAVESistema GEDAVE
Sistema GEDAVE
 
Apresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAs
Apresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAsApresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAs
Apresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAs
 
Boas Práticas Regulatórias
Boas Práticas RegulatóriasBoas Práticas Regulatórias
Boas Práticas Regulatórias
 
Boas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto Regulatório
Boas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto RegulatórioBoas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto Regulatório
Boas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto Regulatório
 
Campanha contra defensivos agrícolas ilegais
Campanha contra defensivos agrícolas ilegaisCampanha contra defensivos agrícolas ilegais
Campanha contra defensivos agrícolas ilegais
 
Impacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileira
Impacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileiraImpacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileira
Impacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileira
 
Impacto econômico de pragas agrícolas no Brasil
Impacto econômico de pragas agrícolas no BrasilImpacto econômico de pragas agrícolas no Brasil
Impacto econômico de pragas agrícolas no Brasil
 
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afins
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afinsNovas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afins
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afins
 
Novas Legislações e Procedimentos na área de Agrotóxicos
Novas Legislações e Procedimentos na área de AgrotóxicosNovas Legislações e Procedimentos na área de Agrotóxicos
Novas Legislações e Procedimentos na área de Agrotóxicos
 
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicosNovas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos
 
Gestão e Inovação, para quê?
Gestão e Inovação, para quê?Gestão e Inovação, para quê?
Gestão e Inovação, para quê?
 
Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...
Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...
Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...
 
Gestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVE
Gestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVEGestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVE
Gestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVE
 
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...
 
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na Anvisa
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na AnvisaSituação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na Anvisa
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na Anvisa
 
Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...
Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...
Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...
 

Último

REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
Revisão ENEM ensino médio 2024 para o terceiro ano
Revisão ENEM ensino médio 2024 para o terceiro anoRevisão ENEM ensino médio 2024 para o terceiro ano
Revisão ENEM ensino médio 2024 para o terceiro anoAlessandraRaiolDasNe
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
NORMAS PARA PRODUCAO E PUBLICACAO UNIROVUMA - CAPACITACAO DOCENTE II SEMESTRE...
NORMAS PARA PRODUCAO E PUBLICACAO UNIROVUMA - CAPACITACAO DOCENTE II SEMESTRE...NORMAS PARA PRODUCAO E PUBLICACAO UNIROVUMA - CAPACITACAO DOCENTE II SEMESTRE...
NORMAS PARA PRODUCAO E PUBLICACAO UNIROVUMA - CAPACITACAO DOCENTE II SEMESTRE...LuisCSIssufo
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
84723012-ACIDENTES- ósseos anatomia humana
84723012-ACIDENTES- ósseos anatomia humana84723012-ACIDENTES- ósseos anatomia humana
84723012-ACIDENTES- ósseos anatomia humanajosecavalcante88019
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulao
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulaoTeorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulao
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulaoEduardoBarreto262551
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
Síndrome de obstrução brônquica 2020.pdf
Síndrome de obstrução brônquica 2020.pdfSíndrome de obstrução brônquica 2020.pdf
Síndrome de obstrução brônquica 2020.pdfVctorJuliao
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
Sistema _ Endocrino_ hormonios_8_ano.ppt
Sistema _ Endocrino_ hormonios_8_ano.pptSistema _ Endocrino_ hormonios_8_ano.ppt
Sistema _ Endocrino_ hormonios_8_ano.pptMrciaVidigal
 

Último (17)

REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
 
Revisão ENEM ensino médio 2024 para o terceiro ano
Revisão ENEM ensino médio 2024 para o terceiro anoRevisão ENEM ensino médio 2024 para o terceiro ano
Revisão ENEM ensino médio 2024 para o terceiro ano
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
 
NORMAS PARA PRODUCAO E PUBLICACAO UNIROVUMA - CAPACITACAO DOCENTE II SEMESTRE...
NORMAS PARA PRODUCAO E PUBLICACAO UNIROVUMA - CAPACITACAO DOCENTE II SEMESTRE...NORMAS PARA PRODUCAO E PUBLICACAO UNIROVUMA - CAPACITACAO DOCENTE II SEMESTRE...
NORMAS PARA PRODUCAO E PUBLICACAO UNIROVUMA - CAPACITACAO DOCENTE II SEMESTRE...
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
 
84723012-ACIDENTES- ósseos anatomia humana
84723012-ACIDENTES- ósseos anatomia humana84723012-ACIDENTES- ósseos anatomia humana
84723012-ACIDENTES- ósseos anatomia humana
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
 
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulao
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulaoTeorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulao
Teorias da Evolução e slides sobre darwnismo e evoulao
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
 
Síndrome de obstrução brônquica 2020.pdf
Síndrome de obstrução brônquica 2020.pdfSíndrome de obstrução brônquica 2020.pdf
Síndrome de obstrução brônquica 2020.pdf
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
 
Sistema _ Endocrino_ hormonios_8_ano.ppt
Sistema _ Endocrino_ hormonios_8_ano.pptSistema _ Endocrino_ hormonios_8_ano.ppt
Sistema _ Endocrino_ hormonios_8_ano.ppt
 

Pragas quarentenárias ausentes fruticultura tropical

  • 1. Pragas quarentenárias ausentes de relevância para fruticultura tropical Regina Sugayama Agropec Consultoria (Centro Colaborador do MAPA para Análise de Risco de Pragas) Workshop Ameaças Fitossanitárias Fortaleza, Setembro/2014
  • 2. Lobesia botrana Lepidoptera: Tortricidae Videira
  • 3. Conteúdo Estágios da invasão biológica Análise de risco de pragas Histórico de introdução de pragas no Brasil • Geral • Frutas Metodologia Resultados Alguns exemplos Considerações finais
  • 4. Invasão biológica: Entrada > Estabelecimento > Dispersão > Naturalização Transporte Ativo/ passivo Não sobrevive Entrada Não estabelece Estabelecimento 5-20% (EUA) Permanece localizada Dispersão Impacto baixo Impacto alto
  • 5. Período de latência Entrada Detecção Características intrínsecas Condições ambientais Capacidade de diagnóstico
  • 6. Análise de Risco de Pragas Identifi-cação de perigos Fase 1 Avaliação de Risco Fase 2 Mitigação de Risco (MAPA) Fase 3
  • 7. Pelo menos 108 espécies entraram no Brasil desde 1890 O ano de detecção não é, necessariamente, o ano em que a praga entrou no Brasil.
  • 8. Ou melhor, 109: Anthonomus tomentosus
  • 9. Categorias de Pragas Exóticas Detectadas no Brasil – 1890 a 2014
  • 10. Origem Biogeográfica das Pragas Exóticas Detectadas no Brasil 4 10 19 9 8 21 A origem biogeográfica não é, necessariamente, o local a partir de onde a praga entrou no Brasil
  • 11. Primeira detecção no Brasil, por Unidade da Federação 2 1 4 1 1 1 5 2 2 1 3 2 1 2 12 4 20 5 O local de primeira detecção não é, necessariamente, a UF onde a invasão começou.
  • 12. 65% das espécies que entraram foram auxiliadas pelas atividades humanas
  • 13. Introdução de pragas de fruteiras: FUNGOS Colletotrichum acutatum, 1990 Colletotrichum brevisporum, 2008 Colletotrichum karstii, 2010 Elsinoe australis, 1930 Guignardia citricarpa, 1980 Mycosphaerella fijiensis, 1998 Neonectria galligena, 2002 Taphrina deformans, ?
  • 14. Introdução de pragas de fruteiras: PROCARIONTES Candidatus Liberibacter, 2004 Erwinia ananas Phytomonas staheli, 1981 Xanthomonas axonopodis pv. Citri, 1957 Xanthomonas campestris pv. Passiflorae, 1968 Xanthomonas campestris pv. Viticola, 1999 Xanthomonas fragariae, 1970s Xylella fastidiosa, 1987
  • 15. Introdução de pragas de fruteiras: VÍRUS E VIROIDES Citrus cachexia viroid, 1938 Citrus exocortis viroid, 1947 Citrus leprosis virus, 1933 Citrus psorosis virus, Antes de 1955 Grapevine leafroll virus, 1970s Vírus da tristeza do citros, 1937 Zucchini yellow mosaic virus, 1990s
  • 16. Introdução de pragas de fruteiras: ÁCAROS Aceria litchii, 2010 Oligonychus annonicus, 2006 Panonychus ulmi, 1976 Raoiella indica, 2009 Schizotetranychus hindustanicus, 2010
  • 17. Introdução de pragas de fruteiras: COLEÓPTEROS Anthonomus tomentosus, 2014
  • 18. Introdução de pragas de fruteiras: DÍPTEROS Bactrocera carambolae, 1996 Ceratitis capitata, 1901 Drosophila suzukii, 2013 Erosomyia mangiferae, 1968 Zaprionus indianus, 1999
  • 19. Introdução de pragas de fruteiras: HEMÍPTEROS Aleurocanthus woglumi, 2001 Aonidiella aurantii Aspidiotus destructor Bemisia tabaci biotipo B, 1990 Diaphorina citri, 1940 Greenidea ficicola, 2003 Greenidea psidii, 2006 Maconellicoccus hirsutus, 2012 Parabemisia myricae, 2006 Selenaspidus articulatus, 1988
  • 20. Introdução de pragas de fruteiras: LEPIDÓPTEROS Cydia pomonella, 1991-2014 Grapholita molesta, 1929 Helicoverpa armigera, 2013 Mocis repanda Phyllocnistis citrella, 1996
  • 21. Introdução de pragas de fruteiras: TRIPS Elixothrips brevisetis, 2010 Selenothrips rubrocinctus, 2004 Thrips palmi, 1993
  • 22.
  • 23. Impactos potenciais da introdução de uma nova praga Custos para fiscalização de trânsito e certificação fitossanitária Custo de controle Perdas diretas Aumento no custo de produção Perdas de mercados externos Aumento no risco ocupacional
  • 24.
  • 25. Pragas quarentenárias de relevância para fruticultura tropical Bibliografia INs BDs Espécies que atacam frutas tropicais
  • 27. Espécie de fruta x Número de espécies de pragas quarentenárias (total = 166) 79 39 39 38 26 25 24 24 18 14 Uva Melão Banana Mamão Goiaba Manga Coco Abacaxi Melancia Caju
  • 28. Especificidade Praga x Hospedeiro 89 35 19 12 4 3 1 2 1 2 3 4 5 6 7 8 Número de espécies de pragas Número de plantas hospedeiras (entre as 10 consideradas)
  • 29. Anastrepha suspensa Altamente polífaga Caribe
  • 30. Eudocima fullonia (Lepidoptera: Noctuidae) Detalhes: http://www.aphis.usda.gov/plant_health/plant_pest_info/pest_detection/downloads/pra/efulloniapra.pdf
  • 31. Eudocima fullonia (Lepidoptera: Noctuidae) Fruit sucking moth Ásia, África, Oceania Actinidia chinensis, Anacardium occidentale, Ananas comosus, Annona muricata, Annona squamosa, Artocarpus altilis, Artocarpus heterophyllus, Averrhoa carambola, Capsicum annuum, Carica papaya, Casimiroa edulis, Chrysophyllum cainito, Citrus, Citrus limon, Citrus maxima, Citrus reticulata, Citrus sinensis, Citrus x paradisi, Cocculus hirsutus, Coffea arabica, Cucumis melo, Dimocarpus longan, Diospyros kaki, Eichhornia, Erythrina subumbrans, Erythrina variegata, Eugenia dombeyi, Ficus carica, Litchi chinensis, Malus sylvestris, Mangifera indica, Muntingia calabura, Musa, Nephelium lappaceum, Opuntia, Pachygone ovata, Passiflora edulis, Passiflora quadrangularis, Pometia pinnata, Prunus americana, Prunus domestica, Prunus persica, Prunus salicina, Psidium cattleianum, Psidium guajava, Punica granatum, Salvinia molesta, Sandoricum koetjape, Solanum lycopersicum, Solanum melongena, Syzygium malaccense, Tinospora cordifolia, Tinospora sinensis, Vitis vinifera
  • 32. Aleurocanthus spp. (exceto A. woglumi) Ex.: Aleurocanthus spiniferus Ásia, África, EUA (Havaí) Citrus spp., Vitis vinifera, Psidium guajava, Pyrus communis, Diospyros caki, Rosa spp. https://www.eppo.int/QUARANTINE/insects/Aleurocanthus_spiniferus/ALECSN_d s.pdf
  • 33. Ceratitis spp. (exceto C. capitata) Ceratitis catoirii África Ceratitis rosa África, EUA (interceptações apenas) Altamente polífaga Forte competidora de C. capitata
  • 34. Bactrocera spp. (exceto B. carambolae) Ex.: Bactrocera invadens Ásia, África (em processo de expansão) 46 espécies em 23 famílias botânicas Competidora de C. capitata
  • 35. Icerya seychellarum Altamente polífaga Ásia e África
  • 36. Ceroplastes rubens Altamente polífaga (centenas de espécies em pelo menos 80 famílias) América, Oceania, África, Ásia
  • 37. Thaumatotibia (= Cryptophlebia) leucotreta > 70 plantas hospedeiras Praga importante de citrus, algodão e frutas de caroço África
  • 38. Spodoptera littoralis Extremamente polífaga África, Europa, Ásia
  • 39. 128 158 188 218 2020 2030 2040 Estimativa
  • 40. Suspensão de produtos Lentidão no registro de novos produtos Leque reduzido de ferramentas para MIP e manejo de resistência Maior trânsito de pessoas e mercadorias Introdução de pragas agrícola SUSTENTABILIDADE? Novas fronteiras agrícolas Disseminação facilitada Considerações Finais
  • 41. Considerações finais • Análise de Benefício: Custo como ferramenta para tomada de decisão • Estabelecimento de planos de contingência • Aumento da capacidade de diagnóstico • Formação de pessoas • Educação sanitária
  • 42. É esta a conta que vocês vão deixar para eu pagar?
  • 43. Obrigada. Regina Sugayama regina.sugayama@defesaagropecuaria.com • Agropec Pesquisa, Extensão e Consultoria www.defesaagropecuaria.com • Sociedade Brasileira de Defesa Agropecuária www.defesaagropecuaria.net • Mestrado Profissional em Defesa Sanitária Vegetal www.mpdefesa.ufv.br • Portal DefesaVegetal.Net www.defesavegetal.net • Biofábrica Moscamed Brasil www.moscamed.org.br