SlideShare uma empresa Scribd logo
Heresiologia
Pr. Ricardo Gondim
pastorgondim@hotmail.com
IIICongresso de Teologia
O discurso de Paulo no Aerópago
 Então Paulo levantou-se na reunião do Areópago e disse:
"Atenienses! Vejo que em todos os aspectos vocês são
muito religiosos, pois, andando pela cidade, observei
cuidadosamente seus objetos de culto e encontrei até um
altar com esta inscrição: AO DEUS DESCONHECIDO. Ora,
o que vocês adoram, apesar de não conhecerem, eu lhes
anuncio. "O Deus que fez o mundo e tudo o que nele há é
o Senhor do céu e da terra, e não habita em santuários
feitos por mãos humanas. Ele não é servido por mãos de
homens, como se necessitasse de algo, porque ele mesmo
dá a todos a vida, o fôlego e as demais coisas. De um só
fez ele todos os povos, para que povoassem toda a terra,
tendo determinado os tempos anteriormente estabelecidos
e os lugares exatos em que deveriam habitar.
Pr. Ricardo Gondim
IIICongresso de Teologia
―Pois Nele vivemos, nos movemos e existimos‘,
Pr. Ricardo Gondim
Deus fez isso para que os homens o buscassem e talvez,
tateando, pudessem encontrá-lo, embora não esteja longe de
cada um de nós. ‗Pois Nele vivemos, nos movemos e
existimos‘, como disseram alguns dos poetas de vocês:
‗Também somos descendência dele‘. "Assim, visto que
somos descendência de Deus, não devemos pensar que a
Divindade é semelhante a uma escultura de ouro, prata ou
pedra, feita pela arte e imaginação do homem. No passado
Deus não levou em conta essa ignorância, mas agora ordena
que todos, em todo lugar, se arrependam.
Atos 17:22-30
IIICongresso de Teologia
Panorama Religioso (Censo 2010)
Pr. Ricardo Gondim
IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim
Panorama Religioso (Evangélicos Censo 2010)
Ranking
IIICongresso de Teologia
Panorama de Crescimento
Pr. Ricardo Gondim
O IBGE e a religião — Cristãos são 86,8% do Brasil;
católicos caem para 64,6%; evangélicos já são 22,2%
Por: Reinaldo Azevedo 29/06/2012
 Em 2010 a população evangélica
do Brasil era de 22,16% e
42.275.437 crentes.
 Embora a média aritmética da
taxa de crescimento anual de
1960 a 2010 seja de 5,75% para a
projeção de 2014, utilizamos a
mesma taxa anual (4,91%) do
último Censo IBGE 2001-2010
para os cálculos.
IIICongresso de Teologia
Panorama de Crescimento
Pr. Ricardo Gondim
 Assim sendo, a
população do Brasil
projetada para 2016
será de 206.226.357
habitantes.
 A população
evangélica atinge
25,03% e será de
51.618.457 crentes,
representando 1/4 da
população Brasileira.
IIICongresso de Teologia
Panorama Crescimento Evangélico (final)
Pr. Ricardo Gondim
 Esse crescimento não pode ser desconsiderado se
levarmos em conta que no ano de 1980 o número de
evangélicos representava 6,6% da população
brasileira, saltando para 9,0% em 1990.
 Em 2000, cerca de 26,2 milhões se disseram
evangélicos, ou 15,4% da população, em 2010
atingimos 22,16% e 42.275.437 crentes e 2016, o
último dado, 25,03% da população ou 51.618.457
crentes.
 Um crescimento exponencial de 654% nos últimos
35 anos, se considerado que o número de
evangélicos em 1980 era de 7.854.178 contra os
51.618.457 atuais.
IIICongresso de Teologia
Curiosidades
Pr. Ricardo Gondim
 O município de União da Serra, no Rio Grande do Sul, é o mais
católico do Brasil: 99,18% dos moradores seguem da religião;
 O município de Arroio do Padre, também no RS, é o mais
evangélico: 85,84% dos moradores;
 Palmelo, em Goiás, concentra o maior número de espíritas:
45,5%;
 Cidreira, novamente no RS, tem 5% de praticante de umbanda
e candomblé;
 O islamismo responde apenas por 1,2% do grupo de outras
religiosidades;
 Sobre os que se declararam sem religião, 7,4% são ateus,
podendo chegar aos absurdos 21,1% em Boa Vista, Roraima e
13,3 no Rio de Janeiro.
 Existem hoje no Brasil mais de 5 mil centros espíritas e 300 mil
terreiros.
IIICongresso de Teologia
Migração Evangélica
Pr. Ricardo Gondim
Dados da Pesquisa de
Orçamento Familiar
(POF), IBGE, revelaram
que, em 2011, os
evangélicos de origem
que não mantêm
vínculos com a crença
saltaram, em seis
anos, de
insignificantes 0,7%
para 2,9%.
IIICongresso de Teologia
Migração Evangélica
Pr. Ricardo Gondim
O novo retrato da fé no Brasil
Pesquisas indicam o aumento da migração religiosa
entre os brasileiros, o surgimento dos evangélicos
não praticantes e o crescimento dos adeptos ao islã.
IIICongresso de Teologia
Migração evangélicos para Cultos Afro
Pr. Ricardo Gondim
 A teóloga Lídia Maria de Lima irá defender até o final do ano uma
dissertação de mestrado sobre o trânsito de evangélicos para
religiões afro-brasileiras.
 A pesquisadora já entrevistou umbandistas e candomblecistas e
verificou que 35% deles eram evangélicos antes de entrar
para os cultos afros.
 Preterir as denominações cristãs por religiões de origem africana é
outro tipo de migração até então pouco comum.
IIICongresso de Teologia
Desafio da Pluralidade Religiosa
Pr. Ricardo Gondim
 O pluralismo religioso nega que exista
verdade religiosa absoluta, e exalta a
experiência religiosa individual como
critério último para cada um.
 Defende uma nova teoria missiológica,
onde não mais se prega a necessidade de
conversão de outras religiões ao
cristianismo, e sim a cooperação entre
todas as religiões, naquilo que têm em
comum.
IIICongresso de Teologia
Definição
Pr. Ricardo Gondim
 Seita é um ―grupo ou conjunto de pessoas
que professam uma crença diferente daquela
que é considerada verdadeira; facção, parte,
comunidade fechada, partido‖.
 Heresias são as doutrinas defendidas por
um grupo. Háiresis, significa escolha, partido
tomado, corrente de pensamento, divisão,
escola etc. A palavra heresia é adaptação de
háiresis. Quando passada para o latim, háiresis
virou secta. Foi do latim que veio a palavra
seita.
IIICongresso de Teologia
Características (sinais típicos de uma seita)
Pr. Ricardo Gondim
1.Adiciona outra fonte de autoridade além da Bíblia.
As seitas adotam outras fontes com a mesma
autoridade (as pseudocristãs, ex. Mórmons) ou forjam
traduções segundo suas doutrinas (ex. Testemunhas de
Jeová).
Pergunta: Qual a fonte de autoridade e doutrina?
IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim
2. Elas diminuem ou subtraem algo da pessoa de
Jesus Cristo, embora algumas falem bem de
Jesus, elas, ora, não o consideram deus
(Kardecismo), ou o consideram somente Divino
(gnósticos) e não o aceitam como único e suficiente
Salvador e Mediador (Umbanda), e acham que ele é
mais uma manifestação divina como Buda ou
Maomé.
Pergunta: Qual o lugar de Jesus Cristo neste
movimento ou grupo?
Características (sinais típicos de uma seita)
IIICongresso de Teologia
Características
Pr. Ricardo Gondim
3. O grupo multiplica as possibilidades da
salvação, pregando que esta pode ser possível
por obras ou atitudes, eles acreditam que o
homem é intrinsicamente bom e capaz de fazer o
possível para salvar-se, obter o perdão ou
progredir espiritualmente. Esta é a caracteristica
principal de todas as seitas.
Pergunta: Sobre qual base ou fundamento está
firmada a doutrina de salvação?
IIICongresso de Teologia
Características
Pr. Ricardo Gondim
4. O caráter exclusivista das seitas, ou seja,
somente os adeptos deste grupo podem ser
salvos, eles são os escolhidos e separados.
Característica universal das seitas, não
admitindo a salvação fora de sua comunidade.
Um bom exemplo são as Testemunhas de Jeová
que se dizem os 144 mil citados no livro do
Apocalipse
Pergunta: A doutrina do grupo se auto intitula
como sendo única e a última revelação de Deus?
IIICongresso de Teologia
Características
Pr. Ricardo Gondim
5. O seu caráter escatológico, as seitas se
consideram o grupo file dos últimos dias, e em
sua maioria dizem que receberam algum tipo de
ensino secreto que Deus guardou para os fiéis
do fim. Muitas delas, são apocalípticas, por isso
que a doutrina delas não está na Bíblia, porque
Deus revelou sua atuação fora das escrituras,
um exemplo é a Igreja de Jesus Cristo dos
últimos dias.
Pergunta: Existe alguma revelação exclusiva
deste grupo para o fim dos tempos?
IIICongresso de Teologia
Características
Pr. Ricardo Gondim
6. Os grupos de uma forma ou de outra, diminuem
a soberania de Deus, seu caráter, eternidade ou
atributos em suas doutrinas, sendo a
característica principal apresentá-lo como um
Deus impessoal.
Pergunta: Qual o conceito de divindade deste
grupo e como Deus se apresenta ao homem?
IIICongresso de Teologia
Prolegômenos – Pr. Ricardo Gondim
Pr. Ricardo Gondim
 É impossível evitar que este tipo de abordagem apresente
uma discussão um tanto superficial e limitada de diversas
questões – especialmente questões a cerca do desafio de
confrontar-se com as seitas e as heresias deste tempo.
 Se minhas próprias notas pessoais servem de base, seria
necessário um volume aproximadamente cinco vezes
maior do que este para que fizéssemos o mínimo de
justiça às complexidades levantadas neste tema.
 No entanto, o que estamos lhes oferecendo é uma mera
introdução, um panorama, para que você tenha uma visão
geral que lhe permita posteriormente continuar um estudo
mais aprofundado dessas questões.
IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim
 Heresia é uma negação ou distorção da verdade
absoluta – que é a Palavra de Deus.
 Seita é o grupo que defende e professa estas
heresias.
 Assim, a finalidade do prolegômenos não
é chegar à conclusão de um assunto, mas
determinar quais são as pressuposições
básicas que vão determinar a conclusão
de um estudo, por isso, sua importância.
Prolegômenos – Pr. Ricardo Gondim
IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim
 Por trás da negação da verdade, está uma das
principais ideias do século XXI, a do inclusivismo,
que é contrária a pregação de uma verdade
absoluta.
 O relativismo da verdade, corrente filosófica que
nasce do pensamento Kierkegaard e Kant, é a
grande base para a contrução das heresias,
trabalhando num terreno onde cada um pode ser o
portador da verdade, onde cada indivíduo pode ter
uma verdade e outro também. São construções
assim que são capazes de desenvolver frases
como: Você tem o seu deus e eu tenho o meu!
Prolegômenos – Pr. Ricardo Gondim
IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim
 Portanto, cada movimento religioso ou seita pode
ser a expressão pessoal, individual ou subjetiva
de um grupo que professa também o
universalismo.
 Que é esse pensamento de que toda a religião é
boa, faz bem, todos os caminhos levam a deus,
deus está em todas as religiões, então, vamos
todos dar as mãos, porque somos todos iguais e
no fim todas as religiões vão levar o homem à
salvação.
Prolegômenos – Pr. Ricardo Gondim
IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim
Heresiologia
Pr. Ricardo Gondim
pastorgondim@hotmail.com
IIICongresso de Teologia
Exortação a Igreja – Judas 1:3-4
Pr. Ricardo Gondim
Amados, embora estivesse muito ansioso por lhes
escrever acerca da salvação que compartilhamos,
senti que era necessário escrever-lhes insistindo
que batalhassem pela fé uma vez por todas
confiada aos santos.
Pois certos homens, cuja condenação já estava
sentenciada há muito tempo, infiltraram-se
dissimuladamente no meio de vocês.
Estes são ímpios, e transformam a graça de nosso
Deus em libertinagem e negam Jesus Cristo, nosso
único Soberano e Senhor.
IIICongresso de Teologia
Esboço da Carta de Judas
Pr. Ricardo Gondim
A carta divide-se em 3 blocos
• 1º. do verso 1:2 – Judas se apresenta e ora
• 2º. do verso 2:19 – Judas chama a atenção da igreja
para a introdução de heresias por parte dos falsos
mestres e que devemos expô-los e colocá-los debaixo
do juízo de Deus. Devem ser confrontados (v.3-4)
porque já estão condenados (v.5-7) tendo o caráter
reprovado (v.8-13) e que são conhecidos desde a
eternidade (v.14-19)
• 3º. Do verso 20:25 – Judas se dirige a igreja num tom
pastoral. Advertindo para os irmãos a cuidar-se (v.20-
21), compadecer-se daqueles que estão sendo
enganados (v.22-23) e confiar que Deus há de guardá-
los (v.24-25).
IIICongresso de Teologia
Divisão adotada para estudo
Pr. Ricardo Gondim
Grupos religiosos brasileiros
• Kardecismo – Umbanda - Candomblé
Grupos religiosos americanos
• Mormons – Adventistas – Testemunhas de Jeová
Demais grupos
• Islamismo – Igreja Católica e os Ortodoxos
IIICongresso de Teologia
Espiritismo Kardecista
Pr. Ricardo Gondim
I. HISTÓRICO
 Surge em Hydesville, EUA, com as irmãs Margaret, Leah
e Kate Fox no ano de 1848, quando elas criam um
suposto sistema de comunicação com os espíritos.
 Movimento semelhante ocorre na Europa sob a égide de
Allan Kardec. Hippolyte Léon Denizard Rivail, nasceu na
França, em 1804.
 Em 25 de março de 1856, numa sessão, Kardec recebeu,
através de uma médium, a informação de que dali por
diante, um espírito denominado ―A Verdade‖, seria o seu
guia espiritual. Em 18 de abril de 1857, publica O Livro
dos Espíritos, uma obra contendo mais de mil (1.019)
respostas às perguntas feitas aos espíritos
IIICongresso de Teologia
Histórico no Brasil
Pr. Ricardo Gondim
 Entre 1853 e 1854 surgiram no Brasil notícias sobre os fenômenos
das "mesas girantes" que ocorriam principalmente nos Estados
Unidos da América e na Europa, publicadas no Jornal do
Commércio, do Rio de Janeiro, do Diário de Pernambuco, de
Recife, e em O Cearense, de Fortaleza.
 Primeiro Centro Espírita do Mundo - Sociedade Parisiense de
Estudos Espíritas, fundada em 1º de abril de 1858, por Allan
Kardec.
 Primeiro Centro Espírita do Brasil - Grupo Familiar de
Espiritismo, instalado em 17 de setembro de 1865, às 30h30m,
por Luís Olímpio Teles de Menezes, na cidade de Salvador, na
Bahia.
 Em 1866, Luís Olímpio Teles de Menezes publica o opúsculo O
Espiritismo – Introdução ao Estudo da Doutrina Espírita,
contendo páginas extraídas e traduzidas de O Livro dos Espíritos.
IIICongresso de Teologia
Histórico no Brasil
Pr. Ricardo Gondim
 Diante dos ataques expressos em Pastoral de D. Manuel Joaquim da
Silveira, Arcebispo da Bahia e Primaz do Brasil, Luís Olímpio escreve
carta aberta em defesa do Espiritismo, em que, conforme consta da
obra Espiritismo Básico, de Pedro Franco Barbosa, ele afirma:
 "O Espiritismo tem de passar por provas rudes, e nelas
Deus reconhecerá sua coragem, sua firmeza e sua
perseverança. Os que se ausentam por um simples
temor, ou por uma decepção, assemelham-se a soldados
que somente são corajosos em tempo de paz, mas que,
ao primeiro tiro, abandonam as armas".
 Luís Olímpio Teles de Menezes foi professor primário, estenógrafo,
funcionário da Assembléia Legislativa e Oficial da Biblioteca Pública da
Bahia. Falava o inglês, o francês, o castelhano e o latim. Escreveu nos
seguintes periódicos: Diário da Bahia, Jornal da Bahia, A Época Literária e
publicou o romance Os Dois Rivais.
IIICongresso de Teologia
O canto das sereias
Pr. Ricardo Gondim
O espiritismo cresce no Brasil
pelos seguintes motivos:
 O misticismo do povo brasileiro.
 A falha do catolicismo romano em
atender aos anseios espirituais de
seus membros e sua conivência com
a prática espírita.
 A fachada cristã do espiritismo.
 O aspecto consolador do espiritismo.
IIICongresso de Teologia
A fachada cristã do espiritismo
Pr. Ricardo Gondim
O Espiritismo é, pois, o mais potente auxiliar da religião. Se ele aí está, é
porque Deus o permite e o permite para que as nossas vacilantes
esperanças se revigorem e para que sejamos reconduzidos à senda do
bem pela perspectiva do futuro. (LE p.146)
 A reencarnação que é a doutrina principal do
espiritismo é contrária ao Cristianismo e ao
sacrifício vicário de Cristo.
 Contrária a doutrina da Salvação pela fé
 A Bíblia Sagrada não é regra de fé e prática.
IIICongresso de Teologia
A Bíblia não é a Palavra de Deus
Pr. Ricardo Gondim
(Cristianismo e Espiritismo – Leon Denis )
IIICongresso de Teologia
A Bíblia não é a Palavra de Deus
Pr. Ricardo Gondim
IIICongresso de Teologia
Quem é Jesus
Pr. Ricardo Gondim
Livro dos Espíritos
625. Qual o tipo mais perfeito que Deus tem oferecido ao
homem, para lhe servir de guia e modelo?
―Jesus.‖
Para o homem, Jesus constitui o tipo da perfeição moral a
que a Humanidade pode aspirar na Terra. Deus no-lo oferece como o mais
perfeito modelo e a doutrina que ensinou é a expressão mais pura da lei
do Senhor, porque, sendo ele o mais puro de quantos têm aparecido na
Terra, o Espírito Divino o animava.
Quanto aos que, pretendendo instruir o homem na lei de
Deus, o têm transviado, ensinando-lhe falsos princípios, isso aconteceu
por haverem deixado que os dominassem sentimentos demasiado
terrenos e por terem confundido as leis que regulam as condições da vida
da alma, com as que regem a vida do corpo. Muitos hão apresentado
como leis divinas simples leis humanas estatuídas para servir às paixões
e dominar os homens.
IIICongresso de Teologia
O caráter universalista e não cristão
Pr. Ricardo Gondim
IIICongresso de Teologia
Contradições ante o cristianismo
Pr. Ricardo Gondim
Confundindo o Espírito Santo
 O Espiritismo pretende ser a terceira revelação de Deus à
humanidade. A primeira revelação teria vindo através de
Moisés, a segunda através de Jesus e a terceira, através
do espiritismo.
 Observe esta declaração de Kardec:
 ―Reconhece-se que o Espiritismo realiza todas as
promessa do Cristo a respeito do Consolador anunciado.
Ora, como é o Espírito da Verdade que preside ao grande
movimento da regeneração, a promessa da sua vinda se
acha por essa forma cumprida, porque, de fato, é ele o
verdadeiro Consolador.‖ (A Gênese, 34).
IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim
Negação da Trindade
 A Trindade é negada pela visão distorcida da Divindade,
negando que tenhamos um "Deus pessoal" e deixando
de entender que Deus é não só AMOR, como JUSTIÇA.
Esse tipo de Deus "Saci Pererê" do espiritismo (que se
apóia só sobre uma "perna"--do amor), com a imagem do
Deus bíblico condenada por espíritas como injusto por
causa de relatos do Velho Testamento que não conseguem
entender à luz de sua contextuação cultural, histórica, e
dentro do TEOR GLOBAL do ensino bíblico, impede-os de
realmente entender que na cruz houve o encontro de
AMOR e JUSTIÇA (Salmo 85:10).
Contradições ante o cristianismo
IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim
Contradições ante o cristianismo
IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim
Comunicação com os mortos
 O próprio Kardec reconheceu ser impossível a identificação
dos espíritos que falam pelo médium, ao declarar: ―A
identidade constitui uma das grandes dificuldades do
espiritismo prático. É impossível, com freqüência, esclarecê-
la, especialmente quando são Espíritos superiores antigos em
relação a nossa época.
 Entre aqueles que se manifestam, muitos não tem nome
conhecido para nós, e a fim de fixar nossa atenção, podem
assumir o de um Espírito conhecido, que pertence a mesma
categoria. Assim, se um espírito se comunica com o nome de
São Pedro, por exemplo, não há nada mais que prove que seja
exatamente o apóstolo desse nome. Pode ser um Espírito do
mesmo nível, por ele enviado‖ (O Que é o Espiritismo, p.
318; O Livro dos Espíritos, p. 318).
Contradições ante o cristianismo
IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim
A reencarnação
 O lema de Kardec: ―Nascer, morrer, renascer e progredir sempre; esta
é a lei‖ (Epitáfio no túmulo de Allan Kardec).
 Definição: A crença de que a alma se transfere de uma existência
física para a outra, até que, depois de muitas vezes ter vivido aqui na
terra, a alma é liberada da existência terrena e absorvida pelo
Absoluto.
• Pluralidade de existências: Kardec declarou: ―...é só depois de várias
encarnações ou depurações sucessivas, num tempo mais ou menos longo, e
segundo seus esforços, que eles atingem o objetivo para o qual tendem‖ (O Livro
dos Espíritos, cap. IV, p. 196).
• Expiação e progresso contínuo até a perfeição. O objetivo da reencarnação é, pois,
―expiação, aprimoramento progressivo da humanidade‖ (Ibidem, cap. IV, p. 167).
• Alcance do objetivo final pelo esforço próprio. O alvo de cada existência é que o
espírito procure expiar as faltas cometidas anteriormente. ―Toda falta cometida,
todo mal realizado, é uma dívida contraída que deverá ser paga; se não o for em
uma existência sê-lo-á na seguinte ou seguintes‖ (Kardec, O Céu e o Inferno, cap.
7,9).
Contradições ante o cristianismo
IIICongresso de Teologia
Pilares do Cristianismo
Pr. Ricardo Gondim
 Infalibilidade das Escrituras
 A trindade
 O nascimento Virginal de Cristo
 Os milagres operados por Jesus
 A morte substitutiva de Cristo
 A deidade de Cristo
 A salvação pela Fé
 A segunda Vinda
 A vida eterna
 Juízo Final
 O pecado original e a queda do
homem
IIICongresso de Teologia
Umbanda
Pr. Ricardo Gondim
 A Umbanda é uma religião cujos cultos são baseados na
possessão, na qual os médiuns entram em transe e
recebem os guias, na qual estes são cultuados e dão
atendimento aos adeptos, a fim de ajudar aqueles que
com eles desejam se consultar.
 Segundo Renato Ortiz: "A possessão é portanto o
elemento central do culto, permitindo a descida
dos espíritos do reina da luz, da corte de
Aruanda, que cavalgam a montaria da qual eles
são senhores." (ORTIZ, 1999, p. 71)
ORTIZ, Renato. A morte branca do feiticeiro negro: umbanda e
sociedade brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1999
IIICongresso de Teologia
Divisão da Umbanda
Pr. Ricardo Gondim
 As entidades umbandistas são divididas entre espíritos de luz e
espíritos das trevas.
 Entre os espíritos de luz estão os caboclos, pretos-velhos e
crianças, que conforme a concepção cristã que concebe
uma dicotomia entre o bem e o mal, trabalham para o
bem, enquanto os espíritos das trevas, que são os exus,
devido a sua ambivalência, podem trabalhar tanto para o
bem quanto para o mal.
 Na Umbanda os caboclos representam a força e o vigor do homem
adulto, os pretos-velhos, a sabedoria da velhice , enquanto as
crianças simbolizam a pureza e a inocência.
 Estas não trabalham durante o culto, posto que uma criança não deve
trabalhar. São importantes para limpar com sua pureza o terreiro
depois da descida dos Exus.
 Segundo Birman (1885), terminar a gira com crianças é uma maneira
de afastar os espíritos obsessores e de baixa vibração.
IIICongresso de Teologia
Umbanda é espiritismo ?
Pr. Ricardo Gondim
 Existe grande desavença entre os adeptos do Espiritismo
Kardecista (que aceita codificada por Allan Kardec) e os
do Espiritismo Umbandista. Uns e outros fazem questão
de dizer ―espíritas‖
 Mas os primeiros declaram que foi Allan Kardec quem
criou e fixou o termo para designar especificamente o
Movimento Espiritualista pôr ele iniciado e que, por
conseguinte, outros não podem usurpar a mesma
designação para um movimento essencialmente
diferente. É a razão por que reclamam o termo ―espírita‖
para si exclusivamente. Nem por isso os umbandistas
deixam de chamar-se ―espíritas‖. Podem alegar em seu
favor que a Umbanda de fato não é ,essencialmente
diferente do kardecismo.
IIICongresso de Teologia
Características da Umbanda
Pr. Ricardo Gondim
 Mas existe outra razão muito mais decisiva que nos
permite identificar a Umbanda e o Espiritismo. Pois todos
os umbandistas aceitam a doutrina ou filosofia
kardecista da reencarnação.
 O umbandista acredita na lei das reencarnações, na lei da
evolução das almas, aceita a ―revelação‖ de Jesus
Cristo.
Dois pontos distinguem os umbandistas dos
kardecistas:
a)a prática da comunicação dos espíritos dos
mortos,
b)o ritual, muito complexo na lei de Umbanda,
que é uma religião de culto externo.
IIICongresso de Teologia
Características da Umbanda
Pr. Ricardo Gondim
UMBANDA, A QUARTA REVELAÇÃO.
 Aceitando embora integralmente a revelação kardecista, a Umbanda
pretende, no entanto, aperfeiçoá-la e ultrapassá-la . Para os umbandista
Kardec é grande, mas a Umbanda é maior. Moisés trouxe a primeira
revelação, Cristo veio com a segunda revelação, Kardec declarou o
espiritismo portador da terceira revelação, mas a Umbanda seria a última, a
Quarta Revelação. Assim como Cristo retificou e superou Moisés, como
Kardec corrigiu e suplantou Cristo, assim a Umbanda julga purificar e
vencer Kardec, Cristo, e Moisés.
UMBANDA É MAGIA
 Todos os autores umbandistas que tenham pesquisado definem este
movimento como sendo magia; por exemplo: a Umbanda faz magia pôr
intermédio das forças invisíveis, baseadas nas forças astrais, com rituais,
preceitos, sinais cabalísticos, cânticos e outros elementos, como a água, o
fogo, a fumaça, as bebidas, as comidas, os animais, apetrechos
apropriados, etc. O umbandista poderia ser comparado com os
“alquimistas, feiticeiros, advinhos, pitonisas do passado.
IIICongresso de Teologia
Umbanda e Quimbanda
Pr. Ricardo Gondim
 Querem alguns distinguir entre Umbanda e Quimbanda, dizendo que
ambos praticam a magia, sim, mas com a diferença de que em
Umbanda ela é feita apenas para o bem (e seria a Magia Branca -
DIREITA) e em Quimbanda (Magia Negra - ESQUERDA) os trabalhos
seriam exclusivamente maus.
 Na sua essência íntima, a Quimbanda é em quase tudo idêntica ao
que se cultua na Umbanda.
 Quando alguém procura a Quimbanda, procura porque quer fazer
trabalhos; por exemplo: ―para obrigar o namorado ou amante a
voltar a se casar; para amarrar o homem com a mulher; para que o
marido se conforme com a mulher ter o seu amante; para uma
mulher tirar o homem da outra; para que o homem só tenha potência
para uma mulher; para amarrar a vida e negócio dos outros e os
arruinar; para obrigar outros a fazer o que não é justo; para castigar
os inimigos, pô-los doentes ou então matar, etc. Essas pessoas
recorrem aos serviços dos exus que também são cultuados na
Umbanda, sendo que na Quimbanda só trabalham com os exus.
IIICongresso de Teologia
Negação ao Cristianismo
Pr. Ricardo Gondim
 Já vimos que a Umbanda, em sua prática da evocação
dos espíritos e em seus trabalhos de magia (branca ou
negra, tanto faz) desobedece a Deus, revoltando-se
contra uma ordem clara e repetida do Criador.
 Verificamos que a Umbanda, em sua doutrina panteísta,
contesta e deve contestar toda uma longa série de
verdade cristãs a respeito de Deus:
 Nega a Trindade, a existência de um Deus pessoal e
distinto do mundo; a divindade de Jesus, a redenção por
Cristo, a Graça de Deus, a ressurreição de Cristo, o juízo
depois da morte, a ressurreição final de todos os homens,
a existência do inferno, dos demônios, do diabo etc.
 Tudo isso, em outras palavras, é a negação total da
doutrina cristã e por isso do Cristianismo.
IIICongresso de Teologia
Candomblé
Pr. Ricardo Gondim
 O candomblé é uma religião africana trazida para o Brasil no
período em que os negros desembarcaram para serem
escravos.
 Escravos de diversas tribos e nações Africanas continuaram a
cultuar no Brasil os Orixás negros, suas divindades, e
estiveram na origem da criação das chamadas ―Casas de
Santo‖ (Ilê), onde continuaram com os seus rituais e preceitos
Africanos.
 Nesse período, a Igreja Católica proibia o ritual africano e
ainda tinha o apoio do governo, que julgava o ato como
criminoso, por isso os escravos cultuavam seus Orixás,
Inquices e Vodus omitindo-os em santos católicos.
 As diversas origens das tribos, e as diversas regiões do Brasil
onde se implantaram, deram origem às diversas Nações do
Candomblé, onde o Ketu é tido como o mais tradicional.
IIICongresso de Teologia
Diferenças entre Candomblé e Umbanda
Pr. Ricardo Gondim
 Aos olhos do leigo, Umbanda e Candomblé são duas
formas de denominar um mesmo culto. Mas na verdade,
são duas religiões distintas, unidas apenas pelas roupas,
pelos atabaques e pelo uso do transe mediúnico.
 Na Umbanda trabalham com espíritos como caboclos,
pretos-velhos e ciganos, entre outros, ou seja, as
incorporações são feitas através de espíritos encarnados
ou desencarnados em médiuns de incorporação.
 No candomblé, só os Orixás podem provocar a
possessão; a nenhum espírito que tenha tido vida na
terra, é permitido este fenómeno, então apenas as
divindades da natureza dão incorporados. Existem
pessoas que praticam o candomblé e a umbanda, mas o
fazem em dias, horários e locais diferentes.
IIICongresso de Teologia
Os orixás e o sincretismo católico
Pr. Ricardo Gondim
Os escravos não abriram mão de seus cultos e suas divindades. Devido a
um doutrinamento imposto pelo catolicismo romano, os africanos
começaram a buscar na igreja, santos correspondentes aos seu orixás.
Muitos dos orixás nos cultos afros encontrará no Catolicismo um santo
―correspondente ― - pôr exemplo:
 Exu - diabo
 Iemanjá - Nossa Senhora
 Ogum - São Jorge
 Iansã - Santa Bárbara
 Iemanjá - Nossa Senhora Aparecida, Nossa Senhora da Imaculada
Conceição
 Oxóssi - São Sebastião
 Oxalá - Jesus Cristo - Senhor do Bonfim
 Omulú - São Lázaro
 Ossain - São Benedito
 Oxumaré - São Bartolomeu
 Xango - São Jerônimo
IIICongresso de Teologia
Contradições
Pr. Ricardo Gondim
O Relacionamento com Deus
Nos cultos afros. Um fato que devemos considerar é a posição
tradicionalmente dada aos orixás nos cultos afros como
intermediários entre o deus supremo (Olorum) e os homens.
(No Catolicismo Romano, Maria recebe também o título de
intermediária). Além disso, os filhos-de-santo, uma vez
comprometidos com os orixás, vivem em constante medo de suas
represálias.
O Sacrifício Aceitável
Nos cultos-afros. Ao evangelizar os adeptos dos cultos- afros, é
necessário conhecer também o significado do termo ―ebó‖. De
acordo com Cacciatore, ebó é a oferenda ou sacrifício animal feito a
qualquer orixá. Às vezes é chamado vulgarmente de ―despacho‖,
um termo mais comumente empregado para as oferendas a Exú (um
dos orixás, sincretizado com o diabo da teologia cristã), pedindo
bem ou mal de alguém.
IIICongresso de Teologia
Contradições
Pr. Ricardo Gondim
Encarando a Morte
Nos cultos afros: Ao dialogar com os adeptos dos cultos-afros -
principalmente do Candomblé - alguém se cientifica de que os
orixás têm medo da morte (quem menos tem medo da morte é
Iansã). Quando um filho ou filha-de -santo está próximo da morte,
seu orixá praticamente o abandona. Esta pessoa já não fica mais
possessa, pois seu orixá procura evitá-la.
Salvação e Vida Após a Morte
Nos cultos afros. Nestas religiões o assunto de vida após a morte
não é bem definido. Na Umbanda , devida à influência kardecista, é
ensinada a reencarnação. Já o Candomblé não oferece qualquer
esperança depois da morte, pois é uma religião para ser praticada
somente em vida, segundo os seus defensores. Outros pais-de-
santos apresentam idéias confusas, tais como: ―quando morre, a
pessoa vau para a mesa de Santo Agostinho‖ou ―vai para a balança
de São Miguel.‖
IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim
 É o que está dito na revita TIME, de quatro de agosto de 1997, pp.31 -
39. O artigo mostra o sucesso econômico e o poder de influência da
igreja mórmon em solo norte americano e em diferentes partes do
mundo, principalmente na América Latina.
 Foi em 1950, diz o historiador Jan Shipps, que os mórmons passaram
de ―caluniados‖ para ―venerados‖, devido a sua combinação de
orientação familiar, otimismo, honestidade e uma agressividade
agradável, coisas muito valorizadas atualmente.
 15 senadores e representantes circulam atualmente pelos corredores
do Congresso americano. O FBI e a CIA recrutam constantemente das
fileiras mórmons, inclusive em 2012, teve um candidato a presidência
dos EUA, Mitt Romney
 A igreja mórmon é, numericamente, o grupo mais bem sucedido que
nasceu em solo americano e um dos que mais cresce em qualquer
parte do mundo.
 Sua membrezia nos Estados Unidos de cerca de 4.8 milhões é a
sétima maior do país.
A igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
IIICongresso de Teologia
História
Pr. Ricardo Gondim
 Um dos acontecimentos mais importantes de toda a história mórmon
deu-se na primavera de 1820 – ―Primeira Visão‖ em que Deus
Pai, e Jesus Cristo desceram, em carne, e disseram a
Joseph Smith que todas as igrejas estavam erradas e que
o Cristianismo estava totalmente perdido.
 ―Quando a luz repousou sobre mim, vi dois personagens
...Um deles falou-me, chamando-me pelo nome, e disse,
apontando para o outro: ―Este é meu Filho Amado Ouve-
O. Perguntei aos personagens que estavam na luz acima
de mim, qual de todas as igrejas era a verdadeira e qual
deveria unir-me.
 Foi me respondido que não me unisse a nenhuma delas, porque
todas estavam erradas...todos os seus credos eram uma abominação
à Sua vista; que todos aqueles mestres eram corruptos.‖ (Pérola de
Grande Valor, Escritos de Joseph Smith 2:17-19)
IIICongresso de Teologia
A igreja Mórmon no Brasil
Pr. Ricardo Gondim
 O Brasil ocupa o terceiro lugar no mundo em nímero de
mórmons.
 A Igreja Mórmon chegou no Brasil pôr intermédio de imigrantes
alemães, Augusta Kuhlmann Lippelt e seus quatro filhos, que
chegaram ao Brasil em 1923. O marido, Roberto, foi batizado
vários aos mais tarde.
 Os primeiros missionários foram os ―élderes‖ William F. Heinz e
Emil A.J.Schindler, acompanhados pôr Rheinold Stoof,
presidente da Missão Sul Americana em Buenos Aires,
Argentina. O Pres. Stoof já tinha visitado o Brasil em 1927 e
retornou com os ―élderes‖ em 1928 para começar o
proselitismo entre as pessoas de língua alemã.
 O primeiro batismo da seita em solo brasileiro foi realizado em
14 de abril de 1929, e o primeiro local de reunião de sua
propriedade na América do Sul foi inaugurado em 25 de
outubro de 1931, em Joinville, estado de Santa Catarina.
IIICongresso de Teologia
A Bíblia e o Livro de Mórmon
Pr. Ricardo Gondim
 A Igreja Mórmon ensina que a Bíblia foi adulterada, tem
perdido muitas de suas verdades e que não contém o
Evangelho em toda a sua plenitude (Doutrina de Salvação, v.3,
p.190, 191; Livro de Mórmon, 1 Néfi 13:26-29; Ensinamentos do Profeta
Joseph Smith, p.12)
 Joseph Smith considerou o Livro de Mórmon muito
superior a Bíblia e esta é a posição da Igreja
Mórmon até hoje. É mais chocante ainda o fato de
que mais de 4000 (quatro mil) mudanças foram feitas no
Livro de Mórmon desde que ele foi publicado pela
primeira vez em 1830. Essas mudanças ocorrem numa
tentativa de eliminar as centenas de contradições claras,
absurdas e erros gramaticais infantis.
IIICongresso de Teologia
Algumas Doutrinas
Pr. Ricardo Gondim
A Igreja Mórmon ensina enfaticamente que o livro de Mórmon é
―o mais correto livro‖, e que ele contém a verdade, a Palavra de
Deus, e a plenitude (qualidade de pleno, de completo) do
evangelho (Doutrina e Convênios 19:26; 20:9; 27:5). Onde no
Livro de Mórmon são ensinadas as seguintes doutrinas e
conceitos:
 Deus tem um corpo de carne e ossos;
 Deus é um homem exaltado;
 Deus é um produto da progressão eterna;
 A pluralidade dos deuses;
 Não existe inferno e nem castigo eterno;
 Os homens podem se tornar deuses;
 Os espíritos pré-existentes dos homens;
 Casamento para a eternidade;
 A poligamia não é uma abominação aos olhos de Deus;
IIICongresso de Teologia
Contradições
Pr. Ricardo Gondim
A Natureza do Deus Mórmon
 Os mórmons acreditam na existência de um Deus,
possuindo corpo de carne e ossos, o qual é o Pai
celestial.
 Isto parece algo bem simples, porém, uma investigação
mais profunda na doutrina da Igreja através dos anos ¾
coisa que você ainda não fez e nem tem condições de
fazer, pois a maioria do material está em inglês ¾ revela
que a doutrina de Deus no mormonismo é mais confusa
do que se imagina.
 O primeiro artigo de fé da Igreja Mórmon diz: ―Nós
cremos em Deus, o Pai eterno, e em Seu Filho, Jesus
Cristo, e no Espírito Santo‖. Esta declaração, entretanto,
não fornece a idéia correta do deus mórmon.
IIICongresso de Teologia
É cristão o mormonismo
Pr. Ricardo Gondim
 Esta talvez pareça ser uma pergunta enigmática para
muitos mórmons, bem como para alguns cristãos.
 Os mórmons dirão que eles incluem a Bíblia na lista dos
quatro livros que reconhecem como Escrituras, que sua
crença em Jesus Cristo é parte central de sua fé, e que
isto é indicado pelo seu nome oficial, A Igreja de Jesus
Cristo dos Santos dos Últimos Dias.
 Além disso, muitos cristãos têm escutado o Coral do
Tabernáculo Mórmon cantar hinos cristãos, e ficam
impressionados com a dedicação de muitos adeptos
quanto às suas regras morais e sua forte estrutura
familiar.
IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim
Crivo da Igreja Mórmon
 Infalibilidade das Escrituras
 A trindade
 O nascimento Virginal de Cristo
 Os milagres operados por Jesus
 A morte substitutiva de Cristo
 A deidade de Cristo
 A salvação pela Fé
 A segunda Vinda
 A vida eterna
 Juízo Final
 O pecado original e a queda do
homem
IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim
 HISTÓRIA
 Guilherme (William) Miller, pastor batista do Estado de
Nova Iorque, nos Estados Unidos, em 1818, baseado
em Daniel 8.14: ―Ele me disse: Até duas mil trezentas
tardes e manhãs e o santuário será purificado‖, afirmou
que Cristo voltaria a Terra no dia 23 de março de 1843.
 Não acontecendo o previsto, Miller anunciou que Cristo
voltaria no dia 23 de março do ano seguinte.
 Porém, ao chegar essa data, Miller e seus seguidores,
aproximadamente 100 mil, sofrem nova decepção. Uma
vez mais Miller fez um novo cálculo segundo o qual
Cristo voltaria no dia 22 de outubro daquele mesmo
ano; porém essa previsão falhou também.
Adventistas do Sétimo dia
IIICongresso de Teologia
História da igreja
Pr. Ricardo Gondim
A formação da Igreja Adventista do Sétimo Dia
 Após o "Grande Desapontamento" formaram-se vários
grupos: o de Hiram Edson, em Port Gibson, o de Joseph
Bates, de New Hampshire, Washington, e o de Ellen
Gould Harmon White, que começou em Portland,
no Maine.
 Em 1860, em conjunto com a organização da obra de
publicações, escolheu-se um nome. Alguns optaram pelo
nome ―Igreja de Deus‖, mas prevaleceu a opinião de que
o nome deveria refletir os distintivos ensinos da igreja;
assim adotaram o nome de ―Igreja Adventista do Sétimo
Dia‖, e em maio de 1863, organizou-se a Associação
Geral dos Adventistas do Sétimo Dia.
IIICongresso de Teologia
Ellen White
Pr. Ricardo Gondim
Visões e revelações de Ellen Gould White
O movimento crê que as visões e revelações de Ellen White foram
inspiradas por Deus como foram as de todos os profetas bíblicos.
Entretanto, várias foram as profecias que não aconteceram:
 A porta da graça fechada após o Grande Desapontamento
de 1844 (Mensagens Escolhidas, v. 1 , p. 63).
 ―Quando a Inglaterra declarar guerra, todas as nações
terão seu próprio interesse em acudir, e haverá guerra
geral‖ (grifo nosso).
 O livro Subtilezas do Erro, na página 48, tenta defender
que ela apenas sugeriu uma possibilidade... A profecia
mostrou-se falsa
 Dia e a Hora da Vinda de Jesus ―(...) Logo ouvimos a voz
de Deus semelhante a muitas águas, a qual nos anunciou
o dia e a hora da vinda de Jesus‖ (Vida e Ensino, pp. 57-58, 94).
IIICongresso de Teologia
Algumas Doutrinas
Pr. Ricardo Gondim
Doutrina da natureza de Cristo
 Os ASD ensinam que Cristo, ao vir à terra, tomou sobre si a natureza
pecaminosa do homem: ―Em sua humanidade, Cristo participou
de nossa natureza pecaminosa,caída. Senão, não seria então
‗em tudo semelhante aos irmãos‘ , não seria como nós em
tudo.... De sua parte humana, Cristo herdou exatamente o que
herda todo filho de Adão - uma natureza pecaminosa ― (Estudos
Bíblicos, pp. 140-141).
O lugar de Satanás na Expiação
 A doutrina da expiação da Igreja Cristã tem defendido que Cristo é o
único expiador, sendo que Satanás não tem nenhuma parte na
expiação. Com base em Levítico 16:5-10, alegando que o bode
emissário tipifica Satanás, os ASD defendem que Satanás não
somente levará o peso e castigo de seus próprios pecados, mas
também os pecados da hoste dos remidos, os quais foram
colocados sobre ele.
IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim
A mortalidade ou sono da alma
• O livro Subtilezas do Erro, p. 249, diz ―O que o homem possui é o
―fôlego da vida‖ ou ―vida‖ (o que dá animação ao corpo), que lhe é
retirado por Deus quando expira. E o fôlego é reintegrado no ar, por
Deus. Mas não é entidade consciente ou o homem real como querem
os imortalistas‖.
Os adventistas do sétimo dia e os dois concertos
• Insistem os ASD em dizer que o decálogo é obrigatório, e assim,
vivem no Antigo Concerto, afirmando que todos os não-sabatistas
são transgressores da lei. O Antigo Concerto, porém, foi dado a Israel,
que não o cumpriu.
A divisão da Lei: Lei de Deus e Lei de Moisés
• O folheto Leis em Contraste, pp. 2-3, diz: ―A Lei Moral, os Dez
Mandamentos, chamados Lei de Deus‖ ―O mesmo não se dá com a
Lei Cerimonial, freqüentemente chamada de Lei de Moisés‖.
Algumas Doutrinas
IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim
A Guarda do Sábado
• Ellen White em O Conflito dos Séculos, p. 611, diz: ―O sábado será a
pedra de toque da lealdade... traçar-se-á a linha divisória entre os
que servem a Deus e os que não O servem‖. Afirmam ainda que ―o
selo de Deus na vida do cristão é a guarda do sábado‖
A Guarda do Domingo
• Dizem os adventistas que a guarda do domingo é de origem pagã.
Citam, no folheto Por que se Guarda o Domingo?, O dicionário
Webster‘s, que reza: ―chama-se assim [Sunday] (dia do sol), porque
era antigamente dedicado ao Sol ou ao seu culto‖. Por esta lógica, a
guarda do sábado também é de origem pagã, pois Saturday (sábado,
em inglês) era o dia do deus Saturno, celebrado com orgias.
Algumas Doutrinas
IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim
Ensinos sobre Jesus
A igreja Adventista do Sétimo dia prega outro Jesus
• O Jesus da Igreja Adventista é o arcanjo Miguel.
• Quando informações bíblicas sobre o arcanjo Miguel são
confrontadas com as de Jesus Cristo, chega-se a conclusão que
ambos são a mesma ―pessoa‖. Nas Escrituras, Miguel é sempre
citado desempenhando a função de um Príncipe protetor e salvador
do povo de Deus, e está em contínuo confronto com Satanás:
https://setimodia.wordpress.com/2012/05/21/arcanjo-miguel/
• O Jesus da Igreja Adventista não completou a sua
obra na cruz do calvário, veio completar no ano
de 1844.
• O Jesus da Igreja Adventista não apaga nossos
pecados, ele transfere os nossos pecados para
um livro de registros.
IIICongresso de Teologia
Testemunhas de Jeová
Pr. Ricardo Gondim
 Origem e Desenvolvimento
 O fundador da ―Sociedade Torre de Vigia‖, Charles
Taze Russell, nasceu em 16/02/1852 nos Estados
Unidos.
 Com dezoito anos organizou um estudo bíblico e em
1874 fundou formalmente o movimento russelita.
 Em 1879, começou a publicação do periódico Torre de
Vigia de Sião, hoje chamada A Sentinela.
 Com a morte de Russell em 1916, o juiz Joseph
Franklin Rutherford (1869-1942), tornou-se o segundo
presidente da sociedade.
IIICongresso de Teologia
História no Brasil
Pr. Ricardo Gondim
• A Sociedade opera legalmente em mais de 200 países e
territórios, tendo também obreiros em mais de 20 outros
lugares onde a organização, excede grandemente o seu
quadro de membros, e isto se torna evidente pela grande
circulação de revistas e livros publicados pela Sociedade
Torre de Vigia de Bíblias e Tratados do Brooklyn, Nova
York, a sede geral das Testemunhas de Jeová.
• De acordo com a história oficial da Sociedade, os
ensinos da Torre de Vigia chegaram a este país através
de alguns marinheiros brasileiros que encontraram as
Testemunhas de Jeová em Nova York em 1920.
• O primeiro representante da Torre de Vigia veio para o
Brasil em 1922.
IIICongresso de Teologia
Principais Doutrinas
Pr. Ricardo Gondim
As negações doutrinárias abrangem:
1. Negação da Trindade
2. Negação da deidade de Cristo (ponto de vista
Ariano)
3. Negação da Personalidade do Espírito Santo
(considerado como ―força ativa de Deus‖)
4. Negação da imortalidade da alma humana (nas
Escrituras a ―imortalidade‖ se aplicaria ao corpo
futuro do homem
5. Negação do ponto de vista bíblico da Redenção (as
Testemunhas de Jeová vêem a morte de Cristo
como apenas a morte de um homem perfeito e como
um ―resgate correspondente‖)
IIICongresso de Teologia
Principais Doutrinas
Pr. Ricardo Gondim
6. Negação da ressurreição corporal de Cristo (as
Testemunhas ensinam que Ele ressuscitou em espírito e
se materializou em várias ocasiões para ser visto pelos
Seus discípulos);
7. Negação da salvação pela graça através da fé;
8. Negação da salvação fora da sua organização;
9. Negação da experiência do ―novo nascimento‖ para
todos (esta experiência, dizem eles, é somente para as
―144 mil‖ Testemunhas da classe ―ungida‖);
10.Negação da punição eterna dos perdidos (proclamam
que o aniquilamento é o seu destino):
11.Negação da volta visível e corporal de Cristo (a
Sociedade diz que Cristo ―voltou‖ invisível em 1914 e
houve uma ―ressurreição espiritual‖ invisível em 1918).
IIICongresso de Teologia
Outras características doutrinárias
Pr. Ricardo Gondim
1. A Bíblia não pode ser compreendida hoje sem a
Sociedade;
2. A transfusão de sangue é rejeitada – se uma Testemunha
aceita recebe-la, poderá resultar em sua morte eterna:
3. As Testemunhas recusam fazer o serviço militar, cantar o
hino nacional e o juramento à bandeira – este último
considerado um ato de idolatria;
4. Os feriados e celebrações, como o natal, páscoa e
aniversários são rejeitados como sendo de origem pagã:
5. A atual volta dos judeus para a Palestina não é
cumprimento da profecia. Israel foi colocado à parte e as
promessas de Deus estão sendo cumpridas no ―Israel
Espiritual‖, as Testemunhas de Jeová.
IIICongresso de Teologia
Isaías 6
1 NO ano em que morreu o rei Uzias, eu vi também ao Senhor assentado sobre um alto e
sublime trono; e o seu séquito enchia o templo.
2 Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas; com duas cobriam os seus rostos, e com
duas cobriam os seus pés, e com duas voavam.
3 E clamavam uns aos outros, dizendo: Santo, Santo, Santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a
terra está cheia da sua glória.
4 E os umbrais das portas se moveram à voz do que clamava, e a casa se encheu de fumaça.
5 Então disse eu: Ai de mim! Pois estou perdido; porque sou um homem de lábios impuros, e habito no
meio de um povo de impuros lábios; os meus olhos viram o Rei, o SENHOR dos Exércitos.
6 Porém um dos serafins voou para mim, trazendo na sua mão uma brasa viva, que tirara do altar com
uma tenaz;
7 E com a brasa tocou a minha boca, e disse: Eis que isto tocou os teus lábios; e a tua iniqüidade foi
tirada, e expiado o teu pecado.
8 Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então
disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim.
9 Então disse ele: Vai, e dize a este povo: Ouvis, de fato, e não entendeis, e vedes, em verdade, mas não
percebeis.
10 Engorda o coração deste povo, e faze-lhe pesados os ouvidos, e fecha-lhe os olhos; para que ele não
veja com os seus olhos, e não ouça com os seus ouvidos, nem entenda com o seu coração, nem se
converta e seja sarado.
A Trindade na Bíblia das TJ
IIICongresso de Teologia
João 12
36 Enquanto tendes luz, crede na luz, para que sejais filhos da luz.
Estas coisas disse Jesus e, retirando-se, escondeu-se deles.
37 E, ainda que tinha feito tantos sinais diante deles, não criam nele;
38 Para que se cumprisse a palavra do profeta Isaías, que diz: SENHOR,
quem creu na nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do
Senhor? (Isaías 53)
39 Por isso não podiam crer, então Isaías disse outra vez:
40 Cegou-lhes os olhos, e endureceu-lhes o coração, A fim
de que não vejam com os olhos, e compreendam no
coração, E se convertam, E eu os cure.
41 Isaías disse isto quando viu a sua glória e falou dele.
A Trindade na Bíblia das TJ
IIICongresso de Teologia
Problema
Eu tenho um texto canônico, escrito com autoridade
profética e apóstólica por dois homens diferentes, em
épocas diferentes que falam da mesma visão.
Segundo a lei das contradições (isto está no cânon) duas
afirmações contrárias não podem ser verdadeiras sobre o
mesmo assunto ao mesmo tempo.
Ex. Você não pode afirmar: Aquele ali é homem e uma
melancia, ao mesmo tempo.
Resposta: Impossível, ao mesmo tempo não tem jeito, se
você disser que uma fada o transformou em melancia, pode
até ser, mas dizer que são duas coisas ao mesmo tempo,
não tem jeito.
A Trindade na Bíblia das TJ
IIICongresso de Teologia
Atos 28
24 E alguns criam no que se dizia; mas outros não criam.
25 E, como ficaram entre si discordes, despediram-se, dizendo Paulo
esta palavra: Bem falou o Espírito Santo a nossos pais pelo
profeta Isaías,
26 Dizendo: Vai a este povo, e dize: De ouvido ouvireis, e de
maneira nenhuma entendereis; E, vendo vereis, e de
maneira nenhuma percebereis.
27 Porquanto o coração deste povo está endurecido, E com
os ouvidos ouviram pesadamente, E fecharam os olhos,
Para que nunca com os olhos vejam, Nem com os ouvidos
ouçam, Nem do coração entendam, E se convertam, E eu os
cure.
A Trindade na Bíblia das TJ
IIICongresso de Teologia
Igreja Católica Romana e a Igreja Ortodoxa
Pr. Ricardo Gondim
• A igreja Ortodoxa nasce do cisma que começa
com a transferência da capital do império para
Constantinopla.
• O cisma completo termina no ano de 1054.
• A igreja não aceita a autoridade de Roma sobre o
Oriente e decide romper.
• Além da crise de autoridade a Igreja Ortodoxa
acusa os Romanos de abandonar a tradição e se
curvar ao paganismo de Constantino.
• Em suma, sua doutrina não difere muito da
Católica Romana, mas a tradição fala muito,
principalmente nas liturgias e culto.
IIICongresso de Teologia
Introdução - Fim
Pr. Ricardo Gondim
IIICongresso de Teologia
Órbita do Satélite
Pr. Ricardo Gondim
• Quando um satélite atinge exatamente 42 164
quilômetros em relação ao centro da Terra (cerca de 36
mil quilômetros de altitude em relação à superfície), o
seu período orbital é o mesmo período de rotação da
Terra e por isso essa órbita é chamada de geossíncrona.
• Essa órbita geralmente
tem inclinação e excentricidade diferentes de zero. Mas
quando essa órbita está diretamente sobre
o Equador terrestre, com inclinação e excentricidade
igual a zero, é chamada de órbita geoestacionária, porque
um satélite colocado nessa posição parece pairar, não
tendo um movimento aparente quando visto da Terra.
IIICongresso de Teologia
Cálculo para orientação de antena
Pr. Ricardo Gondim
Orientação de antena para
satélite geoestacionário.
Variáveis de entrada :
• Ls = longitude do satélite ( Leste + ,
Oeste - ) ( a latitude do satélite é
sempre 0 )
• Lo = longitude da antena ( Leste + ,
Oeste - )
• La = latitude da antena ( Norte + , Sul
- )
Resultados :
• Az = azimute da antena ( 0º = Norte,
90º = Leste, 180º = Sul, 270º ou –90º =
Oeste)
• El = elevação da antena ( 0º =
horizontal, 90º = vertical )
• D = distancia da antena ao satélite
FÓRMULA
Ld = Lo – Ls cos C = cos Ld . cos La
Obs : cos C deve ser maior que 0,15127 para que o satélite esteja
acima do horizonte !
Az = arctg ( tg Ld / sen La ) ( antena no hemisfério Sul. No hem.
Norte somar 180º )
El = arctg ( ( cos C – 0,15127 ) / ( 1 – cos² C ) ½ )
D = ( R² + a² – 2Ra cos C )½
IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim
Cálculo para orientação de antena
IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim
Cálculo para orientação de antena
IIICongresso de Teologia
Conclusão
Pr. Ricardo Gondim
• Um pequeno erro de cálculo pode me levar à quilômetros
da Salvação.
13 E o SENHOR te porá por cabeça, e não por cauda; e só estarás em cima, e não
debaixo, se obedeceres aos mandamentos do SENHOR teu Deus, que hoje te
ordeno, para os guardar e cumprir.
14 E não te desviarás de todas as palavras que hoje te ordeno, nem para a direita
nem para a esquerda, andando após outros deuses, para os servires. Deuteronômio
28
25 Os teus olhos olhem para a frente, e as tuas pálpebras olhem direto diante de ti.
26 Pondera a vereda de teus pés, e todos os teus caminhos sejam bem ordenados!
27 Não declines nem para a direita nem para a esquerda; retira o teu pé do mal.
Provérbios 4
7 Tão-somente esforça-te e tem mui bom ânimo, para teres o cuidado de fazer
conforme a toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem
para a direita nem para a esquerda, para que prudentemente te conduzas por onde
quer que andares.
Josué 1
IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 1 A Igreja Apostólica
Aula 1 A Igreja ApostólicaAula 1 A Igreja Apostólica
Aula 1 A Igreja ApostólicaMarcia oliveira
 
Catolicismo Romano - Seitas e Heresias
Catolicismo Romano - Seitas e HeresiasCatolicismo Romano - Seitas e Heresias
Catolicismo Romano - Seitas e HeresiasLuan Almeida
 
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja PerseguidaAula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja PerseguidaAdriano Pascoa
 
IGREJA PRESBITERIANA - O GOVERNO DA IGREJA
IGREJA PRESBITERIANA - O GOVERNO DA IGREJA IGREJA PRESBITERIANA - O GOVERNO DA IGREJA
IGREJA PRESBITERIANA - O GOVERNO DA IGREJA Joao Franca
 
Aula de pneumatologia
Aula de pneumatologiaAula de pneumatologia
Aula de pneumatologiaAlberto Nery
 
Historia da igreja i aula 1
Historia da igreja i  aula 1Historia da igreja i  aula 1
Historia da igreja i aula 1Moisés Sampaio
 
História da Igreja I: Aula 3 - Paulo e os Pais Apostólicos
História da Igreja I: Aula 3 - Paulo e os Pais ApostólicosHistória da Igreja I: Aula 3 - Paulo e os Pais Apostólicos
História da Igreja I: Aula 3 - Paulo e os Pais ApostólicosAndre Nascimento
 
A história da igreja cristã
A história da igreja cristãA história da igreja cristã
A história da igreja cristãFilipe
 
Aula 3 - Terceiro Período - A Igreja Imperial
Aula 3 -  Terceiro Período - A Igreja ImperialAula 3 -  Terceiro Período - A Igreja Imperial
Aula 3 - Terceiro Período - A Igreja ImperialAdriano Pascoa
 
Seitas e heresias 01- ENSINAI
Seitas e heresias 01- ENSINAISeitas e heresias 01- ENSINAI
Seitas e heresias 01- ENSINAINivaldo R. Santos
 
Mormonismo (IJCSUD) - Seitas e Heresias
Mormonismo (IJCSUD) - Seitas e HeresiasMormonismo (IJCSUD) - Seitas e Heresias
Mormonismo (IJCSUD) - Seitas e HeresiasLuan Almeida
 
Introdução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo TestamentoIntrodução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo TestamentoViva a Igreja
 
Aula 5 Quinto Período - A Reforma Protestante
Aula 5   Quinto Período - A Reforma ProtestanteAula 5   Quinto Período - A Reforma Protestante
Aula 5 Quinto Período - A Reforma ProtestanteAdriano Pascoa
 

Mais procurados (20)

Aula 1 A Igreja Apostólica
Aula 1 A Igreja ApostólicaAula 1 A Igreja Apostólica
Aula 1 A Igreja Apostólica
 
Catolicismo Romano - Seitas e Heresias
Catolicismo Romano - Seitas e HeresiasCatolicismo Romano - Seitas e Heresias
Catolicismo Romano - Seitas e Heresias
 
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja PerseguidaAula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
Aula 2 - Segundo Período - A Igreja Perseguida
 
IGREJA PRESBITERIANA - O GOVERNO DA IGREJA
IGREJA PRESBITERIANA - O GOVERNO DA IGREJA IGREJA PRESBITERIANA - O GOVERNO DA IGREJA
IGREJA PRESBITERIANA - O GOVERNO DA IGREJA
 
Cristologia aula01
Cristologia aula01Cristologia aula01
Cristologia aula01
 
Estudo sobre as testemunhas de jeová
Estudo sobre as testemunhas de jeováEstudo sobre as testemunhas de jeová
Estudo sobre as testemunhas de jeová
 
Aula de pneumatologia
Aula de pneumatologiaAula de pneumatologia
Aula de pneumatologia
 
Historia da igreja i aula 1
Historia da igreja i  aula 1Historia da igreja i  aula 1
Historia da igreja i aula 1
 
História da Igreja I: Aula 3 - Paulo e os Pais Apostólicos
História da Igreja I: Aula 3 - Paulo e os Pais ApostólicosHistória da Igreja I: Aula 3 - Paulo e os Pais Apostólicos
História da Igreja I: Aula 3 - Paulo e os Pais Apostólicos
 
A história da igreja cristã
A história da igreja cristãA história da igreja cristã
A história da igreja cristã
 
Aula 3 - Terceiro Período - A Igreja Imperial
Aula 3 -  Terceiro Período - A Igreja ImperialAula 3 -  Terceiro Período - A Igreja Imperial
Aula 3 - Terceiro Período - A Igreja Imperial
 
O Cânone Das Escrituras
O Cânone Das EscriturasO Cânone Das Escrituras
O Cânone Das Escrituras
 
Seitas e heresias 01- ENSINAI
Seitas e heresias 01- ENSINAISeitas e heresias 01- ENSINAI
Seitas e heresias 01- ENSINAI
 
Aula 1 teologia pentecostal
Aula 1 teologia pentecostalAula 1 teologia pentecostal
Aula 1 teologia pentecostal
 
Mormonismo (IJCSUD) - Seitas e Heresias
Mormonismo (IJCSUD) - Seitas e HeresiasMormonismo (IJCSUD) - Seitas e Heresias
Mormonismo (IJCSUD) - Seitas e Heresias
 
Seitas e heresias
Seitas e heresiasSeitas e heresias
Seitas e heresias
 
Introdução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo TestamentoIntrodução ao Antigo Testamento
Introdução ao Antigo Testamento
 
Panorama do novo testamento
Panorama do novo testamentoPanorama do novo testamento
Panorama do novo testamento
 
História da Igreja #6
História da Igreja #6História da Igreja #6
História da Igreja #6
 
Aula 5 Quinto Período - A Reforma Protestante
Aula 5   Quinto Período - A Reforma ProtestanteAula 5   Quinto Período - A Reforma Protestante
Aula 5 Quinto Período - A Reforma Protestante
 

Destaque

Aula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
Aula 6 - Cristo o Grande SacerdoteAula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
Aula 6 - Cristo o Grande SacerdoteRicardo Gondim
 
Aula 4 - Jesus, o grande Salvador
Aula 4  - Jesus, o grande SalvadorAula 4  - Jesus, o grande Salvador
Aula 4 - Jesus, o grande SalvadorRicardo Gondim
 
Aula 7 O homem diante da salvação
Aula 7   O homem diante da salvaçãoAula 7   O homem diante da salvação
Aula 7 O homem diante da salvaçãoRicardo Gondim
 
Aula 5 - Revisando a Carta de Hebreus
Aula 5 - Revisando a Carta de HebreusAula 5 - Revisando a Carta de Hebreus
Aula 5 - Revisando a Carta de HebreusRicardo Gondim
 
Ninguem é de Ninguén
Ninguem é de NinguénNinguem é de Ninguén
Ninguem é de NinguénRicardo Gondim
 
Princípios de Orígenes
Princípios de OrígenesPrincípios de Orígenes
Princípios de OrígenesRicardo Gondim
 
Ministros e despenseiros
Ministros e despenseirosMinistros e despenseiros
Ministros e despenseirosRicardo Gondim
 
Carnalidade, imaturidade e divisões
Carnalidade, imaturidade e divisõesCarnalidade, imaturidade e divisões
Carnalidade, imaturidade e divisõesRicardo Gondim
 
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1PIBJA
 
21609620 seitas-e-heresias-estudos
21609620 seitas-e-heresias-estudos21609620 seitas-e-heresias-estudos
21609620 seitas-e-heresias-estudosLuciana Santos
 
Reforma e Contra-Reforma da Igreja Católica
Reforma e Contra-Reforma da Igreja CatólicaReforma e Contra-Reforma da Igreja Católica
Reforma e Contra-Reforma da Igreja CatólicaCatarina Sousa
 
Aula 1 e 2 A mensagem de Hebreus
Aula 1 e 2   A mensagem de HebreusAula 1 e 2   A mensagem de Hebreus
Aula 1 e 2 A mensagem de HebreusRicardo Gondim
 
COMO A BÍBLIA CHEGOU ATÉ NÓS
COMO A BÍBLIA CHEGOU ATÉ NÓSCOMO A BÍBLIA CHEGOU ATÉ NÓS
COMO A BÍBLIA CHEGOU ATÉ NÓSAntonio Marcos
 
Um Evangelho Reformado - Paul Washer
Um Evangelho Reformado - Paul WasherUm Evangelho Reformado - Paul Washer
Um Evangelho Reformado - Paul Washermaterialcristao
 
Quarto post de heresiologia
Quarto post de heresiologiaQuarto post de heresiologia
Quarto post de heresiologialeandroaleixo
 

Destaque (20)

Meu teólogo favorito
Meu teólogo favoritoMeu teólogo favorito
Meu teólogo favorito
 
Aula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
Aula 6 - Cristo o Grande SacerdoteAula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
Aula 6 - Cristo o Grande Sacerdote
 
Aula 4 - Jesus, o grande Salvador
Aula 4  - Jesus, o grande SalvadorAula 4  - Jesus, o grande Salvador
Aula 4 - Jesus, o grande Salvador
 
Aula 7 O homem diante da salvação
Aula 7   O homem diante da salvaçãoAula 7   O homem diante da salvação
Aula 7 O homem diante da salvação
 
Aula 5 - Revisando a Carta de Hebreus
Aula 5 - Revisando a Carta de HebreusAula 5 - Revisando a Carta de Hebreus
Aula 5 - Revisando a Carta de Hebreus
 
Ninguem é de Ninguén
Ninguem é de NinguénNinguem é de Ninguén
Ninguem é de Ninguén
 
Princípios de Orígenes
Princípios de OrígenesPrincípios de Orígenes
Princípios de Orígenes
 
Salvação I
Salvação ISalvação I
Salvação I
 
Ministros e despenseiros
Ministros e despenseirosMinistros e despenseiros
Ministros e despenseiros
 
Carnalidade, imaturidade e divisões
Carnalidade, imaturidade e divisõesCarnalidade, imaturidade e divisões
Carnalidade, imaturidade e divisões
 
Aula 1 introdução
Aula 1   introduçãoAula 1   introdução
Aula 1 introdução
 
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1
 
21609620 seitas-e-heresias-estudos
21609620 seitas-e-heresias-estudos21609620 seitas-e-heresias-estudos
21609620 seitas-e-heresias-estudos
 
Reforma e Contra-Reforma da Igreja Católica
Reforma e Contra-Reforma da Igreja CatólicaReforma e Contra-Reforma da Igreja Católica
Reforma e Contra-Reforma da Igreja Católica
 
Aula 1 e 2 A mensagem de Hebreus
Aula 1 e 2   A mensagem de HebreusAula 1 e 2   A mensagem de Hebreus
Aula 1 e 2 A mensagem de Hebreus
 
COMO A BÍBLIA CHEGOU ATÉ NÓS
COMO A BÍBLIA CHEGOU ATÉ NÓSCOMO A BÍBLIA CHEGOU ATÉ NÓS
COMO A BÍBLIA CHEGOU ATÉ NÓS
 
Um Evangelho Reformado - Paul Washer
Um Evangelho Reformado - Paul WasherUm Evangelho Reformado - Paul Washer
Um Evangelho Reformado - Paul Washer
 
Educação cristã
Educação cristãEducação cristã
Educação cristã
 
Curso básico em teologia
Curso básico em teologiaCurso básico em teologia
Curso básico em teologia
 
Quarto post de heresiologia
Quarto post de heresiologiaQuarto post de heresiologia
Quarto post de heresiologia
 

Semelhante a Seitas e Heresias

O Que É Espiritualismo - Pablo de Salamanca
O Que É Espiritualismo - Pablo de Salamanca  O Que É Espiritualismo - Pablo de Salamanca
O Que É Espiritualismo - Pablo de Salamanca Diego Silva
 
Resumo Seitas e heresias.docx
Resumo Seitas e heresias.docxResumo Seitas e heresias.docx
Resumo Seitas e heresias.docxJosMriodasilva1
 
Texto Base do Congresso Alef 2013
Texto Base do Congresso Alef 2013Texto Base do Congresso Alef 2013
Texto Base do Congresso Alef 2013Marcos Aurélio
 
TEXTO BASE DO CONGRESSO DE MISSÃO INTEGRAL DA (ALEF - Associação de Líderes E...
TEXTO BASE DO CONGRESSO DE MISSÃO INTEGRAL DA (ALEF - Associação de Líderes E...TEXTO BASE DO CONGRESSO DE MISSÃO INTEGRAL DA (ALEF - Associação de Líderes E...
TEXTO BASE DO CONGRESSO DE MISSÃO INTEGRAL DA (ALEF - Associação de Líderes E...Romildo Fernandes Gurgel Gurgel
 
Espiritualidade fundamental / [Aldir Crocoli]
Espiritualidade fundamental / [Aldir Crocoli]Espiritualidade fundamental / [Aldir Crocoli]
Espiritualidade fundamental / [Aldir Crocoli]Eugenio Hansen, OFS
 
13385058 oracao-a-chave-do-avivamento-paul-yonggi-cho
13385058 oracao-a-chave-do-avivamento-paul-yonggi-cho13385058 oracao-a-chave-do-avivamento-paul-yonggi-cho
13385058 oracao-a-chave-do-avivamento-paul-yonggi-choantonio ferreira
 
oracao-a-chave-do-avivamento-paul-yonggi-cho
 oracao-a-chave-do-avivamento-paul-yonggi-cho oracao-a-chave-do-avivamento-paul-yonggi-cho
oracao-a-chave-do-avivamento-paul-yonggi-choantonio ferreira
 
Livreto de comunicações Crer e Pensar
Livreto de comunicações Crer e PensarLivreto de comunicações Crer e Pensar
Livreto de comunicações Crer e Pensarconceitosdahomilia
 
Apostila auxiliar de estudos a evolução do cristianismo até o espiritismo ...
Apostila auxiliar de estudos    a evolução do cristianismo até o espiritismo ...Apostila auxiliar de estudos    a evolução do cristianismo até o espiritismo ...
Apostila auxiliar de estudos a evolução do cristianismo até o espiritismo ...Marcílio Pereira
 
Folheto Crer e Pensar - corrigido
Folheto Crer e Pensar - corrigidoFolheto Crer e Pensar - corrigido
Folheto Crer e Pensar - corrigidoconceitosdahomilia
 
Folheto crer e pensar (resumos) 30092013
Folheto crer e pensar (resumos) 30092013Folheto crer e pensar (resumos) 30092013
Folheto crer e pensar (resumos) 30092013conceitosdahomilia
 
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 3
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 3Religiões, Seitas e Heresias - Aula 3
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 3PIBJA
 
ensino religioso 8ano.pdf
ensino religioso 8ano.pdfensino religioso 8ano.pdf
ensino religioso 8ano.pdfcarinabresolin
 
A RELIGIÃO NO BRASIL
A RELIGIÃO NO BRASIL A RELIGIÃO NO BRASIL
A RELIGIÃO NO BRASIL Jorge Miklos
 
Download espírito santo - o deus que vive em nós
Download espírito santo - o deus que vive em nósDownload espírito santo - o deus que vive em nós
Download espírito santo - o deus que vive em nósLuiza Dayana
 
Proliferação das seitas religiosas em Angola
Proliferação das seitas religiosas em AngolaProliferação das seitas religiosas em Angola
Proliferação das seitas religiosas em AngolaFilipe Simão Kembo
 

Semelhante a Seitas e Heresias (20)

O Que É Espiritualismo - Pablo de Salamanca
O Que É Espiritualismo - Pablo de Salamanca  O Que É Espiritualismo - Pablo de Salamanca
O Que É Espiritualismo - Pablo de Salamanca
 
Resumo Seitas e heresias.docx
Resumo Seitas e heresias.docxResumo Seitas e heresias.docx
Resumo Seitas e heresias.docx
 
Texto Base do Congresso Alef 2013
Texto Base do Congresso Alef 2013Texto Base do Congresso Alef 2013
Texto Base do Congresso Alef 2013
 
TEXTO BASE DO CONGRESSO DE MISSÃO INTEGRAL DA (ALEF - Associação de Líderes E...
TEXTO BASE DO CONGRESSO DE MISSÃO INTEGRAL DA (ALEF - Associação de Líderes E...TEXTO BASE DO CONGRESSO DE MISSÃO INTEGRAL DA (ALEF - Associação de Líderes E...
TEXTO BASE DO CONGRESSO DE MISSÃO INTEGRAL DA (ALEF - Associação de Líderes E...
 
Espiritualidade fundamental / [Aldir Crocoli]
Espiritualidade fundamental / [Aldir Crocoli]Espiritualidade fundamental / [Aldir Crocoli]
Espiritualidade fundamental / [Aldir Crocoli]
 
Ere capa
Ere capaEre capa
Ere capa
 
13385058 oracao-a-chave-do-avivamento-paul-yonggi-cho
13385058 oracao-a-chave-do-avivamento-paul-yonggi-cho13385058 oracao-a-chave-do-avivamento-paul-yonggi-cho
13385058 oracao-a-chave-do-avivamento-paul-yonggi-cho
 
oracao-a-chave-do-avivamento-paul-yonggi-cho
 oracao-a-chave-do-avivamento-paul-yonggi-cho oracao-a-chave-do-avivamento-paul-yonggi-cho
oracao-a-chave-do-avivamento-paul-yonggi-cho
 
Livreto de comunicações Crer e Pensar
Livreto de comunicações Crer e PensarLivreto de comunicações Crer e Pensar
Livreto de comunicações Crer e Pensar
 
Livreto Crer e Pensar
Livreto Crer e PensarLivreto Crer e Pensar
Livreto Crer e Pensar
 
Heresiologia
HeresiologiaHeresiologia
Heresiologia
 
Apostila auxiliar de estudos a evolução do cristianismo até o espiritismo ...
Apostila auxiliar de estudos    a evolução do cristianismo até o espiritismo ...Apostila auxiliar de estudos    a evolução do cristianismo até o espiritismo ...
Apostila auxiliar de estudos a evolução do cristianismo até o espiritismo ...
 
Folheto Crer e Pensar - corrigido
Folheto Crer e Pensar - corrigidoFolheto Crer e Pensar - corrigido
Folheto Crer e Pensar - corrigido
 
Folheto crer e pensar (resumos) 30092013
Folheto crer e pensar (resumos) 30092013Folheto crer e pensar (resumos) 30092013
Folheto crer e pensar (resumos) 30092013
 
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 3
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 3Religiões, Seitas e Heresias - Aula 3
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 3
 
ensino religioso 8ano.pdf
ensino religioso 8ano.pdfensino religioso 8ano.pdf
ensino religioso 8ano.pdf
 
A RELIGIÃO NO BRASIL
A RELIGIÃO NO BRASIL A RELIGIÃO NO BRASIL
A RELIGIÃO NO BRASIL
 
Download espírito santo - o deus que vive em nós
Download espírito santo - o deus que vive em nósDownload espírito santo - o deus que vive em nós
Download espírito santo - o deus que vive em nós
 
Proliferação das seitas religiosas em Angola
Proliferação das seitas religiosas em AngolaProliferação das seitas religiosas em Angola
Proliferação das seitas religiosas em Angola
 
Igreja saudavel
Igreja saudavelIgreja saudavel
Igreja saudavel
 

Mais de Ricardo Gondim

Aula 1 apresentação site
Aula 1   apresentação siteAula 1   apresentação site
Aula 1 apresentação siteRicardo Gondim
 
Aula 3 A Superioridade do Evangelho
Aula 3   A Superioridade do EvangelhoAula 3   A Superioridade do Evangelho
Aula 3 A Superioridade do EvangelhoRicardo Gondim
 
O tabernáculo perfeito
O tabernáculo perfeitoO tabernáculo perfeito
O tabernáculo perfeitoRicardo Gondim
 
Introdução 2 (profecia e comunhão)
Introdução 2 (profecia e comunhão)Introdução 2 (profecia e comunhão)
Introdução 2 (profecia e comunhão)Ricardo Gondim
 
Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)Ricardo Gondim
 
Introdução 3 (serviço e adoração)
Introdução 3 (serviço e adoração)Introdução 3 (serviço e adoração)
Introdução 3 (serviço e adoração)Ricardo Gondim
 
Introdução ao Estudo do NT
Introdução ao Estudo do NTIntrodução ao Estudo do NT
Introdução ao Estudo do NTRicardo Gondim
 
7a aula - A cobertura do tabernáculo
7a aula - A cobertura do tabernáculo7a aula - A cobertura do tabernáculo
7a aula - A cobertura do tabernáculoRicardo Gondim
 
Tabernáculo - Água da Vida
Tabernáculo - Água da VidaTabernáculo - Água da Vida
Tabernáculo - Água da VidaRicardo Gondim
 
Tabernáculo - Os engenheiros de Deus
Tabernáculo - Os engenheiros de DeusTabernáculo - Os engenheiros de Deus
Tabernáculo - Os engenheiros de DeusRicardo Gondim
 

Mais de Ricardo Gondim (18)

Poéticos II
Poéticos IIPoéticos II
Poéticos II
 
Históricos III
Históricos IIIHistóricos III
Históricos III
 
Poéticos I
Poéticos IPoéticos I
Poéticos I
 
Históricos II
Históricos IIHistóricos II
Históricos II
 
Históricos I
Históricos IHistóricos I
Históricos I
 
Aula 2 - Pentateuco
Aula 2 - PentateucoAula 2 - Pentateuco
Aula 2 - Pentateuco
 
Aula 1 apresentação site
Aula 1   apresentação siteAula 1   apresentação site
Aula 1 apresentação site
 
Aula 1 genesis
Aula 1   genesisAula 1   genesis
Aula 1 genesis
 
Aula 3 A Superioridade do Evangelho
Aula 3   A Superioridade do EvangelhoAula 3   A Superioridade do Evangelho
Aula 3 A Superioridade do Evangelho
 
O tabernáculo perfeito
O tabernáculo perfeitoO tabernáculo perfeito
O tabernáculo perfeito
 
Pedagogia pastoral
Pedagogia pastoralPedagogia pastoral
Pedagogia pastoral
 
Introdução 2 (profecia e comunhão)
Introdução 2 (profecia e comunhão)Introdução 2 (profecia e comunhão)
Introdução 2 (profecia e comunhão)
 
Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)Introdução (vocação e ensino)
Introdução (vocação e ensino)
 
Introdução 3 (serviço e adoração)
Introdução 3 (serviço e adoração)Introdução 3 (serviço e adoração)
Introdução 3 (serviço e adoração)
 
Introdução ao Estudo do NT
Introdução ao Estudo do NTIntrodução ao Estudo do NT
Introdução ao Estudo do NT
 
7a aula - A cobertura do tabernáculo
7a aula - A cobertura do tabernáculo7a aula - A cobertura do tabernáculo
7a aula - A cobertura do tabernáculo
 
Tabernáculo - Água da Vida
Tabernáculo - Água da VidaTabernáculo - Água da Vida
Tabernáculo - Água da Vida
 
Tabernáculo - Os engenheiros de Deus
Tabernáculo - Os engenheiros de DeusTabernáculo - Os engenheiros de Deus
Tabernáculo - Os engenheiros de Deus
 

Último

1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.ppt
1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.ppt1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.ppt
1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.pptNuno724230
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptxPIB Penha
 
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2emprego2
 
JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]
JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]
JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]ESCRIBA DE CRISTO
 
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdfEVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdfFrancisco Baptista
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaNilson Almeida
 
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxCelso Napoleon
 
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...edsonjsmarques
 

Último (10)

1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.ppt
1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.ppt1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.ppt
1- Chuvas de Graça - Hino da Harpa Cristã.ppt
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
 
JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]
JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]
JUIZO FINAL [ DOUTRINA DA ESCATOLOGIA E FIM DOS TEMPOS]
 
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdfEVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De Cássia
 
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
 

Seitas e Heresias

  • 2. IIICongresso de Teologia O discurso de Paulo no Aerópago  Então Paulo levantou-se na reunião do Areópago e disse: "Atenienses! Vejo que em todos os aspectos vocês são muito religiosos, pois, andando pela cidade, observei cuidadosamente seus objetos de culto e encontrei até um altar com esta inscrição: AO DEUS DESCONHECIDO. Ora, o que vocês adoram, apesar de não conhecerem, eu lhes anuncio. "O Deus que fez o mundo e tudo o que nele há é o Senhor do céu e da terra, e não habita em santuários feitos por mãos humanas. Ele não é servido por mãos de homens, como se necessitasse de algo, porque ele mesmo dá a todos a vida, o fôlego e as demais coisas. De um só fez ele todos os povos, para que povoassem toda a terra, tendo determinado os tempos anteriormente estabelecidos e os lugares exatos em que deveriam habitar. Pr. Ricardo Gondim
  • 3. IIICongresso de Teologia ―Pois Nele vivemos, nos movemos e existimos‘, Pr. Ricardo Gondim Deus fez isso para que os homens o buscassem e talvez, tateando, pudessem encontrá-lo, embora não esteja longe de cada um de nós. ‗Pois Nele vivemos, nos movemos e existimos‘, como disseram alguns dos poetas de vocês: ‗Também somos descendência dele‘. "Assim, visto que somos descendência de Deus, não devemos pensar que a Divindade é semelhante a uma escultura de ouro, prata ou pedra, feita pela arte e imaginação do homem. No passado Deus não levou em conta essa ignorância, mas agora ordena que todos, em todo lugar, se arrependam. Atos 17:22-30
  • 4. IIICongresso de Teologia Panorama Religioso (Censo 2010) Pr. Ricardo Gondim
  • 5. IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim Panorama Religioso (Evangélicos Censo 2010) Ranking
  • 6. IIICongresso de Teologia Panorama de Crescimento Pr. Ricardo Gondim O IBGE e a religião — Cristãos são 86,8% do Brasil; católicos caem para 64,6%; evangélicos já são 22,2% Por: Reinaldo Azevedo 29/06/2012  Em 2010 a população evangélica do Brasil era de 22,16% e 42.275.437 crentes.  Embora a média aritmética da taxa de crescimento anual de 1960 a 2010 seja de 5,75% para a projeção de 2014, utilizamos a mesma taxa anual (4,91%) do último Censo IBGE 2001-2010 para os cálculos.
  • 7. IIICongresso de Teologia Panorama de Crescimento Pr. Ricardo Gondim  Assim sendo, a população do Brasil projetada para 2016 será de 206.226.357 habitantes.  A população evangélica atinge 25,03% e será de 51.618.457 crentes, representando 1/4 da população Brasileira.
  • 8. IIICongresso de Teologia Panorama Crescimento Evangélico (final) Pr. Ricardo Gondim  Esse crescimento não pode ser desconsiderado se levarmos em conta que no ano de 1980 o número de evangélicos representava 6,6% da população brasileira, saltando para 9,0% em 1990.  Em 2000, cerca de 26,2 milhões se disseram evangélicos, ou 15,4% da população, em 2010 atingimos 22,16% e 42.275.437 crentes e 2016, o último dado, 25,03% da população ou 51.618.457 crentes.  Um crescimento exponencial de 654% nos últimos 35 anos, se considerado que o número de evangélicos em 1980 era de 7.854.178 contra os 51.618.457 atuais.
  • 9. IIICongresso de Teologia Curiosidades Pr. Ricardo Gondim  O município de União da Serra, no Rio Grande do Sul, é o mais católico do Brasil: 99,18% dos moradores seguem da religião;  O município de Arroio do Padre, também no RS, é o mais evangélico: 85,84% dos moradores;  Palmelo, em Goiás, concentra o maior número de espíritas: 45,5%;  Cidreira, novamente no RS, tem 5% de praticante de umbanda e candomblé;  O islamismo responde apenas por 1,2% do grupo de outras religiosidades;  Sobre os que se declararam sem religião, 7,4% são ateus, podendo chegar aos absurdos 21,1% em Boa Vista, Roraima e 13,3 no Rio de Janeiro.  Existem hoje no Brasil mais de 5 mil centros espíritas e 300 mil terreiros.
  • 10. IIICongresso de Teologia Migração Evangélica Pr. Ricardo Gondim Dados da Pesquisa de Orçamento Familiar (POF), IBGE, revelaram que, em 2011, os evangélicos de origem que não mantêm vínculos com a crença saltaram, em seis anos, de insignificantes 0,7% para 2,9%.
  • 11. IIICongresso de Teologia Migração Evangélica Pr. Ricardo Gondim O novo retrato da fé no Brasil Pesquisas indicam o aumento da migração religiosa entre os brasileiros, o surgimento dos evangélicos não praticantes e o crescimento dos adeptos ao islã.
  • 12. IIICongresso de Teologia Migração evangélicos para Cultos Afro Pr. Ricardo Gondim  A teóloga Lídia Maria de Lima irá defender até o final do ano uma dissertação de mestrado sobre o trânsito de evangélicos para religiões afro-brasileiras.  A pesquisadora já entrevistou umbandistas e candomblecistas e verificou que 35% deles eram evangélicos antes de entrar para os cultos afros.  Preterir as denominações cristãs por religiões de origem africana é outro tipo de migração até então pouco comum.
  • 13. IIICongresso de Teologia Desafio da Pluralidade Religiosa Pr. Ricardo Gondim  O pluralismo religioso nega que exista verdade religiosa absoluta, e exalta a experiência religiosa individual como critério último para cada um.  Defende uma nova teoria missiológica, onde não mais se prega a necessidade de conversão de outras religiões ao cristianismo, e sim a cooperação entre todas as religiões, naquilo que têm em comum.
  • 14. IIICongresso de Teologia Definição Pr. Ricardo Gondim  Seita é um ―grupo ou conjunto de pessoas que professam uma crença diferente daquela que é considerada verdadeira; facção, parte, comunidade fechada, partido‖.  Heresias são as doutrinas defendidas por um grupo. Háiresis, significa escolha, partido tomado, corrente de pensamento, divisão, escola etc. A palavra heresia é adaptação de háiresis. Quando passada para o latim, háiresis virou secta. Foi do latim que veio a palavra seita.
  • 15. IIICongresso de Teologia Características (sinais típicos de uma seita) Pr. Ricardo Gondim 1.Adiciona outra fonte de autoridade além da Bíblia. As seitas adotam outras fontes com a mesma autoridade (as pseudocristãs, ex. Mórmons) ou forjam traduções segundo suas doutrinas (ex. Testemunhas de Jeová). Pergunta: Qual a fonte de autoridade e doutrina?
  • 16. IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim 2. Elas diminuem ou subtraem algo da pessoa de Jesus Cristo, embora algumas falem bem de Jesus, elas, ora, não o consideram deus (Kardecismo), ou o consideram somente Divino (gnósticos) e não o aceitam como único e suficiente Salvador e Mediador (Umbanda), e acham que ele é mais uma manifestação divina como Buda ou Maomé. Pergunta: Qual o lugar de Jesus Cristo neste movimento ou grupo? Características (sinais típicos de uma seita)
  • 17. IIICongresso de Teologia Características Pr. Ricardo Gondim 3. O grupo multiplica as possibilidades da salvação, pregando que esta pode ser possível por obras ou atitudes, eles acreditam que o homem é intrinsicamente bom e capaz de fazer o possível para salvar-se, obter o perdão ou progredir espiritualmente. Esta é a caracteristica principal de todas as seitas. Pergunta: Sobre qual base ou fundamento está firmada a doutrina de salvação?
  • 18. IIICongresso de Teologia Características Pr. Ricardo Gondim 4. O caráter exclusivista das seitas, ou seja, somente os adeptos deste grupo podem ser salvos, eles são os escolhidos e separados. Característica universal das seitas, não admitindo a salvação fora de sua comunidade. Um bom exemplo são as Testemunhas de Jeová que se dizem os 144 mil citados no livro do Apocalipse Pergunta: A doutrina do grupo se auto intitula como sendo única e a última revelação de Deus?
  • 19. IIICongresso de Teologia Características Pr. Ricardo Gondim 5. O seu caráter escatológico, as seitas se consideram o grupo file dos últimos dias, e em sua maioria dizem que receberam algum tipo de ensino secreto que Deus guardou para os fiéis do fim. Muitas delas, são apocalípticas, por isso que a doutrina delas não está na Bíblia, porque Deus revelou sua atuação fora das escrituras, um exemplo é a Igreja de Jesus Cristo dos últimos dias. Pergunta: Existe alguma revelação exclusiva deste grupo para o fim dos tempos?
  • 20. IIICongresso de Teologia Características Pr. Ricardo Gondim 6. Os grupos de uma forma ou de outra, diminuem a soberania de Deus, seu caráter, eternidade ou atributos em suas doutrinas, sendo a característica principal apresentá-lo como um Deus impessoal. Pergunta: Qual o conceito de divindade deste grupo e como Deus se apresenta ao homem?
  • 21. IIICongresso de Teologia Prolegômenos – Pr. Ricardo Gondim Pr. Ricardo Gondim  É impossível evitar que este tipo de abordagem apresente uma discussão um tanto superficial e limitada de diversas questões – especialmente questões a cerca do desafio de confrontar-se com as seitas e as heresias deste tempo.  Se minhas próprias notas pessoais servem de base, seria necessário um volume aproximadamente cinco vezes maior do que este para que fizéssemos o mínimo de justiça às complexidades levantadas neste tema.  No entanto, o que estamos lhes oferecendo é uma mera introdução, um panorama, para que você tenha uma visão geral que lhe permita posteriormente continuar um estudo mais aprofundado dessas questões.
  • 22. IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim  Heresia é uma negação ou distorção da verdade absoluta – que é a Palavra de Deus.  Seita é o grupo que defende e professa estas heresias.  Assim, a finalidade do prolegômenos não é chegar à conclusão de um assunto, mas determinar quais são as pressuposições básicas que vão determinar a conclusão de um estudo, por isso, sua importância. Prolegômenos – Pr. Ricardo Gondim
  • 23. IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim  Por trás da negação da verdade, está uma das principais ideias do século XXI, a do inclusivismo, que é contrária a pregação de uma verdade absoluta.  O relativismo da verdade, corrente filosófica que nasce do pensamento Kierkegaard e Kant, é a grande base para a contrução das heresias, trabalhando num terreno onde cada um pode ser o portador da verdade, onde cada indivíduo pode ter uma verdade e outro também. São construções assim que são capazes de desenvolver frases como: Você tem o seu deus e eu tenho o meu! Prolegômenos – Pr. Ricardo Gondim
  • 24. IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim  Portanto, cada movimento religioso ou seita pode ser a expressão pessoal, individual ou subjetiva de um grupo que professa também o universalismo.  Que é esse pensamento de que toda a religião é boa, faz bem, todos os caminhos levam a deus, deus está em todas as religiões, então, vamos todos dar as mãos, porque somos todos iguais e no fim todas as religiões vão levar o homem à salvação. Prolegômenos – Pr. Ricardo Gondim
  • 25. IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim
  • 27. IIICongresso de Teologia Exortação a Igreja – Judas 1:3-4 Pr. Ricardo Gondim Amados, embora estivesse muito ansioso por lhes escrever acerca da salvação que compartilhamos, senti que era necessário escrever-lhes insistindo que batalhassem pela fé uma vez por todas confiada aos santos. Pois certos homens, cuja condenação já estava sentenciada há muito tempo, infiltraram-se dissimuladamente no meio de vocês. Estes são ímpios, e transformam a graça de nosso Deus em libertinagem e negam Jesus Cristo, nosso único Soberano e Senhor.
  • 28. IIICongresso de Teologia Esboço da Carta de Judas Pr. Ricardo Gondim A carta divide-se em 3 blocos • 1º. do verso 1:2 – Judas se apresenta e ora • 2º. do verso 2:19 – Judas chama a atenção da igreja para a introdução de heresias por parte dos falsos mestres e que devemos expô-los e colocá-los debaixo do juízo de Deus. Devem ser confrontados (v.3-4) porque já estão condenados (v.5-7) tendo o caráter reprovado (v.8-13) e que são conhecidos desde a eternidade (v.14-19) • 3º. Do verso 20:25 – Judas se dirige a igreja num tom pastoral. Advertindo para os irmãos a cuidar-se (v.20- 21), compadecer-se daqueles que estão sendo enganados (v.22-23) e confiar que Deus há de guardá- los (v.24-25).
  • 29. IIICongresso de Teologia Divisão adotada para estudo Pr. Ricardo Gondim Grupos religiosos brasileiros • Kardecismo – Umbanda - Candomblé Grupos religiosos americanos • Mormons – Adventistas – Testemunhas de Jeová Demais grupos • Islamismo – Igreja Católica e os Ortodoxos
  • 30. IIICongresso de Teologia Espiritismo Kardecista Pr. Ricardo Gondim I. HISTÓRICO  Surge em Hydesville, EUA, com as irmãs Margaret, Leah e Kate Fox no ano de 1848, quando elas criam um suposto sistema de comunicação com os espíritos.  Movimento semelhante ocorre na Europa sob a égide de Allan Kardec. Hippolyte Léon Denizard Rivail, nasceu na França, em 1804.  Em 25 de março de 1856, numa sessão, Kardec recebeu, através de uma médium, a informação de que dali por diante, um espírito denominado ―A Verdade‖, seria o seu guia espiritual. Em 18 de abril de 1857, publica O Livro dos Espíritos, uma obra contendo mais de mil (1.019) respostas às perguntas feitas aos espíritos
  • 31. IIICongresso de Teologia Histórico no Brasil Pr. Ricardo Gondim  Entre 1853 e 1854 surgiram no Brasil notícias sobre os fenômenos das "mesas girantes" que ocorriam principalmente nos Estados Unidos da América e na Europa, publicadas no Jornal do Commércio, do Rio de Janeiro, do Diário de Pernambuco, de Recife, e em O Cearense, de Fortaleza.  Primeiro Centro Espírita do Mundo - Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas, fundada em 1º de abril de 1858, por Allan Kardec.  Primeiro Centro Espírita do Brasil - Grupo Familiar de Espiritismo, instalado em 17 de setembro de 1865, às 30h30m, por Luís Olímpio Teles de Menezes, na cidade de Salvador, na Bahia.  Em 1866, Luís Olímpio Teles de Menezes publica o opúsculo O Espiritismo – Introdução ao Estudo da Doutrina Espírita, contendo páginas extraídas e traduzidas de O Livro dos Espíritos.
  • 32. IIICongresso de Teologia Histórico no Brasil Pr. Ricardo Gondim  Diante dos ataques expressos em Pastoral de D. Manuel Joaquim da Silveira, Arcebispo da Bahia e Primaz do Brasil, Luís Olímpio escreve carta aberta em defesa do Espiritismo, em que, conforme consta da obra Espiritismo Básico, de Pedro Franco Barbosa, ele afirma:  "O Espiritismo tem de passar por provas rudes, e nelas Deus reconhecerá sua coragem, sua firmeza e sua perseverança. Os que se ausentam por um simples temor, ou por uma decepção, assemelham-se a soldados que somente são corajosos em tempo de paz, mas que, ao primeiro tiro, abandonam as armas".  Luís Olímpio Teles de Menezes foi professor primário, estenógrafo, funcionário da Assembléia Legislativa e Oficial da Biblioteca Pública da Bahia. Falava o inglês, o francês, o castelhano e o latim. Escreveu nos seguintes periódicos: Diário da Bahia, Jornal da Bahia, A Época Literária e publicou o romance Os Dois Rivais.
  • 33. IIICongresso de Teologia O canto das sereias Pr. Ricardo Gondim O espiritismo cresce no Brasil pelos seguintes motivos:  O misticismo do povo brasileiro.  A falha do catolicismo romano em atender aos anseios espirituais de seus membros e sua conivência com a prática espírita.  A fachada cristã do espiritismo.  O aspecto consolador do espiritismo.
  • 34. IIICongresso de Teologia A fachada cristã do espiritismo Pr. Ricardo Gondim O Espiritismo é, pois, o mais potente auxiliar da religião. Se ele aí está, é porque Deus o permite e o permite para que as nossas vacilantes esperanças se revigorem e para que sejamos reconduzidos à senda do bem pela perspectiva do futuro. (LE p.146)  A reencarnação que é a doutrina principal do espiritismo é contrária ao Cristianismo e ao sacrifício vicário de Cristo.  Contrária a doutrina da Salvação pela fé  A Bíblia Sagrada não é regra de fé e prática.
  • 35. IIICongresso de Teologia A Bíblia não é a Palavra de Deus Pr. Ricardo Gondim (Cristianismo e Espiritismo – Leon Denis )
  • 36. IIICongresso de Teologia A Bíblia não é a Palavra de Deus Pr. Ricardo Gondim
  • 37. IIICongresso de Teologia Quem é Jesus Pr. Ricardo Gondim Livro dos Espíritos 625. Qual o tipo mais perfeito que Deus tem oferecido ao homem, para lhe servir de guia e modelo? ―Jesus.‖ Para o homem, Jesus constitui o tipo da perfeição moral a que a Humanidade pode aspirar na Terra. Deus no-lo oferece como o mais perfeito modelo e a doutrina que ensinou é a expressão mais pura da lei do Senhor, porque, sendo ele o mais puro de quantos têm aparecido na Terra, o Espírito Divino o animava. Quanto aos que, pretendendo instruir o homem na lei de Deus, o têm transviado, ensinando-lhe falsos princípios, isso aconteceu por haverem deixado que os dominassem sentimentos demasiado terrenos e por terem confundido as leis que regulam as condições da vida da alma, com as que regem a vida do corpo. Muitos hão apresentado como leis divinas simples leis humanas estatuídas para servir às paixões e dominar os homens.
  • 38. IIICongresso de Teologia O caráter universalista e não cristão Pr. Ricardo Gondim
  • 39. IIICongresso de Teologia Contradições ante o cristianismo Pr. Ricardo Gondim Confundindo o Espírito Santo  O Espiritismo pretende ser a terceira revelação de Deus à humanidade. A primeira revelação teria vindo através de Moisés, a segunda através de Jesus e a terceira, através do espiritismo.  Observe esta declaração de Kardec:  ―Reconhece-se que o Espiritismo realiza todas as promessa do Cristo a respeito do Consolador anunciado. Ora, como é o Espírito da Verdade que preside ao grande movimento da regeneração, a promessa da sua vinda se acha por essa forma cumprida, porque, de fato, é ele o verdadeiro Consolador.‖ (A Gênese, 34).
  • 40. IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim Negação da Trindade  A Trindade é negada pela visão distorcida da Divindade, negando que tenhamos um "Deus pessoal" e deixando de entender que Deus é não só AMOR, como JUSTIÇA. Esse tipo de Deus "Saci Pererê" do espiritismo (que se apóia só sobre uma "perna"--do amor), com a imagem do Deus bíblico condenada por espíritas como injusto por causa de relatos do Velho Testamento que não conseguem entender à luz de sua contextuação cultural, histórica, e dentro do TEOR GLOBAL do ensino bíblico, impede-os de realmente entender que na cruz houve o encontro de AMOR e JUSTIÇA (Salmo 85:10). Contradições ante o cristianismo
  • 41. IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim Contradições ante o cristianismo
  • 42. IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim Comunicação com os mortos  O próprio Kardec reconheceu ser impossível a identificação dos espíritos que falam pelo médium, ao declarar: ―A identidade constitui uma das grandes dificuldades do espiritismo prático. É impossível, com freqüência, esclarecê- la, especialmente quando são Espíritos superiores antigos em relação a nossa época.  Entre aqueles que se manifestam, muitos não tem nome conhecido para nós, e a fim de fixar nossa atenção, podem assumir o de um Espírito conhecido, que pertence a mesma categoria. Assim, se um espírito se comunica com o nome de São Pedro, por exemplo, não há nada mais que prove que seja exatamente o apóstolo desse nome. Pode ser um Espírito do mesmo nível, por ele enviado‖ (O Que é o Espiritismo, p. 318; O Livro dos Espíritos, p. 318). Contradições ante o cristianismo
  • 43. IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim A reencarnação  O lema de Kardec: ―Nascer, morrer, renascer e progredir sempre; esta é a lei‖ (Epitáfio no túmulo de Allan Kardec).  Definição: A crença de que a alma se transfere de uma existência física para a outra, até que, depois de muitas vezes ter vivido aqui na terra, a alma é liberada da existência terrena e absorvida pelo Absoluto. • Pluralidade de existências: Kardec declarou: ―...é só depois de várias encarnações ou depurações sucessivas, num tempo mais ou menos longo, e segundo seus esforços, que eles atingem o objetivo para o qual tendem‖ (O Livro dos Espíritos, cap. IV, p. 196). • Expiação e progresso contínuo até a perfeição. O objetivo da reencarnação é, pois, ―expiação, aprimoramento progressivo da humanidade‖ (Ibidem, cap. IV, p. 167). • Alcance do objetivo final pelo esforço próprio. O alvo de cada existência é que o espírito procure expiar as faltas cometidas anteriormente. ―Toda falta cometida, todo mal realizado, é uma dívida contraída que deverá ser paga; se não o for em uma existência sê-lo-á na seguinte ou seguintes‖ (Kardec, O Céu e o Inferno, cap. 7,9). Contradições ante o cristianismo
  • 44. IIICongresso de Teologia Pilares do Cristianismo Pr. Ricardo Gondim  Infalibilidade das Escrituras  A trindade  O nascimento Virginal de Cristo  Os milagres operados por Jesus  A morte substitutiva de Cristo  A deidade de Cristo  A salvação pela Fé  A segunda Vinda  A vida eterna  Juízo Final  O pecado original e a queda do homem
  • 45. IIICongresso de Teologia Umbanda Pr. Ricardo Gondim  A Umbanda é uma religião cujos cultos são baseados na possessão, na qual os médiuns entram em transe e recebem os guias, na qual estes são cultuados e dão atendimento aos adeptos, a fim de ajudar aqueles que com eles desejam se consultar.  Segundo Renato Ortiz: "A possessão é portanto o elemento central do culto, permitindo a descida dos espíritos do reina da luz, da corte de Aruanda, que cavalgam a montaria da qual eles são senhores." (ORTIZ, 1999, p. 71) ORTIZ, Renato. A morte branca do feiticeiro negro: umbanda e sociedade brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1999
  • 46. IIICongresso de Teologia Divisão da Umbanda Pr. Ricardo Gondim  As entidades umbandistas são divididas entre espíritos de luz e espíritos das trevas.  Entre os espíritos de luz estão os caboclos, pretos-velhos e crianças, que conforme a concepção cristã que concebe uma dicotomia entre o bem e o mal, trabalham para o bem, enquanto os espíritos das trevas, que são os exus, devido a sua ambivalência, podem trabalhar tanto para o bem quanto para o mal.  Na Umbanda os caboclos representam a força e o vigor do homem adulto, os pretos-velhos, a sabedoria da velhice , enquanto as crianças simbolizam a pureza e a inocência.  Estas não trabalham durante o culto, posto que uma criança não deve trabalhar. São importantes para limpar com sua pureza o terreiro depois da descida dos Exus.  Segundo Birman (1885), terminar a gira com crianças é uma maneira de afastar os espíritos obsessores e de baixa vibração.
  • 47. IIICongresso de Teologia Umbanda é espiritismo ? Pr. Ricardo Gondim  Existe grande desavença entre os adeptos do Espiritismo Kardecista (que aceita codificada por Allan Kardec) e os do Espiritismo Umbandista. Uns e outros fazem questão de dizer ―espíritas‖  Mas os primeiros declaram que foi Allan Kardec quem criou e fixou o termo para designar especificamente o Movimento Espiritualista pôr ele iniciado e que, por conseguinte, outros não podem usurpar a mesma designação para um movimento essencialmente diferente. É a razão por que reclamam o termo ―espírita‖ para si exclusivamente. Nem por isso os umbandistas deixam de chamar-se ―espíritas‖. Podem alegar em seu favor que a Umbanda de fato não é ,essencialmente diferente do kardecismo.
  • 48. IIICongresso de Teologia Características da Umbanda Pr. Ricardo Gondim  Mas existe outra razão muito mais decisiva que nos permite identificar a Umbanda e o Espiritismo. Pois todos os umbandistas aceitam a doutrina ou filosofia kardecista da reencarnação.  O umbandista acredita na lei das reencarnações, na lei da evolução das almas, aceita a ―revelação‖ de Jesus Cristo. Dois pontos distinguem os umbandistas dos kardecistas: a)a prática da comunicação dos espíritos dos mortos, b)o ritual, muito complexo na lei de Umbanda, que é uma religião de culto externo.
  • 49. IIICongresso de Teologia Características da Umbanda Pr. Ricardo Gondim UMBANDA, A QUARTA REVELAÇÃO.  Aceitando embora integralmente a revelação kardecista, a Umbanda pretende, no entanto, aperfeiçoá-la e ultrapassá-la . Para os umbandista Kardec é grande, mas a Umbanda é maior. Moisés trouxe a primeira revelação, Cristo veio com a segunda revelação, Kardec declarou o espiritismo portador da terceira revelação, mas a Umbanda seria a última, a Quarta Revelação. Assim como Cristo retificou e superou Moisés, como Kardec corrigiu e suplantou Cristo, assim a Umbanda julga purificar e vencer Kardec, Cristo, e Moisés. UMBANDA É MAGIA  Todos os autores umbandistas que tenham pesquisado definem este movimento como sendo magia; por exemplo: a Umbanda faz magia pôr intermédio das forças invisíveis, baseadas nas forças astrais, com rituais, preceitos, sinais cabalísticos, cânticos e outros elementos, como a água, o fogo, a fumaça, as bebidas, as comidas, os animais, apetrechos apropriados, etc. O umbandista poderia ser comparado com os “alquimistas, feiticeiros, advinhos, pitonisas do passado.
  • 50. IIICongresso de Teologia Umbanda e Quimbanda Pr. Ricardo Gondim  Querem alguns distinguir entre Umbanda e Quimbanda, dizendo que ambos praticam a magia, sim, mas com a diferença de que em Umbanda ela é feita apenas para o bem (e seria a Magia Branca - DIREITA) e em Quimbanda (Magia Negra - ESQUERDA) os trabalhos seriam exclusivamente maus.  Na sua essência íntima, a Quimbanda é em quase tudo idêntica ao que se cultua na Umbanda.  Quando alguém procura a Quimbanda, procura porque quer fazer trabalhos; por exemplo: ―para obrigar o namorado ou amante a voltar a se casar; para amarrar o homem com a mulher; para que o marido se conforme com a mulher ter o seu amante; para uma mulher tirar o homem da outra; para que o homem só tenha potência para uma mulher; para amarrar a vida e negócio dos outros e os arruinar; para obrigar outros a fazer o que não é justo; para castigar os inimigos, pô-los doentes ou então matar, etc. Essas pessoas recorrem aos serviços dos exus que também são cultuados na Umbanda, sendo que na Quimbanda só trabalham com os exus.
  • 51. IIICongresso de Teologia Negação ao Cristianismo Pr. Ricardo Gondim  Já vimos que a Umbanda, em sua prática da evocação dos espíritos e em seus trabalhos de magia (branca ou negra, tanto faz) desobedece a Deus, revoltando-se contra uma ordem clara e repetida do Criador.  Verificamos que a Umbanda, em sua doutrina panteísta, contesta e deve contestar toda uma longa série de verdade cristãs a respeito de Deus:  Nega a Trindade, a existência de um Deus pessoal e distinto do mundo; a divindade de Jesus, a redenção por Cristo, a Graça de Deus, a ressurreição de Cristo, o juízo depois da morte, a ressurreição final de todos os homens, a existência do inferno, dos demônios, do diabo etc.  Tudo isso, em outras palavras, é a negação total da doutrina cristã e por isso do Cristianismo.
  • 52. IIICongresso de Teologia Candomblé Pr. Ricardo Gondim  O candomblé é uma religião africana trazida para o Brasil no período em que os negros desembarcaram para serem escravos.  Escravos de diversas tribos e nações Africanas continuaram a cultuar no Brasil os Orixás negros, suas divindades, e estiveram na origem da criação das chamadas ―Casas de Santo‖ (Ilê), onde continuaram com os seus rituais e preceitos Africanos.  Nesse período, a Igreja Católica proibia o ritual africano e ainda tinha o apoio do governo, que julgava o ato como criminoso, por isso os escravos cultuavam seus Orixás, Inquices e Vodus omitindo-os em santos católicos.  As diversas origens das tribos, e as diversas regiões do Brasil onde se implantaram, deram origem às diversas Nações do Candomblé, onde o Ketu é tido como o mais tradicional.
  • 53. IIICongresso de Teologia Diferenças entre Candomblé e Umbanda Pr. Ricardo Gondim  Aos olhos do leigo, Umbanda e Candomblé são duas formas de denominar um mesmo culto. Mas na verdade, são duas religiões distintas, unidas apenas pelas roupas, pelos atabaques e pelo uso do transe mediúnico.  Na Umbanda trabalham com espíritos como caboclos, pretos-velhos e ciganos, entre outros, ou seja, as incorporações são feitas através de espíritos encarnados ou desencarnados em médiuns de incorporação.  No candomblé, só os Orixás podem provocar a possessão; a nenhum espírito que tenha tido vida na terra, é permitido este fenómeno, então apenas as divindades da natureza dão incorporados. Existem pessoas que praticam o candomblé e a umbanda, mas o fazem em dias, horários e locais diferentes.
  • 54. IIICongresso de Teologia Os orixás e o sincretismo católico Pr. Ricardo Gondim Os escravos não abriram mão de seus cultos e suas divindades. Devido a um doutrinamento imposto pelo catolicismo romano, os africanos começaram a buscar na igreja, santos correspondentes aos seu orixás. Muitos dos orixás nos cultos afros encontrará no Catolicismo um santo ―correspondente ― - pôr exemplo:  Exu - diabo  Iemanjá - Nossa Senhora  Ogum - São Jorge  Iansã - Santa Bárbara  Iemanjá - Nossa Senhora Aparecida, Nossa Senhora da Imaculada Conceição  Oxóssi - São Sebastião  Oxalá - Jesus Cristo - Senhor do Bonfim  Omulú - São Lázaro  Ossain - São Benedito  Oxumaré - São Bartolomeu  Xango - São Jerônimo
  • 55. IIICongresso de Teologia Contradições Pr. Ricardo Gondim O Relacionamento com Deus Nos cultos afros. Um fato que devemos considerar é a posição tradicionalmente dada aos orixás nos cultos afros como intermediários entre o deus supremo (Olorum) e os homens. (No Catolicismo Romano, Maria recebe também o título de intermediária). Além disso, os filhos-de-santo, uma vez comprometidos com os orixás, vivem em constante medo de suas represálias. O Sacrifício Aceitável Nos cultos-afros. Ao evangelizar os adeptos dos cultos- afros, é necessário conhecer também o significado do termo ―ebó‖. De acordo com Cacciatore, ebó é a oferenda ou sacrifício animal feito a qualquer orixá. Às vezes é chamado vulgarmente de ―despacho‖, um termo mais comumente empregado para as oferendas a Exú (um dos orixás, sincretizado com o diabo da teologia cristã), pedindo bem ou mal de alguém.
  • 56. IIICongresso de Teologia Contradições Pr. Ricardo Gondim Encarando a Morte Nos cultos afros: Ao dialogar com os adeptos dos cultos-afros - principalmente do Candomblé - alguém se cientifica de que os orixás têm medo da morte (quem menos tem medo da morte é Iansã). Quando um filho ou filha-de -santo está próximo da morte, seu orixá praticamente o abandona. Esta pessoa já não fica mais possessa, pois seu orixá procura evitá-la. Salvação e Vida Após a Morte Nos cultos afros. Nestas religiões o assunto de vida após a morte não é bem definido. Na Umbanda , devida à influência kardecista, é ensinada a reencarnação. Já o Candomblé não oferece qualquer esperança depois da morte, pois é uma religião para ser praticada somente em vida, segundo os seus defensores. Outros pais-de- santos apresentam idéias confusas, tais como: ―quando morre, a pessoa vau para a mesa de Santo Agostinho‖ou ―vai para a balança de São Miguel.‖
  • 57. IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim  É o que está dito na revita TIME, de quatro de agosto de 1997, pp.31 - 39. O artigo mostra o sucesso econômico e o poder de influência da igreja mórmon em solo norte americano e em diferentes partes do mundo, principalmente na América Latina.  Foi em 1950, diz o historiador Jan Shipps, que os mórmons passaram de ―caluniados‖ para ―venerados‖, devido a sua combinação de orientação familiar, otimismo, honestidade e uma agressividade agradável, coisas muito valorizadas atualmente.  15 senadores e representantes circulam atualmente pelos corredores do Congresso americano. O FBI e a CIA recrutam constantemente das fileiras mórmons, inclusive em 2012, teve um candidato a presidência dos EUA, Mitt Romney  A igreja mórmon é, numericamente, o grupo mais bem sucedido que nasceu em solo americano e um dos que mais cresce em qualquer parte do mundo.  Sua membrezia nos Estados Unidos de cerca de 4.8 milhões é a sétima maior do país. A igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
  • 58. IIICongresso de Teologia História Pr. Ricardo Gondim  Um dos acontecimentos mais importantes de toda a história mórmon deu-se na primavera de 1820 – ―Primeira Visão‖ em que Deus Pai, e Jesus Cristo desceram, em carne, e disseram a Joseph Smith que todas as igrejas estavam erradas e que o Cristianismo estava totalmente perdido.  ―Quando a luz repousou sobre mim, vi dois personagens ...Um deles falou-me, chamando-me pelo nome, e disse, apontando para o outro: ―Este é meu Filho Amado Ouve- O. Perguntei aos personagens que estavam na luz acima de mim, qual de todas as igrejas era a verdadeira e qual deveria unir-me.  Foi me respondido que não me unisse a nenhuma delas, porque todas estavam erradas...todos os seus credos eram uma abominação à Sua vista; que todos aqueles mestres eram corruptos.‖ (Pérola de Grande Valor, Escritos de Joseph Smith 2:17-19)
  • 59. IIICongresso de Teologia A igreja Mórmon no Brasil Pr. Ricardo Gondim  O Brasil ocupa o terceiro lugar no mundo em nímero de mórmons.  A Igreja Mórmon chegou no Brasil pôr intermédio de imigrantes alemães, Augusta Kuhlmann Lippelt e seus quatro filhos, que chegaram ao Brasil em 1923. O marido, Roberto, foi batizado vários aos mais tarde.  Os primeiros missionários foram os ―élderes‖ William F. Heinz e Emil A.J.Schindler, acompanhados pôr Rheinold Stoof, presidente da Missão Sul Americana em Buenos Aires, Argentina. O Pres. Stoof já tinha visitado o Brasil em 1927 e retornou com os ―élderes‖ em 1928 para começar o proselitismo entre as pessoas de língua alemã.  O primeiro batismo da seita em solo brasileiro foi realizado em 14 de abril de 1929, e o primeiro local de reunião de sua propriedade na América do Sul foi inaugurado em 25 de outubro de 1931, em Joinville, estado de Santa Catarina.
  • 60. IIICongresso de Teologia A Bíblia e o Livro de Mórmon Pr. Ricardo Gondim  A Igreja Mórmon ensina que a Bíblia foi adulterada, tem perdido muitas de suas verdades e que não contém o Evangelho em toda a sua plenitude (Doutrina de Salvação, v.3, p.190, 191; Livro de Mórmon, 1 Néfi 13:26-29; Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, p.12)  Joseph Smith considerou o Livro de Mórmon muito superior a Bíblia e esta é a posição da Igreja Mórmon até hoje. É mais chocante ainda o fato de que mais de 4000 (quatro mil) mudanças foram feitas no Livro de Mórmon desde que ele foi publicado pela primeira vez em 1830. Essas mudanças ocorrem numa tentativa de eliminar as centenas de contradições claras, absurdas e erros gramaticais infantis.
  • 61. IIICongresso de Teologia Algumas Doutrinas Pr. Ricardo Gondim A Igreja Mórmon ensina enfaticamente que o livro de Mórmon é ―o mais correto livro‖, e que ele contém a verdade, a Palavra de Deus, e a plenitude (qualidade de pleno, de completo) do evangelho (Doutrina e Convênios 19:26; 20:9; 27:5). Onde no Livro de Mórmon são ensinadas as seguintes doutrinas e conceitos:  Deus tem um corpo de carne e ossos;  Deus é um homem exaltado;  Deus é um produto da progressão eterna;  A pluralidade dos deuses;  Não existe inferno e nem castigo eterno;  Os homens podem se tornar deuses;  Os espíritos pré-existentes dos homens;  Casamento para a eternidade;  A poligamia não é uma abominação aos olhos de Deus;
  • 62. IIICongresso de Teologia Contradições Pr. Ricardo Gondim A Natureza do Deus Mórmon  Os mórmons acreditam na existência de um Deus, possuindo corpo de carne e ossos, o qual é o Pai celestial.  Isto parece algo bem simples, porém, uma investigação mais profunda na doutrina da Igreja através dos anos ¾ coisa que você ainda não fez e nem tem condições de fazer, pois a maioria do material está em inglês ¾ revela que a doutrina de Deus no mormonismo é mais confusa do que se imagina.  O primeiro artigo de fé da Igreja Mórmon diz: ―Nós cremos em Deus, o Pai eterno, e em Seu Filho, Jesus Cristo, e no Espírito Santo‖. Esta declaração, entretanto, não fornece a idéia correta do deus mórmon.
  • 63. IIICongresso de Teologia É cristão o mormonismo Pr. Ricardo Gondim  Esta talvez pareça ser uma pergunta enigmática para muitos mórmons, bem como para alguns cristãos.  Os mórmons dirão que eles incluem a Bíblia na lista dos quatro livros que reconhecem como Escrituras, que sua crença em Jesus Cristo é parte central de sua fé, e que isto é indicado pelo seu nome oficial, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.  Além disso, muitos cristãos têm escutado o Coral do Tabernáculo Mórmon cantar hinos cristãos, e ficam impressionados com a dedicação de muitos adeptos quanto às suas regras morais e sua forte estrutura familiar.
  • 64. IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim Crivo da Igreja Mórmon  Infalibilidade das Escrituras  A trindade  O nascimento Virginal de Cristo  Os milagres operados por Jesus  A morte substitutiva de Cristo  A deidade de Cristo  A salvação pela Fé  A segunda Vinda  A vida eterna  Juízo Final  O pecado original e a queda do homem
  • 65. IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim  HISTÓRIA  Guilherme (William) Miller, pastor batista do Estado de Nova Iorque, nos Estados Unidos, em 1818, baseado em Daniel 8.14: ―Ele me disse: Até duas mil trezentas tardes e manhãs e o santuário será purificado‖, afirmou que Cristo voltaria a Terra no dia 23 de março de 1843.  Não acontecendo o previsto, Miller anunciou que Cristo voltaria no dia 23 de março do ano seguinte.  Porém, ao chegar essa data, Miller e seus seguidores, aproximadamente 100 mil, sofrem nova decepção. Uma vez mais Miller fez um novo cálculo segundo o qual Cristo voltaria no dia 22 de outubro daquele mesmo ano; porém essa previsão falhou também. Adventistas do Sétimo dia
  • 66. IIICongresso de Teologia História da igreja Pr. Ricardo Gondim A formação da Igreja Adventista do Sétimo Dia  Após o "Grande Desapontamento" formaram-se vários grupos: o de Hiram Edson, em Port Gibson, o de Joseph Bates, de New Hampshire, Washington, e o de Ellen Gould Harmon White, que começou em Portland, no Maine.  Em 1860, em conjunto com a organização da obra de publicações, escolheu-se um nome. Alguns optaram pelo nome ―Igreja de Deus‖, mas prevaleceu a opinião de que o nome deveria refletir os distintivos ensinos da igreja; assim adotaram o nome de ―Igreja Adventista do Sétimo Dia‖, e em maio de 1863, organizou-se a Associação Geral dos Adventistas do Sétimo Dia.
  • 67. IIICongresso de Teologia Ellen White Pr. Ricardo Gondim Visões e revelações de Ellen Gould White O movimento crê que as visões e revelações de Ellen White foram inspiradas por Deus como foram as de todos os profetas bíblicos. Entretanto, várias foram as profecias que não aconteceram:  A porta da graça fechada após o Grande Desapontamento de 1844 (Mensagens Escolhidas, v. 1 , p. 63).  ―Quando a Inglaterra declarar guerra, todas as nações terão seu próprio interesse em acudir, e haverá guerra geral‖ (grifo nosso).  O livro Subtilezas do Erro, na página 48, tenta defender que ela apenas sugeriu uma possibilidade... A profecia mostrou-se falsa  Dia e a Hora da Vinda de Jesus ―(...) Logo ouvimos a voz de Deus semelhante a muitas águas, a qual nos anunciou o dia e a hora da vinda de Jesus‖ (Vida e Ensino, pp. 57-58, 94).
  • 68. IIICongresso de Teologia Algumas Doutrinas Pr. Ricardo Gondim Doutrina da natureza de Cristo  Os ASD ensinam que Cristo, ao vir à terra, tomou sobre si a natureza pecaminosa do homem: ―Em sua humanidade, Cristo participou de nossa natureza pecaminosa,caída. Senão, não seria então ‗em tudo semelhante aos irmãos‘ , não seria como nós em tudo.... De sua parte humana, Cristo herdou exatamente o que herda todo filho de Adão - uma natureza pecaminosa ― (Estudos Bíblicos, pp. 140-141). O lugar de Satanás na Expiação  A doutrina da expiação da Igreja Cristã tem defendido que Cristo é o único expiador, sendo que Satanás não tem nenhuma parte na expiação. Com base em Levítico 16:5-10, alegando que o bode emissário tipifica Satanás, os ASD defendem que Satanás não somente levará o peso e castigo de seus próprios pecados, mas também os pecados da hoste dos remidos, os quais foram colocados sobre ele.
  • 69. IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim A mortalidade ou sono da alma • O livro Subtilezas do Erro, p. 249, diz ―O que o homem possui é o ―fôlego da vida‖ ou ―vida‖ (o que dá animação ao corpo), que lhe é retirado por Deus quando expira. E o fôlego é reintegrado no ar, por Deus. Mas não é entidade consciente ou o homem real como querem os imortalistas‖. Os adventistas do sétimo dia e os dois concertos • Insistem os ASD em dizer que o decálogo é obrigatório, e assim, vivem no Antigo Concerto, afirmando que todos os não-sabatistas são transgressores da lei. O Antigo Concerto, porém, foi dado a Israel, que não o cumpriu. A divisão da Lei: Lei de Deus e Lei de Moisés • O folheto Leis em Contraste, pp. 2-3, diz: ―A Lei Moral, os Dez Mandamentos, chamados Lei de Deus‖ ―O mesmo não se dá com a Lei Cerimonial, freqüentemente chamada de Lei de Moisés‖. Algumas Doutrinas
  • 70. IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim A Guarda do Sábado • Ellen White em O Conflito dos Séculos, p. 611, diz: ―O sábado será a pedra de toque da lealdade... traçar-se-á a linha divisória entre os que servem a Deus e os que não O servem‖. Afirmam ainda que ―o selo de Deus na vida do cristão é a guarda do sábado‖ A Guarda do Domingo • Dizem os adventistas que a guarda do domingo é de origem pagã. Citam, no folheto Por que se Guarda o Domingo?, O dicionário Webster‘s, que reza: ―chama-se assim [Sunday] (dia do sol), porque era antigamente dedicado ao Sol ou ao seu culto‖. Por esta lógica, a guarda do sábado também é de origem pagã, pois Saturday (sábado, em inglês) era o dia do deus Saturno, celebrado com orgias. Algumas Doutrinas
  • 71. IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim Ensinos sobre Jesus A igreja Adventista do Sétimo dia prega outro Jesus • O Jesus da Igreja Adventista é o arcanjo Miguel. • Quando informações bíblicas sobre o arcanjo Miguel são confrontadas com as de Jesus Cristo, chega-se a conclusão que ambos são a mesma ―pessoa‖. Nas Escrituras, Miguel é sempre citado desempenhando a função de um Príncipe protetor e salvador do povo de Deus, e está em contínuo confronto com Satanás: https://setimodia.wordpress.com/2012/05/21/arcanjo-miguel/ • O Jesus da Igreja Adventista não completou a sua obra na cruz do calvário, veio completar no ano de 1844. • O Jesus da Igreja Adventista não apaga nossos pecados, ele transfere os nossos pecados para um livro de registros.
  • 72. IIICongresso de Teologia Testemunhas de Jeová Pr. Ricardo Gondim  Origem e Desenvolvimento  O fundador da ―Sociedade Torre de Vigia‖, Charles Taze Russell, nasceu em 16/02/1852 nos Estados Unidos.  Com dezoito anos organizou um estudo bíblico e em 1874 fundou formalmente o movimento russelita.  Em 1879, começou a publicação do periódico Torre de Vigia de Sião, hoje chamada A Sentinela.  Com a morte de Russell em 1916, o juiz Joseph Franklin Rutherford (1869-1942), tornou-se o segundo presidente da sociedade.
  • 73. IIICongresso de Teologia História no Brasil Pr. Ricardo Gondim • A Sociedade opera legalmente em mais de 200 países e territórios, tendo também obreiros em mais de 20 outros lugares onde a organização, excede grandemente o seu quadro de membros, e isto se torna evidente pela grande circulação de revistas e livros publicados pela Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados do Brooklyn, Nova York, a sede geral das Testemunhas de Jeová. • De acordo com a história oficial da Sociedade, os ensinos da Torre de Vigia chegaram a este país através de alguns marinheiros brasileiros que encontraram as Testemunhas de Jeová em Nova York em 1920. • O primeiro representante da Torre de Vigia veio para o Brasil em 1922.
  • 74. IIICongresso de Teologia Principais Doutrinas Pr. Ricardo Gondim As negações doutrinárias abrangem: 1. Negação da Trindade 2. Negação da deidade de Cristo (ponto de vista Ariano) 3. Negação da Personalidade do Espírito Santo (considerado como ―força ativa de Deus‖) 4. Negação da imortalidade da alma humana (nas Escrituras a ―imortalidade‖ se aplicaria ao corpo futuro do homem 5. Negação do ponto de vista bíblico da Redenção (as Testemunhas de Jeová vêem a morte de Cristo como apenas a morte de um homem perfeito e como um ―resgate correspondente‖)
  • 75. IIICongresso de Teologia Principais Doutrinas Pr. Ricardo Gondim 6. Negação da ressurreição corporal de Cristo (as Testemunhas ensinam que Ele ressuscitou em espírito e se materializou em várias ocasiões para ser visto pelos Seus discípulos); 7. Negação da salvação pela graça através da fé; 8. Negação da salvação fora da sua organização; 9. Negação da experiência do ―novo nascimento‖ para todos (esta experiência, dizem eles, é somente para as ―144 mil‖ Testemunhas da classe ―ungida‖); 10.Negação da punição eterna dos perdidos (proclamam que o aniquilamento é o seu destino): 11.Negação da volta visível e corporal de Cristo (a Sociedade diz que Cristo ―voltou‖ invisível em 1914 e houve uma ―ressurreição espiritual‖ invisível em 1918).
  • 76. IIICongresso de Teologia Outras características doutrinárias Pr. Ricardo Gondim 1. A Bíblia não pode ser compreendida hoje sem a Sociedade; 2. A transfusão de sangue é rejeitada – se uma Testemunha aceita recebe-la, poderá resultar em sua morte eterna: 3. As Testemunhas recusam fazer o serviço militar, cantar o hino nacional e o juramento à bandeira – este último considerado um ato de idolatria; 4. Os feriados e celebrações, como o natal, páscoa e aniversários são rejeitados como sendo de origem pagã: 5. A atual volta dos judeus para a Palestina não é cumprimento da profecia. Israel foi colocado à parte e as promessas de Deus estão sendo cumpridas no ―Israel Espiritual‖, as Testemunhas de Jeová.
  • 77. IIICongresso de Teologia Isaías 6 1 NO ano em que morreu o rei Uzias, eu vi também ao Senhor assentado sobre um alto e sublime trono; e o seu séquito enchia o templo. 2 Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas; com duas cobriam os seus rostos, e com duas cobriam os seus pés, e com duas voavam. 3 E clamavam uns aos outros, dizendo: Santo, Santo, Santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória. 4 E os umbrais das portas se moveram à voz do que clamava, e a casa se encheu de fumaça. 5 Então disse eu: Ai de mim! Pois estou perdido; porque sou um homem de lábios impuros, e habito no meio de um povo de impuros lábios; os meus olhos viram o Rei, o SENHOR dos Exércitos. 6 Porém um dos serafins voou para mim, trazendo na sua mão uma brasa viva, que tirara do altar com uma tenaz; 7 E com a brasa tocou a minha boca, e disse: Eis que isto tocou os teus lábios; e a tua iniqüidade foi tirada, e expiado o teu pecado. 8 Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim. 9 Então disse ele: Vai, e dize a este povo: Ouvis, de fato, e não entendeis, e vedes, em verdade, mas não percebeis. 10 Engorda o coração deste povo, e faze-lhe pesados os ouvidos, e fecha-lhe os olhos; para que ele não veja com os seus olhos, e não ouça com os seus ouvidos, nem entenda com o seu coração, nem se converta e seja sarado. A Trindade na Bíblia das TJ
  • 78. IIICongresso de Teologia João 12 36 Enquanto tendes luz, crede na luz, para que sejais filhos da luz. Estas coisas disse Jesus e, retirando-se, escondeu-se deles. 37 E, ainda que tinha feito tantos sinais diante deles, não criam nele; 38 Para que se cumprisse a palavra do profeta Isaías, que diz: SENHOR, quem creu na nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do Senhor? (Isaías 53) 39 Por isso não podiam crer, então Isaías disse outra vez: 40 Cegou-lhes os olhos, e endureceu-lhes o coração, A fim de que não vejam com os olhos, e compreendam no coração, E se convertam, E eu os cure. 41 Isaías disse isto quando viu a sua glória e falou dele. A Trindade na Bíblia das TJ
  • 79. IIICongresso de Teologia Problema Eu tenho um texto canônico, escrito com autoridade profética e apóstólica por dois homens diferentes, em épocas diferentes que falam da mesma visão. Segundo a lei das contradições (isto está no cânon) duas afirmações contrárias não podem ser verdadeiras sobre o mesmo assunto ao mesmo tempo. Ex. Você não pode afirmar: Aquele ali é homem e uma melancia, ao mesmo tempo. Resposta: Impossível, ao mesmo tempo não tem jeito, se você disser que uma fada o transformou em melancia, pode até ser, mas dizer que são duas coisas ao mesmo tempo, não tem jeito. A Trindade na Bíblia das TJ
  • 80. IIICongresso de Teologia Atos 28 24 E alguns criam no que se dizia; mas outros não criam. 25 E, como ficaram entre si discordes, despediram-se, dizendo Paulo esta palavra: Bem falou o Espírito Santo a nossos pais pelo profeta Isaías, 26 Dizendo: Vai a este povo, e dize: De ouvido ouvireis, e de maneira nenhuma entendereis; E, vendo vereis, e de maneira nenhuma percebereis. 27 Porquanto o coração deste povo está endurecido, E com os ouvidos ouviram pesadamente, E fecharam os olhos, Para que nunca com os olhos vejam, Nem com os ouvidos ouçam, Nem do coração entendam, E se convertam, E eu os cure. A Trindade na Bíblia das TJ
  • 81. IIICongresso de Teologia Igreja Católica Romana e a Igreja Ortodoxa Pr. Ricardo Gondim • A igreja Ortodoxa nasce do cisma que começa com a transferência da capital do império para Constantinopla. • O cisma completo termina no ano de 1054. • A igreja não aceita a autoridade de Roma sobre o Oriente e decide romper. • Além da crise de autoridade a Igreja Ortodoxa acusa os Romanos de abandonar a tradição e se curvar ao paganismo de Constantino. • Em suma, sua doutrina não difere muito da Católica Romana, mas a tradição fala muito, principalmente nas liturgias e culto.
  • 82. IIICongresso de Teologia Introdução - Fim Pr. Ricardo Gondim
  • 83. IIICongresso de Teologia Órbita do Satélite Pr. Ricardo Gondim • Quando um satélite atinge exatamente 42 164 quilômetros em relação ao centro da Terra (cerca de 36 mil quilômetros de altitude em relação à superfície), o seu período orbital é o mesmo período de rotação da Terra e por isso essa órbita é chamada de geossíncrona. • Essa órbita geralmente tem inclinação e excentricidade diferentes de zero. Mas quando essa órbita está diretamente sobre o Equador terrestre, com inclinação e excentricidade igual a zero, é chamada de órbita geoestacionária, porque um satélite colocado nessa posição parece pairar, não tendo um movimento aparente quando visto da Terra.
  • 84. IIICongresso de Teologia Cálculo para orientação de antena Pr. Ricardo Gondim Orientação de antena para satélite geoestacionário. Variáveis de entrada : • Ls = longitude do satélite ( Leste + , Oeste - ) ( a latitude do satélite é sempre 0 ) • Lo = longitude da antena ( Leste + , Oeste - ) • La = latitude da antena ( Norte + , Sul - ) Resultados : • Az = azimute da antena ( 0º = Norte, 90º = Leste, 180º = Sul, 270º ou –90º = Oeste) • El = elevação da antena ( 0º = horizontal, 90º = vertical ) • D = distancia da antena ao satélite FÓRMULA Ld = Lo – Ls cos C = cos Ld . cos La Obs : cos C deve ser maior que 0,15127 para que o satélite esteja acima do horizonte ! Az = arctg ( tg Ld / sen La ) ( antena no hemisfério Sul. No hem. Norte somar 180º ) El = arctg ( ( cos C – 0,15127 ) / ( 1 – cos² C ) ½ ) D = ( R² + a² – 2Ra cos C )½
  • 85. IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim Cálculo para orientação de antena
  • 86. IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim Cálculo para orientação de antena
  • 87. IIICongresso de Teologia Conclusão Pr. Ricardo Gondim • Um pequeno erro de cálculo pode me levar à quilômetros da Salvação. 13 E o SENHOR te porá por cabeça, e não por cauda; e só estarás em cima, e não debaixo, se obedeceres aos mandamentos do SENHOR teu Deus, que hoje te ordeno, para os guardar e cumprir. 14 E não te desviarás de todas as palavras que hoje te ordeno, nem para a direita nem para a esquerda, andando após outros deuses, para os servires. Deuteronômio 28 25 Os teus olhos olhem para a frente, e as tuas pálpebras olhem direto diante de ti. 26 Pondera a vereda de teus pés, e todos os teus caminhos sejam bem ordenados! 27 Não declines nem para a direita nem para a esquerda; retira o teu pé do mal. Provérbios 4 7 Tão-somente esforça-te e tem mui bom ânimo, para teres o cuidado de fazer conforme a toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que prudentemente te conduzas por onde quer que andares. Josué 1
  • 88. IIICongresso de Teologia Pr. Ricardo Gondim