Lição 12
A Consagração dos Sacerdotes
Pra Luciana Evangelista
IGREJA NOVA ALIANCA
TEXTO ÁUREO
"E quase todas as coisas, segundo a
lei, se purificam com sangue; e sem
derramamento de sangue não há
remissão...
VERDADE PRÁTICA
O sacrifício expiador de Cristo no
Calvário foi perfeito, único e capaz de
nos purificar de todo pecado.
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
• Êxodo 29.1-12
INTRODUÇÃO
Deus ordenou que Moisés separasse Arão e
seus filhos para o sacerdócio. O vestiário, bem
como o modo de procede...
I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS
FILHOS
1. A lavagem com água. "Então, farás chegar Arão e
seus filhos à porta da tenda da ...
I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS
FILHOS
2. A unção com azeite (Êx 30.23-33). O azeite
da unção deveria ser derramado sobre ...
I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS
FILHOS - OBS
• A cerimônia de consagração tinha como
objetivo “santificar para me administ...
I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS
FILHOS - OBS
• A Igreja, os sacerdotes da nova aliança, tem
livre acesso a Deus dentre tod...
I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS
FILHOS - OBS
• O primeiro a ser vestido foi Arão, escolhido para ser o
sumo sacerdote, que...
I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS
FILHOS - OBS
• A unção do sumo sacerdote foi única, ou seja,
uma vez ungido para exercer o...
I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS
FILHOS - OBS
• Os filhos de Arão receberam suas vestes
sacerdotais depois que Arão foi ves...
I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS
FILHOS
• 3. Animais são imolados como sacrifício (Êx 29.10-
18). Era necessário que antes ...
II. O SACRIFÍCIO DA POSSE
• 1. O segundo carneiro da consagração (Êx
29.19-35). Era necessário que outro animal
inocente f...
II. O SACRIFÍCIO DA POSSE - OBS
• No ritual da consagração, após o novilho ter
sido degolado à porta da tenda da congregaç...
II. O SACRIFÍCIO DA POSSE - OBS
• O derramamento do sangue restante à
base do altar é figura do derramamento
do sangue de ...
II. O SACRIFÍCIO DA POSSE - OBS
• Em seguida, Moisés queimou toda a gordura
que cobria as entranhas, o redenho de sobre o
...
II. O SACRIFÍCIO DA POSSE - OBS
• Este ato que tipifica o sacrifício de Cristo fora de
Jerusalém também tem um importante
...
II. O SACRIFÍCIO DA POSSE - OBS
• Em seguida à queima do novilho, Moisés tomou um carneiro,
devendo Arão e seus filhos tam...
II. O SACRIFÍCIO DA POSSE - OBS
• Após o holocausto do primeiro carneiro, Moisés tomou o
segundo carneiro, chamado “carnei...
II. O SACRIFÍCIO DA POSSE - OBS
• Após a colocação do sangue sobre a orelha
direita, o polegar da mão direita e o polegar ...
II. O SACRIFÍCIO DA POSSE - OBS
• Após a aspersão do sangue e do azeite sobre as vestes
e as pessoas de Arão e de seus fil...
II. O SACRIFÍCIO DA POSSE - OBS
• Em seguida, Moisés tomou a “oferta de movimento” das
mãos de Arão e de seus filhos e a q...
II. O SACRIFÍCIO DA POSSE - OBS
• A porção de Arão e seus filhos era composta do peito do
carneiro e de seu ombro direito....
II. O SACRIFÍCIO DA POSSE
• 2. Sacrifícios diários. Diariamente eram oferecidos
sacrifícios pelo pecado. Pela manhã e a ta...
III. CRISTO, PERPÉTUO SUMO
SACERDOTE
1. Sacerdócio segundo a ordem de
Melquisedeque. A primeira referência a
Melquisedeque...
III. CRISTO, PERPÉTUO SUMO
SACERDOTE
2. O sacrifício perfeito de Cristo. Arão e
seus descendentes deveriam oferecer
diaria...
III. CRISTO, PERPÉTUO SUMO
SACERDOTE
3. O sacrifício eterno de Cristo. "Mas
este, porque permanece eternamente,
tem um sac...
CONCLUSÃO
Deus estabeleceu o sacerdócio e as
cerimônias de purificação e consagração.
Estas cerimônias apontavam para o
sa...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Lição 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES

1.354 visualizações

Publicada em

Material didatico para aula da EBD - Revista CPAD 1 trimester de 2014

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.354
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
45
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lição 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES

  1. 1. Lição 12 A Consagração dos Sacerdotes Pra Luciana Evangelista IGREJA NOVA ALIANCA
  2. 2. TEXTO ÁUREO "E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão" (Hb 9.22)
  3. 3. VERDADE PRÁTICA O sacrifício expiador de Cristo no Calvário foi perfeito, único e capaz de nos purificar de todo pecado.
  4. 4. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE • Êxodo 29.1-12
  5. 5. INTRODUÇÃO Deus ordenou que Moisés separasse Arão e seus filhos para o sacerdócio. O vestiário, bem como o modo de proceder dos sacerdotes, foram dados por orientações do próprio Deus. Antes de oferecer sacrifícios em favor do povo, Arão deveria oferecer sacrifício para a remissão dos seus próprios pecados. Na lição de hoje, estudaremos a respeito do ato de consagração e purificação do sacerdócio, conforme as determinações de Deus.
  6. 6. I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS FILHOS 1. A lavagem com água. "Então, farás chegar Arão e seus filhos à porta da tenda da congregação e os lavarás com água" (Êx 29.4). Muitos eram os rituais de preparação que os sacerdotes deveriam realizar antes de se achegarem à presença de Deus. Uma parte dos rituais era a lavagem com água, que simbolizava pureza e perfeição. Deus é santo e requer santidade do seu povo: "Santos sereis, porque eu, o Senhor, vosso Deus, sou santo" (Lv 19.2). Atualmente o crente é limpo pela Palavra (Jo 15.3) e pelo sangue de Cristo (1 Jo 1.7). Sem pureza e santidade não podemos nos achegar à presença de Deus. Uma importante razão pela qual o crente deve santificar-se é que a santidade de Deus, em parte, é revelada através do procedimento justo e da vida santificada do crente.
  7. 7. I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS FILHOS 2. A unção com azeite (Êx 30.23-33). O azeite da unção deveria ser derramado sobre a cabeça de Arão e seus filhos. O azeite é símbolo do Espírito Santo que viria habitar no crente pelo ministério intercessor de Jesus (Jo 14.16,17,26), bem como o batismo com o Espírito Santo (At 1.4,5,8). Assim também a igreja recebeu o penhor do Espírito (2 Co 1.21,22), mas alguns de seus membros são individualmente separados para ministérios específicos, segundo os propósitos de Deus.
  8. 8. I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS FILHOS - OBS • A cerimônia de consagração tinha como objetivo “santificar para me administrarem o sacerdócio” (Ex.29:1). • A cerimônia era para deixar bem claro e explícito para todo o povo de Israel que o sacerdote era separado dos outros israelitas para exercer o sacerdócio, tanto que toda a congregação foi ajuntada para assistir à cerimônia (Lv.8:3).
  9. 9. I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS FILHOS - OBS • A Igreja, os sacerdotes da nova aliança, tem livre acesso a Deus dentre todos os demais seres humanos neste planeta (Hb.9:11,12). • Em seguida à lavagem da água, os sacerdotes foram vestidos com seus vestidos sacerdotais (Ex.29:5,6). Estas vestes sacerdotais indicam a vinda do Espírito Santo para habitar em nós (Jo.14:17).
  10. 10. I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS FILHOS - OBS • O primeiro a ser vestido foi Arão, escolhido para ser o sumo sacerdote, que deveria usar toda a sua indumentária. Após ele ter se vestido, foi ungido com azeite sobre a sua cabeça (Ex.29:5-7). Isto é uma figura da preeminência de Cristo, o nosso Sumo Sacerdote (Cl.1:18; Hb.8:1,2), que é a cabeça do corpo, da Igreja, o princípio e o primogênito dentre os mortos. Ele é o Cristo, ou seja, o Ungido, Aquele que foi escolhido para fazer a reconciliação entre Deus e os homens. Sobre Ele, primeiramente, esteve o Espírito Santo, pelo qual fez bem e curou a todos os oprimidos do diabo (At.10:38).
  11. 11. I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS FILHOS - OBS • A unção do sumo sacerdote foi única, ou seja, uma vez ungido para exercer o sumo sacerdócio, ele não mais seria ungido. De igual modo, a unção recebida pelo salvo em Cristo Jesus não precisa ser repetida (I Jo.2:27). Não existe “nova unção”. • A unção de Arão feita sobre a cabeça e que fazia com que todas as suas vestes fossem embebidas pelo azeite também é figura da unidade que existe no corpo de Cristo, que é a Igreja (Sl.133:1,2; I Co.12:27).
  12. 12. I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS FILHOS - OBS • Os filhos de Arão receberam suas vestes sacerdotais depois que Arão foi vestido das suas e foi ungido com azeite. Recebemos nossas vestes de salvação porque Jesus Cristo, nosso Sumo Sacerdote, foi glorificado, vencendo a morte e o pecado e abrindo para nós um vivo e novo caminho pela Sua carne e, por isso, pôde enviar o Espírito Santo para fazer de nós a Sua morada (Lc.24:49).
  13. 13. I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS FILHOS • 3. Animais são imolados como sacrifício (Êx 29.10- 18). Era necessário que antes de ministrar em favor do povo, o sacerdote oferecesse sacrifícios de holocausto por sua própria vida. Arão e seus filhos deveriam levar um cordeiro, sem mancha ou defeito, diante do altar. O cordeiro morto tipificava a morte vicária de Jesus Cristo, que "morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras" (1 Co 15.3). A morte vicária de Cristo proporciona ao homem pecador a reconciliação com Deus. Jesus morreu para expiar os nossos pecados (1 Pe 1.18,19).
  14. 14. II. O SACRIFÍCIO DA POSSE • 1. O segundo carneiro da consagração (Êx 29.19-35). Era necessário que outro animal inocente fosse morto. Segundo o Comentário Bíblico Beacon, "parte do sangue era colocada primeiramente na orelha direita, no dedo polegar da mão direita e no dedo polegar do pé direito". O restante do sangue deveria ser derramado sobre o altar. Sem derramamento de sangue não há remissão de pecado (Hb 9.22). Tudo apontava para o Calvário, onde Cristo derramou seu sangue por nós.
  15. 15. II. O SACRIFÍCIO DA POSSE - OBS • No ritual da consagração, após o novilho ter sido degolado à porta da tenda da congregação, o sangue foi tomado e Moisés, com o seu dedo, pôs o sangue nas pontas do altar e o sangue restante foi derramado à base do altar (Ex.29:12). • A colocação do sangue nas pontas do altar, que eram quatro, é uma figura da redenção de Cristo para toda a humanidade, a “propiciação pelos pecados de todo o mundo” a “expiação ilimitada”.
  16. 16. II. O SACRIFÍCIO DA POSSE - OBS • O derramamento do sangue restante à base do altar é figura do derramamento do sangue de Cristo na cruz do Calvário, o sangue que nos remiu, que nos purificou de todo o pecado. Sem derramamento de sangue, não há remissão (Hb.9:22).
  17. 17. II. O SACRIFÍCIO DA POSSE - OBS • Em seguida, Moisés queimou toda a gordura que cobria as entranhas, o redenho de sobre o fígado e ambos os rins sobre o altar, mas a carne do novilho, a sua pele e o seu esterco foram queimados não no altar, mas fora do arraial, porque se tratava de um sacrifício pelo pecado (Ex.29:14). • Este ato de queima fora do arraial apontava para o sacrifício de Cristo, que se deu fora de Jerusalém, no monte Calvário (Hb.13:10,11).
  18. 18. II. O SACRIFÍCIO DA POSSE - OBS • Este ato que tipifica o sacrifício de Cristo fora de Jerusalém também tem um importante significado para os salvos, qual seja, a necessidade que temos de também “sair fora do arraial, levando o vitupério de Cristo”(Hb.13:13). • Levar o vitupério de Cristo é suportar a cruz, desprezar a afronta pelo gozo que nos está proposto, a fim de que também possamos nos assentar no trono de Cristo, à direita do Pai (Hb.12:2).
  19. 19. II. O SACRIFÍCIO DA POSSE - OBS • Em seguida à queima do novilho, Moisés tomou um carneiro, devendo Arão e seus filhos também pôr a mão sobre a cabeça do animal (Ex.29:15). • O carneiro foi degolado, sendo tomado o seu sangue e espalhado sobre o altar ao redor. O carneiro foi, então, partido em suas partes, teve lavadas as suas entranhas e as suas pernas, que seriam postas sobre as suas partes e a sua cabeça, sendo, então, o animal totalmente queimado no altar, o que se chama de “holocausto”, ou seja, sacrifício totalmente queimado (Ex.29:15-18). • Esta oferta não foi feita pelo pecado, mas, sim, como uma oferta de cheiro suave ao Senhor, uma oferta de gratidão a Deus, um ato de adoração ao Senhor (Lv.1:1-9). • Esta oferta simboliza a necessidade de estarmos prontos a fazer a vontade de Deus, assim como Jesus Cristo o fez. Quem faz a vontade do Senhor é o “verdadeiro adorador”.
  20. 20. II. O SACRIFÍCIO DA POSSE - OBS • Após o holocausto do primeiro carneiro, Moisés tomou o segundo carneiro, chamado “carneiro das consagrações”, sobre a cabeça do qual Arão e seus filhos também puseram as mãos. • O carneiro foi degolado à porta da tenda da congregação. Moisés, então, tomou do sangue do carneiro e o pôs na ponta da orelha direita, do polegar da mão direita e do polegar do pé direito de Arão, espalhando o restante do sangue sobre o altar ao redor (Ex.29:20). • Este segundo carneiro era sacrificado para purificação do próprio exercício do ofício sacerdotal. • O sacerdote deveria ser purificado na sua audição, nas suas obras e no seu comportamento.
  21. 21. II. O SACRIFÍCIO DA POSSE - OBS • Após a colocação do sangue sobre a orelha direita, o polegar da mão direita e o polegar do pé direito, Moisés tomou do sangue que estava sobre o altar e do azeite da unção e o espargiu sobre Arão e sobre os seus vestidos, como também sobre os seus filhos e os vestidos de seus filhos com ele, para que, então, fossem eles santificados, como também suas vestes (Ex.29:20). • A aspersão do sangue e do azeite sobre Arão e seus filhos simboliza que não podemos ser sacerdotes se não formos “nascidos da água e do Espírito” (Jo.3:5).
  22. 22. II. O SACRIFÍCIO DA POSSE - OBS • Após a aspersão do sangue e do azeite sobre as vestes e as pessoas de Arão e de seus filhos, Moisés tomou deste segundo carneiro a gordura, a cauda, a gordura que cobre as entranhas, o redenho do fígado e ambos os rins com a gordura que neles tivesse, o ombro direito do carneiro, assim como uma fogaça de pão, um bolo de pão azeitado e um coscorão do cesto dos pães asmos, pô-los nas mãos de Arão e de seus filhos, devendo eles mover tudo isto perante o Senhor (Ex.29:22-24). • Tratava-se de uma “oferta de movimento”, ou seja, algo que deveria ser oferecido perante o Senhor com um movimento das mãos e dos braços. Esta “oferta de movimento”, simboliza o revestimento de poder, o batismo com o Espírito Santo.
  23. 23. II. O SACRIFÍCIO DA POSSE - OBS • Em seguida, Moisés tomou a “oferta de movimento” das mãos de Arão e de seus filhos e a queimou no altar como “oferta queimada ao Senhor” (Ex.29:25). Tratava- se este sacrifício de um “sacrifício pacífico”, de uma “oferta alçada”, ou seja, algo proveniente de alguém que teve seu pecado perdoado, que está em plena comunhão com o Senhor e que é grato a Deus pela sua redenção. • Após a queima de tudo quanto estava nas mãos de Arão e de seus filhos, Moisés tomou o peito do carneiro, movendo-o com movimento perante o Senhor, sendo esta a porção de Arão, assim como o ombro da oferta alçada (Ex.29:26-28). • Esta carne foi cozida no lugar santo e consumida por Arão e seus filhos — a refeição sagrada é o símbolo da comunhão que deve haver entre os sacerdotes e Deus e entre os sacerdotes entre si.
  24. 24. II. O SACRIFÍCIO DA POSSE - OBS • A porção de Arão e seus filhos era composta do peito do carneiro e de seu ombro direito. - A comunhão com Deus e com os irmãos é movida pelo amor e pelo sustento de toda a obra salvífica por Cristo Jesus. • Além do carneiro, também foi consumido o pão asmo, que estava no cesto, simbolizando a santidade e as necessárias verdade e sinceridade que deve existir na vida do sacerdote de Cristo. • O que sobejou do alimento até à manhã, foi queimado com fogo, porque era santo (Ex.29:34), a nos ensinar que nossa comunhão com Deus é algo diário, algo que deve ser mantido dia após dia.
  25. 25. II. O SACRIFÍCIO DA POSSE • 2. Sacrifícios diários. Diariamente eram oferecidos sacrifícios pelo pecado. Pela manhã e a tarde havia sacrifícios e um animal inocente era morto em resgate da vida de alguém. O sacrifício de Cristo foi perfeito e único. Por isso, hoje podemos nos achegar a Deus para adorá-lo livremente. • No Tabernáculo, tudo deveria estar sempre pronto a fim de que o culto diário a Deus nunca fosse interrompido. Os sacerdotes cuidavam para que o fogo do altar nunca se apagasse. A cada manhã, este era alimentado com nova lenha e novos holocaustos (Lv 6.12,13). Da mesma forma Deus quer que nos apresentemos a Ele, prontos e renovados espiritualmente (2 Co 4.16).
  26. 26. III. CRISTO, PERPÉTUO SUMO SACERDOTE 1. Sacerdócio segundo a ordem de Melquisedeque. A primeira referência a Melquisedeque como sacerdote encontra- se no livro de Gênesis 14.18. Poucos sabemos a respeito de Melquisedeque: "sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida" (Hb 7.3). Melquisedeque é um tipo de Cristo.
  27. 27. III. CRISTO, PERPÉTUO SUMO SACERDOTE 2. O sacrifício perfeito de Cristo. Arão e seus descendentes deveriam oferecer diariamente sacrifícios por seus pecados e também do seu povo. Hoje não precisamos fazer esses tipos de sacrifícios, pois o sacrifício de Cristo foi único, perfeito e perpétuo (Hb 7.25-28).
  28. 28. III. CRISTO, PERPÉTUO SUMO SACERDOTE 3. O sacrifício eterno de Cristo. "Mas este, porque permanece eternamente, tem um sacerdócio perpétuo (Hb 7.24). O vocábulo "perpétuo" significa "inalterável". Jesus não pertencia à tribo de Levi, mas seu sacerdócio era segundo a ordem de Melquisedeque (Hb 5.6,10; 7.11,12), logo, seu sacerdócio era superior ao de Arão. O sacerdócio de Cristo é superior, eterno e imutável.
  29. 29. CONCLUSÃO Deus estabeleceu o sacerdócio e as cerimônias de purificação e consagração. Estas cerimônias apontavam para o sacrifício perfeito e o sacerdócio eterno de Cristo. Ele se ofereceu como holocausto em nosso lugar. Sem Cristo, jamais poderíamos nos achegar à presença santa e eterna de Deus e ter comunhão com Ele.

×