SlideShare uma empresa Scribd logo
A CONSAGRAÇÃO
DOS SACERDOTES
1º Trimestre de 2014
Lição 12
Pr. Moisés Sampaio de Paula
TEXTO ÁUREO
Pr. Moisés Sampaio de Paula
2
"E quase todas as coisas, segundo a lei,
se purificam com sangue; e sem
derramamento de sangue não há
remissão"
(Hb 9.22).
VERDADE PRÁTICA
Pr. Moisés Sampaio de Paula
3
O sacrifício expiador de Cristo no Calvário
foi perfeito, único e capaz de nos purificar
de todo pecado.
OBJETIVOS
Pr. Moisés Sampaio de Paula
4
Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
 Explicar como se dava a cerimônia de consagração
sacerdotal.
 Citar os elementos do sacrifício de posse.
 Compreender que Cristo é o perpétuo e o mais
perfeito Sumo Sacerdote.
Palavra chave
Pr. Moisés Sampaio de Paula
5
I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS FILHOS
1. A lavagem com água.
2. A unção com azeite (Êx 30.23-33).
3. Animais são imolados como sacrifício (Êx 29.10-18).
II. O SACRIFÍCIO DA POSSE
1. O segundo carneiro da consagração (Êx 29.19-35).
2. Sacrifícios diários
III. CRISTO, PERPÉTUO SUMO SACERDOTE
1. Sacerdócio segundo a ordem de Melquisedeque.
2. O sacrifício perfeito de Cristo.
3. O sacrifício eterno de Cristo.
Esboço da Lição
Pr. Moisés Sampaio de Paula
6
INTRODUÇÃO
Pr. Moisés Sampaio de Paula
7
 Deus ordenou que Moisés separasse Arão e
seus filhos para o sacerdócio.
 O vestiário, bem como o modo de proceder
dos sacerdotes, foram dados por
orientações do próprio Deus.
 Antes de oferecer sacrifícios em favor do
povo, Arão deveria oferecer sacrifício para a
remissão dos seus próprios pecados.
 Na lição de hoje, estudaremos a respeito do
ato de consagração e purificação do
sacerdócio, conforme as determinações de
Deus
I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS
FILHOS
Pr. Moisés Sampaio de Paula
8
1. A lavagem com água.
2. A unção com azeite (Êx 30.23-33
3. Animais são imolados como sacrifício
(Êx 29.10-18).
I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS
FILHOS
Pr. Moisés Sampaio de Paula
9
 "Então, farás chegar Arão e seus filhos
à porta da tenda da congregação e os
lavarás com água" (Êx 29.4).
 Muitos eram os rituais de preparação
que os sacerdotes deveriam realizar
antes de se achegarem à presença de
Deus.
 Uma parte dos rituais era a lavagem
com água, que simbolizava pureza e
perfeição.
1. A lavagem com água.
Deus é santo e requer
santidade do seu povo:
"Santos sereis, porque eu, o
Senhor, vosso Deus, sou
santo" (Lv 19.2).
I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS
FILHOS
Pr. Moisés Sampaio de Paula
10
 O crente é limpo pela Palavra (Jo 15.3) e
pelo sangue de Cristo (1 Jo 1.7).
 Sem pureza e santidade não podemos
nos achegar à presença de Deus.
 Uma importante razão pela qual o crente
deve santificar-se é que a santidade de
Deus, em parte, é revelada através do
procedimento justo e da vida santificada
do crente.
1. A lavagem com água.
I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS
FILHOS
Pr. Moisés Sampaio de Paula
11
 O azeite da unção deveria ser
derramado sobre a cabeça de Arão
e seus filhos.
 O azeite é símbolo do Espírito
Santo que viria habitar no crente
pelo ministério intercessor de Jesus
(Jo 14.16,17,26), bem como o
batismo com o Espírito Santo (At
1.4,5,8).
2. A unção com azeite (Êx 30.23-33
I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS
FILHOS
Pr. Moisés Sampaio de Paula
12
 Assim também a igreja recebeu o
penhor do Espírito (2 Co 1.21,22),
mas alguns de seus membros são
individualmente separados para
ministérios específicos, segundo os
propósitos de Deus.
2. A unção com azeite (Êx 30.23-33
I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS
FILHOS
Pr. Moisés Sampaio de Paula
13
 Era necessário que antes de
ministrar em favor do povo, o
sacerdote oferecesse sacrifícios de
holocausto por sua própria vida.
 Arão e seus filhos deveriam levar
um cordeiro, sem mancha ou
defeito, diante do altar.
3. Animais são imolados como sacrifício (Êx
29.10-18).
I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS
FILHOS
Pr. Moisés Sampaio de Paula
14
 O cordeiro morto tipificava a
morte vicária de Jesus Cristo, que
"morreu por nossos pecados,
segundo as Escrituras" (1 Co 15.3).
 A morte vicária de Cristo
proporciona ao homem pecador a
reconciliação com Deus. Jesus
morreu para expiar os nossos
pecados (1 Pe 1.18,19).
3. Animais são imolados como sacrifício (Êx
29.10-18).
SINOPSE DO TÓPICO (1)
Pr. Moisés Sampaio de Paula
15
A consagração do
sacerdócio de Arão e de
seus filhos decorria pela
passagem da água, a unção
com azeite e a imolação de
animais como sacrifício
Perguntas
Pr. Moisés Sampaio de Paula
16
1. Atualmente somos limpos
mediante quê?
R. Atualmente o crente é limpo pela Palavra (Jo
15.3) e pelo sangue de Cristo (1 Jo 1.7).
Perguntas
Pr. Moisés Sampaio de Paula
17
2. O que o azeite simboliza?
R. O azeite é símbolo do Espírito Santo que
viria habitar no crente pelo ministério
intercessor de Jesus (Jo 14.16,17,26).
1. O segundo carneiro da consagração (Êx
29.19-35).
2. Sacrifícios diários
II. O SACRIFÍCIO DA POSSE
Pr. Moisés Sampaio de Paula
18
II. O SACRIFÍCIO DA POSSE
Pr. Moisés Sampaio de Paula
19
 Era necessário que outro animal inocente
fosse morto.
 “Parte do sangue era colocada(Segundo o
Comentário Bíblico Beacon):
1. Primeiramente na orelha direita,
2. No dedo polegar da mão direita e
3. No dedo polegar do pé direito“
4. O restante do sangue deveria ser
derramado sobre o altar.
1. O segundo carneiro da consagração (Êx 29.19-
35).
II. O SACRIFÍCIO DA POSSE
Pr. Moisés Sampaio de Paula
20
 Sem derramamento
de sangue não há
remissão de pecado
(Hb 9.22).
 Tudo apontava para
o Calvário, onde
Cristo derramou seu
sangue por nós.
1. O segundo carneiro da consagração (Êx 29.19-
35).
II. O SACRIFÍCIO DA POSSE
Pr. Moisés Sampaio de Paula
21
 Diariamente eram oferecidos
sacrifícios pelo pecado.
 O sacrifício de Cristo foi perfeito e
único. Por isso, hoje podemos nos
achegar a Deus para adorá-lo
livremente.
2. Sacrifícios diários
Pela manhã e a tarde
havia sacrifícios e um
animal inocente era
morto em resgate da vida
de alguém.
II. O SACRIFÍCIO DA POSSE
Pr. Moisés Sampaio de Paula
22
 No Tabernáculo, tudo deveria estar sempre
pronto a fim de que o culto diário a Deus
nunca fosse interrompido.
 Da mesma forma Deus quer que nos
apresentemos a Ele, prontos e renovados
espiritualmente (2 Co 4.16).
2. Sacrifícios diários
1. Os sacerdotes cuidavam para que o
fogo do altar nunca se apagasse.
2. A cada manhã, este era alimentado
com nova lenha e novos holocaustos
(Lv 6.12,13).
SINOPSE DO TÓPICO (2)
Pr. Moisés Sampaio de Paula
23
O sacrifício da posse
consistia na consagração do
segundo carneiro e nos
sacrifícios diários.
Perguntas
Pr. Moisés Sampaio de Paula
24
3. O que deveria ser feito com o
restante do sangue do segundo
carneiro?
R. O restante do sangue deveria ser
derramado sobre o altar.
III. CRISTO, PERPÉTUO SUMO
SACERDOTE
Pr. Moisés Sampaio de Paula
25
1. Sacerdócio segundo a ordem de Melquisedeque.
2. O sacrifício perfeito de Cristo.
3. O sacrifício eterno de Cristo.
III. CRISTO, PERPÉTUO SUMO
SACERDOTE
Pr. Moisés Sampaio de Paula
26
 A primeira referência a
Melquisedeque como sacerdote
encontra-se no livro de Gênesis
14.18.
 Poucos sabemos a respeito de
Melquisedeque: "sem pai, sem mãe,
sem genealogia, não tendo princípio
de dias nem fim de vida" (Hb 7.3).
 Melquisedeque é um tipo de
Cristo.
1. Sacerdócio segundo a ordem de
Melquisedeque.
III. CRISTO, PERPÉTUO SUMO
SACERDOTE
Pr. Moisés Sampaio de Paula
27
 Arão e seus descendentes deveriam
oferecer diariamente sacrifícios por
seus pecados e também do seu
povo.
 Hoje não precisamos fazer esses
tipos de sacrifícios, pois o sacrifício
de Cristo foi único, perfeito e
perpétuo (Hb 7.25-28).
2. O sacrifício perfeito de Cristo.
III. CRISTO, PERPÉTUO SUMO
SACERDOTE
Pr. Moisés Sampaio de Paula
28
 "Mas este, porque permanece
eternamente, tem um sacerdócio
perpétuo (Hb 7.24).
 O vocábulo "perpétuo" significa
"inalterável".
 Jesus não pertencia à tribo de Levi,
mas seu sacerdócio era segundo a
ordem de Melquisedeque (Hb
5.6,10; 7.11,12), logo, seu
sacerdócio era superior ao de Arão.
O sacerdócio de Cristo é superior,
eterno e imutável.
3. O sacrifício eterno de Cristo.
SINOPSE DO TÓPICO (3)
Pr. Moisés Sampaio de Paula
29
O sacrifício de Cristo é
perfeito, eterno e perpétuo
segundo a ordem de
Melquisedeque.
Perguntas
Pr. Moisés Sampaio de Paula
30
4. Cristo era Sacerdote segundo qual
ordem?
R. Ordem de Melquisedeque.
Perguntas
Pr. Moisés Sampaio de Paula
31
5. De acordo com a lição, qual o
significado do vocábulo "perpétuo"?
R. O vocábulo "perpétuo" significa "inalterável".
Conclusão
Pr. Moisés Sampaio de Paula
32
 Deus estabeleceu o sacerdócio
e as cerimônias de purificação
e consagração.
 Estas cerimônias apontavam
para o sacrifício perfeito e o
sacerdócio eterno de Cristo.
 Ele se ofereceu como
holocausto em nosso lugar.
Sem Cristo, jamais poderíamos
nos achegar à presença santa e
eterna de Deus e ter
comunhão com Ele.

Subsídio Bibliológico
Pr. Moisés Sampaio de Paula
33
A U X Í L I O B I B L I O G R Á F I C O I
Subsídio Geográfico
"O sistema sacrificial
Quando os seres humanos entram em relação de aliança com Deus e mantêm o seu lado do
trato, evitando todos os pecados conhecidos, surge o desejo de relacionar-se mais intimamente
com Deus - entregar-se ao seu serviço, expressar agradecimento, apoiar seus servos, ter
comunhão, e desculpar-se pelo mal cometido acidentalmente. O sistema sacrificial demonstrou
que uma relação mais profunda com Deus era possível, mas para que isso acontecesse havia
necessidade de uma purificação contínua do pecado.
Ao mesmo tempo, o sistema demonstrou suas próprias deficiências e resultou na necessidade
de encontrar outro meio não só para estabelecer uma relação mais profunda com Deus, como
também para tratar com todo o problema do pecado deliberado. Esse outro meio foi tornado
possível mediante Jesus (Hb 10.1-8)" (GOWER, Ralph. Novo Manual dos Usos & Costumes dos
Tempos Bíblicos. 2.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, p.325).
Subsídio Historiográfico
Pr. Moisés Sampaio de Paula
34
A U X Í L I O B I B L I O G R Á F I C O I I
Subsídio Bibliológico
"A Origem dos Sacrifícios
Em relação à origem dos sacrifícios, existem duas opiniões: (1) que eles têm sua origem nos homens, e que
Israel apenas reorganizou e adaptou os costumes de outras religiões, quando inaugurou seu sistema sacrificial;
e (2) que os sacrifícios foram instituídos por Adão e seus descendentes em resposta a uma revelação de Deus.
É possível que o primeiro ato sacrificial em Gênesis tenha ocorrido quando Deus vestiu Adão e Eva com
peles para cobrir sua nudez (Gn 3.21). O segundo sacrifício mencionado foi o de Caim, que veio com uma
oferta do 'fruto da terra', isto é, daquilo que havia produzido, expressando sua satisfação e orgulho.
Entretanto, seu irmão Abel 'trouxe dos primogênitos das suas ovelhas e da sua gordura' como forma de
expressar a contrição de seu coração, o arrependimento e a necessidade da expiação de seus pecados (Gn
4.3,4).
Em Romanos 1.21, Paulo refere-se à revelação e ao conhecimento inicial que os patriarcas tinham a
respeito de Deus, e explica a apostasia e o pecado dos homens do seguinte modo: 'Tendo conhecido a Deus,
não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças'. Depois do Dilúvio, 'edificou Noé um altar ao Senhor; e
tomou de animal limpo e de toda a ave limpa e ofereceu holocaustos sobre o altar' (Gn 8.20). Muito tempo
antes de Moisés, os patriarcas Abrão (Gn 12.8;13.18; 15.9-17; 22.2ss.), Isaque (Gn 26.25), e Jacó (Gn 33.20;
35.3) também ofereceram verdadeiros sacrifícios (Dicionário Bíblico Wycliffe. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009,
p.1723).
Pr. Moisés Sampaio de Paula
35

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 6 - O temor a Deus e as atitudes corretas
Lição 6 - O temor a Deus e as atitudes corretasLição 6 - O temor a Deus e as atitudes corretas
Lição 6 - O temor a Deus e as atitudes corretas
Éder Tomé
 
Ezequiel
EzequielEzequiel
Ezequiel
Ricardo Gondim
 
Profetas maiores lição 09 - eetad
Profetas maiores   lição 09 - eetadProfetas maiores   lição 09 - eetad
Profetas maiores lição 09 - eetad
Daniel Rodrigues Neto
 
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo JesusLição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Éder Tomé
 
28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Lição 5 - É necessário nascer de novo
Lição 5 - É necessário nascer de novoLição 5 - É necessário nascer de novo
Lição 5 - É necessário nascer de novo
Éder Tomé
 
Atos
AtosAtos
3 fundamentos bíblicos da missão
3 fundamentos bíblicos da missão3 fundamentos bíblicos da missão
3 fundamentos bíblicos da missão
faculdadeteologica
 
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
Lição 2   A disciplina na vida do obreiroLição 2   A disciplina na vida do obreiro
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
Wander Sousa
 
Panorama do AT - Êxodo
Panorama do AT -  ÊxodoPanorama do AT -  Êxodo
Panorama do AT - Êxodo
Respirando Deus
 
Angelologia (power point)
Angelologia (power point)Angelologia (power point)
Angelologia (power point)
Filipe Rodrigues
 
Aprendendo com os erros de sansão
Aprendendo com os erros de sansãoAprendendo com os erros de sansão
Aprendendo com os erros de sansão
Celso do Rozário Brasil Gonçalves
 
A doutrina do pecado
A doutrina do pecadoA doutrina do pecado
A doutrina do pecado
Marcianno Teofilo
 
Profetas menores lição 2 - Oséias
Profetas menores   lição 2 - OséiasProfetas menores   lição 2 - Oséias
Profetas menores lição 2 - Oséias
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 
20. o livro de esdras
20. o livro de esdras20. o livro de esdras
20. o livro de esdras
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
15. O Livro de I Reis
15. O Livro de I Reis15. O Livro de I Reis
15. O Livro de I Reis
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,
Felicio Araujo
 
Palestra maturidade cristã
Palestra   maturidade cristãPalestra   maturidade cristã
Palestra maturidade cristã
Junior Cesar Santiago
 
O Livro de Josué
O Livro de JosuéO Livro de Josué
O Livro de Josué
Élida Rolim
 
44. O Profeta Zacarias
44. O Profeta Zacarias44. O Profeta Zacarias
44. O Profeta Zacarias
Igreja Presbiteriana de Dourados
 

Mais procurados (20)

Lição 6 - O temor a Deus e as atitudes corretas
Lição 6 - O temor a Deus e as atitudes corretasLição 6 - O temor a Deus e as atitudes corretas
Lição 6 - O temor a Deus e as atitudes corretas
 
Ezequiel
EzequielEzequiel
Ezequiel
 
Profetas maiores lição 09 - eetad
Profetas maiores   lição 09 - eetadProfetas maiores   lição 09 - eetad
Profetas maiores lição 09 - eetad
 
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo JesusLição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
 
28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas28. Introdução aos Profetas
28. Introdução aos Profetas
 
Lição 5 - É necessário nascer de novo
Lição 5 - É necessário nascer de novoLição 5 - É necessário nascer de novo
Lição 5 - É necessário nascer de novo
 
Atos
AtosAtos
Atos
 
3 fundamentos bíblicos da missão
3 fundamentos bíblicos da missão3 fundamentos bíblicos da missão
3 fundamentos bíblicos da missão
 
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
Lição 2   A disciplina na vida do obreiroLição 2   A disciplina na vida do obreiro
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
 
Panorama do AT - Êxodo
Panorama do AT -  ÊxodoPanorama do AT -  Êxodo
Panorama do AT - Êxodo
 
Angelologia (power point)
Angelologia (power point)Angelologia (power point)
Angelologia (power point)
 
Aprendendo com os erros de sansão
Aprendendo com os erros de sansãoAprendendo com os erros de sansão
Aprendendo com os erros de sansão
 
A doutrina do pecado
A doutrina do pecadoA doutrina do pecado
A doutrina do pecado
 
Profetas menores lição 2 - Oséias
Profetas menores   lição 2 - OséiasProfetas menores   lição 2 - Oséias
Profetas menores lição 2 - Oséias
 
20. o livro de esdras
20. o livro de esdras20. o livro de esdras
20. o livro de esdras
 
15. O Livro de I Reis
15. O Livro de I Reis15. O Livro de I Reis
15. O Livro de I Reis
 
O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,
 
Palestra maturidade cristã
Palestra   maturidade cristãPalestra   maturidade cristã
Palestra maturidade cristã
 
O Livro de Josué
O Livro de JosuéO Livro de Josué
O Livro de Josué
 
44. O Profeta Zacarias
44. O Profeta Zacarias44. O Profeta Zacarias
44. O Profeta Zacarias
 

Destaque

Aula 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTO
Aula 12   A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTOAula 12   A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTO
Aula 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTO
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Aula 11 deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdf
Aula 11   deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdfAula 11   deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdf
Aula 11 deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdf
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
LEVITAS POR EXCELÊNCIA
LEVITAS POR EXCELÊNCIALEVITAS POR EXCELÊNCIA
LEVITAS POR EXCELÊNCIA
Wanderclayson Marques
 
Levitas
LevitasLevitas
Jesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiroJesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiro
Moisés Sampaio
 
O legado de Moisés
O legado de MoisésO legado de Moisés
O legado de Moisés
Moisés Sampaio
 
Apresentação seminário o_tabernaculo-final
Apresentação seminário o_tabernaculo-finalApresentação seminário o_tabernaculo-final
Apresentação seminário o_tabernaculo-final
Apostolo Jose
 
O Tabernáculo do Senhor
O Tabernáculo do SenhorO Tabernáculo do Senhor
O Tabernáculo do Senhor
Helio Colombe
 
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves teologo
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves   teologoA consagração dos sacerdotes by josé roberto alves   teologo
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves teologo
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Tema a deus em todo tempo
Tema a deus em todo tempoTema a deus em todo tempo
Tema a deus em todo tempo
Moisés Sampaio
 
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé roberto
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé robertoDeus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé roberto
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé roberto
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
A multiforme sabedoria de Deus
A multiforme sabedoria de DeusA multiforme sabedoria de Deus
A multiforme sabedoria de Deus
Moisés Sampaio
 
As pragas divinas e as propostas ardilosas de faraó
As pragas divinas e as propostas ardilosas de faraóAs pragas divinas e as propostas ardilosas de faraó
As pragas divinas e as propostas ardilosas de faraó
Moisés Sampaio
 
Apresentação2[1]
Apresentação2[1]Apresentação2[1]
Apresentação2[1]
Wilma Profeta
 
Arão
ArãoArão
1º Trimestre 2014 Lição 11 Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio
1º Trimestre 2014 Lição 11  Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio1º Trimestre 2014 Lição 11  Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio
1º Trimestre 2014 Lição 11 Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio
Anderson Silva
 
A arca da aliança
A arca da aliançaA arca da aliança
A arca da aliança
antonio ferreira
 
LIÇÃO 11 - DEUS ESCOLHE ARÃO E SEUS FILHOS PARA O SACERDÓCIO
LIÇÃO 11 - DEUS ESCOLHE ARÃO E SEUS FILHOS PARA O SACERDÓCIOLIÇÃO 11 - DEUS ESCOLHE ARÃO E SEUS FILHOS PARA O SACERDÓCIO
LIÇÃO 11 - DEUS ESCOLHE ARÃO E SEUS FILHOS PARA O SACERDÓCIO
Polícia Militar do Estado do Tocantins
 
Deus escolhe arão e seus filhos para o
Deus escolhe arão e seus filhos para oDeus escolhe arão e seus filhos para o
Deus escolhe arão e seus filhos para o
pralucianaevangelista
 
Deus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o Sacerdócio
Deus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o SacerdócioDeus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o Sacerdócio
Deus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o Sacerdócio
Jonas Martins Olímpio
 

Destaque (20)

Aula 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTO
Aula 12   A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTOAula 12   A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTO
Aula 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES EM SLIDES - JOSE ROBERTO
 
Aula 11 deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdf
Aula 11   deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdfAula 11   deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdf
Aula 11 deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio slide pdf
 
LEVITAS POR EXCELÊNCIA
LEVITAS POR EXCELÊNCIALEVITAS POR EXCELÊNCIA
LEVITAS POR EXCELÊNCIA
 
Levitas
LevitasLevitas
Levitas
 
Jesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiroJesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiro
 
O legado de Moisés
O legado de MoisésO legado de Moisés
O legado de Moisés
 
Apresentação seminário o_tabernaculo-final
Apresentação seminário o_tabernaculo-finalApresentação seminário o_tabernaculo-final
Apresentação seminário o_tabernaculo-final
 
O Tabernáculo do Senhor
O Tabernáculo do SenhorO Tabernáculo do Senhor
O Tabernáculo do Senhor
 
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves teologo
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves   teologoA consagração dos sacerdotes by josé roberto alves   teologo
A consagração dos sacerdotes by josé roberto alves teologo
 
Tema a deus em todo tempo
Tema a deus em todo tempoTema a deus em todo tempo
Tema a deus em todo tempo
 
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé roberto
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé robertoDeus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé roberto
Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio por josé roberto
 
A multiforme sabedoria de Deus
A multiforme sabedoria de DeusA multiforme sabedoria de Deus
A multiforme sabedoria de Deus
 
As pragas divinas e as propostas ardilosas de faraó
As pragas divinas e as propostas ardilosas de faraóAs pragas divinas e as propostas ardilosas de faraó
As pragas divinas e as propostas ardilosas de faraó
 
Apresentação2[1]
Apresentação2[1]Apresentação2[1]
Apresentação2[1]
 
Arão
ArãoArão
Arão
 
1º Trimestre 2014 Lição 11 Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio
1º Trimestre 2014 Lição 11  Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio1º Trimestre 2014 Lição 11  Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio
1º Trimestre 2014 Lição 11 Deus escolhe arão e seus filhos para o sacerdócio
 
A arca da aliança
A arca da aliançaA arca da aliança
A arca da aliança
 
LIÇÃO 11 - DEUS ESCOLHE ARÃO E SEUS FILHOS PARA O SACERDÓCIO
LIÇÃO 11 - DEUS ESCOLHE ARÃO E SEUS FILHOS PARA O SACERDÓCIOLIÇÃO 11 - DEUS ESCOLHE ARÃO E SEUS FILHOS PARA O SACERDÓCIO
LIÇÃO 11 - DEUS ESCOLHE ARÃO E SEUS FILHOS PARA O SACERDÓCIO
 
Deus escolhe arão e seus filhos para o
Deus escolhe arão e seus filhos para oDeus escolhe arão e seus filhos para o
Deus escolhe arão e seus filhos para o
 
Deus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o Sacerdócio
Deus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o SacerdócioDeus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o Sacerdócio
Deus Escolhe Arão e Seus Filhos Para o Sacerdócio
 

Semelhante a A consagração dos sacerdotes

Lição 9 hebreus
Lição 9   hebreusLição 9   hebreus
Lição 2 a salvação na páscoa judaica
Lição 2  a salvação na páscoa judaicaLição 2  a salvação na páscoa judaica
Lição 2 a salvação na páscoa judaica
Junior Miranda
 
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes  1º trimestre 2014 recife
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes   1º trimestre 2014 recifeLição 12 – a consagração dos sacerdotes   1º trimestre 2014 recife
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes  1º trimestre 2014 recife
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
LBA LIÇÃO 5 - A obra salvífica de jesus cristo
LBA LIÇÃO 5 - A obra salvífica de jesus cristoLBA LIÇÃO 5 - A obra salvífica de jesus cristo
LBA LIÇÃO 5 - A obra salvífica de jesus cristo
Natalino das Neves Neves
 
LBA LIÇÃO 2 - A salvação na páscoa judaica
LBA LIÇÃO 2 - A salvação na páscoa judaicaLBA LIÇÃO 2 - A salvação na páscoa judaica
LBA LIÇÃO 2 - A salvação na páscoa judaica
Natalino das Neves Neves
 
Lição 10 hebreus
Lição 10   hebreusLição 10   hebreus
Lição 10 hebreus
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 
Lição 13 O SACERDÓCIO CELESTIAL
Lição 13 O SACERDÓCIO CELESTIALLição 13 O SACERDÓCIO CELESTIAL
Lição 13 O SACERDÓCIO CELESTIAL
Hamilton Souza
 
O oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristoO oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristo
dimas campos
 
O oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristoO oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristo
dimas campos
 
Lição 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES
Lição 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTESLição 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES
Lição 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES
pralucianaevangelista
 
A Consagração Dos Sacerdotes-Lição 12 1º 2014
A Consagração Dos Sacerdotes-Lição 12 1º 2014A Consagração Dos Sacerdotes-Lição 12 1º 2014
A Consagração Dos Sacerdotes-Lição 12 1º 2014
Pr. Andre Luiz
 
A celebração da primeira páscoa
A celebração da primeira páscoaA celebração da primeira páscoa
A celebração da primeira páscoa
Moisés Sampaio
 
Lição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTO
Lição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTOLição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTO
Lição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTO
Hamilton Souza
 
A obra da salvacao aula final
A obra da salvacao aula finalA obra da salvacao aula final
A obra da salvacao aula final
Samuel De Lima Santana
 
Lição 10 - O Dia da Expiação
Lição 10 - O Dia da ExpiaçãoLição 10 - O Dia da Expiação
Lição 10 - O Dia da Expiação
Éder Tomé
 
Católicos
CatólicosCatólicos
Lição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de Purificação
Lição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de PurificaçãoLição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de Purificação
Lição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de Purificação
Hamilton Souza
 
O anticristo e o sistema católico
O anticristo e o sistema católicoO anticristo e o sistema católico
O anticristo e o sistema católico
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Santuario servicos
Santuario servicosSantuario servicos
Santuario servicos
Sérgio Ira
 
Lição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Lição 8 - A ordenança da Ceia do SenhorLição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Lição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Éder Tomé
 

Semelhante a A consagração dos sacerdotes (20)

Lição 9 hebreus
Lição 9   hebreusLição 9   hebreus
Lição 9 hebreus
 
Lição 2 a salvação na páscoa judaica
Lição 2  a salvação na páscoa judaicaLição 2  a salvação na páscoa judaica
Lição 2 a salvação na páscoa judaica
 
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes  1º trimestre 2014 recife
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes   1º trimestre 2014 recifeLição 12 – a consagração dos sacerdotes   1º trimestre 2014 recife
Lição 12 – a consagração dos sacerdotes  1º trimestre 2014 recife
 
LBA LIÇÃO 5 - A obra salvífica de jesus cristo
LBA LIÇÃO 5 - A obra salvífica de jesus cristoLBA LIÇÃO 5 - A obra salvífica de jesus cristo
LBA LIÇÃO 5 - A obra salvífica de jesus cristo
 
LBA LIÇÃO 2 - A salvação na páscoa judaica
LBA LIÇÃO 2 - A salvação na páscoa judaicaLBA LIÇÃO 2 - A salvação na páscoa judaica
LBA LIÇÃO 2 - A salvação na páscoa judaica
 
Lição 10 hebreus
Lição 10   hebreusLição 10   hebreus
Lição 10 hebreus
 
Lição 13 O SACERDÓCIO CELESTIAL
Lição 13 O SACERDÓCIO CELESTIALLição 13 O SACERDÓCIO CELESTIAL
Lição 13 O SACERDÓCIO CELESTIAL
 
O oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristoO oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristo
 
O oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristoO oficio sacerdotal de cristo
O oficio sacerdotal de cristo
 
Lição 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES
Lição 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTESLição 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES
Lição 12 A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES
 
A Consagração Dos Sacerdotes-Lição 12 1º 2014
A Consagração Dos Sacerdotes-Lição 12 1º 2014A Consagração Dos Sacerdotes-Lição 12 1º 2014
A Consagração Dos Sacerdotes-Lição 12 1º 2014
 
A celebração da primeira páscoa
A celebração da primeira páscoaA celebração da primeira páscoa
A celebração da primeira páscoa
 
Lição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTO
Lição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTOLição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTO
Lição 11: O SACERDÓCIO LEVÍTICO e o de CRISTO
 
A obra da salvacao aula final
A obra da salvacao aula finalA obra da salvacao aula final
A obra da salvacao aula final
 
Lição 10 - O Dia da Expiação
Lição 10 - O Dia da ExpiaçãoLição 10 - O Dia da Expiação
Lição 10 - O Dia da Expiação
 
Católicos
CatólicosCatólicos
Católicos
 
Lição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de Purificação
Lição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de PurificaçãoLição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de Purificação
Lição 5 – A Pia de Bronze: Lugar de Purificação
 
O anticristo e o sistema católico
O anticristo e o sistema católicoO anticristo e o sistema católico
O anticristo e o sistema católico
 
Santuario servicos
Santuario servicosSantuario servicos
Santuario servicos
 
Lição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Lição 8 - A ordenança da Ceia do SenhorLição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Lição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
 

Mais de Moisés Sampaio

AS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
AS SETENTA semanas de Daniel o calendário proféticoAS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
AS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
Moisés Sampaio
 
As limitações dos discípulos
As limitações dos discípulosAs limitações dos discípulos
As limitações dos discípulos
Moisés Sampaio
 
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demôniosO poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
Moisés Sampaio
 
Poder sobre as doenças e morte
Poder sobre as doenças e mortePoder sobre as doenças e morte
Poder sobre as doenças e morte
Moisés Sampaio
 
Mulheres que ajudaram Jesus
Mulheres que ajudaram JesusMulheres que ajudaram Jesus
Mulheres que ajudaram Jesus
Moisés Sampaio
 
Jesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulosJesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulos
Moisés Sampaio
 
A tentação de Jesus
A tentação de JesusA tentação de Jesus
A tentação de Jesus
Moisés Sampaio
 
A infância de Jesus
A infância de JesusA infância de Jesus
A infância de Jesus
Moisés Sampaio
 
O nascimento de Jesus
O nascimento de JesusO nascimento de Jesus
O nascimento de Jesus
Moisés Sampaio
 
O evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo LucasO evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo Lucas
Moisés Sampaio
 
A igreja e a lei de Deus
A igreja e a lei de DeusA igreja e a lei de Deus
A igreja e a lei de Deus
Moisés Sampaio
 
9 - Cafarnaum
9 - Cafarnaum9 - Cafarnaum
9 - Cafarnaum
Moisés Sampaio
 
8 - Mar da Galiléia
8 - Mar da Galiléia8 - Mar da Galiléia
8 - Mar da Galiléia
Moisés Sampaio
 
Não cobiçarás
Não cobiçarásNão cobiçarás
Não cobiçarás
Moisés Sampaio
 
7- Tiberíades
7- Tiberíades7- Tiberíades
7- Tiberíades
Moisés Sampaio
 
6 meggido
6   meggido6   meggido
6 meggido
Moisés Sampaio
 
Não darás falso testemunho
Não darás falso testemunhoNão darás falso testemunho
Não darás falso testemunho
Moisés Sampaio
 
5 - Monte Carmelo
5 - Monte Carmelo5 - Monte Carmelo
5 - Monte Carmelo
Moisés Sampaio
 
4 - Haifa
4 - Haifa4 - Haifa
4 - Haifa
Moisés Sampaio
 
3 - Cesaréia Marítima
3 - Cesaréia Marítima3 - Cesaréia Marítima
3 - Cesaréia Marítima
Moisés Sampaio
 

Mais de Moisés Sampaio (20)

AS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
AS SETENTA semanas de Daniel o calendário proféticoAS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
AS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
 
As limitações dos discípulos
As limitações dos discípulosAs limitações dos discípulos
As limitações dos discípulos
 
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demôniosO poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
 
Poder sobre as doenças e morte
Poder sobre as doenças e mortePoder sobre as doenças e morte
Poder sobre as doenças e morte
 
Mulheres que ajudaram Jesus
Mulheres que ajudaram JesusMulheres que ajudaram Jesus
Mulheres que ajudaram Jesus
 
Jesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulosJesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulos
 
A tentação de Jesus
A tentação de JesusA tentação de Jesus
A tentação de Jesus
 
A infância de Jesus
A infância de JesusA infância de Jesus
A infância de Jesus
 
O nascimento de Jesus
O nascimento de JesusO nascimento de Jesus
O nascimento de Jesus
 
O evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo LucasO evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo Lucas
 
A igreja e a lei de Deus
A igreja e a lei de DeusA igreja e a lei de Deus
A igreja e a lei de Deus
 
9 - Cafarnaum
9 - Cafarnaum9 - Cafarnaum
9 - Cafarnaum
 
8 - Mar da Galiléia
8 - Mar da Galiléia8 - Mar da Galiléia
8 - Mar da Galiléia
 
Não cobiçarás
Não cobiçarásNão cobiçarás
Não cobiçarás
 
7- Tiberíades
7- Tiberíades7- Tiberíades
7- Tiberíades
 
6 meggido
6   meggido6   meggido
6 meggido
 
Não darás falso testemunho
Não darás falso testemunhoNão darás falso testemunho
Não darás falso testemunho
 
5 - Monte Carmelo
5 - Monte Carmelo5 - Monte Carmelo
5 - Monte Carmelo
 
4 - Haifa
4 - Haifa4 - Haifa
4 - Haifa
 
3 - Cesaréia Marítima
3 - Cesaréia Marítima3 - Cesaréia Marítima
3 - Cesaréia Marítima
 

Último

1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
mfixa3824
 
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
LaerciodeSouzaSilva1
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
EzeirAlvesdaSilva
 
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
OBrasilParaCristoRad
 
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
OBrasilParaCristoRad
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
PIB Penha
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 

Último (20)

1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
 
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
 
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
 
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
 
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
7 - Cristo Cura, Sim!.ppt HINO DDA HARPA
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 

A consagração dos sacerdotes

  • 1. A CONSAGRAÇÃO DOS SACERDOTES 1º Trimestre de 2014 Lição 12 Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 2. TEXTO ÁUREO Pr. Moisés Sampaio de Paula 2 "E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão" (Hb 9.22).
  • 3. VERDADE PRÁTICA Pr. Moisés Sampaio de Paula 3 O sacrifício expiador de Cristo no Calvário foi perfeito, único e capaz de nos purificar de todo pecado.
  • 4. OBJETIVOS Pr. Moisés Sampaio de Paula 4 Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:  Explicar como se dava a cerimônia de consagração sacerdotal.  Citar os elementos do sacrifício de posse.  Compreender que Cristo é o perpétuo e o mais perfeito Sumo Sacerdote.
  • 5. Palavra chave Pr. Moisés Sampaio de Paula 5
  • 6. I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS FILHOS 1. A lavagem com água. 2. A unção com azeite (Êx 30.23-33). 3. Animais são imolados como sacrifício (Êx 29.10-18). II. O SACRIFÍCIO DA POSSE 1. O segundo carneiro da consagração (Êx 29.19-35). 2. Sacrifícios diários III. CRISTO, PERPÉTUO SUMO SACERDOTE 1. Sacerdócio segundo a ordem de Melquisedeque. 2. O sacrifício perfeito de Cristo. 3. O sacrifício eterno de Cristo. Esboço da Lição Pr. Moisés Sampaio de Paula 6
  • 7. INTRODUÇÃO Pr. Moisés Sampaio de Paula 7  Deus ordenou que Moisés separasse Arão e seus filhos para o sacerdócio.  O vestiário, bem como o modo de proceder dos sacerdotes, foram dados por orientações do próprio Deus.  Antes de oferecer sacrifícios em favor do povo, Arão deveria oferecer sacrifício para a remissão dos seus próprios pecados.  Na lição de hoje, estudaremos a respeito do ato de consagração e purificação do sacerdócio, conforme as determinações de Deus
  • 8. I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS FILHOS Pr. Moisés Sampaio de Paula 8 1. A lavagem com água. 2. A unção com azeite (Êx 30.23-33 3. Animais são imolados como sacrifício (Êx 29.10-18).
  • 9. I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS FILHOS Pr. Moisés Sampaio de Paula 9  "Então, farás chegar Arão e seus filhos à porta da tenda da congregação e os lavarás com água" (Êx 29.4).  Muitos eram os rituais de preparação que os sacerdotes deveriam realizar antes de se achegarem à presença de Deus.  Uma parte dos rituais era a lavagem com água, que simbolizava pureza e perfeição. 1. A lavagem com água. Deus é santo e requer santidade do seu povo: "Santos sereis, porque eu, o Senhor, vosso Deus, sou santo" (Lv 19.2).
  • 10. I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS FILHOS Pr. Moisés Sampaio de Paula 10  O crente é limpo pela Palavra (Jo 15.3) e pelo sangue de Cristo (1 Jo 1.7).  Sem pureza e santidade não podemos nos achegar à presença de Deus.  Uma importante razão pela qual o crente deve santificar-se é que a santidade de Deus, em parte, é revelada através do procedimento justo e da vida santificada do crente. 1. A lavagem com água.
  • 11. I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS FILHOS Pr. Moisés Sampaio de Paula 11  O azeite da unção deveria ser derramado sobre a cabeça de Arão e seus filhos.  O azeite é símbolo do Espírito Santo que viria habitar no crente pelo ministério intercessor de Jesus (Jo 14.16,17,26), bem como o batismo com o Espírito Santo (At 1.4,5,8). 2. A unção com azeite (Êx 30.23-33
  • 12. I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS FILHOS Pr. Moisés Sampaio de Paula 12  Assim também a igreja recebeu o penhor do Espírito (2 Co 1.21,22), mas alguns de seus membros são individualmente separados para ministérios específicos, segundo os propósitos de Deus. 2. A unção com azeite (Êx 30.23-33
  • 13. I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS FILHOS Pr. Moisés Sampaio de Paula 13  Era necessário que antes de ministrar em favor do povo, o sacerdote oferecesse sacrifícios de holocausto por sua própria vida.  Arão e seus filhos deveriam levar um cordeiro, sem mancha ou defeito, diante do altar. 3. Animais são imolados como sacrifício (Êx 29.10-18).
  • 14. I. A CONSAGRAÇÃO DE ARÃO E SEUS FILHOS Pr. Moisés Sampaio de Paula 14  O cordeiro morto tipificava a morte vicária de Jesus Cristo, que "morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras" (1 Co 15.3).  A morte vicária de Cristo proporciona ao homem pecador a reconciliação com Deus. Jesus morreu para expiar os nossos pecados (1 Pe 1.18,19). 3. Animais são imolados como sacrifício (Êx 29.10-18).
  • 15. SINOPSE DO TÓPICO (1) Pr. Moisés Sampaio de Paula 15 A consagração do sacerdócio de Arão e de seus filhos decorria pela passagem da água, a unção com azeite e a imolação de animais como sacrifício
  • 16. Perguntas Pr. Moisés Sampaio de Paula 16 1. Atualmente somos limpos mediante quê? R. Atualmente o crente é limpo pela Palavra (Jo 15.3) e pelo sangue de Cristo (1 Jo 1.7).
  • 17. Perguntas Pr. Moisés Sampaio de Paula 17 2. O que o azeite simboliza? R. O azeite é símbolo do Espírito Santo que viria habitar no crente pelo ministério intercessor de Jesus (Jo 14.16,17,26).
  • 18. 1. O segundo carneiro da consagração (Êx 29.19-35). 2. Sacrifícios diários II. O SACRIFÍCIO DA POSSE Pr. Moisés Sampaio de Paula 18
  • 19. II. O SACRIFÍCIO DA POSSE Pr. Moisés Sampaio de Paula 19  Era necessário que outro animal inocente fosse morto.  “Parte do sangue era colocada(Segundo o Comentário Bíblico Beacon): 1. Primeiramente na orelha direita, 2. No dedo polegar da mão direita e 3. No dedo polegar do pé direito“ 4. O restante do sangue deveria ser derramado sobre o altar. 1. O segundo carneiro da consagração (Êx 29.19- 35).
  • 20. II. O SACRIFÍCIO DA POSSE Pr. Moisés Sampaio de Paula 20  Sem derramamento de sangue não há remissão de pecado (Hb 9.22).  Tudo apontava para o Calvário, onde Cristo derramou seu sangue por nós. 1. O segundo carneiro da consagração (Êx 29.19- 35).
  • 21. II. O SACRIFÍCIO DA POSSE Pr. Moisés Sampaio de Paula 21  Diariamente eram oferecidos sacrifícios pelo pecado.  O sacrifício de Cristo foi perfeito e único. Por isso, hoje podemos nos achegar a Deus para adorá-lo livremente. 2. Sacrifícios diários Pela manhã e a tarde havia sacrifícios e um animal inocente era morto em resgate da vida de alguém.
  • 22. II. O SACRIFÍCIO DA POSSE Pr. Moisés Sampaio de Paula 22  No Tabernáculo, tudo deveria estar sempre pronto a fim de que o culto diário a Deus nunca fosse interrompido.  Da mesma forma Deus quer que nos apresentemos a Ele, prontos e renovados espiritualmente (2 Co 4.16). 2. Sacrifícios diários 1. Os sacerdotes cuidavam para que o fogo do altar nunca se apagasse. 2. A cada manhã, este era alimentado com nova lenha e novos holocaustos (Lv 6.12,13).
  • 23. SINOPSE DO TÓPICO (2) Pr. Moisés Sampaio de Paula 23 O sacrifício da posse consistia na consagração do segundo carneiro e nos sacrifícios diários.
  • 24. Perguntas Pr. Moisés Sampaio de Paula 24 3. O que deveria ser feito com o restante do sangue do segundo carneiro? R. O restante do sangue deveria ser derramado sobre o altar.
  • 25. III. CRISTO, PERPÉTUO SUMO SACERDOTE Pr. Moisés Sampaio de Paula 25 1. Sacerdócio segundo a ordem de Melquisedeque. 2. O sacrifício perfeito de Cristo. 3. O sacrifício eterno de Cristo.
  • 26. III. CRISTO, PERPÉTUO SUMO SACERDOTE Pr. Moisés Sampaio de Paula 26  A primeira referência a Melquisedeque como sacerdote encontra-se no livro de Gênesis 14.18.  Poucos sabemos a respeito de Melquisedeque: "sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida" (Hb 7.3).  Melquisedeque é um tipo de Cristo. 1. Sacerdócio segundo a ordem de Melquisedeque.
  • 27. III. CRISTO, PERPÉTUO SUMO SACERDOTE Pr. Moisés Sampaio de Paula 27  Arão e seus descendentes deveriam oferecer diariamente sacrifícios por seus pecados e também do seu povo.  Hoje não precisamos fazer esses tipos de sacrifícios, pois o sacrifício de Cristo foi único, perfeito e perpétuo (Hb 7.25-28). 2. O sacrifício perfeito de Cristo.
  • 28. III. CRISTO, PERPÉTUO SUMO SACERDOTE Pr. Moisés Sampaio de Paula 28  "Mas este, porque permanece eternamente, tem um sacerdócio perpétuo (Hb 7.24).  O vocábulo "perpétuo" significa "inalterável".  Jesus não pertencia à tribo de Levi, mas seu sacerdócio era segundo a ordem de Melquisedeque (Hb 5.6,10; 7.11,12), logo, seu sacerdócio era superior ao de Arão. O sacerdócio de Cristo é superior, eterno e imutável. 3. O sacrifício eterno de Cristo.
  • 29. SINOPSE DO TÓPICO (3) Pr. Moisés Sampaio de Paula 29 O sacrifício de Cristo é perfeito, eterno e perpétuo segundo a ordem de Melquisedeque.
  • 30. Perguntas Pr. Moisés Sampaio de Paula 30 4. Cristo era Sacerdote segundo qual ordem? R. Ordem de Melquisedeque.
  • 31. Perguntas Pr. Moisés Sampaio de Paula 31 5. De acordo com a lição, qual o significado do vocábulo "perpétuo"? R. O vocábulo "perpétuo" significa "inalterável".
  • 32. Conclusão Pr. Moisés Sampaio de Paula 32  Deus estabeleceu o sacerdócio e as cerimônias de purificação e consagração.  Estas cerimônias apontavam para o sacrifício perfeito e o sacerdócio eterno de Cristo.  Ele se ofereceu como holocausto em nosso lugar. Sem Cristo, jamais poderíamos nos achegar à presença santa e eterna de Deus e ter comunhão com Ele. 
  • 33. Subsídio Bibliológico Pr. Moisés Sampaio de Paula 33 A U X Í L I O B I B L I O G R Á F I C O I Subsídio Geográfico "O sistema sacrificial Quando os seres humanos entram em relação de aliança com Deus e mantêm o seu lado do trato, evitando todos os pecados conhecidos, surge o desejo de relacionar-se mais intimamente com Deus - entregar-se ao seu serviço, expressar agradecimento, apoiar seus servos, ter comunhão, e desculpar-se pelo mal cometido acidentalmente. O sistema sacrificial demonstrou que uma relação mais profunda com Deus era possível, mas para que isso acontecesse havia necessidade de uma purificação contínua do pecado. Ao mesmo tempo, o sistema demonstrou suas próprias deficiências e resultou na necessidade de encontrar outro meio não só para estabelecer uma relação mais profunda com Deus, como também para tratar com todo o problema do pecado deliberado. Esse outro meio foi tornado possível mediante Jesus (Hb 10.1-8)" (GOWER, Ralph. Novo Manual dos Usos & Costumes dos Tempos Bíblicos. 2.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, p.325).
  • 34. Subsídio Historiográfico Pr. Moisés Sampaio de Paula 34 A U X Í L I O B I B L I O G R Á F I C O I I Subsídio Bibliológico "A Origem dos Sacrifícios Em relação à origem dos sacrifícios, existem duas opiniões: (1) que eles têm sua origem nos homens, e que Israel apenas reorganizou e adaptou os costumes de outras religiões, quando inaugurou seu sistema sacrificial; e (2) que os sacrifícios foram instituídos por Adão e seus descendentes em resposta a uma revelação de Deus. É possível que o primeiro ato sacrificial em Gênesis tenha ocorrido quando Deus vestiu Adão e Eva com peles para cobrir sua nudez (Gn 3.21). O segundo sacrifício mencionado foi o de Caim, que veio com uma oferta do 'fruto da terra', isto é, daquilo que havia produzido, expressando sua satisfação e orgulho. Entretanto, seu irmão Abel 'trouxe dos primogênitos das suas ovelhas e da sua gordura' como forma de expressar a contrição de seu coração, o arrependimento e a necessidade da expiação de seus pecados (Gn 4.3,4). Em Romanos 1.21, Paulo refere-se à revelação e ao conhecimento inicial que os patriarcas tinham a respeito de Deus, e explica a apostasia e o pecado dos homens do seguinte modo: 'Tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças'. Depois do Dilúvio, 'edificou Noé um altar ao Senhor; e tomou de animal limpo e de toda a ave limpa e ofereceu holocaustos sobre o altar' (Gn 8.20). Muito tempo antes de Moisés, os patriarcas Abrão (Gn 12.8;13.18; 15.9-17; 22.2ss.), Isaque (Gn 26.25), e Jacó (Gn 33.20; 35.3) também ofereceram verdadeiros sacrifícios (Dicionário Bíblico Wycliffe. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, p.1723).
  • 35. Pr. Moisés Sampaio de Paula 35