SlideShare uma empresa Scribd logo
Crase


Conceito: é a fusão de duas vogais da mesma natureza. No português assinalamos
a crase com o acento grave (`). Observe:


Obedecemos ao regulamento.


(a+o)


Não há crase, pois o encontro ocorreu entre duas vogais diferentes. Mas:


Obedecemos à norma.


(a+a)


Há crase pois temos a união de duas vogais iguais ( a + a = à )


Regra Geral:


Haverá crase sempre que:


   I.o termo antecedente exija a preposição a;


   II.o termo conseqüente aceite o artigo a.


Fui à cidade.


( a + a = preposição + artigo )


( substantivo feminino )


Conheço a cidade.


( verbo transitivo direto – não exige preposição )


( artigo )


( substantivo feminino )


Vou a Brasília.


( verbo que exige preposição a )
( preposição )


( palavra que não aceita artigo )


Observação:


Para saber se uma palavra aceita ou não o artigo, basta usar o seguinte artifício:


   I.se pudermos empregar a combinação da antes da palavra, é sinal de que ela
       aceita o artigo


   II.se pudermos empregar apenas a preposição de, é sinal de que não aceita.


Ex: Vim da Bahia. (aceita)


Vim de Brasília (não aceita)


Vim da Itália. (aceita)


Vim de Roma. (não aceita)


Nunca ocorre crase:


1) Antes de masculino.


Caminhava a passo lento.


(preposição)


2) Antes de verbo.


Estou disposto a falar.


(preposição)


3) Antes de pronomes em geral.


Eu me referi aesta menina.


(preposição e pronome demonstrativo)


Eu falei aela.
(preposição e pronome pessoal)


4) Antes de pronomes de tratamento.


Dirijo-me a Vossa Senhoria.


(preposição)


Observações:


1. Há três pronomes de tratamento que aceitam o artigo e, obviamente, a crase:
senhora, senhorita e dona.


Dirijo-me àsenhora.


2. Haverá crase antes dos pronomes que aceitarem o artigo, tais como: mesma,
própria...


Eu me referi àmesma pessoa.


5) Com as expressões formadas de palavras repetidas.


Venceu de ponta a ponta.


(preposição)


Observação:


É fácil demonstrar que entre expressões desse tipo ocorre apenas a preposição:


Caminhavam passo a passo.


(preposição)


No caso, se ocorresse o artigo, deveria ser o artigo o e teríamos o seguinte:
Caminhavam passo ao passo – o que não ocorre.


6) Antes dos nomes de cidade.


Cheguei a Curitiba.


(preposição)
Observação:


Se o nome da cidade vier determinado por algum adjunto adnominal, ocorrerá a
crase.


Cheguei à Curitiba dos pinheirais.


(adjunto adnominal)


7) Quando um a (sem o s de plural) vem antes de um nome plural.


Falei a pessoas estranhas.


(preposição)


Observação:


Se o mesmo a vier seguido de s haverá crase.


Falei às pessoas estranhas.


(a + as = preposição + artigo)


Sempre ocorre crase:


1) Na indicação pontual do número de horas.


Às duas horas chegamos.


(a + as)


Para comprovar que, nesse caso, ocorre preposição + artigo, basta confrontar com
uma expressão masculina correlata.


Ao meio-dia chegamos.


(a + o)


2) Com a expressão à moda de e à maneira de.


A crase ocorrerá obrigatoriamente mesmo que parte da expressão (moda de)
venha implícita.
Escreve à(moda de) Alencar.


3) Nas expressões adverbiais femininas.


Expressões adverbiais femininas são aquelas que se referem a verbos, exprimindo
circunstâncias de tempo, de lugar, de modo...


Chegaram à noite.


(expressão adverbial feminina de tempo)


Caminhava às pressas.


(expressão adverbial feminina de modo)


Ando à procura de meus livros.


(expressão adverbial feminina de fim)


Observações:


No caso das expressões adverbiais femininas, muitas vezes empregamos o acento
indicatório de crase (`), sem que tenha havido a fusão de dois as. É que a tradição
e o uso do idioma se impuseram de tal sorte que, ainda quando não haja razão
suficiente, empregamos o acento de crase em tais ocasiões.


4) Uso facultativo da crase


Antes de nomes próprios de pessoas femininos e antes de pronomes possessivos
femininos, pode ou não ocorrer a crase.


Ex: Falei à Maria.


(preposição + artigo)


Falei à sua classe.


(preposição + artigo)


Falei a Maria.


(preposição sem artigo)
Falei a sua classe.


(preposição sem artigo)


Note que os nomes próprios de pessoa femininos e os pronomes possessivos
femininos aceitam ou não o artigo antes de si. Por isso mesmo é que pode ocorrer a
crase ou não.


Casos especiais:


1) Crase antes de casa.


A palavra casa, no sentido de lar, residência própria da pessoa, se não vier
determinada por um adjunto adnominal não aceita o artigo, portanto não ocorre a
crase.


Por outro lado, se vier determinada por um adjunto adnominal, aceita o artigo e
ocorre a crase. Ex:


Volte a casa cedo.


(preposição sem artigo)


Volte à casa dos seus pais.


(preposição sem artigo)


(adjunto adnominal)


2) Crase antes de terra.


A palavra terra, no sentido de chão firme, tomada em oposição a mar ou ar, se
não vier determinada, não aceita o artigo e não ocorre a crase. Ex:


Já chegaram a terra.


(preposição sem artigo)


Se, entretanto, vier determinada, aceita o artigo e ocorre a crase. Ex:


Já chegaram à terra dos antepassados.
(preposição + artigo)


(adjunto adnominal)


3) Crase antes dos pronomes relativos.


Antes dos pronomes relativos quem e cujo não ocorre crase. Ex:


Achei a pessoa a quem procuravas.


Compreendo a situação a cuja gravidade você se referiu.


Antes dos relativos qual ou quais ocorrerá crase se o masculino correspondente
for ao qual, aos quais. Ex:


Esta é a festa à qual me referi.


Este é o filme ao qual me referi.


Estas são as festas às quais me referi.


Estes são os filmes aos quais me referi.


4) Crase com os pronomes demonstrativos aquele (s), aquela (s), aquilo.


Sempre que o termo antecedente exigir a preposição a e vier seguido dos
pronomes demonstrativos: aquele, aqueles, aquela, aquelas, aquilo, haverá
crase. Ex:


Falei àquele amigo.


Dirijo-me àquela cidade.


Aspiro a isto e àquilo.


Fez referência àquelas situações.


5) Crase depois da preposição até.


Se a preposição até vier seguida de um nome feminino, poderá ou não ocorrer a
crase. Isto porque essa preposição pode ser empregada sozinha (até) ou em
locução com a preposição a (até a). Ex:
Chegou até à muralha.


(locução prepositiva = até a)


(artigo = a)


Chegou até a muralha.


(preposição sozinha = até)


(artigo = a)


6) Crase antes do que.


Em geral, não ocorre crase antes do que. Ex: Esta é a cena a que me referi.


Pode, entretanto, ocorrer antes do que uma crase da preposição a com o pronome
demonstrativo a (equivalente a aquela).


Para empregar corretamente a crase antes do que convém pautar-se pelo seguinte
artifício:


    I.se, com antecedente masculino, ocorrer ao que / aos que, com o feminino
        ocorrerá crase;


Ex: Houve um palpite anterior ao que você deu.


(a+o)


Houve uma sugestão anterior à que você deu.


(a+a)


    II.se, com antecedente masculino, ocorrer a que, no feminino não ocorrerá
        crase.


Ex: Não gostei do filme a que você se referia.


(ocorreu a que, não tem artigo)


Não gostei da peça a que você se referia.


(ocorreu a que, não tem artigo)
Observação:


O mesmo fenômeno de crase (preposição a + pronome demonstrativo a) que
ocorre antes do que, pode ocorrer antes do de. Ex:


Meu palpite é igual ao de todos.


(a + o = preposição + pronome demonstrativo)


Minha opinião é igual à de todos.


(a + a = preposição + pronome demonstrativo)


7) há / a


Nas expressões indicativas de tempo, é preciso não confundir a grafia do a
(preposição) com a grafia do há (verbo haver).


Para evitar enganos, basta lembrar que, nas referidas expressões:


a (preposição) indica tempo futuro (a ser transcorrido);


há (verbo haver) indica tempo passado (já transcorrido). Ex:


Daqui a pouco terminaremos a aula.


Há pouco recebi o seu recado.




A crase é um acento gráfico?

Não.


A crase não é um acento gráfico. Palavra que em grego significa fusão, ou união, de duas vogais iguais e
contíguas. Ao falarmos, é normal acontecerem crases:


Estava aberto o caminho.


Em casos como o do exemplo acima não se registra o sinal gráfico da crase. É que na Língua Portuguesa
só se assinalam as crases da preposição a com o artigo a/as; com os pronomes demonstrativos a/as e
com a vogal inicial dos pronomes demonstrativos – aquele, aquela, aquilo.


O sinal gráfico que marca a crase (`) chama-se acento grave.
1. Crase de preposição a + artigo a/as

A regra geral determina que ocorrerá crase:


Se o termo regente exigir a preposição a: chegar a, contrário a.


Se o termo regido aceitar o artigo a/as: a escola, a idéia.


Cheguei à escola.


Sou contrário à idéia de trabalhar em casa.


Mas, se ocorrerem essas duas condições, não haverá crase:


Conheço a escola.


No exemplo acima não ocorre a crase porque falta a primeira condição: o termo regente não exige
preposição.


Cheguei a Curitiba.


No caso acima, não ocorre a crase porque falta a segunda condição, ou seja, o termo regido não aceita
artigo.




2. Dicas

Há duas dicas simples que ajudam a saber quando ocorre crase:


Substituir a palavra feminina por outra masculina. Se ocorrer a forma ao é sinal de que a crase:


Fui a sala (?). Fui ao salão


Portanto, o correto é: Fui à sala.


Estavam frente a frente (?). Estavam lado a lado.


Portanto, o correto é: Estavam frente a frente.


Substituir a preposição a por outras, tais como para, de, em. Se o artigo aparecer é sinal de que
ocorreu crase:


Fui a Itália (?). Fui para a Itália.


Portanto, o correto é: Fui à Itália.
Fui a Cuba (?). Fui para Cuba.


No exemplo acima o artigo não aparece. Portanto, o correto é: Fui a Cuba.




3. Casos facultativos

Pode ou não ocorrer crase:


Antes de nomes próprios femininos:


Referiu-se à Luísa ou Referiu-se a Luísa


Antes de pronomes possessivos femininos:


Referiu-se a tua mãe ou Referiu-se à tua mãe


Atenção: nesses e em outros casos semelhantes, as dúvidas também podem ser resolvidas pelas
mesmas dicas explicadas no item 2.




4. Crase antes de pronomes

Antes dos pronomes a que, a qual


Ocorre crase se o masculino correspondente for ao que, ao qual


Esta cerveja é superior à que você comprou.


Este vinho é superior ao que você comprou.


Esta é a decisão à qual chegamos.


Este é o ponto ao qual chegamos.


Antes dos pronomes aquele(s), aquela(s), aquilo.


Ocorre crase sempre que o termo regente exigir preposição a:


Fui àquele comício.


Sou avesso àquela idéia.




5. Expressões adverbiais, prepositivas e conjuntivas femininas
Sempre ocorre crase nestas expressões: às duas horas; à tarde; à direita; à esquerda; às vezes; às
pressas; à frente de; à medida que...


Atenção: além dos casos acima, algumas expressões recebem o acento grave, mesmo que não haja a
união de duas vogais, ou não ocorra a crase. Este é um recurso normalmente usado para tornar a frase
mais clara:


Cortar à faca / vender à vista / bordar à mão


Autor: Fabiano (Centro Educacional Columbia)



Crase


Definição Crase

A palavra crase designa a contração de duas vogais idênticas .


À gramática normativa interessa , sobretudo , a fusão da preposição a com:


1- o artigo feminino definido a ( ou as ) :


O direito a a vida é inquestionável - O direito à vida é inquestionável .


2- o pronome demonstrativo a ( ou as ) :


Referi-me a a ( = aquela ) que chegou mais cedo .


Referi-me à que chegou mais cedo .


3- os pronomes demonstrativos aquele(s) , aquela(s) , aquilo:


Visavas a aquele cargo ? - Visavas àquele cargo ?


4- o a dos pronomes relativos a qual e as quais:


Era ruim a peça a a qual fizeste referência .


Era ruim a peça à qual fizeste referência .


Nesses casos , a ocorrência do fenômeno da fusão dessas vogais é indicado


sempre pelo acento grave ( ) . Seu emprego depende , pois , da verificação


da ocorrência dessas vogais ( preposição + artigo , preposição + pronome )
no contexto sintático . Como obrigatoriamente o primeiro a é preposição ,


exigida quase sempre por um verbo ou um nome , a crase é um fato gramatical


estreitamente relacionado à regência verbal e nominal.




REGRAS PRÁTICAS

1- Primeira regra prática:


Ocorre a crase sempre que , ao se substituir a palavra feminina por uma


masculina , aparece a combinação ao:


Exemplo = Amanhã iremos ao colégio - Amanhã iremos à escola .


2- Segunda regra prática:


Para verificar a ocorrência do artigo a , transforma-se a palavra


( a respeito da qual haja dúvida ) em sujeito de uma oração qualquer:


Exemplo = Iremos todos a Brasília ( ? ) ou Iremos todos à Brasília ( ? )


A palavra Brasília como sujeito: o Brasília foi concebida por Lúcio Costa


e Niemeyer. = Brasília foi concebida por Lúcio Costa e Niemeyer .


Logo : Iremos todos o Brasília .


Observe que nomes de cidade não admitem , em geral , qualquer artigo .


Porém modificados por adjunto adnominal , passam a admiti-lo .


Exemplo = Retornarei a Curitiba no próximo ano .


Retornarei à Curitiba de Dalton Trevisan .


3- Terceira regra prática:


Decorrente da regra geral é a fórmula mnemônica abaixo:


" Se vou A e volto DA , crase há ." Exemplo = SE vou à biblioteca e volta da biblioteca .


" Se vou A e volto DE , crase pra quê ?" Exemplo = Se vou a Goiânia e volto de Goiânia .
4- Quarta regra prática:


Usa-se o acento grave sobre o a quando ele equivale a para a , na , pela , com a:


Exemplo = Ofereci ajuda à coordenadora = Ofereci ajuda para a coordenadora .


Mas: Ofereci ajuda a ela = Oferecei ajuda para ela .


Dica: Obviamente tais práticas nunca devem ser usadas como argumentos que justifiquem a ocorrência
ou a não-ocorrência da crase . Em questões analítico-expositivas (discursivas) recorra sempre à regra
geral . Além disso , procure sempre proceder à análise da palavra a em todas as sua ocorrências : artigo
definido , preposição , pronome oblíquo átono , pronome demonstrativo etc .




Crase Proibida

a - antes de palavras masculinas:


Exemplo = Irei a pé e você irá a cavalo .


b - antes de palavras femininas que , empregadas num sentido genérico , não admitam artigo:


Exemplo = Não vou a festa , nem a recepção .


c - entre palavras repetidas femininas ou masculinas:


Exemplo = Encontrou-se face a face com o inimigo .


Ela sangrava gota a gota .


d - antes de verbos , já que não admitem artigo:


Exemplo = Começaremos a estudar hoje à tarde .


e - antes de pronomes , visto que em geral não admitem artigo:


Exemplo = Referiram-se a você , a ela e a mim .


f - antes da palavra CASA na acepção de domicílio próprio , a próprio casa de quem é mencionado
na frase:


Exemplo = Depois do trabalho , foi a casa antes de ir à escola .


Mas : Depois do trabalho , foi à casa da namorada antes de ir à escola .


g - antes da palavra TERRA no sentido de chão firme ( em oposição à expressão a bordo de ):
Exemplo = Encantados , os turistas desceram a terra .


Mas = Os astronautas regressaram à Terra .


h - antes da palavra DISTÂNCIA desde que não-especificada na locução a distância:


Exemplo = Sempre permaneci a distância .


Mas: Mantenha-se à distância de cinco metros.


i - se o a estiver no singular e a palavra seguinte for feminina ou masculina no plural , ele é
preposição e não é , pois , acentuado:


Exemplo = Chegamos a terríveis conclusões .


Mas : Chegamos às terríveis conclusões .




CRASE FACULTATIVA

O uso do acento é optativo basicamente em três casos:


a) após a preposição até:


Exemplo = Fomos até a escola .- Fomos até à escola .


b) antes de pronomes possessivos femininos . = Como é facultativo o uso do artigo antes desses
pronomes , a ocorrência da crase também é facultativa .


Exemplo = Retornaremos a minha casa . - Retornaremos à minha casa .


c) antes de nomes próprios femininos . Neste caso , é o artigo definido que pode ou não ser anteposto
a tais substantivos .


Exemplo = Entregarei tudo a ( para ) Juliana . = Entregarei tudo à ( para a ) Juliana .


Contudo , não se deve usar artigo ( e portanto acento grave ) antes do nome de pessoas célebres e de
santos:


Exemplo = Entregarei tudo a Nossa Senhora . -


Era uma referência a Mary Stuart .




Crase Obrigatória
( Regra Geral e Casos Particulares )


a) preposição a e artigo a (as) :


Exemplo = Resistiremos à tentação .


b) preposição a e pronome demonstrativo a(s) = aquela(s) :


Exemplo = Minha sugestão é semelhante ( = àquela ) que você deu .


c) preposição a e pronomes demonstrativos aquele(s) , aquela(s) , aquilo :


Exemplo = Renderemos homenagem àquele que nos guiou até aqui .


d) preposição a e pronomes relativos a qual , as quais :


Exemplo = Chegaram as mulheres às quais você deve agradar . ( agradar a ) .


e) quando implícitas as expressões à moda de , à maneira de , mesmo antes de palavras
masculinas :


Exemplo = Usava cabelos à Djavan . ( Usava cabelos à moda de Djavan ) .


f) nas expressões com indicação de hora especificada .


Exemplo = Chegaremos à uma hora , não às duas .


Mas = Sairemos daqui a uma hora ( = falta uma hora para a saída ) .


g) nas locuções adverbiais , conjuntivas e prepositivas cujo núcleo seja palavra feminina :


Exemplo = À tarde e à noite aquela casa ficava às moscas .


Tudo ocorreu às avessas .


Mas = Estou a fim de ficar com ela .


Tudo convergia a favor dele .

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Camões crase - 2013
Camões   crase - 2013Camões   crase - 2013
Camões crase - 2013
Christiane Queiroz
 
Craseoralidadeeescrita 110924114734-phpapp02
Craseoralidadeeescrita 110924114734-phpapp02Craseoralidadeeescrita 110924114734-phpapp02
Craseoralidadeeescrita 110924114734-phpapp02
edimartins
 
Super-resumo uso da crase
Super-resumo uso da craseSuper-resumo uso da crase
Super-resumo uso da crase
Miraldo Ohse
 
Aula 4 crase
Aula 4   craseAula 4   crase
Aula 4 crase
Gedalias .
 
10 dicas para entender a crase aula I
10 dicas para entender a crase   aula I10 dicas para entender a crase   aula I
10 dicas para entender a crase aula I
Ayla De Sá Marques
 
O uso da crase
O uso da craseO uso da crase
O uso da crase
nixsonmachado
 
Aula 4 - Crase
Aula 4 - CraseAula 4 - Crase
Aula 4 - Crase
Gedalias .
 
Crase
CraseCrase
A Crase
 A Crase   A Crase
Explicacao crase portugues
Explicacao crase portuguesExplicacao crase portugues
Explicacao crase portugues
Luisa Cristina Rothe Mayer
 
Crase
CraseCrase
Crase
CraseCrase
Crase: Como Usar?
Crase: Como Usar?Crase: Como Usar?
Crase: Como Usar?
Jaiza Nobre
 
Concordância verbal 9º ano - atualizado - 2015
Concordância verbal   9º ano - atualizado - 2015Concordância verbal   9º ano - atualizado - 2015
Concordância verbal 9º ano - atualizado - 2015
Christiane Queiroz
 
Crase 3
Crase 3Crase 3
Crase
CraseCrase
Crase
CraseCrase
Crase
CraseCrase
Crase
CrisBiagio
 
Uso da crase
Uso da craseUso da crase
Uso da crase
Flávia Cunha
 

Mais procurados (19)

Camões crase - 2013
Camões   crase - 2013Camões   crase - 2013
Camões crase - 2013
 
Craseoralidadeeescrita 110924114734-phpapp02
Craseoralidadeeescrita 110924114734-phpapp02Craseoralidadeeescrita 110924114734-phpapp02
Craseoralidadeeescrita 110924114734-phpapp02
 
Super-resumo uso da crase
Super-resumo uso da craseSuper-resumo uso da crase
Super-resumo uso da crase
 
Aula 4 crase
Aula 4   craseAula 4   crase
Aula 4 crase
 
10 dicas para entender a crase aula I
10 dicas para entender a crase   aula I10 dicas para entender a crase   aula I
10 dicas para entender a crase aula I
 
O uso da crase
O uso da craseO uso da crase
O uso da crase
 
Aula 4 - Crase
Aula 4 - CraseAula 4 - Crase
Aula 4 - Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
A Crase
 A Crase   A Crase
A Crase
 
Explicacao crase portugues
Explicacao crase portuguesExplicacao crase portugues
Explicacao crase portugues
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase: Como Usar?
Crase: Como Usar?Crase: Como Usar?
Crase: Como Usar?
 
Concordância verbal 9º ano - atualizado - 2015
Concordância verbal   9º ano - atualizado - 2015Concordância verbal   9º ano - atualizado - 2015
Concordância verbal 9º ano - atualizado - 2015
 
Crase 3
Crase 3Crase 3
Crase 3
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Uso da crase
Uso da craseUso da crase
Uso da crase
 

Destaque

Concordancia nominal e verbal
Concordancia nominal e verbalConcordancia nominal e verbal
Concordancia nominal e verbal
Mila E Wlamir
 
Questões - Regência Verbal e Nominal
Questões - Regência Verbal e NominalQuestões - Regência Verbal e Nominal
Questões - Regência Verbal e Nominal
Evaí Oliveira
 
Gramática aula 16 - colocação pronominal
Gramática   aula 16 - colocação pronominalGramática   aula 16 - colocação pronominal
Gramática aula 16 - colocação pronominal
mfmpafatima
 
Regência verbal e nominal
Regência verbal e nominalRegência verbal e nominal
Regência verbal e nominal
Camila Rodrigues
 
Colocação pronominal
Colocação pronominalColocação pronominal
Colocação pronominal
Colégio Gustavo Vieira de Brito
 
Sentido literal x sentido figurado
Sentido literal x sentido figuradoSentido literal x sentido figurado
Sentido literal x sentido figurado
Kugera_tatsuki
 
80 EXERCÍCIOS DE CRASE
80 EXERCÍCIOS DE CRASE80 EXERCÍCIOS DE CRASE
80 EXERCÍCIOS DE CRASE
maria edineuma marreira
 
Avaliação figuras de linguagem
Avaliação figuras de linguagem Avaliação figuras de linguagem
Avaliação figuras de linguagem
Isa ...
 
Livrinho explicacao e atividades de pontuação
Livrinho explicacao e atividades de pontuaçãoLivrinho explicacao e atividades de pontuação
Livrinho explicacao e atividades de pontuação
Aline França Russo
 

Destaque (9)

Concordancia nominal e verbal
Concordancia nominal e verbalConcordancia nominal e verbal
Concordancia nominal e verbal
 
Questões - Regência Verbal e Nominal
Questões - Regência Verbal e NominalQuestões - Regência Verbal e Nominal
Questões - Regência Verbal e Nominal
 
Gramática aula 16 - colocação pronominal
Gramática   aula 16 - colocação pronominalGramática   aula 16 - colocação pronominal
Gramática aula 16 - colocação pronominal
 
Regência verbal e nominal
Regência verbal e nominalRegência verbal e nominal
Regência verbal e nominal
 
Colocação pronominal
Colocação pronominalColocação pronominal
Colocação pronominal
 
Sentido literal x sentido figurado
Sentido literal x sentido figuradoSentido literal x sentido figurado
Sentido literal x sentido figurado
 
80 EXERCÍCIOS DE CRASE
80 EXERCÍCIOS DE CRASE80 EXERCÍCIOS DE CRASE
80 EXERCÍCIOS DE CRASE
 
Avaliação figuras de linguagem
Avaliação figuras de linguagem Avaliação figuras de linguagem
Avaliação figuras de linguagem
 
Livrinho explicacao e atividades de pontuação
Livrinho explicacao e atividades de pontuaçãoLivrinho explicacao e atividades de pontuação
Livrinho explicacao e atividades de pontuação
 

Semelhante a Crase

Curso de português erros mais comuns - aula 3
Curso de português   erros mais comuns - aula 3Curso de português   erros mais comuns - aula 3
Curso de português erros mais comuns - aula 3
Ricardo Fidelis
 
Crase
CraseCrase
Crase
letieri11
 
Crase
CraseCrase
1.2.2 crase
1.2.2   crase1.2.2   crase
1.2.2 crase
Ivana Mayrink
 
Crase
CraseCrase
Crase
Crase Crase
Crase
CraseCrase
Estudo sobre Crase
Estudo sobre CraseEstudo sobre Crase
Estudo sobre Crase
Maiara Goularte
 
Crase
CraseCrase
Crase
weldame
 
Crase
CraseCrase
Crase2
Crase2Crase2
Crase2
Damisa
 
USO DA CRASE
USO DA CRASEUSO DA CRASE
USO DA CRASE
claudianavegante
 
Aula 6 crase
Aula 6   craseAula 6   crase
Aula 6 crase
J M
 
Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5
nilvaandrade
 
CRASE1.pptx
CRASE1.pptxCRASE1.pptx
CRASE1.pptx
FilipeNascimento58
 
Crase
CraseCrase
Crase - Slides para apresentações em aulas
Crase - Slides para apresentações em aulasCrase - Slides para apresentações em aulas
Crase - Slides para apresentações em aulas
EdnaSantos855118
 
Questões comentadas de crase
Questões comentadas de craseQuestões comentadas de crase
Questões comentadas de crase
Michell Szczpanik
 
Concordância (tudo)
Concordância (tudo)Concordância (tudo)
Concordância (tudo)
professorakathia
 
Quando usar à crase
Quando usar à craseQuando usar à crase
Quando usar à crase
Emanuel Hallef
 

Semelhante a Crase (20)

Curso de português erros mais comuns - aula 3
Curso de português   erros mais comuns - aula 3Curso de português   erros mais comuns - aula 3
Curso de português erros mais comuns - aula 3
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
1.2.2 crase
1.2.2   crase1.2.2   crase
1.2.2 crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
Crase Crase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Estudo sobre Crase
Estudo sobre CraseEstudo sobre Crase
Estudo sobre Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase2
Crase2Crase2
Crase2
 
USO DA CRASE
USO DA CRASEUSO DA CRASE
USO DA CRASE
 
Aula 6 crase
Aula 6   craseAula 6   crase
Aula 6 crase
 
Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5
 
CRASE1.pptx
CRASE1.pptxCRASE1.pptx
CRASE1.pptx
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase - Slides para apresentações em aulas
Crase - Slides para apresentações em aulasCrase - Slides para apresentações em aulas
Crase - Slides para apresentações em aulas
 
Questões comentadas de crase
Questões comentadas de craseQuestões comentadas de crase
Questões comentadas de crase
 
Concordância (tudo)
Concordância (tudo)Concordância (tudo)
Concordância (tudo)
 
Quando usar à crase
Quando usar à craseQuando usar à crase
Quando usar à crase
 

Último

Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 

Último (20)

Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 

Crase

  • 1. Crase Conceito: é a fusão de duas vogais da mesma natureza. No português assinalamos a crase com o acento grave (`). Observe: Obedecemos ao regulamento. (a+o) Não há crase, pois o encontro ocorreu entre duas vogais diferentes. Mas: Obedecemos à norma. (a+a) Há crase pois temos a união de duas vogais iguais ( a + a = à ) Regra Geral: Haverá crase sempre que: I.o termo antecedente exija a preposição a; II.o termo conseqüente aceite o artigo a. Fui à cidade. ( a + a = preposição + artigo ) ( substantivo feminino ) Conheço a cidade. ( verbo transitivo direto – não exige preposição ) ( artigo ) ( substantivo feminino ) Vou a Brasília. ( verbo que exige preposição a )
  • 2. ( preposição ) ( palavra que não aceita artigo ) Observação: Para saber se uma palavra aceita ou não o artigo, basta usar o seguinte artifício: I.se pudermos empregar a combinação da antes da palavra, é sinal de que ela aceita o artigo II.se pudermos empregar apenas a preposição de, é sinal de que não aceita. Ex: Vim da Bahia. (aceita) Vim de Brasília (não aceita) Vim da Itália. (aceita) Vim de Roma. (não aceita) Nunca ocorre crase: 1) Antes de masculino. Caminhava a passo lento. (preposição) 2) Antes de verbo. Estou disposto a falar. (preposição) 3) Antes de pronomes em geral. Eu me referi aesta menina. (preposição e pronome demonstrativo) Eu falei aela.
  • 3. (preposição e pronome pessoal) 4) Antes de pronomes de tratamento. Dirijo-me a Vossa Senhoria. (preposição) Observações: 1. Há três pronomes de tratamento que aceitam o artigo e, obviamente, a crase: senhora, senhorita e dona. Dirijo-me àsenhora. 2. Haverá crase antes dos pronomes que aceitarem o artigo, tais como: mesma, própria... Eu me referi àmesma pessoa. 5) Com as expressões formadas de palavras repetidas. Venceu de ponta a ponta. (preposição) Observação: É fácil demonstrar que entre expressões desse tipo ocorre apenas a preposição: Caminhavam passo a passo. (preposição) No caso, se ocorresse o artigo, deveria ser o artigo o e teríamos o seguinte: Caminhavam passo ao passo – o que não ocorre. 6) Antes dos nomes de cidade. Cheguei a Curitiba. (preposição)
  • 4. Observação: Se o nome da cidade vier determinado por algum adjunto adnominal, ocorrerá a crase. Cheguei à Curitiba dos pinheirais. (adjunto adnominal) 7) Quando um a (sem o s de plural) vem antes de um nome plural. Falei a pessoas estranhas. (preposição) Observação: Se o mesmo a vier seguido de s haverá crase. Falei às pessoas estranhas. (a + as = preposição + artigo) Sempre ocorre crase: 1) Na indicação pontual do número de horas. Às duas horas chegamos. (a + as) Para comprovar que, nesse caso, ocorre preposição + artigo, basta confrontar com uma expressão masculina correlata. Ao meio-dia chegamos. (a + o) 2) Com a expressão à moda de e à maneira de. A crase ocorrerá obrigatoriamente mesmo que parte da expressão (moda de) venha implícita.
  • 5. Escreve à(moda de) Alencar. 3) Nas expressões adverbiais femininas. Expressões adverbiais femininas são aquelas que se referem a verbos, exprimindo circunstâncias de tempo, de lugar, de modo... Chegaram à noite. (expressão adverbial feminina de tempo) Caminhava às pressas. (expressão adverbial feminina de modo) Ando à procura de meus livros. (expressão adverbial feminina de fim) Observações: No caso das expressões adverbiais femininas, muitas vezes empregamos o acento indicatório de crase (`), sem que tenha havido a fusão de dois as. É que a tradição e o uso do idioma se impuseram de tal sorte que, ainda quando não haja razão suficiente, empregamos o acento de crase em tais ocasiões. 4) Uso facultativo da crase Antes de nomes próprios de pessoas femininos e antes de pronomes possessivos femininos, pode ou não ocorrer a crase. Ex: Falei à Maria. (preposição + artigo) Falei à sua classe. (preposição + artigo) Falei a Maria. (preposição sem artigo)
  • 6. Falei a sua classe. (preposição sem artigo) Note que os nomes próprios de pessoa femininos e os pronomes possessivos femininos aceitam ou não o artigo antes de si. Por isso mesmo é que pode ocorrer a crase ou não. Casos especiais: 1) Crase antes de casa. A palavra casa, no sentido de lar, residência própria da pessoa, se não vier determinada por um adjunto adnominal não aceita o artigo, portanto não ocorre a crase. Por outro lado, se vier determinada por um adjunto adnominal, aceita o artigo e ocorre a crase. Ex: Volte a casa cedo. (preposição sem artigo) Volte à casa dos seus pais. (preposição sem artigo) (adjunto adnominal) 2) Crase antes de terra. A palavra terra, no sentido de chão firme, tomada em oposição a mar ou ar, se não vier determinada, não aceita o artigo e não ocorre a crase. Ex: Já chegaram a terra. (preposição sem artigo) Se, entretanto, vier determinada, aceita o artigo e ocorre a crase. Ex: Já chegaram à terra dos antepassados.
  • 7. (preposição + artigo) (adjunto adnominal) 3) Crase antes dos pronomes relativos. Antes dos pronomes relativos quem e cujo não ocorre crase. Ex: Achei a pessoa a quem procuravas. Compreendo a situação a cuja gravidade você se referiu. Antes dos relativos qual ou quais ocorrerá crase se o masculino correspondente for ao qual, aos quais. Ex: Esta é a festa à qual me referi. Este é o filme ao qual me referi. Estas são as festas às quais me referi. Estes são os filmes aos quais me referi. 4) Crase com os pronomes demonstrativos aquele (s), aquela (s), aquilo. Sempre que o termo antecedente exigir a preposição a e vier seguido dos pronomes demonstrativos: aquele, aqueles, aquela, aquelas, aquilo, haverá crase. Ex: Falei àquele amigo. Dirijo-me àquela cidade. Aspiro a isto e àquilo. Fez referência àquelas situações. 5) Crase depois da preposição até. Se a preposição até vier seguida de um nome feminino, poderá ou não ocorrer a crase. Isto porque essa preposição pode ser empregada sozinha (até) ou em locução com a preposição a (até a). Ex:
  • 8. Chegou até à muralha. (locução prepositiva = até a) (artigo = a) Chegou até a muralha. (preposição sozinha = até) (artigo = a) 6) Crase antes do que. Em geral, não ocorre crase antes do que. Ex: Esta é a cena a que me referi. Pode, entretanto, ocorrer antes do que uma crase da preposição a com o pronome demonstrativo a (equivalente a aquela). Para empregar corretamente a crase antes do que convém pautar-se pelo seguinte artifício: I.se, com antecedente masculino, ocorrer ao que / aos que, com o feminino ocorrerá crase; Ex: Houve um palpite anterior ao que você deu. (a+o) Houve uma sugestão anterior à que você deu. (a+a) II.se, com antecedente masculino, ocorrer a que, no feminino não ocorrerá crase. Ex: Não gostei do filme a que você se referia. (ocorreu a que, não tem artigo) Não gostei da peça a que você se referia. (ocorreu a que, não tem artigo)
  • 9. Observação: O mesmo fenômeno de crase (preposição a + pronome demonstrativo a) que ocorre antes do que, pode ocorrer antes do de. Ex: Meu palpite é igual ao de todos. (a + o = preposição + pronome demonstrativo) Minha opinião é igual à de todos. (a + a = preposição + pronome demonstrativo) 7) há / a Nas expressões indicativas de tempo, é preciso não confundir a grafia do a (preposição) com a grafia do há (verbo haver). Para evitar enganos, basta lembrar que, nas referidas expressões: a (preposição) indica tempo futuro (a ser transcorrido); há (verbo haver) indica tempo passado (já transcorrido). Ex: Daqui a pouco terminaremos a aula. Há pouco recebi o seu recado. A crase é um acento gráfico? Não. A crase não é um acento gráfico. Palavra que em grego significa fusão, ou união, de duas vogais iguais e contíguas. Ao falarmos, é normal acontecerem crases: Estava aberto o caminho. Em casos como o do exemplo acima não se registra o sinal gráfico da crase. É que na Língua Portuguesa só se assinalam as crases da preposição a com o artigo a/as; com os pronomes demonstrativos a/as e com a vogal inicial dos pronomes demonstrativos – aquele, aquela, aquilo. O sinal gráfico que marca a crase (`) chama-se acento grave.
  • 10. 1. Crase de preposição a + artigo a/as A regra geral determina que ocorrerá crase: Se o termo regente exigir a preposição a: chegar a, contrário a. Se o termo regido aceitar o artigo a/as: a escola, a idéia. Cheguei à escola. Sou contrário à idéia de trabalhar em casa. Mas, se ocorrerem essas duas condições, não haverá crase: Conheço a escola. No exemplo acima não ocorre a crase porque falta a primeira condição: o termo regente não exige preposição. Cheguei a Curitiba. No caso acima, não ocorre a crase porque falta a segunda condição, ou seja, o termo regido não aceita artigo. 2. Dicas Há duas dicas simples que ajudam a saber quando ocorre crase: Substituir a palavra feminina por outra masculina. Se ocorrer a forma ao é sinal de que a crase: Fui a sala (?). Fui ao salão Portanto, o correto é: Fui à sala. Estavam frente a frente (?). Estavam lado a lado. Portanto, o correto é: Estavam frente a frente. Substituir a preposição a por outras, tais como para, de, em. Se o artigo aparecer é sinal de que ocorreu crase: Fui a Itália (?). Fui para a Itália. Portanto, o correto é: Fui à Itália.
  • 11. Fui a Cuba (?). Fui para Cuba. No exemplo acima o artigo não aparece. Portanto, o correto é: Fui a Cuba. 3. Casos facultativos Pode ou não ocorrer crase: Antes de nomes próprios femininos: Referiu-se à Luísa ou Referiu-se a Luísa Antes de pronomes possessivos femininos: Referiu-se a tua mãe ou Referiu-se à tua mãe Atenção: nesses e em outros casos semelhantes, as dúvidas também podem ser resolvidas pelas mesmas dicas explicadas no item 2. 4. Crase antes de pronomes Antes dos pronomes a que, a qual Ocorre crase se o masculino correspondente for ao que, ao qual Esta cerveja é superior à que você comprou. Este vinho é superior ao que você comprou. Esta é a decisão à qual chegamos. Este é o ponto ao qual chegamos. Antes dos pronomes aquele(s), aquela(s), aquilo. Ocorre crase sempre que o termo regente exigir preposição a: Fui àquele comício. Sou avesso àquela idéia. 5. Expressões adverbiais, prepositivas e conjuntivas femininas
  • 12. Sempre ocorre crase nestas expressões: às duas horas; à tarde; à direita; à esquerda; às vezes; às pressas; à frente de; à medida que... Atenção: além dos casos acima, algumas expressões recebem o acento grave, mesmo que não haja a união de duas vogais, ou não ocorra a crase. Este é um recurso normalmente usado para tornar a frase mais clara: Cortar à faca / vender à vista / bordar à mão Autor: Fabiano (Centro Educacional Columbia) Crase Definição Crase A palavra crase designa a contração de duas vogais idênticas . À gramática normativa interessa , sobretudo , a fusão da preposição a com: 1- o artigo feminino definido a ( ou as ) : O direito a a vida é inquestionável - O direito à vida é inquestionável . 2- o pronome demonstrativo a ( ou as ) : Referi-me a a ( = aquela ) que chegou mais cedo . Referi-me à que chegou mais cedo . 3- os pronomes demonstrativos aquele(s) , aquela(s) , aquilo: Visavas a aquele cargo ? - Visavas àquele cargo ? 4- o a dos pronomes relativos a qual e as quais: Era ruim a peça a a qual fizeste referência . Era ruim a peça à qual fizeste referência . Nesses casos , a ocorrência do fenômeno da fusão dessas vogais é indicado sempre pelo acento grave ( ) . Seu emprego depende , pois , da verificação da ocorrência dessas vogais ( preposição + artigo , preposição + pronome )
  • 13. no contexto sintático . Como obrigatoriamente o primeiro a é preposição , exigida quase sempre por um verbo ou um nome , a crase é um fato gramatical estreitamente relacionado à regência verbal e nominal. REGRAS PRÁTICAS 1- Primeira regra prática: Ocorre a crase sempre que , ao se substituir a palavra feminina por uma masculina , aparece a combinação ao: Exemplo = Amanhã iremos ao colégio - Amanhã iremos à escola . 2- Segunda regra prática: Para verificar a ocorrência do artigo a , transforma-se a palavra ( a respeito da qual haja dúvida ) em sujeito de uma oração qualquer: Exemplo = Iremos todos a Brasília ( ? ) ou Iremos todos à Brasília ( ? ) A palavra Brasília como sujeito: o Brasília foi concebida por Lúcio Costa e Niemeyer. = Brasília foi concebida por Lúcio Costa e Niemeyer . Logo : Iremos todos o Brasília . Observe que nomes de cidade não admitem , em geral , qualquer artigo . Porém modificados por adjunto adnominal , passam a admiti-lo . Exemplo = Retornarei a Curitiba no próximo ano . Retornarei à Curitiba de Dalton Trevisan . 3- Terceira regra prática: Decorrente da regra geral é a fórmula mnemônica abaixo: " Se vou A e volto DA , crase há ." Exemplo = SE vou à biblioteca e volta da biblioteca . " Se vou A e volto DE , crase pra quê ?" Exemplo = Se vou a Goiânia e volto de Goiânia .
  • 14. 4- Quarta regra prática: Usa-se o acento grave sobre o a quando ele equivale a para a , na , pela , com a: Exemplo = Ofereci ajuda à coordenadora = Ofereci ajuda para a coordenadora . Mas: Ofereci ajuda a ela = Oferecei ajuda para ela . Dica: Obviamente tais práticas nunca devem ser usadas como argumentos que justifiquem a ocorrência ou a não-ocorrência da crase . Em questões analítico-expositivas (discursivas) recorra sempre à regra geral . Além disso , procure sempre proceder à análise da palavra a em todas as sua ocorrências : artigo definido , preposição , pronome oblíquo átono , pronome demonstrativo etc . Crase Proibida a - antes de palavras masculinas: Exemplo = Irei a pé e você irá a cavalo . b - antes de palavras femininas que , empregadas num sentido genérico , não admitam artigo: Exemplo = Não vou a festa , nem a recepção . c - entre palavras repetidas femininas ou masculinas: Exemplo = Encontrou-se face a face com o inimigo . Ela sangrava gota a gota . d - antes de verbos , já que não admitem artigo: Exemplo = Começaremos a estudar hoje à tarde . e - antes de pronomes , visto que em geral não admitem artigo: Exemplo = Referiram-se a você , a ela e a mim . f - antes da palavra CASA na acepção de domicílio próprio , a próprio casa de quem é mencionado na frase: Exemplo = Depois do trabalho , foi a casa antes de ir à escola . Mas : Depois do trabalho , foi à casa da namorada antes de ir à escola . g - antes da palavra TERRA no sentido de chão firme ( em oposição à expressão a bordo de ):
  • 15. Exemplo = Encantados , os turistas desceram a terra . Mas = Os astronautas regressaram à Terra . h - antes da palavra DISTÂNCIA desde que não-especificada na locução a distância: Exemplo = Sempre permaneci a distância . Mas: Mantenha-se à distância de cinco metros. i - se o a estiver no singular e a palavra seguinte for feminina ou masculina no plural , ele é preposição e não é , pois , acentuado: Exemplo = Chegamos a terríveis conclusões . Mas : Chegamos às terríveis conclusões . CRASE FACULTATIVA O uso do acento é optativo basicamente em três casos: a) após a preposição até: Exemplo = Fomos até a escola .- Fomos até à escola . b) antes de pronomes possessivos femininos . = Como é facultativo o uso do artigo antes desses pronomes , a ocorrência da crase também é facultativa . Exemplo = Retornaremos a minha casa . - Retornaremos à minha casa . c) antes de nomes próprios femininos . Neste caso , é o artigo definido que pode ou não ser anteposto a tais substantivos . Exemplo = Entregarei tudo a ( para ) Juliana . = Entregarei tudo à ( para a ) Juliana . Contudo , não se deve usar artigo ( e portanto acento grave ) antes do nome de pessoas célebres e de santos: Exemplo = Entregarei tudo a Nossa Senhora . - Era uma referência a Mary Stuart . Crase Obrigatória
  • 16. ( Regra Geral e Casos Particulares ) a) preposição a e artigo a (as) : Exemplo = Resistiremos à tentação . b) preposição a e pronome demonstrativo a(s) = aquela(s) : Exemplo = Minha sugestão é semelhante ( = àquela ) que você deu . c) preposição a e pronomes demonstrativos aquele(s) , aquela(s) , aquilo : Exemplo = Renderemos homenagem àquele que nos guiou até aqui . d) preposição a e pronomes relativos a qual , as quais : Exemplo = Chegaram as mulheres às quais você deve agradar . ( agradar a ) . e) quando implícitas as expressões à moda de , à maneira de , mesmo antes de palavras masculinas : Exemplo = Usava cabelos à Djavan . ( Usava cabelos à moda de Djavan ) . f) nas expressões com indicação de hora especificada . Exemplo = Chegaremos à uma hora , não às duas . Mas = Sairemos daqui a uma hora ( = falta uma hora para a saída ) . g) nas locuções adverbiais , conjuntivas e prepositivas cujo núcleo seja palavra feminina : Exemplo = À tarde e à noite aquela casa ficava às moscas . Tudo ocorreu às avessas . Mas = Estou a fim de ficar com ela . Tudo convergia a favor dele .