SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
O autismo é uma alteração cerebral, uma desordem que compromete o desenvolvimento psiconeurológico e afeta a capacidade da pessoa se comunicar, compreender e falar, afeta seu convivio social. O autismo infantil é um transtorno do desenvolvimento que manifesta-se antes dos 3 anos de idade, e é mais comum em meninos que em meninas e não necessariamente é acompanhado de retardo mental pois existem casos de crianças que apresentam inteligência e fala intactas. Existe também o Transtorno Invasivo do Desenvolvimento (TID) que difere do autismo infantil por evidenciar-se somente depois dos 3 anos de idade, referir-se a um desenvolvimento anormal e prejudicado e não preencher todos os critério de diagnóstico. O autismo atípico surge mais freqüentemente em indivíduos com deficiência mental profunda e em indivíduos com um grave transtorno específico do desenvolvimento da recepção da linguagem. Por ainda não ter uma causa específica definida, é chamado de Síndrome (=conjunto de sintomas) e como em qualquer síndrome o grau de comprometimento pode variar do mais severo ao mais brando e atinge todas as classe sociais, em todo o mundo. Leo Karnner foi o primeiro a classificar o autismo em 1943, logo após em 1944 Hans Asperger pesquisou e classificou a Síndrome de Asperger, um dos espectros mais conhecidos do Autismo. HISTÓRIA - CONCEITO DO AUTISMO  Leo Kanner ( Psiquiatra austríaco radicado nos Estados Unidos. Nascido em 13 de junho de 1894, em Klekotow, Áustria e falecido em 4 de abril de 1981 ) e m 1943 publicou a obra que associou seu nome ao autismo quot;
Autistic disturbances of affective contactquot;
, na revsta Nervous Children, número 2, páginas 217-250. Nela estudou e descreveu a condição de 11 crianças consideradas especiais, que tinham em comum quot;
um isolamento extremo desde o início da vida e um desejo obsessivo pela preservação da rotinaquot;
, denominando-as de quot;
autistasquot;
. Já existiram muitos questionamentos e hipoteses sobre origem do autismo. Uma delas era de que os pais poderiam ser culpados pelo extremo isom=lamento da criança, Então 1969 durante a primeira assembelia da National Society for Autistic Children (hoje Autism Society of America - ASA) , Leo Kanner absolve publicamente os pais de serem a causa do desenvolvimento da sindrome autistica em seus filhos. Ele continuou a ocupar-se de crianças com autismo por muito tempo, por isso voltou a sua primeira hipotese de que o autismo é um disturbio inato do desenvolvimento. Em 1972 nos Estados Unidos é reconhecido o programa TEACCH – The Treatment and Education of Autistic and Related Communication Handicapped Children ( em português: Tratamento e Educação para Autistas e Crianças com Déficits Relacionados com a Comunicação) criado por Eric Schopler Professor de psicologia e diretor desse programa da Universidade da Carolina do Norte até 1994. Um dos pontos principais desse método é a colaboração entre equipe educadora e a família. A partir de 1980 com a 3ª edicão do Manual Diagnóstico e Estatístico (DSM III) é introduzido o capitulo dedicado a Distúrbio Generalizado do Desenvolvimento no qual o autismo passa a estar.   SINTOMAS COMUNSConforme - ASA ( Autism Society of American). A maioria dos sintomas está presente nos primeiros anos de vida da criança variando em intensidade de mais severo a mais brando. 1. Dificuldade de relacionamento com outras crianças 2. Riso inapropriado 3. Pouco ou nenhum contato visual 4. Não quer ser tocado 5. Isolamento; modos arredios 6. Gira objetos 7. Cheira ou lambe os brinquedos, Inapropriada fixação em objetos 8. Perceptível hiperatividade ou extrema inatividade 9. Ausência de resposta aos métodos normais de ensino 10. Aparente insensibilidade à dor 11. Acessos de raiva - demonstra extrema aflição sem razão aparente   12. Procedimento com poses bizarras (fixar objeto ficando de cócoras; colocar-se de pé numa perna só; impedir a passagem por uma porta, somente liberando-a após tocar de uma determina maneira os alisares) 13. Ecolalia (repete palavras ou frases em lugar da linguagem normal) 14. Insistência em repetição, resistência à mudança de rotina 15. Age como se estivesse surdo 16. Dificuldade de comunicação em expressar necessidades - usa gesticular e apontar no lugar de palavras 17. Não tem real noção do perigo 18. Irregular habilidade motora - pode não querer chutar uma bola, mas pode arrumar blocos     COMPORTAMENTOS DO INDIVÍDUO COM AUTISMO   (Segundo a ASA) USA AS PESSOAS COMO FERRAMENTAS RESISTE A MUDANÇAS DE ROTINA NÃO SE MISTURA COM OUTRAS CRIANÇAS APEGO NÃO APROPRIADO A OBJETOS         NÃO MANTÉM CONTATO VISUAL AGE COMO SE FOSSE SURDO RESISTE AO APRENDIZADO NÃO DEMONSTRA MEDO DE PERIGOS         RISOS E MOVIMENTOS NÃO APROPRIADOS RESISTE AO CONTATO FÍSICO ACENTUADA HIPERATIVIDADE FÍSICA GIRA OBJETOS DE MANEIRA BIZARRA E PECULIAR               ÀS VEZES É AGRESSIVO E DESTRUTIVO MODO E COMPORTAMENTO INDIFERENTE E ARREDIO    ALGUNS ESPECTROS DO AUTISMO  Ao conjunto de determinadas variações, chamamos de Espectro do Autismo, pois somam-se as características autísticas, outras específicas de cada grupo de outros sintomas. Distúrbio Abrangente do Desenvolvimento  Autism - High Functioning, Asperger's Syndrome, PDD, PDD-NOS.CAUSAS DO AUTISMO A causa específica, ainda é desconhecida mais há várias suspeitas de que pode compreender alguns desses fatores: Influência Genética Vírus Toxinas e poluição. desordenes metabólicos Intolerância inmunologica Infecções virais e grandes doses de antibioticos nos primeiros 3 anos. SOBRE METAIS PESADOS - Uma das possíveis causas Os seres vivos necessitam de pequenas quantidades de alguns desses metais, incluindo cobalto, cobre, manganês, molibdênio, vanádio, estrôncio, e zinco, para a realização de funções vitais no organismo. Porém níveis excessivos desses elementos podem ser extremamente tóxicos. Outros metais pesados como o chumbo e cádmio e o mercúrio já citado antes, não possuem nenhuma função dentro dos organismos e a sua acumulação pode provocar graves doenças, sobretudo nos mamíferos. Quando lançados como resíduos industriais, na água, no solo ou no ar, esses elementos podem ser absorvidos pelos vegetais e animais das proximidades, provocando graves intoxicações ao longo da cadeia alimentar. A ingestão, inalação ou absorção pela pele, de metais pesados ou substâncias que componham o mesmo, pode resultar em situações como o autismo, atraso mental, doenças, cansaço ou o sindroma do Golfo. Porém ainda que sendo apenas uma hipotése , ela não deixa de ter boas bases científicas e hoje os laboratórios começam a abandonar o uso do mercúrio como conservante, em parte devido à pressão da opinião pública. Mesmo que esse seja o motivo para o autismo não é o único. Existem diversas substâncias que estamos a acostumados de certo modo e algumas nos são impostas no convívio social como tabaco, poluição (sobretudo os gases de escape dos automóveis e fábricas), álcool, vemos que estamos vivendo num mundo demasiado poluído e que pode agravar toda esta situação. A Medicina Alternatica Complementar (CAM), portanto, pode ajudar pessoas com autismo. Ao verificar qual foi o dano causado no organismo (seja no sistema imunológico, alérgias ou outros problemas) e trabalhar na busca de uma solução, existem dietas, tratamentos farmacológicos e terapias que em conjunto podem auxiliar a solucionar ou amenizar situações graves. E todo e qualquer tratamento iniciado precocemente terá melhores resultados. http://pt.wikipedia.org/wiki/Metais_pesados <br />
O autismo é uma alteração cerebral
O autismo é uma alteração cerebral

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Cartilha os direitos dos autistas no amazonas simone helen drumond ischkanian
Cartilha os direitos dos autistas no amazonas simone helen drumond ischkanianCartilha os direitos dos autistas no amazonas simone helen drumond ischkanian
Cartilha os direitos dos autistas no amazonas simone helen drumond ischkanian
 
TEA
TEATEA
TEA
 
Autismo e educação
Autismo e educaçãoAutismo e educação
Autismo e educação
 
Palestra Autismo para a ONG AMAI Azul
Palestra Autismo para a ONG AMAI AzulPalestra Autismo para a ONG AMAI Azul
Palestra Autismo para a ONG AMAI Azul
 
Autismo 07-de-abril-de-2015-taboao
Autismo 07-de-abril-de-2015-taboaoAutismo 07-de-abril-de-2015-taboao
Autismo 07-de-abril-de-2015-taboao
 
O Autismo
O AutismoO Autismo
O Autismo
 
304 caracteristicas do autismo
304 caracteristicas do autismo304 caracteristicas do autismo
304 caracteristicas do autismo
 
Familia e autismo
Familia e autismoFamilia e autismo
Familia e autismo
 
Transtorno do Espectro Autista
Transtorno do Espectro AutistaTranstorno do Espectro Autista
Transtorno do Espectro Autista
 
Conselhos para pais de autistas
Conselhos para pais de autistasConselhos para pais de autistas
Conselhos para pais de autistas
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
O autismo e suas características
O autismo e suas característicasO autismo e suas características
O autismo e suas características
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Transtorno do Espectro do Autismo
Transtorno do Espectro do AutismoTranstorno do Espectro do Autismo
Transtorno do Espectro do Autismo
 
TEAAF ASPERGER AUTISMO
TEAAF ASPERGER AUTISMO TEAAF ASPERGER AUTISMO
TEAAF ASPERGER AUTISMO
 
Síndrome de Asperger e Austismo de Alto Funcionamento
Síndrome de Asperger e Austismo de Alto FuncionamentoSíndrome de Asperger e Austismo de Alto Funcionamento
Síndrome de Asperger e Austismo de Alto Funcionamento
 
Asperger
AspergerAsperger
Asperger
 
119168916 autismo
119168916 autismo119168916 autismo
119168916 autismo
 

Destaque

Programa del dia del maestro 2015 (3)
Programa del dia del maestro 2015 (3)Programa del dia del maestro 2015 (3)
Programa del dia del maestro 2015 (3)Carlos Escobar
 
Aplicação tasty! - Social Media Intelligence
Aplicação tasty! - Social Media IntelligenceAplicação tasty! - Social Media Intelligence
Aplicação tasty! - Social Media IntelligenceCarolina Morgado
 
El documento de la vergüenza
El documento de la vergüenzaEl documento de la vergüenza
El documento de la vergüenzaJordi de Dios
 
RP on line - Centro de Operações Rio
RP on line - Centro de Operações RioRP on line - Centro de Operações Rio
RP on line - Centro de Operações RioJuliana Melo
 
Apresentacao 4 t11_port
Apresentacao 4 t11_portApresentacao 4 t11_port
Apresentacao 4 t11_portCteep
 
Aula 2 Recuperação de Informação: operadores booleanos e aspectos linguísticos
Aula 2   Recuperação de Informação: operadores booleanos e aspectos linguísticosAula 2   Recuperação de Informação: operadores booleanos e aspectos linguísticos
Aula 2 Recuperação de Informação: operadores booleanos e aspectos linguísticosFilipe Reis
 
Carpeta virtual roy
Carpeta virtual royCarpeta virtual roy
Carpeta virtual royArqui Gil
 
"A mídia que mudou a mídia" @ content summit 2014
"A mídia que mudou a mídia" @ content summit 2014"A mídia que mudou a mídia" @ content summit 2014
"A mídia que mudou a mídia" @ content summit 2014Doélio Bérgamo
 
EXPERIÊNCIA DOCENTE DO PIBID – LÍNGUA PORTUGUESA: TRABALHANDO COM A MEMÓRIA N...
EXPERIÊNCIA DOCENTE DO PIBID – LÍNGUA PORTUGUESA: TRABALHANDO COM A MEMÓRIA N...EXPERIÊNCIA DOCENTE DO PIBID – LÍNGUA PORTUGUESA: TRABALHANDO COM A MEMÓRIA N...
EXPERIÊNCIA DOCENTE DO PIBID – LÍNGUA PORTUGUESA: TRABALHANDO COM A MEMÓRIA N...Nathália Gasparini
 
La sociedad argentina
La sociedad argentinaLa sociedad argentina
La sociedad argentinamarcoszerpa
 
Melhorias no Cabeamento Estruturado de Redes da IM/RODANTE
Melhorias no Cabeamento Estruturado de Redes da IM/RODANTEMelhorias no Cabeamento Estruturado de Redes da IM/RODANTE
Melhorias no Cabeamento Estruturado de Redes da IM/RODANTEJudá Teixeira
 
Imatges Del Nostre Hort
Imatges Del Nostre HortImatges Del Nostre Hort
Imatges Del Nostre Hortxiquietar
 
Seguridad Informatica
Seguridad InformaticaSeguridad Informatica
Seguridad InformaticaAideeR
 
Parte 4 - Cristo se refere a ressurreição
Parte 4 - Cristo se refere a ressurreiçãoParte 4 - Cristo se refere a ressurreição
Parte 4 - Cristo se refere a ressurreiçãoWebExecutivo1
 
Slides projeto-5º ano
Slides projeto-5º anoSlides projeto-5º ano
Slides projeto-5º anofreitassud
 

Destaque (20)

El reino animal
El reino animalEl reino animal
El reino animal
 
Programa del dia del maestro 2015 (3)
Programa del dia del maestro 2015 (3)Programa del dia del maestro 2015 (3)
Programa del dia del maestro 2015 (3)
 
Aplicação tasty! - Social Media Intelligence
Aplicação tasty! - Social Media IntelligenceAplicação tasty! - Social Media Intelligence
Aplicação tasty! - Social Media Intelligence
 
El documento de la vergüenza
El documento de la vergüenzaEl documento de la vergüenza
El documento de la vergüenza
 
RP on line - Centro de Operações Rio
RP on line - Centro de Operações RioRP on line - Centro de Operações Rio
RP on line - Centro de Operações Rio
 
Apresentacao 4 t11_port
Apresentacao 4 t11_portApresentacao 4 t11_port
Apresentacao 4 t11_port
 
Definición de Cultura
Definición de CulturaDefinición de Cultura
Definición de Cultura
 
Aula 2 Recuperação de Informação: operadores booleanos e aspectos linguísticos
Aula 2   Recuperação de Informação: operadores booleanos e aspectos linguísticosAula 2   Recuperação de Informação: operadores booleanos e aspectos linguísticos
Aula 2 Recuperação de Informação: operadores booleanos e aspectos linguísticos
 
Carpeta virtual roy
Carpeta virtual royCarpeta virtual roy
Carpeta virtual roy
 
"A mídia que mudou a mídia" @ content summit 2014
"A mídia que mudou a mídia" @ content summit 2014"A mídia que mudou a mídia" @ content summit 2014
"A mídia que mudou a mídia" @ content summit 2014
 
hadas
hadashadas
hadas
 
Murice Restauración
Murice RestauraciónMurice Restauración
Murice Restauración
 
EXPERIÊNCIA DOCENTE DO PIBID – LÍNGUA PORTUGUESA: TRABALHANDO COM A MEMÓRIA N...
EXPERIÊNCIA DOCENTE DO PIBID – LÍNGUA PORTUGUESA: TRABALHANDO COM A MEMÓRIA N...EXPERIÊNCIA DOCENTE DO PIBID – LÍNGUA PORTUGUESA: TRABALHANDO COM A MEMÓRIA N...
EXPERIÊNCIA DOCENTE DO PIBID – LÍNGUA PORTUGUESA: TRABALHANDO COM A MEMÓRIA N...
 
La sociedad argentina
La sociedad argentinaLa sociedad argentina
La sociedad argentina
 
saul
saulsaul
saul
 
Melhorias no Cabeamento Estruturado de Redes da IM/RODANTE
Melhorias no Cabeamento Estruturado de Redes da IM/RODANTEMelhorias no Cabeamento Estruturado de Redes da IM/RODANTE
Melhorias no Cabeamento Estruturado de Redes da IM/RODANTE
 
Imatges Del Nostre Hort
Imatges Del Nostre HortImatges Del Nostre Hort
Imatges Del Nostre Hort
 
Seguridad Informatica
Seguridad InformaticaSeguridad Informatica
Seguridad Informatica
 
Parte 4 - Cristo se refere a ressurreição
Parte 4 - Cristo se refere a ressurreiçãoParte 4 - Cristo se refere a ressurreição
Parte 4 - Cristo se refere a ressurreição
 
Slides projeto-5º ano
Slides projeto-5º anoSlides projeto-5º ano
Slides projeto-5º ano
 

Semelhante a O autismo é uma alteração cerebral

Semelhante a O autismo é uma alteração cerebral (20)

Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
entre dois mundo
entre dois mundoentre dois mundo
entre dois mundo
 
Informações sobre Autismo
Informações sobre AutismoInformações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
 
Transtorno do espectro autista
Transtorno do espectro autistaTranstorno do espectro autista
Transtorno do espectro autista
 
340
340340
340
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Autismo - Liga de Pediatria UNICID
Autismo - Liga de Pediatria UNICIDAutismo - Liga de Pediatria UNICID
Autismo - Liga de Pediatria UNICID
 
Autismo - Pedagogia difinição e historico
Autismo - Pedagogia difinição e historicoAutismo - Pedagogia difinição e historico
Autismo - Pedagogia difinição e historico
 
Apresentação autismo para maiores de 11anos
Apresentação autismo para maiores de 11anosApresentação autismo para maiores de 11anos
Apresentação autismo para maiores de 11anos
 
ApresentaçãO Autismo
ApresentaçãO AutismoApresentaçãO Autismo
ApresentaçãO Autismo
 
Apostila autismo
Apostila autismoApostila autismo
Apostila autismo
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
autismo como tratar.pdf
autismo como tratar.pdfautismo como tratar.pdf
autismo como tratar.pdf
 
Pedagogia - Autismo
Pedagogia - AutismoPedagogia - Autismo
Pedagogia - Autismo
 
Autismo e síndrome de asperger uma visão geral
Autismo e síndrome de asperger uma visão geralAutismo e síndrome de asperger uma visão geral
Autismo e síndrome de asperger uma visão geral
 
asperger - ami klin
asperger - ami klinasperger - ami klin
asperger - ami klin
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Autismo sem preconceito.pdf
Autismo sem preconceito.pdfAutismo sem preconceito.pdf
Autismo sem preconceito.pdf
 
Autismo e asperger
Autismo e aspergerAutismo e asperger
Autismo e asperger
 

Mais de Alvaro Crisanto

Será que já podemos sorrir
Será que já podemos sorrirSerá que já podemos sorrir
Será que já podemos sorrirAlvaro Crisanto
 
Santa catarina população das cidades - 2010
Santa catarina   população das cidades - 2010Santa catarina   população das cidades - 2010
Santa catarina população das cidades - 2010Alvaro Crisanto
 
Paraná populção das cidades - 2010
Paraná   populção das cidades - 2010Paraná   populção das cidades - 2010
Paraná populção das cidades - 2010Alvaro Crisanto
 
Minas gerais população das cidades - 2010
Minas gerais   população das cidades - 2010Minas gerais   população das cidades - 2010
Minas gerais população das cidades - 2010Alvaro Crisanto
 
Maranhão população das cidades - 2010
Maranhão   população das cidades - 2010Maranhão   população das cidades - 2010
Maranhão população das cidades - 2010Alvaro Crisanto
 
São paulo população das cidades - 2010
São paulo    população das cidades - 2010São paulo    população das cidades - 2010
São paulo população das cidades - 2010Alvaro Crisanto
 
Maranhão população das cidades - 2010
Maranhão   população das cidades - 2010Maranhão   população das cidades - 2010
Maranhão população das cidades - 2010Alvaro Crisanto
 
Minas gerais população das cidades - 2010
Minas gerais   população das cidades - 2010Minas gerais   população das cidades - 2010
Minas gerais população das cidades - 2010Alvaro Crisanto
 
Santa catarina população das cidades - 2010
Santa catarina   população das cidades - 2010Santa catarina   população das cidades - 2010
Santa catarina população das cidades - 2010Alvaro Crisanto
 
Piauí população das cidades - 2010
Piauí   população das cidades - 2010Piauí   população das cidades - 2010
Piauí população das cidades - 2010Alvaro Crisanto
 
Paraná populção das cidades - 2010
Paraná   populção das cidades - 2010Paraná   populção das cidades - 2010
Paraná populção das cidades - 2010Alvaro Crisanto
 
Maranhão população das cidades - 2010
Maranhão   população das cidades - 2010Maranhão   população das cidades - 2010
Maranhão população das cidades - 2010Alvaro Crisanto
 

Mais de Alvaro Crisanto (20)

Será que já podemos sorrir
Será que já podemos sorrirSerá que já podemos sorrir
Será que já podemos sorrir
 
Espelho
EspelhoEspelho
Espelho
 
A rocha
A rochaA rocha
A rocha
 
Elemento 1º ano b 2010
Elemento 1º ano b   2010Elemento 1º ano b   2010
Elemento 1º ano b 2010
 
Santa catarina população das cidades - 2010
Santa catarina   população das cidades - 2010Santa catarina   população das cidades - 2010
Santa catarina população das cidades - 2010
 
Paraná populção das cidades - 2010
Paraná   populção das cidades - 2010Paraná   populção das cidades - 2010
Paraná populção das cidades - 2010
 
Minas gerais população das cidades - 2010
Minas gerais   população das cidades - 2010Minas gerais   população das cidades - 2010
Minas gerais população das cidades - 2010
 
Maranhão população das cidades - 2010
Maranhão   população das cidades - 2010Maranhão   população das cidades - 2010
Maranhão população das cidades - 2010
 
São paulo população das cidades - 2010
São paulo    população das cidades - 2010São paulo    população das cidades - 2010
São paulo população das cidades - 2010
 
Maranhão população das cidades - 2010
Maranhão   população das cidades - 2010Maranhão   população das cidades - 2010
Maranhão população das cidades - 2010
 
Minas gerais população das cidades - 2010
Minas gerais   população das cidades - 2010Minas gerais   população das cidades - 2010
Minas gerais população das cidades - 2010
 
Santa catarina população das cidades - 2010
Santa catarina   população das cidades - 2010Santa catarina   população das cidades - 2010
Santa catarina população das cidades - 2010
 
Piauí população das cidades - 2010
Piauí   população das cidades - 2010Piauí   população das cidades - 2010
Piauí população das cidades - 2010
 
Paraná populção das cidades - 2010
Paraná   populção das cidades - 2010Paraná   populção das cidades - 2010
Paraná populção das cidades - 2010
 
Maranhão população das cidades - 2010
Maranhão   população das cidades - 2010Maranhão   população das cidades - 2010
Maranhão população das cidades - 2010
 
Atividade6
Atividade6Atividade6
Atividade6
 
F.3 2011.1
F.3   2011.1F.3   2011.1
F.3 2011.1
 
F.2 2011.1
F.2   2011.1F.2   2011.1
F.2 2011.1
 
F.1 2011.1
F.1  2011.1F.1  2011.1
F.1 2011.1
 
Ap.f1
Ap.f1Ap.f1
Ap.f1
 

Último

Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 

Último (20)

Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 

O autismo é uma alteração cerebral

  • 1. O autismo é uma alteração cerebral, uma desordem que compromete o desenvolvimento psiconeurológico e afeta a capacidade da pessoa se comunicar, compreender e falar, afeta seu convivio social. O autismo infantil é um transtorno do desenvolvimento que manifesta-se antes dos 3 anos de idade, e é mais comum em meninos que em meninas e não necessariamente é acompanhado de retardo mental pois existem casos de crianças que apresentam inteligência e fala intactas. Existe também o Transtorno Invasivo do Desenvolvimento (TID) que difere do autismo infantil por evidenciar-se somente depois dos 3 anos de idade, referir-se a um desenvolvimento anormal e prejudicado e não preencher todos os critério de diagnóstico. O autismo atípico surge mais freqüentemente em indivíduos com deficiência mental profunda e em indivíduos com um grave transtorno específico do desenvolvimento da recepção da linguagem. Por ainda não ter uma causa específica definida, é chamado de Síndrome (=conjunto de sintomas) e como em qualquer síndrome o grau de comprometimento pode variar do mais severo ao mais brando e atinge todas as classe sociais, em todo o mundo. Leo Karnner foi o primeiro a classificar o autismo em 1943, logo após em 1944 Hans Asperger pesquisou e classificou a Síndrome de Asperger, um dos espectros mais conhecidos do Autismo. HISTÓRIA - CONCEITO DO AUTISMO  Leo Kanner ( Psiquiatra austríaco radicado nos Estados Unidos. Nascido em 13 de junho de 1894, em Klekotow, Áustria e falecido em 4 de abril de 1981 ) e m 1943 publicou a obra que associou seu nome ao autismo quot; Autistic disturbances of affective contactquot; , na revsta Nervous Children, número 2, páginas 217-250. Nela estudou e descreveu a condição de 11 crianças consideradas especiais, que tinham em comum quot; um isolamento extremo desde o início da vida e um desejo obsessivo pela preservação da rotinaquot; , denominando-as de quot; autistasquot; . Já existiram muitos questionamentos e hipoteses sobre origem do autismo. Uma delas era de que os pais poderiam ser culpados pelo extremo isom=lamento da criança, Então 1969 durante a primeira assembelia da National Society for Autistic Children (hoje Autism Society of America - ASA) , Leo Kanner absolve publicamente os pais de serem a causa do desenvolvimento da sindrome autistica em seus filhos. Ele continuou a ocupar-se de crianças com autismo por muito tempo, por isso voltou a sua primeira hipotese de que o autismo é um disturbio inato do desenvolvimento. Em 1972 nos Estados Unidos é reconhecido o programa TEACCH – The Treatment and Education of Autistic and Related Communication Handicapped Children ( em português: Tratamento e Educação para Autistas e Crianças com Déficits Relacionados com a Comunicação) criado por Eric Schopler Professor de psicologia e diretor desse programa da Universidade da Carolina do Norte até 1994. Um dos pontos principais desse método é a colaboração entre equipe educadora e a família. A partir de 1980 com a 3ª edicão do Manual Diagnóstico e Estatístico (DSM III) é introduzido o capitulo dedicado a Distúrbio Generalizado do Desenvolvimento no qual o autismo passa a estar.   SINTOMAS COMUNSConforme - ASA ( Autism Society of American). A maioria dos sintomas está presente nos primeiros anos de vida da criança variando em intensidade de mais severo a mais brando. 1. Dificuldade de relacionamento com outras crianças 2. Riso inapropriado 3. Pouco ou nenhum contato visual 4. Não quer ser tocado 5. Isolamento; modos arredios 6. Gira objetos 7. Cheira ou lambe os brinquedos, Inapropriada fixação em objetos 8. Perceptível hiperatividade ou extrema inatividade 9. Ausência de resposta aos métodos normais de ensino 10. Aparente insensibilidade à dor 11. Acessos de raiva - demonstra extrema aflição sem razão aparente   12. Procedimento com poses bizarras (fixar objeto ficando de cócoras; colocar-se de pé numa perna só; impedir a passagem por uma porta, somente liberando-a após tocar de uma determina maneira os alisares) 13. Ecolalia (repete palavras ou frases em lugar da linguagem normal) 14. Insistência em repetição, resistência à mudança de rotina 15. Age como se estivesse surdo 16. Dificuldade de comunicação em expressar necessidades - usa gesticular e apontar no lugar de palavras 17. Não tem real noção do perigo 18. Irregular habilidade motora - pode não querer chutar uma bola, mas pode arrumar blocos     COMPORTAMENTOS DO INDIVÍDUO COM AUTISMO   (Segundo a ASA) USA AS PESSOAS COMO FERRAMENTAS RESISTE A MUDANÇAS DE ROTINA NÃO SE MISTURA COM OUTRAS CRIANÇAS APEGO NÃO APROPRIADO A OBJETOS         NÃO MANTÉM CONTATO VISUAL AGE COMO SE FOSSE SURDO RESISTE AO APRENDIZADO NÃO DEMONSTRA MEDO DE PERIGOS         RISOS E MOVIMENTOS NÃO APROPRIADOS RESISTE AO CONTATO FÍSICO ACENTUADA HIPERATIVIDADE FÍSICA GIRA OBJETOS DE MANEIRA BIZARRA E PECULIAR               ÀS VEZES É AGRESSIVO E DESTRUTIVO MODO E COMPORTAMENTO INDIFERENTE E ARREDIO    ALGUNS ESPECTROS DO AUTISMO  Ao conjunto de determinadas variações, chamamos de Espectro do Autismo, pois somam-se as características autísticas, outras específicas de cada grupo de outros sintomas. Distúrbio Abrangente do Desenvolvimento  Autism - High Functioning, Asperger's Syndrome, PDD, PDD-NOS.CAUSAS DO AUTISMO A causa específica, ainda é desconhecida mais há várias suspeitas de que pode compreender alguns desses fatores: Influência Genética Vírus Toxinas e poluição. desordenes metabólicos Intolerância inmunologica Infecções virais e grandes doses de antibioticos nos primeiros 3 anos. SOBRE METAIS PESADOS - Uma das possíveis causas Os seres vivos necessitam de pequenas quantidades de alguns desses metais, incluindo cobalto, cobre, manganês, molibdênio, vanádio, estrôncio, e zinco, para a realização de funções vitais no organismo. Porém níveis excessivos desses elementos podem ser extremamente tóxicos. Outros metais pesados como o chumbo e cádmio e o mercúrio já citado antes, não possuem nenhuma função dentro dos organismos e a sua acumulação pode provocar graves doenças, sobretudo nos mamíferos. Quando lançados como resíduos industriais, na água, no solo ou no ar, esses elementos podem ser absorvidos pelos vegetais e animais das proximidades, provocando graves intoxicações ao longo da cadeia alimentar. A ingestão, inalação ou absorção pela pele, de metais pesados ou substâncias que componham o mesmo, pode resultar em situações como o autismo, atraso mental, doenças, cansaço ou o sindroma do Golfo. Porém ainda que sendo apenas uma hipotése , ela não deixa de ter boas bases científicas e hoje os laboratórios começam a abandonar o uso do mercúrio como conservante, em parte devido à pressão da opinião pública. Mesmo que esse seja o motivo para o autismo não é o único. Existem diversas substâncias que estamos a acostumados de certo modo e algumas nos são impostas no convívio social como tabaco, poluição (sobretudo os gases de escape dos automóveis e fábricas), álcool, vemos que estamos vivendo num mundo demasiado poluído e que pode agravar toda esta situação. A Medicina Alternatica Complementar (CAM), portanto, pode ajudar pessoas com autismo. Ao verificar qual foi o dano causado no organismo (seja no sistema imunológico, alérgias ou outros problemas) e trabalhar na busca de uma solução, existem dietas, tratamentos farmacológicos e terapias que em conjunto podem auxiliar a solucionar ou amenizar situações graves. E todo e qualquer tratamento iniciado precocemente terá melhores resultados. http://pt.wikipedia.org/wiki/Metais_pesados <br />