SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUSIGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS
ESCOLA BÍBLICA DOMINICALESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
UMA JORNADA DE FÉUMA JORNADA DE FÉ
Lição 9:Lição 9:
UM LUGAR DE ADORAÇÃO A DEUSUM LUGAR DE ADORAÇÃO A DEUS
NO DESERTONO DESERTO
JARDIM MARAVILHA - PETROLINA/PE
2014
TEXTO ÁUREOTEXTO ÁUREO::
ebddentrodecasa.blogspot.com.br
““E me farão umE me farão um
santuário, e habitarei nosantuário, e habitarei no
meio deles” (Êx 25.8)meio deles” (Êx 25.8)
Deus deseja habitar entreDeus deseja habitar entre
nós, para que ele seja o nossonós, para que ele seja o nosso
Deus e para que nós sejamosDeus e para que nós sejamos
o seu povo.o seu povo.
www.osfundamentosbiblicosdafe.blogspot.com
VERDADEVERDADE
PRÁTICAPRÁTICA::
§ Após a aula , o aluno deverá estar apto a:Após a aula , o aluno deverá estar apto a:
1.1. ConhecerConhecer as instruções para a construção doas instruções para a construção do
Tabernáculo.Tabernáculo.
2.2. ElencarElencar os utensílios presentes no pátio doos utensílios presentes no pátio do
Tabernáculo.Tabernáculo.
3.3. CompreenderCompreender que o Tabernáculo representa oque o Tabernáculo representa o
lugar de habitação de Deus em pleno deserto.lugar de habitação de Deus em pleno deserto.
www.osfundamentosbiblicosdafe.blogspot.com
OBJETIVOSOBJETIVOS::
LEITURA BÍBLICA EM CLASSELEITURA BÍBLICA EM CLASSE::
1 ENTÃO falou o SENHOR a Moisés, dizendo:
2 Fala aos filhos de Israel, que me tragam uma
oferta alçada; de todo o homem cujo coração se
mover voluntariamente, dele tomareis a minha
oferta alçada.
3 E esta é a oferta alçada que recebereis deles:
ouro, e prata, e cobre,
4 E azul, e púrpura, e carmesim, e linho fino, e
pelos de cabras,
5 E peles de carneiros tintas de vermelho, e
peles de texugos, e madeira de acácia,
Êxodo25.1-9Êxodo25.1-9
6 Azeite para a luz, especiarias para o óleo da6 Azeite para a luz, especiarias para o óleo da
unção, e especiarias para o incenso,unção, e especiarias para o incenso,
7 Pedras de ônix, e pedras de engaste para o7 Pedras de ônix, e pedras de engaste para o
éfode e para o peitoral.éfode e para o peitoral.
8 E me farão um santuário, e habitarei no meio8 E me farão um santuário, e habitarei no meio
deles.deles.
9 Conforme a tudo o que eu te mostrar para9 Conforme a tudo o que eu te mostrar para
modelo do tabernáculo, e para modelo de todosmodelo do tabernáculo, e para modelo de todos
os seus pertences, assim mesmo o fareis.os seus pertences, assim mesmo o fareis.
LEITURA BÍBLICA EM CLASSELEITURA BÍBLICA EM CLASSE::
Êxodo25.1-9
INTRODUÇÃO:INTRODUÇÃO:
Deus queria habitar no meio de Israel.Deus queria habitar no meio de Israel.
Por isso, ordenou a Moisés que, juntamentePor isso, ordenou a Moisés que, juntamente
com todo o povo, construísse um lugarcom todo o povo, construísse um lugar
separado para adoração. Trata-se doseparado para adoração. Trata-se do
“Tabernáculo do Senhor”, um santuário“Tabernáculo do Senhor”, um santuário
móvel que acompanhou os hebreus durantemóvel que acompanhou os hebreus durante
sua peregrinação pelo deserto. Na liçao desua peregrinação pelo deserto. Na liçao de
hoje, estudaremos como ocorreu ahoje, estudaremos como ocorreu a
construção desse lugar santo de adoração aoconstrução desse lugar santo de adoração ao
Senhor.Senhor.
Palavra ChavePalavra Chave
Tabernáculo:Tabernáculo:
(Mikdash em hebraico significa(Mikdash em hebraico significa
santuário, tabernáculo)santuário, tabernáculo)
Santuário portátil onde os hebreusSantuário portátil onde os hebreus
guardavam e transportavam a arca daguardavam e transportavam a arca da
aliança e demais utensílios sagradosaliança e demais utensílios sagrados
I – AS INSTRUÇÕES PARA CONSTRUÇÃOI – AS INSTRUÇÕES PARA CONSTRUÇÃO
DO TABERNÁCULODO TABERNÁCULO
1. O propósito divino1. O propósito divino
2. As ofertas2. As ofertas
3. Tudo segundo a ordenança divina ( Ex3. Tudo segundo a ordenança divina ( Ex
25.8,9, 40)25.8,9, 40)
1. PROPÓSITO DIVINO.1. PROPÓSITO DIVINO.
““Habitarei no meio deles”Habitarei no meio deles”
O propósito da construção da arca, era que DeusO propósito da construção da arca, era que Deus
queria que o povo tivesse um relacionamento maisqueria que o povo tivesse um relacionamento mais
intimo com Ele, e hoje não é diferente: Ele deseja ointimo com Ele, e hoje não é diferente: Ele deseja o
mesmo conosco por meio do seu Santo Espirito, que,mesmo conosco por meio do seu Santo Espirito, que,
como asseverou Jesus, habita em nós desde o dia emcomo asseverou Jesus, habita em nós desde o dia em
que entregamos nossa vida a Cristo:que entregamos nossa vida a Cristo: ““E eu rogarei aoE eu rogarei ao
Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fiquePai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique
convosco para sempre;convosco para sempre; O Espírito de verdade, que oO Espírito de verdade, que o
mundo não pode receber, porque não o vê nem omundo não pode receber, porque não o vê nem o
conhece; mas vós o conheceis, porque habitaconhece; mas vós o conheceis, porque habita
convosco, e estará em vós.” (João 14.16,17)convosco, e estará em vós.” (João 14.16,17)
““Retirado do livro: Uma jornada de Fé – Alexandre Coelho e Silas Daniel, 2014”Retirado do livro: Uma jornada de Fé – Alexandre Coelho e Silas Daniel, 2014”
2. As ofertas.2. As ofertas.
““O povo deveria ofertar espontaneamente, mas seriaO povo deveria ofertar espontaneamente, mas seria
qualquer coisa. Ofertar espontaneamente nãoqualquer coisa. Ofertar espontaneamente não
significa ofertar o que você quer, mas ofertar por quesignifica ofertar o que você quer, mas ofertar por que
você quer. Isso nos ensina que não podemosvocê quer. Isso nos ensina que não podemos
relacionar com Deus e chegar a ele mesmo como nósrelacionar com Deus e chegar a ele mesmo como nós
queremos, mas segundo os parâmetros por Elequeremos, mas segundo os parâmetros por Ele
estabelecido para as nossas vidas. Não podemosestabelecido para as nossas vidas. Não podemos
apresentar ao altar de Deus qualquer coisa, mas sóapresentar ao altar de Deus qualquer coisa, mas só
aquilo que lhe agrada, que está dentro de suaaquilo que lhe agrada, que está dentro de sua
vontade.vontade.
““Retirado do livro: Uma jornada de Fé – Alexandre Coelho e Silas Daniel, pg. 92,Retirado do livro: Uma jornada de Fé – Alexandre Coelho e Silas Daniel, pg. 92,
2014”2014”
A verdadeira adoração se dá segundo osA verdadeira adoração se dá segundo os
parâmetros estabelecidos pelo próprio Deus, osparâmetros estabelecidos pelo próprio Deus, os
quais nos são expressos pela sua Palavra.quais nos são expressos pela sua Palavra.
Por exemplo:Por exemplo:
1.Só podemos chegar a Deus por meio de Cristo (Jo1.Só podemos chegar a Deus por meio de Cristo (Jo
14.6);14.6);
2. A verdadeira adoração se dá em espirito e em2. A verdadeira adoração se dá em espirito e em
verdade (Jo 4.23);verdade (Jo 4.23);
3. O nosso culto deve ser racional (Rm 12.1);3. O nosso culto deve ser racional (Rm 12.1);
4. Devemos envolver todo o nosso ser na adoração4. Devemos envolver todo o nosso ser na adoração
a Ele (Sl 103.1; Rm 12.1);a Ele (Sl 103.1; Rm 12.1);
5. Nosso zelo diante de Deus deve ser com5. Nosso zelo diante de Deus deve ser com
entendimento (Rm 10.2);entendimento (Rm 10.2);
6. Devemos viver uma vida de santidade (Hb 12.14);6. Devemos viver uma vida de santidade (Hb 12.14);
7. Devemos fazer tudo para a Glória de Deus (I Co7. Devemos fazer tudo para a Glória de Deus (I Co
10.31);10.31);
8. Devemos colocar em primeiro plano o reino de8. Devemos colocar em primeiro plano o reino de
Deus e a sua justiça (Mt 6.33);Deus e a sua justiça (Mt 6.33);
9. Em tudo que fizermos deve haver uma intenção9. Em tudo que fizermos deve haver uma intenção
pura e genuína norteada pelo o verdadeiro amor (I Copura e genuína norteada pelo o verdadeiro amor (I Co
13.1-7);13.1-7);
10. Tudo que ocorrer no culto público deve ser “para10. Tudo que ocorrer no culto público deve ser “para
edificação” (I Co 14.26);edificação” (I Co 14.26);
11. O culto público deve ter louvor, palavra e11. O culto público deve ter louvor, palavra e
manifestação sadia de dons (I Co 14.26);manifestação sadia de dons (I Co 14.26);
12. Tudo deve ser feito “com decência e ordem” (I Co12. Tudo deve ser feito “com decência e ordem” (I Co
14.40);14.40);
ReflexãoReflexão::
““Deus é santo e requerDeus é santo e requer
santidade do seu povo. Deussantidade do seu povo. Deus
não aprova o viver e servir donão aprova o viver e servir do
impuro.”impuro.”
(Antonio Gilberto)(Antonio Gilberto)
II – O PÁTIO DO TABERNÁCULOII – O PÁTIO DO TABERNÁCULO
1. O pátio1. O pátio
2. O altar dos holocaustos2. O altar dos holocaustos
3. A pia de bronze (Ex. 30 17-21)3. A pia de bronze (Ex. 30 17-21)
III – O LUGAR DA HABITAÇÃO DEIII – O LUGAR DA HABITAÇÃO DE
DEUSDEUS
1. O castiçal de ouro(Ex. 25.31-40)1. O castiçal de ouro(Ex. 25.31-40)
2. Os pães da proposição e o altar do2. Os pães da proposição e o altar do
incenso (Ex 25.30)incenso (Ex 25.30)
3. O Santo dos Santos e a arca da3. O Santo dos Santos e a arca da
aliança (Ex. 25.10-22)aliança (Ex. 25.10-22)
ReflexãoReflexão::
““Suba a minha oração perante aSuba a minha oração perante a
tua face como incenso, e seja otua face como incenso, e seja o
levantar das minhas mãoslevantar das minhas mãos
como o sacrifício da tarde.como o sacrifício da tarde.””
(Salmos 141.2)(Salmos 141.2)
CONCLUSÃO:CONCLUSÃO:
Os Israelitas mediante oOs Israelitas mediante o
Tabernáculo podiam aprenderTabernáculo podiam aprender
corretamente como achegar-se acorretamente como achegar-se a
Deus, adorá-lo, servi-lo e viver paraDeus, adorá-lo, servi-lo e viver para
Ele em santidade. Assim deve fazer aEle em santidade. Assim deve fazer a
igreja, conforme Hebreus 10.21-23. Oigreja, conforme Hebreus 10.21-23. O
Senhor é Santo e sem santidade nossoSenhor é Santo e sem santidade nosso
louvor e adoração não poderãolouvor e adoração não poderão
agradá-loagradá-lo
ExercíciosExercícios
1. Qual era o objetivo de Deus com a construção do1. Qual era o objetivo de Deus com a construção do
Tabernáculo?Tabernáculo?
2. O tabernáculo foi construído com quais recursos?2. O tabernáculo foi construído com quais recursos?
3. Faça um pequeno resumo a respeito do pátio do3. Faça um pequeno resumo a respeito do pátio do
Tabernáculo.Tabernáculo.
4. No Apocalipse o Castiçal simboliza?4. No Apocalipse o Castiçal simboliza?
5. Faça um pequeno resumo a respeito do Santo dos5. Faça um pequeno resumo a respeito do Santo dos
Santos.Santos.
Elaboração de texto:Elaboração de texto:
José Roberto Alves da SilvaJosé Roberto Alves da Silva
Professor de Discipulado daProfessor de Discipulado da
Congregação em Jardim Maravilha,Congregação em Jardim Maravilha,
Petrolina – PE.Petrolina – PE.
E-mail: joseroberto.teologo@gmail.comE-mail: joseroberto.teologo@gmail.com
www.osfundamentosbiblicosdafe.blogspot.comwww.osfundamentosbiblicosdafe.blogspot.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Discipulado lição 3 - jesus cristo
Discipulado   lição 3 - jesus cristoDiscipulado   lição 3 - jesus cristo
Discipulado lição 3 - jesus cristoAlexandro Oliveira
 
DISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 2 - O pecado e o plano de deus
DISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 2 - O pecado e o plano de deusDISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 2 - O pecado e o plano de deus
DISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 2 - O pecado e o plano de deusNatalino das Neves Neves
 
1 joão 1.ppt;5 7, estudo
1 joão 1.ppt;5 7, estudo1 joão 1.ppt;5 7, estudo
1 joão 1.ppt;5 7, estudoRobson Oliveira
 
Lucas Capitulo 02b - Jesus e o Templo
Lucas Capitulo 02b - Jesus e o TemploLucas Capitulo 02b - Jesus e o Templo
Lucas Capitulo 02b - Jesus e o TemploAdolesBetel
 
DISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 3 - O substituto de nossos pe...
DISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 3 - O substituto de nossos pe...DISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 3 - O substituto de nossos pe...
DISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 3 - O substituto de nossos pe...Natalino das Neves Neves
 
Prova objetiva - Gincana - Módulo B
Prova objetiva - Gincana - Módulo BProva objetiva - Gincana - Módulo B
Prova objetiva - Gincana - Módulo BDário Melo
 
Primeira carta do apostolo joão
Primeira carta do apostolo joãoPrimeira carta do apostolo joão
Primeira carta do apostolo joãoJNR
 
Quem voce adora_e_obedece
Quem voce adora_e_obedeceQuem voce adora_e_obedece
Quem voce adora_e_obedeceJose Moraes
 
Conhecendo o amor de deus lições 10 a 12
Conhecendo o amor de deus lições 10 a 12Conhecendo o amor de deus lições 10 a 12
Conhecendo o amor de deus lições 10 a 12Lilian Pereira-Ferrari
 
Adorando a Deus em toda nossa maneira de viver
Adorando a Deus em toda nossa maneira de viverAdorando a Deus em toda nossa maneira de viver
Adorando a Deus em toda nossa maneira de viverDangelo Nascimento
 
A regeneração (j. c. ryle)
A regeneração (j. c. ryle)A regeneração (j. c. ryle)
A regeneração (j. c. ryle)Deusdete Soares
 
Esboço do evangelho
Esboço do evangelhoEsboço do evangelho
Esboço do evangelhoJoao Rumpel
 
2º módulo 3ª aula
2º módulo   3ª aula2º módulo   3ª aula
2º módulo 3ª aulaJoel Silva
 
Palestra cremos (Prof. José Edmílson Jr)
Palestra cremos (Prof. José Edmílson Jr)Palestra cremos (Prof. José Edmílson Jr)
Palestra cremos (Prof. José Edmílson Jr)JosEdmlsonSLourenoJu
 

Mais procurados (20)

Discipulado lição 3 - jesus cristo
Discipulado   lição 3 - jesus cristoDiscipulado   lição 3 - jesus cristo
Discipulado lição 3 - jesus cristo
 
DISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 2 - O pecado e o plano de deus
DISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 2 - O pecado e o plano de deusDISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 2 - O pecado e o plano de deus
DISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 2 - O pecado e o plano de deus
 
1 joão 1.ppt;5 7, estudo
1 joão 1.ppt;5 7, estudo1 joão 1.ppt;5 7, estudo
1 joão 1.ppt;5 7, estudo
 
Lucas Capitulo 02b - Jesus e o Templo
Lucas Capitulo 02b - Jesus e o TemploLucas Capitulo 02b - Jesus e o Templo
Lucas Capitulo 02b - Jesus e o Templo
 
DISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 3 - O substituto de nossos pe...
DISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 3 - O substituto de nossos pe...DISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 3 - O substituto de nossos pe...
DISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 3 - O substituto de nossos pe...
 
Prova objetiva - Gincana - Módulo B
Prova objetiva - Gincana - Módulo BProva objetiva - Gincana - Módulo B
Prova objetiva - Gincana - Módulo B
 
Primeira carta do apostolo joão
Primeira carta do apostolo joãoPrimeira carta do apostolo joão
Primeira carta do apostolo joão
 
Quem voce adora_e_obedece
Quem voce adora_e_obedeceQuem voce adora_e_obedece
Quem voce adora_e_obedece
 
Conhecendo o amor de deus lições 10 a 12
Conhecendo o amor de deus lições 10 a 12Conhecendo o amor de deus lições 10 a 12
Conhecendo o amor de deus lições 10 a 12
 
Encontrando o seu lugar de Descanso em Deus
Encontrando o seu lugar de Descanso em DeusEncontrando o seu lugar de Descanso em Deus
Encontrando o seu lugar de Descanso em Deus
 
Adorando a Deus em toda nossa maneira de viver
Adorando a Deus em toda nossa maneira de viverAdorando a Deus em toda nossa maneira de viver
Adorando a Deus em toda nossa maneira de viver
 
Apostila discipulado
Apostila discipuladoApostila discipulado
Apostila discipulado
 
Como entender 1João 5:20?
Como entender 1João 5:20?Como entender 1João 5:20?
Como entender 1João 5:20?
 
A regeneração (j. c. ryle)
A regeneração (j. c. ryle)A regeneração (j. c. ryle)
A regeneração (j. c. ryle)
 
Jesus sua vida e sua obra
Jesus sua vida e sua obraJesus sua vida e sua obra
Jesus sua vida e sua obra
 
Esboço do evangelho
Esboço do evangelhoEsboço do evangelho
Esboço do evangelho
 
2º módulo 3ª aula
2º módulo   3ª aula2º módulo   3ª aula
2º módulo 3ª aula
 
Descoberta final
Descoberta finalDescoberta final
Descoberta final
 
Palestra cremos (Prof. José Edmílson Jr)
Palestra cremos (Prof. José Edmílson Jr)Palestra cremos (Prof. José Edmílson Jr)
Palestra cremos (Prof. José Edmílson Jr)
 
Aonde nos leva nossa fé
Aonde nos leva nossa féAonde nos leva nossa fé
Aonde nos leva nossa fé
 

Semelhante a Adoração no deserto

Oração e santidade! mateus 6.9
Oração e santidade!  mateus 6.9Oração e santidade!  mateus 6.9
Oração e santidade! mateus 6.9Joel Manhaes
 
Levítico como se relacionar com deus
Levítico   como se relacionar com deusLevítico   como se relacionar com deus
Levítico como se relacionar com deusDyogo E Cris
 
Ebd adbvv-genesis-licao 2
Ebd adbvv-genesis-licao 2Ebd adbvv-genesis-licao 2
Ebd adbvv-genesis-licao 2Figueiredo Marc
 
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMOTREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMOigrejafecrista
 
Curso Evangelismo Bíblico
Curso Evangelismo BíblicoCurso Evangelismo Bíblico
Curso Evangelismo BíblicoPés Descalços
 
Disciplina de Doutrinas Bíblicas
Disciplina de Doutrinas BíblicasDisciplina de Doutrinas Bíblicas
Disciplina de Doutrinas Bíblicasfaculdadeteologica
 
doutrinasbblicas-140512160139-phpapp02 (1).pdf
doutrinasbblicas-140512160139-phpapp02 (1).pdfdoutrinasbblicas-140512160139-phpapp02 (1).pdf
doutrinasbblicas-140512160139-phpapp02 (1).pdfTiago Silva
 
004-Jornal Cesesul 20-04-14
004-Jornal Cesesul 20-04-14004-Jornal Cesesul 20-04-14
004-Jornal Cesesul 20-04-14CESESUL
 
1 a bblia ensina que deus existe
1  a bblia ensina que deus existe1  a bblia ensina que deus existe
1 a bblia ensina que deus existe392306
 
Mensagens reveladas na palavra de deus 2
Mensagens reveladas na palavra de deus 2Mensagens reveladas na palavra de deus 2
Mensagens reveladas na palavra de deus 2Elvys Marinho
 
Mensagens reveladas na palavra de deus 2
Mensagens reveladas na palavra de deus 2Mensagens reveladas na palavra de deus 2
Mensagens reveladas na palavra de deus 2Elvys Marinho
 
O julgamento misericordioso de deus
O julgamento misericordioso de deusO julgamento misericordioso de deus
O julgamento misericordioso de deusEduardo Sousa Gomes
 
Aula 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTO
Aula 12   A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTOAula 12   A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTO
Aula 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTOJOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 

Semelhante a Adoração no deserto (20)

Servir a deus com compromisso
Servir a deus com compromissoServir a deus com compromisso
Servir a deus com compromisso
 
Oração e santidade! mateus 6.9
Oração e santidade!  mateus 6.9Oração e santidade!  mateus 6.9
Oração e santidade! mateus 6.9
 
Levítico como se relacionar com deus
Levítico   como se relacionar com deusLevítico   como se relacionar com deus
Levítico como se relacionar com deus
 
Ebd adbvv-genesis-licao 2
Ebd adbvv-genesis-licao 2Ebd adbvv-genesis-licao 2
Ebd adbvv-genesis-licao 2
 
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMOTREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
 
Daniel 1
Daniel 1Daniel 1
Daniel 1
 
Curso Evangelismo Bíblico
Curso Evangelismo BíblicoCurso Evangelismo Bíblico
Curso Evangelismo Bíblico
 
doutrinas bíblicas
doutrinas bíblicasdoutrinas bíblicas
doutrinas bíblicas
 
Disciplina de Doutrinas Bíblicas
Disciplina de Doutrinas BíblicasDisciplina de Doutrinas Bíblicas
Disciplina de Doutrinas Bíblicas
 
02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas
 
doutrinasbblicas-140512160139-phpapp02 (1).pdf
doutrinasbblicas-140512160139-phpapp02 (1).pdfdoutrinasbblicas-140512160139-phpapp02 (1).pdf
doutrinasbblicas-140512160139-phpapp02 (1).pdf
 
004-Jornal Cesesul 20-04-14
004-Jornal Cesesul 20-04-14004-Jornal Cesesul 20-04-14
004-Jornal Cesesul 20-04-14
 
Introdução bíblica
Introdução bíblicaIntrodução bíblica
Introdução bíblica
 
Doutrinas bíblicas
Doutrinas bíblicasDoutrinas bíblicas
Doutrinas bíblicas
 
1 a bblia ensina que deus existe
1  a bblia ensina que deus existe1  a bblia ensina que deus existe
1 a bblia ensina que deus existe
 
O altar do holocausto
O altar do holocaustoO altar do holocausto
O altar do holocausto
 
Mensagens reveladas na palavra de deus 2
Mensagens reveladas na palavra de deus 2Mensagens reveladas na palavra de deus 2
Mensagens reveladas na palavra de deus 2
 
Mensagens reveladas na palavra de deus 2
Mensagens reveladas na palavra de deus 2Mensagens reveladas na palavra de deus 2
Mensagens reveladas na palavra de deus 2
 
O julgamento misericordioso de deus
O julgamento misericordioso de deusO julgamento misericordioso de deus
O julgamento misericordioso de deus
 
Aula 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTO
Aula 12   A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTOAula 12   A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTO
Aula 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTO
 

Mais de JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA

Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...
Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...
Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?
QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?
QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves teologo
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves   teologoA consagração dos sacerdotes by josé roberto alves   teologo
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves teologoJOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes  1º trimestre 2014 recife
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes   1º trimestre 2014 recifeLição 12 – a consagração dos sacerdotes   1º trimestre 2014 recife
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes  1º trimestre 2014 recifeJOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Aula 11 deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdf
Aula 11   deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdfAula 11   deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdf
Aula 11 deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdfJOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé roberto
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé robertoDeus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé roberto
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé robertoJOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Lição 10 as leis civis entregues por moisés aos israelitas
Lição 10   as leis civis entregues por moisés aos israelitasLição 10   as leis civis entregues por moisés aos israelitas
Lição 10 as leis civis entregues por moisés aos israelitasJOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
As leis civis entregues por moisés aos israelitas original
As leis civis entregues por moisés aos israelitas   originalAs leis civis entregues por moisés aos israelitas   original
As leis civis entregues por moisés aos israelitas originalJOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 

Mais de JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA (20)

Licao 4 3 t - 2019 - MORDOMIA DA FAMILA
Licao 4   3 t - 2019 - MORDOMIA DA FAMILALicao 4   3 t - 2019 - MORDOMIA DA FAMILA
Licao 4 3 t - 2019 - MORDOMIA DA FAMILA
 
TODA FAMILIA - ORLANDO BOYER
TODA FAMILIA - ORLANDO BOYERTODA FAMILIA - ORLANDO BOYER
TODA FAMILIA - ORLANDO BOYER
 
A salvação judaica
A salvação judaicaA salvação judaica
A salvação judaica
 
Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...
Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...
Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...
 
Lições biblicas do 4 trimestre 2017
Lições biblicas do 4 trimestre 2017 Lições biblicas do 4 trimestre 2017
Lições biblicas do 4 trimestre 2017
 
Quem foi barrabás
Quem foi barrabásQuem foi barrabás
Quem foi barrabás
 
Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.
Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.
Revista adulto de professor 3º trimestre 2017.
 
Dicionário de acordes violão(port revisado)
Dicionário de acordes violão(port revisado)Dicionário de acordes violão(port revisado)
Dicionário de acordes violão(port revisado)
 
Mil esbocos para_sermoes
Mil esbocos para_sermoesMil esbocos para_sermoes
Mil esbocos para_sermoes
 
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016
O Desafio da Evangelização - Revista Lições Bíblicas 3° Trimestre 2016
 
QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?
QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?
QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?
 
Comentário Geral sobre I Coríntios
Comentário Geral sobre I CoríntiosComentário Geral sobre I Coríntios
Comentário Geral sobre I Coríntios
 
Lição 13 o legado de moisés
Lição 13   o legado de moisésLição 13   o legado de moisés
Lição 13 o legado de moisés
 
Aula 13 o legado de moisés em slides
Aula 13   o legado de moisés em slidesAula 13   o legado de moisés em slides
Aula 13 o legado de moisés em slides
 
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves teologo
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves   teologoA consagração dos sacerdotes by josé roberto alves   teologo
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves teologo
 
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes  1º trimestre 2014 recife
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes   1º trimestre 2014 recifeLição 12 – a consagração dos sacerdotes   1º trimestre 2014 recife
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes  1º trimestre 2014 recife
 
Aula 11 deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdf
Aula 11   deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdfAula 11   deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdf
Aula 11 deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdf
 
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé roberto
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé robertoDeus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé roberto
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé roberto
 
Lição 10 as leis civis entregues por moisés aos israelitas
Lição 10   as leis civis entregues por moisés aos israelitasLição 10   as leis civis entregues por moisés aos israelitas
Lição 10 as leis civis entregues por moisés aos israelitas
 
As leis civis entregues por moisés aos israelitas original
As leis civis entregues por moisés aos israelitas   originalAs leis civis entregues por moisés aos israelitas   original
As leis civis entregues por moisés aos israelitas original
 

Último

Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinhaMary Alvarenga
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBCRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBAline Santana
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Mary Alvarenga
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfmirandadudu08
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 

Último (20)

Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinha
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBCRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdf
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 

Adoração no deserto

  • 1. IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUSIGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS ESCOLA BÍBLICA DOMINICALESCOLA BÍBLICA DOMINICAL UMA JORNADA DE FÉUMA JORNADA DE FÉ Lição 9:Lição 9: UM LUGAR DE ADORAÇÃO A DEUSUM LUGAR DE ADORAÇÃO A DEUS NO DESERTONO DESERTO JARDIM MARAVILHA - PETROLINA/PE 2014
  • 2. TEXTO ÁUREOTEXTO ÁUREO:: ebddentrodecasa.blogspot.com.br ““E me farão umE me farão um santuário, e habitarei nosantuário, e habitarei no meio deles” (Êx 25.8)meio deles” (Êx 25.8)
  • 3. Deus deseja habitar entreDeus deseja habitar entre nós, para que ele seja o nossonós, para que ele seja o nosso Deus e para que nós sejamosDeus e para que nós sejamos o seu povo.o seu povo. www.osfundamentosbiblicosdafe.blogspot.com VERDADEVERDADE PRÁTICAPRÁTICA::
  • 4. § Após a aula , o aluno deverá estar apto a:Após a aula , o aluno deverá estar apto a: 1.1. ConhecerConhecer as instruções para a construção doas instruções para a construção do Tabernáculo.Tabernáculo. 2.2. ElencarElencar os utensílios presentes no pátio doos utensílios presentes no pátio do Tabernáculo.Tabernáculo. 3.3. CompreenderCompreender que o Tabernáculo representa oque o Tabernáculo representa o lugar de habitação de Deus em pleno deserto.lugar de habitação de Deus em pleno deserto. www.osfundamentosbiblicosdafe.blogspot.com OBJETIVOSOBJETIVOS::
  • 5. LEITURA BÍBLICA EM CLASSELEITURA BÍBLICA EM CLASSE:: 1 ENTÃO falou o SENHOR a Moisés, dizendo: 2 Fala aos filhos de Israel, que me tragam uma oferta alçada; de todo o homem cujo coração se mover voluntariamente, dele tomareis a minha oferta alçada. 3 E esta é a oferta alçada que recebereis deles: ouro, e prata, e cobre, 4 E azul, e púrpura, e carmesim, e linho fino, e pelos de cabras, 5 E peles de carneiros tintas de vermelho, e peles de texugos, e madeira de acácia, Êxodo25.1-9Êxodo25.1-9
  • 6. 6 Azeite para a luz, especiarias para o óleo da6 Azeite para a luz, especiarias para o óleo da unção, e especiarias para o incenso,unção, e especiarias para o incenso, 7 Pedras de ônix, e pedras de engaste para o7 Pedras de ônix, e pedras de engaste para o éfode e para o peitoral.éfode e para o peitoral. 8 E me farão um santuário, e habitarei no meio8 E me farão um santuário, e habitarei no meio deles.deles. 9 Conforme a tudo o que eu te mostrar para9 Conforme a tudo o que eu te mostrar para modelo do tabernáculo, e para modelo de todosmodelo do tabernáculo, e para modelo de todos os seus pertences, assim mesmo o fareis.os seus pertences, assim mesmo o fareis. LEITURA BÍBLICA EM CLASSELEITURA BÍBLICA EM CLASSE:: Êxodo25.1-9
  • 7. INTRODUÇÃO:INTRODUÇÃO: Deus queria habitar no meio de Israel.Deus queria habitar no meio de Israel. Por isso, ordenou a Moisés que, juntamentePor isso, ordenou a Moisés que, juntamente com todo o povo, construísse um lugarcom todo o povo, construísse um lugar separado para adoração. Trata-se doseparado para adoração. Trata-se do “Tabernáculo do Senhor”, um santuário“Tabernáculo do Senhor”, um santuário móvel que acompanhou os hebreus durantemóvel que acompanhou os hebreus durante sua peregrinação pelo deserto. Na liçao desua peregrinação pelo deserto. Na liçao de hoje, estudaremos como ocorreu ahoje, estudaremos como ocorreu a construção desse lugar santo de adoração aoconstrução desse lugar santo de adoração ao Senhor.Senhor.
  • 8. Palavra ChavePalavra Chave Tabernáculo:Tabernáculo: (Mikdash em hebraico significa(Mikdash em hebraico significa santuário, tabernáculo)santuário, tabernáculo) Santuário portátil onde os hebreusSantuário portátil onde os hebreus guardavam e transportavam a arca daguardavam e transportavam a arca da aliança e demais utensílios sagradosaliança e demais utensílios sagrados
  • 9.
  • 10.
  • 11. I – AS INSTRUÇÕES PARA CONSTRUÇÃOI – AS INSTRUÇÕES PARA CONSTRUÇÃO DO TABERNÁCULODO TABERNÁCULO 1. O propósito divino1. O propósito divino 2. As ofertas2. As ofertas 3. Tudo segundo a ordenança divina ( Ex3. Tudo segundo a ordenança divina ( Ex 25.8,9, 40)25.8,9, 40)
  • 12. 1. PROPÓSITO DIVINO.1. PROPÓSITO DIVINO. ““Habitarei no meio deles”Habitarei no meio deles” O propósito da construção da arca, era que DeusO propósito da construção da arca, era que Deus queria que o povo tivesse um relacionamento maisqueria que o povo tivesse um relacionamento mais intimo com Ele, e hoje não é diferente: Ele deseja ointimo com Ele, e hoje não é diferente: Ele deseja o mesmo conosco por meio do seu Santo Espirito, que,mesmo conosco por meio do seu Santo Espirito, que, como asseverou Jesus, habita em nós desde o dia emcomo asseverou Jesus, habita em nós desde o dia em que entregamos nossa vida a Cristo:que entregamos nossa vida a Cristo: ““E eu rogarei aoE eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fiquePai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre;convosco para sempre; O Espírito de verdade, que oO Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem omundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habitaconhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós.” (João 14.16,17)convosco, e estará em vós.” (João 14.16,17) ““Retirado do livro: Uma jornada de Fé – Alexandre Coelho e Silas Daniel, 2014”Retirado do livro: Uma jornada de Fé – Alexandre Coelho e Silas Daniel, 2014”
  • 13. 2. As ofertas.2. As ofertas. ““O povo deveria ofertar espontaneamente, mas seriaO povo deveria ofertar espontaneamente, mas seria qualquer coisa. Ofertar espontaneamente nãoqualquer coisa. Ofertar espontaneamente não significa ofertar o que você quer, mas ofertar por quesignifica ofertar o que você quer, mas ofertar por que você quer. Isso nos ensina que não podemosvocê quer. Isso nos ensina que não podemos relacionar com Deus e chegar a ele mesmo como nósrelacionar com Deus e chegar a ele mesmo como nós queremos, mas segundo os parâmetros por Elequeremos, mas segundo os parâmetros por Ele estabelecido para as nossas vidas. Não podemosestabelecido para as nossas vidas. Não podemos apresentar ao altar de Deus qualquer coisa, mas sóapresentar ao altar de Deus qualquer coisa, mas só aquilo que lhe agrada, que está dentro de suaaquilo que lhe agrada, que está dentro de sua vontade.vontade. ““Retirado do livro: Uma jornada de Fé – Alexandre Coelho e Silas Daniel, pg. 92,Retirado do livro: Uma jornada de Fé – Alexandre Coelho e Silas Daniel, pg. 92, 2014”2014”
  • 14. A verdadeira adoração se dá segundo osA verdadeira adoração se dá segundo os parâmetros estabelecidos pelo próprio Deus, osparâmetros estabelecidos pelo próprio Deus, os quais nos são expressos pela sua Palavra.quais nos são expressos pela sua Palavra. Por exemplo:Por exemplo: 1.Só podemos chegar a Deus por meio de Cristo (Jo1.Só podemos chegar a Deus por meio de Cristo (Jo 14.6);14.6); 2. A verdadeira adoração se dá em espirito e em2. A verdadeira adoração se dá em espirito e em verdade (Jo 4.23);verdade (Jo 4.23); 3. O nosso culto deve ser racional (Rm 12.1);3. O nosso culto deve ser racional (Rm 12.1); 4. Devemos envolver todo o nosso ser na adoração4. Devemos envolver todo o nosso ser na adoração a Ele (Sl 103.1; Rm 12.1);a Ele (Sl 103.1; Rm 12.1); 5. Nosso zelo diante de Deus deve ser com5. Nosso zelo diante de Deus deve ser com entendimento (Rm 10.2);entendimento (Rm 10.2);
  • 15. 6. Devemos viver uma vida de santidade (Hb 12.14);6. Devemos viver uma vida de santidade (Hb 12.14); 7. Devemos fazer tudo para a Glória de Deus (I Co7. Devemos fazer tudo para a Glória de Deus (I Co 10.31);10.31); 8. Devemos colocar em primeiro plano o reino de8. Devemos colocar em primeiro plano o reino de Deus e a sua justiça (Mt 6.33);Deus e a sua justiça (Mt 6.33); 9. Em tudo que fizermos deve haver uma intenção9. Em tudo que fizermos deve haver uma intenção pura e genuína norteada pelo o verdadeiro amor (I Copura e genuína norteada pelo o verdadeiro amor (I Co 13.1-7);13.1-7); 10. Tudo que ocorrer no culto público deve ser “para10. Tudo que ocorrer no culto público deve ser “para edificação” (I Co 14.26);edificação” (I Co 14.26); 11. O culto público deve ter louvor, palavra e11. O culto público deve ter louvor, palavra e manifestação sadia de dons (I Co 14.26);manifestação sadia de dons (I Co 14.26); 12. Tudo deve ser feito “com decência e ordem” (I Co12. Tudo deve ser feito “com decência e ordem” (I Co 14.40);14.40);
  • 16. ReflexãoReflexão:: ““Deus é santo e requerDeus é santo e requer santidade do seu povo. Deussantidade do seu povo. Deus não aprova o viver e servir donão aprova o viver e servir do impuro.”impuro.” (Antonio Gilberto)(Antonio Gilberto)
  • 17. II – O PÁTIO DO TABERNÁCULOII – O PÁTIO DO TABERNÁCULO 1. O pátio1. O pátio 2. O altar dos holocaustos2. O altar dos holocaustos 3. A pia de bronze (Ex. 30 17-21)3. A pia de bronze (Ex. 30 17-21)
  • 18. III – O LUGAR DA HABITAÇÃO DEIII – O LUGAR DA HABITAÇÃO DE DEUSDEUS 1. O castiçal de ouro(Ex. 25.31-40)1. O castiçal de ouro(Ex. 25.31-40) 2. Os pães da proposição e o altar do2. Os pães da proposição e o altar do incenso (Ex 25.30)incenso (Ex 25.30) 3. O Santo dos Santos e a arca da3. O Santo dos Santos e a arca da aliança (Ex. 25.10-22)aliança (Ex. 25.10-22)
  • 19. ReflexãoReflexão:: ““Suba a minha oração perante aSuba a minha oração perante a tua face como incenso, e seja otua face como incenso, e seja o levantar das minhas mãoslevantar das minhas mãos como o sacrifício da tarde.como o sacrifício da tarde.”” (Salmos 141.2)(Salmos 141.2)
  • 20. CONCLUSÃO:CONCLUSÃO: Os Israelitas mediante oOs Israelitas mediante o Tabernáculo podiam aprenderTabernáculo podiam aprender corretamente como achegar-se acorretamente como achegar-se a Deus, adorá-lo, servi-lo e viver paraDeus, adorá-lo, servi-lo e viver para Ele em santidade. Assim deve fazer aEle em santidade. Assim deve fazer a igreja, conforme Hebreus 10.21-23. Oigreja, conforme Hebreus 10.21-23. O Senhor é Santo e sem santidade nossoSenhor é Santo e sem santidade nosso louvor e adoração não poderãolouvor e adoração não poderão agradá-loagradá-lo
  • 21. ExercíciosExercícios 1. Qual era o objetivo de Deus com a construção do1. Qual era o objetivo de Deus com a construção do Tabernáculo?Tabernáculo? 2. O tabernáculo foi construído com quais recursos?2. O tabernáculo foi construído com quais recursos? 3. Faça um pequeno resumo a respeito do pátio do3. Faça um pequeno resumo a respeito do pátio do Tabernáculo.Tabernáculo. 4. No Apocalipse o Castiçal simboliza?4. No Apocalipse o Castiçal simboliza? 5. Faça um pequeno resumo a respeito do Santo dos5. Faça um pequeno resumo a respeito do Santo dos Santos.Santos.
  • 22. Elaboração de texto:Elaboração de texto: José Roberto Alves da SilvaJosé Roberto Alves da Silva Professor de Discipulado daProfessor de Discipulado da Congregação em Jardim Maravilha,Congregação em Jardim Maravilha, Petrolina – PE.Petrolina – PE. E-mail: joseroberto.teologo@gmail.comE-mail: joseroberto.teologo@gmail.com www.osfundamentosbiblicosdafe.blogspot.comwww.osfundamentosbiblicosdafe.blogspot.com

Notas do Editor

  1. <número>