Assembléia de Deus
Ministério Shekinah
Lição 11 – 16/03/2014
Assembléia de Deus
Ministério Shekinah
TEXTO ÁUREO
“E quase todas as
coisas, segundo a lei,
se purificam com
sangue; e sem...
Assembléia de Deus
Ministério Shekinah
VERDADE PRÁTICA
O sacrifício expiador
de Cristo no calvário
foi perfeito, único e
c...
1-Isto é o que lhes hás de fazer, para os santificar, para que me administrem o sacerdócio: Toma um
novilho e dois carneir...
Assembléia de Deus
Ministério Shekinah
I. – A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS FILHOS
1. A lavagem com água.
2. A unção com azei...
Assembléia de Deus
Ministério Shekinah
Deus ordenou que Moisés separasse
Arão e seus filhos para o sacerdócio.
O vestuário...
Assembléia de Deus
Ministério Shekinah
Revista CPAD
1. A lavagem com água.
2. A unção com azeite (Êx 30.23-33).
3. Animais...
Assembléia de Deus
Ministério Shekinah
AQ
"Então, farás chegar Arão e seus filhos à
porta da tenda da congregação e os lav...
Assembléia de Deus
Ministério Shekinah
Uma vez à porta da tenda da congregação, Arão e seus filhos deveriam ser lavados co...
Assembléia de Deus
Ministério Shekinah
AQ
O azeite da unção deveria ser
derramado sobre a cabeça de Arão e
seus filhos. O ...
Assembléia de Deus
Ministério Shekinah
Arão foi ungido com azeite, em mais uma figura da necessária unção do Espírito Sant...
Assembléia de Deus
Ministério Shekinah
AQ
Era necessário que antes de
ministrar em favor do povo, o
sacerdote oferecesse s...
Assembléia de Deus
Ministério Shekinah
Revista CPAD
1. O Segundo Carneiro da Consagração
(Êx 29.19-35)
2. Sacrifícios Diár...
Assembléia de Deus
Ministério Shekinah
AQ
Era necessário que outro animal inocente
fosse morto. “Parte do sangue era
coloc...
Assembléia de Deus
Ministério Shekinah
Os animais que deveriam ser sacrificados (Êx 29.1). Três animais eram sacrificados ...
Assembléia de Deus
Ministério Shekinah
AQ
Diariamente eram oferecidos sacrifícios
pelo pecado. Pela manhã e a tarde havia
...
Assembléia de Deus
Ministério Shekinah
Revista CPAD
1. Sacerdócio segundo a ordem de
Melquisedeque.
2. O sacrifício perfei...
Assembléia de Deus
Ministério Shekinah
AQ
A primeira referência a
Melquisedeque como sacerdote
encontra-se no livro de Gên...
Assembléia de Deus
Ministério Shekinah
Davi profetizou, mil anos antes do nascimento de Jesus, que o Messias seria “sacerd...
Assembléia de Deus
Ministério Shekinah
AQ
Arão e seus descendentes deveriam
oferecer diariamente sacrifícios por
seus peca...
Assembléia de Deus
Ministério Shekinah
AQ
"Mas este, porque permanece
eternamente, tem um sacerdócio
perpétuo (Hb 7.24). O...
Assembléia de Deus
Ministério Shekinah
Revista CPAD
Deus estabeleceu o sacerdócio e as cerimônias de
purificação e consagr...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A Consagração Dos Sacerdotes-Lição 12 1º 2014

1.119 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.119
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
42
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Consagração Dos Sacerdotes-Lição 12 1º 2014

  1. 1. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Lição 11 – 16/03/2014
  2. 2. Assembléia de Deus Ministério Shekinah TEXTO ÁUREO “E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão." (Hb 9.22)
  3. 3. Assembléia de Deus Ministério Shekinah VERDADE PRÁTICA O sacrifício expiador de Cristo no calvário foi perfeito, único e capaz de nos purificar de todo pecado.
  4. 4. 1-Isto é o que lhes hás de fazer, para os santificar, para que me administrem o sacerdócio: Toma um novilho e dois carneiros sem mácula, 2-E pão ázimo, e bolos ázimos, amassados com azeite, e coscorões ázimos, untados com azeite; com flor de farinha de trigo os farás, 3-E os porás num cesto, e os trarás no cesto, com o novilho e os dois carneiros. 4-Então farás chegar a Arão e a seus filhos à porta da tenda da congregação, e os lavarás com água; 5-Depois tomarás as vestes, e vestirás a Arão da túnica e do manto do éfode, e do éfode, e do peitoral; e o cingirás com o cinto de obra de artífice do éfode. 6-E a mitra porás sobre a sua cabeça; a coroa da santidade porás sobre a mitra. 7-E tomarás o azeite da unção, e o derramarás sobre a sua cabeça; assim o ungirás. 8-Depois farás chegar seus filhos, e lhes farás vestir túnicas. 9-E os cingirás com o cinto, a Arão e a seus filhos, e lhes atarás as tiaras, para que tenham o sacerdócio por estatuto perpétuo, e consagrarás a Arão e a seus filhos; 10-E farás chegar o novilho diante da tenda da congregação, e Arão e seus filhos porão as suas mãos sobre a cabeça do novilho; 11-E imolarás o novilho perante o Senhor, à porta da tenda da congregação. 12-Depois tomarás do sangue do novilho, e o porás com o teu dedo sobre as pontas do altar, e todo o sangue restante derramarás à base do altar. Assembléia de Deus Ministério Shekinah LEITURA BÍBLICA EM CLASSE – Êx 29.1-12
  5. 5. Assembléia de Deus Ministério Shekinah I. – A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS FILHOS 1. A lavagem com água. 2. A unção com azeite (Êx 30.23-33). 3. Os animais são imolados como sacrifício (Êx 29.10-18). II. – O SACRIFÍCIO DA POSSE 1. O segundo carneiro da consagração (Êx 29.19-35). 2. Sacrifícios diários. III. – CRISTO, PERPÉTUO SUMO SACERDOTE 1. Sacerdócio segundo a ordem de Melquisedeque. 2. O sacrifício perfeito de Cristo. 3. O sacrifício eterno de Cristo. Esboço da Lição
  6. 6. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Deus ordenou que Moisés separasse Arão e seus filhos para o sacerdócio. O vestuário, bem como o modo de proceder dos sacerdotes, foram dados por orientações do próprio Deus. Antes de oferecer sacrifícios em favor do povo, Arão deveria oferecer sacrifício para a remissão dos seus próprios pecados. Na lição de hoje, estudaremos a respeito do ato de consagração e purificação do sacerdócio, conforme as determinações de Deus. Revista CPAD A palavra consagrar vem do latim “consecrare”, formada por “com”, que significa “inteiramente” e “sacer”, que quer dizer “santo”. Portanto, consagrar significa “santificar inteiramente”. Os termos hebraicos usados no AT são qõdesh, que pode ser traduzido por “consagração”, “santidade” e incluem as ideias de “separação de algum uso comum ou profano” e de “separação para o serviço divino”. Pessoas e objetos eram separados para serviço divino, ou seja, eram consagradas (Êx 29.35; 28.41; Lv 7.37; 21.10; Nm 3.3; 7.11; Js 6.19). Nessa separação há uma aceitação das coisas ou pessoas em suas funções. Assim, Arão e seus filhos usavam vestes especiais em suas funções sacerdotais, como sinal de sua aceitação e consagração (Êx 29.29,33,35). Animais também eram consagrados, conforme vemos em (Êx 29.22,31,34). Como crentes, somos convidados a consagrar as nossas vidas a Cristo espiritual (Rm 12.1,2). Comentário
  7. 7. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Revista CPAD 1. A lavagem com água. 2. A unção com azeite (Êx 30.23-33). 3. Animais são imolados como sacrifício (Êx 29.10-18).
  8. 8. Assembléia de Deus Ministério Shekinah AQ "Então, farás chegar Arão e seus filhos à porta da tenda da congregação e os lavarás com água" (Êx 29.4). Muitos eram os rituais de preparação que os sacerdotes deveriam realizar antes de se achegarem à presença de Deus. Uma parte dos rituais era a lavagem com água, que simbolizava pureza e perfeição. Deus é santo e requer santidade do seu povo: "Santos sereis, porque eu, o Senhor, vosso Deus, sou santo" (Lv 19.2). O crente é limpo pela Palavra (Jo 15.3) e pelo sangue de Cristo (1 Jo 1.7). Sem pureza e santidade não podemos nos achegar à presença de Deus. Uma importante razão pela qual o crente deve santificar-se é que a santidade de Deus, em parte, é revelada através do procedimento justo e da vida santificada do crente. Revista CPAD Esta lavagem cerimonial dos sacerdotes com água simbolizava a pureza que devia caracterizar o serviço sacerdotal, bem como a Palavra de Deus, como fonte de purificação (Sl 119.9,11; Jo 13.10; 17.17). Como Deus é santo (Lv 11.44,45; 19.2; 20.7; Is 48.17; I Pe 1.16) os sacerdotes deveriam estar limpos tanto no ato da consagração como no exercício do seu ofício (Êx 30.19-21). Caso contrário, eles estariam impuros para cumprir suas obrigações diante do Senhor. Semelhantemente, todos nós, como reino sacerdotal e nação santa (I Pe 2.9), necessitamos estar limpos, para nos achegar a Deus (Jo 15.3; II Co 7.1; Ef 5.26). O escritor aos hebreus diz: “Cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má consciência, e o corpo lavado com água limpa” (Hb 10.22). Comentário
  9. 9. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Uma vez à porta da tenda da congregação, Arão e seus filhos deveriam ser lavados com água na pia de cobre que estava entre o altar de sacrifícios e o primeiro véu (Ex.29:4). - Este ato do ritual mostra-nos que toda a consagração começa com a lavagem da água, que o apóstolo Paulo em Ef.5:26, diz ter sido um ato realizado pelo Senhor Jesus quando Se entregou a Si mesmo pela Igreja, para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela Palavra. - Ora, isto nos remete ao que disse o Senhor Jesus a Nicodemos, quando afirmou que é necessário nascer da água e do Espírito para entrar no reino de Deus (Jo.3:5). - A lavagem com água, portanto, representa a santificação operada pela Palavra de Deus, santificação esta não só posicional, que faz com que, pelo perdão dos nossos pecados, sejamos chamados santos, por invocarmos o nome do Senhor (I Co.1:1,2), como, também, a santificação progressiva, pela qual somos mantidos separados do pecado desde a nossa conversão até o dia da glorificação (Jo.17:17; Ap.22:11). - É a Palavra de Deus que nos leva a fé até nossos corações (Rm.10:17), fé esta pela qual damos entrada em nossa vida espiritual, na graça de Deus (Rm.5:1,2). É mediante a santificação pela Palavra de Deus, deste verdadeiro “nascimento da água”, que iniciamos o nosso sacerdócio cristão, que damos início a nossa entrada no santuário celestial, pois, sem fé é impossível agradar a Deus (Hb.11:6). - Por isso, o Senhor Jesus mandou à Sua Igreja que ensinasse as nações, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, bem como que lhes ensinasse a guardar tudo quanto o Senhor lhes havia mandado (Mt.28:19,20). É indispensável que as pessoas tenham acesso à Palavra, aprendam continuamente da Palavra para que possam exercer legítima e validamente o sacerdócio real de que são investidos pela sua condição de salvos na pessoa bendita de Cristo Jesus
  10. 10. Assembléia de Deus Ministério Shekinah AQ O azeite da unção deveria ser derramado sobre a cabeça de Arão e seus filhos. O azeite é símbolo do Espírito Santo que viria habitar no crente pelo ministério intercessor de Jesus (Jo 14.16,17,26), bem como o batismo com o Espírito Santo (At 1.4,5,8). Assim também a igreja recebeu o penhor do Espírito (2 Co 1.21,22), mas alguns de seus membros são individualmente separados para ministérios específicos, segundo os propósitos de Deus. Revista CPAD No AT, reis e sacerdotes recebiam a unção com óleo antes de exercerem suas respectivas funções (Êx 28.41; Lv 8.12; Nm 35.25; I Sm 10.1; 12.3,5; II Sm 1.14,16; I Rs 1.39,46; 19.16). A unção de um sacerdote lhe conferia um ofício vitalício (Lv 7.3; 4.3; 8.12-30; 10.7). Além dos sacerdotes, o tabernáculo e seus utensílios também foram ungidos (Êx 30.26-29; 40.9; Lv 8.10). O azeite simboliza o Espírito Santo; pois, ninguém pode realizar um serviço espiritual sem a unção do Espírito. O próprio Jesus foi ungido pelo Espírito (Is 60.1-3; Lc 4.18,19; Hb 1.9). Em sua totalidade, a cerimônia de consagração dos sacerdotes durava sete dias (Êx 29.35-37). Comentário
  11. 11. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Arão foi ungido com azeite, em mais uma figura da necessária unção do Espírito Santo que deve pairar sobre todos os salvos na pessoa de Cristo Jesus. Por isso, o apóstolo João disse que todo salvo tem a unção do Santo e sabe tudo (I Jo.2:20). -É interessante notar que a unção do sumo sacerdote era única, ou seja, uma vez ungido para exercer o sumo sacerdócio, ele não mais seria ungido. De igual modo, a unção recebida pelo salvo em Cristo Jesus não precisa ser repetida, pois, como diz João, “a unção, que vós recebestes d’Ele, fica em vós e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a Sua unção os ensina todas as coisas e é verdadeira, e não é mentira, como ela vos ensinou, assim n’Ele permanecereis” (I Jo.2:27) A unção de Arão feita sobre a cabeça e que fazia com que todas as suas vestes fossem embebidas pelo azeite também é figura da unidade que existe no corpo de Cristo, que é a Igreja (I Co.12:27), como atesta o salmista no Salmo 133, que diz que a união dos irmãos é como o óleo que desce sobre a barba, a barba de Arão e que desce à orla dos seus vestidos (Sl.133:1,2). Esta unidade do corpo de Cristo, da Sua Igreja, é possível única e exclusivamente pela ação do Espírito Santo, este único Espírito que opera na Igreja do Senhor (Ef.4:4) .
  12. 12. Assembléia de Deus Ministério Shekinah AQ Era necessário que antes de ministrar em favor do povo, o sacerdote oferecesse sacrifícios de holocausto por sua própria vida. Arão e seus filhos deveriam levar um cordeiro, sem mancha ou defeito, diante do altar. O cordeiro morto tipificava a morte vicária de Jesus Cristo, que "morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras" (1 Co 15.3). A morte vicária de Cristo proporciona ao homem pecador a reconciliação com Deus. Jesus morreu para expiar os nossos pecados (1 Pe 1.18,19). Revista CPAD "A Origem dos Sacrifícios Em relação à origem dos sacrifícios, existem duas opiniões: (1) que eles têm sua origem nos homens, e que Israel apenas reorganizou e adaptou os costumes de outras religiões, quando inaugurou seu sistema sacrificial; e (2) que os sacrifícios foram instituídos por Adão e seus descendentes em resposta a uma revelação de Deus. É possível que o primeiro ato sacrificial em Gênesis tenha ocorrido quando Deus vestiu Adão e Eva com peles para cobrir sua nudez (Gn 3.21). O segundo sacrifício mencionado foi o de Caim, que veio com uma oferta do 'fruto da terra', isto é, daquilo que havia produzido, expressando sua satisfação e orgulho. Entretanto, seu irmão Abel 'trouxe dos primogênitos das suas ovelhas e da sua gordura' como forma de expressar a contrição de seu coração, o arrependimento e a necessidade da expiação de seus pecados (Gn 4.3,4). Comentário
  13. 13. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Revista CPAD 1. O Segundo Carneiro da Consagração (Êx 29.19-35) 2. Sacrifícios Diários
  14. 14. Assembléia de Deus Ministério Shekinah AQ Era necessário que outro animal inocente fosse morto. “Parte do sangue era colocada(Segundo o Comentário Bíblico Beacon): Primeiramente na orelha direita, no dedo polegar da mão direita e No dedo polegar do pé direito“O restante do sangue deveria ser derramado sobre o altar. Sem derramamento de sangue não há remissão de pecado (Hb 9.22). Tudo apontava para o Calvário, onde Cristo derramou seu sangue por nós. Revista CPAD O segundo carneiro. Era chamado de “carneiro da consagração” (Êx 29.22; Lv 8.22). Neste sacrifício, também havia imposição de mãos sobre o carneiro (Êx 29.19). Depois que o carneiro era degolado, o sangue era colocado: (1) sobre a ponta da orelha direita de Arão e seus filhos, simbolizando que o sacerdote era alguém que deveria estar preparado para ouvir tudo que o Senhor ordenasse, afim de cumprir suas ordens; (2) sobre o dedo polegar da mão direita. Tendo em vista que as mãos são instrumentos de ação, simbolizava que o sacerdote deveria estar pronto a realizar tudo que Deus lhe ordenasse; e, (3) sobre o dedo polegar do pé direito, mostrando que o sacerdote deveria andar pelos caminhos que o Senhor lhe ordenasse. O resto do sangue era espalhado sobre o altar (Êx 29.19-23). Comentário
  15. 15. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Os animais que deveriam ser sacrificados (Êx 29.1). Três animais eram sacrificados durante a cerimônia de consagração: um novilho e dois carneiros, sem mácula: O novilho. Arão e seus filhos deveriam colocar as mãos sobre a cabeça do novilho e depois ele seria degolado à porta da tenda, como oferta pelo pecado (Êx 29.10-14 Lv 8.14-17). Esse sacrifício purificava o sacerdote no caso de haver cometido algum pecado involuntário que poderia desqualificá-lo para representar o povo diante de Deus (Lv 4.3-12). Esta oferta já apontava para o sacrifício de Cristo (Is 53.5; Jo 1.29; Gl 3.13; Hb 13.11-13). A imposição de mãos apontava para a transferência dos pecados do sacerdote para o novilho (Lv 4.4,15,24,29,33; 16.21,22). O primeiro carneiro. Esta oferta simbolizava consagração total ao Senhor, e não um sacrifício pelo pecado (Êx 29.15-18; Lv 8.18-21). Arão e seus filhos deveriam impor as mãos sobre a cabeça do carneiro, não para transferência de pecado, pois já foi realizada na ocasião da morte do novilho (Êx 29.10-14), e sim, para oferecerem a si mesmo, como oferta agradável ao Senhor (Lv 8.21). Depois que o animal era degolado, seu sangue era espalhado sobre o altar, então ele deveria ser partido e suas entranhas e suas pernas deveriam ser lavadas (Êx 29.16,17; Lv 8.21). Esta lavagem apontava para a pureza daquele que estava sendo representado, ou seja, Arão e seus filhos. O segundo carneiro.
  16. 16. Assembléia de Deus Ministério Shekinah AQ Diariamente eram oferecidos sacrifícios pelo pecado. Pela manhã e a tarde havia sacrifícios e um animal inocente era morto em resgate da vida de alguém. O sacrifício de Cristo foi perfeito e único. Por isso, hoje podemos nos achegar a Deus para adorá-lo livremente. No Tabernáculo, tudo deveria estar sempre pronto a fim de que o culto diário a Deus nunca fosse interrompido. Os sacerdotes cuidavam para que o fogo do altar nunca se apagasse. A cada manhã, este era alimentado com nova lenha e novos holocaustos (Lv 6.12,13). Da mesma forma Deus quer que nos apresentemos a Ele, prontos e renovados espiritualmente (2 Co 4.16). Revista CPAD Ofereciam sacrifícios contínuos. Os sacrifícios tinham de ser oferecidos repetidas vezes - “Faz-se recordação de pecados todos os anos” (Hb 10:3). Ficamos perplexos quando lemos o Antigo Testamento com detença e vemos os vários sacrifícios que tinham de ser oferecidos pelos sacerdotes a favor de cada israelita, e a frequência com que tinham de ser oferecidos. Veja Êx 29:38,41,42; 30:10; Nm 28:1-3. Comentário
  17. 17. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Revista CPAD 1. Sacerdócio segundo a ordem de Melquisedeque. 2. O sacrifício perfeito de Cristo. 3. O sacrifício eterno de Cristo.
  18. 18. Assembléia de Deus Ministério Shekinah AQ A primeira referência a Melquisedeque como sacerdote encontra-se no livro de Gênesis 14.18. Poucos sabemos a respeito de Melquisedeque: "sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida" (Hb 7.3). Melquisedeque é um tipo de Cristo. Revista CPAD Mas porque Melquisedeque? Quem foi Melquisedeque? O escritor de Hebreus nota que ele foi tanto sacerdote como rei de Salém (outro nome de Jerusalém; veja Gênesis 14:18-20; Hebreus 7:1). Ele também observa que as escrituras do Velho Testamento dão a Melquisedeque a aparência de ser eterno, não sendo registrado seu nascimento, linhagem ou morte (7:1-3). Assim, existem algumas semelhanças entre Melquisedeque e Jesus. Melquisedeque parece continuar para sempre como sacerdote, porque as Escrituras nunca registram sua morte. Jesus, sendo divino, vive e serve para sempre como sacerdote (Hebreus 7:23-25). Melquisedeque era tanto rei quanto sacerdote ao mesmo tempo (que era impossível sob a Lei de Moisés). Jesus é tanto rei como sacerdote ao mesmo tempo, em cumprimento da profecia de Zacarias. Comentário
  19. 19. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Davi profetizou, mil anos antes do nascimento de Jesus, que o Messias seria “sacerdote para sempre segundo a ordem de Melquisedeque” (Salmo 110:4). O autor de Hebreus cita esta profecia várias vezes, e explica o seu significado em relação à superioridade total de Jesus. A expressão “segundo a ordem de Melquisedeque” significa que o sacerdócio de Jesus é do mesmo tipo, ou parecido com, o sacerdócio de Melquisedeque. Melquisedeque aparece na história bíblica, e some logo em seguida. Ele era rei de Salém e sacerdote de Deus (Gênesis 14:18). Abençoou Abraão e recebeu o dízimo dele depois da vitória do patriarca contra Quedorlaomer. As Escrituras não relatam nada sobre antepassados nem descendentes de Melquisedeque (o ponto de Hebreus 7:3). Ele servia como sacerdote antes do nascimento de Isaque, então não era descendente da tribo de Levi (um dos netos de Isaque). Era sacerdote aprovado por Deus, independente de linhagem. Deus fez algumas coisas no Velho Testamento pensando na vinda de Jesus, e assim ajudando o povo a entender a missão de Cristo. Os comentários em Gênesis e Salmos sobre Melquisedeque mostraram a possibilidade de ter um sacerdote que não era sujeito à Lei dada aos israelitas no Monte Sinai. É exatamente isso que o autor de Hebreus nos mostra, usando Melquisedeque como tipo de Cristo. Jesus não podia ser sacerdote no sistema dado no Monte Sinai (Hebreus 8:4). O fato de Deus ter declarado Jesus sacerdote eterno serve de prova de mudança de lei: “Pois, quando se muda o sacerdócio, necessaria-mente há também mudança de lei” (Hebreus 7:14). “Agora, com efeito, obteve Jesus ministério tanto mais excelente, quanto é ele também Mediador de superior aliança instituída com base em superiores promessas” (Hebreus 8:6). Salmo 110, como o autor de Hebreus bem explica, aponta para o perfeito Rei e eterno Sacerdote, Jesus Cristo. Qualquer ensinamento que procura preservar algum sacerdócio humano segundo a ordem de Melquisedeque (como fazem, por exemplo, os mórmons), age por autoridade humana, e não divina (cf. Gálatas 1:10; 2 João 9), e diminui a importância de Jesus Cristo como o eterno e suficiente Sumo Sacerdote.
  20. 20. Assembléia de Deus Ministério Shekinah AQ Arão e seus descendentes deveriam oferecer diariamente sacrifícios por seus pecados e também do seu povo. Hoje não precisamos fazer esses tipos de sacrifícios, pois o sacrifício de Cristo foi único, perfeito e perpétuo (Hb 7.25-28). Revista CPAD Comentário O Sacerdócio de Cristo inspira Superior Esperança. Diferente dos sacrifícios do Antigo Pacto, que apenas cobriam temporariamente o pecado, mas não transformava o pecador; o sacrifício de Cristo aperfeiçoou para sempre os que são santificados; realizando o que a Lei não podia fazer: santificar os pecadores. “Pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual chegamos a Deus” (Hb 7.19).
  21. 21. Assembléia de Deus Ministério Shekinah AQ "Mas este, porque permanece eternamente, tem um sacerdócio perpétuo (Hb 7.24). O vocábulo "perpétuo" significa "inalterável". Jesus não pertencia à tribo de Levi, mas seu sacerdócio era segundo a ordem de Melquisedeque (Hb 5.6,10; 7.11,12), logo, seu sacerdócio era superior ao de Arão. O sacerdócio de Cristo é superior, eterno e imutável. Revista CPAD Comentário O Sacerdócio de Cristo oferece Sacrifício Superior. Enquanto que, no Antigo Pacto os sacrifícios eram de animais, no Novo Pacto, Cristo ofereceu-se a si mesmo. Como nosso Sumo Sacerdote, Ele penetrou no céu (Hb 9.11,12), onde apresenta ao Pai a eficácia expiatória do seu sangue, e intercede por nós. “De sorte que era bem necessário que as figuras das coisas que estão no céu assim se purificassem; mas as próprias coisas celestiais com sacrifícios melhores do que estes… Porque é impossível que o sangue dos touros e dos bodes tire os pecados” (Hb 9.23; 10.4).
  22. 22. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Revista CPAD Deus estabeleceu o sacerdócio e as cerimônias de purificação e consagração. Estas cerimônias apontavam para o sacrifício perfeito e o sacerdócio eterno de Cristo. Ele se ofereceu como holocausto em nosso lugar. Sem Cristo, jamais poderíamos nos achegar à presença santa e eterna de Deus e ter comunhão com Ele.

×