SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Baixar para ler offline
Crase: Como Usar?
Antes de tudo, vamos relaxar com uma musiquinha e
relembrar nossa infância.
Vamos à Ciranda da Crase.
Cara a cara
não tem crase
isto é fácil de guardar
com palavra repetida
não se deve “crasear”
Não se deve usar a crase
em casos especiais
com palavras masculinas
ou pronomes pessoais
Dona, senhora, senhorita
fazem caso genial
assanhadas vem e aceitam
o artigo é fatal
Nome próprio masculino
uma crase aceitará
se com moda ou maneira
antes eu puder falar
Casa própria, a do falante
me rejeita o artigo
e se isso acontece
“crasear” eu não consigo
Se há um complemento
e é nominal
é só ter o feminino
e praticar normal
Objeto, indireto
faz um caso decisivo
se ainda vem trazendo
qualquer termo feminino
Para começar, uma pergunta importante: Você sabe o
que é CRASE?
Com origem na Grécia, a palavra crase significa mistura
ou fusão. Na língua portuguesa, a crase indica a
contração de duas vogais idênticas, mais precisamente,
a fusão da preposição a com o artigo feminino a e com o
a do início de pronomes. Sempre que houver a fusão
desses elementos, o fenômeno será indicado por
intermédio da presença do acento grave, também
chamado de acento indicador de CRASE.
Observe:
preposição + artigo
Minha mãe precisa ir a + a feira.
Minha mãe precisa ir à feira.
A crase pode ser fusão:
- da preposição a + artigo feminino a/as.
Ex: Fui à Bahia.
- da preposição a + pronome demonstrativo a/as (=
aquela/aquelas).
Ex: Sua casa é igual à de todos nós.
- da preposição a + vogal a inicial dos pronomes
demonstrativos aquele, aquela, aqueles, aquelas, aquilo.
Ex: As revistas não se referiram mais àqueles episódios.
1. A crase deve ser empregada apenas
diante de palavras femininas:
Essa é a regra básica para quem quer aprender mais sobre o uso
da crase. Apesar de ser a mais conhecida, não é a única, mas
saber que – salvo exceções – a crase não acontece antes de
palavras masculinas já ajuda bastante! Caso você fique em
dúvida sobre quando utilizar o acento grave, substitua a palavra
feminina por uma masculina: se o “a” virar “ao”, ele receberá o
acento grave.
Veja só um exemplo:
As amigas foram à confraternização de final de ano da empresa.
Substitua a palavra “confraternização” pela palavra “encontro”:
As amigas foram ao encontro de final de ano da empresa.
2. Lembre-se de utilizar a crase em expressões que indiquem
hora:
Antes de locuções indicativas de horas, empregue o acento
grave. Observe:
Às três horas começaremos a estudar.
A partida de futebol terá início às 17h.
Ele esteve aqui às 8h, mas foi embora porque não te encontrou.
● Mas quando as horas estiverem antecedidas das preposições
para, desde e até, naturalmente o artigo não receberá o
acento indicador de crase.
Observe:
Ele decidiu ir embora, pois estava esperando desde as 10h.
Marcaram o encontro no restaurante para as 20h.
Fique tranquilo, eu estarei no trabalho até as 9h.
3. Antes de locuções adverbiais femininas que expressam
ideia de tempo, lugar e modo.
Observe os exemplos:
Às vezes chegamos mais cedo à escola.
Ele terminou a prova às pressas, pois já passava do
horário.
4. A crase, na maioria das vezes, não ocorre antes de
palavra masculina:
Isso acontece porque antes de palavra masculina não ocorre o artigo “a”,
indicador do gênero feminino:
O pagamento das dívidas foi feito a prazo.
Os primos foram para a fazenda andar a cavalo.
Tempere com pimenta e sal a gosto.
Eles viajaram a bordo de uma aeronave moderna.
Marcos foi a pé para o escritório.
Existe um caso em que o acento indicador de crase pode surgir
antes de uma palavra masculina. Isso acontecerá quando a
expressão “à moda de” estiver implícita na frase.
Observe o exemplo:
Ele cantou a canção à Roberto Carlos. (Ele cantou a canção à
moda de Roberto Carlos).
Ele fez um gol à Pele. (Ele fez um gol à moda de Pelé).
Ele comprou sapatos à Luís XV. (Ele comprou sapatos à moda de
Luís XV).
5. Casos em que a crase é opcional:
● Antes dos pronomes possessivos femininos minha, tua,
nossa etc.: Nesses casos, o uso do artigo antes do
pronome é opcional.
Observe:
Ex: Eu devo satisfações à minha mãe ou Eu devo
satisfações a minha mãe.
● Antes de substantivos femininos próprios: Vale lembrar que,
antes de nomes próprios femininos, o uso da crase é opcional,
até porque o artigo antes do nome não é obrigatório.
Observe:
Carlos fez um pedido à Mariana.
Ou
Carlos fez um pedido a Mariana.
Depois da palavra até: Se depois da preposição até
houver uma palavra feminina que admita artigo, a crase
será opcional.
Observe:
Os amigos foram até à praça General Osório.
ou
Os amigos foram até a praça General Osório.
Professora: JAIZA NOBRE
Disciplina: Língua Portuguesa
Ensino Fundamental II
8 ano

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Vozes do verbo
Vozes do verboVozes do verbo
Vozes do verbo
 
Concordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalConcordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominal
 
Concordância nominal
Concordância nominalConcordância nominal
Concordância nominal
 
O uso da crase
O uso da craseO uso da crase
O uso da crase
 
Concordância verbal
Concordância verbalConcordância verbal
Concordância verbal
 
Funções do que, se e pronome relativo
Funções do que, se e pronome relativoFunções do que, se e pronome relativo
Funções do que, se e pronome relativo
 
Concordancia nominal
Concordancia nominalConcordancia nominal
Concordancia nominal
 
Crase
Crase Crase
Crase
 
Concordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adrianaConcordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adriana
 
Emprego de há e a
Emprego de há e aEmprego de há e a
Emprego de há e a
 
ColocaçãO Pronominal
ColocaçãO PronominalColocaçãO Pronominal
ColocaçãO Pronominal
 
Predicado
PredicadoPredicado
Predicado
 
Adjunto adverbial
Adjunto adverbialAdjunto adverbial
Adjunto adverbial
 
Pronome
PronomePronome
Pronome
 
Preposição
PreposiçãoPreposição
Preposição
 
Flexão do Substantivo
Flexão do SubstantivoFlexão do Substantivo
Flexão do Substantivo
 
Estrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavrasEstrutura e formação das palavras
Estrutura e formação das palavras
 
Tipos de sujeito
Tipos de sujeitoTipos de sujeito
Tipos de sujeito
 
Termos da oração
Termos da oraçãoTermos da oração
Termos da oração
 
Concordância nominal slides
Concordância nominal slidesConcordância nominal slides
Concordância nominal slides
 

Semelhante a Como usar a crase (20)

CRASE1.pptx
CRASE1.pptxCRASE1.pptx
CRASE1.pptx
 
10 dicas para entender a crase aula I
10 dicas para entender a crase   aula I10 dicas para entender a crase   aula I
10 dicas para entender a crase aula I
 
A Crase
 A Crase   A Crase
A Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Questões comentadas de crase
Questões comentadas de craseQuestões comentadas de crase
Questões comentadas de crase
 
CRASE.ppt
CRASE.pptCRASE.ppt
CRASE.ppt
 
Crase 3
Crase 3Crase 3
Crase 3
 
A Comunicação Escrita Através da Abordagem Gramatical
A Comunicação Escrita Através da Abordagem GramaticalA Comunicação Escrita Através da Abordagem Gramatical
A Comunicação Escrita Através da Abordagem Gramatical
 
5177774 macetes-de-portugues
5177774 macetes-de-portugues5177774 macetes-de-portugues
5177774 macetes-de-portugues
 
Algumas regras de uso da Crase - ensino medio.ppt
Algumas regras de uso da Crase - ensino medio.pptAlgumas regras de uso da Crase - ensino medio.ppt
Algumas regras de uso da Crase - ensino medio.ppt
 
Crase2
Crase2Crase2
Crase2
 
Regência e crase
Regência e craseRegência e crase
Regência e crase
 
1.2.2 crase
1.2.2   crase1.2.2   crase
1.2.2 crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Quando usar à crase
Quando usar à craseQuando usar à crase
Quando usar à crase
 
Presentación de os acentos.
Presentación de os acentos.Presentación de os acentos.
Presentación de os acentos.
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Curso de português erros mais comuns - aula 3
Curso de português   erros mais comuns - aula 3Curso de português   erros mais comuns - aula 3
Curso de português erros mais comuns - aula 3
 
7 crase
7 crase7 crase
7 crase
 

Mais de Jaiza Nobre

COMUNICAÇÃO E LINGUAGEM.pptx
COMUNICAÇÃO E LINGUAGEM.pptxCOMUNICAÇÃO E LINGUAGEM.pptx
COMUNICAÇÃO E LINGUAGEM.pptxJaiza Nobre
 
Plano de curso 9 ano
Plano de curso 9 anoPlano de curso 9 ano
Plano de curso 9 anoJaiza Nobre
 
Funções da Linguagem
Funções da LinguagemFunções da Linguagem
Funções da LinguagemJaiza Nobre
 
Denotação e Conotação
Denotação e ConotaçãoDenotação e Conotação
Denotação e ConotaçãoJaiza Nobre
 
Plano de curso 8º Ano
Plano de curso 8º AnoPlano de curso 8º Ano
Plano de curso 8º AnoJaiza Nobre
 
História da Arte
História da ArteHistória da Arte
História da ArteJaiza Nobre
 
Plano de curso 7 ano 2017
Plano de curso 7 ano 2017Plano de curso 7 ano 2017
Plano de curso 7 ano 2017Jaiza Nobre
 
Plano de curso do 6 ano 2017
Plano de curso do 6 ano 2017Plano de curso do 6 ano 2017
Plano de curso do 6 ano 2017Jaiza Nobre
 
Seminário sobre a historia da música brasileira
Seminário sobre a historia da música brasileiraSeminário sobre a historia da música brasileira
Seminário sobre a historia da música brasileiraJaiza Nobre
 
Projeto planfleto
Projeto planfletoProjeto planfleto
Projeto planfletoJaiza Nobre
 

Mais de Jaiza Nobre (11)

COMUNICAÇÃO E LINGUAGEM.pptx
COMUNICAÇÃO E LINGUAGEM.pptxCOMUNICAÇÃO E LINGUAGEM.pptx
COMUNICAÇÃO E LINGUAGEM.pptx
 
Plano de curso 9 ano
Plano de curso 9 anoPlano de curso 9 ano
Plano de curso 9 ano
 
Funções da Linguagem
Funções da LinguagemFunções da Linguagem
Funções da Linguagem
 
Denotação e Conotação
Denotação e ConotaçãoDenotação e Conotação
Denotação e Conotação
 
Plano de curso 8º Ano
Plano de curso 8º AnoPlano de curso 8º Ano
Plano de curso 8º Ano
 
História da Arte
História da ArteHistória da Arte
História da Arte
 
Plano de curso 7 ano 2017
Plano de curso 7 ano 2017Plano de curso 7 ano 2017
Plano de curso 7 ano 2017
 
Plano de curso do 6 ano 2017
Plano de curso do 6 ano 2017Plano de curso do 6 ano 2017
Plano de curso do 6 ano 2017
 
Seminário sobre a historia da música brasileira
Seminário sobre a historia da música brasileiraSeminário sobre a historia da música brasileira
Seminário sobre a historia da música brasileira
 
Projeto planfleto
Projeto planfletoProjeto planfleto
Projeto planfleto
 
Projeto leitura
Projeto leituraProjeto leitura
Projeto leitura
 

Último

Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimWashingtonSampaio5
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzAlexandrePereira818171
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 

Último (20)

Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 

Como usar a crase

  • 2.
  • 3. Antes de tudo, vamos relaxar com uma musiquinha e relembrar nossa infância. Vamos à Ciranda da Crase. Cara a cara não tem crase isto é fácil de guardar com palavra repetida não se deve “crasear” Não se deve usar a crase em casos especiais com palavras masculinas ou pronomes pessoais
  • 4. Dona, senhora, senhorita fazem caso genial assanhadas vem e aceitam o artigo é fatal Nome próprio masculino uma crase aceitará se com moda ou maneira antes eu puder falar Casa própria, a do falante me rejeita o artigo e se isso acontece “crasear” eu não consigo
  • 5. Se há um complemento e é nominal é só ter o feminino e praticar normal Objeto, indireto faz um caso decisivo se ainda vem trazendo qualquer termo feminino
  • 6. Para começar, uma pergunta importante: Você sabe o que é CRASE? Com origem na Grécia, a palavra crase significa mistura ou fusão. Na língua portuguesa, a crase indica a contração de duas vogais idênticas, mais precisamente, a fusão da preposição a com o artigo feminino a e com o a do início de pronomes. Sempre que houver a fusão desses elementos, o fenômeno será indicado por intermédio da presença do acento grave, também chamado de acento indicador de CRASE.
  • 7. Observe: preposição + artigo Minha mãe precisa ir a + a feira. Minha mãe precisa ir à feira. A crase pode ser fusão: - da preposição a + artigo feminino a/as. Ex: Fui à Bahia. - da preposição a + pronome demonstrativo a/as (= aquela/aquelas). Ex: Sua casa é igual à de todos nós. - da preposição a + vogal a inicial dos pronomes demonstrativos aquele, aquela, aqueles, aquelas, aquilo. Ex: As revistas não se referiram mais àqueles episódios.
  • 8.
  • 9. 1. A crase deve ser empregada apenas diante de palavras femininas: Essa é a regra básica para quem quer aprender mais sobre o uso da crase. Apesar de ser a mais conhecida, não é a única, mas saber que – salvo exceções – a crase não acontece antes de palavras masculinas já ajuda bastante! Caso você fique em dúvida sobre quando utilizar o acento grave, substitua a palavra feminina por uma masculina: se o “a” virar “ao”, ele receberá o acento grave. Veja só um exemplo: As amigas foram à confraternização de final de ano da empresa. Substitua a palavra “confraternização” pela palavra “encontro”: As amigas foram ao encontro de final de ano da empresa.
  • 10. 2. Lembre-se de utilizar a crase em expressões que indiquem hora: Antes de locuções indicativas de horas, empregue o acento grave. Observe: Às três horas começaremos a estudar. A partida de futebol terá início às 17h. Ele esteve aqui às 8h, mas foi embora porque não te encontrou.
  • 11. ● Mas quando as horas estiverem antecedidas das preposições para, desde e até, naturalmente o artigo não receberá o acento indicador de crase. Observe: Ele decidiu ir embora, pois estava esperando desde as 10h. Marcaram o encontro no restaurante para as 20h. Fique tranquilo, eu estarei no trabalho até as 9h.
  • 12. 3. Antes de locuções adverbiais femininas que expressam ideia de tempo, lugar e modo. Observe os exemplos: Às vezes chegamos mais cedo à escola. Ele terminou a prova às pressas, pois já passava do horário.
  • 13. 4. A crase, na maioria das vezes, não ocorre antes de palavra masculina: Isso acontece porque antes de palavra masculina não ocorre o artigo “a”, indicador do gênero feminino: O pagamento das dívidas foi feito a prazo. Os primos foram para a fazenda andar a cavalo. Tempere com pimenta e sal a gosto. Eles viajaram a bordo de uma aeronave moderna. Marcos foi a pé para o escritório.
  • 14. Existe um caso em que o acento indicador de crase pode surgir antes de uma palavra masculina. Isso acontecerá quando a expressão “à moda de” estiver implícita na frase. Observe o exemplo: Ele cantou a canção à Roberto Carlos. (Ele cantou a canção à moda de Roberto Carlos). Ele fez um gol à Pele. (Ele fez um gol à moda de Pelé). Ele comprou sapatos à Luís XV. (Ele comprou sapatos à moda de Luís XV).
  • 15. 5. Casos em que a crase é opcional: ● Antes dos pronomes possessivos femininos minha, tua, nossa etc.: Nesses casos, o uso do artigo antes do pronome é opcional. Observe: Ex: Eu devo satisfações à minha mãe ou Eu devo satisfações a minha mãe.
  • 16. ● Antes de substantivos femininos próprios: Vale lembrar que, antes de nomes próprios femininos, o uso da crase é opcional, até porque o artigo antes do nome não é obrigatório. Observe: Carlos fez um pedido à Mariana. Ou Carlos fez um pedido a Mariana.
  • 17. Depois da palavra até: Se depois da preposição até houver uma palavra feminina que admita artigo, a crase será opcional. Observe: Os amigos foram até à praça General Osório. ou Os amigos foram até a praça General Osório.
  • 18. Professora: JAIZA NOBRE Disciplina: Língua Portuguesa Ensino Fundamental II 8 ano