IM/RODANTE:
MELHORIAS NO CABEAMENTO
ESTRUTURADO
©2014J.Teixeira
 Cenário
 Execução das melhorias
 Avaliação dos resultados
AGENDA
©2014J.Teixeira
 A IM/Rodante
 Contextualização
 Objetivos
1. INTRODUÇÃO
1. INTRODUÇÃO: IM/RODANTE
©2014J.Teixeira
IM TERRAPLENAGEM
IM Terraplenagem
1. INTRODUÇÃO: IM/RODANTE
©2014J.Teixeira
 Rodovias, estradas e túneis
 Obras públicas
 Energias renov...
IM Terraplenagem
1. INTRODUÇÃO: IM/RODANTE
©2014J.Teixeira
 Rodovias, estradas e túneis
 Obras públicas
 Energias renov...
IM Terraplenagem
1. INTRODUÇÃO: IM/RODANTE
©2014J.Teixeira
 Rodovias, estradas e túneis
 Obras públicas
 Energias renov...
1. INTRODUÇÃO: IM/RODANTE
©2014J.Teixeira
RODANTE LOCAÇÃO
Rodante Locação
1. INTRODUÇÃO: IM/RODANTE
©2014J.Teixeira
 Locação de maquinário pesado
 Geradores, betoneiras, guindast...
Rodante Locação
1. INTRODUÇÃO: IM/RODANTE
©2014J.Teixeira
 Locação de maquinário pesado
 Geradores, betoneiras, guindast...
Rodante Locação
1. INTRODUÇÃO: IM/RODANTE
©2014J.Teixeira
 Locação de maquinário pesado
 Geradores, betoneiras, guindast...
1. INTRODUÇÃO: IM/RODANTE
©2014J.Teixeira
IM/RODANTE:
ATUAÇÃO NO MERCADO
Atuação no mercado
1. INTRODUÇÃO: IM/RODANTE
©2014J.Teixeira
 8 Escritórios Fixos
 20 Canteiros no Nordeste
 Mais de 70...
Atuação no mercado
1. INTRODUÇÃO: IM/RODANTE
©2014J.Teixeira
 8 Escritórios Fixos
 20 Canteiros no Nordeste
 Mais de 70...
1. INTRODUÇÃO: CONTEXTUALIZAÇÃO
©2014J.Teixeira
CONTEXTUALIZAÇÃO
1. INTRODUÇÃO: CONTEXTUALIZAÇÃO
©2014J.Teixeira
 Suporte de TI: Sobrecarga de chamados
 Problemas recorrentes
 Entrave ...
1. INTRODUÇÃO: CONTEXTUALIZAÇÃO
©2014J.Teixeira
 Suporte de TI: Sobrecarga de chamados
 Problemas recorrentes
 Entrave ...
1. INTRODUÇÃO: OBJETIVOS
©2014J.Teixeira
OBJETIVOS GERAIS
1. INTRODUÇÃO: OBJETIVOS
©2014J.Teixeira
 Expor as origens dos problemas recorrentes
 Tratar a raiz destes problemas
Obj...
1. INTRODUÇÃO: OBJETIVOS
©2014J.Teixeira
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
1. INTRODUÇÃO: OBJETIVOS
©2014J.Teixeira
 Analisar a estrutura existente
 Formular e executar projeto de
reestruturação
...
©2014J.Teixeira
 Panorama inicial
 Estrutura inicial
 Desempenho inicial
2. CENÁRIO
2. CENÁRIO: PANORAMA INICIAL
©2014J.Teixeira
 IM: TOTVS
 RODANTE: SISLOC
 Equipe de suporte: 6 técnicos
2. CENÁRIO: PANORAMA INICIAL
©2014J.Teixeira
 Monitoração e documentação ausentes
Falhas básicas de gestão
2. CENÁRIO: PANORAMA INICIAL
©2014J.Teixeira
 Monitoração e documentação ausentes
 Solução de segurança ausente
Falhas b...
2. CENÁRIO: PANORAMA INICIAL
©2014J.Teixeira
 Monitoração e documentação ausentes
 Solução de segurança ausente
 Contro...
2. CENÁRIO: ESTRUTURA INICIAL
©2014J.Teixeira
 Matriz: topologia
©2014J.Teixeira
2. CENÁRIO: ESTRUTURA INICIAL
©2014J.Teixeira
 Matriz: topologia
 Filiais: topologia
©2014J.Teixeira
Topologia nas filiais
2. CENÁRIO: ESTRUTURA INICIAL
©2014J.Teixeira
 Matriz: topologia
 Filiais: topologia
 Dispositivos finais
Dispositivos ...
2. CENÁRIO: ESTRUTURA INICIAL
©2014J.Teixeira
 Matriz: topologia
 Filiais: topologia
 Dispositivos finais
 Servidores ...
2. CENÁRIO: ESTRUTURA INICIAL
©2014J.Teixeira
 Matriz: topologia
 Filiais: topologia
 Dispositivos finais
 Servidores ...
2. CENÁRIO: DESEMPENHO INICIAL
©2014J.Teixeira
 Chamados de suporte
2. CENÁRIO: DESEMPENHO INICIAL
©2014J.Teixeira
 Chamados de suporte
 Matriz e filiais: a diferença no tratamento
2. CENÁRIO: DESEMPENHO INICIAL
©2014J.Teixeira
 Chamados de suporte
 Matriz e filiais: a diferença no tratamento
 Desem...
©2014J.Teixeira
 Planejamento e estratégias
 Matriz: Ações estruturais
 Filiais: Ações estruturais
4. EXECUÇÃO DAS MELH...
4. MELHORIAS: PLANEJAM. E ESTRATÉGIAS
©2014J.Teixeira
 Preparação
4. MELHORIAS: PLANEJAM. E ESTRATÉGIAS
©2014J.Teixeira
 Preparação
 Prazos
4. MELHORIAS: PLANEJAM. E ESTRATÉGIAS
©2014J.Teixeira
 Preparação
 Prazos
 Desafios e limitações
4. MELHORIAS: AÇÕES NA MATRIZ
©2014J.Teixeira
 Aquisições e remanejamentos
4. MELHORIAS: AÇÕES NA MATRIZ
©2014J.Teixeira
 Aquisições e remanejamentos
 Hierarquia de ativos
4. MELHORIAS: AÇÕES NA MATRIZ
©2014J.Teixeira
 Aquisições e remanejamentos
 Hierarquia de ativos
 Conexões com ISPs
4. MELHORIAS: AÇÕES NAS FILIAIS
©2014J.Teixeira
 Ajustes na rede
4. MELHORIAS: AÇÕES NAS FILIAIS
©2014J.Teixeira
 Ajustes na rede
 Conexões com ISPs e as VPNs
©2014J.Teixeira
 Desempenho da estrutura: Melhorias
 Parque de máquinas: Crescimento
 Chamados de suporte: Redução
 Ob...
5. RESULTADOS: MELHORIAS NO DESEMPENHO
©2014J.Teixeira
DESKTOP LAPTOP TABLET SMARTPHONE IMPRESSORA TOTAL
130 66 22 39 51 308
139 84 27 74 58 382
ABRIL DE 2012
AUMENTO DA QUANTID...
5. RESULTADOS: REDUÇÃO DE CHAMADOS
©2014J.Teixeira
TOTAL POR TIPO DE
CHAMADO
20 33 50 34 67
0 5 10 15 20 25 30 35
ERP: lentidão ou indisponibilidade
REDE: Lentidão ou indisp...
OBJETIVOS ALCANÇADOS E CONSEQUÊNCIAS
©2014J.Teixeira
 Redução dos incidentes
OBJETIVOS ALCANÇADOS E CONSEQUÊNCIAS
©2014J.Teixeira
 Redução dos incidentes
 Aumento da produtividade
OBJETIVOS ALCANÇADOS E CONSEQUÊNCIAS
©2014J.Teixeira
 Redução dos incidentes
 Aumento da produtividade
 Investimentos e...
OBJETIVOS ALCANÇADOS E CONSEQUÊNCIAS
©2014J.Teixeira
 Redução dos incidentes
 Aumento da produtividade
 Investimentos e...
CONCLUSÃO
©2014J.Teixeira
Melhorias no Cabeamento Estruturado de Redes da IM/RODANTE
Melhorias no Cabeamento Estruturado de Redes da IM/RODANTE
Melhorias no Cabeamento Estruturado de Redes da IM/RODANTE
Melhorias no Cabeamento Estruturado de Redes da IM/RODANTE
Melhorias no Cabeamento Estruturado de Redes da IM/RODANTE
Melhorias no Cabeamento Estruturado de Redes da IM/RODANTE
Melhorias no Cabeamento Estruturado de Redes da IM/RODANTE
Melhorias no Cabeamento Estruturado de Redes da IM/RODANTE
Melhorias no Cabeamento Estruturado de Redes da IM/RODANTE
Melhorias no Cabeamento Estruturado de Redes da IM/RODANTE
Melhorias no Cabeamento Estruturado de Redes da IM/RODANTE
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Melhorias no Cabeamento Estruturado de Redes da IM/RODANTE

316 visualizações

Publicada em

Trabalho de Conclusão de Curso Superior de Redes de Computadores do IFRN. Realizado na IM Engenharia e Rodante Locação por Judá Teixeira entre 2012 e 2013.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
316
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • IM: Empresa de engenharia, focada na construção de acessos (túneis, estradas, pontes etc.).
    Contratos públicos ligados a obras de energia renovável.
  • IM: Empresa de engenharia, focada na construção de acessos (túneis, estradas, pontes etc.).
    Contratos públicos ligados a obras de energia renovável.
  • IM: Empresa de engenharia, focada na construção de acessos (túneis, estradas, pontes etc.).
    Contratos públicos ligados a obras de energia renovável.
  • IM: Empresa de engenharia, focada na construção de acessos (túneis, estradas, pontes etc.).
    Contratos públicos ligados a obras de energia renovável.
  • Rodante: Locação de maquinário pesado: geradores, guindastes, betoneiras etc.
    Seus principais clientes são construtoras, órgão públicos e a própria IM Terraplenagem.
  • Rodante: Locação de maquinário pesado: geradores, guindastes, betoneiras etc.
    Seus principais clientes são construtoras, órgão públicos e a própria IM Terraplenagem.
  • Rodante: Locação de maquinário pesado: geradores, guindastes, betoneiras etc.
    Seus principais clientes são construtoras, órgão públicos e a própria IM Terraplenagem.
  • Rodante: Locação de maquinário pesado: geradores, guindastes, betoneiras etc.
    Seus principais clientes são construtoras, órgão públicos e a própria IM Terraplenagem.
  • Atuação: À época deste trabalho o grupo IM/RODANTE possuía 8 escritórios fixos e 20 canteiros de obras pelo nordeste.
    Mais de 700 colaboradores distribuídos por Pernambuco, Bahia, Piauí, Paraíba e Rio grande do Norte.
  • Atuação: À época deste trabalho o grupo IM/RODANTE possuía 8 escritórios fixos e 20 canteiros de obras pelo nordeste.
    Mais de 700 colaboradores distribuídos por Pernambuco, Bahia, Piauí, Paraíba e Rio grande do Norte.
  • Atuação: À época deste trabalho o grupo IM/RODANTE possuía 8 escritórios fixos e 20 canteiros de obras pelo nordeste.
    Mais de 700 colaboradores distribuídos por Pernambuco, Bahia, Piauí, Paraíba e Rio grande do Norte.
  • Trabalho executado durante o ano de 2012, quando o autor fez parte da equipe de informática do grupo IM/RODANTE.
    Neste período, notou que havia uma sobrecarga nos chamados de suporte >> Problemas recorrentes
    Entrave à inovação e crescimento profissional >> Decidiu-se buscar as origens destes chamados
    Estrutura comprometida e mal dimensionada >> Decidiu-se executar melhorias estruturais.
  • Trabalho executado durante o ano de 2012, quando o autor fez parte da equipe de informática do grupo IM/RODANTE.
    Neste período, notou que havia uma sobrecarga nos chamados de suporte >> Problemas recorrentes
    Entrave à inovação e crescimento profissional >> Decidiu-se buscar as origens destes chamados
    Estrutura comprometida e mal dimensionada >> Decidiu-se executar melhorias estruturais.
  • Trabalho executado durante o ano de 2012, quando o autor fez parte da equipe de informática do grupo IM/RODANTE.
    Neste período, notou que havia uma sobrecarga nos chamados de suporte >> Problemas recorrentes
    Entrave à inovação e crescimento profissional >> Decidiu-se buscar as origens destes chamados
    Estrutura comprometida e mal dimensionada >> Decidiu-se executar melhorias estruturais.
  • Expor a origem dos incidentes de TI mais frequentes, que sobrecarregam a equipe de informática com repetitivos chamados de suporte.
    Tratar estes problemas desde suas raízes, desafogando o suporte técnico da TI, abrindo espaço para o crescimento da estrutura e crescimento profissional da equipe.
  • Expor a origem dos incidentes de TI mais frequentes, que sobrecarregam a equipe de informática com repetitivos chamados de suporte.
    Tratar estes problemas desde suas raízes, desafogando o suporte técnico da TI, abrindo espaço para o crescimento da estrutura e crescimento profissional da equipe.
  • Analisar a estrutura existente, identificar falhas estruturais e necessidades a serem atendidas, encontrando suas origens mais comuns;
    Formular e executar um projeto de melhorias (com foco no cabeamento estruturado), buscando a eficiência, segurança e escalabilidade.
    Analisar a estrutura após a execução do projeto, comparando seu desempenho antes e depois.
  • Analisar a estrutura existente, identificar falhas estruturais e necessidades a serem atendidas, encontrando suas origens mais comuns;
    Formular e executar um projeto de melhorias (com foco no cabeamento estruturado), buscando a eficiência, segurança e escalabilidade.
    Analisar a estrutura após a execução do projeto, comparando seu desempenho antes e depois.
  • Toda a TI gira em torno dos ERPs das empresas do grupo:
    Totvs: ERP da IM; SISLOC: Sistema de gestão de locação da RODANTE.
    Equipe de suporte composta por 6 técnicos, incluindo o diretor de TI.
  • Os ativos de rede da empresa não eram monitorados. Isto implicava atraso no recebimento de informações de incidentes.
    Também ocasionava falta de informações precisas sobre a situação no local, levando muitas vezes a um diagnóstico errôneo.
    Isso gerava prejuízos: atraso na entrega de resultados, afetava a qualidade dos serviços entregues, viagens de colaboradores da TI a filiais, por exemplo.
  • - Não havia rotinas de backup dos dados nas filiais, apenas na Matriz.
    - Backup da Matriz não era testado com regularidade e isto acarretou por algumas vezes perda de dados (por infecções digitais, deleção acidental, danos elétricos etc.).
    - Controle de acesso interno aos dados ausente: uma vez dentro da rede da organização, qualquer usuário poderia acessar qualquer arquivo sem registro de histórico de uso ou qualquer tipo de controle por grupo ou usuário.
    - Não havia proteção adequada contra infecções digitais.
    - Apesar da presença de um firewall/proxy bastante eficaz, as ameaças internas (dispositivos de armazenamento pessoais, downloads perigosos) eram tratadas por um antivírus gratuito disponibilizado na Internet.
  • Não havia registro e evolução de chamados, nenhum sistema similar.
    Portanto não eram gerados relatórios que melhorariam a visão macro do suporte de TI, tornaria o suporte mais eficiente
    Por consequência, não havia dimensionamento de carga de demanda por serviços.
    Isso é importante para avaliar a nossa capacidade de oferta de serviços de TI
    Fatalmente, houve um aumento dos chamados por suporte em todas as filiais.
    Devido à pequena quantidade de mão-de-obra de TI, boa parte dessas demandas deixou de ser atendida.
    Por sua vez, o não atendimento de parte das demandas agravava a situação em andamento, gerando outros chamados de maior criticidade, o que, por fim, gera mais prejuízo para a empresa.
  • A Matriz possuía, duas conexões com a internet de um mesmo provedor (Cabo Telecom).
    Estas conexões eram gerenciadas por um roteador multi-wan que por sua vez fornecia uma conexão já balanceado ao servidor PROXY (que também atuava como Firewall).
    O Proxy/Firewall controla o acesso dos demais dispositivos, os switches principais e os demais servidores.
    Havia dois switches de 24 portas e alguns menores em cascata ligando os access points e os demais dispositivos finais.
    Cascateamento era indiscriminado e prejudicava o desempenho da Rede: diversas vezes causou indisponibilidade.
  • A Matriz possuía, duas conexões com a internet de um mesmo provedor (Cabo Telecom).
    Estas conexões eram gerenciadas por um roteador multi-wan que por sua vez fornecia uma conexão já balanceado ao servidor PROXY (que também atuava como Firewall).
    O Proxy/Firewall controla o acesso dos demais dispositivos, os switches principais e os demais servidores.
    Havia dois switches de 24 portas e alguns menores em cascata ligando os access points e os demais dispositivos finais.
    Cascateamento era indiscriminado e prejudicava o desempenho da Rede: diversas vezes causou indisponibilidade.
  • A hierarquia de conexão de rede das filiais seguia o esquema: Internet > Firewall > rede interna.
    Não havia qualquer estudo de carga de rede, monitoração ou documentação.
    Cascateamento também indiscriminado e TAMBÉM chegou a causar indisponibilidade
  • A Matriz possuía, duas conexões com a internet de um mesmo provedor (Cabo Telecom).
    Estas conexões eram gerenciadas por um roteador multi-wan que por sua vez fornecia uma conexão já balanceado ao servidor PROXY (que também atuava como Firewall).
    O Proxy/Firewall controla o acesso dos demais dispositivos, os switches principais e os demais servidores.
    Havia dois switches de 24 portas e alguns menores em cascata ligando os access points e os demais dispositivos finais.
    Cascateamento era indiscriminado e prejudicava o desempenho da Rede: diversas vezes causou indisponibilidade.
  • O remanejamento de equipamentos: equipamentos em bom funcionamento eram enviados para filiais em substituição aos defeituosos que vinham para a Matriz.
    Ao serem consertados, estes últimos eram remanejados para um terceiro local, em vez de voltar ao local de origem.
    A falta de registro destas operações e a reincidência de problemas técnicos ocorridos criava o círculo vicioso do suporte de TI.
    A empresa possuía, 308 dispositivos finais, distribuídos entre suas unidades.
  • Além dos ERPs, a empresa demanda serviços básicos:
    Controlador de Domínio (DC); DHCP; Servidor de arquivos; Firewall/Proxy.
    Para atender a estas demandas, havia 5 (cinco) servidores: SERV01; SERV02; SERVERIM; PROXY e SERVFILES.
  • Cabeamento de rede misturado com cabeamento elétrico, exposto/desprotegido, mal crimpados
    Pontos de acesso sem fio mal posicionados, expostos a interferências
    Aterramento elétrico ausente em praticamente todos os setores de todas as filiais;
    Má distribuição de carga elétrica dos equipamentos de TI: servidores alimentados em paralelo com impressoras e monitores; no-breaks com potência insuficiente
    Servidores posicionados em local inapropriado, sem proteção a seu acesso físico.
  • A equipe de TI atendia a chamados de suporte com uma frequência que a deixava no limite de sua capacidade de processamento.
    Essa sobrecarga dificultava a evolução do setor como um todo: o crescimento profissionais; a escalabilidade da estrutura e até mesmo a credibilidade da informática frente aos demais setores.
    Passou-se a registrar os chamados e catalogá-los por categorias. Estudo estendeu-se por 4 semanas.
    O estudo mostra que o problema mais recorrente era a lentidão/indisponibilidade de rede, seguida pela lentidão/indisponibilidade dos sistemas ERP.
    Estava claro que a estrutura de rede tinha deficiências a serem sanadas e precisava ser reavaliada.
  • Os chamados de suporte de TI na Matriz eram atendidos e resolvidos normalmente no mesmo dia da abertura do chamado, pois a TI está no prédio da sede administrativa.
    Devido à distância geográfica entre as filiais e a Matriz (espalhadas pelo nordeste), além da ausência de um sistema de monitoramento, não havia acompanhamento do uso dos recursos de rede, nem registro de falhas de conectividade ou sobrecarga.
    Chamados de suporte deixaram de ser atendidos adequadamente, por falta de informações técnicas mais específicas (por exemplo: histórico de uso de rede da máquina, histórico do uso da Internet naquela filial, etc.).
  • Apesar dos dois links de alta velocidade, a rede da IM/RODANTE deixava a desejar em alguns aspectos, desde perda de pacotes até indisponibilidade.
    As falhas na rede da matriz da IM/RODANTE foram registradas por 4 semanas e mostrou que a maior quantidade de chamados tinha como origem a lentidão ou indisponibilidade da rede.
    As falhas citadas fizeram surgir um círculo vicioso na rotina de suporte de TI, na qual as falhas reincidentes não são catalogadas, se acumulam ou são resolvidas em parte e voltam a ocorrer de forma mais crítica.
    Isto acaba gerando outro problema: a diminuição da confiabilidade do Setor de Tecnologia da Informação.
    Ciente da necessidade de reverter este quadro, a equipe deu início à reestruturação da sua rede.
  • Norma ANSI/TIA 568-B suprimida.
    Tendo em mãos a documentação da estrutura de rede produzida entre Julho e Setembro de 2012, foi feita uma análise da situação, pontos mais críticos e os níveis de demandas a serem atendidas, gerando uma visão coerente da estrutura.
  • Graças à melhora na qualidade dos cabos, reposicionamento de Access Points e demais correções especificadas, a estrutura de TI começou a melhorar seus resultados.
    O histórico das falhas registradas no mês de Janeiro de 2013, após o processo de reestruturação mostra a notável diminuição das indisponibilidades e das ocorrências de lentidão.
  • Com a assinatura de novos contratos de obras, novos canteiros, novos colaboradores e, naturalmente, novos equipamentos de informática, a quantidade de ativos aumentou ao longo dos meses.
    O “salto” de 308 em Abril de 2012 para 382 dispositivos em Janeiro de 2013 refletiu o crescimento natural da empresa e deixou claro que escalabilidade é parte das necessidades básicas da TI.
  • Durante o mês de Janeiro de 2013 registrou-se semana a semana a quantidade e a categoria dos chamados de suporte, para avaliar a estrutura depois da execução do projeto.
    A média de chamados por semana caiu de 78 para 51, uma queda de 34,6%.
  • Durante o mês de Janeiro de 2013 registrou-se semana a semana a quantidade e a categoria dos chamados de suporte, para avaliar a estrutura depois da execução do projeto.
    A média de chamados por semana caiu de 78 para 51, uma queda de 34,6%.
  • Redução dos incidentes: devido a uma boa estrutura cabeada, otimização do uso dos arquivos em um servidor mais robusto e seguro, melhora das conexões com a Internet em todas as filiais.
    Por consequência: Aumento da produtividade:, a produtividade dos colaboradores aumentou;
    Investimentos aumentaram: Com a melhora nos resultados apresentados ao longo do último semestre, os investimentos em TI passaram a fazer mais sentido para o executivo da empresa, e se tornaram mais frequentes;
    Plano de negócio: a TI passou a ficar cada vez mais integrada ao plano de negócio da empresa, sendo parte essencial das estratégias da companhia.
  • Redução dos incidentes: devido a uma boa estrutura cabeada, otimização do uso dos arquivos em um servidor mais robusto e seguro, melhora das conexões com a Internet em todas as filiais.
    Por consequência: Aumento da produtividade:, a produtividade dos colaboradores aumentou;
    Investimentos aumentaram: Com a melhora nos resultados apresentados ao longo do último semestre, os investimentos em TI passaram a fazer mais sentido para o executivo da empresa, e se tornaram mais frequentes;
    Plano de negócio: a TI passou a ficar cada vez mais integrada ao plano de negócio da empresa, sendo parte essencial das estratégias da companhia.
  • Redução dos incidentes: devido a uma boa estrutura cabeada, otimização do uso dos arquivos em um servidor mais robusto e seguro, melhora das conexões com a Internet em todas as filiais.
    Por consequência: Aumento da produtividade:, a produtividade dos colaboradores aumentou;
    Investimentos aumentaram: Com a melhora nos resultados apresentados ao longo do último semestre, os investimentos em TI passaram a fazer mais sentido para o executivo da empresa, e se tornaram mais frequentes;
    Plano de negócio: a TI passou a ficar cada vez mais integrada ao plano de negócio da empresa, sendo parte essencial das estratégias da companhia.
  • Redução dos incidentes: devido a uma boa estrutura cabeada, otimização do uso dos arquivos em um servidor mais robusto e seguro, melhora das conexões com a Internet em todas as filiais.
    Por consequência: Aumento da produtividade:, a produtividade dos colaboradores aumentou;
    Investimentos aumentaram: Com a melhora nos resultados apresentados ao longo do último semestre, os investimentos em TI passaram a fazer mais sentido para o executivo da empresa, e se tornaram mais frequentes;
    Plano de negócio: a TI passou a ficar cada vez mais integrada ao plano de negócio da empresa, sendo parte essencial das estratégias da companhia.
  • Os resultados obtidos com a reestruturação da Rede da IM/RODANTE motram que a heterogeneidade das necessidades de TI nas empresas, implicam soluções e aplicações de diversos níveis de atuação.
    Conforme afirma Veras (2011), o gestor de TI precisa focar na integração de tecnologia e processos da empresa.
    Não foi diferente com o Grupo IM/RODANTE: as soluções aqui aplicadas exigiram conhecimento do negócio da empresa por parte de todos os que se envolveram nesta missão, inclusive (e principalmente) o gestor da TI.
    Este trabalho mostrou que também é possível adequar e otimizar uma estrutura já existente.
    Para que as futuras equipes de TI possam assumir e manter esta rede funcionando com a qualidade atual, há de se manter os padrões adotados e a documentação atualizada.
  • Melhorias no Cabeamento Estruturado de Redes da IM/RODANTE

    1. 1. IM/RODANTE: MELHORIAS NO CABEAMENTO ESTRUTURADO
    2. 2. ©2014J.Teixeira  Cenário  Execução das melhorias  Avaliação dos resultados AGENDA
    3. 3. ©2014J.Teixeira  A IM/Rodante  Contextualização  Objetivos 1. INTRODUÇÃO
    4. 4. 1. INTRODUÇÃO: IM/RODANTE ©2014J.Teixeira IM TERRAPLENAGEM
    5. 5. IM Terraplenagem 1. INTRODUÇÃO: IM/RODANTE ©2014J.Teixeira  Rodovias, estradas e túneis  Obras públicas  Energias renováveis
    6. 6. IM Terraplenagem 1. INTRODUÇÃO: IM/RODANTE ©2014J.Teixeira  Rodovias, estradas e túneis  Obras públicas  Energias renováveis
    7. 7. IM Terraplenagem 1. INTRODUÇÃO: IM/RODANTE ©2014J.Teixeira  Rodovias, estradas e túneis  Obras públicas  Energias renováveis
    8. 8. 1. INTRODUÇÃO: IM/RODANTE ©2014J.Teixeira RODANTE LOCAÇÃO
    9. 9. Rodante Locação 1. INTRODUÇÃO: IM/RODANTE ©2014J.Teixeira  Locação de maquinário pesado  Geradores, betoneiras, guindastes
    10. 10. Rodante Locação 1. INTRODUÇÃO: IM/RODANTE ©2014J.Teixeira  Locação de maquinário pesado  Geradores, betoneiras, guindastes
    11. 11. Rodante Locação 1. INTRODUÇÃO: IM/RODANTE ©2014J.Teixeira  Locação de maquinário pesado  Geradores, betoneiras, guindastes
    12. 12. 1. INTRODUÇÃO: IM/RODANTE ©2014J.Teixeira IM/RODANTE: ATUAÇÃO NO MERCADO
    13. 13. Atuação no mercado 1. INTRODUÇÃO: IM/RODANTE ©2014J.Teixeira  8 Escritórios Fixos  20 Canteiros no Nordeste  Mais de 700 colaboradores
    14. 14. Atuação no mercado 1. INTRODUÇÃO: IM/RODANTE ©2014J.Teixeira  8 Escritórios Fixos  20 Canteiros no Nordeste  Mais de 700 colaboradores
    15. 15. 1. INTRODUÇÃO: CONTEXTUALIZAÇÃO ©2014J.Teixeira CONTEXTUALIZAÇÃO
    16. 16. 1. INTRODUÇÃO: CONTEXTUALIZAÇÃO ©2014J.Teixeira  Suporte de TI: Sobrecarga de chamados  Problemas recorrentes  Entrave à inovação e crescimento
    17. 17. 1. INTRODUÇÃO: CONTEXTUALIZAÇÃO ©2014J.Teixeira  Suporte de TI: Sobrecarga de chamados  Problemas recorrentes  Entrave à inovação e crescimento
    18. 18. 1. INTRODUÇÃO: OBJETIVOS ©2014J.Teixeira OBJETIVOS GERAIS
    19. 19. 1. INTRODUÇÃO: OBJETIVOS ©2014J.Teixeira  Expor as origens dos problemas recorrentes  Tratar a raiz destes problemas Objetivos Gerais
    20. 20. 1. INTRODUÇÃO: OBJETIVOS ©2014J.Teixeira OBJETIVOS ESPECÍFICOS
    21. 21. 1. INTRODUÇÃO: OBJETIVOS ©2014J.Teixeira  Analisar a estrutura existente  Formular e executar projeto de reestruturação  Analisar os resultados Objetivos Específicos
    22. 22. ©2014J.Teixeira  Panorama inicial  Estrutura inicial  Desempenho inicial 2. CENÁRIO
    23. 23. 2. CENÁRIO: PANORAMA INICIAL ©2014J.Teixeira  IM: TOTVS  RODANTE: SISLOC  Equipe de suporte: 6 técnicos
    24. 24. 2. CENÁRIO: PANORAMA INICIAL ©2014J.Teixeira  Monitoração e documentação ausentes Falhas básicas de gestão
    25. 25. 2. CENÁRIO: PANORAMA INICIAL ©2014J.Teixeira  Monitoração e documentação ausentes  Solução de segurança ausente Falhas básicas de gestão
    26. 26. 2. CENÁRIO: PANORAMA INICIAL ©2014J.Teixeira  Monitoração e documentação ausentes  Solução de segurança ausente  Controle de chamados ausente Falhas básicas de gestão
    27. 27. 2. CENÁRIO: ESTRUTURA INICIAL ©2014J.Teixeira  Matriz: topologia
    28. 28. ©2014J.Teixeira
    29. 29. 2. CENÁRIO: ESTRUTURA INICIAL ©2014J.Teixeira  Matriz: topologia  Filiais: topologia
    30. 30. ©2014J.Teixeira Topologia nas filiais
    31. 31. 2. CENÁRIO: ESTRUTURA INICIAL ©2014J.Teixeira  Matriz: topologia  Filiais: topologia  Dispositivos finais Dispositivos finais
    32. 32. 2. CENÁRIO: ESTRUTURA INICIAL ©2014J.Teixeira  Matriz: topologia  Filiais: topologia  Dispositivos finais  Servidores antes Servidores
    33. 33. 2. CENÁRIO: ESTRUTURA INICIAL ©2014J.Teixeira  Matriz: topologia  Filiais: topologia  Dispositivos finais  Servidores antes  Problemas físicos Problemas físicos
    34. 34. 2. CENÁRIO: DESEMPENHO INICIAL ©2014J.Teixeira  Chamados de suporte
    35. 35. 2. CENÁRIO: DESEMPENHO INICIAL ©2014J.Teixeira  Chamados de suporte  Matriz e filiais: a diferença no tratamento
    36. 36. 2. CENÁRIO: DESEMPENHO INICIAL ©2014J.Teixeira  Chamados de suporte  Matriz e filiais: a diferença no tratamento  Desempenho da rede antes da reestruturação
    37. 37. ©2014J.Teixeira  Planejamento e estratégias  Matriz: Ações estruturais  Filiais: Ações estruturais 4. EXECUÇÃO DAS MELHORIAS
    38. 38. 4. MELHORIAS: PLANEJAM. E ESTRATÉGIAS ©2014J.Teixeira  Preparação
    39. 39. 4. MELHORIAS: PLANEJAM. E ESTRATÉGIAS ©2014J.Teixeira  Preparação  Prazos
    40. 40. 4. MELHORIAS: PLANEJAM. E ESTRATÉGIAS ©2014J.Teixeira  Preparação  Prazos  Desafios e limitações
    41. 41. 4. MELHORIAS: AÇÕES NA MATRIZ ©2014J.Teixeira  Aquisições e remanejamentos
    42. 42. 4. MELHORIAS: AÇÕES NA MATRIZ ©2014J.Teixeira  Aquisições e remanejamentos  Hierarquia de ativos
    43. 43. 4. MELHORIAS: AÇÕES NA MATRIZ ©2014J.Teixeira  Aquisições e remanejamentos  Hierarquia de ativos  Conexões com ISPs
    44. 44. 4. MELHORIAS: AÇÕES NAS FILIAIS ©2014J.Teixeira  Ajustes na rede
    45. 45. 4. MELHORIAS: AÇÕES NAS FILIAIS ©2014J.Teixeira  Ajustes na rede  Conexões com ISPs e as VPNs
    46. 46. ©2014J.Teixeira  Desempenho da estrutura: Melhorias  Parque de máquinas: Crescimento  Chamados de suporte: Redução  Objetivos alcançados e consequências 5. AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS
    47. 47. 5. RESULTADOS: MELHORIAS NO DESEMPENHO ©2014J.Teixeira
    48. 48. DESKTOP LAPTOP TABLET SMARTPHONE IMPRESSORA TOTAL 130 66 22 39 51 308 139 84 27 74 58 382 ABRIL DE 2012 AUMENTO DA QUANTIDADE DE DISPOSITIVOS JANEIRO DE 2013 0 20 40 60 80 100 120 140 160 DESKTOP LAPTOP TABLET SMARTPHONE IMPRESSORA ABRIL DE 2012 JANEIRO DE 2013 5. RESULTADOS: CRESCIMENTO DO PARQUE ©2014J.Teixeira
    49. 49. 5. RESULTADOS: REDUÇÃO DE CHAMADOS ©2014J.Teixeira
    50. 50. TOTAL POR TIPO DE CHAMADO 20 33 50 34 67 0 5 10 15 20 25 30 35 ERP: lentidão ou indisponibilidade REDE: Lentidão ou indisponibilidade COMPUTADORES: Falhas/outros EQUIPAMENTOS: Falhas/outros OUTROS (Dúvidas etc.) Chamados/Semana SEMANA 4 SEMANA 3 SEMANA 2 SEMANA 1 5. RESULTADOS: REDUÇÃO DE CHAMADOS ©2014J.Teixeira
    51. 51. OBJETIVOS ALCANÇADOS E CONSEQUÊNCIAS ©2014J.Teixeira  Redução dos incidentes
    52. 52. OBJETIVOS ALCANÇADOS E CONSEQUÊNCIAS ©2014J.Teixeira  Redução dos incidentes  Aumento da produtividade
    53. 53. OBJETIVOS ALCANÇADOS E CONSEQUÊNCIAS ©2014J.Teixeira  Redução dos incidentes  Aumento da produtividade  Investimentos em TI: crescimento
    54. 54. OBJETIVOS ALCANÇADOS E CONSEQUÊNCIAS ©2014J.Teixeira  Redução dos incidentes  Aumento da produtividade  Investimentos em TI: crescimento  Integração: TI > Negócios
    55. 55. CONCLUSÃO ©2014J.Teixeira

    ×