SlideShare uma empresa Scribd logo
1
A cozinha dos negros se formou no Nordeste
brasileiro, mas teve origem no Recôncavo Baiano. É
uma mistura das tradições indígenas, europeias e
africanas.
Os índios se alimentavam da mandioca, das frutas,
dos peixes e das carnes de caça. Com a chegada dos
colonizadores portugueses, o pão, o queijo, o arroz,
os doces e os vinhos foram se incorporando à nossa
alimentação.

                                                       2
Uma das contribuições mais importantes, foi a que
veio da África, trazida pelos escravos. Se os
comerciantes de escravos traziam os ingredientes
(especiarias), os escravos traziam na memória os
usos e os gostos de sua terra.
Os escravos não tinham uma alimentação farta.
Comiam os restos que os seus senhores lhes
destinavam. Os ingredientes nobres, o preparo
requintado e as maneiras europeias à mesa
aconteciam na casa grande. Enquanto isso, a cozinha
negra se desenvolvia na senzala, em tachos de ferro.

                                                    3
O negro introduziu na cozinha o leite de coco-da-
baía, o azeite de dendê, confirmou a excelência da
pimenta malagueta sobre a do reino, deu ao Brasil o
feijão preto, o quiabo, ensinou a fazer vatapá,
caruru, mungunzá, acarajé, angu e pamonha.

A cozinha negra fez valer os seus temperos, os
verdes, a sua maneira de cozinhar. Modificou os
pratos portugueses, substituindo ingredientes; fez a
mesma coisa com os pratos da terra; e finalmente
criou a cozinha brasileira, descobrindo o chuchu com
camarão, ensinando a fazer pratos com camarão
seco e a usar as panelas de barro e a colher de pau.
                                                      4
Os caldos, extraídos dos alimentos assados,
misturados com farinha de mandioca (o pirão) ou
com farinha de milho (o angu), são uma herança
dos africanos. Podemos lembrar que da África
também vieram ingredientes tão importantes como
o coco e o café.




                                                  5
O africano contribuiu com
             a difusão do inhame, da
             cana de açúcar e do
             dendezeiro, do qual se faz
             o azeite de dendê. O leite
             de coco, de origem
             polinésia, foi trazido pelos
             negros, assim como a
             pimenta malagueta e a
             galinha de Angola.
DENDEZEIRO
                                            6
Alguns pratos
    afros

                7
Enquanto as melhores carnes
iam para a mesa dos senhores,
os escravos ficavam com as
sobras: pés e orelhas de porco,
linguiça, carne-seca etc., eram
misturados com feijão preto ou
mulatinho e cozidos num
grande caldeirão.

                                  8
É um prato típico da cozinha da Bahia.




                                         9
Originário da África, muito temperado
com pimentão, cheiros verdes, cebola,
sal, coentro e outros, preparado à base
de peixe, em alguns casos frango, leite
de coco, camarões secos e frescos, pão
de véspera, amendoim e castanhas
torrados e moídos, azeite de dendê e
muita pimenta.
                                          10
Feito de massa de feijão-
fradinho, cebola e sal,
frito em azeite de dendê,
podendo ser servido
com pimenta, vatapá,
caruru, camarão seco e
salada de tomate verde,
cebola e coentro.



                            11
Prato típico do Nordeste,
feito de carne de sol ou
com charque, refogado e
cozido com abóbora.
Tem a consistência de
uma papa grossa e pode
ser temperado com
azeite de dendê e cheiro
verde.



                            12
Bolinho feito com
massa     de    feijão-
fradinho    temperada
com pimenta, sal,
cebola e azeite de
dendê, algumas vezes
com camarão seco,
inteiro ou moído e
misturado à massa,
que é embrulhada em
folha de bananeira e
cozida em água.
                          13
Bolinho feito de
milho ou de arroz
moído na pedra,
macerado em água,
salgado e cozido em
folhas de bananeira
secas.

                  14
Bebida refrigerante feita de
milho, de arroz ou de casca
de abacaxi fermentados
com açúcar ou rapadura,
usada       tradicionalmente
como oferenda aos orixás
nas festas populares de
origem africana.



                               15
Bolinho feito de milho macerado em água fria e depois
moído, cozido e envolvido, ainda morno, em folhas verdes
de bananeira. (Acompanha o vatapá ou caruru. Preparado
com leite de coco e açúcar, é chamada acaçá de leite.)




                                                           16
Doce feito de milho
torrado           e
moído,    misturado
com azeite de dendê
e mel.



                      17
Bolinho feito de farinha de milho ou de mandioca,
apimentado, frito em azeite de dendê.




                                                    18
19

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Avaliação de geografia
Avaliação de geografia Avaliação de geografia
Avaliação de geografia
Isa ...
 
III Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdf
III Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdfIII Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdf
III Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdf
André Moraes
 
Classes Gramaticais - Revisão
Classes Gramaticais - RevisãoClasses Gramaticais - Revisão
Classes Gramaticais - Revisão
Mary Alvarenga
 
Slide sítio com atividades
Slide sítio com atividadesSlide sítio com atividades
Slide sítio com atividades
Gi Barbosa - Ideia Criativa
 
Atividade -hist-geo_-17-11_(1)
Atividade  -hist-geo_-17-11_(1)Atividade  -hist-geo_-17-11_(1)
Atividade -hist-geo_-17-11_(1)
Washington Rocha
 
Consciencia negra
Consciencia negraConsciencia negra
Consciencia negra
Atividades Diversas Cláudia
 
Cultura negra3
Cultura negra3Cultura negra3
Parecer de um bom aluno porém que precisa de limites
Parecer de um bom aluno porém  que precisa de limitesParecer de um bom aluno porém  que precisa de limites
Parecer de um bom aluno porém que precisa de limites
SimoneHelenDrumond
 
Atividades referente ao filme; Extraordinário
Atividades referente ao filme; ExtraordinárioAtividades referente ao filme; Extraordinário
Atividades referente ao filme; Extraordinário
Francilene Barbbosa
 
Ensino religioso 3 ano
Ensino religioso 3 anoEnsino religioso 3 ano
Ensino religioso 3 ano
Antonio de Jesus Freitas Fernandes
 
Influência da-cultura-africana-no-brasil
Influência da-cultura-africana-no-brasilInfluência da-cultura-africana-no-brasil
Influência da-cultura-africana-no-brasil
Nancihorta
 
Atividades sobre índios de Goiás
Atividades sobre índios de GoiásAtividades sobre índios de Goiás
Atividades sobre índios de Goiás
Letras Mágicas
 
Prova de HISTÓRIA
Prova de HISTÓRIAProva de HISTÓRIA
Prova de HISTÓRIA
Katia Lopes
 
Alimentação saudável - Texto e atividade de Ciências
 Alimentação saudável -  Texto  e atividade de Ciências Alimentação saudável -  Texto  e atividade de Ciências
Alimentação saudável - Texto e atividade de Ciências
Mary Alvarenga
 
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.
Prof. Noe Assunção
 
5º ano edu. para a cidadania ativ. compl
5º ano edu. para a cidadania ativ. compl5º ano edu. para a cidadania ativ. compl
5º ano edu. para a cidadania ativ. compl
Giselda Rodrigues
 
1º ano atividade com quadrinhos
1º ano atividade com quadrinhos1º ano atividade com quadrinhos
1º ano atividade com quadrinhos
ladydanasoares
 
Folclore brasileiro
Folclore brasileiroFolclore brasileiro
Folclore brasileiro
Andrea Lemos
 
respeito as pessoas.
respeito as pessoas.respeito as pessoas.

Mais procurados (20)

Avaliação de geografia
Avaliação de geografia Avaliação de geografia
Avaliação de geografia
 
III Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdf
III Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdfIII Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdf
III Atividade Avaliativa de História 4º e 5º ano pdf
 
Classes Gramaticais - Revisão
Classes Gramaticais - RevisãoClasses Gramaticais - Revisão
Classes Gramaticais - Revisão
 
Slide sítio com atividades
Slide sítio com atividadesSlide sítio com atividades
Slide sítio com atividades
 
Atividade -hist-geo_-17-11_(1)
Atividade  -hist-geo_-17-11_(1)Atividade  -hist-geo_-17-11_(1)
Atividade -hist-geo_-17-11_(1)
 
Consciencia negra
Consciencia negraConsciencia negra
Consciencia negra
 
Cultura negra3
Cultura negra3Cultura negra3
Cultura negra3
 
Parecer de um bom aluno porém que precisa de limites
Parecer de um bom aluno porém  que precisa de limitesParecer de um bom aluno porém  que precisa de limites
Parecer de um bom aluno porém que precisa de limites
 
Atividades referente ao filme; Extraordinário
Atividades referente ao filme; ExtraordinárioAtividades referente ao filme; Extraordinário
Atividades referente ao filme; Extraordinário
 
Ensino religioso 3 ano
Ensino religioso 3 anoEnsino religioso 3 ano
Ensino religioso 3 ano
 
Cultura negra cruzadinha
Cultura negra cruzadinhaCultura negra cruzadinha
Cultura negra cruzadinha
 
Influência da-cultura-africana-no-brasil
Influência da-cultura-africana-no-brasilInfluência da-cultura-africana-no-brasil
Influência da-cultura-africana-no-brasil
 
Atividades sobre índios de Goiás
Atividades sobre índios de GoiásAtividades sobre índios de Goiás
Atividades sobre índios de Goiás
 
Prova de HISTÓRIA
Prova de HISTÓRIAProva de HISTÓRIA
Prova de HISTÓRIA
 
Alimentação saudável - Texto e atividade de Ciências
 Alimentação saudável -  Texto  e atividade de Ciências Alimentação saudável -  Texto  e atividade de Ciências
Alimentação saudável - Texto e atividade de Ciências
 
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.
 
5º ano edu. para a cidadania ativ. compl
5º ano edu. para a cidadania ativ. compl5º ano edu. para a cidadania ativ. compl
5º ano edu. para a cidadania ativ. compl
 
1º ano atividade com quadrinhos
1º ano atividade com quadrinhos1º ano atividade com quadrinhos
1º ano atividade com quadrinhos
 
Folclore brasileiro
Folclore brasileiroFolclore brasileiro
Folclore brasileiro
 
respeito as pessoas.
respeito as pessoas.respeito as pessoas.
respeito as pessoas.
 

Destaque

A cultura negra no pará
A cultura negra no pará A cultura negra no pará
A cultura negra no pará
Maria da Paz
 
Slides comidas tipicas carlos
Slides comidas tipicas carlosSlides comidas tipicas carlos
Slides comidas tipicas carlos
Patrick Quaresma
 
Projeto - Diabetes: conhecer para prevenir
Projeto -    Diabetes: conhecer para prevenirProjeto -    Diabetes: conhecer para prevenir
Projeto - Diabetes: conhecer para prevenir
Mary Alvarenga
 
Cultura negra
Cultura negraCultura negra
Cultura negra
Daniele Lino
 
Influência Africana
Influência AfricanaInfluência Africana
Influência Africana
grupo102017
 
Slides comidas tipicas lucilene
Slides comidas tipicas lucileneSlides comidas tipicas lucilene
Slides comidas tipicas lucilene
Patrick Quaresma
 
Personalidades negras
Personalidades negrasPersonalidades negras
Personalidades negras
PROF. ANTONIO VAZ
 
O que é Páscoa? Símbolos da páscoa
O que é Páscoa?    Símbolos da páscoaO que é Páscoa?    Símbolos da páscoa
O que é Páscoa? Símbolos da páscoa
Mary Alvarenga
 
Diabetes: conhecer para prevenir
Diabetes: conhecer para prevenir Diabetes: conhecer para prevenir
Diabetes: conhecer para prevenir
Mary Alvarenga
 
Dia da conciência negra vinícius
Dia da conciência negra viníciusDia da conciência negra vinícius
Dia da conciência negra vinícius
elienabetete
 
Islamismo
Islamismo  Islamismo
Islamismo
Mary Alvarenga
 
Poesias afro-brasileiras
Poesias afro-brasileiras Poesias afro-brasileiras
Poesias afro-brasileiras
Mary Alvarenga
 
Texto: Pensar e conhecer
Texto: Pensar e conhecerTexto: Pensar e conhecer
Texto: Pensar e conhecer
Mary Alvarenga
 
Gênero textual: Cordel
Gênero textual: CordelGênero textual: Cordel
Gênero textual: Cordel
Mary Alvarenga
 
Independência dos Estados Unidos - Texto e atividade
Independência dos Estados Unidos  -  Texto e atividade Independência dos Estados Unidos  -  Texto e atividade
Independência dos Estados Unidos - Texto e atividade
Mary Alvarenga
 
Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...
Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...
Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...
Mary Alvarenga
 
Personalidades negras
Personalidades negrasPersonalidades negras
Personalidades negras
heloribeiro
 

Destaque (17)

A cultura negra no pará
A cultura negra no pará A cultura negra no pará
A cultura negra no pará
 
Slides comidas tipicas carlos
Slides comidas tipicas carlosSlides comidas tipicas carlos
Slides comidas tipicas carlos
 
Projeto - Diabetes: conhecer para prevenir
Projeto -    Diabetes: conhecer para prevenirProjeto -    Diabetes: conhecer para prevenir
Projeto - Diabetes: conhecer para prevenir
 
Cultura negra
Cultura negraCultura negra
Cultura negra
 
Influência Africana
Influência AfricanaInfluência Africana
Influência Africana
 
Slides comidas tipicas lucilene
Slides comidas tipicas lucileneSlides comidas tipicas lucilene
Slides comidas tipicas lucilene
 
Personalidades negras
Personalidades negrasPersonalidades negras
Personalidades negras
 
O que é Páscoa? Símbolos da páscoa
O que é Páscoa?    Símbolos da páscoaO que é Páscoa?    Símbolos da páscoa
O que é Páscoa? Símbolos da páscoa
 
Diabetes: conhecer para prevenir
Diabetes: conhecer para prevenir Diabetes: conhecer para prevenir
Diabetes: conhecer para prevenir
 
Dia da conciência negra vinícius
Dia da conciência negra viníciusDia da conciência negra vinícius
Dia da conciência negra vinícius
 
Islamismo
Islamismo  Islamismo
Islamismo
 
Poesias afro-brasileiras
Poesias afro-brasileiras Poesias afro-brasileiras
Poesias afro-brasileiras
 
Texto: Pensar e conhecer
Texto: Pensar e conhecerTexto: Pensar e conhecer
Texto: Pensar e conhecer
 
Gênero textual: Cordel
Gênero textual: CordelGênero textual: Cordel
Gênero textual: Cordel
 
Independência dos Estados Unidos - Texto e atividade
Independência dos Estados Unidos  -  Texto e atividade Independência dos Estados Unidos  -  Texto e atividade
Independência dos Estados Unidos - Texto e atividade
 
Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...
Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...
Gênero textual: cartão, convite. biografia, narração, história em quedrinho (...
 
Personalidades negras
Personalidades negrasPersonalidades negras
Personalidades negras
 

Semelhante a Culinária afro-brasileira

Projeto 5ª Márcia jun 2011
Projeto 5ª Márcia jun 2011Projeto 5ª Márcia jun 2011
Projeto 5ª Márcia jun 2011
E.M.E.F. CECÍLIA MEIRELES
 
Culinária afro
Culinária afroCulinária afro
Culinária afro
Beth Rodrigues
 
NutriçãO Vocabulario
NutriçãO VocabularioNutriçãO Vocabulario
NutriçãO Vocabulario
TomateVerdeFrito
 
Glossario
GlossarioGlossario
CULINÁRIA BRASILEIRA REGIONAL - Aula 04 - Região Nordeste - Litoral.pptx
CULINÁRIA BRASILEIRA REGIONAL - Aula 04 - Região Nordeste - Litoral.pptxCULINÁRIA BRASILEIRA REGIONAL - Aula 04 - Região Nordeste - Litoral.pptx
CULINÁRIA BRASILEIRA REGIONAL - Aula 04 - Região Nordeste - Litoral.pptx
RuthFranco26
 
Influências Africanas na Culinária Brasileira
Influências Africanas na Culinária BrasileiraInfluências Africanas na Culinária Brasileira
Influências Africanas na Culinária Brasileira
klauddia
 
Gastronomia no Brasil
Gastronomia no BrasilGastronomia no Brasil
Gastronomia no Brasil
Vinícius Santana
 
Comidas típicas do Maranhão.
Comidas típicas do Maranhão.Comidas típicas do Maranhão.
Comidas típicas do Maranhão.
Mary Alvarenga
 
Um gostinho baiano (1)
Um gostinho baiano (1)Um gostinho baiano (1)
Um gostinho baiano (1)
Adevândia Epifanio Ferreira
 
Comidas tipicas
Comidas tipicasComidas tipicas
Comidas tipicas
AlanWillianLeonioSil
 
COZINHA BRASILEIRA REGIONAL - Aula 05 - BA, MA e PI.pptx
COZINHA BRASILEIRA REGIONAL - Aula 05 - BA, MA e PI.pptxCOZINHA BRASILEIRA REGIONAL - Aula 05 - BA, MA e PI.pptx
COZINHA BRASILEIRA REGIONAL - Aula 05 - BA, MA e PI.pptx
RuthFranco26
 
Cultura afro.pptx
Cultura afro.pptxCultura afro.pptx
Cultura afro.pptx
FLYUn1T
 
Comidas tipicas das festas juninas
Comidas tipicas das festas juninasComidas tipicas das festas juninas
Comidas tipicas das festas juninas
lexxa_hm
 
Palavras de origem africana turma 6ª feira- definitivo
Palavras de origem africana  turma 6ª feira- definitivoPalavras de origem africana  turma 6ª feira- definitivo
Palavras de origem africana turma 6ª feira- definitivo
jocelia cristrina cerqueira
 
Palavras de origem africana turma 6ª feira- definitivo 1
Palavras de origem africana  turma 6ª feira- definitivo 1Palavras de origem africana  turma 6ª feira- definitivo 1
Palavras de origem africana turma 6ª feira- definitivo 1
jocelia cristrina cerqueira
 
Cozinha da colonia
Cozinha da coloniaCozinha da colonia
Cozinha da colonia
quituteira quitutes
 
Exposição - Conhecendo as maravilhas do nordeste
Exposição - Conhecendo as maravilhas do nordesteExposição - Conhecendo as maravilhas do nordeste
Exposição - Conhecendo as maravilhas do nordeste
Celinhabortolozo
 
jornal
jornaljornal
Apresentação powerpoint egipto miguel e antonio
Apresentação powerpoint egipto miguel e antonioApresentação powerpoint egipto miguel e antonio
Apresentação powerpoint egipto miguel e antonio
poesiarte
 
Culinária da áfrica
Culinária da áfricaCulinária da áfrica
Culinária da áfrica
Marta Baldez
 

Semelhante a Culinária afro-brasileira (20)

Projeto 5ª Márcia jun 2011
Projeto 5ª Márcia jun 2011Projeto 5ª Márcia jun 2011
Projeto 5ª Márcia jun 2011
 
Culinária afro
Culinária afroCulinária afro
Culinária afro
 
NutriçãO Vocabulario
NutriçãO VocabularioNutriçãO Vocabulario
NutriçãO Vocabulario
 
Glossario
GlossarioGlossario
Glossario
 
CULINÁRIA BRASILEIRA REGIONAL - Aula 04 - Região Nordeste - Litoral.pptx
CULINÁRIA BRASILEIRA REGIONAL - Aula 04 - Região Nordeste - Litoral.pptxCULINÁRIA BRASILEIRA REGIONAL - Aula 04 - Região Nordeste - Litoral.pptx
CULINÁRIA BRASILEIRA REGIONAL - Aula 04 - Região Nordeste - Litoral.pptx
 
Influências Africanas na Culinária Brasileira
Influências Africanas na Culinária BrasileiraInfluências Africanas na Culinária Brasileira
Influências Africanas na Culinária Brasileira
 
Gastronomia no Brasil
Gastronomia no BrasilGastronomia no Brasil
Gastronomia no Brasil
 
Comidas típicas do Maranhão.
Comidas típicas do Maranhão.Comidas típicas do Maranhão.
Comidas típicas do Maranhão.
 
Um gostinho baiano (1)
Um gostinho baiano (1)Um gostinho baiano (1)
Um gostinho baiano (1)
 
Comidas tipicas
Comidas tipicasComidas tipicas
Comidas tipicas
 
COZINHA BRASILEIRA REGIONAL - Aula 05 - BA, MA e PI.pptx
COZINHA BRASILEIRA REGIONAL - Aula 05 - BA, MA e PI.pptxCOZINHA BRASILEIRA REGIONAL - Aula 05 - BA, MA e PI.pptx
COZINHA BRASILEIRA REGIONAL - Aula 05 - BA, MA e PI.pptx
 
Cultura afro.pptx
Cultura afro.pptxCultura afro.pptx
Cultura afro.pptx
 
Comidas tipicas das festas juninas
Comidas tipicas das festas juninasComidas tipicas das festas juninas
Comidas tipicas das festas juninas
 
Palavras de origem africana turma 6ª feira- definitivo
Palavras de origem africana  turma 6ª feira- definitivoPalavras de origem africana  turma 6ª feira- definitivo
Palavras de origem africana turma 6ª feira- definitivo
 
Palavras de origem africana turma 6ª feira- definitivo 1
Palavras de origem africana  turma 6ª feira- definitivo 1Palavras de origem africana  turma 6ª feira- definitivo 1
Palavras de origem africana turma 6ª feira- definitivo 1
 
Cozinha da colonia
Cozinha da coloniaCozinha da colonia
Cozinha da colonia
 
Exposição - Conhecendo as maravilhas do nordeste
Exposição - Conhecendo as maravilhas do nordesteExposição - Conhecendo as maravilhas do nordeste
Exposição - Conhecendo as maravilhas do nordeste
 
jornal
jornaljornal
jornal
 
Apresentação powerpoint egipto miguel e antonio
Apresentação powerpoint egipto miguel e antonioApresentação powerpoint egipto miguel e antonio
Apresentação powerpoint egipto miguel e antonio
 
Culinária da áfrica
Culinária da áfricaCulinária da áfrica
Culinária da áfrica
 

Mais de Mary Alvarenga

Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Mary Alvarenga
 
Atividade - Letra da música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade  - Letra da  música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade  - Letra da  música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade - Letra da música Xote da Alegria - Falamansa
Mary Alvarenga
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
Mary Alvarenga
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
Mary Alvarenga
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
Mary Alvarenga
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
Mary Alvarenga
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Mary Alvarenga
 
Atividade - Letra da música Esperando na Janela.
Atividade -  Letra da música Esperando na Janela.Atividade -  Letra da música Esperando na Janela.
Atividade - Letra da música Esperando na Janela.
Mary Alvarenga
 
CRUZADINHA - Leitura e escrita dos números
CRUZADINHA   -   Leitura e escrita dos números CRUZADINHA   -   Leitura e escrita dos números
CRUZADINHA - Leitura e escrita dos números
Mary Alvarenga
 
Música Meu Abrigo - Texto e atividade
Música   Meu   Abrigo  -   Texto e atividadeMúsica   Meu   Abrigo  -   Texto e atividade
Música Meu Abrigo - Texto e atividade
Mary Alvarenga
 
Bullying, sai pra lá
Bullying,  sai pra láBullying,  sai pra lá
Bullying, sai pra lá
Mary Alvarenga
 
Bullying - Atividade com caça- palavras
Bullying   - Atividade com  caça- palavrasBullying   - Atividade com  caça- palavras
Bullying - Atividade com caça- palavras
Mary Alvarenga
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinha
Mary Alvarenga
 

Mais de Mary Alvarenga (20)

Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
 
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e MateusAtividade - Letra da música "Tem Que Sorrir"  - Jorge e Mateus
Atividade - Letra da música "Tem Que Sorrir" - Jorge e Mateus
 
Atividade - Letra da música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade  - Letra da  música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade  - Letra da  música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade - Letra da música Xote da Alegria - Falamansa
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Atividade - Letra da música Esperando na Janela.
Atividade -  Letra da música Esperando na Janela.Atividade -  Letra da música Esperando na Janela.
Atividade - Letra da música Esperando na Janela.
 
CRUZADINHA - Leitura e escrita dos números
CRUZADINHA   -   Leitura e escrita dos números CRUZADINHA   -   Leitura e escrita dos números
CRUZADINHA - Leitura e escrita dos números
 
Música Meu Abrigo - Texto e atividade
Música   Meu   Abrigo  -   Texto e atividadeMúsica   Meu   Abrigo  -   Texto e atividade
Música Meu Abrigo - Texto e atividade
 
Bullying, sai pra lá
Bullying,  sai pra láBullying,  sai pra lá
Bullying, sai pra lá
 
Bullying - Atividade com caça- palavras
Bullying   - Atividade com  caça- palavrasBullying   - Atividade com  caça- palavras
Bullying - Atividade com caça- palavras
 
Bullying - Texto e cruzadinha
Bullying        -     Texto e cruzadinhaBullying        -     Texto e cruzadinha
Bullying - Texto e cruzadinha
 

Último

UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
Manuais Formação
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdfos-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
GiselaAlves15
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
WelidaFreitas1
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Luana Neres
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Acrópole - História & Educação
 
Química orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptxQuímica orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptx
KeilianeOliveira3
 

Último (20)

UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdfos-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
 
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptxLIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
LIÇÃO 9 - ORDENANÇAS PARA UMA VIDA DE SANTIFICAÇÃO.pptx
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
 
Química orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptxQuímica orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptx
 

Culinária afro-brasileira

  • 1. 1
  • 2. A cozinha dos negros se formou no Nordeste brasileiro, mas teve origem no Recôncavo Baiano. É uma mistura das tradições indígenas, europeias e africanas. Os índios se alimentavam da mandioca, das frutas, dos peixes e das carnes de caça. Com a chegada dos colonizadores portugueses, o pão, o queijo, o arroz, os doces e os vinhos foram se incorporando à nossa alimentação. 2
  • 3. Uma das contribuições mais importantes, foi a que veio da África, trazida pelos escravos. Se os comerciantes de escravos traziam os ingredientes (especiarias), os escravos traziam na memória os usos e os gostos de sua terra. Os escravos não tinham uma alimentação farta. Comiam os restos que os seus senhores lhes destinavam. Os ingredientes nobres, o preparo requintado e as maneiras europeias à mesa aconteciam na casa grande. Enquanto isso, a cozinha negra se desenvolvia na senzala, em tachos de ferro. 3
  • 4. O negro introduziu na cozinha o leite de coco-da- baía, o azeite de dendê, confirmou a excelência da pimenta malagueta sobre a do reino, deu ao Brasil o feijão preto, o quiabo, ensinou a fazer vatapá, caruru, mungunzá, acarajé, angu e pamonha. A cozinha negra fez valer os seus temperos, os verdes, a sua maneira de cozinhar. Modificou os pratos portugueses, substituindo ingredientes; fez a mesma coisa com os pratos da terra; e finalmente criou a cozinha brasileira, descobrindo o chuchu com camarão, ensinando a fazer pratos com camarão seco e a usar as panelas de barro e a colher de pau. 4
  • 5. Os caldos, extraídos dos alimentos assados, misturados com farinha de mandioca (o pirão) ou com farinha de milho (o angu), são uma herança dos africanos. Podemos lembrar que da África também vieram ingredientes tão importantes como o coco e o café. 5
  • 6. O africano contribuiu com a difusão do inhame, da cana de açúcar e do dendezeiro, do qual se faz o azeite de dendê. O leite de coco, de origem polinésia, foi trazido pelos negros, assim como a pimenta malagueta e a galinha de Angola. DENDEZEIRO 6
  • 7. Alguns pratos afros 7
  • 8. Enquanto as melhores carnes iam para a mesa dos senhores, os escravos ficavam com as sobras: pés e orelhas de porco, linguiça, carne-seca etc., eram misturados com feijão preto ou mulatinho e cozidos num grande caldeirão. 8
  • 9. É um prato típico da cozinha da Bahia. 9
  • 10. Originário da África, muito temperado com pimentão, cheiros verdes, cebola, sal, coentro e outros, preparado à base de peixe, em alguns casos frango, leite de coco, camarões secos e frescos, pão de véspera, amendoim e castanhas torrados e moídos, azeite de dendê e muita pimenta. 10
  • 11. Feito de massa de feijão- fradinho, cebola e sal, frito em azeite de dendê, podendo ser servido com pimenta, vatapá, caruru, camarão seco e salada de tomate verde, cebola e coentro. 11
  • 12. Prato típico do Nordeste, feito de carne de sol ou com charque, refogado e cozido com abóbora. Tem a consistência de uma papa grossa e pode ser temperado com azeite de dendê e cheiro verde. 12
  • 13. Bolinho feito com massa de feijão- fradinho temperada com pimenta, sal, cebola e azeite de dendê, algumas vezes com camarão seco, inteiro ou moído e misturado à massa, que é embrulhada em folha de bananeira e cozida em água. 13
  • 14. Bolinho feito de milho ou de arroz moído na pedra, macerado em água, salgado e cozido em folhas de bananeira secas. 14
  • 15. Bebida refrigerante feita de milho, de arroz ou de casca de abacaxi fermentados com açúcar ou rapadura, usada tradicionalmente como oferenda aos orixás nas festas populares de origem africana. 15
  • 16. Bolinho feito de milho macerado em água fria e depois moído, cozido e envolvido, ainda morno, em folhas verdes de bananeira. (Acompanha o vatapá ou caruru. Preparado com leite de coco e açúcar, é chamada acaçá de leite.) 16
  • 17. Doce feito de milho torrado e moído, misturado com azeite de dendê e mel. 17
  • 18. Bolinho feito de farinha de milho ou de mandioca, apimentado, frito em azeite de dendê. 18
  • 19. 19