SlideShare uma empresa Scribd logo
     rase Prof. Ivan Barreto dos Santos
Crase É  a  fusão (junção)  da  preposição  aexigida  pela regência do  verboou do nomemais o artigo definido a, os pronomes demonstrativos aquele(s), aquela(s), aquilo e o pronome demonstrativoa.            A crase é indicada pelo acento grave (`). Condições para ocorrência de crase 1. O termo regente deve exigir a preposição a. 2. O termo regido tem que ser uma palavra feminina que admita artigo a(s). Ex.: Ele foi aa fazenda ontem depois do almoço.  à
Regra prática Para você saber se há crase antes de uma palavra feminina,  troque  essa  palavra  por   uma  masculina correspondente  e observe: 1. Se  antes  da  palavra  masculina  aparecer  ao(s),  use crase antes da feminina.  Ex.: Ela foi à feira ontem. Ela foi ao mercado ontem. 2. Se antes da palavra masculina aparecer apenas a(s) ou o(s) não use crase. Ex.: Os jogadores visitaram a cidade. Os jogadores visitaram o museu.
Casos em que ocorre crase  Nas locuções adverbiais femininas.     Ex.: O rapaz saiu à tarde e chegou à noite. (locução adverbial de tempo) Ex.:Ele foi à feira e depois à lavanderia. (locução adverbial de lugar) Ex.: O governador viajou às pressas. (locução adverbial de modo) Observação: Com as locuções adverbiais femininas de instrumento a crase é facultativa. Ex.: O pai saiu sem fechar a porta à chave. O pai saiu sem fechar a porta a chave. Ex.: O soldado foi ferido à baioneta. O soldado foi ferido a baioneta.
 Nas locuções prepositivas (formadas por a + palavra feminina + de) Ex.: Meu amigo conseguiu ser aprovado à custa de muito esforço. Ele saiu à procura de ajuda.  Nas locuções conjuntivas (formada por a + palavra feminina + que). Ex.: A cidade se acalma, à medida que escurece. À proporção que chovia, aumentavam os buracos na rua. Observação: Nas expressões à moda de, à maneira de, a palavra principal pode ficar  oculta.  Então  o  à poderá  ficar  diante de palavra masculina, como no exemplo: Ex: Usava cabelos à Luís XV. (à moda de Luís XV)
Casos em que a crase é facultativa  Antes de pronomes possessivos femininos (porque antes desse tipo de pronome o artigo é facultativo). Ex.: Ele se refere à minha mãe.        Ele se refere a minha mãe.  Antes de nomes de mulheres Ex.: Eu me referi à Maria.        Eu me referi a Maria.  Depois da palavra até. Ex.: Todos os alunos foram até à escola.        Todos os alunos foram até a escola.
Casos em que não ocorre crase   Antes de nomes masculinos (porque essas palavras não admitem o artigoa. Ex.:  Ele adora andar a cavalo, ela prefere andar a pé.  Antes de verbos (porque antes de verbos não aparece artigo) Ex.: Assim que saíram, começaram acorrer.  Antes de pronomes que não admitem artigo. Pronomes pessoais (porque antes deles não se usa artigo) Ex.: Todos se dirigiram aela. b) Pronomes de tratamento (porque antes deles não se usa artigo)     Ex.: Dirigi-me aVossa Excelência para despedir-me. Observação: Os pronomes de tratamento  dona, senhora e senhorita, pelo fato de admitirem o artigo, admitem também a crase. Ex.: Nada disse à senhora.
c) Pronomes demonstrativos, indefinidos e relativos Ex.: É hora de dar um basta aessa barbárie.       Não demonstrava sua tristeza aninguém.       Aquela é a senhora aquem dirigi meus votos de felicidade. Observação: Pode ocorrer a crase entre a preposição a e os pronomes relativos a qual e as quais. Ex.: Estas são as finalidades àsquais se destina o projeto.        Seria aquela a jovem àqual você se referia? ,[object Object],Ex.: Ele se dirigia apessoas estranhas.
 Em expressões com palavras repetidas Ex.: O tanque se encheu gotaagota. ,[object Object]
especificativosEx.: Eles pretendem ir a Paris. Observação: Quando o nome da cidade apresenta um especificativo, ele passa a admitir artigo e, nesse caso, pode ocorrer a crase, desde que o termo regente exija a preposição a. Ex.: Eles pretendem ir àfascinante Paris. Antes da palavra casa, no sentido de lar, residência própria da pessoa, se não vier determinada.  Se vier determinada aceita a crase. Ex.: Voltei acasa cedo.        Voltei àcasade meus pais cedo.
 Antes da palavra terra, no sentido de chão firme, tomada em oposição a mar ou ar, se não vier determinada, não aceita o artigo e não ocorre a crase. Se vier determinada, aceita o artigo e ocorre a crase. Ex.: Os marinheiros já voltaram a terra.        Os marinheiros voltaram àterrade seus sonhos. Observação: Quando  a  palavra  terra  for usada no sentido de terra natal ou planeta, a palavra terra admite artigo, por isso, ocorrerá crase, se o termo regente exigir preposição. Ex.: A espaçonave voltara àTerra, no ano 3000.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Explicacao crase portugues
Explicacao crase portuguesExplicacao crase portugues
Explicacao crase portugues
Luisa Cristina Rothe Mayer
 
USO DA CRASE
USO DA CRASEUSO DA CRASE
USO DA CRASE
claudianavegante
 
Aula sobre crase
Aula sobre craseAula sobre crase
Aula sobre crase
catarinodilson
 
Crase
CraseCrase
Uso da crase
Uso da craseUso da crase
Uso da crase
Flávia Cunha
 
Crase
CraseCrase
Crase
CraseCrase
Crase
Crase Crase
A Crase
A CraseA Crase
Crase
CraseCrase
Aula sobre crase
Aula sobre crase Aula sobre crase
Aula sobre crase
Elizabeth Vicente da Silva
 
Super-resumo uso da crase
Super-resumo uso da craseSuper-resumo uso da crase
Super-resumo uso da crase
Miraldo Ohse
 
Crase
CraseCrase
Crase
Tio Hatiro
 
Trabalho da deza
Trabalho da dezaTrabalho da deza
Trabalho da deza
Lucas Lemos
 
Crase
CraseCrase
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
CRASE
CRASECRASE
Regência e crase
Regência e craseRegência e crase
Regência e crase
Pedro Thiago
 
Crase: guia completo e definitivo
Crase: guia completo e definitivoCrase: guia completo e definitivo
Crase: guia completo e definitivo
Pedro Valadares
 
Regencia Nominal Powerpoint Crase
Regencia Nominal  Powerpoint CraseRegencia Nominal  Powerpoint Crase
Regencia Nominal Powerpoint Crase
guest2efcd1
 

Mais procurados (20)

Explicacao crase portugues
Explicacao crase portuguesExplicacao crase portugues
Explicacao crase portugues
 
USO DA CRASE
USO DA CRASEUSO DA CRASE
USO DA CRASE
 
Aula sobre crase
Aula sobre craseAula sobre crase
Aula sobre crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Uso da crase
Uso da craseUso da crase
Uso da crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
Crase Crase
Crase
 
A Crase
A CraseA Crase
A Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Aula sobre crase
Aula sobre crase Aula sobre crase
Aula sobre crase
 
Super-resumo uso da crase
Super-resumo uso da craseSuper-resumo uso da crase
Super-resumo uso da crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Trabalho da deza
Trabalho da dezaTrabalho da deza
Trabalho da deza
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Arcadismo
ArcadismoArcadismo
Arcadismo
 
CRASE
CRASECRASE
CRASE
 
Regência e crase
Regência e craseRegência e crase
Regência e crase
 
Crase: guia completo e definitivo
Crase: guia completo e definitivoCrase: guia completo e definitivo
Crase: guia completo e definitivo
 
Regencia Nominal Powerpoint Crase
Regencia Nominal  Powerpoint CraseRegencia Nominal  Powerpoint Crase
Regencia Nominal Powerpoint Crase
 

Destaque

Crase
CraseCrase
Crase exercícios complementares
Crase   exercícios complementaresCrase   exercícios complementares
Crase exercícios complementares
Roberto Luiz
 
Português crase
Português   crasePortuguês   crase
Português crase
Jefferson Simão
 
Cefet/Coltec - Intensivo - Aula 10 Introdução à sintaxe e termos essenciais d...
Cefet/Coltec - Intensivo - Aula 10 Introdução à sintaxe e termos essenciais d...Cefet/Coltec - Intensivo - Aula 10 Introdução à sintaxe e termos essenciais d...
Cefet/Coltec - Intensivo - Aula 10 Introdução à sintaxe e termos essenciais d...
ProfFernandaBraga
 
www.AulasParticulares.Info - Português - Figuras de Construção ou Sintaxe
www.AulasParticulares.Info - Português -  Figuras de Construção ou Sintaxewww.AulasParticulares.Info - Português -  Figuras de Construção ou Sintaxe
www.AulasParticulares.Info - Português - Figuras de Construção ou Sintaxe
AulasPartInfo
 
Sintaxe
SintaxeSintaxe
Crase 3
Crase 3Crase 3
Orações subordinadas
Orações subordinadasOrações subordinadas
Orações subordinadas
Eliete Sampaio Farneda
 
Revisão de Sintaxe
Revisão de SintaxeRevisão de Sintaxe
Revisão de Sintaxe
Marcus Fraguas
 
Estudo das Conjuções Subordinativas
Estudo das Conjuções SubordinativasEstudo das Conjuções Subordinativas
Estudo das Conjuções Subordinativas
Colégio Espaço Aberto
 
2 prova ibfc gari resolvida
2 prova ibfc gari resolvida2 prova ibfc gari resolvida
2 prova ibfc gari resolvida
maria edineuma marreira
 
Classes gramaticais
Classes gramaticaisClasses gramaticais
Classes gramaticais
Ana Claudia Cacau Freire de Sá
 
10 dicas para entender a crase aula I
10 dicas para entender a crase   aula I10 dicas para entender a crase   aula I
10 dicas para entender a crase aula I
Ayla De Sá Marques
 
Sintaxe da Linguagem Visual - Donis A. Dondis
Sintaxe da Linguagem Visual - Donis A. DondisSintaxe da Linguagem Visual - Donis A. Dondis
Sintaxe da Linguagem Visual - Donis A. Dondis
Elizabeth Fantauzzi
 
Dicas de português
Dicas de portuguêsDicas de português
Dicas de português
Amiga Concurseira Sincera
 
Estudo das conjunções subordinativas
Estudo das conjunções subordinativasEstudo das conjunções subordinativas
Estudo das conjunções subordinativas
espacoaberto
 
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Figuras de Construção ou Sintaxe
www.AulasDePortuguesApoio.com  -  Português -  Figuras de Construção ou Sintaxewww.AulasDePortuguesApoio.com  -  Português -  Figuras de Construção ou Sintaxe
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Figuras de Construção ou Sintaxe
Videoaulas De Português Apoio
 
Df6 pronomes conjugacao_ppt08
Df6 pronomes conjugacao_ppt08Df6 pronomes conjugacao_ppt08
Df6 pronomes conjugacao_ppt08
Josete Perdigao
 
80 EXERCÍCIOS DE CRASE
80 EXERCÍCIOS DE CRASE80 EXERCÍCIOS DE CRASE
80 EXERCÍCIOS DE CRASE
maria edineuma marreira
 
3º - Sintaxe visual
3º - Sintaxe visual3º - Sintaxe visual
3º - Sintaxe visual
Caio Cæsar
 

Destaque (20)

Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase exercícios complementares
Crase   exercícios complementaresCrase   exercícios complementares
Crase exercícios complementares
 
Português crase
Português   crasePortuguês   crase
Português crase
 
Cefet/Coltec - Intensivo - Aula 10 Introdução à sintaxe e termos essenciais d...
Cefet/Coltec - Intensivo - Aula 10 Introdução à sintaxe e termos essenciais d...Cefet/Coltec - Intensivo - Aula 10 Introdução à sintaxe e termos essenciais d...
Cefet/Coltec - Intensivo - Aula 10 Introdução à sintaxe e termos essenciais d...
 
www.AulasParticulares.Info - Português - Figuras de Construção ou Sintaxe
www.AulasParticulares.Info - Português -  Figuras de Construção ou Sintaxewww.AulasParticulares.Info - Português -  Figuras de Construção ou Sintaxe
www.AulasParticulares.Info - Português - Figuras de Construção ou Sintaxe
 
Sintaxe
SintaxeSintaxe
Sintaxe
 
Crase 3
Crase 3Crase 3
Crase 3
 
Orações subordinadas
Orações subordinadasOrações subordinadas
Orações subordinadas
 
Revisão de Sintaxe
Revisão de SintaxeRevisão de Sintaxe
Revisão de Sintaxe
 
Estudo das Conjuções Subordinativas
Estudo das Conjuções SubordinativasEstudo das Conjuções Subordinativas
Estudo das Conjuções Subordinativas
 
2 prova ibfc gari resolvida
2 prova ibfc gari resolvida2 prova ibfc gari resolvida
2 prova ibfc gari resolvida
 
Classes gramaticais
Classes gramaticaisClasses gramaticais
Classes gramaticais
 
10 dicas para entender a crase aula I
10 dicas para entender a crase   aula I10 dicas para entender a crase   aula I
10 dicas para entender a crase aula I
 
Sintaxe da Linguagem Visual - Donis A. Dondis
Sintaxe da Linguagem Visual - Donis A. DondisSintaxe da Linguagem Visual - Donis A. Dondis
Sintaxe da Linguagem Visual - Donis A. Dondis
 
Dicas de português
Dicas de portuguêsDicas de português
Dicas de português
 
Estudo das conjunções subordinativas
Estudo das conjunções subordinativasEstudo das conjunções subordinativas
Estudo das conjunções subordinativas
 
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Figuras de Construção ou Sintaxe
www.AulasDePortuguesApoio.com  -  Português -  Figuras de Construção ou Sintaxewww.AulasDePortuguesApoio.com  -  Português -  Figuras de Construção ou Sintaxe
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Figuras de Construção ou Sintaxe
 
Df6 pronomes conjugacao_ppt08
Df6 pronomes conjugacao_ppt08Df6 pronomes conjugacao_ppt08
Df6 pronomes conjugacao_ppt08
 
80 EXERCÍCIOS DE CRASE
80 EXERCÍCIOS DE CRASE80 EXERCÍCIOS DE CRASE
80 EXERCÍCIOS DE CRASE
 
3º - Sintaxe visual
3º - Sintaxe visual3º - Sintaxe visual
3º - Sintaxe visual
 

Semelhante a A Crase

Crase
CraseCrase
Crase
CraseCrase
Crase2
Crase2Crase2
Crase2
Damisa
 
Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5
nilvaandrade
 
Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5
nilvaandrade
 
Crase - Slides para apresentações em aulas
Crase - Slides para apresentações em aulasCrase - Slides para apresentações em aulas
Crase - Slides para apresentações em aulas
EdnaSantos855118
 
Gramática Avançada
Gramática AvançadaGramática Avançada
Gramática Avançada
Superprovas Software
 
CRASE.ppt
CRASE.pptCRASE.ppt
CRASE.ppt
Carla Zampieri
 
Crase
CraseCrase
Camões crase
Camões   craseCamões   crase
Camões crase
Christiane Queiroz
 
1.2.2 crase
1.2.2   crase1.2.2   crase
1.2.2 crase
Ivana Mayrink
 
Crase
CraseCrase
Crase
letieri11
 
Camões crase - 2013
Camões   crase - 2013Camões   crase - 2013
Camões crase - 2013
Christiane Queiroz
 
Crase
CraseCrase
Crase
weldame
 
Estudo sobre Crase
Estudo sobre CraseEstudo sobre Crase
Estudo sobre Crase
Maiara Goularte
 
Pronome.pdf
Pronome.pdfPronome.pdf
Pronome.pdf
ElizabethFreitas20
 
Tabelas.pronomes demonstrativos e etc
Tabelas.pronomes demonstrativos e etcTabelas.pronomes demonstrativos e etc
Tabelas.pronomes demonstrativos e etc
Andrea Perazzo
 
Crase
CraseCrase
crases-130528213521-phpapp01 (1).pptx
crases-130528213521-phpapp01 (1).pptxcrases-130528213521-phpapp01 (1).pptx
crases-130528213521-phpapp01 (1).pptx
sheyllafeitosa1
 
Questões comentadas de crase
Questões comentadas de craseQuestões comentadas de crase
Questões comentadas de crase
Michell Szczpanik
 

Semelhante a A Crase (20)

Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase2
Crase2Crase2
Crase2
 
Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5
 
Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5
 
Crase - Slides para apresentações em aulas
Crase - Slides para apresentações em aulasCrase - Slides para apresentações em aulas
Crase - Slides para apresentações em aulas
 
Gramática Avançada
Gramática AvançadaGramática Avançada
Gramática Avançada
 
CRASE.ppt
CRASE.pptCRASE.ppt
CRASE.ppt
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Camões crase
Camões   craseCamões   crase
Camões crase
 
1.2.2 crase
1.2.2   crase1.2.2   crase
1.2.2 crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Camões crase - 2013
Camões   crase - 2013Camões   crase - 2013
Camões crase - 2013
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Estudo sobre Crase
Estudo sobre CraseEstudo sobre Crase
Estudo sobre Crase
 
Pronome.pdf
Pronome.pdfPronome.pdf
Pronome.pdf
 
Tabelas.pronomes demonstrativos e etc
Tabelas.pronomes demonstrativos e etcTabelas.pronomes demonstrativos e etc
Tabelas.pronomes demonstrativos e etc
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
crases-130528213521-phpapp01 (1).pptx
crases-130528213521-phpapp01 (1).pptxcrases-130528213521-phpapp01 (1).pptx
crases-130528213521-phpapp01 (1).pptx
 
Questões comentadas de crase
Questões comentadas de craseQuestões comentadas de crase
Questões comentadas de crase
 

Último

O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 

A Crase

  • 1. rase Prof. Ivan Barreto dos Santos
  • 2. Crase É a fusão (junção) da preposição aexigida pela regência do verboou do nomemais o artigo definido a, os pronomes demonstrativos aquele(s), aquela(s), aquilo e o pronome demonstrativoa. A crase é indicada pelo acento grave (`). Condições para ocorrência de crase 1. O termo regente deve exigir a preposição a. 2. O termo regido tem que ser uma palavra feminina que admita artigo a(s). Ex.: Ele foi aa fazenda ontem depois do almoço. à
  • 3. Regra prática Para você saber se há crase antes de uma palavra feminina, troque essa palavra por uma masculina correspondente e observe: 1. Se antes da palavra masculina aparecer ao(s), use crase antes da feminina. Ex.: Ela foi à feira ontem. Ela foi ao mercado ontem. 2. Se antes da palavra masculina aparecer apenas a(s) ou o(s) não use crase. Ex.: Os jogadores visitaram a cidade. Os jogadores visitaram o museu.
  • 4. Casos em que ocorre crase  Nas locuções adverbiais femininas. Ex.: O rapaz saiu à tarde e chegou à noite. (locução adverbial de tempo) Ex.:Ele foi à feira e depois à lavanderia. (locução adverbial de lugar) Ex.: O governador viajou às pressas. (locução adverbial de modo) Observação: Com as locuções adverbiais femininas de instrumento a crase é facultativa. Ex.: O pai saiu sem fechar a porta à chave. O pai saiu sem fechar a porta a chave. Ex.: O soldado foi ferido à baioneta. O soldado foi ferido a baioneta.
  • 5.  Nas locuções prepositivas (formadas por a + palavra feminina + de) Ex.: Meu amigo conseguiu ser aprovado à custa de muito esforço. Ele saiu à procura de ajuda.  Nas locuções conjuntivas (formada por a + palavra feminina + que). Ex.: A cidade se acalma, à medida que escurece. À proporção que chovia, aumentavam os buracos na rua. Observação: Nas expressões à moda de, à maneira de, a palavra principal pode ficar oculta. Então o à poderá ficar diante de palavra masculina, como no exemplo: Ex: Usava cabelos à Luís XV. (à moda de Luís XV)
  • 6. Casos em que a crase é facultativa  Antes de pronomes possessivos femininos (porque antes desse tipo de pronome o artigo é facultativo). Ex.: Ele se refere à minha mãe. Ele se refere a minha mãe.  Antes de nomes de mulheres Ex.: Eu me referi à Maria. Eu me referi a Maria.  Depois da palavra até. Ex.: Todos os alunos foram até à escola. Todos os alunos foram até a escola.
  • 7. Casos em que não ocorre crase  Antes de nomes masculinos (porque essas palavras não admitem o artigoa. Ex.: Ele adora andar a cavalo, ela prefere andar a pé.  Antes de verbos (porque antes de verbos não aparece artigo) Ex.: Assim que saíram, começaram acorrer.  Antes de pronomes que não admitem artigo. Pronomes pessoais (porque antes deles não se usa artigo) Ex.: Todos se dirigiram aela. b) Pronomes de tratamento (porque antes deles não se usa artigo) Ex.: Dirigi-me aVossa Excelência para despedir-me. Observação: Os pronomes de tratamento dona, senhora e senhorita, pelo fato de admitirem o artigo, admitem também a crase. Ex.: Nada disse à senhora.
  • 8.
  • 9.
  • 10. especificativosEx.: Eles pretendem ir a Paris. Observação: Quando o nome da cidade apresenta um especificativo, ele passa a admitir artigo e, nesse caso, pode ocorrer a crase, desde que o termo regente exija a preposição a. Ex.: Eles pretendem ir àfascinante Paris. Antes da palavra casa, no sentido de lar, residência própria da pessoa, se não vier determinada. Se vier determinada aceita a crase. Ex.: Voltei acasa cedo. Voltei àcasade meus pais cedo.
  • 11.  Antes da palavra terra, no sentido de chão firme, tomada em oposição a mar ou ar, se não vier determinada, não aceita o artigo e não ocorre a crase. Se vier determinada, aceita o artigo e ocorre a crase. Ex.: Os marinheiros já voltaram a terra. Os marinheiros voltaram àterrade seus sonhos. Observação: Quando a palavra terra for usada no sentido de terra natal ou planeta, a palavra terra admite artigo, por isso, ocorrerá crase, se o termo regente exigir preposição. Ex.: A espaçonave voltara àTerra, no ano 3000.
  • 12. O único lugar onde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário. Albert Einstein