SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 52
Baixar para ler offline
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
1
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
UNIASSELVI – FAMEG
Prof. Claudio Bernardi Stringari
Guaramirim, 30 de Agosto de 2016.
Sistema de Gestão da Qualidade
Módulo 02 – Sistema de Gestão da Qualidade de
uma Organização
http://www.qsp.org.br/pdf/Matrizes_de_correlacao_entre_
ISO9001_2008_e_ISO9001_2015_rev1.pdf
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
3
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
Calendário Proposto – 2º Semestre 2016
Seg Ter Seg Ter Seg Ter Seg Ter Seg Ter
Agosto
Setembro
Outubro
Novembro
Dezembro
09/08 16/08 17/08 23/08 30/08
06/09 13/09 20/09 27/09
04/10 11/10 18/10 25/10
01/11 08/11 15/11 22/11 29/11
06/12
INFORMAÇÕES
IMPORTANTES
NOTA 1° BIMESTRE:
• CORRESPONDE A 40% DA
NOTA TOTAL;
NOTA 2° BIMESTRE:
• CORRESPONDE A 60% DA
NOTA TOTAL;
FORMAÇÃO DA NOTA
BIMESTRAL:
• 0,4 X (OFn*0,7 + PARn*0,3)
FORMAÇÃO DA NOTA FINAL:
0,4XBIMESTRAL 1 +
0,6XBIMESTRAL 2
13/12
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
4
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
Sistema de Gestão de Qualidade
Unidades de Ensino
1. Introdução à Gestão da Qualidade ok
2.Sistema de Gestão da Qualidade de uma Organização ok
3.Componentes, funções e propriedades dos sistemas da
qualidade ok
4.Requisitos da ISO 9001:2015
5.Elementos do sistema e processos de certificação;
6.Qualidade e o Lean Manufacturing
Baseado em material do Prof. Leandro Azanha
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
5
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
Módulo 2 – O Modelo de Processos da
ISO 9001:2015
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
6
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
Interpretando...
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
7
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
Entendendo os tempos verbais da ISO
Na norma de sistema de gestão da qualidade, as seguintes
formas verbais são empregadas:
• “deve” indica um requisito;
• “pode”, tradução dos verbos em inglês “may/can”, indica
permissão/possibilidade ou capacidade.
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
8
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
4 Contexto da organização
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
9
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
4.1 Entendendo a organização e seu contexto
A organização deve determinar questões externas e internas que sejam
pertinentes para o seu propósito e para seu direcionamento estratégico e
que afetem sua capacidade de alcançar o(s) resultado(s) pretendido(s) de
seu sistema de gestão da qualidade.
As Questões podem incluir fatores ou condições positivos e negativos
para consideração.
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
10
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
4.1 Entendendo a organização e seu contexto
A organização deve monitorar e analisar criticamente
informação sobre essas questões externas e internas. .
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
11
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
4.1 Entendendo a organização e seu contexto
O entendimento do contexto externo pode ser facilitado pela
consideração de questões provenientes dos ambientes:
• legal,
• tecnológico,
• competitivo,
• de mercado,
• cultural,
• social e econômico,
• tanto internacionais, quanto nacionais, regionais ou locais.
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
12
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
4.1 Entendendo a organização e seu contexto
O entendimento do contexto interno pode ser facilitado pela
consideração de questões relativas a valores, cultura,
conhecimento e desempenho da organização.
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
13
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
4.2 Entendendo as necessidades e expectativas de partes
interessadas
Devido ao seu efeito ou potencial efeito sobre a capacidade da organização para
prover consistentemente produtos e serviços que atendem aos requisitos do cliente e
aos requisitos estatutários e regulamentares aplicáveis, a organização deve
determinar:
a) as partes Interessadas que sejam pertinentes para o sistema de gestão da
qualidade;
b) os requisitos dessas partes interessadas que sejam pertinentes para o sistema de
gestão da qualidade.
A organização deve monitorar e analisar criticamente informação sobre essas partes
interessadas e seus requisitos pertinentes.
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
14
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
Entendendo as necessidades e expectativas de partes
interessadas
A subseção 4.2 especifica requisitos para a organização determinar as
partes interessadas que sejam pertinentes para o sistema de gestão da
qualidade e os requisitos dessas partes interessadas.
Fonte NBR ISO 9001: 2015 (A3)– Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
15
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
Entendendo as necessidades e expectativas de partes
interessadas
• Isso não implica extensão dos requisitos de sistema de gestão da
qualidade além do escopo da ISO 9001.
• Como declarado no escopo, esta Norma é aplicável onde uma
organização necessita demonstrar sua capacidade de prover
consistentemente produtos e serviços que atendam aos requisitos do
cliente e requisitos estatutários e regulamentares aplicáveis, e visa
aumentar a satisfação do cliente.
Fonte NBR ISO 9001: 2015 (A3)– Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
16
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
A.3 Entendendo as necessidades e expectativas de partes
interessadas
• Não há requisito para a organização considerar partes interessadas onde
ela decidiu que aquelas partes não são pertinentes para seu sistema de
gestão da qualidade.
• Cabe à organização decidir se um requisito particular de uma parte
interessada pertinente é pertinente para seu sistema de gestão da
qualidade.
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
17
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
4.3 Determinando o escopo do sistema de Gestão da
Qualidade
A organização deve determinar os limites e a aplicabilidade do sistema
de Gestão da Qualidade para estabelecer o seu escopo.
Ao determinar esse escopo, a organização deve considerar:
a) as questões externas e internas referidas na clausula de entendimento
do contexto da organização (em 4.1);
b) os requisitos das partes interessadas pertinentes referidos no na
cláusula sobre as necessidades e expectativas de partes interessadas
(4.2);
c) os produtos e serviços da organização.
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
18
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
4.3 Determinando o escopo do sistema de Gestão da
Qualidade
A organização deve aplicar todos os requisitos da ISO 9001, se eles
forem aplicáveis no escopo determinado do seu sistema de gestão da
qualidade.
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
19
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
4.3 Determinando o escopo do sistema de Gestão da
Qualidade
O escopo do Sistema de Gestão da Qualidade da
organização deve estar disponível e ser mantido
como informação documentada.
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
ESCOPO DE CERTIFICAÇÃO DA VALTRA DO
BRASIL:
PROJETO, MANUFATURA E VENDA DE TRATORES,
MONTAGEM E VENDA DE MOTORESE SERVIÇOS
PÓS VENDAS
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
20
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
4.3 Determinando o escopo do sistema de Gestão da
Qualidade
O escopo deve declarar os tipos de produtos ou serviços cobertos e
prover justificativa para qualquer requisito da ISO 9001 que a
organização determinar que não seja aplicável ao escopo do seu
Sistema de Gestão da Qualidade.
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
21
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
4.3 Determinando o escopo do sistema de Gestão da
Qualidade
A conformidade com esta Norma só pode ser alegada se os requisitos determinados
como não aplicáveis não afetarem a capacidade ou a responsabilidade da
organização de assegurar a conformidade de seus produtos e serviços e o aumento
da satisfação do cliente.
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
22
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
4.4 Sistema de Gestão da Qualidade e seus processos
4.4.1 A organização deve estabelecer, implementar, manter e melhorar
continuamente um Sistema de Gestão da Qualidade, incluindo os processos
necessários e suas interações, de acordo com os requisitos da ISO 9001.
A organização deve determinar os processos necessários para o Sistema de Gestão
da Qualidade e sua aplicação na organização, e deve:
a) determinar as entradas requeridas e as saídas esperadas desses processos;
b) determinar a sequência e a interação desses processos;
c) determinar e aplicar os critérios e métodos (incluindo monitoramento, medições
e indicadores de desempenho relacionados) necessários para assegurar a operação e
o controle eficazes desses processos;
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
23
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
4.4 Sistema de Gestão da Qualidade e seus processos
4.4.1 A organização deve determinar os processos necessários
para o Sistema de Gestão da Qualidade e sua aplicação na
organização, e deve (Continuação):
d) determinar os recursos necessários para esses processos e
assegurar a sua disponibilidade;
e) atribuir as responsabilidades e autoridades para esses
processos;
f) abordar os riscos e oportunidades conforme determinados de
acordo com requisitos do 6.1
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
24
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
4.4 Sistema de Gestão da Qualidade e seus processos
4.4.1 A organização deve determinar os processos necessários para o Sistema de
Gestão da Qualidade e sua aplicação na organização, e deve (continuação):
g) avaliar esses processos e implementar quaisquer mudanças necessárias para
assegurar que esses processos alcancem seus resultados pretendidos;
h) melhorar os processos e o Sistema de Gestão da Qualidade.
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
25
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
4.4 Sistema de Gestão da Qualidade e seus processos
4.4.2 Na extensão necessária, a organização deve:
a) manter informação documentada para apoiar a operação de seus processos;
b) reter informação documentada para ter confiança em que os processos sejam
realizados conforme planejado.
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
26
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
4.4 Sistema de Gestão da Qualidade e seus processos
INFORMAÇÃO DOCUMENTADA
Informação que se requer que seja controlada e mantida por uma
organização e o meio no qual ela está contida.
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
27
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
4.4 Sistema de Gestão da Qualidade e seus processos
Registro:
Documento que apresenta resultados obtidos ou fornece evidências de atividades
realizadas.
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
28
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5 Liderança
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
29
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
Contexto da Organização e Liderança
4.1 Entendendo a
Organização e seu
Contexto
4.2 Entendendo a
Organização e Seu
contexto
9.3 Análise Critica
pela Direção
5.1 Liderança e
comprometim
ento
5.1.2 Foco no
Cliente
5.2 Política (da
Qualidade)
6.
Planejamento
5.5 Responsabilidade,
autoridade e comunicação
5.3 Papéis,
responsabilidades e
autoridades organizacionais
7.4 Comunicação
Norma,
Política e
Objetivos
Informações
documentadas
Registros
Processos
Manual da Qualidade
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
30
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5.1 Liderança e comprometimento
5.1.1 Generalidades
A Alta Direção deve demonstrar liderança e comprometimento com relação ao
sistema de gestão da qualidade:
a) responsabilizando-se por prestar contas pela eficácia do sistema de gestão da
qualidade.
b) assegurando que a política da qualidade e os objetivos da qualidade sejam
estabelecidos para o sistema de gestão da qualidade e que sejam compatíveis com o
contexto e a direção estratégica da organização;
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
31
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5.1 Liderança e comprometimento
5.1.1 Generalidades
Política
Intenções e direção de uma organização, como formalmente
expressos pela sua alta direção.
Política da Qualidade
Intenções e direção de uma organização, como formalmente
expressos pela sua alta direção (Política) com relação à
qualidade.
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
32
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5.1 Liderança e comprometimento
5.1.1 Generalidades
Objetivo
Resultado a ser alcançado.
Objetivos da Qualidade
Resultado a ser alcançado (Objetivo) que diz respeito à qualidade
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
33
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5.1 Liderança e comprometimento
5.1.1 Generalidades (Continuação)
A Alta Direção deve demonstrar liderança e comprometimento com relação ao sistema
de gestão da qualidade:
c) assegurando a integração dos requisitos do sistema do gestão da qualidade nos
processos de negócio da organização;
d) promovendo o uso da abordagem de processo e da mentalidade de risco;
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
34
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5.1 Liderança e comprometimento
5.1.1 Generalidades (Continuação)
A Alta Direção deve demonstrar liderança e comprometimento com relação ao sistema
de gestão da qualidade:
e) assegurando que os recursos necessários para o Sistema de Gestão da Qualidade
estejam disponíveis;
f) comunicando a importância de uma gestão da qualidade eficaz e de estar conforme
com os requisitos do sistema de gestão da qualidade;
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
35
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5.1 Liderança e comprometimento
5.1.1 Generalidades (Continuação)
A Alta Direção deve demonstrar liderança e comprometimento com relação ao sistema
de gestão da qualidade:
g) assegurando que o sistema de gestão da qualidade alcance seus resultados
pretendidos;
h) engajando, dirigindo e apoiando pessoas a contribuir para a eficácia do sistema de
gestão da qualidade;
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
36
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5.1 Liderança e comprometimento
5.1.1 Generalidades (Continuação)
A Alta Direção deve demonstrar liderança e comprometimento com relação ao sistema
de gestão da qualidade:
i) promovendo melhoria;
j) apoiando outros papéis pertinentes da gestão a demonstrar como sua liderança se
aplica às áreas sob sua responsabilidade.
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
37
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5.1.2 Foco no cliente
A Alta Direção deve demonstrar liderança e comprometimento com relação ao foco
no cliente, assegurando que:
a) os requisitos do cliente e os requisitos estatutários e regulamentares pertinentes
sejam determinados, entendidos e atendidos consistentemente;
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
38
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5.1.2 Foco no cliente (Continuação)
A Alta Direção deve demonstrar liderança e comprometimento
com relação ao foco no cliente, assegurando que:
b) os riscos e oportunidades que possam afetar a conformidade
de produtos e serviços e a capacidade de aumentar a satisfação
do cliente sejam determinados e abordados;
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
39
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5.1.2 Foco no cliente
A Alta Direção deve demonstrar liderança e comprometimento
com relação ao foco no cliente, assegurando que:
c) o foco no aumento da satisfação do cliente seja mantido.
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
40
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5.2 Política
5.2.1 Desenvolvendo a Política da Qualidade
A Alta Direção deve estabelecer, implementar e manter uma
política da qualidade que:
a) seja apropriada ao propósito e ao contexto da organização e
apoie seu direcionamento estratégico;
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
41
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5.2 Política
5.2.1 Desenvolvendo a Política da Qualidade (Cont.)
A Alta Direção deve estabelecer, implementar e manter uma
política da qualidade que:
b) proveja uma estrutura para o estabelecimento dos objetivos
da qualidade;
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
42
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5.2 Política
5.2.1 Desenvolvendo a Política da Qualidade (Cont.)
A Alta Direção deve estabelecer, implementar e manter uma
política da qualidade que:
c) inclua um comprometimento em satisfazer requisitos
aplicáveis;
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
43
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5.2 Política
5.2.1 Desenvolvendo a Política da Qualidade (Cont.)
A Alta Direção deve estabelecer, implementar e manter uma
política da qualidade que:
d) inclua um comprometimento com a melhoria continua do
sistema do gestão da qualidade.
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
44
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5.2.2 Comunicando a política da qualidade
A política da qualidade deve:
a) estar disponível e ser mantida como informação
documentada;
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
45
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5.2.2 Comunicando a política da qualidade (Cont.)
A política da qualidade deve:
b) ser comunicada entendida e aplicada na organização;
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
46
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5.2.2 Comunicando a política da qualidade (Cont.)
A política da qualidade deve:
c) estar disponível para partes interessadas pertinentes, como
apropriado.
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
47
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5.3 Papéis, responsabilidades e autoridades organizacionais
A Alta Direção deve assegurar que as responsabilidades e autoridades pare papéis
pertinentes sejam atribuídas, comunicadas e entendidas na organização.
A Alta Direção deve atribuir responsabilidade e autoridade para:
a) assegurar que o sistema de gestão da qualidade esteja conforme com os requisitos
da ISO 9001;
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
48
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5.3 Papéis, responsabilidades e autoridades organizacionais
(Cont.)
A Alta Direção deve assegurar que as responsabilidades e autoridades pare papéis
pertinentes sejam atribuídas, comunicadas e entendidas na organização.
A Alta Direção deve atribuir responsabilidade e autoridade para:
b) assegurar que os processos entreguem suas saídas pretendidas;
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
49
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5.3 Papéis, responsabilidades e autoridades organizacionais
(Cont.)
A Alta Direção deve assegurar que as responsabilidades e autoridades pare papéis
pertinentes sejam atribuídas, comunicadas e entendidas na organização.
A Alta Direção deve atribuir responsabilidade e autoridade para:
c) relatar o desempenho do sistema de gestão da qualidade e as oportunidades para
melhoria (ver 10.1), em particular para a Alta Direção;
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
50
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5.3 Papéis, responsabilidades e autoridades organizacionais
A Alta Direção deve assegurar que as responsabilidades e autoridades
pare papéis pertinentes sejam atribuídas, comunicadas e entendidas na
organização.
A Alta Direção deve atribuir responsabilidade e autoridade para:
d) assegurar a promoção do foco no cliente na organização:
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
51
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
5.3 Papéis, responsabilidades e autoridades organizacionais
(Cont.)
A Alta Direção deve assegurar que as responsabilidades e autoridades
pare papéis pertinentes sejam atribuídas, comunicadas e entendidas na
organização.
A Alta Direção deve atribuir responsabilidade e autoridade para:
e) assegurar que a integridade do sistema de gestão da qualidade seja
mantida quando forem planejadas e implementadas mudanças no
sistema de gestão da qualidade.
Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
PLANEJAMENTO
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
52
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
Até a próxima aula!
Prof. Claudio Bernardi Stringari
http://processoenxuto.blogspot.com.br/
Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp.
53
UNIASSELVI – FAMEG
SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8
Referências
• ABNT, NBR ISO 9000:2015;
• ABNT, NBR ISO 9001:2015;

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gestão da Qualidade ISO:9001
Gestão da Qualidade ISO:9001Gestão da Qualidade ISO:9001
Gestão da Qualidade ISO:9001
Greice Marques
 
Aula 1 sistema de gestão integrada
Aula 1 sistema de gestão integradaAula 1 sistema de gestão integrada
Aula 1 sistema de gestão integrada
frank encarnacão
 
Apresentação pdca
Apresentação pdcaApresentação pdca
Apresentação pdca
emc5714
 

Mais procurados (20)

Gestão da Qualidade Total - Modulo 2
Gestão da Qualidade Total - Modulo  2Gestão da Qualidade Total - Modulo  2
Gestão da Qualidade Total - Modulo 2
 
Conscientização e motivação qualidade
Conscientização e motivação qualidadeConscientização e motivação qualidade
Conscientização e motivação qualidade
 
Aula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da QualidadeAula 1 - Gestão da Qualidade
Aula 1 - Gestão da Qualidade
 
Aula 02 SGQ ISO 9001:2015 – Introdução à ISO 9001:2015
Aula 02 SGQ ISO 9001:2015 – Introdução à ISO 9001:2015Aula 02 SGQ ISO 9001:2015 – Introdução à ISO 9001:2015
Aula 02 SGQ ISO 9001:2015 – Introdução à ISO 9001:2015
 
Aula 08 SGQ ISO 9001:2015 – Tópicos de encerramento
Aula 08 SGQ ISO 9001:2015 – Tópicos de encerramentoAula 08 SGQ ISO 9001:2015 – Tópicos de encerramento
Aula 08 SGQ ISO 9001:2015 – Tópicos de encerramento
 
Aula 05 SGQ ISO 9001:2015 – Seções 6 e 7
Aula 05 SGQ ISO 9001:2015 – Seções 6 e 7Aula 05 SGQ ISO 9001:2015 – Seções 6 e 7
Aula 05 SGQ ISO 9001:2015 – Seções 6 e 7
 
Modulo gestão da qualidade
Modulo   gestão da qualidadeModulo   gestão da qualidade
Modulo gestão da qualidade
 
Guia de Implantação da ISO 9001:2015
Guia de Implantação da ISO 9001:2015Guia de Implantação da ISO 9001:2015
Guia de Implantação da ISO 9001:2015
 
Qualidade e Produtividade
Qualidade e ProdutividadeQualidade e Produtividade
Qualidade e Produtividade
 
Gestão da Qualidade ISO:9001
Gestão da Qualidade ISO:9001Gestão da Qualidade ISO:9001
Gestão da Qualidade ISO:9001
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
 
Aula 1 sistema de gestão integrada
Aula 1 sistema de gestão integradaAula 1 sistema de gestão integrada
Aula 1 sistema de gestão integrada
 
Aula 02 02 SGQ ISO
Aula 02 02 SGQ ISOAula 02 02 SGQ ISO
Aula 02 02 SGQ ISO
 
Sistema de gestão da Qualidade
Sistema de gestão da QualidadeSistema de gestão da Qualidade
Sistema de gestão da Qualidade
 
Gestão da qualidade
Gestão da qualidadeGestão da qualidade
Gestão da qualidade
 
Apresentação pdca
Apresentação pdcaApresentação pdca
Apresentação pdca
 
Auditoria da qualidade
Auditoria da qualidadeAuditoria da qualidade
Auditoria da qualidade
 
O que é ISO
O que é ISOO que é ISO
O que é ISO
 
Conceitos e Princípios de Gestão da Qualidade
Conceitos e Princípios de Gestão da QualidadeConceitos e Princípios de Gestão da Qualidade
Conceitos e Princípios de Gestão da Qualidade
 
ISO 9001
ISO 9001ISO 9001
ISO 9001
 

Destaque

Manufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene Seibel
Manufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene SeibelManufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene Seibel
Manufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene Seibel
Sustentare Escola de Negócios
 

Destaque (20)

Filosofia enxuta textos
Filosofia enxuta   textosFilosofia enxuta   textos
Filosofia enxuta textos
 
Aula 06 SGQ ISO 9001:2015 – Seção 8 e 9 + acao corretiva
Aula 06 SGQ ISO 9001:2015 – Seção 8 e 9 + acao corretivaAula 06 SGQ ISO 9001:2015 – Seção 8 e 9 + acao corretiva
Aula 06 SGQ ISO 9001:2015 – Seção 8 e 9 + acao corretiva
 
Guru presentation
Guru presentationGuru presentation
Guru presentation
 
Aula 03 SGQ ISO 9001:2015 – Capítulos 1 e 2
Aula 03 SGQ ISO 9001:2015 – Capítulos 1 e 2Aula 03 SGQ ISO 9001:2015 – Capítulos 1 e 2
Aula 03 SGQ ISO 9001:2015 – Capítulos 1 e 2
 
Sonalika
SonalikaSonalika
Sonalika
 
Workshop de Introdução ao Pensamento Enxuto
Workshop de Introdução ao Pensamento EnxutoWorkshop de Introdução ao Pensamento Enxuto
Workshop de Introdução ao Pensamento Enxuto
 
Using the PDCA model to improve cervical cancer
Using the PDCA model to improve cervical cancerUsing the PDCA model to improve cervical cancer
Using the PDCA model to improve cervical cancer
 
Sistema Toyota de Produção - Produção Enxuta x Desenvolvimento Lean
Sistema Toyota de Produção - Produção Enxuta x Desenvolvimento LeanSistema Toyota de Produção - Produção Enxuta x Desenvolvimento Lean
Sistema Toyota de Produção - Produção Enxuta x Desenvolvimento Lean
 
PDCA A Cycle to Better
PDCA A Cycle to BetterPDCA A Cycle to Better
PDCA A Cycle to Better
 
OECD Workshop: Learning from crises and fostering the continuous improvement ...
OECD Workshop: Learning from crises and fostering the continuous improvement ...OECD Workshop: Learning from crises and fostering the continuous improvement ...
OECD Workshop: Learning from crises and fostering the continuous improvement ...
 
PDCA Cycle
PDCA CyclePDCA Cycle
PDCA Cycle
 
Toyotismo
ToyotismoToyotismo
Toyotismo
 
PDCA in Lean Sales and Marketing
PDCA in Lean Sales and MarketingPDCA in Lean Sales and Marketing
PDCA in Lean Sales and Marketing
 
Implementing Risk Based Thinking in HLS OF ISO 9001:2015 - Praneet Surti
Implementing Risk Based Thinking in HLS OF ISO 9001:2015 - Praneet SurtiImplementing Risk Based Thinking in HLS OF ISO 9001:2015 - Praneet Surti
Implementing Risk Based Thinking in HLS OF ISO 9001:2015 - Praneet Surti
 
ISO 9001:2015 webinar Part 3 - UL DQS Inc
ISO 9001:2015 webinar Part 3 - UL DQS IncISO 9001:2015 webinar Part 3 - UL DQS Inc
ISO 9001:2015 webinar Part 3 - UL DQS Inc
 
Manufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene Seibel
Manufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene SeibelManufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene Seibel
Manufatura Enxuta (Lean) - Slides - Profª Silene Seibel
 
Introduction to iso 9001
Introduction to iso 9001 Introduction to iso 9001
Introduction to iso 9001
 
Introduction to ISO 9001:2015
Introduction to ISO 9001:2015Introduction to ISO 9001:2015
Introduction to ISO 9001:2015
 
Lean presentation ppt
Lean presentation pptLean presentation ppt
Lean presentation ppt
 
The new ISO 9001:2015
The new ISO 9001:2015The new ISO 9001:2015
The new ISO 9001:2015
 

Semelhante a Aula 04 SGQ ISO 9001:2015 – Seções 4 e 5

Cit orientacoes-sistema-gestao-qualidade
Cit orientacoes-sistema-gestao-qualidadeCit orientacoes-sistema-gestao-qualidade
Cit orientacoes-sistema-gestao-qualidade
sobrinhop
 
Tr580440 8838 Helio Ujihara Enegep[1]
Tr580440 8838 Helio Ujihara Enegep[1]Tr580440 8838 Helio Ujihara Enegep[1]
Tr580440 8838 Helio Ujihara Enegep[1]
Ujihara, Hélio M
 
Nbr iso 10015 2001 - diretrizes para treinamento[1]
Nbr iso 10015   2001 - diretrizes para treinamento[1]Nbr iso 10015   2001 - diretrizes para treinamento[1]
Nbr iso 10015 2001 - diretrizes para treinamento[1]
Maryluce Coelho
 

Semelhante a Aula 04 SGQ ISO 9001:2015 – Seções 4 e 5 (20)

Bíblia ISO - 9001
Bíblia   ISO - 9001Bíblia   ISO - 9001
Bíblia ISO - 9001
 
1.RequisitosISO 9001-ISO14001-OHSAS 18001.pdf
1.RequisitosISO 9001-ISO14001-OHSAS 18001.pdf1.RequisitosISO 9001-ISO14001-OHSAS 18001.pdf
1.RequisitosISO 9001-ISO14001-OHSAS 18001.pdf
 
Abnt iso9001
Abnt iso9001Abnt iso9001
Abnt iso9001
 
Manual ufcd-1122-nocoes-e-normas-da-qualidade
Manual ufcd-1122-nocoes-e-normas-da-qualidadeManual ufcd-1122-nocoes-e-normas-da-qualidade
Manual ufcd-1122-nocoes-e-normas-da-qualidade
 
Norma 2015
Norma 2015Norma 2015
Norma 2015
 
Guiadeutilizaoiso90012015
Guiadeutilizaoiso90012015Guiadeutilizaoiso90012015
Guiadeutilizaoiso90012015
 
Apcer guia iso9001_2015
Apcer guia iso9001_2015Apcer guia iso9001_2015
Apcer guia iso9001_2015
 
Guia de utilização iso9001 2015
Guia de utilização iso9001 2015Guia de utilização iso9001 2015
Guia de utilização iso9001 2015
 
Cit orientacoes-sistema-gestao-qualidade
Cit orientacoes-sistema-gestao-qualidadeCit orientacoes-sistema-gestao-qualidade
Cit orientacoes-sistema-gestao-qualidade
 
Tr580440 8838 Helio Ujihara Enegep[1]
Tr580440 8838 Helio Ujihara Enegep[1]Tr580440 8838 Helio Ujihara Enegep[1]
Tr580440 8838 Helio Ujihara Enegep[1]
 
Nbr 14011 2001 - auditoria ambiental procedimentos
Nbr 14011 2001 - auditoria ambiental procedimentosNbr 14011 2001 - auditoria ambiental procedimentos
Nbr 14011 2001 - auditoria ambiental procedimentos
 
Visao Geral - PALESTRA ISO 9001 EJRos.pptx
Visao Geral - PALESTRA ISO 9001 EJRos.pptxVisao Geral - PALESTRA ISO 9001 EJRos.pptx
Visao Geral - PALESTRA ISO 9001 EJRos.pptx
 
Ficha curso auditor_int_iso_9001
Ficha curso  auditor_int_iso_9001Ficha curso  auditor_int_iso_9001
Ficha curso auditor_int_iso_9001
 
Nbr iso-10.015-gestão-da-qualidade-diretrizes-para-treinamento
Nbr iso-10.015-gestão-da-qualidade-diretrizes-para-treinamentoNbr iso-10.015-gestão-da-qualidade-diretrizes-para-treinamento
Nbr iso-10.015-gestão-da-qualidade-diretrizes-para-treinamento
 
NBR ISO 10015:2001 - Gestão da Qualidade - Diretrizes para treinamento
NBR ISO 10015:2001 - Gestão da Qualidade - Diretrizes para treinamentoNBR ISO 10015:2001 - Gestão da Qualidade - Diretrizes para treinamento
NBR ISO 10015:2001 - Gestão da Qualidade - Diretrizes para treinamento
 
Nbr iso 10015 2001 - diretrizes para treinamento[1]
Nbr iso 10015   2001 - diretrizes para treinamento[1]Nbr iso 10015   2001 - diretrizes para treinamento[1]
Nbr iso 10015 2001 - diretrizes para treinamento[1]
 
SGD_Concepção e implementação.pptx
SGD_Concepção e implementação.pptxSGD_Concepção e implementação.pptx
SGD_Concepção e implementação.pptx
 
01 aula sistema de qualidade
01 aula sistema de qualidade01 aula sistema de qualidade
01 aula sistema de qualidade
 
Auditor interno da norma_iso 9001_ 2015
Auditor interno  da norma_iso 9001_ 2015Auditor interno  da norma_iso 9001_ 2015
Auditor interno da norma_iso 9001_ 2015
 
Auditor interno da Norma ISO 9001 2015 - Desmonstração
Auditor interno da Norma ISO 9001  2015 - DesmonstraçãoAuditor interno da Norma ISO 9001  2015 - Desmonstração
Auditor interno da Norma ISO 9001 2015 - Desmonstração
 

Mais de Claudio Bernardi Stringari

Mais de Claudio Bernardi Stringari (19)

Festas com sustentabilidade
Festas com sustentabilidadeFestas com sustentabilidade
Festas com sustentabilidade
 
Como Funciona a Gestão Visual
Como Funciona a Gestão VisualComo Funciona a Gestão Visual
Como Funciona a Gestão Visual
 
Aula 11 eq 2015 01 fameg qualidade na origem
Aula 11 eq 2015 01 fameg   qualidade na origemAula 11 eq 2015 01 fameg   qualidade na origem
Aula 11 eq 2015 01 fameg qualidade na origem
 
Aula 10 eq 2015 01 fameg
Aula 10 eq 2015 01 famegAula 10 eq 2015 01 fameg
Aula 10 eq 2015 01 fameg
 
Aula 09 eq 2014 02 fameg 3ra aula modulo 03 12 05
Aula 09 eq 2014 02 fameg 3ra aula modulo 03 12 05Aula 09 eq 2014 02 fameg 3ra aula modulo 03 12 05
Aula 09 eq 2014 02 fameg 3ra aula modulo 03 12 05
 
Aula 08 eq 2015 01 fameg 2nda aula modulo 03
Aula 08 eq 2015 01 fameg 2nda aula modulo 03Aula 08 eq 2015 01 fameg 2nda aula modulo 03
Aula 08 eq 2015 01 fameg 2nda aula modulo 03
 
Aula 07 eq 2015 01 fameg inicio modulo 03
Aula 07 eq 2015 01 fameg inicio modulo 03Aula 07 eq 2015 01 fameg inicio modulo 03
Aula 07 eq 2015 01 fameg inicio modulo 03
 
Aula 07 resumo modulos 01 e 02 2015 01
Aula 07 resumo modulos 01 e 02 2015 01Aula 07 resumo modulos 01 e 02 2015 01
Aula 07 resumo modulos 01 e 02 2015 01
 
Aula 06 eq 2015 01 fameg qualidade estrategica 07 04
Aula 06 eq 2015 01 fameg qualidade estrategica 07 04Aula 06 eq 2015 01 fameg qualidade estrategica 07 04
Aula 06 eq 2015 01 fameg qualidade estrategica 07 04
 
Ferramentas de gestao lean primeira e segunda aulas
Ferramentas de gestao lean   primeira e segunda aulasFerramentas de gestao lean   primeira e segunda aulas
Ferramentas de gestao lean primeira e segunda aulas
 
Curso de Engenharia da Qualidade - Semi Presencial
Curso de Engenharia da Qualidade - Semi PresencialCurso de Engenharia da Qualidade - Semi Presencial
Curso de Engenharia da Qualidade - Semi Presencial
 
Roteiro de elaboração de artigos tecnicos - Uniasselvi/FAMEG
Roteiro de elaboração de artigos tecnicos - Uniasselvi/FAMEGRoteiro de elaboração de artigos tecnicos - Uniasselvi/FAMEG
Roteiro de elaboração de artigos tecnicos - Uniasselvi/FAMEG
 
Gestão da Qualidade de Produto e Processo 2013 09 10 fameg processos
Gestão da Qualidade de Produto e Processo 2013 09 10 fameg processosGestão da Qualidade de Produto e Processo 2013 09 10 fameg processos
Gestão da Qualidade de Produto e Processo 2013 09 10 fameg processos
 
Gestão da Qualidade de Produto e Processo 2013 07 08 fameg processos
Gestão da Qualidade de Produto e Processo 2013 07 08 fameg processosGestão da Qualidade de Produto e Processo 2013 07 08 fameg processos
Gestão da Qualidade de Produto e Processo 2013 07 08 fameg processos
 
Gestão da Qualidade de Produto e Processo 2013 06 fameg processos
Gestão da Qualidade de Produto e Processo 2013 06 fameg processosGestão da Qualidade de Produto e Processo 2013 06 fameg processos
Gestão da Qualidade de Produto e Processo 2013 06 fameg processos
 
Gestão da Qualidade de Produto e Processo 4 e 5
Gestão da Qualidade de Produto e Processo 4 e 5Gestão da Qualidade de Produto e Processo 4 e 5
Gestão da Qualidade de Produto e Processo 4 e 5
 
Gestão da Qualidade de Produto e Processo Aulas 2 e 3
Gestão da Qualidade de Produto e Processo Aulas 2 e 3Gestão da Qualidade de Produto e Processo Aulas 2 e 3
Gestão da Qualidade de Produto e Processo Aulas 2 e 3
 
Gestão da Qualidade de Produto e Processo 2013 01 introdução e apresentação
Gestão da Qualidade de Produto e Processo 2013 01 introdução e apresentaçãoGestão da Qualidade de Produto e Processo 2013 01 introdução e apresentação
Gestão da Qualidade de Produto e Processo 2013 01 introdução e apresentação
 
Desenho de Célula Administrativa - Lean Office
Desenho de Célula Administrativa - Lean OfficeDesenho de Célula Administrativa - Lean Office
Desenho de Célula Administrativa - Lean Office
 

Último (6)

CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADECONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
 
treinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plásticatreinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plástica
 
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsxST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
 
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptxProposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
 
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxSEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
 

Aula 04 SGQ ISO 9001:2015 – Seções 4 e 5

  • 1. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 1 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 UNIASSELVI – FAMEG Prof. Claudio Bernardi Stringari Guaramirim, 30 de Agosto de 2016. Sistema de Gestão da Qualidade Módulo 02 – Sistema de Gestão da Qualidade de uma Organização http://www.qsp.org.br/pdf/Matrizes_de_correlacao_entre_ ISO9001_2008_e_ISO9001_2015_rev1.pdf
  • 2. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 3 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 Calendário Proposto – 2º Semestre 2016 Seg Ter Seg Ter Seg Ter Seg Ter Seg Ter Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro 09/08 16/08 17/08 23/08 30/08 06/09 13/09 20/09 27/09 04/10 11/10 18/10 25/10 01/11 08/11 15/11 22/11 29/11 06/12 INFORMAÇÕES IMPORTANTES NOTA 1° BIMESTRE: • CORRESPONDE A 40% DA NOTA TOTAL; NOTA 2° BIMESTRE: • CORRESPONDE A 60% DA NOTA TOTAL; FORMAÇÃO DA NOTA BIMESTRAL: • 0,4 X (OFn*0,7 + PARn*0,3) FORMAÇÃO DA NOTA FINAL: 0,4XBIMESTRAL 1 + 0,6XBIMESTRAL 2 13/12
  • 3. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 4 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 Sistema de Gestão de Qualidade Unidades de Ensino 1. Introdução à Gestão da Qualidade ok 2.Sistema de Gestão da Qualidade de uma Organização ok 3.Componentes, funções e propriedades dos sistemas da qualidade ok 4.Requisitos da ISO 9001:2015 5.Elementos do sistema e processos de certificação; 6.Qualidade e o Lean Manufacturing Baseado em material do Prof. Leandro Azanha
  • 4. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 5 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 Módulo 2 – O Modelo de Processos da ISO 9001:2015
  • 5. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 6 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 Interpretando... Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 6. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 7 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 Entendendo os tempos verbais da ISO Na norma de sistema de gestão da qualidade, as seguintes formas verbais são empregadas: • “deve” indica um requisito; • “pode”, tradução dos verbos em inglês “may/can”, indica permissão/possibilidade ou capacidade. Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 7. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 8 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 4 Contexto da organização Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 8. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 9 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 4.1 Entendendo a organização e seu contexto A organização deve determinar questões externas e internas que sejam pertinentes para o seu propósito e para seu direcionamento estratégico e que afetem sua capacidade de alcançar o(s) resultado(s) pretendido(s) de seu sistema de gestão da qualidade. As Questões podem incluir fatores ou condições positivos e negativos para consideração. Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 9. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 10 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 4.1 Entendendo a organização e seu contexto A organização deve monitorar e analisar criticamente informação sobre essas questões externas e internas. . Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 10. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 11 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 4.1 Entendendo a organização e seu contexto O entendimento do contexto externo pode ser facilitado pela consideração de questões provenientes dos ambientes: • legal, • tecnológico, • competitivo, • de mercado, • cultural, • social e econômico, • tanto internacionais, quanto nacionais, regionais ou locais. Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 11. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 12 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 4.1 Entendendo a organização e seu contexto O entendimento do contexto interno pode ser facilitado pela consideração de questões relativas a valores, cultura, conhecimento e desempenho da organização. Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 12. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 13 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 4.2 Entendendo as necessidades e expectativas de partes interessadas Devido ao seu efeito ou potencial efeito sobre a capacidade da organização para prover consistentemente produtos e serviços que atendem aos requisitos do cliente e aos requisitos estatutários e regulamentares aplicáveis, a organização deve determinar: a) as partes Interessadas que sejam pertinentes para o sistema de gestão da qualidade; b) os requisitos dessas partes interessadas que sejam pertinentes para o sistema de gestão da qualidade. A organização deve monitorar e analisar criticamente informação sobre essas partes interessadas e seus requisitos pertinentes. Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 13. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 14 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 Entendendo as necessidades e expectativas de partes interessadas A subseção 4.2 especifica requisitos para a organização determinar as partes interessadas que sejam pertinentes para o sistema de gestão da qualidade e os requisitos dessas partes interessadas. Fonte NBR ISO 9001: 2015 (A3)– Uso para Treinamento
  • 14. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 15 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 Entendendo as necessidades e expectativas de partes interessadas • Isso não implica extensão dos requisitos de sistema de gestão da qualidade além do escopo da ISO 9001. • Como declarado no escopo, esta Norma é aplicável onde uma organização necessita demonstrar sua capacidade de prover consistentemente produtos e serviços que atendam aos requisitos do cliente e requisitos estatutários e regulamentares aplicáveis, e visa aumentar a satisfação do cliente. Fonte NBR ISO 9001: 2015 (A3)– Uso para Treinamento
  • 15. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 16 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 A.3 Entendendo as necessidades e expectativas de partes interessadas • Não há requisito para a organização considerar partes interessadas onde ela decidiu que aquelas partes não são pertinentes para seu sistema de gestão da qualidade. • Cabe à organização decidir se um requisito particular de uma parte interessada pertinente é pertinente para seu sistema de gestão da qualidade.
  • 16. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 17 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 4.3 Determinando o escopo do sistema de Gestão da Qualidade A organização deve determinar os limites e a aplicabilidade do sistema de Gestão da Qualidade para estabelecer o seu escopo. Ao determinar esse escopo, a organização deve considerar: a) as questões externas e internas referidas na clausula de entendimento do contexto da organização (em 4.1); b) os requisitos das partes interessadas pertinentes referidos no na cláusula sobre as necessidades e expectativas de partes interessadas (4.2); c) os produtos e serviços da organização. Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 17. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 18 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 4.3 Determinando o escopo do sistema de Gestão da Qualidade A organização deve aplicar todos os requisitos da ISO 9001, se eles forem aplicáveis no escopo determinado do seu sistema de gestão da qualidade. Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 18. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 19 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 4.3 Determinando o escopo do sistema de Gestão da Qualidade O escopo do Sistema de Gestão da Qualidade da organização deve estar disponível e ser mantido como informação documentada. Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento ESCOPO DE CERTIFICAÇÃO DA VALTRA DO BRASIL: PROJETO, MANUFATURA E VENDA DE TRATORES, MONTAGEM E VENDA DE MOTORESE SERVIÇOS PÓS VENDAS
  • 19. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 20 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 4.3 Determinando o escopo do sistema de Gestão da Qualidade O escopo deve declarar os tipos de produtos ou serviços cobertos e prover justificativa para qualquer requisito da ISO 9001 que a organização determinar que não seja aplicável ao escopo do seu Sistema de Gestão da Qualidade. Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 20. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 21 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 4.3 Determinando o escopo do sistema de Gestão da Qualidade A conformidade com esta Norma só pode ser alegada se os requisitos determinados como não aplicáveis não afetarem a capacidade ou a responsabilidade da organização de assegurar a conformidade de seus produtos e serviços e o aumento da satisfação do cliente. Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 21. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 22 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 4.4 Sistema de Gestão da Qualidade e seus processos 4.4.1 A organização deve estabelecer, implementar, manter e melhorar continuamente um Sistema de Gestão da Qualidade, incluindo os processos necessários e suas interações, de acordo com os requisitos da ISO 9001. A organização deve determinar os processos necessários para o Sistema de Gestão da Qualidade e sua aplicação na organização, e deve: a) determinar as entradas requeridas e as saídas esperadas desses processos; b) determinar a sequência e a interação desses processos; c) determinar e aplicar os critérios e métodos (incluindo monitoramento, medições e indicadores de desempenho relacionados) necessários para assegurar a operação e o controle eficazes desses processos; Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 22. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 23 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 4.4 Sistema de Gestão da Qualidade e seus processos 4.4.1 A organização deve determinar os processos necessários para o Sistema de Gestão da Qualidade e sua aplicação na organização, e deve (Continuação): d) determinar os recursos necessários para esses processos e assegurar a sua disponibilidade; e) atribuir as responsabilidades e autoridades para esses processos; f) abordar os riscos e oportunidades conforme determinados de acordo com requisitos do 6.1 Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 23. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 24 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 4.4 Sistema de Gestão da Qualidade e seus processos 4.4.1 A organização deve determinar os processos necessários para o Sistema de Gestão da Qualidade e sua aplicação na organização, e deve (continuação): g) avaliar esses processos e implementar quaisquer mudanças necessárias para assegurar que esses processos alcancem seus resultados pretendidos; h) melhorar os processos e o Sistema de Gestão da Qualidade. Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 24. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 25 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 4.4 Sistema de Gestão da Qualidade e seus processos 4.4.2 Na extensão necessária, a organização deve: a) manter informação documentada para apoiar a operação de seus processos; b) reter informação documentada para ter confiança em que os processos sejam realizados conforme planejado. Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 25. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 26 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 4.4 Sistema de Gestão da Qualidade e seus processos INFORMAÇÃO DOCUMENTADA Informação que se requer que seja controlada e mantida por uma organização e o meio no qual ela está contida. Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 26. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 27 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 4.4 Sistema de Gestão da Qualidade e seus processos Registro: Documento que apresenta resultados obtidos ou fornece evidências de atividades realizadas. Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 27. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 28 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5 Liderança Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 28. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 29 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 Contexto da Organização e Liderança 4.1 Entendendo a Organização e seu Contexto 4.2 Entendendo a Organização e Seu contexto 9.3 Análise Critica pela Direção 5.1 Liderança e comprometim ento 5.1.2 Foco no Cliente 5.2 Política (da Qualidade) 6. Planejamento 5.5 Responsabilidade, autoridade e comunicação 5.3 Papéis, responsabilidades e autoridades organizacionais 7.4 Comunicação Norma, Política e Objetivos Informações documentadas Registros Processos Manual da Qualidade
  • 29. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 30 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5.1 Liderança e comprometimento 5.1.1 Generalidades A Alta Direção deve demonstrar liderança e comprometimento com relação ao sistema de gestão da qualidade: a) responsabilizando-se por prestar contas pela eficácia do sistema de gestão da qualidade. b) assegurando que a política da qualidade e os objetivos da qualidade sejam estabelecidos para o sistema de gestão da qualidade e que sejam compatíveis com o contexto e a direção estratégica da organização; Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 30. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 31 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5.1 Liderança e comprometimento 5.1.1 Generalidades Política Intenções e direção de uma organização, como formalmente expressos pela sua alta direção. Política da Qualidade Intenções e direção de uma organização, como formalmente expressos pela sua alta direção (Política) com relação à qualidade. Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 31. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 32 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5.1 Liderança e comprometimento 5.1.1 Generalidades Objetivo Resultado a ser alcançado. Objetivos da Qualidade Resultado a ser alcançado (Objetivo) que diz respeito à qualidade Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 32. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 33 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5.1 Liderança e comprometimento 5.1.1 Generalidades (Continuação) A Alta Direção deve demonstrar liderança e comprometimento com relação ao sistema de gestão da qualidade: c) assegurando a integração dos requisitos do sistema do gestão da qualidade nos processos de negócio da organização; d) promovendo o uso da abordagem de processo e da mentalidade de risco; Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 33. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 34 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5.1 Liderança e comprometimento 5.1.1 Generalidades (Continuação) A Alta Direção deve demonstrar liderança e comprometimento com relação ao sistema de gestão da qualidade: e) assegurando que os recursos necessários para o Sistema de Gestão da Qualidade estejam disponíveis; f) comunicando a importância de uma gestão da qualidade eficaz e de estar conforme com os requisitos do sistema de gestão da qualidade; Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 34. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 35 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5.1 Liderança e comprometimento 5.1.1 Generalidades (Continuação) A Alta Direção deve demonstrar liderança e comprometimento com relação ao sistema de gestão da qualidade: g) assegurando que o sistema de gestão da qualidade alcance seus resultados pretendidos; h) engajando, dirigindo e apoiando pessoas a contribuir para a eficácia do sistema de gestão da qualidade; Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 35. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 36 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5.1 Liderança e comprometimento 5.1.1 Generalidades (Continuação) A Alta Direção deve demonstrar liderança e comprometimento com relação ao sistema de gestão da qualidade: i) promovendo melhoria; j) apoiando outros papéis pertinentes da gestão a demonstrar como sua liderança se aplica às áreas sob sua responsabilidade. Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 36. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 37 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5.1.2 Foco no cliente A Alta Direção deve demonstrar liderança e comprometimento com relação ao foco no cliente, assegurando que: a) os requisitos do cliente e os requisitos estatutários e regulamentares pertinentes sejam determinados, entendidos e atendidos consistentemente; Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 37. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 38 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5.1.2 Foco no cliente (Continuação) A Alta Direção deve demonstrar liderança e comprometimento com relação ao foco no cliente, assegurando que: b) os riscos e oportunidades que possam afetar a conformidade de produtos e serviços e a capacidade de aumentar a satisfação do cliente sejam determinados e abordados; Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 38. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 39 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5.1.2 Foco no cliente A Alta Direção deve demonstrar liderança e comprometimento com relação ao foco no cliente, assegurando que: c) o foco no aumento da satisfação do cliente seja mantido. Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 39. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 40 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5.2 Política 5.2.1 Desenvolvendo a Política da Qualidade A Alta Direção deve estabelecer, implementar e manter uma política da qualidade que: a) seja apropriada ao propósito e ao contexto da organização e apoie seu direcionamento estratégico; Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 40. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 41 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5.2 Política 5.2.1 Desenvolvendo a Política da Qualidade (Cont.) A Alta Direção deve estabelecer, implementar e manter uma política da qualidade que: b) proveja uma estrutura para o estabelecimento dos objetivos da qualidade; Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 41. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 42 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5.2 Política 5.2.1 Desenvolvendo a Política da Qualidade (Cont.) A Alta Direção deve estabelecer, implementar e manter uma política da qualidade que: c) inclua um comprometimento em satisfazer requisitos aplicáveis; Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 42. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 43 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5.2 Política 5.2.1 Desenvolvendo a Política da Qualidade (Cont.) A Alta Direção deve estabelecer, implementar e manter uma política da qualidade que: d) inclua um comprometimento com a melhoria continua do sistema do gestão da qualidade. Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 43. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 44 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5.2.2 Comunicando a política da qualidade A política da qualidade deve: a) estar disponível e ser mantida como informação documentada; Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 44. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 45 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5.2.2 Comunicando a política da qualidade (Cont.) A política da qualidade deve: b) ser comunicada entendida e aplicada na organização; Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 45. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 46 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5.2.2 Comunicando a política da qualidade (Cont.) A política da qualidade deve: c) estar disponível para partes interessadas pertinentes, como apropriado. Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 46. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 47 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5.3 Papéis, responsabilidades e autoridades organizacionais A Alta Direção deve assegurar que as responsabilidades e autoridades pare papéis pertinentes sejam atribuídas, comunicadas e entendidas na organização. A Alta Direção deve atribuir responsabilidade e autoridade para: a) assegurar que o sistema de gestão da qualidade esteja conforme com os requisitos da ISO 9001; Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 47. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 48 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5.3 Papéis, responsabilidades e autoridades organizacionais (Cont.) A Alta Direção deve assegurar que as responsabilidades e autoridades pare papéis pertinentes sejam atribuídas, comunicadas e entendidas na organização. A Alta Direção deve atribuir responsabilidade e autoridade para: b) assegurar que os processos entreguem suas saídas pretendidas; Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 48. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 49 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5.3 Papéis, responsabilidades e autoridades organizacionais (Cont.) A Alta Direção deve assegurar que as responsabilidades e autoridades pare papéis pertinentes sejam atribuídas, comunicadas e entendidas na organização. A Alta Direção deve atribuir responsabilidade e autoridade para: c) relatar o desempenho do sistema de gestão da qualidade e as oportunidades para melhoria (ver 10.1), em particular para a Alta Direção; Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 49. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 50 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5.3 Papéis, responsabilidades e autoridades organizacionais A Alta Direção deve assegurar que as responsabilidades e autoridades pare papéis pertinentes sejam atribuídas, comunicadas e entendidas na organização. A Alta Direção deve atribuir responsabilidade e autoridade para: d) assegurar a promoção do foco no cliente na organização: Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento
  • 50. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 51 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 5.3 Papéis, responsabilidades e autoridades organizacionais (Cont.) A Alta Direção deve assegurar que as responsabilidades e autoridades pare papéis pertinentes sejam atribuídas, comunicadas e entendidas na organização. A Alta Direção deve atribuir responsabilidade e autoridade para: e) assegurar que a integridade do sistema de gestão da qualidade seja mantida quando forem planejadas e implementadas mudanças no sistema de gestão da qualidade. Fonte NBR ISO 9001: 2015 – Uso para Treinamento PLANEJAMENTO
  • 51. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 52 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 Até a próxima aula! Prof. Claudio Bernardi Stringari http://processoenxuto.blogspot.com.br/
  • 52. Prof. Claudio Bernardi Stringari, Eng. Esp. 53 UNIASSELVI – FAMEG SistemadeGestãodaQualidade-EPR1.7e1.8 Referências • ABNT, NBR ISO 9000:2015; • ABNT, NBR ISO 9001:2015;