SlideShare uma empresa Scribd logo
TTrraajjeettóórriiaa HHiissttóórriiccaa ddaa DDiiddááttiiccaa 
Prof. Carlos Alberto Figueiredo da Silva
DDiiddááttiiccaa 
Com base no texto de Amélia Rodrigues de Castro 
Τεχνή διδακτική 
techné didaktiké 
Arte ou técnica de ensinar
Método de Sócrates 
O Poder do não-saber 
O autoconhecimento 
Sócrates Platão 
O bem 
O objeto da ciência não é o sensível, o particular, 
o indivíduo que passa; é o inteligível. 
Dialético 
Maiêutica ou engenhosa obstetrícia do espírito, que facilitava a 
parturição das idéias.
Aristóteles se preocupava 
com a pesquisa e seu 
método consistia em falar 
aos discípulos ouvintes 
em caminhadas pelos 
corredores e adjacências 
do Liceu – dá a 
denominação de escola 
peripatética. Aristóteles
DDiiddááttiiccaa DDiiffuussaa 
PPooddeerr--ssee--iiaa cchhaammaarr ddee ddiiddááttiiccaa 
ddiiffuussaa aa mmaanneeiirraa ddee ssee eennssiinnaarr 
iinnttuuiittiivvaammeennttee ee//oouu sseegguuiinnddoo--ssee 
aa pprrááttiiccaa vviiggeennttee..
SSééccuulloo XXVVIIII:: ssuurrggiimmeennttoo ddaa 
DDiiddááttiiccaa 
• AA DDiiddááttiiccaa ssuurrggee ggrraaççaass àà 
aaççããoo ddee ddooiiss eedduuccaaddoorreess,, 
RRAATTÍÍQQUUIIOO ee CCOOMMÊÊNNIIOO,, 
aammbbooss pprroovveenniieenntteess ddaa 
EEuurrooppaa CCeennttrraall,, qquuee 
aattuuaarraamm eemm ppaaíísseess nnooss 
qquuaaiiss ssee hhaavviiaa iinnssttaallaaddoo aa 
RReeffoorrmmaa PPrrootteessttaannttee..
DDiiddááttiiccaa MMaaggnnaa 
CCoommêênniioo,, 
CCoommeenniiuuss oouu 
JJaann AAmmooss KKoommeennsskkýý 
eessccrreevveeuu,, eennttrree oouuttrraass oobbrraass,, aa DDiiddááttiiccaa MMaaggnnaa,, 
iinnssttiittuuiinnddoo aa nnoovvaa ddiisscciipplliinnaa ccoommoo ""aarrttee ddee eennssiinnaarr 
ttuuddoo aa ttooddooss"".. DDeessssaa aammbbiiççããoo ppaarrttiicciippaa ttaammbbéémm 
RRAATTÍÍQQUUIIOO,, ee aammbbooss,, ppaauuttaaddooss ppoorr iiddeeaaiiss ééttiiccoo-- 
rreelliiggiioossooss,, aaccrreeddiittaamm tteerr eennccoonnttrraaddoo uumm mmééttooddoo 
ppaarraa ccuummpprriirr aaqquueelleess ddeessííggnniiooss ddee mmooddoo rrááppiiddoo ee 
aaggrraaddáávveell..
A idéia baconiana da 
atenção à natureza - este 
é o modelo que os 
didatas supõem imitar 
quando aconselham 
seguir sempre do fácil ao 
difícil, ir das coisas às 
idéias e do particular ao 
geral, tudo sem pressa. 
AA uuttooppiiaa 
ddaa ééppooccaa
AA RReeffoorrmmaa PPrrootteessttaannttee 
Essa etapa da gênese da 
Didática a faz servir, 
com ardor, à causa da 
Reforma Protestante, e 
esse fato marca seu 
caráter revolucionário, 
de luta contra o tipo 
de ensino da Igreja 
Católica Medieval.
CCoonnhheeççaamm SSeeuuss AAlluunnooss 
ROUSSEAU é o autor da segunda 
grande revolução didática. O Século 
das Luzes, que tanto valoriza a razão, 
tem nos excessos românticos de 
ROUSSEAU o seu contraponto. 
Põe em relevo a natureza da criança e 
transforma o método num procedimento 
natural, exercido sem pressa e sem livros.
AA VVaalloorriizzaaççããoo ddaa IInnffâânncciiaa 
• CCOOMMÊÊNNIIOO –– SSeegguuee aass ppeeggaaddaass ddaa 
NNaattuurreezzaa ee vviissaa ddoommaarr aass ppaaiixxõõeess 
ddaass ccrriiaannççaass.. 
• RROOUUSSSSEEAAUU -- PPaarrttee ddaa iiddééiiaa ddaa 
bboonnddaaddee nnaattuurraall ddoo hhoommeemm, 
ccoorrrroommppiiddoo ppeellaa ssoocciieeddaaddee.. VVeerr oo 
lliivvrroo OO CCoonnttrraattoo SSoocciiaall..
TTeemmppooss MMooddeerrnnooss 
OO ttrraaççaaddoo ddee uummaa 
lliinnhhaa iimmaaggiinnáárriiaa 
eemm ttoorrnnoo ddee 
eevveennttooss qquuee 
ccaarraacctteerriizzaamm oo 
eennssiinnoo éé ffaattoo ddoo 
iinníícciioo ddooss tteemmppooss 
mmooddeerrnnooss,, ee 
rreevveellaa uummaa 
tteennttaattiivvaa ddee 
ddiissttiinngguuiirr uumm 
ccaammppoo ddee eessttuuddooss 
aauuttôônnoommoo..
HHeerrbbaarrtt –– AA IInnfflleexxããoo MMeettooddoollóóggiiccaa 
((sséécc.. XXIIXX)) 
Pedagogia Científica 
Educação pela Instrução 
Método dos Passos Formais 
preparação, apresentação, 
associação, sistematização e 
aplicação. 
Concepção de “massas aperceptivas” 
– Conhecimentos anteriores
• HERBART tem o mérito de tornar a 
Pedagogia o "ponto central de um 
círculo de investigação próprio". 
• No entanto, presa ao caminho do 
empirismo sensualista de origem 
filosófica e não ainda experimental.
IInnfflluuêênncciiaa ddee HHeerrbbaarrtt 
• THORNDIKE 
• ASSOCIACIONISMO
AA lleeii ddooss eeffeeiittooss 
• Edward Lee Thorndike estabelece, com sua lei 
dos efeitos as bases para o behaviorismo de 
Skinner. 
• Foi criticado por sua ênfase nas sensações 
agradáveis e desagradáveis como elemento de 
fixação de respostas. 
• Depois de responder às críticas, sua teoria 
acabou incorporada às correntes behavioristas. 
Suas formulações se inserem numa lógica 
positivista e forma pragmática de fazer ciência.
AA DDiiddááttiiccaa ddoo sséécc XXIIXX:: 
ssuujjeeiittoo XX mmééttooddoo 
• ÊÊnnffaassee nnoo mmééttooddoo -- ccoommoo ccaammiinnhhoo qquuee 
ccoonndduuzz ddoo nnããoo--ssaabbeerr aaoo ssaabbeerr,, ccaammiinnhhoo 
ffoorrmmaall ddeessccoobbeerrttoo ppeellaa rraazzããoo hhuummaannaa.. 
• ÊÊnnffaassee nnoo ssuujjeeiittoo -- qquuee sseerriiaa iinndduuzziiddoo,, 
ttaallvveezz ""sseedduuzziiddoo"" aa aapprreennddeerr ppeelloo ccaammiinnhhoo 
ddaa ccuurriioossiiddaaddee ee mmoottiivvaaççããoo..
OO qquuee éé mmaaiiss ppooddeerroossoo?? 
• DDee ddeennttrroo ppaarraa ffoorraa :: oo eessffoorrççoo 
aauuttoo--eedduuccaattiivvoo ddoo ssuujjeeiittoo.. 
oouu 
• DDee ffoorraa ppaarraa ddeennttrroo:: aa pprreessssããoo 
eexxtteerrnnaa ddoo mmeeiioo ssoocciiaall ee ccuullttuurraall..
NNooss EEssttaaddooss UUnniiddooss ddaa AAmméérriiccaa 
• A vertente americana é dominada por 
John DEWEY 
– Criou uma escola-laboratório na 
Universidade de Chicago, defendendo a 
metodologia da Escola Ativa, no âmbito de 
uma Escola Progressiva, comprometida com 
a expansão do ideal democrático americano. 
• A fundamentação psicológica e filosófica 
encontra-se no pragmatismo de William 
JAMES 
– Explicando-se assim a tendência de valorizar 
o conhecimento na medida em que este 
orienta a ação.
NNaa EEuurrooppaa 
• A psicopedagogia com CLAPARÈDE, 
FERRIÈRE, BOVET 
• A medicina pedagógica com MONTESSORI e 
DECROLY 
• A sociopedagogia de FREINET, 
KERSCHENSTEINER e COUSINET. 
– A base psicológica é predominantemente 
funcionalista, mas afastando-se tanto do 
pragmatismo americano quanto das influências 
do associacionismo; no entanto, os fundamentos 
sociológicos divergem, indo da linha 
socialdemocrata à socialista.
PPeeddaaggooggiiaa LLiibbeerraall 
Fundamentação 
não no diálogo 
socrático, mas na 
afirmação 
categórica do 
mestre, como 
havia ensinado 
Aristóteles. 
As Escolas 
Liberais não 
nasceriam com o 
capitalismo ou 
para lhe dar 
sustentação, mas 
da metodologia 
aristotélica? 
Escola Tradicional 
Escola Nova 
Escola Tecnicista
PPeeddaaggooggiiaa PPrrooggrreessssiissttaa 
Podemos dizer 
que o 
chamado 
"Método Paulo 
Freire" é uma 
espécie de 
reedição dos 
diálogos 
socráticos, 
como no-los 
apresenta 
Platão em a 
República 
Paulo Freire Sócrates
DDiiddááttiiccaa OOsscciillaa EEnnttrree DDiiffeerreenntteess 
PPaarraaddiiggmmaass 
sséécc XXXX 
• “Um paradigma (ou um conjunto de paradigmas) 
é aquilo que os membros de uma comunidade 
partilham e, inversamente, uma comunidade 
científica consiste em homens que partilham um 
paradigma.” 
• “Certos exemplos da prática científica atual - 
tanto na teoria quanto na aplicação - estão 
ligados a modelos conceptuais de mundo dos 
quais surgem certas tradições de pesquisa" 
Kuhn, A Estrutura das Revoluções Científicas
PPaarraaddiiggmmaa 
QQuuaall éé oo ppaarraaddiiggmmaa 
ccoommppaarrttiillhhaaddoo,, 
qquuaannttoo àà DDiiddááttiiccaa?? 
CCoommoo éé qquuee aa 
ccoommuunniiddaaddee 
eedduuccaacciioonnaall 
iinntteerrpprreettaa eessssee 
ppaarraaddiiggmmaa??
DDiiddááttiiccaa 
• Renovada 
• Ativa 
• Nova 
• Tradicional 
• Experimental 
• Psicológica 
• Sociológica 
• Filosófica 
• Moderna 
• Geral 
• Especial 
• Neurodidática 
• Etc.
QQuuaall éé oo nnúúcclleeoo dduurroo ddaa 
DDiiddááttiiccaa?? 
OO EEnnssiinnoo--AApprreennddiizzaaggeemm
LLeemmbbrreetteess 
• O primeiro objeto: o Método 
– Correspondendo ao modo de agir sobre o 
educando. 
– O recuo do Método ao fundo do palco e o 
Sujeito como foco: 
– quando sua outra face, o próprio educando ou 
aprendiz, reclamou seus direitos. 
• Um reviver metodológico, no século XIX, 
pôs em relevo as características de ordem e 
sequência, no processo didático.
• Final do século XX: inquietações da 
época requerem auxílio da psicologia 
profunda de origem freudiana, ora 
recorre às correntes neomarxistas. 
• A oscilação entre uma tendência 
psicológica que acentua a relevância da 
compreensão da inteligência humana e 
sua construção e outra que se apóia na 
visão sociológica das relações escola-sociedade, 
parece dominar o conteúdo 
da disciplina.
• Não existem duas Didáticas, uma teórica 
e outra prática: teoria e prática são 
indissociáveis. 
• O foco da Didática: o Ensino- 
Aprendizagem, revela uma intenção: a 
de produzir aprendizagem; é palavra-ação, 
palavra-ordem, palavra-prospectiva, 
palavra que revela um 
resultado desejado.
• Depois de PIAGET, não se pode 
mais entender o ensino como a 
simples apropriação de um 
conteúdo: uma informação, um 
conhecimento ou uma atitude, 
por exemplo.
• Século XXI - A Didática não se 
limita ao bom ensino, ao avanço 
cognitivo intelectual, mas envolve 
igualmente progressos na 
afetividade, moralidade e 
sociabilidade, por condições que 
são do desenvolvimento humano 
integral.
Referência 
CASTRO, Amélia Rodrigues. A trajetória histórica da didática. 
Assista ao vídeo CURIOSIDADE E 
APRENDIZAGEM 
https://www.youtube.com/watch?v=jh6v-VUpiOI
hhttttpp::////wwwwww..ccaarrlloossffiigguueeiirreeddoo..oorrgg// 
OObbrriiggaaddoo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Conhecendo a didática
Conhecendo a didáticaConhecendo a didática
Tendências Pedagógicas da Educação Brasileira
Tendências Pedagógicas da Educação BrasileiraTendências Pedagógicas da Educação Brasileira
Tendências Pedagógicas da Educação Brasileira
Herbert Santana
 
TENDENCIA PROGRESSISTA LIBERTADORA
TENDENCIA PROGRESSISTA LIBERTADORATENDENCIA PROGRESSISTA LIBERTADORA
TENDENCIA PROGRESSISTA LIBERTADORA
Sandra Lourenco
 
Introducao a didatica 1
Introducao a didatica  1Introducao a didatica  1
Introducao a didatica 1
Lukeili
 
Educaçao e Trabalho
Educaçao e TrabalhoEducaçao e Trabalho
Educaçao e Trabalho
Adriana Sales Zardini
 
Slide 1 formação de professores princípios e estratégias formativas
Slide 1   formação de professores princípios e estratégias formativasSlide 1   formação de professores princípios e estratégias formativas
Slide 1 formação de professores princípios e estratégias formativas
Shirley Lauria
 
Paulo freire
Paulo freire Paulo freire
Paulo freire
pibidsociais
 
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAISPOLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
Jose Wilson Melo
 
Gestão democrática na escola pública
Gestão democrática na escola públicaGestão democrática na escola pública
Gestão democrática na escola pública
Ulisses Vakirtzis
 
Teorias curriculo ESCOLAR
Teorias curriculo ESCOLARTeorias curriculo ESCOLAR
Teorias curriculo ESCOLAR
Andrea Lima
 
Teorias do curriculo
Teorias do curriculoTeorias do curriculo
Teorias do curriculo
joao jose saraiva da fonseca
 
Pedagogia progressista libertadora
Pedagogia progressista libertadoraPedagogia progressista libertadora
Pedagogia progressista libertadora
Thales Rocha
 
Slide introduçao a pedagogia
Slide introduçao a pedagogiaSlide introduçao a pedagogia
Slide introduçao a pedagogia
Camilla Follador
 
Escola Libertadora
Escola LibertadoraEscola Libertadora
Escola Libertadora
mefurb
 
Jonh Dewey
Jonh DeweyJonh Dewey
Jonh Dewey
Roxana Alhadas
 
Tendências Pedagógicas
Tendências PedagógicasTendências Pedagógicas
Tendências Pedagógicas
Laudiceia Pereira
 
Gestão escolar
Gestão escolarGestão escolar
O Papel Do Professor
O Papel Do ProfessorO Papel Do Professor
O Papel Do Professor
paula lopes
 
1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagem1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagem
Alba Mate Mate
 
03 dimensões da gestão escolar
03 dimensões da gestão escolar03 dimensões da gestão escolar
03 dimensões da gestão escolar
Joao Balbi
 

Mais procurados (20)

Conhecendo a didática
Conhecendo a didáticaConhecendo a didática
Conhecendo a didática
 
Tendências Pedagógicas da Educação Brasileira
Tendências Pedagógicas da Educação BrasileiraTendências Pedagógicas da Educação Brasileira
Tendências Pedagógicas da Educação Brasileira
 
TENDENCIA PROGRESSISTA LIBERTADORA
TENDENCIA PROGRESSISTA LIBERTADORATENDENCIA PROGRESSISTA LIBERTADORA
TENDENCIA PROGRESSISTA LIBERTADORA
 
Introducao a didatica 1
Introducao a didatica  1Introducao a didatica  1
Introducao a didatica 1
 
Educaçao e Trabalho
Educaçao e TrabalhoEducaçao e Trabalho
Educaçao e Trabalho
 
Slide 1 formação de professores princípios e estratégias formativas
Slide 1   formação de professores princípios e estratégias formativasSlide 1   formação de professores princípios e estratégias formativas
Slide 1 formação de professores princípios e estratégias formativas
 
Paulo freire
Paulo freire Paulo freire
Paulo freire
 
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAISPOLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
POLITICAS PUBLICAS EDUCACIONAIS
 
Gestão democrática na escola pública
Gestão democrática na escola públicaGestão democrática na escola pública
Gestão democrática na escola pública
 
Teorias curriculo ESCOLAR
Teorias curriculo ESCOLARTeorias curriculo ESCOLAR
Teorias curriculo ESCOLAR
 
Teorias do curriculo
Teorias do curriculoTeorias do curriculo
Teorias do curriculo
 
Pedagogia progressista libertadora
Pedagogia progressista libertadoraPedagogia progressista libertadora
Pedagogia progressista libertadora
 
Slide introduçao a pedagogia
Slide introduçao a pedagogiaSlide introduçao a pedagogia
Slide introduçao a pedagogia
 
Escola Libertadora
Escola LibertadoraEscola Libertadora
Escola Libertadora
 
Jonh Dewey
Jonh DeweyJonh Dewey
Jonh Dewey
 
Tendências Pedagógicas
Tendências PedagógicasTendências Pedagógicas
Tendências Pedagógicas
 
Gestão escolar
Gestão escolarGestão escolar
Gestão escolar
 
O Papel Do Professor
O Papel Do ProfessorO Papel Do Professor
O Papel Do Professor
 
1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagem1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagem
 
03 dimensões da gestão escolar
03 dimensões da gestão escolar03 dimensões da gestão escolar
03 dimensões da gestão escolar
 

Destaque

Didática De 1549 Ate Atualidade
Didática De 1549 Ate AtualidadeDidática De 1549 Ate Atualidade
Didática De 1549 Ate Atualidade
Julio Siqueira
 
Como surgiu a didática
Como surgiu a didáticaComo surgiu a didática
Como surgiu a didática
Karina Mareci
 
Didática uma retrospectiva histórica - Neidson Rodrigues
Didática uma retrospectiva histórica - Neidson RodriguesDidática uma retrospectiva histórica - Neidson Rodrigues
Didática uma retrospectiva histórica - Neidson Rodrigues
Poliana Tavares
 
O papel da didática na formação de professores
O papel da didática na formação de professoresO papel da didática na formação de professores
O papel da didática na formação de professores
Ana Paula Azevedo
 
Didatica teórica e tendências
Didatica teórica e tendênciasDidatica teórica e tendências
Didatica teórica e tendências
Victor Nilu Fabiana Barros
 
O papel da didática na formação do professor
O papel da didática na formação do professorO papel da didática na formação do professor
O papel da didática na formação do professor
na educação
 
Slide de didática
Slide de didáticaSlide de didática
Slide sobre Didática.
Slide sobre Didática.Slide sobre Didática.
Slide sobre Didática.
Thaís Boch
 
Didática: Diversas Concepções
Didática: Diversas ConcepçõesDidática: Diversas Concepções
Didática: Diversas Concepções
monnavasconcelos
 
Apostila de didatica
 Apostila de didatica Apostila de didatica
Apostila de didatica
Jocimary Josefa Gonçalves
 
Fundamentos da Didática
Fundamentos da DidáticaFundamentos da Didática
Fundamentos da Didática
UNICEP
 
DIDÁTICA - SIMULADO COM 50 QUESTÕES
DIDÁTICA - SIMULADO COM 50 QUESTÕESDIDÁTICA - SIMULADO COM 50 QUESTÕES
DIDÁTICA - SIMULADO COM 50 QUESTÕES
Valdeci Correia
 
Didatica
DidaticaDidatica
apostila de didática
apostila de didáticaapostila de didática
apostila de didática
joaovitorinopolacimatos
 
2.introdução à didática
2.introdução à didática2.introdução à didática
2.introdução à didática
joaovitorinopolacimatos
 
História da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didáticaHistória da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didática
Prof. Antônio Martins de Almeida Filho
 
DIDÁTICA - SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS
DIDÁTICA - SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSDIDÁTICA - SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS
DIDÁTICA - SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS
Valdeci Correia
 
Metodologia e tecnicas de ensino
Metodologia e tecnicas de ensinoMetodologia e tecnicas de ensino
Metodologia e tecnicas de ensino
Alexsandro Souza Dos Santos
 
Métodos contraceptivos 9º ano
Métodos contraceptivos 9º anoMétodos contraceptivos 9º ano
Métodos contraceptivos 9º ano
Sofia Ribeiro
 
Valvoplastia e troca valvar aórtica: análise crítica e estado atual das indic...
Valvoplastia e troca valvar aórtica: análise crítica e estado atual das indic...Valvoplastia e troca valvar aórtica: análise crítica e estado atual das indic...
Valvoplastia e troca valvar aórtica: análise crítica e estado atual das indic...
sbhci
 

Destaque (20)

Didática De 1549 Ate Atualidade
Didática De 1549 Ate AtualidadeDidática De 1549 Ate Atualidade
Didática De 1549 Ate Atualidade
 
Como surgiu a didática
Como surgiu a didáticaComo surgiu a didática
Como surgiu a didática
 
Didática uma retrospectiva histórica - Neidson Rodrigues
Didática uma retrospectiva histórica - Neidson RodriguesDidática uma retrospectiva histórica - Neidson Rodrigues
Didática uma retrospectiva histórica - Neidson Rodrigues
 
O papel da didática na formação de professores
O papel da didática na formação de professoresO papel da didática na formação de professores
O papel da didática na formação de professores
 
Didatica teórica e tendências
Didatica teórica e tendênciasDidatica teórica e tendências
Didatica teórica e tendências
 
O papel da didática na formação do professor
O papel da didática na formação do professorO papel da didática na formação do professor
O papel da didática na formação do professor
 
Slide de didática
Slide de didáticaSlide de didática
Slide de didática
 
Slide sobre Didática.
Slide sobre Didática.Slide sobre Didática.
Slide sobre Didática.
 
Didática: Diversas Concepções
Didática: Diversas ConcepçõesDidática: Diversas Concepções
Didática: Diversas Concepções
 
Apostila de didatica
 Apostila de didatica Apostila de didatica
Apostila de didatica
 
Fundamentos da Didática
Fundamentos da DidáticaFundamentos da Didática
Fundamentos da Didática
 
DIDÁTICA - SIMULADO COM 50 QUESTÕES
DIDÁTICA - SIMULADO COM 50 QUESTÕESDIDÁTICA - SIMULADO COM 50 QUESTÕES
DIDÁTICA - SIMULADO COM 50 QUESTÕES
 
Didatica
DidaticaDidatica
Didatica
 
apostila de didática
apostila de didáticaapostila de didática
apostila de didática
 
2.introdução à didática
2.introdução à didática2.introdução à didática
2.introdução à didática
 
História da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didáticaHistória da pedagogia e da didática
História da pedagogia e da didática
 
DIDÁTICA - SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS
DIDÁTICA - SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSDIDÁTICA - SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS
DIDÁTICA - SIMULADO DIGITAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS
 
Metodologia e tecnicas de ensino
Metodologia e tecnicas de ensinoMetodologia e tecnicas de ensino
Metodologia e tecnicas de ensino
 
Métodos contraceptivos 9º ano
Métodos contraceptivos 9º anoMétodos contraceptivos 9º ano
Métodos contraceptivos 9º ano
 
Valvoplastia e troca valvar aórtica: análise crítica e estado atual das indic...
Valvoplastia e troca valvar aórtica: análise crítica e estado atual das indic...Valvoplastia e troca valvar aórtica: análise crítica e estado atual das indic...
Valvoplastia e troca valvar aórtica: análise crítica e estado atual das indic...
 

Semelhante a Trajetória histórica da didática

O estudo cientifico da aprendizagem
O estudo cientifico da aprendizagemO estudo cientifico da aprendizagem
O estudo cientifico da aprendizagem
QuitriaSilva2
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
Aula dia 03 08-16
Aula dia 03 08-16Aula dia 03 08-16
Aula dia 03 08-16
Colégio Tiradentes III
 
Tendências e correntes na educação brasileira
Tendências e correntes na educação brasileiraTendências e correntes na educação brasileira
Tendências e correntes na educação brasileira
richard_romancini
 
Trabalho metodologia
Trabalho metodologiaTrabalho metodologia
Trabalho metodologia
Alcione Luiza
 
Apresentação o que é sociologia
Apresentação o que é sociologia   Apresentação o que é sociologia
Apresentação o que é sociologia
Cámala Menezes Moreno
 
pdf-instrumentalidade-do-servico-social.pdf
pdf-instrumentalidade-do-servico-social.pdfpdf-instrumentalidade-do-servico-social.pdf
pdf-instrumentalidade-do-servico-social.pdf
ErikaOliveira590122
 
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdffilosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
Sebbajr Junior
 
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdffilosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
Sebbajr Junior
 
Teorias da educa_o
Teorias da educa_oTeorias da educa_o
Teorias da educa_o
elviswesp
 
Didática (Antonio Marcos)
Didática (Antonio Marcos)Didática (Antonio Marcos)
Didática (Antonio Marcos)
antoniopozes
 
Métodos de Investigação e Escrita Científica
Métodos de Investigação e Escrita CientíficaMétodos de Investigação e Escrita Científica
Métodos de Investigação e Escrita Científica
viviprof
 
Miec
MiecMiec
Aula1arquivoalunos
Aula1arquivoalunosAula1arquivoalunos
Aula1arquivoalunos
lislieribeiro
 
Pedagogia e educação
Pedagogia e educaçãoPedagogia e educação
Pedagogia e educação
José Barros
 
A corrente pedagógica racional tecnológica e cibercultura Libâneo
A corrente pedagógica racional tecnológica e cibercultura  LibâneoA corrente pedagógica racional tecnológica e cibercultura  Libâneo
A corrente pedagógica racional tecnológica e cibercultura Libâneo
Haroldo Nunes
 
A corrente pedagógica racional tecnológica e cibercultura libâneo
A corrente pedagógica racional tecnológica e cibercultura  libâneoA corrente pedagógica racional tecnológica e cibercultura  libâneo
A corrente pedagógica racional tecnológica e cibercultura libâneo
Haroldo Nunes
 
A corrente pedagógica racional tecnológica Libâneo e cibercultura
A corrente pedagógica racional tecnológica Libâneo e cibercultura  A corrente pedagógica racional tecnológica Libâneo e cibercultura
A corrente pedagógica racional tecnológica Libâneo e cibercultura
Haroldo Nunes
 
Met. Cientifica
Met. CientificaMet. Cientifica
Met. Cientifica
Alan Ciriaco
 
Aula 1 24-01
Aula 1   24-01Aula 1   24-01

Semelhante a Trajetória histórica da didática (20)

O estudo cientifico da aprendizagem
O estudo cientifico da aprendizagemO estudo cientifico da aprendizagem
O estudo cientifico da aprendizagem
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
Aula 01
 
Aula dia 03 08-16
Aula dia 03 08-16Aula dia 03 08-16
Aula dia 03 08-16
 
Tendências e correntes na educação brasileira
Tendências e correntes na educação brasileiraTendências e correntes na educação brasileira
Tendências e correntes na educação brasileira
 
Trabalho metodologia
Trabalho metodologiaTrabalho metodologia
Trabalho metodologia
 
Apresentação o que é sociologia
Apresentação o que é sociologia   Apresentação o que é sociologia
Apresentação o que é sociologia
 
pdf-instrumentalidade-do-servico-social.pdf
pdf-instrumentalidade-do-servico-social.pdfpdf-instrumentalidade-do-servico-social.pdf
pdf-instrumentalidade-do-servico-social.pdf
 
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdffilosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
 
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdffilosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
filosofia-da-educação-ISBN-ED-CAMPO.pdf
 
Teorias da educa_o
Teorias da educa_oTeorias da educa_o
Teorias da educa_o
 
Didática (Antonio Marcos)
Didática (Antonio Marcos)Didática (Antonio Marcos)
Didática (Antonio Marcos)
 
Métodos de Investigação e Escrita Científica
Métodos de Investigação e Escrita CientíficaMétodos de Investigação e Escrita Científica
Métodos de Investigação e Escrita Científica
 
Miec
MiecMiec
Miec
 
Aula1arquivoalunos
Aula1arquivoalunosAula1arquivoalunos
Aula1arquivoalunos
 
Pedagogia e educação
Pedagogia e educaçãoPedagogia e educação
Pedagogia e educação
 
A corrente pedagógica racional tecnológica e cibercultura Libâneo
A corrente pedagógica racional tecnológica e cibercultura  LibâneoA corrente pedagógica racional tecnológica e cibercultura  Libâneo
A corrente pedagógica racional tecnológica e cibercultura Libâneo
 
A corrente pedagógica racional tecnológica e cibercultura libâneo
A corrente pedagógica racional tecnológica e cibercultura  libâneoA corrente pedagógica racional tecnológica e cibercultura  libâneo
A corrente pedagógica racional tecnológica e cibercultura libâneo
 
A corrente pedagógica racional tecnológica Libâneo e cibercultura
A corrente pedagógica racional tecnológica Libâneo e cibercultura  A corrente pedagógica racional tecnológica Libâneo e cibercultura
A corrente pedagógica racional tecnológica Libâneo e cibercultura
 
Met. Cientifica
Met. CientificaMet. Cientifica
Met. Cientifica
 
Aula 1 24-01
Aula 1   24-01Aula 1   24-01
Aula 1 24-01
 

Mais de Universidade Salgado de Oliveira

Sociedade inclusiva Carlos Alberto Figueiredo da Silva
Sociedade inclusiva Carlos Alberto Figueiredo da SilvaSociedade inclusiva Carlos Alberto Figueiredo da Silva
Sociedade inclusiva Carlos Alberto Figueiredo da Silva
Universidade Salgado de Oliveira
 
Desenvolvimento organizacional
Desenvolvimento organizacionalDesenvolvimento organizacional
Desenvolvimento organizacional
Universidade Salgado de Oliveira
 
Sociedade inclusiva
Sociedade inclusivaSociedade inclusiva
7ª missão técnica semesp alemanha
7ª missão técnica semesp alemanha7ª missão técnica semesp alemanha
7ª missão técnica semesp alemanha
Universidade Salgado de Oliveira
 
Canvas Universidade do Porto 2015
Canvas Universidade do Porto 2015Canvas Universidade do Porto 2015
Canvas Universidade do Porto 2015
Universidade Salgado de Oliveira
 
Canvas Universidade do Porto
Canvas Universidade do PortoCanvas Universidade do Porto
Canvas Universidade do Porto
Universidade Salgado de Oliveira
 
Relações entre Canvas, Hélice tríplice, Porter e SWOT
Relações entre Canvas, Hélice tríplice, Porter e SWOTRelações entre Canvas, Hélice tríplice, Porter e SWOT
Relações entre Canvas, Hélice tríplice, Porter e SWOT
Universidade Salgado de Oliveira
 
Avaliar unisuam
Avaliar unisuamAvaliar unisuam
Resumo Babson College 2013
Resumo Babson College 2013Resumo Babson College 2013
Resumo Babson College 2013
Universidade Salgado de Oliveira
 
Racismo e Xenofobia no Futebol
Racismo e Xenofobia no FutebolRacismo e Xenofobia no Futebol
Racismo e Xenofobia no Futebol
Universidade Salgado de Oliveira
 
10 anos de educação física
10 anos de educação física10 anos de educação física
10 anos de educação física
Universidade Salgado de Oliveira
 
Racismo no futebol 03 maio 2007
Racismo no futebol 03 maio 2007Racismo no futebol 03 maio 2007
Racismo no futebol 03 maio 2007
Universidade Salgado de Oliveira
 
O argumento da hélice tríplice 2a parte
O argumento da hélice tríplice 2a parteO argumento da hélice tríplice 2a parte
O argumento da hélice tríplice 2a parte
Universidade Salgado de Oliveira
 
O argumento da hélice tríplice aula 1a parte
O argumento da hélice tríplice aula 1a parteO argumento da hélice tríplice aula 1a parte
O argumento da hélice tríplice aula 1a parte
Universidade Salgado de Oliveira
 
O novum trivium e a carreira pública
O novum trivium e a carreira públicaO novum trivium e a carreira pública
O novum trivium e a carreira pública
Universidade Salgado de Oliveira
 
A atividade física como ferramenta para a inclusão
A atividade física como ferramenta para a inclusãoA atividade física como ferramenta para a inclusão
A atividade física como ferramenta para a inclusão
Universidade Salgado de Oliveira
 
A Pesquisa em Engenharia de Produção na Universidade: Uma Proposta Metodológi...
A Pesquisa em Engenharia de Produção na Universidade: Uma Proposta Metodológi...A Pesquisa em Engenharia de Produção na Universidade: Uma Proposta Metodológi...
A Pesquisa em Engenharia de Produção na Universidade: Uma Proposta Metodológi...
Universidade Salgado de Oliveira
 
Hélice Tríplice e Gestão do Esporte - I Fórum Internacional de Gestão do Espo...
Hélice Tríplice e Gestão do Esporte - I Fórum Internacional de Gestão do Espo...Hélice Tríplice e Gestão do Esporte - I Fórum Internacional de Gestão do Espo...
Hélice Tríplice e Gestão do Esporte - I Fórum Internacional de Gestão do Espo...
Universidade Salgado de Oliveira
 
I fórum internacional de políticas públicas para o esporte: o argumento da hé...
I fórum internacional de políticas públicas para o esporte: o argumento da hé...I fórum internacional de políticas públicas para o esporte: o argumento da hé...
I fórum internacional de políticas públicas para o esporte: o argumento da hé...
Universidade Salgado de Oliveira
 
Palestra gestão do esporte 2010.2 2 - Hélice Tríplice
Palestra gestão do esporte 2010.2 2 - Hélice TríplicePalestra gestão do esporte 2010.2 2 - Hélice Tríplice
Palestra gestão do esporte 2010.2 2 - Hélice Tríplice
Universidade Salgado de Oliveira
 

Mais de Universidade Salgado de Oliveira (20)

Sociedade inclusiva Carlos Alberto Figueiredo da Silva
Sociedade inclusiva Carlos Alberto Figueiredo da SilvaSociedade inclusiva Carlos Alberto Figueiredo da Silva
Sociedade inclusiva Carlos Alberto Figueiredo da Silva
 
Desenvolvimento organizacional
Desenvolvimento organizacionalDesenvolvimento organizacional
Desenvolvimento organizacional
 
Sociedade inclusiva
Sociedade inclusivaSociedade inclusiva
Sociedade inclusiva
 
7ª missão técnica semesp alemanha
7ª missão técnica semesp alemanha7ª missão técnica semesp alemanha
7ª missão técnica semesp alemanha
 
Canvas Universidade do Porto 2015
Canvas Universidade do Porto 2015Canvas Universidade do Porto 2015
Canvas Universidade do Porto 2015
 
Canvas Universidade do Porto
Canvas Universidade do PortoCanvas Universidade do Porto
Canvas Universidade do Porto
 
Relações entre Canvas, Hélice tríplice, Porter e SWOT
Relações entre Canvas, Hélice tríplice, Porter e SWOTRelações entre Canvas, Hélice tríplice, Porter e SWOT
Relações entre Canvas, Hélice tríplice, Porter e SWOT
 
Avaliar unisuam
Avaliar unisuamAvaliar unisuam
Avaliar unisuam
 
Resumo Babson College 2013
Resumo Babson College 2013Resumo Babson College 2013
Resumo Babson College 2013
 
Racismo e Xenofobia no Futebol
Racismo e Xenofobia no FutebolRacismo e Xenofobia no Futebol
Racismo e Xenofobia no Futebol
 
10 anos de educação física
10 anos de educação física10 anos de educação física
10 anos de educação física
 
Racismo no futebol 03 maio 2007
Racismo no futebol 03 maio 2007Racismo no futebol 03 maio 2007
Racismo no futebol 03 maio 2007
 
O argumento da hélice tríplice 2a parte
O argumento da hélice tríplice 2a parteO argumento da hélice tríplice 2a parte
O argumento da hélice tríplice 2a parte
 
O argumento da hélice tríplice aula 1a parte
O argumento da hélice tríplice aula 1a parteO argumento da hélice tríplice aula 1a parte
O argumento da hélice tríplice aula 1a parte
 
O novum trivium e a carreira pública
O novum trivium e a carreira públicaO novum trivium e a carreira pública
O novum trivium e a carreira pública
 
A atividade física como ferramenta para a inclusão
A atividade física como ferramenta para a inclusãoA atividade física como ferramenta para a inclusão
A atividade física como ferramenta para a inclusão
 
A Pesquisa em Engenharia de Produção na Universidade: Uma Proposta Metodológi...
A Pesquisa em Engenharia de Produção na Universidade: Uma Proposta Metodológi...A Pesquisa em Engenharia de Produção na Universidade: Uma Proposta Metodológi...
A Pesquisa em Engenharia de Produção na Universidade: Uma Proposta Metodológi...
 
Hélice Tríplice e Gestão do Esporte - I Fórum Internacional de Gestão do Espo...
Hélice Tríplice e Gestão do Esporte - I Fórum Internacional de Gestão do Espo...Hélice Tríplice e Gestão do Esporte - I Fórum Internacional de Gestão do Espo...
Hélice Tríplice e Gestão do Esporte - I Fórum Internacional de Gestão do Espo...
 
I fórum internacional de políticas públicas para o esporte: o argumento da hé...
I fórum internacional de políticas públicas para o esporte: o argumento da hé...I fórum internacional de políticas públicas para o esporte: o argumento da hé...
I fórum internacional de políticas públicas para o esporte: o argumento da hé...
 
Palestra gestão do esporte 2010.2 2 - Hélice Tríplice
Palestra gestão do esporte 2010.2 2 - Hélice TríplicePalestra gestão do esporte 2010.2 2 - Hélice Tríplice
Palestra gestão do esporte 2010.2 2 - Hélice Tríplice
 

Último

UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
AntonioLobosco3
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 

Trajetória histórica da didática

  • 1. TTrraajjeettóórriiaa HHiissttóórriiccaa ddaa DDiiddááttiiccaa Prof. Carlos Alberto Figueiredo da Silva
  • 2. DDiiddááttiiccaa Com base no texto de Amélia Rodrigues de Castro Τεχνή διδακτική techné didaktiké Arte ou técnica de ensinar
  • 3. Método de Sócrates O Poder do não-saber O autoconhecimento Sócrates Platão O bem O objeto da ciência não é o sensível, o particular, o indivíduo que passa; é o inteligível. Dialético Maiêutica ou engenhosa obstetrícia do espírito, que facilitava a parturição das idéias.
  • 4. Aristóteles se preocupava com a pesquisa e seu método consistia em falar aos discípulos ouvintes em caminhadas pelos corredores e adjacências do Liceu – dá a denominação de escola peripatética. Aristóteles
  • 5. DDiiddááttiiccaa DDiiffuussaa PPooddeerr--ssee--iiaa cchhaammaarr ddee ddiiddááttiiccaa ddiiffuussaa aa mmaanneeiirraa ddee ssee eennssiinnaarr iinnttuuiittiivvaammeennttee ee//oouu sseegguuiinnddoo--ssee aa pprrááttiiccaa vviiggeennttee..
  • 6. SSééccuulloo XXVVIIII:: ssuurrggiimmeennttoo ddaa DDiiddááttiiccaa • AA DDiiddááttiiccaa ssuurrggee ggrraaççaass àà aaççããoo ddee ddooiiss eedduuccaaddoorreess,, RRAATTÍÍQQUUIIOO ee CCOOMMÊÊNNIIOO,, aammbbooss pprroovveenniieenntteess ddaa EEuurrooppaa CCeennttrraall,, qquuee aattuuaarraamm eemm ppaaíísseess nnooss qquuaaiiss ssee hhaavviiaa iinnssttaallaaddoo aa RReeffoorrmmaa PPrrootteessttaannttee..
  • 7. DDiiddááttiiccaa MMaaggnnaa CCoommêênniioo,, CCoommeenniiuuss oouu JJaann AAmmooss KKoommeennsskkýý eessccrreevveeuu,, eennttrree oouuttrraass oobbrraass,, aa DDiiddááttiiccaa MMaaggnnaa,, iinnssttiittuuiinnddoo aa nnoovvaa ddiisscciipplliinnaa ccoommoo ""aarrttee ddee eennssiinnaarr ttuuddoo aa ttooddooss"".. DDeessssaa aammbbiiççããoo ppaarrttiicciippaa ttaammbbéémm RRAATTÍÍQQUUIIOO,, ee aammbbooss,, ppaauuttaaddooss ppoorr iiddeeaaiiss ééttiiccoo-- rreelliiggiioossooss,, aaccrreeddiittaamm tteerr eennccoonnttrraaddoo uumm mmééttooddoo ppaarraa ccuummpprriirr aaqquueelleess ddeessííggnniiooss ddee mmooddoo rrááppiiddoo ee aaggrraaddáávveell..
  • 8. A idéia baconiana da atenção à natureza - este é o modelo que os didatas supõem imitar quando aconselham seguir sempre do fácil ao difícil, ir das coisas às idéias e do particular ao geral, tudo sem pressa. AA uuttooppiiaa ddaa ééppooccaa
  • 9. AA RReeffoorrmmaa PPrrootteessttaannttee Essa etapa da gênese da Didática a faz servir, com ardor, à causa da Reforma Protestante, e esse fato marca seu caráter revolucionário, de luta contra o tipo de ensino da Igreja Católica Medieval.
  • 10. CCoonnhheeççaamm SSeeuuss AAlluunnooss ROUSSEAU é o autor da segunda grande revolução didática. O Século das Luzes, que tanto valoriza a razão, tem nos excessos românticos de ROUSSEAU o seu contraponto. Põe em relevo a natureza da criança e transforma o método num procedimento natural, exercido sem pressa e sem livros.
  • 11. AA VVaalloorriizzaaççããoo ddaa IInnffâânncciiaa • CCOOMMÊÊNNIIOO –– SSeegguuee aass ppeeggaaddaass ddaa NNaattuurreezzaa ee vviissaa ddoommaarr aass ppaaiixxõõeess ddaass ccrriiaannççaass.. • RROOUUSSSSEEAAUU -- PPaarrttee ddaa iiddééiiaa ddaa bboonnddaaddee nnaattuurraall ddoo hhoommeemm, ccoorrrroommppiiddoo ppeellaa ssoocciieeddaaddee.. VVeerr oo lliivvrroo OO CCoonnttrraattoo SSoocciiaall..
  • 12. TTeemmppooss MMooddeerrnnooss OO ttrraaççaaddoo ddee uummaa lliinnhhaa iimmaaggiinnáárriiaa eemm ttoorrnnoo ddee eevveennttooss qquuee ccaarraacctteerriizzaamm oo eennssiinnoo éé ffaattoo ddoo iinníícciioo ddooss tteemmppooss mmooddeerrnnooss,, ee rreevveellaa uummaa tteennttaattiivvaa ddee ddiissttiinngguuiirr uumm ccaammppoo ddee eessttuuddooss aauuttôônnoommoo..
  • 13. HHeerrbbaarrtt –– AA IInnfflleexxããoo MMeettooddoollóóggiiccaa ((sséécc.. XXIIXX)) Pedagogia Científica Educação pela Instrução Método dos Passos Formais preparação, apresentação, associação, sistematização e aplicação. Concepção de “massas aperceptivas” – Conhecimentos anteriores
  • 14. • HERBART tem o mérito de tornar a Pedagogia o "ponto central de um círculo de investigação próprio". • No entanto, presa ao caminho do empirismo sensualista de origem filosófica e não ainda experimental.
  • 15. IInnfflluuêênncciiaa ddee HHeerrbbaarrtt • THORNDIKE • ASSOCIACIONISMO
  • 16. AA lleeii ddooss eeffeeiittooss • Edward Lee Thorndike estabelece, com sua lei dos efeitos as bases para o behaviorismo de Skinner. • Foi criticado por sua ênfase nas sensações agradáveis e desagradáveis como elemento de fixação de respostas. • Depois de responder às críticas, sua teoria acabou incorporada às correntes behavioristas. Suas formulações se inserem numa lógica positivista e forma pragmática de fazer ciência.
  • 17. AA DDiiddááttiiccaa ddoo sséécc XXIIXX:: ssuujjeeiittoo XX mmééttooddoo • ÊÊnnffaassee nnoo mmééttooddoo -- ccoommoo ccaammiinnhhoo qquuee ccoonndduuzz ddoo nnããoo--ssaabbeerr aaoo ssaabbeerr,, ccaammiinnhhoo ffoorrmmaall ddeessccoobbeerrttoo ppeellaa rraazzããoo hhuummaannaa.. • ÊÊnnffaassee nnoo ssuujjeeiittoo -- qquuee sseerriiaa iinndduuzziiddoo,, ttaallvveezz ""sseedduuzziiddoo"" aa aapprreennddeerr ppeelloo ccaammiinnhhoo ddaa ccuurriioossiiddaaddee ee mmoottiivvaaççããoo..
  • 18. OO qquuee éé mmaaiiss ppooddeerroossoo?? • DDee ddeennttrroo ppaarraa ffoorraa :: oo eessffoorrççoo aauuttoo--eedduuccaattiivvoo ddoo ssuujjeeiittoo.. oouu • DDee ffoorraa ppaarraa ddeennttrroo:: aa pprreessssããoo eexxtteerrnnaa ddoo mmeeiioo ssoocciiaall ee ccuullttuurraall..
  • 19. NNooss EEssttaaddooss UUnniiddooss ddaa AAmméérriiccaa • A vertente americana é dominada por John DEWEY – Criou uma escola-laboratório na Universidade de Chicago, defendendo a metodologia da Escola Ativa, no âmbito de uma Escola Progressiva, comprometida com a expansão do ideal democrático americano. • A fundamentação psicológica e filosófica encontra-se no pragmatismo de William JAMES – Explicando-se assim a tendência de valorizar o conhecimento na medida em que este orienta a ação.
  • 20. NNaa EEuurrooppaa • A psicopedagogia com CLAPARÈDE, FERRIÈRE, BOVET • A medicina pedagógica com MONTESSORI e DECROLY • A sociopedagogia de FREINET, KERSCHENSTEINER e COUSINET. – A base psicológica é predominantemente funcionalista, mas afastando-se tanto do pragmatismo americano quanto das influências do associacionismo; no entanto, os fundamentos sociológicos divergem, indo da linha socialdemocrata à socialista.
  • 21. PPeeddaaggooggiiaa LLiibbeerraall Fundamentação não no diálogo socrático, mas na afirmação categórica do mestre, como havia ensinado Aristóteles. As Escolas Liberais não nasceriam com o capitalismo ou para lhe dar sustentação, mas da metodologia aristotélica? Escola Tradicional Escola Nova Escola Tecnicista
  • 22. PPeeddaaggooggiiaa PPrrooggrreessssiissttaa Podemos dizer que o chamado "Método Paulo Freire" é uma espécie de reedição dos diálogos socráticos, como no-los apresenta Platão em a República Paulo Freire Sócrates
  • 23. DDiiddááttiiccaa OOsscciillaa EEnnttrree DDiiffeerreenntteess PPaarraaddiiggmmaass sséécc XXXX • “Um paradigma (ou um conjunto de paradigmas) é aquilo que os membros de uma comunidade partilham e, inversamente, uma comunidade científica consiste em homens que partilham um paradigma.” • “Certos exemplos da prática científica atual - tanto na teoria quanto na aplicação - estão ligados a modelos conceptuais de mundo dos quais surgem certas tradições de pesquisa" Kuhn, A Estrutura das Revoluções Científicas
  • 24. PPaarraaddiiggmmaa QQuuaall éé oo ppaarraaddiiggmmaa ccoommppaarrttiillhhaaddoo,, qquuaannttoo àà DDiiddááttiiccaa?? CCoommoo éé qquuee aa ccoommuunniiddaaddee eedduuccaacciioonnaall iinntteerrpprreettaa eessssee ppaarraaddiiggmmaa??
  • 25. DDiiddááttiiccaa • Renovada • Ativa • Nova • Tradicional • Experimental • Psicológica • Sociológica • Filosófica • Moderna • Geral • Especial • Neurodidática • Etc.
  • 26. QQuuaall éé oo nnúúcclleeoo dduurroo ddaa DDiiddááttiiccaa?? OO EEnnssiinnoo--AApprreennddiizzaaggeemm
  • 27. LLeemmbbrreetteess • O primeiro objeto: o Método – Correspondendo ao modo de agir sobre o educando. – O recuo do Método ao fundo do palco e o Sujeito como foco: – quando sua outra face, o próprio educando ou aprendiz, reclamou seus direitos. • Um reviver metodológico, no século XIX, pôs em relevo as características de ordem e sequência, no processo didático.
  • 28. • Final do século XX: inquietações da época requerem auxílio da psicologia profunda de origem freudiana, ora recorre às correntes neomarxistas. • A oscilação entre uma tendência psicológica que acentua a relevância da compreensão da inteligência humana e sua construção e outra que se apóia na visão sociológica das relações escola-sociedade, parece dominar o conteúdo da disciplina.
  • 29. • Não existem duas Didáticas, uma teórica e outra prática: teoria e prática são indissociáveis. • O foco da Didática: o Ensino- Aprendizagem, revela uma intenção: a de produzir aprendizagem; é palavra-ação, palavra-ordem, palavra-prospectiva, palavra que revela um resultado desejado.
  • 30. • Depois de PIAGET, não se pode mais entender o ensino como a simples apropriação de um conteúdo: uma informação, um conhecimento ou uma atitude, por exemplo.
  • 31. • Século XXI - A Didática não se limita ao bom ensino, ao avanço cognitivo intelectual, mas envolve igualmente progressos na afetividade, moralidade e sociabilidade, por condições que são do desenvolvimento humano integral.
  • 32. Referência CASTRO, Amélia Rodrigues. A trajetória histórica da didática. Assista ao vídeo CURIOSIDADE E APRENDIZAGEM https://www.youtube.com/watch?v=jh6v-VUpiOI