O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

86

Compartilhar

Baixar para ler offline

Introdução à Fisiologia - Fisiologia

Baixar para ler offline

Aula de Introdução à Fisiologia (2009);

Livros relacionados

Gratuito durante 30 dias do Scribd

Ver tudo

Introdução à Fisiologia - Fisiologia

  1. 1. Introdução a FISIOLOGIA Profa Pâmela B. Mello Carpes p e-mail: panmello@hotmail.com
  2. 2. A FISIOLOGIA é o estudo é o estudo das funções do organismo vivo e de suas partes componentes, incluindo todos os processos físicos e químicos. Fisiologia = “conhecimento da natureza” Aristóteles (384-322 a.C.) funcionamento de todos os organismos vivos Hipócrates (460 377 a C ) (460-377 a.C.) poder curativo da natureza
  3. 3. ANATOMIA X FISIOLOGIA Anatomia: estudo da estrutura corporal com ênfase mínima na função. Não podem ser separadas. Função de um órgão ou tecido está intimamente ligada à sua estrutura, e a estrutura de um organismo t t d i presumivelmente evolui no sentido de estabelecer uma base física eficiente para o seu funcionamento. Fisiologia: integração d f Fi i l i i t ã das funções õ realizadas em todos os níveis de organização, das moléculas g ç , ao corpo inteiro.
  4. 4. Origem e evolução da comunicação celular Condição i iti C di ã primitiva Reação aos estímulos do ambiente Orientação à fontes de nutrientes ç Comunicação entre os indivíduos unicelulares Condição secundária Integridade funcional entre as células metazoárias Comunicação entre células diferenciadas Distâncias variadas (μm a m) Tempos variados (ms a meses)
  5. 5. Princípios Gerais da Comunicação Emissor MENSAGEM Receptor 1 RESPOSTA 1 (informação) (informação) (Célula-alvo) Receptor 3 Receptor 2 RESPOSTA 3 RESPOSTA 2 (informação) (informação) • Alta complexidade • Não-linearidade • Ação integradora • Receptores específicos p p p porém variados
  6. 6. FORMAS DE CO O S COMUNICAÇÃO INTERCELULAR C ÇÃO C • QUÍMICA: a mais abundante e diversificada Autócrina e Parácrina Contato-dependente (junções abertas) Endócrina (hormônio) Nervosa ( N (neurotransmissor) t i ) • ELÉTRICA: restrita às células eletricamente excitáveis
  7. 7. Comunicação entre células VIZINHAS SINALIZAÇÃO CONTATO-DEPENDENTE Junções abertas (gap junction): conexões citoplasmáticas entre células vizinhas.
  8. 8. Comunicação entre células VIZINHAS A B B) Comunicação parácrina: o mediador difunde-se e age nas células adjacentes A) Sinalização autócrina: o mediador age na própria célula que o produziu
  9. 9. Comunicação entre células DISTANTES COMUNICAÇÃO ENDÓCRINA: o mediador age em células que são alcançadas via corrente sanguínea; Célula endócrina: sintetiza e secreta o mediador diretamente na corrente sangüínea Célula alvo: células que possuem receptores hormonais cuja função será controlada pela ação do hormônio. ã d h ô i
  10. 10. Comunicação entre células DISTANTES Comunicação sináptica: o mediador que é d C i ã i á ti di d denominado neurotransmissor. C i d t i Com a chegada do impulso nervoso, o NT é liberado pelos terminais axônicos em uma fenda e, por meio de difusão, age na membrana das células pós-sipápticas. Comunicação neuro-endrócrina: o mediador (neuro-hormônio) é sintetizado pelo neurônio que o lib libera di diretamente na corrente sanguínea. í
  11. 11. A neurotransmissão ocorre entre os neurônios e entre neurônios e células efetuadoras (células musculares ou glandulares).
  12. 12. Molécula Seqüência Geral de eventos sinalizadora Liga-se à Proteína Classes de proteínas receptoras Receptora Canais iônicos ligante-dependentes ativando Receptores enzimáticos Receptores acoplados a proteína G Moléculas Receptores integrais sinalizadoras intracelulares que alteram lt Proteínas Respostas celulares Alvo Alteração no potencial de membrana Que causam Contração muscular Secreção Resposta celular Regulação da expressão gênica,etc
  13. 13. Mecanismos de ação dos sinalizadores (ligantes) 1 4 2 3 Abrem ou Ativam Ligam-se a proteína G A molécula fecham canais enzimas que aciona a receptora iônicos intracelulares abertura/fechamento de altera o canais ou ativam citosqueleto enzimas intracelulares
  14. 14. Sistema tegumentar - Pele - Envoltório de proteção que separa o meio corporal interno do meio externo
  15. 15. Sistema músculo- esquelético - Sustentação e movimento do corpo
  16. 16. Sistema respiratório - Troca de gases com o meio externo
  17. 17. Sistema digestório - Capta nutrientes e água e elimina resíduos
  18. 18. Sistema urinário - Remove o excesso de água e elimina resíduos
  19. 19. Sistema reprodutivo - Produz óvulos e espermatozóides
  20. 20. Sistema imunológico - Protege o meio interno de corpos estranhos
  21. 21. Sistema circulatório - Distribui e capta substâncias por todo o corpo
  22. 22. CONTROLE DO CORPO SISTEMA NERVOSO SISTEMA ENDÓCRINO Ação rápida e fugaz Ação lenta porém duradoura A curtíssimo prazo A médio e longo prazo Efeito localizado Efeito amplo Os dois sistemas agem de maneira integrada. Garantem a homeostasia do organismo tornando-o operacional para se relacionar com o meio ambiente.
  23. 23. Variações do ambiente externo
  24. 24. HOMEOSTASIA Tendência T dê i permanente d organismo manter a t do i t constância do meio interno. Estado de independência relativa do organismo em relação às oscilações do ambiente externo. Claude Bernard “O corpo vivo embora necessite do ambiente que o circunda é apesar disso relativamente O vivo, circunda, é, disso, independente do mesmo. Esta independência do organismo com relação ao seu ambiente externo deriva do fato de que, nos seres vivos, os tecidos são, de fato, removidos das influências externas diretas, e são protegidos por um verdadeiro ambiente interno, que é constituído, particularmente, pelos fluidos que circulam no corpo“. corpo
  25. 25. Como garantir as condições de estabilidade operacional do meio ambiente interno? bi t i t ? O corpo possui órgãos efetuadores que através de ações contráteis (músculos) e secretoras (glândulas) manifestam as reações necessárias para os ajustes. Essas reações correspondem às respostas reflexas locais (no coração, nos vasos, nos rins, nos pulmões, no trato gastrintestinal, etc) e às reações globais que envolvem todo o organismo. A integração dessas ações homeostáticas depende do Sistema Nervoso Central, do Sistema Endócrino e do Sistema Imune.
  26. 26. Todos os seres vivos possuem limites de resistência contra as variações do meio ambiente externo e interno. Zona de Zona de Tolerância Zona de Resistência Resistência TC i TC s
  27. 27. Os seres vivos possuem mecanismos de ajustes que controlam as variáveis biológicas em determinadas quantidades quantidades. Regulação da temperatura corporal
  28. 28. Ajustes contra os AUMENTOS indesejáveis
  29. 29. Ajustes contra as REDUÇÕES indesejáveis
  30. 30. Mecanismo de retro alimentação NEGATIVA retro-alimentação Estímulo SISTEMA Músculo Órgãos NERVOSO esquelético Comportamento Sensoriais Resposta p SISTEMA Órgãos viscerais fisiológica ENDÓCRINO Glândulas _ Alça de retro-alimentação Controlar ou regular uma quantidade num determinado nível e mantê-lo estável a longo prazo.
  31. 31. Variações normais para determinados parâmetros sanguíneos Parâmetros Variações Normais pH 7,35 – 7,43 HCO3- 21,3 - 28,5 mEq/L Na+ 136 – 156 mEq/L Ca++ 4,6 – 5,2 mEq/L , , q O2 17,2 – 22,0 ml/100ml Uréia 12 - 35 mg/100ml Aminoácidos 3,3 - 5,1 mg/100ml Proteínas 6,5 8,0 6 5 – 8 0 mg/100ml Lipídios Totais 350 - 850 mg/100ml Glicose 75 - 110 mg/100ml
  32. 32. Mecanismo de retro-alimentação POSITIVA retro alimentação Estímulo SISTEMA Músculo Órgãos Ó NERVOSO esquelético Comportamento Sensoriais Resposta SISTEMA Órgãos viscerais fisiológica ENDÓCRINO Glândulas + Alça de retro-alimentação Controlar ou regular uma quantidade num determinado nível por tempo limitado. limitado
  33. 33. Sinal do bebê O trabalho de parto também é um fenômeno baseado em + mecanismo de retro- + alimentaçao positiva Contrações uterinas + Sensores de estiramento Aumento Progressivo da + Contração C t ã (até o nascimento) Hipotálamo materno + Hipofise Hi fi Ocitona
  34. 34. Saúde é sinônimo de homeostasia fisiológica? Dicionário Aurélio “estado do indivíduo cujas funções orgânicas, físicas e mentais se acham em situação normal; estado do que é sadio ou são”. LEI Nº 8.080, DE 19 DE SETEMBRO DE 1990 Art. 3º A saúde tem como fatores determinantes e condicionantes, entre outros, a alimentação, a moradia, o saneamento básico, o meio ambiente, o trabalho, a renda, a educação, o transporte, o lazer e o acesso aos bens e serviços essenciais; os níveis de saúde da população expressam a organização social e econômica do País. O conceito de SAUDE transcende o de homeostase fisiológica, significando que a integridade funcional dos mecanismos fisiológicos não depende apenas da sua condição biológica mas da integridade social-cultural do individuo. CIF/OMS A homeostasia fisiológica é um dos pré-requisitos do estado de saúde de um organismo
  • MarcellaSantos27

    Jun. 29, 2021
  • MikaellyGomes3

    Jun. 11, 2021
  • DayFernandes2

    Mar. 17, 2021
  • RamonMedeiros4

    Aug. 19, 2020
  • ISABELADONATTI

    Jul. 2, 2020
  • TucaProsdcimo

    May. 9, 2020
  • LuaLopes4

    Apr. 17, 2020
  • MailineMaroso

    Apr. 9, 2020
  • reginazangarini

    Feb. 1, 2020
  • Wanessaoliveira44

    Dec. 15, 2019
  • ThayaneKhl

    Nov. 8, 2019
  • marabarbosa35

    Sep. 23, 2019
  • MVP1978

    Sep. 7, 2019
  • MariaMendes17

    Aug. 21, 2019
  • MaraPedrosa2

    Aug. 14, 2019
  • lillianbrito3

    May. 11, 2019
  • MIRIANFRAGOSO2

    Feb. 11, 2019
  • TiagodosSantos45

    Aug. 31, 2018
  • adrianemauricio3

    Aug. 15, 2018
  • YuriBarroso4

    Aug. 13, 2018

Aula de Introdução à Fisiologia (2009);

Vistos

Vistos totais

89.605

No Slideshare

0

De incorporações

0

Número de incorporações

864

Ações

Baixados

3.045

Compartilhados

0

Comentários

0

Curtir

86

×