SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 63
1MFMM
BOM DIA! Em breve iniciaremos a aula
• Para não comprometer o fluxo de transmissão da videoaula, solicito a
gentileza que neste momento desativem os microfones e as câmeras
• Em caso de dúvidas durante a apresentação da aula, por favor ative o
chat a Profa. Pina irá ajudá-los
• NÃO É PERMITIDO A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DE QUALQUER
CONTEÚDO DESSA VIDEOAULA, SEM AUTORIZAÇÃO PRÉVIA DO
PROFESSOR E/OU COORDENAÇÃO
2MFMM
REFLEXOS
3MFMM
Reflexos
• O reflexo é uma resposta involuntária a um estímulo sensorial
• Os impulsos aferentes originados de um órgão sensorial provocam
resposta de um órgão efetor
• É a contração brusca do músculo quando este é submetido a um
estiramento rápido
4MFMM
5MFMM
Reflexo
Componente
segmentar
Centro reflexo local na
medula espinhal ou no
tronco encefálico +
conexões aferentes e
eferentes
Componente
suprassegmentar
Vias centrais
descendentes que
controlam, modulam e
regulam a atividade
segmentar
6MFMM
Reflexos • O estímulo é recebido pelo receptor (terminação
sensorial na pele, nas mucosas, no músculo, no
tendão, no periósteo
• A estimulação do receptor inicia um impulso que
segue pela via aferente até o sistema nervoso
central (SNC), onde há sinapse em um centro
reflexo que ativa o corpo celular do neurônio
eferente
• O neurônio eferente transmite o impulso para o
efetor: a célula, músculo, glândula ou vaso
sanguíneo que então responde
• Um distúrbio na função de uma parte do arco
reflexo (receptor, via aferente, centro do reflexo,
via eferente ou aparelho efetor=> interrompe o
arco reflexo=> diminuição ou perda do reflexo
7MFMM
Arco reflexo
• Órgão receptor (pele, músculo ou tendão)
• Um neurônio aferente
• Um neurônio efetor
• Um órgão efetor
• ARCO REFLEXO MONOSSINÁPTICO
• (a interrupção desse arco reflexo em qualquer ponto
do trajeto irá abolir a resposta)
8MFMM
Composição reflexo miotático
a) Terminações ânulo-espirais do fuso muscular, que são estimuladas pela
distensão ou estiramento do músculo,
b) Via aferente, formada pelos axônios do grupo Ia do neurônio sensitivo
da raiz dorsal,
c) Centro reflexo, formado pela sinapse entre o neurônio motor sensitivo e
o motoneurônio,
d) Cada reflexo apresenta uma área específica de excitação e resposta.
9MFMM
Fusos musculares: verificam alteração
(estiramento) e a taxa de alteração do
comprimento muscular (contração muscular)
Órgãos tendinosos de Golgi: sinalizam
mudanças de tensão muscular;
Motoneurônios alfa: ativam as fibras extra-
fusais
Motoneurônios gama: ativam as fibras intra-
fusais (regula a sua sensibilidade do fuso)
10MFMM
11MFMM
Reflexo miotático
• A via piramidal ou corticospinal, por intermédio das fibras
extrapiramidais do trato reticulospinal misturadas a ela, é inibidora do
sistema gama e, portanto, do reflexo miotático,
• A lesão da via piramidal é acompanhada de reflexos tendinosos
hiperativos, hipertonia ou espasticidade.
12MFMM
Reflexo miotático
• A interrupção do arco reflexo leva à diminuição ou abolição do reflexo
miotático e à hipotonia,
• traduzindo lesão neurogênica periférica (raiz dorsal ou ventral,
troncos nervosos periféricos ou corpos dos motoneurônios no
segmento medular).
13MFMM
Reflexos miotáticos fásicos
• Pesquisa com auxílio de martelo pela percussão de um
tendão muscular
• Estiramento do músculo (percussão do tendão, estimula
receptores no seu interior=> fusos musculares)
Dejerine
Teylor
Babinsky
14MFMM
Classificação dos reflexos
• Exteroceptivos (superficiais)=> Receptores localizados na pele e/ou
mucosas externas (polissinápticos)
• Proprioceptivos =>estímulos atuam ou se originam nos músculos,
tendões, labirinto (monossinápticos)
• Visceroceptivos
15MFMM
Reflexos proprioceptivos
Miotáticos (profundos ou osteo tendíneos):
• estímulo é constituído pela distensão do músculo
origem=> receptores aferentes de tração dos
músculos esqueléticos e órgãos neurotendíneos,
• Reflexos monossinápticos,
• Resposta=> contração do músculo estimulado e
relaxamento dos músculos antagonistas
• Pesquisa do reflexo=>distensão muscular rápida
provocada pela percussão tendínea ou óssea.
16MFMM
Reflexos dos membros
superiores
17MFMM
Estilorradial (Braquirradial)
• Centro  C5-C6
• Nervo radial
• Músculos flexores da mão e dedo
• antebraço em flexão sobre o braço
e o punho sobre a mão do
examinador,
• percussão sobre apófise estilóide
do rádio,
• resposta: contração do músculo
braquiorradial com flexão e
supinação do antebraço.
18MFMM
19MFMM
Reflexo bicipital
• Centro => C5-C6
• N. músculocutâneo
• M. Bíceps • antebraço apoiado e em
semiflexão, mão em supinação,
• percute-se o tendão do bíceps
na dobra do cotovelo com
interposição do polegar do
examinador,
• resposta: contração do bíceps
e consequente flexão e
supinação do antebraço.
20MFMM
21MFMM
Reflexo tricipital
• Centro=>C6-C8
• Nervo radial
• Músculo tríceps
• braço em abdução e sustentado
pela mão do examinador, deixa-se
cair o antebraço em ângulo reto
com o braço,
• percussão do tendão distal do
tríceps,
• resposta: contração do tríceps,
com extensão do antebraço.
22MFMM
23MFMM
Reflexo dos flexores dos dedos
• Centro: C8-T1
• Nervos mediano e ulnar
• falange média do dedo médio do
paciente é fixada entre o segundo e
terceiro dedos que com seu polegar
determina a flexão brusca da última
falange do paciente, pressionando a unha
e relaxando-a subitamente,
• Manobra de Hoffmann.
• resposta: contração dos músculos
flexores dos dedos.
24MFMM
• antebraço em semiflexão e supinação e
os dedos em leve flexão,
• o examinador coloca seus dedos médio e
indicador sobre a superfície palmar das
falanges do paciente e percute os seus
próprios dedos,
• manobra de Wartenberg.
Reflexo dos flexores dos dedos
25MFMM
Reflexo dos flexores dos dedos
• Percussão brusca da polpa dos
dedos médio e indicador do
paciente com seu próprio dedo
médio,
• Manobra de Troemner.
26MFMM
27MFMM
Reflexos dos membros inferiores
28MFMM
Manobra para facilitar a obtenção do reflexo => Jendrassik
29MFMM
Reflexo patelar
• Centro reflexógeno: L2 – L4
• Nervo femural
• Músculo=> quadríceps femural
• paciente sentado com as pernas
pendentes ou com uma das pernas
cruzadas sobre o joelho oposto,
• paciente deitado em decúbito dorsal
com joelho semifletido e apoiado na
mão do examinador,
• percussão do tendão da patela junto à
articulação do joelho,
• resposta: contração do músculo
quadríceps femural com extensão da
perna.
30MFMM
31MFMM
Reflexo Patelar
32MFMM
Reflexo Patelar
33MFMM
Reflexo Aquileu
• Centro reflexógeno : L5- S2
• Nervo tibial
• Músculo tríceps sural
• paciente de joelhos sobre uma
cadeira e com os pés para fora
do assento,
• paciente sentado e as pernas
pendentes, o tendão do tríceps
sural é ligeiramente distendido
pela dorsiflexão discreta do pé,
• paciente em decúbito dorsal a
cima das pernas cruzadas sobre
o joelho oposto, pé em ligeira
flexão dorsal e apoiando-se a
mão do examinador na parte
anterior da planta do pé,
• percussão: tendão do
calcâneo,
• resposta: contração do tríceps
sural com extensão do pé sobre
a perna.
34MFMM
35MFMM
REFLEXO AQUILEU
36MFMM
REFLEXO AQUILEU
37MFMM
38MFMM
Alteração dos reflexos profundos
• Normais, hiperativos, hipoativos
• Arreflexia ou hiporreflexia=>
Ocorre quando há comprometimento dos elementos
que constituem o arco reflexo,
Polineuropatia, Radiculopatia, Poliomielite, Miopatia,
Tabes dorsalis
39MFMM
Alteração dos reflexos profundos
• Hiperreflexia:
Em condicão normal o trato cortico-espinal tem ação
inibitória sobre o arco reflexo
 lesão dos tratos=> liberação do piramidal
motoneurônios na síndrome piramidal tornam-se
hiperativos
exaltação dos reflexos, obtenção de várias respostas
(policinético), lesão da via piramidal.
40MFMM
GRADUAÇÃO DOS REFLEXOS
41MFMM
Alteração dos reflexos profundos
Clônus:
• Observado quando um músculo é alongado
passivamente de modo brusco e este alongamento é
mantido pelo examinador
• contrações clonicas, repetidas, rítmicas e
involuntárias, após distensão brusca de um tendão
(mão, rótula, pé).
42MFMM
Clonus da mão
43MFMM
Clonus da rótula
44MFMM
Clonus do pé
45MFMM
REFLEXOS CUTÂNEOS
46MFMM
Reflexos cutâneos
• O arco reflexo exteroceptivo (reflexos cutâneos) é formado pela fibras
aferentes finas, que através de vários interneurônios, vão estimular os
motoneurônios alfa.
47MFMM
Reflexos cutâneos
48MFMM
Reflexo cutâneo-abdominal
• Centro => Nervos intercostais
T6-T12
• obtido pelo estímulo da parede do
abdome com objeto semipontiagudo
aplicado em sentido látero-medial nas
regiões epigástrica, umbilical e
hipogástrica,
• resposta: contração homolateral dos
músculos abdominais, provocado por
um estímulo deslizante leve na parede
abdominal com desvio da linha alba e
da cicatriz umbilical na direção do
estímulo
49MFMM
REFLEXO CREMASTÉRICO
• paciente em decúbito dorsal
com os membros inferiores em
extensão e abdução,
• estimula-se a face interna da
coxa no seu 1/3 superior,
• resposta: contração do
músculo cremaster e elevação
do testículo homolateral.
• Nervos ilioinguinal e genitofemural = L1 e L2
50MFMM
Reflexo cutâneo-plantar
• Centro => L5-S2
• Nervo tibial
• estimulação com instrumento
semipontiagudo da borda externa da
planta do pé no sentido postero-
anterior,
• resposta: contração dos músculos
flexores dos dedos do pé.
•flexão é a resposta normal após os
primeiros 12 a 18 meses de vida
•Variação patológica=> sinal de
Babinski
51MFMM
Reflexo cutâneo-plantar
• a via piramidal exerce inibição sobre este reflexo, o que determina a
flexão plantar dos dedos do pé quando for estimulada a planta do pé,
• Lesão piramidal: após a estimulação da planta do pé o hálux responde
com a extensão lenta=> sinal de Babinski.
Babisnki – extensão do
hálux
Normal=> flexão plantar
52MFMM
Sinal de Babinski
53MFMM
Sinal de Babinski
54MFMM
• SINAL DE BABINSKY=> cutâneo plantar em extensão
(extensão lenta e majestosa do hálux)
• Manobras=> extensão do hálux
Sinal de Gordon=> compressão da panturrilha
Sinal de Schafer=> compressão do tendão de Aquiles
Sinal de Oppenheim=> atrito da crista tibial
Sinal de Chaddock =>obtido pela estimulação da face
lateral do pé em torno do maléolo externo
55MFMM
56MFMM
Babinsky
Oppenheim
57MFMM
58MFMM
59MFMM
60MFMM
61MFMM
Diferenças semiológicas entre síndrome do neurônio
motor superior e inferior
Sintomas Síndrome do neurônio motor
superior
Síndrome do neurônio motor
inferior
Fraqueza Presente Presente e mais acentuada
Tonus Aumentado (hipertonia) Diminuída ou normal
Reflexos osteotendíneos Aumentados (hiperativos) Diminuídos (hipoativos/abolidos)
Trofismo muscular Ausente Atrofia leve a grave
Fasciculação Ausente Presente (lesões do corno anterior)
Distribuição da fraqueza Distal Focal ou generalizada
Reflexo cutâneo plantar Em extensão (sinal de Babinski) Em flexão / abolido
Reflexo cutâneo abdominal Ausente Presente
62MFMM
SÍNDROME DO NEURONIO MOTOR
SUPERIOR
SÍNDROME DO NEURONIO MOTOR
INFERIOR
Paralisia espástica Paralisia flácida
Ausência de atrofia Presença de atrofia
Ausência de fasciculações Presença de fasciculações
Hiperreflexia Hipo/Arreflexia
Babinski presente Babinski ausente
63MFMM
“Fasciculação”
Fasciculação
Síndrome do Neuronio Motor Inferior

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cópia de semiologia do tórax
Cópia de semiologia do tóraxCópia de semiologia do tórax
Cópia de semiologia do tórax
Jucie Vasconcelos
 
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marcha
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marchaAvaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marcha
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marcha
Natha Fisioterapia
 
Coordenação motora
Coordenação motoraCoordenação motora
Coordenação motora
pauloalambert
 
Noções de Exame Neurológico - Parte II - Profa. Rilva
Noções de Exame Neurológico - Parte II - Profa. RilvaNoções de Exame Neurológico - Parte II - Profa. Rilva
Noções de Exame Neurológico - Parte II - Profa. Rilva
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Semiologia vascular
Semiologia vascularSemiologia vascular
Semiologia vascular
LAC
 
Propedêutica pulmonar
Propedêutica pulmonarPropedêutica pulmonar
Propedêutica pulmonar
dapab
 
Atelectasias e pneumotrax
Atelectasias e pneumotraxAtelectasias e pneumotrax
Atelectasias e pneumotrax
Flávia Salame
 
Aula 01 introdução, planos e eixos ok
Aula 01   introdução, planos e eixos okAula 01   introdução, planos e eixos ok
Aula 01 introdução, planos e eixos ok
Nayara de Queiroz
 

Mais procurados (20)

Motricidade
MotricidadeMotricidade
Motricidade
 
Força reflexos 17
Força reflexos 17Força reflexos 17
Força reflexos 17
 
FÁCIES,ATITUDE,MARCHA,MOTRICIDADE
FÁCIES,ATITUDE,MARCHA,MOTRICIDADEFÁCIES,ATITUDE,MARCHA,MOTRICIDADE
FÁCIES,ATITUDE,MARCHA,MOTRICIDADE
 
Exame físico do Tórax
Exame físico do TóraxExame físico do Tórax
Exame físico do Tórax
 
Cópia de semiologia do tórax
Cópia de semiologia do tóraxCópia de semiologia do tórax
Cópia de semiologia do tórax
 
Síndromes medulares
Síndromes medularesSíndromes medulares
Síndromes medulares
 
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marcha
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marchaAvaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marcha
Avaliacao sensorial, funcao motora, coordenacao e marcha
 
Coordenação motora
Coordenação motoraCoordenação motora
Coordenação motora
 
Exame físico membros inferiores
Exame físico membros inferiores Exame físico membros inferiores
Exame físico membros inferiores
 
Noções de Exame Neurológico - Parte II - Profa. Rilva
Noções de Exame Neurológico - Parte II - Profa. RilvaNoções de Exame Neurológico - Parte II - Profa. Rilva
Noções de Exame Neurológico - Parte II - Profa. Rilva
 
Sistema Nervoso - fisiopatologia do neurônio motor superior e periférico - A...
Sistema Nervoso -  fisiopatologia do neurônio motor superior e periférico - A...Sistema Nervoso -  fisiopatologia do neurônio motor superior e periférico - A...
Sistema Nervoso - fisiopatologia do neurônio motor superior e periférico - A...
 
Semiologia vascular
Semiologia vascularSemiologia vascular
Semiologia vascular
 
Propedêutica pulmonar
Propedêutica pulmonarPropedêutica pulmonar
Propedêutica pulmonar
 
Aula - SNA - Introdução ao Sistema Nervoso Autônomo
Aula - SNA - Introdução ao Sistema Nervoso AutônomoAula - SNA - Introdução ao Sistema Nervoso Autônomo
Aula - SNA - Introdução ao Sistema Nervoso Autônomo
 
Aula 03 sistema articular
Aula 03   sistema articularAula 03   sistema articular
Aula 03 sistema articular
 
Atelectasias e pneumotrax
Atelectasias e pneumotraxAtelectasias e pneumotrax
Atelectasias e pneumotrax
 
Exame Físico Neurologico
Exame Físico NeurologicoExame Físico Neurologico
Exame Físico Neurologico
 
Manual de goniometria
Manual de goniometriaManual de goniometria
Manual de goniometria
 
Diagnóstico clínico
Diagnóstico clínicoDiagnóstico clínico
Diagnóstico clínico
 
Aula 01 introdução, planos e eixos ok
Aula 01   introdução, planos e eixos okAula 01   introdução, planos e eixos ok
Aula 01 introdução, planos e eixos ok
 

Semelhante a Reflexos

Neurodyn 10 canais 2013
Neurodyn 10 canais 2013Neurodyn 10 canais 2013
Neurodyn 10 canais 2013
IBRAMED
 
Transmissão neuromuscular e monitorização do bloqueio neuromuscular
Transmissão neuromuscular e monitorização do bloqueio neuromuscularTransmissão neuromuscular e monitorização do bloqueio neuromuscular
Transmissão neuromuscular e monitorização do bloqueio neuromuscular
avpantoja1
 
Sistema muscular
Sistema muscularSistema muscular
Sistema muscular
Mel Medina
 
aula05-sistemamuscularesqueltico-150402222405-conversion-gate01.pdf
aula05-sistemamuscularesqueltico-150402222405-conversion-gate01.pdfaula05-sistemamuscularesqueltico-150402222405-conversion-gate01.pdf
aula05-sistemamuscularesqueltico-150402222405-conversion-gate01.pdf
fatima141574
 

Semelhante a Reflexos (20)

REFLEXOS MIOTÁTICOS 2023.pdf
REFLEXOS MIOTÁTICOS 2023.pdfREFLEXOS MIOTÁTICOS 2023.pdf
REFLEXOS MIOTÁTICOS 2023.pdf
 
Ação muscular
Ação muscularAção muscular
Ação muscular
 
Funções reflexas do Sistema Nervoso
Funções reflexas do Sistema NervosoFunções reflexas do Sistema Nervoso
Funções reflexas do Sistema Nervoso
 
SISTEMA SENSORIAL (tato e propriocepção)
SISTEMA SENSORIAL (tato e propriocepção)SISTEMA SENSORIAL (tato e propriocepção)
SISTEMA SENSORIAL (tato e propriocepção)
 
Neurodyn 10 canais 2013
Neurodyn 10 canais 2013Neurodyn 10 canais 2013
Neurodyn 10 canais 2013
 
Transmissão neuromuscular e monitorização do bloqueio neuromuscular
Transmissão neuromuscular e monitorização do bloqueio neuromuscularTransmissão neuromuscular e monitorização do bloqueio neuromuscular
Transmissão neuromuscular e monitorização do bloqueio neuromuscular
 
Sistema muscular
Sistema muscularSistema muscular
Sistema muscular
 
Fisiologia muscular
Fisiologia muscularFisiologia muscular
Fisiologia muscular
 
Aula#12_Sistema_Nervoso_II.pdf
Aula#12_Sistema_Nervoso_II.pdfAula#12_Sistema_Nervoso_II.pdf
Aula#12_Sistema_Nervoso_II.pdf
 
RPG nas Escolioses
RPG nas Escolioses RPG nas Escolioses
RPG nas Escolioses
 
Medula espinal
Medula espinalMedula espinal
Medula espinal
 
Fisiologia do sistema nervoso
Fisiologia do sistema nervosoFisiologia do sistema nervoso
Fisiologia do sistema nervoso
 
Sistema motor i
Sistema motor iSistema motor i
Sistema motor i
 
Aula 05 sistema muscular esquelético
Aula 05   sistema muscular esqueléticoAula 05   sistema muscular esquelético
Aula 05 sistema muscular esquelético
 
aula05-sistemamuscularesqueltico-150402222405-conversion-gate01.pdf
aula05-sistemamuscularesqueltico-150402222405-conversion-gate01.pdfaula05-sistemamuscularesqueltico-150402222405-conversion-gate01.pdf
aula05-sistemamuscularesqueltico-150402222405-conversion-gate01.pdf
 
SISTEMA MOTOR E MOTIVAÇÃO
SISTEMA MOTOR E MOTIVAÇÃOSISTEMA MOTOR E MOTIVAÇÃO
SISTEMA MOTOR E MOTIVAÇÃO
 
3° AULA NOVA - APARELHO LOCOMOTOR-miologia.ppt
3° AULA NOVA - APARELHO LOCOMOTOR-miologia.ppt3° AULA NOVA - APARELHO LOCOMOTOR-miologia.ppt
3° AULA NOVA - APARELHO LOCOMOTOR-miologia.ppt
 
Aula6 neurologia
Aula6 neurologiaAula6 neurologia
Aula6 neurologia
 
Aula 2 - Ergonomia
Aula 2 - ErgonomiaAula 2 - Ergonomia
Aula 2 - Ergonomia
 
Ponto gatilho e dor referida.
Ponto gatilho e dor referida.Ponto gatilho e dor referida.
Ponto gatilho e dor referida.
 

Mais de pauloalambert

Mais de pauloalambert (20)

Dtp 16 21 sp
Dtp 16 21 spDtp 16 21 sp
Dtp 16 21 sp
 
Dtp 15 21 sp
Dtp 15 21 spDtp 15 21 sp
Dtp 15 21 sp
 
Dtp 14 21 sp
Dtp 14 21 spDtp 14 21 sp
Dtp 14 21 sp
 
Dtp 13 21 sp
Dtp 13 21 spDtp 13 21 sp
Dtp 13 21 sp
 
Dtp 12 21 sp
Dtp 12 21 spDtp 12 21 sp
Dtp 12 21 sp
 
Dtp 11 21 sp
Dtp 11 21 spDtp 11 21 sp
Dtp 11 21 sp
 
Dtp 10 21 sp
Dtp 10 21 spDtp 10 21 sp
Dtp 10 21 sp
 
Dtp 09 21 sp
Dtp 09 21 spDtp 09 21 sp
Dtp 09 21 sp
 
DTP 08 21 SP
DTP 08 21 SPDTP 08 21 SP
DTP 08 21 SP
 
DTP 07 21
DTP 07 21DTP 07 21
DTP 07 21
 
DTP 06 21 SP
DTP 06 21 SPDTP 06 21 SP
DTP 06 21 SP
 
DTP 05 21 sp
DTP 05 21 spDTP 05 21 sp
DTP 05 21 sp
 
DTP 0421
DTP 0421DTP 0421
DTP 0421
 
DTP0321 SP
DTP0321 SPDTP0321 SP
DTP0321 SP
 
DTP 0221
DTP 0221DTP 0221
DTP 0221
 
DTP 0221
DTP 0221DTP 0221
DTP 0221
 
DTP 0121 SP
DTP 0121 SPDTP 0121 SP
DTP 0121 SP
 
Folha Cornell
Folha CornellFolha Cornell
Folha Cornell
 
Sinais meningeos 20
Sinais meningeos 20Sinais meningeos 20
Sinais meningeos 20
 
ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS
ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAISANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS
ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS
 

Reflexos

  • 1. 1MFMM BOM DIA! Em breve iniciaremos a aula • Para não comprometer o fluxo de transmissão da videoaula, solicito a gentileza que neste momento desativem os microfones e as câmeras • Em caso de dúvidas durante a apresentação da aula, por favor ative o chat a Profa. Pina irá ajudá-los • NÃO É PERMITIDO A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DE QUALQUER CONTEÚDO DESSA VIDEOAULA, SEM AUTORIZAÇÃO PRÉVIA DO PROFESSOR E/OU COORDENAÇÃO
  • 3. 3MFMM Reflexos • O reflexo é uma resposta involuntária a um estímulo sensorial • Os impulsos aferentes originados de um órgão sensorial provocam resposta de um órgão efetor • É a contração brusca do músculo quando este é submetido a um estiramento rápido
  • 5. 5MFMM Reflexo Componente segmentar Centro reflexo local na medula espinhal ou no tronco encefálico + conexões aferentes e eferentes Componente suprassegmentar Vias centrais descendentes que controlam, modulam e regulam a atividade segmentar
  • 6. 6MFMM Reflexos • O estímulo é recebido pelo receptor (terminação sensorial na pele, nas mucosas, no músculo, no tendão, no periósteo • A estimulação do receptor inicia um impulso que segue pela via aferente até o sistema nervoso central (SNC), onde há sinapse em um centro reflexo que ativa o corpo celular do neurônio eferente • O neurônio eferente transmite o impulso para o efetor: a célula, músculo, glândula ou vaso sanguíneo que então responde • Um distúrbio na função de uma parte do arco reflexo (receptor, via aferente, centro do reflexo, via eferente ou aparelho efetor=> interrompe o arco reflexo=> diminuição ou perda do reflexo
  • 7. 7MFMM Arco reflexo • Órgão receptor (pele, músculo ou tendão) • Um neurônio aferente • Um neurônio efetor • Um órgão efetor • ARCO REFLEXO MONOSSINÁPTICO • (a interrupção desse arco reflexo em qualquer ponto do trajeto irá abolir a resposta)
  • 8. 8MFMM Composição reflexo miotático a) Terminações ânulo-espirais do fuso muscular, que são estimuladas pela distensão ou estiramento do músculo, b) Via aferente, formada pelos axônios do grupo Ia do neurônio sensitivo da raiz dorsal, c) Centro reflexo, formado pela sinapse entre o neurônio motor sensitivo e o motoneurônio, d) Cada reflexo apresenta uma área específica de excitação e resposta.
  • 9. 9MFMM Fusos musculares: verificam alteração (estiramento) e a taxa de alteração do comprimento muscular (contração muscular) Órgãos tendinosos de Golgi: sinalizam mudanças de tensão muscular; Motoneurônios alfa: ativam as fibras extra- fusais Motoneurônios gama: ativam as fibras intra- fusais (regula a sua sensibilidade do fuso)
  • 11. 11MFMM Reflexo miotático • A via piramidal ou corticospinal, por intermédio das fibras extrapiramidais do trato reticulospinal misturadas a ela, é inibidora do sistema gama e, portanto, do reflexo miotático, • A lesão da via piramidal é acompanhada de reflexos tendinosos hiperativos, hipertonia ou espasticidade.
  • 12. 12MFMM Reflexo miotático • A interrupção do arco reflexo leva à diminuição ou abolição do reflexo miotático e à hipotonia, • traduzindo lesão neurogênica periférica (raiz dorsal ou ventral, troncos nervosos periféricos ou corpos dos motoneurônios no segmento medular).
  • 13. 13MFMM Reflexos miotáticos fásicos • Pesquisa com auxílio de martelo pela percussão de um tendão muscular • Estiramento do músculo (percussão do tendão, estimula receptores no seu interior=> fusos musculares) Dejerine Teylor Babinsky
  • 14. 14MFMM Classificação dos reflexos • Exteroceptivos (superficiais)=> Receptores localizados na pele e/ou mucosas externas (polissinápticos) • Proprioceptivos =>estímulos atuam ou se originam nos músculos, tendões, labirinto (monossinápticos) • Visceroceptivos
  • 15. 15MFMM Reflexos proprioceptivos Miotáticos (profundos ou osteo tendíneos): • estímulo é constituído pela distensão do músculo origem=> receptores aferentes de tração dos músculos esqueléticos e órgãos neurotendíneos, • Reflexos monossinápticos, • Resposta=> contração do músculo estimulado e relaxamento dos músculos antagonistas • Pesquisa do reflexo=>distensão muscular rápida provocada pela percussão tendínea ou óssea.
  • 17. 17MFMM Estilorradial (Braquirradial) • Centro  C5-C6 • Nervo radial • Músculos flexores da mão e dedo • antebraço em flexão sobre o braço e o punho sobre a mão do examinador, • percussão sobre apófise estilóide do rádio, • resposta: contração do músculo braquiorradial com flexão e supinação do antebraço.
  • 19. 19MFMM Reflexo bicipital • Centro => C5-C6 • N. músculocutâneo • M. Bíceps • antebraço apoiado e em semiflexão, mão em supinação, • percute-se o tendão do bíceps na dobra do cotovelo com interposição do polegar do examinador, • resposta: contração do bíceps e consequente flexão e supinação do antebraço.
  • 21. 21MFMM Reflexo tricipital • Centro=>C6-C8 • Nervo radial • Músculo tríceps • braço em abdução e sustentado pela mão do examinador, deixa-se cair o antebraço em ângulo reto com o braço, • percussão do tendão distal do tríceps, • resposta: contração do tríceps, com extensão do antebraço.
  • 23. 23MFMM Reflexo dos flexores dos dedos • Centro: C8-T1 • Nervos mediano e ulnar • falange média do dedo médio do paciente é fixada entre o segundo e terceiro dedos que com seu polegar determina a flexão brusca da última falange do paciente, pressionando a unha e relaxando-a subitamente, • Manobra de Hoffmann. • resposta: contração dos músculos flexores dos dedos.
  • 24. 24MFMM • antebraço em semiflexão e supinação e os dedos em leve flexão, • o examinador coloca seus dedos médio e indicador sobre a superfície palmar das falanges do paciente e percute os seus próprios dedos, • manobra de Wartenberg. Reflexo dos flexores dos dedos
  • 25. 25MFMM Reflexo dos flexores dos dedos • Percussão brusca da polpa dos dedos médio e indicador do paciente com seu próprio dedo médio, • Manobra de Troemner.
  • 28. 28MFMM Manobra para facilitar a obtenção do reflexo => Jendrassik
  • 29. 29MFMM Reflexo patelar • Centro reflexógeno: L2 – L4 • Nervo femural • Músculo=> quadríceps femural • paciente sentado com as pernas pendentes ou com uma das pernas cruzadas sobre o joelho oposto, • paciente deitado em decúbito dorsal com joelho semifletido e apoiado na mão do examinador, • percussão do tendão da patela junto à articulação do joelho, • resposta: contração do músculo quadríceps femural com extensão da perna.
  • 33. 33MFMM Reflexo Aquileu • Centro reflexógeno : L5- S2 • Nervo tibial • Músculo tríceps sural • paciente de joelhos sobre uma cadeira e com os pés para fora do assento, • paciente sentado e as pernas pendentes, o tendão do tríceps sural é ligeiramente distendido pela dorsiflexão discreta do pé, • paciente em decúbito dorsal a cima das pernas cruzadas sobre o joelho oposto, pé em ligeira flexão dorsal e apoiando-se a mão do examinador na parte anterior da planta do pé, • percussão: tendão do calcâneo, • resposta: contração do tríceps sural com extensão do pé sobre a perna.
  • 38. 38MFMM Alteração dos reflexos profundos • Normais, hiperativos, hipoativos • Arreflexia ou hiporreflexia=> Ocorre quando há comprometimento dos elementos que constituem o arco reflexo, Polineuropatia, Radiculopatia, Poliomielite, Miopatia, Tabes dorsalis
  • 39. 39MFMM Alteração dos reflexos profundos • Hiperreflexia: Em condicão normal o trato cortico-espinal tem ação inibitória sobre o arco reflexo  lesão dos tratos=> liberação do piramidal motoneurônios na síndrome piramidal tornam-se hiperativos exaltação dos reflexos, obtenção de várias respostas (policinético), lesão da via piramidal.
  • 41. 41MFMM Alteração dos reflexos profundos Clônus: • Observado quando um músculo é alongado passivamente de modo brusco e este alongamento é mantido pelo examinador • contrações clonicas, repetidas, rítmicas e involuntárias, após distensão brusca de um tendão (mão, rótula, pé).
  • 46. 46MFMM Reflexos cutâneos • O arco reflexo exteroceptivo (reflexos cutâneos) é formado pela fibras aferentes finas, que através de vários interneurônios, vão estimular os motoneurônios alfa.
  • 48. 48MFMM Reflexo cutâneo-abdominal • Centro => Nervos intercostais T6-T12 • obtido pelo estímulo da parede do abdome com objeto semipontiagudo aplicado em sentido látero-medial nas regiões epigástrica, umbilical e hipogástrica, • resposta: contração homolateral dos músculos abdominais, provocado por um estímulo deslizante leve na parede abdominal com desvio da linha alba e da cicatriz umbilical na direção do estímulo
  • 49. 49MFMM REFLEXO CREMASTÉRICO • paciente em decúbito dorsal com os membros inferiores em extensão e abdução, • estimula-se a face interna da coxa no seu 1/3 superior, • resposta: contração do músculo cremaster e elevação do testículo homolateral. • Nervos ilioinguinal e genitofemural = L1 e L2
  • 50. 50MFMM Reflexo cutâneo-plantar • Centro => L5-S2 • Nervo tibial • estimulação com instrumento semipontiagudo da borda externa da planta do pé no sentido postero- anterior, • resposta: contração dos músculos flexores dos dedos do pé. •flexão é a resposta normal após os primeiros 12 a 18 meses de vida •Variação patológica=> sinal de Babinski
  • 51. 51MFMM Reflexo cutâneo-plantar • a via piramidal exerce inibição sobre este reflexo, o que determina a flexão plantar dos dedos do pé quando for estimulada a planta do pé, • Lesão piramidal: após a estimulação da planta do pé o hálux responde com a extensão lenta=> sinal de Babinski. Babisnki – extensão do hálux Normal=> flexão plantar
  • 54. 54MFMM • SINAL DE BABINSKY=> cutâneo plantar em extensão (extensão lenta e majestosa do hálux) • Manobras=> extensão do hálux Sinal de Gordon=> compressão da panturrilha Sinal de Schafer=> compressão do tendão de Aquiles Sinal de Oppenheim=> atrito da crista tibial Sinal de Chaddock =>obtido pela estimulação da face lateral do pé em torno do maléolo externo
  • 61. 61MFMM Diferenças semiológicas entre síndrome do neurônio motor superior e inferior Sintomas Síndrome do neurônio motor superior Síndrome do neurônio motor inferior Fraqueza Presente Presente e mais acentuada Tonus Aumentado (hipertonia) Diminuída ou normal Reflexos osteotendíneos Aumentados (hiperativos) Diminuídos (hipoativos/abolidos) Trofismo muscular Ausente Atrofia leve a grave Fasciculação Ausente Presente (lesões do corno anterior) Distribuição da fraqueza Distal Focal ou generalizada Reflexo cutâneo plantar Em extensão (sinal de Babinski) Em flexão / abolido Reflexo cutâneo abdominal Ausente Presente
  • 62. 62MFMM SÍNDROME DO NEURONIO MOTOR SUPERIOR SÍNDROME DO NEURONIO MOTOR INFERIOR Paralisia espástica Paralisia flácida Ausência de atrofia Presença de atrofia Ausência de fasciculações Presença de fasciculações Hiperreflexia Hipo/Arreflexia Babinski presente Babinski ausente