SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 31
Português Instrumental
PROFª CLÁUDIA PINHEIRO
1
A UTILIZAÇÃO DO ACENTO
GRAVE
RASE
2
CRASE X ACENTO GRAVE
CRASE é o fenômeno ocorrido na junção da
preposição a com o artigo a.
ACENTO GRAVE é a indicação da ocorrência desse
fenômeno.
3
CRASE X ACENTO GRAVE
A palavra crase provém do grego (krâsis) e significa
mistura.
Essa denominação visa a especificar principalmente a
contração ou fusão da preposição a com os artigos
definidos femininos (a, as) ou com os pronomes
demonstrativos a, as, aquele, aquela, aquilo.
4
EXEMPLO
a + a = à
Fui a + a feira
Fui à feira.
5
A + AQUELE (AQUELA, AQUILO)
Também ocorre crase na junção da preposição a com
os pronomes demonstrativos aquele(s), aquela(s),
aquilo.
Retornei a + aquele museu.
Retornei àquele museu.
6
REGRAS PRÁTICAS
01) Só ocorre crase diante de palavras femininas,
portanto nunca use o acento grave indicativo de
crase diante de palavras que não sejam femininas.
“O sol estava a pino.”
“Ela recorreu a mim.”
“Estou disposto a ajudar você.”
(Sem crase, pois pino,
mim e ajudar não são
palavras femininas)
7
DICA GERAL
Para confirmar a existência da crase, substitua a
palavra feminina por uma masculina. Verifique se
aparece a preposição.
Fui a + a cidade. | Fui a + o bairro.
Fui à cidade. | Fui ao bairro.
8
REGRAS PRÁTICAS
02) Se a preposição a vier de um verbo que indica
destino (ir, vir, voltar, chegar, cair, comparecer,
dirigir-se...), troque este verbo por outro que
indique procedência (vir, voltar,chegar...); se,
diante do que indicar procedência, surgir da,
diante do que indicar destino, ocorrerá crase; caso
contrário, não ocorrerá crase.
“Vou a Porto Alegre.” (Sem crase, pois Venho de Porto
Alegre)
“Vou à Bahia.” (Com crase, pois Venho da Bahia)
9
REGRAS PRÁTICAS
03) Se não houver verbo indicando movimento,
troca-se a palavra feminina por outra masculina;
se, diante da masculina, surgir ao, diante da
feminina, ocorrerá crase; caso contrário, não
ocorrerá crase.
“Assisti à peça.” (Com crase, pois Assisti ao filme)
“Paguei à cabeleireira.” (Com crase, pois Paguei ao
cabeleireiro)
“Respeito as regras.” (Sem crase, pois Respeito os
regulamentos)
10
REGRAS PRÁTICAS
4) Para verificar a ocorrência do artigo a ,
transforma-se a palavra ( a respeito da qual
haja dúvida ) em sujeito de uma oração
qualquer :
“Iremos todos a Brasília” ou “Iremos todos à
Brasília”
A palavra Brasília como sujeito: Brasília foi
concebida por Niemeyer.
Logo: “Iremos todos a Brasília” (sem crase)
11
CRASE OBRIGATÓRIA
01) Todas as junções entre a preposição
a com:
 a) artigo a (as): “Resistiremos à tentação.”
 b) pronome demonstrativo a(s) = aquela(s): “Minha
sugestão é semelhante àquela que você deu.”
 c) pronomes demonstrativos aquele(s) , aquela(s) ,
aquilo: “Renderemos homenagem àquele que nos guiou até
aqui.”
 d) pronomes relativos a qual , as quais: “Chegaram as
mulheres às quais você deve agradar.”
12
CRASE OBRIGATÓRIA
02) Nas expressões com indicação de
hora especificada.
“Chegaremos à uma hora , não às duas.”
Mas = “Sairemos daqui a uma hora” ( = falta uma
hora para a saída).
13
CRASE OBRIGATÓRIA
03) Diante das palavras moda e maneira, das
expressões adverbiais à moda de e à maneira de,
mesmo que as palavras moda e maneira fiquem
subentendidas, ocorre crase.
“Fizemos um churrasco à gaúcha.”
“Comemos bife à milanesa, frango à passarinho e
espaguete à bolonhesa.”
“Joãozinho usa cabelos à Príncipe Valente.”
14
CRASE OBRIGATÓRIA
04) Nas locuções adverbiais, prepositivas e
conjuntivas cujos núcleos sejam palavras
femininas.
“À tarde e à noite aquela casa ficava às moscas.”
“Tudo ocorreu às avessas.”
15
DIANTE DE NOME DE LUGAR
Formule uma frase com o verbo vir. Se aparecer a
contração da, usa-se crase.
Viajamos à Argentina no mês passado.
Viemos da Argentina.
Vou a Curitiba.
Venho de Curitiba.
16
DIANTE DE NOME DE LUGAR
Caso o nome do lugar estiver determinado, passará a
exigir o uso do acento grave.
Vou à moderna Curitiba.
Venho da moderna Curitiba.
17
DIANTE DE “CASA” E “TERRA”
Casa no sentido de “lar” e terra no sentido de “chão
firme” não exigem artigo e, portanto, não ocorre
crase.
Ontem voltei cedo a casa.
Os marinheiros desceram a terra.
18
DIANTE DE “CASA” E “TERRA”
Se “casa” e “terra” estiverem determinados, ocorrerá
a crase.
Voltamos cedo à casa dos tios.
Os marinheiros desceram à terra dos pigmeus.
19
CASOS ESPECIAIS
Ocorre crase nas expressões adverbiais, prepositivas
e conjuntivas formadas por palavras femininas (à
noite, à tarde, à direita, à esquerda, à vista, às duas
horas, à meia-noite, às vezes, às pressas, às
escondidas, à beira de, à moda de [mesmo
subentendida]...)
A aula começa às dezenove horas.
Às vezes vejo-o passar às pressas.
Comi uma feijoada à mineira à beira de um fogão.
20
USO FACULTATIVO DO ACENTO GRAVE
01) Após a preposição até, é facultativo o uso da
preposição a, portanto, caso haja substantivo
feminino à frente, a ocorrência de crase será
facultativa.
“Fui até a secretaria.”
“Fui até à secretaria.”
21
USO FACULTATIVO DO ACENTO GRAVE
02) Diante de pronomes possessivos femininos, é
facultativo o uso do artigo, então, quando houver a
preposição a, será facultativa a ocorrência de crase.
“Referi-me a sua professora.”
“Referi-me à sua professora.”
22
USO FACULTATIVO DO ACENTO GRAVE
03) Antes de nomes próprios femininos .
Neste caso , é o artigo definido que pode ou
não ser anteposto a tais substantivos.
“Entregarei tudo a (para) Juliana.” = “Entregarei
tudo à (para a) Juliana.”
Contudo, não se deve usar artigo (e portanto
acento grave) antes do nome de pessoas célebres e
de santos:
“Entregarei tudo a Nossa Senhora.”
23
USO FACULTATIVO DO ACENTO GRAVE
Antes de nome de pessoa do sexo feminino.
Entregue o bilhete a Sandra.
Entregue o bilhete à Sandra.
24
USO FACULTATIVO DO ACENTO GRAVE
Diante de pronome possessivo feminino.
Refiro-me a nossa vitória.
Refiro-me à nossa vitória.
25
USO FACULTATIVO DO ACENTO GRAVE
Depois da preposição até.
Fomos até a feira.
Fomos até à feira.
26
CRASE PROIBIDA
01) Antes de palavras masculinas:
“Irei a pé e você irá a cavalo.”
02) Entre palavras repetidas femininas ou
masculinas:
“Encontrou-se face a face com o inimigo.”
“Ela sangrava gota a gota.”
27
CRASE PROIBIDA
03) Antes de verbos , já que não admitem artigo:
“Começaremos a estudar hoje à tarde.”
04) Antes de pronomes , visto que em geral não admitem
artigo:
 “Referiram-se a você , a ela e a mim.”
28
CRASE PROIBIDA
05) Diante da palavra distância, só ocorrerá crase, se
houver a formação de locução prepositiva, ou seja,
se não houver a preposição de, não ocorrerá crase.
“Reconheci-o a distância.”
“Reconheci-o à distância de duzentos metros.”
06) A palavra CASA só terá artigo, se estiver especificada,
portanto só ocorrerá crase diante da palavra casa nesse
caso.
“Cheguei a casa antes de todos.”
“Cheguei à casa de Ronaldo antes de todos.”
29
CRASE PROIBIDA
07) A palavra TERRA significando planeta, é substantivo próprio e tem
artigo, conseqüentemente, quando houver a preposição a, ocorrerá a
crase; significando chão firme, solo, só tem artigo, quando estiver
especificada, portanto só nesse caso poderá ocorrer a crase.
 “Os astronautas voltaram à Terra.”
 “Os marinheiros voltaram a terra.”
 “Irei à terra de meus avós.”
 08) Quando o a estiver no singular, diante de uma palavra no plural,
não ocorre crase.
 “Referi-me a todas as alunas, sem exceção.”
 “Não gosto de ir a festas desacompanhado.”
30
“É muito melhor arriscar coisas grandiosas, alcançar triunfos e
glórias, mesmo expondo-se à derrota, do que formar fila com os
pobres de espírito que nem gozam muito nem sofrem muito,
porque vivem nessa penumbra cinzenta que não conhece vitória
nem derrota.”
(Theodore Roosevelt)
31

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Concordância nominal
Concordância nominalConcordância nominal
Concordância nominal
 
Uso da crase
Uso da crase Uso da crase
Uso da crase
 
Concordância verbal e nominal certo
Concordância verbal e nominal certoConcordância verbal e nominal certo
Concordância verbal e nominal certo
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Concordância verbal
Concordância verbalConcordância verbal
Concordância verbal
 
Concordância nominal slides
Concordância nominal slidesConcordância nominal slides
Concordância nominal slides
 
Preposição
PreposiçãoPreposição
Preposição
 
Aula sobre crase
Aula sobre craseAula sobre crase
Aula sobre crase
 
Concordância Nominal
Concordância NominalConcordância Nominal
Concordância Nominal
 
Artigo aula 8
Artigo   aula 8Artigo   aula 8
Artigo aula 8
 
Complemento nominal
Complemento nominalComplemento nominal
Complemento nominal
 
Termos acessórios da oração
Termos acessórios da oraçãoTermos acessórios da oração
Termos acessórios da oração
 
Concordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adrianaConcordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adriana
 
Hifen
HifenHifen
Hifen
 
Concordância Verbal e Nominal
Concordância Verbal e NominalConcordância Verbal e Nominal
Concordância Verbal e Nominal
 
Usando a crase
Usando a craseUsando a crase
Usando a crase
 
Regência nominal e verbal
Regência nominal e verbalRegência nominal e verbal
Regência nominal e verbal
 
Forma nominal
Forma nominalForma nominal
Forma nominal
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Formação das palavras
Formação das palavrasFormação das palavras
Formação das palavras
 

Destaque

Formulas excel
Formulas excelFormulas excel
Formulas excel
con_seguir
 

Destaque (20)

Aula 4 crase
Aula 4   craseAula 4   crase
Aula 4 crase
 
A Crase
A CraseA Crase
A Crase
 
Português Básico - Pronome
Português Básico - PronomePortuguês Básico - Pronome
Português Básico - Pronome
 
Labruna - aula crase
Labruna - aula craseLabruna - aula crase
Labruna - aula crase
 
Excel Formulas
Excel FormulasExcel Formulas
Excel Formulas
 
Lista de formulas de excel em inglês e português microsoft office - portuga...
Lista de formulas de excel em inglês e português   microsoft office - portuga...Lista de formulas de excel em inglês e português   microsoft office - portuga...
Lista de formulas de excel em inglês e português microsoft office - portuga...
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Emprego do pronome você
Emprego do pronome vocêEmprego do pronome você
Emprego do pronome você
 
Pronome e determ.
Pronome e determ.Pronome e determ.
Pronome e determ.
 
Tópicos frasais
Tópicos frasaisTópicos frasais
Tópicos frasais
 
Excel formulas
Excel formulasExcel formulas
Excel formulas
 
Uso dos porquês
Uso dos porquêsUso dos porquês
Uso dos porquês
 
Excel - Fórmulas Básicas
Excel -  Fórmulas BásicasExcel -  Fórmulas Básicas
Excel - Fórmulas Básicas
 
Exercícios de classes de palavras, pronome emprego e classificação
Exercícios de classes de palavras, pronome emprego e classificaçãoExercícios de classes de palavras, pronome emprego e classificação
Exercícios de classes de palavras, pronome emprego e classificação
 
Formulas_Excel
Formulas_ExcelFormulas_Excel
Formulas_Excel
 
Formulas excel
Formulas excelFormulas excel
Formulas excel
 
Português - Concordância Verbal - www.CentroApoio.com - Vídeo Aulas
Português - Concordância Verbal - www.CentroApoio.com - Vídeo AulasPortuguês - Concordância Verbal - www.CentroApoio.com - Vídeo Aulas
Português - Concordância Verbal - www.CentroApoio.com - Vídeo Aulas
 
Frase oracao-periodo blog
Frase oracao-periodo blogFrase oracao-periodo blog
Frase oracao-periodo blog
 
Crase 1
Crase 1Crase 1
Crase 1
 
O uso dos porquês
O uso dos porquêsO uso dos porquês
O uso dos porquês
 

Semelhante a USO DA CRASE (20)

Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase 2
Crase 2Crase 2
Crase 2
 
Crase2 120529191625-phpapp01
Crase2 120529191625-phpapp01Crase2 120529191625-phpapp01
Crase2 120529191625-phpapp01
 
Apresentação1 crase
Apresentação1 craseApresentação1 crase
Apresentação1 crase
 
Apresentação1 crase
Apresentação1 craseApresentação1 crase
Apresentação1 crase
 
Trabalho da deza
Trabalho da dezaTrabalho da deza
Trabalho da deza
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Camões crase
Camões   craseCamões   crase
Camões crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Curso de português erros mais comuns - aula 3
Curso de português   erros mais comuns - aula 3Curso de português   erros mais comuns - aula 3
Curso de português erros mais comuns - aula 3
 
CRASE
CRASECRASE
CRASE
 
crase.pdf
crase.pdfcrase.pdf
crase.pdf
 
Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5
 
Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5Nilvaandrade ativ5
Nilvaandrade ativ5
 
Camões crase - 2013
Camões   crase - 2013Camões   crase - 2013
Camões crase - 2013
 
Português - Crase (1ª Unidade)
Português - Crase (1ª Unidade)Português - Crase (1ª Unidade)
Português - Crase (1ª Unidade)
 
10 dicas para entender a crase aula I
10 dicas para entender a crase   aula I10 dicas para entender a crase   aula I
10 dicas para entender a crase aula I
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
crases-130528213521-phpapp01 (1).pptx
crases-130528213521-phpapp01 (1).pptxcrases-130528213521-phpapp01 (1).pptx
crases-130528213521-phpapp01 (1).pptx
 

Último

ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
azulassessoria9
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 

Último (20)

Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 

USO DA CRASE

  • 2. A UTILIZAÇÃO DO ACENTO GRAVE RASE 2
  • 3. CRASE X ACENTO GRAVE CRASE é o fenômeno ocorrido na junção da preposição a com o artigo a. ACENTO GRAVE é a indicação da ocorrência desse fenômeno. 3
  • 4. CRASE X ACENTO GRAVE A palavra crase provém do grego (krâsis) e significa mistura. Essa denominação visa a especificar principalmente a contração ou fusão da preposição a com os artigos definidos femininos (a, as) ou com os pronomes demonstrativos a, as, aquele, aquela, aquilo. 4
  • 5. EXEMPLO a + a = à Fui a + a feira Fui à feira. 5
  • 6. A + AQUELE (AQUELA, AQUILO) Também ocorre crase na junção da preposição a com os pronomes demonstrativos aquele(s), aquela(s), aquilo. Retornei a + aquele museu. Retornei àquele museu. 6
  • 7. REGRAS PRÁTICAS 01) Só ocorre crase diante de palavras femininas, portanto nunca use o acento grave indicativo de crase diante de palavras que não sejam femininas. “O sol estava a pino.” “Ela recorreu a mim.” “Estou disposto a ajudar você.” (Sem crase, pois pino, mim e ajudar não são palavras femininas) 7
  • 8. DICA GERAL Para confirmar a existência da crase, substitua a palavra feminina por uma masculina. Verifique se aparece a preposição. Fui a + a cidade. | Fui a + o bairro. Fui à cidade. | Fui ao bairro. 8
  • 9. REGRAS PRÁTICAS 02) Se a preposição a vier de um verbo que indica destino (ir, vir, voltar, chegar, cair, comparecer, dirigir-se...), troque este verbo por outro que indique procedência (vir, voltar,chegar...); se, diante do que indicar procedência, surgir da, diante do que indicar destino, ocorrerá crase; caso contrário, não ocorrerá crase. “Vou a Porto Alegre.” (Sem crase, pois Venho de Porto Alegre) “Vou à Bahia.” (Com crase, pois Venho da Bahia) 9
  • 10. REGRAS PRÁTICAS 03) Se não houver verbo indicando movimento, troca-se a palavra feminina por outra masculina; se, diante da masculina, surgir ao, diante da feminina, ocorrerá crase; caso contrário, não ocorrerá crase. “Assisti à peça.” (Com crase, pois Assisti ao filme) “Paguei à cabeleireira.” (Com crase, pois Paguei ao cabeleireiro) “Respeito as regras.” (Sem crase, pois Respeito os regulamentos) 10
  • 11. REGRAS PRÁTICAS 4) Para verificar a ocorrência do artigo a , transforma-se a palavra ( a respeito da qual haja dúvida ) em sujeito de uma oração qualquer : “Iremos todos a Brasília” ou “Iremos todos à Brasília” A palavra Brasília como sujeito: Brasília foi concebida por Niemeyer. Logo: “Iremos todos a Brasília” (sem crase) 11
  • 12. CRASE OBRIGATÓRIA 01) Todas as junções entre a preposição a com:  a) artigo a (as): “Resistiremos à tentação.”  b) pronome demonstrativo a(s) = aquela(s): “Minha sugestão é semelhante àquela que você deu.”  c) pronomes demonstrativos aquele(s) , aquela(s) , aquilo: “Renderemos homenagem àquele que nos guiou até aqui.”  d) pronomes relativos a qual , as quais: “Chegaram as mulheres às quais você deve agradar.” 12
  • 13. CRASE OBRIGATÓRIA 02) Nas expressões com indicação de hora especificada. “Chegaremos à uma hora , não às duas.” Mas = “Sairemos daqui a uma hora” ( = falta uma hora para a saída). 13
  • 14. CRASE OBRIGATÓRIA 03) Diante das palavras moda e maneira, das expressões adverbiais à moda de e à maneira de, mesmo que as palavras moda e maneira fiquem subentendidas, ocorre crase. “Fizemos um churrasco à gaúcha.” “Comemos bife à milanesa, frango à passarinho e espaguete à bolonhesa.” “Joãozinho usa cabelos à Príncipe Valente.” 14
  • 15. CRASE OBRIGATÓRIA 04) Nas locuções adverbiais, prepositivas e conjuntivas cujos núcleos sejam palavras femininas. “À tarde e à noite aquela casa ficava às moscas.” “Tudo ocorreu às avessas.” 15
  • 16. DIANTE DE NOME DE LUGAR Formule uma frase com o verbo vir. Se aparecer a contração da, usa-se crase. Viajamos à Argentina no mês passado. Viemos da Argentina. Vou a Curitiba. Venho de Curitiba. 16
  • 17. DIANTE DE NOME DE LUGAR Caso o nome do lugar estiver determinado, passará a exigir o uso do acento grave. Vou à moderna Curitiba. Venho da moderna Curitiba. 17
  • 18. DIANTE DE “CASA” E “TERRA” Casa no sentido de “lar” e terra no sentido de “chão firme” não exigem artigo e, portanto, não ocorre crase. Ontem voltei cedo a casa. Os marinheiros desceram a terra. 18
  • 19. DIANTE DE “CASA” E “TERRA” Se “casa” e “terra” estiverem determinados, ocorrerá a crase. Voltamos cedo à casa dos tios. Os marinheiros desceram à terra dos pigmeus. 19
  • 20. CASOS ESPECIAIS Ocorre crase nas expressões adverbiais, prepositivas e conjuntivas formadas por palavras femininas (à noite, à tarde, à direita, à esquerda, à vista, às duas horas, à meia-noite, às vezes, às pressas, às escondidas, à beira de, à moda de [mesmo subentendida]...) A aula começa às dezenove horas. Às vezes vejo-o passar às pressas. Comi uma feijoada à mineira à beira de um fogão. 20
  • 21. USO FACULTATIVO DO ACENTO GRAVE 01) Após a preposição até, é facultativo o uso da preposição a, portanto, caso haja substantivo feminino à frente, a ocorrência de crase será facultativa. “Fui até a secretaria.” “Fui até à secretaria.” 21
  • 22. USO FACULTATIVO DO ACENTO GRAVE 02) Diante de pronomes possessivos femininos, é facultativo o uso do artigo, então, quando houver a preposição a, será facultativa a ocorrência de crase. “Referi-me a sua professora.” “Referi-me à sua professora.” 22
  • 23. USO FACULTATIVO DO ACENTO GRAVE 03) Antes de nomes próprios femininos . Neste caso , é o artigo definido que pode ou não ser anteposto a tais substantivos. “Entregarei tudo a (para) Juliana.” = “Entregarei tudo à (para a) Juliana.” Contudo, não se deve usar artigo (e portanto acento grave) antes do nome de pessoas célebres e de santos: “Entregarei tudo a Nossa Senhora.” 23
  • 24. USO FACULTATIVO DO ACENTO GRAVE Antes de nome de pessoa do sexo feminino. Entregue o bilhete a Sandra. Entregue o bilhete à Sandra. 24
  • 25. USO FACULTATIVO DO ACENTO GRAVE Diante de pronome possessivo feminino. Refiro-me a nossa vitória. Refiro-me à nossa vitória. 25
  • 26. USO FACULTATIVO DO ACENTO GRAVE Depois da preposição até. Fomos até a feira. Fomos até à feira. 26
  • 27. CRASE PROIBIDA 01) Antes de palavras masculinas: “Irei a pé e você irá a cavalo.” 02) Entre palavras repetidas femininas ou masculinas: “Encontrou-se face a face com o inimigo.” “Ela sangrava gota a gota.” 27
  • 28. CRASE PROIBIDA 03) Antes de verbos , já que não admitem artigo: “Começaremos a estudar hoje à tarde.” 04) Antes de pronomes , visto que em geral não admitem artigo:  “Referiram-se a você , a ela e a mim.” 28
  • 29. CRASE PROIBIDA 05) Diante da palavra distância, só ocorrerá crase, se houver a formação de locução prepositiva, ou seja, se não houver a preposição de, não ocorrerá crase. “Reconheci-o a distância.” “Reconheci-o à distância de duzentos metros.” 06) A palavra CASA só terá artigo, se estiver especificada, portanto só ocorrerá crase diante da palavra casa nesse caso. “Cheguei a casa antes de todos.” “Cheguei à casa de Ronaldo antes de todos.” 29
  • 30. CRASE PROIBIDA 07) A palavra TERRA significando planeta, é substantivo próprio e tem artigo, conseqüentemente, quando houver a preposição a, ocorrerá a crase; significando chão firme, solo, só tem artigo, quando estiver especificada, portanto só nesse caso poderá ocorrer a crase.  “Os astronautas voltaram à Terra.”  “Os marinheiros voltaram a terra.”  “Irei à terra de meus avós.”  08) Quando o a estiver no singular, diante de uma palavra no plural, não ocorre crase.  “Referi-me a todas as alunas, sem exceção.”  “Não gosto de ir a festas desacompanhado.” 30
  • 31. “É muito melhor arriscar coisas grandiosas, alcançar triunfos e glórias, mesmo expondo-se à derrota, do que formar fila com os pobres de espírito que nem gozam muito nem sofrem muito, porque vivem nessa penumbra cinzenta que não conhece vitória nem derrota.” (Theodore Roosevelt) 31