SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
Por: Kamila Peixoto
O QUE É ENERGIA? 
 A ‘ d e fi niç ão ’ d a d a, h o j e , é a i nd a i na d equ ada. Po i s d i z : 
“ E n e r g ia é o q u e p e rmite r e a li zar t r a b al h o ” e a ‘ d e fi n i ção ’ d e 
t r a b a lh o : “ é o q u e a c o n te c e q u a n d o s e tem e n e r g ia”. 
“Não existe uma definição do que é energia, mas 
sabemos que a sua existência possibilita a 
execução de trabalho...” 
http://www.brasilescola.com/fisica/trabalho.htm 
Tomando isso como verdade, vamos prosseguir.
ENERGIA CINÉTICA 
 Toda e qualquer energia l igada com movimento diremos que 
se trata de energia cinética. 
 Porem, a energia cinética de um corpo pode ser diferente de 
outro, então como saber?
ENERGIA CINÉTICA 
 É obvio que se eu empurrar na mesma hora, uma pedra e uma 
bol inha, a bol inha chegara mais longe e terá maior 
velocidade! Isto é, podemos ver então que a massa (m) e a 
velocidade (V) do corpo ajuda a definir a energia cinética. 
Então. . 
Ec = M.V² 
2 
Sendo: 
“Ec” E ne rg ia C i né t i ca; 
“M” Ma s s a; 
“ V ² ” Ve l o c idade a o qu a d rado ; e 
tudo isso dividido por dois.
ENERGIA POTENCIAL 
 Essa energia pode guardar energia, ao contrario da cinética. 
Exemplos que podemos citar do nosso dia a dia: 
• Estilingue 
Ex. 1 
• Cama 
elástica 
Ex. 2 
• Usina 
hidroelétrica 
Ex. 3
ENERGIA POTENCIAL GRAVITACIONAL 
 O corpo tem de estar a uma cer ta distancia do ponto mínimo, 
que geralmente é o chão. Exemplo: 
Se um menininho pega uma bola 
que inicialmente estava no chão 
e a leva a uma certa altura, 
podemos dizer que essa bola 
está com uma energia potencial 
gravitacional. A bola guarda 
energia para quando solta, com 
ajuda da gravidade, volte ao 
chão.
ENERGIA POTENCIAL GRAVITACIONAL 
 Então temos a seguinte formula: 
Epg = M . G . H 
 Ond e : “Epg” é e ne rg ia p ote nc ial g rav it aci onal; 
“M” é ma s s a ; 
“G” p ote nc ia l g rav it aci o nal; e 
“H” A l t ura. 
Podemos relacionar essa formula pela distancia percorrida do 
objeto de uma altura até o nível de referencia (que geralmente 
é o chão) .
ENERGIA POTENCIAL ELÁSTICA 
 Você consegue me dizer oque tem em comum entre a corda 
do arco e flecha e a mola? 
Se você respondeu que ambas guardam energia, você está certo! 
No arco a energia guardada pela corda é transferida para a flecha 
que se transforma em cinética, e a da movimento.
ENERGIA POTENCIAL ELÁSTICA 
A E. Potencial Elástica armazena energia, no entanto assim que 
a energia é l iberada, o meio volta ao normal . Exemplo: 
Ve j am qu e na fi g u ra mo s t ra um e s p o r te c h amad o “ s a lto c om 
vara” no s e g und o qu ad rinho a vara e s t á um p ou c o ‘ e nve rgada’ 
ela está guardando energia que será passada para o homem 
como energia cinética, depois que ela l ibera a energia para o 
homem é notável que ela volta ao normal , reta, isso faz com 
que a energia guardada nela é potencial elástica.
ENERGIA POTENCIAL ELÁSTICA 
 Quer mais exemplos? Simples, pegue o mesmo arco e flecha e 
a mesma mola do inicio dessa etapa: 
 O arqueira puxa a corda a corda armazena energia 
elástica solta a corda a energia guardada na corda é 
l iberada em forma de energia cinética fazendo que a flecha 
seja lançada, ganhando movimento.
ENERGIA POTENCIAL ELÁSTICA 
 E na mola? Coloque um peso na ponta da mola e ela se 
esticara, depois faça o calculo e veja quando de Energia 
potencial elástico ela atingiu quando soltar o peso da mola, 
onde ela voltará ao normal .
ENERGIA POTENCIAL ELÁSTICA 
 Temos assim a formula: 
Onde: 
“Epel ”: E ne rgi a p ote nc ial e l á st ic a 
“ K” : uma CONS TANTE e l á s t ica qu e mu d a d e a c o rd o c om o 
material, geralmente é dado pela questão. 
“ X ” o qu a nto s e d e fo rmo u, e d e p o i s vo l to u a o no rma l . 
Epel = K . X² 
2
ENERGIA POTENCIAL E SUA 
CONSERVAÇÃO 
Analise a imagem:
ENERGIA POTENCIAL E SUA 
CONSERVAÇÃO 
 Agora que tipos de energia dentre essas que falamos estão 
atuando no ponto A? 
Veja que o esquiador está a uma certa 
altura do nível de referencia, 10 m, 
então podemos concluir que ele tem 
“energia potencial gravitacional” ele 
usa os ‘ganchos’ para se lançar 
ganhando “energia cinética” e o 
movimento feito pelas pernas para 
armazenar energia? “Energia 
potencial elástica”.
ENERGIA POTENCIAL E SUA 
 E no ponto B? 
CONSERVAÇÃO 
Como ainda está em movimento, 
ele ainda possui a “energia 
cinética” porém, reparem que ele 
não está mais em altura maior 
que “zero” em referencia ao solo, 
então não podemos mais dizer 
que ele possui energia potencial 
gravitacional.
ANTES DE CONTINUAR 
 Para se ter energia mecânica, você precisa ter no mínimo 
uma das energias apresentadas então: 
Em = Ec + Epq + Epel 
 Então podemos afirmar: Se a energia mecânica inicial é igual 
a final é porque não houve resistência, ou forças não 
conservativas. 
Forças não 
conservativas 
Atrito 
Em = Em 
Resistencia do ar 
inicial Final
VALE LEMBRAR QUE: 
 Energia não se cria, se t ransforma. Como vimos a energia 
elástica se transformando em energia cinética. 
 Um “ g er a do r ” n ã o g e r a e ne r gia , ele transforma uma energia 
em outra. Por exemplo nas hidroelétricas transforma a 
energia cinética em energia elétrica, fazendo a água rodar um 
tipo de turbina.
VAMOS EXERCITAR?
QUESTÃO QUE VAMOS RESPONDER 
JUNTOS: 
(ENEM) No processo de obtenção de eletricidade, ocorrem 
várias transformações de energia. Considere duas delas: 
 I . cinética em elétrica 
 I I . potencial gravitacional em cinética
QUESTÃO QUE VAMOS RESPONDER 
JUNTOS: 
 Anal ise o esquema, é possível identificar que elas se 
encontram respectivamente em: 
A) I - a água no nível h e a turbina 
II - o gerador e a torre de distribuição. 
B) I - a água no nível h e a turbina 
II - a turbina e o gerador. 
C) I - a turbina e o gerador 
II - a turbina e o gerador. 
D) I - a turbina e o gerador 
II - a água no nível h e a turbina. 
E) I - o gerador e a torre de distribuição 
II - a água no nível h e a turbina.
VAMOS PRIMEIRO DEMARCAR QUE 
ENERGIA TEMOS EM CADA ETAPA? 
Considere “EE” energia elétrica 
EPG -> pois está em uma certa 
altura. 
Ec -> pois esta escorrendo de um 
canto a outro 
Ec-> esta girando a turbina no caso 
esta girando junto 
EE-> após passar pelo gerador
POR ALTERNATIVAS 
As partes em vermelho estão erradas 
 A) I - a água no nível h e a turbina 
 II - o gerador e a torre de distribuição. 
Não está ocorrendo cinética em elétrica da água no nível h e a 
turbina. Nem potencial gravitacional em cinética do gerador 
p ar a a to r r e . J á p o d emos e n tão d e sc ar tar a “A , B e E”
QUESTÃO QUE VAMOS RESPONDER 
 Sobram: 
C) I - a turbina e o gerador 
II - a turbina e o gerador. 
D) I - a turbina e o gerador 
II - a água no nível h e a turbina 
Re s p o s t a c e r t a a “D” 
JUNTOS:
FAÇA SÓ 
 Tente agora entender oque tem de errado nas outras

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula de física movimento, repouso, velocidade média
Aula de física  movimento, repouso, velocidade médiaAula de física  movimento, repouso, velocidade média
Aula de física movimento, repouso, velocidade média
luam1969
 
Aula Física (9° Ano - Ciências) Magnetismo & Radiação
Aula Física (9° Ano - Ciências) Magnetismo & RadiaçãoAula Física (9° Ano - Ciências) Magnetismo & Radiação
Aula Física (9° Ano - Ciências) Magnetismo & Radiação
Ronaldo Santana
 
Aula05 forças
Aula05 forçasAula05 forças
Aula05 forças
cristbarb
 

Mais procurados (20)

Eletromagnetismo
EletromagnetismoEletromagnetismo
Eletromagnetismo
 
Maquinas simples - Plano Alavancas
Maquinas simples - Plano AlavancasMaquinas simples - Plano Alavancas
Maquinas simples - Plano Alavancas
 
Cicuito elétrico
Cicuito elétricoCicuito elétrico
Cicuito elétrico
 
Eletricidade
EletricidadeEletricidade
Eletricidade
 
Tipos de Energia
Tipos de EnergiaTipos de Energia
Tipos de Energia
 
Energia Cinética e Potencial
Energia Cinética e PotencialEnergia Cinética e Potencial
Energia Cinética e Potencial
 
Aula de física movimento, repouso, velocidade média
Aula de física  movimento, repouso, velocidade médiaAula de física  movimento, repouso, velocidade média
Aula de física movimento, repouso, velocidade média
 
Aula 1 velocidade média
Aula 1  velocidade médiaAula 1  velocidade média
Aula 1 velocidade média
 
Temperatura e Calor
Temperatura e Calor Temperatura e Calor
Temperatura e Calor
 
Termodinâmica
TermodinâmicaTermodinâmica
Termodinâmica
 
Aula Física (9° Ano - Ciências) Magnetismo & Radiação
Aula Física (9° Ano - Ciências) Magnetismo & RadiaçãoAula Física (9° Ano - Ciências) Magnetismo & Radiação
Aula Física (9° Ano - Ciências) Magnetismo & Radiação
 
Aula05 forças
Aula05 forçasAula05 forças
Aula05 forças
 
Campo elétrico
Campo elétricoCampo elétrico
Campo elétrico
 
Aula Gravitação Universal
Aula Gravitação UniversalAula Gravitação Universal
Aula Gravitação Universal
 
Física (calorimetria)
Física (calorimetria)Física (calorimetria)
Física (calorimetria)
 
Força e movimento
Força e movimentoForça e movimento
Força e movimento
 
Introdução a Física
Introdução a FísicaIntrodução a Física
Introdução a Física
 
Ondas
OndasOndas
Ondas
 
Ondas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticasOndas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticas
 
Eletrodinâmica
EletrodinâmicaEletrodinâmica
Eletrodinâmica
 

Destaque (20)

Energia potencial
Energia potencialEnergia potencial
Energia potencial
 
Energia cinetica
Energia cineticaEnergia cinetica
Energia cinetica
 
Energia mecanica
Energia mecanicaEnergia mecanica
Energia mecanica
 
Trabalho de física
Trabalho de físicaTrabalho de física
Trabalho de física
 
Energia
EnergiaEnergia
Energia
 
Energia mecânica
Energia mecânicaEnergia mecânica
Energia mecânica
 
Energia mecânica
Energia mecânicaEnergia mecânica
Energia mecânica
 
Fontes de Energia parte 2
Fontes de Energia parte 2Fontes de Energia parte 2
Fontes de Energia parte 2
 
Energia cinética
Energia cinéticaEnergia cinética
Energia cinética
 
Energía cinética 1
Energía cinética 1Energía cinética 1
Energía cinética 1
 
EnergíA MecáNica
EnergíA MecáNicaEnergíA MecáNica
EnergíA MecáNica
 
Energia mecanica
Energia mecanicaEnergia mecanica
Energia mecanica
 
Diapositiva de mecanica
Diapositiva de mecanicaDiapositiva de mecanica
Diapositiva de mecanica
 
Power energia mecanica
Power energia mecanica Power energia mecanica
Power energia mecanica
 
Energia Mecanica
Energia MecanicaEnergia Mecanica
Energia Mecanica
 
Energia potencial
Energia potencialEnergia potencial
Energia potencial
 
Energia cinetica, potencial, energía mecánica
Energia cinetica, potencial, energía mecánicaEnergia cinetica, potencial, energía mecánica
Energia cinetica, potencial, energía mecánica
 
Aula energia
Aula energiaAula energia
Aula energia
 
ENERGIA CINETICA
ENERGIA CINETICAENERGIA CINETICA
ENERGIA CINETICA
 
Energia
EnergiaEnergia
Energia
 

Semelhante a Energia mecânica

Trabalho de física
Trabalho de físicaTrabalho de física
Trabalho de física
cristbarb
 
Ciências Clarissa e Larissa
Ciências Clarissa e LarissaCiências Clarissa e Larissa
Ciências Clarissa e Larissa
Bruna Evelin
 
Trabalho de ciências
Trabalho de ciênciasTrabalho de ciências
Trabalho de ciências
Bruna Evelin
 
Trabalho de ciências
Trabalho de ciênciasTrabalho de ciências
Trabalho de ciências
Bruna Evelin
 
Trabalho ciências energia
Trabalho ciências energiaTrabalho ciências energia
Trabalho ciências energia
Bruna Evelin
 
Resolução comentada do ENEM 1998 - 2008
Resolução comentada do ENEM 1998 - 2008Resolução comentada do ENEM 1998 - 2008
Resolução comentada do ENEM 1998 - 2008
O mundo da FÍSICA
 

Semelhante a Energia mecânica (20)

Energia
EnergiaEnergia
Energia
 
Apostila fã sica 2 - ceesvo
Apostila  fã sica 2 - ceesvoApostila  fã sica 2 - ceesvo
Apostila fã sica 2 - ceesvo
 
Aula 7 - Energia - Física - PVSJ - Prof Elvis
Aula 7 - Energia - Física - PVSJ - Prof ElvisAula 7 - Energia - Física - PVSJ - Prof Elvis
Aula 7 - Energia - Física - PVSJ - Prof Elvis
 
Trabalho de física
Trabalho de físicaTrabalho de física
Trabalho de física
 
Fisica Profº Franklin
Fisica Profº FranklinFisica Profº Franklin
Fisica Profº Franklin
 
AULA PRE ENERGIA .pptx
AULA PRE ENERGIA .pptxAULA PRE ENERGIA .pptx
AULA PRE ENERGIA .pptx
 
Energia
EnergiaEnergia
Energia
 
Ciências Clarissa e Larissa
Ciências Clarissa e LarissaCiências Clarissa e Larissa
Ciências Clarissa e Larissa
 
Dinâmica
DinâmicaDinâmica
Dinâmica
 
Trabalho e energia mecânica.
Trabalho e energia mecânica.Trabalho e energia mecânica.
Trabalho e energia mecânica.
 
Trabalho de ciências
Trabalho de ciênciasTrabalho de ciências
Trabalho de ciências
 
08. conservação da energia
08. conservação da energia08. conservação da energia
08. conservação da energia
 
Energia Cinética
Energia CinéticaEnergia Cinética
Energia Cinética
 
Trabalho de ciências
Trabalho de ciênciasTrabalho de ciências
Trabalho de ciências
 
Reparador de aparelhos domésticos de refigeração
Reparador de aparelhos domésticos de refigeraçãoReparador de aparelhos domésticos de refigeração
Reparador de aparelhos domésticos de refigeração
 
Trabalho ciências energia
Trabalho ciências energiaTrabalho ciências energia
Trabalho ciências energia
 
Energia
EnergiaEnergia
Energia
 
Resolução comentada do ENEM 1998 - 2008
Resolução comentada do ENEM 1998 - 2008Resolução comentada do ENEM 1998 - 2008
Resolução comentada do ENEM 1998 - 2008
 
Energia mecânica
Energia mecânicaEnergia mecânica
Energia mecânica
 
Cartilhas Energias Renovaveis
Cartilhas Energias RenovaveisCartilhas Energias Renovaveis
Cartilhas Energias Renovaveis
 

Mais de Kamila Joyce

Sistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e aves
Sistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e avesSistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e aves
Sistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e aves
Kamila Joyce
 
Teoria moderna da evolução
Teoria moderna da evoluçãoTeoria moderna da evolução
Teoria moderna da evolução
Kamila Joyce
 
Divisão do tempo geológico
Divisão do tempo geológicoDivisão do tempo geológico
Divisão do tempo geológico
Kamila Joyce
 
Conceito de espécie e especiação
Conceito de espécie e especiaçãoConceito de espécie e especiação
Conceito de espécie e especiação
Kamila Joyce
 
Bases genéticas da evolução
Bases genéticas da evoluçãoBases genéticas da evolução
Bases genéticas da evolução
Kamila Joyce
 
Evolução automotiva
Evolução automotivaEvolução automotiva
Evolução automotiva
Kamila Joyce
 

Mais de Kamila Joyce (20)

Sistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e aves
Sistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e avesSistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e aves
Sistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e aves
 
Mini-curso sobre sistema circulatório
Mini-curso sobre sistema circulatório Mini-curso sobre sistema circulatório
Mini-curso sobre sistema circulatório
 
Código de ética da radiologia
Código de ética da radiologiaCódigo de ética da radiologia
Código de ética da radiologia
 
O PROBLEMA DO SEDENTARISMO DA OBESIDADE E DOS TRANSTORNOS PSICOLÓGICOS OCASIO...
O PROBLEMA DO SEDENTARISMO DA OBESIDADE E DOS TRANSTORNOS PSICOLÓGICOS OCASIO...O PROBLEMA DO SEDENTARISMO DA OBESIDADE E DOS TRANSTORNOS PSICOLÓGICOS OCASIO...
O PROBLEMA DO SEDENTARISMO DA OBESIDADE E DOS TRANSTORNOS PSICOLÓGICOS OCASIO...
 
Peça sobre o Câncer do colo do útero e HPV
Peça sobre o Câncer do colo do útero e HPVPeça sobre o Câncer do colo do útero e HPV
Peça sobre o Câncer do colo do útero e HPV
 
Tecnologia radiológica e diagnóstico de imagem cap. 9
Tecnologia radiológica e diagnóstico de imagem cap. 9Tecnologia radiológica e diagnóstico de imagem cap. 9
Tecnologia radiológica e diagnóstico de imagem cap. 9
 
O trabalho ao longo da história
O trabalho ao longo da históriaO trabalho ao longo da história
O trabalho ao longo da história
 
Reino Metaphyta
Reino MetaphytaReino Metaphyta
Reino Metaphyta
 
Revolução industrial e fazes do capitalismo
Revolução industrial e fazes do capitalismoRevolução industrial e fazes do capitalismo
Revolução industrial e fazes do capitalismo
 
Doenças vírais
Doenças víraisDoenças vírais
Doenças vírais
 
Fernando Henrique Cardoso
Fernando Henrique CardosoFernando Henrique Cardoso
Fernando Henrique Cardoso
 
Matrizes e Vetores para programação
Matrizes e Vetores para programaçãoMatrizes e Vetores para programação
Matrizes e Vetores para programação
 
Política e o Poder
Política e o PoderPolítica e o Poder
Política e o Poder
 
Mini curso redes sociais - IMD instituto Metrópole Digital
Mini curso redes sociais -  IMD instituto Metrópole DigitalMini curso redes sociais -  IMD instituto Metrópole Digital
Mini curso redes sociais - IMD instituto Metrópole Digital
 
Nicolau Maquiavel
Nicolau MaquiavelNicolau Maquiavel
Nicolau Maquiavel
 
Teoria moderna da evolução
Teoria moderna da evoluçãoTeoria moderna da evolução
Teoria moderna da evolução
 
Divisão do tempo geológico
Divisão do tempo geológicoDivisão do tempo geológico
Divisão do tempo geológico
 
Conceito de espécie e especiação
Conceito de espécie e especiaçãoConceito de espécie e especiação
Conceito de espécie e especiação
 
Bases genéticas da evolução
Bases genéticas da evoluçãoBases genéticas da evolução
Bases genéticas da evolução
 
Evolução automotiva
Evolução automotivaEvolução automotiva
Evolução automotiva
 

Último

Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Eró Cunha
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
LindinhaSilva1
 

Último (20)

Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoasInsegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptxSanta Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 

Energia mecânica

  • 2. O QUE É ENERGIA?  A ‘ d e fi niç ão ’ d a d a, h o j e , é a i nd a i na d equ ada. Po i s d i z : “ E n e r g ia é o q u e p e rmite r e a li zar t r a b al h o ” e a ‘ d e fi n i ção ’ d e t r a b a lh o : “ é o q u e a c o n te c e q u a n d o s e tem e n e r g ia”. “Não existe uma definição do que é energia, mas sabemos que a sua existência possibilita a execução de trabalho...” http://www.brasilescola.com/fisica/trabalho.htm Tomando isso como verdade, vamos prosseguir.
  • 3. ENERGIA CINÉTICA  Toda e qualquer energia l igada com movimento diremos que se trata de energia cinética.  Porem, a energia cinética de um corpo pode ser diferente de outro, então como saber?
  • 4. ENERGIA CINÉTICA  É obvio que se eu empurrar na mesma hora, uma pedra e uma bol inha, a bol inha chegara mais longe e terá maior velocidade! Isto é, podemos ver então que a massa (m) e a velocidade (V) do corpo ajuda a definir a energia cinética. Então. . Ec = M.V² 2 Sendo: “Ec” E ne rg ia C i né t i ca; “M” Ma s s a; “ V ² ” Ve l o c idade a o qu a d rado ; e tudo isso dividido por dois.
  • 5. ENERGIA POTENCIAL  Essa energia pode guardar energia, ao contrario da cinética. Exemplos que podemos citar do nosso dia a dia: • Estilingue Ex. 1 • Cama elástica Ex. 2 • Usina hidroelétrica Ex. 3
  • 6. ENERGIA POTENCIAL GRAVITACIONAL  O corpo tem de estar a uma cer ta distancia do ponto mínimo, que geralmente é o chão. Exemplo: Se um menininho pega uma bola que inicialmente estava no chão e a leva a uma certa altura, podemos dizer que essa bola está com uma energia potencial gravitacional. A bola guarda energia para quando solta, com ajuda da gravidade, volte ao chão.
  • 7. ENERGIA POTENCIAL GRAVITACIONAL  Então temos a seguinte formula: Epg = M . G . H  Ond e : “Epg” é e ne rg ia p ote nc ial g rav it aci onal; “M” é ma s s a ; “G” p ote nc ia l g rav it aci o nal; e “H” A l t ura. Podemos relacionar essa formula pela distancia percorrida do objeto de uma altura até o nível de referencia (que geralmente é o chão) .
  • 8. ENERGIA POTENCIAL ELÁSTICA  Você consegue me dizer oque tem em comum entre a corda do arco e flecha e a mola? Se você respondeu que ambas guardam energia, você está certo! No arco a energia guardada pela corda é transferida para a flecha que se transforma em cinética, e a da movimento.
  • 9. ENERGIA POTENCIAL ELÁSTICA A E. Potencial Elástica armazena energia, no entanto assim que a energia é l iberada, o meio volta ao normal . Exemplo: Ve j am qu e na fi g u ra mo s t ra um e s p o r te c h amad o “ s a lto c om vara” no s e g und o qu ad rinho a vara e s t á um p ou c o ‘ e nve rgada’ ela está guardando energia que será passada para o homem como energia cinética, depois que ela l ibera a energia para o homem é notável que ela volta ao normal , reta, isso faz com que a energia guardada nela é potencial elástica.
  • 10. ENERGIA POTENCIAL ELÁSTICA  Quer mais exemplos? Simples, pegue o mesmo arco e flecha e a mesma mola do inicio dessa etapa:  O arqueira puxa a corda a corda armazena energia elástica solta a corda a energia guardada na corda é l iberada em forma de energia cinética fazendo que a flecha seja lançada, ganhando movimento.
  • 11. ENERGIA POTENCIAL ELÁSTICA  E na mola? Coloque um peso na ponta da mola e ela se esticara, depois faça o calculo e veja quando de Energia potencial elástico ela atingiu quando soltar o peso da mola, onde ela voltará ao normal .
  • 12. ENERGIA POTENCIAL ELÁSTICA  Temos assim a formula: Onde: “Epel ”: E ne rgi a p ote nc ial e l á st ic a “ K” : uma CONS TANTE e l á s t ica qu e mu d a d e a c o rd o c om o material, geralmente é dado pela questão. “ X ” o qu a nto s e d e fo rmo u, e d e p o i s vo l to u a o no rma l . Epel = K . X² 2
  • 13. ENERGIA POTENCIAL E SUA CONSERVAÇÃO Analise a imagem:
  • 14. ENERGIA POTENCIAL E SUA CONSERVAÇÃO  Agora que tipos de energia dentre essas que falamos estão atuando no ponto A? Veja que o esquiador está a uma certa altura do nível de referencia, 10 m, então podemos concluir que ele tem “energia potencial gravitacional” ele usa os ‘ganchos’ para se lançar ganhando “energia cinética” e o movimento feito pelas pernas para armazenar energia? “Energia potencial elástica”.
  • 15. ENERGIA POTENCIAL E SUA  E no ponto B? CONSERVAÇÃO Como ainda está em movimento, ele ainda possui a “energia cinética” porém, reparem que ele não está mais em altura maior que “zero” em referencia ao solo, então não podemos mais dizer que ele possui energia potencial gravitacional.
  • 16. ANTES DE CONTINUAR  Para se ter energia mecânica, você precisa ter no mínimo uma das energias apresentadas então: Em = Ec + Epq + Epel  Então podemos afirmar: Se a energia mecânica inicial é igual a final é porque não houve resistência, ou forças não conservativas. Forças não conservativas Atrito Em = Em Resistencia do ar inicial Final
  • 17. VALE LEMBRAR QUE:  Energia não se cria, se t ransforma. Como vimos a energia elástica se transformando em energia cinética.  Um “ g er a do r ” n ã o g e r a e ne r gia , ele transforma uma energia em outra. Por exemplo nas hidroelétricas transforma a energia cinética em energia elétrica, fazendo a água rodar um tipo de turbina.
  • 19. QUESTÃO QUE VAMOS RESPONDER JUNTOS: (ENEM) No processo de obtenção de eletricidade, ocorrem várias transformações de energia. Considere duas delas:  I . cinética em elétrica  I I . potencial gravitacional em cinética
  • 20. QUESTÃO QUE VAMOS RESPONDER JUNTOS:  Anal ise o esquema, é possível identificar que elas se encontram respectivamente em: A) I - a água no nível h e a turbina II - o gerador e a torre de distribuição. B) I - a água no nível h e a turbina II - a turbina e o gerador. C) I - a turbina e o gerador II - a turbina e o gerador. D) I - a turbina e o gerador II - a água no nível h e a turbina. E) I - o gerador e a torre de distribuição II - a água no nível h e a turbina.
  • 21. VAMOS PRIMEIRO DEMARCAR QUE ENERGIA TEMOS EM CADA ETAPA? Considere “EE” energia elétrica EPG -> pois está em uma certa altura. Ec -> pois esta escorrendo de um canto a outro Ec-> esta girando a turbina no caso esta girando junto EE-> após passar pelo gerador
  • 22. POR ALTERNATIVAS As partes em vermelho estão erradas  A) I - a água no nível h e a turbina  II - o gerador e a torre de distribuição. Não está ocorrendo cinética em elétrica da água no nível h e a turbina. Nem potencial gravitacional em cinética do gerador p ar a a to r r e . J á p o d emos e n tão d e sc ar tar a “A , B e E”
  • 23. QUESTÃO QUE VAMOS RESPONDER  Sobram: C) I - a turbina e o gerador II - a turbina e o gerador. D) I - a turbina e o gerador II - a água no nível h e a turbina Re s p o s t a c e r t a a “D” JUNTOS:
  • 24. FAÇA SÓ  Tente agora entender oque tem de errado nas outras