SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 56
Outras economias existem!
Facilitador: Wladimir Farias
Agenda
• Apresentação
• Convite à crítica
• Contexto
• Só existe uma economia?
• Aprofundando o assunto
• E agora? O que vamos fazer?
Apresentação
• Formação Acadêmica
Bacharel em Administração de Empresas (UPE);
Especialista em Gestão de Projetos Sociais (FAFIRE)
• Experiência
7 anos de experiência em Finanças, OS&M e Gestão
de Processos e Gestão de em Projetos de Inovação,
Projetos Sociais; Projetos de desenvolvimento;
• Acadêmico
 3 artigos em eventos nacionais e 1 em evento
internacional;
• https://br.linkedin.com/in/wladimirfarias
CONVITE À CRÍTICA
Do grego kritike, significando "a arte de
discernir", ou seja, o fato de discernir o valor
das pessoas ou das coisas.
Quem gosta de chocolate?
Quem gosta de roupa de boa
qualidade?
E você concorda com trabalho análogo
ao escravo?
E você concorda com trabalho análogo
ao escravo?
ENTÃO PORQUE VOCÊ CONTINUA
COMPRANDO?
ENTÃO PORQUE VOCÊ CONTINUA COMPRANDO?
MOMENTO DE REFLEXÃO
ENTÃO PORQUE VOCÊ CONTINUA
COMPRANDO?
ENTÃO PORQUE VOCÊ CONTINUA
COMPRANDO?
EM QUE CONTEXTO ISSO OCORRE?
Circunstâncias, conjuntura, situação, quadro,
enquadramento,âmbito, ambiente, cenário.
Três ondas de Alvin Toffler
Agrícola
• Arado animal
• Organização
Familiar
• Força fisica
Industrial
• Máquinas
• Departamentos
• Dinheiro
Informação
• Computador
• Equipes
• Conhecimento
De 1900 até 1965Até 1900 Após 1965
Três ondas de Alvin Toffler
“Quando ocorre a transição
entre ondas na história, essa
transição sempre é violenta
e muito combatida, tanto a
onda anterior tenta sufocar
a nova onda como a nova
onda tenta destruir todos os
valores e crenças da onda
anterior para prevalecer.”
Modernidade líquida de Bauman
• Desapego;
• Tudo é provisório;
• Individualização;
• Sensação de impotência;
• Perda da sensibilidade moral;
• Desunião do entre o ser e
O estar;
Modernidade líquida de Bauman
Sociedade civil, Cidadania e Pobreza
• O Conhecimento esta distribuído;
• Sociedade civil organizada (ONGs);
• É a nova cidadania é feita por pessoas e não
por instituições
...E POBREZA
Sociedade civil, Cidadania e pobreza
Sociedade civil, Cidadania e pobreza
Carnaval de Salvador-BA 2012
E a pobreza
Os 10 % mais ricos ficam com 75 % da renda (IPEA)
No Brasil os pobres chegam a pagar 44,5% a mais
de impostos do que os ricos (IPEA)
Em relação a concentração de renda, o Brasil ganha
apenas da Guatemala, Suazilândia, República
Centro-Africana, Serra Leoa, Botsuana, Lesoto e
Namíbia
E o Desemprego também?
VARIAÇÃO ABSOLUTA DO EMPREGO EM PERNAMBUCO
Período
Indústria Serviços Agropecuária
Admitidos Desligados Saldo Admitidos Desligados Saldo Admitidos Desligados Saldo
Ano de 2015
Dez/15 4.836 14.379 -9.543 17.946 22.370 -4.424 1.264 3.328 -2.064
Nov/15 7.404 9.962 -2.558 22.630 21.752 878 2.044 5.124 -3.080
Out/15 10.767 12.529 -1.762 20.704 25.641 -4.937 3.822 2.944 878
Set/15 24.197 10.079 14.118 20.327 25.015 -4.688 8.059 2.241 5.818
Ago/15 12.494 14.044 -1.550 23.249 25.122 -1.873 3.256 1.753 1.503
Jul/15 9.883 14.471 -4.588 22.401 28.579 -6.178 2.985 1.702 1.283
Jun/15 10.471 12.702 -2.231 22.316 27.744 -5.428 2.827 1.507 1.320
Mai/15 11.395 14.844 -3.449 23.293 28.494 -5.201 2.809 1.462 1.347
Abr/15 10.775 25.032 -14.257 26.668 29.845 -3.177 1.755 4.475 -2.720
Mar/15 11.763 21.140 -9.377 27.655 28.160 -505 1.488 3.468 -1.980
Fev/15 10.796 19.636 -8.840 25.206 26.437 -1.231 1.380 1.969 -589
Jan/15 12.338 17.448 -5.110 25.248 32.582 -7.334 1.491 2.062 -571
Total 137.119 186.266 -49.147 277.643 321.741 -44.098 33.180 32.035 1.145
VARIAÇÃO ABSOLUTA DO EMPREGO EM PERNAMBUCO
Período
Indústria Serviços Agropecuária
Admitidos Desligados Saldo Admitidos Desligados Saldo Admitidos Desligados Saldo
Ano de 2016
Abr/16 8.188 -12.085 -3.897 21.691 -23.282 -1.591 1.896 -1.663 233
Mar/16 8.864 -13.693 -4.829 20.011 -23.975 -3.964 1.486 -4.076 -2.590
Fev/16 7.397 -15.879 -8.482 18.156 -22.243 -4.087 1.031 -4.336 -3.305
Jan/16 8.309 -14.182 -5.873 18.365 -24.847 -6.482 1.974 -3.029 -1.055
Total 32.758 -55.839 -23.081 78.223 -94.347 -16.124 6.387 -13.104 -6.717
QUAL O CONCEITO
MESMO?
Ciência econômica
Qual o conceito mesmo?
Economia é a ciência social que estuda a
produção, distribuição, e consumo de bens e
serviços. O termo economia vem do grego
para oikos (casa) + nomos (costume ou lei),
daí “regras da casa” (lar) “administração da
casa” tem o sentido de providenciar tudo que
é necessário à sobrevivência.
Qual o conceito mesmo?
Economia
• oikos (casa) + nomos
(costume ou lei)
• regras da casa” (lar)
“administração da
casa”
• Sobrevivência
Crematística
• Aristóteles (Livro
Ética)
• Do Grego khrema, a
riqueza, a posessão
• busca incessante da
produção e do
açambarcamento
das riquezas por
prazer
SÓ EXISTE ESSE CONTEXTO?
SÓ EXISTE ESSA ECONOMIA?
Outras Economias Existem
Economia da Dádiva
• “Pois o que se dá a alguém
não é apenas a coisa em si,
mas, também, a intenção da
doação.” (MARTINS, 2008, p.20)
• os membros fazem doações de
bens e serviços valiosos, uns
aos outros, sem que haja,
formal ou explicitamente,
expectativa de reciprocidade
imediata ou futura, como
no escambo ou num mercado.
Exemplos:
Outras Economias Existem
• Economia da Comunhão
– Chiara Lubich
– Cultura do dar
– Partilha dos Lucros
– Geração de empregos
– Redução da Exclusão
EdC em Pernambuco? Em Igarassu?
http://pologinetta.com.br/
http://pologinetta.com.br/
Outras Economias Existem
• Economia Solidária
• Economia Popular Solidária
• Economia Social
• Economia de Comunhão
• Economia Civil
• Economia Criativa
• Economias Verdes
• Economia da Cultura
• Economia do Amor
• Econologia
• Economia Indígena
• Economias Tradicionais
• Economia
APROFUNDANDO A MATÉRIA
Diferenças das economias
Lucro
Capital
Consumo
descartável
Não
Solidária
Pessoas
Necessidades
humanas
Cuidado com
o meio
Ambiente
Solidária
MOMENTO DE REFLEXÃO
Economia solidária é:
“Compreendida como o conjunto de
atividades econômicas – de produção,
distribuição, consumo, poupança e
crédito – organizadas e realizadas
solidariamente por trabalhadores e
trabalhadoras sob a forma coletiva,
suprafamiliar e autogestionária.” (Peter
Singer)
Como funciona a economia solidária
• Diversidade de práticas econômicas e sociais
organizadas sob a forma de:
– Cooperativas,
– Associações,
– Empresas autogestoras,
– Clubes de trocas,
– Redes de cooperação,
– Complexos cooperativos, entre outros.
Como Acontece?
• São práticas de: produção, comercialização, finanças,
serviços e consumo que privilegiam:
– a autogestão,
– a cooperação,
– o desenvolvimento comunitário,
– a satisfação das necessidades humanas,
– a justiça social,
– a igualdade de gênero,
– a segurança alimentar,
– o cuidado com o meio ambiente,
– a responsabilidade com as gerações, presente e futuras.
RESUMINDO:
Atividades econômicas:
• Produção de bens
• Prestação de serviços
• Finanças solidárias
• Comércio justo
• Trocas Solidárias
• Consumo solidário
Organizações solidárias:
• Associações
• Cooperativas
• Empresas autogestoras
• Grupos solidários
• Redes solidárias
• Clubes de troca etc.
Características da Economia Solidária:
•Lucro
•Resultado financeiro
ATIVIDADE
ECONÔMICA
•Interesses comuns
•Partilha dos bens
TRABALHO
COLETIVO
Características da Economia Solidária:
• Estratégia
• Coordenação das açõesAUTO GESTÃO
• Justa distribuição
• Comprometimento com a
comunidade e membros
SOLIDARIEDADE
Outros conceitos envolvidos
• Cooperativas
– 1843, em Rochdale, nos
arredores de
Manchester – Inglaterra
– 28 tecelões
– 1 pessoa = 1 voto
– A Assembléia Geral
decide sobre o rateio das
sobras ou das perdas.
• Comércio Justo
– Pagamento Justo pelo
Produto
– Relação de Longo Prazo
– Meio Ambiente
respeitado
– Legislação respeitada
– Transparência e
corresponsabilidade na
gestão da cadeia
produtiva e comercial;“Cooperativa é uma associação autônoma de
pessoas que se unem, voluntariamente, para
satisfazer aspirações e necessidades
econômicas, sociais e culturais comuns, por
meio de um empreendimento de propriedade
coletiva e democraticamente gerido.
DIFERENÇAS ENTRE COOPERATIVA E EMPRESA
COOPERATIVA EMPRESA
Sociedade de pessoas Sociedade de capital
Não objetiva lucro Lucro para sócios ou acionistas
É democrática, cada sócio um voto Quanto mais ações, maior poder de voto
Cooperados Empregados
As quotas-partes são intransferíveis a
terceiros
As quotas-partes são transferíveis a
terceiros
Afasta os intermediários Muitas vezes são os próprios
intermediários
Aberta à participação de novos sócios Limita por vezes a quantidade de
acionistas
Promove a integração Promove a competição
Os resultados retornam aos sócios de
forma proporcional às operações
Os resultados retornam aos sócios de
forma proporcional ao número de
E ISSO FUNCIONA MESMO?
Exemplos
• Comércio Justo:
E onde fica? Rua Quarenta e Oito , Espinheiro, Recife - PE
Exemplos • Cooperativa produtiva
• Cooperativa de
artesanato
• Cursos
profissionalizantes
E onde fica? R. São Paulo, 379 - Santo Afonso, Betim - MG
Exemplos
• Micro Crédito para pessoas de baixa renda:
Onde Fica? Índia
Quem Fez?
Muhammad
Yunus, Nobel da
Paz
Onde Fica? Paraisópolis,
São Paulo - SP,
E AGORA? O QUE FAREMOS?
MOMENTO DE REFLEXÃO
Já sei, vamos PARAR de consumir?
Certo?
Não, Vamos consumir
corretamente
Bem viver
Alienante
Solidário
Compulsório
Tipos de consumo
• Consumo alienante é o consumo provocado por campanhas
de marketing que provocam compras de impulso, elas são
vinculadas a desejos agenciados pela semiótica do capital .
• Consumo compulsório é o consumo para as pessoas que não
tem escolha de consumir o que desejariam, sendo alienantes
ou solidárias, é o consumo que o poder da compra da pessoa
permite.
• Consumo para o bem viver é um consumo feito para
satisfazer as necessidades especificas de uma determinada
pessoa, este tipo de consumo não é feito pelo por influencia
das propagandas
• Consumo solidário é um consumo praticado com o objetivo
de contribuir para o bem estar da sociedade de uma forma
geral, não contribuindo para o agenciamento do capital.
Vamos pesquisar!?!?!?
http://mtps.gov.br/trabalhoescravonao/
http://www.cleanclothes.org/
http://fashionrevolution.org/
http://www.akatu.org.br/Publicacoes
“Lista de Transparência sobre Trabalho Escravo”
http://www.observatoriosocial.org.br/
http://www.worldwatch.org/
Seja um Consumerista!
“Atitude de cidadania que se caracteriza por um
consumo racional, responsável, que tem em
conta as consequências economicas, sociais,
culturais e ambientais do ato de consumir”
Seja um Consumidor consciente
“O consumidor consciente é aquele que leva
em conta, ao escolher os produtos que
compra, o meio ambiente, a saúde humana e
animal, as relações justas de trabalho, além
de questões como preço e marca.”
Obrigado!
“Todas as teorias são legítimas e
nenhuma tem importância: o que
importa é o que com elas se faz.”
- Jorge Luis Borges (poeta)

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Gerenciamento da rotina manual de implementação
Gerenciamento da rotina   manual de implementaçãoGerenciamento da rotina   manual de implementação
Gerenciamento da rotina manual de implementaçãoSidney Santana
 
Porque os padres não casam?
Porque os padres não casam?Porque os padres não casam?
Porque os padres não casam?Telmo Ferreira
 
Site ponta de estoque venderá imóveis
Site ponta de estoque venderá imóveisSite ponta de estoque venderá imóveis
Site ponta de estoque venderá imóveisBelmmen
 
Economia colaborativa e sustentável
Economia colaborativa e sustentávelEconomia colaborativa e sustentável
Economia colaborativa e sustentávelTomás de Lara
 
Cap 4 como padronizar sua área de trabalho wladimirfarias
Cap 4 como padronizar sua área de trabalho wladimirfariasCap 4 como padronizar sua área de trabalho wladimirfarias
Cap 4 como padronizar sua área de trabalho wladimirfariasWladimir Farias Tenorio Filho
 
Capitulo 1: Entenda seu trabalho. livro Gerenciamento da rotina do trabalho d...
Capitulo 1: Entenda seu trabalho. livro Gerenciamento da rotina do trabalho d...Capitulo 1: Entenda seu trabalho. livro Gerenciamento da rotina do trabalho d...
Capitulo 1: Entenda seu trabalho. livro Gerenciamento da rotina do trabalho d...Wladimir Farias Tenorio Filho
 
Capítulo 3: Como gerenciar para melhorar os resultados
Capítulo 3: Como gerenciar para melhorar os resultadosCapítulo 3: Como gerenciar para melhorar os resultados
Capítulo 3: Como gerenciar para melhorar os resultadosWladimir Farias Tenorio Filho
 
Verdadeiro poder-falconi
Verdadeiro poder-falconiVerdadeiro poder-falconi
Verdadeiro poder-falconiAna
 
Curso auditor interno iso 9001
Curso auditor interno iso 9001Curso auditor interno iso 9001
Curso auditor interno iso 9001Sidney Santana
 
O VERDADEIRO PODER - VICENTE FALCONI
O VERDADEIRO PODER - VICENTE FALCONIO VERDADEIRO PODER - VICENTE FALCONI
O VERDADEIRO PODER - VICENTE FALCONITelmo Ferreira
 
Excel Para Gestores do Agronegócio
Excel Para Gestores do AgronegócioExcel Para Gestores do Agronegócio
Excel Para Gestores do AgronegócioLauro Jorge Prado
 
Resumo cap. 1, 2, 3, 4 e 5 - Cristiane
Resumo cap. 1, 2, 3, 4 e 5 - CristianeResumo cap. 1, 2, 3, 4 e 5 - Cristiane
Resumo cap. 1, 2, 3, 4 e 5 - CristianeBelmmen
 
4 Atitudes para ser bem sucedido
4 Atitudes para ser bem sucedido4 Atitudes para ser bem sucedido
4 Atitudes para ser bem sucedidoThiago Reis
 
Gerenciamento da rotina 1 modulo
Gerenciamento da rotina 1 moduloGerenciamento da rotina 1 modulo
Gerenciamento da rotina 1 moduloThiago Reis
 
Gerenciamento da Rotina_MODULO_4
Gerenciamento da Rotina_MODULO_4Gerenciamento da Rotina_MODULO_4
Gerenciamento da Rotina_MODULO_4Thiago Reis
 
Gerenciamento da rotina modulo 2
Gerenciamento da rotina modulo 2Gerenciamento da rotina modulo 2
Gerenciamento da rotina modulo 2Thiago Reis
 

Destaque (18)

Gerenciamento da rotina manual de implementação
Gerenciamento da rotina   manual de implementaçãoGerenciamento da rotina   manual de implementação
Gerenciamento da rotina manual de implementação
 
Porque os padres não casam?
Porque os padres não casam?Porque os padres não casam?
Porque os padres não casam?
 
Site ponta de estoque venderá imóveis
Site ponta de estoque venderá imóveisSite ponta de estoque venderá imóveis
Site ponta de estoque venderá imóveis
 
Economia colaborativa e sustentável
Economia colaborativa e sustentávelEconomia colaborativa e sustentável
Economia colaborativa e sustentável
 
Cap 4 como padronizar sua área de trabalho wladimirfarias
Cap 4 como padronizar sua área de trabalho wladimirfariasCap 4 como padronizar sua área de trabalho wladimirfarias
Cap 4 como padronizar sua área de trabalho wladimirfarias
 
Capitulo 1: Entenda seu trabalho. livro Gerenciamento da rotina do trabalho d...
Capitulo 1: Entenda seu trabalho. livro Gerenciamento da rotina do trabalho d...Capitulo 1: Entenda seu trabalho. livro Gerenciamento da rotina do trabalho d...
Capitulo 1: Entenda seu trabalho. livro Gerenciamento da rotina do trabalho d...
 
Capítulo 3: Como gerenciar para melhorar os resultados
Capítulo 3: Como gerenciar para melhorar os resultadosCapítulo 3: Como gerenciar para melhorar os resultados
Capítulo 3: Como gerenciar para melhorar os resultados
 
Capítulo 2 arrumando a casa
Capítulo 2 arrumando a casaCapítulo 2 arrumando a casa
Capítulo 2 arrumando a casa
 
Verdadeiro poder-falconi
Verdadeiro poder-falconiVerdadeiro poder-falconi
Verdadeiro poder-falconi
 
Curso auditor interno iso 9001
Curso auditor interno iso 9001Curso auditor interno iso 9001
Curso auditor interno iso 9001
 
O VERDADEIRO PODER - VICENTE FALCONI
O VERDADEIRO PODER - VICENTE FALCONIO VERDADEIRO PODER - VICENTE FALCONI
O VERDADEIRO PODER - VICENTE FALCONI
 
Excel Para Gestores do Agronegócio
Excel Para Gestores do AgronegócioExcel Para Gestores do Agronegócio
Excel Para Gestores do Agronegócio
 
Gerenciamento da Rotina
Gerenciamento da RotinaGerenciamento da Rotina
Gerenciamento da Rotina
 
Resumo cap. 1, 2, 3, 4 e 5 - Cristiane
Resumo cap. 1, 2, 3, 4 e 5 - CristianeResumo cap. 1, 2, 3, 4 e 5 - Cristiane
Resumo cap. 1, 2, 3, 4 e 5 - Cristiane
 
4 Atitudes para ser bem sucedido
4 Atitudes para ser bem sucedido4 Atitudes para ser bem sucedido
4 Atitudes para ser bem sucedido
 
Gerenciamento da rotina 1 modulo
Gerenciamento da rotina 1 moduloGerenciamento da rotina 1 modulo
Gerenciamento da rotina 1 modulo
 
Gerenciamento da Rotina_MODULO_4
Gerenciamento da Rotina_MODULO_4Gerenciamento da Rotina_MODULO_4
Gerenciamento da Rotina_MODULO_4
 
Gerenciamento da rotina modulo 2
Gerenciamento da rotina modulo 2Gerenciamento da rotina modulo 2
Gerenciamento da rotina modulo 2
 

Semelhante a Palestra: Outras economias

Apresentação hub escola_inovação no financiamento de causas
Apresentação hub escola_inovação no financiamento de causasApresentação hub escola_inovação no financiamento de causas
Apresentação hub escola_inovação no financiamento de causasRodrigo Alvarez
 
Startup Weekend Education - 2018
Startup Weekend Education - 2018Startup Weekend Education - 2018
Startup Weekend Education - 2018Marlos Carmo
 
Ppt semana empreendedorismo
Ppt semana empreendedorismo Ppt semana empreendedorismo
Ppt semana empreendedorismo Paulo Loiola
 
Aprendizagem em ead- em profissional
Aprendizagem em ead- em profissionalAprendizagem em ead- em profissional
Aprendizagem em ead- em profissionalProfessoraCarlaFerna
 
empreendedorismo social.pdf
empreendedorismo social.pdfempreendedorismo social.pdf
empreendedorismo social.pdfRicardo Pereira
 
Capitalismo Consciente - André Kaufmann
Capitalismo Consciente - André Kaufmann Capitalismo Consciente - André Kaufmann
Capitalismo Consciente - André Kaufmann ExpoGestão
 
Empresa dos Sonhos dos Executivos 2014
Empresa dos Sonhos dos Executivos 2014Empresa dos Sonhos dos Executivos 2014
Empresa dos Sonhos dos Executivos 2014dmrh
 
Investimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
Investimento Social Privado como Agente de DesenvolvimentoInvestimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
Investimento Social Privado como Agente de DesenvolvimentoBruno Rabelo
 
O Supermercado das Pessoas / The People’s Supermarket
O Supermercado das Pessoas / The People’s SupermarketO Supermercado das Pessoas / The People’s Supermarket
O Supermercado das Pessoas / The People’s SupermarketVictor Mendes
 
Diálogo natal curso planejamento e gestão de institutos e fundações mar-2014
Diálogo natal   curso planejamento e gestão de institutos e fundações mar-2014Diálogo natal   curso planejamento e gestão de institutos e fundações mar-2014
Diálogo natal curso planejamento e gestão de institutos e fundações mar-2014FIFE2014
 
Cultura Ágil: como gerar uma transformação (TOT - Meetup SP - Ago2017)
Cultura Ágil: como gerar uma transformação (TOT - Meetup SP - Ago2017)Cultura Ágil: como gerar uma transformação (TOT - Meetup SP - Ago2017)
Cultura Ágil: como gerar uma transformação (TOT - Meetup SP - Ago2017)TOT - Team of Thought
 
Inovação: por quê, para quê e como
Inovação: por quê, para quê e comoInovação: por quê, para quê e como
Inovação: por quê, para quê e comoInventta
 
Sustentabilidade e relacionamento com empresas - FIFE - NATAL/RN mar.2014
Sustentabilidade e relacionamento com empresas  -  FIFE - NATAL/RN mar.2014 Sustentabilidade e relacionamento com empresas  -  FIFE - NATAL/RN mar.2014
Sustentabilidade e relacionamento com empresas - FIFE - NATAL/RN mar.2014 Marcus Nakagawa
 
Sustentabilidadeerelacionamentocomempresas fifemar-140312121236-phpapp02
Sustentabilidadeerelacionamentocomempresas fifemar-140312121236-phpapp02Sustentabilidadeerelacionamentocomempresas fifemar-140312121236-phpapp02
Sustentabilidadeerelacionamentocomempresas fifemar-140312121236-phpapp02FIFE2014
 
Planejamento estrategico numa visão progressista
Planejamento estrategico numa visão progressistaPlanejamento estrategico numa visão progressista
Planejamento estrategico numa visão progressistaDaniel Antonucci
 
Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...
Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...
Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...IDIS
 
Refresh Rio 2016 Sessão com Lito
Refresh Rio 2016 Sessão com LitoRefresh Rio 2016 Sessão com Lito
Refresh Rio 2016 Sessão com LitoGuilherme Lito
 
Uma visão geral sobre captação de recursos
Uma visão geral sobre captação de recursosUma visão geral sobre captação de recursos
Uma visão geral sobre captação de recursosphelipesales2
 

Semelhante a Palestra: Outras economias (20)

Apresentação hub escola_inovação no financiamento de causas
Apresentação hub escola_inovação no financiamento de causasApresentação hub escola_inovação no financiamento de causas
Apresentação hub escola_inovação no financiamento de causas
 
Startup Weekend Education - 2018
Startup Weekend Education - 2018Startup Weekend Education - 2018
Startup Weekend Education - 2018
 
Ppt semana empreendedorismo
Ppt semana empreendedorismo Ppt semana empreendedorismo
Ppt semana empreendedorismo
 
Aprendizagem em ead- em profissional
Aprendizagem em ead- em profissionalAprendizagem em ead- em profissional
Aprendizagem em ead- em profissional
 
empreendedorismo social.pdf
empreendedorismo social.pdfempreendedorismo social.pdf
empreendedorismo social.pdf
 
Capitalismo Consciente - André Kaufmann
Capitalismo Consciente - André Kaufmann Capitalismo Consciente - André Kaufmann
Capitalismo Consciente - André Kaufmann
 
Empresa dos Sonhos dos Executivos 2014
Empresa dos Sonhos dos Executivos 2014Empresa dos Sonhos dos Executivos 2014
Empresa dos Sonhos dos Executivos 2014
 
Investimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
Investimento Social Privado como Agente de DesenvolvimentoInvestimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
Investimento Social Privado como Agente de Desenvolvimento
 
O Supermercado das Pessoas / The People’s Supermarket
O Supermercado das Pessoas / The People’s SupermarketO Supermercado das Pessoas / The People’s Supermarket
O Supermercado das Pessoas / The People’s Supermarket
 
Diálogo natal curso planejamento e gestão de institutos e fundações mar-2014
Diálogo natal   curso planejamento e gestão de institutos e fundações mar-2014Diálogo natal   curso planejamento e gestão de institutos e fundações mar-2014
Diálogo natal curso planejamento e gestão de institutos e fundações mar-2014
 
Cultura Ágil: como gerar uma transformação (TOT - Meetup SP - Ago2017)
Cultura Ágil: como gerar uma transformação (TOT - Meetup SP - Ago2017)Cultura Ágil: como gerar uma transformação (TOT - Meetup SP - Ago2017)
Cultura Ágil: como gerar uma transformação (TOT - Meetup SP - Ago2017)
 
Inovação: por quê, para quê e como
Inovação: por quê, para quê e comoInovação: por quê, para quê e como
Inovação: por quê, para quê e como
 
Sustentabilidade e relacionamento com empresas - FIFE - NATAL/RN mar.2014
Sustentabilidade e relacionamento com empresas  -  FIFE - NATAL/RN mar.2014 Sustentabilidade e relacionamento com empresas  -  FIFE - NATAL/RN mar.2014
Sustentabilidade e relacionamento com empresas - FIFE - NATAL/RN mar.2014
 
Sustentabilidadeerelacionamentocomempresas fifemar-140312121236-phpapp02
Sustentabilidadeerelacionamentocomempresas fifemar-140312121236-phpapp02Sustentabilidadeerelacionamentocomempresas fifemar-140312121236-phpapp02
Sustentabilidadeerelacionamentocomempresas fifemar-140312121236-phpapp02
 
Planejamento estrategico numa visão progressista
Planejamento estrategico numa visão progressistaPlanejamento estrategico numa visão progressista
Planejamento estrategico numa visão progressista
 
Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...
Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...
Investimento Social Privado - Apresentação Encontro de Investidores Sociais d...
 
Refresh Rio 2016 Sessão com Lito
Refresh Rio 2016 Sessão com LitoRefresh Rio 2016 Sessão com Lito
Refresh Rio 2016 Sessão com Lito
 
Seccional São José do Rio Preto: A ética e a responsabilidade nas organizações
Seccional São José do Rio Preto: A ética e a responsabilidade nas organizaçõesSeccional São José do Rio Preto: A ética e a responsabilidade nas organizações
Seccional São José do Rio Preto: A ética e a responsabilidade nas organizações
 
Uma visão geral sobre captação de recursos
Uma visão geral sobre captação de recursosUma visão geral sobre captação de recursos
Uma visão geral sobre captação de recursos
 
Presentation Fund IT3 Capital
Presentation Fund IT3 CapitalPresentation Fund IT3 Capital
Presentation Fund IT3 Capital
 

Mais de Wladimir Farias Tenorio Filho (13)

Entregacontinua.pdf
Entregacontinua.pdfEntregacontinua.pdf
Entregacontinua.pdf
 
Análise do Dataset Dry beans
Análise do Dataset Dry beansAnálise do Dataset Dry beans
Análise do Dataset Dry beans
 
Curso gestão de projetos _ Gerenciamento das comunicações e das partes intere...
Curso gestão de projetos _ Gerenciamento das comunicações e das partes intere...Curso gestão de projetos _ Gerenciamento das comunicações e das partes intere...
Curso gestão de projetos _ Gerenciamento das comunicações e das partes intere...
 
Grupo de Estudo PMI-PE - Gerenciamento do Escopo
Grupo de Estudo PMI-PE - Gerenciamento do EscopoGrupo de Estudo PMI-PE - Gerenciamento do Escopo
Grupo de Estudo PMI-PE - Gerenciamento do Escopo
 
Contabilidade básica - conceitos introdutórios
Contabilidade básica - conceitos introdutóriosContabilidade básica - conceitos introdutórios
Contabilidade básica - conceitos introdutórios
 
Assertividade
AssertividadeAssertividade
Assertividade
 
Apresentação para V SEMEAP
Apresentação para V SEMEAPApresentação para V SEMEAP
Apresentação para V SEMEAP
 
Anais V SEMEAP - O CINEMA COMO EXPERIÊNCIA DE ARTE EDUCAÇÃO NA PREVENÇÃO À D...
Anais V SEMEAP - O CINEMA COMO EXPERIÊNCIA DE ARTE  EDUCAÇÃO NA PREVENÇÃO À D...Anais V SEMEAP - O CINEMA COMO EXPERIÊNCIA DE ARTE  EDUCAÇÃO NA PREVENÇÃO À D...
Anais V SEMEAP - O CINEMA COMO EXPERIÊNCIA DE ARTE EDUCAÇÃO NA PREVENÇÃO À D...
 
Cine Prevenção
Cine PrevençãoCine Prevenção
Cine Prevenção
 
Plan. estr.grupo pé no chão
Plan. estr.grupo pé no chãoPlan. estr.grupo pé no chão
Plan. estr.grupo pé no chão
 
Mercado de trabalho v04
Mercado de trabalho v04Mercado de trabalho v04
Mercado de trabalho v04
 
Mst e o estado brasileiro vfinal
Mst e o estado brasileiro vfinalMst e o estado brasileiro vfinal
Mst e o estado brasileiro vfinal
 
Apresentação trapeiros
Apresentação trapeirosApresentação trapeiros
Apresentação trapeiros
 

Último

018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
018627000101011 (13).pdfddddddddddddddddddddddddddddddRenandantas16
 
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptxCavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptxEduardoRodriguesOliv2
 
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...E-Commerce Brasil
 
Opções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdfOpções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdfReinerModro
 
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...E-Commerce Brasil
 
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...E-Commerce Brasil
 
Digitalização de varejo | Importe ou morra.
Digitalização de varejo | Importe ou morra.Digitalização de varejo | Importe ou morra.
Digitalização de varejo | Importe ou morra.E-Commerce Brasil
 
sistema de transporte brasil - 7 ano.pptx
sistema de transporte brasil - 7 ano.pptxsistema de transporte brasil - 7 ano.pptx
sistema de transporte brasil - 7 ano.pptxCarladeOliveira25
 
Aula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdf
Aula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdfAula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdf
Aula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdflucianatorresdemelo
 
MERCADO LIVRE DE ENERGIA - QUALIDADE NO USO DA ENERGIA
MERCADO LIVRE DE ENERGIA - QUALIDADE NO USO DA ENERGIAMERCADO LIVRE DE ENERGIA - QUALIDADE NO USO DA ENERGIA
MERCADO LIVRE DE ENERGIA - QUALIDADE NO USO DA ENERGIARAFAELREBELO13
 
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...E-Commerce Brasil
 
Profissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptx
Profissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptxProfissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptx
Profissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptxvaniapatriciapimente
 

Último (12)

018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
018627000101011 (13).pdfdddddddddddddddddddddddddddddd
 
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptxCavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
 
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
 
Opções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdfOpções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdf
 
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
 
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
 
Digitalização de varejo | Importe ou morra.
Digitalização de varejo | Importe ou morra.Digitalização de varejo | Importe ou morra.
Digitalização de varejo | Importe ou morra.
 
sistema de transporte brasil - 7 ano.pptx
sistema de transporte brasil - 7 ano.pptxsistema de transporte brasil - 7 ano.pptx
sistema de transporte brasil - 7 ano.pptx
 
Aula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdf
Aula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdfAula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdf
Aula teórica 2 - Gametogênese feminina.pdf
 
MERCADO LIVRE DE ENERGIA - QUALIDADE NO USO DA ENERGIA
MERCADO LIVRE DE ENERGIA - QUALIDADE NO USO DA ENERGIAMERCADO LIVRE DE ENERGIA - QUALIDADE NO USO DA ENERGIA
MERCADO LIVRE DE ENERGIA - QUALIDADE NO USO DA ENERGIA
 
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
 
Profissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptx
Profissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptxProfissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptx
Profissional de Vendas - Funcao e Competencias.pptx
 

Palestra: Outras economias

  • 2. Agenda • Apresentação • Convite à crítica • Contexto • Só existe uma economia? • Aprofundando o assunto • E agora? O que vamos fazer?
  • 3. Apresentação • Formação Acadêmica Bacharel em Administração de Empresas (UPE); Especialista em Gestão de Projetos Sociais (FAFIRE) • Experiência 7 anos de experiência em Finanças, OS&M e Gestão de Processos e Gestão de em Projetos de Inovação, Projetos Sociais; Projetos de desenvolvimento; • Acadêmico  3 artigos em eventos nacionais e 1 em evento internacional; • https://br.linkedin.com/in/wladimirfarias
  • 4. CONVITE À CRÍTICA Do grego kritike, significando "a arte de discernir", ou seja, o fato de discernir o valor das pessoas ou das coisas.
  • 5. Quem gosta de chocolate?
  • 6. Quem gosta de roupa de boa qualidade?
  • 7. E você concorda com trabalho análogo ao escravo?
  • 8. E você concorda com trabalho análogo ao escravo?
  • 9. ENTÃO PORQUE VOCÊ CONTINUA COMPRANDO? ENTÃO PORQUE VOCÊ CONTINUA COMPRANDO?
  • 11. ENTÃO PORQUE VOCÊ CONTINUA COMPRANDO?
  • 12. ENTÃO PORQUE VOCÊ CONTINUA COMPRANDO?
  • 13. EM QUE CONTEXTO ISSO OCORRE? Circunstâncias, conjuntura, situação, quadro, enquadramento,âmbito, ambiente, cenário.
  • 14. Três ondas de Alvin Toffler Agrícola • Arado animal • Organização Familiar • Força fisica Industrial • Máquinas • Departamentos • Dinheiro Informação • Computador • Equipes • Conhecimento De 1900 até 1965Até 1900 Após 1965
  • 15. Três ondas de Alvin Toffler “Quando ocorre a transição entre ondas na história, essa transição sempre é violenta e muito combatida, tanto a onda anterior tenta sufocar a nova onda como a nova onda tenta destruir todos os valores e crenças da onda anterior para prevalecer.”
  • 16. Modernidade líquida de Bauman • Desapego; • Tudo é provisório; • Individualização; • Sensação de impotência; • Perda da sensibilidade moral; • Desunião do entre o ser e O estar;
  • 18. Sociedade civil, Cidadania e Pobreza • O Conhecimento esta distribuído; • Sociedade civil organizada (ONGs); • É a nova cidadania é feita por pessoas e não por instituições
  • 23. E a pobreza Os 10 % mais ricos ficam com 75 % da renda (IPEA) No Brasil os pobres chegam a pagar 44,5% a mais de impostos do que os ricos (IPEA) Em relação a concentração de renda, o Brasil ganha apenas da Guatemala, Suazilândia, República Centro-Africana, Serra Leoa, Botsuana, Lesoto e Namíbia
  • 24. E o Desemprego também? VARIAÇÃO ABSOLUTA DO EMPREGO EM PERNAMBUCO Período Indústria Serviços Agropecuária Admitidos Desligados Saldo Admitidos Desligados Saldo Admitidos Desligados Saldo Ano de 2015 Dez/15 4.836 14.379 -9.543 17.946 22.370 -4.424 1.264 3.328 -2.064 Nov/15 7.404 9.962 -2.558 22.630 21.752 878 2.044 5.124 -3.080 Out/15 10.767 12.529 -1.762 20.704 25.641 -4.937 3.822 2.944 878 Set/15 24.197 10.079 14.118 20.327 25.015 -4.688 8.059 2.241 5.818 Ago/15 12.494 14.044 -1.550 23.249 25.122 -1.873 3.256 1.753 1.503 Jul/15 9.883 14.471 -4.588 22.401 28.579 -6.178 2.985 1.702 1.283 Jun/15 10.471 12.702 -2.231 22.316 27.744 -5.428 2.827 1.507 1.320 Mai/15 11.395 14.844 -3.449 23.293 28.494 -5.201 2.809 1.462 1.347 Abr/15 10.775 25.032 -14.257 26.668 29.845 -3.177 1.755 4.475 -2.720 Mar/15 11.763 21.140 -9.377 27.655 28.160 -505 1.488 3.468 -1.980 Fev/15 10.796 19.636 -8.840 25.206 26.437 -1.231 1.380 1.969 -589 Jan/15 12.338 17.448 -5.110 25.248 32.582 -7.334 1.491 2.062 -571 Total 137.119 186.266 -49.147 277.643 321.741 -44.098 33.180 32.035 1.145 VARIAÇÃO ABSOLUTA DO EMPREGO EM PERNAMBUCO Período Indústria Serviços Agropecuária Admitidos Desligados Saldo Admitidos Desligados Saldo Admitidos Desligados Saldo Ano de 2016 Abr/16 8.188 -12.085 -3.897 21.691 -23.282 -1.591 1.896 -1.663 233 Mar/16 8.864 -13.693 -4.829 20.011 -23.975 -3.964 1.486 -4.076 -2.590 Fev/16 7.397 -15.879 -8.482 18.156 -22.243 -4.087 1.031 -4.336 -3.305 Jan/16 8.309 -14.182 -5.873 18.365 -24.847 -6.482 1.974 -3.029 -1.055 Total 32.758 -55.839 -23.081 78.223 -94.347 -16.124 6.387 -13.104 -6.717
  • 26. Qual o conceito mesmo? Economia é a ciência social que estuda a produção, distribuição, e consumo de bens e serviços. O termo economia vem do grego para oikos (casa) + nomos (costume ou lei), daí “regras da casa” (lar) “administração da casa” tem o sentido de providenciar tudo que é necessário à sobrevivência.
  • 27. Qual o conceito mesmo? Economia • oikos (casa) + nomos (costume ou lei) • regras da casa” (lar) “administração da casa” • Sobrevivência Crematística • Aristóteles (Livro Ética) • Do Grego khrema, a riqueza, a posessão • busca incessante da produção e do açambarcamento das riquezas por prazer
  • 28. SÓ EXISTE ESSE CONTEXTO? SÓ EXISTE ESSA ECONOMIA?
  • 29. Outras Economias Existem Economia da Dádiva • “Pois o que se dá a alguém não é apenas a coisa em si, mas, também, a intenção da doação.” (MARTINS, 2008, p.20) • os membros fazem doações de bens e serviços valiosos, uns aos outros, sem que haja, formal ou explicitamente, expectativa de reciprocidade imediata ou futura, como no escambo ou num mercado. Exemplos:
  • 30. Outras Economias Existem • Economia da Comunhão – Chiara Lubich – Cultura do dar – Partilha dos Lucros – Geração de empregos – Redução da Exclusão
  • 31. EdC em Pernambuco? Em Igarassu? http://pologinetta.com.br/ http://pologinetta.com.br/
  • 32. Outras Economias Existem • Economia Solidária • Economia Popular Solidária • Economia Social • Economia de Comunhão • Economia Civil • Economia Criativa • Economias Verdes • Economia da Cultura • Economia do Amor • Econologia • Economia Indígena • Economias Tradicionais • Economia
  • 36. Economia solidária é: “Compreendida como o conjunto de atividades econômicas – de produção, distribuição, consumo, poupança e crédito – organizadas e realizadas solidariamente por trabalhadores e trabalhadoras sob a forma coletiva, suprafamiliar e autogestionária.” (Peter Singer)
  • 37. Como funciona a economia solidária • Diversidade de práticas econômicas e sociais organizadas sob a forma de: – Cooperativas, – Associações, – Empresas autogestoras, – Clubes de trocas, – Redes de cooperação, – Complexos cooperativos, entre outros.
  • 38. Como Acontece? • São práticas de: produção, comercialização, finanças, serviços e consumo que privilegiam: – a autogestão, – a cooperação, – o desenvolvimento comunitário, – a satisfação das necessidades humanas, – a justiça social, – a igualdade de gênero, – a segurança alimentar, – o cuidado com o meio ambiente, – a responsabilidade com as gerações, presente e futuras.
  • 39. RESUMINDO: Atividades econômicas: • Produção de bens • Prestação de serviços • Finanças solidárias • Comércio justo • Trocas Solidárias • Consumo solidário Organizações solidárias: • Associações • Cooperativas • Empresas autogestoras • Grupos solidários • Redes solidárias • Clubes de troca etc.
  • 40. Características da Economia Solidária: •Lucro •Resultado financeiro ATIVIDADE ECONÔMICA •Interesses comuns •Partilha dos bens TRABALHO COLETIVO
  • 41. Características da Economia Solidária: • Estratégia • Coordenação das açõesAUTO GESTÃO • Justa distribuição • Comprometimento com a comunidade e membros SOLIDARIEDADE
  • 42. Outros conceitos envolvidos • Cooperativas – 1843, em Rochdale, nos arredores de Manchester – Inglaterra – 28 tecelões – 1 pessoa = 1 voto – A Assembléia Geral decide sobre o rateio das sobras ou das perdas. • Comércio Justo – Pagamento Justo pelo Produto – Relação de Longo Prazo – Meio Ambiente respeitado – Legislação respeitada – Transparência e corresponsabilidade na gestão da cadeia produtiva e comercial;“Cooperativa é uma associação autônoma de pessoas que se unem, voluntariamente, para satisfazer aspirações e necessidades econômicas, sociais e culturais comuns, por meio de um empreendimento de propriedade coletiva e democraticamente gerido.
  • 43. DIFERENÇAS ENTRE COOPERATIVA E EMPRESA COOPERATIVA EMPRESA Sociedade de pessoas Sociedade de capital Não objetiva lucro Lucro para sócios ou acionistas É democrática, cada sócio um voto Quanto mais ações, maior poder de voto Cooperados Empregados As quotas-partes são intransferíveis a terceiros As quotas-partes são transferíveis a terceiros Afasta os intermediários Muitas vezes são os próprios intermediários Aberta à participação de novos sócios Limita por vezes a quantidade de acionistas Promove a integração Promove a competição Os resultados retornam aos sócios de forma proporcional às operações Os resultados retornam aos sócios de forma proporcional ao número de
  • 44. E ISSO FUNCIONA MESMO?
  • 45. Exemplos • Comércio Justo: E onde fica? Rua Quarenta e Oito , Espinheiro, Recife - PE
  • 46. Exemplos • Cooperativa produtiva • Cooperativa de artesanato • Cursos profissionalizantes E onde fica? R. São Paulo, 379 - Santo Afonso, Betim - MG
  • 47. Exemplos • Micro Crédito para pessoas de baixa renda: Onde Fica? Índia Quem Fez? Muhammad Yunus, Nobel da Paz Onde Fica? Paraisópolis, São Paulo - SP,
  • 48. E AGORA? O QUE FAREMOS?
  • 50. Já sei, vamos PARAR de consumir? Certo?
  • 51. Não, Vamos consumir corretamente Bem viver Alienante Solidário Compulsório
  • 52. Tipos de consumo • Consumo alienante é o consumo provocado por campanhas de marketing que provocam compras de impulso, elas são vinculadas a desejos agenciados pela semiótica do capital . • Consumo compulsório é o consumo para as pessoas que não tem escolha de consumir o que desejariam, sendo alienantes ou solidárias, é o consumo que o poder da compra da pessoa permite. • Consumo para o bem viver é um consumo feito para satisfazer as necessidades especificas de uma determinada pessoa, este tipo de consumo não é feito pelo por influencia das propagandas • Consumo solidário é um consumo praticado com o objetivo de contribuir para o bem estar da sociedade de uma forma geral, não contribuindo para o agenciamento do capital.
  • 54. Seja um Consumerista! “Atitude de cidadania que se caracteriza por um consumo racional, responsável, que tem em conta as consequências economicas, sociais, culturais e ambientais do ato de consumir”
  • 55. Seja um Consumidor consciente “O consumidor consciente é aquele que leva em conta, ao escolher os produtos que compra, o meio ambiente, a saúde humana e animal, as relações justas de trabalho, além de questões como preço e marca.”
  • 56. Obrigado! “Todas as teorias são legítimas e nenhuma tem importância: o que importa é o que com elas se faz.” - Jorge Luis Borges (poeta)

Notas do Editor

  1. http://veja.abril.com.br/noticia/economia/zara-admite-que-havia-trabalho-escravo-em-sua-cadeia-produtiva http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/zara-brasil-e-responsabilizada-por-trabalho-escravo
  2. http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2015/11/25/nestle-admite-uso-de-trabalho-escravo-em-alimento-para-gatos-e-lanca-plano.htm
  3. http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2015/11/25/nestle-admite-uso-de-trabalho-escravo-em-alimento-para-gatos-e-lanca-plano.htm http://oglobo.globo.com/economia/negocios/nestle-reconhece-trabalho-escravo-em-cadeia-de-fornecedores-18130854