SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 68
Cristiane R. da Rocha
     Tutora Tradutora Intérprete de LIBRAS
    Curso da UEPG/NUTEAD/UAB/PROLICEN

Tradutora/Intérprete no Ensino Regular há 7 anos
              e a 10 anos na igreja.
        Aprendi (e continuo aprendendo)
         Libras convivendo com surdos.
Minha experiência com a Libras:

 2000- 1º Contato com surdos em 2000.
Início de Inclusão, curso de informática

         2002- Impacto world

   2003 - Primeiros surdos na Igreja:
     Aprendendo LIBRAS ao vivo

         2005- Provas práticas
         (sem cursos)FENEIS.
2006- Incentivo para atuar no ensino regular,
       fundamental, médio e técnico.

2007- Formação de Intérpretes SEED – Curitiba

            2007-PROLIBRAS – SC

     2007-Iniciei Pedagogia EAD UCB /RJ


   2013- 3º ano Bacharel em Teologia EAD
               FTBP-Curitiba
2013 – Atuação 2ºano do
Ensino Médio- 2 alunas surdas

      Tutoria da UEPG

Eventuais participações para
  interpretação e tradução.
A 2ª imagem é o profissional intérprete internacional Marco Antônio Arriens.
Saiba mais sobre essa referência para muitos que atuam nessa área.
http://surdosgeradospordeus.blogspot.com.br
Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=_DADdyUiPko
Históri
  a
 dos
Surdos
Egito 400 a.C Idade Antiga
Surdos: criaturas privilegiadas
     porque acreditavam
  que eles comunicavam-se
        com os deuses.
Citações da Bíblia
    no Antigo
   Testamento
Em Êxodo 4:11 e
  Levítico 19:14,
   Deus ensina
     Moisés.
485-420 a. C
  Filósofo
 Heródoto
   “Seres
 castigados
    pelos
  Deuses.”
485-483 a.C
            China
Sacrificados ao deus Teutates
480- 425 a. C
                  Grécia
    Incapazes, incômodos a sociedade
Lançados a morte nos rochedos de Taygéte.
     Sobreviventes viviam na miséria.
Atenas
              -rejeitados e
              abandonados
  Esparta
Jogados nos
 rochedos
469 a. C
  Filósofo Sócrates
 Se não tivessem voz
      ou língua,
também deveriam se
  comunicar como
       surdos.
384 a. C
 Filósofo Aristóteles
Se não tem audição é
 incapaz de pensar,
    ter inteligência
E achava um absurdo
  ensinar o surdo a
          falar.
30 d. C
Jesus Cristo
    Novo
Testamento
Mc 7: 32-35
Disse: Efatá=
  Abre-te
483-527 d.C
          Justiniano
          Em Roma:
- Castigados ou enfeitiçados.
      -Abandonados ou
   eliminados no Rio Tiger.
 -Alguns os pais escondiam.
  -Escravizados no moinho.
 - Código Justiniano: divisão
    por grau de deficiência
1453
       Idade Moderna
 Bartollo Della Marca d’Ancora
-Possibilidadede surdos
  aprender língua de
    sinais ou oral.
1500
Girolamo Cadarno
-surdez e mudez
não impedia o
aprendizado por meio
Da escrita e sinais.
-filho surdo.
1528
  Rodolfo Agrícola
-Conheceu surdo que
    escrevia e se
 expressava através
        dela.
1560
                  Melchor de Yebra
-Monge em Madrid, foi o primeiro a escrever
Refugium Infirmorum descreve e ilustra
um alfabeto manual, publicado sete anos após sua
morte.

-fins religiosos para ensinar surdos.

-Ilustração de 1579, Veneza-Itália.


- Surdos que conseguiam falar
 direito a herança.
1579
“Dactolologia”- inventado por
   aluno surdo Fontenay.

Introdução do alfabeto manual
em vários países de acordo com
      ortografia e cultura.
1584
Pedro Ponce de Léon
-Considerado o 1º professor
de surdo da história.
-2 surdos de uma família
Velasco da Espanha.
-Ensino aos filhos de nobres
-Se não falassem não
recebiam herança.
-Não publicou nada em vida.
- Votos de silêncio.
1620
  Juan Pablo Bonet
   Espanha- Outro
 membro da família
      Velasco.
 -Publicou o 1º livro
sobre a educação de
       surdos.
1644
     Jonh Bulwer
-Médico: Estudos dos
surdos , desenvolveu
a comunicação entre
 surdos e ouvintes.
 -Língua universal e
       icônica
             .
1659
    John Wallis
   -Métodos de
      Bonet-
   dactolologia.
- Desistiu e usava
a língua de sinais.
1700
Johann Conrad Amman
-Contra língua de sinais,
mas usava para ensinar a
fala.
-Surdos pouco diferença de
animais.
-Movimento oralista
Alemão.
1741
Jacob Rodrigues Pereire
-Pioneiro no ensino dos
    surdos na França.
   -Oralizou sua irmã
         surda.
     -Premiado pela
 Academia Francesa de
        Ciências.
1755
   Samuel Heinicke
-Pai do método alemão
     Oralismo Puro.

         1778
-1ª escola de oralismo
 com 9 alunos surdos.
1759
       Charles Michel L ‘Epée
    -Conheceu gêmeas surdas eu
        conversam em sinais.
  -Contato com surdos carentes nas
            ruas de Paris.
    Ensinava em sua casa sinais e
        gramática sinalizada.
-Língua de Sinais= natural dos surdos
 -Publicou o 1º dicionário de sinais.

               1789
   -Morre, mas tinha fundado 21
        escolas na França e
             -Europa.
1760
  Thomas Braidwood
       -Fala=razão
-1ª escola correção da
 fala, os incapaz eram
         isolados.
 -Crianças pobres sem
  pais eram tratados
    como os surdos.
1782
   Abade Roch Sicard
  -Foi diretor de uma
das escolas de L ‘Epée,
           mas
 Achava o dicionário
 de sinais complicado.
1783
Tommaso Silvestri

      -Itália:
seguiu os passos de
      L ‘Epée
1802
             Idade Contemporânea
 Jean Marc Gaspard Itard -Médico do Instituto
         Nacional dos Surdos em Paris.
-Com Philipe Pinel= o diferente era reconhecido
                  como doente.
          - Experiências com os surdos:
            Dissecou, aplicou cargas elétricas,
           furou membranas, fraturou
           Crânios, sanguessugas, infeccionou
     pontos da orelha.(sofrimento e mortes)
Jean Marc Gaspard Itard

   -Método para ensinar
Victor, “Garoto Selvagem de
          Aveyron”,
(menino que foi encontrado
         com lobos).

  -Não conseguiu ensiná-lo
1804
Joseph Marie Barn de Gérando

-Manipulou o diretor
do Instituto Nacional
 -De Surdos de Paris,
     pelo mesmo
desconhecer a surdez.
 -Trocou professores
 surdos por ouvintes.
-Frustrado retomou a
          LS
1814
Thomas Hopinks Gallaudet
-EUA: percebeu que Alice Gogwell,
não interagia, por ser surda
era rejeitada.
-Em contato com o pai de Alice,
pensou em criar a escola.
-Foi a Europa = métodos secretos
-Foi a França= aprendeu com Sicard.
- Retorna aos EUA com Laurent Clerc
professor surdo
-Fundou a escola em 15/04/1814
1830
       Lewis Weld
-Vai a Europa e percebe
a importância dos sinais.


 - Surge oralismo = sem
       resultados.
1846
Alexander Melville Bell

-Professor de Surdos
-Criou instrumentos,
 dizia que a fala era
        visível.
-Fundou sua própria
 escola para surdos.
1850
 Alexander Grahn Bell

-Defensor do Oralismo.
-Língua de sinais apoio
      a Língua oral.
 - Criticou casamentos
       entre surdos
-Em 1873

   Conheceu
     Mabel
   Gardiner
    Hulbard
(surda), casou-
  se com ela.
1855 – BRASIL
Eduard Huet
-Profº surdo francês, vem ao
Brasil com aprovação de D. Pedro.

-Século XV : surdos eram
 inducáveis.
1857 Dia dos Surdos : Rio de
Janeiro, em 26 de setembro.
- Alfabeto manual francês foi
      difundido no Brasil.
1859
Horace Mann e Samuel Howe

-Influência na eliminação dos
        sinais nos EUA

       -Anos antes se
   impressionaram com o
         oralismo e
  surdos que podiam falar.
1864
    Edward Miner Galladeut
     -Pedagogo, fundou a 1ª
      Universidade Nacional
para Surdos em Washington-EUA.
1880
          Helen Adams Keller
  -Escritora, conferencista e ativista
            social nos EUA.

-Com 2anos ficou cega e depois surda.
-Superou suas limitações com ajuda da
      professora Anne Sullivan.




                   -   Encontrou-se com
                          Grahn Bell




  Morreu em 01/06/68 com 87 anos.
1880
1889
Congressos posteriores em Paris, Gênova e
                Chicago.
          Uso de sinais e oral.
1951
Vicente de Paulo Penido
        Burnier.


   1º padre surdo ,
   esperou 3 anos a
      ordenação.
1960
               Willian Stokoe
-Estudioso da Língua Gestual americana em
Galladeut
-Realizou muitos estudos com filhos surdos
de pais surdos e de surdos com pais
ouvintes.



1971- após 100 anos de oralismo, a Língua
de Sinais volta a ser valorizada.

Discussão sobre a “Comunicação Total”
1961- Livro “Até onde vai o Surdo”.

1969- Eugênio Oates: publicou “Linguagem
das Mãos”, com 1258 sinais .

1977- FENEIDA: Federação Nacional de
Educação e Integração dos Deficientes
Auditivos.

1884- CBDS: Confederação Brasileira de
Desportos dos Surdos-
1986- Marlee Matlin
(surda 20anos)
Premiada com Globo de
Ouro e Oscar
pelo filme “Os Filhos do
Silêncio”.
1987- Reestruturação da FENEIDA
1997- Em setembro
    a TV Globo
 Exibe legendas no
       jornal.
1999

1ª revista Feneis.

  Formação de
 multiplicadores
    da Libras
em contexto com
  MEC/ Feneis.
2002



Nº 10.436 de 24 de abril
2006 em Florianópolis/SC
VIVA A
LIBRAS!




          sinal – LIBRAS
Referências de Livros e Sites

•Aprenda Libras Com Eficiência E Rapidez - Volume 1 E 2
Autores : Éden Veloso de Almeida (surdo) e Valdeci Maia filho (surdo)
•Apostila Libras da Profª Formadora Rosana Ribas Machado para cursos EaD da UEPG/NUTEAD-PR

•http://images.google.com.br/
•http://www.acessobrasil.org.br/libras/
•http://www.feneis.com.br/page/index.asp
•http://www.vezdavoz.com.br/site/index.php
•http://paulohenriquelibras.blogspot.com.br/2011/06/feira-cultural-com-os-surdos-do-mons.html
•http://chc.cienciahoje.uol.com.br/para-comecar-um-pulo-no-egito/
•http://familiadivinopaieterno.blogspot.com.br/p/estudando-o-antigo-testamento.html
•www.ebooksbrasil.org/eLibris/historiaherodoto.html
•http://divalibras.blogspot.com.br/
•http://listasde10.blogspot.com.br/2010/09/10-filmes-com-surdez.html
•http://surdosgeradospordeus.blogspot.com.br

Material Didático
•Professora Rosangela Apª Machado- Castro/PR
•Professora TILS Talícia do Carmo Galan Kuhn- Palmeira/PR

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

3o slide linha do tempo na historia da educacao de surdos
3o slide   linha do tempo na historia da educacao de surdos3o slide   linha do tempo na historia da educacao de surdos
3o slide linha do tempo na historia da educacao de surdos
Jean Rodrigo
 

Mais procurados (20)

História dos surdos e oralismo
História dos surdos e oralismoHistória dos surdos e oralismo
História dos surdos e oralismo
 
Slide libras (1)
Slide libras (1)Slide libras (1)
Slide libras (1)
 
Educação dos surdos
Educação dos surdosEducação dos surdos
Educação dos surdos
 
Libras basico
Libras basicoLibras basico
Libras basico
 
LIBRAS AULA 3: Primeiros estudos, Mitos, Concepções
LIBRAS AULA 3: Primeiros estudos, Mitos, Concepções LIBRAS AULA 3: Primeiros estudos, Mitos, Concepções
LIBRAS AULA 3: Primeiros estudos, Mitos, Concepções
 
Oficina "O classificador em libras" - Andrea Giovanella
Oficina "O classificador em libras" - Andrea GiovanellaOficina "O classificador em libras" - Andrea Giovanella
Oficina "O classificador em libras" - Andrea Giovanella
 
LIBRAS AULA 12: Aspectos Linguísticos da língua de sinais – Morfologia
LIBRAS AULA 12: Aspectos Linguísticos da língua de sinais – Morfologia LIBRAS AULA 12: Aspectos Linguísticos da língua de sinais – Morfologia
LIBRAS AULA 12: Aspectos Linguísticos da língua de sinais – Morfologia
 
Identidade surda
Identidade surdaIdentidade surda
Identidade surda
 
LIBRAS AULA 11: Aspectos Linguísticos da língua de sinais - Aspectos fonológicos
LIBRAS AULA 11: Aspectos Linguísticos da língua de sinais - Aspectos fonológicosLIBRAS AULA 11: Aspectos Linguísticos da língua de sinais - Aspectos fonológicos
LIBRAS AULA 11: Aspectos Linguísticos da língua de sinais - Aspectos fonológicos
 
Aspectos Gramaticas da Libras
Aspectos Gramaticas da LibrasAspectos Gramaticas da Libras
Aspectos Gramaticas da Libras
 
3o slide linha do tempo na historia da educacao de surdos
3o slide   linha do tempo na historia da educacao de surdos3o slide   linha do tempo na historia da educacao de surdos
3o slide linha do tempo na historia da educacao de surdos
 
Libras língua ou linguagem de sinais?
Libras língua ou linguagem de sinais?Libras língua ou linguagem de sinais?
Libras língua ou linguagem de sinais?
 
Classificadores em Libras
Classificadores em LibrasClassificadores em Libras
Classificadores em Libras
 
LIBRAS AULA 6: A interação do surdo com o mundo
LIBRAS AULA 6: A interação do surdo com o mundo LIBRAS AULA 6: A interação do surdo com o mundo
LIBRAS AULA 6: A interação do surdo com o mundo
 
Programa inclusivo bilíngue para educação de surdos
Programa inclusivo bilíngue para educação de surdosPrograma inclusivo bilíngue para educação de surdos
Programa inclusivo bilíngue para educação de surdos
 
Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS - Aspectos Linguísticos
Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS - Aspectos LinguísticosLíngua Brasileira de Sinais - LIBRAS - Aspectos Linguísticos
Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS - Aspectos Linguísticos
 
Mundo Surdo
Mundo SurdoMundo Surdo
Mundo Surdo
 
Modulo 2 libras
Modulo 2 librasModulo 2 libras
Modulo 2 libras
 
Aulas 5 e 6
Aulas 5 e 6Aulas 5 e 6
Aulas 5 e 6
 
Brincando com-a-libras (1)
Brincando com-a-libras (1)Brincando com-a-libras (1)
Brincando com-a-libras (1)
 

Destaque

História dos Surdos
História dos SurdosHistória dos Surdos
História dos Surdos
joaoribau
 
Legislação acerca da Libras
Legislação acerca da LibrasLegislação acerca da Libras
Legislação acerca da Libras
Valdemar Júnior
 
Legislaçao3 lei 10436
Legislaçao3 lei 10436Legislaçao3 lei 10436
Legislaçao3 lei 10436
hsurdez
 
Oralismo bilinguismo e comunicação
Oralismo bilinguismo e comunicaçãoOralismo bilinguismo e comunicação
Oralismo bilinguismo e comunicação
Michelli Assis
 
Apostila libras
Apostila librasApostila libras
Apostila libras
Jana Bento
 
Apostila libras reformulada completa
Apostila libras reformulada  completaApostila libras reformulada  completa
Apostila libras reformulada completa
LiseteLima
 

Destaque (13)

Libras
LibrasLibras
Libras
 
História dos Surdos
História dos SurdosHistória dos Surdos
História dos Surdos
 
A linha do tempo aula 01
A linha do tempo aula 01A linha do tempo aula 01
A linha do tempo aula 01
 
Legislação acerca da Libras
Legislação acerca da LibrasLegislação acerca da Libras
Legislação acerca da Libras
 
História da educação de surdos e educação de
História da educação de surdos e educação deHistória da educação de surdos e educação de
História da educação de surdos e educação de
 
Legislaçao3 lei 10436
Legislaçao3 lei 10436Legislaçao3 lei 10436
Legislaçao3 lei 10436
 
LIBRAS - AULA 1 e 2
LIBRAS - AULA 1 e 2LIBRAS - AULA 1 e 2
LIBRAS - AULA 1 e 2
 
Curso De Libras 1 Aula
Curso De Libras 1 AulaCurso De Libras 1 Aula
Curso De Libras 1 Aula
 
Slides. libras.
Slides. libras.Slides. libras.
Slides. libras.
 
Power Point
Power PointPower Point
Power Point
 
Oralismo bilinguismo e comunicação
Oralismo bilinguismo e comunicaçãoOralismo bilinguismo e comunicação
Oralismo bilinguismo e comunicação
 
Apostila libras
Apostila librasApostila libras
Apostila libras
 
Apostila libras reformulada completa
Apostila libras reformulada  completaApostila libras reformulada  completa
Apostila libras reformulada completa
 

Semelhante a História dos Surdos

Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
profbrunogeo95
 
Atividade 10 -_leitura_complementar_unidade_iv
Atividade 10 -_leitura_complementar_unidade_ivAtividade 10 -_leitura_complementar_unidade_iv
Atividade 10 -_leitura_complementar_unidade_iv
Paula Aparecida Alves
 
Por Clélia Regina Ramos
Por Clélia Regina RamosPor Clélia Regina Ramos
Por Clélia Regina Ramos
Roberth Mccry
 
Apostila libras-reformulada- completa
Apostila libras-reformulada- completaApostila libras-reformulada- completa
Apostila libras-reformulada- completa
Anisia Barros
 

Semelhante a História dos Surdos (20)

Faculdade Evangélica do Meio Norte-FAEME
Faculdade Evangélica do Meio Norte-FAEMEFaculdade Evangélica do Meio Norte-FAEME
Faculdade Evangélica do Meio Norte-FAEME
 
FENEIS: FUNDAÇÃO E PRIMEIROS ANOS
FENEIS: FUNDAÇÃO E PRIMEIROS ANOSFENEIS: FUNDAÇÃO E PRIMEIROS ANOS
FENEIS: FUNDAÇÃO E PRIMEIROS ANOS
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Hes7 12
Hes7 12Hes7 12
Hes7 12
 
Libras 01
Libras 01Libras 01
Libras 01
 
Hes2
Hes2Hes2
Hes2
 
Hes2
Hes2Hes2
Hes2
 
Apresentação 1 Linguistica .pdf
Apresentação 1 Linguistica .pdfApresentação 1 Linguistica .pdf
Apresentação 1 Linguistica .pdf
 
História dos Surdos
História dos SurdosHistória dos Surdos
História dos Surdos
 
Deficientes auditivos e visuais educaçao inclusiva
Deficientes auditivos e visuais educaçao inclusivaDeficientes auditivos e visuais educaçao inclusiva
Deficientes auditivos e visuais educaçao inclusiva
 
Act 7
Act 7Act 7
Act 7
 
Atividade 10 -_leitura_complementar_unidade_iv
Atividade 10 -_leitura_complementar_unidade_ivAtividade 10 -_leitura_complementar_unidade_iv
Atividade 10 -_leitura_complementar_unidade_iv
 
LIBRAS.pptx
LIBRAS.pptxLIBRAS.pptx
LIBRAS.pptx
 
Apostila Victor libras 2023 curso básico
Apostila Victor libras 2023 curso básicoApostila Victor libras 2023 curso básico
Apostila Victor libras 2023 curso básico
 
Artigo2
Artigo2Artigo2
Artigo2
 
Por Clélia Regina Ramos
Por Clélia Regina RamosPor Clélia Regina Ramos
Por Clélia Regina Ramos
 
Act 2
Act 2Act 2
Act 2
 
Historia educação surdos 2
Historia educação surdos 2Historia educação surdos 2
Historia educação surdos 2
 
aula 2 ufsb 2022.2.pptx
aula 2 ufsb 2022.2.pptxaula 2 ufsb 2022.2.pptx
aula 2 ufsb 2022.2.pptx
 
Apostila libras-reformulada- completa
Apostila libras-reformulada- completaApostila libras-reformulada- completa
Apostila libras-reformulada- completa
 

Último

O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Kelly Mendes
 

Último (20)

Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptxSanta Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 

História dos Surdos

  • 1. Cristiane R. da Rocha Tutora Tradutora Intérprete de LIBRAS Curso da UEPG/NUTEAD/UAB/PROLICEN Tradutora/Intérprete no Ensino Regular há 7 anos e a 10 anos na igreja. Aprendi (e continuo aprendendo) Libras convivendo com surdos.
  • 2. Minha experiência com a Libras: 2000- 1º Contato com surdos em 2000. Início de Inclusão, curso de informática 2002- Impacto world 2003 - Primeiros surdos na Igreja: Aprendendo LIBRAS ao vivo 2005- Provas práticas (sem cursos)FENEIS.
  • 3. 2006- Incentivo para atuar no ensino regular, fundamental, médio e técnico. 2007- Formação de Intérpretes SEED – Curitiba 2007-PROLIBRAS – SC 2007-Iniciei Pedagogia EAD UCB /RJ 2013- 3º ano Bacharel em Teologia EAD FTBP-Curitiba
  • 4. 2013 – Atuação 2ºano do Ensino Médio- 2 alunas surdas Tutoria da UEPG Eventuais participações para interpretação e tradução.
  • 5. A 2ª imagem é o profissional intérprete internacional Marco Antônio Arriens. Saiba mais sobre essa referência para muitos que atuam nessa área. http://surdosgeradospordeus.blogspot.com.br
  • 7. Históri a dos Surdos
  • 8. Egito 400 a.C Idade Antiga Surdos: criaturas privilegiadas porque acreditavam que eles comunicavam-se com os deuses.
  • 9. Citações da Bíblia no Antigo Testamento Em Êxodo 4:11 e Levítico 19:14, Deus ensina Moisés.
  • 10. 485-420 a. C Filósofo Heródoto “Seres castigados pelos Deuses.”
  • 11. 485-483 a.C China Sacrificados ao deus Teutates
  • 12. 480- 425 a. C Grécia Incapazes, incômodos a sociedade Lançados a morte nos rochedos de Taygéte. Sobreviventes viviam na miséria.
  • 13. Atenas -rejeitados e abandonados Esparta Jogados nos rochedos
  • 14. 469 a. C Filósofo Sócrates Se não tivessem voz ou língua, também deveriam se comunicar como surdos.
  • 15. 384 a. C Filósofo Aristóteles Se não tem audição é incapaz de pensar, ter inteligência E achava um absurdo ensinar o surdo a falar.
  • 16. 30 d. C Jesus Cristo Novo Testamento Mc 7: 32-35 Disse: Efatá= Abre-te
  • 17. 483-527 d.C Justiniano Em Roma: - Castigados ou enfeitiçados. -Abandonados ou eliminados no Rio Tiger. -Alguns os pais escondiam. -Escravizados no moinho. - Código Justiniano: divisão por grau de deficiência
  • 18. 1453 Idade Moderna Bartollo Della Marca d’Ancora -Possibilidadede surdos aprender língua de sinais ou oral.
  • 19. 1500 Girolamo Cadarno -surdez e mudez não impedia o aprendizado por meio Da escrita e sinais. -filho surdo.
  • 20. 1528 Rodolfo Agrícola -Conheceu surdo que escrevia e se expressava através dela.
  • 21. 1560 Melchor de Yebra -Monge em Madrid, foi o primeiro a escrever Refugium Infirmorum descreve e ilustra um alfabeto manual, publicado sete anos após sua morte. -fins religiosos para ensinar surdos. -Ilustração de 1579, Veneza-Itália. - Surdos que conseguiam falar direito a herança.
  • 22. 1579 “Dactolologia”- inventado por aluno surdo Fontenay. Introdução do alfabeto manual em vários países de acordo com ortografia e cultura.
  • 23. 1584 Pedro Ponce de Léon -Considerado o 1º professor de surdo da história. -2 surdos de uma família Velasco da Espanha. -Ensino aos filhos de nobres -Se não falassem não recebiam herança. -Não publicou nada em vida. - Votos de silêncio.
  • 24. 1620 Juan Pablo Bonet Espanha- Outro membro da família Velasco. -Publicou o 1º livro sobre a educação de surdos.
  • 25. 1644 Jonh Bulwer -Médico: Estudos dos surdos , desenvolveu a comunicação entre surdos e ouvintes. -Língua universal e icônica .
  • 26. 1659 John Wallis -Métodos de Bonet- dactolologia. - Desistiu e usava a língua de sinais.
  • 27. 1700 Johann Conrad Amman -Contra língua de sinais, mas usava para ensinar a fala. -Surdos pouco diferença de animais. -Movimento oralista Alemão.
  • 28. 1741 Jacob Rodrigues Pereire -Pioneiro no ensino dos surdos na França. -Oralizou sua irmã surda. -Premiado pela Academia Francesa de Ciências.
  • 29. 1755 Samuel Heinicke -Pai do método alemão Oralismo Puro. 1778 -1ª escola de oralismo com 9 alunos surdos.
  • 30. 1759 Charles Michel L ‘Epée -Conheceu gêmeas surdas eu conversam em sinais. -Contato com surdos carentes nas ruas de Paris. Ensinava em sua casa sinais e gramática sinalizada. -Língua de Sinais= natural dos surdos -Publicou o 1º dicionário de sinais. 1789 -Morre, mas tinha fundado 21 escolas na França e -Europa.
  • 31. 1760 Thomas Braidwood -Fala=razão -1ª escola correção da fala, os incapaz eram isolados. -Crianças pobres sem pais eram tratados como os surdos.
  • 32. 1782 Abade Roch Sicard -Foi diretor de uma das escolas de L ‘Epée, mas Achava o dicionário de sinais complicado.
  • 33. 1783 Tommaso Silvestri -Itália: seguiu os passos de L ‘Epée
  • 34. 1802 Idade Contemporânea Jean Marc Gaspard Itard -Médico do Instituto Nacional dos Surdos em Paris. -Com Philipe Pinel= o diferente era reconhecido como doente. - Experiências com os surdos: Dissecou, aplicou cargas elétricas, furou membranas, fraturou Crânios, sanguessugas, infeccionou pontos da orelha.(sofrimento e mortes)
  • 35. Jean Marc Gaspard Itard -Método para ensinar Victor, “Garoto Selvagem de Aveyron”, (menino que foi encontrado com lobos). -Não conseguiu ensiná-lo
  • 36. 1804 Joseph Marie Barn de Gérando -Manipulou o diretor do Instituto Nacional -De Surdos de Paris, pelo mesmo desconhecer a surdez. -Trocou professores surdos por ouvintes. -Frustrado retomou a LS
  • 37. 1814 Thomas Hopinks Gallaudet -EUA: percebeu que Alice Gogwell, não interagia, por ser surda era rejeitada. -Em contato com o pai de Alice, pensou em criar a escola. -Foi a Europa = métodos secretos -Foi a França= aprendeu com Sicard. - Retorna aos EUA com Laurent Clerc professor surdo -Fundou a escola em 15/04/1814
  • 38. 1830 Lewis Weld -Vai a Europa e percebe a importância dos sinais. - Surge oralismo = sem resultados.
  • 39. 1846 Alexander Melville Bell -Professor de Surdos -Criou instrumentos, dizia que a fala era visível. -Fundou sua própria escola para surdos.
  • 40. 1850 Alexander Grahn Bell -Defensor do Oralismo. -Língua de sinais apoio a Língua oral. - Criticou casamentos entre surdos
  • 41. -Em 1873 Conheceu Mabel Gardiner Hulbard (surda), casou- se com ela.
  • 42. 1855 – BRASIL Eduard Huet -Profº surdo francês, vem ao Brasil com aprovação de D. Pedro. -Século XV : surdos eram inducáveis.
  • 43. 1857 Dia dos Surdos : Rio de Janeiro, em 26 de setembro. - Alfabeto manual francês foi difundido no Brasil.
  • 44.
  • 45. 1859 Horace Mann e Samuel Howe -Influência na eliminação dos sinais nos EUA -Anos antes se impressionaram com o oralismo e surdos que podiam falar.
  • 46. 1864 Edward Miner Galladeut -Pedagogo, fundou a 1ª Universidade Nacional para Surdos em Washington-EUA.
  • 47. 1880 Helen Adams Keller -Escritora, conferencista e ativista social nos EUA. -Com 2anos ficou cega e depois surda.
  • 48. -Superou suas limitações com ajuda da professora Anne Sullivan. - Encontrou-se com Grahn Bell Morreu em 01/06/68 com 87 anos.
  • 49. 1880
  • 50.
  • 51. 1889 Congressos posteriores em Paris, Gênova e Chicago. Uso de sinais e oral.
  • 52. 1951 Vicente de Paulo Penido Burnier. 1º padre surdo , esperou 3 anos a ordenação.
  • 53. 1960 Willian Stokoe -Estudioso da Língua Gestual americana em Galladeut -Realizou muitos estudos com filhos surdos de pais surdos e de surdos com pais ouvintes. 1971- após 100 anos de oralismo, a Língua de Sinais volta a ser valorizada. Discussão sobre a “Comunicação Total”
  • 54. 1961- Livro “Até onde vai o Surdo”. 1969- Eugênio Oates: publicou “Linguagem das Mãos”, com 1258 sinais . 1977- FENEIDA: Federação Nacional de Educação e Integração dos Deficientes Auditivos. 1884- CBDS: Confederação Brasileira de Desportos dos Surdos-
  • 55. 1986- Marlee Matlin (surda 20anos) Premiada com Globo de Ouro e Oscar pelo filme “Os Filhos do Silêncio”.
  • 57.
  • 58. 1997- Em setembro a TV Globo Exibe legendas no jornal.
  • 59. 1999 1ª revista Feneis. Formação de multiplicadores da Libras em contexto com MEC/ Feneis.
  • 60. 2002 Nº 10.436 de 24 de abril
  • 61.
  • 63.
  • 64.
  • 65.
  • 66. VIVA A LIBRAS! sinal – LIBRAS
  • 67.
  • 68. Referências de Livros e Sites •Aprenda Libras Com Eficiência E Rapidez - Volume 1 E 2 Autores : Éden Veloso de Almeida (surdo) e Valdeci Maia filho (surdo) •Apostila Libras da Profª Formadora Rosana Ribas Machado para cursos EaD da UEPG/NUTEAD-PR •http://images.google.com.br/ •http://www.acessobrasil.org.br/libras/ •http://www.feneis.com.br/page/index.asp •http://www.vezdavoz.com.br/site/index.php •http://paulohenriquelibras.blogspot.com.br/2011/06/feira-cultural-com-os-surdos-do-mons.html •http://chc.cienciahoje.uol.com.br/para-comecar-um-pulo-no-egito/ •http://familiadivinopaieterno.blogspot.com.br/p/estudando-o-antigo-testamento.html •www.ebooksbrasil.org/eLibris/historiaherodoto.html •http://divalibras.blogspot.com.br/ •http://listasde10.blogspot.com.br/2010/09/10-filmes-com-surdez.html •http://surdosgeradospordeus.blogspot.com.br Material Didático •Professora Rosangela Apª Machado- Castro/PR •Professora TILS Talícia do Carmo Galan Kuhn- Palmeira/PR