SlideShare uma empresa Scribd logo
CRASE
Aulas 47 e 48
Analise as frases abaixo
 Alguém bateu a porta.
 A moça correu as cortinas.
 Participou a prima sua viagem.
 Referia-se a outra mulher.
 Aquelas palavras acordaram-lhe
lembranças da juventude.
 O homem pinta a máquina.
Analise as frases abaixo
 Alguém bateu à (na) porta.
 A moça correu às (para as) cortinas.
 Participou à (para a) prima sua
viagem.
 Referia-se à (falava da) outra mulher.
 Àquelas (A essas) palavras
acordaram-lhe lembranças da
juventude.
 O homem pinta à (com) máquina.
Crase
Usamos o acento grave no “a” com duas
finalidades diferentes:
1 - Para sinalizar a crase, isto é, para indicar que o
“a” vale por dois: à=a+a;
2 - Para sinalizar a preposição a em expressões
de circunstâncias com o substantivo feminino
singular, indicando que não se deve confundir com
o artigo a.
Portanto, acento grave:
1 - Índice de contração (crase);
2 - Índice de preposição (clareza).
O nome
deste
acento é
grave.
CRASE não é acento
CRASE (em grego
Krasis) significa
fusão ou união;
neste caso é a fusão
de duas vogais
iguais e contínuas
Definição de crase
Fusão Preposição
Pronome
demonstrativo
OU
Artigo definido
Usa-se a crase
Usa-se a crase Exemplos
1 - Nas formas àquela, àquele, àquelas,
àqueles, àquilo, àqueloutro (quando o
termo regente exige a preposição `a´).
Cheguei àquele (a+aquele)
lugar.
2 - Nas indicações de horas.
Observação: Zero e meia incluem-se na
regra.
Chegou às 8 horas. O
aumento entra em vigor à zero
hora.
3 - Nas locuções adverbiais, prepositivas
e conjuntivas constituídas de palavras
femininas, como às pressas, às vezes, à
risca, à noite, à direita, à esquerda, à
frente, à maneira de, à moda de, à
procura de, à mercê de, à custa de, à
medida que, à proporção que, à força
de, à espera de.
Seguiu à risca as instruções:
à noite, tirou o carro da
primeira garagem à direita,
virou à esquerda e à frente viu a
namorada na esquima.
Usa-se a crase
Usa-se a crase Exemplos
4 - Nas locuções que indicam meio ou
instrumento e em outras nas quais a
tradição linguística o exija, como à bala,
à faca, à máquina, à chave, à vista, à
venda, à toa, à tinta, à mão, à navalha,
à espada, à queima-roupa, à fome
(matar à fome).
No filme, o ator levou um
tiro à queima-roupa.
5 - Antes dos relativos que, qual e
quais, quando o termo que os precede
exige a preposição “a”.
Eis a garota à qual você se
referiu.
NÃO se usa crase
 Não se usa a crase antes de palavra masculina:
andar a pé, pagamento a prazo, caminhadas a esmo,
cheirar a suor, viajar a cavalo, vestir-se a caráter.
 Não se usa crase antes de um topônimo (nome de
cidade, país, bairro, etc.) se for feminino e não
admitir artigo: Chegou a Brasília. / Irão a Roma este
ano. Exceção. Há crase quando se especifica a cidade
com um determinante: Iremos à Roma dos Césares.
 Não se usa a crase antes de verbo: Passou a ver./
Começou a fazer. / Pôs-se a falar.
 Não se usa a crase entre substantivos repetitivos:
Cara a cara, gota a gota, de ponta a ponta.
 Não se usa crase antes de pronomes que não
admitem artigo feminino: Pediram a ela que saísse. /
Não cheguei a nenhuma conclusão. / Dedicou o livro a
essa moça.
NÃO se usa crase
 Não se usa crase diante de formas de tratamento:
Escreverei a Vossa Excelência. / Recomendamos a
Vossa Senhoria... / Pediram a Vossa Majestade...
 Não se usa crase diante de palavra feminina tomada
em sentido genérico: Em respeito a morte em família,
faltou ao serviço.
 Repare: Em respeito a falecimento, e não ao
falecimento.
 Havendo determinação, porém, a crase é
indispensável: Morte de bebês leva à punição (ao
castigo) de médico. / Superintendente admite ter cedido
à pressão (ao desejo) dos superiores.
 Substantivos no plural que fazem parte de locuções
de modo ou tenham sentido genérico: Pegaram-se a
dentadas. / Progrediram a duras penas. / Não me refiro
a mulheres, mas a meninas.
NÃO se usa crase
 Nomes de mulheres célebres: Ele a comparou a Ana
Neri. / Preferia Ingrid Bergman a Greta Garbo.
 Dona e Madame: Deu o dinheiro a dona Maria. / Já se
acostumou a madame Angélica.
◦ Exceção. Há crase se as palavras dona ou madame
estiverem particularizadas: Referia-se à Dona Flor
dos dois maridos.
 Numerais considerados de forma indeterminada: O
número de mortos chegou a dez. / Nasceu a 8 de
janeiro. / Fez uma visita a cinco empresas.
NÃO se usa crase
 Distância, desde que não determinada: A polícia
ficou a distância. / O navio estava a distância.
◦ Quando se define a distância, existe crase: O
navio estava à distância de 500 metros do cais. / A
polícia ficou à distância de seis metros dos
manifestantes.
 Terra, quando a palavra significa terra firme: O navio
estava chegando a terra. / O marinheiro foi a terra.
(Esteve em terra)
 Casa, considerada como o lugar onde se mora:
Voltou a casa. / Chegou cedo a casa.
◦ Se a palavra estiver determinada, existe crase: Voltou
à casa dos pais. / Iremos à Casa da Moeda. / Fez
uma visita à Casa Branca.
Uso FACULTATIVO da crase
 Antes do possessivo: Levou a encomenda a sua (à
sua) tia. / Não fez menção a nossa empresa (ou à
nossa empresa). Na maior parte dos casos, a crase dá
clareza a esse tipo de oração.
 Com até: Foi até a porta (ou até à). / Até a volta (ou até
à).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

USO DA CRASE
USO DA CRASEUSO DA CRASE
USO DA CRASE
claudianavegante
 
Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.
EstudareLegal
 
Sinônimos e antônimos
Sinônimos e antônimosSinônimos e antônimos
Sinônimos e antônimos
Persalde Santiago
 
Regencia verbal (1)
Regencia verbal (1)Regencia verbal (1)
Regencia verbal (1)
Flávio Ferreira
 
Regência nominal e verbal
Regência nominal e verbalRegência nominal e verbal
Regência nominal e verbal
Sadrak Silva
 
Concordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adrianaConcordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adriana
Lucilene Barcelos
 
Crase
CraseCrase
Crase
Tio Hatiro
 
Exercícios sobre figuras de linguagem, 01
Exercícios sobre figuras de linguagem, 01Exercícios sobre figuras de linguagem, 01
Exercícios sobre figuras de linguagem, 01
ma.no.el.ne.ves
 
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINALCONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
MGLAUCIA /LÍNGUA PORTUGUESA
 
Crase
CraseCrase
TIPOS DE VERBOS
TIPOS DE VERBOSTIPOS DE VERBOS
TIPOS DE VERBOS
Luciene Gomes
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
Alice Silva
 
Formação das palavras
Formação das palavrasFormação das palavras
Formação das palavras
colveromachado
 
Concordância Nominal
Concordância NominalConcordância Nominal
Concordância Nominal
Angela Santos
 
Regência Nominal
Regência NominalRegência Nominal
Regência Nominal
Andriane Cursino
 
Período composto por coordenação
Período composto por coordenaçãoPeríodo composto por coordenação
Período composto por coordenação
Carolina Loçasso Pereira
 
Transitividade verbal
Transitividade verbalTransitividade verbal
Transitividade verbal
PaolaLins
 
Advérbios: PowerPoint
Advérbios: PowerPointAdvérbios: PowerPoint
Advérbios: PowerPoint
A. Simoes
 
Morfologia - Classes Gramaticais
Morfologia - Classes GramaticaisMorfologia - Classes Gramaticais
Morfologia - Classes Gramaticais
Portal do Vestibulando
 
Verbo
VerboVerbo

Mais procurados (20)

USO DA CRASE
USO DA CRASEUSO DA CRASE
USO DA CRASE
 
Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.Pronomes Relativos.
Pronomes Relativos.
 
Sinônimos e antônimos
Sinônimos e antônimosSinônimos e antônimos
Sinônimos e antônimos
 
Regencia verbal (1)
Regencia verbal (1)Regencia verbal (1)
Regencia verbal (1)
 
Regência nominal e verbal
Regência nominal e verbalRegência nominal e verbal
Regência nominal e verbal
 
Concordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adrianaConcordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adriana
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Exercícios sobre figuras de linguagem, 01
Exercícios sobre figuras de linguagem, 01Exercícios sobre figuras de linguagem, 01
Exercícios sobre figuras de linguagem, 01
 
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINALCONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
CONCORDÂNCIA VERBAL E NOMINAL
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
TIPOS DE VERBOS
TIPOS DE VERBOSTIPOS DE VERBOS
TIPOS DE VERBOS
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
Formação das palavras
Formação das palavrasFormação das palavras
Formação das palavras
 
Concordância Nominal
Concordância NominalConcordância Nominal
Concordância Nominal
 
Regência Nominal
Regência NominalRegência Nominal
Regência Nominal
 
Período composto por coordenação
Período composto por coordenaçãoPeríodo composto por coordenação
Período composto por coordenação
 
Transitividade verbal
Transitividade verbalTransitividade verbal
Transitividade verbal
 
Advérbios: PowerPoint
Advérbios: PowerPointAdvérbios: PowerPoint
Advérbios: PowerPoint
 
Morfologia - Classes Gramaticais
Morfologia - Classes GramaticaisMorfologia - Classes Gramaticais
Morfologia - Classes Gramaticais
 
Verbo
VerboVerbo
Verbo
 

Semelhante a Crase

crase.pdf
crase.pdfcrase.pdf
crase.pdf
ManuBarreto3
 
Trabalho da deza
Trabalho da dezaTrabalho da deza
Trabalho da deza
Lucas Lemos
 
Crase
CraseCrase
Crase
CraseCrase
10 dicas para entender a crase aula I
10 dicas para entender a crase   aula I10 dicas para entender a crase   aula I
10 dicas para entender a crase aula I
Ayla De Sá Marques
 
7 crase
7 crase7 crase
crases-130528213521-phpapp01 (1).pptx
crases-130528213521-phpapp01 (1).pptxcrases-130528213521-phpapp01 (1).pptx
crases-130528213521-phpapp01 (1).pptx
sheyllafeitosa1
 
Curso de português erros mais comuns - aula 3
Curso de português   erros mais comuns - aula 3Curso de português   erros mais comuns - aula 3
Curso de português erros mais comuns - aula 3
Ricardo Fidelis
 
Crase 2
Crase 2Crase 2
Crase2 120529191625-phpapp01
Crase2 120529191625-phpapp01Crase2 120529191625-phpapp01
Crase2 120529191625-phpapp01
Isabella Silva
 
Fichamento
FichamentoFichamento
Fichamento
Lala Cardozo
 
crase.pptx
crase.pptxcrase.pptx
crase.pptx
Karine Lima
 
Crase 1
Crase 1Crase 1
A Crase
A CraseA Crase
Crase: Como Usar?
Crase: Como Usar?Crase: Como Usar?
Crase: Como Usar?
Jaiza Nobre
 
Crase - Slides para apresentações em aulas
Crase - Slides para apresentações em aulasCrase - Slides para apresentações em aulas
Crase - Slides para apresentações em aulas
EdnaSantos855118
 
Apresentação1 crase
Apresentação1 craseApresentação1 crase
Apresentação1 crase
Ayla De Sá Marques
 
Crase
CraseCrase
Crase
CraseCrase
Crase
CrisBiagio
 
Crase sem segredo
Crase sem segredoCrase sem segredo
Crase sem segredo
marciaporto
 

Semelhante a Crase (20)

crase.pdf
crase.pdfcrase.pdf
crase.pdf
 
Trabalho da deza
Trabalho da dezaTrabalho da deza
Trabalho da deza
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
10 dicas para entender a crase aula I
10 dicas para entender a crase   aula I10 dicas para entender a crase   aula I
10 dicas para entender a crase aula I
 
7 crase
7 crase7 crase
7 crase
 
crases-130528213521-phpapp01 (1).pptx
crases-130528213521-phpapp01 (1).pptxcrases-130528213521-phpapp01 (1).pptx
crases-130528213521-phpapp01 (1).pptx
 
Curso de português erros mais comuns - aula 3
Curso de português   erros mais comuns - aula 3Curso de português   erros mais comuns - aula 3
Curso de português erros mais comuns - aula 3
 
Crase 2
Crase 2Crase 2
Crase 2
 
Crase2 120529191625-phpapp01
Crase2 120529191625-phpapp01Crase2 120529191625-phpapp01
Crase2 120529191625-phpapp01
 
Fichamento
FichamentoFichamento
Fichamento
 
crase.pptx
crase.pptxcrase.pptx
crase.pptx
 
Crase 1
Crase 1Crase 1
Crase 1
 
A Crase
A CraseA Crase
A Crase
 
Crase: Como Usar?
Crase: Como Usar?Crase: Como Usar?
Crase: Como Usar?
 
Crase - Slides para apresentações em aulas
Crase - Slides para apresentações em aulasCrase - Slides para apresentações em aulas
Crase - Slides para apresentações em aulas
 
Apresentação1 crase
Apresentação1 craseApresentação1 crase
Apresentação1 crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase sem segredo
Crase sem segredoCrase sem segredo
Crase sem segredo
 

Mais de efcamargo1968

Linguagem, Adequação da linguagem, língua e código
Linguagem, Adequação da linguagem, língua e códigoLinguagem, Adequação da linguagem, língua e código
Linguagem, Adequação da linguagem, língua e código
efcamargo1968
 
Sinônimos, Antônimos, Honônimos, Parônimos, Polissemia
Sinônimos, Antônimos, Honônimos, Parônimos, PolissemiaSinônimos, Antônimos, Honônimos, Parônimos, Polissemia
Sinônimos, Antônimos, Honônimos, Parônimos, Polissemia
efcamargo1968
 
Sistemas preferenciais e integração econômica apostila
Sistemas preferenciais e integração econômica apostilaSistemas preferenciais e integração econômica apostila
Sistemas preferenciais e integração econômica apostila
efcamargo1968
 
Sistemas preferenciais
Sistemas preferenciaisSistemas preferenciais
Sistemas preferenciais
efcamargo1968
 
OMC - Organização Mundial do Comércio
OMC - Organização Mundial do ComércioOMC - Organização Mundial do Comércio
OMC - Organização Mundial do Comércio
efcamargo1968
 
Sistema multilateral de comércio
Sistema multilateral de comércioSistema multilateral de comércio
Sistema multilateral de comércio
efcamargo1968
 
Aula 1 políticas comerciais
Aula 1   políticas comerciaisAula 1   políticas comerciais
Aula 1 políticas comerciais
efcamargo1968
 

Mais de efcamargo1968 (7)

Linguagem, Adequação da linguagem, língua e código
Linguagem, Adequação da linguagem, língua e códigoLinguagem, Adequação da linguagem, língua e código
Linguagem, Adequação da linguagem, língua e código
 
Sinônimos, Antônimos, Honônimos, Parônimos, Polissemia
Sinônimos, Antônimos, Honônimos, Parônimos, PolissemiaSinônimos, Antônimos, Honônimos, Parônimos, Polissemia
Sinônimos, Antônimos, Honônimos, Parônimos, Polissemia
 
Sistemas preferenciais e integração econômica apostila
Sistemas preferenciais e integração econômica apostilaSistemas preferenciais e integração econômica apostila
Sistemas preferenciais e integração econômica apostila
 
Sistemas preferenciais
Sistemas preferenciaisSistemas preferenciais
Sistemas preferenciais
 
OMC - Organização Mundial do Comércio
OMC - Organização Mundial do ComércioOMC - Organização Mundial do Comércio
OMC - Organização Mundial do Comércio
 
Sistema multilateral de comércio
Sistema multilateral de comércioSistema multilateral de comércio
Sistema multilateral de comércio
 
Aula 1 políticas comerciais
Aula 1   políticas comerciaisAula 1   políticas comerciais
Aula 1 políticas comerciais
 

Último

05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 

Último (20)

05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 

Crase

  • 2. Analise as frases abaixo  Alguém bateu a porta.  A moça correu as cortinas.  Participou a prima sua viagem.  Referia-se a outra mulher.  Aquelas palavras acordaram-lhe lembranças da juventude.  O homem pinta a máquina.
  • 3. Analise as frases abaixo  Alguém bateu à (na) porta.  A moça correu às (para as) cortinas.  Participou à (para a) prima sua viagem.  Referia-se à (falava da) outra mulher.  Àquelas (A essas) palavras acordaram-lhe lembranças da juventude.  O homem pinta à (com) máquina.
  • 4. Crase Usamos o acento grave no “a” com duas finalidades diferentes: 1 - Para sinalizar a crase, isto é, para indicar que o “a” vale por dois: à=a+a; 2 - Para sinalizar a preposição a em expressões de circunstâncias com o substantivo feminino singular, indicando que não se deve confundir com o artigo a. Portanto, acento grave: 1 - Índice de contração (crase); 2 - Índice de preposição (clareza).
  • 5. O nome deste acento é grave. CRASE não é acento CRASE (em grego Krasis) significa fusão ou união; neste caso é a fusão de duas vogais iguais e contínuas
  • 6. Definição de crase Fusão Preposição Pronome demonstrativo OU Artigo definido
  • 7. Usa-se a crase Usa-se a crase Exemplos 1 - Nas formas àquela, àquele, àquelas, àqueles, àquilo, àqueloutro (quando o termo regente exige a preposição `a´). Cheguei àquele (a+aquele) lugar. 2 - Nas indicações de horas. Observação: Zero e meia incluem-se na regra. Chegou às 8 horas. O aumento entra em vigor à zero hora. 3 - Nas locuções adverbiais, prepositivas e conjuntivas constituídas de palavras femininas, como às pressas, às vezes, à risca, à noite, à direita, à esquerda, à frente, à maneira de, à moda de, à procura de, à mercê de, à custa de, à medida que, à proporção que, à força de, à espera de. Seguiu à risca as instruções: à noite, tirou o carro da primeira garagem à direita, virou à esquerda e à frente viu a namorada na esquima.
  • 8. Usa-se a crase Usa-se a crase Exemplos 4 - Nas locuções que indicam meio ou instrumento e em outras nas quais a tradição linguística o exija, como à bala, à faca, à máquina, à chave, à vista, à venda, à toa, à tinta, à mão, à navalha, à espada, à queima-roupa, à fome (matar à fome). No filme, o ator levou um tiro à queima-roupa. 5 - Antes dos relativos que, qual e quais, quando o termo que os precede exige a preposição “a”. Eis a garota à qual você se referiu.
  • 9. NÃO se usa crase  Não se usa a crase antes de palavra masculina: andar a pé, pagamento a prazo, caminhadas a esmo, cheirar a suor, viajar a cavalo, vestir-se a caráter.  Não se usa crase antes de um topônimo (nome de cidade, país, bairro, etc.) se for feminino e não admitir artigo: Chegou a Brasília. / Irão a Roma este ano. Exceção. Há crase quando se especifica a cidade com um determinante: Iremos à Roma dos Césares.  Não se usa a crase antes de verbo: Passou a ver./ Começou a fazer. / Pôs-se a falar.  Não se usa a crase entre substantivos repetitivos: Cara a cara, gota a gota, de ponta a ponta.  Não se usa crase antes de pronomes que não admitem artigo feminino: Pediram a ela que saísse. / Não cheguei a nenhuma conclusão. / Dedicou o livro a essa moça.
  • 10. NÃO se usa crase  Não se usa crase diante de formas de tratamento: Escreverei a Vossa Excelência. / Recomendamos a Vossa Senhoria... / Pediram a Vossa Majestade...  Não se usa crase diante de palavra feminina tomada em sentido genérico: Em respeito a morte em família, faltou ao serviço.  Repare: Em respeito a falecimento, e não ao falecimento.  Havendo determinação, porém, a crase é indispensável: Morte de bebês leva à punição (ao castigo) de médico. / Superintendente admite ter cedido à pressão (ao desejo) dos superiores.  Substantivos no plural que fazem parte de locuções de modo ou tenham sentido genérico: Pegaram-se a dentadas. / Progrediram a duras penas. / Não me refiro a mulheres, mas a meninas.
  • 11. NÃO se usa crase  Nomes de mulheres célebres: Ele a comparou a Ana Neri. / Preferia Ingrid Bergman a Greta Garbo.  Dona e Madame: Deu o dinheiro a dona Maria. / Já se acostumou a madame Angélica. ◦ Exceção. Há crase se as palavras dona ou madame estiverem particularizadas: Referia-se à Dona Flor dos dois maridos.  Numerais considerados de forma indeterminada: O número de mortos chegou a dez. / Nasceu a 8 de janeiro. / Fez uma visita a cinco empresas.
  • 12. NÃO se usa crase  Distância, desde que não determinada: A polícia ficou a distância. / O navio estava a distância. ◦ Quando se define a distância, existe crase: O navio estava à distância de 500 metros do cais. / A polícia ficou à distância de seis metros dos manifestantes.  Terra, quando a palavra significa terra firme: O navio estava chegando a terra. / O marinheiro foi a terra. (Esteve em terra)  Casa, considerada como o lugar onde se mora: Voltou a casa. / Chegou cedo a casa. ◦ Se a palavra estiver determinada, existe crase: Voltou à casa dos pais. / Iremos à Casa da Moeda. / Fez uma visita à Casa Branca.
  • 13. Uso FACULTATIVO da crase  Antes do possessivo: Levou a encomenda a sua (à sua) tia. / Não fez menção a nossa empresa (ou à nossa empresa). Na maior parte dos casos, a crase dá clareza a esse tipo de oração.  Com até: Foi até a porta (ou até à). / Até a volta (ou até à).

Notas do Editor

  1. Pronunciadas, todas essas frases admitem dupla interpretação. Elas são ambíguas na fala. Na escrita, nenhuma ambiguidade, por um detalhe: ausência/presença de acento. Repare na mudança de sentido que decorre da acentuação. Isso nos mostra a utilidade – e mesmo a necessidade – do acento grave no “a”: antes de tudo, é um imperativo de clareza.
  2. A crase indica a fusão dos sons da preposição a com o artigo a, as, ou com pronome demonstrativo feminino a, as, bem como com o a de aquele, aquela, aqueles, aquelas, aquilo e a qual, as quais.