SlideShare uma empresa Scribd logo
Módulo 3- Cultura do Mosteiro
Arquitetura Pré Românica
HCA 10º Ano Prof. Carla Freitas
Lê o texto do manual nas pág. 128/129
 De acordo com o manual quando surgiu um estilo artístico Europeu?
• Durante a Idade Média, com a definição do espaço Europeu (e de uma cultura europeia)
 Para os contemporâneos das obras de arte medievais, estas também eram obras de arte?
• Eram monumentos ou objetos funcionais e não algo destinado a ser apreciado pelo puro prazer estético.
 Quais as principais funções das obras de arte?
• Presentes oferecidos a Deus para o Louvar e obter os seus “favores”
• Papel mediador
• Favorecer a comunicação com o além
• Aperfeiçoar a liturgia
• Função pedagógica – guiar os fiéis (analfabetismo)
• Afirmação do poder (Deus, Clero, Reis e Nobreza)
 Onde surgem a maioria das criações artísticas
• Locais onde se concentrava o poder - espaços religiosos (Igrejas, mosteiros) e civis (castelos, torres
senhoriais, palácios)
 Que características artísticas são salientadas na imagem acima do texto?
• Fundos lisos de cores simbólicas e primárias
• Formas sintetizadas, bidimensionais e sem correção anatómica
• Ausência de cenário e perspetiva
• Temática religiosa e simbologia
Módulo 3 - Arquitetura pré-românica
Matriz Clássica
Gostos e tradições dos povos invasores
Diversidade regional (sobretudo nas artes
decorativas)
Crescente influência cristã:
• Temáticas
• Modelos
• Iconografia
• Expressividade
Harmonização de Influências
Românico
1ª fase (Século III a Édito de Milão)
Período de perseguição aos cristãos
• Catacumbas subterrâneas
• Celebração de cultos
• Cemitério
• Pinturas murais
• Quebra com a proporção
clássica
• Iconografia e simbologia
religiosa
2ª fase (Século IV a VI)
 Expansão e afirmação após a liberdade de
culto e se tornar a religião oficial do
império
o Dispersão geográfica
o Diversidade regional
o Influência Oriental
o Linhas cruciformes
o Procura de uma tipologia para templo
cristão:
▪ Ocidente – Basílica (perda de
conhecimentos técnico-construtivos)
▪ Oriente – Planta centrada de formato
circular, octogonal ou em cruz grega
 Templo (igreja): edifício principal:
• Local de culto e oração
• Reunião dos fiéis
• Local de encontro
• Morada de Deus
 Tipos de plantas:
• Basilical
• Central
 Decoração:
 Exterior com materiais pobres como o
tijolo
 Interior: frescos e mosaicos
Planta Basilical
 Edifício predominante do culto, a partir do
séc. V
 Poucos vestígios das primeiras
 Características
• 3 a 5 naves (central mais alta e iluminada)
• Cabeceira : ábside ou éxedra
• Transepto (Constantino)
• Coberturas com tecto de armação em
madeira
• Nártex ou átrio (onde assistiam à missa os
não batizados)
• Disposição orientada para o culto
• Orientação leste-oeste no terreno
Basílica de S. Pedro, Vaticano – ano 324
Basílica de S. João Latrão, Roma
Basílica de Santa Maria Maior, Roma
Basílica de Santa Sabina, Roma, Século V
Basílica Paleocristã, em Mértola Basílica Paleocristã, em Troia
Planta Central
 Origem:
• Influências orientais e helenísticas
• Paganismo: edifícios para honrar os
mortos
 Planta:
• Porta orientada a leste; porta a oeste
• Plantas: circular, octogonal, cruz grega
• Coberturas: cúpulas e meias cúpulas
 Tipologias:
• Baptistério
• Mausoléu
• Martyria
Batistério Paleocristão, em Mértola
Batistério de São João Latrão
Mausoléu de Santa Constança, Roma, 354
Martyria, Igreja de Santo Estevão Redondo, Roma, meados séc. V
Módulo 3 - Arquitetura pré-românica
Império Bizantino
 330 – Constantino funda Bizâncio
 Séc. V com a queda de Roma Bizâncio
torna-se:
 Herdeiro do mundo cultural romano
 Nova Jerusalém
 Ligação às antigas monarquias
orientais
 Estado autoritário, imperial, de cariz
cristão
Culturalmente:
Helenismo + estética oriental +
cristianismo + judaísmo Imperador Justiniano
Arte Bizantina
Evolução
 Até séc. VII:
• Evolui da arte romana e paleocristã
• Séc. VI, com Justiniano ocorre um
grande desenvolvimento cultural e
político
 Séc. VIII-IX
• período iconoclasta
 Séc. IX-XV
• apogeu (dinastia macedónica)
Outros centros arte bizantina:
• Balcãs
• Península Itálica (Ravena; Veneza)
• Rússia
Mosaico Cristão Bizantino
Arquitetura Bizantina
 Influências da arquitetura Roma Imperial:
• Arco, abóbada, cúpula
 Influências fortes do Oriente:
• Plano centrado (quadrado; cruz
grega), cúpula central e ábsides
laterais
• Luxo e sumptuosidade (interior)
 Preferência por edifícios de planta centrada
e pela cobertura com cúpula:
• martyria;
• sentido cosmológico (paganismo)
 Arquitetura imperial e teocrática Santa (Hagia) Sofia,
Istambul
Igreja de Santa Irene de Constantinopla, séc. VI, Istambul
Santa (Hagia) Sofia, Istambul
Santa (Hagia) Sofia, Istambul,
Séc. VI
 Encomendante: Justiniano
• Símbolo da pompa, e ritual hierático da corte
• Símbolo do poder teocrático do Imperador
 Arquitetos:
• Antémio de Trales e Isidoro de Mileto
 Características:
• Combina o modelo basilical com o de planta
centrada
• Cúpula central (a maior) sobre pendentes;
semicúpulas e nichos
• Exterior com volumes puros
predominantemente circulares
Igreja dos santos Sérgio e Baco, Istambul
Igreja de S. Vital, Ravena, 547
Santo Apolinário o Novo, Ravena, inícios do séc. VI
Santo Apolinário em Classe, Ravena, inícios do séc. VI
Mausoléu de Gala Placida, Ravena
Depois séc. IX
 Renascimento e magnificência
 Maior complexidade
 Cúpula sobre tambor cilíndrico
 Mais saliente do exterior
 Dimensões mais reduzidas
• S. Salvador de Kora (Istambul)
• S, Marcos (Veneza)
• S. Basílio (Rússia)
Igreja de S. Salvador de Chora, Istambul, séc. IX
Basílica de S. Marcos, Veneza, iniciada em 1063
Catedral da Assunção, Vladimir, 1158
Igreja de S. Basílio, Moscovo, 1552-1561
Igreja de Panagia, Mosteiro de Hodegetria, em Mystras, Grécia, século XIII e XIV
Mosaicos e pinturas
 Articulação com a arquitectura
 Temas: bíblicos e votivos
 Convencionalismo
 Simetria
 Esquematismo
 Estilização
 Rigidez
 Imobilismo
 Pouca preocupação:
• Perspetiva
• Volume
• Modelado
 Rostos: vida interior
 Luxo e ostentação
 Ao serviço do Estado teocrático:
• Procissões principescas
• Cristo Pantocrator e Cristo em Majestade
Santa (Hagia) Sofia, Istambul
Santa (Hagia) Sofia, Istambul, Séc. VI – Antémio de Tales e Isidoro de Mileto)
Igreja de S. Vital, Ravena - 547
Igreja de S. Vital, Ravena, 547
Imagens do Imperador Justiniano e Imperatriz Teodora
Santo Apolinário em Classe, Ravena, inícios séc. VI
Igreja de S. Salvador de Chora, Istambul, séc. IX- fresco
Catedral de S. Marcos, Veneza, iniciada em 1063, mosaicos
Módulo 3 - Arquitetura pré-românica
(Renascimento Carolíngeo)
Séc.s VIII-X
 Inspirado na tradição clássica:
• Humanismo
• Realismo
• Monumentalidade
 Conjuga-se com outras influências:
• Bizantinas
• Célticas e germânicas
• Arte paleocristã
 Importante para a futura arte românica
(Renascimento Carolíngeo)
Séc.s VIII-X
 Grandes monumentos arquitectónicos:
 Palácios:
• Ex: Aquisgrano e sua capela
Palatina em Aix-la-Chapelle
 Igrejas e mosteiros
• Ex: Germigny-des-Prés
 Exterior: robusto, pesado, austero,
pórticos com 2 torres
 Interior: decoração rica (mosaicos,
pinturas, baixos relevos)
 Manuscritos
 Esculturas
Palácio de Carlos Magno (reconstituição), Aix-la-Chapelle ou Aquisgrão (atual
Aachen, Alemanha
Catedral de Aachen e Capela Palatina, 792-805
Mosteiro de São Gall, Suíça, c. 817
Igreja de Germigny-des-prés
Esculturas, Séc. IX, em
arquitectura carolingia, marfím
Carlos Magno – bronze, c. 860-870. París,
Museu do Louvre
Evangelho de Ada
4 evangelistas,
Iluminura de c. 820
Evangelho de Lorsch, c. 820
Séc.s IX-X
 Otão I, o Grande, rei da Germânia
entre 936 e 973
 Conquista de territórios no Norte de
Itália
 Imperador do Sacro Império
Romano Germânico (962)
• Reconstituição do Império
carolíngio
oObjectivos: paz, justiça e fé
(protecção à Igreja)
oDesenvolvimento da cultura e
da arte - Renascimento Otaniano
 Arquitectura
 Inspiração carolíngia (clássica) e
bizantina
 Igrejas de planta centrada e planta
basilical
 Inovação:
• 2 transeptos
• dupla cabeceira,
• entradas laterais
• Torres
Influência no românico alemão
 Iluminura
 Pintura mural
S. Miguel de Hildesheim, Saxónia, c. 1010-1030
Igreja de S. Ciríaco, de Genrode
Abadia de S. Jorge de Oberzell - Reichnau
Cruz para altar, Abadessa Matilde –
Catedral de Essen Coroa do Imperador Otão I
Codex Egbert, c. 980
Evangeliário de Hitda, c. 1020 Evangeliário de Otão III
Otão II e Teofano –baixo relevo em marfim Virgem Dourada de Essen, c. 1000
1. Descrever as características gerais da arte pré-
românica
2. Identificar os diferentes estilos pré-românicos
3. Caracterizar a arte paleocristã
4. Caracterizar a arte bizantina
5. Caracterizar a arte carolíngea
6. Relacionar a arte carolíngea com o reinado de Carlos
Magno.
7. Caracterizar a arte otoniana

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Românico
RomânicoRomânico
Românico
Fernando Veloso
 
Arquitetura românica
Arquitetura românicaArquitetura românica
Arquitetura românica
Ana Barreiros
 
Arquitetura romana i
Arquitetura romana iArquitetura romana i
Arquitetura romana i
Ana Barreiros
 
Arte Romanica
Arte RomanicaArte Romanica
Arte Romanica
torga
 
A arquitetura gótica
A arquitetura góticaA arquitetura gótica
A arquitetura gótica
Ana Barreiros
 
Cultura do Mosteiro - Arte carolíngia
Cultura do Mosteiro - Arte carolíngiaCultura do Mosteiro - Arte carolíngia
Cultura do Mosteiro - Arte carolíngia
Carlos Vieira
 
Escultura e pintura românica
Escultura e pintura românicaEscultura e pintura românica
Escultura e pintura românica
Ana Barreiros
 
31 - Arte barroca
31  - Arte barroca31  - Arte barroca
31 - Arte barroca
Carla Freitas
 
Cultura da Catedral - Introdução ao Módulo
Cultura da Catedral - Introdução ao MóduloCultura da Catedral - Introdução ao Módulo
Cultura da Catedral - Introdução ao Módulo
Carlos Vieira
 
Cultura do mosteiro_2_arquitetura
Cultura do mosteiro_2_arquiteturaCultura do mosteiro_2_arquitetura
Cultura do mosteiro_2_arquitetura
Vítor Santos
 
Cultura do Mosteiro - St. Sernin de Toulouse
Cultura do Mosteiro - St. Sernin de ToulouseCultura do Mosteiro - St. Sernin de Toulouse
Cultura do Mosteiro - St. Sernin de Toulouse
Carlos Vieira
 
Módulo 2 arquitetura romana
Módulo 2   arquitetura romanaMódulo 2   arquitetura romana
Módulo 2 arquitetura romana
Carla Freitas
 
Arquitetura barroca
Arquitetura barrocaArquitetura barroca
Arquitetura barroca
Ana Barreiros
 
Cultura do Mosteiro - Românico Portugal
Cultura do Mosteiro - Românico PortugalCultura do Mosteiro - Românico Portugal
Cultura do Mosteiro - Românico Portugal
Carlos Vieira
 
04 escultura renascentista
04 escultura renascentista04 escultura renascentista
04 escultura renascentista
Vítor Santos
 
Módulo 3 - Portugal Românico e Moçárabe
Módulo 3 - Portugal Românico e MoçárabeMódulo 3 - Portugal Românico e Moçárabe
Módulo 3 - Portugal Românico e Moçárabe
Carla Freitas
 
Arte Românica
Arte RomânicaArte Românica
Arte Românica
Hca Faro
 
Gótico
GóticoGótico
Arte do renascimento - arquitetura
Arte do renascimento - arquiteturaArte do renascimento - arquitetura
Arte do renascimento - arquitetura
Carlos Vieira
 
Arte islamica
Arte islamicaArte islamica
Arte islamica
Ana Barreiros
 

Mais procurados (20)

Românico
RomânicoRomânico
Românico
 
Arquitetura românica
Arquitetura românicaArquitetura românica
Arquitetura românica
 
Arquitetura romana i
Arquitetura romana iArquitetura romana i
Arquitetura romana i
 
Arte Romanica
Arte RomanicaArte Romanica
Arte Romanica
 
A arquitetura gótica
A arquitetura góticaA arquitetura gótica
A arquitetura gótica
 
Cultura do Mosteiro - Arte carolíngia
Cultura do Mosteiro - Arte carolíngiaCultura do Mosteiro - Arte carolíngia
Cultura do Mosteiro - Arte carolíngia
 
Escultura e pintura românica
Escultura e pintura românicaEscultura e pintura românica
Escultura e pintura românica
 
31 - Arte barroca
31  - Arte barroca31  - Arte barroca
31 - Arte barroca
 
Cultura da Catedral - Introdução ao Módulo
Cultura da Catedral - Introdução ao MóduloCultura da Catedral - Introdução ao Módulo
Cultura da Catedral - Introdução ao Módulo
 
Cultura do mosteiro_2_arquitetura
Cultura do mosteiro_2_arquiteturaCultura do mosteiro_2_arquitetura
Cultura do mosteiro_2_arquitetura
 
Cultura do Mosteiro - St. Sernin de Toulouse
Cultura do Mosteiro - St. Sernin de ToulouseCultura do Mosteiro - St. Sernin de Toulouse
Cultura do Mosteiro - St. Sernin de Toulouse
 
Módulo 2 arquitetura romana
Módulo 2   arquitetura romanaMódulo 2   arquitetura romana
Módulo 2 arquitetura romana
 
Arquitetura barroca
Arquitetura barrocaArquitetura barroca
Arquitetura barroca
 
Cultura do Mosteiro - Românico Portugal
Cultura do Mosteiro - Românico PortugalCultura do Mosteiro - Românico Portugal
Cultura do Mosteiro - Românico Portugal
 
04 escultura renascentista
04 escultura renascentista04 escultura renascentista
04 escultura renascentista
 
Módulo 3 - Portugal Românico e Moçárabe
Módulo 3 - Portugal Românico e MoçárabeMódulo 3 - Portugal Românico e Moçárabe
Módulo 3 - Portugal Românico e Moçárabe
 
Arte Românica
Arte RomânicaArte Românica
Arte Românica
 
Gótico
GóticoGótico
Gótico
 
Arte do renascimento - arquitetura
Arte do renascimento - arquiteturaArte do renascimento - arquitetura
Arte do renascimento - arquitetura
 
Arte islamica
Arte islamicaArte islamica
Arte islamica
 

Semelhante a Módulo 3 - Arquitetura pré-românica

2.da era cristã ao período bizantino
2.da era cristã ao período bizantino2.da era cristã ao período bizantino
2.da era cristã ao período bizantino
Ana Barreiros
 
Arte na idade média
Arte na idade médiaArte na idade média
Arte na idade média
Jadisson Vaz
 
5 arte crista 2020
5 arte crista 20205 arte crista 2020
5 arte crista 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
5 arte crista 2020
5 arte crista 20205 arte crista 2020
5 arte crista 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
E idade média 2011 2
E idade média 2011 2E idade média 2011 2
E idade média 2011 2
Marina Dantas
 
Romanico final 2
Romanico final 2Romanico final 2
Romanico final 2
Eduardo Sousa
 
Aula 5 arte crista 2020
Aula 5 arte crista 2020Aula 5 arte crista 2020
Aula 5 arte crista 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
História da Arte: Arte Medieval
História da Arte: Arte MedievalHistória da Arte: Arte Medieval
História da Arte: Arte Medieval
Raphael Lanzillotte
 
Românico
RomânicoRomânico
Românico
Fernando Veloso
 
Arte na idade média
Arte na idade média Arte na idade média
Arte na idade média
Meire Falco
 
RESUMÃO.pptx
RESUMÃO.pptxRESUMÃO.pptx
RESUMÃO.pptx
SuellenKarla1
 
Cultura mosteiro. arquitetura
Cultura mosteiro. arquiteturaCultura mosteiro. arquitetura
Cultura mosteiro. arquitetura
sabelourenco
 
Paleocristã e Bizantina - conceitos históricos.pdf
Paleocristã e Bizantina - conceitos históricos.pdfPaleocristã e Bizantina - conceitos históricos.pdf
Paleocristã e Bizantina - conceitos históricos.pdf
dcampisr
 
Arte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse Lautrec
Arte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse LautrecArte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse Lautrec
Arte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse Lautrec
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Historia da arte- período da idade média - resumo
Historia da arte- período da  idade média - resumoHistoria da arte- período da  idade média - resumo
Historia da arte- período da idade média - resumo
Andrea Dressler
 
A cultura do mosteiro/Arte
A cultura do mosteiro/ArteA cultura do mosteiro/Arte
A cultura do mosteiro/Arte
Patrícia Faria
 
Arte Românica
Arte RomânicaArte Românica
Arte Românica
Angela Santos
 
Arte Românica e Gótica
Arte Românica e GóticaArte Românica e Gótica
Arte Românica e Gótica
Silmara Nogueira
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
carlosbidu
 
Arte românica
Arte românica Arte românica
Arte românica
10B
 

Semelhante a Módulo 3 - Arquitetura pré-românica (20)

2.da era cristã ao período bizantino
2.da era cristã ao período bizantino2.da era cristã ao período bizantino
2.da era cristã ao período bizantino
 
Arte na idade média
Arte na idade médiaArte na idade média
Arte na idade média
 
5 arte crista 2020
5 arte crista 20205 arte crista 2020
5 arte crista 2020
 
5 arte crista 2020
5 arte crista 20205 arte crista 2020
5 arte crista 2020
 
E idade média 2011 2
E idade média 2011 2E idade média 2011 2
E idade média 2011 2
 
Romanico final 2
Romanico final 2Romanico final 2
Romanico final 2
 
Aula 5 arte crista 2020
Aula 5 arte crista 2020Aula 5 arte crista 2020
Aula 5 arte crista 2020
 
História da Arte: Arte Medieval
História da Arte: Arte MedievalHistória da Arte: Arte Medieval
História da Arte: Arte Medieval
 
Românico
RomânicoRomânico
Românico
 
Arte na idade média
Arte na idade média Arte na idade média
Arte na idade média
 
RESUMÃO.pptx
RESUMÃO.pptxRESUMÃO.pptx
RESUMÃO.pptx
 
Cultura mosteiro. arquitetura
Cultura mosteiro. arquiteturaCultura mosteiro. arquitetura
Cultura mosteiro. arquitetura
 
Paleocristã e Bizantina - conceitos históricos.pdf
Paleocristã e Bizantina - conceitos históricos.pdfPaleocristã e Bizantina - conceitos históricos.pdf
Paleocristã e Bizantina - conceitos históricos.pdf
 
Arte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse Lautrec
Arte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse LautrecArte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse Lautrec
Arte Românica e Gótica / 3º ano Médio Toulouse Lautrec
 
Historia da arte- período da idade média - resumo
Historia da arte- período da  idade média - resumoHistoria da arte- período da  idade média - resumo
Historia da arte- período da idade média - resumo
 
A cultura do mosteiro/Arte
A cultura do mosteiro/ArteA cultura do mosteiro/Arte
A cultura do mosteiro/Arte
 
Arte Românica
Arte RomânicaArte Românica
Arte Românica
 
Arte Românica e Gótica
Arte Românica e GóticaArte Românica e Gótica
Arte Românica e Gótica
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
 
Arte românica
Arte românica Arte românica
Arte românica
 

Mais de Carla Freitas

11 ha m6 u1
11 ha m6 u111 ha m6 u1
11 ha m6 u1
Carla Freitas
 
11 Ha M5 u3
11 Ha M5 u311 Ha M5 u3
11 Ha M5 u3
Carla Freitas
 
11 Ha M5 u5 1
11 Ha M5 u5 111 Ha M5 u5 1
11 Ha M5 u5 1
Carla Freitas
 
Módulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - RomantismoMódulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - Romantismo
Carla Freitas
 
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIXMódulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
Carla Freitas
 
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismoMódulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Carla Freitas
 
Módulo 8 - Naturalismo e Realismo
Módulo 8 - Naturalismo e RealismoMódulo 8 - Naturalismo e Realismo
Módulo 8 - Naturalismo e Realismo
Carla Freitas
 
11 ha m5 u4
11 ha m5 u411 ha m5 u4
11 ha m5 u4
Carla Freitas
 
11 ha m5 u2
11 ha m5 u211 ha m5 u2
11 ha m5 u2
Carla Freitas
 
11 ha m4 u3 3
11 ha m4 u3 311 ha m4 u3 3
11 ha m4 u3 3
Carla Freitas
 
11 ha m5 u1
11 ha m5 u111 ha m5 u1
11 ha m5 u1
Carla Freitas
 
11 ha m4 u4 3
11 ha m4 u4 311 ha m4 u4 3
11 ha m4 u4 3
Carla Freitas
 
11 ha m4 u4 2
11 ha m4 u4 211 ha m4 u4 2
11 ha m4 u4 2
Carla Freitas
 
11 ha m4 u4 1
11 ha m4 u4 111 ha m4 u4 1
11 ha m4 u4 1
Carla Freitas
 
11 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 211 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 2
Carla Freitas
 
11 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 111 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 1
Carla Freitas
 
11 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 211 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 2
Carla Freitas
 
11 ha m4 u2 1
11 ha m4 u2 111 ha m4 u2 1
11 ha m4 u2 1
Carla Freitas
 
11 ha m4 u1
11 ha m4 u111 ha m4 u1
11 ha m4 u1
Carla Freitas
 
11 ha m4 u2 3
11 ha m4 u2 311 ha m4 u2 3
11 ha m4 u2 3
Carla Freitas
 

Mais de Carla Freitas (20)

11 ha m6 u1
11 ha m6 u111 ha m6 u1
11 ha m6 u1
 
11 Ha M5 u3
11 Ha M5 u311 Ha M5 u3
11 Ha M5 u3
 
11 Ha M5 u5 1
11 Ha M5 u5 111 Ha M5 u5 1
11 Ha M5 u5 1
 
Módulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - RomantismoMódulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - Romantismo
 
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIXMódulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
 
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismoMódulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
 
Módulo 8 - Naturalismo e Realismo
Módulo 8 - Naturalismo e RealismoMódulo 8 - Naturalismo e Realismo
Módulo 8 - Naturalismo e Realismo
 
11 ha m5 u4
11 ha m5 u411 ha m5 u4
11 ha m5 u4
 
11 ha m5 u2
11 ha m5 u211 ha m5 u2
11 ha m5 u2
 
11 ha m4 u3 3
11 ha m4 u3 311 ha m4 u3 3
11 ha m4 u3 3
 
11 ha m5 u1
11 ha m5 u111 ha m5 u1
11 ha m5 u1
 
11 ha m4 u4 3
11 ha m4 u4 311 ha m4 u4 3
11 ha m4 u4 3
 
11 ha m4 u4 2
11 ha m4 u4 211 ha m4 u4 2
11 ha m4 u4 2
 
11 ha m4 u4 1
11 ha m4 u4 111 ha m4 u4 1
11 ha m4 u4 1
 
11 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 211 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 2
 
11 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 111 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 1
 
11 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 211 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 2
 
11 ha m4 u2 1
11 ha m4 u2 111 ha m4 u2 1
11 ha m4 u2 1
 
11 ha m4 u1
11 ha m4 u111 ha m4 u1
11 ha m4 u1
 
11 ha m4 u2 3
11 ha m4 u2 311 ha m4 u2 3
11 ha m4 u2 3
 

Último

Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
marcos oliveira
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 

Módulo 3 - Arquitetura pré-românica

  • 1. Módulo 3- Cultura do Mosteiro Arquitetura Pré Românica HCA 10º Ano Prof. Carla Freitas
  • 2. Lê o texto do manual nas pág. 128/129  De acordo com o manual quando surgiu um estilo artístico Europeu? • Durante a Idade Média, com a definição do espaço Europeu (e de uma cultura europeia)  Para os contemporâneos das obras de arte medievais, estas também eram obras de arte? • Eram monumentos ou objetos funcionais e não algo destinado a ser apreciado pelo puro prazer estético.  Quais as principais funções das obras de arte? • Presentes oferecidos a Deus para o Louvar e obter os seus “favores” • Papel mediador • Favorecer a comunicação com o além • Aperfeiçoar a liturgia • Função pedagógica – guiar os fiéis (analfabetismo) • Afirmação do poder (Deus, Clero, Reis e Nobreza)  Onde surgem a maioria das criações artísticas • Locais onde se concentrava o poder - espaços religiosos (Igrejas, mosteiros) e civis (castelos, torres senhoriais, palácios)  Que características artísticas são salientadas na imagem acima do texto? • Fundos lisos de cores simbólicas e primárias • Formas sintetizadas, bidimensionais e sem correção anatómica • Ausência de cenário e perspetiva • Temática religiosa e simbologia
  • 4. Matriz Clássica Gostos e tradições dos povos invasores Diversidade regional (sobretudo nas artes decorativas) Crescente influência cristã: • Temáticas • Modelos • Iconografia • Expressividade Harmonização de Influências Românico
  • 5. 1ª fase (Século III a Édito de Milão) Período de perseguição aos cristãos • Catacumbas subterrâneas • Celebração de cultos • Cemitério • Pinturas murais • Quebra com a proporção clássica • Iconografia e simbologia religiosa
  • 6. 2ª fase (Século IV a VI)  Expansão e afirmação após a liberdade de culto e se tornar a religião oficial do império o Dispersão geográfica o Diversidade regional o Influência Oriental o Linhas cruciformes o Procura de uma tipologia para templo cristão: ▪ Ocidente – Basílica (perda de conhecimentos técnico-construtivos) ▪ Oriente – Planta centrada de formato circular, octogonal ou em cruz grega
  • 7.  Templo (igreja): edifício principal: • Local de culto e oração • Reunião dos fiéis • Local de encontro • Morada de Deus  Tipos de plantas: • Basilical • Central  Decoração:  Exterior com materiais pobres como o tijolo  Interior: frescos e mosaicos
  • 8. Planta Basilical  Edifício predominante do culto, a partir do séc. V  Poucos vestígios das primeiras  Características • 3 a 5 naves (central mais alta e iluminada) • Cabeceira : ábside ou éxedra • Transepto (Constantino) • Coberturas com tecto de armação em madeira • Nártex ou átrio (onde assistiam à missa os não batizados) • Disposição orientada para o culto • Orientação leste-oeste no terreno
  • 9. Basílica de S. Pedro, Vaticano – ano 324
  • 10. Basílica de S. João Latrão, Roma
  • 11. Basílica de Santa Maria Maior, Roma
  • 12. Basílica de Santa Sabina, Roma, Século V
  • 13. Basílica Paleocristã, em Mértola Basílica Paleocristã, em Troia
  • 14. Planta Central  Origem: • Influências orientais e helenísticas • Paganismo: edifícios para honrar os mortos  Planta: • Porta orientada a leste; porta a oeste • Plantas: circular, octogonal, cruz grega • Coberturas: cúpulas e meias cúpulas  Tipologias: • Baptistério • Mausoléu • Martyria Batistério Paleocristão, em Mértola
  • 15. Batistério de São João Latrão
  • 16. Mausoléu de Santa Constança, Roma, 354
  • 17. Martyria, Igreja de Santo Estevão Redondo, Roma, meados séc. V
  • 19. Império Bizantino  330 – Constantino funda Bizâncio  Séc. V com a queda de Roma Bizâncio torna-se:  Herdeiro do mundo cultural romano  Nova Jerusalém  Ligação às antigas monarquias orientais  Estado autoritário, imperial, de cariz cristão Culturalmente: Helenismo + estética oriental + cristianismo + judaísmo Imperador Justiniano
  • 20. Arte Bizantina Evolução  Até séc. VII: • Evolui da arte romana e paleocristã • Séc. VI, com Justiniano ocorre um grande desenvolvimento cultural e político  Séc. VIII-IX • período iconoclasta  Séc. IX-XV • apogeu (dinastia macedónica) Outros centros arte bizantina: • Balcãs • Península Itálica (Ravena; Veneza) • Rússia Mosaico Cristão Bizantino
  • 21. Arquitetura Bizantina  Influências da arquitetura Roma Imperial: • Arco, abóbada, cúpula  Influências fortes do Oriente: • Plano centrado (quadrado; cruz grega), cúpula central e ábsides laterais • Luxo e sumptuosidade (interior)  Preferência por edifícios de planta centrada e pela cobertura com cúpula: • martyria; • sentido cosmológico (paganismo)  Arquitetura imperial e teocrática Santa (Hagia) Sofia, Istambul
  • 22. Igreja de Santa Irene de Constantinopla, séc. VI, Istambul
  • 24. Santa (Hagia) Sofia, Istambul, Séc. VI  Encomendante: Justiniano • Símbolo da pompa, e ritual hierático da corte • Símbolo do poder teocrático do Imperador  Arquitetos: • Antémio de Trales e Isidoro de Mileto  Características: • Combina o modelo basilical com o de planta centrada • Cúpula central (a maior) sobre pendentes; semicúpulas e nichos • Exterior com volumes puros predominantemente circulares
  • 25. Igreja dos santos Sérgio e Baco, Istambul
  • 26. Igreja de S. Vital, Ravena, 547
  • 27. Santo Apolinário o Novo, Ravena, inícios do séc. VI
  • 28. Santo Apolinário em Classe, Ravena, inícios do séc. VI
  • 29. Mausoléu de Gala Placida, Ravena
  • 30. Depois séc. IX  Renascimento e magnificência  Maior complexidade  Cúpula sobre tambor cilíndrico  Mais saliente do exterior  Dimensões mais reduzidas • S. Salvador de Kora (Istambul) • S, Marcos (Veneza) • S. Basílio (Rússia)
  • 31. Igreja de S. Salvador de Chora, Istambul, séc. IX
  • 32. Basílica de S. Marcos, Veneza, iniciada em 1063
  • 33. Catedral da Assunção, Vladimir, 1158
  • 34. Igreja de S. Basílio, Moscovo, 1552-1561
  • 35. Igreja de Panagia, Mosteiro de Hodegetria, em Mystras, Grécia, século XIII e XIV
  • 36. Mosaicos e pinturas  Articulação com a arquitectura  Temas: bíblicos e votivos  Convencionalismo  Simetria  Esquematismo  Estilização  Rigidez  Imobilismo  Pouca preocupação: • Perspetiva • Volume • Modelado  Rostos: vida interior  Luxo e ostentação  Ao serviço do Estado teocrático: • Procissões principescas • Cristo Pantocrator e Cristo em Majestade Santa (Hagia) Sofia, Istambul
  • 37. Santa (Hagia) Sofia, Istambul, Séc. VI – Antémio de Tales e Isidoro de Mileto)
  • 38. Igreja de S. Vital, Ravena - 547
  • 39. Igreja de S. Vital, Ravena, 547 Imagens do Imperador Justiniano e Imperatriz Teodora
  • 40. Santo Apolinário em Classe, Ravena, inícios séc. VI
  • 41. Igreja de S. Salvador de Chora, Istambul, séc. IX- fresco
  • 42. Catedral de S. Marcos, Veneza, iniciada em 1063, mosaicos
  • 44. (Renascimento Carolíngeo) Séc.s VIII-X  Inspirado na tradição clássica: • Humanismo • Realismo • Monumentalidade  Conjuga-se com outras influências: • Bizantinas • Célticas e germânicas • Arte paleocristã  Importante para a futura arte românica
  • 45. (Renascimento Carolíngeo) Séc.s VIII-X  Grandes monumentos arquitectónicos:  Palácios: • Ex: Aquisgrano e sua capela Palatina em Aix-la-Chapelle  Igrejas e mosteiros • Ex: Germigny-des-Prés  Exterior: robusto, pesado, austero, pórticos com 2 torres  Interior: decoração rica (mosaicos, pinturas, baixos relevos)  Manuscritos  Esculturas
  • 46. Palácio de Carlos Magno (reconstituição), Aix-la-Chapelle ou Aquisgrão (atual Aachen, Alemanha
  • 47. Catedral de Aachen e Capela Palatina, 792-805
  • 48. Mosteiro de São Gall, Suíça, c. 817
  • 50. Esculturas, Séc. IX, em arquitectura carolingia, marfím Carlos Magno – bronze, c. 860-870. París, Museu do Louvre
  • 51. Evangelho de Ada 4 evangelistas, Iluminura de c. 820 Evangelho de Lorsch, c. 820
  • 52. Séc.s IX-X  Otão I, o Grande, rei da Germânia entre 936 e 973  Conquista de territórios no Norte de Itália  Imperador do Sacro Império Romano Germânico (962) • Reconstituição do Império carolíngio oObjectivos: paz, justiça e fé (protecção à Igreja) oDesenvolvimento da cultura e da arte - Renascimento Otaniano
  • 53.  Arquitectura  Inspiração carolíngia (clássica) e bizantina  Igrejas de planta centrada e planta basilical  Inovação: • 2 transeptos • dupla cabeceira, • entradas laterais • Torres Influência no românico alemão  Iluminura  Pintura mural
  • 54. S. Miguel de Hildesheim, Saxónia, c. 1010-1030
  • 55. Igreja de S. Ciríaco, de Genrode
  • 56. Abadia de S. Jorge de Oberzell - Reichnau
  • 57. Cruz para altar, Abadessa Matilde – Catedral de Essen Coroa do Imperador Otão I
  • 59. Evangeliário de Hitda, c. 1020 Evangeliário de Otão III
  • 60. Otão II e Teofano –baixo relevo em marfim Virgem Dourada de Essen, c. 1000
  • 61. 1. Descrever as características gerais da arte pré- românica 2. Identificar os diferentes estilos pré-românicos 3. Caracterizar a arte paleocristã 4. Caracterizar a arte bizantina 5. Caracterizar a arte carolíngea 6. Relacionar a arte carolíngea com o reinado de Carlos Magno. 7. Caracterizar a arte otoniana