SlideShare uma empresa Scribd logo
Arquitetura Românica
O estilo românico existe, numa época em que uma sociedade guerreira aos
poucos se torna uma sociedade civil. As lutas entre os senhores dos diversos
feudos cessam nessa época, havendo relativa estabilidade social.
O ideal heroico do período é o do guerreiro corajoso submisso a Deus e do
apaixonado cortês submisso à Dama. Essa imagem guerreira será representada
na arquitetura românica em edifícios de construção poderosa, projetados para
ser funcionais.
Arquitetura Românica é o estilo arquitetônico que surgiu na Europa, no
século X e evoluiu para o estilo gótico no fim do século XII.
Caracteriza-se por construções austeras e robustas ( daí serem chamadas:
Fortalezas de Deus ), cuja principal função era resistir a ataques de exércitos
inimigos.
Arquitetura românica
Associados à igreja católica e construídas após a expansão do cristianismo
pela Europa.
Primeiro estilo após a queda do Império Romano a apresentar
características comuns em diferentes regiões.
• Estrutura semelhante às construções dos antigos romanos , sofreu
influências da Antiguidade pagã , do Oriente ( arte Bizantina ) e dos povos
Bárbaros e da Irlanda.
• Na arquitetura, há construção principalmente de mosteiros e basílicas.
• As igrejas de peregrinação eram as construções características deste período.
Características principais:
Planta em forma de cruz
latina
• Abóbodas em substituição do telhado das basílicas.
• Pilares maciços que sustentam e paredes espessas.
• Aberturas raras e estreitas usadas como janelas.
Mosteiro S. Pedro Ferreira
• Arcos de 180°
• Tamanho das igrejas ( grandes e sólidas )
• As igrejas são ricamente decoradas no seu exterior.
Arquitetura românica
Torres que aparecem no
cruzamento das naves ou na
fachada.
A edificação mais famosa é a
Catedral de Pisa sendo o
edifício mais conhecido que
começou a ser construído em
1.174.
Trata-se da Torre de Pisa que
se inclinou porque, com o
passar do tempo, o terreno
cedeu.
Os castelos seguiam um estilo
voltado para o aspecto de
defesa. As paredes eram
grossas e existiam poucas
e pequenas janelas.
Castelo de Bodiam
Pintura e escultura Românica
• A pintura românica
desenvolveu-se sobretudo
nas grandes decorações
murais, através da técnica
do afresco, que
originalmente era uma
técnica de pintar sobre a
parede úmida.
Numa época em que poucos sabiam ler, a Igreja utilizou as
esculturas, vitrais e pinturas, principalmente dentro das igrejas e catedrais,
para ensinar os princípios da religião católica.
Os temas mais abordados foram: vida de Jesus e dos santos, passagens da
Bíblia e outros temas cristãos.
Arquitetura românica
A técnica da decoração com
mosaico, isto é, pequeninas
pedras, de vários formatos e
cores, que colocadas lado a
lado vão formando o
desenho, conheceu seu auge
na época do românico.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Módulo 3 - Arquitetura românica
Módulo 3 - Arquitetura românicaMódulo 3 - Arquitetura românica
Módulo 3 - Arquitetura românica
Carla Freitas
 
Arte românica
Arte românicaArte românica
Arte românica
Carla Camuso
 
O românico
O românicoO românico
O românico
Carla Teixeira
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
Carlos Vieira
 
Romanico em portugal
Romanico em portugalRomanico em portugal
Romanico em portugal
cattonia
 
A arquitetura gótica
A arquitetura góticaA arquitetura gótica
A arquitetura gótica
Ana Barreiros
 
Módulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de Rates
Módulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de RatesMódulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de Rates
Módulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de Rates
Carla Freitas
 
Arquitetura renascentista
Arquitetura renascentistaArquitetura renascentista
Arquitetura renascentista
Ana Barreiros
 
Arte Românica
Arte RomânicaArte Românica
Arte Românica
Andrea Dressler
 
Idade Média: Gótico
Idade Média: GóticoIdade Média: Gótico
Idade Média: Gótico
João Lima
 
Módulo 3 - Arquitetura pré-românica
Módulo 3 - Arquitetura pré-românicaMódulo 3 - Arquitetura pré-românica
Módulo 3 - Arquitetura pré-românica
Carla Freitas
 
A arte gótica I
A arte gótica IA arte gótica I
A arte gótica I
cattonia
 
Cultura do Mosteiro - Arte carolíngia
Cultura do Mosteiro - Arte carolíngiaCultura do Mosteiro - Arte carolíngia
Cultura do Mosteiro - Arte carolíngia
Carlos Vieira
 
Rates
RatesRates
Rates
cattonia
 
Cultura do mosteiro_2_arquitetura
Cultura do mosteiro_2_arquiteturaCultura do mosteiro_2_arquitetura
Cultura do mosteiro_2_arquitetura
Vítor Santos
 
Arte Romanica
Arte RomanicaArte Romanica
Arte Romanica
torga
 
4.romanicoem portugal
4.romanicoem portugal4.romanicoem portugal
4.romanicoem portugal
Ana Barreiros
 
Românico
RomânicoRomânico
Românico
Fernando Veloso
 
Módulo 3 a arte românica
Módulo 3   a arte românicaMódulo 3   a arte românica
Módulo 3 a arte românica
cattonia
 
Arte gótica
Arte gótica Arte gótica
Arte gótica
kyzinha
 

Mais procurados (20)

Módulo 3 - Arquitetura românica
Módulo 3 - Arquitetura românicaMódulo 3 - Arquitetura românica
Módulo 3 - Arquitetura românica
 
Arte românica
Arte românicaArte românica
Arte românica
 
O românico
O românicoO românico
O românico
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
 
Romanico em portugal
Romanico em portugalRomanico em portugal
Romanico em portugal
 
A arquitetura gótica
A arquitetura góticaA arquitetura gótica
A arquitetura gótica
 
Módulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de Rates
Módulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de RatesMódulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de Rates
Módulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de Rates
 
Arquitetura renascentista
Arquitetura renascentistaArquitetura renascentista
Arquitetura renascentista
 
Arte Românica
Arte RomânicaArte Românica
Arte Românica
 
Idade Média: Gótico
Idade Média: GóticoIdade Média: Gótico
Idade Média: Gótico
 
Módulo 3 - Arquitetura pré-românica
Módulo 3 - Arquitetura pré-românicaMódulo 3 - Arquitetura pré-românica
Módulo 3 - Arquitetura pré-românica
 
A arte gótica I
A arte gótica IA arte gótica I
A arte gótica I
 
Cultura do Mosteiro - Arte carolíngia
Cultura do Mosteiro - Arte carolíngiaCultura do Mosteiro - Arte carolíngia
Cultura do Mosteiro - Arte carolíngia
 
Rates
RatesRates
Rates
 
Cultura do mosteiro_2_arquitetura
Cultura do mosteiro_2_arquiteturaCultura do mosteiro_2_arquitetura
Cultura do mosteiro_2_arquitetura
 
Arte Romanica
Arte RomanicaArte Romanica
Arte Romanica
 
4.romanicoem portugal
4.romanicoem portugal4.romanicoem portugal
4.romanicoem portugal
 
Românico
RomânicoRomânico
Românico
 
Módulo 3 a arte românica
Módulo 3   a arte românicaMódulo 3   a arte românica
Módulo 3 a arte românica
 
Arte gótica
Arte gótica Arte gótica
Arte gótica
 

Destaque

Aula 04 arquitetura românica parte 2
Aula 04 arquitetura românica parte 2Aula 04 arquitetura românica parte 2
Aula 04 arquitetura românica parte 2
Lila Donato
 
ARTE ROMÂNICA TRABALHO PERFEITO PARA APRESENTAR
ARTE ROMÂNICA TRABALHO PERFEITO PARA APRESENTARARTE ROMÂNICA TRABALHO PERFEITO PARA APRESENTAR
ARTE ROMÂNICA TRABALHO PERFEITO PARA APRESENTAR
João Paulo Souza Simão da Silva
 
Aula 04 arquitetura românica parte 1
Aula 04 arquitetura românica parte 1Aula 04 arquitetura românica parte 1
Aula 04 arquitetura românica parte 1
Lila Donato
 
Arte românica
Arte românicaArte românica
Arte românica
Goncaloandre95
 
C:\documents and settings\francisco\ambiente de trabalho\arte românica (1000 ...
C:\documents and settings\francisco\ambiente de trabalho\arte românica (1000 ...C:\documents and settings\francisco\ambiente de trabalho\arte românica (1000 ...
C:\documents and settings\francisco\ambiente de trabalho\arte românica (1000 ...
Frantito
 
Arquitetura medieval
Arquitetura medievalArquitetura medieval
Arquitetura medieval
luciano barros
 
Cultura do mosteiro
Cultura do mosteiroCultura do mosteiro
Cultura do mosteiro
Ana Barreiros
 
Histriadamsicai5 aula-120422125754-phpapp02
Histriadamsicai5 aula-120422125754-phpapp02Histriadamsicai5 aula-120422125754-phpapp02
Histriadamsicai5 aula-120422125754-phpapp02
Fabio Novaes
 
A romanização em portugal helena 5_c (3)
A romanização em portugal helena 5_c (3)A romanização em portugal helena 5_c (3)
A romanização em portugal helena 5_c (3)
Mariajosesantos57
 
Arquitectura Românica dos Castelos
Arquitectura Românica dos Castelos  Arquitectura Românica dos Castelos
Arquitectura Românica dos Castelos
kyzinha
 
A arquitectura romnica
A arquitectura romnicaA arquitectura romnica
A arquitectura romnica
gueste0bd5a
 
Cultura do mosteiro_3_escultura_pintura
Cultura do mosteiro_3_escultura_pinturaCultura do mosteiro_3_escultura_pintura
Cultura do mosteiro_3_escultura_pintura
Vítor Santos
 
Aula 05 arquitetura gótica
Aula 05 arquitetura góticaAula 05 arquitetura gótica
Aula 05 arquitetura gótica
Lila Donato
 
ARQUITECTURA ROMANICA
ARQUITECTURA ROMANICAARQUITECTURA ROMANICA
ARQUITECTURA ROMANICA
JUAN DIEGO
 

Destaque (14)

Aula 04 arquitetura românica parte 2
Aula 04 arquitetura românica parte 2Aula 04 arquitetura românica parte 2
Aula 04 arquitetura românica parte 2
 
ARTE ROMÂNICA TRABALHO PERFEITO PARA APRESENTAR
ARTE ROMÂNICA TRABALHO PERFEITO PARA APRESENTARARTE ROMÂNICA TRABALHO PERFEITO PARA APRESENTAR
ARTE ROMÂNICA TRABALHO PERFEITO PARA APRESENTAR
 
Aula 04 arquitetura românica parte 1
Aula 04 arquitetura românica parte 1Aula 04 arquitetura românica parte 1
Aula 04 arquitetura românica parte 1
 
Arte românica
Arte românicaArte românica
Arte românica
 
C:\documents and settings\francisco\ambiente de trabalho\arte românica (1000 ...
C:\documents and settings\francisco\ambiente de trabalho\arte românica (1000 ...C:\documents and settings\francisco\ambiente de trabalho\arte românica (1000 ...
C:\documents and settings\francisco\ambiente de trabalho\arte românica (1000 ...
 
Arquitetura medieval
Arquitetura medievalArquitetura medieval
Arquitetura medieval
 
Cultura do mosteiro
Cultura do mosteiroCultura do mosteiro
Cultura do mosteiro
 
Histriadamsicai5 aula-120422125754-phpapp02
Histriadamsicai5 aula-120422125754-phpapp02Histriadamsicai5 aula-120422125754-phpapp02
Histriadamsicai5 aula-120422125754-phpapp02
 
A romanização em portugal helena 5_c (3)
A romanização em portugal helena 5_c (3)A romanização em portugal helena 5_c (3)
A romanização em portugal helena 5_c (3)
 
Arquitectura Românica dos Castelos
Arquitectura Românica dos Castelos  Arquitectura Românica dos Castelos
Arquitectura Românica dos Castelos
 
A arquitectura romnica
A arquitectura romnicaA arquitectura romnica
A arquitectura romnica
 
Cultura do mosteiro_3_escultura_pintura
Cultura do mosteiro_3_escultura_pinturaCultura do mosteiro_3_escultura_pintura
Cultura do mosteiro_3_escultura_pintura
 
Aula 05 arquitetura gótica
Aula 05 arquitetura góticaAula 05 arquitetura gótica
Aula 05 arquitetura gótica
 
ARQUITECTURA ROMANICA
ARQUITECTURA ROMANICAARQUITECTURA ROMANICA
ARQUITECTURA ROMANICA
 

Semelhante a Arquitetura românica

Arte românica
Arte românicaArte românica
Arte românica
Maiara Giordani
 
Cultura medieval
Cultura medievalCultura medieval
Cultura medieval
cattonia
 
A arte românica hgp - 7ºb
A arte românica   hgp - 7ºbA arte românica   hgp - 7ºb
A arte românica hgp - 7ºb
Inês Rocha
 
A arte medieval
A arte medievalA arte medieval
A arte medieval
cattonia
 
Arte idade média 8º ano
Arte  idade média 8º anoArte  idade média 8º ano
Arte idade média 8º ano
josivaldopassos
 
Estilo românico e gótico
Estilo românico e góticoEstilo românico e gótico
Estilo românico e gótico
Guilherme Drumond
 
Património cultural aula 39 - igreja de S. Domingos - sé de vila real e tor...
Património cultural   aula 39 - igreja de S. Domingos - sé de vila real e tor...Património cultural   aula 39 - igreja de S. Domingos - sé de vila real e tor...
Património cultural aula 39 - igreja de S. Domingos - sé de vila real e tor...
Universidade Sénior Contemporânea do Porto
 
Património cultural aula 39 - igreja de S. Domingos - Sé de Vila Real e Tor...
Património cultural   aula 39 - igreja de S. Domingos - Sé de Vila Real e Tor...Património cultural   aula 39 - igreja de S. Domingos - Sé de Vila Real e Tor...
Património cultural aula 39 - igreja de S. Domingos - Sé de Vila Real e Tor...
Universidade Sénior Contemporânea do Porto
 
Professor Doutor Artur Filipe dos Santos - Património Cultural e Paisagístico...
Professor Doutor Artur Filipe dos Santos - Património Cultural e Paisagístico...Professor Doutor Artur Filipe dos Santos - Património Cultural e Paisagístico...
Professor Doutor Artur Filipe dos Santos - Património Cultural e Paisagístico...
Artur Filipe dos Santos
 
Românico
RomânicoRomânico
Românico
Fernando Veloso
 
A arte românica (1)
A arte românica (1)A arte românica (1)
A arte românica (1)
giordanireis
 
Romanico final 2
Romanico final 2Romanico final 2
Romanico final 2
Eduardo Sousa
 
7o. ano- - Arte Românica
7o. ano-  - Arte Românica7o. ano-  - Arte Românica
7o. ano- - Arte Românica
ArtesElisa
 
Arte na idade média
Arte na idade média Arte na idade média
Arte na idade média
Meire Falco
 
Arquitetura Romana
Arquitetura RomanaArquitetura Romana
Arquitetura Romana
Duarte Súcia
 
Aula 5 arte crista 2020
Aula 5 arte crista 2020Aula 5 arte crista 2020
Aula 5 arte crista 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Módulo 2 a arte
Módulo 2   a arteMódulo 2   a arte
Módulo 2 a arte
cattonia
 
5 arte crista 2020
5 arte crista 20205 arte crista 2020
5 arte crista 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
5 arte crista 2020
5 arte crista 20205 arte crista 2020
5 arte crista 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
bragapinheiro
 

Semelhante a Arquitetura românica (20)

Arte românica
Arte românicaArte românica
Arte românica
 
Cultura medieval
Cultura medievalCultura medieval
Cultura medieval
 
A arte românica hgp - 7ºb
A arte românica   hgp - 7ºbA arte românica   hgp - 7ºb
A arte românica hgp - 7ºb
 
A arte medieval
A arte medievalA arte medieval
A arte medieval
 
Arte idade média 8º ano
Arte  idade média 8º anoArte  idade média 8º ano
Arte idade média 8º ano
 
Estilo românico e gótico
Estilo românico e góticoEstilo românico e gótico
Estilo românico e gótico
 
Património cultural aula 39 - igreja de S. Domingos - sé de vila real e tor...
Património cultural   aula 39 - igreja de S. Domingos - sé de vila real e tor...Património cultural   aula 39 - igreja de S. Domingos - sé de vila real e tor...
Património cultural aula 39 - igreja de S. Domingos - sé de vila real e tor...
 
Património cultural aula 39 - igreja de S. Domingos - Sé de Vila Real e Tor...
Património cultural   aula 39 - igreja de S. Domingos - Sé de Vila Real e Tor...Património cultural   aula 39 - igreja de S. Domingos - Sé de Vila Real e Tor...
Património cultural aula 39 - igreja de S. Domingos - Sé de Vila Real e Tor...
 
Professor Doutor Artur Filipe dos Santos - Património Cultural e Paisagístico...
Professor Doutor Artur Filipe dos Santos - Património Cultural e Paisagístico...Professor Doutor Artur Filipe dos Santos - Património Cultural e Paisagístico...
Professor Doutor Artur Filipe dos Santos - Património Cultural e Paisagístico...
 
Românico
RomânicoRomânico
Românico
 
A arte românica (1)
A arte românica (1)A arte românica (1)
A arte românica (1)
 
Romanico final 2
Romanico final 2Romanico final 2
Romanico final 2
 
7o. ano- - Arte Românica
7o. ano-  - Arte Românica7o. ano-  - Arte Românica
7o. ano- - Arte Românica
 
Arte na idade média
Arte na idade média Arte na idade média
Arte na idade média
 
Arquitetura Romana
Arquitetura RomanaArquitetura Romana
Arquitetura Romana
 
Aula 5 arte crista 2020
Aula 5 arte crista 2020Aula 5 arte crista 2020
Aula 5 arte crista 2020
 
Módulo 2 a arte
Módulo 2   a arteMódulo 2   a arte
Módulo 2 a arte
 
5 arte crista 2020
5 arte crista 20205 arte crista 2020
5 arte crista 2020
 
5 arte crista 2020
5 arte crista 20205 arte crista 2020
5 arte crista 2020
 
Introdução
IntroduçãoIntrodução
Introdução
 

Último

Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 

Último (20)

Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 

Arquitetura românica

  • 2. O estilo românico existe, numa época em que uma sociedade guerreira aos poucos se torna uma sociedade civil. As lutas entre os senhores dos diversos feudos cessam nessa época, havendo relativa estabilidade social. O ideal heroico do período é o do guerreiro corajoso submisso a Deus e do apaixonado cortês submisso à Dama. Essa imagem guerreira será representada na arquitetura românica em edifícios de construção poderosa, projetados para ser funcionais.
  • 3. Arquitetura Românica é o estilo arquitetônico que surgiu na Europa, no século X e evoluiu para o estilo gótico no fim do século XII. Caracteriza-se por construções austeras e robustas ( daí serem chamadas: Fortalezas de Deus ), cuja principal função era resistir a ataques de exércitos inimigos.
  • 5. Associados à igreja católica e construídas após a expansão do cristianismo pela Europa. Primeiro estilo após a queda do Império Romano a apresentar características comuns em diferentes regiões.
  • 6. • Estrutura semelhante às construções dos antigos romanos , sofreu influências da Antiguidade pagã , do Oriente ( arte Bizantina ) e dos povos Bárbaros e da Irlanda.
  • 7. • Na arquitetura, há construção principalmente de mosteiros e basílicas. • As igrejas de peregrinação eram as construções características deste período.
  • 9. • Abóbodas em substituição do telhado das basílicas.
  • 10. • Pilares maciços que sustentam e paredes espessas. • Aberturas raras e estreitas usadas como janelas. Mosteiro S. Pedro Ferreira
  • 11. • Arcos de 180°
  • 12. • Tamanho das igrejas ( grandes e sólidas ) • As igrejas são ricamente decoradas no seu exterior.
  • 14. Torres que aparecem no cruzamento das naves ou na fachada.
  • 15. A edificação mais famosa é a Catedral de Pisa sendo o edifício mais conhecido que começou a ser construído em 1.174. Trata-se da Torre de Pisa que se inclinou porque, com o passar do tempo, o terreno cedeu.
  • 16. Os castelos seguiam um estilo voltado para o aspecto de defesa. As paredes eram grossas e existiam poucas e pequenas janelas.
  • 18. Pintura e escultura Românica • A pintura românica desenvolveu-se sobretudo nas grandes decorações murais, através da técnica do afresco, que originalmente era uma técnica de pintar sobre a parede úmida.
  • 19. Numa época em que poucos sabiam ler, a Igreja utilizou as esculturas, vitrais e pinturas, principalmente dentro das igrejas e catedrais, para ensinar os princípios da religião católica. Os temas mais abordados foram: vida de Jesus e dos santos, passagens da Bíblia e outros temas cristãos.
  • 21. A técnica da decoração com mosaico, isto é, pequeninas pedras, de vários formatos e cores, que colocadas lado a lado vão formando o desenho, conheceu seu auge na época do românico.