SlideShare uma empresa Scribd logo
DOR
LOMBAR
CRONICA
Estágio Supervisionado –Atenção Básica e
Clínica Escola de Fisioterapia
Definição Periodicidade Tema / Caso
Fundamentação
teórica
Descrição do
caso
Formatação
Escrita
Apresentação
Oral
Avaliação Prazos
1. Introdução
2. Etiologia
3. Fisiopatologia
4. Epidemiologia
5. Diagnóstico
1. INTRODUÇÃO
Atualmente a dor lombar crônica é uma das doenças
que mais acomete o público adulto, com a
prevalência de 80% da população, indicando que as
pessoa já passaram por esta experiência ou sentirão
algum momento na sua vida. (VILAR et al. 2014)
EPIDEMIOLOGIA
STANISLAWSKA ET AL.
EPIDEMIOLOGIA
STANISLAWSKA ET AL.
Trata-se de uma condição que causa um ônus muito
grande para a sociedade, como custos para a saude
pública e também para a previdência. A doença no
seu estado grave leva a absenteísmo e a
incapacidade, acarretando desta forma a população
ativa de trabalho.
2. Etiologia
Segundo Maldonado et al. (2021) a dor lombar
crônica inespecífica situa-se abaixo da margem
costal e acima das pregas glúteas, o que causa
redução da força muscular, diminuindo a
capacidade de proteção das estruturas
articulares.
Oliveira et al. (2021) afirma que DLCI não
possui uma origem definida, podendo ou não ter
implicação com o membro inferior. A dor piora
com o aumento de esforço físico, e melhora no
repouso. O sedentarismo e a postura inadequada
pode agravar os sintomas da dor lombar crônica.
Para Vilar et al. (2014) os fatores de risco podem iniciar-se
ainda na fase jovem para uma predisposição de DLC com
alterações biomecânicas na coluna vertebral causadas por
excesso de carga mecânica (mochilas ou bolsas pesadas),
postura incorreta e características ergonômicas das cadeiras e
assentos.
Evidenciam-se também os fatores de risco para o
acontecimento ou piora da dor lombar entre os jovens:
sedentarismo, tabagismo e as alterações psicossociais.
Avaliação dos fatores biopsicossociais são essenciais para
contribuição de um diagnóstico fidedigno da DLC, para uma
aplicação adequada do tratamento, e na melhora da qualidade
de vida. Pois, esses fatores influenciam no desenvolvimento da
incapacidade, impede a integração para os programas de
exercícios físicos, ampliando-se o medo pertinente ao
movimento e consequentemente alterando o prognóstico.
(OLIVEIRA et al. 2021)
FATORES PSICOSSOCIAIS
• Ansiedade
• Catastrofização
• Cinesiofobia – medo de se moviementar
• Estresse
• Crenças inadequadas para exame de imagem e
repouso
• Isolamento Social
CORRÊA et al. 2022
Os fatores psicológicos, sociais culturais, influenciam
significativamente a percepção dolorosa e respectivamente a
qualidade de vida. Todos esses fatores tem um prognostico em
apresentar a dor crônica, que refere-se a uma experiência
multidimensional, pode contribuir para incapacidade, ansiedade,
depressão, distúrbios do sono, má qualidade de vida e custos
elevados de saúde. (ALEMANNO et al. 2019)
CLASSIFICAÇÃO
• Lombalgia Inespecífica: 90% dos caso são de causas
multifatoriais
• Lombalgia Especifica:
Traumas;
Neoplasias;
Patologias Inflamatorias (artrite, espondilite anquilosante)
AVALIAÇÃO DA COLUNA LOMBAR
Avaliação é tudo aquilo onde o fisioterapeuta junto ao seu
paciente investiga e perpassa por todos os fatores biopsicossociais
através dos recursos avaliativos (HDA, HPP, inspeção, palpação,
exames físicos, exames complementares, etc.) para encontrar e
confirmar a real causa da sua dor.
AVALIAÇÃO DA COLUNA LOMBAR
AVALIAÇÃO DA COLUNA LOMBAR
TRATAMENTO
Coulter et al. (2018) relata que as abordagens de tratamento da
dor variam muito. Destacam-se o tratamento farmacêuticos como
anti-inflamatórios esteroides, opióides e medicamentos neurotrófico,
ou injeções de esteroides e cirurgia.
TRATAMENTO
Atualmente, cada vez mais se apela ao tratamento conservador, tendo um
resultado satisfatório na redução da dor lombar crônica e melhora da qualidade
de vida da pessoa, destacamos: cinesioterapia, terapia manual, quiropraxia,
osteopatia, exercícios físicos, eletroterapia, acupuntura, terapia comportamental,
yoga, meditação.
TRATAMENTO
Os exercícios de estabilização tem uma relação na melhora da qualidade de
sono, ansiedade, depressão e nos quadros da dor lombar crônica inespecífica.
Especifica-se que estes tipos de exercícios melhora na qualidade de vida dos
pacientes tendo uma vida ativa e realizando atividades funcionais com uma
melhora significante. (ASHIYAT e OLUWAGBEMISOLA, 2018)
REFERENCIA
Stanisławska Iwona et al. Epidemiological Aspects of Low Back Pain. Adv Exp Med Biol. 2019;
caso clinico 1.pptx

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Infarto agudo do miocárdio (IAM)
Infarto agudo do miocárdio (IAM)Infarto agudo do miocárdio (IAM)
Infarto agudo do miocárdio (IAM)Renan Malaquias
 
Fisioterapia - ENADE 2007 - Prova Comentada
Fisioterapia - ENADE 2007 - Prova ComentadaFisioterapia - ENADE 2007 - Prova Comentada
Fisioterapia - ENADE 2007 - Prova ComentadaAdson Silva
 
Choque circulatório.pptx
Choque circulatório.pptxChoque circulatório.pptx
Choque circulatório.pptxThiagoCunha93
 
fisioterapia preventiva nos 3 níveis de atenção a saúde publica
fisioterapia preventiva nos 3 níveis de atenção a saúde publicafisioterapia preventiva nos 3 níveis de atenção a saúde publica
fisioterapia preventiva nos 3 níveis de atenção a saúde publicaDelainy Batista
 
Síndrome de guillain barré
Síndrome de guillain barré Síndrome de guillain barré
Síndrome de guillain barré Denilsi Gonçalves
 
Dor 5º sinal vital cb dor aula enfª lucimara
Dor 5º sinal vital cb dor aula enfª lucimaraDor 5º sinal vital cb dor aula enfª lucimara
Dor 5º sinal vital cb dor aula enfª lucimaraemaildocavalcante
 
Principais Sindromes Geriatricas
Principais Sindromes GeriatricasPrincipais Sindromes Geriatricas
Principais Sindromes GeriatricasJoão Paulo França
 
1 Avaliação em fisioterapia neurofuncional IMPRIMIR.pdf
1 Avaliação em fisioterapia neurofuncional IMPRIMIR.pdf1 Avaliação em fisioterapia neurofuncional IMPRIMIR.pdf
1 Avaliação em fisioterapia neurofuncional IMPRIMIR.pdfMariliaSilva75
 
Preparação do leito ferida, exsudados e desbridamento ELCOS VII jornadas AEES...
Preparação do leito ferida, exsudados e desbridamento ELCOS VII jornadas AEES...Preparação do leito ferida, exsudados e desbridamento ELCOS VII jornadas AEES...
Preparação do leito ferida, exsudados e desbridamento ELCOS VII jornadas AEES...Elcos&Ulcus - Sociedade Feridas
 
Úlcera por Pressão: Prevenção
Úlcera por Pressão: PrevençãoÚlcera por Pressão: Prevenção
Úlcera por Pressão: PrevençãoProqualis
 
O que é segurança do paciente? - Tópico 1_Guia Curricular da OMS
O que é segurança do paciente? - Tópico 1_Guia Curricular da OMSO que é segurança do paciente? - Tópico 1_Guia Curricular da OMS
O que é segurança do paciente? - Tópico 1_Guia Curricular da OMSProqualis
 
Dor ombro, cotovelo, punho e mã£o
Dor ombro, cotovelo, punho e mã£oDor ombro, cotovelo, punho e mã£o
Dor ombro, cotovelo, punho e mã£opauloalambert
 

Mais procurados (20)

Infarto agudo do miocárdio (IAM)
Infarto agudo do miocárdio (IAM)Infarto agudo do miocárdio (IAM)
Infarto agudo do miocárdio (IAM)
 
Fisioterapia - ENADE 2007 - Prova Comentada
Fisioterapia - ENADE 2007 - Prova ComentadaFisioterapia - ENADE 2007 - Prova Comentada
Fisioterapia - ENADE 2007 - Prova Comentada
 
Choque circulatório.pptx
Choque circulatório.pptxChoque circulatório.pptx
Choque circulatório.pptx
 
fisioterapia preventiva nos 3 níveis de atenção a saúde publica
fisioterapia preventiva nos 3 níveis de atenção a saúde publicafisioterapia preventiva nos 3 níveis de atenção a saúde publica
fisioterapia preventiva nos 3 níveis de atenção a saúde publica
 
Trabalho de conclusão de curso - fisioterapia
Trabalho de conclusão de curso - fisioterapiaTrabalho de conclusão de curso - fisioterapia
Trabalho de conclusão de curso - fisioterapia
 
Fibrose cistica
Fibrose cisticaFibrose cistica
Fibrose cistica
 
Alterações fisiológicas do envelhecimento
Alterações fisiológicas do envelhecimentoAlterações fisiológicas do envelhecimento
Alterações fisiológicas do envelhecimento
 
Síndrome de guillain barré
Síndrome de guillain barré Síndrome de guillain barré
Síndrome de guillain barré
 
Emergências oncologias
Emergências oncologiasEmergências oncologias
Emergências oncologias
 
Neuropatia diabética
Neuropatia diabéticaNeuropatia diabética
Neuropatia diabética
 
Fisioterapia Em Traumatofuncional
Fisioterapia Em TraumatofuncionalFisioterapia Em Traumatofuncional
Fisioterapia Em Traumatofuncional
 
Dor 5º sinal vital cb dor aula enfª lucimara
Dor 5º sinal vital cb dor aula enfª lucimaraDor 5º sinal vital cb dor aula enfª lucimara
Dor 5º sinal vital cb dor aula enfª lucimara
 
Trabalho sobre feridas
Trabalho sobre feridas Trabalho sobre feridas
Trabalho sobre feridas
 
Principais Sindromes Geriatricas
Principais Sindromes GeriatricasPrincipais Sindromes Geriatricas
Principais Sindromes Geriatricas
 
1 Avaliação em fisioterapia neurofuncional IMPRIMIR.pdf
1 Avaliação em fisioterapia neurofuncional IMPRIMIR.pdf1 Avaliação em fisioterapia neurofuncional IMPRIMIR.pdf
1 Avaliação em fisioterapia neurofuncional IMPRIMIR.pdf
 
Paralisia facial
Paralisia facialParalisia facial
Paralisia facial
 
Preparação do leito ferida, exsudados e desbridamento ELCOS VII jornadas AEES...
Preparação do leito ferida, exsudados e desbridamento ELCOS VII jornadas AEES...Preparação do leito ferida, exsudados e desbridamento ELCOS VII jornadas AEES...
Preparação do leito ferida, exsudados e desbridamento ELCOS VII jornadas AEES...
 
Úlcera por Pressão: Prevenção
Úlcera por Pressão: PrevençãoÚlcera por Pressão: Prevenção
Úlcera por Pressão: Prevenção
 
O que é segurança do paciente? - Tópico 1_Guia Curricular da OMS
O que é segurança do paciente? - Tópico 1_Guia Curricular da OMSO que é segurança do paciente? - Tópico 1_Guia Curricular da OMS
O que é segurança do paciente? - Tópico 1_Guia Curricular da OMS
 
Dor ombro, cotovelo, punho e mã£o
Dor ombro, cotovelo, punho e mã£oDor ombro, cotovelo, punho e mã£o
Dor ombro, cotovelo, punho e mã£o
 

Semelhante a caso clinico 1.pptx

Escola da postura no tratamento da dor lombar
Escola da postura no tratamento da dor lombarEscola da postura no tratamento da dor lombar
Escola da postura no tratamento da dor lombarAgatha Christie
 
Protocolo Fisioterapêutico para tratamento da dor lombar
Protocolo Fisioterapêutico para tratamento da dor lombarProtocolo Fisioterapêutico para tratamento da dor lombar
Protocolo Fisioterapêutico para tratamento da dor lombarDra. Welker Fisioterapeuta
 
Efeitos dos exercícios resistidos sobre as atividades da vida
Efeitos dos exercícios resistidos sobre as atividades da vidaEfeitos dos exercícios resistidos sobre as atividades da vida
Efeitos dos exercícios resistidos sobre as atividades da vidaRafael Pereira
 
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes enfermeiro
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes enfermeiroCapacitacao a distancia para atencao basica diabetes enfermeiro
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes enfermeiromanoelramosdeoliveir1
 
Avaliaçao da qualidade de vida em doentes com feridas crónicas elcos cova be...
Avaliaçao da qualidade de vida  em doentes com feridas crónicas elcos cova be...Avaliaçao da qualidade de vida  em doentes com feridas crónicas elcos cova be...
Avaliaçao da qualidade de vida em doentes com feridas crónicas elcos cova be...Elcos&Ulcus - Sociedade Feridas
 
Distúrbios orto musculares relacionados ao trabalho
Distúrbios orto musculares relacionados ao trabalhoDistúrbios orto musculares relacionados ao trabalho
Distúrbios orto musculares relacionados ao trabalhoadrianomedico
 
Obesidade excessiva associada à obesidade visceral situação que compromete s...
Obesidade excessiva associada à obesidade visceral  situação que compromete s...Obesidade excessiva associada à obesidade visceral  situação que compromete s...
Obesidade excessiva associada à obesidade visceral situação que compromete s...Van Der Häägen Brazil
 
ATUAÇÃO DO FISIOTERAPEUTA NO TRATAMENTO DE NEUROPATIAS DIABÉTICAS: UMA REVISÃ...
ATUAÇÃO DO FISIOTERAPEUTA NO TRATAMENTO DE NEUROPATIAS DIABÉTICAS: UMA REVISÃ...ATUAÇÃO DO FISIOTERAPEUTA NO TRATAMENTO DE NEUROPATIAS DIABÉTICAS: UMA REVISÃ...
ATUAÇÃO DO FISIOTERAPEUTA NO TRATAMENTO DE NEUROPATIAS DIABÉTICAS: UMA REVISÃ...MoniqueCosta48
 
Dissertação mestrado em ciências da saúde
Dissertação mestrado em ciências da saúdeDissertação mestrado em ciências da saúde
Dissertação mestrado em ciências da saúdeCarlos Masashi Otani
 
Fator de risco_para_doenças_crônicas
Fator de risco_para_doenças_crônicasFator de risco_para_doenças_crônicas
Fator de risco_para_doenças_crônicassedis-suporte
 
Apresentação do projeto de doutorado
Apresentação do projeto de doutoradoApresentação do projeto de doutorado
Apresentação do projeto de doutoradoCarlos Pernambuco
 
CUIDADOS-PALIATIVOS.pdf
CUIDADOS-PALIATIVOS.pdfCUIDADOS-PALIATIVOS.pdf
CUIDADOS-PALIATIVOS.pdfcspmgenf
 
cuidados-paliativos-231018100036-5c002a7e.pdf
cuidados-paliativos-231018100036-5c002a7e.pdfcuidados-paliativos-231018100036-5c002a7e.pdf
cuidados-paliativos-231018100036-5c002a7e.pdfRodrigo Lima
 
Os benefícios da atividade física e ou físico para prevenção e tratamento do ...
Os benefícios da atividade física e ou físico para prevenção e tratamento do ...Os benefícios da atividade física e ou físico para prevenção e tratamento do ...
Os benefícios da atividade física e ou físico para prevenção e tratamento do ...marcelosilveirazero1
 

Semelhante a caso clinico 1.pptx (20)

Escola da postura no tratamento da dor lombar
Escola da postura no tratamento da dor lombarEscola da postura no tratamento da dor lombar
Escola da postura no tratamento da dor lombar
 
Lombalgia
LombalgiaLombalgia
Lombalgia
 
Protocolo Fisioterapêutico para tratamento da dor lombar
Protocolo Fisioterapêutico para tratamento da dor lombarProtocolo Fisioterapêutico para tratamento da dor lombar
Protocolo Fisioterapêutico para tratamento da dor lombar
 
Efeitos dos exercícios resistidos sobre as atividades da vida
Efeitos dos exercícios resistidos sobre as atividades da vidaEfeitos dos exercícios resistidos sobre as atividades da vida
Efeitos dos exercícios resistidos sobre as atividades da vida
 
Reabilitaçao para dor crônica
Reabilitaçao para dor crônicaReabilitaçao para dor crônica
Reabilitaçao para dor crônica
 
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes enfermeiro
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes enfermeiroCapacitacao a distancia para atencao basica diabetes enfermeiro
Capacitacao a distancia para atencao basica diabetes enfermeiro
 
Geriatria completa
Geriatria   completaGeriatria   completa
Geriatria completa
 
Avaliaçao da qualidade de vida em doentes com feridas crónicas elcos cova be...
Avaliaçao da qualidade de vida  em doentes com feridas crónicas elcos cova be...Avaliaçao da qualidade de vida  em doentes com feridas crónicas elcos cova be...
Avaliaçao da qualidade de vida em doentes com feridas crónicas elcos cova be...
 
Distúrbios orto musculares relacionados ao trabalho
Distúrbios orto musculares relacionados ao trabalhoDistúrbios orto musculares relacionados ao trabalho
Distúrbios orto musculares relacionados ao trabalho
 
Obesidade excessiva associada à obesidade visceral situação que compromete s...
Obesidade excessiva associada à obesidade visceral  situação que compromete s...Obesidade excessiva associada à obesidade visceral  situação que compromete s...
Obesidade excessiva associada à obesidade visceral situação que compromete s...
 
Coluna vertebral
Coluna vertebralColuna vertebral
Coluna vertebral
 
ATUAÇÃO DO FISIOTERAPEUTA NO TRATAMENTO DE NEUROPATIAS DIABÉTICAS: UMA REVISÃ...
ATUAÇÃO DO FISIOTERAPEUTA NO TRATAMENTO DE NEUROPATIAS DIABÉTICAS: UMA REVISÃ...ATUAÇÃO DO FISIOTERAPEUTA NO TRATAMENTO DE NEUROPATIAS DIABÉTICAS: UMA REVISÃ...
ATUAÇÃO DO FISIOTERAPEUTA NO TRATAMENTO DE NEUROPATIAS DIABÉTICAS: UMA REVISÃ...
 
Cardiogeriatria
CardiogeriatriaCardiogeriatria
Cardiogeriatria
 
Dissertação mestrado em ciências da saúde
Dissertação mestrado em ciências da saúdeDissertação mestrado em ciências da saúde
Dissertação mestrado em ciências da saúde
 
Fator de risco_para_doenças_crônicas
Fator de risco_para_doenças_crônicasFator de risco_para_doenças_crônicas
Fator de risco_para_doenças_crônicas
 
Apresentação do projeto de doutorado
Apresentação do projeto de doutoradoApresentação do projeto de doutorado
Apresentação do projeto de doutorado
 
Aula 1 fgg
Aula 1 fggAula 1 fgg
Aula 1 fgg
 
CUIDADOS-PALIATIVOS.pdf
CUIDADOS-PALIATIVOS.pdfCUIDADOS-PALIATIVOS.pdf
CUIDADOS-PALIATIVOS.pdf
 
cuidados-paliativos-231018100036-5c002a7e.pdf
cuidados-paliativos-231018100036-5c002a7e.pdfcuidados-paliativos-231018100036-5c002a7e.pdf
cuidados-paliativos-231018100036-5c002a7e.pdf
 
Os benefícios da atividade física e ou físico para prevenção e tratamento do ...
Os benefícios da atividade física e ou físico para prevenção e tratamento do ...Os benefícios da atividade física e ou físico para prevenção e tratamento do ...
Os benefícios da atividade física e ou físico para prevenção e tratamento do ...
 

Mais de Andrei Cuzuioc

AULA 1 - INTRODUC¦ºA¦âO A FISIOTERAPIA MUSCULOESQUELE¦üTICA NA SAU¦üDE DO ADU...
AULA 1 - INTRODUC¦ºA¦âO A FISIOTERAPIA MUSCULOESQUELE¦üTICA NA SAU¦üDE DO ADU...AULA 1 - INTRODUC¦ºA¦âO A FISIOTERAPIA MUSCULOESQUELE¦üTICA NA SAU¦üDE DO ADU...
AULA 1 - INTRODUC¦ºA¦âO A FISIOTERAPIA MUSCULOESQUELE¦üTICA NA SAU¦üDE DO ADU...Andrei Cuzuioc
 
ATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA NO CENÁRIO DE PRÁTICA EM UTI.pptx
ATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA NO CENÁRIO DE PRÁTICA EM UTI.pptxATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA NO CENÁRIO DE PRÁTICA EM UTI.pptx
ATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA NO CENÁRIO DE PRÁTICA EM UTI.pptxAndrei Cuzuioc
 
ebook_protocolos-pos-cirurgicos_joelhoemevidencia.pdf
ebook_protocolos-pos-cirurgicos_joelhoemevidencia.pdfebook_protocolos-pos-cirurgicos_joelhoemevidencia.pdf
ebook_protocolos-pos-cirurgicos_joelhoemevidencia.pdfAndrei Cuzuioc
 
Doc matematica _672929559
Doc matematica _672929559Doc matematica _672929559
Doc matematica _672929559Andrei Cuzuioc
 

Mais de Andrei Cuzuioc (12)

AULA 1 - INTRODUC¦ºA¦âO A FISIOTERAPIA MUSCULOESQUELE¦üTICA NA SAU¦üDE DO ADU...
AULA 1 - INTRODUC¦ºA¦âO A FISIOTERAPIA MUSCULOESQUELE¦üTICA NA SAU¦üDE DO ADU...AULA 1 - INTRODUC¦ºA¦âO A FISIOTERAPIA MUSCULOESQUELE¦üTICA NA SAU¦üDE DO ADU...
AULA 1 - INTRODUC¦ºA¦âO A FISIOTERAPIA MUSCULOESQUELE¦üTICA NA SAU¦üDE DO ADU...
 
Aula 4.pptx
Aula 4.pptxAula 4.pptx
Aula 4.pptx
 
Aula+1.pdf
Aula+1.pdfAula+1.pdf
Aula+1.pdf
 
DECANULAÇÃO.pptx
DECANULAÇÃO.pptxDECANULAÇÃO.pptx
DECANULAÇÃO.pptx
 
ATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA NO CENÁRIO DE PRÁTICA EM UTI.pptx
ATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA NO CENÁRIO DE PRÁTICA EM UTI.pptxATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA NO CENÁRIO DE PRÁTICA EM UTI.pptx
ATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA NO CENÁRIO DE PRÁTICA EM UTI.pptx
 
ebook_protocolos-pos-cirurgicos_joelhoemevidencia.pdf
ebook_protocolos-pos-cirurgicos_joelhoemevidencia.pdfebook_protocolos-pos-cirurgicos_joelhoemevidencia.pdf
ebook_protocolos-pos-cirurgicos_joelhoemevidencia.pdf
 
caso clinico 2.pptx
caso clinico 2.pptxcaso clinico 2.pptx
caso clinico 2.pptx
 
Doc matematica _672929559
Doc matematica _672929559Doc matematica _672929559
Doc matematica _672929559
 
Corretor de Imoeis
Corretor de ImoeisCorretor de Imoeis
Corretor de Imoeis
 
folha de redacao
folha de redacaofolha de redacao
folha de redacao
 
Capital
CapitalCapital
Capital
 
Fale russo
Fale russoFale russo
Fale russo
 

Último

Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfssuserbb4ac2
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
Desastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadessDesastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadessRodrigoGonzlez461291
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdfEvangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdfPastor Robson Colaço
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdfmanual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdfLeandroTelesRocha2
 
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]ESCRIBA DE CRISTO
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfrarakey779
 
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoPedroFerreira53928
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Junho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na IgrejaJunho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na IgrejaComando Resgatai
 
Apresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao AssédioApresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao Assédioifbauab
 

Último (20)

Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Desastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadessDesastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadess
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdfEvangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdfmanual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
 
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Junho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na IgrejaJunho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
 
Apresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao AssédioApresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao Assédio
 

caso clinico 1.pptx

  • 1. DOR LOMBAR CRONICA Estágio Supervisionado –Atenção Básica e Clínica Escola de Fisioterapia
  • 2. Definição Periodicidade Tema / Caso Fundamentação teórica Descrição do caso Formatação Escrita Apresentação Oral Avaliação Prazos
  • 3. 1. Introdução 2. Etiologia 3. Fisiopatologia 4. Epidemiologia 5. Diagnóstico
  • 4. 1. INTRODUÇÃO Atualmente a dor lombar crônica é uma das doenças que mais acomete o público adulto, com a prevalência de 80% da população, indicando que as pessoa já passaram por esta experiência ou sentirão algum momento na sua vida. (VILAR et al. 2014)
  • 7. Trata-se de uma condição que causa um ônus muito grande para a sociedade, como custos para a saude pública e também para a previdência. A doença no seu estado grave leva a absenteísmo e a incapacidade, acarretando desta forma a população ativa de trabalho.
  • 8. 2. Etiologia Segundo Maldonado et al. (2021) a dor lombar crônica inespecífica situa-se abaixo da margem costal e acima das pregas glúteas, o que causa redução da força muscular, diminuindo a capacidade de proteção das estruturas articulares.
  • 9. Oliveira et al. (2021) afirma que DLCI não possui uma origem definida, podendo ou não ter implicação com o membro inferior. A dor piora com o aumento de esforço físico, e melhora no repouso. O sedentarismo e a postura inadequada pode agravar os sintomas da dor lombar crônica.
  • 10.
  • 11. Para Vilar et al. (2014) os fatores de risco podem iniciar-se ainda na fase jovem para uma predisposição de DLC com alterações biomecânicas na coluna vertebral causadas por excesso de carga mecânica (mochilas ou bolsas pesadas), postura incorreta e características ergonômicas das cadeiras e assentos.
  • 12. Evidenciam-se também os fatores de risco para o acontecimento ou piora da dor lombar entre os jovens: sedentarismo, tabagismo e as alterações psicossociais.
  • 13. Avaliação dos fatores biopsicossociais são essenciais para contribuição de um diagnóstico fidedigno da DLC, para uma aplicação adequada do tratamento, e na melhora da qualidade de vida. Pois, esses fatores influenciam no desenvolvimento da incapacidade, impede a integração para os programas de exercícios físicos, ampliando-se o medo pertinente ao movimento e consequentemente alterando o prognóstico. (OLIVEIRA et al. 2021)
  • 14. FATORES PSICOSSOCIAIS • Ansiedade • Catastrofização • Cinesiofobia – medo de se moviementar • Estresse • Crenças inadequadas para exame de imagem e repouso • Isolamento Social CORRÊA et al. 2022
  • 15. Os fatores psicológicos, sociais culturais, influenciam significativamente a percepção dolorosa e respectivamente a qualidade de vida. Todos esses fatores tem um prognostico em apresentar a dor crônica, que refere-se a uma experiência multidimensional, pode contribuir para incapacidade, ansiedade, depressão, distúrbios do sono, má qualidade de vida e custos elevados de saúde. (ALEMANNO et al. 2019)
  • 16. CLASSIFICAÇÃO • Lombalgia Inespecífica: 90% dos caso são de causas multifatoriais • Lombalgia Especifica: Traumas; Neoplasias; Patologias Inflamatorias (artrite, espondilite anquilosante)
  • 17. AVALIAÇÃO DA COLUNA LOMBAR Avaliação é tudo aquilo onde o fisioterapeuta junto ao seu paciente investiga e perpassa por todos os fatores biopsicossociais através dos recursos avaliativos (HDA, HPP, inspeção, palpação, exames físicos, exames complementares, etc.) para encontrar e confirmar a real causa da sua dor.
  • 20. TRATAMENTO Coulter et al. (2018) relata que as abordagens de tratamento da dor variam muito. Destacam-se o tratamento farmacêuticos como anti-inflamatórios esteroides, opióides e medicamentos neurotrófico, ou injeções de esteroides e cirurgia.
  • 21. TRATAMENTO Atualmente, cada vez mais se apela ao tratamento conservador, tendo um resultado satisfatório na redução da dor lombar crônica e melhora da qualidade de vida da pessoa, destacamos: cinesioterapia, terapia manual, quiropraxia, osteopatia, exercícios físicos, eletroterapia, acupuntura, terapia comportamental, yoga, meditação.
  • 22. TRATAMENTO Os exercícios de estabilização tem uma relação na melhora da qualidade de sono, ansiedade, depressão e nos quadros da dor lombar crônica inespecífica. Especifica-se que estes tipos de exercícios melhora na qualidade de vida dos pacientes tendo uma vida ativa e realizando atividades funcionais com uma melhora significante. (ASHIYAT e OLUWAGBEMISOLA, 2018)
  • 23. REFERENCIA Stanisławska Iwona et al. Epidemiological Aspects of Low Back Pain. Adv Exp Med Biol. 2019;