SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 55
Baixar para ler offline
Administração do EsporteAdministração do Esporte
Organização deOrganização de
Sistemas de DisputaSistemas de Disputa
de Competiçõesde Competições
Universidade de BrasíliaUniversidade de Brasília
Faculdade de Educação FísicaFaculdade de Educação Física
Prof. Dr. Paulo Henrique AzevêdoProf. Dr. Paulo Henrique Azevêdo
2
• Existem Eliminatórias ou
Classificatórias para a Copa do
Mundo?
• Campeonato Brasileiro de Futebol é
o nome da competição ou indicação
do sistema de disputa?
• O competidor que falta a uma
disputa deve receber o nome de
ausente ou WO?
??? Será que existem dúvidas ?????? Será que existem dúvidas ???
3
Normalmente, são utilizadas três formas de
disputas de competição: o Campeonato, o
Torneio e Jogos.
• Campeonato
– Competição onde há o encontro de cada
participantes com os demais (todos com
todos).
– Quando o campeonato é dividido em etapas,
possuindo vários grupos, o encontro pode se
limitar às equipes do mesmo grupo.
– É considerado competição de longa duração.
Como são disputadas as competições?Como são disputadas as competições?
4
Normalmente, são utilizadas três formas de
disputas de competição: o Campeonato, o
Torneio e Jogos.
• Torneio
– Competição geralmente desenvolvida:
a. De curta duração
b. Através do sistema das eliminatórias;
c. Pelo rodízio simples com a diminuição do
tempo oficial de jogo (ou diminuição dos
escores estabelecidos).
Como são disputadas as competições?Como são disputadas as competições?
5
Normalmente, são utilizadas três formas de disputas de
competição: o Campeonato, o Torneio e Jogos.
• Jogos
– Competição onde são disputadas várias
modalidades desportivas simultaneamente.
– São, geralmente, de curta duração, lembrando
os torneios, podendo, ou não, apurar um
vencedor geral, além dos vencedores por
modalidades.
– A palavra Jogos deve ser escrita com a inicial
maiúscula para diferenciar de jogo – partida,
disputa. Exemplo: Jogos Olímpicos.
Como são disputadas as competições?Como são disputadas as competições?
6
• Antes de iniciar a organização de uma
competição, o profissional deve,
prioritariamente:
Conhecer a quantidade de participantes; e
Saber o tempo disponível para realizar a
disputa.
Informação Fundamental!Informação Fundamental!
7
• Processo de apuração das classificações
desejadas e estabelecidas nos regulamentos
das competições.
• Basicamente existem três tipos: Básico,
Misto e Derivado.
Sistema de disputaSistema de disputa
8
• É formado pelos subsistemas de disputa:
Rodízio e Eliminatória.
– Subsistema de disputa Rodízio
•Os competidores se encontram com os
demais – todos com todos.
•Quando a competição é dividida em fases e
os participantes separados em grupos, os
encontros podem acontecer apenas entre
os participantes do mesmo grupo.
Sistema Básico
9
• É formado pelos subsistemas de disputa:
Rodízio e Eliminatória.
– Subsistema de disputa Eliminatória
•Após cada etapa realizada, esse subsistema
prevê a eliminação dos perdedores,
permanecendo na competição apenas os
vencedores.
•As eliminatórias podem ser simples e
duplas.
•Na eliminatória simples a equipe é
eliminada na 1ª derrota; na eliminatória
dupla é eliminada após a 2ª derrota.
Sistema Básico
10
• Sistema de disputa onde, em uma fase da
competição se utiliza um dos subsistemas
básicos de disputa e, em outra fase, se utiliza o
outro subsistema básico de disputa.
– Por exemplo, na primeira fase da competição,
se utiliza o rodízio entre todos os
participantes da competição.
– Na outra fase, as equipes para tal
classificadas se enfrentam em eliminatória
simples, até a definição do vencedor.
– Isso ocorre, por exemplo, na Copa do Mundo
de Futebol.
Sistema Misto
11
• Sistema de disputa gerado a partir de um
dos subsistemas do sistema básico.
Exemplo:
Bagnall-Wild ou Suiço, Shuring ou Americano,
Handicap.
Sistema Derivado
12
• Consolação
– Processo de disputa que se caracteriza por
oferecer ao participante, não classificado em
determinada fase de competição, a
possibilidade de disputar classificações
inferiores ao título máximo.
• Repescagem
– Significa pescar de novo.
– Processo de disputa que oferece ao
participante não classificado em determinada
fase da competição a oportunidade de
disputar o título máximo dela.
13
• Competição
– Esforço, realizado para: provar a própria
superioridade, provar a superioridade frente a
outros, conquistar um prêmio, obter
reconhecimento ou uma honra.
– A forma para se alcançar essa superioridade
não é, necessariamente, de natureza hostil nem
através de atos não permitidos ou violentos.
• Competição isolada
– Prova, ou série de provas que pode ou não
apurar classificação, geralmente organizada
para tomar índices, tentativas de quebra de
recordes ou encontros (“meetings”) para
exibição de atletas famosos.
14
Número rodadas
Nº Parde Competidores ........ RP= P -1
Nº Ímparde Competidores ... RI= P
Rodízio Simples
Equilíbrio Vertical
(jogos em casa xfora de casa)
Equilíbrio Horizontal
(horários em que se disputa os jogos)
1
Número de jogos J=
2
P(P-1)
Se for rodízio duplo,
multiplica-se por 2;
e assim em diante.
Prof. Dr. Paulo Henrique Azevêdo
15
Exemplo - nº de participantes Ímpar - sete
•Inicialmente, deve-se
realizar a disposição dos
competidores, no sentido
anti-horário, sabendo-se
que, por serem em
quantidade ímpar, um
deve ficar isento em cada
rodada.
•Assim, temos:
16
Exemplo - nº de participantes Ímpar - sete
•O movimento de cada
competidor, em cada
rodada, será realizado
sempre no sentido
horário.
•Assim, temos:
17
Exemplo - nº de participantes Ímpar - sete
1
2x7
3x6
4x5
2
3x1
4x7
5x6
3
4x2
5x1
6x7
4
5x3
6x2
7x1
5
6x4
7x3
1x2
6
7x5
1x4
2x3
7
1x6
2x5
3x4
2x7
3x6
4x5
3x1
4x7
5x6
4x2
5x1
6x7
5x3
6x2
7x1
6x4
7x3
1x2
7x5
1x4
2x3
1x6
2x5
3x4
C
Equilíbrio Vertical e Horizontal (simultâneos)
2
Prof. Dr. Paulo Henrique Azevêdo
18
3
2x7
3x6
4x5
2x7
3x6
4x5
3x1
4x7
5x6
3x1
4x7
5x6
4x2
5x1
6x7
4x2
5x1
6x7
5x3
6x2
7x1
5x3
6x2
7x1
6x4
7x3
1x2
6x4
7x3
1x2
7x5
1x4
2x3
7x5
1x4
2x3
1x6
2x5
3x4
1x6
2x5
3x4
C
C
I
I
III
III
V
V
II
II
IV
IV
VI
VI
1ª R 2ª R 3ª R 4ª R 5ª R 6ª R 7ª R
Prof. Dr. Paulo Henrique Azevêdo
Exemplo - nº de participantes Ímpar - sete
19
4
1x8
2x7
3x6
4x5
1x2
3x8
4x7
5x6
1x3
4x2
5x8
6x7
1x4
5x3
6x2
7x8
1x5
6x4
7x3
8x2
1x6
7x5
8x4
2x3
1x7
8x6
2x5
3x4
CI III V II IV VI
Prof. Dr. Paulo Henrique Azevêdo
1ª R 2ª R 3ª R 4ª R 5ª R 6ª R 7ª R
Exemplo com número de participantes par - oito
20
5
1x8
2x7
3x6
4x5
1x2
3x8
4x7
5x6
1x3
4x2
5x8
6x7
1x4
5x3
6x2
7x8
1x5
6x4
7x3
8x2
1x6
7x5
8x4
2x3
1x7
8x6
2x5
3x4
CI III VII IV VI
Prof. Dr. Paulo Henrique Azevêdo
Exemplo com número de participantes par - oito
21
6
8x1
2x7
3x6
4x5
2x1
3x8
4x7
5x6
3x1
4x2
5x8
6x7
4x1
5x3
6x2
7x8
1x5
6x4
7x3
8x2
1x6
7x5
8x4
2x3
1x7
8x6
2x5
3x4
CI III VII IV VI
Para obter-se o equilíbrio vertical da equipe fixa,
alterna-se os seus mando de campo, rodada sim,
rodada não.
Prof. Dr. Paulo Henrique Azevêdo
Exemplo com número de participantes par - oito
22
7
8x1
2x7
3x6
4x5
1º jogo
2º jogo
3º jogo
4º jogo
4x7
3x8
2x1
5x6
6x7
4x2
5x8
3x1
5x3
4x1
6x2
7x8
6x4
1x5
7x3
8x2
2x3
7x5
8x4
1x6
2x5
8x6
1x7
3x4
1ª R 2ª R 3ª R 4ª R 5ª R 6ª R 7ª R
O equilíbrio horizontal é feito com o deslocamento
do participante fixo (nº 1), que aparece sempre
no primeiro jogo de todas as composições
Prof. Dr. Paulo Henrique Azevêdo
Exemplo com número de participantes par - oito
23
24
Se for , multiplica-se por 2 o
resultado do rodízio simples, o que no caso
acima teríamos:
J = 45.2 J = 90.
rodízio duplo
Se for , a fórmula é a
seguinte:
J = 2.(P-1)+1 J = 2.(10-1)+1 J = 18 ou 19
eliminatória dupla
Neste caso, a diferença é de 71 ou 72 jogos entre os
dois sistemas.
25
Eliminatória – Método Tradicional
Exemplo com 8 participantes
1. Colocar os nomes dos participantes em coluna
A
B
C
D
E
F
G
H
26
Eliminatória – Método Tradicional
2.Traçar linhas horizontais adiante dos nomes
A
B
C
D
E
F
G
H
27
Eliminatória – Método Tradicional
3. Fechar cada duas linhas com um linha vertical
A
B
C
D
E
F
G
H
28
Eliminatória – Método Tradicional
Traçar novos traços horizontais e verticais sucessivos, até
se chegar a uma linha horizontal somente.
A
B
C
D
E
F
G
H
Este exemplo fica simples de
demonstrar, pois a quantidade
de participantes, no caso oito,
é uma potência de 2.
29
30
Quantidade de participantes que não seja
uma potência de dois
• Se a quantidade de participantes não for uma
potência de 2: 3, 5, 9, 10, 12, 23, etc.
Exemplo:
Eliminatória simples com 12 competidores
• Para se determinar o número de isentos, deve-se
subtrair a potência imediatamente superior ao número
de participantes, da quantidade de participantes.
• Nesse exemplo, a quantidade de participantes é 12 e
a potência de 2 imediatamente superior a 12 é 16.
Portanto, 16 - 12 = 4 = isentos.
31
A
B
C
D
E
F
G
H
I
J
K
L
Exemplo:
Eliminatória simples com
12 participantes
32
A
B
C
D
E
F
G
H
I
J
K
L
Exemplo:
Eliminatória simples com
12 participantes
Perceba que, a partir
da segunda fase, a
quantidade de
participantes já se
torna uma potência
de dois, exatamente
em virtude da
quantidade de
isentos definida na
primeira fase
33
• Sistema de Disputa deSistema de Disputa de
CompetiçõesCompetições
• Eliminatória Dupla
Prof. Dr. Paulo Henrique Azevêdo
Universidade de Brasília - UnBUniversidade de Brasília - UnB
Como o sistema é Eliminatória Dupla, cada
competidor pode ter, no máximono máximo, uma derrota.
Inicialmente, deve ser determinada a quantidade
de jogos a serem realizados:
J = 2.(P-1)+1J = 2.(P-1)+1
Onde:
▫ J é quantidade de jogos
▫ P é a quantidade de participantes
▫ Esse +1 que aparece, somente ocorrerá no caso
de haver a necessidade de um jogo opcional,
conforme se esclarecerá adiante.
No exemplo, a seguir, a competição terá oito participantes,
portanto, aplicando-se a fórmula:
J = 2.(8-1) + 1J = 2.(8-1) + 1 J = 14 (+1)J = 14 (+1)
J = 14J = 14 ouou J = 15J = 15
Então poderão ocorrer 14 ou 15 jogos.Então poderão ocorrer 14 ou 15 jogos.
Se o Vencedor dos Vencedores (que, até este jogo, não teve
derrota) vencer o jogo 14, será, então, declarado Vencedor
Geral.
Isso ocorre porque o Vencedor dos Perdedores já possui uma
derrota e, com mais uma, estará fora da competição.
Se o Vencedor dos Perdedores vencer o jogo 14, haverá a
necessidade do jogo 15 para a decisão do Vencedor da
Competição, já que aí, cada um terá uma derrota e, portanto,
continua na competição.
Chave InicialChave Inicial
1º passo1º passo
Elabora-se a chave inicial.
Chave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial
2º passo2º passo
Depois de realizados os quatro jogos da chave inicial, puxam-se para o
lado esquerdo os perdedores desses jogos, formando-se, assim, a 1ª fase
da chave dos perdedores.
Chave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial
2º passo2º passo
Interrompe-se a seqüência de jogos dos perdedores quando esta chave
apresentar uma quantidade de participantes igual à quantidade de
perdedores que virão da próxima chave dos vencedores.
Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial
3º passo3º passo
Realiza-se uma fase da chave dos vencedores.
Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial
3º passo3º passo
Realiza-se uma fase da chave dos vencedores.
Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial
4º passo4º passo
Retorna-se à chave dos perdedores, agora acrescida com mais dois
derrotados dos vencedores e realiza-se tantos jogos quantos necessários
para deixar a Chave dos Perdedores com uma quantidade de participantes
igual ao número de perdedores que ainda virão da Chave dos Vencedores.
Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial
4º passo4º passo
O cruzamento das linhas entre os perdedores dos jogos 7 e 8 é efetuado
para evitarmos (na Chave dos Perdedores) repetição precoce de jogos
realizados na Chave dos Vencedores.
Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial
4º passo4º passo
Novamente, realiza-se tantos jogos quantos necessários para deixar a Chave dos
Perdedores com uma quantidade de participantes igual ao número de perdedores
que ainda virão da Chave dos Vencedores.
Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial
4º passo4º passo
O jogo 11 é, então, realizado. Perceba que, mesmo que houvesse a possibilidade
de um outro jogo na chave dos perdedores, ele deveria ser realizado agora, pois
da chave dos vencedores é possível vir somente um perdedor e, nessa hipótese,
ainda teríamos dois competidores na chave dos perdedores.
Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial
5º passo5º passo
Duas operações devem ocorrer: 1ª - realiza-se um jogo na Chave dos
Vencedores (jogo 12).
VencedorVencedor
dosdos
VencedoresVencedores
Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial
5º passo5º passo
Duas operações devem ocorrer: 2ª - Realiza-se, então, o jogo 12,
saindo dali o Vencedor dos Vencedores.
VencedorVencedor
dosdos
VencedoresVencedores
Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial
5º passo5º passo
Ao final dessa segunda operação puxa-se o perdedor do jogo 12 para a
Chave do Perdedores.
VencedorVencedor
dosdos
VencedoresVencedores
VencedorVencedor
dosdos
PerdedoresPerdedores
Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial
5º passo5º passo
Aí realiza-se o jogo 13, que é a partida final da chave dos perdedores,
saindo dali o Vencedor do Perdedores.
VencedorVencedor
dosdos
VencedoresVencedores
VencedorVencedor
dosdos
PerdedoresPerdedores
Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial
6º passo6º passo
Transporta-se o Vencedor dos Perdedores para a Chave dos Vencedores.
VencedorVencedor
dosdos
VencedoresVencedores
VencedorVencedor
dosdos
PerdedoresPerdedores
Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial
6º passo6º passo
Agora realiza-se o jogo 14.
É importante ressaltar que o sistema é eliminatória dupla e que o
participante é eliminado da competição ao sofrer duas derrotas.
Se o Vencedor dosSe o Vencedor dos
Vencedores ganhar, entãoVencedores ganhar, então
ele será o Vencedor Geralele será o Vencedor Geral
Se o Vencedor dosSe o Vencedor dos
Perdedores ganhar, entãoPerdedores ganhar, então
haverá um Jogo Opcionalhaverá um Jogo Opcional
6º passo6º passo
Perceba que o Vencedor dos Vencedores não possui derrota
e o Vencedor dos Perdedores possui uma derrota.
É importante ressaltar que o sistema é eliminatória dupla e
que o participante é eliminado da competição ao sofrer duas
derrotas.
O Vencedor dos VencedoresO Vencedor dos Vencedores
ganhou.ganhou.
Portanto, o Vencedor dosPortanto, o Vencedor dos
Vencedores é o Vencedor GeralVencedores é o Vencedor Geral
Hipótese 1 – Vitória do Vencedor dos Vencedores no jogo 14.
Como o Vencedor dos Perdedores já possuía uma derrota,
passa a ter duas derrotas e é eliminado da competição.
Então, o Vencedor dos Vencedores é o Vencedor Geral da
Competição.
Mas, e se o Vencedor dos
Perdedores ganhar essa partida?
6º passo6º passo
O Vencedor dos PerdedoresO Vencedor dos Perdedores
ganhou.ganhou.
Portanto, há a necessidade dePortanto, há a necessidade de
realização do Jogo Opcional.realização do Jogo Opcional.
Hipótese 2 – Vitória do Vencedor dos Perdedores no jogo 14.
Como o Vencedor dos Vencedores não possuía derrota, passa
a ter sua primeira e continua a ter direito a continuar na
competição.
Aí, então, haverá a necessidade do Jogo Opcional (Jogo 15),
que eliminará o último competidor e definirá o Vencedor
Geral da Competição.
6º passo6º passo
Jogo OpcionalJogo Opcional
O ganhador será, então, oO ganhador será, então, o
Vencedor Geral (ouVencedor Geral (ou
Vencedor da Competição).Vencedor da Competição).
Desse jogo sairá o Vencedor da Competição.
7º passo7º passo
ConclusãoConclusão
O sistema se chama Eliminatória
Dupla, pois quem perde duas vezes
está eliminado da competição e será
declarado Vencedor Geral quem, ao
final de todos os jogos, não tiver
duas derrotas.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ginastica rítmica
Ginastica rítmicaGinastica rítmica
Ginastica rítmica
Morais Neto
 
Planejamento Anual Ed. Física 6º AO 9º Ano.docx
Planejamento Anual Ed. Física 6º AO 9º Ano.docxPlanejamento Anual Ed. Física 6º AO 9º Ano.docx
Planejamento Anual Ed. Física 6º AO 9º Ano.docx
MoisesVeiga2
 
Esporte e lazer
Esporte e lazerEsporte e lazer
Esporte e lazer
TecaAdri
 
Futsal teórica
Futsal   teóricaFutsal   teórica
Futsal teórica
NetKids
 

Mais procurados (20)

LUTAS DO BRASIL.pptx
LUTAS DO BRASIL.pptxLUTAS DO BRASIL.pptx
LUTAS DO BRASIL.pptx
 
Ed fisica escolar
Ed fisica escolarEd fisica escolar
Ed fisica escolar
 
Jogos eletrônicos
Jogos eletrônicosJogos eletrônicos
Jogos eletrônicos
 
Slide história da educação física-blog
Slide história da educação física-blogSlide história da educação física-blog
Slide história da educação física-blog
 
Ginastica rítmica
Ginastica rítmicaGinastica rítmica
Ginastica rítmica
 
Ginástica
GinásticaGinástica
Ginástica
 
Planejamento Anual Ed. Física 6º AO 9º Ano.docx
Planejamento Anual Ed. Física 6º AO 9º Ano.docxPlanejamento Anual Ed. Física 6º AO 9º Ano.docx
Planejamento Anual Ed. Física 6º AO 9º Ano.docx
 
Ginástica - Educação Física
Ginástica - Educação FísicaGinástica - Educação Física
Ginástica - Educação Física
 
Avaliação de educação fisica 9 ano
Avaliação de educação fisica 9 anoAvaliação de educação fisica 9 ano
Avaliação de educação fisica 9 ano
 
Aula introdução ed. fisica
Aula introdução ed. fisicaAula introdução ed. fisica
Aula introdução ed. fisica
 
Historia da Educação Física
Historia da Educação FísicaHistoria da Educação Física
Historia da Educação Física
 
Diferença de atividade física para Exercício físico!
Diferença de atividade física para Exercício físico!Diferença de atividade física para Exercício físico!
Diferença de atividade física para Exercício físico!
 
Jogos e brincadeiras
Jogos e brincadeirasJogos e brincadeiras
Jogos e brincadeiras
 
Esporte e lazer
Esporte e lazerEsporte e lazer
Esporte e lazer
 
Apresentação da Disciplina Educação Física
Apresentação da Disciplina Educação FísicaApresentação da Disciplina Educação Física
Apresentação da Disciplina Educação Física
 
Atletismo
AtletismoAtletismo
Atletismo
 
Planos bimestrais 6º ao 9º educação física
Planos bimestrais  6º ao 9º educação físicaPlanos bimestrais  6º ao 9º educação física
Planos bimestrais 6º ao 9º educação física
 
Slide de educação fisica
Slide de educação fisicaSlide de educação fisica
Slide de educação fisica
 
Futsal teórica
Futsal   teóricaFutsal   teórica
Futsal teórica
 
Educação física 6 ano
Educação física 6 anoEducação física 6 ano
Educação física 6 ano
 

Mais de Herbert Santana

Tendências Pedagógicas da Educação Brasileira
Tendências Pedagógicas da Educação BrasileiraTendências Pedagógicas da Educação Brasileira
Tendências Pedagógicas da Educação Brasileira
Herbert Santana
 
Fisiologia Humana 9 - Temperatura Corporal
Fisiologia Humana 9 - Temperatura CorporalFisiologia Humana 9 - Temperatura Corporal
Fisiologia Humana 9 - Temperatura Corporal
Herbert Santana
 
Fisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
Fisiologia Humana 7 - Sistema RespiratórioFisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
Fisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
Herbert Santana
 
Fisiologia Humana 6 - Sistema Renal
Fisiologia Humana 6 - Sistema RenalFisiologia Humana 6 - Sistema Renal
Fisiologia Humana 6 - Sistema Renal
Herbert Santana
 
Fisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Fisiologia Humana 5 - Sistema CardiovascularFisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Fisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Herbert Santana
 
Fisiologia Humana 4 - Tecido Muscular
Fisiologia Humana 4 - Tecido MuscularFisiologia Humana 4 - Tecido Muscular
Fisiologia Humana 4 - Tecido Muscular
Herbert Santana
 
Fisiologia Humana 3 - Bioeletrogênese
Fisiologia Humana 3 - BioeletrogêneseFisiologia Humana 3 - Bioeletrogênese
Fisiologia Humana 3 - Bioeletrogênese
Herbert Santana
 
Fisiologia Humana 2 - Fisiologia da Membrana
Fisiologia Humana 2 - Fisiologia da MembranaFisiologia Humana 2 - Fisiologia da Membrana
Fisiologia Humana 2 - Fisiologia da Membrana
Herbert Santana
 
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia HumanaFisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
Herbert Santana
 
Fisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Fisiologia Humana 8 - Sistema EndócrinoFisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Fisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Herbert Santana
 
Fundamentos da História da Educação
Fundamentos da História da EducaçãoFundamentos da História da Educação
Fundamentos da História da Educação
Herbert Santana
 
Estudo Aprofundado sobre o Bullying
Estudo Aprofundado sobre o BullyingEstudo Aprofundado sobre o Bullying
Estudo Aprofundado sobre o Bullying
Herbert Santana
 

Mais de Herbert Santana (17)

Psicologia Aplicada à Administração
Psicologia Aplicada à AdministraçãoPsicologia Aplicada à Administração
Psicologia Aplicada à Administração
 
Estruturas de Projetos de Pesquisa Relatórios de Pesquisa e Artigos Científicos
Estruturas de Projetos de Pesquisa Relatórios de Pesquisa e Artigos CientíficosEstruturas de Projetos de Pesquisa Relatórios de Pesquisa e Artigos Científicos
Estruturas de Projetos de Pesquisa Relatórios de Pesquisa e Artigos Científicos
 
Cineantropometria - Perimetria e Avaliação Corporal
Cineantropometria - Perimetria e Avaliação CorporalCineantropometria - Perimetria e Avaliação Corporal
Cineantropometria - Perimetria e Avaliação Corporal
 
Introduçao à Apredizagem Motora
Introduçao à Apredizagem MotoraIntroduçao à Apredizagem Motora
Introduçao à Apredizagem Motora
 
Tendências Pedagógicas da Educação Brasileira
Tendências Pedagógicas da Educação BrasileiraTendências Pedagógicas da Educação Brasileira
Tendências Pedagógicas da Educação Brasileira
 
Sistema Genital
Sistema GenitalSistema Genital
Sistema Genital
 
Fisiologia Humana 9 - Temperatura Corporal
Fisiologia Humana 9 - Temperatura CorporalFisiologia Humana 9 - Temperatura Corporal
Fisiologia Humana 9 - Temperatura Corporal
 
Fisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
Fisiologia Humana 7 - Sistema RespiratórioFisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
Fisiologia Humana 7 - Sistema Respiratório
 
Fisiologia Humana 6 - Sistema Renal
Fisiologia Humana 6 - Sistema RenalFisiologia Humana 6 - Sistema Renal
Fisiologia Humana 6 - Sistema Renal
 
Fisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Fisiologia Humana 5 - Sistema CardiovascularFisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
Fisiologia Humana 5 - Sistema Cardiovascular
 
Fisiologia Humana 4 - Tecido Muscular
Fisiologia Humana 4 - Tecido MuscularFisiologia Humana 4 - Tecido Muscular
Fisiologia Humana 4 - Tecido Muscular
 
Fisiologia Humana 3 - Bioeletrogênese
Fisiologia Humana 3 - BioeletrogêneseFisiologia Humana 3 - Bioeletrogênese
Fisiologia Humana 3 - Bioeletrogênese
 
Fisiologia Humana 2 - Fisiologia da Membrana
Fisiologia Humana 2 - Fisiologia da MembranaFisiologia Humana 2 - Fisiologia da Membrana
Fisiologia Humana 2 - Fisiologia da Membrana
 
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia HumanaFisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
 
Fisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Fisiologia Humana 8 - Sistema EndócrinoFisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Fisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
 
Fundamentos da História da Educação
Fundamentos da História da EducaçãoFundamentos da História da Educação
Fundamentos da História da Educação
 
Estudo Aprofundado sobre o Bullying
Estudo Aprofundado sobre o BullyingEstudo Aprofundado sobre o Bullying
Estudo Aprofundado sobre o Bullying
 

Sistemas de Disputa -

  • 1. Administração do EsporteAdministração do Esporte Organização deOrganização de Sistemas de DisputaSistemas de Disputa de Competiçõesde Competições Universidade de BrasíliaUniversidade de Brasília Faculdade de Educação FísicaFaculdade de Educação Física Prof. Dr. Paulo Henrique AzevêdoProf. Dr. Paulo Henrique Azevêdo
  • 2. 2 • Existem Eliminatórias ou Classificatórias para a Copa do Mundo? • Campeonato Brasileiro de Futebol é o nome da competição ou indicação do sistema de disputa? • O competidor que falta a uma disputa deve receber o nome de ausente ou WO? ??? Será que existem dúvidas ?????? Será que existem dúvidas ???
  • 3. 3 Normalmente, são utilizadas três formas de disputas de competição: o Campeonato, o Torneio e Jogos. • Campeonato – Competição onde há o encontro de cada participantes com os demais (todos com todos). – Quando o campeonato é dividido em etapas, possuindo vários grupos, o encontro pode se limitar às equipes do mesmo grupo. – É considerado competição de longa duração. Como são disputadas as competições?Como são disputadas as competições?
  • 4. 4 Normalmente, são utilizadas três formas de disputas de competição: o Campeonato, o Torneio e Jogos. • Torneio – Competição geralmente desenvolvida: a. De curta duração b. Através do sistema das eliminatórias; c. Pelo rodízio simples com a diminuição do tempo oficial de jogo (ou diminuição dos escores estabelecidos). Como são disputadas as competições?Como são disputadas as competições?
  • 5. 5 Normalmente, são utilizadas três formas de disputas de competição: o Campeonato, o Torneio e Jogos. • Jogos – Competição onde são disputadas várias modalidades desportivas simultaneamente. – São, geralmente, de curta duração, lembrando os torneios, podendo, ou não, apurar um vencedor geral, além dos vencedores por modalidades. – A palavra Jogos deve ser escrita com a inicial maiúscula para diferenciar de jogo – partida, disputa. Exemplo: Jogos Olímpicos. Como são disputadas as competições?Como são disputadas as competições?
  • 6. 6 • Antes de iniciar a organização de uma competição, o profissional deve, prioritariamente: Conhecer a quantidade de participantes; e Saber o tempo disponível para realizar a disputa. Informação Fundamental!Informação Fundamental!
  • 7. 7 • Processo de apuração das classificações desejadas e estabelecidas nos regulamentos das competições. • Basicamente existem três tipos: Básico, Misto e Derivado. Sistema de disputaSistema de disputa
  • 8. 8 • É formado pelos subsistemas de disputa: Rodízio e Eliminatória. – Subsistema de disputa Rodízio •Os competidores se encontram com os demais – todos com todos. •Quando a competição é dividida em fases e os participantes separados em grupos, os encontros podem acontecer apenas entre os participantes do mesmo grupo. Sistema Básico
  • 9. 9 • É formado pelos subsistemas de disputa: Rodízio e Eliminatória. – Subsistema de disputa Eliminatória •Após cada etapa realizada, esse subsistema prevê a eliminação dos perdedores, permanecendo na competição apenas os vencedores. •As eliminatórias podem ser simples e duplas. •Na eliminatória simples a equipe é eliminada na 1ª derrota; na eliminatória dupla é eliminada após a 2ª derrota. Sistema Básico
  • 10. 10 • Sistema de disputa onde, em uma fase da competição se utiliza um dos subsistemas básicos de disputa e, em outra fase, se utiliza o outro subsistema básico de disputa. – Por exemplo, na primeira fase da competição, se utiliza o rodízio entre todos os participantes da competição. – Na outra fase, as equipes para tal classificadas se enfrentam em eliminatória simples, até a definição do vencedor. – Isso ocorre, por exemplo, na Copa do Mundo de Futebol. Sistema Misto
  • 11. 11 • Sistema de disputa gerado a partir de um dos subsistemas do sistema básico. Exemplo: Bagnall-Wild ou Suiço, Shuring ou Americano, Handicap. Sistema Derivado
  • 12. 12 • Consolação – Processo de disputa que se caracteriza por oferecer ao participante, não classificado em determinada fase de competição, a possibilidade de disputar classificações inferiores ao título máximo. • Repescagem – Significa pescar de novo. – Processo de disputa que oferece ao participante não classificado em determinada fase da competição a oportunidade de disputar o título máximo dela.
  • 13. 13 • Competição – Esforço, realizado para: provar a própria superioridade, provar a superioridade frente a outros, conquistar um prêmio, obter reconhecimento ou uma honra. – A forma para se alcançar essa superioridade não é, necessariamente, de natureza hostil nem através de atos não permitidos ou violentos. • Competição isolada – Prova, ou série de provas que pode ou não apurar classificação, geralmente organizada para tomar índices, tentativas de quebra de recordes ou encontros (“meetings”) para exibição de atletas famosos.
  • 14. 14 Número rodadas Nº Parde Competidores ........ RP= P -1 Nº Ímparde Competidores ... RI= P Rodízio Simples Equilíbrio Vertical (jogos em casa xfora de casa) Equilíbrio Horizontal (horários em que se disputa os jogos) 1 Número de jogos J= 2 P(P-1) Se for rodízio duplo, multiplica-se por 2; e assim em diante. Prof. Dr. Paulo Henrique Azevêdo
  • 15. 15 Exemplo - nº de participantes Ímpar - sete •Inicialmente, deve-se realizar a disposição dos competidores, no sentido anti-horário, sabendo-se que, por serem em quantidade ímpar, um deve ficar isento em cada rodada. •Assim, temos:
  • 16. 16 Exemplo - nº de participantes Ímpar - sete •O movimento de cada competidor, em cada rodada, será realizado sempre no sentido horário. •Assim, temos:
  • 17. 17 Exemplo - nº de participantes Ímpar - sete 1 2x7 3x6 4x5 2 3x1 4x7 5x6 3 4x2 5x1 6x7 4 5x3 6x2 7x1 5 6x4 7x3 1x2 6 7x5 1x4 2x3 7 1x6 2x5 3x4 2x7 3x6 4x5 3x1 4x7 5x6 4x2 5x1 6x7 5x3 6x2 7x1 6x4 7x3 1x2 7x5 1x4 2x3 1x6 2x5 3x4 C Equilíbrio Vertical e Horizontal (simultâneos) 2 Prof. Dr. Paulo Henrique Azevêdo
  • 19. 19 4 1x8 2x7 3x6 4x5 1x2 3x8 4x7 5x6 1x3 4x2 5x8 6x7 1x4 5x3 6x2 7x8 1x5 6x4 7x3 8x2 1x6 7x5 8x4 2x3 1x7 8x6 2x5 3x4 CI III V II IV VI Prof. Dr. Paulo Henrique Azevêdo 1ª R 2ª R 3ª R 4ª R 5ª R 6ª R 7ª R Exemplo com número de participantes par - oito
  • 20. 20 5 1x8 2x7 3x6 4x5 1x2 3x8 4x7 5x6 1x3 4x2 5x8 6x7 1x4 5x3 6x2 7x8 1x5 6x4 7x3 8x2 1x6 7x5 8x4 2x3 1x7 8x6 2x5 3x4 CI III VII IV VI Prof. Dr. Paulo Henrique Azevêdo Exemplo com número de participantes par - oito
  • 21. 21 6 8x1 2x7 3x6 4x5 2x1 3x8 4x7 5x6 3x1 4x2 5x8 6x7 4x1 5x3 6x2 7x8 1x5 6x4 7x3 8x2 1x6 7x5 8x4 2x3 1x7 8x6 2x5 3x4 CI III VII IV VI Para obter-se o equilíbrio vertical da equipe fixa, alterna-se os seus mando de campo, rodada sim, rodada não. Prof. Dr. Paulo Henrique Azevêdo Exemplo com número de participantes par - oito
  • 22. 22 7 8x1 2x7 3x6 4x5 1º jogo 2º jogo 3º jogo 4º jogo 4x7 3x8 2x1 5x6 6x7 4x2 5x8 3x1 5x3 4x1 6x2 7x8 6x4 1x5 7x3 8x2 2x3 7x5 8x4 1x6 2x5 8x6 1x7 3x4 1ª R 2ª R 3ª R 4ª R 5ª R 6ª R 7ª R O equilíbrio horizontal é feito com o deslocamento do participante fixo (nº 1), que aparece sempre no primeiro jogo de todas as composições Prof. Dr. Paulo Henrique Azevêdo Exemplo com número de participantes par - oito
  • 23. 23
  • 24. 24 Se for , multiplica-se por 2 o resultado do rodízio simples, o que no caso acima teríamos: J = 45.2 J = 90. rodízio duplo Se for , a fórmula é a seguinte: J = 2.(P-1)+1 J = 2.(10-1)+1 J = 18 ou 19 eliminatória dupla Neste caso, a diferença é de 71 ou 72 jogos entre os dois sistemas.
  • 25. 25 Eliminatória – Método Tradicional Exemplo com 8 participantes 1. Colocar os nomes dos participantes em coluna A B C D E F G H
  • 26. 26 Eliminatória – Método Tradicional 2.Traçar linhas horizontais adiante dos nomes A B C D E F G H
  • 27. 27 Eliminatória – Método Tradicional 3. Fechar cada duas linhas com um linha vertical A B C D E F G H
  • 28. 28 Eliminatória – Método Tradicional Traçar novos traços horizontais e verticais sucessivos, até se chegar a uma linha horizontal somente. A B C D E F G H Este exemplo fica simples de demonstrar, pois a quantidade de participantes, no caso oito, é uma potência de 2.
  • 29. 29
  • 30. 30 Quantidade de participantes que não seja uma potência de dois • Se a quantidade de participantes não for uma potência de 2: 3, 5, 9, 10, 12, 23, etc. Exemplo: Eliminatória simples com 12 competidores • Para se determinar o número de isentos, deve-se subtrair a potência imediatamente superior ao número de participantes, da quantidade de participantes. • Nesse exemplo, a quantidade de participantes é 12 e a potência de 2 imediatamente superior a 12 é 16. Portanto, 16 - 12 = 4 = isentos.
  • 32. 32 A B C D E F G H I J K L Exemplo: Eliminatória simples com 12 participantes Perceba que, a partir da segunda fase, a quantidade de participantes já se torna uma potência de dois, exatamente em virtude da quantidade de isentos definida na primeira fase
  • 33. 33 • Sistema de Disputa deSistema de Disputa de CompetiçõesCompetições • Eliminatória Dupla Prof. Dr. Paulo Henrique Azevêdo Universidade de Brasília - UnBUniversidade de Brasília - UnB
  • 34. Como o sistema é Eliminatória Dupla, cada competidor pode ter, no máximono máximo, uma derrota. Inicialmente, deve ser determinada a quantidade de jogos a serem realizados: J = 2.(P-1)+1J = 2.(P-1)+1 Onde: ▫ J é quantidade de jogos ▫ P é a quantidade de participantes ▫ Esse +1 que aparece, somente ocorrerá no caso de haver a necessidade de um jogo opcional, conforme se esclarecerá adiante.
  • 35. No exemplo, a seguir, a competição terá oito participantes, portanto, aplicando-se a fórmula: J = 2.(8-1) + 1J = 2.(8-1) + 1 J = 14 (+1)J = 14 (+1) J = 14J = 14 ouou J = 15J = 15 Então poderão ocorrer 14 ou 15 jogos.Então poderão ocorrer 14 ou 15 jogos. Se o Vencedor dos Vencedores (que, até este jogo, não teve derrota) vencer o jogo 14, será, então, declarado Vencedor Geral. Isso ocorre porque o Vencedor dos Perdedores já possui uma derrota e, com mais uma, estará fora da competição. Se o Vencedor dos Perdedores vencer o jogo 14, haverá a necessidade do jogo 15 para a decisão do Vencedor da Competição, já que aí, cada um terá uma derrota e, portanto, continua na competição.
  • 36. Chave InicialChave Inicial 1º passo1º passo Elabora-se a chave inicial.
  • 37. Chave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial 2º passo2º passo Depois de realizados os quatro jogos da chave inicial, puxam-se para o lado esquerdo os perdedores desses jogos, formando-se, assim, a 1ª fase da chave dos perdedores.
  • 38. Chave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial 2º passo2º passo Interrompe-se a seqüência de jogos dos perdedores quando esta chave apresentar uma quantidade de participantes igual à quantidade de perdedores que virão da próxima chave dos vencedores.
  • 39. Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial 3º passo3º passo Realiza-se uma fase da chave dos vencedores.
  • 40. Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial 3º passo3º passo Realiza-se uma fase da chave dos vencedores.
  • 41. Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial 4º passo4º passo Retorna-se à chave dos perdedores, agora acrescida com mais dois derrotados dos vencedores e realiza-se tantos jogos quantos necessários para deixar a Chave dos Perdedores com uma quantidade de participantes igual ao número de perdedores que ainda virão da Chave dos Vencedores.
  • 42. Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial 4º passo4º passo O cruzamento das linhas entre os perdedores dos jogos 7 e 8 é efetuado para evitarmos (na Chave dos Perdedores) repetição precoce de jogos realizados na Chave dos Vencedores.
  • 43. Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial 4º passo4º passo Novamente, realiza-se tantos jogos quantos necessários para deixar a Chave dos Perdedores com uma quantidade de participantes igual ao número de perdedores que ainda virão da Chave dos Vencedores.
  • 44. Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial 4º passo4º passo O jogo 11 é, então, realizado. Perceba que, mesmo que houvesse a possibilidade de um outro jogo na chave dos perdedores, ele deveria ser realizado agora, pois da chave dos vencedores é possível vir somente um perdedor e, nessa hipótese, ainda teríamos dois competidores na chave dos perdedores.
  • 45. Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial 5º passo5º passo Duas operações devem ocorrer: 1ª - realiza-se um jogo na Chave dos Vencedores (jogo 12).
  • 46. VencedorVencedor dosdos VencedoresVencedores Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial 5º passo5º passo Duas operações devem ocorrer: 2ª - Realiza-se, então, o jogo 12, saindo dali o Vencedor dos Vencedores.
  • 47. VencedorVencedor dosdos VencedoresVencedores Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial 5º passo5º passo Ao final dessa segunda operação puxa-se o perdedor do jogo 12 para a Chave do Perdedores.
  • 48. VencedorVencedor dosdos VencedoresVencedores VencedorVencedor dosdos PerdedoresPerdedores Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial 5º passo5º passo Aí realiza-se o jogo 13, que é a partida final da chave dos perdedores, saindo dali o Vencedor do Perdedores.
  • 49. VencedorVencedor dosdos VencedoresVencedores VencedorVencedor dosdos PerdedoresPerdedores Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial 6º passo6º passo Transporta-se o Vencedor dos Perdedores para a Chave dos Vencedores.
  • 50. VencedorVencedor dosdos VencedoresVencedores VencedorVencedor dosdos PerdedoresPerdedores Chave dos VencedoresChave dos VencedoresChave dos PerdedoresChave dos Perdedores Chave InicialChave Inicial 6º passo6º passo Agora realiza-se o jogo 14. É importante ressaltar que o sistema é eliminatória dupla e que o participante é eliminado da competição ao sofrer duas derrotas.
  • 51. Se o Vencedor dosSe o Vencedor dos Vencedores ganhar, entãoVencedores ganhar, então ele será o Vencedor Geralele será o Vencedor Geral Se o Vencedor dosSe o Vencedor dos Perdedores ganhar, entãoPerdedores ganhar, então haverá um Jogo Opcionalhaverá um Jogo Opcional 6º passo6º passo Perceba que o Vencedor dos Vencedores não possui derrota e o Vencedor dos Perdedores possui uma derrota. É importante ressaltar que o sistema é eliminatória dupla e que o participante é eliminado da competição ao sofrer duas derrotas.
  • 52. O Vencedor dos VencedoresO Vencedor dos Vencedores ganhou.ganhou. Portanto, o Vencedor dosPortanto, o Vencedor dos Vencedores é o Vencedor GeralVencedores é o Vencedor Geral Hipótese 1 – Vitória do Vencedor dos Vencedores no jogo 14. Como o Vencedor dos Perdedores já possuía uma derrota, passa a ter duas derrotas e é eliminado da competição. Então, o Vencedor dos Vencedores é o Vencedor Geral da Competição. Mas, e se o Vencedor dos Perdedores ganhar essa partida? 6º passo6º passo
  • 53. O Vencedor dos PerdedoresO Vencedor dos Perdedores ganhou.ganhou. Portanto, há a necessidade dePortanto, há a necessidade de realização do Jogo Opcional.realização do Jogo Opcional. Hipótese 2 – Vitória do Vencedor dos Perdedores no jogo 14. Como o Vencedor dos Vencedores não possuía derrota, passa a ter sua primeira e continua a ter direito a continuar na competição. Aí, então, haverá a necessidade do Jogo Opcional (Jogo 15), que eliminará o último competidor e definirá o Vencedor Geral da Competição. 6º passo6º passo
  • 54. Jogo OpcionalJogo Opcional O ganhador será, então, oO ganhador será, então, o Vencedor Geral (ouVencedor Geral (ou Vencedor da Competição).Vencedor da Competição). Desse jogo sairá o Vencedor da Competição. 7º passo7º passo
  • 55. ConclusãoConclusão O sistema se chama Eliminatória Dupla, pois quem perde duas vezes está eliminado da competição e será declarado Vencedor Geral quem, ao final de todos os jogos, não tiver duas derrotas.