SlideShare uma empresa Scribd logo
O que é Inspeção Sanitária?
 Fiscalização da qualidade higiênico-sanitária dos Produtos de
  Origem Animal (POA)
  ◦   Fiscalização industrial, de comércio varejista e atacadista
  ◦   Inspeção de alimentos
  ◦   Vistorias técnicas e emissão de laudos
  ◦   Análise de projetos para construção de estabelecimentos




 Lei Nº502/92, Regulamento de Inspeção Industrial e Sanitária de
  Produtos de Origem Animal (RIISPOA) e Sistema Unificado de
  Atenção à Sanidade Agropecuária (SUASA).
Quem está sujeito à inspeção?
   Foco da inspeção
    ◦ qualidade sanitária do produto e do processo produtivo
    ◦ analisar toda a cadeia, da produção da matéria-prima até o
      produto final

   Produtos de Origem Animal (POA)
    ◦ Carne e seus derivados (bovídeos, suínos, ovinos, caprinos,
      coelhos, aves, animais de caça, pescado)
    ◦ Leite
    ◦ Ovo
    ◦ Mel e derivados
    ◦ Ingredientes utilizados na industrialização
    ◦ Produtos afins (coagulantes, condimentos, corantes,
      conservadores, antioxidantes, fermentos e outros usados nos
      estabelecimentos de produtos de origem animal)
•   Propriedades e Estabelecimentos de
    POA
    – Propriedades rurais
    – Estabelecimentos industriais
    – Meios de manipulação
    – Meios de transporte
POR QUE EXISTEM AS EMPRESAS
DE
CONSULTORIA EM INSPEÇÃO
SANITÁRIA?
•   Necessidade de se manter em sincronia
    com as normas de regulação (demanda do
    mercado x falência)
    o Dificuldade em encontrar a legislação de
      referência
    o Informações desencontradas dos órgãos de
      vigilância oficiais
• Barreiras não-tarifárias
• Exigências do mercado por produtos
  certificados
QUAIS AS ÁREAS DE ATUAÇÃO DA EMPRESA DE
CONSULTORIA EM INSPEÇÃO SANITÁRIA?
1. Pré-Vistoria;
2. Certificações;
   a) Alvará Sanitário
   b) Autorização de Funcionamento de Empresa (AFE)
   c) Certificação de BPF Nacional e Mercosul ou
      Internacional
   d) Notificação e Registro de Produtos junto a ANVISA
3. Obtenção de aprovação junto ao EMEA
   (Europa e Japão) ou FDA (EUA)
QUAL O PÚBLICO ALVO DE UMA EMPRESA
DE CONSULTORIA EM INSPEÇÃO
SANITÁRIA?
• Empresas da iniciativa privada
  reconhecidas ou que buscam
  reconhecimento através da qualidade de
  seus produtos e serviços
Mercado Futuro
• Crescente cobrança para:
  – Produtos seguros para o consumo
  – Adequação às normas sanitárias e aos níveis de
    contaminação aceitos
  – Certificação
• Mercado consumidor mais exigente
  –   Orgânicos
  –   Isento de hormônios
  –   Isente de antibióticos
  –   Ecologicamente corretos
Objetivos
   O objetivo desta atividade é não só
    impedir que a convivência homem-
    animal resulte em riscos à saúde
    humana, mas também evitar que estes
    animais sejam submetidos a abusos ou
    maus tratos.
Conclusão
    Atualmente produtos com uma melhor
 qualidade e garantia (segurança alimentar) de
 inocuidade são mais aceitos e mais
 procurados. A empresa de consultoria é o
 melhor instrumento para alcançar o sucesso
 neste quesito.
Grupo
 Arestides
 Elthon
 Jarbas
 Jomar
 Victor

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Práticas gerais de arraçoamento para cavalos
Práticas gerais de arraçoamento para cavalosPráticas gerais de arraçoamento para cavalos
Práticas gerais de arraçoamento para cavalos
Michel Oliveira
 
49396391 riispoa
49396391 riispoa49396391 riispoa
49396391 riispoa
Daniel Jovana Joaquim
 
Doenças de suídeos OIE
Doenças de suídeos OIEDoenças de suídeos OIE
Doenças de suídeos OIE
Marília Gomes
 
Apresentacao CTC ( ITAL)
Apresentacao CTC ( ITAL)Apresentacao CTC ( ITAL)
Apresentacao CTC ( ITAL)
Agricultura Sao Paulo
 
ABATE-E-INSPEÇÃO-DE-BOVINOS-Carlos-Alberto-Ramos-Nogueira.pdf
ABATE-E-INSPEÇÃO-DE-BOVINOS-Carlos-Alberto-Ramos-Nogueira.pdfABATE-E-INSPEÇÃO-DE-BOVINOS-Carlos-Alberto-Ramos-Nogueira.pdf
ABATE-E-INSPEÇÃO-DE-BOVINOS-Carlos-Alberto-Ramos-Nogueira.pdf
AndrezaM1
 
AULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdf
AULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdfAULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdf
AULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdf
Aldrin83
 
Introdução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animal
Introdução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animalIntrodução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animal
Introdução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animal
Marília Gomes
 
Segurança Alimentar de Produtos de Origem Animal – POA
Segurança Alimentar de Produtos de Origem Animal – POASegurança Alimentar de Produtos de Origem Animal – POA
Segurança Alimentar de Produtos de Origem Animal – POA
Ministério Público de Santa Catarina
 
Bem-estar animal 1
Bem-estar animal 1Bem-estar animal 1
Bem-estar animal 1
Marília Gomes
 
ICSC48 - Criação e manejo de coelhos
ICSC48 - Criação e manejo de coelhosICSC48 - Criação e manejo de coelhos
ICSC48 - Criação e manejo de coelhos
Ricardo Portela
 
Introdução a Equinocultura
Introdução a EquinoculturaIntrodução a Equinocultura
Introdução a Equinocultura
Killer Max
 
Manejo reprodutivo em bovinos de corte low
Manejo reprodutivo em bovinos de corte lowManejo reprodutivo em bovinos de corte low
Manejo reprodutivo em bovinos de corte low
Universidade de São Paulo
 
Exame fisico geral
Exame fisico geralExame fisico geral
Exame fisico geral
Jamile Vitória
 
AULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdf
AULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdfAULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdf
AULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdf
Aldrin83
 
Nutricao Animal
Nutricao AnimalNutricao Animal
Pré-abate e Abate de aves.pptx
Pré-abate e Abate de aves.pptxPré-abate e Abate de aves.pptx
Pré-abate e Abate de aves.pptx
GiulianeSantos2
 
Aula 5_ ZAZ1329_Genetica_melhoramento_genetico.pdf
Aula 5_ ZAZ1329_Genetica_melhoramento_genetico.pdfAula 5_ ZAZ1329_Genetica_melhoramento_genetico.pdf
Aula 5_ ZAZ1329_Genetica_melhoramento_genetico.pdf
Maria Silva
 
FLUXOGRAMA.pptx
FLUXOGRAMA.pptxFLUXOGRAMA.pptx
FLUXOGRAMA.pptx
EvelynPinheiro15
 
Aula 6 introdução à inspeção e inspeção ante mortem
Aula 6   introdução à inspeção e inspeção ante mortemAula 6   introdução à inspeção e inspeção ante mortem
Aula 6 introdução à inspeção e inspeção ante mortem
EduardoViola4
 
Mapa - Bem Estar Animal
Mapa - Bem Estar AnimalMapa - Bem Estar Animal
Mapa - Bem Estar Animal
BeefPoint
 

Mais procurados (20)

Práticas gerais de arraçoamento para cavalos
Práticas gerais de arraçoamento para cavalosPráticas gerais de arraçoamento para cavalos
Práticas gerais de arraçoamento para cavalos
 
49396391 riispoa
49396391 riispoa49396391 riispoa
49396391 riispoa
 
Doenças de suídeos OIE
Doenças de suídeos OIEDoenças de suídeos OIE
Doenças de suídeos OIE
 
Apresentacao CTC ( ITAL)
Apresentacao CTC ( ITAL)Apresentacao CTC ( ITAL)
Apresentacao CTC ( ITAL)
 
ABATE-E-INSPEÇÃO-DE-BOVINOS-Carlos-Alberto-Ramos-Nogueira.pdf
ABATE-E-INSPEÇÃO-DE-BOVINOS-Carlos-Alberto-Ramos-Nogueira.pdfABATE-E-INSPEÇÃO-DE-BOVINOS-Carlos-Alberto-Ramos-Nogueira.pdf
ABATE-E-INSPEÇÃO-DE-BOVINOS-Carlos-Alberto-Ramos-Nogueira.pdf
 
AULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdf
AULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdfAULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdf
AULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdf
 
Introdução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animal
Introdução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animalIntrodução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animal
Introdução Etologia e bem-estar animal - etologia e bem-estar animal
 
Segurança Alimentar de Produtos de Origem Animal – POA
Segurança Alimentar de Produtos de Origem Animal – POASegurança Alimentar de Produtos de Origem Animal – POA
Segurança Alimentar de Produtos de Origem Animal – POA
 
Bem-estar animal 1
Bem-estar animal 1Bem-estar animal 1
Bem-estar animal 1
 
ICSC48 - Criação e manejo de coelhos
ICSC48 - Criação e manejo de coelhosICSC48 - Criação e manejo de coelhos
ICSC48 - Criação e manejo de coelhos
 
Introdução a Equinocultura
Introdução a EquinoculturaIntrodução a Equinocultura
Introdução a Equinocultura
 
Manejo reprodutivo em bovinos de corte low
Manejo reprodutivo em bovinos de corte lowManejo reprodutivo em bovinos de corte low
Manejo reprodutivo em bovinos de corte low
 
Exame fisico geral
Exame fisico geralExame fisico geral
Exame fisico geral
 
AULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdf
AULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdfAULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdf
AULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdf
 
Nutricao Animal
Nutricao AnimalNutricao Animal
Nutricao Animal
 
Pré-abate e Abate de aves.pptx
Pré-abate e Abate de aves.pptxPré-abate e Abate de aves.pptx
Pré-abate e Abate de aves.pptx
 
Aula 5_ ZAZ1329_Genetica_melhoramento_genetico.pdf
Aula 5_ ZAZ1329_Genetica_melhoramento_genetico.pdfAula 5_ ZAZ1329_Genetica_melhoramento_genetico.pdf
Aula 5_ ZAZ1329_Genetica_melhoramento_genetico.pdf
 
FLUXOGRAMA.pptx
FLUXOGRAMA.pptxFLUXOGRAMA.pptx
FLUXOGRAMA.pptx
 
Aula 6 introdução à inspeção e inspeção ante mortem
Aula 6   introdução à inspeção e inspeção ante mortemAula 6   introdução à inspeção e inspeção ante mortem
Aula 6 introdução à inspeção e inspeção ante mortem
 
Mapa - Bem Estar Animal
Mapa - Bem Estar AnimalMapa - Bem Estar Animal
Mapa - Bem Estar Animal
 

Destaque

Inspecao Sanitaria
Inspecao SanitariaInspecao Sanitaria
Tecnologia de carnes
Tecnologia de carnesTecnologia de carnes
Tecnologia de carnes
Alvaro Galdos
 
Ante morten
Ante mortenAnte morten
Ante morten
Maira Veruska
 
Aula processamento de carnes abate
Aula processamento de carnes abateAula processamento de carnes abate
Aula processamento de carnes abate
joelbadboy
 
Riispoa
RiispoaRiispoa
SERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPAL
SERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPALSERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPAL
SERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPAL
Lenildo Araujo
 
Regulamento básico de inspeção e sistema de qualidade de alimentos
Regulamento básico de inspeção e sistema de qualidade de alimentosRegulamento básico de inspeção e sistema de qualidade de alimentos
Regulamento básico de inspeção e sistema de qualidade de alimentos
Adoilson Amorim Carvalhedo
 
Carne e cortes
Carne e cortesCarne e cortes
Carne e cortes
Marcelo Toscani
 
Curso de manipulador de alimentos: açougue
Curso de manipulador de alimentos: açougueCurso de manipulador de alimentos: açougue
Curso de manipulador de alimentos: açougue
Fábio Baía
 
Crematório, Medellín, Colômbia
Crematório, Medellín, ColômbiaCrematório, Medellín, Colômbia
Crematório, Medellín, Colômbia
Ítalo Fernandes
 
INCINERAÇÃO E SAÚDE HUMANA
INCINERAÇÃO E SAÚDE HUMANAINCINERAÇÃO E SAÚDE HUMANA
INCINERAÇÃO E SAÚDE HUMANA
mncr catadores
 
Apresentação sobre maria thereza amaral - 2014
Apresentação sobre maria thereza amaral - 2014Apresentação sobre maria thereza amaral - 2014
Apresentação sobre maria thereza amaral - 2014
Homeopatia e Cia
 
Art 186-Ictericia \ Inspecao veterinaria
Art 186-Ictericia \ Inspecao veterinariaArt 186-Ictericia \ Inspecao veterinaria
Art 186-Ictericia \ Inspecao veterinaria
Maira Veruska
 
Sim consorcio e normas para pequenas agroindútrias
Sim consorcio e normas para pequenas agroindútriasSim consorcio e normas para pequenas agroindútrias
Sim consorcio e normas para pequenas agroindútrias
edsonporto100
 
Carne sol ovinos
Carne sol ovinosCarne sol ovinos
Carne sol ovinos
Samira Mantilla
 
Platelmintos verminoses
Platelmintos verminosesPlatelmintos verminoses
Platelmintos verminoses
Joao Moreira
 
Abate de animais no brasil
Abate de animais no brasilAbate de animais no brasil
Abate de animais no brasil
Everaldo
 
Apresentacao sim - araçoiaba da serra
Apresentacao sim - araçoiaba da serraApresentacao sim - araçoiaba da serra
Apresentacao sim - araçoiaba da serra
Mariana Benitez Fini
 
Apostila Mapa | Agente de Inspeção 2014
Apostila Mapa | Agente de Inspeção 2014Apostila Mapa | Agente de Inspeção 2014
Apostila Mapa | Agente de Inspeção 2014
Daniel Alex Xavier
 
Riispoa novo
Riispoa novoRiispoa novo
Riispoa novo
José Luís Franco
 

Destaque (20)

Inspecao Sanitaria
Inspecao SanitariaInspecao Sanitaria
Inspecao Sanitaria
 
Tecnologia de carnes
Tecnologia de carnesTecnologia de carnes
Tecnologia de carnes
 
Ante morten
Ante mortenAnte morten
Ante morten
 
Aula processamento de carnes abate
Aula processamento de carnes abateAula processamento de carnes abate
Aula processamento de carnes abate
 
Riispoa
RiispoaRiispoa
Riispoa
 
SERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPAL
SERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPALSERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPAL
SERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPAL
 
Regulamento básico de inspeção e sistema de qualidade de alimentos
Regulamento básico de inspeção e sistema de qualidade de alimentosRegulamento básico de inspeção e sistema de qualidade de alimentos
Regulamento básico de inspeção e sistema de qualidade de alimentos
 
Carne e cortes
Carne e cortesCarne e cortes
Carne e cortes
 
Curso de manipulador de alimentos: açougue
Curso de manipulador de alimentos: açougueCurso de manipulador de alimentos: açougue
Curso de manipulador de alimentos: açougue
 
Crematório, Medellín, Colômbia
Crematório, Medellín, ColômbiaCrematório, Medellín, Colômbia
Crematório, Medellín, Colômbia
 
INCINERAÇÃO E SAÚDE HUMANA
INCINERAÇÃO E SAÚDE HUMANAINCINERAÇÃO E SAÚDE HUMANA
INCINERAÇÃO E SAÚDE HUMANA
 
Apresentação sobre maria thereza amaral - 2014
Apresentação sobre maria thereza amaral - 2014Apresentação sobre maria thereza amaral - 2014
Apresentação sobre maria thereza amaral - 2014
 
Art 186-Ictericia \ Inspecao veterinaria
Art 186-Ictericia \ Inspecao veterinariaArt 186-Ictericia \ Inspecao veterinaria
Art 186-Ictericia \ Inspecao veterinaria
 
Sim consorcio e normas para pequenas agroindútrias
Sim consorcio e normas para pequenas agroindútriasSim consorcio e normas para pequenas agroindútrias
Sim consorcio e normas para pequenas agroindútrias
 
Carne sol ovinos
Carne sol ovinosCarne sol ovinos
Carne sol ovinos
 
Platelmintos verminoses
Platelmintos verminosesPlatelmintos verminoses
Platelmintos verminoses
 
Abate de animais no brasil
Abate de animais no brasilAbate de animais no brasil
Abate de animais no brasil
 
Apresentacao sim - araçoiaba da serra
Apresentacao sim - araçoiaba da serraApresentacao sim - araçoiaba da serra
Apresentacao sim - araçoiaba da serra
 
Apostila Mapa | Agente de Inspeção 2014
Apostila Mapa | Agente de Inspeção 2014Apostila Mapa | Agente de Inspeção 2014
Apostila Mapa | Agente de Inspeção 2014
 
Riispoa novo
Riispoa novoRiispoa novo
Riispoa novo
 

Semelhante a Inspeção Sanitaria

03
0303
Treinamento - Manipulação de Alimentos - DEMONSTRADORAS.pptx
Treinamento - Manipulação de Alimentos - DEMONSTRADORAS.pptxTreinamento - Manipulação de Alimentos - DEMONSTRADORAS.pptx
Treinamento - Manipulação de Alimentos - DEMONSTRADORAS.pptx
Bruno José Guimarães
 
Aula qualidade cert_day2
Aula qualidade cert_day2Aula qualidade cert_day2
Aula qualidade cert_day2
Danilo Macarini
 
Mecanismos de controle orgânicos
Mecanismos de controle orgânicosMecanismos de controle orgânicos
Mecanismos de controle orgânicos
Lidiane Martins
 
Apresentação 11
Apresentação 11Apresentação 11
Apresentação 11
Andrei Sampedro
 
CONTROLE DE QUALIDADE - PROCEDÊNCIA - VIGILÂNCIA SANITÁRIA - FISCALIZAÇÃO - L...
CONTROLE DE QUALIDADE - PROCEDÊNCIA - VIGILÂNCIA SANITÁRIA - FISCALIZAÇÃO - L...CONTROLE DE QUALIDADE - PROCEDÊNCIA - VIGILÂNCIA SANITÁRIA - FISCALIZAÇÃO - L...
CONTROLE DE QUALIDADE - PROCEDÊNCIA - VIGILÂNCIA SANITÁRIA - FISCALIZAÇÃO - L...
GiulianeSantos2
 
BPF- Boas prática de fabricação em fábricas de ração
BPF- Boas prática de fabricação em fábricas de raçãoBPF- Boas prática de fabricação em fábricas de ração
BPF- Boas prática de fabricação em fábricas de ração
Carla Souza
 
Apresentação .pdf
Apresentação .pdfApresentação .pdf
Apresentação .pdf
anat67
 
A ATUAÇÃO DO BIOMÉDICO NA VIGILÂNCIA SANITÁRIA
A ATUAÇÃO DO BIOMÉDICO NA VIGILÂNCIA SANITÁRIA A ATUAÇÃO DO BIOMÉDICO NA VIGILÂNCIA SANITÁRIA
A ATUAÇÃO DO BIOMÉDICO NA VIGILÂNCIA SANITÁRIA
Larah Oliveira
 
Responsabilidades do técnico na indústria de laticínios
Responsabilidades do técnico na indústria de laticíniosResponsabilidades do técnico na indústria de laticínios
Responsabilidades do técnico na indústria de laticínios
João Felix
 
1861
18611861
1861
Pelo Siro
 
Ucdb 20 ago b
Ucdb 20 ago bUcdb 20 ago b
Homol
HomolHomol
2 homologacao dos pf
2 homologacao dos pf2 homologacao dos pf
1 8 nova versao
1 8 nova versao1 8 nova versao
Palestra_FATEC.pptx
Palestra_FATEC.pptxPalestra_FATEC.pptx
Palestra_FATEC.pptx
Eduardo Gouveia Monteiro
 
Homg
HomgHomg
Vigilancia Sanitaria
Vigilancia SanitariaVigilancia Sanitaria
Homolgacaopf
HomolgacaopfHomolgacaopf
Homolgacaopf
ngelaPereira25
 
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...
cbsaf
 

Semelhante a Inspeção Sanitaria (20)

03
0303
03
 
Treinamento - Manipulação de Alimentos - DEMONSTRADORAS.pptx
Treinamento - Manipulação de Alimentos - DEMONSTRADORAS.pptxTreinamento - Manipulação de Alimentos - DEMONSTRADORAS.pptx
Treinamento - Manipulação de Alimentos - DEMONSTRADORAS.pptx
 
Aula qualidade cert_day2
Aula qualidade cert_day2Aula qualidade cert_day2
Aula qualidade cert_day2
 
Mecanismos de controle orgânicos
Mecanismos de controle orgânicosMecanismos de controle orgânicos
Mecanismos de controle orgânicos
 
Apresentação 11
Apresentação 11Apresentação 11
Apresentação 11
 
CONTROLE DE QUALIDADE - PROCEDÊNCIA - VIGILÂNCIA SANITÁRIA - FISCALIZAÇÃO - L...
CONTROLE DE QUALIDADE - PROCEDÊNCIA - VIGILÂNCIA SANITÁRIA - FISCALIZAÇÃO - L...CONTROLE DE QUALIDADE - PROCEDÊNCIA - VIGILÂNCIA SANITÁRIA - FISCALIZAÇÃO - L...
CONTROLE DE QUALIDADE - PROCEDÊNCIA - VIGILÂNCIA SANITÁRIA - FISCALIZAÇÃO - L...
 
BPF- Boas prática de fabricação em fábricas de ração
BPF- Boas prática de fabricação em fábricas de raçãoBPF- Boas prática de fabricação em fábricas de ração
BPF- Boas prática de fabricação em fábricas de ração
 
Apresentação .pdf
Apresentação .pdfApresentação .pdf
Apresentação .pdf
 
A ATUAÇÃO DO BIOMÉDICO NA VIGILÂNCIA SANITÁRIA
A ATUAÇÃO DO BIOMÉDICO NA VIGILÂNCIA SANITÁRIA A ATUAÇÃO DO BIOMÉDICO NA VIGILÂNCIA SANITÁRIA
A ATUAÇÃO DO BIOMÉDICO NA VIGILÂNCIA SANITÁRIA
 
Responsabilidades do técnico na indústria de laticínios
Responsabilidades do técnico na indústria de laticíniosResponsabilidades do técnico na indústria de laticínios
Responsabilidades do técnico na indústria de laticínios
 
1861
18611861
1861
 
Ucdb 20 ago b
Ucdb 20 ago bUcdb 20 ago b
Ucdb 20 ago b
 
Homol
HomolHomol
Homol
 
2 homologacao dos pf
2 homologacao dos pf2 homologacao dos pf
2 homologacao dos pf
 
1 8 nova versao
1 8 nova versao1 8 nova versao
1 8 nova versao
 
Palestra_FATEC.pptx
Palestra_FATEC.pptxPalestra_FATEC.pptx
Palestra_FATEC.pptx
 
Homg
HomgHomg
Homg
 
Vigilancia Sanitaria
Vigilancia SanitariaVigilancia Sanitaria
Vigilancia Sanitaria
 
Homolgacaopf
HomolgacaopfHomolgacaopf
Homolgacaopf
 
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...
 

Inspeção Sanitaria

  • 1.
  • 2. O que é Inspeção Sanitária?  Fiscalização da qualidade higiênico-sanitária dos Produtos de Origem Animal (POA) ◦ Fiscalização industrial, de comércio varejista e atacadista ◦ Inspeção de alimentos ◦ Vistorias técnicas e emissão de laudos ◦ Análise de projetos para construção de estabelecimentos  Lei Nº502/92, Regulamento de Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal (RIISPOA) e Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (SUASA).
  • 3. Quem está sujeito à inspeção?  Foco da inspeção ◦ qualidade sanitária do produto e do processo produtivo ◦ analisar toda a cadeia, da produção da matéria-prima até o produto final  Produtos de Origem Animal (POA) ◦ Carne e seus derivados (bovídeos, suínos, ovinos, caprinos, coelhos, aves, animais de caça, pescado) ◦ Leite ◦ Ovo ◦ Mel e derivados ◦ Ingredientes utilizados na industrialização ◦ Produtos afins (coagulantes, condimentos, corantes, conservadores, antioxidantes, fermentos e outros usados nos estabelecimentos de produtos de origem animal)
  • 4. Propriedades e Estabelecimentos de POA – Propriedades rurais – Estabelecimentos industriais – Meios de manipulação – Meios de transporte
  • 5. POR QUE EXISTEM AS EMPRESAS DE CONSULTORIA EM INSPEÇÃO SANITÁRIA? • Necessidade de se manter em sincronia com as normas de regulação (demanda do mercado x falência) o Dificuldade em encontrar a legislação de referência o Informações desencontradas dos órgãos de vigilância oficiais • Barreiras não-tarifárias • Exigências do mercado por produtos certificados
  • 6. QUAIS AS ÁREAS DE ATUAÇÃO DA EMPRESA DE CONSULTORIA EM INSPEÇÃO SANITÁRIA? 1. Pré-Vistoria; 2. Certificações; a) Alvará Sanitário b) Autorização de Funcionamento de Empresa (AFE) c) Certificação de BPF Nacional e Mercosul ou Internacional d) Notificação e Registro de Produtos junto a ANVISA 3. Obtenção de aprovação junto ao EMEA (Europa e Japão) ou FDA (EUA)
  • 7. QUAL O PÚBLICO ALVO DE UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM INSPEÇÃO SANITÁRIA? • Empresas da iniciativa privada reconhecidas ou que buscam reconhecimento através da qualidade de seus produtos e serviços
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12. Mercado Futuro • Crescente cobrança para: – Produtos seguros para o consumo – Adequação às normas sanitárias e aos níveis de contaminação aceitos – Certificação • Mercado consumidor mais exigente – Orgânicos – Isento de hormônios – Isente de antibióticos – Ecologicamente corretos
  • 13. Objetivos  O objetivo desta atividade é não só impedir que a convivência homem- animal resulte em riscos à saúde humana, mas também evitar que estes animais sejam submetidos a abusos ou maus tratos.
  • 14. Conclusão Atualmente produtos com uma melhor qualidade e garantia (segurança alimentar) de inocuidade são mais aceitos e mais procurados. A empresa de consultoria é o melhor instrumento para alcançar o sucesso neste quesito.
  • 15. Grupo  Arestides  Elthon  Jarbas  Jomar  Victor