SlideShare uma empresa Scribd logo
LIDERANÇA LEAN
       Carlos F. Pinto
        IOV / HRVP




          Certificação Lean do IOV - USO
1
       INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
Como ser uma “Toyota?”
    Faça três perguntas:
      Qual é o seu propósito?
      Quais processos te dirigem a esse propósito?
      Como você compromete pessoas com seu
      propósito e cria processos enxutos alinhados
      ao propósito?



                    Certificação Lean do IOV - USO
2
                 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
Definição de
MENTALIDADE ENXUTA:
      O PROCESSO EM QUE UMA

    ORGANIZAÇÃO CONTINUAMENTE

       ELIMINA O DESPERDÍCIO

            E CRIA VALOR

              Certificação Lean do IOV - USO
3
           INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
Framework para Criação de Valor:
MAPA DO FLUXO DE VALOR

      Identifica o valor      Proposta de valor                   Entrega de valor
    (Mapa Estado Atual)     (Mapa Estado Futuro)               (Plano Fluxo de Valor)


     Brainstorming                     Fluxogramas                           A3
        Gemba                          Diagrama de                         5W2H
         VOC       5 porquês              afinidades
        Escopo     Spaguetti                 Gemba
                   Hishigawa                 Kaizens
                 Histogramas           Nivelamento




                              Certificação Lean do IOV - USO
4
                           INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
EVOLUÇÃO DO LEAN
                1980             1990                  2000      2010

Manufatura
               Do TPS ao LEAN em todas as Organizações

Serviços                                           LEAN em Serviços
                                                    LEAN na Saúde

Engenharia e
Design de                                                 LEAN Design
Produtos
ENTERPRISE                                                    Cadeia LEAN
                                                               (Valor Máx)

                      Certificação Lean do IOV - USO
 5
                   INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
Elementos da produção Toyota
    Visão puxada
                                              Foram quase 30 anos na Toyota
    Sistema Kanban (cartão)
                                              para o conceito LEAN emergir, o
    Nivelamento de produção
    (hejunka)                                 sistema de produção envolve nao
    Redução do set-up (shingo)                so o uso das ferramentas, mas
    Jidoka (pessoas dando sabedoria           uma mentalidade que vem com o
    a máquinas)                               sistema
    Controle estatístico do processo
    (SPC)                                     Exemplo kanban:
    Círculos da qualidade                          1950 – Kanban na Toyota
                                                   1960 – uso disseminado
    Kaizen (melhoria contínua                      1970 – kanban através dos
    baseada no conhecimento)                       fornecedores
    Poka-yoke (a prova de erro)
    Administração visual ( Adnon)


                            Certificação Lean do IOV - USO
6
                         INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
Duas mentalidades
    Produção em massa                       Produção LEAN
      Produção empurrada                         Cliente puxa
      Movimentação de material                   Fluxo de valor
      Alto volume                                Responsabilidade flexível
      Inspeção                                   Prevenção
      Dirigido por especialista                  Dirigido pelo conhecimento
      Decomposição do trabalho                   Integração
      Ajuste periódico                           Melhora contínua




                         Certificação Lean do IOV - USO
7
                      INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
Como ser uma “Toyota?”
    Faça três perguntas:
      Qual é o seu propósito?
      Quais processos te dirigem a esse propósito?
      Como você compromete pessoas com seu
      propósito e cria processos enxutos alinhados
      ao propósito?



                    Certificação Lean do IOV - USO
8
                 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
Certificação Lean do IOV - USO
9
    INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
Sete gastos e 5 esses
     Sete gastos                         5s
       Produção excessiva                     Simplificar
       Espera                                 Fortalecer
       Transporte                             Direcionar
       Estoque                                Estabilizar
       Processamento                          Sustentar
       Movimentação
       Defeitos


                      Certificação Lean do IOV - USO
10
                   INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
Tipos de desperdício
Tipos de Desperdício                            Explicação/Exemplo

1. Produção excessiva                           Produzir mais, mais rápido e
                                                antes do necessário
2. Transporte                                   Qualquer movimento que não
                                                crie valor ao produto
3. Estoque (Work In Progress)                   Manter estoque excessivo piora
                                                a satisfação do cliente e gera
                                                custo
4. Processamento                                Trabalhar mais que o necessário
                                                para entregar o mesmo produto
5. Espera                                       Tempo ocioso do trabalhador

6. Correção de defeito                          Serviços / produtos defeituosos
                                                demanda correção, burocracia e
                                                insatisfação
7. Movimento excessivo                          Movimentação desnecessária
                                                para pegar material ou
                                                                  equipamento.

                            Certificação Lean do IOV - USO
11
                         INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
Eliminando o desperdício
O processo para eliminar o desperdício começa com a pergunta:
     “O que podemos fazer para melhorar?”
     Algumas respostas incluem:

     Alinhe os processos em fluxo ou mude a disposição física entre os
     componentes do processo.
     Elimine o excesso de material, equipamento e suprimentos.
     Elimine as etapas do processo sem importância ou redundantes.
     Reduza o tempo de espera por partes, suprimentos,
     INFORMAÇÃO, ou outras pessoas.
     Junte os recursos para criar uma capacidade de serviço completa,
     integrando processos.
     Elimine as fronteiras existentes que criam desperdício ou obstruem
     a entrega do “valor” ao cliente
                            Certificação Lean do IOV - USO
12
                         INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
Qual o seu Propósito
“fazer dinheiro e crescer!”

     Organizações de sucesso resolvem os
     problemas dos clientes oferecendo o que eles
     desejam, quando desejam, onde desejam e com
     um custo apropriado.

             Redução de custos é a
            visão turva da solução...
 Maximizar o valor para o cliente é o real objetivo!

                     Certificação Lean do IOV - USO
13
                  INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
Processo
     Um processo (= cadeia de valor) são as
     ações que devem ser apropriadamente
     sequenciadas para criar valor para o
     cliente, resolvendo seus problemas
     Onde você cria valor na sua organização
     Como você apoia e suporta esses
     processos (primários)?

                    Certificação Lean do IOV - USO
14
                 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
O que é um PROCESSO LEAN?

     Agrega valor: do ponto de vista do cliente
     Capaz: sempre com um bom resultado
     Disponível: sempre que necessário
     Adequado: capacidade dimensionada
     Flexível: agilidade para mudar de tarefa



                    Certificação Lean do IOV - USO
15
                 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
O que é um PROCESSO LEAN?

     Os passos são coordenados por:
      Fluxo: processos adjacentes e
      sequenciais
      Puxados: a cadeia de valor é
      descendente
      Nivelado: marcapassos definem os
      processos
                  Certificação Lean do IOV - USO
16
               INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
O que é um PROCESSO LEAN?

     COMO COMPROMETER AS PESSOAS?
     Ensine a elas como enxergar o processo
     Ensine habilidades para resolver problemas
     Traga responsabilidade para cada nível da
     organização
     Crie loops de solução de problemas
     Torne o anormal visível imediatamente

                      Certificação Lean do IOV - USO
17
                   INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
Onde está a diferença?




            Certificação Lean do IOV - USO
18
         INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
Transformação lean
     Como alcançar o propósito da sua
     organização, como fechar o GAP?

     Tente GERENCIAMENTO ENXUTO

           E LIDERANÇA ENXUTA


                    Certificação Lean do IOV - USO
19
                 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
A GRANDE CAMINHADA
     De uma caminhada pelas atividades principais
     do seu negócio e de seus parceiros:
       Desenvolvimento de processos e produtos
       Suprimentos
       Gerenciamento dos clientes
       Entregas
       Gerenciamento geral: como seus líderes lideram?



                       Certificação Lean do IOV - USO
20
                    INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
GERENCIAMENTO ENXUTO
     Desdobramento da estratégia

     Análise A3

     Trabalho padronizado, gerenciamento
     padronizado e Kaizen (suntentar e
     melhorar)

                     Certificação Lean do IOV - USO
21
                  INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
GERENCIAMENTO ENXUTO
     A parte dura:
       Separe a autoridade (conceito vertical) da
       responsabilidade (conceito horizontal)
       Defina claramente a responsabilidade para
       cada processo
       Recompense cada um que crie valor na
       cadeia de processo


                     Certificação Lean do IOV - USO
22
                  INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
Três Modelos de liderança:
     Você conhece alguém assim?
     O antigo “Estilo Ditador”:
       “Faça desse jeito…”

     O novo “Estilo Empowerment”:
        “Faça do seu jeito... ”

     Estilo Lean :
         “Vamos ver (gemba),
               vamos encontrar a solução juntos…”
                      Certificação Lean do IOV - USO
23
                   INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
LIDERANÇA LEAN
     Não é carismática (sem lutas heróicas)
     Não é burocrática
     Não é “do meu jeito”
     Não é “do seu jeito”
     (é através de números....)
     Lean envolve um acordo entre propósito e processos
     para alcançar o resultado desejado

OS PROCESSOS SÃO
         TRANSFORMADOS EM CONJUNTO

                        Certificação Lean do IOV - USO
24
                     INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
3 ATRIBUTOS DO LIDER LEAN

     VÁ E VEJA

     PERGUNTE PORQUÊ?

     EXIBA RESPEITO



                    Certificação Lean do IOV - USO
25
                 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
3 NÍVEIS DE LIDERANÇA LEAN
     Alta Liderança:
       Direcionamento e estratégia, feedback
     Gerenciamento intermediário
       Soluções horizontais e transversais               A3
     Gerenciamento da linha de frente
       Estabiliza processos
       Padroniza o trabalho
       Kaizens
     Todos envolvidos pelo P-D-C-A

                        Certificação Lean do IOV - USO
26
                     INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
LIDER LEAN EM AÇÃO
     Determine claramente o problema
     Identifique as alternativas de solução
     Implemente (teste) as alternativas
     Avalie resultados, ajuste, sustente

     O A3 É UMA FERRAMENTA PODEROSA

                     Certificação Lean do IOV - USO
27
                  INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
16. A3




        Certificação Lean do IOV - USO
28
     INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
10 passos para a
Implementação Lean
 IMPLEMENTAR LEAN EM QUALQUER PROCESSO ENVOLVE:

 1.    Ganhar visibilidade corporativa e da alta direção
 2.    Treinando os “Campeões Lean” e facilitadores de Kaizens
 3.    Avaliando e desenvolvendo a estrutura para o sucesso
 4.    Identificando a cadeia de valor
 5.    Obtendo ganhos rápidos
 6.    Compreendendo e gerenciando a cadeia de valor
 7.    Treinando associados e parceiros e estendendo o treinamento para todos
 8.    Identificando as informações de medição e os formatos de reportar
       resultados
 9.    Simplificando e conquistando maior fluxo, e implantando o trabalho
       padronizado
 10.   MANTENDO O TÔNUS
                              Certificação Lean do IOV - USO
29
                           INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
CHECK LIST PARA O LIDER LEAN

     Você pergunta porquê 5 vezes ou pergunta
     “Quem foi?”
     Demonstra respeito fazendo perguntas ao invés
     de dar todas as respostas?
     Garante que todo líder é mentor de novos
     líderes?
     Entra nos detalhes (gemba) do ponto que é a
     raiz do problema? (baseado em dados???)

                     Certificação Lean do IOV - USO
30
                  INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
Lições de liderança daToyota
     “Lidere como se você não
                    tivesse poder algum.”
       Kan Higashi a Gary Convis…


     “Nunca diga a alguém exatamente o que
     fazer…você tira dele a
          responsabilidade sobre o resultado.”
       Mr Ushikawa a John Shook


     Lidere criando um consenso
       Nos problemas, na causas raiz, em
       estratégias, contramedidas, e planos
                       Certificação Lean do IOV - USO
31
                    INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
Engenheiro Chefe:
Responsabilidade sem Autoridade
     Exemplo prototípico de responsabilidade sem
     autoridade: the Toyota Chief Engineer.
     O Engenheiro Chefe diz: “Eu não tenho autoridade.”
     Todos dizem: “O Engenheiro Chefe é a pessoa mais
     poderosa da organização.”
     Ambos estão corretos, o CE lidera:
        •Sendo    acessível, geralmente dirigido por fatos, é um
        grande negociador, persuasivo e influenciador,
        flexível.

                          Certificação Lean do IOV - USO
32
                       INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
Chief Engineer or “Shusa” System




       Body      Interior Chassis                 Elect.   HR
       Eng.
                 Certificação Lean do IOV - USO
33
              INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
Liderança LEAN

     Autodisciplina
     Conseqüência
     Busca incondicional pela melhoria de
     performance


                      Certificação Lean do IOV - USO
34
                   INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
CLAREZA

            INTEGRIDADE

              DISCIPLINA

     CONFIABILIDADE DO PROCESSO

     CONFIABILIDADE DAS PESSOAS
               Certificação Lean do IOV - USO
35
            INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
“Many good companies try to practice kaizen
     and use various TPS tools. But what is
     important is having all the elements together
     as a system. It must be practiced every day in
     a very consistent manner - not in spurts - in
     concrete way on the shop floor.”
             -Fujio Cho, Chair of the Board, Toyota
                      Certificação Lean do IOV - USO
36
                   INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
Certificação Lean do IOV - USO
37
     INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 02 just in time e kanban 1
Aula 02   just in time e kanban 1Aula 02   just in time e kanban 1
Aula 02 just in time e kanban 1
josmar faria
 
Lean manufacturing 1-introdução
Lean manufacturing   1-introduçãoLean manufacturing   1-introdução
Lean manufacturing 1-introdução
jparsilva
 
Treinamento 5s
Treinamento 5sTreinamento 5s
Treinamento 5s
Vinicius Souza
 
Lean manufacturing 3-técnicas e ferramentas
Lean manufacturing   3-técnicas e  ferramentasLean manufacturing   3-técnicas e  ferramentas
Lean manufacturing 3-técnicas e ferramentas
jparsilva
 
Seminário Just in Time
Seminário Just in TimeSeminário Just in Time
Seminário Just in Time
Renato Bafi
 
Introdução a Computação em Nuvem.pptx
Introdução a Computação em Nuvem.pptxIntrodução a Computação em Nuvem.pptx
Introdução a Computação em Nuvem.pptx
ManoelGuilherme2
 
Treinamento 5 S
Treinamento 5 STreinamento 5 S
Treinamento 5 S
Rubia Soraya Rabello
 
Slide lean-manufacturing
Slide    lean-manufacturingSlide    lean-manufacturing
Slide lean-manufacturing
Leila Miranda
 
Kaizen
KaizenKaizen
Kamishibai e kamishibai board
Kamishibai e kamishibai boardKamishibai e kamishibai board
Kamishibai e kamishibai board
Jose Donizetti Moraes
 
5s
5s5s
Lean Six Sigma For Municipal Government
Lean Six Sigma For Municipal GovernmentLean Six Sigma For Municipal Government
Lean Six Sigma For Municipal Government
Stephen Deas
 
Projeto Implementação Lean
Projeto Implementação Lean Projeto Implementação Lean
Projeto Implementação Lean
CLT Valuebased Services
 
5s
5s5s
Gestão de Processos de Negócio (BPM)
Gestão de Processos de Negócio (BPM)Gestão de Processos de Negócio (BPM)
Gestão de Processos de Negócio (BPM)
Synergia - Engenharia de Software e Sistemas
 
Gestão de Mudanças - ITIL
Gestão de Mudanças - ITILGestão de Mudanças - ITIL
Gestão de Mudanças - ITIL
Jean Israel B. Feijó
 
Gestão da Manutenção Lean
Gestão da Manutenção LeanGestão da Manutenção Lean
Gestão da Manutenção Lean
Miguel Oliveira
 
Hancho e Kumicho
Hancho e KumichoHancho e Kumicho
Hancho e Kumicho
Jose Donizetti Moraes
 
Teoria das restrições
Teoria das restriçõesTeoria das restrições
Teoria das restrições
nilsonjunior2012
 
Gerenciamento de Processos de Negócio - BPM: O modelo de gestão do Século XXI
Gerenciamento de Processos de Negócio - BPM: O modelo de gestão do Século XXIGerenciamento de Processos de Negócio - BPM: O modelo de gestão do Século XXI
Gerenciamento de Processos de Negócio - BPM: O modelo de gestão do Século XXI
CRA-BA
 

Mais procurados (20)

Aula 02 just in time e kanban 1
Aula 02   just in time e kanban 1Aula 02   just in time e kanban 1
Aula 02 just in time e kanban 1
 
Lean manufacturing 1-introdução
Lean manufacturing   1-introduçãoLean manufacturing   1-introdução
Lean manufacturing 1-introdução
 
Treinamento 5s
Treinamento 5sTreinamento 5s
Treinamento 5s
 
Lean manufacturing 3-técnicas e ferramentas
Lean manufacturing   3-técnicas e  ferramentasLean manufacturing   3-técnicas e  ferramentas
Lean manufacturing 3-técnicas e ferramentas
 
Seminário Just in Time
Seminário Just in TimeSeminário Just in Time
Seminário Just in Time
 
Introdução a Computação em Nuvem.pptx
Introdução a Computação em Nuvem.pptxIntrodução a Computação em Nuvem.pptx
Introdução a Computação em Nuvem.pptx
 
Treinamento 5 S
Treinamento 5 STreinamento 5 S
Treinamento 5 S
 
Slide lean-manufacturing
Slide    lean-manufacturingSlide    lean-manufacturing
Slide lean-manufacturing
 
Kaizen
KaizenKaizen
Kaizen
 
Kamishibai e kamishibai board
Kamishibai e kamishibai boardKamishibai e kamishibai board
Kamishibai e kamishibai board
 
5s
5s5s
5s
 
Lean Six Sigma For Municipal Government
Lean Six Sigma For Municipal GovernmentLean Six Sigma For Municipal Government
Lean Six Sigma For Municipal Government
 
Projeto Implementação Lean
Projeto Implementação Lean Projeto Implementação Lean
Projeto Implementação Lean
 
5s
5s5s
5s
 
Gestão de Processos de Negócio (BPM)
Gestão de Processos de Negócio (BPM)Gestão de Processos de Negócio (BPM)
Gestão de Processos de Negócio (BPM)
 
Gestão de Mudanças - ITIL
Gestão de Mudanças - ITILGestão de Mudanças - ITIL
Gestão de Mudanças - ITIL
 
Gestão da Manutenção Lean
Gestão da Manutenção LeanGestão da Manutenção Lean
Gestão da Manutenção Lean
 
Hancho e Kumicho
Hancho e KumichoHancho e Kumicho
Hancho e Kumicho
 
Teoria das restrições
Teoria das restriçõesTeoria das restrições
Teoria das restrições
 
Gerenciamento de Processos de Negócio - BPM: O modelo de gestão do Século XXI
Gerenciamento de Processos de Negócio - BPM: O modelo de gestão do Século XXIGerenciamento de Processos de Negócio - BPM: O modelo de gestão do Século XXI
Gerenciamento de Processos de Negócio - BPM: O modelo de gestão do Século XXI
 

Semelhante a Liderança Lean

Lean_Encontro Gestão Industrial_ESEIG
Lean_Encontro Gestão Industrial_ESEIGLean_Encontro Gestão Industrial_ESEIG
Lean_Encontro Gestão Industrial_ESEIG
Miguel Montenegro Araujo
 
Lean software and systems conference 2010
Lean software and systems conference 2010Lean software and systems conference 2010
Lean software and systems conference 2010
Luiz Faias Junior
 
BPM Global Trends 2012 - Michael Parte II
BPM Global Trends 2012 - Michael Parte IIBPM Global Trends 2012 - Michael Parte II
BPM Global Trends 2012 - Michael Parte II
EloGroup
 
Visões sobre Lean & Agile - Victor Hugo & Manoel Pimentel
Visões sobre Lean & Agile -  Victor Hugo & Manoel PimentelVisões sobre Lean & Agile -  Victor Hugo & Manoel Pimentel
Visões sobre Lean & Agile - Victor Hugo & Manoel Pimentel
Manoel Pimentel Medeiros
 
Lean, Kanban e Kaizen para sua área de Tecnologia
Lean, Kanban e Kaizen para sua área de TecnologiaLean, Kanban e Kaizen para sua área de Tecnologia
Lean, Kanban e Kaizen para sua área de Tecnologia
Rodrigo Yoshima
 
Kanban: Em busca de ritmo sustentável
Kanban: Em busca de ritmo sustentávelKanban: Em busca de ritmo sustentável
Kanban: Em busca de ritmo sustentável
Alisson Vale
 
Palestra Gestão Lean para o Desenvolvimento de Software - Manoel Pimentel
Palestra Gestão Lean para o Desenvolvimento de Software  - Manoel PimentelPalestra Gestão Lean para o Desenvolvimento de Software  - Manoel Pimentel
Palestra Gestão Lean para o Desenvolvimento de Software - Manoel Pimentel
Manoel Pimentel Medeiros
 
Gestao+por+process
Gestao+por+processGestao+por+process
Gestao+por+process
ISMAR FEITOSA
 
Lean agile testing
Lean agile testingLean agile testing
Lean agile testing
Rodrigo Oliveira, Msc, PMP
 
Lean Manufacturing - Gestão Global dos Ativos
Lean Manufacturing - Gestão Global dos AtivosLean Manufacturing - Gestão Global dos Ativos
Lean Manufacturing - Gestão Global dos Ativos
STAUFEN.Táktica Consultoria em Lean
 
Slides do vt1 kanban
Slides do vt1 kanbanSlides do vt1 kanban
Slides do vt1 kanban
Jônatas Ferreira
 
Introdução ao Lean manufacturing
Introdução ao Lean manufacturingIntrodução ao Lean manufacturing
Introdução ao Lean manufacturing
Edomar Hornburg
 
Oficina Métodos Ágeis UDESC
Oficina Métodos Ágeis UDESCOficina Métodos Ágeis UDESC
Oficina Métodos Ágeis UDESC
Wildtech
 
DODFORTALEZA19_Arrancada & DevOps - o que este esporte pode nos ensinar sobre...
DODFORTALEZA19_Arrancada & DevOps - o que este esporte pode nos ensinar sobre...DODFORTALEZA19_Arrancada & DevOps - o que este esporte pode nos ensinar sobre...
DODFORTALEZA19_Arrancada & DevOps - o que este esporte pode nos ensinar sobre...
taty paya
 
Métricas ágeis obtenha melhores resultados em sua equipe
Métricas ágeis obtenha melhores resultados em sua equipeMétricas ágeis obtenha melhores resultados em sua equipe
Métricas ágeis obtenha melhores resultados em sua equipe
Raphael Donaire Albino
 
Agile Business Owner: O Papel Mais Crítico na Agilidade de Negócios
Agile Business Owner: O Papel Mais Crítico na Agilidade de NegóciosAgile Business Owner: O Papel Mais Crítico na Agilidade de Negócios
Agile Business Owner: O Papel Mais Crítico na Agilidade de Negócios
Luiz C. Parzianello
 
Análise de Negócios como ferramenta para desenvolver produtos de sucesso - UN...
Análise de Negócios como ferramenta para desenvolver produtos de sucesso - UN...Análise de Negócios como ferramenta para desenvolver produtos de sucesso - UN...
Análise de Negócios como ferramenta para desenvolver produtos de sucesso - UN...
Claudio Kerber
 
Aula pcp lean parte II - Unoesc São Miguel do Oeste
Aula pcp lean parte II -  Unoesc São Miguel do OesteAula pcp lean parte II -  Unoesc São Miguel do Oeste
Aula pcp lean parte II - Unoesc São Miguel do Oeste
Luiz Felipe Cherem
 
Visão por Processos
Visão por ProcessosVisão por Processos
Visão por Processos
Q2 Management
 
Senai - Lean Manufacturing.pdf
Senai - Lean Manufacturing.pdfSenai - Lean Manufacturing.pdf
Senai - Lean Manufacturing.pdf
LuanaMaia48
 

Semelhante a Liderança Lean (20)

Lean_Encontro Gestão Industrial_ESEIG
Lean_Encontro Gestão Industrial_ESEIGLean_Encontro Gestão Industrial_ESEIG
Lean_Encontro Gestão Industrial_ESEIG
 
Lean software and systems conference 2010
Lean software and systems conference 2010Lean software and systems conference 2010
Lean software and systems conference 2010
 
BPM Global Trends 2012 - Michael Parte II
BPM Global Trends 2012 - Michael Parte IIBPM Global Trends 2012 - Michael Parte II
BPM Global Trends 2012 - Michael Parte II
 
Visões sobre Lean & Agile - Victor Hugo & Manoel Pimentel
Visões sobre Lean & Agile -  Victor Hugo & Manoel PimentelVisões sobre Lean & Agile -  Victor Hugo & Manoel Pimentel
Visões sobre Lean & Agile - Victor Hugo & Manoel Pimentel
 
Lean, Kanban e Kaizen para sua área de Tecnologia
Lean, Kanban e Kaizen para sua área de TecnologiaLean, Kanban e Kaizen para sua área de Tecnologia
Lean, Kanban e Kaizen para sua área de Tecnologia
 
Kanban: Em busca de ritmo sustentável
Kanban: Em busca de ritmo sustentávelKanban: Em busca de ritmo sustentável
Kanban: Em busca de ritmo sustentável
 
Palestra Gestão Lean para o Desenvolvimento de Software - Manoel Pimentel
Palestra Gestão Lean para o Desenvolvimento de Software  - Manoel PimentelPalestra Gestão Lean para o Desenvolvimento de Software  - Manoel Pimentel
Palestra Gestão Lean para o Desenvolvimento de Software - Manoel Pimentel
 
Gestao+por+process
Gestao+por+processGestao+por+process
Gestao+por+process
 
Lean agile testing
Lean agile testingLean agile testing
Lean agile testing
 
Lean Manufacturing - Gestão Global dos Ativos
Lean Manufacturing - Gestão Global dos AtivosLean Manufacturing - Gestão Global dos Ativos
Lean Manufacturing - Gestão Global dos Ativos
 
Slides do vt1 kanban
Slides do vt1 kanbanSlides do vt1 kanban
Slides do vt1 kanban
 
Introdução ao Lean manufacturing
Introdução ao Lean manufacturingIntrodução ao Lean manufacturing
Introdução ao Lean manufacturing
 
Oficina Métodos Ágeis UDESC
Oficina Métodos Ágeis UDESCOficina Métodos Ágeis UDESC
Oficina Métodos Ágeis UDESC
 
DODFORTALEZA19_Arrancada & DevOps - o que este esporte pode nos ensinar sobre...
DODFORTALEZA19_Arrancada & DevOps - o que este esporte pode nos ensinar sobre...DODFORTALEZA19_Arrancada & DevOps - o que este esporte pode nos ensinar sobre...
DODFORTALEZA19_Arrancada & DevOps - o que este esporte pode nos ensinar sobre...
 
Métricas ágeis obtenha melhores resultados em sua equipe
Métricas ágeis obtenha melhores resultados em sua equipeMétricas ágeis obtenha melhores resultados em sua equipe
Métricas ágeis obtenha melhores resultados em sua equipe
 
Agile Business Owner: O Papel Mais Crítico na Agilidade de Negócios
Agile Business Owner: O Papel Mais Crítico na Agilidade de NegóciosAgile Business Owner: O Papel Mais Crítico na Agilidade de Negócios
Agile Business Owner: O Papel Mais Crítico na Agilidade de Negócios
 
Análise de Negócios como ferramenta para desenvolver produtos de sucesso - UN...
Análise de Negócios como ferramenta para desenvolver produtos de sucesso - UN...Análise de Negócios como ferramenta para desenvolver produtos de sucesso - UN...
Análise de Negócios como ferramenta para desenvolver produtos de sucesso - UN...
 
Aula pcp lean parte II - Unoesc São Miguel do Oeste
Aula pcp lean parte II -  Unoesc São Miguel do OesteAula pcp lean parte II -  Unoesc São Miguel do Oeste
Aula pcp lean parte II - Unoesc São Miguel do Oeste
 
Visão por Processos
Visão por ProcessosVisão por Processos
Visão por Processos
 
Senai - Lean Manufacturing.pdf
Senai - Lean Manufacturing.pdfSenai - Lean Manufacturing.pdf
Senai - Lean Manufacturing.pdf
 

Mais de Carlos Frederico Pinto

O que é inovação em saúde?
O que é inovação em saúde?O que é inovação em saúde?
O que é inovação em saúde?
Carlos Frederico Pinto
 
IOV no Lean Management Journal - UK
IOV no Lean Management Journal - UKIOV no Lean Management Journal - UK
IOV no Lean Management Journal - UK
Carlos Frederico Pinto
 
Mentalidade Enxuta na Fornecedores Hospitalares
Mentalidade Enxuta na Fornecedores HospitalaresMentalidade Enxuta na Fornecedores Hospitalares
Mentalidade Enxuta na Fornecedores Hospitalares
Carlos Frederico Pinto
 
Value Stream Mapping at HRVP case report
Value Stream Mapping at HRVP case reportValue Stream Mapping at HRVP case report
Value Stream Mapping at HRVP case report
Carlos Frederico Pinto
 
Case Lean IOV-HRVP publicado na revista Melhores Práticas
Case Lean IOV-HRVP publicado na revista Melhores PráticasCase Lean IOV-HRVP publicado na revista Melhores Práticas
Case Lean IOV-HRVP publicado na revista Melhores Práticas
Carlos Frederico Pinto
 
Case Presentation Eliminating waste and building capacity
Case Presentation Eliminating waste and building capacityCase Presentation Eliminating waste and building capacity
Case Presentation Eliminating waste and building capacity
Carlos Frederico Pinto
 
Aula quimioterapia adjuvante hrvp internato 2011
Aula quimioterapia adjuvante hrvp internato 2011Aula quimioterapia adjuvante hrvp internato 2011
Aula quimioterapia adjuvante hrvp internato 2011
Carlos Frederico Pinto
 
Aula quimioterapia nao curativa hrvp internato 2011
Aula quimioterapia nao curativa hrvp internato 2011Aula quimioterapia nao curativa hrvp internato 2011
Aula quimioterapia nao curativa hrvp internato 2011
Carlos Frederico Pinto
 
Sobrafo 2009 cancer de prostata - carlos f pinto
Sobrafo 2009   cancer de prostata - carlos f pintoSobrafo 2009   cancer de prostata - carlos f pinto
Sobrafo 2009 cancer de prostata - carlos f pinto
Carlos Frederico Pinto
 
Carlos F Pinto nutrição e cancer 17062010 ganep 2010
Carlos F Pinto nutrição e cancer 17062010 ganep 2010 Carlos F Pinto nutrição e cancer 17062010 ganep 2010
Carlos F Pinto nutrição e cancer 17062010 ganep 2010
Carlos Frederico Pinto
 
Carcinogenese e Bases Moleculares Da Oncologia
Carcinogenese e Bases  Moleculares Da OncologiaCarcinogenese e Bases  Moleculares Da Oncologia
Carcinogenese e Bases Moleculares Da Oncologia
Carlos Frederico Pinto
 
Relato de Caso Lean IOV 2009
Relato de Caso  Lean IOV 2009Relato de Caso  Lean IOV 2009
Relato de Caso Lean IOV 2009
Carlos Frederico Pinto
 
Aula Basica Oncologia
Aula Basica OncologiaAula Basica Oncologia
Aula Basica Oncologia
Carlos Frederico Pinto
 
Carcinoma Diferenciado De TiróIde 2008
Carcinoma  Diferenciado De TiróIde 2008Carcinoma  Diferenciado De TiróIde 2008
Carcinoma Diferenciado De TiróIde 2008
Carlos Frederico Pinto
 
Toxicidade De Agentes Alvo Moleculares 2006
Toxicidade De Agentes Alvo Moleculares 2006Toxicidade De Agentes Alvo Moleculares 2006
Toxicidade De Agentes Alvo Moleculares 2006
Carlos Frederico Pinto
 
CâNcer De CabeçA E PescoçO VariáVeis De Resposta Ao Tratamento E BenefíCio D...
CâNcer De CabeçA E PescoçO  VariáVeis De Resposta Ao Tratamento E BenefíCio D...CâNcer De CabeçA E PescoçO  VariáVeis De Resposta Ao Tratamento E BenefíCio D...
CâNcer De CabeçA E PescoçO VariáVeis De Resposta Ao Tratamento E BenefíCio D...
Carlos Frederico Pinto
 
Rituximab No Tratamento Do Lnh Baixo Grau
Rituximab No Tratamento Do Lnh Baixo GrauRituximab No Tratamento Do Lnh Baixo Grau
Rituximab No Tratamento Do Lnh Baixo Grau
Carlos Frederico Pinto
 
Bh Abril 2006
Bh Abril 2006Bh Abril 2006
Bh Abril 2006
Carlos Frederico Pinto
 
Nets 2008 Carlos F Pinto
Nets 2008 Carlos F PintoNets 2008 Carlos F Pinto
Nets 2008 Carlos F Pinto
Carlos Frederico Pinto
 
Simposio 2006 Hrvp Ovario2
Simposio 2006 Hrvp Ovario2Simposio 2006 Hrvp Ovario2
Simposio 2006 Hrvp Ovario2
Carlos Frederico Pinto
 

Mais de Carlos Frederico Pinto (20)

O que é inovação em saúde?
O que é inovação em saúde?O que é inovação em saúde?
O que é inovação em saúde?
 
IOV no Lean Management Journal - UK
IOV no Lean Management Journal - UKIOV no Lean Management Journal - UK
IOV no Lean Management Journal - UK
 
Mentalidade Enxuta na Fornecedores Hospitalares
Mentalidade Enxuta na Fornecedores HospitalaresMentalidade Enxuta na Fornecedores Hospitalares
Mentalidade Enxuta na Fornecedores Hospitalares
 
Value Stream Mapping at HRVP case report
Value Stream Mapping at HRVP case reportValue Stream Mapping at HRVP case report
Value Stream Mapping at HRVP case report
 
Case Lean IOV-HRVP publicado na revista Melhores Práticas
Case Lean IOV-HRVP publicado na revista Melhores PráticasCase Lean IOV-HRVP publicado na revista Melhores Práticas
Case Lean IOV-HRVP publicado na revista Melhores Práticas
 
Case Presentation Eliminating waste and building capacity
Case Presentation Eliminating waste and building capacityCase Presentation Eliminating waste and building capacity
Case Presentation Eliminating waste and building capacity
 
Aula quimioterapia adjuvante hrvp internato 2011
Aula quimioterapia adjuvante hrvp internato 2011Aula quimioterapia adjuvante hrvp internato 2011
Aula quimioterapia adjuvante hrvp internato 2011
 
Aula quimioterapia nao curativa hrvp internato 2011
Aula quimioterapia nao curativa hrvp internato 2011Aula quimioterapia nao curativa hrvp internato 2011
Aula quimioterapia nao curativa hrvp internato 2011
 
Sobrafo 2009 cancer de prostata - carlos f pinto
Sobrafo 2009   cancer de prostata - carlos f pintoSobrafo 2009   cancer de prostata - carlos f pinto
Sobrafo 2009 cancer de prostata - carlos f pinto
 
Carlos F Pinto nutrição e cancer 17062010 ganep 2010
Carlos F Pinto nutrição e cancer 17062010 ganep 2010 Carlos F Pinto nutrição e cancer 17062010 ganep 2010
Carlos F Pinto nutrição e cancer 17062010 ganep 2010
 
Carcinogenese e Bases Moleculares Da Oncologia
Carcinogenese e Bases  Moleculares Da OncologiaCarcinogenese e Bases  Moleculares Da Oncologia
Carcinogenese e Bases Moleculares Da Oncologia
 
Relato de Caso Lean IOV 2009
Relato de Caso  Lean IOV 2009Relato de Caso  Lean IOV 2009
Relato de Caso Lean IOV 2009
 
Aula Basica Oncologia
Aula Basica OncologiaAula Basica Oncologia
Aula Basica Oncologia
 
Carcinoma Diferenciado De TiróIde 2008
Carcinoma  Diferenciado De TiróIde 2008Carcinoma  Diferenciado De TiróIde 2008
Carcinoma Diferenciado De TiróIde 2008
 
Toxicidade De Agentes Alvo Moleculares 2006
Toxicidade De Agentes Alvo Moleculares 2006Toxicidade De Agentes Alvo Moleculares 2006
Toxicidade De Agentes Alvo Moleculares 2006
 
CâNcer De CabeçA E PescoçO VariáVeis De Resposta Ao Tratamento E BenefíCio D...
CâNcer De CabeçA E PescoçO  VariáVeis De Resposta Ao Tratamento E BenefíCio D...CâNcer De CabeçA E PescoçO  VariáVeis De Resposta Ao Tratamento E BenefíCio D...
CâNcer De CabeçA E PescoçO VariáVeis De Resposta Ao Tratamento E BenefíCio D...
 
Rituximab No Tratamento Do Lnh Baixo Grau
Rituximab No Tratamento Do Lnh Baixo GrauRituximab No Tratamento Do Lnh Baixo Grau
Rituximab No Tratamento Do Lnh Baixo Grau
 
Bh Abril 2006
Bh Abril 2006Bh Abril 2006
Bh Abril 2006
 
Nets 2008 Carlos F Pinto
Nets 2008 Carlos F PintoNets 2008 Carlos F Pinto
Nets 2008 Carlos F Pinto
 
Simposio 2006 Hrvp Ovario2
Simposio 2006 Hrvp Ovario2Simposio 2006 Hrvp Ovario2
Simposio 2006 Hrvp Ovario2
 

Liderança Lean

  • 1. LIDERANÇA LEAN Carlos F. Pinto IOV / HRVP Certificação Lean do IOV - USO 1 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 2. Como ser uma “Toyota?” Faça três perguntas: Qual é o seu propósito? Quais processos te dirigem a esse propósito? Como você compromete pessoas com seu propósito e cria processos enxutos alinhados ao propósito? Certificação Lean do IOV - USO 2 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 3. Definição de MENTALIDADE ENXUTA: O PROCESSO EM QUE UMA ORGANIZAÇÃO CONTINUAMENTE ELIMINA O DESPERDÍCIO E CRIA VALOR Certificação Lean do IOV - USO 3 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 4. Framework para Criação de Valor: MAPA DO FLUXO DE VALOR Identifica o valor Proposta de valor Entrega de valor (Mapa Estado Atual) (Mapa Estado Futuro) (Plano Fluxo de Valor) Brainstorming Fluxogramas A3 Gemba Diagrama de 5W2H VOC 5 porquês afinidades Escopo Spaguetti Gemba Hishigawa Kaizens Histogramas Nivelamento Certificação Lean do IOV - USO 4 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 5. EVOLUÇÃO DO LEAN 1980 1990 2000 2010 Manufatura Do TPS ao LEAN em todas as Organizações Serviços LEAN em Serviços LEAN na Saúde Engenharia e Design de LEAN Design Produtos ENTERPRISE Cadeia LEAN (Valor Máx) Certificação Lean do IOV - USO 5 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 6. Elementos da produção Toyota Visão puxada Foram quase 30 anos na Toyota Sistema Kanban (cartão) para o conceito LEAN emergir, o Nivelamento de produção (hejunka) sistema de produção envolve nao Redução do set-up (shingo) so o uso das ferramentas, mas Jidoka (pessoas dando sabedoria uma mentalidade que vem com o a máquinas) sistema Controle estatístico do processo (SPC) Exemplo kanban: Círculos da qualidade 1950 – Kanban na Toyota 1960 – uso disseminado Kaizen (melhoria contínua 1970 – kanban através dos baseada no conhecimento) fornecedores Poka-yoke (a prova de erro) Administração visual ( Adnon) Certificação Lean do IOV - USO 6 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 7. Duas mentalidades Produção em massa Produção LEAN Produção empurrada Cliente puxa Movimentação de material Fluxo de valor Alto volume Responsabilidade flexível Inspeção Prevenção Dirigido por especialista Dirigido pelo conhecimento Decomposição do trabalho Integração Ajuste periódico Melhora contínua Certificação Lean do IOV - USO 7 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 8. Como ser uma “Toyota?” Faça três perguntas: Qual é o seu propósito? Quais processos te dirigem a esse propósito? Como você compromete pessoas com seu propósito e cria processos enxutos alinhados ao propósito? Certificação Lean do IOV - USO 8 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 9. Certificação Lean do IOV - USO 9 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 10. Sete gastos e 5 esses Sete gastos 5s Produção excessiva Simplificar Espera Fortalecer Transporte Direcionar Estoque Estabilizar Processamento Sustentar Movimentação Defeitos Certificação Lean do IOV - USO 10 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 11. Tipos de desperdício Tipos de Desperdício Explicação/Exemplo 1. Produção excessiva Produzir mais, mais rápido e antes do necessário 2. Transporte Qualquer movimento que não crie valor ao produto 3. Estoque (Work In Progress) Manter estoque excessivo piora a satisfação do cliente e gera custo 4. Processamento Trabalhar mais que o necessário para entregar o mesmo produto 5. Espera Tempo ocioso do trabalhador 6. Correção de defeito Serviços / produtos defeituosos demanda correção, burocracia e insatisfação 7. Movimento excessivo Movimentação desnecessária para pegar material ou equipamento. Certificação Lean do IOV - USO 11 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 12. Eliminando o desperdício O processo para eliminar o desperdício começa com a pergunta: “O que podemos fazer para melhorar?” Algumas respostas incluem: Alinhe os processos em fluxo ou mude a disposição física entre os componentes do processo. Elimine o excesso de material, equipamento e suprimentos. Elimine as etapas do processo sem importância ou redundantes. Reduza o tempo de espera por partes, suprimentos, INFORMAÇÃO, ou outras pessoas. Junte os recursos para criar uma capacidade de serviço completa, integrando processos. Elimine as fronteiras existentes que criam desperdício ou obstruem a entrega do “valor” ao cliente Certificação Lean do IOV - USO 12 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 13. Qual o seu Propósito “fazer dinheiro e crescer!” Organizações de sucesso resolvem os problemas dos clientes oferecendo o que eles desejam, quando desejam, onde desejam e com um custo apropriado. Redução de custos é a visão turva da solução... Maximizar o valor para o cliente é o real objetivo! Certificação Lean do IOV - USO 13 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 14. Processo Um processo (= cadeia de valor) são as ações que devem ser apropriadamente sequenciadas para criar valor para o cliente, resolvendo seus problemas Onde você cria valor na sua organização Como você apoia e suporta esses processos (primários)? Certificação Lean do IOV - USO 14 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 15. O que é um PROCESSO LEAN? Agrega valor: do ponto de vista do cliente Capaz: sempre com um bom resultado Disponível: sempre que necessário Adequado: capacidade dimensionada Flexível: agilidade para mudar de tarefa Certificação Lean do IOV - USO 15 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 16. O que é um PROCESSO LEAN? Os passos são coordenados por: Fluxo: processos adjacentes e sequenciais Puxados: a cadeia de valor é descendente Nivelado: marcapassos definem os processos Certificação Lean do IOV - USO 16 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 17. O que é um PROCESSO LEAN? COMO COMPROMETER AS PESSOAS? Ensine a elas como enxergar o processo Ensine habilidades para resolver problemas Traga responsabilidade para cada nível da organização Crie loops de solução de problemas Torne o anormal visível imediatamente Certificação Lean do IOV - USO 17 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 18. Onde está a diferença? Certificação Lean do IOV - USO 18 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 19. Transformação lean Como alcançar o propósito da sua organização, como fechar o GAP? Tente GERENCIAMENTO ENXUTO E LIDERANÇA ENXUTA Certificação Lean do IOV - USO 19 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 20. A GRANDE CAMINHADA De uma caminhada pelas atividades principais do seu negócio e de seus parceiros: Desenvolvimento de processos e produtos Suprimentos Gerenciamento dos clientes Entregas Gerenciamento geral: como seus líderes lideram? Certificação Lean do IOV - USO 20 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 21. GERENCIAMENTO ENXUTO Desdobramento da estratégia Análise A3 Trabalho padronizado, gerenciamento padronizado e Kaizen (suntentar e melhorar) Certificação Lean do IOV - USO 21 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 22. GERENCIAMENTO ENXUTO A parte dura: Separe a autoridade (conceito vertical) da responsabilidade (conceito horizontal) Defina claramente a responsabilidade para cada processo Recompense cada um que crie valor na cadeia de processo Certificação Lean do IOV - USO 22 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 23. Três Modelos de liderança: Você conhece alguém assim? O antigo “Estilo Ditador”: “Faça desse jeito…” O novo “Estilo Empowerment”: “Faça do seu jeito... ” Estilo Lean : “Vamos ver (gemba), vamos encontrar a solução juntos…” Certificação Lean do IOV - USO 23 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 24. LIDERANÇA LEAN Não é carismática (sem lutas heróicas) Não é burocrática Não é “do meu jeito” Não é “do seu jeito” (é através de números....) Lean envolve um acordo entre propósito e processos para alcançar o resultado desejado OS PROCESSOS SÃO TRANSFORMADOS EM CONJUNTO Certificação Lean do IOV - USO 24 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 25. 3 ATRIBUTOS DO LIDER LEAN VÁ E VEJA PERGUNTE PORQUÊ? EXIBA RESPEITO Certificação Lean do IOV - USO 25 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 26. 3 NÍVEIS DE LIDERANÇA LEAN Alta Liderança: Direcionamento e estratégia, feedback Gerenciamento intermediário Soluções horizontais e transversais A3 Gerenciamento da linha de frente Estabiliza processos Padroniza o trabalho Kaizens Todos envolvidos pelo P-D-C-A Certificação Lean do IOV - USO 26 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 27. LIDER LEAN EM AÇÃO Determine claramente o problema Identifique as alternativas de solução Implemente (teste) as alternativas Avalie resultados, ajuste, sustente O A3 É UMA FERRAMENTA PODEROSA Certificação Lean do IOV - USO 27 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 28. 16. A3 Certificação Lean do IOV - USO 28 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 29. 10 passos para a Implementação Lean IMPLEMENTAR LEAN EM QUALQUER PROCESSO ENVOLVE: 1. Ganhar visibilidade corporativa e da alta direção 2. Treinando os “Campeões Lean” e facilitadores de Kaizens 3. Avaliando e desenvolvendo a estrutura para o sucesso 4. Identificando a cadeia de valor 5. Obtendo ganhos rápidos 6. Compreendendo e gerenciando a cadeia de valor 7. Treinando associados e parceiros e estendendo o treinamento para todos 8. Identificando as informações de medição e os formatos de reportar resultados 9. Simplificando e conquistando maior fluxo, e implantando o trabalho padronizado 10. MANTENDO O TÔNUS Certificação Lean do IOV - USO 29 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 30. CHECK LIST PARA O LIDER LEAN Você pergunta porquê 5 vezes ou pergunta “Quem foi?” Demonstra respeito fazendo perguntas ao invés de dar todas as respostas? Garante que todo líder é mentor de novos líderes? Entra nos detalhes (gemba) do ponto que é a raiz do problema? (baseado em dados???) Certificação Lean do IOV - USO 30 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 31. Lições de liderança daToyota “Lidere como se você não tivesse poder algum.” Kan Higashi a Gary Convis… “Nunca diga a alguém exatamente o que fazer…você tira dele a responsabilidade sobre o resultado.” Mr Ushikawa a John Shook Lidere criando um consenso Nos problemas, na causas raiz, em estratégias, contramedidas, e planos Certificação Lean do IOV - USO 31 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 32. Engenheiro Chefe: Responsabilidade sem Autoridade Exemplo prototípico de responsabilidade sem autoridade: the Toyota Chief Engineer. O Engenheiro Chefe diz: “Eu não tenho autoridade.” Todos dizem: “O Engenheiro Chefe é a pessoa mais poderosa da organização.” Ambos estão corretos, o CE lidera: •Sendo acessível, geralmente dirigido por fatos, é um grande negociador, persuasivo e influenciador, flexível. Certificação Lean do IOV - USO 32 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 33. Chief Engineer or “Shusa” System Body Interior Chassis Elect. HR Eng. Certificação Lean do IOV - USO 33 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 34. Liderança LEAN Autodisciplina Conseqüência Busca incondicional pela melhoria de performance Certificação Lean do IOV - USO 34 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 35. CLAREZA INTEGRIDADE DISCIPLINA CONFIABILIDADE DO PROCESSO CONFIABILIDADE DAS PESSOAS Certificação Lean do IOV - USO 35 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 36. “Many good companies try to practice kaizen and use various TPS tools. But what is important is having all the elements together as a system. It must be practiced every day in a very consistent manner - not in spurts - in concrete way on the shop floor.” -Fujio Cho, Chair of the Board, Toyota Certificação Lean do IOV - USO 36 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA
  • 37. Certificação Lean do IOV - USO 37 INTERNO - REPRODUÇÃO PROIBIDA