SlideShare uma empresa Scribd logo
EIXO 02: Experiências de Avaliação
CINE PREVENÇÃO:
O CINEMA COMO FERRAMENTA DE ARTE EDUCAÇÃO
NA PREVENÇÃO À DST/SIDA EM COMUNIDADES
DA ZONA NORTE DO RECIFE - PE
Wladimir Faria Tenório Filho e Felipe Moraes.
Apresentação
O objeto de estudo é compreender a utilização do cinema como
ferramenta para a prevenção de HIV em comunidades da Zona
Norte do Recife, por uma ONG, o Grupo de Apoio Mútuo Pé no
Chão.
Problema de pesquisa
Como o Cinema/audiovisual pode ser uma ferramenta no
combate ao preconceito e acesso a informação / prevenção
para portadores do HIV/AIDS?
Método
Estudo Qualitativo
elementos implícitos nas atividades
Estudo de Caso
objeto de estudo bem delimitado
Revisão de literatura, análise documental, Entrevistas semi
estruturadas in loco com educadores sociais.
O Grupo Pé no Chão
O “Pé no Chão”
Surgiu em 1994
Atuação
Pedagogia
Pedagogia Social de Rua e Crianças em situação de Rua
“A Pedagogia Popular como prática social, na medida em que se propõe
a transformar, produzir, criar e elaborar conhecimentos na sociedade,
dentro de relações sociais dadas” GRACIANI (1997, p.28)
Arte Educação
“Arte educação não significa o treino para alguém se tornar um artista, não
significa a aprendizagem de uma técnica, num dado ramo das artes. Antes
quer significar uma educação que tenha a arte como uma de suas principais
aliadas. Uma educação que permita uma maior sensibilidade para com o
mundo que cerca cada um de nós”
(DUARTE JR., 2002, p.12).
Fonte : UNAIDS, 2013
O HIV/ AIDS
O HIV/ AIDS
0
20
40
60
80
100
120
19831984198519861987198819891990199119921993199419951996199719981999200020012002200320042005200620072008200920102011
Incidência de HIV em Recife por faixa etária
< 5 anos
5 – 12
13-19
20-24
•Por que CINEMA?
•A questão do HIV/ AIDS nas comunidades
•Oficinas de audiovisual
•Aproximadamente 40 entrevistas
•Produção de vídeo
“Não existe entrevistado principal, todos que estão
no vídeo são principais.”
(Jocimar Borges)
O Cine Prevenção
O Cine Prevenção
Imagem captada
do vídeo
“Cine Prevenção”
O Cine Prevenção
Pontos a melhorar
Mais participantes
Mais divulgação e distribuição
Pontos positivos
“São pessoas comuns falando para pessoas comuns,
são pessoas comuns falando para a comunidade”
Crianças e Jovens agindo de forma positiva
Resultados
• Aproximadamente 760 crianças (6 – 11 anos)
assistiram os vídeos
• Aproximadamente 2600 adolescentes (12 – 18 anos)
• 06 escolas públicas visitadas
• Projeção em 4 Bairros (Santo Amaro, Arruda, Chão de
Estrelas e Água Fria)
Resultados
“- Há uma maior aceitação quando a própria
comunidade é a protagonista. pois no próprio
momento que eles assistem eles se vêem na tela.
- É ter a voz da comunidade falando sobre
prevenção.
- É a comunidade falando para ela mesma.”
(BORGES, 2013)
O Cine Prevenção
Em 2010 a experiência foi sistematizada pela UNICEF no livro “Tecendo Redes - Uma
experiência de prevenção de DST/AIDS entre crianças em situação de rua.
Resultados
Cine Prevenção no Arruda
Resultados
Apresentação dos vídeos do Cine Prevenção em escolas públicas
Considerações Finais
Sistematizou uma experiência bem sucedida
O Cinema tem grande potencial para educação
em comunidades principalmente se a
comunicação for realizada de semelhante para
semelhante.
Referências bibliográficas
BARBOSA, A. M. Arte-educação no Brasil. 5. ed. São Paulo: Perspectiva S.A,
2002.
GRACIANI, M. S. S. Pedagogia social de rua: Análise e sistematização de uma
experiência vivida. São Paulo : Cortez : Instituto Paulo Freire, 1997.
DUARTE JUNIOR, J. F. Porque arte educação? 13. ed.Campinas,SP: Papirus,
1988.
BRASIL. Ministério da Saúde.Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais:
Portal sobre aids, doenças sexualmente transmissíveis e hepatites
virais<<http://www.aids.gov.br>> acesso em 17/07/2013
BORGES, Jocimar Alves. CINE PREVENÇÃO. 2013. Entrevista concedida a
Wladimir Farias Tenório Filho, Recife, Pernambuco, 28 ago. 2013.
SILVA, Aldir Rodrigues da. CINE PREVENÇÃO. 2013. Entrevista concedida a
Wladimir Farias Tenório Filho, Recife, Pernambuco, 28 ago. 2013.
Obrigado
Wladimir Faria Tenório Filho - fariaswladimir@gmail.com
Felipe Moraes - fmoraes@ymail.com

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Apresentação para V SEMEAP

Projeto Escola que Protege
Projeto Escola que ProtegeProjeto Escola que Protege
Projeto Escola que Protege
Adson Nunes
 
Com vidas 2012
Com vidas 2012Com vidas 2012
Com vidas 2012
cejad
 
Crianças contra a dengue
Crianças contra a dengueCrianças contra a dengue
Crianças contra a dengue
Eni Bertolini
 
Apresentação para o blog
Apresentação para o blogApresentação para o blog
Apresentação para o blog
ap12e5
 
Metodologia de projeto para adaptacao inclusiva de conteudo literario para de...
Metodologia de projeto para adaptacao inclusiva de conteudo literario para de...Metodologia de projeto para adaptacao inclusiva de conteudo literario para de...
Metodologia de projeto para adaptacao inclusiva de conteudo literario para de...
Dominique Adam
 
Cartilha adolescentes e jovens para educação entre pares
Cartilha adolescentes e jovens para educação entre paresCartilha adolescentes e jovens para educação entre pares
Cartilha adolescentes e jovens para educação entre pares
Tainaracostasingh
 
Livro escola que protege
Livro escola que protegeLivro escola que protege
Livro escola que protege
Inez Kwiecinski
 

Semelhante a Apresentação para V SEMEAP (20)

Projeto escola que protege
Projeto escola que protegeProjeto escola que protege
Projeto escola que protege
 
Projeto Escola que Protege
Projeto Escola que ProtegeProjeto Escola que Protege
Projeto Escola que Protege
 
Br competencias para_a_vida
Br competencias para_a_vidaBr competencias para_a_vida
Br competencias para_a_vida
 
Com vidas 2012
Com vidas 2012Com vidas 2012
Com vidas 2012
 
Tekobé
TekobéTekobé
Tekobé
 
Esboco De Um Projeto Elaine Valdeni Eliane Adalcino
Esboco De Um Projeto Elaine Valdeni Eliane AdalcinoEsboco De Um Projeto Elaine Valdeni Eliane Adalcino
Esboco De Um Projeto Elaine Valdeni Eliane Adalcino
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Matildeslima ativ-5
Matildeslima ativ-5Matildeslima ativ-5
Matildeslima ativ-5
 
Matildeslima ativ-5
Matildeslima ativ-5Matildeslima ativ-5
Matildeslima ativ-5
 
Crianças contra a dengue
Crianças contra a dengueCrianças contra a dengue
Crianças contra a dengue
 
Apresentação para o blog
Apresentação para o blogApresentação para o blog
Apresentação para o blog
 
Metodologia de projeto para adaptacao inclusiva de conteudo literario para de...
Metodologia de projeto para adaptacao inclusiva de conteudo literario para de...Metodologia de projeto para adaptacao inclusiva de conteudo literario para de...
Metodologia de projeto para adaptacao inclusiva de conteudo literario para de...
 
Santana do cariri2009
Santana do cariri2009Santana do cariri2009
Santana do cariri2009
 
Plano de Ação - Diretoria de Políticas Públicas Para a Juventude 2014.
Plano de Ação - Diretoria de Políticas Públicas Para a Juventude 2014. Plano de Ação - Diretoria de Políticas Públicas Para a Juventude 2014.
Plano de Ação - Diretoria de Políticas Públicas Para a Juventude 2014.
 
L6.4 Famílias visitam a exposição “Água - Uma exposição sem filtro” do Pavilh...
L6.4 Famílias visitam a exposição “Água - Uma exposição sem filtro” do Pavilh...L6.4 Famílias visitam a exposição “Água - Uma exposição sem filtro” do Pavilh...
L6.4 Famílias visitam a exposição “Água - Uma exposição sem filtro” do Pavilh...
 
Cartilha adolescentes e jovens para educação entre pares
Cartilha adolescentes e jovens para educação entre paresCartilha adolescentes e jovens para educação entre pares
Cartilha adolescentes e jovens para educação entre pares
 
Livro escola que protege
Livro escola que protegeLivro escola que protege
Livro escola que protege
 
Diálogo Construção Coletiva e Ação para a adequação das políticas públicas de...
Diálogo Construção Coletiva e Ação para a adequação das políticas públicas de...Diálogo Construção Coletiva e Ação para a adequação das políticas públicas de...
Diálogo Construção Coletiva e Ação para a adequação das políticas públicas de...
 
Primeira Infância Melhor - FEE
Primeira Infância Melhor - FEEPrimeira Infância Melhor - FEE
Primeira Infância Melhor - FEE
 
Sobre métodos coercitivos de educar
Sobre métodos coercitivos de educarSobre métodos coercitivos de educar
Sobre métodos coercitivos de educar
 

Mais de Wladimir Farias Tenorio Filho

Mais de Wladimir Farias Tenorio Filho (15)

Entregacontinua.pdf
Entregacontinua.pdfEntregacontinua.pdf
Entregacontinua.pdf
 
Análise do Dataset Dry beans
Análise do Dataset Dry beansAnálise do Dataset Dry beans
Análise do Dataset Dry beans
 
Curso gestão de projetos _ Gerenciamento das comunicações e das partes intere...
Curso gestão de projetos _ Gerenciamento das comunicações e das partes intere...Curso gestão de projetos _ Gerenciamento das comunicações e das partes intere...
Curso gestão de projetos _ Gerenciamento das comunicações e das partes intere...
 
Grupo de Estudo PMI-PE - Gerenciamento do Escopo
Grupo de Estudo PMI-PE - Gerenciamento do EscopoGrupo de Estudo PMI-PE - Gerenciamento do Escopo
Grupo de Estudo PMI-PE - Gerenciamento do Escopo
 
Palestra: Outras economias
Palestra: Outras economiasPalestra: Outras economias
Palestra: Outras economias
 
Cap 4 como padronizar sua área de trabalho wladimirfarias
Cap 4 como padronizar sua área de trabalho wladimirfariasCap 4 como padronizar sua área de trabalho wladimirfarias
Cap 4 como padronizar sua área de trabalho wladimirfarias
 
Contabilidade básica - conceitos introdutórios
Contabilidade básica - conceitos introdutóriosContabilidade básica - conceitos introdutórios
Contabilidade básica - conceitos introdutórios
 
Capítulo 3: Como gerenciar para melhorar os resultados
Capítulo 3: Como gerenciar para melhorar os resultadosCapítulo 3: Como gerenciar para melhorar os resultados
Capítulo 3: Como gerenciar para melhorar os resultados
 
Capítulo 2 arrumando a casa
Capítulo 2 arrumando a casaCapítulo 2 arrumando a casa
Capítulo 2 arrumando a casa
 
Capitulo 1: Entenda seu trabalho. livro Gerenciamento da rotina do trabalho d...
Capitulo 1: Entenda seu trabalho. livro Gerenciamento da rotina do trabalho d...Capitulo 1: Entenda seu trabalho. livro Gerenciamento da rotina do trabalho d...
Capitulo 1: Entenda seu trabalho. livro Gerenciamento da rotina do trabalho d...
 
Anais V SEMEAP - O CINEMA COMO EXPERIÊNCIA DE ARTE EDUCAÇÃO NA PREVENÇÃO À D...
Anais V SEMEAP - O CINEMA COMO EXPERIÊNCIA DE ARTE  EDUCAÇÃO NA PREVENÇÃO À D...Anais V SEMEAP - O CINEMA COMO EXPERIÊNCIA DE ARTE  EDUCAÇÃO NA PREVENÇÃO À D...
Anais V SEMEAP - O CINEMA COMO EXPERIÊNCIA DE ARTE EDUCAÇÃO NA PREVENÇÃO À D...
 
Plan. estr.grupo pé no chão
Plan. estr.grupo pé no chãoPlan. estr.grupo pé no chão
Plan. estr.grupo pé no chão
 
Mercado de trabalho v04
Mercado de trabalho v04Mercado de trabalho v04
Mercado de trabalho v04
 
Mst e o estado brasileiro vfinal
Mst e o estado brasileiro vfinalMst e o estado brasileiro vfinal
Mst e o estado brasileiro vfinal
 
Apresentação trapeiros
Apresentação trapeirosApresentação trapeiros
Apresentação trapeiros
 

Apresentação para V SEMEAP

  • 1. EIXO 02: Experiências de Avaliação CINE PREVENÇÃO: O CINEMA COMO FERRAMENTA DE ARTE EDUCAÇÃO NA PREVENÇÃO À DST/SIDA EM COMUNIDADES DA ZONA NORTE DO RECIFE - PE Wladimir Faria Tenório Filho e Felipe Moraes.
  • 2. Apresentação O objeto de estudo é compreender a utilização do cinema como ferramenta para a prevenção de HIV em comunidades da Zona Norte do Recife, por uma ONG, o Grupo de Apoio Mútuo Pé no Chão. Problema de pesquisa Como o Cinema/audiovisual pode ser uma ferramenta no combate ao preconceito e acesso a informação / prevenção para portadores do HIV/AIDS?
  • 3. Método Estudo Qualitativo elementos implícitos nas atividades Estudo de Caso objeto de estudo bem delimitado Revisão de literatura, análise documental, Entrevistas semi estruturadas in loco com educadores sociais.
  • 4. O Grupo Pé no Chão O “Pé no Chão” Surgiu em 1994 Atuação Pedagogia
  • 5. Pedagogia Social de Rua e Crianças em situação de Rua “A Pedagogia Popular como prática social, na medida em que se propõe a transformar, produzir, criar e elaborar conhecimentos na sociedade, dentro de relações sociais dadas” GRACIANI (1997, p.28) Arte Educação “Arte educação não significa o treino para alguém se tornar um artista, não significa a aprendizagem de uma técnica, num dado ramo das artes. Antes quer significar uma educação que tenha a arte como uma de suas principais aliadas. Uma educação que permita uma maior sensibilidade para com o mundo que cerca cada um de nós” (DUARTE JR., 2002, p.12).
  • 6. Fonte : UNAIDS, 2013 O HIV/ AIDS
  • 8. •Por que CINEMA? •A questão do HIV/ AIDS nas comunidades •Oficinas de audiovisual •Aproximadamente 40 entrevistas •Produção de vídeo “Não existe entrevistado principal, todos que estão no vídeo são principais.” (Jocimar Borges) O Cine Prevenção
  • 9. O Cine Prevenção Imagem captada do vídeo “Cine Prevenção”
  • 10. O Cine Prevenção Pontos a melhorar Mais participantes Mais divulgação e distribuição Pontos positivos “São pessoas comuns falando para pessoas comuns, são pessoas comuns falando para a comunidade” Crianças e Jovens agindo de forma positiva
  • 11. Resultados • Aproximadamente 760 crianças (6 – 11 anos) assistiram os vídeos • Aproximadamente 2600 adolescentes (12 – 18 anos) • 06 escolas públicas visitadas • Projeção em 4 Bairros (Santo Amaro, Arruda, Chão de Estrelas e Água Fria)
  • 12. Resultados “- Há uma maior aceitação quando a própria comunidade é a protagonista. pois no próprio momento que eles assistem eles se vêem na tela. - É ter a voz da comunidade falando sobre prevenção. - É a comunidade falando para ela mesma.” (BORGES, 2013)
  • 13. O Cine Prevenção Em 2010 a experiência foi sistematizada pela UNICEF no livro “Tecendo Redes - Uma experiência de prevenção de DST/AIDS entre crianças em situação de rua.
  • 15. Resultados Apresentação dos vídeos do Cine Prevenção em escolas públicas
  • 16. Considerações Finais Sistematizou uma experiência bem sucedida O Cinema tem grande potencial para educação em comunidades principalmente se a comunicação for realizada de semelhante para semelhante.
  • 17. Referências bibliográficas BARBOSA, A. M. Arte-educação no Brasil. 5. ed. São Paulo: Perspectiva S.A, 2002. GRACIANI, M. S. S. Pedagogia social de rua: Análise e sistematização de uma experiência vivida. São Paulo : Cortez : Instituto Paulo Freire, 1997. DUARTE JUNIOR, J. F. Porque arte educação? 13. ed.Campinas,SP: Papirus, 1988. BRASIL. Ministério da Saúde.Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais: Portal sobre aids, doenças sexualmente transmissíveis e hepatites virais<<http://www.aids.gov.br>> acesso em 17/07/2013 BORGES, Jocimar Alves. CINE PREVENÇÃO. 2013. Entrevista concedida a Wladimir Farias Tenório Filho, Recife, Pernambuco, 28 ago. 2013. SILVA, Aldir Rodrigues da. CINE PREVENÇÃO. 2013. Entrevista concedida a Wladimir Farias Tenório Filho, Recife, Pernambuco, 28 ago. 2013.
  • 18. Obrigado Wladimir Faria Tenório Filho - fariaswladimir@gmail.com Felipe Moraes - fmoraes@ymail.com