SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
Baixar para ler offline
PORTAL ESCOLA DOMINICAL
PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2014
UMA JORNADA DE FÉ: A FORMAÇÃO DO
POVO DE ISRAEL E SUA HERANÇA
ESPIRITUAL
COMENTARISTA: ANTONIO GILBERTO
COMENTÁRIOS - SUPERINTENDÊNCIA DAS EBD'S DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS EM RECIFE/PE
LIÇÃO 12 – A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES - 1º TRIMESTRE 2014
(Êx 29.1-12)
INTRODUÇÃO
No capítulo 29 do livro do Êxodo, Moisés registra a cerimônia de consagração de Arão e seus
filhos para exercerem o ministério sacerdotal em Israel. Veremos nesta lição a definição do
termo consagração, como ocorria esta cerimônia e a superioridade do sacerdócio de Cristo.
I – DEFINIÇÃO DE CONSAGRAÇÃO
A palavra consagrar vem do latim “consecrare”, formada por “com”, que significa
“inteiramente” e “sacer”, que quer dizer “santo”. Portanto, consagrar significa “santificar
inteiramente”. Os termos hebraicos usados no AT são qõdesh, que pode ser traduzido
por “consagração”,“santidade” e incluem as ideias de “separação de algum uso comum ou
profano” e de “separação para o serviço divino”. Pessoas e objetos eram separados para serviço
divino, ou seja, eram consagradas (Êx 29.35; 28.41; Lv 7.37; 21.10; Nm 3.3; 7.11; Js 6.19). Nessa
separação há uma aceitação das coisas ou pessoas em suas funções. Assim, Arão e seus filhos
usavam vestes especiais em suas funções sacerdotais, como sinal de sua aceitação e
consagração (Êx 29.29,33,35). Animais também eram consagrados, conforme vemos em (Êx
29.22,31,34). Como crentes, somos convidados a consagrar as nossas vidas a Cristo espiritual
(Rm 12.1,2).
II – A CERIMÔNIA DE CONSAGRAÇÃO SACERDOTAL
Três coisas importantes ocorriam nesta consagração: sacrifícios de animais, lavagem e unção
dos sacerdotes, como veremos a seguir:
2.1 Os animais que deveriam ser sacrificados (Êx 29.1). Três animais eram sacrificados durante
a cerimônia de consagração: um novilho e dois carneiros, sem mácula:
 O novilho. Arão e seus filhos deveriam colocar as mãos sobre a cabeça do novilho e depois ele
seria degolado à porta da tenda, como oferta pelo pecado (Êx 29.10-14 Lv 8.14-17). Esse
sacrifício purificava o sacerdote no caso de haver cometido algum pecado involuntário que
poderia desqualificá-lo para representar o povo diante de Deus (Lv 4.3-12). Esta oferta já
apontava para o sacrifício de Cristo (Is 53.5; Jo 1.29; Gl 3.13; Hb 13.11-13). A imposição de mãos
apontava para a transferência dos pecados do sacerdote para o novilho (Lv 4.4,15,24,29,33;
16.21,22).
 O primeiro carneiro. Esta oferta simbolizava consagração total ao Senhor, e não um
sacrifício pelo pecado (Êx 29.15-18; Lv 8.18-21). Arão e seus filhos deveriam impor as mãos
sobre a cabeça do carneiro, não para transferência de pecado, pois já foi realizada na ocasião
da morte do novilho (Êx 29.10-14), e sim, para oferecerem a si mesmo, como oferta agradável
ao Senhor (Lv 8.21). Depois que o animal era degolado, seu sangue era espalhado sobre o altar,
então ele deveria ser partido e suas entranhas e suas pernas deveriam ser lavadas (Êx 29.16,17;
Lv 8.21). Esta lavagem apontava para a pureza daquele que estava sendo representado, ou seja,
Arão e seus filhos.
 O segundo carneiro. Era chamado de “carneiro da consagração” (Êx 29.22; Lv 8.22). Neste
sacrifício, também havia imposição de mãos sobre o carneiro (Êx 29.19). Depois que o carneiro
era degolado, o sangue era colocado: (1) sobre a ponta da orelha direita de Arão e seus filhos,
simbolizando que o sacerdote era alguém que deveria estar preparado para ouvir tudo que o
Senhor ordenasse, afim de cumprir suas ordens; (2)sobre o dedo polegar da mão direita. Tendo
em vista que as mãos são instrumentos de ação, simbolizava que o sacerdote deveria estar
pronto a realizar tudo que Deus lhe ordenasse; e, (3) sobre o dedo polegar do pé direito,
mostrando que o sacerdote deveria andar pelos caminhos que o Senhor lhe ordenasse. O resto
do sangue era espalhado sobre o altar (Êx 29.19-23).
2.2 Os sacerdotes deveriam ser lavados com água (Êx 29.4). Esta lavagem cerimonial dos
sacerdotes com água simbolizava a pureza que devia caracterizar o serviço sacerdotal, bem
como a Palavra de Deus, como fonte de purificação (Sl 119.9,11; Jo 13.10; 17.17). Como Deus é
santo (Lv 11.44,45; 19.2; 20.7; Is 48.17; I Pe 1.16) os sacerdotes deveriam estar limpos tanto no
ato da consagração como no exercício do seu ofício (Êx 30.19-21). Caso contrário, eles estariam
impuros para cumprir suas obrigações diante do Senhor. Semelhantemente, todos nós, como
reino sacerdotal e nação santa (I Pe 2.9), necessitamos estar limpos, para nos achegar a Deus
(Jo 15.3; II Co 7.1; Ef 5.26). O escritor aos hebreus diz: “Cheguemo-nos com verdadeiro coração,
em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má consciência, e o corpo lavado
com água limpa” (Hb 10.22).
2.3 Os sacerdotes deveriam ser ungidos (Êx 29.7). No AT, reis e sacerdotes recebiam a unção
com óleo antes de exercerem suas respectivas funções (Êx 28.41; Lv 8.12; Nm 35.25; I Sm 10.1;
12.3,5; II Sm 1.14,16; I Rs 1.39,46; 19.16). A unção de um sacerdote lhe conferia um ofício vitalício
(Lv 7.3; 4.3; 8.12-30; 10.7). Além dos sacerdotes, o tabernáculo e seus utensílios também foram
ungidos (Êx 30.26-29; 40.9; Lv 8.10). O azeite simboliza o Espírito Santo; pois, ninguém pode
realizar um serviço espiritual sem a unção do Espírito. O próprio Jesus foi ungido pelo Espírito
(Is 60.1-3; Lc 4.18,19; Hb 1.9). Em sua totalidade, a cerimônia de consagração dos sacerdotes
durava sete dias (Êx 29.35-37).
III – O SACERDÓCIO DE CRISTO
Existe notável diferença entre o sacerdócio da Antiga Aliança e o sacerdócio de Cristo. Isto por
que, no Antigo Pacto, o sumo sacerdote era imperfeito e oferecia sacrifício pelos seus próprios
pecados. Mas, quanto ao sacerdócio de Cristo, o escritor aos Hebreus diz: “Porque nos
convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores, e feito mais
sublime do que os céus; Que não necessitasse, como os sumos sacerdotes, de oferecer cada dia
sacrifícios, primeiramente por seus próprios pecados, e depois pelos do povo; porque isto fez
ele, uma vez, oferecendo-se a si mesmo” (Hb 7.26,27).
3.1 Base Bíblica do Sacerdócio de Cristo. O Senhor Jesus Cristo é o ministro de Deus para nós.
Ele é o nosso sacerdote para sempre. O salmista disse: “Jurou o Senhor, e não se arrependerá:
tu és um sacerdote eterno, segundo a ordem de Melquisedeque” (Sl 110.4; Hb 5.6).
3.2 A Perfeição do Sacerdócio de Cristo. Os sacerdotes do Antigo Pacto intercediam pelos
homens a Deus, mas não podiam salvá-los. Jesus, porém, nosso sumo Sacerdote, não só vive
para interceder por nós (Hb 7.25) como nos assegurou uma perfeita salvação (Jo 5.24; Rm
8.34).
3.3 A Superioridade do Sacerdócio de Cristo. O sacerdócio de Cristo nos proporciona uma
superior esperança, e constitui o fundamento de toda a certeza que temos quanto a salvação e
a vida eterna. Vejamos porque ele é superior:
3.3.1 O Sacerdócio de Cristo é Eterno. Por ser sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque
(Hb 7.21), antecedeu, em centenas de anos, ao de Arão (Êx 28.1-11); e é, portanto, autor da
salvação eterna. “E, sendo ele consumado, veio a ser a causa da eterna salvação para todos os
que lhe obedecem” (Hb 5.9).
3.3.2 O Sacerdócio de Cristo está baseado em uma Superior Aliança. As Escrituras deixam bem
claro que a Antiga Aliança era apenas sombra dos bens futuros (Hb 10.1), demonstrando assim
a superioridade da Nova Aliança. O escritor aos Hebreus diz: “De tanto melhor aliança Jesus
foi feito fiador” (Hb 7.22).
3.3.3 O Sacerdócio de Cristo é detentor de Superiores Promessas. Sem dúvidas, o sacerdócio de
Cristo nos proporcionou gloriosas promessas, tais como: ser templo do Espírito Santo (Jo
14.17,23); do Batismo com o Espírito Santo (Lc 24.49; At 2.38,39); a adoção de filhos (Jo 1.12; II
Co 6.18; I Jo 3.1,2). “Mas agora alcançou ele ministério tanto mais excelente, quanto é mediador
de uma melhor aliança que está confirmada em melhores promessas” (Hb 8.6).
3.3.4 O Sacerdócio de Cristo inspira Superior Esperança. Diferente dos sacrifícios do Antigo
Pacto, que apenas cobriam temporariamente o pecado, mas não transformava o pecador; o
sacrifício de Cristo aperfeiçoou para sempre os que são santificados; realizando o que a Lei
não podia fazer: santificar os pecadores. “Pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou e desta sorte é
introduzida uma melhor esperança, pela qual chegamos a Deus” (Hb 7.19).
3.3.5 O Sacerdócio de Cristo oferece Sacrifício Superior. Enquanto que, no Antigo Pacto os
sacrifícios eram de animais, no Novo Pacto, Cristo ofereceu-se a si mesmo. Como nosso Sumo
Sacerdote, Ele penetrou no céu (Hb 9.11,12), onde apresenta ao Pai a eficácia expiatória do seu
sangue, e intercede por nós. “De sorte que era bem necessário que as figuras das coisas que
estão no céu assim se purificassem; mas as próprias coisas celestiais com sacrifícios melhores
do que estes... Porque é impossível que o sangue dos touros e dos bodes tire os pecados” (Hb
9.23; 10.4).
CONCLUSÃO
No Antigo Pacto, Arão e seus filhos foram lavados e ungidos para exercerem o ministério
sacerdotal. Além disso, três animais eram sacrificados, representando a expiação, oferta e
consagração. Na Nova Aliança, esta cerimônia torna-se desnecessária, tendo em vista que
Jesus Cristo é o nosso Sumo Sacerdote, perfeito, eterno e superior aos sacerdotes do Antigo
Testamento.
REFERÊNCIAS
 ADEYMO, Tokunboh. Comentário Bíblico Africano. MUNDO CRISTÃO.
 CHAMPLIN, R. N. Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia. HAGNOS.
 _______________ . O Antigo Testamento Interpretado Versículo por Versículo. HAGNOS.
 STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pente

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A consagração dos sacerdotes
A consagração dos sacerdotesA consagração dos sacerdotes
A consagração dos sacerdotesMoisés Sampaio
 
Lição 11 - O Sacerdócio de Cristo e o Levítico
Lição 11 - O Sacerdócio de Cristo e o LevíticoLição 11 - O Sacerdócio de Cristo e o Levítico
Lição 11 - O Sacerdócio de Cristo e o LevíticoÉder Tomé
 
Lição 10: O SISTEMA DE SACRIFÍCIO
Lição 10: O SISTEMA DE SACRIFÍCIOLição 10: O SISTEMA DE SACRIFÍCIO
Lição 10: O SISTEMA DE SACRIFÍCIOHamilton Souza
 
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio – lição 11
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio – lição 11Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio – lição 11
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio – lição 11yosseph2013
 
Lição 6 - O sacrifício pela culpa
Lição 6 - O sacrifício pela culpaLição 6 - O sacrifício pela culpa
Lição 6 - O sacrifício pela culpaÉder Tomé
 
Lição 11 - A Segunda Vinda de Cristo - CPAD
Lição 11 - A Segunda Vinda de Cristo - CPADLição 11 - A Segunda Vinda de Cristo - CPAD
Lição 11 - A Segunda Vinda de Cristo - CPADJosé Pereira
 
Lição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTO
Lição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTOLição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTO
Lição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTOHamilton Souza
 
Lição 9 - A purificação da lepra
Lição 9 - A purificação da lepraLição 9 - A purificação da lepra
Lição 9 - A purificação da lepraÉder Tomé
 
Lição 9 - Jesus. o holocausto Perfeito
Lição 9  - Jesus. o holocausto PerfeitoLição 9  - Jesus. o holocausto Perfeito
Lição 9 - Jesus. o holocausto PerfeitoÉder Tomé
 
Lição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de Purificação
Lição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de PurificaçãoLição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de Purificação
Lição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de PurificaçãoÉder Tomé
 
As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.Márcio Martins
 
Deus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o Sacerdócio
Deus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o SacerdócioDeus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o Sacerdócio
Deus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o SacerdócioJonas Martins Olímpio
 
08 introdução ao apocalipse
08   introdução ao apocalipse08   introdução ao apocalipse
08 introdução ao apocalipseDiego Fortunatto
 
Lição 11 - As festas de Israel e o Ano do Jubileu
Lição 11 - As festas de Israel e o Ano do JubileuLição 11 - As festas de Israel e o Ano do Jubileu
Lição 11 - As festas de Israel e o Ano do JubileuÉder Tomé
 
Lição 10 - O Sistema de Sacrifícios
Lição 10 - O Sistema de SacrifíciosLição 10 - O Sistema de Sacrifícios
Lição 10 - O Sistema de SacrifíciosÉder Tomé
 
Genesis ate levitico atualizado ate 15042010
Genesis ate levitico   atualizado ate 15042010Genesis ate levitico   atualizado ate 15042010
Genesis ate levitico atualizado ate 15042010dalto
 

Mais procurados (20)

A consagração dos sacerdotes
A consagração dos sacerdotesA consagração dos sacerdotes
A consagração dos sacerdotes
 
O sacerdócio Levítico
O sacerdócio LevíticoO sacerdócio Levítico
O sacerdócio Levítico
 
Lição 11 - O Sacerdócio de Cristo e o Levítico
Lição 11 - O Sacerdócio de Cristo e o LevíticoLição 11 - O Sacerdócio de Cristo e o Levítico
Lição 11 - O Sacerdócio de Cristo e o Levítico
 
Lição 10: O SISTEMA DE SACRIFÍCIO
Lição 10: O SISTEMA DE SACRIFÍCIOLição 10: O SISTEMA DE SACRIFÍCIO
Lição 10: O SISTEMA DE SACRIFÍCIO
 
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio – lição 11
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio – lição 11Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio – lição 11
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio – lição 11
 
Lição 6 - O sacrifício pela culpa
Lição 6 - O sacrifício pela culpaLição 6 - O sacrifício pela culpa
Lição 6 - O sacrifício pela culpa
 
Lição 11 - A Segunda Vinda de Cristo - CPAD
Lição 11 - A Segunda Vinda de Cristo - CPADLição 11 - A Segunda Vinda de Cristo - CPAD
Lição 11 - A Segunda Vinda de Cristo - CPAD
 
Lição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTO
Lição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTOLição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTO
Lição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTO
 
Lição 9 - A purificação da lepra
Lição 9 - A purificação da lepraLição 9 - A purificação da lepra
Lição 9 - A purificação da lepra
 
Lição 9 - Jesus. o holocausto Perfeito
Lição 9  - Jesus. o holocausto PerfeitoLição 9  - Jesus. o holocausto Perfeito
Lição 9 - Jesus. o holocausto Perfeito
 
Lição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de Purificação
Lição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de PurificaçãoLição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de Purificação
Lição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de Purificação
 
As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.
 
7. O Livro de Levítico
7. O Livro de Levítico7. O Livro de Levítico
7. O Livro de Levítico
 
Especialidade santuário
Especialidade santuárioEspecialidade santuário
Especialidade santuário
 
Deus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o Sacerdócio
Deus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o SacerdócioDeus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o Sacerdócio
Deus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o Sacerdócio
 
08 introdução ao apocalipse
08   introdução ao apocalipse08   introdução ao apocalipse
08 introdução ao apocalipse
 
Lição 11 - As festas de Israel e o Ano do Jubileu
Lição 11 - As festas de Israel e o Ano do JubileuLição 11 - As festas de Israel e o Ano do Jubileu
Lição 11 - As festas de Israel e o Ano do Jubileu
 
Lição 10 - O Sistema de Sacrifícios
Lição 10 - O Sistema de SacrifíciosLição 10 - O Sistema de Sacrifícios
Lição 10 - O Sistema de Sacrifícios
 
escola sabatina licao 12
escola sabatina licao 12escola sabatina licao 12
escola sabatina licao 12
 
Genesis ate levitico atualizado ate 15042010
Genesis ate levitico   atualizado ate 15042010Genesis ate levitico   atualizado ate 15042010
Genesis ate levitico atualizado ate 15042010
 

Semelhante a Lição 12 – a consagração dos sacerdotes  1º trimestre 2014 recife

A Consagração Dos Sacerdotes-Lição 12 1º 2014
A Consagração Dos Sacerdotes-Lição 12 1º 2014A Consagração Dos Sacerdotes-Lição 12 1º 2014
A Consagração Dos Sacerdotes-Lição 12 1º 2014Pr. Andre Luiz
 
Lição 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES
Lição 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTESLição 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES
Lição 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTESpralucianaevangelista
 
Lição 10 - O Dia da Expiação
Lição 10 - O Dia da ExpiaçãoLição 10 - O Dia da Expiação
Lição 10 - O Dia da ExpiaçãoÉder Tomé
 
O oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristoO oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristodimas campos
 
O oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristoO oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristodimas campos
 
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova Aliança
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova AliançaLição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova Aliança
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova AliançaÉder Tomé
 
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova Aliança
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova AliançaLição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova Aliança
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova AliançaHamilton Souza
 
Lição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptx
Lição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptxLição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptx
Lição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptxCelso Napoleon
 
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitivaLição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitivaErberson Pinheiro
 
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptxLição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptxCelso Napoleon
 
Lição 3 - A salvação e o advento do Salvador
Lição 3 - A salvação e o advento do SalvadorLição 3 - A salvação e o advento do Salvador
Lição 3 - A salvação e o advento do SalvadorErberson Pinheiro
 
Lição 13 - O Sacerdócio Celestial
Lição 13 - O Sacerdócio CelestialLição 13 - O Sacerdócio Celestial
Lição 13 - O Sacerdócio CelestialMarina de Morais
 
Luzparavida espiritosanto
Luzparavida espiritosantoLuzparavida espiritosanto
Luzparavida espiritosantoLuiza Dayana
 

Semelhante a Lição 12 – a consagração dos sacerdotes  1º trimestre 2014 recife (20)

Lição 7 e 8 hebreus
Lição 7 e 8   hebreusLição 7 e 8   hebreus
Lição 7 e 8 hebreus
 
A Consagração Dos Sacerdotes-Lição 12 1º 2014
A Consagração Dos Sacerdotes-Lição 12 1º 2014A Consagração Dos Sacerdotes-Lição 12 1º 2014
A Consagração Dos Sacerdotes-Lição 12 1º 2014
 
Lição 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES
Lição 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTESLição 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES
Lição 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES
 
Lição 9 hebreus
Lição 9   hebreusLição 9   hebreus
Lição 9 hebreus
 
Lição 5 Hebreus
Lição 5   Hebreus Lição 5   Hebreus
Lição 5 Hebreus
 
Lição 10 hebreus
Lição 10   hebreusLição 10   hebreus
Lição 10 hebreus
 
Lição 10 - O Dia da Expiação
Lição 10 - O Dia da ExpiaçãoLição 10 - O Dia da Expiação
Lição 10 - O Dia da Expiação
 
Lição 3.pptx
Lição 3.pptxLição 3.pptx
Lição 3.pptx
 
O oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristoO oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristo
 
O oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristoO oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristo
 
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova Aliança
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova AliançaLição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova Aliança
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova Aliança
 
A ultima ceia apresentação
A ultima ceia apresentaçãoA ultima ceia apresentação
A ultima ceia apresentação
 
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova Aliança
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova AliançaLição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova Aliança
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova Aliança
 
Lição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptx
Lição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptxLição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptx
Lição 3 O Avivamento no Novo Testamento.pptx
 
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitivaLição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
 
A missão de Pedro
A missão de PedroA missão de Pedro
A missão de Pedro
 
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptxLição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
 
Lição 3 - A salvação e o advento do Salvador
Lição 3 - A salvação e o advento do SalvadorLição 3 - A salvação e o advento do Salvador
Lição 3 - A salvação e o advento do Salvador
 
Lição 13 - O Sacerdócio Celestial
Lição 13 - O Sacerdócio CelestialLição 13 - O Sacerdócio Celestial
Lição 13 - O Sacerdócio Celestial
 
Luzparavida espiritosanto
Luzparavida espiritosantoLuzparavida espiritosanto
Luzparavida espiritosanto
 

Mais de JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA

Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...
Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...
Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?
QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?
QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Lição 9 um lugar de adoração a deus no deserto
Lição 9    um lugar de adoração a deus no desertoLição 9    um lugar de adoração a deus no deserto
Lição 9 um lugar de adoração a deus no desertoJOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé roberto
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé robertoDeus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé roberto
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé robertoJOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Lição 10 as leis civis entregues por moisés aos israelitas
Lição 10   as leis civis entregues por moisés aos israelitasLição 10   as leis civis entregues por moisés aos israelitas
Lição 10 as leis civis entregues por moisés aos israelitasJOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
As leis civis entregues por moisés aos israelitas original
As leis civis entregues por moisés aos israelitas   originalAs leis civis entregues por moisés aos israelitas   original
As leis civis entregues por moisés aos israelitas originalJOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 

Mais de JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA (18)

Licao 4 3 t - 2019 - MORDOMIA DA FAMILA
Licao 4   3 t - 2019 - MORDOMIA DA FAMILALicao 4   3 t - 2019 - MORDOMIA DA FAMILA
Licao 4 3 t - 2019 - MORDOMIA DA FAMILA
 
TODA FAMILIA - ORLANDO BOYER
TODA FAMILIA - ORLANDO BOYERTODA FAMILIA - ORLANDO BOYER
TODA FAMILIA - ORLANDO BOYER
 
A salvação judaica
A salvação judaicaA salvação judaica
A salvação judaica
 
Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...
Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...
Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...
 
Lições biblicas do 4 trimestre 2017
Lições biblicas do 4 trimestre 2017 Lições biblicas do 4 trimestre 2017
Lições biblicas do 4 trimestre 2017
 
Quem foi barrabás
Quem foi barrabásQuem foi barrabás
Quem foi barrabás
 
Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.
Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.
Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.
 
Dicionário de acordes violão(port revisado)
Dicionário de acordes violão(port revisado)Dicionário de acordes violão(port revisado)
Dicionário de acordes violão(port revisado)
 
Mil esbocos para_sermoes
Mil esbocos para_sermoesMil esbocos para_sermoes
Mil esbocos para_sermoes
 
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016
 
QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?
QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?
QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?
 
Comentário Geral sobre I Coríntios
Comentário Geral sobre I CoríntiosComentário Geral sobre I Coríntios
Comentário Geral sobre I Coríntios
 
Lição 13 o legado de moisés
Lição 13   o legado de moisésLição 13   o legado de moisés
Lição 13 o legado de moisés
 
Aula 13 o legado de moisés em slides
Aula 13   o legado de moisés em slidesAula 13   o legado de moisés em slides
Aula 13 o legado de moisés em slides
 
Lição 9 um lugar de adoração a deus no deserto
Lição 9    um lugar de adoração a deus no desertoLição 9    um lugar de adoração a deus no deserto
Lição 9 um lugar de adoração a deus no deserto
 
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé roberto
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé robertoDeus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé roberto
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé roberto
 
Lição 10 as leis civis entregues por moisés aos israelitas
Lição 10   as leis civis entregues por moisés aos israelitasLição 10   as leis civis entregues por moisés aos israelitas
Lição 10 as leis civis entregues por moisés aos israelitas
 
As leis civis entregues por moisés aos israelitas original
As leis civis entregues por moisés aos israelitas   originalAs leis civis entregues por moisés aos israelitas   original
As leis civis entregues por moisés aos israelitas original
 

Último

Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolarMODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolarDouglasVasconcelosMa
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxsfwsoficial
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoasInsegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoasdiegosouzalira10
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.FLAVIA LEZAN
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfandreaLisboa7
 

Último (20)

Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolarMODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoasInsegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 

Lição 12 – a consagração dos sacerdotes  1º trimestre 2014 recife

  • 1.
  • 2. PORTAL ESCOLA DOMINICAL PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2014 UMA JORNADA DE FÉ: A FORMAÇÃO DO POVO DE ISRAEL E SUA HERANÇA ESPIRITUAL COMENTARISTA: ANTONIO GILBERTO COMENTÁRIOS - SUPERINTENDÊNCIA DAS EBD'S DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS EM RECIFE/PE
  • 3. LIÇÃO 12 – A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES - 1º TRIMESTRE 2014 (Êx 29.1-12) INTRODUÇÃO No capítulo 29 do livro do Êxodo, Moisés registra a cerimônia de consagração de Arão e seus filhos para exercerem o ministério sacerdotal em Israel. Veremos nesta lição a definição do termo consagração, como ocorria esta cerimônia e a superioridade do sacerdócio de Cristo. I – DEFINIÇÃO DE CONSAGRAÇÃO A palavra consagrar vem do latim “consecrare”, formada por “com”, que significa “inteiramente” e “sacer”, que quer dizer “santo”. Portanto, consagrar significa “santificar inteiramente”. Os termos hebraicos usados no AT são qõdesh, que pode ser traduzido por “consagração”,“santidade” e incluem as ideias de “separação de algum uso comum ou profano” e de “separação para o serviço divino”. Pessoas e objetos eram separados para serviço divino, ou seja, eram consagradas (Êx 29.35; 28.41; Lv 7.37; 21.10; Nm 3.3; 7.11; Js 6.19). Nessa separação há uma aceitação das coisas ou pessoas em suas funções. Assim, Arão e seus filhos usavam vestes especiais em suas funções sacerdotais, como sinal de sua aceitação e consagração (Êx 29.29,33,35). Animais também eram consagrados, conforme vemos em (Êx 29.22,31,34). Como crentes, somos convidados a consagrar as nossas vidas a Cristo espiritual (Rm 12.1,2). II – A CERIMÔNIA DE CONSAGRAÇÃO SACERDOTAL Três coisas importantes ocorriam nesta consagração: sacrifícios de animais, lavagem e unção dos sacerdotes, como veremos a seguir: 2.1 Os animais que deveriam ser sacrificados (Êx 29.1). Três animais eram sacrificados durante a cerimônia de consagração: um novilho e dois carneiros, sem mácula:  O novilho. Arão e seus filhos deveriam colocar as mãos sobre a cabeça do novilho e depois ele seria degolado à porta da tenda, como oferta pelo pecado (Êx 29.10-14 Lv 8.14-17). Esse sacrifício purificava o sacerdote no caso de haver cometido algum pecado involuntário que poderia desqualificá-lo para representar o povo diante de Deus (Lv 4.3-12). Esta oferta já apontava para o sacrifício de Cristo (Is 53.5; Jo 1.29; Gl 3.13; Hb 13.11-13). A imposição de mãos apontava para a transferência dos pecados do sacerdote para o novilho (Lv 4.4,15,24,29,33; 16.21,22).  O primeiro carneiro. Esta oferta simbolizava consagração total ao Senhor, e não um sacrifício pelo pecado (Êx 29.15-18; Lv 8.18-21). Arão e seus filhos deveriam impor as mãos sobre a cabeça do carneiro, não para transferência de pecado, pois já foi realizada na ocasião da morte do novilho (Êx 29.10-14), e sim, para oferecerem a si mesmo, como oferta agradável ao Senhor (Lv 8.21). Depois que o animal era degolado, seu sangue era espalhado sobre o altar,
  • 4. então ele deveria ser partido e suas entranhas e suas pernas deveriam ser lavadas (Êx 29.16,17; Lv 8.21). Esta lavagem apontava para a pureza daquele que estava sendo representado, ou seja, Arão e seus filhos.  O segundo carneiro. Era chamado de “carneiro da consagração” (Êx 29.22; Lv 8.22). Neste sacrifício, também havia imposição de mãos sobre o carneiro (Êx 29.19). Depois que o carneiro era degolado, o sangue era colocado: (1) sobre a ponta da orelha direita de Arão e seus filhos, simbolizando que o sacerdote era alguém que deveria estar preparado para ouvir tudo que o Senhor ordenasse, afim de cumprir suas ordens; (2)sobre o dedo polegar da mão direita. Tendo em vista que as mãos são instrumentos de ação, simbolizava que o sacerdote deveria estar pronto a realizar tudo que Deus lhe ordenasse; e, (3) sobre o dedo polegar do pé direito, mostrando que o sacerdote deveria andar pelos caminhos que o Senhor lhe ordenasse. O resto do sangue era espalhado sobre o altar (Êx 29.19-23). 2.2 Os sacerdotes deveriam ser lavados com água (Êx 29.4). Esta lavagem cerimonial dos sacerdotes com água simbolizava a pureza que devia caracterizar o serviço sacerdotal, bem como a Palavra de Deus, como fonte de purificação (Sl 119.9,11; Jo 13.10; 17.17). Como Deus é santo (Lv 11.44,45; 19.2; 20.7; Is 48.17; I Pe 1.16) os sacerdotes deveriam estar limpos tanto no ato da consagração como no exercício do seu ofício (Êx 30.19-21). Caso contrário, eles estariam impuros para cumprir suas obrigações diante do Senhor. Semelhantemente, todos nós, como reino sacerdotal e nação santa (I Pe 2.9), necessitamos estar limpos, para nos achegar a Deus (Jo 15.3; II Co 7.1; Ef 5.26). O escritor aos hebreus diz: “Cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má consciência, e o corpo lavado com água limpa” (Hb 10.22). 2.3 Os sacerdotes deveriam ser ungidos (Êx 29.7). No AT, reis e sacerdotes recebiam a unção com óleo antes de exercerem suas respectivas funções (Êx 28.41; Lv 8.12; Nm 35.25; I Sm 10.1; 12.3,5; II Sm 1.14,16; I Rs 1.39,46; 19.16). A unção de um sacerdote lhe conferia um ofício vitalício (Lv 7.3; 4.3; 8.12-30; 10.7). Além dos sacerdotes, o tabernáculo e seus utensílios também foram ungidos (Êx 30.26-29; 40.9; Lv 8.10). O azeite simboliza o Espírito Santo; pois, ninguém pode realizar um serviço espiritual sem a unção do Espírito. O próprio Jesus foi ungido pelo Espírito (Is 60.1-3; Lc 4.18,19; Hb 1.9). Em sua totalidade, a cerimônia de consagração dos sacerdotes durava sete dias (Êx 29.35-37). III – O SACERDÓCIO DE CRISTO Existe notável diferença entre o sacerdócio da Antiga Aliança e o sacerdócio de Cristo. Isto por que, no Antigo Pacto, o sumo sacerdote era imperfeito e oferecia sacrifício pelos seus próprios pecados. Mas, quanto ao sacerdócio de Cristo, o escritor aos Hebreus diz: “Porque nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores, e feito mais sublime do que os céus; Que não necessitasse, como os sumos sacerdotes, de oferecer cada dia
  • 5. sacrifícios, primeiramente por seus próprios pecados, e depois pelos do povo; porque isto fez ele, uma vez, oferecendo-se a si mesmo” (Hb 7.26,27). 3.1 Base Bíblica do Sacerdócio de Cristo. O Senhor Jesus Cristo é o ministro de Deus para nós. Ele é o nosso sacerdote para sempre. O salmista disse: “Jurou o Senhor, e não se arrependerá: tu és um sacerdote eterno, segundo a ordem de Melquisedeque” (Sl 110.4; Hb 5.6). 3.2 A Perfeição do Sacerdócio de Cristo. Os sacerdotes do Antigo Pacto intercediam pelos homens a Deus, mas não podiam salvá-los. Jesus, porém, nosso sumo Sacerdote, não só vive para interceder por nós (Hb 7.25) como nos assegurou uma perfeita salvação (Jo 5.24; Rm 8.34). 3.3 A Superioridade do Sacerdócio de Cristo. O sacerdócio de Cristo nos proporciona uma superior esperança, e constitui o fundamento de toda a certeza que temos quanto a salvação e a vida eterna. Vejamos porque ele é superior: 3.3.1 O Sacerdócio de Cristo é Eterno. Por ser sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque (Hb 7.21), antecedeu, em centenas de anos, ao de Arão (Êx 28.1-11); e é, portanto, autor da salvação eterna. “E, sendo ele consumado, veio a ser a causa da eterna salvação para todos os que lhe obedecem” (Hb 5.9). 3.3.2 O Sacerdócio de Cristo está baseado em uma Superior Aliança. As Escrituras deixam bem claro que a Antiga Aliança era apenas sombra dos bens futuros (Hb 10.1), demonstrando assim a superioridade da Nova Aliança. O escritor aos Hebreus diz: “De tanto melhor aliança Jesus foi feito fiador” (Hb 7.22). 3.3.3 O Sacerdócio de Cristo é detentor de Superiores Promessas. Sem dúvidas, o sacerdócio de Cristo nos proporcionou gloriosas promessas, tais como: ser templo do Espírito Santo (Jo 14.17,23); do Batismo com o Espírito Santo (Lc 24.49; At 2.38,39); a adoção de filhos (Jo 1.12; II Co 6.18; I Jo 3.1,2). “Mas agora alcançou ele ministério tanto mais excelente, quanto é mediador de uma melhor aliança que está confirmada em melhores promessas” (Hb 8.6). 3.3.4 O Sacerdócio de Cristo inspira Superior Esperança. Diferente dos sacrifícios do Antigo Pacto, que apenas cobriam temporariamente o pecado, mas não transformava o pecador; o sacrifício de Cristo aperfeiçoou para sempre os que são santificados; realizando o que a Lei não podia fazer: santificar os pecadores. “Pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual chegamos a Deus” (Hb 7.19). 3.3.5 O Sacerdócio de Cristo oferece Sacrifício Superior. Enquanto que, no Antigo Pacto os sacrifícios eram de animais, no Novo Pacto, Cristo ofereceu-se a si mesmo. Como nosso Sumo Sacerdote, Ele penetrou no céu (Hb 9.11,12), onde apresenta ao Pai a eficácia expiatória do seu sangue, e intercede por nós. “De sorte que era bem necessário que as figuras das coisas que estão no céu assim se purificassem; mas as próprias coisas celestiais com sacrifícios melhores do que estes... Porque é impossível que o sangue dos touros e dos bodes tire os pecados” (Hb 9.23; 10.4). CONCLUSÃO
  • 6. No Antigo Pacto, Arão e seus filhos foram lavados e ungidos para exercerem o ministério sacerdotal. Além disso, três animais eram sacrificados, representando a expiação, oferta e consagração. Na Nova Aliança, esta cerimônia torna-se desnecessária, tendo em vista que Jesus Cristo é o nosso Sumo Sacerdote, perfeito, eterno e superior aos sacerdotes do Antigo Testamento. REFERÊNCIAS  ADEYMO, Tokunboh. Comentário Bíblico Africano. MUNDO CRISTÃO.  CHAMPLIN, R. N. Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia. HAGNOS.  _______________ . O Antigo Testamento Interpretado Versículo por Versículo. HAGNOS.  STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pente