SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 42
Baixar para ler offline
// 1 
Investimento, Financiamento e o BNDES 
27 de Agosto de 2013 
Luciano Coutinho
// 2 
Agenda 
Parte I: A economia 
Economia mundial, economia brasileira 
O investimento: situação atual e perspectivas 
Parte II: O BNDES 
Organização e processos 
Evolução 2007-2012 
2013: desempenho operacional e financeiro 
Relevância e efetividade 
O financiamento do investimento no país 
Investimento no Brasil: a agenda relevante
// 3 
Economia mundial: mudam os ventos, novos 
desafios, novas oportunidades 
Eme rge nte s 
1 5 
1 0 
5 
0 
-5 
-1 0 
Fonte: Bloomberg e CBPWorld Trade Monitor. Elaboração BNDES 
EUA: crescimento reponta: fim de 
injeção maciça de dólares... 
Euro: deixando a recessão? 
China: êxito na reorientação para o 
mercado interno? 
6 2 
6 0 
5 8 
5 6 
5 4 
5 2 
5 0 
4 8 
4 6 
4 4 
Brasil: 
5 5 ,4 
G l o b a l 
E u ro 
EU A 
Ainda espaços para commodities 
Novos mercados para empresas 
competitivas 
O IDE para o país tende a continuar 
firme 
P ro d u çã o In d u s tr ia l 
(va r. % trim es tra l a n u a l iza d a ) 
Glo bal 
D e senv olv idos 
-1 5 
ja n-1 1 
m a r -11 
m a i -11 
jul -11 
se t-11 
nov-1 1 
ja n-12 
m a r -12 
m a i -12 
jul -12 
se t-12 
nov-12 
ja n-13 
m a r -13 
m a i -1 3 
PM I d a m a n u f a tu r a 
5 0 ,8 
5 0 ,3 
4 2 
j a n - 1 1 
m a r - 1 1 
m a i- 1 1 
ju l- 1 1 
se t - 1 1 
n o v - 1 1 
j a n - 1 2 
m a r - 1 2 
m a i- 1 2 
ju l- 1 2 
se t - 1 2 
n o v - 1 2 
j a n - 1 3 
m a r - 1 3 
m a i- 1 3 
ju l- 1 3
// 4 
Brasil 2013: recuperação da atividade 
econômica com destaque para o investimento 
Atividades produtivas 
Aceleração do crescimento industrial 
Avanço generalizado da produção de bens de capital 
Forte recuperação da construção civil 
Indústria financeira 
Inadimplência sob controle 
Bancos públicos ocupam espaços
// 5 
Agenda 
Parte I: A economia 
Economia mundial, economia brasileira 
O investimento: situação atual e perspectivas 
Parte II: O BNDES 
Organização e processos 
Evolução 2007-2012 
2013: desempenho operacional e financeiro 
Relevância e efetividade 
O financiamento do investimento no país 
Investimento no Brasil: a agenda relevante
// 6 
Trajetória do investimento é positiva: mantê-la 
é o desafio 
20% 
19% 
18% 
17% 
16% 
15% 
14% 
Fonte: Elaboração BNDES 
Evolução da Taxa de Investimento 
(% PIB) 
15,3% 
16,4% 
17,7% 
16,6% 
18,7% 
19,1% 
18,1% 
19,2% 
13% 
Forte ciclo de investimentos 
Reaceleração 
gradual 
Crise 
Financeira 
Desaceleração 
Recuperação cíclica 
2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013
// 7 
Muito boas perspectivas para o investimento 
2014-2017 (*) 
Setores 2009-2012 2014-2017 Δ% Variação média anual 
(%) 
Indústria 885 1.083 22,3 4,1 
Infraestrutura 408 505 23,8 4,4 
Residencial 600 750 25,0 4,6 
Agricultura e Serviços 1.170 1.505 28,6 5,2 
Total 3.063 3.843 25,4 4,6 
(*) Projeção para o investimento total da economia, baseada em: i) pesquisa BNDES, que abrange 60% dos 
investimentos industriais e 100% dos investimentos em infraestrutura; e ii) consultas a entidades setoriais e 
projeções estatísticas. 
Fonte: BNDES
// 8 
Programa de concessões: muito importantes 
para retomada do investimento 
Fonte: BNDES 
Projeções para Taxa de Investimento (% PIB) 
SEM Programa 
Concessões 
COM Programa 
Concessões
// 9 
Agenda 
Parte I: A economia 
Economia mundial, economia brasileira 
O investimento: situação atual e perspectivas 
Parte II: O BNDES 
Organização e processos 
Evolução 2007-2012 
2013: desempenho operacional e financeiro 
Relevância e efetividade 
O financiamento do investimento no país 
Investimento no Brasil: a agenda relevante
// 10 
Prioridades BNDES: alinhadas com orientações 
de governo, sempre em busca de excelência 
Desenvolvimento Sustentável e Competitivo 
Expandir investimentos em 
infraestrutura 
Fomentar inovação, sustentabilidade socioambiental e desenvolvimento regional 
Sustentabilidade Financeira 
Diversificar e integrar produtos 
financeiros 
Processos Internos 
Promover melhores práticas de gestão e 
integração corporativa 
Aprendizado e Competências 
Propiciar um ambiente 
organizacional que estimule a 
inovação 
Induzir o fortalecimento da 
competitividade das 
empresas brasileiras 
Contribuir para a inclusão 
social e produtiva 
Fortalecer a estrutura 
patrimonial 
Aperfeiçoar a gestão de riscos e 
retorno 
Fortalecer a imagem e a presença do BNDES perante 
seus principais interlocutores e a sociedade em geral 
Promover o desenvolvimento 
profissional e pessoal dos 
empregados 
Valorizar a gestão de pessoal com 
pactuação de resultado e avaliação 
de desempenho
// 11 
Em qualquer operação: princípios de segregação e 
decisões colegiados estritamente observados 
EMPRESA 
Análise da 
consulta para 
enquadramento 
Comitê de 
Enquadramento 
(Superintendentes) 
Análise do 
Projeto 
Contratação Desembolso 
Cronograma 
Físico- 
Financeiro 
Carta Consulta 
Acompanhamento e 
Monitoramento 
Decisão de 
Enquadramento 
Decisão de 
Aprovação 
Fonte: BNDES 
Área de Planejamento Área Operacional 
Área Operacional 
Área Operacional 
Colegiado de 
Diretores
// 12 
Prover informações (transparência) e prestar 
contas: agenda prioritária 
Prestação de contas sistemática ao Conselho de Administração, 
MDIC, MF, MPOG, BACEN e Congresso (recursos do TN). Pronto 
atendimento a demandas de CGU, TCU 
Cooperação com sociedade civil: Plataforma BNDES 
Recursos CGU 
Deferidos Indeferidos 
SIC - Pedidos de Informação 
Maio 2012 a Julho 2013 
Total de Pedidos Pedidos Atendidos 
BNDES 898 817 90,98% 0 7
// 13 
BNDES: porte adequado ao país. Não o maior mas entre 
os mais eficientes Bancos de Desenvolvimento 
 Principal provedor de crédito 
de longo prazo no Brasil 
 100% patrimônio da União 
 Estabilidade de Funding (FAT) 
 2.853 empregados 
 Instrumentos 
 Operações Diretas 
 Operações Indiretas 
 MPME (financiamento e 
garantia) 
 Exportação (Pré e Pós 
embarque) 
 Project finance 
 Renda Variável 
 Fundos Não reembolsáveis 
BNDES KFW 
Alemanha 
2012 (em US$ milhões) 
CDB 
China 
KDB 
Coréia do Sul 
Ativos 367.825 657.347 1.191.597 147.067 
Carteira de 
crédito 
254.019 526.401 1.016.959 85.572 
Lucro líquido 3.009 3.063 9.995 836 
Retorno 
s/ativos (%) 
0,90 0,47 0,92 0,50 
Inadimpl (%) 0,06 0,21 0,30 1,60 
Fundação 1952 1948 1994 1954 
Empregados 2.853 5.190 8.038 na 
Fonte: Balanços dos Bancos. Foram utilizados os dados adequados ao IFRS (International 
Financial Reporting Standards). 
Fonte: BNDES
// 14 
Agenda 
Parte I: A economia 
Economia mundial, economia brasileira 
O investimento: situação atual e perspectivas 
Parte II: O BNDES 
Organização e processos 
Evolução 2007-2012 
2013: desempenho operacional e financeiro 
Relevância e efetividade 
O financiamento do investimento no país 
Investimento no Brasil: a agenda relevante
// 15 
Demanda crescente por recursos 
R$ bilhões (nominais) 
Evolução das aprovações e desembolsos 
Fonte: BNDES
// 16 
Destinação de recursos sendo diversificada, 
seguindo transformações no país 
Desembolsos por Setor 2007-2012 (%) 
FFoonnttee:: BBNNDDEESS 
Desembolsos por Região 2007-2012 (%)
// 17 
Apoio a grandes empresas: são elas as principais 
responsáveis pelo investimento 
Desembolsos por Porte – 2007-2012 (%) 
Fonte: BNDES 
Maiores Empresas 
(Valor Econômico*) 
Empresas 
financiadas**(n) 
Empresas 
financiadas (%) 
100 91 91.0 
500 406 81.2 
1.000 783 78.3 
*Publicação “1.000 Maiores 
Empresas”, Agosto 2013 
** Operações entre 2007 e 2012 
realizadas com empresas, com 
grupos econômicos ou empresas 
afiliadas a grupos econômicos 
Fonte: Valor Econômico e 
BNDES. Elaboração: BNDES 
Maiores empresas e financiamento BNDES
// 18 
Apoio a MPMEs: são elas muito relevantes para 
a geração de emprego 
Operações com MPME 2007-2012 
Fonte: BNDES
// 19 
Apoio a exportações: foco em bens de capital e 
serviços de engenharia 
3,0 
2,5 
2,0 
1,5 
1,0 
0,5 
Fonte: BNDES 
Apoio à exportação, pós-embarque, por destino 2008-2012 
- 
. 
Áfica 
Europa e Ásia 
América do Norte 
América do Sul e Central 
2008 2009 2010 2011 2012 
Em US$ bilhões 
Acumulado 12 meses
// 20 
Carteira de Renda Variável: uma carteira 
institucional e estratégica 
Distribuição Setorial da Carteira - 2012 
Evolução da Carteira 
Fonte: BNDES 
2007 2008 2009 2010 2011 2012 
2007-2012 
Valor estimado de mercado (R$ bi) 87,8 59,0 102,7 125,9 113,5 108,2 
N. empresas com apoio direto 211 217 229 220 219 203 
N. Fundos de Investimentos 26 29 31 38 38 40
// 21 
Alinhamento com prioridade de governo: apoio 
crescente para infraestrutura econômica 
Fonte: BNDES 
Desembolsos para infraestrutura econômica 2007-2012 
Logística 
8.638 
2007 2008 
16.017 
Ferrovias 
Rodovias 
Portos 
Navegação 
Aeroportos 
Outros 
Hidrelétricas 
Térmicas 
Nuclear 
Energias Alternativas 
Distribuidoras 
Transmissoras 
15.280 
7.116 
18.743 
24.538 
2009 2010 2011 2012 
em R$ milhões (nominais) 
Energia
// 22 
Alinhamento com prioridade de governo: 
desembolsos para a indústria e inovação 
Desembolsos por setores do 
Plano Brasil Maior 2007-2012 
Fonte: BNDES 
em R$ bilhões (nominais) 
Desembolsos para Inovação 
2007-2012 
em R$ milhões (nominais)
// 23 
Desempenho financeiro: eficiência, ativos 
crescentes e contribuição sistemática à União 
Desde 1997 o BNDES paga como dividendos pelo menos 60% do 
Fonte: BNDES 
Lucro Líquido (exceção: 1999 e 2003)
// 24 
Agenda 
Parte I: A economia 
Economia mundial, economia brasileira 
O investimento: situação atual e perspectivas 
Parte II: O BNDES 
Organização e processos 
Evolução 2007-2012 
2013: desempenho operacional e financeiro 
Relevância e efetividade 
O financiamento do investimento no país 
Investimento no Brasil: a agenda relevante
// 25 
Desempenho operacional recente: firme 
demanda por recursos 
Fonte: BNDES 
R$ milhões (nominais) 
Consultas, Enquadramentos, Aprovações e Desembolsos, 
Acumulados 12 meses –Jan 2012 a Junho 2013
// 26 
Setor 2013 Δ% % 
Indústria 2 9.481 93% 33% 
Infraestrutura 27.315 36% 31% 
Comércio/Serviços 1 7.712 35% 20% 
Agropecuária 9.346 111% 11% 
Adm. Pública Direta - 
Estados1 4 .485 676% 5% 
Total 88.339 65% 100% 
1 Proinveste, BNDES Estados e Propae 
Indústria 2013 Δ% % 
Material de Transporte 5.834 106% 20% 
Química e Petroquímica 4.855 228% 16% 
Alimento e Bebida 4.035 76% 14% 
Mecânica 3 .590 124% 12% 
Celulose e Papel 2 .555 12% 9% 
Outras 8 .613 79% 29% 
Total 29.481 93% 100% 
Infraestrutura 2013 Δ% % 
Transporte Rodoviário 10.238 36% 37% 
Energia Elétrica 8 .310 28% 30% 
Transporte Aquaviário, 
3 .521 123% 13% 
Aéreo e Metroviário 
Atv. Aux. Transportes 2.093 23% 8% 
Transporte Ferroviário 1.143 18% 4% 
Outros 2 .010 8% 7% 
Total 27.315 36% 100% 
Desembolsos 1º Semestre 2013 
Distribuição Setorial 
Fonte: BNDES 
em R$ milhões (nominais) 
Desembolsos 2013: taxas de crescimento 
expressivas para Indústria e Infraestrutura
// 27 
A importância das MPMEs permanece em 2013: 
37% do total dos desembolsos 
Desembolsos para MPME: 1º Semestre 2013 e acumulados 12 meses 
1° Semestre Últimos 12 meses 
2012 2013 Δ% 
jul/11 - 
jun/12 
jul/12 - 
jun/13 
Δ% 
Desembolsos 
(em R$ milhões) 
20.672 32.353 57% 47.219 61.803 31% 
Nº de Operações 
(em milhares) 
461 527 14% 943 1.056 12% 
Nº de Empresas 
(em milhares) 
161 178 11% 249 272 9% 
Fonte: BNDES
// 28 
Um êxito de política: o Inova Empresa – MCTI. 
Desembolsos BNDES 1o sem: R$ 1,7 bilhões 
Edital Conjunto 
Estimativa de 
Recursos/ 
Lançamento 
Parceiros 
Fase do Edital (Posição: 15/08/13) 
Submissão das 
Cartas de 
Manifestação de 
Interesse 
Seleção de 
Empresas 
Submissão de 
Planos de 
Negócio 
Seleção dos Planos de 
Negócio 
PAISS 
(concluído) 
R$ 1 bi 
03/2011 
BNDES e 
Finep 
57 empresas 
R$ 10 bi 
39 empresas 
R$ 6 bi 
25 empresas 
35 projetos 
R$ 3,1 bi 
42 operações (R$ 3,4 bi) 
BNDES: 17 (R$ 2,1 bi) 
Finep: 25 (R$ 1,3 bi) 
R$ 3 bi 
(diversos 
editais) 
09/2012 
BNDES, 
Finep e 
Petrobras 
38 empresas 
62 projetos 
R$ 2,7 bi 
23 empresas 
35 projetos 
R$ 0,85 bi 
16 empresas 
25 projetos 
R$ 0,5 bi 
até 06/08 
R$ 3 bi 
04/2013 
BNDES, 
Finep e 
ANEEL 
373 empresas 
R$ 12,3 bi 
127 empresas 
R$ 9,8 bi 
até 29/08 
(*) Equipamentos médicos 
(**) Biofármacos, farmoquímicos 
e medicamentos 
(*) R$ 0,6 bi 
04/2013 
BNDES, 
Finep e MS 
145 empresas 
R$ 1,3 bi 
74 empresas 
R$ 0,9 bi 
até 20/09 
(**) R$ 1,3 bi 
Finep, MS e 
CNPq 
63 empresas 
R$ 3,6 bi 
26 empresas 
R$ 3 bi 
até 05/09 
R$ 2,9 bi 
05/2013 
BNDES, 
Finep, MD e 
AEB 
285 empresas 
R$ 13 bi 
69 empresas 
R$ 12,6 bi 
até 10/10 
R$ 1 bi 
05/2013 
BNDES e 
Finep 
370 empresas 
R$ 5,6 bi 
até 17/09 
Total R$ 12,8 bi - 
1.331 empresas 
R$ 48,5 bi 
358 empresas 
R$ 27,15 bi 
Fonte: BNDES
// 29 
Continua firme desembolso para regiões NE e N 
Desembolsos por região: 1o semestre 2013 e acumulados 12 meses 
FFoonnttee:: BBNNDDEESS 
em R$ milhões (nominais) 
1° Semestre Últimos 12 meses 
2012 2013 Δ% 
jul/11 - 
jun/12 
jul/12 - 
jun/13 
Δ% 
Norte 5.452 5.284 -3% 12.861 13.173 2% 
Nordeste 6.016 11.625 93% 17.266 26.657 54% 
Sudeste 25.549 39.520 55% 66.869 86.411 29% 
Sul 11.003 22.147 101% 27.986 40.209 44% 
Centro-Oeste 5.519 9.763 77% 11.925 24.343 104%
// 30 
Desempenho financeiro 2013: resultados muito 
positivos 
Consolidado BNDES 
Indicadores financeiros 
Consolidado BNDES 
Indicadores financeiros 
Índice de Basiléia: 15,8%. Mínimo exigido: 11% 
Fonte: BNDES 
R$ milhões 
JUN/13 DEZ/12 
Ativos Totais - AT 729.028 715.498 
Patrimônio Líquido - PL 55.172 49.993 
Patrimônio de Referência - PR 96.021 89.598 
Inadimplência 0,02% 0,06% 
JUN/13 JUN/12 
Resultado Líquido 3.261 2 .709 
Rentabilidade do PL 1/ 6,96% 5,82% 
1/ Exclui ajuste a valor justo de participações societárias em não coligadas.
// 31 
Agenda 
Parte I: A economia 
Economia mundial, economia brasileira 
O investimento: situação atual e perspectivas 
Parte II: O BNDES 
Organização e processos 
Evolução 2007-2012 
2013: desempenho operacional e financeiro 
Relevância e efetividade 
O financiamento do investimento no país 
Investimento no Brasil: a agenda relevante
// 32 
O BNDES é relevante para a geração de 
empregos 
Empregos gerados / mantidos com a realização do projeto financiado 
por conta dos desembolsos e do investimento total (milhares) 
Fonte: IBGE, MTE, FGV, BNDES. Elaboração : BNDES
// 33 
Apoio estratégico ao investimento, principalmente em 
períodos de contração da oferta de recursos 
Formação Bruta de Capital Fixo (FBKF) e Desembolsos do BNDES 
(R$ Bilhões) - a preços de 2011 
FBKF (*) 
140 
120 
100 
80 
Desembolsos 
BNDES p FBKF (**) 
900 
800 
700 
600 
500 
400 
300 
2004 
2005 
2006 
2007 
2008 
2009 
2010 
2011 
2012 p 
2013 p 
60 
40 
20 
0 
(**) exclui dos desembolsos totais as operações de Exim Pré e Pós; Giro, Ajuste Fiscal, Fusão/Aquisição; Internacionalização e Mercado de Capitais 
(*) FBKF: valores projetados para o 4T/2012 e para 2013 
Fonte: BNDES
// 34 
O apoio do BNDES implica adicionalidade ao 
investimento e impacta positivamente os beneficiários 
Taxa de crescimento do ativo fixo de 3.000 empresas 
industriais – apoiadas x não apoiadas em 2010 
Não apoiadas 
Fonte: BNDES, a partir de dados da SERASA. 
21% 
23% 
1 0% 
0% 5% 1 0% 15% 2 0% 2 5% 30% 35% 
Apoiadas 
Inves timento sem BNDES Incremento do BNDES 
16 avaliações publicadas sobre BNDES, entre 2006 e 2013: 11 mostram 
impactos positivos e 5 parcialmente positivos ou resultados não 
significativos. Temas: emprego, produtividade, desempenho financeiro, exportações 
de empresas e avaliações de setores ou de municípios (4 por técnicos do BNDES)
// 35 
2012 2012 
(R$ milhões) (% do PIB) 
Subsídios Brutos (SPE) 12.687 0,29 
Implícitos 11.935 0,27 
Equalizações 752 0,02 
Tributos (59,8%) -2.715 -0,06 
Dividendos (59,8%) -7.738 -0,18 
Subsídio Líquido 2.234 0,05 
Efeitos Positivos (em 2012) 
Acréscimo de 
Investimentos 
8 bilhões 
Multiplicador 1,5 
Acréscimo de PIB 12 bilhões 
Carga tributária 
20% 
federal (média) 
Arrecadação 
Federal + 2,4 bilhões 
RESULTADO (em 2012) 
Efeitos Positivos – 
Custos = 
+ R$ 0,2 bilhão 
Benefícios de curto prazo superam custo dos 
empréstimos do TN/MF ao BNDES
// 36 
Agenda 
Parte I: A economia 
Economia mundial, economia brasileira 
O investimento: situação atual e perspectivas 
Parte II: O BNDES 
Organização e processos 
Evolução 2007-2012 
2013: desempenho operacional e financeiro 
Relevância e efetividade 
O financiamento do investimento no país 
Investimento no Brasil: a agenda relevante
// 37 
Financiamento de longo prazo no Brasil: muito 
espaço para avançar 
Debêntures / PIB (%) 2010 Crédito / PIB (%) 2010 
Fonte: Financial Structure Database e BIS - 2010 
Custo de Captação Externa (Em R$) 
Rating 
Prazo 
Global 
5 anos 10 anos 
BBB+ 13,17% 14,73% 
BBB 14,08% 16,70% 
BBB- 14,95% 16,92% 
Custo de Captação Local (Em R$) 
Rating Local 
Prazo 
5 anos 10 anos 
brAAA 12,50% 13,04% 
brAA 13,41% 14,22% 
Fonte: ANBIMA/Bloomberg. Operações no mercado secundário. Média julho/2013.
// 38 
BNDES e seus pares: tamanho relativo equivalente mas 
o mercado de crédito brasileiro surge como limitado 
BNDES e seus pares internacionais em 2012 
(carteira de crédito s/PIB e carteira de crédito s/estoque de crédito) 
Fonte: Relatórios anuais dos respectivos bancos, IIF e Bancos Centrais dos respectivos países. Elaboração: BNDES. 
KDB: Korea Development Bank; CDB: China Development Bank; KfW: KfW Bankengruppe (Alemanha).
// 39 
Mas trajetória é de ampliação e diversificação 
de fontes de financiamento 
Fontes de financiamento do investimento na indústria e na infraestrutura 
Fonte: BNDES
// 40 
Agenda 
Parte I: A economia 
Economia mundial, economia brasileira 
O investimento: situação atual e perspectivas 
Parte II: O BNDES 
Organização e processos 
Evolução 2007-2012 
2013: desempenho operacional e financeiro 
Relevância e efetividade 
O financiamento do investimento no país 
Investimento no Brasil: a agenda relevante
// 41 
A agenda relevante (associada à missão do BNDES) 
Economia internacional: crises sendo afastadas; crescimento 
sustentável ainda incerto; novos desafios, novas oportunidades 
Economia brasileira: perspectivas favoráveis para o 
investimento; melhora da competitividade em perspectiva 
BNDES: 
Instituição do Estado: oferta adequada de crédito de longo prazo 
é condição necessária para o desenvolvimento de uma economia 
sofisticada e complexa 
2013: bom desempenho indica transição para um crescimento 
sustentável 
Desafios país: expandir infraestruturas; ampliar a capacidade 
de inovar; diversificar fontes de financiamento de longo prazo 
Consenso a fortalecer: 
o investimento deve liderar o crescimento econômico
// 42 
Investimento, Financiamento e o BNDES 
27 de Agosto de 2013 
Luciano Coutinho

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Relatório Anual 2011 - resumo
Relatório Anual 2011 - resumoRelatório Anual 2011 - resumo
Relatório Anual 2011 - resumo
BNDES
 
Mrv apresentação renda fixa 08.2017
Mrv apresentação renda fixa 08.2017Mrv apresentação renda fixa 08.2017
Mrv apresentação renda fixa 08.2017
cinthia_volpani
 

Mais procurados (20)

Abdib financiamento e garantias para a infraestrutura final
Abdib financiamento e garantias para a infraestrutura finalAbdib financiamento e garantias para a infraestrutura final
Abdib financiamento e garantias para a infraestrutura final
 
Novas políticas operacionais - Condições (2017)
Novas políticas operacionais - Condições (2017)Novas políticas operacionais - Condições (2017)
Novas políticas operacionais - Condições (2017)
 
Relatório Anual 2011 - resumo
Relatório Anual 2011 - resumoRelatório Anual 2011 - resumo
Relatório Anual 2011 - resumo
 
Rubens Sardenberg, economista chefe da febraban
Rubens Sardenberg, economista chefe da febrabanRubens Sardenberg, economista chefe da febraban
Rubens Sardenberg, economista chefe da febraban
 
Ernani Torres, professor do instituto de economia da UFRJ
Ernani Torres, professor do instituto de economia da UFRJErnani Torres, professor do instituto de economia da UFRJ
Ernani Torres, professor do instituto de economia da UFRJ
 
FGV / IBRE - Apoio do BNDES à Infraestrutura
FGV / IBRE - Apoio do BNDES à Infraestrutura FGV / IBRE - Apoio do BNDES à Infraestrutura
FGV / IBRE - Apoio do BNDES à Infraestrutura
 
Panorama Econômico e Setorial Transportes e Logística
Panorama Econômico e Setorial Transportes e Logística Panorama Econômico e Setorial Transportes e Logística
Panorama Econômico e Setorial Transportes e Logística
 
VI Encontro CECIEx - Paulo Rabello de Castro
VI Encontro CECIEx - Paulo Rabello de CastroVI Encontro CECIEx - Paulo Rabello de Castro
VI Encontro CECIEx - Paulo Rabello de Castro
 
demonstracoes-financeiras-sistema-bndes-1t-2018
demonstracoes-financeiras-sistema-bndes-1t-2018demonstracoes-financeiras-sistema-bndes-1t-2018
demonstracoes-financeiras-sistema-bndes-1t-2018
 
Apresentacao Joaquim Levy no Bank of America
Apresentacao Joaquim Levy no Bank of AmericaApresentacao Joaquim Levy no Bank of America
Apresentacao Joaquim Levy no Bank of America
 
Mrv apresentação renda fixa 08.2017
Mrv apresentação renda fixa 08.2017Mrv apresentação renda fixa 08.2017
Mrv apresentação renda fixa 08.2017
 
Jornada ExpoGestão 2019 - Palestrante Alexandre Schwartsman
Jornada ExpoGestão 2019 - Palestrante Alexandre SchwartsmanJornada ExpoGestão 2019 - Palestrante Alexandre Schwartsman
Jornada ExpoGestão 2019 - Palestrante Alexandre Schwartsman
 
13/08/2013 - Teleconferência de Resultados 2T13
13/08/2013 - Teleconferência de Resultados 2T1313/08/2013 - Teleconferência de Resultados 2T13
13/08/2013 - Teleconferência de Resultados 2T13
 
Roberto Luís Troster, ex economista-chefe da febraban
Roberto Luís Troster, ex economista-chefe da febrabanRoberto Luís Troster, ex economista-chefe da febraban
Roberto Luís Troster, ex economista-chefe da febraban
 
Perspectivas da economia brasileira
Perspectivas da economia brasileiraPerspectivas da economia brasileira
Perspectivas da economia brasileira
 
Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (14/07/2017)
Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (14/07/2017)Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (14/07/2017)
Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (14/07/2017)
 
Apresentação – MP 777: Mitos e Verdades sobre a Substituição da TJLP pela TLP...
Apresentação – MP 777: Mitos e Verdades sobre a Substituição da TJLP pela TLP...Apresentação – MP 777: Mitos e Verdades sobre a Substituição da TJLP pela TLP...
Apresentação – MP 777: Mitos e Verdades sobre a Substituição da TJLP pela TLP...
 
Fernando Nogueira da Costa, professor livre docente do ie unicamp
Fernando Nogueira da Costa, professor livre docente do ie unicampFernando Nogueira da Costa, professor livre docente do ie unicamp
Fernando Nogueira da Costa, professor livre docente do ie unicamp
 
Infraestrutura, competitividade e os determinantes para o investimento privado
Infraestrutura, competitividade e os determinantes para o investimento privadoInfraestrutura, competitividade e os determinantes para o investimento privado
Infraestrutura, competitividade e os determinantes para o investimento privado
 
Apresentação – Programação fiscal 2017-2018 (15/08/2017)
Apresentação – Programação fiscal 2017-2018 (15/08/2017)Apresentação – Programação fiscal 2017-2018 (15/08/2017)
Apresentação – Programação fiscal 2017-2018 (15/08/2017)
 

Destaque

The brazilian economy and financing its infrastructure projects - Luciano Cou...
The brazilian economy and financing its infrastructure projects - Luciano Cou...The brazilian economy and financing its infrastructure projects - Luciano Cou...
The brazilian economy and financing its infrastructure projects - Luciano Cou...
BNDES
 
Financing of infrastructure projects - Luciano Coutinho
Financing of infrastructure projects - Luciano CoutinhoFinancing of infrastructure projects - Luciano Coutinho
Financing of infrastructure projects - Luciano Coutinho
BNDES
 
Investment opportunities in the brazilian economy (Oportunidades de investime...
Investment opportunities in the brazilian economy (Oportunidades de investime...Investment opportunities in the brazilian economy (Oportunidades de investime...
Investment opportunities in the brazilian economy (Oportunidades de investime...
BNDES
 
Como fazer um plano de negócios slides módulo i
Como fazer um plano de negócios   slides módulo iComo fazer um plano de negócios   slides módulo i
Como fazer um plano de negócios slides módulo i
Fdtensino
 

Destaque (18)

BNDES - Presentación Institucional
BNDES - Presentación InstitucionalBNDES - Presentación Institucional
BNDES - Presentación Institucional
 
Novas políticas operacionais (2017)
Novas políticas operacionais (2017)Novas políticas operacionais (2017)
Novas políticas operacionais (2017)
 
The brazilian economy and financing its infrastructure projects - Luciano Cou...
The brazilian economy and financing its infrastructure projects - Luciano Cou...The brazilian economy and financing its infrastructure projects - Luciano Cou...
The brazilian economy and financing its infrastructure projects - Luciano Cou...
 
Financing of infrastructure projects - Luciano Coutinho
Financing of infrastructure projects - Luciano CoutinhoFinancing of infrastructure projects - Luciano Coutinho
Financing of infrastructure projects - Luciano Coutinho
 
Investment opportunities in the brazilian economy (Oportunidades de investime...
Investment opportunities in the brazilian economy (Oportunidades de investime...Investment opportunities in the brazilian economy (Oportunidades de investime...
Investment opportunities in the brazilian economy (Oportunidades de investime...
 
Influence of topical administration of n-3 and n-6 essential and n-9 nonessen...
Influence of topical administration of n-3 and n-6 essential and n-9 nonessen...Influence of topical administration of n-3 and n-6 essential and n-9 nonessen...
Influence of topical administration of n-3 and n-6 essential and n-9 nonessen...
 
13 alternativas de_financiamento_bndes
13 alternativas de_financiamento_bndes13 alternativas de_financiamento_bndes
13 alternativas de_financiamento_bndes
 
Financiamento para empresas - FCO, BNDES, etc.
Financiamento para empresas - FCO, BNDES, etc.Financiamento para empresas - FCO, BNDES, etc.
Financiamento para empresas - FCO, BNDES, etc.
 
Apresentação de Projeto Exportação Indireta
Apresentação de Projeto Exportação IndiretaApresentação de Projeto Exportação Indireta
Apresentação de Projeto Exportação Indireta
 
O que é Swot?
O que é Swot?O que é Swot?
O que é Swot?
 
Analise de swot rodrigo lopes
Analise de swot   rodrigo lopesAnalise de swot   rodrigo lopes
Analise de swot rodrigo lopes
 
Análise SWOT
Análise SWOTAnálise SWOT
Análise SWOT
 
Como fazer um plano de negócios slides módulo i
Como fazer um plano de negócios   slides módulo iComo fazer um plano de negócios   slides módulo i
Como fazer um plano de negócios slides módulo i
 
Bndes Economia
Bndes EconomiaBndes Economia
Bndes Economia
 
Analise SWOT
Analise SWOTAnalise SWOT
Analise SWOT
 
Apresentação de plano de negócios
Apresentação de plano de negóciosApresentação de plano de negócios
Apresentação de plano de negócios
 
Plano de negócio
Plano de negócioPlano de negócio
Plano de negócio
 
Slideshare
SlideshareSlideshare
Slideshare
 

Semelhante a Investimento, financiamento e o BNDES

Perspectivas do Investimento Estrangeiro no Brasil, com Renato Baumann, da Se...
Perspectivas do Investimento Estrangeiro no Brasil, com Renato Baumann, da Se...Perspectivas do Investimento Estrangeiro no Brasil, com Renato Baumann, da Se...
Perspectivas do Investimento Estrangeiro no Brasil, com Renato Baumann, da Se...
Fundação Fernando Henrique Cardoso
 
Apresentação do resultado do 1º trimestre de 2013 - Rossi Residencial
Apresentação do resultado do 1º trimestre de 2013 - Rossi ResidencialApresentação do resultado do 1º trimestre de 2013 - Rossi Residencial
Apresentação do resultado do 1º trimestre de 2013 - Rossi Residencial
souzabia
 

Semelhante a Investimento, financiamento e o BNDES (20)

Perspectivas do Investimento Estrangeiro no Brasil, com Renato Baumann, da Se...
Perspectivas do Investimento Estrangeiro no Brasil, com Renato Baumann, da Se...Perspectivas do Investimento Estrangeiro no Brasil, com Renato Baumann, da Se...
Perspectivas do Investimento Estrangeiro no Brasil, com Renato Baumann, da Se...
 
Apresentação BNDES - Senado (20/09/2017)
Apresentação BNDES - Senado (20/09/2017)Apresentação BNDES - Senado (20/09/2017)
Apresentação BNDES - Senado (20/09/2017)
 
O BNDES como Instrumento de Desenvolvimento Sustentável da Economia
O BNDES como Instrumento de Desenvolvimento Sustentável da EconomiaO BNDES como Instrumento de Desenvolvimento Sustentável da Economia
O BNDES como Instrumento de Desenvolvimento Sustentável da Economia
 
Teleconferência de Resultados 4T11
Teleconferência de Resultados 4T11Teleconferência de Resultados 4T11
Teleconferência de Resultados 4T11
 
Teleconferência de Resultados 3T12
Teleconferência de Resultados 3T12Teleconferência de Resultados 3T12
Teleconferência de Resultados 3T12
 
Desempenho BNDES - Nordeste 2007 a 2017
Desempenho BNDES - Nordeste 2007 a 2017Desempenho BNDES - Nordeste 2007 a 2017
Desempenho BNDES - Nordeste 2007 a 2017
 
Apresentação BNDES - O Apoio do BNDES à Inovação (Setembro 2017)
Apresentação BNDES - O Apoio do BNDES à Inovação (Setembro 2017)Apresentação BNDES - O Apoio do BNDES à Inovação (Setembro 2017)
Apresentação BNDES - O Apoio do BNDES à Inovação (Setembro 2017)
 
Cenários - Eduardo Miras
Cenários - Eduardo Miras Cenários - Eduardo Miras
Cenários - Eduardo Miras
 
Feasibility Studies
Feasibility StudiesFeasibility Studies
Feasibility Studies
 
Teleconferência de Resultados 4T10
Teleconferência de Resultados 4T10Teleconferência de Resultados 4T10
Teleconferência de Resultados 4T10
 
Teleconferência de Resultados 4T09
Teleconferência de Resultados 4T09Teleconferência de Resultados 4T09
Teleconferência de Resultados 4T09
 
2012 cdes
2012 cdes2012 cdes
2012 cdes
 
Avaliação setorial para o investimento privado no Brasil: o caso do setor de ...
Avaliação setorial para o investimento privado no Brasil: o caso do setor de ...Avaliação setorial para o investimento privado no Brasil: o caso do setor de ...
Avaliação setorial para o investimento privado no Brasil: o caso do setor de ...
 
Apresentação Reunião APIMEC SP 2013
Apresentação Reunião APIMEC SP 2013Apresentação Reunião APIMEC SP 2013
Apresentação Reunião APIMEC SP 2013
 
Apresentação Institucional 2T13
Apresentação Institucional 2T13Apresentação Institucional 2T13
Apresentação Institucional 2T13
 
Apresentação do resultado do 1º trimestre de 2013 - Rossi Residencial
Apresentação do resultado do 1º trimestre de 2013 - Rossi ResidencialApresentação do resultado do 1º trimestre de 2013 - Rossi Residencial
Apresentação do resultado do 1º trimestre de 2013 - Rossi Residencial
 
Apresentação 1T13
Apresentação 1T13Apresentação 1T13
Apresentação 1T13
 
A hora de investir, pesquisa de atratividade Ernst & Young
A hora de investir, pesquisa de atratividade Ernst & YoungA hora de investir, pesquisa de atratividade Ernst & Young
A hora de investir, pesquisa de atratividade Ernst & Young
 
Apresentação Institucional 1T13
Apresentação Institucional 1T13Apresentação Institucional 1T13
Apresentação Institucional 1T13
 
Apresentação Reunião APIMEC SP 2010
Apresentação Reunião APIMEC SP 2010Apresentação Reunião APIMEC SP 2010
Apresentação Reunião APIMEC SP 2010
 

Mais de BNDES

O BNDES e o apoio à inovação - Casos de sucesso
O BNDES e o apoio à inovação - Casos de sucessoO BNDES e o apoio à inovação - Casos de sucesso
O BNDES e o apoio à inovação - Casos de sucesso
BNDES
 

Mais de BNDES (20)

O BNDES e o apoio à inovação - Casos de sucesso
O BNDES e o apoio à inovação - Casos de sucessoO BNDES e o apoio à inovação - Casos de sucesso
O BNDES e o apoio à inovação - Casos de sucesso
 
Matchfunding BNDES 2020 - Projetos Selecionados
Matchfunding BNDES 2020 - Projetos SelecionadosMatchfunding BNDES 2020 - Projetos Selecionados
Matchfunding BNDES 2020 - Projetos Selecionados
 
BNDES Institutional presentation
BNDES Institutional presentationBNDES Institutional presentation
BNDES Institutional presentation
 
Sondagem do Mercado - Companhia de Saneamento de Alagoas
Sondagem do Mercado - Companhia de Saneamento de AlagoasSondagem do Mercado - Companhia de Saneamento de Alagoas
Sondagem do Mercado - Companhia de Saneamento de Alagoas
 
Apresentação BNDES - Exportações de Serviços
Apresentação BNDES - Exportações de ServiçosApresentação BNDES - Exportações de Serviços
Apresentação BNDES - Exportações de Serviços
 
O BNDES e o apoio à inovação
O BNDES e o apoio à inovaçãoO BNDES e o apoio à inovação
O BNDES e o apoio à inovação
 
Apresentação BNDES - Operações Diretas
Apresentação BNDES - Operações DiretasApresentação BNDES - Operações Diretas
Apresentação BNDES - Operações Diretas
 
Apresentação - Demonstrações financeiras - 1° trimestre de 2019
Apresentação - Demonstrações financeiras - 1° trimestre de 2019Apresentação - Demonstrações financeiras - 1° trimestre de 2019
Apresentação - Demonstrações financeiras - 1° trimestre de 2019
 
Patrocínio Cultural
Patrocínio CulturalPatrocínio Cultural
Patrocínio Cultural
 
O BNDES - Apresentação institucional
O BNDES - Apresentação institucionalO BNDES - Apresentação institucional
O BNDES - Apresentação institucional
 
O BNDES e o apoio à inovação
O BNDES e o apoio à inovaçãoO BNDES e o apoio à inovação
O BNDES e o apoio à inovação
 
Demonstracoes financeiras Sistema BNDES 1º sem/2018
Demonstracoes financeiras Sistema BNDES 1º sem/2018Demonstracoes financeiras Sistema BNDES 1º sem/2018
Demonstracoes financeiras Sistema BNDES 1º sem/2018
 
Cartilha "O BNDES mais perto de você"
Cartilha "O BNDES mais perto de você"Cartilha "O BNDES mais perto de você"
Cartilha "O BNDES mais perto de você"
 
BNDES Garagem
BNDES GaragemBNDES Garagem
BNDES Garagem
 
O BNDES Mais Perto de Você - Vitória (ES)
O BNDES Mais Perto de Você - Vitória (ES) O BNDES Mais Perto de Você - Vitória (ES)
O BNDES Mais Perto de Você - Vitória (ES)
 
20180613 apoio geracao distribuida
20180613 apoio geracao distribuida20180613 apoio geracao distribuida
20180613 apoio geracao distribuida
 
Nova Geração do Biogás - São Paulo, 09.05.2018
Nova Geração do Biogás - São Paulo, 09.05.2018Nova Geração do Biogás - São Paulo, 09.05.2018
Nova Geração do Biogás - São Paulo, 09.05.2018
 
O BNDES Mais Perto de Você - São Paulo (SP)
O BNDES Mais Perto de Você - São Paulo (SP)O BNDES Mais Perto de Você - São Paulo (SP)
O BNDES Mais Perto de Você - São Paulo (SP)
 
Desempenho Operacional do BNDES em 2017 no Nordeste
Desempenho Operacional do BNDES em 2017 no NordesteDesempenho Operacional do BNDES em 2017 no Nordeste
Desempenho Operacional do BNDES em 2017 no Nordeste
 
Desempenho BNDES 2017
Desempenho BNDES 2017Desempenho BNDES 2017
Desempenho BNDES 2017
 

Investimento, financiamento e o BNDES

  • 1. // 1 Investimento, Financiamento e o BNDES 27 de Agosto de 2013 Luciano Coutinho
  • 2. // 2 Agenda Parte I: A economia Economia mundial, economia brasileira O investimento: situação atual e perspectivas Parte II: O BNDES Organização e processos Evolução 2007-2012 2013: desempenho operacional e financeiro Relevância e efetividade O financiamento do investimento no país Investimento no Brasil: a agenda relevante
  • 3. // 3 Economia mundial: mudam os ventos, novos desafios, novas oportunidades Eme rge nte s 1 5 1 0 5 0 -5 -1 0 Fonte: Bloomberg e CBPWorld Trade Monitor. Elaboração BNDES EUA: crescimento reponta: fim de injeção maciça de dólares... Euro: deixando a recessão? China: êxito na reorientação para o mercado interno? 6 2 6 0 5 8 5 6 5 4 5 2 5 0 4 8 4 6 4 4 Brasil: 5 5 ,4 G l o b a l E u ro EU A Ainda espaços para commodities Novos mercados para empresas competitivas O IDE para o país tende a continuar firme P ro d u çã o In d u s tr ia l (va r. % trim es tra l a n u a l iza d a ) Glo bal D e senv olv idos -1 5 ja n-1 1 m a r -11 m a i -11 jul -11 se t-11 nov-1 1 ja n-12 m a r -12 m a i -12 jul -12 se t-12 nov-12 ja n-13 m a r -13 m a i -1 3 PM I d a m a n u f a tu r a 5 0 ,8 5 0 ,3 4 2 j a n - 1 1 m a r - 1 1 m a i- 1 1 ju l- 1 1 se t - 1 1 n o v - 1 1 j a n - 1 2 m a r - 1 2 m a i- 1 2 ju l- 1 2 se t - 1 2 n o v - 1 2 j a n - 1 3 m a r - 1 3 m a i- 1 3 ju l- 1 3
  • 4. // 4 Brasil 2013: recuperação da atividade econômica com destaque para o investimento Atividades produtivas Aceleração do crescimento industrial Avanço generalizado da produção de bens de capital Forte recuperação da construção civil Indústria financeira Inadimplência sob controle Bancos públicos ocupam espaços
  • 5. // 5 Agenda Parte I: A economia Economia mundial, economia brasileira O investimento: situação atual e perspectivas Parte II: O BNDES Organização e processos Evolução 2007-2012 2013: desempenho operacional e financeiro Relevância e efetividade O financiamento do investimento no país Investimento no Brasil: a agenda relevante
  • 6. // 6 Trajetória do investimento é positiva: mantê-la é o desafio 20% 19% 18% 17% 16% 15% 14% Fonte: Elaboração BNDES Evolução da Taxa de Investimento (% PIB) 15,3% 16,4% 17,7% 16,6% 18,7% 19,1% 18,1% 19,2% 13% Forte ciclo de investimentos Reaceleração gradual Crise Financeira Desaceleração Recuperação cíclica 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013
  • 7. // 7 Muito boas perspectivas para o investimento 2014-2017 (*) Setores 2009-2012 2014-2017 Δ% Variação média anual (%) Indústria 885 1.083 22,3 4,1 Infraestrutura 408 505 23,8 4,4 Residencial 600 750 25,0 4,6 Agricultura e Serviços 1.170 1.505 28,6 5,2 Total 3.063 3.843 25,4 4,6 (*) Projeção para o investimento total da economia, baseada em: i) pesquisa BNDES, que abrange 60% dos investimentos industriais e 100% dos investimentos em infraestrutura; e ii) consultas a entidades setoriais e projeções estatísticas. Fonte: BNDES
  • 8. // 8 Programa de concessões: muito importantes para retomada do investimento Fonte: BNDES Projeções para Taxa de Investimento (% PIB) SEM Programa Concessões COM Programa Concessões
  • 9. // 9 Agenda Parte I: A economia Economia mundial, economia brasileira O investimento: situação atual e perspectivas Parte II: O BNDES Organização e processos Evolução 2007-2012 2013: desempenho operacional e financeiro Relevância e efetividade O financiamento do investimento no país Investimento no Brasil: a agenda relevante
  • 10. // 10 Prioridades BNDES: alinhadas com orientações de governo, sempre em busca de excelência Desenvolvimento Sustentável e Competitivo Expandir investimentos em infraestrutura Fomentar inovação, sustentabilidade socioambiental e desenvolvimento regional Sustentabilidade Financeira Diversificar e integrar produtos financeiros Processos Internos Promover melhores práticas de gestão e integração corporativa Aprendizado e Competências Propiciar um ambiente organizacional que estimule a inovação Induzir o fortalecimento da competitividade das empresas brasileiras Contribuir para a inclusão social e produtiva Fortalecer a estrutura patrimonial Aperfeiçoar a gestão de riscos e retorno Fortalecer a imagem e a presença do BNDES perante seus principais interlocutores e a sociedade em geral Promover o desenvolvimento profissional e pessoal dos empregados Valorizar a gestão de pessoal com pactuação de resultado e avaliação de desempenho
  • 11. // 11 Em qualquer operação: princípios de segregação e decisões colegiados estritamente observados EMPRESA Análise da consulta para enquadramento Comitê de Enquadramento (Superintendentes) Análise do Projeto Contratação Desembolso Cronograma Físico- Financeiro Carta Consulta Acompanhamento e Monitoramento Decisão de Enquadramento Decisão de Aprovação Fonte: BNDES Área de Planejamento Área Operacional Área Operacional Área Operacional Colegiado de Diretores
  • 12. // 12 Prover informações (transparência) e prestar contas: agenda prioritária Prestação de contas sistemática ao Conselho de Administração, MDIC, MF, MPOG, BACEN e Congresso (recursos do TN). Pronto atendimento a demandas de CGU, TCU Cooperação com sociedade civil: Plataforma BNDES Recursos CGU Deferidos Indeferidos SIC - Pedidos de Informação Maio 2012 a Julho 2013 Total de Pedidos Pedidos Atendidos BNDES 898 817 90,98% 0 7
  • 13. // 13 BNDES: porte adequado ao país. Não o maior mas entre os mais eficientes Bancos de Desenvolvimento Principal provedor de crédito de longo prazo no Brasil 100% patrimônio da União Estabilidade de Funding (FAT) 2.853 empregados Instrumentos Operações Diretas Operações Indiretas MPME (financiamento e garantia) Exportação (Pré e Pós embarque) Project finance Renda Variável Fundos Não reembolsáveis BNDES KFW Alemanha 2012 (em US$ milhões) CDB China KDB Coréia do Sul Ativos 367.825 657.347 1.191.597 147.067 Carteira de crédito 254.019 526.401 1.016.959 85.572 Lucro líquido 3.009 3.063 9.995 836 Retorno s/ativos (%) 0,90 0,47 0,92 0,50 Inadimpl (%) 0,06 0,21 0,30 1,60 Fundação 1952 1948 1994 1954 Empregados 2.853 5.190 8.038 na Fonte: Balanços dos Bancos. Foram utilizados os dados adequados ao IFRS (International Financial Reporting Standards). Fonte: BNDES
  • 14. // 14 Agenda Parte I: A economia Economia mundial, economia brasileira O investimento: situação atual e perspectivas Parte II: O BNDES Organização e processos Evolução 2007-2012 2013: desempenho operacional e financeiro Relevância e efetividade O financiamento do investimento no país Investimento no Brasil: a agenda relevante
  • 15. // 15 Demanda crescente por recursos R$ bilhões (nominais) Evolução das aprovações e desembolsos Fonte: BNDES
  • 16. // 16 Destinação de recursos sendo diversificada, seguindo transformações no país Desembolsos por Setor 2007-2012 (%) FFoonnttee:: BBNNDDEESS Desembolsos por Região 2007-2012 (%)
  • 17. // 17 Apoio a grandes empresas: são elas as principais responsáveis pelo investimento Desembolsos por Porte – 2007-2012 (%) Fonte: BNDES Maiores Empresas (Valor Econômico*) Empresas financiadas**(n) Empresas financiadas (%) 100 91 91.0 500 406 81.2 1.000 783 78.3 *Publicação “1.000 Maiores Empresas”, Agosto 2013 ** Operações entre 2007 e 2012 realizadas com empresas, com grupos econômicos ou empresas afiliadas a grupos econômicos Fonte: Valor Econômico e BNDES. Elaboração: BNDES Maiores empresas e financiamento BNDES
  • 18. // 18 Apoio a MPMEs: são elas muito relevantes para a geração de emprego Operações com MPME 2007-2012 Fonte: BNDES
  • 19. // 19 Apoio a exportações: foco em bens de capital e serviços de engenharia 3,0 2,5 2,0 1,5 1,0 0,5 Fonte: BNDES Apoio à exportação, pós-embarque, por destino 2008-2012 - . Áfica Europa e Ásia América do Norte América do Sul e Central 2008 2009 2010 2011 2012 Em US$ bilhões Acumulado 12 meses
  • 20. // 20 Carteira de Renda Variável: uma carteira institucional e estratégica Distribuição Setorial da Carteira - 2012 Evolução da Carteira Fonte: BNDES 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2007-2012 Valor estimado de mercado (R$ bi) 87,8 59,0 102,7 125,9 113,5 108,2 N. empresas com apoio direto 211 217 229 220 219 203 N. Fundos de Investimentos 26 29 31 38 38 40
  • 21. // 21 Alinhamento com prioridade de governo: apoio crescente para infraestrutura econômica Fonte: BNDES Desembolsos para infraestrutura econômica 2007-2012 Logística 8.638 2007 2008 16.017 Ferrovias Rodovias Portos Navegação Aeroportos Outros Hidrelétricas Térmicas Nuclear Energias Alternativas Distribuidoras Transmissoras 15.280 7.116 18.743 24.538 2009 2010 2011 2012 em R$ milhões (nominais) Energia
  • 22. // 22 Alinhamento com prioridade de governo: desembolsos para a indústria e inovação Desembolsos por setores do Plano Brasil Maior 2007-2012 Fonte: BNDES em R$ bilhões (nominais) Desembolsos para Inovação 2007-2012 em R$ milhões (nominais)
  • 23. // 23 Desempenho financeiro: eficiência, ativos crescentes e contribuição sistemática à União Desde 1997 o BNDES paga como dividendos pelo menos 60% do Fonte: BNDES Lucro Líquido (exceção: 1999 e 2003)
  • 24. // 24 Agenda Parte I: A economia Economia mundial, economia brasileira O investimento: situação atual e perspectivas Parte II: O BNDES Organização e processos Evolução 2007-2012 2013: desempenho operacional e financeiro Relevância e efetividade O financiamento do investimento no país Investimento no Brasil: a agenda relevante
  • 25. // 25 Desempenho operacional recente: firme demanda por recursos Fonte: BNDES R$ milhões (nominais) Consultas, Enquadramentos, Aprovações e Desembolsos, Acumulados 12 meses –Jan 2012 a Junho 2013
  • 26. // 26 Setor 2013 Δ% % Indústria 2 9.481 93% 33% Infraestrutura 27.315 36% 31% Comércio/Serviços 1 7.712 35% 20% Agropecuária 9.346 111% 11% Adm. Pública Direta - Estados1 4 .485 676% 5% Total 88.339 65% 100% 1 Proinveste, BNDES Estados e Propae Indústria 2013 Δ% % Material de Transporte 5.834 106% 20% Química e Petroquímica 4.855 228% 16% Alimento e Bebida 4.035 76% 14% Mecânica 3 .590 124% 12% Celulose e Papel 2 .555 12% 9% Outras 8 .613 79% 29% Total 29.481 93% 100% Infraestrutura 2013 Δ% % Transporte Rodoviário 10.238 36% 37% Energia Elétrica 8 .310 28% 30% Transporte Aquaviário, 3 .521 123% 13% Aéreo e Metroviário Atv. Aux. Transportes 2.093 23% 8% Transporte Ferroviário 1.143 18% 4% Outros 2 .010 8% 7% Total 27.315 36% 100% Desembolsos 1º Semestre 2013 Distribuição Setorial Fonte: BNDES em R$ milhões (nominais) Desembolsos 2013: taxas de crescimento expressivas para Indústria e Infraestrutura
  • 27. // 27 A importância das MPMEs permanece em 2013: 37% do total dos desembolsos Desembolsos para MPME: 1º Semestre 2013 e acumulados 12 meses 1° Semestre Últimos 12 meses 2012 2013 Δ% jul/11 - jun/12 jul/12 - jun/13 Δ% Desembolsos (em R$ milhões) 20.672 32.353 57% 47.219 61.803 31% Nº de Operações (em milhares) 461 527 14% 943 1.056 12% Nº de Empresas (em milhares) 161 178 11% 249 272 9% Fonte: BNDES
  • 28. // 28 Um êxito de política: o Inova Empresa – MCTI. Desembolsos BNDES 1o sem: R$ 1,7 bilhões Edital Conjunto Estimativa de Recursos/ Lançamento Parceiros Fase do Edital (Posição: 15/08/13) Submissão das Cartas de Manifestação de Interesse Seleção de Empresas Submissão de Planos de Negócio Seleção dos Planos de Negócio PAISS (concluído) R$ 1 bi 03/2011 BNDES e Finep 57 empresas R$ 10 bi 39 empresas R$ 6 bi 25 empresas 35 projetos R$ 3,1 bi 42 operações (R$ 3,4 bi) BNDES: 17 (R$ 2,1 bi) Finep: 25 (R$ 1,3 bi) R$ 3 bi (diversos editais) 09/2012 BNDES, Finep e Petrobras 38 empresas 62 projetos R$ 2,7 bi 23 empresas 35 projetos R$ 0,85 bi 16 empresas 25 projetos R$ 0,5 bi até 06/08 R$ 3 bi 04/2013 BNDES, Finep e ANEEL 373 empresas R$ 12,3 bi 127 empresas R$ 9,8 bi até 29/08 (*) Equipamentos médicos (**) Biofármacos, farmoquímicos e medicamentos (*) R$ 0,6 bi 04/2013 BNDES, Finep e MS 145 empresas R$ 1,3 bi 74 empresas R$ 0,9 bi até 20/09 (**) R$ 1,3 bi Finep, MS e CNPq 63 empresas R$ 3,6 bi 26 empresas R$ 3 bi até 05/09 R$ 2,9 bi 05/2013 BNDES, Finep, MD e AEB 285 empresas R$ 13 bi 69 empresas R$ 12,6 bi até 10/10 R$ 1 bi 05/2013 BNDES e Finep 370 empresas R$ 5,6 bi até 17/09 Total R$ 12,8 bi - 1.331 empresas R$ 48,5 bi 358 empresas R$ 27,15 bi Fonte: BNDES
  • 29. // 29 Continua firme desembolso para regiões NE e N Desembolsos por região: 1o semestre 2013 e acumulados 12 meses FFoonnttee:: BBNNDDEESS em R$ milhões (nominais) 1° Semestre Últimos 12 meses 2012 2013 Δ% jul/11 - jun/12 jul/12 - jun/13 Δ% Norte 5.452 5.284 -3% 12.861 13.173 2% Nordeste 6.016 11.625 93% 17.266 26.657 54% Sudeste 25.549 39.520 55% 66.869 86.411 29% Sul 11.003 22.147 101% 27.986 40.209 44% Centro-Oeste 5.519 9.763 77% 11.925 24.343 104%
  • 30. // 30 Desempenho financeiro 2013: resultados muito positivos Consolidado BNDES Indicadores financeiros Consolidado BNDES Indicadores financeiros Índice de Basiléia: 15,8%. Mínimo exigido: 11% Fonte: BNDES R$ milhões JUN/13 DEZ/12 Ativos Totais - AT 729.028 715.498 Patrimônio Líquido - PL 55.172 49.993 Patrimônio de Referência - PR 96.021 89.598 Inadimplência 0,02% 0,06% JUN/13 JUN/12 Resultado Líquido 3.261 2 .709 Rentabilidade do PL 1/ 6,96% 5,82% 1/ Exclui ajuste a valor justo de participações societárias em não coligadas.
  • 31. // 31 Agenda Parte I: A economia Economia mundial, economia brasileira O investimento: situação atual e perspectivas Parte II: O BNDES Organização e processos Evolução 2007-2012 2013: desempenho operacional e financeiro Relevância e efetividade O financiamento do investimento no país Investimento no Brasil: a agenda relevante
  • 32. // 32 O BNDES é relevante para a geração de empregos Empregos gerados / mantidos com a realização do projeto financiado por conta dos desembolsos e do investimento total (milhares) Fonte: IBGE, MTE, FGV, BNDES. Elaboração : BNDES
  • 33. // 33 Apoio estratégico ao investimento, principalmente em períodos de contração da oferta de recursos Formação Bruta de Capital Fixo (FBKF) e Desembolsos do BNDES (R$ Bilhões) - a preços de 2011 FBKF (*) 140 120 100 80 Desembolsos BNDES p FBKF (**) 900 800 700 600 500 400 300 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 p 2013 p 60 40 20 0 (**) exclui dos desembolsos totais as operações de Exim Pré e Pós; Giro, Ajuste Fiscal, Fusão/Aquisição; Internacionalização e Mercado de Capitais (*) FBKF: valores projetados para o 4T/2012 e para 2013 Fonte: BNDES
  • 34. // 34 O apoio do BNDES implica adicionalidade ao investimento e impacta positivamente os beneficiários Taxa de crescimento do ativo fixo de 3.000 empresas industriais – apoiadas x não apoiadas em 2010 Não apoiadas Fonte: BNDES, a partir de dados da SERASA. 21% 23% 1 0% 0% 5% 1 0% 15% 2 0% 2 5% 30% 35% Apoiadas Inves timento sem BNDES Incremento do BNDES 16 avaliações publicadas sobre BNDES, entre 2006 e 2013: 11 mostram impactos positivos e 5 parcialmente positivos ou resultados não significativos. Temas: emprego, produtividade, desempenho financeiro, exportações de empresas e avaliações de setores ou de municípios (4 por técnicos do BNDES)
  • 35. // 35 2012 2012 (R$ milhões) (% do PIB) Subsídios Brutos (SPE) 12.687 0,29 Implícitos 11.935 0,27 Equalizações 752 0,02 Tributos (59,8%) -2.715 -0,06 Dividendos (59,8%) -7.738 -0,18 Subsídio Líquido 2.234 0,05 Efeitos Positivos (em 2012) Acréscimo de Investimentos 8 bilhões Multiplicador 1,5 Acréscimo de PIB 12 bilhões Carga tributária 20% federal (média) Arrecadação Federal + 2,4 bilhões RESULTADO (em 2012) Efeitos Positivos – Custos = + R$ 0,2 bilhão Benefícios de curto prazo superam custo dos empréstimos do TN/MF ao BNDES
  • 36. // 36 Agenda Parte I: A economia Economia mundial, economia brasileira O investimento: situação atual e perspectivas Parte II: O BNDES Organização e processos Evolução 2007-2012 2013: desempenho operacional e financeiro Relevância e efetividade O financiamento do investimento no país Investimento no Brasil: a agenda relevante
  • 37. // 37 Financiamento de longo prazo no Brasil: muito espaço para avançar Debêntures / PIB (%) 2010 Crédito / PIB (%) 2010 Fonte: Financial Structure Database e BIS - 2010 Custo de Captação Externa (Em R$) Rating Prazo Global 5 anos 10 anos BBB+ 13,17% 14,73% BBB 14,08% 16,70% BBB- 14,95% 16,92% Custo de Captação Local (Em R$) Rating Local Prazo 5 anos 10 anos brAAA 12,50% 13,04% brAA 13,41% 14,22% Fonte: ANBIMA/Bloomberg. Operações no mercado secundário. Média julho/2013.
  • 38. // 38 BNDES e seus pares: tamanho relativo equivalente mas o mercado de crédito brasileiro surge como limitado BNDES e seus pares internacionais em 2012 (carteira de crédito s/PIB e carteira de crédito s/estoque de crédito) Fonte: Relatórios anuais dos respectivos bancos, IIF e Bancos Centrais dos respectivos países. Elaboração: BNDES. KDB: Korea Development Bank; CDB: China Development Bank; KfW: KfW Bankengruppe (Alemanha).
  • 39. // 39 Mas trajetória é de ampliação e diversificação de fontes de financiamento Fontes de financiamento do investimento na indústria e na infraestrutura Fonte: BNDES
  • 40. // 40 Agenda Parte I: A economia Economia mundial, economia brasileira O investimento: situação atual e perspectivas Parte II: O BNDES Organização e processos Evolução 2007-2012 2013: desempenho operacional e financeiro Relevância e efetividade O financiamento do investimento no país Investimento no Brasil: a agenda relevante
  • 41. // 41 A agenda relevante (associada à missão do BNDES) Economia internacional: crises sendo afastadas; crescimento sustentável ainda incerto; novos desafios, novas oportunidades Economia brasileira: perspectivas favoráveis para o investimento; melhora da competitividade em perspectiva BNDES: Instituição do Estado: oferta adequada de crédito de longo prazo é condição necessária para o desenvolvimento de uma economia sofisticada e complexa 2013: bom desempenho indica transição para um crescimento sustentável Desafios país: expandir infraestruturas; ampliar a capacidade de inovar; diversificar fontes de financiamento de longo prazo Consenso a fortalecer: o investimento deve liderar o crescimento econômico
  • 42. // 42 Investimento, Financiamento e o BNDES 27 de Agosto de 2013 Luciano Coutinho