SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Energia: Cinética e Potencial
Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará
Instituto de Ciências Exatas
Faculdade de Física
Adriele Ribeiro
Denise Marinho
1.0 Conceito de Energia
 “Consideremos um sistema formado por um ou mais corpos. Diremos
que esse sistema possui energia se, de alguma forma, puder movimentar
“coisas”, fazer com que as “coisas” funcionem.”
 “A energia não pode ser criada nem destruída, apenas pode ser
transformada de em outro tipo de energia”
EnergiaFig.1.0. Tocando
Instrumentos.
Fig.1.1. Esquiando.
Fig.1.2. Dirigindo um carro.
Fig.1.3. Acidente de carro.
Fig.1.5. Newton escorregando
no tobogã.
Fig.1.4. Dirigindo uma nave.
2.0 Energia Cinética
 Energia cinética é a forma de energia que os corpos em movimento possuem.
Ela é proporcional à massa e à velocidade da partícula que se move.
 Na Física, ela pode ser definida como a capacidade de realizar trabalho.
 A unidade de medida no Sistema Internacional para a energia é o Joule (J).
 Em homenagem a James Prescott Joule, um importante cientista que fez
várias descobertas sobre a natureza do calor e sobre a realização do trabalho
mecânico.
James P. Joule.
2.0 Energia Cinética
 Quando um corpo de massa m está se movendo a uma velocidade V,
ele possui energia cinética Ec, que é dada por:
Eq. 1.0. Energia Cinética.
2.1 Relação entre Trabalho e Energia Cinética
Fig.2.0. O trabalho total realizado sobre um corpo é igual à variação da energia cinética.
 Dessa forma, o trabalho Tab é dado pela equação:
 Essa lei também é chamada de teorema do Trabalho – Energia Cinética.
 “O trabalho total realizado sobre um corpo que se desloca entre os pontos A e
B é igual à variação da energia cinética entre esses dois pontos.”
2.1 Relação entre Trabalho e Energia Cinética
Eq. 1.1. Teorema do
Trabalho - Energia
Cinética.
2.2 Energia Cinética – Exemplo 1:
 Um bloco de massa m = 4,0 kg é abandonado do alto de uma tobogã,
passando pelo ponto A com velocidade Va= 3,0 m/s e pelo ponto B com
velocidade Vb= 8,0 m/s. Durante o movimento, o bloco esteve sob a ação de
apenas três forças: o peso, a normal e a força de atrito. Sendo g=10 m/s,
calcule o trabalho da força de atrito no trecho AB.
A
B
H = 5m
Fig.2.1. Tobogã.
3.0 Energia Potencial Gravitacional
 É a energia que pode ser armazenada em um sistema físico e tem a
capacidade de ser transformada em energia cinética.
 A unidade de medida no Sistema Internacional para a energia é o Joule (J).
Fig.3.0. Rampa de Skate. Fig.3.1. Bola.
3.0 Energia Potencial Gravitacional
Fig.3.0. A energia potencial gravitacional
g
P
m
Vo= 0
h
Eq. 1.2. Energia Potencial
3.1 Energia Potencial Gravitacional – Exemplo 1:
 Um corpo de massa de 6 kg está posicionado a uma altura de 30m. Calcule a
energia potencial gravitacional desse corpo.
Fig.3.0. A energia potencial gravitacional
g
M= 6kg
H= 30m
4.0 Referências
 Sampaio & Calçada. Física. Vol. Único. 2ª edição. Atual Editora, 2005.
 Phet - http://phet.colorado.edu/
 http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/fisica/energia-potencial-gravitacional-
elastica.htm
 http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/fisica/energia-potencial-gravitacional-
elastica.htm

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Força e movimento
Força e movimentoForça e movimento
Força e movimento
 
Energia Mecanica
Energia MecanicaEnergia Mecanica
Energia Mecanica
 
Trabalho e Energia
Trabalho e Energia Trabalho e Energia
Trabalho e Energia
 
Eletrização
EletrizaçãoEletrização
Eletrização
 
Ondas
OndasOndas
Ondas
 
9 ano leis de newton
9 ano leis de newton9 ano leis de newton
9 ano leis de newton
 
Trabalho e Energia Slide
Trabalho e Energia SlideTrabalho e Energia Slide
Trabalho e Energia Slide
 
Processos de eletrização
Processos de eletrizaçãoProcessos de eletrização
Processos de eletrização
 
Cinemática introdução
Cinemática introduçãoCinemática introdução
Cinemática introdução
 
Leis de Newton
Leis de NewtonLeis de Newton
Leis de Newton
 
Física (calorimetria)
Física (calorimetria)Física (calorimetria)
Física (calorimetria)
 
Aula05 forças
Aula05 forçasAula05 forças
Aula05 forças
 
Ciências 9º Ano (Física): estudo dos movimentos: Conceitos Básicos de Cinemática
Ciências 9º Ano (Física): estudo dos movimentos: Conceitos Básicos de CinemáticaCiências 9º Ano (Física): estudo dos movimentos: Conceitos Básicos de Cinemática
Ciências 9º Ano (Física): estudo dos movimentos: Conceitos Básicos de Cinemática
 
Força elétrica parte 1
Força elétrica parte 1Força elétrica parte 1
Força elétrica parte 1
 
Campo elétrico
Campo elétricoCampo elétrico
Campo elétrico
 
Slides eletrostatica
Slides eletrostaticaSlides eletrostatica
Slides eletrostatica
 
Termodinâmica
TermodinâmicaTermodinâmica
Termodinâmica
 
Eletricidade 9º ano
Eletricidade 9º anoEletricidade 9º ano
Eletricidade 9º ano
 
Introdução a Física
Introdução a FísicaIntrodução a Física
Introdução a Física
 
Circuitos elétricos
Circuitos elétricosCircuitos elétricos
Circuitos elétricos
 

Semelhante a Energia Cinética e Potencial

Energia Cinética
Energia CinéticaEnergia Cinética
Energia Cinéticabilburato
 
AULAS 2° D Karine Felix.pptx
AULAS 2° D Karine Felix.pptxAULAS 2° D Karine Felix.pptx
AULAS 2° D Karine Felix.pptxKarine Felix
 
AULAS 2° A Karine Felix.pptx
AULAS 2° A Karine Felix.pptxAULAS 2° A Karine Felix.pptx
AULAS 2° A Karine Felix.pptxKarine Felix
 
AULA - PRINCÍPIOS DA CONSERVAÇÃO DA ENERGIA.pptx
AULA - PRINCÍPIOS DA CONSERVAÇÃO DA ENERGIA.pptxAULA - PRINCÍPIOS DA CONSERVAÇÃO DA ENERGIA.pptx
AULA - PRINCÍPIOS DA CONSERVAÇÃO DA ENERGIA.pptxMarcellusPinheiro1
 
AULAS 3° C Karine Felix.pptx
AULAS 3° C Karine Felix.pptxAULAS 3° C Karine Felix.pptx
AULAS 3° C Karine Felix.pptxKarine Felix
 
AULAS 2° E Karine Felix.pptx
AULAS 2° E Karine Felix.pptxAULAS 2° E Karine Felix.pptx
AULAS 2° E Karine Felix.pptxKarine Felix
 
LEIS DE NEWTON 2 - 1ª EDIÇÃO 2015.pptx
LEIS DE NEWTON 2 - 1ª EDIÇÃO 2015.pptxLEIS DE NEWTON 2 - 1ª EDIÇÃO 2015.pptx
LEIS DE NEWTON 2 - 1ª EDIÇÃO 2015.pptxcristianecanella
 
AULA 1º SERIE CEMVS (ALUNO) PARTE 1 - 3º BIM DINAMICA - LEIS DE NEWTON 15 08 ...
AULA 1º SERIE CEMVS (ALUNO) PARTE 1 - 3º BIM DINAMICA - LEIS DE NEWTON 15 08 ...AULA 1º SERIE CEMVS (ALUNO) PARTE 1 - 3º BIM DINAMICA - LEIS DE NEWTON 15 08 ...
AULA 1º SERIE CEMVS (ALUNO) PARTE 1 - 3º BIM DINAMICA - LEIS DE NEWTON 15 08 ...MarcosOntonio
 
AS LEIS DE NEWTON UM BREVE RESUMO SOBRE AS LEIS QUE MUDARAM O MUNDO DA MECÂNICA
AS LEIS DE NEWTON UM BREVE RESUMO SOBRE AS LEIS QUE MUDARAM O MUNDO DA MECÂNICAAS LEIS DE NEWTON UM BREVE RESUMO SOBRE AS LEIS QUE MUDARAM O MUNDO DA MECÂNICA
AS LEIS DE NEWTON UM BREVE RESUMO SOBRE AS LEIS QUE MUDARAM O MUNDO DA MECÂNICAMarcellusPinheiro1
 
AULA 1º SERIE CEMVS (ALUNO) PARTE 1 - 3º BIM DINAMICA - LEIS DE NEWTON 15 08 ...
AULA 1º SERIE CEMVS (ALUNO) PARTE 1 - 3º BIM DINAMICA - LEIS DE NEWTON 15 08 ...AULA 1º SERIE CEMVS (ALUNO) PARTE 1 - 3º BIM DINAMICA - LEIS DE NEWTON 15 08 ...
AULA 1º SERIE CEMVS (ALUNO) PARTE 1 - 3º BIM DINAMICA - LEIS DE NEWTON 15 08 ...MarcosOntonio
 
Apostila fã sica 2 - ceesvo
Apostila  fã sica 2 - ceesvoApostila  fã sica 2 - ceesvo
Apostila fã sica 2 - ceesvoGraciele Costa
 
Leis de Newton.pptx
Leis de Newton.pptxLeis de Newton.pptx
Leis de Newton.pptxWallasMorett
 
Trabalho e energia mecânica.
Trabalho e energia mecânica.Trabalho e energia mecânica.
Trabalho e energia mecânica.HruanaS23
 

Semelhante a Energia Cinética e Potencial (20)

Energia Cinética
Energia CinéticaEnergia Cinética
Energia Cinética
 
AULAS 2° D Karine Felix.pptx
AULAS 2° D Karine Felix.pptxAULAS 2° D Karine Felix.pptx
AULAS 2° D Karine Felix.pptx
 
Força e movimento.pdf
Força e movimento.pdfForça e movimento.pdf
Força e movimento.pdf
 
AULAS 2° A Karine Felix.pptx
AULAS 2° A Karine Felix.pptxAULAS 2° A Karine Felix.pptx
AULAS 2° A Karine Felix.pptx
 
AULA - PRINCÍPIOS DA CONSERVAÇÃO DA ENERGIA.pptx
AULA - PRINCÍPIOS DA CONSERVAÇÃO DA ENERGIA.pptxAULA - PRINCÍPIOS DA CONSERVAÇÃO DA ENERGIA.pptx
AULA - PRINCÍPIOS DA CONSERVAÇÃO DA ENERGIA.pptx
 
AULAS 3° C Karine Felix.pptx
AULAS 3° C Karine Felix.pptxAULAS 3° C Karine Felix.pptx
AULAS 3° C Karine Felix.pptx
 
AULAS 2° E Karine Felix.pptx
AULAS 2° E Karine Felix.pptxAULAS 2° E Karine Felix.pptx
AULAS 2° E Karine Felix.pptx
 
Aula6 força movimento
Aula6 força movimentoAula6 força movimento
Aula6 força movimento
 
LEIS DE NEWTON 2 - 1ª EDIÇÃO 2015.pptx
LEIS DE NEWTON 2 - 1ª EDIÇÃO 2015.pptxLEIS DE NEWTON 2 - 1ª EDIÇÃO 2015.pptx
LEIS DE NEWTON 2 - 1ª EDIÇÃO 2015.pptx
 
Energia
EnergiaEnergia
Energia
 
As Leis de Newton
As Leis de NewtonAs Leis de Newton
As Leis de Newton
 
Apostila cinesiologia
Apostila   cinesiologiaApostila   cinesiologia
Apostila cinesiologia
 
Energia mecânica
Energia mecânicaEnergia mecânica
Energia mecânica
 
AULA 1º SERIE CEMVS (ALUNO) PARTE 1 - 3º BIM DINAMICA - LEIS DE NEWTON 15 08 ...
AULA 1º SERIE CEMVS (ALUNO) PARTE 1 - 3º BIM DINAMICA - LEIS DE NEWTON 15 08 ...AULA 1º SERIE CEMVS (ALUNO) PARTE 1 - 3º BIM DINAMICA - LEIS DE NEWTON 15 08 ...
AULA 1º SERIE CEMVS (ALUNO) PARTE 1 - 3º BIM DINAMICA - LEIS DE NEWTON 15 08 ...
 
AS LEIS DE NEWTON UM BREVE RESUMO SOBRE AS LEIS QUE MUDARAM O MUNDO DA MECÂNICA
AS LEIS DE NEWTON UM BREVE RESUMO SOBRE AS LEIS QUE MUDARAM O MUNDO DA MECÂNICAAS LEIS DE NEWTON UM BREVE RESUMO SOBRE AS LEIS QUE MUDARAM O MUNDO DA MECÂNICA
AS LEIS DE NEWTON UM BREVE RESUMO SOBRE AS LEIS QUE MUDARAM O MUNDO DA MECÂNICA
 
Dinâmica
DinâmicaDinâmica
Dinâmica
 
AULA 1º SERIE CEMVS (ALUNO) PARTE 1 - 3º BIM DINAMICA - LEIS DE NEWTON 15 08 ...
AULA 1º SERIE CEMVS (ALUNO) PARTE 1 - 3º BIM DINAMICA - LEIS DE NEWTON 15 08 ...AULA 1º SERIE CEMVS (ALUNO) PARTE 1 - 3º BIM DINAMICA - LEIS DE NEWTON 15 08 ...
AULA 1º SERIE CEMVS (ALUNO) PARTE 1 - 3º BIM DINAMICA - LEIS DE NEWTON 15 08 ...
 
Apostila fã sica 2 - ceesvo
Apostila  fã sica 2 - ceesvoApostila  fã sica 2 - ceesvo
Apostila fã sica 2 - ceesvo
 
Leis de Newton.pptx
Leis de Newton.pptxLeis de Newton.pptx
Leis de Newton.pptx
 
Trabalho e energia mecânica.
Trabalho e energia mecânica.Trabalho e energia mecânica.
Trabalho e energia mecânica.
 

Mais de Denise Marinho

Calculadora Cientifica no visualg
Calculadora Cientifica no visualgCalculadora Cientifica no visualg
Calculadora Cientifica no visualgDenise Marinho
 
Fótons: Propriedades Corpusculares da Radiação
Fótons: Propriedades Corpusculares da RadiaçãoFótons: Propriedades Corpusculares da Radiação
Fótons: Propriedades Corpusculares da RadiaçãoDenise Marinho
 
Trabalho hidrodinâmica
Trabalho hidrodinâmicaTrabalho hidrodinâmica
Trabalho hidrodinâmicaDenise Marinho
 
Campo elétrico e linhas de forças
Campo elétrico e linhas de forçasCampo elétrico e linhas de forças
Campo elétrico e linhas de forçasDenise Marinho
 
A história da física
A história da físicaA história da física
A história da físicaDenise Marinho
 
Fluxo de energia e vida denise marinho
Fluxo de energia e vida   denise marinhoFluxo de energia e vida   denise marinho
Fluxo de energia e vida denise marinhoDenise Marinho
 
Resíduos sólidos industrias
Resíduos sólidos industriasResíduos sólidos industrias
Resíduos sólidos industriasDenise Marinho
 

Mais de Denise Marinho (16)

Empresa Natura
Empresa NaturaEmpresa Natura
Empresa Natura
 
Calculadora Cientifica no visualg
Calculadora Cientifica no visualgCalculadora Cientifica no visualg
Calculadora Cientifica no visualg
 
Algoritmo VisualG
Algoritmo VisualG Algoritmo VisualG
Algoritmo VisualG
 
Trabalho metodologia
Trabalho metodologiaTrabalho metodologia
Trabalho metodologia
 
Fótons: Propriedades Corpusculares da Radiação
Fótons: Propriedades Corpusculares da RadiaçãoFótons: Propriedades Corpusculares da Radiação
Fótons: Propriedades Corpusculares da Radiação
 
Pêndulo simples
Pêndulo simplesPêndulo simples
Pêndulo simples
 
Trabalho hidrodinâmica
Trabalho hidrodinâmicaTrabalho hidrodinâmica
Trabalho hidrodinâmica
 
Campo elétrico e linhas de forças
Campo elétrico e linhas de forçasCampo elétrico e linhas de forças
Campo elétrico e linhas de forças
 
A história da física
A história da físicaA história da física
A história da física
 
Fluxo de energia e vida denise marinho
Fluxo de energia e vida   denise marinhoFluxo de energia e vida   denise marinho
Fluxo de energia e vida denise marinho
 
Vidros
VidrosVidros
Vidros
 
Poluição na praia
Poluição na praiaPoluição na praia
Poluição na praia
 
Casa ecològica
Casa ecològicaCasa ecològica
Casa ecològica
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Doc rsi
Doc rsiDoc rsi
Doc rsi
 
Resíduos sólidos industrias
Resíduos sólidos industriasResíduos sólidos industrias
Resíduos sólidos industrias
 

Último

Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitlerhabiwo1978
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................mariagrave
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...WelitaDiaz1
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoVitor Vieira Vasconcelos
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdfO que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdfGisellySobral
 

Último (20)

Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdfO que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
 

Energia Cinética e Potencial

  • 1. Energia: Cinética e Potencial Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará Instituto de Ciências Exatas Faculdade de Física Adriele Ribeiro Denise Marinho
  • 2. 1.0 Conceito de Energia  “Consideremos um sistema formado por um ou mais corpos. Diremos que esse sistema possui energia se, de alguma forma, puder movimentar “coisas”, fazer com que as “coisas” funcionem.”  “A energia não pode ser criada nem destruída, apenas pode ser transformada de em outro tipo de energia”
  • 3. EnergiaFig.1.0. Tocando Instrumentos. Fig.1.1. Esquiando. Fig.1.2. Dirigindo um carro. Fig.1.3. Acidente de carro. Fig.1.5. Newton escorregando no tobogã. Fig.1.4. Dirigindo uma nave.
  • 4. 2.0 Energia Cinética  Energia cinética é a forma de energia que os corpos em movimento possuem. Ela é proporcional à massa e à velocidade da partícula que se move.  Na Física, ela pode ser definida como a capacidade de realizar trabalho.  A unidade de medida no Sistema Internacional para a energia é o Joule (J).  Em homenagem a James Prescott Joule, um importante cientista que fez várias descobertas sobre a natureza do calor e sobre a realização do trabalho mecânico. James P. Joule.
  • 5. 2.0 Energia Cinética  Quando um corpo de massa m está se movendo a uma velocidade V, ele possui energia cinética Ec, que é dada por: Eq. 1.0. Energia Cinética.
  • 6. 2.1 Relação entre Trabalho e Energia Cinética Fig.2.0. O trabalho total realizado sobre um corpo é igual à variação da energia cinética.
  • 7.  Dessa forma, o trabalho Tab é dado pela equação:  Essa lei também é chamada de teorema do Trabalho – Energia Cinética.  “O trabalho total realizado sobre um corpo que se desloca entre os pontos A e B é igual à variação da energia cinética entre esses dois pontos.” 2.1 Relação entre Trabalho e Energia Cinética Eq. 1.1. Teorema do Trabalho - Energia Cinética.
  • 8. 2.2 Energia Cinética – Exemplo 1:  Um bloco de massa m = 4,0 kg é abandonado do alto de uma tobogã, passando pelo ponto A com velocidade Va= 3,0 m/s e pelo ponto B com velocidade Vb= 8,0 m/s. Durante o movimento, o bloco esteve sob a ação de apenas três forças: o peso, a normal e a força de atrito. Sendo g=10 m/s, calcule o trabalho da força de atrito no trecho AB. A B H = 5m Fig.2.1. Tobogã.
  • 9. 3.0 Energia Potencial Gravitacional  É a energia que pode ser armazenada em um sistema físico e tem a capacidade de ser transformada em energia cinética.  A unidade de medida no Sistema Internacional para a energia é o Joule (J). Fig.3.0. Rampa de Skate. Fig.3.1. Bola.
  • 10. 3.0 Energia Potencial Gravitacional Fig.3.0. A energia potencial gravitacional g P m Vo= 0 h Eq. 1.2. Energia Potencial
  • 11. 3.1 Energia Potencial Gravitacional – Exemplo 1:  Um corpo de massa de 6 kg está posicionado a uma altura de 30m. Calcule a energia potencial gravitacional desse corpo. Fig.3.0. A energia potencial gravitacional g M= 6kg H= 30m
  • 12. 4.0 Referências  Sampaio & Calçada. Física. Vol. Único. 2ª edição. Atual Editora, 2005.  Phet - http://phet.colorado.edu/  http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/fisica/energia-potencial-gravitacional- elastica.htm  http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/fisica/energia-potencial-gravitacional- elastica.htm