SlideShare uma empresa Scribd logo
FÍSICA


     IMPULSO E QUANTIDADE DE MOVIMENTO
1. IMPULSO (I)
                                                                                                Vo         t       V
       Consideremos um ponto material sob a ação de
            r
uma força F constante, durante um intervalo de tem-                                     F
po ∆t.
       Impulso é uma grandeza vetorial definida co-                                            Fr = ma
    r r
mo I = F.∆t . A unidade SI do impulso é N.s. O vetor
impulso apresenta a mesma direção e sentido da força                                               ∆v
                                                                                              F=m
que o origina.                                                                                     ∆t
                                                                                               mv − mv o
                                                                                            F=
                                                t                                                 ∆t
                F                                                                      F. ∆t = mv - m v0
                                                                                                   r
                                                                                                   I = ∆Q

                                                                      5. CONSERVAÇÃO            DA      QUANTIDADE         DE
2. GRÁFICO                                                               MOVIMENTO
                            r                                                                 r         r
      No caso da força F constante, o gráfico da in-                                          Q final = Qinicial
tensidade da força em função do tempo se apresenta                         Em um sistema isolado, a quantidade de mo-
de acordo com o gráfico abaixo.                                       vimento do sistema é constante.
      A área A é numericamente igual à intensidade
                                                                             Um sistema é dito isolado quando a força re-
do impulso I no intervalo de tempo ∆t.                                sultante externa é nula, ou seja, participam somente
      O exposto acima também é válido com a inten-                    forças internas.
sidade da força variável.
                                                                      6. CHOQUE MECÂNICO
                    F
                                                                            Para que possamos aplicar o princípio da con-
                                                                      servação da quantidade de movimento aos choques,
                                                                      precisamos de um sistema isolado, ou seja, de um sis-
                            A
                                                                      tema no qual não haja interações relevantes com for-
                                            t                         ças externas a ele.
                                    N                                       Para um choque entre dois corpos A e B, num
                         Área = I
                                                                      sistema isolado, teremos:
                                                r
3. QUANTIDADE DE MOVIMENTO ( Q )                                                        r     r     r      r
                                                                                        Q A + Q B = Q 'A + Q B
                                                                                                             '

      Quantidade de movimento, ou momento linear,                           Sendo os choques na mesma direção e adotan-
ou simplesmente momento, é uma grandeza vetorial                      do-se um sentido positivo, podemos escrever:
definida como o produto da massa do corpo por sua
                                   r                                                        Q A + QB = Q ' A + Q 'B
velocidade. Sendo m a massa e V a velocidade,
       r     r
temos Q = m V .                                                                                       ou
      A unidade SI da quantidade de movimento é
                                                                                        mA v A + mB vB = mA v 'A + mB vB
                                                                                                                       '
kg . m/s.
                                                                      Classificação dos choques:
4. TEOREMA DO IMPULSO
                                                                      6.1. Perfeitamente elástico
       O impulso da força resultante sobre um corpo                           Conserva energia cinética
durante um determinado intervalo de tempo é igual à                       EcA = EcD      (Antes → A; Depois → D)
variação da quantidade de movimento do corpo no
mesmo intervalo de tempo.                                                      Conserva quantidade de movimento
               r
       Sendo I o impulso da força resultante entre os
                     r r                                                                  QA = QD
instantes t1 e t2, e Q1 e Q 2 , as respectivas quantidades
                        r       r       r
de movimento, temos I = Q2 − Q1 .                                              Coeficiente de restituição (e)
     Note que 1 N . s = 1 kg . m/s.                                                          e=1

Editora Exato                                                  32
6.2. Parcialmente elástico ou parcial-                             I=10.3 → I=30N.s
mente inelástico
         Não conserva energia cinética                       2   Calcule a quantidade de movimento de uma bola
                     ECA > ECD                                   de massa 3kg que possui velocidade de 5m/s.
         Conserva quantidade de movimento                        Resolução: aplicando a equação
                      QA = QD                                     r    r
                                                                 Q = mv
         Coeficiente de restituição (e)                          Q = 3.5
                      0<e<1
                                                                 Q = 15kgm / s
6.3. Inelástico ou anelástico
         Não conserva energia cinética
      ECA > ECD                                              3   Uma força de 20N atua durante 6s sobre uma pe-
                                                                 quena bola. Qual a variação da quantidade de
        Conserva quantidade de movimento                         movimento da bola?
      QA = QD                                                    Resolução:
                                                                                r r
                                                                 Lembrando que I = ∆Q , basta aplicar a equação:
        Coeficiente de restituição                                 I = ∆Q
      e=0                                                          F ∆t = ∆Q
                                                                   ∆Q = 20.6
     Após um choque inelástico, os corpos perma-
necem unidos.                                                       ∆Q = 120kgm / s

7. COEFICIENTE DE RESTITUIÇÃO
                                                             4   Uma massa de modelar rola com velocidade 1m/s
      Consideremos duas esferas, A e B, realizando               quando colide com outra massa idêntica que es-
um choque direto.                                                tava em repouso. Qual a velocidade de ambas a-
      As propriedades elásticas dos corpos envolvi-              pós a colisão, sabendo que agora elas se
dos em choques são caracterizadas por uma grandeza               movimentam juntas?
chamada coeficiente de restituição.                              Resolução:
      O coeficiente de restituição e é definido como                A quantidade de movimento antes e depois da
o quociente entre o módulo da velocidade relativa de         colisão é a mesma (conservação); portanto,podemos
afastamento dos corpos imediatamente após o choque           escrever:
e o módulo da velocidade relativa de aproximação                      Q antes                  Q depois
imediatamente antes do choque.                                       mv 1 + m2v 2
                                                                      1                                 (m1 + m2 )v
             |velocidade relativa depois do choque|                  m.1+ m.o                           (m + m )v
           e=
              |velocidade relativa antes do choque|                                 Q ANTES = QDEPOIS
       O coeficiente de restituição é adimensional e               1.m + 0 = 2mV
                                                                               .
varia de 0 a 1. Quando o valor é 1, temos um choque                1 / = 2mV
                                                                    m     /.
perfeitamente elástico.                                                  1
                                                                   v =     m /s
                                                                         2
                ESTUDO DIRIGIDO

1   Escreva as equações de impulso e quantidade de
    movimento.                                                                      EXERCÍCIOS

                                                             1   Uma força constante F = 34,0 N atua sobre um
2   Defina sistema isolado.                                      corpo, inicialmente em repouso, por 6 s. Calcule,
                                                                 em Ns, o impulso exercido por esta força no cor-
                                                                 po.
3   Classifique os tipos de choque, comentando quais
    são conservativos.
                                                             2   Um jogador de futebol, ao bater uma falta, con-
                                                                 segue chutar a bola a uma velocidade de 30 m/s.
           EXERCÍCIOS RESOLVIDOS                                 Se a bola tem 400g de massa e o contato do pé do
                                                                 jogador com a bola durou 0,04s, calcule a força,
1   Um garoto faz uma força constante de 10N sobre               suposta constante, que o jogador exerceu na bola.
    um carrinho durante 3s, calcule o impulso sofrido
    pelo carrinho.
    Resolução:           r r
    Aplicando a equação I=F∆t
Editora Exato                                           33
3   Julgue os itens:
    1 Um sistema físico isolado de forças externas
     conserva sua energia e sua quantidade de mo-
     vimento.
    2 Numa colisão totalmente elástica e na ausên-
     cia de forças externas, há conservação de ener-
     gia.
    3 Numa colisão inelástica e na ausência de for-
     ças externas, há conservação da quantidade de
     movimento.
    4 O vetor quantidade de movimento de um cor-
     po é proporcional ao seu vetor velocidade.

4   Um átomo de Hélio, com velocidade inicial de
    1000 m/s colide com outro átomo de Hélio, inici-
    almente em repouso. Considerando que o choque
    foi perfeitamente elástico e que a velocidade de
    ambos tem sempre mesma direção e sentido, cal-
    cule a velocidade dos dois átomos após o choque.

5   Dois patinadores de mesma massa deslocam-se
    numa trajetória retilínea com velocidades respec-
    tivamente iguais a 8m/s e 6 m/s. O patinador mais
    rápido persegue o outro. Ao alcançá-lo, salta ver-
    ticalmente e agarra-se às suas costas, passando os
    dois a se deslocarem com a mesma velocidade V.
    Calcule V.


                       GABARITO

Estudo dirigido
      r r         r    r
1    I = F .∆t , Q = mv

2   Um sistema é dito isolado quando a força resul-
    tante externa é nula, ou seja, participam somente
    forças internas.
3 Perfeitamente elástico, conserva a energia cinéti-
  ca, enquanto o parcialmente elástico e o inelásti-
  co não conservam.
Exercícios
1   204 Ns
2   300N
3   E, C, C, E
4   0 e 1000m/s.
5   7 m/s




Editora Exato                                            34

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Força e movimento
Força e movimentoForça e movimento
Força e movimento
Anderson Carlos
 
Avaliação 1º ano 1º bimestre(física 1º c)
Avaliação 1º ano   1º bimestre(física 1º c)Avaliação 1º ano   1º bimestre(física 1º c)
Avaliação 1º ano 1º bimestre(física 1º c)
Vilmar Silva
 
Cinemática introdução
Cinemática introduçãoCinemática introdução
Cinemática introdução
O mundo da FÍSICA
 
Força elétrica
Força elétricaForça elétrica
Força elétrica
Marco Antonio Sanches
 
Movimento retilíeno uniformemente variado - MRUV
Movimento retilíeno uniformemente variado - MRUVMovimento retilíeno uniformemente variado - MRUV
Movimento retilíeno uniformemente variado - MRUV
O mundo da FÍSICA
 
Lista de exercícios de revisão energia e máquinas simples 9° ano dudunegão
Lista de exercícios de revisão   energia e máquinas simples 9° ano  dudunegãoLista de exercícios de revisão   energia e máquinas simples 9° ano  dudunegão
Lista de exercícios de revisão energia e máquinas simples 9° ano dudunegão
Eduardo Oliveira
 
Potencial elétrico
Potencial elétricoPotencial elétrico
Potencial elétrico
Wellington Sampaio
 
Física (calorimetria)
Física (calorimetria)Física (calorimetria)
Física (calorimetria)
Adrianne Mendonça
 
Notação cientifica
Notação cientificaNotação cientifica
Notação cientifica
Murilo Martins
 
Aula 3 mruv
Aula 3  mruvAula 3  mruv
Aula 3 mruv
Montenegro Física
 
Regras de três simples
Regras de três simplesRegras de três simples
Regras de três simples
chico marmelo
 
MHS Completo
MHS CompletoMHS Completo
MHS Completo
Rildo Borges
 
Exercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavanca
Exercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavancaExercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavanca
Exercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavanca
wilkerfilipel
 
Eletrostática fundamentos
Eletrostática   fundamentosEletrostática   fundamentos
Eletrostática fundamentos
Marco Antonio Sanches
 
3.1 dinâmica forças peso,normal, tração, elástica e atrito
3.1 dinâmica forças peso,normal, tração, elástica e atrito3.1 dinâmica forças peso,normal, tração, elástica e atrito
3.1 dinâmica forças peso,normal, tração, elástica e atrito
WALTER ALENCAR DE SOUSA
 
Aula 1 velocidade média
Aula 1  velocidade médiaAula 1  velocidade média
Aula 1 velocidade média
Montenegro Física
 
Exercicios resolvidos movimento retilíneo uniforme
Exercicios resolvidos movimento retilíneo uniformeExercicios resolvidos movimento retilíneo uniforme
Exercicios resolvidos movimento retilíneo uniforme
razonetecontabil
 
Exercícios de energia potencial gravitacional e cinética
Exercícios de energia potencial gravitacional e cinéticaExercícios de energia potencial gravitacional e cinética
Exercícios de energia potencial gravitacional e cinética
marileiabonetti
 
Slide Cinemática
Slide CinemáticaSlide Cinemática
Slide Cinemática
joaberb
 
Campo elétrico
Campo elétricoCampo elétrico

Mais procurados (20)

Força e movimento
Força e movimentoForça e movimento
Força e movimento
 
Avaliação 1º ano 1º bimestre(física 1º c)
Avaliação 1º ano   1º bimestre(física 1º c)Avaliação 1º ano   1º bimestre(física 1º c)
Avaliação 1º ano 1º bimestre(física 1º c)
 
Cinemática introdução
Cinemática introduçãoCinemática introdução
Cinemática introdução
 
Força elétrica
Força elétricaForça elétrica
Força elétrica
 
Movimento retilíeno uniformemente variado - MRUV
Movimento retilíeno uniformemente variado - MRUVMovimento retilíeno uniformemente variado - MRUV
Movimento retilíeno uniformemente variado - MRUV
 
Lista de exercícios de revisão energia e máquinas simples 9° ano dudunegão
Lista de exercícios de revisão   energia e máquinas simples 9° ano  dudunegãoLista de exercícios de revisão   energia e máquinas simples 9° ano  dudunegão
Lista de exercícios de revisão energia e máquinas simples 9° ano dudunegão
 
Potencial elétrico
Potencial elétricoPotencial elétrico
Potencial elétrico
 
Física (calorimetria)
Física (calorimetria)Física (calorimetria)
Física (calorimetria)
 
Notação cientifica
Notação cientificaNotação cientifica
Notação cientifica
 
Aula 3 mruv
Aula 3  mruvAula 3  mruv
Aula 3 mruv
 
Regras de três simples
Regras de três simplesRegras de três simples
Regras de três simples
 
MHS Completo
MHS CompletoMHS Completo
MHS Completo
 
Exercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavanca
Exercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavancaExercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavanca
Exercícios de aplicação sobre momento de uma força e alavanca
 
Eletrostática fundamentos
Eletrostática   fundamentosEletrostática   fundamentos
Eletrostática fundamentos
 
3.1 dinâmica forças peso,normal, tração, elástica e atrito
3.1 dinâmica forças peso,normal, tração, elástica e atrito3.1 dinâmica forças peso,normal, tração, elástica e atrito
3.1 dinâmica forças peso,normal, tração, elástica e atrito
 
Aula 1 velocidade média
Aula 1  velocidade médiaAula 1  velocidade média
Aula 1 velocidade média
 
Exercicios resolvidos movimento retilíneo uniforme
Exercicios resolvidos movimento retilíneo uniformeExercicios resolvidos movimento retilíneo uniforme
Exercicios resolvidos movimento retilíneo uniforme
 
Exercícios de energia potencial gravitacional e cinética
Exercícios de energia potencial gravitacional e cinéticaExercícios de energia potencial gravitacional e cinética
Exercícios de energia potencial gravitacional e cinética
 
Slide Cinemática
Slide CinemáticaSlide Cinemática
Slide Cinemática
 
Campo elétrico
Campo elétricoCampo elétrico
Campo elétrico
 

Semelhante a Fisica 001 impulso e quantidade de movimento

Questões Corrigidas, em Word: Impulso, Quantidade de Movimento, Conservação d...
Questões Corrigidas, em Word: Impulso, Quantidade de Movimento, Conservação d...Questões Corrigidas, em Word: Impulso, Quantidade de Movimento, Conservação d...
Questões Corrigidas, em Word: Impulso, Quantidade de Movimento, Conservação d...
Rodrigo Penna
 
Impulso
ImpulsoImpulso
Impulso
Rildo Borges
 
www.aulaparticularonline.net.br - Física - Impulso e Quantidade de Movimento
www.aulaparticularonline.net.br - Física -  Impulso e Quantidade de Movimentowww.aulaparticularonline.net.br - Física -  Impulso e Quantidade de Movimento
www.aulaparticularonline.net.br - Física - Impulso e Quantidade de Movimento
Lucia Silveira
 
www.aulasdefisicaapoio.com - Física - Impulso e Quantidade de Movimento
 www.aulasdefisicaapoio.com  - Física -  Impulso e Quantidade de Movimento www.aulasdefisicaapoio.com  - Física -  Impulso e Quantidade de Movimento
www.aulasdefisicaapoio.com - Física - Impulso e Quantidade de Movimento
Videoaulas De Física Apoio
 
Ondulatória
OndulatóriaOndulatória
Ondulatória
quantaadriano
 
Impulso (1)
Impulso (1)Impulso (1)
Impulso (1)
Rildo Borges
 
Impulsoequantidadedemovimento
Impulsoequantidadedemovimento Impulsoequantidadedemovimento
Impulsoequantidadedemovimento
Valmiro Menezes
 
Aula 02 mecância - movimentos
Aula 02   mecância - movimentosAula 02   mecância - movimentos
Aula 02 mecância - movimentos
Bruno San
 
Trabalho, energia, impulso, quantidade de movimento.bak
Trabalho, energia, impulso, quantidade de movimento.bakTrabalho, energia, impulso, quantidade de movimento.bak
Trabalho, energia, impulso, quantidade de movimento.bak
quantaadriano
 
Resumo de física
Resumo de físicaResumo de física
Resumo de física
eduardo
 
Fórmulas do MHS
Fórmulas do MHSFórmulas do MHS
Fórmulas do MHS
O mundo da FÍSICA
 
W força (const)
W força (const)W força (const)
W força (const)
mpguia66
 
Fisica -resumao_de_formulas
Fisica  -resumao_de_formulasFisica  -resumao_de_formulas
Fisica -resumao_de_formulas
Celso Franzotti
 
Aula 05 mecância - dinâmica - leis de newton
Aula 05   mecância - dinâmica - leis de newtonAula 05   mecância - dinâmica - leis de newton
Aula 05 mecância - dinâmica - leis de newton
Bruno San
 
Fórnulas de dinâmica
Fórnulas de dinâmicaFórnulas de dinâmica
Fórnulas de dinâmica
O mundo da FÍSICA
 
Exercicios dinamica ii
Exercicios dinamica iiExercicios dinamica ii
Exercicios dinamica ii
Julia Selistre
 
www.aulasapoio.com - - Física - Movimento Circular
www.aulasapoio.com  - - Física -  Movimento Circularwww.aulasapoio.com  - - Física -  Movimento Circular
www.aulasapoio.com - - Física - Movimento Circular
Aulas Apoio
 
www.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - Física - Movimento Circular
www.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - Física -  Movimento Circularwww.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - Física -  Movimento Circular
www.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - Física - Movimento Circular
Manuela Mendes
 
www.aulasapoio.com.br -Física - Movimento Circular
www.aulasapoio.com.br  -Física -  Movimento Circularwww.aulasapoio.com.br  -Física -  Movimento Circular
www.aulasapoio.com.br -Física - Movimento Circular
Bárbara Cristina
 
www.aulasdefisicaapoio.com - Física - Movimento Circular
www.aulasdefisicaapoio.com - Física -  Movimento Circularwww.aulasdefisicaapoio.com - Física -  Movimento Circular
www.aulasdefisicaapoio.com - Física - Movimento Circular
Videoaulas De Física Apoio
 

Semelhante a Fisica 001 impulso e quantidade de movimento (20)

Questões Corrigidas, em Word: Impulso, Quantidade de Movimento, Conservação d...
Questões Corrigidas, em Word: Impulso, Quantidade de Movimento, Conservação d...Questões Corrigidas, em Word: Impulso, Quantidade de Movimento, Conservação d...
Questões Corrigidas, em Word: Impulso, Quantidade de Movimento, Conservação d...
 
Impulso
ImpulsoImpulso
Impulso
 
www.aulaparticularonline.net.br - Física - Impulso e Quantidade de Movimento
www.aulaparticularonline.net.br - Física -  Impulso e Quantidade de Movimentowww.aulaparticularonline.net.br - Física -  Impulso e Quantidade de Movimento
www.aulaparticularonline.net.br - Física - Impulso e Quantidade de Movimento
 
www.aulasdefisicaapoio.com - Física - Impulso e Quantidade de Movimento
 www.aulasdefisicaapoio.com  - Física -  Impulso e Quantidade de Movimento www.aulasdefisicaapoio.com  - Física -  Impulso e Quantidade de Movimento
www.aulasdefisicaapoio.com - Física - Impulso e Quantidade de Movimento
 
Ondulatória
OndulatóriaOndulatória
Ondulatória
 
Impulso (1)
Impulso (1)Impulso (1)
Impulso (1)
 
Impulsoequantidadedemovimento
Impulsoequantidadedemovimento Impulsoequantidadedemovimento
Impulsoequantidadedemovimento
 
Aula 02 mecância - movimentos
Aula 02   mecância - movimentosAula 02   mecância - movimentos
Aula 02 mecância - movimentos
 
Trabalho, energia, impulso, quantidade de movimento.bak
Trabalho, energia, impulso, quantidade de movimento.bakTrabalho, energia, impulso, quantidade de movimento.bak
Trabalho, energia, impulso, quantidade de movimento.bak
 
Resumo de física
Resumo de físicaResumo de física
Resumo de física
 
Fórmulas do MHS
Fórmulas do MHSFórmulas do MHS
Fórmulas do MHS
 
W força (const)
W força (const)W força (const)
W força (const)
 
Fisica -resumao_de_formulas
Fisica  -resumao_de_formulasFisica  -resumao_de_formulas
Fisica -resumao_de_formulas
 
Aula 05 mecância - dinâmica - leis de newton
Aula 05   mecância - dinâmica - leis de newtonAula 05   mecância - dinâmica - leis de newton
Aula 05 mecância - dinâmica - leis de newton
 
Fórnulas de dinâmica
Fórnulas de dinâmicaFórnulas de dinâmica
Fórnulas de dinâmica
 
Exercicios dinamica ii
Exercicios dinamica iiExercicios dinamica ii
Exercicios dinamica ii
 
www.aulasapoio.com - - Física - Movimento Circular
www.aulasapoio.com  - - Física -  Movimento Circularwww.aulasapoio.com  - - Física -  Movimento Circular
www.aulasapoio.com - - Física - Movimento Circular
 
www.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - Física - Movimento Circular
www.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - Física -  Movimento Circularwww.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - Física -  Movimento Circular
www.TutoresReforcoEscolar.Com.Br - Física - Movimento Circular
 
www.aulasapoio.com.br -Física - Movimento Circular
www.aulasapoio.com.br  -Física -  Movimento Circularwww.aulasapoio.com.br  -Física -  Movimento Circular
www.aulasapoio.com.br -Física - Movimento Circular
 
www.aulasdefisicaapoio.com - Física - Movimento Circular
www.aulasdefisicaapoio.com - Física -  Movimento Circularwww.aulasdefisicaapoio.com - Física -  Movimento Circular
www.aulasdefisicaapoio.com - Física - Movimento Circular
 

Mais de con_seguir

Transformações geométricas no plano
Transformações geométricas no planoTransformações geométricas no plano
Transformações geométricas no plano
con_seguir
 
Sistemas lineares
Sistemas linearesSistemas lineares
Sistemas lineares
con_seguir
 
Relações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retânguloRelações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retângulo
con_seguir
 
Ponto reta
Ponto retaPonto reta
Ponto reta
con_seguir
 
Poliedro
PoliedroPoliedro
Poliedro
con_seguir
 
Numeros complexos aula
Numeros complexos aulaNumeros complexos aula
Numeros complexos aula
con_seguir
 
Numeros complexos
Numeros complexosNumeros complexos
Numeros complexos
con_seguir
 
Matematica raciocinio logico
Matematica raciocinio logicoMatematica raciocinio logico
Matematica raciocinio logico
con_seguir
 
Matematica questões resolvidas i
Matematica questões resolvidas iMatematica questões resolvidas i
Matematica questões resolvidas i
con_seguir
 
Geometria analitica exercicios resolvidos
Geometria analitica exercicios resolvidosGeometria analitica exercicios resolvidos
Geometria analitica exercicios resolvidos
con_seguir
 
Geometria analitica equacao da reta
Geometria analitica equacao da retaGeometria analitica equacao da reta
Geometria analitica equacao da reta
con_seguir
 
Geometria
GeometriaGeometria
Geometria
con_seguir
 
Fundamentos matematica iv
Fundamentos matematica ivFundamentos matematica iv
Fundamentos matematica iv
con_seguir
 
Fundamentos matematica ii
Fundamentos matematica iiFundamentos matematica ii
Fundamentos matematica ii
con_seguir
 
Fundamentos matematica i
Fundamentos matematica iFundamentos matematica i
Fundamentos matematica i
con_seguir
 
Fundamentos geometria i
Fundamentos geometria iFundamentos geometria i
Fundamentos geometria i
con_seguir
 
Funcao do primeiro grau
Funcao do primeiro grauFuncao do primeiro grau
Funcao do primeiro grau
con_seguir
 
Fisica 003 optica
Fisica   003 opticaFisica   003 optica
Fisica 003 optica
con_seguir
 
Exercicios resolvidos poligonos
Exercicios resolvidos   poligonosExercicios resolvidos   poligonos
Exercicios resolvidos poligonos
con_seguir
 
Estudos da reta
Estudos da retaEstudos da reta
Estudos da reta
con_seguir
 

Mais de con_seguir (20)

Transformações geométricas no plano
Transformações geométricas no planoTransformações geométricas no plano
Transformações geométricas no plano
 
Sistemas lineares
Sistemas linearesSistemas lineares
Sistemas lineares
 
Relações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retânguloRelações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retângulo
 
Ponto reta
Ponto retaPonto reta
Ponto reta
 
Poliedro
PoliedroPoliedro
Poliedro
 
Numeros complexos aula
Numeros complexos aulaNumeros complexos aula
Numeros complexos aula
 
Numeros complexos
Numeros complexosNumeros complexos
Numeros complexos
 
Matematica raciocinio logico
Matematica raciocinio logicoMatematica raciocinio logico
Matematica raciocinio logico
 
Matematica questões resolvidas i
Matematica questões resolvidas iMatematica questões resolvidas i
Matematica questões resolvidas i
 
Geometria analitica exercicios resolvidos
Geometria analitica exercicios resolvidosGeometria analitica exercicios resolvidos
Geometria analitica exercicios resolvidos
 
Geometria analitica equacao da reta
Geometria analitica equacao da retaGeometria analitica equacao da reta
Geometria analitica equacao da reta
 
Geometria
GeometriaGeometria
Geometria
 
Fundamentos matematica iv
Fundamentos matematica ivFundamentos matematica iv
Fundamentos matematica iv
 
Fundamentos matematica ii
Fundamentos matematica iiFundamentos matematica ii
Fundamentos matematica ii
 
Fundamentos matematica i
Fundamentos matematica iFundamentos matematica i
Fundamentos matematica i
 
Fundamentos geometria i
Fundamentos geometria iFundamentos geometria i
Fundamentos geometria i
 
Funcao do primeiro grau
Funcao do primeiro grauFuncao do primeiro grau
Funcao do primeiro grau
 
Fisica 003 optica
Fisica   003 opticaFisica   003 optica
Fisica 003 optica
 
Exercicios resolvidos poligonos
Exercicios resolvidos   poligonosExercicios resolvidos   poligonos
Exercicios resolvidos poligonos
 
Estudos da reta
Estudos da retaEstudos da reta
Estudos da reta
 

Último

NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
Vanessa F. Rezende
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 

Último (20)

NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 

Fisica 001 impulso e quantidade de movimento

  • 1. FÍSICA IMPULSO E QUANTIDADE DE MOVIMENTO 1. IMPULSO (I) Vo t V Consideremos um ponto material sob a ação de r uma força F constante, durante um intervalo de tem- F po ∆t. Impulso é uma grandeza vetorial definida co- Fr = ma r r mo I = F.∆t . A unidade SI do impulso é N.s. O vetor impulso apresenta a mesma direção e sentido da força ∆v F=m que o origina. ∆t mv − mv o F= t ∆t F F. ∆t = mv - m v0 r I = ∆Q 5. CONSERVAÇÃO DA QUANTIDADE DE 2. GRÁFICO MOVIMENTO r r r No caso da força F constante, o gráfico da in- Q final = Qinicial tensidade da força em função do tempo se apresenta Em um sistema isolado, a quantidade de mo- de acordo com o gráfico abaixo. vimento do sistema é constante. A área A é numericamente igual à intensidade Um sistema é dito isolado quando a força re- do impulso I no intervalo de tempo ∆t. sultante externa é nula, ou seja, participam somente O exposto acima também é válido com a inten- forças internas. sidade da força variável. 6. CHOQUE MECÂNICO F Para que possamos aplicar o princípio da con- servação da quantidade de movimento aos choques, precisamos de um sistema isolado, ou seja, de um sis- A tema no qual não haja interações relevantes com for- t ças externas a ele. N Para um choque entre dois corpos A e B, num Área = I sistema isolado, teremos: r 3. QUANTIDADE DE MOVIMENTO ( Q ) r r r r Q A + Q B = Q 'A + Q B ' Quantidade de movimento, ou momento linear, Sendo os choques na mesma direção e adotan- ou simplesmente momento, é uma grandeza vetorial do-se um sentido positivo, podemos escrever: definida como o produto da massa do corpo por sua r Q A + QB = Q ' A + Q 'B velocidade. Sendo m a massa e V a velocidade, r r temos Q = m V . ou A unidade SI da quantidade de movimento é mA v A + mB vB = mA v 'A + mB vB ' kg . m/s. Classificação dos choques: 4. TEOREMA DO IMPULSO 6.1. Perfeitamente elástico O impulso da força resultante sobre um corpo Conserva energia cinética durante um determinado intervalo de tempo é igual à EcA = EcD (Antes → A; Depois → D) variação da quantidade de movimento do corpo no mesmo intervalo de tempo. Conserva quantidade de movimento r Sendo I o impulso da força resultante entre os r r QA = QD instantes t1 e t2, e Q1 e Q 2 , as respectivas quantidades r r r de movimento, temos I = Q2 − Q1 . Coeficiente de restituição (e) Note que 1 N . s = 1 kg . m/s. e=1 Editora Exato 32
  • 2. 6.2. Parcialmente elástico ou parcial- I=10.3 → I=30N.s mente inelástico Não conserva energia cinética 2 Calcule a quantidade de movimento de uma bola ECA > ECD de massa 3kg que possui velocidade de 5m/s. Conserva quantidade de movimento Resolução: aplicando a equação QA = QD r r Q = mv Coeficiente de restituição (e) Q = 3.5 0<e<1 Q = 15kgm / s 6.3. Inelástico ou anelástico Não conserva energia cinética ECA > ECD 3 Uma força de 20N atua durante 6s sobre uma pe- quena bola. Qual a variação da quantidade de Conserva quantidade de movimento movimento da bola? QA = QD Resolução: r r Lembrando que I = ∆Q , basta aplicar a equação: Coeficiente de restituição I = ∆Q e=0 F ∆t = ∆Q ∆Q = 20.6 Após um choque inelástico, os corpos perma- necem unidos. ∆Q = 120kgm / s 7. COEFICIENTE DE RESTITUIÇÃO 4 Uma massa de modelar rola com velocidade 1m/s Consideremos duas esferas, A e B, realizando quando colide com outra massa idêntica que es- um choque direto. tava em repouso. Qual a velocidade de ambas a- As propriedades elásticas dos corpos envolvi- pós a colisão, sabendo que agora elas se dos em choques são caracterizadas por uma grandeza movimentam juntas? chamada coeficiente de restituição. Resolução: O coeficiente de restituição e é definido como A quantidade de movimento antes e depois da o quociente entre o módulo da velocidade relativa de colisão é a mesma (conservação); portanto,podemos afastamento dos corpos imediatamente após o choque escrever: e o módulo da velocidade relativa de aproximação Q antes Q depois imediatamente antes do choque. mv 1 + m2v 2 1 (m1 + m2 )v |velocidade relativa depois do choque| m.1+ m.o (m + m )v e= |velocidade relativa antes do choque| Q ANTES = QDEPOIS O coeficiente de restituição é adimensional e 1.m + 0 = 2mV . varia de 0 a 1. Quando o valor é 1, temos um choque 1 / = 2mV m /. perfeitamente elástico. 1 v = m /s 2 ESTUDO DIRIGIDO 1 Escreva as equações de impulso e quantidade de movimento. EXERCÍCIOS 1 Uma força constante F = 34,0 N atua sobre um 2 Defina sistema isolado. corpo, inicialmente em repouso, por 6 s. Calcule, em Ns, o impulso exercido por esta força no cor- po. 3 Classifique os tipos de choque, comentando quais são conservativos. 2 Um jogador de futebol, ao bater uma falta, con- segue chutar a bola a uma velocidade de 30 m/s. EXERCÍCIOS RESOLVIDOS Se a bola tem 400g de massa e o contato do pé do jogador com a bola durou 0,04s, calcule a força, 1 Um garoto faz uma força constante de 10N sobre suposta constante, que o jogador exerceu na bola. um carrinho durante 3s, calcule o impulso sofrido pelo carrinho. Resolução: r r Aplicando a equação I=F∆t Editora Exato 33
  • 3. 3 Julgue os itens: 1 Um sistema físico isolado de forças externas conserva sua energia e sua quantidade de mo- vimento. 2 Numa colisão totalmente elástica e na ausên- cia de forças externas, há conservação de ener- gia. 3 Numa colisão inelástica e na ausência de for- ças externas, há conservação da quantidade de movimento. 4 O vetor quantidade de movimento de um cor- po é proporcional ao seu vetor velocidade. 4 Um átomo de Hélio, com velocidade inicial de 1000 m/s colide com outro átomo de Hélio, inici- almente em repouso. Considerando que o choque foi perfeitamente elástico e que a velocidade de ambos tem sempre mesma direção e sentido, cal- cule a velocidade dos dois átomos após o choque. 5 Dois patinadores de mesma massa deslocam-se numa trajetória retilínea com velocidades respec- tivamente iguais a 8m/s e 6 m/s. O patinador mais rápido persegue o outro. Ao alcançá-lo, salta ver- ticalmente e agarra-se às suas costas, passando os dois a se deslocarem com a mesma velocidade V. Calcule V. GABARITO Estudo dirigido r r r r 1 I = F .∆t , Q = mv 2 Um sistema é dito isolado quando a força resul- tante externa é nula, ou seja, participam somente forças internas. 3 Perfeitamente elástico, conserva a energia cinéti- ca, enquanto o parcialmente elástico e o inelásti- co não conservam. Exercícios 1 204 Ns 2 300N 3 E, C, C, E 4 0 e 1000m/s. 5 7 m/s Editora Exato 34