SlideShare uma empresa Scribd logo
Risco de Crédito de
Operações Estruturadas
               São Paulo, 22 de outubro de 2012
Agenda
Introdução

Regulação

Mercado

Riscos
• Qualitativos
• Quantitativos
Introdução
• Comunhão de recursos que destina parcela mínima de 50% do PL para
  aplicação em direitos creditórios.

• Os FIDCs são mecanismos financeiros criados tendo como principais
  objetivos a terceirização de riscos e diluição por parte do originador.

• Instrumento pelo meio do qual o originador consegue alavancar sua
  operação, sempre que existe a cessão dos direitos creditórios para o Fundo,
  o cedente “vende” ao fundo descontados à taxa pré fixada negociada.

• Por terem como objetivo a segregação de risco, é relevante a
  homogeneidade dos créditos lastro do fundo para que o investidor tenha
  plena ciência dos riscos incorridos na aquisição de cotas de FIDCs.
Introdução                          Estrutura básica de funcionamento de um FIDC
                           Empresas vendem produtos e ou
                             serviços a prazo a clientes
   Empresas
  Originadoras                                                         Clientes
                         Clientes geram direitos creditórios
                                                                             No vencimento, clientes
           Empresas                                                          pagam ao FIDC, em
           cedem
                                      FIDC
                                                                             conta mantida no
           direitos               Administrador                              custodiante
           creditórios             Custodiante
                                     Auditor
                                                               FIDC emite cotas
                                Envio dos direitos                                      Investidores
         FIDC paga cessão
                                 Creditórios para                Investidores
                                 custodiante que                adquirem cotas
                               avalia atendimento
           FIDC paga
        amortização e ou
                                 dos critérios de
        resgate de cotas          elegibilidade e
         subordinadas            autoriza compra               FIDC paga amortização e ou
                                                                resgate de cotas seniores
Regulação
ÓRGÃO: Banco Central              ÓRGÃO: Banco Central                 ÓRGÃO: CVM
NORMATIVO: Resolução 2686         NORMATIVO: Resolução 2907            NORMATIVO: Instrução 356
OBJETIVO: Estabelece condições    OBJETIVO: Autoriza a constituição    OBJETIVO: Regulamenta a
          para Cessões de                   e o funcionamento de                 constituição e o
          Crédito                           FIDCS e FICFIDCS                     funcionamento de
                                                                                 FIDCS e FICFIDCS



         JAN/2000          NOV/2001            DEZ/2001          JAN/2011         JUL/2012




     ÓRGÃO: CVM                               ÓRGÃO: CVM
     NORMATIVO: Instrução 489                 NORMATIVO: Audiência Pública 05/12
     OBJETIVO: Elaboração e divulgação        OBJETIVO: Mitigação de conflitos de
               das Demonstrações                        interesses. Definição mais clara
               Financeiras dos FIDCS                    dos papéis e responsabilidades
                                                        do administrador e
                                                        prestadores de serviços
Mercado
• Perspectiva do Cedente
    •   Geração de liquidez pela transferência de recebíveis ao fundo.
    •   Redução no custo de captação.
    •   Transferência/Redução do risco.
    •   Benefício Fiscal.

• Perspectiva do Investidor
    • Retorno atrativo frente ao risco.
    • Mitigação de risco através da diluição dos títulos securitizados ou
      lastro do fundo.
    • Estrutura de mitigação de riscos: subordinação, excesso de
      spread, reservas de liquidez, critérios de elegibilidade, eventos de
      avaliação e liquidação.
Mercado
• Tipos de Lastro
    •   Crédito Corporativo: debêntures, CCB.
    •   Crédito Pessoal: consignado, cheque, cartão de crédito.
    •   Financiamento de Veículos: PF, PJ.
    •   Recebíveis Comerciais: cheques, duplicatas, etc.
    •   Recebíveis de Agronegócio: financiamento de produção, investimento
        ou custeio.
    •   Recebíveis Educacionais: mensalidades, bolsas.
    •   Contas de Consumo: energia, água, telefone, etc.
    •   Setor Público: créditos contra União, Estados e Municípios e empresas
        de seu controle.
    •   Imobiliário: financiamentos de imóveis residenciais e comerciais.
Mercado
                                                PL por Categoria - R$ bi

       Fomento Mercantil                    5




                  Outros                                    11




              Financeiro                                                         25




Agro Indústria e Comércio                                                             29


                            -             05           10        15        20   25    30   35


                                Fonte: ANBIMA 31/Agosto/2012
Mercado
                                           PL por Segmento - R$ bi
 30,0

          24,50
 25,0


 20,0


 15,0
                  11,24
 10,0
                          7,03    6,56   6,28
                                                5,26   4,77
  5,0
                                                              1,73
                                                                     0,85   0,57   0,24   0,21   0,08   0,01
   -




        Fonte: ANBIMA 31/Agosto/2012
Riscos Qualitativos
•   Riscos de Mercado: variação de preços dos ativos; Descasamento de Taxas; Inexistência de
    Garantia de Rentabilidade;

•   Risco de Crédito: Ausência de Garantias; Inadimplência dos emissores dos ativos; Fatores
    macroeconômicos; Riscos decorrentes dos procedimentos adotados pelo Cedente;
    Desligamento do Devedor; Morte do Devedor; Decisão Judicial Desfavorável; Cobrança
    Judicial e Extrajudicial; Recompra de Direitos Creditórios; Rebaixamento na Classificação de
    Risco das Cotas Seniores;

•   Risco de Liquidez: Fundo Aberto e Insuficiência de Recursos para Pagamento do Resgate;
    Inexistência de Mercado Secundário Ativo para Negociação de Direitos Creditórios;

•   Risco Proveniente do Uso de Derivativos: Oscilações no Patrimônio do Fundo;

•   Riscos Operacionais: Repasse do Consignante; Interrupção da Prestação de Serviços de
    Agente de Cobrança; Falhas do Agente de Cobrança; Falhas no Sistema do Consignante;
    Auditoria por Amostragem; Guarda da Documentação;

•   Risco de Descontinuidade: Possibilidade de Resgate Antecipado das Cotas Seniores.
Riscos Qualitativos
•   Riscos de Originação: Vícios Questionáveis; Fraude na Obtenção de Empréstimo;

•   Risco do Originador: Rescisão do Contrato de Cessão e Originação de Direitos Creditórios;
    Risco de Concorrência, Riscos Operacionais do Originador; Efeitos da Política Econômica do
    Governo;

•   Risco de Questionamento da Validade e Eficácia da Cessão: Invalidade ou ineficácia da cessão
    de Direitos Creditórios; Ausência de Notificação aos Devedores;

•   Risco de Fungibilidade: Intervenção ou Liquidação Extrajudicial do Agente de Cobranças;

•   Risco de Concentração: Risco de Concentração da Carteira; Risco de Concentração em Títulos
    Públicos;

•   Risco de Pré-pagamento: Risco de Pagamento Antecipado;

•   Risco de Governança

•   Outros Riscos: Intervenção ou Liquidação do Custodiante; Alteração do
    Regulamento.
Riscos Qualitativos
• Fatores Críticos para Análise de Riscos
    • Lastro
      Ativos de crédito ou recebíveis cedidos para o FIDC.
    • Cedente ou Originador
      Participante que cede ao FIDC os direitos de recebimento através de sua
      cessão.
    • Participantes da Estrutura
      Administrador, Auditor, Custodiante, Agente Arrecadador, Agência de
      Classificação, Gestor, Consultor, Cobrança.
    • Características da Operação
      Estrutura e Nível de Subordinação, Cascata de Pagamento, Direito de
      Regresso, Coobrigação, Eventos de Avaliação, Collateral, Spread
      Excedente, Fundo de Reserva e Liquidez.
Riscos Qualitativos
• Principais Fatores de Risco sobre o Lastro
    • Avaliação do Mercado: aspectos sócio econômicos, regulação, etc.
    • Natureza: rotativo x estático.
    • Concentração de sacados ou tomadores.
    • Rentabilidade: retorno-alvo frente taxa de cessão das operações.
    • Desempenho histórico da PDD e defaults sobre os ativos originados.
    • Relação da qualidade dos ativos com evolução da inadimplência de mercado.
    • Descasamento de Taxas.
    • Critérios de Elegibilidade.
    • Pré-pagamento.
    • Liquidez.
Riscos Qualitativos
• Principais Fatores de Risco sobre o Cedente ou Originador
    • Avaliação da qualidade do cedente/originador: empresa, principais executivos,
      histórico da empresa, estratégia, estrutura de capital, etc.
    • Capacidade de geração de créditos ao longo do tempo.
    • Sazonalidade da carteira.
    • Concentração de recebíveis por: região, contraparte, indústria.
    • Garantias vinculadas às operações.
    • Termos comerciais definidos nos contratos dos recebíveis.
    • Políticas e processos de concessão e recuperação de crédito.
    • Perdas históricas.
    • Políticas de baixa de créditos inadimplidos.
    • Metodologia para estimar PDD.
Riscos Qualitativos
• Principais Fatores de Risco sobre os Participantes
    • Grau de segregação de responsabilidades.
    • Procedimentos de arrecadação e repasse de recursos para o fundo.
    • Procedimentos de verificação de lastro.
    • Procedimentos de cobrança.
    • Procedimentos de registros e valorização de cotas.
    • Procedimentos de guarda de documentação.
Riscos Qualitativos
• Principais Fatores de Risco sobre a Estrutura da Operação
    • Spread Excedente.
    • Coobrigação.
    • Garantias dadas para assegurar o pagamentos das dívidas.
    • Fundo de Reserva.
    • Subordinação.
    • Cascata de Pagamento.
    • Covenants.
Riscos Quantitativos
• Necessidades para se Quantificar o Risco:

    •   Decisão de investimento.

    •   Comparar operações distintas de forma imparcial e objetiva.

    •   Monitorar o risco de uma operação ao longo do tempo.
Riscos Quantitativos
• Exemplo ilustrativo: FIDC
• Composição por Instrumento e Tomadores
                                              Composição da Carteira por Instrumento e Rating
                                        Instrumento         AAA        AA         A        Total
                                      CCB                   17%       11%        12%       40%
                                      Debênture             13%        9%        9%        31%
                                      Duplicata             8%         6%        6%        20%
                                      Nota Prom.            4%         3%        3%        10%
                                      Total                 41%       29%        30%       100%


                                                    Operações por Instrumento e Rating
                                        Instrumento         AAA        AA         A        Total
                                      CCB                   713       495        522        1.730
                                      Debênture             538       397        378        1.313
                                      Duplicata             359       245        242            846
                                      Nota Prom.            174       125        134            433
                                      Total                  1.784     1.262     1.276      4.322
Riscos Quantitativos
• Composição por Fator de Risco
Riscos Quantitativos
                                                                                                  Índices de Mercado
  450

  400

  350
                                                                                                                                                                                                               Agregado
  300                                                                                                                                                                                                          Utilities
                                                                                                                                                                                                               Financeiro
  250                                                                                                                                                                                                          Metal & Min
                                                                                                                                                                                                               Energia
  200                                                                                                                                                                                                          Consumo
                                                                                                                                                                                                               Duráveis
  150
                                                                                                                                                                                                               Telecom
                                                                                                                                                                                                               Indústria
  100
                                                                                                                                                                                                               Tecnologia

   50

    0
        ago-05

                 dez-05

                          abr-06

                                   ago-06

                                            dez-06

                                                     abr-07

                                                              ago-07

                                                                       dez-07

                                                                                abr-08

                                                                                         ago-08

                                                                                                   dez-08

                                                                                                            abr-09

                                                                                                                     ago-09

                                                                                                                              dez-09

                                                                                                                                       abr-10

                                                                                                                                                ago-10

                                                                                                                                                         dez-10

                                                                                                                                                                  abr-11

                                                                                                                                                                           ago-11

                                                                                                                                                                                    dez-11

                                                                                                                                                                                             abr-12

                                                                                                                                                                                                      ago-12
  Fonte: Bloomberg - MSCI
Riscos Quantitativos




           AAA   AA     A    BBB   BB     B    CCC    C      D
     AAA   47%   45%   5%     2%   0%    0%     0%   0%     0%
      AA    8%   62%   24%    4%   1%    0%     0%   0%     0%
      A     1%   23%   51%   21%   3%    1%     0%   0%     0%
     BBB    1%   6%    23%   48%   16%   5%     1%   1%     0%
      BB    0%   2%    8%    21%   47%   17%    4%   2%     0%
      B     0%   0%    2%    10%   30%   46%    8%   4%     0%
     CCC    0%   0%    0%     4%   13%   25%   45%   13%    0%
      C     0%   0%    0%     0%   0%    10%   20%   70%    0%
      D     0%   0%    0%     0%   0%    0%     0%   0%    100%
Riscos Quantitativos
• Geração de 100,000 cenários para 1 ano.




                                                     Medidas     Valor
                                            Perda Esperada       2,0%
                                            Perda Não Esperada   60,7%
                                            VAR 99,97%           62,7%
Riscos Quantitativos
• Como esse risco de crédito se reflete na estrutura do passivo?

                                                                   Redução frente à Subordinada
       Operação              Cota   Subordinação    PD      PE        PD                PE
          1       'Subordinada'        0,0%        2,87%   0,74%
          1       'Senior'             15,0%       0,39%   0,07%            7,4              10,2


          2       'Subordinada'        0,0%        2,87%   0,88%
          2       'Mezzanino'          10,0%       0,55%   0,41%            5,2               2,2
          2       'Senior'             20,0%       0,27%   0,06%           10,6              15,3


          3       'Subordinada'        0,0%        2,87%   1,45%
          3       'Mezzanino 1'        3,0%        0,78%   0,63%            3,7               2,3
          3       'Mezzanino 2'        10,0%       0,55%   0,43%            5,2               3,3
          3       'Senior'             18,0%       0,31%   0,24%            9,3               5,9
          3       'Super Senior'       25,0%       0,21%   0,05%           13,7              31,3
Riscos Quantitativos
• Uma tranche de um FIDC e um título com a mesma PD possuem o
  mesmo risco?




• Negligenciar o efeito de portfólio pode levar à subestimação
  do risco!
Conclusões
• Análise qualitativa é parte fundamental à gestão do risco.

• Análise quantitativa permite:

    •   Estabelecer comparações objetivas entre ativos distintos;
    •   Monitorar a evolução do risco de crédito ao longo do tempo;
    •   Capturar efeitos complementares à análise qualitativa;
    •   Maior dinamismo na tomada de decisão.

  Limitações

  • Informação;
  • Necessidade de integrar com demais riscos.
Muito Obrigado!
 Alexandre de Oliveira
alexandre.oliveira@mvar.com.br

     Tel.: (011) 5086-6100

      www.mvar.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Terminologias vocabulario financeiro
Terminologias vocabulario financeiroTerminologias vocabulario financeiro
Terminologias vocabulario financeiro
simuladocontabil
 
Administração financeira
Administração financeiraAdministração financeira
Administração financeira
Silvano Santos Rodrigues
 
Leitura investimentos
Leitura investimentosLeitura investimentos
Leitura investimentos
Dione Sousa
 
Lamina FIDC POLICARD II
Lamina FIDC POLICARD IILamina FIDC POLICARD II
Lamina FIDC POLICARD II
ASK Gestora de Recursos Ltda
 
Administração financeira n2
Administração financeira n2Administração financeira n2
Administração financeira n2
Wanderleia Soares
 
Empresarial 17
Empresarial 17Empresarial 17
Empresarial 17
Norberto Gonzaga
 
Conceito de factoring
Conceito de factoringConceito de factoring
Conceito de factoring
Universidade Pedagogica
 
Factoring
FactoringFactoring
Factoring
Sergio Grisa
 
Factoring
Factoring Factoring
Factoring
Erne Taurai
 
FIDC POLICARD
FIDC POLICARD FIDC POLICARD
Apresentação Factoring
Apresentação FactoringApresentação Factoring
Apresentação Factoring
Nuno Tiago Montenegro
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
aniratacosta
 
Ficha de informações para análise de crédito 03 de julho de 2014
Ficha de informações para análise de crédito 03 de julho de 2014Ficha de informações para análise de crédito 03 de julho de 2014
Ficha de informações para análise de crédito 03 de julho de 2014
Sulamita Ester
 
Introdução ao mercado de capitais
Introdução ao mercado de capitaisIntrodução ao mercado de capitais
Introdução ao mercado de capitais
Kayros Consultoria
 
Intermediação Financeira 1
Intermediação Financeira   1Intermediação Financeira   1
Intermediação Financeira 1
Juliana Costa Ferreira
 
Apresentação Reunião APIMEC SP 2011
Apresentação Reunião APIMEC SP 2011Apresentação Reunião APIMEC SP 2011
Apresentação Reunião APIMEC SP 2011
Kianne Paganini
 
Lamina Fundo de Investimento em Direitos Creditórios POLICARD
Lamina Fundo de Investimento em Direitos Creditórios POLICARDLamina Fundo de Investimento em Direitos Creditórios POLICARD
Lamina Fundo de Investimento em Direitos Creditórios POLICARD
ASK Gestora de Recursos Ltda
 
Guia para Investir
Guia para InvestirGuia para Investir
Guia para Investir
Banco Santander Totta
 
FIDC POLICARD Janeiro/2013
FIDC POLICARD Janeiro/2013FIDC POLICARD Janeiro/2013
FIDC POLICARD Janeiro/2013
ASK Gestora de Recursos Ltda
 
Provisões técnicas
Provisões técnicasProvisões técnicas
Provisões técnicas
zeramento contabil
 

Mais procurados (20)

Terminologias vocabulario financeiro
Terminologias vocabulario financeiroTerminologias vocabulario financeiro
Terminologias vocabulario financeiro
 
Administração financeira
Administração financeiraAdministração financeira
Administração financeira
 
Leitura investimentos
Leitura investimentosLeitura investimentos
Leitura investimentos
 
Lamina FIDC POLICARD II
Lamina FIDC POLICARD IILamina FIDC POLICARD II
Lamina FIDC POLICARD II
 
Administração financeira n2
Administração financeira n2Administração financeira n2
Administração financeira n2
 
Empresarial 17
Empresarial 17Empresarial 17
Empresarial 17
 
Conceito de factoring
Conceito de factoringConceito de factoring
Conceito de factoring
 
Factoring
FactoringFactoring
Factoring
 
Factoring
Factoring Factoring
Factoring
 
FIDC POLICARD
FIDC POLICARD FIDC POLICARD
FIDC POLICARD
 
Apresentação Factoring
Apresentação FactoringApresentação Factoring
Apresentação Factoring
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
Ficha de informações para análise de crédito 03 de julho de 2014
Ficha de informações para análise de crédito 03 de julho de 2014Ficha de informações para análise de crédito 03 de julho de 2014
Ficha de informações para análise de crédito 03 de julho de 2014
 
Introdução ao mercado de capitais
Introdução ao mercado de capitaisIntrodução ao mercado de capitais
Introdução ao mercado de capitais
 
Intermediação Financeira 1
Intermediação Financeira   1Intermediação Financeira   1
Intermediação Financeira 1
 
Apresentação Reunião APIMEC SP 2011
Apresentação Reunião APIMEC SP 2011Apresentação Reunião APIMEC SP 2011
Apresentação Reunião APIMEC SP 2011
 
Lamina Fundo de Investimento em Direitos Creditórios POLICARD
Lamina Fundo de Investimento em Direitos Creditórios POLICARDLamina Fundo de Investimento em Direitos Creditórios POLICARD
Lamina Fundo de Investimento em Direitos Creditórios POLICARD
 
Guia para Investir
Guia para InvestirGuia para Investir
Guia para Investir
 
FIDC POLICARD Janeiro/2013
FIDC POLICARD Janeiro/2013FIDC POLICARD Janeiro/2013
FIDC POLICARD Janeiro/2013
 
Provisões técnicas
Provisões técnicasProvisões técnicas
Provisões técnicas
 

Destaque

Uma experiência em gestão de risco sócio-ambiental
Uma experiência em gestão de risco sócio-ambientalUma experiência em gestão de risco sócio-ambiental
Uma experiência em gestão de risco sócio-ambiental
BeefPoint
 
Pedido de empréstimo a um banco
Pedido de empréstimo a um bancoPedido de empréstimo a um banco
Pedido de empréstimo a um banco
Antonio Salvado
 
O desafio de gerir empresas que utilizam crédito bancário.
O desafio de gerir empresas que utilizam crédito bancário.O desafio de gerir empresas que utilizam crédito bancário.
O desafio de gerir empresas que utilizam crédito bancário.
Romanhol Business Consulting
 
Experiência Scrum num ambiente bancário - Ágiles 2009
Experiência Scrum num ambiente bancário - Ágiles 2009Experiência Scrum num ambiente bancário - Ágiles 2009
Experiência Scrum num ambiente bancário - Ágiles 2009
Manoel Pimentel Medeiros
 
Contratos bancários e Regimes Saneadores das Instituições Financeiras
Contratos bancários e Regimes Saneadores das Instituições FinanceirasContratos bancários e Regimes Saneadores das Instituições Financeiras
Contratos bancários e Regimes Saneadores das Instituições Financeiras
Ronaldslides
 
Artigo livia
Artigo liviaArtigo livia
Artigo livia
Gustavo Blank
 
Modelagem Ágil - UaiJug TechDays 2013 - Uberlândia MG
Modelagem Ágil - UaiJug TechDays 2013 - Uberlândia MGModelagem Ágil - UaiJug TechDays 2013 - Uberlândia MG
Modelagem Ágil - UaiJug TechDays 2013 - Uberlândia MG
Neubio Ferreira
 
Fii apresentacao brasil-plural
Fii apresentacao brasil-pluralFii apresentacao brasil-plural
Fii apresentacao brasil-plural
Lhx Agente de Investimento XP.
 
Escrita Magnética
Escrita MagnéticaEscrita Magnética
Escrita Magnética
RENATO PORTO SANTOS
 
Guia%20de%20 fi is%20xp_janeiro.2013
Guia%20de%20 fi is%20xp_janeiro.2013Guia%20de%20 fi is%20xp_janeiro.2013
Guia%20de%20 fi is%20xp_janeiro.2013
Lhx Agente de Investimento XP.
 
Projetos em Assessoria de Comunicação - Aula 02
Projetos em Assessoria de Comunicação - Aula 02Projetos em Assessoria de Comunicação - Aula 02
Projetos em Assessoria de Comunicação - Aula 02
Fabricio Bazé
 
Macrosolutions Consultoria: Estruturação dos Processos de Comunicação em Proj...
Macrosolutions Consultoria: Estruturação dos Processos de Comunicação em Proj...Macrosolutions Consultoria: Estruturação dos Processos de Comunicação em Proj...
Macrosolutions Consultoria: Estruturação dos Processos de Comunicação em Proj...
Macrosolutions SA
 
Guia de sustentabilidade para o turismo, santander
Guia de sustentabilidade para o turismo, santanderGuia de sustentabilidade para o turismo, santander
Guia de sustentabilidade para o turismo, santander
EcoHospedagem
 
Criterios para correção textual
Criterios para correção textualCriterios para correção textual
Criterios para correção textual
Cidinha Medina
 
Diário Oficial: 26-11-2015
Diário Oficial: 26-11-2015Diário Oficial: 26-11-2015
Diário Oficial: 26-11-2015
Prefeitura Guarujá
 
Ufg2dia2014
Ufg2dia2014Ufg2dia2014
Ufg2dia2014
Waldman SD
 
O que vi na QCon 2012 São Paulo
O que vi na QCon 2012 São PauloO que vi na QCon 2012 São Paulo
O que vi na QCon 2012 São Paulo
Ismael
 
Profissao-programador-praticas-para-melhoria-continua-unimonte-outubro-2013
Profissao-programador-praticas-para-melhoria-continua-unimonte-outubro-2013Profissao-programador-praticas-para-melhoria-continua-unimonte-outubro-2013
Profissao-programador-praticas-para-melhoria-continua-unimonte-outubro-2013
Gabriel Rubens
 
Prova apmbb 2010
Prova apmbb 2010Prova apmbb 2010
Prova apmbb 2010
Guilherme Silveira
 
Princípios Ágeis
Princípios ÁgeisPrincípios Ágeis
Princípios Ágeis
Lourenco P Soares
 

Destaque (20)

Uma experiência em gestão de risco sócio-ambiental
Uma experiência em gestão de risco sócio-ambientalUma experiência em gestão de risco sócio-ambiental
Uma experiência em gestão de risco sócio-ambiental
 
Pedido de empréstimo a um banco
Pedido de empréstimo a um bancoPedido de empréstimo a um banco
Pedido de empréstimo a um banco
 
O desafio de gerir empresas que utilizam crédito bancário.
O desafio de gerir empresas que utilizam crédito bancário.O desafio de gerir empresas que utilizam crédito bancário.
O desafio de gerir empresas que utilizam crédito bancário.
 
Experiência Scrum num ambiente bancário - Ágiles 2009
Experiência Scrum num ambiente bancário - Ágiles 2009Experiência Scrum num ambiente bancário - Ágiles 2009
Experiência Scrum num ambiente bancário - Ágiles 2009
 
Contratos bancários e Regimes Saneadores das Instituições Financeiras
Contratos bancários e Regimes Saneadores das Instituições FinanceirasContratos bancários e Regimes Saneadores das Instituições Financeiras
Contratos bancários e Regimes Saneadores das Instituições Financeiras
 
Artigo livia
Artigo liviaArtigo livia
Artigo livia
 
Modelagem Ágil - UaiJug TechDays 2013 - Uberlândia MG
Modelagem Ágil - UaiJug TechDays 2013 - Uberlândia MGModelagem Ágil - UaiJug TechDays 2013 - Uberlândia MG
Modelagem Ágil - UaiJug TechDays 2013 - Uberlândia MG
 
Fii apresentacao brasil-plural
Fii apresentacao brasil-pluralFii apresentacao brasil-plural
Fii apresentacao brasil-plural
 
Escrita Magnética
Escrita MagnéticaEscrita Magnética
Escrita Magnética
 
Guia%20de%20 fi is%20xp_janeiro.2013
Guia%20de%20 fi is%20xp_janeiro.2013Guia%20de%20 fi is%20xp_janeiro.2013
Guia%20de%20 fi is%20xp_janeiro.2013
 
Projetos em Assessoria de Comunicação - Aula 02
Projetos em Assessoria de Comunicação - Aula 02Projetos em Assessoria de Comunicação - Aula 02
Projetos em Assessoria de Comunicação - Aula 02
 
Macrosolutions Consultoria: Estruturação dos Processos de Comunicação em Proj...
Macrosolutions Consultoria: Estruturação dos Processos de Comunicação em Proj...Macrosolutions Consultoria: Estruturação dos Processos de Comunicação em Proj...
Macrosolutions Consultoria: Estruturação dos Processos de Comunicação em Proj...
 
Guia de sustentabilidade para o turismo, santander
Guia de sustentabilidade para o turismo, santanderGuia de sustentabilidade para o turismo, santander
Guia de sustentabilidade para o turismo, santander
 
Criterios para correção textual
Criterios para correção textualCriterios para correção textual
Criterios para correção textual
 
Diário Oficial: 26-11-2015
Diário Oficial: 26-11-2015Diário Oficial: 26-11-2015
Diário Oficial: 26-11-2015
 
Ufg2dia2014
Ufg2dia2014Ufg2dia2014
Ufg2dia2014
 
O que vi na QCon 2012 São Paulo
O que vi na QCon 2012 São PauloO que vi na QCon 2012 São Paulo
O que vi na QCon 2012 São Paulo
 
Profissao-programador-praticas-para-melhoria-continua-unimonte-outubro-2013
Profissao-programador-praticas-para-melhoria-continua-unimonte-outubro-2013Profissao-programador-praticas-para-melhoria-continua-unimonte-outubro-2013
Profissao-programador-praticas-para-melhoria-continua-unimonte-outubro-2013
 
Prova apmbb 2010
Prova apmbb 2010Prova apmbb 2010
Prova apmbb 2010
 
Princípios Ágeis
Princípios ÁgeisPrincípios Ágeis
Princípios Ágeis
 

Semelhante a MVAR- Risco de Credito de Operacoes Estruturadas- FEBRABAN

Cap 2 - Gestão de recebíveis, crédito e cobrança
Cap 2  - Gestão de recebíveis, crédito e cobrançaCap 2  - Gestão de recebíveis, crédito e cobrança
Cap 2 - Gestão de recebíveis, crédito e cobrança
FEARP/USP
 
Apresentação Institucional 2T10
Apresentação Institucional 2T10Apresentação Institucional 2T10
Apresentação Institucional 2T10
Kianne Paganini
 
Apostila 05 creditos
Apostila 05   creditosApostila 05   creditos
Apostila 05 creditos
zeramento contabil
 
Economia Empresarial - Slides - Prof. André Paes
Economia Empresarial - Slides - Prof. André PaesEconomia Empresarial - Slides - Prof. André Paes
Economia Empresarial - Slides - Prof. André Paes
Sustentare Escola de Negócios
 
Aula08
Aula08Aula08
Fluxograma da Operação Brasil - AWB.pdf
Fluxograma da Operação Brasil - AWB.pdfFluxograma da Operação Brasil - AWB.pdf
Fluxograma da Operação Brasil - AWB.pdf
thiagobruni2
 
Curso de Formação em Tipologia Cooperativista Módulo II
Curso de Formação em Tipologia Cooperativista Módulo IICurso de Formação em Tipologia Cooperativista Módulo II
Curso de Formação em Tipologia Cooperativista Módulo II
ejaes
 
Gestão e análise de risco de crédito iv
Gestão e análise de risco de crédito ivGestão e análise de risco de crédito iv
Gestão e análise de risco de crédito iv
professoredmilson
 
Cap 4 fontes de financiamento
Cap 4   fontes de financiamentoCap 4   fontes de financiamento
Cap 4 fontes de financiamento
FEARP/USP
 
As razões que levam as empresas à situação de crise e o papel do Administrador
As razões que levam as empresas à situação de crise e o papel do AdministradorAs razões que levam as empresas à situação de crise e o papel do Administrador
As razões que levam as empresas à situação de crise e o papel do Administrador
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Apresentação reuniao anual 2015
Apresentação reuniao anual 2015Apresentação reuniao anual 2015
Apresentação reuniao anual 2015
Kianne Paganini
 
Gestao de Risco na Actividade Bancaria_Aula 2.pptx
Gestao de Risco na Actividade Bancaria_Aula 2.pptxGestao de Risco na Actividade Bancaria_Aula 2.pptx
Gestao de Risco na Actividade Bancaria_Aula 2.pptx
JooCalenga
 
Apresentação da milicred 29 09-05
Apresentação da milicred 29 09-05Apresentação da milicred 29 09-05
Apresentação da milicred 29 09-05
POLÍCIA MILITAR DO AMAZONAS
 
Banco Central - Apresentação Fintechs de Crédito - Cred-Tech Brasil & Conexão...
Banco Central - Apresentação Fintechs de Crédito - Cred-Tech Brasil & Conexão...Banco Central - Apresentação Fintechs de Crédito - Cred-Tech Brasil & Conexão...
Banco Central - Apresentação Fintechs de Crédito - Cred-Tech Brasil & Conexão...
Conexão Fintech
 
Apresentação institucional 3 t15
Apresentação institucional 3 t15Apresentação institucional 3 t15
Apresentação institucional 3 t15
Kianne Paganini
 
Apresentação Institucional 3T10
Apresentação Institucional 3T10Apresentação Institucional 3T10
Apresentação Institucional 3T10
Kianne Paganini
 
Banco brasil
Banco brasilBanco brasil
Banco brasil
ciespbrag_22
 
Avaliação de empresas
Avaliação de empresasAvaliação de empresas
Avaliação de empresas
Joao Telles Corrêa Filho
 
Capital giro
Capital giroCapital giro
Capital giro
Anderson Silva
 
Apresentação institucional 2 t15
Apresentação institucional 2 t15Apresentação institucional 2 t15
Apresentação institucional 2 t15
Kianne Paganini
 

Semelhante a MVAR- Risco de Credito de Operacoes Estruturadas- FEBRABAN (20)

Cap 2 - Gestão de recebíveis, crédito e cobrança
Cap 2  - Gestão de recebíveis, crédito e cobrançaCap 2  - Gestão de recebíveis, crédito e cobrança
Cap 2 - Gestão de recebíveis, crédito e cobrança
 
Apresentação Institucional 2T10
Apresentação Institucional 2T10Apresentação Institucional 2T10
Apresentação Institucional 2T10
 
Apostila 05 creditos
Apostila 05   creditosApostila 05   creditos
Apostila 05 creditos
 
Economia Empresarial - Slides - Prof. André Paes
Economia Empresarial - Slides - Prof. André PaesEconomia Empresarial - Slides - Prof. André Paes
Economia Empresarial - Slides - Prof. André Paes
 
Aula08
Aula08Aula08
Aula08
 
Fluxograma da Operação Brasil - AWB.pdf
Fluxograma da Operação Brasil - AWB.pdfFluxograma da Operação Brasil - AWB.pdf
Fluxograma da Operação Brasil - AWB.pdf
 
Curso de Formação em Tipologia Cooperativista Módulo II
Curso de Formação em Tipologia Cooperativista Módulo IICurso de Formação em Tipologia Cooperativista Módulo II
Curso de Formação em Tipologia Cooperativista Módulo II
 
Gestão e análise de risco de crédito iv
Gestão e análise de risco de crédito ivGestão e análise de risco de crédito iv
Gestão e análise de risco de crédito iv
 
Cap 4 fontes de financiamento
Cap 4   fontes de financiamentoCap 4   fontes de financiamento
Cap 4 fontes de financiamento
 
As razões que levam as empresas à situação de crise e o papel do Administrador
As razões que levam as empresas à situação de crise e o papel do AdministradorAs razões que levam as empresas à situação de crise e o papel do Administrador
As razões que levam as empresas à situação de crise e o papel do Administrador
 
Apresentação reuniao anual 2015
Apresentação reuniao anual 2015Apresentação reuniao anual 2015
Apresentação reuniao anual 2015
 
Gestao de Risco na Actividade Bancaria_Aula 2.pptx
Gestao de Risco na Actividade Bancaria_Aula 2.pptxGestao de Risco na Actividade Bancaria_Aula 2.pptx
Gestao de Risco na Actividade Bancaria_Aula 2.pptx
 
Apresentação da milicred 29 09-05
Apresentação da milicred 29 09-05Apresentação da milicred 29 09-05
Apresentação da milicred 29 09-05
 
Banco Central - Apresentação Fintechs de Crédito - Cred-Tech Brasil & Conexão...
Banco Central - Apresentação Fintechs de Crédito - Cred-Tech Brasil & Conexão...Banco Central - Apresentação Fintechs de Crédito - Cred-Tech Brasil & Conexão...
Banco Central - Apresentação Fintechs de Crédito - Cred-Tech Brasil & Conexão...
 
Apresentação institucional 3 t15
Apresentação institucional 3 t15Apresentação institucional 3 t15
Apresentação institucional 3 t15
 
Apresentação Institucional 3T10
Apresentação Institucional 3T10Apresentação Institucional 3T10
Apresentação Institucional 3T10
 
Banco brasil
Banco brasilBanco brasil
Banco brasil
 
Avaliação de empresas
Avaliação de empresasAvaliação de empresas
Avaliação de empresas
 
Capital giro
Capital giroCapital giro
Capital giro
 
Apresentação institucional 2 t15
Apresentação institucional 2 t15Apresentação institucional 2 t15
Apresentação institucional 2 t15
 

Mais de MVAR Solucoes e Servicos

MATERA MVAR - Gestão de Controles Internos e Riscos Operacionais - Modelo FUNCEF
MATERA MVAR - Gestão de Controles Internos e Riscos Operacionais - Modelo FUNCEFMATERA MVAR - Gestão de Controles Internos e Riscos Operacionais - Modelo FUNCEF
MATERA MVAR - Gestão de Controles Internos e Riscos Operacionais - Modelo FUNCEF
MVAR Solucoes e Servicos
 
Modelos de risco de credito em carteiras uma comparacao aplicada ao caso br...
Modelos de risco de credito em carteiras   uma comparacao aplicada ao caso br...Modelos de risco de credito em carteiras   uma comparacao aplicada ao caso br...
Modelos de risco de credito em carteiras uma comparacao aplicada ao caso br...
MVAR Solucoes e Servicos
 
MVAR - Modelos de Risco de Crédito em Carteiras: Uma comparação aplicada ao c...
MVAR - Modelos de Risco de Crédito em Carteiras: Uma comparação aplicada ao c...MVAR - Modelos de Risco de Crédito em Carteiras: Uma comparação aplicada ao c...
MVAR - Modelos de Risco de Crédito em Carteiras: Uma comparação aplicada ao c...
MVAR Solucoes e Servicos
 
MVAR- Previsibilidade de um sistema de rating aplicado a empresas brasileiras...
MVAR- Previsibilidade de um sistema de rating aplicado a empresas brasileiras...MVAR- Previsibilidade de um sistema de rating aplicado a empresas brasileiras...
MVAR- Previsibilidade de um sistema de rating aplicado a empresas brasileiras...
MVAR Solucoes e Servicos
 
MVAR- Tendencia para Sistemas Internos - Novo perfil para Gestao de Risco em ...
MVAR- Tendencia para Sistemas Internos - Novo perfil para Gestao de Risco em ...MVAR- Tendencia para Sistemas Internos - Novo perfil para Gestao de Risco em ...
MVAR- Tendencia para Sistemas Internos - Novo perfil para Gestao de Risco em ...
MVAR Solucoes e Servicos
 
MVAR- Gestao de Riscos- Revista ValorEspecial GESTAO FINANCEIRA - Abril 2013
MVAR- Gestao de Riscos- Revista ValorEspecial GESTAO FINANCEIRA  - Abril 2013MVAR- Gestao de Riscos- Revista ValorEspecial GESTAO FINANCEIRA  - Abril 2013
MVAR- Gestao de Riscos- Revista ValorEspecial GESTAO FINANCEIRA - Abril 2013
MVAR Solucoes e Servicos
 
MVAR- Modelo de Gestao de Risco Corporativo- FUNCEF
MVAR- Modelo de Gestao de Risco Corporativo- FUNCEFMVAR- Modelo de Gestao de Risco Corporativo- FUNCEF
MVAR- Modelo de Gestao de Risco Corporativo- FUNCEF
MVAR Solucoes e Servicos
 
MVAR- Registro de Perdas Operacionais
MVAR- Registro de Perdas OperacionaisMVAR- Registro de Perdas Operacionais
MVAR- Registro de Perdas Operacionais
MVAR Solucoes e Servicos
 
MVAR- Criacao de Valor utilizando uma Gestao de Risco Operacional mais eficaz...
MVAR- Criacao de Valor utilizando uma Gestao de Risco Operacional mais eficaz...MVAR- Criacao de Valor utilizando uma Gestao de Risco Operacional mais eficaz...
MVAR- Criacao de Valor utilizando uma Gestao de Risco Operacional mais eficaz...
MVAR Solucoes e Servicos
 

Mais de MVAR Solucoes e Servicos (9)

MATERA MVAR - Gestão de Controles Internos e Riscos Operacionais - Modelo FUNCEF
MATERA MVAR - Gestão de Controles Internos e Riscos Operacionais - Modelo FUNCEFMATERA MVAR - Gestão de Controles Internos e Riscos Operacionais - Modelo FUNCEF
MATERA MVAR - Gestão de Controles Internos e Riscos Operacionais - Modelo FUNCEF
 
Modelos de risco de credito em carteiras uma comparacao aplicada ao caso br...
Modelos de risco de credito em carteiras   uma comparacao aplicada ao caso br...Modelos de risco de credito em carteiras   uma comparacao aplicada ao caso br...
Modelos de risco de credito em carteiras uma comparacao aplicada ao caso br...
 
MVAR - Modelos de Risco de Crédito em Carteiras: Uma comparação aplicada ao c...
MVAR - Modelos de Risco de Crédito em Carteiras: Uma comparação aplicada ao c...MVAR - Modelos de Risco de Crédito em Carteiras: Uma comparação aplicada ao c...
MVAR - Modelos de Risco de Crédito em Carteiras: Uma comparação aplicada ao c...
 
MVAR- Previsibilidade de um sistema de rating aplicado a empresas brasileiras...
MVAR- Previsibilidade de um sistema de rating aplicado a empresas brasileiras...MVAR- Previsibilidade de um sistema de rating aplicado a empresas brasileiras...
MVAR- Previsibilidade de um sistema de rating aplicado a empresas brasileiras...
 
MVAR- Tendencia para Sistemas Internos - Novo perfil para Gestao de Risco em ...
MVAR- Tendencia para Sistemas Internos - Novo perfil para Gestao de Risco em ...MVAR- Tendencia para Sistemas Internos - Novo perfil para Gestao de Risco em ...
MVAR- Tendencia para Sistemas Internos - Novo perfil para Gestao de Risco em ...
 
MVAR- Gestao de Riscos- Revista ValorEspecial GESTAO FINANCEIRA - Abril 2013
MVAR- Gestao de Riscos- Revista ValorEspecial GESTAO FINANCEIRA  - Abril 2013MVAR- Gestao de Riscos- Revista ValorEspecial GESTAO FINANCEIRA  - Abril 2013
MVAR- Gestao de Riscos- Revista ValorEspecial GESTAO FINANCEIRA - Abril 2013
 
MVAR- Modelo de Gestao de Risco Corporativo- FUNCEF
MVAR- Modelo de Gestao de Risco Corporativo- FUNCEFMVAR- Modelo de Gestao de Risco Corporativo- FUNCEF
MVAR- Modelo de Gestao de Risco Corporativo- FUNCEF
 
MVAR- Registro de Perdas Operacionais
MVAR- Registro de Perdas OperacionaisMVAR- Registro de Perdas Operacionais
MVAR- Registro de Perdas Operacionais
 
MVAR- Criacao de Valor utilizando uma Gestao de Risco Operacional mais eficaz...
MVAR- Criacao de Valor utilizando uma Gestao de Risco Operacional mais eficaz...MVAR- Criacao de Valor utilizando uma Gestao de Risco Operacional mais eficaz...
MVAR- Criacao de Valor utilizando uma Gestao de Risco Operacional mais eficaz...
 

MVAR- Risco de Credito de Operacoes Estruturadas- FEBRABAN

  • 1. Risco de Crédito de Operações Estruturadas São Paulo, 22 de outubro de 2012
  • 3. Introdução • Comunhão de recursos que destina parcela mínima de 50% do PL para aplicação em direitos creditórios. • Os FIDCs são mecanismos financeiros criados tendo como principais objetivos a terceirização de riscos e diluição por parte do originador. • Instrumento pelo meio do qual o originador consegue alavancar sua operação, sempre que existe a cessão dos direitos creditórios para o Fundo, o cedente “vende” ao fundo descontados à taxa pré fixada negociada. • Por terem como objetivo a segregação de risco, é relevante a homogeneidade dos créditos lastro do fundo para que o investidor tenha plena ciência dos riscos incorridos na aquisição de cotas de FIDCs.
  • 4. Introdução Estrutura básica de funcionamento de um FIDC Empresas vendem produtos e ou serviços a prazo a clientes Empresas Originadoras Clientes Clientes geram direitos creditórios No vencimento, clientes Empresas pagam ao FIDC, em cedem FIDC conta mantida no direitos Administrador custodiante creditórios Custodiante Auditor FIDC emite cotas Envio dos direitos Investidores FIDC paga cessão Creditórios para Investidores custodiante que adquirem cotas avalia atendimento FIDC paga amortização e ou dos critérios de resgate de cotas elegibilidade e subordinadas autoriza compra FIDC paga amortização e ou resgate de cotas seniores
  • 5. Regulação ÓRGÃO: Banco Central ÓRGÃO: Banco Central ÓRGÃO: CVM NORMATIVO: Resolução 2686 NORMATIVO: Resolução 2907 NORMATIVO: Instrução 356 OBJETIVO: Estabelece condições OBJETIVO: Autoriza a constituição OBJETIVO: Regulamenta a para Cessões de e o funcionamento de constituição e o Crédito FIDCS e FICFIDCS funcionamento de FIDCS e FICFIDCS JAN/2000 NOV/2001 DEZ/2001 JAN/2011 JUL/2012 ÓRGÃO: CVM ÓRGÃO: CVM NORMATIVO: Instrução 489 NORMATIVO: Audiência Pública 05/12 OBJETIVO: Elaboração e divulgação OBJETIVO: Mitigação de conflitos de das Demonstrações interesses. Definição mais clara Financeiras dos FIDCS dos papéis e responsabilidades do administrador e prestadores de serviços
  • 6. Mercado • Perspectiva do Cedente • Geração de liquidez pela transferência de recebíveis ao fundo. • Redução no custo de captação. • Transferência/Redução do risco. • Benefício Fiscal. • Perspectiva do Investidor • Retorno atrativo frente ao risco. • Mitigação de risco através da diluição dos títulos securitizados ou lastro do fundo. • Estrutura de mitigação de riscos: subordinação, excesso de spread, reservas de liquidez, critérios de elegibilidade, eventos de avaliação e liquidação.
  • 7. Mercado • Tipos de Lastro • Crédito Corporativo: debêntures, CCB. • Crédito Pessoal: consignado, cheque, cartão de crédito. • Financiamento de Veículos: PF, PJ. • Recebíveis Comerciais: cheques, duplicatas, etc. • Recebíveis de Agronegócio: financiamento de produção, investimento ou custeio. • Recebíveis Educacionais: mensalidades, bolsas. • Contas de Consumo: energia, água, telefone, etc. • Setor Público: créditos contra União, Estados e Municípios e empresas de seu controle. • Imobiliário: financiamentos de imóveis residenciais e comerciais.
  • 8. Mercado PL por Categoria - R$ bi Fomento Mercantil 5 Outros 11 Financeiro 25 Agro Indústria e Comércio 29 - 05 10 15 20 25 30 35 Fonte: ANBIMA 31/Agosto/2012
  • 9. Mercado PL por Segmento - R$ bi 30,0 24,50 25,0 20,0 15,0 11,24 10,0 7,03 6,56 6,28 5,26 4,77 5,0 1,73 0,85 0,57 0,24 0,21 0,08 0,01 - Fonte: ANBIMA 31/Agosto/2012
  • 10. Riscos Qualitativos • Riscos de Mercado: variação de preços dos ativos; Descasamento de Taxas; Inexistência de Garantia de Rentabilidade; • Risco de Crédito: Ausência de Garantias; Inadimplência dos emissores dos ativos; Fatores macroeconômicos; Riscos decorrentes dos procedimentos adotados pelo Cedente; Desligamento do Devedor; Morte do Devedor; Decisão Judicial Desfavorável; Cobrança Judicial e Extrajudicial; Recompra de Direitos Creditórios; Rebaixamento na Classificação de Risco das Cotas Seniores; • Risco de Liquidez: Fundo Aberto e Insuficiência de Recursos para Pagamento do Resgate; Inexistência de Mercado Secundário Ativo para Negociação de Direitos Creditórios; • Risco Proveniente do Uso de Derivativos: Oscilações no Patrimônio do Fundo; • Riscos Operacionais: Repasse do Consignante; Interrupção da Prestação de Serviços de Agente de Cobrança; Falhas do Agente de Cobrança; Falhas no Sistema do Consignante; Auditoria por Amostragem; Guarda da Documentação; • Risco de Descontinuidade: Possibilidade de Resgate Antecipado das Cotas Seniores.
  • 11. Riscos Qualitativos • Riscos de Originação: Vícios Questionáveis; Fraude na Obtenção de Empréstimo; • Risco do Originador: Rescisão do Contrato de Cessão e Originação de Direitos Creditórios; Risco de Concorrência, Riscos Operacionais do Originador; Efeitos da Política Econômica do Governo; • Risco de Questionamento da Validade e Eficácia da Cessão: Invalidade ou ineficácia da cessão de Direitos Creditórios; Ausência de Notificação aos Devedores; • Risco de Fungibilidade: Intervenção ou Liquidação Extrajudicial do Agente de Cobranças; • Risco de Concentração: Risco de Concentração da Carteira; Risco de Concentração em Títulos Públicos; • Risco de Pré-pagamento: Risco de Pagamento Antecipado; • Risco de Governança • Outros Riscos: Intervenção ou Liquidação do Custodiante; Alteração do Regulamento.
  • 12. Riscos Qualitativos • Fatores Críticos para Análise de Riscos • Lastro Ativos de crédito ou recebíveis cedidos para o FIDC. • Cedente ou Originador Participante que cede ao FIDC os direitos de recebimento através de sua cessão. • Participantes da Estrutura Administrador, Auditor, Custodiante, Agente Arrecadador, Agência de Classificação, Gestor, Consultor, Cobrança. • Características da Operação Estrutura e Nível de Subordinação, Cascata de Pagamento, Direito de Regresso, Coobrigação, Eventos de Avaliação, Collateral, Spread Excedente, Fundo de Reserva e Liquidez.
  • 13. Riscos Qualitativos • Principais Fatores de Risco sobre o Lastro • Avaliação do Mercado: aspectos sócio econômicos, regulação, etc. • Natureza: rotativo x estático. • Concentração de sacados ou tomadores. • Rentabilidade: retorno-alvo frente taxa de cessão das operações. • Desempenho histórico da PDD e defaults sobre os ativos originados. • Relação da qualidade dos ativos com evolução da inadimplência de mercado. • Descasamento de Taxas. • Critérios de Elegibilidade. • Pré-pagamento. • Liquidez.
  • 14. Riscos Qualitativos • Principais Fatores de Risco sobre o Cedente ou Originador • Avaliação da qualidade do cedente/originador: empresa, principais executivos, histórico da empresa, estratégia, estrutura de capital, etc. • Capacidade de geração de créditos ao longo do tempo. • Sazonalidade da carteira. • Concentração de recebíveis por: região, contraparte, indústria. • Garantias vinculadas às operações. • Termos comerciais definidos nos contratos dos recebíveis. • Políticas e processos de concessão e recuperação de crédito. • Perdas históricas. • Políticas de baixa de créditos inadimplidos. • Metodologia para estimar PDD.
  • 15. Riscos Qualitativos • Principais Fatores de Risco sobre os Participantes • Grau de segregação de responsabilidades. • Procedimentos de arrecadação e repasse de recursos para o fundo. • Procedimentos de verificação de lastro. • Procedimentos de cobrança. • Procedimentos de registros e valorização de cotas. • Procedimentos de guarda de documentação.
  • 16. Riscos Qualitativos • Principais Fatores de Risco sobre a Estrutura da Operação • Spread Excedente. • Coobrigação. • Garantias dadas para assegurar o pagamentos das dívidas. • Fundo de Reserva. • Subordinação. • Cascata de Pagamento. • Covenants.
  • 17. Riscos Quantitativos • Necessidades para se Quantificar o Risco: • Decisão de investimento. • Comparar operações distintas de forma imparcial e objetiva. • Monitorar o risco de uma operação ao longo do tempo.
  • 18. Riscos Quantitativos • Exemplo ilustrativo: FIDC • Composição por Instrumento e Tomadores Composição da Carteira por Instrumento e Rating Instrumento AAA AA A Total CCB 17% 11% 12% 40% Debênture 13% 9% 9% 31% Duplicata 8% 6% 6% 20% Nota Prom. 4% 3% 3% 10% Total 41% 29% 30% 100% Operações por Instrumento e Rating Instrumento AAA AA A Total CCB 713 495 522 1.730 Debênture 538 397 378 1.313 Duplicata 359 245 242 846 Nota Prom. 174 125 134 433 Total 1.784 1.262 1.276 4.322
  • 20. Riscos Quantitativos Índices de Mercado 450 400 350 Agregado 300 Utilities Financeiro 250 Metal & Min Energia 200 Consumo Duráveis 150 Telecom Indústria 100 Tecnologia 50 0 ago-05 dez-05 abr-06 ago-06 dez-06 abr-07 ago-07 dez-07 abr-08 ago-08 dez-08 abr-09 ago-09 dez-09 abr-10 ago-10 dez-10 abr-11 ago-11 dez-11 abr-12 ago-12 Fonte: Bloomberg - MSCI
  • 21. Riscos Quantitativos AAA AA A BBB BB B CCC C D AAA 47% 45% 5% 2% 0% 0% 0% 0% 0% AA 8% 62% 24% 4% 1% 0% 0% 0% 0% A 1% 23% 51% 21% 3% 1% 0% 0% 0% BBB 1% 6% 23% 48% 16% 5% 1% 1% 0% BB 0% 2% 8% 21% 47% 17% 4% 2% 0% B 0% 0% 2% 10% 30% 46% 8% 4% 0% CCC 0% 0% 0% 4% 13% 25% 45% 13% 0% C 0% 0% 0% 0% 0% 10% 20% 70% 0% D 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 100%
  • 22. Riscos Quantitativos • Geração de 100,000 cenários para 1 ano. Medidas Valor Perda Esperada 2,0% Perda Não Esperada 60,7% VAR 99,97% 62,7%
  • 23. Riscos Quantitativos • Como esse risco de crédito se reflete na estrutura do passivo? Redução frente à Subordinada Operação Cota Subordinação PD PE PD PE 1 'Subordinada' 0,0% 2,87% 0,74% 1 'Senior' 15,0% 0,39% 0,07% 7,4 10,2 2 'Subordinada' 0,0% 2,87% 0,88% 2 'Mezzanino' 10,0% 0,55% 0,41% 5,2 2,2 2 'Senior' 20,0% 0,27% 0,06% 10,6 15,3 3 'Subordinada' 0,0% 2,87% 1,45% 3 'Mezzanino 1' 3,0% 0,78% 0,63% 3,7 2,3 3 'Mezzanino 2' 10,0% 0,55% 0,43% 5,2 3,3 3 'Senior' 18,0% 0,31% 0,24% 9,3 5,9 3 'Super Senior' 25,0% 0,21% 0,05% 13,7 31,3
  • 24. Riscos Quantitativos • Uma tranche de um FIDC e um título com a mesma PD possuem o mesmo risco? • Negligenciar o efeito de portfólio pode levar à subestimação do risco!
  • 25. Conclusões • Análise qualitativa é parte fundamental à gestão do risco. • Análise quantitativa permite: • Estabelecer comparações objetivas entre ativos distintos; • Monitorar a evolução do risco de crédito ao longo do tempo; • Capturar efeitos complementares à análise qualitativa; • Maior dinamismo na tomada de decisão. Limitações • Informação; • Necessidade de integrar com demais riscos.
  • 26. Muito Obrigado! Alexandre de Oliveira alexandre.oliveira@mvar.com.br Tel.: (011) 5086-6100 www.mvar.com.br