SlideShare uma empresa Scribd logo
QUESTÕES COMENTADAS
DE CRASE
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 2
Sinopse:
Esta série ajudará você a compreender melhor o português, uma vez que cada
questão é comentada, ajudando-o a entender o gabarito. O aprendizado por meio de
exercícios é a melhor forma de se aprender qualquer matéria, por isso ao comprar este
material, você não só estará melhorando seu português como também melhorará seu
nível nas provas. Além disso, está série de questões comentadas de crase vem com um
resumão de todo o conteúdo da matéria, facilitando assim sua fixação e aprendizado.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 3
Veja alguns de nossos livros de questões comentadas.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 4
CRASE
É a fusão de preposição “a” mais artigo definido “a” cujo acento é chamado de “grave”. O
acento grave normalmente está ligado à regência verbal (verbo) ou à nominal (adjetivo, advérbio,
substantivo).
CASOS PROIBIDOS DE CRASE
QUANDO EXEMPLOS
1. Antes de verbo no infinitivo Voltamos a contemplar a lua.
2. Antes de palavras masculinas Gosto muito de andar a pé.
3. Entre palavras repetidas Estava frente a frente do chefe.
4. Antes de artigos indefinidos: um, uma Referiu-se a uma menina bonita.
5. Antes de pronomes:
Vossa Majestade - Vossa Eminência – Você - ela,
ele, nós, vós - esse, essa, isso, este, esta, isto -
seu, teu, meu, nosso, vosso - cujo, quem - todos,
qualquer, ninguém, alguém, nada, nenhum, tudo,
outro, cada...
Diga a Vossa Excelência tudo.
Não fale só a ela, mas a nós também.
Vou a esta loja hoje.
Diga a quem quiser ouvir.
Refiro-me a todos.
6. Antes de palavras no plural: (a + plural)
Vamos a festas animadas.
Referiu-se a moças jovens.
7. Após preposições: com, perante, para, entre,
desde, após, sobre...
Estava perante a mulher
Viajará após as 10h com a mulher.
8. Após o advérbio: “daqui, daí” Daqui a duas horas nos encontraremos.
CASOS FACULTATIVOS
QUANDO EXEMPLOS
1. Antes de nome de “mulheres” Refiro-me à (a) Kênia.
2. Antes de pronomes possessivos femininos
que se encontram no singular “sua, tua,
minha, nossa, vossa” + substantivo.
Dirija-se à (a) sua fazenda.
Vou à (a) minha loja agora.
3. Depois da preposição “até” Dirija-se até à (a) praia.
4. Quando há dois sentidos na frase Cheirava a gasolina ou à gasolina.
O pai agrada a filha ou à filha.
CASOS OBRIGATÓRIOS
QUANDO EXEMPLOS
 1. Na indicação de horas Chegamos às nove horas.
 2. Nas expressões mesmo que subentendidas:
 “à moda de, à maneira de”
Cortou o cabelo à Ronaldinho.
Cortou o cabelo à moda de Ronaldinho.
 3. Nas locuções:
 Conjuntivas: “à medida que, à proporção que”
 Prepositivas: “à espera de, à procura de, à custa de”
 Adverbiais femininas: “à noite, à tarde, às claras, à
direita, às ocultas, às vezes, às pressas”
À medida que trabalho, fico rico.
Aprendo à proporção que estudo.
Ele está à espera de você.
Ele vive à custa do pai.
Chegamos à noite.
Virou à direita daquela rua.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 5
DICAS
1. Nos pronomes demonstrativos: (àquele, àquilo)
quando trocados por (ao), e (àquela) quando trocado por
(a esta).
Vou àquele bairro. (ao)
Diga àquela mulher tudo. (a esta)
 2. Nomes de cidades, estados e países (CEP), aplique:
 “Vim de” crase não há.
 “Vim da” crase há.
Vou à Bahia amanhã. (Vim da Bahia)
Viajarei à África. (Vim da África)
Vou a Petrópolis. (Vim de Petrópolis)
Chegarei a Belo Horizonte. (Vim de BH)
 3. Antes das palavras “terra - distância - casa” (DTC)
quando vierem determinadas, isto é acompanhadas de
um especificador
Vou à casa de meus pais hoje.
Vamos à terra natal este ano.
Os meninos chegaram a terra agora.
 4. Antes do pronome (qual) basta trocar a palavra
feminina por outra masculina, caso seja possível
empregar a preposição “ao”, haverá crase.
A sala à qual iremos é muito boa.
O quarto ao qual iremos é muito bom.
A mulher à qual me refiro é bonita.
O homem ao qual me refiro é bonito.
 5. Antes do pronome “que” quando o “a” for substituído
pelo pronome “aquela”. O “a” fará referencia a um termo
já citado na frase.
Sua ideia é igual à que ele tem. (aquela)
Refiro-me à que você viu. (aquela)
 6. Quando a palavra feminina for substituída por outra
masculina, e esta última aceitar “ao”. Isso ajuda saber se
há ou não a presença da preposição.
Vou à praia. (ao parque)
Diga à menina tudo. (ao homem)
Comprei a loja. (o carro) Não é possível
a troca, por isso sem crase.
 7. Antes dos pronomes de tratamento:
 “Senhora – Dona – Senhorita” (SDS)
Sou igual à Senhora.
Diga o problema à Dona Maria.
Falei tudo à Senhorita.
 8. Quando os pronomes “sua – tua – minha – nossa –
vossa” substituírem o termo anterior, desempenhado
função de pronome substantivo.
Vou a sua loja e não à minha. (loja)
Sua casa é igual à nossa. (casa)
 9. Nos pronomes “suas – tuas – minhas – nossas –
vossas”, seguidos de substantivos femininos, desde que
eles sejam objeto indireto. É facultativo se esses
pronomes estiverem no singular.
Diga às suas filhas tudo.
Obedeceu às suas ordens.
Referi-me a sua filha.
Refiro-me à sua ordem.
 10. Entre períodos, intervalos, horas, você deve gravar:
 De ... a (Crase não há.)
 Da ... à (Crase há.)
De 7h as 9h.
Das 7h às 9h.
De quinta a sexta.
Da página 1 à página 20.
 Não se emprega crase quando o termo que completa o verbo desempenha a função de objeto
direto mesmo que a palavra posterior seja feminina. Portanto, basta trocar o substantivo pelo
pronome indefinido “algo”, entretanto muito cuidado, pois alguns verbos apresentam duas
regências.
 Ele seguiu a menina. = Ele seguiu “algo”.
 Comprei a casa. = Comprei “algo”.
 Pagou a conta. = Pagou “algo”.
 Pagou à mulher. = Pagou “a”...
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 6
QUESTÕES DE PROVAS ANTERIORES
DE CRASE
1. Em que sentença o sinal indicativo da crase está empregado de acordo com a
norma-padrão da língua?
a) O elevador entrará em manutenção à partir das oito horas.
b) Depois de aposentado, ele começou à se dedicar ao canto.
c) O menino assistiu à toda a peça sem se mexer na cadeira.
d) Ela venceu na vida à custa de muito esforço e dedicação.
e) Ele entregará a encomenda à quem estiver na portaria.
Comentário: Deve-se empregar crase nas locuções prepositivas femininas como: “à
custa de, à procura de, à espera de”.
2. O sinal indicativo da crase deve ser utilizado na palavra em destaque na frase:
a) Moro a cerca de cem metros do escritório.
b) A partir de amanhã vou trabalhar no centro.
c) Pedi que ele me procurasse a uma hora da tarde.
d) A cada semana que passa mais aprendo no trabalho.
e) Passei a ler mais depois de ganhar vários livros de poesia.
Comentário: Emprega-se a crase antes de “uma” quando vier ao lado da palavra
“hora”, pois se usa o acento grave nas expressões adverbiais de hora.
3. Assinale a frase em que está INCORRETO o uso do acento grave.
a) Ele vive às custas do pai.
b) O professor age sempre às claras.
c) Sairei às três horas.
d) Não te conto às vezes que viajou.
e) Examinou o doente às pressas.
Comentário: O termo “as vezes” completa o verbo, fazendo papel de objeto direto.
Portanto, o verbo não pede preposição e por isso não se aceita o uso de crase.
4. O acento grave indicativo de crase está empregado de acordo com a norma-padrão
em:
a) O velho deu à informação errada.
b) O rapaz disse à todos que sabia o endereço.
c) O senhor trouxe o carro à Copacabana.
d) O açougue fica à direita da farmácia.
e) O motorista seguiu à sinalização das ruas.
Comentário: Emprega-se crase antes das locuções adverbiais femininas, tais como:
“à noite, à tarde, às vezes, às claras, às ocultas, à esquerda...”.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 7
5. O sinal indicativo de crase é necessário em:
a) A venda de computadores chegou a reduzir o preço do equipamento.
b) Os atendentes devem vir a ter novo treinamento.
c) É possível ir as aulas sem levar o notebook.
d) Não desejo a ninguém uma vida infeliz.
e) A instrutora chegou a tempo para a prova.
Comentário: O verbo “ir” pede adjunto adverbial de lugar seguido de preposição.
Basta também trocar o termo “as aulas” por uma expressão masculina: É possível ir
ao evento.
6. Assinale a frase com o uso INCORRETO do acento indicativo de crase.
a) Deve ser garantido à todas as pessoas o direito de ir e vir.
b) Estamos à procura de bons roteiros de viagem.
c) Foi da Itália à Alemanha de avião.
d) Viajamos à tarde para São Paulo.
e) Às vezes ele caminha no Jardim Botânico.
Comentário: Não se emprega crase antes de pronomes indefinidos “todos, toda,
nada, ninguém, alguém, qualquer”, e também não há crase quando o “a” se encontra
no singular e a palavra posterior se encontra no “plural”, isto é, não há concordância
entre os termos.
7. “O nadador chegou ___ etapa final da competição, ___ vésperas do seu
aniversário. Ele aspirava ___ medalha de ouro ___muito tempo”. Os vocábulos que
preenchem corretamente as lacunas do texto acima são:
a) a – as – a – há
b) a – às – à – a
c) à – as – a – a
d) à – às – à – há
e) à – as – à – há
Comentário: O verbo “chegar” pede a preposição “à”, já que pede adjunto adverbial
de lugar e a palavra é feminina; “às vésperas de” é uma locução prepositiva feminina,
isto é, “a + substantivo feminino + de”; “aspirar” está no sentido de almejar, portanto
deve-se empregar crase; deve-se empregar o “há” uma vez que apresenta ideia de
tempo passado.
8. Assinale a única frase em que o a deve receber acento indicativo de crase.
a) Dedicava-se a crônica semanal com prazer.
b) Pegou um lápis e pôs-se a trabalhar.
c) Leu o texto de ponta a ponta.
d) A crônica fazia referência a pessoas comuns.
e) Algumas vezes dirigia-se a seu computador.
Comentário: O verbo “dedicar-se” pede objeto indireto, basta usar a tática de trocar a
palavra feminina por outra masculina para tirar a prova: Dedicava-se ao trabalho...
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 8
9. Assinale a frase em que há uso INADEQUADO do acento grave, indicativo da
crase.
a) O piazinho chegou à cidade rapidamente.
b) Foi, às pressas, contar o que tinha visto.
c) Todos ficaram à beira da estrada para ouvi-lo.
d) Então ele deu todas as informações àquelas pessoas espantadas.
e) A multidão quase mata o motorista à porretadas.
Comentário: Não se emprega crase quando o “a” estiver no singular e a palavra
posterior estiver no plural, pois não há concordância entre os termos. Logo, o “a” é
apenas um artigo, e para que haja crase é necessária a fusão de preposição mais
artigo.
10. Em qual das seguintes frases é necessária a colocação do sinal indicativo de
crase no vocábulo a(s)?
a) Como o estresse afeta as pessoas?
b) Mulheres são mais sensíveis a mudanças.
c) Elas visam a harmonia pessoal e social.
d) Já os homens tendem a ignorar problemas emocionais.
e) Eles estão mais aptos a passar por cima das dificuldades.
Comentário: “visar” quando empregado no sentido de “almejar” pede a preposição.
Logo, o “a” deverá ser craseado, uma vez que ocorre a fusão de preposição mais
artigo. Tome cuidado com os vários sentidos que o verbo possa apresentar.
11. Em qual opção o a deve levar o acento indicativo de crase?
a) Dirigiu a você algumas palavras.
b) Referia-se a legenda do filme.
c) Foi para a praia e leu um livro.
d) Deu ciência a todos de sua decisão.
e) Estava frente a frente com o problema.
Comentário: “à legenda” completa o verbo transitivo indireto, isto é, um verbo que
pede um complemento com preposição, caso queira tirar a prova, basta fazer a troca
do feminino para o masculino: Referia-se ao problema...
12. Em qual das seguintes frases falta o sinal indicativo da crase?
a) Vou ser mais tolerante no trabalho a partir de agora.
b) Passei a prestar mais atenção nas tarefas.
c) Na reunião, alguém me interrompia a todo instante.
d) O evento vai acontecer de 2 a 4 de março.
e) Entreguei a equipe de vendas os novos formulários.
Comentário: O verbo “entregar” apresenta dois complementos: um objeto direto “os
novos formulários” e um objeto indireto “à equipe de vendas” por isso ocorre o acento
de crase. Basta também fazer a substituição do feminino para o masculino: Entreguei
ao homem os novos formulários.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 9
13. O uso do sinal indicativo da crase está corretamente empregado em:
a) A criança gosta de responder à tudo o que lhe perguntam.
b) O pomar se estendia à perder de vista.
c) O jornalista entregou o artigo à redatora-chefe.
d) Ele começou à nadar por recomendação médica.
e) Daqui à uma semana o inventor dará uma palestra.
Comentário: “entregar”, dentro da frase, apresenta dois complementos verbais: um
objeto direto, que não vem com preposição “o artigo” e o outro objeto indireto que
deve apresentar preposição, portanto o “a” deve ser craseado. Usando a tática da
troca, temos: O jornalista entregou o artigo ao homem.
14. Deve ser colocado o sinal indicativo de crase no a em:
a) Diferentes recordes podem interessar a muitas pessoas.
b) Conversas entre amigos podem levar a novas invenções.
c) Fornecemos novas informações a assessoria do Guinness.
d) Não se deve desprezar a intenção das pessoas ao ajudá-las.
e) Falou-se muito a respeito das unhas mais compridas do mundo.
Comentário: Emprega-se a crase nos objetos indiretos quando a palavra for feminina,
ocorrendo a fusão de “a” preposição mais “a” artigo.
15. O sinal indicativo da crase deve ser aplicado em qual das sentenças abaixo?
a) Ele é um cavalheiro a moda antiga.
b) Estarei na ilha a partir de amanhã.
c) O sabiá é admirado devido a seu belo canto.
d) Daqui a uma hora se iniciará o recital.
e) O pomar fica próximo a uma horta.
Comentário: Emprega-se crase antes das palavras “moda, maneira” mesmo que
essas venham subentendidas na frase.
16. Em qual das frases a seguir falta o sinal indicativo de crase?
a) Os estudantes seguiram a pé.
b) Ela doou muitos livros a biblioteca pública.
c) Esta área será recuperada a partir do ano que vem.
d) Ele começou a reclamar sem parar.
e) Ofereci a ela um cargo na empresa.
Comentário: O termo “a biblioteca” exerce função de objeto indireto e por essa razão
deve ser preposicionado, isto é, o “a” deve ser craseado. Usando a tática da
substituição, fica mais fácil de perceber a falta de crase: Ela doou muitos livros ao
homem.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 10
17. O vocábulo a deveria estar grafado com o acento indicativo de crase em:
a) Quem se preocupa com a água ajuda o planeta.
b) O texto se refere a possibilidade de escassez de água.
c) É centro das pesquisas dos ecologistas a preservação da água.
d) Muitos acreditam que a abundância pode levar ao desperdício.
e) Daqui a vários anos, talvez a água seja um problema.
Comentário: Usando a tática de trocar a palavra feminina pro outra masculina, temos
a prova de que o “a” será craseado. O texto se refere ao problema de escassez de
água.
18. A sentença em que o sinal indicativo de crase está usado corretamente é:
a) À partir de hoje, não teremos mais aula.
b) Vem à calhar a sua ideia de plantarmos mamão.
c) Vou ao banco pagar às contas que vencem hoje.
d) Peça à seus pais para você subir a serra conosco.
e) A peça começa às 10 h em ponto.
Comentário: Emprega-se crase nas locuções adverbiais de hora. Lembre-se de que
não se emprega crase antes de verbo no infinitivo; nos objetos diretos e antes de
pronomes possessivos masculinos.
19. Já ___tardinha, descemos num campo de pouso. Depois seguimos ___ estrada
que levava ___ cidade. A opção que, na sequência, completa corretamente a frase é:
a) à - à - a
b) à - a - à
c) à - à - à
d) a - à - à
e) a - a – à
Comentário: “à tardinha” é uma locução feminina de tempo, e por isso ocorre a crase;
“a entrada” exerce função de objeto direto, portanto não há presença de crase; “à
cidade” basta trocar por um expressão masculina: “Levava ao colégio”. Note que a
estrada leva “a algum lugar”, caso não coloque a crase, apresenta a ideia de que
alguém está levando a cidade.
20. Assinale a opção que preenche adequadamente as lacunas abaixo.
______ mais de meio século se iniciou a indústria petrolífera no Brasil. ______ partir
de então, muitas pessoas tendem ______ pensar que o petróleo aqui encontrado
pertence ______ nação brasileira.
a) Há – A – a – à
b) Há – À – à – à
c) Há – À – a – à
d) À – A – à – a
e) À – A – a – a
Comentário: Emprega-se o “há”, pois apresenta ideia de tempo passado; não se
emprega a crase antes de verbo no infinitivo “partir – pensar”; uma coisa pertence “à
outra”, logo o termo “nação virá precedido de crase”.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 11
21. ____ dois anos foi criado, na região de Irapé, um projeto de cursos, para dar
capacitação profissional ____ pessoas que quisessem ter uma ocupação, como Maria
Rodrigues, que aprendeu ____ fabricar queijos. A opção que preenche corretamente
as lacunas é:
a) Há – às – a
b) Há – às – à
c) Há – as – a
d) Á – as – a
e) À – as – à
Comentário: Emprega-se o “há” já que apresenta ideia de tempo passado; na
segunda lacuna, basta fazer a troca por outra palavra masculina: “Dar capacitação
profissional aos homens”; na terceira lacuna, não há crase, pois é proibido usá-la
antes de verbo no infinitivo.
22. Observando o uso do verbo haver, complete corretamente as lacunas abaixo com
“há” ou “a”:
I. Partiram dali ____ uma hora.
II. Esta notícia foi publicada ____ cinco anos.
III. A tragédia aconteceu ____ cinquenta metros daqui.
A sequência correta é:
a) a, há, a
b) há, a, a
c) há, a, há
d) a, a, há
e) há, há, a
Comentário: Não se emprega a crase após os advérbios “dali, daqui”; emprega-se o
“há” já que se trata de tempo passado; emprega-se o “a” quando se remete a ideia de
distância ou espaço.
23. Assinale a opção cuja sequência completa corretamente a frase abaixo.
___ medida que o tempo passava, ela ficava mais nervosa, ___ espera de uma
intuição que ___ levasse ___ tomar ___decisão acertada.
a) À – a – a – a – a
b) À – à – a – a – a
c) A – à – a – à – a
d) A – a – à – a – à
e) A – a – a – à – a
Comentário: Emprega-se crase nas locuções conjuntivas: “à medida que, à
proporção que”; emprega-se a crase nas locuções prepositivas: “à espera de, à
procura de”; não se emprega a crase, pois se trata de um pronome oblíquo que
equivale ao pronome reto “ela”; não se emprega a crase antes de verbo no infinitivo;
“a decisão” faz papel de objeto direto, logo não há crase.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 12
24. Há omissão do sinal indicativo da crase em:
a) Os vizinhos tomaram providências a respeito dos latidos.
b) O autor se refere a dupla de artistas como adoráveis.
c) Agradeci a ele pelo magnífico presente.
d) Os cães continuaram a latir sem parar.
e) Ela visita a avó todos os domingos.
Comentário: “à dupla” exerce função de objeto indireto, por isso deve receber a
crase, por se tratar de um complemento que completa o verbo transitivo indireto.
Basta também fazer a trocar para analisar a regência verbal: O autor se refere ao
jovem.
25. Os incêndios florestais que ocorrem ___ partir de agosto caminham em direção
___ grandes cidades e tendem ___ se alastrar pela região.
Preenche corretamente as lacunas do período acima a opção:
a) a – às – a
b) a – as – a
c) à – às – a
d) à – às – à
e) à – as – à
Comentário: Não se emprega a crase antes de verbo no infinitivo; “às grandes
cidades” exerce função de complemento nominal, por isso deve ocorrer a crase; não
se emprega a crase antes de pronomes oblíquos: se, ti, mim, nos, vos, lhe.
26. O acento indicativo de crase está corretamente empregado em:
a) A pipa d’água supria à carência da região.
b) Vínhamos pagando dois mil cruzeiros à pipa d’água.
c) O preço era referente à necessidade da fábrica.
d) O registro não deixa à água correr.
e) Entregava a pipa d’água à preço barato.
Comentário: “à necessidade” exerce função de complemento nominal, já que
completa “referente”, portanto o uso correto de crase. Tirando a prova, temos: O
preço era referente ao problema.
27. “... indispensável à economia orgânica”. É correto afirmar que o sinal gráfico
empregado na palavra destacada nesta frase é denominado:
a) Acento agudo
b) Acento grave
c) Crase
d) Acento circunflexo
e) Trema
Comentário: A crase se dá por meio da fusão de dois “as” e o acento recebido é o
acento grave.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 13
28. Na frase “Refiro-me à Lenda da Beleza que venceu o Tédio...” A crase está errada
em:
a) O Tédio partiu à procura de um poeta.
b) À tarde, um camponês repousava sob uma árvore.
c) A moça fugiu para à Índia.
d) As pessoas assistiam à cena, em silêncio.
e) A jovem caminhava à luz do dia.
Comentário: Não se usa crase após preposições: desde, para, com, sobre, após,
perante, contra, sem...
29. “... explicava a professora por que havia faltado tanto tempo...”
Assinale a alternativa em que também deve ocorrer o acento grave indicador da
crase:
a) Ficamos a rezar por um milagre.
b) A empresa estava a beira da falência.
c) Os documentos não fazem referência a nada.
d) O pai pediu a todos que fizessem silêncio.
e) O diretor recorreu a uma de suas secretárias.
Comentário: Emprega-se a crase antes das locuções prepositivas femininas que são
formadas de “à + substantivo feminino + de”.
30. Assinale a alternativa em que o sinal indicativo de crase é facultativo:
a) “... só puderam se desenvolver na Terra graças à nossa grande lua...”
b) “... planetas semelhantes à Terra e com vida...”
c) As viagens à Lua foram interrompidas.
d) Os cientistas se referiram à influência que a Lua exerce sobre a Terra.
e) A Lua que vemos brilhar, à noite, no céu, possui propriedades incontáveis.
Comentário: A crase é facultativa em três casos: antes de pronomes adjetivos
possessivos femininos no singular; após a preposição “até”; antes de nomes de
“mulheres”.
31. A crase foi utilizada INCORRETAMENTE em:
a) Ela está à procura de ajuda.
b) Saímos às quatro horas.
c) José perdoou à mulher.
d) Assisti àquele filme.
e) Estou disposto à perdoar.
Comentário: Não se emprega a crase antes de verbo no infinitivo, uma vez que o “a”
é meramente um preposição, isto é, não há união de preposição mais artigo.
32. Assinale a afirmativa em que o uso da crase é facultativo:
a) Sairei às duas horas da tarde.
b) Refiro-me à Carla Regina.
c) À medida que o tempo passa, fico mais feliz por você estar aqui.
d) Chegamos cedo à casa de meu pai.
e) Temos amor à arte.
Comentário: A crase é facultativa antes de nomes de mulheres.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 14
33. Assinale a alternativa em que a crase foi utilizada INCORRETAMENTE:
a) O desrespeito em relação às pessoas da terceira idade é grande.
b) Não deixe seu idoso isolado e sem nenhuma tarefa à realizar.
c) Às vezes, reconheço a importância.
d) Estamos à espera de socorro.
e) Fui ao colégio às oito horas.
Comentário: Não se emprega crase antes de verbos no infinitivo, isto é, verbo que
terminem em “r”.
34. Assinale a afirmativa INCORRETA quanto ao uso da crase:
a) Estou à procura de ajuda.
b) Fomos até à feira.
c) Fui à cidade.
d) Ela agia sempre às escondidas.
e) Estávamos frente à frente.
Comentário: Não se emprega crase entre palavras repetidas, pois o “a” é meramente
uma preposição; algumas das expressões que mais aparecem em provas são: dia a
dia, frente a frente, face a face, cara a cara.
35. “Todo homem tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião.”
Neste caso, o uso da crase está correto. Também está correto em:
a) Irei daqui à duas horas.
b) Refiro-me à meu velho amigo.
c) Pedimos arroz à grega.
d) Agradeci à um amigo.
e) Pretendo falar à todos.
Comentário: Quando vier subentendida a palavra “moda”, deve-se empregar a crase,
tais como: Comida à mineira; Vestiu-se à Luis XV.
36. “– que a Madonna venha à nossa cidade.” É correto o uso da crase, EXCETO em:
a) Fui à escola.
b) Não me refiro à secretária.
c) Entreguei o livro à professora.
d) Fui à casa dela.
e) Ela gosta de andar à cavalo.
Comentário: Não se emprega crase antes de palavras masculinas, pois não há fusão
de preposição mais artigo, ou seja, a palavra masculina não aceita o artigo feminino
“a”.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 15
37. Crase é a fusão de duas vogais da mesma natureza. Marque a alternativa que
NÃO indica um caso proibitivo de crase:
a) Graças à Deus, tudo terminou bem.
b) Aquela sua desculpa não engana à ninguém.
c) Tomou o remédio gota à gota.
d) Vou até à cidade.
e) O jovem estava entregue à alegres recordações.
Comentário: É facultava a crase após a preposição “até”.
38. O uso da crase está incorreto nas frases abaixo, EXCETO:
a) As vendas à prazo aumentaram o faturamento final.
b) Depois de tudo, passou à acreditar em mim.
c) Referiu-se à ela com indignação.
d) Estávamos à beira de um ataque de nervos.
e) Este é o resultado à que chegamos.
Comentário: Emprega-se crase antes de locuções prepositivas “à beira de, à espera
de, à procura de”. Lembre-se de que não há crase antes de masculino; verbo no
infinitivo; pronome reto, e antes dos pronomes relativos, exceto em alguns casos
especiais.
39. A opção que corretamente completa o trecho a seguir é:
“Não vai ___ recepções, ___ festas, nem ___ reuniões escolares.”
a) a, a, a
b) à, à, à
c) à, a, à
d) à, à, a
e) a, à, à
Comentário: Não se emprega a crase antes de palavras no plural, a não ser que o “a”
também esteja no plural.
40. Assinale a afirmativa em que o uso da crase apresenta-se INCORRETO:
a) Eu me referi à aluna.
b) Eles chegaram à noite.
c) Ela está à procura de ajuda.
d) Vou à Argentina no próximo mês.
e) Estou aqui desde às sete horas.
Comentário: Muito cuidado, nem sempre se emprega a crase antes de horas. Não se
emprega crase após preposição “desde” mesmo que esteja diante de uma expressão
de horas.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 16
41. Assinale a alternativa em que o uso da crase encontra-se INCORRETO:
a) Não assisto à filme de aventura.
b) Deram emprego àquela senhora.
c) Ela agia às escondidas.
d) Assistiam àquela novela.
e) Vou à Itália.
Comentário: Não se emprega a crase antes de palavras masculinas: “filme”.
42. Na frase “Deixam os filhos entregues à babá eletrônica”, o uso da crase está
correto, exceto:
a) As crianças saem às 17 horas.
b) A agressão à infância já se tornou um problema mundial.
c) Muitas crianças vivem à sofrer com a falta de carinho.
d) À noite, ainda encontramos crianças nos semáforos.
e) Muitas crianças vivem à míngua.
Comentário: Não se emprega crase antes de verbo no infinitivo “sofrer”
43. Identifique a alternativa que apresenta uma locução adverbial feminina e que por
este motivo recebeu o acento grave indicador da crase:
a) Dou seta à esquerda.
b) Fomos à Avenida 23 de Maio.
c) Tenho “amor” às filas quilométricas.
d) Respondi à pergunta da jovem calmamente.
e) Ele disse que certamente iria à loja recém inaugurada.
Comentário: Emprega-se crase antes das locuções adverbiais femininas: à noite, à
tarde, às vezes, às pressas, às claras, à esquerda, à direita...
44. Deve levar o acento grave, indicador da crase:
a) Duas a duas as alunas entravam na sala.
b) Temos celular a cartão.
c) Muitas pessoas saíram as pressas para assistir ao jogo.
d) Sou a favor dos mais fracos.
e) Comida feita em fogão a gás.
Comentário: Emprega-se crase antes das locuções adverbiais femininas: à noite, à
tarde, às vezes, às pressas, às claras, à esquerda, à direita... Lembre-se de que não
há crase antes de substantivos masculinos “cartão, favor, gás”.
45. Assinale a opção em que deve ocorrer o acento indicativo de crase, como ocorreu
em “trazer à tona”.
a) O remédio deve ser tomado gota a gota.
b) Respondi a todas perguntas.
c) Estava disposto a colaborar.
d) Saímos as pressas.
e) Referiram-se a nos ontem?
Comentário: “à tona” é uma locução adverbial feminina assim como a expressão “às
pressas”. Lembrando que não há crase entre palavras repetidas, antes de plural,
verbo no infinitivo, antes de pronome oblíquo.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 17
46. Nas alternativas abaixo o acento da crase é facultativo em:
a) “... o índio gigante confere às suas galinhas...”
b) “Criado à base de boa alimentação...”
c) “... a produção de pequenos plantéis pode atender à demanda da vizinhança.”
d) À noite as galinhas ficam presas no galinheiro.
e) Aquele fazendeiro se dedica à sua criação de galos reprodutores.
Comentário: Muito cuidado, pois a crase só é facultativa antes dos pronomes
possessivos femininos, no caso do plural é obrigatório.
47. Assinale a alternativa em que o uso da crase encontra-se INCORRETO:
a) Retornamos às praias.
b) Chegaram à noite.
c) Não assisto à filme de comédia.
d) Às famílias não resta outra opção.
e) Aspiro àquela vaga.
Comentário: Não se emprega crase antes de palavra masculina.
48. Há ERRO quanto ao uso da crase na seguinte afirmativa:
a) Entreguei a vuvuzela àquele homem.
b) Pagou tudo à holandesa.
c) Ele perdoou à mulher.
d) Ficamos frente à frente com a torcida.
e) Sempre que visitava o estádio dirigia-se à mesma pessoa.
Comentário: Não se emprega crase entre palavras repetidas.
49. Assinale a alternativa em que o uso da crase encontra-se INCORRETO:
a) Ficamos frente à frente com a crise configurada pelo aquecimento global.
b) Ele chegou à uma hora em ponto.
c) As novas tecnologias caminhavam às pressas.
d) Voltamos cedo à casa do político.
e) Assisti àquele filme sobre a destruição da natureza.
Comentário: Não se emprega crase entre palavras repetidas, tais como: “dia a dia,
frente a frente, face a face...”.
50. Foi usado INCORRETAMENTE o acento grave, indicador da crase:
a) As leis penais acarretam danos à sociedade brasileira.
b) O rapaz foi o primeiro à fazer uma acusação ao sistema penitenciário.
c) Todos ficam à espera de mudanças nas leis penais.
d) As pessoas dirigiram-se à diretora da instituição.
e) O artigo faz referência às leis que trazem benefícios àqueles crimes bárbaros.
Comentário: Não se emprega crase antes de verbo no infinitivo, isto é, verbos
terminados em “r”.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 18
51. Assinale a alternativa correta quanto ao uso da crase:
a) Não estávamos dispostos à ouvir o silêncio.
b) Ele pagou à dívida.
c) Refiro-me à alunos inteligentes.
d) Falávamos às pessoas desinteressadas.
e) Não tenho nada à dizer em relação a isso.
Comentário: Não se emprega crase antes de verbo no infinitivo; em objeto direto;
antes de plural quando o “a” estiver no singular e antes de verbo no infinitivo “dizer”.
“às pessoas” exercem função de objeto indireto, basta fazer a substituição:
Falávamos aos meninos.
52. Assinale a alternativa que preencha corretamente os espaços em branco da frase:
“O sítio fica ______ esquerda de quem desce a rua, ______ três quadras da avenida
principal.”
a) à – à
b) à – a
c) a – a
d) a – à
Comentário: Emprega-se crase nas locuções prepositivas “à esquerda de”, e
emprega-se o “a” quando apresenta ideia de espaço.
53. O uso do acento indicativo de crase é facultativo na seguinte afirmativa:
a) A inovação tecnológica melhora o aproveitamento da energia.
b) A economia aumentou a noite.
c) Obedeço a minha mãe.
d) Ficamos frente a frente pela manha.
e) As vezes, reciclar o lixo e complicado.
Comentário: A crase é facultativa antes de pronomes possessivos femininos: sua,
tua, minha, nossa, vossa.
54. O acento indicador da crase foi usado INDEVIDAMENTE em:
a) “... em meio às atividades, pois o cotidiano é organizado.”
b) Às vezes, as pessoas escondem-se do mundo.
c) Na sala, professoras e alunos estavam à vontade, sem preocupações com a vida.
d) O rapaz se dirigiu à salas onde havia aulas.
e) O rapaz atirava à distância de um metro.
Comentário: Não se emprega crase quando o “a” estiver no singular e a palavra
posterior vier no plural “salas”, pois o “a” é meramente uma preposição.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 19
55. O uso do acento indicador da crase foi usado corretamente em:
a) Foram dados às pessoas todos os objetos de prazer.
b) Fiquei à distância observando o mestre e seus alunos.
c) Há, ainda, uma outra tarefa atribuída à quem é educador.
d) Dizem que se deve educar à partir dos sentidos.
e) As oportunidades seriam dadas à todas as pessoas.
Comentário: “às pessoas” exercem função de objeto indireto, por isso o “a” recebe o
acento grave. Basta fazer a troca para confirmar se há a crase: Os objetos de prazer
foram dados aos homens.
56. Assinale a afirmativa em que o uso da crase é facultativo:
a) Eles chegaram às pressas para comer e beber.
b) Estou disposto à continuar o tratamento.
c) Patrícia se referiu à apostila sobre dieta.
d) Se entregar a gula não interessa à ninguém.
e) Obedeço à minha nutricionista.
Comentário: A crase é facultativa antes de pronomes possessivos femininos: sua,
tua, minha, nossa, vossa. Na letra “a, c” as crases são obrigatórias, já nas letras “b, d”
são proibidas.
57. A ciência produz resultados passo ...... passo, como se fosse um quebra-cabeça
...... ser devidamente montado, para chegar-se ...... confirmação de uma hipótese
qualquer. As lacunas da frase acima estão corretamente preenchidas,
respectivamente, por:
a) à − à − a
b) a − a − à
c) a − à − à
d) à − à − à
e) a − a – a
Comentário: Não se emprega crase entre palavras repetidas “passo a passo”; não se
usa crase antes de verbo no infinitivo “ser”; o verbo pede complemento com
preposição, logo o “a” recebe o acento grave. Caso tenha dúvida, basta usar a tática
da troca: Chegar-se ao problema.
58. Urologistas têm se dedicado ...... investigar o que muda no cérebro ...... medida
que envelhecemos; segundo alguns estudos, a aptidão da memória para resgatar
informações abstratas diminui, enquanto a propensão ...... divagar aumenta.
Preenchem corretamente as lacunas da frase acima, respectivamente:
a) a - a - a
b) a - à - a
c) à - a - à
d) a - à - à
e) à - à - à
Comentário: Não se emprega crase antes de verbo no infinitivo “investigar, divagar”;
emprega-se a crase nas locuções conjuntivas “à medida que, à proporção que”.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 20
59. Considere: Na pequena cidade várias pessoas estavam paradas ...... frente de
uma casa. O motorista, atento ...... condições da estrada, resolveu entrar. Pretendia
pedir informações ...... algum morador. As lacunas da frase acima devem ser
corretamente preenchidas, respectivamente, por:
a) a - as - a
b) a - as - à
c) à - as - à
d) à - às - à
e) à - às – a
Comentário: Emprega-se a crase nas locuções prepositivas “à frente de, à espera de,
à procura de”; empregou-se a crase respeitando-se a regência nominal, pois “atento”
pede a preposição “a” com crase, já que também ocorre a fusão de preposição mais
artigo definido feminino; não se emprega crase antes de pronomes indefinidos: todos,
alguém, ninguém, qualquer...
60. Cientistas em todo o mundo dedicam-se ...... pesquisas com células-tronco,
destinadas ...... combater certas doenças degenerativas, que trazem sofrimento ......
uma grande parte da população. As lacunas da frase apresentada estão corretamente
preenchidas por:
a) à - a - a
b) à - à - a
c) a - a - a
d) a - à - à
e) a - a - à
Comentário: Não há crase quando não houver concordância entre o “a” e a palavra
posterior “pesquisas”, nesse caso, o “a” é meramente uma preposição; não se
emprega crase antes de verbo no infinitivo “combater”; não há crase antes de artigo
indefinido “um, uma”.
61. Assinale a opção em que a crase ocorre INCORRETAMENTE:
a) A destruição das florestas é uma agressão à natureza.
b) Refiro-me às candidatas desse concurso público.
c) Já expliquei esse assunto à você muitas vezes.
d) Às vezes, penso em você com saudades.
e) O exame começou às oito horas de hoje.
Comentário: Não se emprega crase antes de pronomes de tratamento: você, Vossa
Excelência, Vossa Eminência...
62. Justificam-se ambas as ocorrências do sinal de crase em:
a) Na entrevista que concedeu à TV, a juíza recorreu à uma frase de Disraeli.
b) A frase à que se reportou a juíza diz respeito à distinções éticas.
c) Faltam audácia e iniciativa à quem deveria propor-se às ações afirmativas.
d) Não se abra àqueles inescrupulosos o campo favorável à impunidade.
e) A comunidade dos justos começou à partir de ontem.
Comentário: O pronome “aqueles” quando substituído por “aos” levará crase, basta
fazer a troca; o termo “à impunidade” completa o “favorável”, isto é, temos aí um
complemento nominal, empregando-se a crase por se tratar também de um
substantivo feminino. Basta fazer a troca do feminino por masculino: “favorável ao
problema”.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 21
63. Da que riqueza [...] à custa do trabalho escravo ... A sociedade colonial no Brasil
[...] desenvolveu-se [...] à sombra das grandes plantações de açúcar ... Do mesmo
modo que nas frases acima, está correto o emprego da crase em:
a) combate à fome.
b) vendas à prazo.
c) escrito à lápis.
d) avião à jato.
e) defender à unhas e dentes.
Comentário: Por se tratar de uma palavra feminina em que houve a fusão de artigo
mais preposição, pois quem combate, combate “a” e o artigo feminino “a” do
substantivo “fome”. Lembre-se de que não há crase antes de masculino e antes de
palavra no plural quando o “a” estiver no singular.
64. Assinale a opção em que o uso do acento grave, indicador de crase, esteja
incorreto.
a) Entregamos a mercadoria à vizinha.
b) Nunca fizemos menção àquilo.
c) Esta é a menina à quem nos referimos.
d) Fiz referência à sua posição no final do debate.
Comentário: Não se emprega crase antes destes pronomes relativos: quem, cuja.
65. Assinale a opção em que o uso do acento grave, indicador de crase, esteja
incorreto.
a) A reportagem é igual à que foi publicada ontem.
b) Obedeço à qualquer sinalização de trânsito.
c) Fomos à casa de minha sogra pela manhã.
d) Comunicamos o fato às alunas rapidamente.
Comentário: Não se emprega crase antes de pronomes indefinidos: todas, todo, algo,
alguém, qualquer...
66. A alternativa em que o acento indicador de crase tenha sido usado
incorretamente:
a) Foi à Itália, mas não à Roma dos Césares.
b) Referia-se, é claro, à Brasília dos tempos de JK.
c) Não retornaram à sua Lisboa, que essa já não mais existia.
d) Em sua segunda viagem, não reviu à Bahia de todos os santos.
Comentário: O verbo “rever” pede objeto direto, pois quem revê, revê “algo”, logo não
há possibilidade de crase. Muito cuidado ao fazer a troca do “vim de” crase não há, ou
“vim da” crase há, deve-se ater primeiramente à regência verbal.
67. O acento grave, indicador de crase, está empregado CORRETAMENTE em:
a) Encaminhamos os pareceres à Vossa Senhoria e não tivemos resposta.
b) A nossa reação foi deixá-los admirar à belíssima paisagem.
c) Rapidamente, encaminhamos o produto à firma especializada.
d) Todos estávamos dispostos à aceitar o seu convite.
Comentário: Não se usa crase antes de pronomes de tratamento, como: Você, Vossa
Excelência, Vossa Senhoria...
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 22
68. Observe atentamente o uso da crase nos itens a seguir:
I. Comentarei as discussões à qualquer pessoa do colégio.
II. Falei à vendedoras da loja as nossas verdadeiras intenções.
III. Os analistas renomados não fizeram referência à essa obra.
O uso da crase está INCORRETO em:
a) I e II apenas
b) I e III apenas
c) II e III apenas
d) I, II e III
Comentário: Não se emprega crase antes de pronome indefinido “qualquer”; não há
crase, já que o “a” não concorda com o substantivo “vendedoras”; não se emprega a
crase antes de pronomes demonstrativos “esse, essa, isso, isto”.
69. Assinale a frase em que a crase foi usada INCORRETAMENTE:
a) A mulher à que nos referimos foi atendida pelo prefeito.
b) Doaram os livros àqueles homens que mais se destacaram.
c) Disseram às suas amigas que não entenderam as explicações.
d) Mostrava-se sensível às decisões assumidas pelos convidados.
Comentário: Em grande parte dos casos, não se emprega a crase antes de pronome
relativo “que”.
70. A alternativa que preenche CORRETAMENTE as lacunas das frases acima,
respectivamente, é:
I. O cheque foi descontado ____ mais de uma semana.
II. O jornalista se refere ____ sua filha e não ____ Vossa Excelência.
III. O aeroporto fica ____ mais de uma hora do centro da cidade.
a) há – à – a – há
b) há – a – a – a
c) a – à – a – a
d) à – à – à – à
Comentário: O primeiro caso trata-se de “há” já que apresenta ideia de tempo
passado; no segundo caso é facultativa a crase por estar antes de pronome adjetivo
feminino no singular, e não há crase antes de pronome de tratamento; no último caso,
deve-se empregar o “a” quando houver ideia de espaço.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 23
71. Com relação ao uso da crase, assinale a alternativa cuja série completa as
lacunas, CORRETAMENTE:
I. Estilo ______ Paulo Coelho.
II. Oramos _______ Nossa Senhora.
III. Esta blusa é semelhante _______ que meu colega comprou.
IV. O advogado voltou _______ casa materna.
V. Fomos _______ pé para a confraternização.
a) a – à – a – a – à
b) à – a – a – à – à
c) a – à – à – a – a
d) à – a – à – à – a
Comentário:
I. Emprega-se crase quando ocorre a ideia de “moda – maneira, estilo” a alguém.
II. Basta fazer a troca por masculino: Oramos ao homem.
III. Emprega-se a crase quando o “a” vem antes do pronome relativo “que” e faz
referência a um substantivo antes, no caso, temos “blusa”.
IV. A palavra “casa” está determinada.
V. Não se emprega crase antes de palavra masculina “pé”.
72. Marque a opção em que a crase foi empregada CORRETAMENTE:
a) Levamos muito entusiasmo à essa reunião.
b) Isto me levou à uma solução inédita.
c) Falamos apenas àquelas pessoas que estavam no salão 4.
d) Refiro-me à questões anteriores.
Comentário: Quando houver o pronome demonstrativo “àquelas” basta trocar por “a
estas” para realmente ver se há ou não crase: Falamos apenas a estas pessoas...
73. Assinale a única opção em que o uso da crase está correto:
a) "O crack, porém, provoca sensação semelhante à do baque...".
b) "subi às escadas até o quinto andar...".
c) "um dos primeiros à passar derrubou uma lâmpada...".
d) "viemos apelar para à sua boa vontade...".
Comentário: Antes da preposição “de” se o “a” substituir alguém na frase e a
regência pedir a preposição, haverá crase. Note que o termo “semelhante” pede a
preposição “a”, e o “a” faz referência ao termo “sensação”.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 24
74. Observando as palavras destacadas, é CORRETO afirmar que estão corretas:
I. Cheguei a casa de minha mãe no domingo à noite.
II. Fale à tal pessoa que sua insistência foi em vão.
III. O diretor referia-se à vitória de João, não à sua.
a) I e II, apenas
b) I, II e III
c) I e III, apenas
d) II e III, apenas
Comentário: Quando as palavras “casa, terra, distância” vierem determinadas ou
especificadas, haverá a presença do acento grave; note que a “casa” está
determinada pela expressão “de minha mãe”. Empregou-se a crase respeitando a
regência do verbo “falar” e pode-se empregar crase “a”. É obrigatório o uso de crase
antes dos pronomes possessivos femininos quando estes forem pronomes
substantivos e a regência pedir a preposição “a”.
75. A crase foi usada de forma correta em:
a) Seus pais estavam dispostos à muitas concessões.
b) A atenção às nossas propostas acabou comprando inimizade.
c) Durante a sua visita, jamais se referia à nós.
d) À partir das considerações propostas, encaminhamos o seu projeto.
Comentário: O termo “atenção” pede a preposição “a”, ocorrendo a fusão de
preposição mais artigo. Basta trocar a palavra “às nossas propostas” por um termo
masculino “aos nossos problemas”. A crase nesse caso não é facultativa, pois o
pronome possessivo feminino se encontra no plural.
76. A crase foi usada ADEQUADAMENTE em:
a) As informações às quais as mulheres se referiam eram verdadeiras.
b) Só me irá receber à partir da semana que vem.
c) Recorreu-se à Vossa Senhoria no último momento.
d) Distribuí o livro à qualquer aluna da sala.
Comentário: Basta trocar o termo feminino “as informações” por outro masculino: “Os
problemas aos quais as mulheres se referiam...” Sempre que ocorrer a presença da
preposição “aos” antes do pronome relativo “qual”, empregaremos a crase.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 25
77. Assinale a alternativa correta:
I. Você deu parabéns à Sua Excelência?
II. Vendemos à prazo todas as mercadorias da loja.
III. Só prestei atenção à notícias que diziam respeito a mim.
a) se apenas o item I estiver correto
b) se apenas o item II estiver correto
c) se apenas o item III estiver correto
d) se nenhum dos itens estiver correto
Comentário:
Não se emprega crase antes de pronomes de tratamento: Vossa Excelência, Sua
Excelência...
I. Não se emprega crase antes de palavra masculina “prazo”.
II. Não se emprega crase quando o “a” estiver no singular e o substantivo estiver
no plural.
78. Observe atentamente o uso da crase nos itens a seguir:
I. Comentarei as discussões à qualquer pessoa do colégio.
II. Falei à vendedoras da loja as nossas verdadeiras intenções.
III. Os analistas renomados não fizeram referência à essa obra.
O uso da crase está INCORRETO em:
a) I e II apenas
b) I e III apenas
c) II e III apenas
d) I, II e III
Comentário:
I. Não se emprega crase antes de pronomes indefinidos: qualquer, todos, nada,
alguém, tudo, ninguém...
II. Não há concordância entre o “a” e o substantivo “vendedoras”, por isso não se
usa crase, já que o “a” é meramente uma preposição.
III. Não se emprega crase antes dos pronomes demonstrativos: essa, esse, isso,
isto, este, esta.
79. Assinale a frase em que a crase foi usada INCORRETAMENTE:
a) A mulher à que nos referimos foi atendida pelo prefeito.
b) Doaram os livros àqueles homens que mais se destacaram.
c) Disseram às suas amigas que não entenderam as explicações.
d) Mostrava-se sensível às decisões assumidas pelos convidados.
Comentário: Basta trocar a palavra “a mulher” por outra masculina; caso a
preposição “a” aceite a troca pela preposição “ao”, empregaremos a crase: “O homem
a que nos referimos...”. Note que não aceitou a preposição “ao”, por tal razão não
cabe a crase.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 26
80. O acento grave, indicador de crase, está empregado CORRETAMENTE em:
a) Encaminhamos os pareceres à Vossa Senhoria e não tivemos resposta.
b) A nossa reação foi deixá-los admirar à belíssima paisagem.
c) Rapidamente, encaminhamos o produto à firma especializada.
d) Todos estávamos dispostos à aceitar o seu convite.
Comentário: O termo “à belíssima paisagem” completa o verbo “encaminhamos” que
dentro da frase é verbo transitivo direto e indireto. Basta fazer a troca do feminino
para o masculino: “Encaminhamos o produto ao homem”.
81. Assinale a alternativa em que o acento indicador de crase tenha sido
INCORRETAMENTE empregado:
a) Teoria e prática devem andar aliadas uma à outra.
b) Trabalha 45 horas por semana, de segunda à sábado.
c) Foi até à cidade mais próxima, onde conseguiu ajuda médica.
d) A empresa funciona das 8 às 18 horas, da segunda à sexta-feira.
Comentário: Não há crase, já que o termo “sábado” é uma palavra masculina.
82. Assinale a opção em que o uso do acento grave esteja incorreto.
a) A reportagem é igual à que foi publicada ontem.
b) Obedeço à qualquer sinalização de trânsito.
c) Fomos à casa de minha sogra pela manhã.
d) Comunicamos o fato às alunas rapidamente.
Comentário: Não se emprega crase antes de pronomes indefinidos: qualquer, todos,
nada, alguém, tudo, ninguém...
83. O acento indicativo de crase está correto em:
a) Saíram de casa às sete horas da manhã.
b) À cada momento, reexaminavam tudo.
c) O casal chegou à pé ao local.
d) À partir da sua prisão, nada mais falaram.
e) Pedimos à Vossa Excelência que reconsidere a sua decisão.
Comentário: Emprega-se, normalmente, crase nas locuções adverbiais de tempo, ou
seja, quando se trata de horas.
84. Assinale a alternativa em que o uso da crase está correto:
a) Compramos à obra por um ótimo preço.
b) Referiu-se à leitura de poemas modernos.
c) Obrigaram-me à ler aquelas crônicas.
d) Foi à uma conhecida feira de livros.
e) Foram à Paraty para conhecer alguns escritores.
Comentário: O verbo “referiu-se” pede objeto indireto, ou seja, um complemento com
preposição. Portanto se empregou a crase respeitando a regência do verbo. Basta
também fazer a troca do feminino por outro termo masculino: “Referiu-se ao homem”.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 27
85. O emprego do acento indicativo da crase está correto na seguinte frase:
a) Há exames de saúde destinados à cardíacos.
b) Quando o paciente necessita, pede auxílio à enfermagem.
c) O questionário informativo é entregue à cada um dos internos.
d) Obedeci à seu pedido, de pronto.
e) Os jovens vão à festas todos os finais de semana.
Comentário: Quem pede auxílio, pede auxílio a alguém; note que o verbo pede a
preposição, isto é, o “a” deverá ser craseado, pois se encontra antes de palavra
feminina.
86. Em qual opção o “a” deve levar o acento indicativo de crase?
a) Dirigiu a você algumas palavras.
b) Referia-se a legenda do filme.
c) Foi para a praia e leu um livro.
d) Deu ciência a todos de sua decisão.
e) Estava frente a frente com o problema.
Comentário: Não se emprega crase antes de pronome “você”; após preposição
“para”; antes de pronome indefinido “todos”; entre palavras repetidas. Empregou-se a
crase, pois o verbo pede preposição e a palavra é feminina. Basta fazer a troca por
outra palavra masculina: Referia-se ao problema.
87. Assinale a alternativa em que a crase foi aplicada indevidamente:
a) Houve um baile à fantasia.
b) Comprou tudo à vista.
c) Mandou o marinheiro à terra.
d) Entrou à esquerda do pai.
Comentário: Não se emprega crase antes da palavra “terra” se não houver
determinante.
88. Assinale a alternativa em que é obrigatória a utilização da crase:
a) Deu o bônus a quem merecia.
b) Diga parabéns a sua mãe.
c) Meteu-se a fazer o que não deveria.
d) Dedico uma manhã as obras assistenciais.
Comentário: Basta fazer a troca do feminino por outro masculino: Dedico uma manhã
ao homem.
89. Indique a alternativa em que é imprescindível o uso da crase:
a) Colocamos os dois frente a frente.
b) Aquela tela foi pintada a óleo.
c) Estou disposta a fazer qualquer coisa.
d) Irei a festa com muito prazer.
Comentário: O verbo “ir” pede a preposição “a”, logo basta fazer a troca do feminino
para o masculino: Irei ao local com muito prazer.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 28
90. Analise a utilização do acento indicador de crase:
I. Você não deve preencher o gabarito à lápis.
II. Consegui fazê-lo beber todo o remédio, gota à gota.
a) Apenas I está correta
b) Apenas II está correta
c) I e II estão corretas
d) I e II estão incorretas
I. Comentário:
II. I. Não se emprega crase antes de masculino.
III. II. Não se usa crase entre palavras repetidas.
91. Assinale a opção em que falta o acento indicativo da crase na palavra destacada.
a) O Google incentiva os funcionários a desenvolver ideias inovadoras.
b) O Google Earth Solidário nasceu a partir de um projeto de Rebecca.
c) Rebecca tinha uma tarefa voluntária, a qual dedicava parte de seu tempo.
d) De 2005 a 2007, Rebecca enviou sugestões para o Google.
e) Em 2007, o Google aceitou a proposta de criação do Solidário.
Comentário: Basta fazer a troca da palavra feminina por outra masculina: “Rebecca
tinha um problema, ao qual dedicava parte de seu tempo.” Note que antes do
pronome relativo “qual” coube perfeitamente a preposição “ao”.
92. Acerca da utilização do acento indicador de crase, analise as afirmações:
I. Naquele hotel fazenda, o que eu mais fiz foi andar à cavalo.
II. Meu afilhado começou à aprender inglês a partir dos três anos.
a) Apenas I esta correta
b) Apenas II esta correta
c) I e II estão corretas
d) I e II estão incorretas
Comentário:
I. Não se emprega crase antes de masculino.
II. Não se emprega crase antes de verbo no infinitivo.
93. Assinale a alternativa incorreta em relação à utilização da crase:
a) Domingo vamos à fazenda.
b) Sua roupa cheira à perfume.
c) Vou à reunião da empresa.
d) O trem sai às dezoito horas.
Comentário: Não se emprega o acento grave antes de palavra masculina.
94. Assinale a frase que contém erro quanto à crase:
a) Paguei à cabeleireira.
b) Fizemos um churrasco à gaúcha.
c) Vou a Porto Alegre.
d) Comemos bife a milanesa.
Comentário: Deveria haver crase já que apresenta ideia de “a moda de”: “Comemos
bife à moda milanesa.”
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 29
95. Podemos definir crase como:
a) Fusão de duas consoantes idênticas.
b) Fusão de duas vogais idênticas.
c) Fusão de duas vogais diferentes.
d) Fusão de duas consoantes diferentes.
Comentário: A crase se dá pela fusão de duas vogais diferentes: a primeira se trata
de uma preposição, pois está ligada à regência, já a segunda se trata de um artigo,
pois acompanha o substantivo feminino.
96. Assinale a alternativa em que o uso da crase está incorreto:
a) Esta carta é semelhante àquela que recebi.
b) Assinou o contrato à lápis.
c) Fui à feira na terça-feira.
d) Viajamos à Paris.
Comentário: Não se usa crase antes de palavra masculina “lápis”.
97. Analise as frases abaixo em relação à utilização da crase e assinale a correta:
I- Ele está disposto à trabalhar.
II- Irei à casa de meu pai.
III- Inundou a cozinha, gota à gota.
a) Somente I está correta.
b) I, II e III estão corretas.
c) Somente II está correta.
d) Somente III está incorreta.
Comentário:
I. Não se emprega crase antes de verbo no infinitivo.
II. A palavra “casa” está determinada, por isso o uso de crase.
III. Não se emprega a crase entre palavras repetidas.
98. Analise as frases abaixo em relação à utilização da crase e assinale a correta:
I- Pintava quadros a óleo.
II- Ele foi à cidade de Franco da Rocha prestar um concurso.
III- Dirigi-me àquele Senhor com a educação necessária.
a) Somente II está correta.
b) Somente I está incorreta.
c) I e II estão corretas.
d) Todas estão corretas.
Comentário:
I. “óleo” é uma palavra masculina.
II. Ele foi ao local prestar um concurso.
III. Basta trocar pelo “ao”: Dirigi-me ao Senhor com a educação necessária.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 30
99. Assinale a frase em que o uso do acento indicador de crase não é facultativo:
a) Diga a sua tia a verdade.
b) Ele cheirava a gasolina.
c) A Maria eu dedico esta rosa.
d) Falei a outra mulher.
Comentário: A crase é facultativa antes de pronomes possessivos femininos “sua,
tua, minha”; quando apresenta duplicidade “cheirar” pode ter dois sentidos pelo
contexto; antes de nomes de mulheres. Emprega-se a crase antes do pronome
indefinido “outra”, basta fazer a troca: “Falei ao outro homem.
100. Em qual das alternativas não deveria haver sinal indicador de crase?
a) Comprei uma casa à beira-mar.
b) Teremos de sair à noitinha.
c) Teremos de ficar à espera.
d) À nosso juízo não há nada errado.
Comentário: Não se emprega crase antes de pronome possessivo masculino
“nosso”.
Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 31
GABARITO
1 D 2 C 3 D 4 D 5 C 6 A 7 D 8 A 9 E 10 C
11 B 12 E 13 C 14 C 15 A 16 B 17 B 18 E 19 B 20 A
21 A 22 A 23 B 24 B 25 A 26 C 27 B 28 C 29 B 30 A
31 E 32 B 33 B 34 E 35 C 36 E 37 D 38 D 39 A 40 E
41 A 42 C 43 A 44 C 45 D 46 E 47 C 48 D 49 A 50 B
51 D 52 B 53 C 54 D 55 A 56 E 57 D 58 B 59 E 60 C
61 C 62 D 63 A 64 C 65 B 66 D 67 A 68 C 69 C 70 C
71 D 72 C 73 A 74 D 75 B 76 A 77 D 78 D 79 A 80 C
81 B 82 B 83 A 84 B 85 B 86 B 87 C 88 D 89 D 90 D
91 C 92 D 93 B 94 D 95 B 96 B 97 C 98 D 99 D 100 D
É expressamente proibida a reprodução de parte ou da totalidade de seu conteúdo,
mediante qualquer forma ou meio, sem prévia e formal autorização, nos termos da
Lei n.o 9.610/98.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tipologia textual
Tipologia textualTipologia textual
Tipologia textual
Ana Claudia André
 
Poesia e poema
Poesia e poemaPoesia e poema
Poesia e poema
ionasilva
 
Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos
Professor Rômulo Viana
 
1.3 ortografia
1.3   ortografia1.3   ortografia
1.3 ortografia
Ivana Mayrink
 
A crônica
A crônicaA crônica
A crônica
ma.no.el.ne.ves
 
Vozes verbais 8 ano
Vozes verbais 8 anoVozes verbais 8 ano
Vozes verbais 8 ano
Flávio Ferreira
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
GernciadeProduodeMat
 
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTOAULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
Marcelo Cordeiro Souza
 
Folha-de-redação-Oficial-Se-liga-no-Enem (1).pdf
Folha-de-redação-Oficial-Se-liga-no-Enem (1).pdfFolha-de-redação-Oficial-Se-liga-no-Enem (1).pdf
Folha-de-redação-Oficial-Se-liga-no-Enem (1).pdf
TarcisoDouglas1
 
Exercicios –-coesao-referencial
Exercicios –-coesao-referencialExercicios –-coesao-referencial
Exercicios –-coesao-referencial
Miriam599424
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagem Figuras de linguagem
Figuras de linguagem
Denise
 
1 coesão textual - referencial e sequencial
1   coesão textual - referencial e sequencial1   coesão textual - referencial e sequencial
1 coesão textual - referencial e sequencial
Luciene Gomes
 
Variação linguística
Variação linguísticaVariação linguística
Variação linguística
Denise
 
Verbos regulares e irregulares
Verbos regulares e irregularesVerbos regulares e irregulares
Verbos regulares e irregulares
patrícia silva
 
Período composto por coordenação
Período composto por coordenaçãoPeríodo composto por coordenação
Período composto por coordenação
Carolina Loçasso Pereira
 
Slide introdução à literatura
Slide introdução à literaturaSlide introdução à literatura
Slide introdução à literatura
fabrinnem
 
Polissemia e ambiguidade
Polissemia e ambiguidadePolissemia e ambiguidade
Polissemia e ambiguidade
Lilian Hodgson
 
Arcadismo no Brasil
Arcadismo no BrasilArcadismo no Brasil
Arcadismo no Brasil
Rayane Anchieta
 
Interpretação e Compreensão de Texto
Interpretação e Compreensão de Texto Interpretação e Compreensão de Texto
Interpretação e Compreensão de Texto
Cláudia Heloísa
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
Alice Silva
 

Mais procurados (20)

Tipologia textual
Tipologia textualTipologia textual
Tipologia textual
 
Poesia e poema
Poesia e poemaPoesia e poema
Poesia e poema
 
Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos
 
1.3 ortografia
1.3   ortografia1.3   ortografia
1.3 ortografia
 
A crônica
A crônicaA crônica
A crônica
 
Vozes verbais 8 ano
Vozes verbais 8 anoVozes verbais 8 ano
Vozes verbais 8 ano
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
LÍNGUA PORTUGUESA | 2ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP06)
 
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTOAULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
 
Folha-de-redação-Oficial-Se-liga-no-Enem (1).pdf
Folha-de-redação-Oficial-Se-liga-no-Enem (1).pdfFolha-de-redação-Oficial-Se-liga-no-Enem (1).pdf
Folha-de-redação-Oficial-Se-liga-no-Enem (1).pdf
 
Exercicios –-coesao-referencial
Exercicios –-coesao-referencialExercicios –-coesao-referencial
Exercicios –-coesao-referencial
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagem Figuras de linguagem
Figuras de linguagem
 
1 coesão textual - referencial e sequencial
1   coesão textual - referencial e sequencial1   coesão textual - referencial e sequencial
1 coesão textual - referencial e sequencial
 
Variação linguística
Variação linguísticaVariação linguística
Variação linguística
 
Verbos regulares e irregulares
Verbos regulares e irregularesVerbos regulares e irregulares
Verbos regulares e irregulares
 
Período composto por coordenação
Período composto por coordenaçãoPeríodo composto por coordenação
Período composto por coordenação
 
Slide introdução à literatura
Slide introdução à literaturaSlide introdução à literatura
Slide introdução à literatura
 
Polissemia e ambiguidade
Polissemia e ambiguidadePolissemia e ambiguidade
Polissemia e ambiguidade
 
Arcadismo no Brasil
Arcadismo no BrasilArcadismo no Brasil
Arcadismo no Brasil
 
Interpretação e Compreensão de Texto
Interpretação e Compreensão de Texto Interpretação e Compreensão de Texto
Interpretação e Compreensão de Texto
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 

Semelhante a Questões comentadas de crase

Super-resumo uso da crase
Super-resumo uso da craseSuper-resumo uso da crase
Super-resumo uso da crase
Miraldo Ohse
 
Crase sensacional
Crase sensacionalCrase sensacional
Crase sensacional
portuguessensacional
 
Curso de português erros mais comuns - aula 3
Curso de português   erros mais comuns - aula 3Curso de português   erros mais comuns - aula 3
Curso de português erros mais comuns - aula 3
Ricardo Fidelis
 
Apresentação1 crase
Apresentação1 craseApresentação1 crase
Apresentação1 crase
Ayla De Sá Marques
 
Apresentação1 crase
Apresentação1 craseApresentação1 crase
Apresentação1 crase
Ayla De Sá Marques
 
Crase
CraseCrase
Crase
Tio Hatiro
 
A Crase
A CraseA Crase
crases-130528213521-phpapp01 (1).pptx
crases-130528213521-phpapp01 (1).pptxcrases-130528213521-phpapp01 (1).pptx
crases-130528213521-phpapp01 (1).pptx
sheyllafeitosa1
 
Crase
CraseCrase
Craseoralidadeeescrita 110924114734-phpapp02
Craseoralidadeeescrita 110924114734-phpapp02Craseoralidadeeescrita 110924114734-phpapp02
Craseoralidadeeescrita 110924114734-phpapp02
edimartins
 
10 dicas para entender a crase aula I
10 dicas para entender a crase   aula I10 dicas para entender a crase   aula I
10 dicas para entender a crase aula I
Ayla De Sá Marques
 
crase.pdf
crase.pdfcrase.pdf
crase.pdf
ManuBarreto3
 
Crase: Como Usar?
Crase: Como Usar?Crase: Como Usar?
Crase: Como Usar?
Jaiza Nobre
 
Crase
CraseCrase
Crase
CraseCrase
Crase
letieri11
 
Crase
CraseCrase
Crase.pptx AULA SOBRE CRASE PARA CONCURSOS
Crase.pptx AULA SOBRE CRASE PARA CONCURSOSCrase.pptx AULA SOBRE CRASE PARA CONCURSOS
Crase.pptx AULA SOBRE CRASE PARA CONCURSOS
AndreiaDiasdeLima
 
CRASE 3º ANO E.M..pptx
CRASE 3º ANO  E.M..pptxCRASE 3º ANO  E.M..pptx
CRASE 3º ANO E.M..pptx
MayaraCherobin1
 
atividade crase - Copia.pptx
atividade crase - Copia.pptxatividade crase - Copia.pptx
atividade crase - Copia.pptx
geroboaosouza
 
Crase
CraseCrase

Semelhante a Questões comentadas de crase (20)

Super-resumo uso da crase
Super-resumo uso da craseSuper-resumo uso da crase
Super-resumo uso da crase
 
Crase sensacional
Crase sensacionalCrase sensacional
Crase sensacional
 
Curso de português erros mais comuns - aula 3
Curso de português   erros mais comuns - aula 3Curso de português   erros mais comuns - aula 3
Curso de português erros mais comuns - aula 3
 
Apresentação1 crase
Apresentação1 craseApresentação1 crase
Apresentação1 crase
 
Apresentação1 crase
Apresentação1 craseApresentação1 crase
Apresentação1 crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
A Crase
A CraseA Crase
A Crase
 
crases-130528213521-phpapp01 (1).pptx
crases-130528213521-phpapp01 (1).pptxcrases-130528213521-phpapp01 (1).pptx
crases-130528213521-phpapp01 (1).pptx
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Craseoralidadeeescrita 110924114734-phpapp02
Craseoralidadeeescrita 110924114734-phpapp02Craseoralidadeeescrita 110924114734-phpapp02
Craseoralidadeeescrita 110924114734-phpapp02
 
10 dicas para entender a crase aula I
10 dicas para entender a crase   aula I10 dicas para entender a crase   aula I
10 dicas para entender a crase aula I
 
crase.pdf
crase.pdfcrase.pdf
crase.pdf
 
Crase: Como Usar?
Crase: Como Usar?Crase: Como Usar?
Crase: Como Usar?
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Crase.pptx AULA SOBRE CRASE PARA CONCURSOS
Crase.pptx AULA SOBRE CRASE PARA CONCURSOSCrase.pptx AULA SOBRE CRASE PARA CONCURSOS
Crase.pptx AULA SOBRE CRASE PARA CONCURSOS
 
CRASE 3º ANO E.M..pptx
CRASE 3º ANO  E.M..pptxCRASE 3º ANO  E.M..pptx
CRASE 3º ANO E.M..pptx
 
atividade crase - Copia.pptx
atividade crase - Copia.pptxatividade crase - Copia.pptx
atividade crase - Copia.pptx
 
Crase
CraseCrase
Crase
 

Questões comentadas de crase

  • 2. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 2 Sinopse: Esta série ajudará você a compreender melhor o português, uma vez que cada questão é comentada, ajudando-o a entender o gabarito. O aprendizado por meio de exercícios é a melhor forma de se aprender qualquer matéria, por isso ao comprar este material, você não só estará melhorando seu português como também melhorará seu nível nas provas. Além disso, está série de questões comentadas de crase vem com um resumão de todo o conteúdo da matéria, facilitando assim sua fixação e aprendizado.
  • 3. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 3 Veja alguns de nossos livros de questões comentadas.
  • 4. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 4 CRASE É a fusão de preposição “a” mais artigo definido “a” cujo acento é chamado de “grave”. O acento grave normalmente está ligado à regência verbal (verbo) ou à nominal (adjetivo, advérbio, substantivo). CASOS PROIBIDOS DE CRASE QUANDO EXEMPLOS 1. Antes de verbo no infinitivo Voltamos a contemplar a lua. 2. Antes de palavras masculinas Gosto muito de andar a pé. 3. Entre palavras repetidas Estava frente a frente do chefe. 4. Antes de artigos indefinidos: um, uma Referiu-se a uma menina bonita. 5. Antes de pronomes: Vossa Majestade - Vossa Eminência – Você - ela, ele, nós, vós - esse, essa, isso, este, esta, isto - seu, teu, meu, nosso, vosso - cujo, quem - todos, qualquer, ninguém, alguém, nada, nenhum, tudo, outro, cada... Diga a Vossa Excelência tudo. Não fale só a ela, mas a nós também. Vou a esta loja hoje. Diga a quem quiser ouvir. Refiro-me a todos. 6. Antes de palavras no plural: (a + plural) Vamos a festas animadas. Referiu-se a moças jovens. 7. Após preposições: com, perante, para, entre, desde, após, sobre... Estava perante a mulher Viajará após as 10h com a mulher. 8. Após o advérbio: “daqui, daí” Daqui a duas horas nos encontraremos. CASOS FACULTATIVOS QUANDO EXEMPLOS 1. Antes de nome de “mulheres” Refiro-me à (a) Kênia. 2. Antes de pronomes possessivos femininos que se encontram no singular “sua, tua, minha, nossa, vossa” + substantivo. Dirija-se à (a) sua fazenda. Vou à (a) minha loja agora. 3. Depois da preposição “até” Dirija-se até à (a) praia. 4. Quando há dois sentidos na frase Cheirava a gasolina ou à gasolina. O pai agrada a filha ou à filha. CASOS OBRIGATÓRIOS QUANDO EXEMPLOS  1. Na indicação de horas Chegamos às nove horas.  2. Nas expressões mesmo que subentendidas:  “à moda de, à maneira de” Cortou o cabelo à Ronaldinho. Cortou o cabelo à moda de Ronaldinho.  3. Nas locuções:  Conjuntivas: “à medida que, à proporção que”  Prepositivas: “à espera de, à procura de, à custa de”  Adverbiais femininas: “à noite, à tarde, às claras, à direita, às ocultas, às vezes, às pressas” À medida que trabalho, fico rico. Aprendo à proporção que estudo. Ele está à espera de você. Ele vive à custa do pai. Chegamos à noite. Virou à direita daquela rua.
  • 5. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 5 DICAS 1. Nos pronomes demonstrativos: (àquele, àquilo) quando trocados por (ao), e (àquela) quando trocado por (a esta). Vou àquele bairro. (ao) Diga àquela mulher tudo. (a esta)  2. Nomes de cidades, estados e países (CEP), aplique:  “Vim de” crase não há.  “Vim da” crase há. Vou à Bahia amanhã. (Vim da Bahia) Viajarei à África. (Vim da África) Vou a Petrópolis. (Vim de Petrópolis) Chegarei a Belo Horizonte. (Vim de BH)  3. Antes das palavras “terra - distância - casa” (DTC) quando vierem determinadas, isto é acompanhadas de um especificador Vou à casa de meus pais hoje. Vamos à terra natal este ano. Os meninos chegaram a terra agora.  4. Antes do pronome (qual) basta trocar a palavra feminina por outra masculina, caso seja possível empregar a preposição “ao”, haverá crase. A sala à qual iremos é muito boa. O quarto ao qual iremos é muito bom. A mulher à qual me refiro é bonita. O homem ao qual me refiro é bonito.  5. Antes do pronome “que” quando o “a” for substituído pelo pronome “aquela”. O “a” fará referencia a um termo já citado na frase. Sua ideia é igual à que ele tem. (aquela) Refiro-me à que você viu. (aquela)  6. Quando a palavra feminina for substituída por outra masculina, e esta última aceitar “ao”. Isso ajuda saber se há ou não a presença da preposição. Vou à praia. (ao parque) Diga à menina tudo. (ao homem) Comprei a loja. (o carro) Não é possível a troca, por isso sem crase.  7. Antes dos pronomes de tratamento:  “Senhora – Dona – Senhorita” (SDS) Sou igual à Senhora. Diga o problema à Dona Maria. Falei tudo à Senhorita.  8. Quando os pronomes “sua – tua – minha – nossa – vossa” substituírem o termo anterior, desempenhado função de pronome substantivo. Vou a sua loja e não à minha. (loja) Sua casa é igual à nossa. (casa)  9. Nos pronomes “suas – tuas – minhas – nossas – vossas”, seguidos de substantivos femininos, desde que eles sejam objeto indireto. É facultativo se esses pronomes estiverem no singular. Diga às suas filhas tudo. Obedeceu às suas ordens. Referi-me a sua filha. Refiro-me à sua ordem.  10. Entre períodos, intervalos, horas, você deve gravar:  De ... a (Crase não há.)  Da ... à (Crase há.) De 7h as 9h. Das 7h às 9h. De quinta a sexta. Da página 1 à página 20.  Não se emprega crase quando o termo que completa o verbo desempenha a função de objeto direto mesmo que a palavra posterior seja feminina. Portanto, basta trocar o substantivo pelo pronome indefinido “algo”, entretanto muito cuidado, pois alguns verbos apresentam duas regências.  Ele seguiu a menina. = Ele seguiu “algo”.  Comprei a casa. = Comprei “algo”.  Pagou a conta. = Pagou “algo”.  Pagou à mulher. = Pagou “a”...
  • 6. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 6 QUESTÕES DE PROVAS ANTERIORES DE CRASE 1. Em que sentença o sinal indicativo da crase está empregado de acordo com a norma-padrão da língua? a) O elevador entrará em manutenção à partir das oito horas. b) Depois de aposentado, ele começou à se dedicar ao canto. c) O menino assistiu à toda a peça sem se mexer na cadeira. d) Ela venceu na vida à custa de muito esforço e dedicação. e) Ele entregará a encomenda à quem estiver na portaria. Comentário: Deve-se empregar crase nas locuções prepositivas femininas como: “à custa de, à procura de, à espera de”. 2. O sinal indicativo da crase deve ser utilizado na palavra em destaque na frase: a) Moro a cerca de cem metros do escritório. b) A partir de amanhã vou trabalhar no centro. c) Pedi que ele me procurasse a uma hora da tarde. d) A cada semana que passa mais aprendo no trabalho. e) Passei a ler mais depois de ganhar vários livros de poesia. Comentário: Emprega-se a crase antes de “uma” quando vier ao lado da palavra “hora”, pois se usa o acento grave nas expressões adverbiais de hora. 3. Assinale a frase em que está INCORRETO o uso do acento grave. a) Ele vive às custas do pai. b) O professor age sempre às claras. c) Sairei às três horas. d) Não te conto às vezes que viajou. e) Examinou o doente às pressas. Comentário: O termo “as vezes” completa o verbo, fazendo papel de objeto direto. Portanto, o verbo não pede preposição e por isso não se aceita o uso de crase. 4. O acento grave indicativo de crase está empregado de acordo com a norma-padrão em: a) O velho deu à informação errada. b) O rapaz disse à todos que sabia o endereço. c) O senhor trouxe o carro à Copacabana. d) O açougue fica à direita da farmácia. e) O motorista seguiu à sinalização das ruas. Comentário: Emprega-se crase antes das locuções adverbiais femininas, tais como: “à noite, à tarde, às vezes, às claras, às ocultas, à esquerda...”.
  • 7. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 7 5. O sinal indicativo de crase é necessário em: a) A venda de computadores chegou a reduzir o preço do equipamento. b) Os atendentes devem vir a ter novo treinamento. c) É possível ir as aulas sem levar o notebook. d) Não desejo a ninguém uma vida infeliz. e) A instrutora chegou a tempo para a prova. Comentário: O verbo “ir” pede adjunto adverbial de lugar seguido de preposição. Basta também trocar o termo “as aulas” por uma expressão masculina: É possível ir ao evento. 6. Assinale a frase com o uso INCORRETO do acento indicativo de crase. a) Deve ser garantido à todas as pessoas o direito de ir e vir. b) Estamos à procura de bons roteiros de viagem. c) Foi da Itália à Alemanha de avião. d) Viajamos à tarde para São Paulo. e) Às vezes ele caminha no Jardim Botânico. Comentário: Não se emprega crase antes de pronomes indefinidos “todos, toda, nada, ninguém, alguém, qualquer”, e também não há crase quando o “a” se encontra no singular e a palavra posterior se encontra no “plural”, isto é, não há concordância entre os termos. 7. “O nadador chegou ___ etapa final da competição, ___ vésperas do seu aniversário. Ele aspirava ___ medalha de ouro ___muito tempo”. Os vocábulos que preenchem corretamente as lacunas do texto acima são: a) a – as – a – há b) a – às – à – a c) à – as – a – a d) à – às – à – há e) à – as – à – há Comentário: O verbo “chegar” pede a preposição “à”, já que pede adjunto adverbial de lugar e a palavra é feminina; “às vésperas de” é uma locução prepositiva feminina, isto é, “a + substantivo feminino + de”; “aspirar” está no sentido de almejar, portanto deve-se empregar crase; deve-se empregar o “há” uma vez que apresenta ideia de tempo passado. 8. Assinale a única frase em que o a deve receber acento indicativo de crase. a) Dedicava-se a crônica semanal com prazer. b) Pegou um lápis e pôs-se a trabalhar. c) Leu o texto de ponta a ponta. d) A crônica fazia referência a pessoas comuns. e) Algumas vezes dirigia-se a seu computador. Comentário: O verbo “dedicar-se” pede objeto indireto, basta usar a tática de trocar a palavra feminina por outra masculina para tirar a prova: Dedicava-se ao trabalho...
  • 8. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 8 9. Assinale a frase em que há uso INADEQUADO do acento grave, indicativo da crase. a) O piazinho chegou à cidade rapidamente. b) Foi, às pressas, contar o que tinha visto. c) Todos ficaram à beira da estrada para ouvi-lo. d) Então ele deu todas as informações àquelas pessoas espantadas. e) A multidão quase mata o motorista à porretadas. Comentário: Não se emprega crase quando o “a” estiver no singular e a palavra posterior estiver no plural, pois não há concordância entre os termos. Logo, o “a” é apenas um artigo, e para que haja crase é necessária a fusão de preposição mais artigo. 10. Em qual das seguintes frases é necessária a colocação do sinal indicativo de crase no vocábulo a(s)? a) Como o estresse afeta as pessoas? b) Mulheres são mais sensíveis a mudanças. c) Elas visam a harmonia pessoal e social. d) Já os homens tendem a ignorar problemas emocionais. e) Eles estão mais aptos a passar por cima das dificuldades. Comentário: “visar” quando empregado no sentido de “almejar” pede a preposição. Logo, o “a” deverá ser craseado, uma vez que ocorre a fusão de preposição mais artigo. Tome cuidado com os vários sentidos que o verbo possa apresentar. 11. Em qual opção o a deve levar o acento indicativo de crase? a) Dirigiu a você algumas palavras. b) Referia-se a legenda do filme. c) Foi para a praia e leu um livro. d) Deu ciência a todos de sua decisão. e) Estava frente a frente com o problema. Comentário: “à legenda” completa o verbo transitivo indireto, isto é, um verbo que pede um complemento com preposição, caso queira tirar a prova, basta fazer a troca do feminino para o masculino: Referia-se ao problema... 12. Em qual das seguintes frases falta o sinal indicativo da crase? a) Vou ser mais tolerante no trabalho a partir de agora. b) Passei a prestar mais atenção nas tarefas. c) Na reunião, alguém me interrompia a todo instante. d) O evento vai acontecer de 2 a 4 de março. e) Entreguei a equipe de vendas os novos formulários. Comentário: O verbo “entregar” apresenta dois complementos: um objeto direto “os novos formulários” e um objeto indireto “à equipe de vendas” por isso ocorre o acento de crase. Basta também fazer a substituição do feminino para o masculino: Entreguei ao homem os novos formulários.
  • 9. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 9 13. O uso do sinal indicativo da crase está corretamente empregado em: a) A criança gosta de responder à tudo o que lhe perguntam. b) O pomar se estendia à perder de vista. c) O jornalista entregou o artigo à redatora-chefe. d) Ele começou à nadar por recomendação médica. e) Daqui à uma semana o inventor dará uma palestra. Comentário: “entregar”, dentro da frase, apresenta dois complementos verbais: um objeto direto, que não vem com preposição “o artigo” e o outro objeto indireto que deve apresentar preposição, portanto o “a” deve ser craseado. Usando a tática da troca, temos: O jornalista entregou o artigo ao homem. 14. Deve ser colocado o sinal indicativo de crase no a em: a) Diferentes recordes podem interessar a muitas pessoas. b) Conversas entre amigos podem levar a novas invenções. c) Fornecemos novas informações a assessoria do Guinness. d) Não se deve desprezar a intenção das pessoas ao ajudá-las. e) Falou-se muito a respeito das unhas mais compridas do mundo. Comentário: Emprega-se a crase nos objetos indiretos quando a palavra for feminina, ocorrendo a fusão de “a” preposição mais “a” artigo. 15. O sinal indicativo da crase deve ser aplicado em qual das sentenças abaixo? a) Ele é um cavalheiro a moda antiga. b) Estarei na ilha a partir de amanhã. c) O sabiá é admirado devido a seu belo canto. d) Daqui a uma hora se iniciará o recital. e) O pomar fica próximo a uma horta. Comentário: Emprega-se crase antes das palavras “moda, maneira” mesmo que essas venham subentendidas na frase. 16. Em qual das frases a seguir falta o sinal indicativo de crase? a) Os estudantes seguiram a pé. b) Ela doou muitos livros a biblioteca pública. c) Esta área será recuperada a partir do ano que vem. d) Ele começou a reclamar sem parar. e) Ofereci a ela um cargo na empresa. Comentário: O termo “a biblioteca” exerce função de objeto indireto e por essa razão deve ser preposicionado, isto é, o “a” deve ser craseado. Usando a tática da substituição, fica mais fácil de perceber a falta de crase: Ela doou muitos livros ao homem.
  • 10. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 10 17. O vocábulo a deveria estar grafado com o acento indicativo de crase em: a) Quem se preocupa com a água ajuda o planeta. b) O texto se refere a possibilidade de escassez de água. c) É centro das pesquisas dos ecologistas a preservação da água. d) Muitos acreditam que a abundância pode levar ao desperdício. e) Daqui a vários anos, talvez a água seja um problema. Comentário: Usando a tática de trocar a palavra feminina pro outra masculina, temos a prova de que o “a” será craseado. O texto se refere ao problema de escassez de água. 18. A sentença em que o sinal indicativo de crase está usado corretamente é: a) À partir de hoje, não teremos mais aula. b) Vem à calhar a sua ideia de plantarmos mamão. c) Vou ao banco pagar às contas que vencem hoje. d) Peça à seus pais para você subir a serra conosco. e) A peça começa às 10 h em ponto. Comentário: Emprega-se crase nas locuções adverbiais de hora. Lembre-se de que não se emprega crase antes de verbo no infinitivo; nos objetos diretos e antes de pronomes possessivos masculinos. 19. Já ___tardinha, descemos num campo de pouso. Depois seguimos ___ estrada que levava ___ cidade. A opção que, na sequência, completa corretamente a frase é: a) à - à - a b) à - a - à c) à - à - à d) a - à - à e) a - a – à Comentário: “à tardinha” é uma locução feminina de tempo, e por isso ocorre a crase; “a entrada” exerce função de objeto direto, portanto não há presença de crase; “à cidade” basta trocar por um expressão masculina: “Levava ao colégio”. Note que a estrada leva “a algum lugar”, caso não coloque a crase, apresenta a ideia de que alguém está levando a cidade. 20. Assinale a opção que preenche adequadamente as lacunas abaixo. ______ mais de meio século se iniciou a indústria petrolífera no Brasil. ______ partir de então, muitas pessoas tendem ______ pensar que o petróleo aqui encontrado pertence ______ nação brasileira. a) Há – A – a – à b) Há – À – à – à c) Há – À – a – à d) À – A – à – a e) À – A – a – a Comentário: Emprega-se o “há”, pois apresenta ideia de tempo passado; não se emprega a crase antes de verbo no infinitivo “partir – pensar”; uma coisa pertence “à outra”, logo o termo “nação virá precedido de crase”.
  • 11. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 11 21. ____ dois anos foi criado, na região de Irapé, um projeto de cursos, para dar capacitação profissional ____ pessoas que quisessem ter uma ocupação, como Maria Rodrigues, que aprendeu ____ fabricar queijos. A opção que preenche corretamente as lacunas é: a) Há – às – a b) Há – às – à c) Há – as – a d) Á – as – a e) À – as – à Comentário: Emprega-se o “há” já que apresenta ideia de tempo passado; na segunda lacuna, basta fazer a troca por outra palavra masculina: “Dar capacitação profissional aos homens”; na terceira lacuna, não há crase, pois é proibido usá-la antes de verbo no infinitivo. 22. Observando o uso do verbo haver, complete corretamente as lacunas abaixo com “há” ou “a”: I. Partiram dali ____ uma hora. II. Esta notícia foi publicada ____ cinco anos. III. A tragédia aconteceu ____ cinquenta metros daqui. A sequência correta é: a) a, há, a b) há, a, a c) há, a, há d) a, a, há e) há, há, a Comentário: Não se emprega a crase após os advérbios “dali, daqui”; emprega-se o “há” já que se trata de tempo passado; emprega-se o “a” quando se remete a ideia de distância ou espaço. 23. Assinale a opção cuja sequência completa corretamente a frase abaixo. ___ medida que o tempo passava, ela ficava mais nervosa, ___ espera de uma intuição que ___ levasse ___ tomar ___decisão acertada. a) À – a – a – a – a b) À – à – a – a – a c) A – à – a – à – a d) A – a – à – a – à e) A – a – a – à – a Comentário: Emprega-se crase nas locuções conjuntivas: “à medida que, à proporção que”; emprega-se a crase nas locuções prepositivas: “à espera de, à procura de”; não se emprega a crase, pois se trata de um pronome oblíquo que equivale ao pronome reto “ela”; não se emprega a crase antes de verbo no infinitivo; “a decisão” faz papel de objeto direto, logo não há crase.
  • 12. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 12 24. Há omissão do sinal indicativo da crase em: a) Os vizinhos tomaram providências a respeito dos latidos. b) O autor se refere a dupla de artistas como adoráveis. c) Agradeci a ele pelo magnífico presente. d) Os cães continuaram a latir sem parar. e) Ela visita a avó todos os domingos. Comentário: “à dupla” exerce função de objeto indireto, por isso deve receber a crase, por se tratar de um complemento que completa o verbo transitivo indireto. Basta também fazer a trocar para analisar a regência verbal: O autor se refere ao jovem. 25. Os incêndios florestais que ocorrem ___ partir de agosto caminham em direção ___ grandes cidades e tendem ___ se alastrar pela região. Preenche corretamente as lacunas do período acima a opção: a) a – às – a b) a – as – a c) à – às – a d) à – às – à e) à – as – à Comentário: Não se emprega a crase antes de verbo no infinitivo; “às grandes cidades” exerce função de complemento nominal, por isso deve ocorrer a crase; não se emprega a crase antes de pronomes oblíquos: se, ti, mim, nos, vos, lhe. 26. O acento indicativo de crase está corretamente empregado em: a) A pipa d’água supria à carência da região. b) Vínhamos pagando dois mil cruzeiros à pipa d’água. c) O preço era referente à necessidade da fábrica. d) O registro não deixa à água correr. e) Entregava a pipa d’água à preço barato. Comentário: “à necessidade” exerce função de complemento nominal, já que completa “referente”, portanto o uso correto de crase. Tirando a prova, temos: O preço era referente ao problema. 27. “... indispensável à economia orgânica”. É correto afirmar que o sinal gráfico empregado na palavra destacada nesta frase é denominado: a) Acento agudo b) Acento grave c) Crase d) Acento circunflexo e) Trema Comentário: A crase se dá por meio da fusão de dois “as” e o acento recebido é o acento grave.
  • 13. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 13 28. Na frase “Refiro-me à Lenda da Beleza que venceu o Tédio...” A crase está errada em: a) O Tédio partiu à procura de um poeta. b) À tarde, um camponês repousava sob uma árvore. c) A moça fugiu para à Índia. d) As pessoas assistiam à cena, em silêncio. e) A jovem caminhava à luz do dia. Comentário: Não se usa crase após preposições: desde, para, com, sobre, após, perante, contra, sem... 29. “... explicava a professora por que havia faltado tanto tempo...” Assinale a alternativa em que também deve ocorrer o acento grave indicador da crase: a) Ficamos a rezar por um milagre. b) A empresa estava a beira da falência. c) Os documentos não fazem referência a nada. d) O pai pediu a todos que fizessem silêncio. e) O diretor recorreu a uma de suas secretárias. Comentário: Emprega-se a crase antes das locuções prepositivas femininas que são formadas de “à + substantivo feminino + de”. 30. Assinale a alternativa em que o sinal indicativo de crase é facultativo: a) “... só puderam se desenvolver na Terra graças à nossa grande lua...” b) “... planetas semelhantes à Terra e com vida...” c) As viagens à Lua foram interrompidas. d) Os cientistas se referiram à influência que a Lua exerce sobre a Terra. e) A Lua que vemos brilhar, à noite, no céu, possui propriedades incontáveis. Comentário: A crase é facultativa em três casos: antes de pronomes adjetivos possessivos femininos no singular; após a preposição “até”; antes de nomes de “mulheres”. 31. A crase foi utilizada INCORRETAMENTE em: a) Ela está à procura de ajuda. b) Saímos às quatro horas. c) José perdoou à mulher. d) Assisti àquele filme. e) Estou disposto à perdoar. Comentário: Não se emprega a crase antes de verbo no infinitivo, uma vez que o “a” é meramente um preposição, isto é, não há união de preposição mais artigo. 32. Assinale a afirmativa em que o uso da crase é facultativo: a) Sairei às duas horas da tarde. b) Refiro-me à Carla Regina. c) À medida que o tempo passa, fico mais feliz por você estar aqui. d) Chegamos cedo à casa de meu pai. e) Temos amor à arte. Comentário: A crase é facultativa antes de nomes de mulheres.
  • 14. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 14 33. Assinale a alternativa em que a crase foi utilizada INCORRETAMENTE: a) O desrespeito em relação às pessoas da terceira idade é grande. b) Não deixe seu idoso isolado e sem nenhuma tarefa à realizar. c) Às vezes, reconheço a importância. d) Estamos à espera de socorro. e) Fui ao colégio às oito horas. Comentário: Não se emprega crase antes de verbos no infinitivo, isto é, verbo que terminem em “r”. 34. Assinale a afirmativa INCORRETA quanto ao uso da crase: a) Estou à procura de ajuda. b) Fomos até à feira. c) Fui à cidade. d) Ela agia sempre às escondidas. e) Estávamos frente à frente. Comentário: Não se emprega crase entre palavras repetidas, pois o “a” é meramente uma preposição; algumas das expressões que mais aparecem em provas são: dia a dia, frente a frente, face a face, cara a cara. 35. “Todo homem tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião.” Neste caso, o uso da crase está correto. Também está correto em: a) Irei daqui à duas horas. b) Refiro-me à meu velho amigo. c) Pedimos arroz à grega. d) Agradeci à um amigo. e) Pretendo falar à todos. Comentário: Quando vier subentendida a palavra “moda”, deve-se empregar a crase, tais como: Comida à mineira; Vestiu-se à Luis XV. 36. “– que a Madonna venha à nossa cidade.” É correto o uso da crase, EXCETO em: a) Fui à escola. b) Não me refiro à secretária. c) Entreguei o livro à professora. d) Fui à casa dela. e) Ela gosta de andar à cavalo. Comentário: Não se emprega crase antes de palavras masculinas, pois não há fusão de preposição mais artigo, ou seja, a palavra masculina não aceita o artigo feminino “a”.
  • 15. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 15 37. Crase é a fusão de duas vogais da mesma natureza. Marque a alternativa que NÃO indica um caso proibitivo de crase: a) Graças à Deus, tudo terminou bem. b) Aquela sua desculpa não engana à ninguém. c) Tomou o remédio gota à gota. d) Vou até à cidade. e) O jovem estava entregue à alegres recordações. Comentário: É facultava a crase após a preposição “até”. 38. O uso da crase está incorreto nas frases abaixo, EXCETO: a) As vendas à prazo aumentaram o faturamento final. b) Depois de tudo, passou à acreditar em mim. c) Referiu-se à ela com indignação. d) Estávamos à beira de um ataque de nervos. e) Este é o resultado à que chegamos. Comentário: Emprega-se crase antes de locuções prepositivas “à beira de, à espera de, à procura de”. Lembre-se de que não há crase antes de masculino; verbo no infinitivo; pronome reto, e antes dos pronomes relativos, exceto em alguns casos especiais. 39. A opção que corretamente completa o trecho a seguir é: “Não vai ___ recepções, ___ festas, nem ___ reuniões escolares.” a) a, a, a b) à, à, à c) à, a, à d) à, à, a e) a, à, à Comentário: Não se emprega a crase antes de palavras no plural, a não ser que o “a” também esteja no plural. 40. Assinale a afirmativa em que o uso da crase apresenta-se INCORRETO: a) Eu me referi à aluna. b) Eles chegaram à noite. c) Ela está à procura de ajuda. d) Vou à Argentina no próximo mês. e) Estou aqui desde às sete horas. Comentário: Muito cuidado, nem sempre se emprega a crase antes de horas. Não se emprega crase após preposição “desde” mesmo que esteja diante de uma expressão de horas.
  • 16. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 16 41. Assinale a alternativa em que o uso da crase encontra-se INCORRETO: a) Não assisto à filme de aventura. b) Deram emprego àquela senhora. c) Ela agia às escondidas. d) Assistiam àquela novela. e) Vou à Itália. Comentário: Não se emprega a crase antes de palavras masculinas: “filme”. 42. Na frase “Deixam os filhos entregues à babá eletrônica”, o uso da crase está correto, exceto: a) As crianças saem às 17 horas. b) A agressão à infância já se tornou um problema mundial. c) Muitas crianças vivem à sofrer com a falta de carinho. d) À noite, ainda encontramos crianças nos semáforos. e) Muitas crianças vivem à míngua. Comentário: Não se emprega crase antes de verbo no infinitivo “sofrer” 43. Identifique a alternativa que apresenta uma locução adverbial feminina e que por este motivo recebeu o acento grave indicador da crase: a) Dou seta à esquerda. b) Fomos à Avenida 23 de Maio. c) Tenho “amor” às filas quilométricas. d) Respondi à pergunta da jovem calmamente. e) Ele disse que certamente iria à loja recém inaugurada. Comentário: Emprega-se crase antes das locuções adverbiais femininas: à noite, à tarde, às vezes, às pressas, às claras, à esquerda, à direita... 44. Deve levar o acento grave, indicador da crase: a) Duas a duas as alunas entravam na sala. b) Temos celular a cartão. c) Muitas pessoas saíram as pressas para assistir ao jogo. d) Sou a favor dos mais fracos. e) Comida feita em fogão a gás. Comentário: Emprega-se crase antes das locuções adverbiais femininas: à noite, à tarde, às vezes, às pressas, às claras, à esquerda, à direita... Lembre-se de que não há crase antes de substantivos masculinos “cartão, favor, gás”. 45. Assinale a opção em que deve ocorrer o acento indicativo de crase, como ocorreu em “trazer à tona”. a) O remédio deve ser tomado gota a gota. b) Respondi a todas perguntas. c) Estava disposto a colaborar. d) Saímos as pressas. e) Referiram-se a nos ontem? Comentário: “à tona” é uma locução adverbial feminina assim como a expressão “às pressas”. Lembrando que não há crase entre palavras repetidas, antes de plural, verbo no infinitivo, antes de pronome oblíquo.
  • 17. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 17 46. Nas alternativas abaixo o acento da crase é facultativo em: a) “... o índio gigante confere às suas galinhas...” b) “Criado à base de boa alimentação...” c) “... a produção de pequenos plantéis pode atender à demanda da vizinhança.” d) À noite as galinhas ficam presas no galinheiro. e) Aquele fazendeiro se dedica à sua criação de galos reprodutores. Comentário: Muito cuidado, pois a crase só é facultativa antes dos pronomes possessivos femininos, no caso do plural é obrigatório. 47. Assinale a alternativa em que o uso da crase encontra-se INCORRETO: a) Retornamos às praias. b) Chegaram à noite. c) Não assisto à filme de comédia. d) Às famílias não resta outra opção. e) Aspiro àquela vaga. Comentário: Não se emprega crase antes de palavra masculina. 48. Há ERRO quanto ao uso da crase na seguinte afirmativa: a) Entreguei a vuvuzela àquele homem. b) Pagou tudo à holandesa. c) Ele perdoou à mulher. d) Ficamos frente à frente com a torcida. e) Sempre que visitava o estádio dirigia-se à mesma pessoa. Comentário: Não se emprega crase entre palavras repetidas. 49. Assinale a alternativa em que o uso da crase encontra-se INCORRETO: a) Ficamos frente à frente com a crise configurada pelo aquecimento global. b) Ele chegou à uma hora em ponto. c) As novas tecnologias caminhavam às pressas. d) Voltamos cedo à casa do político. e) Assisti àquele filme sobre a destruição da natureza. Comentário: Não se emprega crase entre palavras repetidas, tais como: “dia a dia, frente a frente, face a face...”. 50. Foi usado INCORRETAMENTE o acento grave, indicador da crase: a) As leis penais acarretam danos à sociedade brasileira. b) O rapaz foi o primeiro à fazer uma acusação ao sistema penitenciário. c) Todos ficam à espera de mudanças nas leis penais. d) As pessoas dirigiram-se à diretora da instituição. e) O artigo faz referência às leis que trazem benefícios àqueles crimes bárbaros. Comentário: Não se emprega crase antes de verbo no infinitivo, isto é, verbos terminados em “r”.
  • 18. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 18 51. Assinale a alternativa correta quanto ao uso da crase: a) Não estávamos dispostos à ouvir o silêncio. b) Ele pagou à dívida. c) Refiro-me à alunos inteligentes. d) Falávamos às pessoas desinteressadas. e) Não tenho nada à dizer em relação a isso. Comentário: Não se emprega crase antes de verbo no infinitivo; em objeto direto; antes de plural quando o “a” estiver no singular e antes de verbo no infinitivo “dizer”. “às pessoas” exercem função de objeto indireto, basta fazer a substituição: Falávamos aos meninos. 52. Assinale a alternativa que preencha corretamente os espaços em branco da frase: “O sítio fica ______ esquerda de quem desce a rua, ______ três quadras da avenida principal.” a) à – à b) à – a c) a – a d) a – à Comentário: Emprega-se crase nas locuções prepositivas “à esquerda de”, e emprega-se o “a” quando apresenta ideia de espaço. 53. O uso do acento indicativo de crase é facultativo na seguinte afirmativa: a) A inovação tecnológica melhora o aproveitamento da energia. b) A economia aumentou a noite. c) Obedeço a minha mãe. d) Ficamos frente a frente pela manha. e) As vezes, reciclar o lixo e complicado. Comentário: A crase é facultativa antes de pronomes possessivos femininos: sua, tua, minha, nossa, vossa. 54. O acento indicador da crase foi usado INDEVIDAMENTE em: a) “... em meio às atividades, pois o cotidiano é organizado.” b) Às vezes, as pessoas escondem-se do mundo. c) Na sala, professoras e alunos estavam à vontade, sem preocupações com a vida. d) O rapaz se dirigiu à salas onde havia aulas. e) O rapaz atirava à distância de um metro. Comentário: Não se emprega crase quando o “a” estiver no singular e a palavra posterior vier no plural “salas”, pois o “a” é meramente uma preposição.
  • 19. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 19 55. O uso do acento indicador da crase foi usado corretamente em: a) Foram dados às pessoas todos os objetos de prazer. b) Fiquei à distância observando o mestre e seus alunos. c) Há, ainda, uma outra tarefa atribuída à quem é educador. d) Dizem que se deve educar à partir dos sentidos. e) As oportunidades seriam dadas à todas as pessoas. Comentário: “às pessoas” exercem função de objeto indireto, por isso o “a” recebe o acento grave. Basta fazer a troca para confirmar se há a crase: Os objetos de prazer foram dados aos homens. 56. Assinale a afirmativa em que o uso da crase é facultativo: a) Eles chegaram às pressas para comer e beber. b) Estou disposto à continuar o tratamento. c) Patrícia se referiu à apostila sobre dieta. d) Se entregar a gula não interessa à ninguém. e) Obedeço à minha nutricionista. Comentário: A crase é facultativa antes de pronomes possessivos femininos: sua, tua, minha, nossa, vossa. Na letra “a, c” as crases são obrigatórias, já nas letras “b, d” são proibidas. 57. A ciência produz resultados passo ...... passo, como se fosse um quebra-cabeça ...... ser devidamente montado, para chegar-se ...... confirmação de uma hipótese qualquer. As lacunas da frase acima estão corretamente preenchidas, respectivamente, por: a) à − à − a b) a − a − à c) a − à − à d) à − à − à e) a − a – a Comentário: Não se emprega crase entre palavras repetidas “passo a passo”; não se usa crase antes de verbo no infinitivo “ser”; o verbo pede complemento com preposição, logo o “a” recebe o acento grave. Caso tenha dúvida, basta usar a tática da troca: Chegar-se ao problema. 58. Urologistas têm se dedicado ...... investigar o que muda no cérebro ...... medida que envelhecemos; segundo alguns estudos, a aptidão da memória para resgatar informações abstratas diminui, enquanto a propensão ...... divagar aumenta. Preenchem corretamente as lacunas da frase acima, respectivamente: a) a - a - a b) a - à - a c) à - a - à d) a - à - à e) à - à - à Comentário: Não se emprega crase antes de verbo no infinitivo “investigar, divagar”; emprega-se a crase nas locuções conjuntivas “à medida que, à proporção que”.
  • 20. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 20 59. Considere: Na pequena cidade várias pessoas estavam paradas ...... frente de uma casa. O motorista, atento ...... condições da estrada, resolveu entrar. Pretendia pedir informações ...... algum morador. As lacunas da frase acima devem ser corretamente preenchidas, respectivamente, por: a) a - as - a b) a - as - à c) à - as - à d) à - às - à e) à - às – a Comentário: Emprega-se a crase nas locuções prepositivas “à frente de, à espera de, à procura de”; empregou-se a crase respeitando-se a regência nominal, pois “atento” pede a preposição “a” com crase, já que também ocorre a fusão de preposição mais artigo definido feminino; não se emprega crase antes de pronomes indefinidos: todos, alguém, ninguém, qualquer... 60. Cientistas em todo o mundo dedicam-se ...... pesquisas com células-tronco, destinadas ...... combater certas doenças degenerativas, que trazem sofrimento ...... uma grande parte da população. As lacunas da frase apresentada estão corretamente preenchidas por: a) à - a - a b) à - à - a c) a - a - a d) a - à - à e) a - a - à Comentário: Não há crase quando não houver concordância entre o “a” e a palavra posterior “pesquisas”, nesse caso, o “a” é meramente uma preposição; não se emprega crase antes de verbo no infinitivo “combater”; não há crase antes de artigo indefinido “um, uma”. 61. Assinale a opção em que a crase ocorre INCORRETAMENTE: a) A destruição das florestas é uma agressão à natureza. b) Refiro-me às candidatas desse concurso público. c) Já expliquei esse assunto à você muitas vezes. d) Às vezes, penso em você com saudades. e) O exame começou às oito horas de hoje. Comentário: Não se emprega crase antes de pronomes de tratamento: você, Vossa Excelência, Vossa Eminência... 62. Justificam-se ambas as ocorrências do sinal de crase em: a) Na entrevista que concedeu à TV, a juíza recorreu à uma frase de Disraeli. b) A frase à que se reportou a juíza diz respeito à distinções éticas. c) Faltam audácia e iniciativa à quem deveria propor-se às ações afirmativas. d) Não se abra àqueles inescrupulosos o campo favorável à impunidade. e) A comunidade dos justos começou à partir de ontem. Comentário: O pronome “aqueles” quando substituído por “aos” levará crase, basta fazer a troca; o termo “à impunidade” completa o “favorável”, isto é, temos aí um complemento nominal, empregando-se a crase por se tratar também de um substantivo feminino. Basta fazer a troca do feminino por masculino: “favorável ao problema”.
  • 21. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 21 63. Da que riqueza [...] à custa do trabalho escravo ... A sociedade colonial no Brasil [...] desenvolveu-se [...] à sombra das grandes plantações de açúcar ... Do mesmo modo que nas frases acima, está correto o emprego da crase em: a) combate à fome. b) vendas à prazo. c) escrito à lápis. d) avião à jato. e) defender à unhas e dentes. Comentário: Por se tratar de uma palavra feminina em que houve a fusão de artigo mais preposição, pois quem combate, combate “a” e o artigo feminino “a” do substantivo “fome”. Lembre-se de que não há crase antes de masculino e antes de palavra no plural quando o “a” estiver no singular. 64. Assinale a opção em que o uso do acento grave, indicador de crase, esteja incorreto. a) Entregamos a mercadoria à vizinha. b) Nunca fizemos menção àquilo. c) Esta é a menina à quem nos referimos. d) Fiz referência à sua posição no final do debate. Comentário: Não se emprega crase antes destes pronomes relativos: quem, cuja. 65. Assinale a opção em que o uso do acento grave, indicador de crase, esteja incorreto. a) A reportagem é igual à que foi publicada ontem. b) Obedeço à qualquer sinalização de trânsito. c) Fomos à casa de minha sogra pela manhã. d) Comunicamos o fato às alunas rapidamente. Comentário: Não se emprega crase antes de pronomes indefinidos: todas, todo, algo, alguém, qualquer... 66. A alternativa em que o acento indicador de crase tenha sido usado incorretamente: a) Foi à Itália, mas não à Roma dos Césares. b) Referia-se, é claro, à Brasília dos tempos de JK. c) Não retornaram à sua Lisboa, que essa já não mais existia. d) Em sua segunda viagem, não reviu à Bahia de todos os santos. Comentário: O verbo “rever” pede objeto direto, pois quem revê, revê “algo”, logo não há possibilidade de crase. Muito cuidado ao fazer a troca do “vim de” crase não há, ou “vim da” crase há, deve-se ater primeiramente à regência verbal. 67. O acento grave, indicador de crase, está empregado CORRETAMENTE em: a) Encaminhamos os pareceres à Vossa Senhoria e não tivemos resposta. b) A nossa reação foi deixá-los admirar à belíssima paisagem. c) Rapidamente, encaminhamos o produto à firma especializada. d) Todos estávamos dispostos à aceitar o seu convite. Comentário: Não se usa crase antes de pronomes de tratamento, como: Você, Vossa Excelência, Vossa Senhoria...
  • 22. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 22 68. Observe atentamente o uso da crase nos itens a seguir: I. Comentarei as discussões à qualquer pessoa do colégio. II. Falei à vendedoras da loja as nossas verdadeiras intenções. III. Os analistas renomados não fizeram referência à essa obra. O uso da crase está INCORRETO em: a) I e II apenas b) I e III apenas c) II e III apenas d) I, II e III Comentário: Não se emprega crase antes de pronome indefinido “qualquer”; não há crase, já que o “a” não concorda com o substantivo “vendedoras”; não se emprega a crase antes de pronomes demonstrativos “esse, essa, isso, isto”. 69. Assinale a frase em que a crase foi usada INCORRETAMENTE: a) A mulher à que nos referimos foi atendida pelo prefeito. b) Doaram os livros àqueles homens que mais se destacaram. c) Disseram às suas amigas que não entenderam as explicações. d) Mostrava-se sensível às decisões assumidas pelos convidados. Comentário: Em grande parte dos casos, não se emprega a crase antes de pronome relativo “que”. 70. A alternativa que preenche CORRETAMENTE as lacunas das frases acima, respectivamente, é: I. O cheque foi descontado ____ mais de uma semana. II. O jornalista se refere ____ sua filha e não ____ Vossa Excelência. III. O aeroporto fica ____ mais de uma hora do centro da cidade. a) há – à – a – há b) há – a – a – a c) a – à – a – a d) à – à – à – à Comentário: O primeiro caso trata-se de “há” já que apresenta ideia de tempo passado; no segundo caso é facultativa a crase por estar antes de pronome adjetivo feminino no singular, e não há crase antes de pronome de tratamento; no último caso, deve-se empregar o “a” quando houver ideia de espaço.
  • 23. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 23 71. Com relação ao uso da crase, assinale a alternativa cuja série completa as lacunas, CORRETAMENTE: I. Estilo ______ Paulo Coelho. II. Oramos _______ Nossa Senhora. III. Esta blusa é semelhante _______ que meu colega comprou. IV. O advogado voltou _______ casa materna. V. Fomos _______ pé para a confraternização. a) a – à – a – a – à b) à – a – a – à – à c) a – à – à – a – a d) à – a – à – à – a Comentário: I. Emprega-se crase quando ocorre a ideia de “moda – maneira, estilo” a alguém. II. Basta fazer a troca por masculino: Oramos ao homem. III. Emprega-se a crase quando o “a” vem antes do pronome relativo “que” e faz referência a um substantivo antes, no caso, temos “blusa”. IV. A palavra “casa” está determinada. V. Não se emprega crase antes de palavra masculina “pé”. 72. Marque a opção em que a crase foi empregada CORRETAMENTE: a) Levamos muito entusiasmo à essa reunião. b) Isto me levou à uma solução inédita. c) Falamos apenas àquelas pessoas que estavam no salão 4. d) Refiro-me à questões anteriores. Comentário: Quando houver o pronome demonstrativo “àquelas” basta trocar por “a estas” para realmente ver se há ou não crase: Falamos apenas a estas pessoas... 73. Assinale a única opção em que o uso da crase está correto: a) "O crack, porém, provoca sensação semelhante à do baque...". b) "subi às escadas até o quinto andar...". c) "um dos primeiros à passar derrubou uma lâmpada...". d) "viemos apelar para à sua boa vontade...". Comentário: Antes da preposição “de” se o “a” substituir alguém na frase e a regência pedir a preposição, haverá crase. Note que o termo “semelhante” pede a preposição “a”, e o “a” faz referência ao termo “sensação”.
  • 24. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 24 74. Observando as palavras destacadas, é CORRETO afirmar que estão corretas: I. Cheguei a casa de minha mãe no domingo à noite. II. Fale à tal pessoa que sua insistência foi em vão. III. O diretor referia-se à vitória de João, não à sua. a) I e II, apenas b) I, II e III c) I e III, apenas d) II e III, apenas Comentário: Quando as palavras “casa, terra, distância” vierem determinadas ou especificadas, haverá a presença do acento grave; note que a “casa” está determinada pela expressão “de minha mãe”. Empregou-se a crase respeitando a regência do verbo “falar” e pode-se empregar crase “a”. É obrigatório o uso de crase antes dos pronomes possessivos femininos quando estes forem pronomes substantivos e a regência pedir a preposição “a”. 75. A crase foi usada de forma correta em: a) Seus pais estavam dispostos à muitas concessões. b) A atenção às nossas propostas acabou comprando inimizade. c) Durante a sua visita, jamais se referia à nós. d) À partir das considerações propostas, encaminhamos o seu projeto. Comentário: O termo “atenção” pede a preposição “a”, ocorrendo a fusão de preposição mais artigo. Basta trocar a palavra “às nossas propostas” por um termo masculino “aos nossos problemas”. A crase nesse caso não é facultativa, pois o pronome possessivo feminino se encontra no plural. 76. A crase foi usada ADEQUADAMENTE em: a) As informações às quais as mulheres se referiam eram verdadeiras. b) Só me irá receber à partir da semana que vem. c) Recorreu-se à Vossa Senhoria no último momento. d) Distribuí o livro à qualquer aluna da sala. Comentário: Basta trocar o termo feminino “as informações” por outro masculino: “Os problemas aos quais as mulheres se referiam...” Sempre que ocorrer a presença da preposição “aos” antes do pronome relativo “qual”, empregaremos a crase.
  • 25. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 25 77. Assinale a alternativa correta: I. Você deu parabéns à Sua Excelência? II. Vendemos à prazo todas as mercadorias da loja. III. Só prestei atenção à notícias que diziam respeito a mim. a) se apenas o item I estiver correto b) se apenas o item II estiver correto c) se apenas o item III estiver correto d) se nenhum dos itens estiver correto Comentário: Não se emprega crase antes de pronomes de tratamento: Vossa Excelência, Sua Excelência... I. Não se emprega crase antes de palavra masculina “prazo”. II. Não se emprega crase quando o “a” estiver no singular e o substantivo estiver no plural. 78. Observe atentamente o uso da crase nos itens a seguir: I. Comentarei as discussões à qualquer pessoa do colégio. II. Falei à vendedoras da loja as nossas verdadeiras intenções. III. Os analistas renomados não fizeram referência à essa obra. O uso da crase está INCORRETO em: a) I e II apenas b) I e III apenas c) II e III apenas d) I, II e III Comentário: I. Não se emprega crase antes de pronomes indefinidos: qualquer, todos, nada, alguém, tudo, ninguém... II. Não há concordância entre o “a” e o substantivo “vendedoras”, por isso não se usa crase, já que o “a” é meramente uma preposição. III. Não se emprega crase antes dos pronomes demonstrativos: essa, esse, isso, isto, este, esta. 79. Assinale a frase em que a crase foi usada INCORRETAMENTE: a) A mulher à que nos referimos foi atendida pelo prefeito. b) Doaram os livros àqueles homens que mais se destacaram. c) Disseram às suas amigas que não entenderam as explicações. d) Mostrava-se sensível às decisões assumidas pelos convidados. Comentário: Basta trocar a palavra “a mulher” por outra masculina; caso a preposição “a” aceite a troca pela preposição “ao”, empregaremos a crase: “O homem a que nos referimos...”. Note que não aceitou a preposição “ao”, por tal razão não cabe a crase.
  • 26. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 26 80. O acento grave, indicador de crase, está empregado CORRETAMENTE em: a) Encaminhamos os pareceres à Vossa Senhoria e não tivemos resposta. b) A nossa reação foi deixá-los admirar à belíssima paisagem. c) Rapidamente, encaminhamos o produto à firma especializada. d) Todos estávamos dispostos à aceitar o seu convite. Comentário: O termo “à belíssima paisagem” completa o verbo “encaminhamos” que dentro da frase é verbo transitivo direto e indireto. Basta fazer a troca do feminino para o masculino: “Encaminhamos o produto ao homem”. 81. Assinale a alternativa em que o acento indicador de crase tenha sido INCORRETAMENTE empregado: a) Teoria e prática devem andar aliadas uma à outra. b) Trabalha 45 horas por semana, de segunda à sábado. c) Foi até à cidade mais próxima, onde conseguiu ajuda médica. d) A empresa funciona das 8 às 18 horas, da segunda à sexta-feira. Comentário: Não há crase, já que o termo “sábado” é uma palavra masculina. 82. Assinale a opção em que o uso do acento grave esteja incorreto. a) A reportagem é igual à que foi publicada ontem. b) Obedeço à qualquer sinalização de trânsito. c) Fomos à casa de minha sogra pela manhã. d) Comunicamos o fato às alunas rapidamente. Comentário: Não se emprega crase antes de pronomes indefinidos: qualquer, todos, nada, alguém, tudo, ninguém... 83. O acento indicativo de crase está correto em: a) Saíram de casa às sete horas da manhã. b) À cada momento, reexaminavam tudo. c) O casal chegou à pé ao local. d) À partir da sua prisão, nada mais falaram. e) Pedimos à Vossa Excelência que reconsidere a sua decisão. Comentário: Emprega-se, normalmente, crase nas locuções adverbiais de tempo, ou seja, quando se trata de horas. 84. Assinale a alternativa em que o uso da crase está correto: a) Compramos à obra por um ótimo preço. b) Referiu-se à leitura de poemas modernos. c) Obrigaram-me à ler aquelas crônicas. d) Foi à uma conhecida feira de livros. e) Foram à Paraty para conhecer alguns escritores. Comentário: O verbo “referiu-se” pede objeto indireto, ou seja, um complemento com preposição. Portanto se empregou a crase respeitando a regência do verbo. Basta também fazer a troca do feminino por outro termo masculino: “Referiu-se ao homem”.
  • 27. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 27 85. O emprego do acento indicativo da crase está correto na seguinte frase: a) Há exames de saúde destinados à cardíacos. b) Quando o paciente necessita, pede auxílio à enfermagem. c) O questionário informativo é entregue à cada um dos internos. d) Obedeci à seu pedido, de pronto. e) Os jovens vão à festas todos os finais de semana. Comentário: Quem pede auxílio, pede auxílio a alguém; note que o verbo pede a preposição, isto é, o “a” deverá ser craseado, pois se encontra antes de palavra feminina. 86. Em qual opção o “a” deve levar o acento indicativo de crase? a) Dirigiu a você algumas palavras. b) Referia-se a legenda do filme. c) Foi para a praia e leu um livro. d) Deu ciência a todos de sua decisão. e) Estava frente a frente com o problema. Comentário: Não se emprega crase antes de pronome “você”; após preposição “para”; antes de pronome indefinido “todos”; entre palavras repetidas. Empregou-se a crase, pois o verbo pede preposição e a palavra é feminina. Basta fazer a troca por outra palavra masculina: Referia-se ao problema. 87. Assinale a alternativa em que a crase foi aplicada indevidamente: a) Houve um baile à fantasia. b) Comprou tudo à vista. c) Mandou o marinheiro à terra. d) Entrou à esquerda do pai. Comentário: Não se emprega crase antes da palavra “terra” se não houver determinante. 88. Assinale a alternativa em que é obrigatória a utilização da crase: a) Deu o bônus a quem merecia. b) Diga parabéns a sua mãe. c) Meteu-se a fazer o que não deveria. d) Dedico uma manhã as obras assistenciais. Comentário: Basta fazer a troca do feminino por outro masculino: Dedico uma manhã ao homem. 89. Indique a alternativa em que é imprescindível o uso da crase: a) Colocamos os dois frente a frente. b) Aquela tela foi pintada a óleo. c) Estou disposta a fazer qualquer coisa. d) Irei a festa com muito prazer. Comentário: O verbo “ir” pede a preposição “a”, logo basta fazer a troca do feminino para o masculino: Irei ao local com muito prazer.
  • 28. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 28 90. Analise a utilização do acento indicador de crase: I. Você não deve preencher o gabarito à lápis. II. Consegui fazê-lo beber todo o remédio, gota à gota. a) Apenas I está correta b) Apenas II está correta c) I e II estão corretas d) I e II estão incorretas I. Comentário: II. I. Não se emprega crase antes de masculino. III. II. Não se usa crase entre palavras repetidas. 91. Assinale a opção em que falta o acento indicativo da crase na palavra destacada. a) O Google incentiva os funcionários a desenvolver ideias inovadoras. b) O Google Earth Solidário nasceu a partir de um projeto de Rebecca. c) Rebecca tinha uma tarefa voluntária, a qual dedicava parte de seu tempo. d) De 2005 a 2007, Rebecca enviou sugestões para o Google. e) Em 2007, o Google aceitou a proposta de criação do Solidário. Comentário: Basta fazer a troca da palavra feminina por outra masculina: “Rebecca tinha um problema, ao qual dedicava parte de seu tempo.” Note que antes do pronome relativo “qual” coube perfeitamente a preposição “ao”. 92. Acerca da utilização do acento indicador de crase, analise as afirmações: I. Naquele hotel fazenda, o que eu mais fiz foi andar à cavalo. II. Meu afilhado começou à aprender inglês a partir dos três anos. a) Apenas I esta correta b) Apenas II esta correta c) I e II estão corretas d) I e II estão incorretas Comentário: I. Não se emprega crase antes de masculino. II. Não se emprega crase antes de verbo no infinitivo. 93. Assinale a alternativa incorreta em relação à utilização da crase: a) Domingo vamos à fazenda. b) Sua roupa cheira à perfume. c) Vou à reunião da empresa. d) O trem sai às dezoito horas. Comentário: Não se emprega o acento grave antes de palavra masculina. 94. Assinale a frase que contém erro quanto à crase: a) Paguei à cabeleireira. b) Fizemos um churrasco à gaúcha. c) Vou a Porto Alegre. d) Comemos bife a milanesa. Comentário: Deveria haver crase já que apresenta ideia de “a moda de”: “Comemos bife à moda milanesa.”
  • 29. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 29 95. Podemos definir crase como: a) Fusão de duas consoantes idênticas. b) Fusão de duas vogais idênticas. c) Fusão de duas vogais diferentes. d) Fusão de duas consoantes diferentes. Comentário: A crase se dá pela fusão de duas vogais diferentes: a primeira se trata de uma preposição, pois está ligada à regência, já a segunda se trata de um artigo, pois acompanha o substantivo feminino. 96. Assinale a alternativa em que o uso da crase está incorreto: a) Esta carta é semelhante àquela que recebi. b) Assinou o contrato à lápis. c) Fui à feira na terça-feira. d) Viajamos à Paris. Comentário: Não se usa crase antes de palavra masculina “lápis”. 97. Analise as frases abaixo em relação à utilização da crase e assinale a correta: I- Ele está disposto à trabalhar. II- Irei à casa de meu pai. III- Inundou a cozinha, gota à gota. a) Somente I está correta. b) I, II e III estão corretas. c) Somente II está correta. d) Somente III está incorreta. Comentário: I. Não se emprega crase antes de verbo no infinitivo. II. A palavra “casa” está determinada, por isso o uso de crase. III. Não se emprega a crase entre palavras repetidas. 98. Analise as frases abaixo em relação à utilização da crase e assinale a correta: I- Pintava quadros a óleo. II- Ele foi à cidade de Franco da Rocha prestar um concurso. III- Dirigi-me àquele Senhor com a educação necessária. a) Somente II está correta. b) Somente I está incorreta. c) I e II estão corretas. d) Todas estão corretas. Comentário: I. “óleo” é uma palavra masculina. II. Ele foi ao local prestar um concurso. III. Basta trocar pelo “ao”: Dirigi-me ao Senhor com a educação necessária.
  • 30. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 30 99. Assinale a frase em que o uso do acento indicador de crase não é facultativo: a) Diga a sua tia a verdade. b) Ele cheirava a gasolina. c) A Maria eu dedico esta rosa. d) Falei a outra mulher. Comentário: A crase é facultativa antes de pronomes possessivos femininos “sua, tua, minha”; quando apresenta duplicidade “cheirar” pode ter dois sentidos pelo contexto; antes de nomes de mulheres. Emprega-se a crase antes do pronome indefinido “outra”, basta fazer a troca: “Falei ao outro homem. 100. Em qual das alternativas não deveria haver sinal indicador de crase? a) Comprei uma casa à beira-mar. b) Teremos de sair à noitinha. c) Teremos de ficar à espera. d) À nosso juízo não há nada errado. Comentário: Não se emprega crase antes de pronome possessivo masculino “nosso”.
  • 31. Materiais Específicos de Português – www.materiaisdeportugues.com.br Página 31 GABARITO 1 D 2 C 3 D 4 D 5 C 6 A 7 D 8 A 9 E 10 C 11 B 12 E 13 C 14 C 15 A 16 B 17 B 18 E 19 B 20 A 21 A 22 A 23 B 24 B 25 A 26 C 27 B 28 C 29 B 30 A 31 E 32 B 33 B 34 E 35 C 36 E 37 D 38 D 39 A 40 E 41 A 42 C 43 A 44 C 45 D 46 E 47 C 48 D 49 A 50 B 51 D 52 B 53 C 54 D 55 A 56 E 57 D 58 B 59 E 60 C 61 C 62 D 63 A 64 C 65 B 66 D 67 A 68 C 69 C 70 C 71 D 72 C 73 A 74 D 75 B 76 A 77 D 78 D 79 A 80 C 81 B 82 B 83 A 84 B 85 B 86 B 87 C 88 D 89 D 90 D 91 C 92 D 93 B 94 D 95 B 96 B 97 C 98 D 99 D 100 D É expressamente proibida a reprodução de parte ou da totalidade de seu conteúdo, mediante qualquer forma ou meio, sem prévia e formal autorização, nos termos da Lei n.o 9.610/98.