SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
O Autismo Infantil ENTRE DOIS MUNDOS
Há o seu mundo... um mundo incompreensível, de que fogem sempre que podem, refugiando-se no seu interior. Vivem assim, entre dois mundos, as crianças autistas ...e há o mundo dos outros   Entre Dois Mundos
Como se um muro, um espelho as separasse dos demais, obstáculos que nunca transpõem completamente . São crianças diferentes mas que podem viver Felizes Entre Dois Mundos
O quadro clínico inicia-se antes dos 3 anos de idade O  transtorno ocorre  3 ou 4 vezes mais em rapazes do que em raparigas “ O autismo pode ser definido como um síndroma comportamental com etiologias múltiplas caracterizado por um défice na interacção social, combinado com défices de linguagem e alterações de comportamento ”   (Gillberg, 1990) Autismo Definição grego   autos   –  eu próprio
Durante muito tempo pensou-se que era na frieza da mãe, na ausência de carinho materno que residia a causa do autismo –   «mãe-frigorifico» Mas hoje sabe-se com toda a certeza que  a culpa não é da mãe acreditou-se que um indivíduo autista se isolava  voluntariamente , que tinha o  desejo consciente  de não participar em qualquer interacção  social Hoje sabe-se com toda a certeza que tal isolamento não resulta de qualquer desejo ou vontade consciente Porquê? Até aos  60:
O autismo está ligado a um desequilíbrio químico que  ocorre na sequência de alterações neurológicas e bioquímicas ao nível do cérebro  resultante de uma combinação de factores genéticos (poligénicos) e sociais (ambientais) Porquê?
A primeiro contacto médico de família ou pediatra que deve ficar na posse de todos os dados que permitam encaminhar a criança para uma  consulta de desenvolvimento O nosso país dispõe de  equipas multidisciplinares  aptas para fazer o diagnóstico do autismo e projectar a integração da criança Ainda sem possibilidades concretas de cura, é  apenas  possível melhorar a qualidade de vida Os pais sentem-se  muitas vezes perdidos  em busca de resposta para os comportamentos sem sentido do seu filho Perspectivas de Tratamento é o caminho na ausência de medicamentos ou cirurgias É fundamental um  diagnóstico precoce
Quando nascem os  bébes  autistas não parecem diferenciar-se dos demais O autismo  não é denunciado nos traços do rosto ou por uma qualquer anomalia física Pode suspeitar-se cedo na: Mas isto não chega para suspeitar de autismo Sintomas Iniciais do Autismo dificuldade de sucção ou outros problemas com a alimentação  preferência ou rejeição de certos alimentos problemas de sono choro em excesso ou na ausência de choro indiferença do bebe demonstra pelas pessoas e pelo ambiente que o rodeiam
Os primeiros passos podem tardar, tal como a linguagem, que pode nem sequer aparecer podem surgir comportamentos  repetitivos, restritivos ou estereotipados bater palmas, abanar a cabeça, rodar objectos – ou um interesse obsessivo por um brinquedo a criança pode não brincar normalmente, não entrar em brincadeiras com outras da sua idade. Mostra dificuldade no convívio social e um desenvolvimento irregular das capacidades motoras Sintomas Iniciais do Autismo Mais tarde, poderão não manifestar qualquer interesse pelas actividades de autonomia e dar respostas inadequadas aos estímulos sensoriais, revelando uma sensibilidade a mais face ao calor ou ao frio, bem como à luz e à dor Depois dos dois anos : Aos dois anos :
é um dos momentos mais difíceis para uma família com uma criança autista: nesta idade os principais sintomas já estão presentes em simultâneo -   idade do diagnóstico Podem então surgir os comportamentos agressivos, os acessos de raiva, as birras sem causa aparente, os medos excessivos ou irracionais de situações diárias sintomas mais perturbadores tendem a diminuir, se bem que o autismo permaneça para o resto da vida Sintomas Iniciais do Autismo Aos três anos : A partir dos seis anos :
“ O meu desenvolvimento não é absurdo, ainda que não seja fácil de compreender. Tem a sua própria lógica e muitas das condutas a que chamais «alteradas» são formas de enfrentar o mundo segundo a minha maneira especial de ser e perceber. Faz um esforço para me compreender . ”  (adaptado – Angel Riviére, 1996)
Nem todos os autistas apresentam as mesmas características, mas há sinais típicos desta perturbação: I ncapacidade de estabelecer interacções sociais com outras crianças D ificuldade de relacionamento com pessoas, objectos ou eventos I ncapacidade de ter consciência dos outros C ontacto visual difícil, sendo normalmente evitado O que se vê por fora ...
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],O que se vê por fora ... C omportamentos que produzem danos físicos próprios, como bater persistentemente com a cabeça A cessos de cólera, muitas vezes sem razão aparente C ompetências comunicativas verbais e não verbais severamente afectadas
V ocalizações não relacionadas com a fala R epetição de palavras proferidas por outros (ecolália) H iper ou hipossensibilidade a vários estímulos sensoriais R ecusa em ouvir - a criança parece surda ao que lhe dizem, mas é capaz de ouvir um sussurro à distância O que se vê por fora ...
A ceitar a sua diferença, não a discriminar D ar todo o carinho e amor que necessita S aber estimular a criança N unca a deixar sozinha a brincar E vitar as rotinas P romover a sua autonomia S upervisioná-la constantemente I ntegrando-as e protegendo-as   “ Viver com a deficiência é, antes de mais, viver como todos os outros seres vivos, o que se vive é de outra forma, mas nunca uma forma menor de estar na vida .” Como lidar com as Crianças Autistas Almeida, F., 1999:291
Cada vez mais cabe à escola prever as respostas educativas de forma a educar com sucesso todas as crianças, incluindo as com patologias graves « Será que os educadores são capazes de lidar com as crianças com a problemática do autismo? » A maioria dos professores/educadores não concordam com a inclusão de criança com todo o tipo de patologia no sistema regular de ensino Contraria o princípio de escola inclusiva que  «consiste em todos os alunos aprenderem juntos, sempre que possível, independentemente das dificuldades e das diferenças que apresentam»  (Unesco, 1994) Os educadores insistem na necessidade de formação inicial e contínua para lidar com crianças com NEE Os educadores dizem sentir angústia, medo, dúvidas pelo desconhecimento de saber como actuar com estas crianças O Autismo na Escola
Desafio :  depende de todos nós a construção de uma escola física e humana, onde todos se respeitem e preconizem os valores de cada um. « Não se pode mudar a escola mudando a letra do regulamento. É preciso que o espírito se transforme, e que os actores se apropriem das reformas, que compreendam a sua necessidade, vejam nelas o seu interesse. »   (Perrenould) O Autismo na Escola
As boas relações entre os profissionais e as famílias promovem uma maior participação destas na elaboração e consequente implementação de programas educativos O educador deve estar preparado para poder auxiliar os pais no processo de integração e desenvolvimento da criança, estabelecendo laços efectivos de comunicação Os Educadores e a Família
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Terapias
Visa desenvolver a autonomia e diminuir os problemas de comportamento É um ensino estruturado que se baseia na estruturação do ambiente e da sua previsibilidade Associa terapias comportamentais e psicolinguísticas Terapias ,[object Object]
[object Object],Terapias
[object Object],Terapias
A intervenção faz-se no sentido de desenvolver capacidades e competências, de corrigir comportamentos inadequados e estimular a autonomia. O objectivo é ajudá-los a compreender e a viver num mundo que os rodeia É um convite permanente a deixarem o seu mundo e entrarem no nosso É aceitar que aquela pessoa é diferente, ajudando-a a sentir-se melhor na sua diferença Porque ela será sempre diferente Conclusões
APPDA  – Associação Portuguesa    para as Perturbações do    Desenvolvimento e Autismo APPACDM  – Associação Portuguesa de Pais e Amigos  do Cidadão Deficiente Mental Instituições de Apoio
Por Dentro de Nós , Carlos Nunes Filipe Brinca Comigo , APPDA Sugestões

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

02 de abril dia dia autismo por simone helen drumond
02 de abril dia dia  autismo por simone helen drumond02 de abril dia dia  autismo por simone helen drumond
02 de abril dia dia autismo por simone helen drumondSimoneHelenDrumond
 
Inclusão: desafios e conquistas - Autismo & Realidade
Inclusão: desafios e conquistas - Autismo & RealidadeInclusão: desafios e conquistas - Autismo & Realidade
Inclusão: desafios e conquistas - Autismo & RealidadeAutismo & Realidade
 
Transtorno do Espectro Autista
Transtorno do Espectro AutistaTranstorno do Espectro Autista
Transtorno do Espectro AutistaCÉSAR TAVARES
 
Lidando com o autismo em sala de aula sem video
Lidando com o autismo em sala de aula sem videoLidando com o autismo em sala de aula sem video
Lidando com o autismo em sala de aula sem videocraeditgd
 
Conselhos para pais de autistas
Conselhos para pais de autistasConselhos para pais de autistas
Conselhos para pais de autistasSarah Olliver
 
Transtorno do Espectro do Autismo - Documento Científico da SBP
Transtorno do Espectro do Autismo - Documento Científico da SBPTranstorno do Espectro do Autismo - Documento Científico da SBP
Transtorno do Espectro do Autismo - Documento Científico da SBPProf. Marcus Renato de Carvalho
 
Manual avape autismo
Manual avape autismoManual avape autismo
Manual avape autismocronixas
 
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...Anaí Peña
 
Apresentação autismo para maiores de 11anos
Apresentação autismo para maiores de 11anosApresentação autismo para maiores de 11anos
Apresentação autismo para maiores de 11anoscatialipa
 
Cartilha tea-e-book-1
Cartilha tea-e-book-1Cartilha tea-e-book-1
Cartilha tea-e-book-1fabinhodragon
 
Eugenio cunha autismo, aprendizagem e inclusão ppt
Eugenio cunha autismo, aprendizagem e inclusão pptEugenio cunha autismo, aprendizagem e inclusão ppt
Eugenio cunha autismo, aprendizagem e inclusão pptMarlene Campos
 
desenvolvimento lingüístico no autismo
desenvolvimento lingüístico no autismodesenvolvimento lingüístico no autismo
desenvolvimento lingüístico no autismoRosane Domingues
 
119168916 autismo
119168916 autismo119168916 autismo
119168916 autismoPelo Siro
 
Power point autismo
Power point  autismoPower point  autismo
Power point autismoadrianamnf13
 
O autismo e suas características
O autismo e suas característicasO autismo e suas características
O autismo e suas característicasMara Cristina
 

Mais procurados (20)

02 de abril dia dia autismo por simone helen drumond
02 de abril dia dia  autismo por simone helen drumond02 de abril dia dia  autismo por simone helen drumond
02 de abril dia dia autismo por simone helen drumond
 
Inclusão: desafios e conquistas - Autismo & Realidade
Inclusão: desafios e conquistas - Autismo & RealidadeInclusão: desafios e conquistas - Autismo & Realidade
Inclusão: desafios e conquistas - Autismo & Realidade
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Autismo e asperger
Autismo e aspergerAutismo e asperger
Autismo e asperger
 
Transtorno do Espectro Autista
Transtorno do Espectro AutistaTranstorno do Espectro Autista
Transtorno do Espectro Autista
 
Lidando com o autismo em sala de aula sem video
Lidando com o autismo em sala de aula sem videoLidando com o autismo em sala de aula sem video
Lidando com o autismo em sala de aula sem video
 
Conselhos para pais de autistas
Conselhos para pais de autistasConselhos para pais de autistas
Conselhos para pais de autistas
 
Palestra Autismo
Palestra AutismoPalestra Autismo
Palestra Autismo
 
Transtorno do Espectro do Autismo - Documento Científico da SBP
Transtorno do Espectro do Autismo - Documento Científico da SBPTranstorno do Espectro do Autismo - Documento Científico da SBP
Transtorno do Espectro do Autismo - Documento Científico da SBP
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Manual avape autismo
Manual avape autismoManual avape autismo
Manual avape autismo
 
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
 
Apresentação autismo para maiores de 11anos
Apresentação autismo para maiores de 11anosApresentação autismo para maiores de 11anos
Apresentação autismo para maiores de 11anos
 
Cartilha tea-e-book-1
Cartilha tea-e-book-1Cartilha tea-e-book-1
Cartilha tea-e-book-1
 
Eugenio cunha autismo, aprendizagem e inclusão ppt
Eugenio cunha autismo, aprendizagem e inclusão pptEugenio cunha autismo, aprendizagem e inclusão ppt
Eugenio cunha autismo, aprendizagem e inclusão ppt
 
desenvolvimento lingüístico no autismo
desenvolvimento lingüístico no autismodesenvolvimento lingüístico no autismo
desenvolvimento lingüístico no autismo
 
119168916 autismo
119168916 autismo119168916 autismo
119168916 autismo
 
Power point autismo
Power point  autismoPower point  autismo
Power point autismo
 
O autismo e suas características
O autismo e suas característicasO autismo e suas características
O autismo e suas características
 
Autismo artigo
Autismo artigoAutismo artigo
Autismo artigo
 

Destaque

Geologia 10 a crusta terrestre apresenta mobilidade (parte 1)
Geologia 10   a crusta terrestre apresenta mobilidade (parte 1)Geologia 10   a crusta terrestre apresenta mobilidade (parte 1)
Geologia 10 a crusta terrestre apresenta mobilidade (parte 1)Nuno Correia
 
G11 astros do sistema solar
G11   astros do sistema solarG11   astros do sistema solar
G11 astros do sistema solarNuno Correia
 
Geo 10 sistema solar
Geo 10   sistema solarGeo 10   sistema solar
Geo 10 sistema solarNuno Correia
 
Geo 10 corpos celestes
Geo 10   corpos celestesGeo 10   corpos celestes
Geo 10 corpos celestesNuno Correia
 
Geo 10 sistema solar - atividade geológica
Geo 10   sistema solar - atividade geológicaGeo 10   sistema solar - atividade geológica
Geo 10 sistema solar - atividade geológicaNuno Correia
 
Geologia 10 vulcanismo secundário e tectónica de placas
Geologia 10   vulcanismo secundário e tectónica de placasGeologia 10   vulcanismo secundário e tectónica de placas
Geologia 10 vulcanismo secundário e tectónica de placasNuno Correia
 
Planetas E Pequenos Corpos Dos Sistema Solar (Planetas TelúRicos)
Planetas E Pequenos Corpos Dos Sistema Solar (Planetas TelúRicos)Planetas E Pequenos Corpos Dos Sistema Solar (Planetas TelúRicos)
Planetas E Pequenos Corpos Dos Sistema Solar (Planetas TelúRicos)Nuno Correia
 
Biologia 11 (origem e evolução simbiose)
Biologia 11 (origem e evolução   simbiose)Biologia 11 (origem e evolução   simbiose)
Biologia 11 (origem e evolução simbiose)Nuno Correia
 
Caso clinico marlene
Caso clinico marleneCaso clinico marlene
Caso clinico marlenenegrisgarzon3
 
Geologia 11 rochas sedimentares - quimiogéncias
Geologia 11   rochas sedimentares  - quimiogénciasGeologia 11   rochas sedimentares  - quimiogéncias
Geologia 11 rochas sedimentares - quimiogénciasNuno Correia
 
Planetas do Sistema Solar
Planetas do Sistema SolarPlanetas do Sistema Solar
Planetas do Sistema SolarTânia Reis
 

Destaque (14)

Geologia 10 a crusta terrestre apresenta mobilidade (parte 1)
Geologia 10   a crusta terrestre apresenta mobilidade (parte 1)Geologia 10   a crusta terrestre apresenta mobilidade (parte 1)
Geologia 10 a crusta terrestre apresenta mobilidade (parte 1)
 
G11 astros do sistema solar
G11   astros do sistema solarG11   astros do sistema solar
G11 astros do sistema solar
 
Geo 10 sistema solar
Geo 10   sistema solarGeo 10   sistema solar
Geo 10 sistema solar
 
Geo 10 corpos celestes
Geo 10   corpos celestesGeo 10   corpos celestes
Geo 10 corpos celestes
 
Geo 10 sistema solar - atividade geológica
Geo 10   sistema solar - atividade geológicaGeo 10   sistema solar - atividade geológica
Geo 10 sistema solar - atividade geológica
 
Geologia 10 vulcanismo secundário e tectónica de placas
Geologia 10   vulcanismo secundário e tectónica de placasGeologia 10   vulcanismo secundário e tectónica de placas
Geologia 10 vulcanismo secundário e tectónica de placas
 
Planetas E Pequenos Corpos Dos Sistema Solar (Planetas TelúRicos)
Planetas E Pequenos Corpos Dos Sistema Solar (Planetas TelúRicos)Planetas E Pequenos Corpos Dos Sistema Solar (Planetas TelúRicos)
Planetas E Pequenos Corpos Dos Sistema Solar (Planetas TelúRicos)
 
Sistema terra lua
Sistema terra luaSistema terra lua
Sistema terra lua
 
TDAH: Casos clínicos
TDAH: Casos clínicosTDAH: Casos clínicos
TDAH: Casos clínicos
 
Biologia 11 (origem e evolução simbiose)
Biologia 11 (origem e evolução   simbiose)Biologia 11 (origem e evolução   simbiose)
Biologia 11 (origem e evolução simbiose)
 
Caso clinico marlene
Caso clinico marleneCaso clinico marlene
Caso clinico marlene
 
Geologia 11 rochas sedimentares - quimiogéncias
Geologia 11   rochas sedimentares  - quimiogénciasGeologia 11   rochas sedimentares  - quimiogéncias
Geologia 11 rochas sedimentares - quimiogéncias
 
Planetas do Sistema Solar
Planetas do Sistema SolarPlanetas do Sistema Solar
Planetas do Sistema Solar
 
ApresentaçãO Autismo
ApresentaçãO AutismoApresentaçãO Autismo
ApresentaçãO Autismo
 

Semelhante a entre dois mundo

Semelhante a entre dois mundo (20)

autismo como tratar.pdf
autismo como tratar.pdfautismo como tratar.pdf
autismo como tratar.pdf
 
Informações sobre Autismo
Informações sobre AutismoInformações sobre Autismo
Informações sobre Autismo
 
Transtorno do espectro autista
Transtorno do espectro autistaTranstorno do espectro autista
Transtorno do espectro autista
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Eugenio cunha autismo, aprendizagem e inclusão ppt
Eugenio cunha autismo, aprendizagem e inclusão pptEugenio cunha autismo, aprendizagem e inclusão ppt
Eugenio cunha autismo, aprendizagem e inclusão ppt
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Educa%e7%e3o inclusica
Educa%e7%e3o inclusicaEduca%e7%e3o inclusica
Educa%e7%e3o inclusica
 
Conselhos para Pais de Autistas
Conselhos para Pais de Autistas Conselhos para Pais de Autistas
Conselhos para Pais de Autistas
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Autismo orientação para os pais
Autismo   orientação para os paisAutismo   orientação para os pais
Autismo orientação para os pais
 
Cartilha autismo para pais
Cartilha autismo para paisCartilha autismo para pais
Cartilha autismo para pais
 
Autismo e educação
Autismo e educaçãoAutismo e educação
Autismo e educação
 
Autismo sem preconceito.pdf
Autismo sem preconceito.pdfAutismo sem preconceito.pdf
Autismo sem preconceito.pdf
 
O Autismo
O AutismoO Autismo
O Autismo
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
O autismo é uma alteração cerebral
O autismo é uma alteração cerebralO autismo é uma alteração cerebral
O autismo é uma alteração cerebral
 
Apresentac3a7c3a3o autismo
Apresentac3a7c3a3o autismoApresentac3a7c3a3o autismo
Apresentac3a7c3a3o autismo
 
Panfletoautismo
PanfletoautismoPanfletoautismo
Panfletoautismo
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 

Último

Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 

Último (20)

Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 

entre dois mundo

  • 1. O Autismo Infantil ENTRE DOIS MUNDOS
  • 2. Há o seu mundo... um mundo incompreensível, de que fogem sempre que podem, refugiando-se no seu interior. Vivem assim, entre dois mundos, as crianças autistas ...e há o mundo dos outros Entre Dois Mundos
  • 3. Como se um muro, um espelho as separasse dos demais, obstáculos que nunca transpõem completamente . São crianças diferentes mas que podem viver Felizes Entre Dois Mundos
  • 4. O quadro clínico inicia-se antes dos 3 anos de idade O transtorno ocorre 3 ou 4 vezes mais em rapazes do que em raparigas “ O autismo pode ser definido como um síndroma comportamental com etiologias múltiplas caracterizado por um défice na interacção social, combinado com défices de linguagem e alterações de comportamento ” (Gillberg, 1990) Autismo Definição grego autos – eu próprio
  • 5. Durante muito tempo pensou-se que era na frieza da mãe, na ausência de carinho materno que residia a causa do autismo – «mãe-frigorifico» Mas hoje sabe-se com toda a certeza que a culpa não é da mãe acreditou-se que um indivíduo autista se isolava voluntariamente , que tinha o desejo consciente de não participar em qualquer interacção social Hoje sabe-se com toda a certeza que tal isolamento não resulta de qualquer desejo ou vontade consciente Porquê? Até aos 60:
  • 6. O autismo está ligado a um desequilíbrio químico que ocorre na sequência de alterações neurológicas e bioquímicas ao nível do cérebro resultante de uma combinação de factores genéticos (poligénicos) e sociais (ambientais) Porquê?
  • 7. A primeiro contacto médico de família ou pediatra que deve ficar na posse de todos os dados que permitam encaminhar a criança para uma consulta de desenvolvimento O nosso país dispõe de equipas multidisciplinares aptas para fazer o diagnóstico do autismo e projectar a integração da criança Ainda sem possibilidades concretas de cura, é apenas possível melhorar a qualidade de vida Os pais sentem-se muitas vezes perdidos em busca de resposta para os comportamentos sem sentido do seu filho Perspectivas de Tratamento é o caminho na ausência de medicamentos ou cirurgias É fundamental um diagnóstico precoce
  • 8. Quando nascem os bébes autistas não parecem diferenciar-se dos demais O autismo não é denunciado nos traços do rosto ou por uma qualquer anomalia física Pode suspeitar-se cedo na: Mas isto não chega para suspeitar de autismo Sintomas Iniciais do Autismo dificuldade de sucção ou outros problemas com a alimentação preferência ou rejeição de certos alimentos problemas de sono choro em excesso ou na ausência de choro indiferença do bebe demonstra pelas pessoas e pelo ambiente que o rodeiam
  • 9. Os primeiros passos podem tardar, tal como a linguagem, que pode nem sequer aparecer podem surgir comportamentos repetitivos, restritivos ou estereotipados bater palmas, abanar a cabeça, rodar objectos – ou um interesse obsessivo por um brinquedo a criança pode não brincar normalmente, não entrar em brincadeiras com outras da sua idade. Mostra dificuldade no convívio social e um desenvolvimento irregular das capacidades motoras Sintomas Iniciais do Autismo Mais tarde, poderão não manifestar qualquer interesse pelas actividades de autonomia e dar respostas inadequadas aos estímulos sensoriais, revelando uma sensibilidade a mais face ao calor ou ao frio, bem como à luz e à dor Depois dos dois anos : Aos dois anos :
  • 10. é um dos momentos mais difíceis para uma família com uma criança autista: nesta idade os principais sintomas já estão presentes em simultâneo - idade do diagnóstico Podem então surgir os comportamentos agressivos, os acessos de raiva, as birras sem causa aparente, os medos excessivos ou irracionais de situações diárias sintomas mais perturbadores tendem a diminuir, se bem que o autismo permaneça para o resto da vida Sintomas Iniciais do Autismo Aos três anos : A partir dos seis anos :
  • 11. “ O meu desenvolvimento não é absurdo, ainda que não seja fácil de compreender. Tem a sua própria lógica e muitas das condutas a que chamais «alteradas» são formas de enfrentar o mundo segundo a minha maneira especial de ser e perceber. Faz um esforço para me compreender . ” (adaptado – Angel Riviére, 1996)
  • 12. Nem todos os autistas apresentam as mesmas características, mas há sinais típicos desta perturbação: I ncapacidade de estabelecer interacções sociais com outras crianças D ificuldade de relacionamento com pessoas, objectos ou eventos I ncapacidade de ter consciência dos outros C ontacto visual difícil, sendo normalmente evitado O que se vê por fora ...
  • 13.
  • 14. V ocalizações não relacionadas com a fala R epetição de palavras proferidas por outros (ecolália) H iper ou hipossensibilidade a vários estímulos sensoriais R ecusa em ouvir - a criança parece surda ao que lhe dizem, mas é capaz de ouvir um sussurro à distância O que se vê por fora ...
  • 15. A ceitar a sua diferença, não a discriminar D ar todo o carinho e amor que necessita S aber estimular a criança N unca a deixar sozinha a brincar E vitar as rotinas P romover a sua autonomia S upervisioná-la constantemente I ntegrando-as e protegendo-as “ Viver com a deficiência é, antes de mais, viver como todos os outros seres vivos, o que se vive é de outra forma, mas nunca uma forma menor de estar na vida .” Como lidar com as Crianças Autistas Almeida, F., 1999:291
  • 16. Cada vez mais cabe à escola prever as respostas educativas de forma a educar com sucesso todas as crianças, incluindo as com patologias graves « Será que os educadores são capazes de lidar com as crianças com a problemática do autismo? » A maioria dos professores/educadores não concordam com a inclusão de criança com todo o tipo de patologia no sistema regular de ensino Contraria o princípio de escola inclusiva que «consiste em todos os alunos aprenderem juntos, sempre que possível, independentemente das dificuldades e das diferenças que apresentam» (Unesco, 1994) Os educadores insistem na necessidade de formação inicial e contínua para lidar com crianças com NEE Os educadores dizem sentir angústia, medo, dúvidas pelo desconhecimento de saber como actuar com estas crianças O Autismo na Escola
  • 17. Desafio : depende de todos nós a construção de uma escola física e humana, onde todos se respeitem e preconizem os valores de cada um. « Não se pode mudar a escola mudando a letra do regulamento. É preciso que o espírito se transforme, e que os actores se apropriem das reformas, que compreendam a sua necessidade, vejam nelas o seu interesse. » (Perrenould) O Autismo na Escola
  • 18. As boas relações entre os profissionais e as famílias promovem uma maior participação destas na elaboração e consequente implementação de programas educativos O educador deve estar preparado para poder auxiliar os pais no processo de integração e desenvolvimento da criança, estabelecendo laços efectivos de comunicação Os Educadores e a Família
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23. A intervenção faz-se no sentido de desenvolver capacidades e competências, de corrigir comportamentos inadequados e estimular a autonomia. O objectivo é ajudá-los a compreender e a viver num mundo que os rodeia É um convite permanente a deixarem o seu mundo e entrarem no nosso É aceitar que aquela pessoa é diferente, ajudando-a a sentir-se melhor na sua diferença Porque ela será sempre diferente Conclusões
  • 24. APPDA – Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo APPACDM – Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental Instituições de Apoio
  • 25. Por Dentro de Nós , Carlos Nunes Filipe Brinca Comigo , APPDA Sugestões