SlideShare uma empresa Scribd logo
O Contrato de Cessão
Financeira Internacional
(Factoring)
Faculdade de Economia do Porto | MEGI | Direito dos Negócios Internacionais | Professor Bruno Sousa | Maio 2015
0. Índice
2
1. Noção e caraterísticas
2. Evolução histórica
3. Modalidades e figuras próximas
4. Enquadramento jurídico
5. Caraterização do Factoring em Portugal
6. O factoring Internacional
7. Case study - remédio Santo
1. Noção e Caraterísticas
1.1 Definição
A atividade de factoring ou cessão financeira
consiste na aquisição de créditos a curto prazo,
derivados da venda de produtos ou da
prestação de serviços, nos mercados interno e
externo
Artigo 2º do Decreto-Lei nº 171/95
4
Funcionamento Antes e Depois do Contrato do Factoring
Situação Tradicional
vendedor Comprador
Fatura
Pagamento
Com o factoring
vendedor Comprador
Empresa de
Factoring
Cópia da
Fatura
Pagamento à
empresa de Factoring
Pagamento do
valor das faturas
Fatura
5
Finalidade principal:
- Satisfazer problemas de tesouraria e segurança
Outras finalidades:
- Outsourcing da atividade de gestão e cobrança
- Aumento de fundos no curto prazo
- Garantia do cumprimento do devedor
1.2 Finalidade
6
1.3 Partes Integrantes
Faturizado
ou
Aderente
Fator
ou
Cessionário
Devedores
7
Nomenclatura geralmente utilizada/ Nomenclatura existente no artigo 3º do Decreto-Lei 171/95
1.4 Caraterísticas principais e suplementares
Principal:
- Cessão de créditos (gestão e cobrança)
Suplementares:
- Estudos de risco de crédito
- Apoio jurídico, comercial e contabilístico
- Adiantamento de fundos
Artigo 2º do Decreto-Lei nº171/95
8
1.4 Caraterísticas principais e suplementares
Contrato deve ser reduzido a escrito
Exclusividade de entidades aptas
Transmissão de faturas para o Fator.
Poderá ser global ou plural.
Pagamentos decorrentes:
- Comissão de cessão financeira
- Juros (adiantamento de fundos)
- Comissão de Garantia
Artigo 4º e 7º do Decreto-Lei nº 171/95
9
1.5 Vantagens e Desvantagens
10
Vantagens
- Redução do Risco
- Outsourcing das
atividades
- Melhor Gestão
Administrativa
- Conversão de custos
Desvantagens
- Custos associados
- Perda de controlo
- Possível suspensão de
créditos
2. Evolução histórica
2.1 Inícios
Vasconcelos, Luís Miguel D.P.P. (1999) Dos contratos de cessão Financeira (Factoring), Universidade de Coimbra, Coimbra Editora
12
Surgimento Incerto
Possivelmente nas antigas civilizações
Fator moderno surge nos E.U.A.
Comércio colonial Inglês. Processo semelhante a um agente
Caraterísticas do mercado muito distintas
Continente é longínquo, comunicações difíceis e clientela
desconhecida.
Factores mercantis, traçam uma imagem do mercado e
começam a financiar a indústria europeia.
2.2 O fator moderno
Vasconcelos, Luís Miguel D.P.P. (1999) Dos contratos de cessão Financeira (Factoring), Universidade de Coimbra, Coimbra Editora
Catamount Funding, History of Accounts Receivable Factoring. Disponível em http://goo.gl/NiSoVK [Acedido a 15 de Maio]
13
Alteração de funções do Fator mercantil
Resultado de aumentos de tarifas às importações, melhoria
dos meios de armazenagem e transporte
Fatores focam-se nas empresas que
conhecem
Setor têxtil norte-americano.
Crescimento para novos setores
Justificado pela crise de 1929/1930
2.3 Crescimento e Expansão
Vasconcelos, Luís Miguel D.P.P. (1999) Dos contratos de cessão Financeira (Factoring), Universidade de Coimbra, Coimbra Editora
14
Bancos entram igualmente no negócio
Surgimento de Commercial Finance Companies
Diversificam os mercados (old line factoring)
Fornecem novos serviços (new line factoring)
3. Modalidades e Figuras próximas
3.1 Diferentes modalidades
Nacional vs Internacional
Existência de uma quarta entidade
Com recurso vs sem recurso
Sobre quem recai o risco do devedor não pagar
Milk agent vs factoring indireto
Para PME’s ou para Grandes empresas
Non-notification vs notification factoring
A empresa comunica ou não aos seus devedores que realizou
um contrato de factoring.
Plurais vs Globais
Vasconcelos, Luís Miguel D.P.P. (1999) Dos contratos de cessão Financeira (Factoring), Universidade de Coimbra, Coimbra Editora
Silva, António C. (2009) A importância económica do Factoring. Revista TOC [Online] (112 Julho 2009) p. 51-55 Disponível em: http://pt.calameo.
com/read/00032498140d08285edea [Acedido a 13 de Maio de 2015]
16
3.2 Figuras próximas
Vasconcelos, Luís Miguel D.P.P. (1999) Dos contratos de cessão Financeira (Factoring), Universidade de Coimbra, Coimbra Editora
Silva, António C. (2009) A importância económica do Factoring. Revista TOC [Online] (112 Julho 2009) p. 51-55 Disponível em: http://pt.calameo.
com/read/00032498140d08285edea [Acedido a 13 de Maio de 2015]
17
Accounts Receivable Financing
Função exclusiva de monetização parcial dos créditos de
curto prazo
Forfaiting
O devedor pretende adiar um pagamento ao credor, e pede a
uma terceira entidade (o forfaiter) que analise os custos do
adiamento; Credor e devedor realizam novo contrato que
englobe esses novos custos.
Confirming
Fator paga as dívidas do aderente aos seus fornecedores
4. Enquadramento jurídico
4.1 Legislação Portuguesa
19
Legalmente atípico
Pouca legislação específica
Socialmente típico
Muito utilizado por bancos e empresas; cláusulas pré-
estabelecidas
Presença no Código Civil
Art. 577º (cessão de créditos); Art. 583 (notificação ao devedor)
Art. 584 (cessão a vários fatores)
4.1 Legislação Portuguesa
20
Enquadramento do regime geral das
sociedades de crédito.
Decreto-Lei 171/95 de 18 Julho de 1995
Regula especificamente a atividade
Artigo 8º - remete para maturity factoring
A antecipação dos vencimentos exige contrapartidas
Artigo 9º - Regime geral e Legislação suplementar
4.2 Cessação do Contrato
21
Analogia ao contrato de agência (contratos
de longa duração).
- Acordo entre as partes
Através de Mútuo acordo, extinguem-se as relações (Art.
406, nº1 do CC)
- Caducidade
Por regra, contratos de factoring têm duração de um ano,
renovando na ausência de oposição; Cláusulas de cessação do
contrato em caso de insolvência, liquidação, dissolução ou
cessação da atividade.
4.2 Cessação do Contrato
22
- Denúncia
Aproximação ao art. 28º do Decreto-lei nº 178/86 (contrato de
agência).
- Resolução
Art. 30º e 31º do Decreto-lei nº 178/86 (contrato de agência).
Claúsulas típicas de resolução
▷ Deveres pós-contratuais das partes
Relações obrigacionais para evitar prejuízos.
(deveres de indemnização, prestação e de segredo ou boa fé)
5. Caraterização do Factoring
Em Portugal
Importância económica do Factoring - Peso no PIB
24Fonte: Associação de Leasing, Factoring e Renting de Portugal.
Importância económica do Factoring - Distribuição dos créditos
25
Fonte: Associação de Leasing, Factoring e Renting de Portugal.
5. Caraterização do Factoring
Carvalho, Raquel (2013) Portugal é o Segunda País Europeu com Maior Procura de Factoring [Online] Diário Económico (n 5627/Março) p.8 Disponível em:
http://economico.sapo.pt/public/uploads/especiais_sp/gestao.pdf [Acedido em 14 de Maio)
26
Setores que mais utilizam o factoring
Construção, comércio grossista e retalhista, indústria
alimentar
Portugal é o 2º país com maior penetração
de factoring
Factoring de exportação em crescimento
19.9% em 2012; Factoring de importação a diminuir.
6. O Factoring Internacional
6.1 Elementos distintivos
28
1. Língua
2. Problemas de Comunicação
3. Desconhecimento de ordenamentos jurídicos
4. Risco de taxa de câmbio
5. Riscos políticos
6. Dificuldade de avaliação do país da contraparte
7. Dificuldade de avalização do risco de crédito
6.2 Modalidades distintas
Glinavos I (2002), “An introduction to International Factoring and Project Finance”, University of Kent, nº854, Colocado em Novembro
2006; Disponível em http://mpra.ub.uni-muenchen.de/854/1/MPRA_paper_854.pdf [Acedido em 15 de Maio de 2015]
29
Two factor system
Intervenção de uma quarta entidade;
Implica 2 contratos: Inter factors agreement e
contrato de factoring de exportação
Direct import and export factoring
Exportador recorre a fator do país de destino.
6.3 Regulamento Roma I (direito aplicável)
30
Lei Aplicável ao Contrato
Art. 3º Reg. - Liberdade de escolha entre as
partes.
Ausência de escolha
Art. 4º Reg. - “...o contrato é regulado pela lei do
país com o qual apresenta um conexão mais
estreita.”
Por regra: País da empresa exportadora
6.4 Convenção de Otava
31
Realizada pelo Unidroit (1988)
Conjunto de regras e orientações, mas limitadas.
Exclui inter-factors agreement e conflitos entre
fatores e terceiros
Art. 1º - Define âmbito do factoring (2 de 4
funções)
Art 8º - Responsabilidade de pagar ao factor
7. Case Study - Remédio Santo
Exemplo Remédio Santo
33
A Remédio Santo é uma empresa do ramo farmacêutico com sede no Porto
cujo volume de negócios se concentra na venda de medicamentos a hospitais.
Os seus 3 maiores clientes internacionais (Hospital de Atenas, Hospital de
Marselha e Hospital Central de Bratislava) são seus devedores num valor total
de 1.500.000€ respeitante a 15 facturas que vencem a 120 dias a contar de 1
de Maio de 2015.
A Direção da Remédio Santo está preocupada, pois sabe que com estes
clientes os prazos são constantemente dilatados e precisa de liquidez.
Decide contactar uma empresa de Factoring no sentido de obter
adiantamento.
Exemplo Remédio Santo
34
Contacta a Big Factoring (sociedade de Factoring Portuguesa), que por sua
vez pede à Remédio Santo demonstrações financeiras, carteira de clientes e
relatórios de contas dos últimos 5 anos.
Foi então celebrado um contrato de factoring de exportação entre a Big
Factoring e a Farmacêutica Remédio Santo. Após os inter-factors agreements
necessários, a Big factoring anuncia que as empresas da factoring locais estão
dispostas a adiantar 90% do total das dívidas, a uma taxa de juro de 5% anual
e uma taxa de comissão de 2%. Contudo, a AtenasFactoring (sociedade de
Factoring Grega) realiza apenas com recurso (ao contrário das outras
parceiras locais).
Fica igualmente estabelecido a resolução do contrato caso as empresas
não realizem o pagamento de pelo menos 4 das 5 faturas.
Exemplo Remédio Santo
35
Nada mais sendo referido:
1. Quais as responsabilidades de cada um dos
intervenientes?
2. Caso o devedor não pague, sobre quem recai o
risco?
3. Se os devedores não tiverem sido notificados,
poderão estes pagar à Remédio Santo?
Fim!
Trabalho realizado por:
André Reis (201300160) | Nuno Montenegro (201103816) | Ricardo Coelhoso (201400238) | Rui Almeida (201402298) | Rui Ruas (200807320)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aplicação das leis no tempo
Aplicação das leis no tempoAplicação das leis no tempo
Aplicação das leis no tempo
Maria José Rodrigues
 
Treinamento Profissional De Cobranca
Treinamento Profissional De CobrancaTreinamento Profissional De Cobranca
Treinamento Profissional De Cobranca
Alexsandro Rebello Bonatto
 
Workshop de vendas
Workshop de vendasWorkshop de vendas
Workshop de vendas
Claudia Dias Coach
 
Direitos do consumidor
Direitos do consumidorDireitos do consumidor
Direitos do consumidor
Fillipe Lobo
 
Conflito
ConflitoConflito
Conflito
Marina-fsousa
 
Documentação Comercial
Documentação ComercialDocumentação Comercial
Documentação Comercial
mauromartins1999
 
Cobrança a clientes
Cobrança a clientesCobrança a clientes
Cobrança a clientes
Celso Frederico Lago
 
Contratos Comerciais, Direito Comercial - Introdução - Fontes das obrigações,...
Contratos Comerciais, Direito Comercial - Introdução - Fontes das obrigações,...Contratos Comerciais, Direito Comercial - Introdução - Fontes das obrigações,...
Contratos Comerciais, Direito Comercial - Introdução - Fontes das obrigações,...
A. Rui Teixeira Santos
 
Cash flow de projecto
Cash flow de projectoCash flow de projecto
Cash flow de projecto
Universidade Pedagogica
 
Lei 8137/90 Comentada e Esquematizada
Lei 8137/90 Comentada e EsquematizadaLei 8137/90 Comentada e Esquematizada
Lei 8137/90 Comentada e Esquematizada
Estratégia Concursos
 
Documentação comercial (1)
Documentação comercial (1)Documentação comercial (1)
Documentação comercial (1)
soraiafilipa17
 
Fontes de financiamento de curto prazo
Fontes de financiamento de curto prazoFontes de financiamento de curto prazo
Fontes de financiamento de curto prazo
Universidade Pedagogica
 
Aula 1 Contrato Compra E Venda
Aula 1 Contrato Compra E VendaAula 1 Contrato Compra E Venda
Aula 1 Contrato Compra E Venda
Hugo Rodrigues
 
86032339 resumao-conhecimentos-bancarios
86032339 resumao-conhecimentos-bancarios86032339 resumao-conhecimentos-bancarios
86032339 resumao-conhecimentos-bancarios
Luan Smith
 
Macroeconomia
MacroeconomiaMacroeconomia
Direito empresarial slides
Direito empresarial   slidesDireito empresarial   slides
Direito empresarial slides
edgardrey
 
Manual ufcd-0350-comunicacao-interpessoal-comunicacao-assertiva
Manual ufcd-0350-comunicacao-interpessoal-comunicacao-assertivaManual ufcd-0350-comunicacao-interpessoal-comunicacao-assertiva
Manual ufcd-0350-comunicacao-interpessoal-comunicacao-assertiva
Ana Camões
 
O CONTRATO DE AGÊNCIA
O CONTRATO DE AGÊNCIAO CONTRATO DE AGÊNCIA
O CONTRATO DE AGÊNCIA
António Neto
 
Apontamentos de contabilidade Geral 1 Ano
Apontamentos de contabilidade Geral 1 AnoApontamentos de contabilidade Geral 1 Ano
Apontamentos de contabilidade Geral 1 Ano
nihomue
 
Ufcd 0664- introduao-aplicacoes-informaticas-de-contabilidade_1
Ufcd 0664- introduao-aplicacoes-informaticas-de-contabilidade_1Ufcd 0664- introduao-aplicacoes-informaticas-de-contabilidade_1
Ufcd 0664- introduao-aplicacoes-informaticas-de-contabilidade_1
MarliadeJesusTeixeir
 

Mais procurados (20)

Aplicação das leis no tempo
Aplicação das leis no tempoAplicação das leis no tempo
Aplicação das leis no tempo
 
Treinamento Profissional De Cobranca
Treinamento Profissional De CobrancaTreinamento Profissional De Cobranca
Treinamento Profissional De Cobranca
 
Workshop de vendas
Workshop de vendasWorkshop de vendas
Workshop de vendas
 
Direitos do consumidor
Direitos do consumidorDireitos do consumidor
Direitos do consumidor
 
Conflito
ConflitoConflito
Conflito
 
Documentação Comercial
Documentação ComercialDocumentação Comercial
Documentação Comercial
 
Cobrança a clientes
Cobrança a clientesCobrança a clientes
Cobrança a clientes
 
Contratos Comerciais, Direito Comercial - Introdução - Fontes das obrigações,...
Contratos Comerciais, Direito Comercial - Introdução - Fontes das obrigações,...Contratos Comerciais, Direito Comercial - Introdução - Fontes das obrigações,...
Contratos Comerciais, Direito Comercial - Introdução - Fontes das obrigações,...
 
Cash flow de projecto
Cash flow de projectoCash flow de projecto
Cash flow de projecto
 
Lei 8137/90 Comentada e Esquematizada
Lei 8137/90 Comentada e EsquematizadaLei 8137/90 Comentada e Esquematizada
Lei 8137/90 Comentada e Esquematizada
 
Documentação comercial (1)
Documentação comercial (1)Documentação comercial (1)
Documentação comercial (1)
 
Fontes de financiamento de curto prazo
Fontes de financiamento de curto prazoFontes de financiamento de curto prazo
Fontes de financiamento de curto prazo
 
Aula 1 Contrato Compra E Venda
Aula 1 Contrato Compra E VendaAula 1 Contrato Compra E Venda
Aula 1 Contrato Compra E Venda
 
86032339 resumao-conhecimentos-bancarios
86032339 resumao-conhecimentos-bancarios86032339 resumao-conhecimentos-bancarios
86032339 resumao-conhecimentos-bancarios
 
Macroeconomia
MacroeconomiaMacroeconomia
Macroeconomia
 
Direito empresarial slides
Direito empresarial   slidesDireito empresarial   slides
Direito empresarial slides
 
Manual ufcd-0350-comunicacao-interpessoal-comunicacao-assertiva
Manual ufcd-0350-comunicacao-interpessoal-comunicacao-assertivaManual ufcd-0350-comunicacao-interpessoal-comunicacao-assertiva
Manual ufcd-0350-comunicacao-interpessoal-comunicacao-assertiva
 
O CONTRATO DE AGÊNCIA
O CONTRATO DE AGÊNCIAO CONTRATO DE AGÊNCIA
O CONTRATO DE AGÊNCIA
 
Apontamentos de contabilidade Geral 1 Ano
Apontamentos de contabilidade Geral 1 AnoApontamentos de contabilidade Geral 1 Ano
Apontamentos de contabilidade Geral 1 Ano
 
Ufcd 0664- introduao-aplicacoes-informaticas-de-contabilidade_1
Ufcd 0664- introduao-aplicacoes-informaticas-de-contabilidade_1Ufcd 0664- introduao-aplicacoes-informaticas-de-contabilidade_1
Ufcd 0664- introduao-aplicacoes-informaticas-de-contabilidade_1
 

Destaque

FACTORING
FACTORINGFACTORING
O que é e como funciona o "Factoring"
O que é e como funciona o "Factoring"O que é e como funciona o "Factoring"
O que é e como funciona o "Factoring"
João Pinto
 
Conceito de factoring
Conceito de factoringConceito de factoring
Conceito de factoring
Universidade Pedagogica
 
Factoring
Factoring Factoring
Factoring
Erne Taurai
 
Factoring ppt
Factoring pptFactoring ppt
Factoring ppt
Kapil Chhabra
 
Pensar Consultoria - Apresentação dos nossos serviços
Pensar Consultoria - Apresentação dos nossos serviçosPensar Consultoria - Apresentação dos nossos serviços
Pensar Consultoria - Apresentação dos nossos serviços
Pensar Consultoria
 
APRESENTAÇÃO DA EMPRESA GRUPO FIEL SERVIÇOS TERCEIRIZAÇÃO LMTD
APRESENTAÇÃO DA EMPRESA GRUPO FIEL SERVIÇOS TERCEIRIZAÇÃO LMTDAPRESENTAÇÃO DA EMPRESA GRUPO FIEL SERVIÇOS TERCEIRIZAÇÃO LMTD
APRESENTAÇÃO DA EMPRESA GRUPO FIEL SERVIÇOS TERCEIRIZAÇÃO LMTD
Daniel silva
 

Destaque (7)

FACTORING
FACTORINGFACTORING
FACTORING
 
O que é e como funciona o "Factoring"
O que é e como funciona o "Factoring"O que é e como funciona o "Factoring"
O que é e como funciona o "Factoring"
 
Conceito de factoring
Conceito de factoringConceito de factoring
Conceito de factoring
 
Factoring
Factoring Factoring
Factoring
 
Factoring ppt
Factoring pptFactoring ppt
Factoring ppt
 
Pensar Consultoria - Apresentação dos nossos serviços
Pensar Consultoria - Apresentação dos nossos serviçosPensar Consultoria - Apresentação dos nossos serviços
Pensar Consultoria - Apresentação dos nossos serviços
 
APRESENTAÇÃO DA EMPRESA GRUPO FIEL SERVIÇOS TERCEIRIZAÇÃO LMTD
APRESENTAÇÃO DA EMPRESA GRUPO FIEL SERVIÇOS TERCEIRIZAÇÃO LMTDAPRESENTAÇÃO DA EMPRESA GRUPO FIEL SERVIÇOS TERCEIRIZAÇÃO LMTD
APRESENTAÇÃO DA EMPRESA GRUPO FIEL SERVIÇOS TERCEIRIZAÇÃO LMTD
 

Semelhante a Apresentação Factoring

Economia Internacional - José Augusto Coelho Fernandes - Diretor-executivo da...
Economia Internacional - José Augusto Coelho Fernandes - Diretor-executivo da...Economia Internacional - José Augusto Coelho Fernandes - Diretor-executivo da...
Economia Internacional - José Augusto Coelho Fernandes - Diretor-executivo da...
Confederação Nacional da Indústria
 
RPBA - A competitividade fiscal portuguesa em sede de tributação internaciona...
RPBA - A competitividade fiscal portuguesa em sede de tributação internaciona...RPBA - A competitividade fiscal portuguesa em sede de tributação internaciona...
RPBA - A competitividade fiscal portuguesa em sede de tributação internaciona...
Ricardo da Palma Borges & Associados - Sociedade de Advogados, S.P., R.L.
 
À Nossa custa & PPP's
À Nossa custa & PPP'sÀ Nossa custa & PPP's
À Nossa custa & PPP's
pr_afsalbergaria
 
"Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?"
"Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?""Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?"
"Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?"
Tânia Albuquerque de Almeida
 
Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?
Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?
Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?
Madalena Barros Rodrigues
 
081008 Mmpr Lei De Ppp Para Ministerio Do Planejamento
081008 Mmpr Lei De Ppp Para Ministerio Do Planejamento081008 Mmpr Lei De Ppp Para Ministerio Do Planejamento
081008 Mmpr Lei De Ppp Para Ministerio Do Planejamento
Mauricio Portugal Ribeiro
 
Panorama Defesa Comercial - Maio/2013
Panorama Defesa Comercial - Maio/2013Panorama Defesa Comercial - Maio/2013
Panorama Defesa Comercial - Maio/2013
Fiesp Federação das Indústrias do Estado de SP
 
Visao e438 - Edição online
Visao e438 - Edição onlineVisao e438 - Edição online
Visao e438 - Edição online
Filipe Pontes
 
Cds pp manifest_ eleitoral_2011
Cds pp manifest_ eleitoral_2011Cds pp manifest_ eleitoral_2011
Cds pp manifest_ eleitoral_2011
amattos76
 
ANTRAM Magazine
 ANTRAM Magazine ANTRAM Magazine
ANTRAM Magazine
Patricia Correia
 
Entrevista para a Revista ANTRAM
Entrevista para a Revista ANTRAMEntrevista para a Revista ANTRAM
Entrevista para a Revista ANTRAM
Patricia Correia
 
Novidades Legislativas Nº10 | 20/03/2013
Novidades Legislativas Nº10 | 20/03/2013Novidades Legislativas Nº10 | 20/03/2013
Novidades Legislativas Nº10 | 20/03/2013
Confederação Nacional da Indústria
 
Analise ematum-final
Analise ematum-finalAnalise ematum-final
Analise ematum-final
Benilde Chilambe
 
A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Ev...
A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Ev...A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Ev...
A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Ev...
Fundação Fernando Henrique Cardoso
 
Direito Fiscal Internacional E Europeu Cej Julho De 2008 I
Direito Fiscal Internacional E Europeu Cej Julho De 2008 IDireito Fiscal Internacional E Europeu Cej Julho De 2008 I
Direito Fiscal Internacional E Europeu Cej Julho De 2008 I
JL Saldanha Sanches
 
Revisao Comercio exterior
Revisao Comercio exteriorRevisao Comercio exterior
Revisao Comercio exterior
Vinicius LF
 
Factoring
Factoring Factoring
Factoring
Erne Taurai
 
A Crise Fiscal Brasileira
A Crise Fiscal BrasileiraA Crise Fiscal Brasileira
A Crise Fiscal Brasileira
Alexandre A. Rocha
 
Sociologia da Globalização e Conhecimento - Fundo Monetário Internacional
Sociologia da Globalização e Conhecimento - Fundo Monetário InternacionalSociologia da Globalização e Conhecimento - Fundo Monetário Internacional
Sociologia da Globalização e Conhecimento - Fundo Monetário Internacional
Sergio Pinto
 
Acordo internacional prevê acesso automático das Autoridades Fiscais a toda a...
Acordo internacional prevê acesso automático das Autoridades Fiscais a toda a...Acordo internacional prevê acesso automático das Autoridades Fiscais a toda a...
Acordo internacional prevê acesso automático das Autoridades Fiscais a toda a...
UWU Solutions, Lda.
 

Semelhante a Apresentação Factoring (20)

Economia Internacional - José Augusto Coelho Fernandes - Diretor-executivo da...
Economia Internacional - José Augusto Coelho Fernandes - Diretor-executivo da...Economia Internacional - José Augusto Coelho Fernandes - Diretor-executivo da...
Economia Internacional - José Augusto Coelho Fernandes - Diretor-executivo da...
 
RPBA - A competitividade fiscal portuguesa em sede de tributação internaciona...
RPBA - A competitividade fiscal portuguesa em sede de tributação internaciona...RPBA - A competitividade fiscal portuguesa em sede de tributação internaciona...
RPBA - A competitividade fiscal portuguesa em sede de tributação internaciona...
 
À Nossa custa & PPP's
À Nossa custa & PPP'sÀ Nossa custa & PPP's
À Nossa custa & PPP's
 
"Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?"
"Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?""Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?"
"Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?"
 
Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?
Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?
Será o fim do anonimato das sociedades anónimas?
 
081008 Mmpr Lei De Ppp Para Ministerio Do Planejamento
081008 Mmpr Lei De Ppp Para Ministerio Do Planejamento081008 Mmpr Lei De Ppp Para Ministerio Do Planejamento
081008 Mmpr Lei De Ppp Para Ministerio Do Planejamento
 
Panorama Defesa Comercial - Maio/2013
Panorama Defesa Comercial - Maio/2013Panorama Defesa Comercial - Maio/2013
Panorama Defesa Comercial - Maio/2013
 
Visao e438 - Edição online
Visao e438 - Edição onlineVisao e438 - Edição online
Visao e438 - Edição online
 
Cds pp manifest_ eleitoral_2011
Cds pp manifest_ eleitoral_2011Cds pp manifest_ eleitoral_2011
Cds pp manifest_ eleitoral_2011
 
ANTRAM Magazine
 ANTRAM Magazine ANTRAM Magazine
ANTRAM Magazine
 
Entrevista para a Revista ANTRAM
Entrevista para a Revista ANTRAMEntrevista para a Revista ANTRAM
Entrevista para a Revista ANTRAM
 
Novidades Legislativas Nº10 | 20/03/2013
Novidades Legislativas Nº10 | 20/03/2013Novidades Legislativas Nº10 | 20/03/2013
Novidades Legislativas Nº10 | 20/03/2013
 
Analise ematum-final
Analise ematum-finalAnalise ematum-final
Analise ematum-final
 
A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Ev...
A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Ev...A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Ev...
A difícil reforma tributária: desafios políticos, conceituais e práticos - Ev...
 
Direito Fiscal Internacional E Europeu Cej Julho De 2008 I
Direito Fiscal Internacional E Europeu Cej Julho De 2008 IDireito Fiscal Internacional E Europeu Cej Julho De 2008 I
Direito Fiscal Internacional E Europeu Cej Julho De 2008 I
 
Revisao Comercio exterior
Revisao Comercio exteriorRevisao Comercio exterior
Revisao Comercio exterior
 
Factoring
Factoring Factoring
Factoring
 
A Crise Fiscal Brasileira
A Crise Fiscal BrasileiraA Crise Fiscal Brasileira
A Crise Fiscal Brasileira
 
Sociologia da Globalização e Conhecimento - Fundo Monetário Internacional
Sociologia da Globalização e Conhecimento - Fundo Monetário InternacionalSociologia da Globalização e Conhecimento - Fundo Monetário Internacional
Sociologia da Globalização e Conhecimento - Fundo Monetário Internacional
 
Acordo internacional prevê acesso automático das Autoridades Fiscais a toda a...
Acordo internacional prevê acesso automático das Autoridades Fiscais a toda a...Acordo internacional prevê acesso automático das Autoridades Fiscais a toda a...
Acordo internacional prevê acesso automático das Autoridades Fiscais a toda a...
 

Mais de Nuno Tiago Montenegro

Barack Obama inspiring quotes
Barack Obama inspiring quotesBarack Obama inspiring quotes
Barack Obama inspiring quotes
Nuno Tiago Montenegro
 
Dissertation Poster
Dissertation PosterDissertation Poster
Dissertation Poster
Nuno Tiago Montenegro
 
Thesis presentation for the International Business Master
Thesis presentation for the International Business MasterThesis presentation for the International Business Master
Thesis presentation for the International Business Master
Nuno Tiago Montenegro
 
Apresentação sobre dissertação
Apresentação sobre dissertaçãoApresentação sobre dissertação
Apresentação sobre dissertação
Nuno Tiago Montenegro
 
Other ways of saying it
Other ways of saying itOther ways of saying it
Other ways of saying it
Nuno Tiago Montenegro
 
Latin expressions used in dissertations
Latin expressions used in dissertationsLatin expressions used in dissertations
Latin expressions used in dissertations
Nuno Tiago Montenegro
 
On, in or at? Use the right preposition
On, in or at? Use the right prepositionOn, in or at? Use the right preposition
On, in or at? Use the right preposition
Nuno Tiago Montenegro
 
Certificados de aforro vs certificados tesouro poupança+
Certificados de aforro vs certificados tesouro poupança+Certificados de aforro vs certificados tesouro poupança+
Certificados de aforro vs certificados tesouro poupança+
Nuno Tiago Montenegro
 
Spotify
SpotifySpotify
Custos de transporte
Custos de transporteCustos de transporte
Custos de transporte
Nuno Tiago Montenegro
 

Mais de Nuno Tiago Montenegro (10)

Barack Obama inspiring quotes
Barack Obama inspiring quotesBarack Obama inspiring quotes
Barack Obama inspiring quotes
 
Dissertation Poster
Dissertation PosterDissertation Poster
Dissertation Poster
 
Thesis presentation for the International Business Master
Thesis presentation for the International Business MasterThesis presentation for the International Business Master
Thesis presentation for the International Business Master
 
Apresentação sobre dissertação
Apresentação sobre dissertaçãoApresentação sobre dissertação
Apresentação sobre dissertação
 
Other ways of saying it
Other ways of saying itOther ways of saying it
Other ways of saying it
 
Latin expressions used in dissertations
Latin expressions used in dissertationsLatin expressions used in dissertations
Latin expressions used in dissertations
 
On, in or at? Use the right preposition
On, in or at? Use the right prepositionOn, in or at? Use the right preposition
On, in or at? Use the right preposition
 
Certificados de aforro vs certificados tesouro poupança+
Certificados de aforro vs certificados tesouro poupança+Certificados de aforro vs certificados tesouro poupança+
Certificados de aforro vs certificados tesouro poupança+
 
Spotify
SpotifySpotify
Spotify
 
Custos de transporte
Custos de transporteCustos de transporte
Custos de transporte
 

Apresentação Factoring

  • 1. O Contrato de Cessão Financeira Internacional (Factoring) Faculdade de Economia do Porto | MEGI | Direito dos Negócios Internacionais | Professor Bruno Sousa | Maio 2015
  • 2. 0. Índice 2 1. Noção e caraterísticas 2. Evolução histórica 3. Modalidades e figuras próximas 4. Enquadramento jurídico 5. Caraterização do Factoring em Portugal 6. O factoring Internacional 7. Case study - remédio Santo
  • 3. 1. Noção e Caraterísticas
  • 4. 1.1 Definição A atividade de factoring ou cessão financeira consiste na aquisição de créditos a curto prazo, derivados da venda de produtos ou da prestação de serviços, nos mercados interno e externo Artigo 2º do Decreto-Lei nº 171/95 4
  • 5. Funcionamento Antes e Depois do Contrato do Factoring Situação Tradicional vendedor Comprador Fatura Pagamento Com o factoring vendedor Comprador Empresa de Factoring Cópia da Fatura Pagamento à empresa de Factoring Pagamento do valor das faturas Fatura 5
  • 6. Finalidade principal: - Satisfazer problemas de tesouraria e segurança Outras finalidades: - Outsourcing da atividade de gestão e cobrança - Aumento de fundos no curto prazo - Garantia do cumprimento do devedor 1.2 Finalidade 6
  • 7. 1.3 Partes Integrantes Faturizado ou Aderente Fator ou Cessionário Devedores 7 Nomenclatura geralmente utilizada/ Nomenclatura existente no artigo 3º do Decreto-Lei 171/95
  • 8. 1.4 Caraterísticas principais e suplementares Principal: - Cessão de créditos (gestão e cobrança) Suplementares: - Estudos de risco de crédito - Apoio jurídico, comercial e contabilístico - Adiantamento de fundos Artigo 2º do Decreto-Lei nº171/95 8
  • 9. 1.4 Caraterísticas principais e suplementares Contrato deve ser reduzido a escrito Exclusividade de entidades aptas Transmissão de faturas para o Fator. Poderá ser global ou plural. Pagamentos decorrentes: - Comissão de cessão financeira - Juros (adiantamento de fundos) - Comissão de Garantia Artigo 4º e 7º do Decreto-Lei nº 171/95 9
  • 10. 1.5 Vantagens e Desvantagens 10 Vantagens - Redução do Risco - Outsourcing das atividades - Melhor Gestão Administrativa - Conversão de custos Desvantagens - Custos associados - Perda de controlo - Possível suspensão de créditos
  • 12. 2.1 Inícios Vasconcelos, Luís Miguel D.P.P. (1999) Dos contratos de cessão Financeira (Factoring), Universidade de Coimbra, Coimbra Editora 12 Surgimento Incerto Possivelmente nas antigas civilizações Fator moderno surge nos E.U.A. Comércio colonial Inglês. Processo semelhante a um agente Caraterísticas do mercado muito distintas Continente é longínquo, comunicações difíceis e clientela desconhecida. Factores mercantis, traçam uma imagem do mercado e começam a financiar a indústria europeia.
  • 13. 2.2 O fator moderno Vasconcelos, Luís Miguel D.P.P. (1999) Dos contratos de cessão Financeira (Factoring), Universidade de Coimbra, Coimbra Editora Catamount Funding, History of Accounts Receivable Factoring. Disponível em http://goo.gl/NiSoVK [Acedido a 15 de Maio] 13 Alteração de funções do Fator mercantil Resultado de aumentos de tarifas às importações, melhoria dos meios de armazenagem e transporte Fatores focam-se nas empresas que conhecem Setor têxtil norte-americano. Crescimento para novos setores Justificado pela crise de 1929/1930
  • 14. 2.3 Crescimento e Expansão Vasconcelos, Luís Miguel D.P.P. (1999) Dos contratos de cessão Financeira (Factoring), Universidade de Coimbra, Coimbra Editora 14 Bancos entram igualmente no negócio Surgimento de Commercial Finance Companies Diversificam os mercados (old line factoring) Fornecem novos serviços (new line factoring)
  • 15. 3. Modalidades e Figuras próximas
  • 16. 3.1 Diferentes modalidades Nacional vs Internacional Existência de uma quarta entidade Com recurso vs sem recurso Sobre quem recai o risco do devedor não pagar Milk agent vs factoring indireto Para PME’s ou para Grandes empresas Non-notification vs notification factoring A empresa comunica ou não aos seus devedores que realizou um contrato de factoring. Plurais vs Globais Vasconcelos, Luís Miguel D.P.P. (1999) Dos contratos de cessão Financeira (Factoring), Universidade de Coimbra, Coimbra Editora Silva, António C. (2009) A importância económica do Factoring. Revista TOC [Online] (112 Julho 2009) p. 51-55 Disponível em: http://pt.calameo. com/read/00032498140d08285edea [Acedido a 13 de Maio de 2015] 16
  • 17. 3.2 Figuras próximas Vasconcelos, Luís Miguel D.P.P. (1999) Dos contratos de cessão Financeira (Factoring), Universidade de Coimbra, Coimbra Editora Silva, António C. (2009) A importância económica do Factoring. Revista TOC [Online] (112 Julho 2009) p. 51-55 Disponível em: http://pt.calameo. com/read/00032498140d08285edea [Acedido a 13 de Maio de 2015] 17 Accounts Receivable Financing Função exclusiva de monetização parcial dos créditos de curto prazo Forfaiting O devedor pretende adiar um pagamento ao credor, e pede a uma terceira entidade (o forfaiter) que analise os custos do adiamento; Credor e devedor realizam novo contrato que englobe esses novos custos. Confirming Fator paga as dívidas do aderente aos seus fornecedores
  • 19. 4.1 Legislação Portuguesa 19 Legalmente atípico Pouca legislação específica Socialmente típico Muito utilizado por bancos e empresas; cláusulas pré- estabelecidas Presença no Código Civil Art. 577º (cessão de créditos); Art. 583 (notificação ao devedor) Art. 584 (cessão a vários fatores)
  • 20. 4.1 Legislação Portuguesa 20 Enquadramento do regime geral das sociedades de crédito. Decreto-Lei 171/95 de 18 Julho de 1995 Regula especificamente a atividade Artigo 8º - remete para maturity factoring A antecipação dos vencimentos exige contrapartidas Artigo 9º - Regime geral e Legislação suplementar
  • 21. 4.2 Cessação do Contrato 21 Analogia ao contrato de agência (contratos de longa duração). - Acordo entre as partes Através de Mútuo acordo, extinguem-se as relações (Art. 406, nº1 do CC) - Caducidade Por regra, contratos de factoring têm duração de um ano, renovando na ausência de oposição; Cláusulas de cessação do contrato em caso de insolvência, liquidação, dissolução ou cessação da atividade.
  • 22. 4.2 Cessação do Contrato 22 - Denúncia Aproximação ao art. 28º do Decreto-lei nº 178/86 (contrato de agência). - Resolução Art. 30º e 31º do Decreto-lei nº 178/86 (contrato de agência). Claúsulas típicas de resolução ▷ Deveres pós-contratuais das partes Relações obrigacionais para evitar prejuízos. (deveres de indemnização, prestação e de segredo ou boa fé)
  • 23. 5. Caraterização do Factoring Em Portugal
  • 24. Importância económica do Factoring - Peso no PIB 24Fonte: Associação de Leasing, Factoring e Renting de Portugal.
  • 25. Importância económica do Factoring - Distribuição dos créditos 25 Fonte: Associação de Leasing, Factoring e Renting de Portugal.
  • 26. 5. Caraterização do Factoring Carvalho, Raquel (2013) Portugal é o Segunda País Europeu com Maior Procura de Factoring [Online] Diário Económico (n 5627/Março) p.8 Disponível em: http://economico.sapo.pt/public/uploads/especiais_sp/gestao.pdf [Acedido em 14 de Maio) 26 Setores que mais utilizam o factoring Construção, comércio grossista e retalhista, indústria alimentar Portugal é o 2º país com maior penetração de factoring Factoring de exportação em crescimento 19.9% em 2012; Factoring de importação a diminuir.
  • 27. 6. O Factoring Internacional
  • 28. 6.1 Elementos distintivos 28 1. Língua 2. Problemas de Comunicação 3. Desconhecimento de ordenamentos jurídicos 4. Risco de taxa de câmbio 5. Riscos políticos 6. Dificuldade de avaliação do país da contraparte 7. Dificuldade de avalização do risco de crédito
  • 29. 6.2 Modalidades distintas Glinavos I (2002), “An introduction to International Factoring and Project Finance”, University of Kent, nº854, Colocado em Novembro 2006; Disponível em http://mpra.ub.uni-muenchen.de/854/1/MPRA_paper_854.pdf [Acedido em 15 de Maio de 2015] 29 Two factor system Intervenção de uma quarta entidade; Implica 2 contratos: Inter factors agreement e contrato de factoring de exportação Direct import and export factoring Exportador recorre a fator do país de destino.
  • 30. 6.3 Regulamento Roma I (direito aplicável) 30 Lei Aplicável ao Contrato Art. 3º Reg. - Liberdade de escolha entre as partes. Ausência de escolha Art. 4º Reg. - “...o contrato é regulado pela lei do país com o qual apresenta um conexão mais estreita.” Por regra: País da empresa exportadora
  • 31. 6.4 Convenção de Otava 31 Realizada pelo Unidroit (1988) Conjunto de regras e orientações, mas limitadas. Exclui inter-factors agreement e conflitos entre fatores e terceiros Art. 1º - Define âmbito do factoring (2 de 4 funções) Art 8º - Responsabilidade de pagar ao factor
  • 32. 7. Case Study - Remédio Santo
  • 33. Exemplo Remédio Santo 33 A Remédio Santo é uma empresa do ramo farmacêutico com sede no Porto cujo volume de negócios se concentra na venda de medicamentos a hospitais. Os seus 3 maiores clientes internacionais (Hospital de Atenas, Hospital de Marselha e Hospital Central de Bratislava) são seus devedores num valor total de 1.500.000€ respeitante a 15 facturas que vencem a 120 dias a contar de 1 de Maio de 2015. A Direção da Remédio Santo está preocupada, pois sabe que com estes clientes os prazos são constantemente dilatados e precisa de liquidez. Decide contactar uma empresa de Factoring no sentido de obter adiantamento.
  • 34. Exemplo Remédio Santo 34 Contacta a Big Factoring (sociedade de Factoring Portuguesa), que por sua vez pede à Remédio Santo demonstrações financeiras, carteira de clientes e relatórios de contas dos últimos 5 anos. Foi então celebrado um contrato de factoring de exportação entre a Big Factoring e a Farmacêutica Remédio Santo. Após os inter-factors agreements necessários, a Big factoring anuncia que as empresas da factoring locais estão dispostas a adiantar 90% do total das dívidas, a uma taxa de juro de 5% anual e uma taxa de comissão de 2%. Contudo, a AtenasFactoring (sociedade de Factoring Grega) realiza apenas com recurso (ao contrário das outras parceiras locais). Fica igualmente estabelecido a resolução do contrato caso as empresas não realizem o pagamento de pelo menos 4 das 5 faturas.
  • 35. Exemplo Remédio Santo 35 Nada mais sendo referido: 1. Quais as responsabilidades de cada um dos intervenientes? 2. Caso o devedor não pague, sobre quem recai o risco? 3. Se os devedores não tiverem sido notificados, poderão estes pagar à Remédio Santo?
  • 36. Fim! Trabalho realizado por: André Reis (201300160) | Nuno Montenegro (201103816) | Ricardo Coelhoso (201400238) | Rui Almeida (201402298) | Rui Ruas (200807320)