SlideShare uma empresa Scribd logo
MSc LORENA ALMEIDA DE MELO
 MEMBRANA PLASMÁTICA
 Membrana que envolve a célula

≠
 MEMBRANA EPITELIAIS

 Tecidos epiteliais que revestem uma cavidade ou

separam dois compartimentos
 Ex: membrana pleural, membranas peritoniais
 ISOLAMENTO FÍSICO
 Barreira física que separa o interior da célula do

fluxo extracelular adjacente
 REGULAÇÃO DAS TROCAS COM O AMBIENTE
 Controla a entrada de íons e nutrientes, a

eliminação de excretas, e a liberação de produtos
de secreção
 COMUNICAÇÃO ENTRE A CÉLULA E SEU
AMBIENTE
 COMUNICAÇÃO

ENTRE

A CÉLULA E

SEU

AMBIENTE
 Contato direto tanto com o citosol quanto com o
fluido extracelular.

 SUPORTE ESTRUTURAL
 Proteínas da membrana celular – formato celular
# FOSFOLIPÍDIO
 HIDROFÓBICA (radicais ácidos graxos)
 Repele a água
 Atração das moléculas - alinhamento na parte

central da membrana;
 Ex: O2, CO2 e álcool.
 HIDROFÍLICA (fração fosfato)
 Solúvel em água.
 Contato com as soluções aquosas – LIC e LEC.
 Ex: íons, glicose e uréia.
# COLESTEROL
 São hidrofóbicas
 Localização: porção central da bicamada lipídica
 Mantém a membrana impermeável a moléculas

solúveis em água.
# PROTEÍNAS
 Periféricas ou Extrínsecas
 Presa a proteína integral ou a regiões polares
dos fosfolipídios;
 Ex: receptores hormonais; enzimas.
# PROTEÍNAS
 Integrais ou
Intrínsecas
 Ligada a bicamada
fosfolipídica;
 Proteínas
transmembrana:
atravessam toda a
membrana
 1- PROTEÍNA ESTRUTURAIS
 Conectar

a membrana ao citoesqueleto para
manter a forma da célula
 Junções celulares
 Ex: junções comunicantes
 2- ENZIMAS
 Catalisam reações químicas
 Superfície externa da célula ou lado interno do

citoplasma
 3- RECEPTORES
 Sistema químico de sinalização do corpo
 Receptor específico
 Ligante+receptor – eventos adicionais na célula
 3- RECEPTORES
 4- TRANSPORTADORES
 PROTEÍNAS DE CANAIS
 Criam passagem cheia de água ligando os

compartimentos extracelular e intracelular
 Transporte rápido porém sem seletividade
 Passagem de água (aquaporina) e íons
(seletivos ou não)
 Porta dos canais de proteínas
 Canais abertos – canais de vazamento ou
poros
 Canais fechados – não permite movimento
através dele - regulam o movimento entre LIC e
LEC
 4- TRANSPORTADORES
 PROTEÍNAS DE CANAIS
 Controle da abertura ou fechamento dos canais com

porta
 Moléculas mensageiras intracelulares - ligantes

extracelulares (canais fechados quimicamente)
 Estado elétrico (canais fechados eletricamente)

física (↑ de temperatura ou mecanismo
que produza tensão - canais fechados
mecanicamente.

 Mudança
 4- TRANSPORTADORES
 PROTEÍNAS DE CANAIS
 4- TRANSPORTADORES
 PROTEÍNAS CARREADORAS
 Ligam-se a moléculas específicas (substratos) e

carregam estas através
mudança na sua forma.

da

membrana

pela

 São lentas, seletivas e transportam moléculas

grandes.
 Não criam uma passagem contínua entre o lado de

dentro e de fora da célula
 4- TRANSPORTADORES
 PROTEÍNAS CARREADORAS
 # CARBOIDRATOS
 Polímeros de glicose que se ligam às proteínas da
membrana (glicoproteínas) ou a lipídios da membrana
(glicolipídios)
 Localização: superfície externa da célula
 Formam camada protetora (glicocálice)
 Possuem papel-chave na resposta imunológica do
corpo
 CARACTERÍSTICAS
 Moléculas permeáveis ou impermeável
 Permeável – molécula que cruza a membrana
 Impermeável – não permite que a molécula cruze a
membrana
 Propriedades que influenciam o movimento através

da membrana
 Tamanho da molécula
 Solubilidade em lipídios ou polaridade

 Classificação

energética
 Passivo
 Ativo

de acordo com a necessidade
 CARACTERÍSTICAS
 Moléculas movem-se de uma área de maior







concentração para menor concentração
Processo passivo – não exige um gasto de
energia de outra origem
Existirá movimento entre as moléculas até que
as concentrações sejam equivalentes
Diretamente relacionada com a temperatura
Inversamente
proporcional
ao
tamanho
molecular – quanto maior a molécula mais lento
é a difusão
Inversamente proporcional a grande distâncias
 DIFUSÃO SIMPLES
 Movimento cinético das moléculas ou íons (orifícios ou

espaços intermoleculares da membrana),
necessidade de fixação a proteínas carreadoras.

sem

 Difusão simples – percursos

 Interstícios da bicamada lipídica (substância

lipossolúvel).
 Canais aquosos em algumas das proteínas
de transporte (seletivos – comportas).
 Presença de proteína “carreadora” que se fixa ao

soluto e se difunde com ele através da membrana.
 Um soluto se fixa a um transportador específico

em um dos lados da membrana e é liberado, no
outro, após o transportador ter passado por
alteração de sua conformação.
 Movimento ao longo do gradiente de concentração

– da região de maior concentração para região de
menor concentração.

 Ex: glicose, uréia, frutose, galactose e algumas

vitaminas.
 É um processo mediado, consumidor de energia

celular (ATP), no qual proteínas transportadoras
movem os solutos através da membrana contra
um gradiente de concentração (ladeira acima).
 Ex: Íons (Na+, H+, Ca2+, K+,Cl- ) e aminoácidos.
 Transporte Ativo Primário
 A energia derivada da hidrólise do ATP altera a forma de
uma proteína transportadora, que bombeia uma
substância, através da membrana plasmática, contra
seu gradiente de concentração.
 Bomba de Na+/K+






Na+ → dentro para fora da célula;
K+ → de fora para dentro;
3 Na+ parte interna da proteína carreadora;
2 K+ parte externa da proteína carreadora;
Enzima ATPase (bombeamento): ATP  ADP+Pi.

MSc. Lorena Almeida de Melo
K+
Na+
ATP

MSc. Lorena Almeida de Melo
 Mecanismo de transporte ativo através do qual uma

substância é transportada contra um gradiente
eletroquímico, aproveitando a "carona energética" de uma
outra substância que é transportada a favor de seu
gradiente eletroquímico, ambas sendo transportadas no
mesmo sentido.
 Transporte do sódio e da glicose
 A proteína transportadora apresenta um sítio receptor para
a fixação do íon sódio, voltado para o lado externo da
membrana celular,
 Um sítio receptor para a fixação da glicose, também
voltado para o lado externo da membrana.
 Tanto o sódio quanto a glicose são transportados para
dentro da célula, ou seja, ambos são transportados no
mesmo sentido.
MSc. Lorena Almeida de Melo
 O transporte da glicose ocorre contra o seu gradiente de

concentração - transporte simultâneo do sódio a favor do
seu gradiente eletroquímico.
 O gradiente eletroquímico do sódio é mantido pela

Na,K-ATPase (a qual realiza transporte ativo primário),
logo, o transporte de glicose é ativo secundário.

MSc. Lorena Almeida de Melo
MSc. Lorena Almeida de Melo
 A osmose é o nome dado ao movimento da água entre

meios com concentrações diferentes de solutos separados
por uma membrana semipermeável.
 É um processo físico importante na sobrevivência das

células.
 A água movimenta-se sempre de um meio hipotônico

(menos concentrado em soluto) para um meio hipertônico
(mais concentrado em soluto).
 Objetivo: atingir a mesma concentração em ambos os meios

(isotônicos) através de uma membrana semipermeável
(poros permitem a passagem de moléculas de água mas
impedem a passagem de outras moléculas).
MSc. Lorena Almeida de Melo
 A osmose ajuda a controlar o gradiente

de

concentração de sais em todas as células vivas.
 Este tipo de transporte não apresenta gastos de

energia por parte da célula, por isso é considerado
um tipo de transporte passivo.
 Quando

uma célula é colocada num meio
hipertônico em relação ao seu citoplasma, esta
perde volume através de osmose (estado de
plasmólise).

 Quando

colocada em meio hipotônico (água
destilada), a célula aumenta o volume e fica
túrgida (estado de turgescência).
MSc. Lorena Almeida de Melo
MSc. Lorena Almeida de Melo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1º aula introdução a fisiologia
1º aula   introdução a fisiologia1º aula   introdução a fisiologia
1º aula introdução a fisiologia
Tayslane Rocha
 
Líquido cefalorraquidiano
Líquido cefalorraquidianoLíquido cefalorraquidiano
Líquido cefalorraquidiano
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Biofisica das membranas
Biofisica das membranasBiofisica das membranas
Biofisica das membranas
Ana Karoline Costa
 
Fisiologia da Membrana Celular
Fisiologia da Membrana CelularFisiologia da Membrana Celular
Fisiologia da Membrana Celular
Pedro Miguel
 
Fisiologia Humana 6 - Sistema Renal
Fisiologia Humana 6 - Sistema RenalFisiologia Humana 6 - Sistema Renal
Fisiologia Humana 6 - Sistema Renal
Herbert Santana
 
Fisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Fisiologia Humana 5 - Sistema CardiovascularFisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Fisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Herbert Santana
 
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia HumanaFisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
Herbert Santana
 
Homeostase e integração
Homeostase e integraçãoHomeostase e integração
Homeostase e integração
Caio Maximino
 
Sistema tegumentar
Sistema tegumentarSistema tegumentar
Sistema tegumentar
Nathanael Amparo
 
Potencial de membrana fij
Potencial de membrana fijPotencial de membrana fij
Potencial de membrana fij
Dalu Barreto
 
Sistema endócrino - Anatomia humana
Sistema endócrino - Anatomia humanaSistema endócrino - Anatomia humana
Sistema endócrino - Anatomia humana
Marília Gomes
 
Fisiologia Humana 3 - Bioeletrogênese
Fisiologia Humana 3 - BioeletrogêneseFisiologia Humana 3 - Bioeletrogênese
Fisiologia Humana 3 - Bioeletrogênese
Herbert Santana
 
Sistema circulatorio slides da aula
Sistema circulatorio slides da aulaSistema circulatorio slides da aula
Sistema circulatorio slides da aula
Fabiano Reis
 
Adaptação celular
Adaptação celularAdaptação celular
Adaptação celular
José Luis Müller
 
14 o sistema nervoso
14   o sistema nervoso14   o sistema nervoso
14 o sistema nervoso
Rebeca Vale
 
Introdução à Fisiologia Humana
Introdução à Fisiologia HumanaIntrodução à Fisiologia Humana
Introdução à Fisiologia Humana
Pedro Miguel
 
Sistema endócrino
Sistema endócrinoSistema endócrino
Sistema endócrino
César Milani
 
Potencial de ação das membranas
Potencial de ação das membranasPotencial de ação das membranas
Potencial de ação das membranas
Natha Fisioterapia
 
Aula 10 sistema circulatório - anatomia e fisiologia
Aula 10   sistema circulatório - anatomia e fisiologiaAula 10   sistema circulatório - anatomia e fisiologia
Aula 10 sistema circulatório - anatomia e fisiologia
Hamilton Nobrega
 
A pele e seus anexos
A pele e seus anexosA pele e seus anexos
A pele e seus anexos
Centro Universitário Ages
 

Mais procurados (20)

1º aula introdução a fisiologia
1º aula   introdução a fisiologia1º aula   introdução a fisiologia
1º aula introdução a fisiologia
 
Líquido cefalorraquidiano
Líquido cefalorraquidianoLíquido cefalorraquidiano
Líquido cefalorraquidiano
 
Biofisica das membranas
Biofisica das membranasBiofisica das membranas
Biofisica das membranas
 
Fisiologia da Membrana Celular
Fisiologia da Membrana CelularFisiologia da Membrana Celular
Fisiologia da Membrana Celular
 
Fisiologia Humana 6 - Sistema Renal
Fisiologia Humana 6 - Sistema RenalFisiologia Humana 6 - Sistema Renal
Fisiologia Humana 6 - Sistema Renal
 
Fisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Fisiologia Humana 5 - Sistema CardiovascularFisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Fisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
 
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia HumanaFisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
 
Homeostase e integração
Homeostase e integraçãoHomeostase e integração
Homeostase e integração
 
Sistema tegumentar
Sistema tegumentarSistema tegumentar
Sistema tegumentar
 
Potencial de membrana fij
Potencial de membrana fijPotencial de membrana fij
Potencial de membrana fij
 
Sistema endócrino - Anatomia humana
Sistema endócrino - Anatomia humanaSistema endócrino - Anatomia humana
Sistema endócrino - Anatomia humana
 
Fisiologia Humana 3 - Bioeletrogênese
Fisiologia Humana 3 - BioeletrogêneseFisiologia Humana 3 - Bioeletrogênese
Fisiologia Humana 3 - Bioeletrogênese
 
Sistema circulatorio slides da aula
Sistema circulatorio slides da aulaSistema circulatorio slides da aula
Sistema circulatorio slides da aula
 
Adaptação celular
Adaptação celularAdaptação celular
Adaptação celular
 
14 o sistema nervoso
14   o sistema nervoso14   o sistema nervoso
14 o sistema nervoso
 
Introdução à Fisiologia Humana
Introdução à Fisiologia HumanaIntrodução à Fisiologia Humana
Introdução à Fisiologia Humana
 
Sistema endócrino
Sistema endócrinoSistema endócrino
Sistema endócrino
 
Potencial de ação das membranas
Potencial de ação das membranasPotencial de ação das membranas
Potencial de ação das membranas
 
Aula 10 sistema circulatório - anatomia e fisiologia
Aula 10   sistema circulatório - anatomia e fisiologiaAula 10   sistema circulatório - anatomia e fisiologia
Aula 10 sistema circulatório - anatomia e fisiologia
 
A pele e seus anexos
A pele e seus anexosA pele e seus anexos
A pele e seus anexos
 

Destaque

Fisiologia da Membrana
Fisiologia da MembranaFisiologia da Membrana
Fisiologia da Membrana
Caio Maximino
 
Introdução à Fisiologia - Fisiologia
Introdução à Fisiologia - FisiologiaIntrodução à Fisiologia - Fisiologia
Introdução à Fisiologia - Fisiologia
Fisio Unipampa
 
Fisiologia Humana IntroduçãO
Fisiologia Humana   IntroduçãOFisiologia Humana   IntroduçãO
Fisiologia Humana IntroduçãO
wescley20
 
Aula fisiologia humana
Aula   fisiologia humanaAula   fisiologia humana
Aula fisiologia humana
santhdalcin
 
Virologia geral - Métodos de estudo e diagnóstico viral
Virologia geral - Métodos de estudo e diagnóstico viralVirologia geral - Métodos de estudo e diagnóstico viral
Virologia geral - Métodos de estudo e diagnóstico viral
Wilia Diederichsen
 
Neuro 1 aula 4 290311 bioeletrogênese
Neuro 1 aula 4 290311 bioeletrogêneseNeuro 1 aula 4 290311 bioeletrogênese
Neuro 1 aula 4 290311 bioeletrogênese
Thiago Lemos
 
1. aula 1 anatomia e fisiologia
1. aula 1 anatomia e fisiologia1. aula 1 anatomia e fisiologia
1. aula 1 anatomia e fisiologia
Ieda Dorneles
 
Membrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETOMembrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETO
Sheila Cassenotte
 
Anatomia humana slides
Anatomia humana slidesAnatomia humana slides
Anatomia humana slides
Ced Amanhecer
 
Introdução à Anatomia e Fisiologia Humana
Introdução à Anatomia e Fisiologia HumanaIntrodução à Anatomia e Fisiologia Humana
Introdução à Anatomia e Fisiologia Humana
Eiderson Silva Cabral
 
Neurofisiologia: potencial de repouso e ação
Neurofisiologia: potencial de repouso e açãoNeurofisiologia: potencial de repouso e ação
Neurofisiologia: potencial de repouso e ação
Vanessa Cunha
 
As bases fisicas da função neuronal
As bases fisicas da função neuronalAs bases fisicas da função neuronal
As bases fisicas da função neuronal
Thuane Sales
 
Fisiologia Questões Parte 1
Fisiologia Questões Parte 1Fisiologia Questões Parte 1
Fisiologia Questões Parte 1
delanievov
 
2a aula homeostasia 12.11.2012b
2a aula homeostasia 12.11.2012b2a aula homeostasia 12.11.2012b
2a aula homeostasia 12.11.2012b
luizaa.rabelo
 
Aula 1 - Introdução a fisiologia do exercício e controle interno
Aula 1 - Introdução a fisiologia do exercício e controle internoAula 1 - Introdução a fisiologia do exercício e controle interno
Aula 1 - Introdução a fisiologia do exercício e controle interno
Felipe P Carpes - Universidade Federal do Pampa
 
Neurofisiologia 1
Neurofisiologia 1Neurofisiologia 1
Neurofisiologia 1
Leandro Lourenção Duarte
 
Noções básicas de anatomia
Noções básicas de anatomiaNoções básicas de anatomia
Noções básicas de anatomia
Maryanne Guimarães
 
Aula 01 introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...
Aula 01   introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...Aula 01   introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...
Aula 01 introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...
Hamilton Nobrega
 
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIAAula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
Leonardo Delgado
 

Destaque (19)

Fisiologia da Membrana
Fisiologia da MembranaFisiologia da Membrana
Fisiologia da Membrana
 
Introdução à Fisiologia - Fisiologia
Introdução à Fisiologia - FisiologiaIntrodução à Fisiologia - Fisiologia
Introdução à Fisiologia - Fisiologia
 
Fisiologia Humana IntroduçãO
Fisiologia Humana   IntroduçãOFisiologia Humana   IntroduçãO
Fisiologia Humana IntroduçãO
 
Aula fisiologia humana
Aula   fisiologia humanaAula   fisiologia humana
Aula fisiologia humana
 
Virologia geral - Métodos de estudo e diagnóstico viral
Virologia geral - Métodos de estudo e diagnóstico viralVirologia geral - Métodos de estudo e diagnóstico viral
Virologia geral - Métodos de estudo e diagnóstico viral
 
Neuro 1 aula 4 290311 bioeletrogênese
Neuro 1 aula 4 290311 bioeletrogêneseNeuro 1 aula 4 290311 bioeletrogênese
Neuro 1 aula 4 290311 bioeletrogênese
 
1. aula 1 anatomia e fisiologia
1. aula 1 anatomia e fisiologia1. aula 1 anatomia e fisiologia
1. aula 1 anatomia e fisiologia
 
Membrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETOMembrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETO
 
Anatomia humana slides
Anatomia humana slidesAnatomia humana slides
Anatomia humana slides
 
Introdução à Anatomia e Fisiologia Humana
Introdução à Anatomia e Fisiologia HumanaIntrodução à Anatomia e Fisiologia Humana
Introdução à Anatomia e Fisiologia Humana
 
Neurofisiologia: potencial de repouso e ação
Neurofisiologia: potencial de repouso e açãoNeurofisiologia: potencial de repouso e ação
Neurofisiologia: potencial de repouso e ação
 
As bases fisicas da função neuronal
As bases fisicas da função neuronalAs bases fisicas da função neuronal
As bases fisicas da função neuronal
 
Fisiologia Questões Parte 1
Fisiologia Questões Parte 1Fisiologia Questões Parte 1
Fisiologia Questões Parte 1
 
2a aula homeostasia 12.11.2012b
2a aula homeostasia 12.11.2012b2a aula homeostasia 12.11.2012b
2a aula homeostasia 12.11.2012b
 
Aula 1 - Introdução a fisiologia do exercício e controle interno
Aula 1 - Introdução a fisiologia do exercício e controle internoAula 1 - Introdução a fisiologia do exercício e controle interno
Aula 1 - Introdução a fisiologia do exercício e controle interno
 
Neurofisiologia 1
Neurofisiologia 1Neurofisiologia 1
Neurofisiologia 1
 
Noções básicas de anatomia
Noções básicas de anatomiaNoções básicas de anatomia
Noções básicas de anatomia
 
Aula 01 introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...
Aula 01   introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...Aula 01   introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...
Aula 01 introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...
 
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIAAula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
 

Semelhante a Fisiologia Humana 2 - Fisiologia da Membrana

PPT13_Bio_D4_1_MembranaPlacccsmatica.pdf
PPT13_Bio_D4_1_MembranaPlacccsmatica.pdfPPT13_Bio_D4_1_MembranaPlacccsmatica.pdf
PPT13_Bio_D4_1_MembranaPlacccsmatica.pdf
MikeMicas
 
Membrana Plasmática
Membrana PlasmáticaMembrana Plasmática
Membrana Plasmática
Pedro Oliveira
 
Aula 01 unidade 2 - transporte de íons através das membranas
Aula 01   unidade 2 - transporte de íons através das membranasAula 01   unidade 2 - transporte de íons através das membranas
Aula 01 unidade 2 - transporte de íons através das membranas
Solange Leite
 
Citologia membrana,citoplasma e núcleo (com textos)
Citologia   membrana,citoplasma e núcleo (com textos)Citologia   membrana,citoplasma e núcleo (com textos)
Citologia membrana,citoplasma e núcleo (com textos)
Ressurrei
 
www.CentroApoio.com - Biologia - Membrana Plasmática - Vídeo Aula
www.CentroApoio.com - Biologia - Membrana Plasmática - Vídeo Aulawww.CentroApoio.com - Biologia - Membrana Plasmática - Vídeo Aula
www.CentroApoio.com - Biologia - Membrana Plasmática - Vídeo Aula
Vídeo Aulas Apoio
 
Aula de revisão biologia
Aula de revisão biologiaAula de revisão biologia
Aula de revisão biologia
Lucas Magalhães
 
Biologia celular nº 11- Prof. Amilcar Sousa
Biologia celular nº 11- Prof. Amilcar SousaBiologia celular nº 11- Prof. Amilcar Sousa
Biologia celular nº 11- Prof. Amilcar Sousa
Amilcar Sousa
 
Membrana plasmática
Membrana plasmáticaMembrana plasmática
Membrana plasmática
Cristina Vitória
 
Transporte de membrana
Transporte de membranaTransporte de membrana
Transporte de membrana
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Biologia celular
Biologia celularBiologia celular
Biologia celular
naiellyrodrigues
 
10 membrana celular2[1]
10 membrana celular2[1]10 membrana celular2[1]
10 membrana celular2[1]
Rafaele Sousa
 
10 membrana celular2[1]
10 membrana celular2[1]10 membrana celular2[1]
10 membrana celular2[1]
Rafaele Sousa
 
A membrana plasmática(5o grupo)
A membrana plasmática(5o grupo)A membrana plasmática(5o grupo)
A membrana plasmática(5o grupo)
Moisés Manuel
 
Transporte através da membrana
Transporte através da membranaTransporte através da membrana
Transporte através da membrana
Carlos Carvalho
 
2 membrana plasmatica
2 membrana plasmatica2 membrana plasmatica
2 membrana plasmatica
centeruni
 
Memb. E Transporte
Memb. E TransporteMemb. E Transporte
Memb. E Transporte
ClaraVinhas
 
Memb. e Transporte
Memb. e TransporteMemb. e Transporte
Memb. e Transporte
ClaraVinhas
 
A membrana plasmática
A membrana plasmáticaA membrana plasmática
A membrana plasmática
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Membrana
MembranaMembrana
Membrana
letyap
 
Membrana
MembranaMembrana
Membrana
letyap
 

Semelhante a Fisiologia Humana 2 - Fisiologia da Membrana (20)

PPT13_Bio_D4_1_MembranaPlacccsmatica.pdf
PPT13_Bio_D4_1_MembranaPlacccsmatica.pdfPPT13_Bio_D4_1_MembranaPlacccsmatica.pdf
PPT13_Bio_D4_1_MembranaPlacccsmatica.pdf
 
Membrana Plasmática
Membrana PlasmáticaMembrana Plasmática
Membrana Plasmática
 
Aula 01 unidade 2 - transporte de íons através das membranas
Aula 01   unidade 2 - transporte de íons através das membranasAula 01   unidade 2 - transporte de íons através das membranas
Aula 01 unidade 2 - transporte de íons através das membranas
 
Citologia membrana,citoplasma e núcleo (com textos)
Citologia   membrana,citoplasma e núcleo (com textos)Citologia   membrana,citoplasma e núcleo (com textos)
Citologia membrana,citoplasma e núcleo (com textos)
 
www.CentroApoio.com - Biologia - Membrana Plasmática - Vídeo Aula
www.CentroApoio.com - Biologia - Membrana Plasmática - Vídeo Aulawww.CentroApoio.com - Biologia - Membrana Plasmática - Vídeo Aula
www.CentroApoio.com - Biologia - Membrana Plasmática - Vídeo Aula
 
Aula de revisão biologia
Aula de revisão biologiaAula de revisão biologia
Aula de revisão biologia
 
Biologia celular nº 11- Prof. Amilcar Sousa
Biologia celular nº 11- Prof. Amilcar SousaBiologia celular nº 11- Prof. Amilcar Sousa
Biologia celular nº 11- Prof. Amilcar Sousa
 
Membrana plasmática
Membrana plasmáticaMembrana plasmática
Membrana plasmática
 
Transporte de membrana
Transporte de membranaTransporte de membrana
Transporte de membrana
 
Biologia celular
Biologia celularBiologia celular
Biologia celular
 
10 membrana celular2[1]
10 membrana celular2[1]10 membrana celular2[1]
10 membrana celular2[1]
 
10 membrana celular2[1]
10 membrana celular2[1]10 membrana celular2[1]
10 membrana celular2[1]
 
A membrana plasmática(5o grupo)
A membrana plasmática(5o grupo)A membrana plasmática(5o grupo)
A membrana plasmática(5o grupo)
 
Transporte através da membrana
Transporte através da membranaTransporte através da membrana
Transporte através da membrana
 
2 membrana plasmatica
2 membrana plasmatica2 membrana plasmatica
2 membrana plasmatica
 
Memb. E Transporte
Memb. E TransporteMemb. E Transporte
Memb. E Transporte
 
Memb. e Transporte
Memb. e TransporteMemb. e Transporte
Memb. e Transporte
 
A membrana plasmática
A membrana plasmáticaA membrana plasmática
A membrana plasmática
 
Membrana
MembranaMembrana
Membrana
 
Membrana
MembranaMembrana
Membrana
 

Mais de Herbert Santana

Psicologia Aplicada à Administração
Psicologia Aplicada à AdministraçãoPsicologia Aplicada à Administração
Psicologia Aplicada à Administração
Herbert Santana
 
Estruturas de Projetos de Pesquisa Relatórios de Pesquisa e Artigos Científicos
Estruturas de Projetos de Pesquisa Relatórios de Pesquisa e Artigos CientíficosEstruturas de Projetos de Pesquisa Relatórios de Pesquisa e Artigos Científicos
Estruturas de Projetos de Pesquisa Relatórios de Pesquisa e Artigos Científicos
Herbert Santana
 
Sistemas de Disputa -
Sistemas de Disputa - Sistemas de Disputa -
Sistemas de Disputa -
Herbert Santana
 
Cineantropometria - Perimetria e Avaliação Corporal
Cineantropometria - Perimetria e Avaliação CorporalCineantropometria - Perimetria e Avaliação Corporal
Cineantropometria - Perimetria e Avaliação Corporal
Herbert Santana
 
Introduçao à Apredizagem Motora
Introduçao à Apredizagem MotoraIntroduçao à Apredizagem Motora
Introduçao à Apredizagem Motora
Herbert Santana
 
Tendências Pedagógicas da Educação Brasileira
Tendências Pedagógicas da Educação BrasileiraTendências Pedagógicas da Educação Brasileira
Tendências Pedagógicas da Educação Brasileira
Herbert Santana
 
Sistema Genital
Sistema GenitalSistema Genital
Sistema Genital
Herbert Santana
 
Fisiologia Humana 9 - Temperatura Corporal
Fisiologia Humana 9 - Temperatura CorporalFisiologia Humana 9 - Temperatura Corporal
Fisiologia Humana 9 - Temperatura Corporal
Herbert Santana
 
Fisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
Fisiologia Humana 7 - Sistema RespiratórioFisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
Fisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
Herbert Santana
 
Fisiologia Humana 4 - Tecido Muscular
Fisiologia Humana 4 - Tecido MuscularFisiologia Humana 4 - Tecido Muscular
Fisiologia Humana 4 - Tecido Muscular
Herbert Santana
 
Fisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Fisiologia Humana 8 - Sistema EndócrinoFisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Fisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Herbert Santana
 
Fundamentos da História da Educação
Fundamentos da História da EducaçãoFundamentos da História da Educação
Fundamentos da História da Educação
Herbert Santana
 
Estudo Aprofundado sobre o Bullying
Estudo Aprofundado sobre o BullyingEstudo Aprofundado sobre o Bullying
Estudo Aprofundado sobre o Bullying
Herbert Santana
 

Mais de Herbert Santana (13)

Psicologia Aplicada à Administração
Psicologia Aplicada à AdministraçãoPsicologia Aplicada à Administração
Psicologia Aplicada à Administração
 
Estruturas de Projetos de Pesquisa Relatórios de Pesquisa e Artigos Científicos
Estruturas de Projetos de Pesquisa Relatórios de Pesquisa e Artigos CientíficosEstruturas de Projetos de Pesquisa Relatórios de Pesquisa e Artigos Científicos
Estruturas de Projetos de Pesquisa Relatórios de Pesquisa e Artigos Científicos
 
Sistemas de Disputa -
Sistemas de Disputa - Sistemas de Disputa -
Sistemas de Disputa -
 
Cineantropometria - Perimetria e Avaliação Corporal
Cineantropometria - Perimetria e Avaliação CorporalCineantropometria - Perimetria e Avaliação Corporal
Cineantropometria - Perimetria e Avaliação Corporal
 
Introduçao à Apredizagem Motora
Introduçao à Apredizagem MotoraIntroduçao à Apredizagem Motora
Introduçao à Apredizagem Motora
 
Tendências Pedagógicas da Educação Brasileira
Tendências Pedagógicas da Educação BrasileiraTendências Pedagógicas da Educação Brasileira
Tendências Pedagógicas da Educação Brasileira
 
Sistema Genital
Sistema GenitalSistema Genital
Sistema Genital
 
Fisiologia Humana 9 - Temperatura Corporal
Fisiologia Humana 9 - Temperatura CorporalFisiologia Humana 9 - Temperatura Corporal
Fisiologia Humana 9 - Temperatura Corporal
 
Fisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
Fisiologia Humana 7 - Sistema RespiratórioFisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
Fisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
 
Fisiologia Humana 4 - Tecido Muscular
Fisiologia Humana 4 - Tecido MuscularFisiologia Humana 4 - Tecido Muscular
Fisiologia Humana 4 - Tecido Muscular
 
Fisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Fisiologia Humana 8 - Sistema EndócrinoFisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Fisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
 
Fundamentos da História da Educação
Fundamentos da História da EducaçãoFundamentos da História da Educação
Fundamentos da História da Educação
 
Estudo Aprofundado sobre o Bullying
Estudo Aprofundado sobre o BullyingEstudo Aprofundado sobre o Bullying
Estudo Aprofundado sobre o Bullying
 

Último

slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 

Último (20)

slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 

Fisiologia Humana 2 - Fisiologia da Membrana

  • 2.  MEMBRANA PLASMÁTICA  Membrana que envolve a célula ≠  MEMBRANA EPITELIAIS  Tecidos epiteliais que revestem uma cavidade ou separam dois compartimentos  Ex: membrana pleural, membranas peritoniais
  • 3.
  • 4.  ISOLAMENTO FÍSICO  Barreira física que separa o interior da célula do fluxo extracelular adjacente  REGULAÇÃO DAS TROCAS COM O AMBIENTE  Controla a entrada de íons e nutrientes, a eliminação de excretas, e a liberação de produtos de secreção  COMUNICAÇÃO ENTRE A CÉLULA E SEU AMBIENTE
  • 5.  COMUNICAÇÃO ENTRE A CÉLULA E SEU AMBIENTE  Contato direto tanto com o citosol quanto com o fluido extracelular.  SUPORTE ESTRUTURAL  Proteínas da membrana celular – formato celular
  • 6.
  • 7. # FOSFOLIPÍDIO  HIDROFÓBICA (radicais ácidos graxos)  Repele a água  Atração das moléculas - alinhamento na parte central da membrana;  Ex: O2, CO2 e álcool.  HIDROFÍLICA (fração fosfato)  Solúvel em água.  Contato com as soluções aquosas – LIC e LEC.  Ex: íons, glicose e uréia.
  • 8.
  • 9. # COLESTEROL  São hidrofóbicas  Localização: porção central da bicamada lipídica  Mantém a membrana impermeável a moléculas solúveis em água.
  • 10. # PROTEÍNAS  Periféricas ou Extrínsecas  Presa a proteína integral ou a regiões polares dos fosfolipídios;  Ex: receptores hormonais; enzimas.
  • 11. # PROTEÍNAS  Integrais ou Intrínsecas  Ligada a bicamada fosfolipídica;  Proteínas transmembrana: atravessam toda a membrana
  • 12.  1- PROTEÍNA ESTRUTURAIS  Conectar a membrana ao citoesqueleto para manter a forma da célula  Junções celulares  Ex: junções comunicantes
  • 13.  2- ENZIMAS  Catalisam reações químicas  Superfície externa da célula ou lado interno do citoplasma  3- RECEPTORES  Sistema químico de sinalização do corpo  Receptor específico  Ligante+receptor – eventos adicionais na célula
  • 15.  4- TRANSPORTADORES  PROTEÍNAS DE CANAIS  Criam passagem cheia de água ligando os compartimentos extracelular e intracelular  Transporte rápido porém sem seletividade  Passagem de água (aquaporina) e íons (seletivos ou não)  Porta dos canais de proteínas  Canais abertos – canais de vazamento ou poros  Canais fechados – não permite movimento através dele - regulam o movimento entre LIC e LEC
  • 16.  4- TRANSPORTADORES  PROTEÍNAS DE CANAIS  Controle da abertura ou fechamento dos canais com porta  Moléculas mensageiras intracelulares - ligantes extracelulares (canais fechados quimicamente)  Estado elétrico (canais fechados eletricamente) física (↑ de temperatura ou mecanismo que produza tensão - canais fechados mecanicamente.  Mudança
  • 17.  4- TRANSPORTADORES  PROTEÍNAS DE CANAIS
  • 18.  4- TRANSPORTADORES  PROTEÍNAS CARREADORAS  Ligam-se a moléculas específicas (substratos) e carregam estas através mudança na sua forma. da membrana pela  São lentas, seletivas e transportam moléculas grandes.  Não criam uma passagem contínua entre o lado de dentro e de fora da célula
  • 19.  4- TRANSPORTADORES  PROTEÍNAS CARREADORAS
  • 20.  # CARBOIDRATOS  Polímeros de glicose que se ligam às proteínas da membrana (glicoproteínas) ou a lipídios da membrana (glicolipídios)  Localização: superfície externa da célula  Formam camada protetora (glicocálice)  Possuem papel-chave na resposta imunológica do corpo
  • 21.
  • 22.
  • 23.  CARACTERÍSTICAS  Moléculas permeáveis ou impermeável  Permeável – molécula que cruza a membrana  Impermeável – não permite que a molécula cruze a membrana  Propriedades que influenciam o movimento através da membrana  Tamanho da molécula  Solubilidade em lipídios ou polaridade  Classificação energética  Passivo  Ativo de acordo com a necessidade
  • 24.  CARACTERÍSTICAS  Moléculas movem-se de uma área de maior      concentração para menor concentração Processo passivo – não exige um gasto de energia de outra origem Existirá movimento entre as moléculas até que as concentrações sejam equivalentes Diretamente relacionada com a temperatura Inversamente proporcional ao tamanho molecular – quanto maior a molécula mais lento é a difusão Inversamente proporcional a grande distâncias
  • 25.  DIFUSÃO SIMPLES  Movimento cinético das moléculas ou íons (orifícios ou espaços intermoleculares da membrana), necessidade de fixação a proteínas carreadoras. sem  Difusão simples – percursos  Interstícios da bicamada lipídica (substância lipossolúvel).  Canais aquosos em algumas das proteínas de transporte (seletivos – comportas).
  • 26.
  • 27.  Presença de proteína “carreadora” que se fixa ao soluto e se difunde com ele através da membrana.  Um soluto se fixa a um transportador específico em um dos lados da membrana e é liberado, no outro, após o transportador ter passado por alteração de sua conformação.  Movimento ao longo do gradiente de concentração – da região de maior concentração para região de menor concentração.  Ex: glicose, uréia, frutose, galactose e algumas vitaminas.
  • 28.
  • 29.  É um processo mediado, consumidor de energia celular (ATP), no qual proteínas transportadoras movem os solutos através da membrana contra um gradiente de concentração (ladeira acima).  Ex: Íons (Na+, H+, Ca2+, K+,Cl- ) e aminoácidos.  Transporte Ativo Primário  A energia derivada da hidrólise do ATP altera a forma de uma proteína transportadora, que bombeia uma substância, através da membrana plasmática, contra seu gradiente de concentração.
  • 30.  Bomba de Na+/K+      Na+ → dentro para fora da célula; K+ → de fora para dentro; 3 Na+ parte interna da proteína carreadora; 2 K+ parte externa da proteína carreadora; Enzima ATPase (bombeamento): ATP  ADP+Pi. MSc. Lorena Almeida de Melo
  • 32.  Mecanismo de transporte ativo através do qual uma substância é transportada contra um gradiente eletroquímico, aproveitando a "carona energética" de uma outra substância que é transportada a favor de seu gradiente eletroquímico, ambas sendo transportadas no mesmo sentido.  Transporte do sódio e da glicose  A proteína transportadora apresenta um sítio receptor para a fixação do íon sódio, voltado para o lado externo da membrana celular,  Um sítio receptor para a fixação da glicose, também voltado para o lado externo da membrana.  Tanto o sódio quanto a glicose são transportados para dentro da célula, ou seja, ambos são transportados no mesmo sentido. MSc. Lorena Almeida de Melo
  • 33.  O transporte da glicose ocorre contra o seu gradiente de concentração - transporte simultâneo do sódio a favor do seu gradiente eletroquímico.  O gradiente eletroquímico do sódio é mantido pela Na,K-ATPase (a qual realiza transporte ativo primário), logo, o transporte de glicose é ativo secundário. MSc. Lorena Almeida de Melo
  • 35.  A osmose é o nome dado ao movimento da água entre meios com concentrações diferentes de solutos separados por uma membrana semipermeável.  É um processo físico importante na sobrevivência das células.  A água movimenta-se sempre de um meio hipotônico (menos concentrado em soluto) para um meio hipertônico (mais concentrado em soluto).  Objetivo: atingir a mesma concentração em ambos os meios (isotônicos) através de uma membrana semipermeável (poros permitem a passagem de moléculas de água mas impedem a passagem de outras moléculas). MSc. Lorena Almeida de Melo
  • 36.  A osmose ajuda a controlar o gradiente de concentração de sais em todas as células vivas.  Este tipo de transporte não apresenta gastos de energia por parte da célula, por isso é considerado um tipo de transporte passivo.  Quando uma célula é colocada num meio hipertônico em relação ao seu citoplasma, esta perde volume através de osmose (estado de plasmólise).  Quando colocada em meio hipotônico (água destilada), a célula aumenta o volume e fica túrgida (estado de turgescência). MSc. Lorena Almeida de Melo