SlideShare uma empresa Scribd logo
Fisioterapia
Geriátrica/Gerontológica
Prof.Dr. José Eduardo Pompeu
Apresentação da Disciplina

   CARGA HORÁRIA SEMANAL: 03 Horas/aula

   CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 Horas
I – EMENTA
 A disciplina aborda as alterações decorrentes
  do processo de envelhecimento normal,
  doenças crônicas e situações peculiares aos
  idosos frágeis e dependentes, além das
  implicações clínicas-funcionais sobre o
  controle de postura e movimento
  (desempenho motor).
 Abrande ainda o contexto psicossocial do
  envelhecimento e os serviços especializados
  no atendimento ao idoso, visando qualidade
  de vida e sociabilização.
II – OBJETIVOS GERAIS
   Estudar o processo do
    envelhecimento dentro de um
    contexto biológico, psicológico e
    social, instrumentalizando o aluno
    para utilização de recursos
    fisioterapêuticos que possam reabilitar
    o idoso, potencializando suas
    habilidades motoras.
III – OBJETIVOS ESPECÍFICOS
  (1) Fornecer subsídios teóricos e práticos
  para que o aluno discuta o processo de
  envelhecimento nas dimensões biológicas,
  psicológicas e sócio culturais.
 (2) Discutir as propostas fisioterapêuticas
  frente ao idoso e ao envelhecimento.
 (3) Estudar as alterações funcionais do
  processo de envelhecimento, além das
  intervenções fisioterapêuticas nas principais
  síndromes geriátricas.
 (4) Discutir as modalidades de assistência à
  pessoa idosa.
IV – CONTEÚDO
PROGRAMÁTICO
 1. PRINCIPAIS NOMINAS EM
  GERIATRIA E GERONTOLOGIA:
 - Envelhecimento;
 - Geriatria;
 - Gerontologia;
 - Senescência;
 - Senilidade;
 - Autonomia;
 - Independência.
IV – CONTEÚDO
PROGRAMÁTICO
 2. CONSIDERAÇÕES GERAIS
  SOBRE O ENVELHECIMENTO:
 - Epidemiologia de Envelhecimento,
  panorama mundial e brasileiro;
 - Teorias do envelhecimento:
  estocásticas e sistêmicas.
IV – CONTEÚDO
PROGRAMÁTICO
   3. CONSIDERAÇÕES FISIOLÓGICAS NO
    ENVELHECIMENTO:
   - Efeitos do envelhecimento sobre: a composição e forma do
    corpo, sistema ósseo, sistema articular e sistema muscular;
   - O envelhecimento e o sistema nervoso central e periférico;
   - Considerações vasculares, endócrinas, cardiológicas e
    pulmonares no idoso;
   - Efeitos do envelhecimento nos sistemas: respiratório,
    tegumentar e geniturinário e imunológico;
   - Efeitos do envelhecimento na postura, na marcha e no
    equilíbrio estático e dinâmico;
   -Repercussões clínicas do envelhecimento fisiológico:
    fragilidade, pluri patologias, polifarmácia, comprometimento
    na autonomia e utilização de inúmeros recursos de saúde.
IV – CONTEÚDO
PROGRAMÁTICO
   4. MANIFESTAÇÕES CINESIOPATOLÓGICAS E INTERVENÇÕES
   TERAPÊUTICAS:
   4.1 Envolvimento musculoesquelético e alterações venosas:
   - Fraqueza muscular;
   - Osteoporose;
   - Osteoartrose;
   - Trombose venosa profunda;
   - Úlcera varicosa;
   - Erisipela.

 4.2 Envolvimentos neuromuscular e neurológico no processo do
  envelhecimento:
 - Demências: Doença de Alzheimer, Vascular, Corpúsculo de Lewy e
  Fronto temporal ou Pick;
 - Avaliação neuropsiquiátrica.
IV – CONTEÚDO
PROGRAMÁTICO
 5. CAPACIDADE FUNCIONAL DO
  IDOSO:
 - Índice de Katz;
 - BOMFAQ;
 - BOAS;
 - MIF ou FIM;
 - Akthar.
IV – CONTEÚDO
PROGRAMÁTICO
   6. POSTURA E EQUILÍBRIO.
   7. MARCHA, QUEDAS E ADPATAÇÕES
    AMBIENTAIS.
   8. ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA
    IDADE.
    9. SÍNDROME DO IMOBILISMO E
    CUIDADOS PALIATIVOS.
    10. POLÍTICA DO IDOSO.
    11. AVALIAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA
   12. ATENDIMENTO EM GRUPO
    TERAPÊUTICO.
V – ESTRATÉGIA DE
TRABALHO:
 Aulas teóricas expositivas;
 Estudos de caso.
VI – AVALIAÇÃO:
 Avaliação teórica;
 Participação em sala de aula.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
 CARVALHO FILHO, E. T., PAPALÉO
  NETO, M. Geriatria - Fundamentos,
  Clínica e Terapêutica. São Paulo:
  Atheneu, 1994.
 PAPALEO N. M. Gerontologia: a
  velhice e o envelhecimento em visão
  globalizada. 2º edição. Ed. Atheneu:
  São Paulo, 2002.
 PAPALEO NETTO, M. CARVALHO
  FILHO, E. T.; Geriatria: Fundamentos,
  Clínica e Terapêutica. 2º edição. São
  Paulo: Atheneu, 2005.
BIBLIOGRAFIA
COMPLEMENTAR
   FREITAS, Elizabete Viana de; NERI, Anita et al.
    Tratado de Geriatria e Gerontologia. 2ª ed. Rio
    de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.
   GUCCIONE A. Fisioterapia Geriátrica. Rio de
    Janeiro: Guanabara Koogan 2002.
   KAUFFMAN T. Manual de Reabilitação
    geriátrica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,
    2001.
   PICKES, B. et al. Fisioterapia na terceira
    idade. 2.ed. São Paulo: Liv.Santos Editora,
    2002.
   REBELLATO J.R. Fisioterapia geriátrica: a
    prática da assistência ao idoso. São Paulo:
    Manole, 2004.
PRINCIPAIS NOMINAS EM
 GERIATRIA E
 GERONTOLOGIA
 - Envelhecimento
 - Geriatria
 - Gerontologia
 - Senescência
 - Senilidade
 - Autonomia
 - Independência.

Prof. Dr. José Eduardo Pompeu
Envelhecimento
   Envelhecimento:
    ◦ A fase de todo um continuum que é a
      vida, começando esta com a concepção e
      terminando com a morte.
    ◦ Não possui um marcador biofisiológico do
      seu início.
    ◦ Fixada mais por fatores socioeconômicos
      e legais do que biológicos.
Envelhecimento
Definição:
• Um processo dinâmico e progressivo, no qual
  há modificações morfológicas, funcionais,
  bioquímicas e psicológicas, que determinam
  perda da capacidade de adaptação do
  indivíduo ao meio ambiente, ocasionado
  maior vulnerabilidade e maior incidência de
  processos patológicos que terminam por levá-
  lo à morte (Papaléo Netto, 1996).
• Redução da capacidade funcional de
  adaptação homeostática perante situações de
  sobrecarga do organismo.
Infância e             Adultez                     Velhice
         adolescência
Função


                                      Envelhecimento Fisiológico



                        Envelhecimento
                          Patológico


                            Limiar de Incapacidade




                                          Idade
Envelhecimento Biológico
Máximo das funções orgânicas por volta dos 30 a 40 anos.

Entre os 40 e 50 anos há uma estabilização e, à partir daí, um declínio
funcional progressivo

Perda funcional global de 1%/ano.

Quanto > a reserva funcional < a repercussão do declínio considerado
fisiológico (envelhecimento fisiológico).

Para exemplificar melhor, vamos utilizar o modelo da osteoporose.
 • O pico de massa óssea ocorre por volta dos 25-30 anos.
 • Entre 30 e 50 anos, a massa óssea mantém-se estável.
 • Após os 50 anos, a perda óssea na mulher varia 2 a 3%/ano
   • osteopenia (envelhecimento fisiológico)
   • osteoporose (envelhecimento patológico)
     • aumentando o risco de fraturas.
Velho e Velhice
 Redução da capacidade funcional
 Calvície
 Canície
 Redução da capacidade de trabalho
 Redução da resistência
 Perda de papéis sociais
 Solidão
 Perdas psicológicas, motoras e
  afetivas.
Envelhecimento comum e
envelhecimento bem sucedido
 Grande heterogeneidade entre os
  idosos
 Ampla faixa etária:
    ◦ 60 – 100 anos ou mais
    ◦ Declínio das funções orgânicas varia de
      um órgão para outro, mesmo entre idosos
      da mesma faixa etária
    ◦ Fatores determinantes do envelhecimento
      produzem efeitos deletérios diferentes de
      uma pessoa para outra.
Envelhecimento Comum (normal)
                           x
         Envelhecimento Bem Sucedido (saudável)


                 Envelhecimento comum
• Fatores extrínsecos intensificariam os efeitos adversos que ocorrem
  com o passar dos anos:
  • Tipo de dieta, sedentarismo, causas psicossociais, etc.
             Envelhecimento bem sucedido
• Fatores extrínsecos não presentes ou seriam de pequena
  importância.
• Benefícios do exercício, moderação da ingestão de bebidas
  alcoólicas, cessação do hábito de fumar, dieta adequada, etc.
Principais condições para a velhice bem sucedida
• Baixo risco de doenças e de incapacidades funcionais
• Funcionamento mental e físico excelentes
• Envolvimento ativo com a vida
Envelhecimento:
Primário e Secundário
Primário              Secundário
• Universal           • Influências
• Presente em todas     externas
  as pessoas          • Variável entre
• Geneticamente         indivíduos em
  determinado           diferentes meios
• Pré programado      • Fatores
                        cronológicos
                      • Geográficos
                      • Culturais
Gerontologia e Geriatria

Gerontologia
• Metchnikoff, E. (1903):
  • Nova especilidade;
  • Grego:
    • géron (velho, ancião)
    • logia (estudo)
• Estudo das modificações que ocorrem
  no curso do último período da vida
  humana.
Gerontologia e Geriatria

Geriatria
•Nascher, I.K. (1909):
 •Estudo clínico da
  velhice
Gerontologia
 Disciplina científica multi e
  interdisciplinar, cujas finalidades são o
  estudo das pessoas idosas, as
  características da velhice enquanto
  fase final do ciclo da vida, o processo
  de envelhecimento e seus
  determinantes biopsicossociais
  (Freitas e Py, 2011).
 Ciência do envelhecimento.
Aborda os aspectos não orgânicos:
                                           -Antropológicos
- Estudo do fenômeno
                                           - Psicológicos
do envelhecimento:
                            Gerontologia   - Legais
                               Social      - Sociais
Ponto de vista:
                                           - Ambientais
- Molecular
                                           - Econômicos
- Celular
                                           - Éticos
                                           - Políticas da Saúde
Estudos
populacionais e
preventivos                                             - Aspectos:
                            Gerontologia                1. Curativos
                                                        2. Preventivos

         Gerontologia                                   - Relação estreita com
                                            Geriatria      outras disciplinas
          Biomédica
                                                           médicas:
                                                        • Neurogeriatria
                                                        • Psicogeriatria
                                                        • Cardiogeriatria
                  Abordam os aspectos orgânicos         • Neuropsicogeriatria
                                                        • Outras      disciplinas
                                                           não médicas...
Senescência e Senilidade
Senescência
                   Senilidade
• Resulta do
  somatório de     • Caracterizada
  alterações         por modificações
  orgânicas,         determinadas por
  funcionais e       afecções que
  psicológicas       frequentemente
  próprias do        acometem a
  envelhecimento     pessoa idosa.
  normal.
Autonomia e Independência
Autonomia
• Capacidade de
  decisão, de          Independência
  comando.
• Estado de ser        • Capacidade de
  capaz de               realizar algo
  estabelecer e          como os seus
  seguir as próprias     próprios meios.
  regras (Evans,
  1984).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Atenção à saúde da pessoa idosa e envelhecimento
Atenção à saúde da pessoa idosa e envelhecimentoAtenção à saúde da pessoa idosa e envelhecimento
Atenção à saúde da pessoa idosa e envelhecimento
jardelf
 
Principais Sindromes Geriatricas
Principais Sindromes GeriatricasPrincipais Sindromes Geriatricas
Principais Sindromes Geriatricas
João Paulo França
 
Reabilitação do Idoso
Reabilitação do IdosoReabilitação do Idoso
Reabilitação do Idoso
Dany Romeira
 
Envelhecimento
EnvelhecimentoEnvelhecimento
Envelhecimento
Janaína Lassala
 
Aula saude do idoso
Aula saude do idosoAula saude do idoso
Aula saude do idoso
morgausesp
 
Fundamentos De Gerontologia Parte 1
Fundamentos De Gerontologia Parte 1Fundamentos De Gerontologia Parte 1
Fundamentos De Gerontologia Parte 1
Eduardo Gomes da Silva
 
Alterações Envelhecimento
Alterações EnvelhecimentoAlterações Envelhecimento
Alterações Envelhecimento
Janderson Physios
 
Fisiologia do envelhecimento
Fisiologia do envelhecimentoFisiologia do envelhecimento
Fisiologia do envelhecimento
André Fidelis
 
Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)
Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)
Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)
FUAD HAZIME
 
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESMEVelhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Conceitos Básicos
Conceitos BásicosConceitos Básicos
Conceitos Básicos
agemais
 
NIT PORTAL SOCIAL - SAÚDE DO IDOSO
NIT PORTAL SOCIAL - SAÚDE DO IDOSONIT PORTAL SOCIAL - SAÚDE DO IDOSO
NIT PORTAL SOCIAL - SAÚDE DO IDOSO
Nit Portal Social
 
Avaliacao neurologica
Avaliacao neurologicaAvaliacao neurologica
Avaliacao neurologica
Nataniel Souza
 
Alterações fisiológicas do envelhecimento
Alterações fisiológicas do envelhecimentoAlterações fisiológicas do envelhecimento
Alterações fisiológicas do envelhecimento
Centro Universitário Ages
 
ENVELHECIMENTO SAUDAVEL
ENVELHECIMENTO SAUDAVELENVELHECIMENTO SAUDAVEL
ENVELHECIMENTO SAUDAVEL
Rubens De Fraga Junior
 
Demências
DemênciasDemências
Demências
Inaiara Bragante
 
Eletroterapia
EletroterapiaEletroterapia
Eletroterapia
Paulo Cardoso
 
Manual de goniometria
Manual de goniometriaManual de goniometria
Manual de goniometria
Raíssa Moraes
 
Fisioterapia em Pediatria apresentação
Fisioterapia em Pediatria apresentaçãoFisioterapia em Pediatria apresentação
Fisioterapia em Pediatria apresentação
Rita Brahim
 
Avaliação do Idoso
Avaliação do IdosoAvaliação do Idoso
Avaliação do Idoso
Katia Cristina
 

Mais procurados (20)

Atenção à saúde da pessoa idosa e envelhecimento
Atenção à saúde da pessoa idosa e envelhecimentoAtenção à saúde da pessoa idosa e envelhecimento
Atenção à saúde da pessoa idosa e envelhecimento
 
Principais Sindromes Geriatricas
Principais Sindromes GeriatricasPrincipais Sindromes Geriatricas
Principais Sindromes Geriatricas
 
Reabilitação do Idoso
Reabilitação do IdosoReabilitação do Idoso
Reabilitação do Idoso
 
Envelhecimento
EnvelhecimentoEnvelhecimento
Envelhecimento
 
Aula saude do idoso
Aula saude do idosoAula saude do idoso
Aula saude do idoso
 
Fundamentos De Gerontologia Parte 1
Fundamentos De Gerontologia Parte 1Fundamentos De Gerontologia Parte 1
Fundamentos De Gerontologia Parte 1
 
Alterações Envelhecimento
Alterações EnvelhecimentoAlterações Envelhecimento
Alterações Envelhecimento
 
Fisiologia do envelhecimento
Fisiologia do envelhecimentoFisiologia do envelhecimento
Fisiologia do envelhecimento
 
Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)
Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)
Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)
 
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESMEVelhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
Velhice e Envelhecimento - Profa. Rilva Muñoz / GESME
 
Conceitos Básicos
Conceitos BásicosConceitos Básicos
Conceitos Básicos
 
NIT PORTAL SOCIAL - SAÚDE DO IDOSO
NIT PORTAL SOCIAL - SAÚDE DO IDOSONIT PORTAL SOCIAL - SAÚDE DO IDOSO
NIT PORTAL SOCIAL - SAÚDE DO IDOSO
 
Avaliacao neurologica
Avaliacao neurologicaAvaliacao neurologica
Avaliacao neurologica
 
Alterações fisiológicas do envelhecimento
Alterações fisiológicas do envelhecimentoAlterações fisiológicas do envelhecimento
Alterações fisiológicas do envelhecimento
 
ENVELHECIMENTO SAUDAVEL
ENVELHECIMENTO SAUDAVELENVELHECIMENTO SAUDAVEL
ENVELHECIMENTO SAUDAVEL
 
Demências
DemênciasDemências
Demências
 
Eletroterapia
EletroterapiaEletroterapia
Eletroterapia
 
Manual de goniometria
Manual de goniometriaManual de goniometria
Manual de goniometria
 
Fisioterapia em Pediatria apresentação
Fisioterapia em Pediatria apresentaçãoFisioterapia em Pediatria apresentação
Fisioterapia em Pediatria apresentação
 
Avaliação do Idoso
Avaliação do IdosoAvaliação do Idoso
Avaliação do Idoso
 

Destaque

Biologia Do Envelhecimento
Biologia Do EnvelhecimentoBiologia Do Envelhecimento
Biologia Do Envelhecimento
Márcio Borges
 
Fisiologia do envelhecimento marcelo
Fisiologia do envelhecimento  marceloFisiologia do envelhecimento  marcelo
Fisiologia do envelhecimento marcelo
Sione Leiras
 
23433882 aula-fisiologia-do-envelhecimento-pos-gerontologia 02
23433882 aula-fisiologia-do-envelhecimento-pos-gerontologia 0223433882 aula-fisiologia-do-envelhecimento-pos-gerontologia 02
23433882 aula-fisiologia-do-envelhecimento-pos-gerontologia 02
Sander Santiago
 
Conceitos++básico geriatria
Conceitos++básico geriatriaConceitos++básico geriatria
Conceitos++básico geriatria
Madaisa Sousa
 
FISIOTERAPIA PREVENTIVA
FISIOTERAPIA PREVENTIVAFISIOTERAPIA PREVENTIVA
FISIOTERAPIA PREVENTIVA
julianaaraujorosa
 
Envelhecimento fisiológico
Envelhecimento fisiológicoEnvelhecimento fisiológico
Envelhecimento fisiológico
washington carlos vieira
 
A fisioterapia na Doença de Alzheimer
A fisioterapia na Doença de AlzheimerA fisioterapia na Doença de Alzheimer
A fisioterapia na Doença de Alzheimer
Janielle Chaves
 
Aula 1 Ps e Envelhecimento
Aula 1 Ps e EnvelhecimentoAula 1 Ps e Envelhecimento
Aula 1 Ps e Envelhecimento
gerontopedia
 
Queda do idoso
Queda do idosoQueda do idoso
Queda do idoso
Renan Nalin
 
Envelhecimento
EnvelhecimentoEnvelhecimento
Envelhecimento
Martina Podolan
 
QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
 QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia  QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
Stefane Rayane
 
Manual para cuidadores de idosos
Manual para cuidadores de idososManual para cuidadores de idosos
Manual para cuidadores de idosos
gcmrs
 
Fisioterapia Geriatrica
Fisioterapia GeriatricaFisioterapia Geriatrica
Fisioterapia Geriatrica
Estefania Gomez
 
Fisioterapia geriatrica
Fisioterapia geriatricaFisioterapia geriatrica
Fisioterapia geriatrica
Gaby Herrera
 
Dr. Roberto A. Carneiro: Fragilidade do idoso e osteoporose
Dr. Roberto A. Carneiro: Fragilidade do idoso e osteoporoseDr. Roberto A. Carneiro: Fragilidade do idoso e osteoporose
Dr. Roberto A. Carneiro: Fragilidade do idoso e osteoporose
Academia Nacional de Medicina
 
Melhorar entendimento comunicacional de idosos, que estratégias?
Melhorar entendimento comunicacional de idosos, que estratégias?Melhorar entendimento comunicacional de idosos, que estratégias?
Melhorar entendimento comunicacional de idosos, que estratégias?
ISCSP
 
Ensayo final fisioterapia geriatrica
Ensayo final  fisioterapia geriatricaEnsayo final  fisioterapia geriatrica
Ensayo final fisioterapia geriatrica
Estefani Arias Macias
 
AngéLica Sanchez Aga Multidisciplinar Aula VersãO Do Editor 16 02 2008
AngéLica Sanchez   Aga Multidisciplinar   Aula   VersãO Do Editor   16 02 2008AngéLica Sanchez   Aga Multidisciplinar   Aula   VersãO Do Editor   16 02 2008
AngéLica Sanchez Aga Multidisciplinar Aula VersãO Do Editor 16 02 2008
Carloscardinale
 
apresentação Fnac 12 maio 2013 - Fisioterapia e Saúde para Todos
apresentação Fnac 12 maio 2013 - Fisioterapia e Saúde para Todosapresentação Fnac 12 maio 2013 - Fisioterapia e Saúde para Todos
apresentação Fnac 12 maio 2013 - Fisioterapia e Saúde para Todos
dorisolspa
 
Fraturas do punho
Fraturas do punhoFraturas do punho
Fraturas do punho
saulo vinicius
 

Destaque (20)

Biologia Do Envelhecimento
Biologia Do EnvelhecimentoBiologia Do Envelhecimento
Biologia Do Envelhecimento
 
Fisiologia do envelhecimento marcelo
Fisiologia do envelhecimento  marceloFisiologia do envelhecimento  marcelo
Fisiologia do envelhecimento marcelo
 
23433882 aula-fisiologia-do-envelhecimento-pos-gerontologia 02
23433882 aula-fisiologia-do-envelhecimento-pos-gerontologia 0223433882 aula-fisiologia-do-envelhecimento-pos-gerontologia 02
23433882 aula-fisiologia-do-envelhecimento-pos-gerontologia 02
 
Conceitos++básico geriatria
Conceitos++básico geriatriaConceitos++básico geriatria
Conceitos++básico geriatria
 
FISIOTERAPIA PREVENTIVA
FISIOTERAPIA PREVENTIVAFISIOTERAPIA PREVENTIVA
FISIOTERAPIA PREVENTIVA
 
Envelhecimento fisiológico
Envelhecimento fisiológicoEnvelhecimento fisiológico
Envelhecimento fisiológico
 
A fisioterapia na Doença de Alzheimer
A fisioterapia na Doença de AlzheimerA fisioterapia na Doença de Alzheimer
A fisioterapia na Doença de Alzheimer
 
Aula 1 Ps e Envelhecimento
Aula 1 Ps e EnvelhecimentoAula 1 Ps e Envelhecimento
Aula 1 Ps e Envelhecimento
 
Queda do idoso
Queda do idosoQueda do idoso
Queda do idoso
 
Envelhecimento
EnvelhecimentoEnvelhecimento
Envelhecimento
 
QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
 QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia  QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
QUALIDADE DE VIDA geriatria e gerontologia
 
Manual para cuidadores de idosos
Manual para cuidadores de idososManual para cuidadores de idosos
Manual para cuidadores de idosos
 
Fisioterapia Geriatrica
Fisioterapia GeriatricaFisioterapia Geriatrica
Fisioterapia Geriatrica
 
Fisioterapia geriatrica
Fisioterapia geriatricaFisioterapia geriatrica
Fisioterapia geriatrica
 
Dr. Roberto A. Carneiro: Fragilidade do idoso e osteoporose
Dr. Roberto A. Carneiro: Fragilidade do idoso e osteoporoseDr. Roberto A. Carneiro: Fragilidade do idoso e osteoporose
Dr. Roberto A. Carneiro: Fragilidade do idoso e osteoporose
 
Melhorar entendimento comunicacional de idosos, que estratégias?
Melhorar entendimento comunicacional de idosos, que estratégias?Melhorar entendimento comunicacional de idosos, que estratégias?
Melhorar entendimento comunicacional de idosos, que estratégias?
 
Ensayo final fisioterapia geriatrica
Ensayo final  fisioterapia geriatricaEnsayo final  fisioterapia geriatrica
Ensayo final fisioterapia geriatrica
 
AngéLica Sanchez Aga Multidisciplinar Aula VersãO Do Editor 16 02 2008
AngéLica Sanchez   Aga Multidisciplinar   Aula   VersãO Do Editor   16 02 2008AngéLica Sanchez   Aga Multidisciplinar   Aula   VersãO Do Editor   16 02 2008
AngéLica Sanchez Aga Multidisciplinar Aula VersãO Do Editor 16 02 2008
 
apresentação Fnac 12 maio 2013 - Fisioterapia e Saúde para Todos
apresentação Fnac 12 maio 2013 - Fisioterapia e Saúde para Todosapresentação Fnac 12 maio 2013 - Fisioterapia e Saúde para Todos
apresentação Fnac 12 maio 2013 - Fisioterapia e Saúde para Todos
 
Fraturas do punho
Fraturas do punhoFraturas do punho
Fraturas do punho
 

Semelhante a Aula 1 fgg

Musicoterapia e exercícios terapêuticos na qualidade de vida de idosos instit...
Musicoterapia e exercícios terapêuticos na qualidade de vida de idosos instit...Musicoterapia e exercícios terapêuticos na qualidade de vida de idosos instit...
Musicoterapia e exercícios terapêuticos na qualidade de vida de idosos instit...
Josimária Terto
 
Geriatria completa
Geriatria   completaGeriatria   completa
Geriatria completa
Jucie Vasconcelos
 
conceitosbsicogeriatria-140427125126-phpapp02.pptx
conceitosbsicogeriatria-140427125126-phpapp02.pptxconceitosbsicogeriatria-140427125126-phpapp02.pptx
conceitosbsicogeriatria-140427125126-phpapp02.pptx
Jiggly1
 
Envelhecimento
EnvelhecimentoEnvelhecimento
Envelhecimento
Fábio Castro Machado
 
Odontogeriatria UFRJ - Curso - Parte1
Odontogeriatria UFRJ - Curso - Parte1Odontogeriatria UFRJ - Curso - Parte1
Odontogeriatria UFRJ - Curso - Parte1
PensamentoEcoodonto
 
Odontogeriatria curso parte1
Odontogeriatria curso   parte1Odontogeriatria curso   parte1
Odontogeriatria curso parte1
PensamentoEcoodonto
 
AULA 01 - ASPECTOS FISIOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTO.pptx
AULA 01 - ASPECTOS FISIOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTO.pptxAULA 01 - ASPECTOS FISIOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTO.pptx
AULA 01 - ASPECTOS FISIOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTO.pptx
VanessaAlvesDeSouza4
 
Fisiopatologia do Envelhecimento (061023).pdf
Fisiopatologia do Envelhecimento (061023).pdfFisiopatologia do Envelhecimento (061023).pdf
Fisiopatologia do Envelhecimento (061023).pdf
SergioBSantos1
 
Ana Pimentel
Ana PimentelAna Pimentel
Ana Pimentel
BetaBetuxa
 
AULAS 1,2 E 3 - ALUNOS.pptx
AULAS 1,2 E 3 - ALUNOS.pptxAULAS 1,2 E 3 - ALUNOS.pptx
AULAS 1,2 E 3 - ALUNOS.pptx
KarineRibeiro57
 
Equilibrio_no_idoso.pdf
Equilibrio_no_idoso.pdfEquilibrio_no_idoso.pdf
Equilibrio_no_idoso.pdf
PedroGomes775400
 
aula01-aspectosfisiolgicosdoenvelhecimento-IDOSO.pptx
aula01-aspectosfisiolgicosdoenvelhecimento-IDOSO.pptxaula01-aspectosfisiolgicosdoenvelhecimento-IDOSO.pptx
aula01-aspectosfisiolgicosdoenvelhecimento-IDOSO.pptx
THIALYMARIASILVADACU
 
Enfermagem em Geriatria Saúde do Idoso
Enfermagem em Geriatria   Saúde do IdosoEnfermagem em Geriatria   Saúde do Idoso
Enfermagem em Geriatria Saúde do Idoso
Maria Dias
 
Capa1
Capa1Capa1
Agente em geriatria 18.06.15
Agente em geriatria 18.06.15Agente em geriatria 18.06.15
Agente em geriatria 18.06.15
Daniela Lopes
 
Cardiogeriatria
CardiogeriatriaCardiogeriatria
Cardiogeriatria
resenfe2013
 
Conceitos Da Teoria EconôMica
Conceitos Da Teoria EconôMicaConceitos Da Teoria EconôMica
Conceitos Da Teoria EconôMica
agemais
 
"Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico"
"Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico""Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico"
"Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico"
Tainá Martins
 
Efeitos dos exercícios resistidos sobre as atividades da vida
Efeitos dos exercícios resistidos sobre as atividades da vidaEfeitos dos exercícios resistidos sobre as atividades da vida
Efeitos dos exercícios resistidos sobre as atividades da vida
Rafael Pereira
 
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e DoençaAula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Ghiordanno Bruno
 

Semelhante a Aula 1 fgg (20)

Musicoterapia e exercícios terapêuticos na qualidade de vida de idosos instit...
Musicoterapia e exercícios terapêuticos na qualidade de vida de idosos instit...Musicoterapia e exercícios terapêuticos na qualidade de vida de idosos instit...
Musicoterapia e exercícios terapêuticos na qualidade de vida de idosos instit...
 
Geriatria completa
Geriatria   completaGeriatria   completa
Geriatria completa
 
conceitosbsicogeriatria-140427125126-phpapp02.pptx
conceitosbsicogeriatria-140427125126-phpapp02.pptxconceitosbsicogeriatria-140427125126-phpapp02.pptx
conceitosbsicogeriatria-140427125126-phpapp02.pptx
 
Envelhecimento
EnvelhecimentoEnvelhecimento
Envelhecimento
 
Odontogeriatria UFRJ - Curso - Parte1
Odontogeriatria UFRJ - Curso - Parte1Odontogeriatria UFRJ - Curso - Parte1
Odontogeriatria UFRJ - Curso - Parte1
 
Odontogeriatria curso parte1
Odontogeriatria curso   parte1Odontogeriatria curso   parte1
Odontogeriatria curso parte1
 
AULA 01 - ASPECTOS FISIOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTO.pptx
AULA 01 - ASPECTOS FISIOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTO.pptxAULA 01 - ASPECTOS FISIOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTO.pptx
AULA 01 - ASPECTOS FISIOLÓGICOS DO ENVELHECIMENTO.pptx
 
Fisiopatologia do Envelhecimento (061023).pdf
Fisiopatologia do Envelhecimento (061023).pdfFisiopatologia do Envelhecimento (061023).pdf
Fisiopatologia do Envelhecimento (061023).pdf
 
Ana Pimentel
Ana PimentelAna Pimentel
Ana Pimentel
 
AULAS 1,2 E 3 - ALUNOS.pptx
AULAS 1,2 E 3 - ALUNOS.pptxAULAS 1,2 E 3 - ALUNOS.pptx
AULAS 1,2 E 3 - ALUNOS.pptx
 
Equilibrio_no_idoso.pdf
Equilibrio_no_idoso.pdfEquilibrio_no_idoso.pdf
Equilibrio_no_idoso.pdf
 
aula01-aspectosfisiolgicosdoenvelhecimento-IDOSO.pptx
aula01-aspectosfisiolgicosdoenvelhecimento-IDOSO.pptxaula01-aspectosfisiolgicosdoenvelhecimento-IDOSO.pptx
aula01-aspectosfisiolgicosdoenvelhecimento-IDOSO.pptx
 
Enfermagem em Geriatria Saúde do Idoso
Enfermagem em Geriatria   Saúde do IdosoEnfermagem em Geriatria   Saúde do Idoso
Enfermagem em Geriatria Saúde do Idoso
 
Capa1
Capa1Capa1
Capa1
 
Agente em geriatria 18.06.15
Agente em geriatria 18.06.15Agente em geriatria 18.06.15
Agente em geriatria 18.06.15
 
Cardiogeriatria
CardiogeriatriaCardiogeriatria
Cardiogeriatria
 
Conceitos Da Teoria EconôMica
Conceitos Da Teoria EconôMicaConceitos Da Teoria EconôMica
Conceitos Da Teoria EconôMica
 
"Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico"
"Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico""Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico"
"Atenção à Saúde do Idoso: Exame Físico"
 
Efeitos dos exercícios resistidos sobre as atividades da vida
Efeitos dos exercícios resistidos sobre as atividades da vidaEfeitos dos exercícios resistidos sobre as atividades da vida
Efeitos dos exercícios resistidos sobre as atividades da vida
 
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e DoençaAula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
 

Aula 1 fgg

  • 2. Apresentação da Disciplina  CARGA HORÁRIA SEMANAL: 03 Horas/aula  CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 Horas
  • 3. I – EMENTA  A disciplina aborda as alterações decorrentes do processo de envelhecimento normal, doenças crônicas e situações peculiares aos idosos frágeis e dependentes, além das implicações clínicas-funcionais sobre o controle de postura e movimento (desempenho motor).  Abrande ainda o contexto psicossocial do envelhecimento e os serviços especializados no atendimento ao idoso, visando qualidade de vida e sociabilização.
  • 4. II – OBJETIVOS GERAIS  Estudar o processo do envelhecimento dentro de um contexto biológico, psicológico e social, instrumentalizando o aluno para utilização de recursos fisioterapêuticos que possam reabilitar o idoso, potencializando suas habilidades motoras.
  • 5. III – OBJETIVOS ESPECÍFICOS  (1) Fornecer subsídios teóricos e práticos para que o aluno discuta o processo de envelhecimento nas dimensões biológicas, psicológicas e sócio culturais.  (2) Discutir as propostas fisioterapêuticas frente ao idoso e ao envelhecimento.  (3) Estudar as alterações funcionais do processo de envelhecimento, além das intervenções fisioterapêuticas nas principais síndromes geriátricas.  (4) Discutir as modalidades de assistência à pessoa idosa.
  • 6. IV – CONTEÚDO PROGRAMÁTICO  1. PRINCIPAIS NOMINAS EM GERIATRIA E GERONTOLOGIA:  - Envelhecimento;  - Geriatria;  - Gerontologia;  - Senescência;  - Senilidade;  - Autonomia;  - Independência.
  • 7. IV – CONTEÚDO PROGRAMÁTICO  2. CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE O ENVELHECIMENTO:  - Epidemiologia de Envelhecimento, panorama mundial e brasileiro;  - Teorias do envelhecimento: estocásticas e sistêmicas.
  • 8. IV – CONTEÚDO PROGRAMÁTICO  3. CONSIDERAÇÕES FISIOLÓGICAS NO ENVELHECIMENTO:  - Efeitos do envelhecimento sobre: a composição e forma do corpo, sistema ósseo, sistema articular e sistema muscular;  - O envelhecimento e o sistema nervoso central e periférico;  - Considerações vasculares, endócrinas, cardiológicas e pulmonares no idoso;  - Efeitos do envelhecimento nos sistemas: respiratório, tegumentar e geniturinário e imunológico;  - Efeitos do envelhecimento na postura, na marcha e no equilíbrio estático e dinâmico;  -Repercussões clínicas do envelhecimento fisiológico: fragilidade, pluri patologias, polifarmácia, comprometimento na autonomia e utilização de inúmeros recursos de saúde.
  • 9. IV – CONTEÚDO PROGRAMÁTICO  4. MANIFESTAÇÕES CINESIOPATOLÓGICAS E INTERVENÇÕES  TERAPÊUTICAS:  4.1 Envolvimento musculoesquelético e alterações venosas:  - Fraqueza muscular;  - Osteoporose;  - Osteoartrose;  - Trombose venosa profunda;  - Úlcera varicosa;  - Erisipela.   4.2 Envolvimentos neuromuscular e neurológico no processo do envelhecimento:  - Demências: Doença de Alzheimer, Vascular, Corpúsculo de Lewy e Fronto temporal ou Pick;  - Avaliação neuropsiquiátrica.
  • 10. IV – CONTEÚDO PROGRAMÁTICO  5. CAPACIDADE FUNCIONAL DO IDOSO:  - Índice de Katz;  - BOMFAQ;  - BOAS;  - MIF ou FIM;  - Akthar.
  • 11. IV – CONTEÚDO PROGRAMÁTICO  6. POSTURA E EQUILÍBRIO.  7. MARCHA, QUEDAS E ADPATAÇÕES AMBIENTAIS.  8. ATIVIDADE FÍSICA NA TERCEIRA IDADE.  9. SÍNDROME DO IMOBILISMO E CUIDADOS PALIATIVOS.  10. POLÍTICA DO IDOSO.  11. AVALIAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA  12. ATENDIMENTO EM GRUPO TERAPÊUTICO.
  • 12. V – ESTRATÉGIA DE TRABALHO:  Aulas teóricas expositivas;  Estudos de caso.
  • 13. VI – AVALIAÇÃO:  Avaliação teórica;  Participação em sala de aula.
  • 14. BIBLIOGRAFIA BÁSICA  CARVALHO FILHO, E. T., PAPALÉO NETO, M. Geriatria - Fundamentos, Clínica e Terapêutica. São Paulo: Atheneu, 1994.  PAPALEO N. M. Gerontologia: a velhice e o envelhecimento em visão globalizada. 2º edição. Ed. Atheneu: São Paulo, 2002.  PAPALEO NETTO, M. CARVALHO FILHO, E. T.; Geriatria: Fundamentos, Clínica e Terapêutica. 2º edição. São Paulo: Atheneu, 2005.
  • 15. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR  FREITAS, Elizabete Viana de; NERI, Anita et al. Tratado de Geriatria e Gerontologia. 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.  GUCCIONE A. Fisioterapia Geriátrica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan 2002.  KAUFFMAN T. Manual de Reabilitação geriátrica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001.  PICKES, B. et al. Fisioterapia na terceira idade. 2.ed. São Paulo: Liv.Santos Editora, 2002.  REBELLATO J.R. Fisioterapia geriátrica: a prática da assistência ao idoso. São Paulo: Manole, 2004.
  • 16. PRINCIPAIS NOMINAS EM GERIATRIA E GERONTOLOGIA - Envelhecimento - Geriatria - Gerontologia - Senescência - Senilidade - Autonomia - Independência. Prof. Dr. José Eduardo Pompeu
  • 17. Envelhecimento  Envelhecimento: ◦ A fase de todo um continuum que é a vida, começando esta com a concepção e terminando com a morte. ◦ Não possui um marcador biofisiológico do seu início. ◦ Fixada mais por fatores socioeconômicos e legais do que biológicos.
  • 18. Envelhecimento Definição: • Um processo dinâmico e progressivo, no qual há modificações morfológicas, funcionais, bioquímicas e psicológicas, que determinam perda da capacidade de adaptação do indivíduo ao meio ambiente, ocasionado maior vulnerabilidade e maior incidência de processos patológicos que terminam por levá- lo à morte (Papaléo Netto, 1996). • Redução da capacidade funcional de adaptação homeostática perante situações de sobrecarga do organismo.
  • 19. Infância e Adultez Velhice adolescência Função Envelhecimento Fisiológico Envelhecimento Patológico Limiar de Incapacidade Idade
  • 20. Envelhecimento Biológico Máximo das funções orgânicas por volta dos 30 a 40 anos. Entre os 40 e 50 anos há uma estabilização e, à partir daí, um declínio funcional progressivo Perda funcional global de 1%/ano. Quanto > a reserva funcional < a repercussão do declínio considerado fisiológico (envelhecimento fisiológico). Para exemplificar melhor, vamos utilizar o modelo da osteoporose. • O pico de massa óssea ocorre por volta dos 25-30 anos. • Entre 30 e 50 anos, a massa óssea mantém-se estável. • Após os 50 anos, a perda óssea na mulher varia 2 a 3%/ano • osteopenia (envelhecimento fisiológico) • osteoporose (envelhecimento patológico) • aumentando o risco de fraturas.
  • 21. Velho e Velhice  Redução da capacidade funcional  Calvície  Canície  Redução da capacidade de trabalho  Redução da resistência  Perda de papéis sociais  Solidão  Perdas psicológicas, motoras e afetivas.
  • 22. Envelhecimento comum e envelhecimento bem sucedido  Grande heterogeneidade entre os idosos  Ampla faixa etária: ◦ 60 – 100 anos ou mais ◦ Declínio das funções orgânicas varia de um órgão para outro, mesmo entre idosos da mesma faixa etária ◦ Fatores determinantes do envelhecimento produzem efeitos deletérios diferentes de uma pessoa para outra.
  • 23. Envelhecimento Comum (normal) x Envelhecimento Bem Sucedido (saudável) Envelhecimento comum • Fatores extrínsecos intensificariam os efeitos adversos que ocorrem com o passar dos anos: • Tipo de dieta, sedentarismo, causas psicossociais, etc. Envelhecimento bem sucedido • Fatores extrínsecos não presentes ou seriam de pequena importância. • Benefícios do exercício, moderação da ingestão de bebidas alcoólicas, cessação do hábito de fumar, dieta adequada, etc. Principais condições para a velhice bem sucedida • Baixo risco de doenças e de incapacidades funcionais • Funcionamento mental e físico excelentes • Envolvimento ativo com a vida
  • 24. Envelhecimento: Primário e Secundário Primário Secundário • Universal • Influências • Presente em todas externas as pessoas • Variável entre • Geneticamente indivíduos em determinado diferentes meios • Pré programado • Fatores cronológicos • Geográficos • Culturais
  • 25. Gerontologia e Geriatria Gerontologia • Metchnikoff, E. (1903): • Nova especilidade; • Grego: • géron (velho, ancião) • logia (estudo) • Estudo das modificações que ocorrem no curso do último período da vida humana.
  • 26. Gerontologia e Geriatria Geriatria •Nascher, I.K. (1909): •Estudo clínico da velhice
  • 27. Gerontologia  Disciplina científica multi e interdisciplinar, cujas finalidades são o estudo das pessoas idosas, as características da velhice enquanto fase final do ciclo da vida, o processo de envelhecimento e seus determinantes biopsicossociais (Freitas e Py, 2011).  Ciência do envelhecimento.
  • 28. Aborda os aspectos não orgânicos: -Antropológicos - Estudo do fenômeno - Psicológicos do envelhecimento: Gerontologia - Legais Social - Sociais Ponto de vista: - Ambientais - Molecular - Econômicos - Celular - Éticos - Políticas da Saúde Estudos populacionais e preventivos - Aspectos: Gerontologia 1. Curativos 2. Preventivos Gerontologia - Relação estreita com Geriatria outras disciplinas Biomédica médicas: • Neurogeriatria • Psicogeriatria • Cardiogeriatria Abordam os aspectos orgânicos • Neuropsicogeriatria • Outras disciplinas não médicas...
  • 29. Senescência e Senilidade Senescência Senilidade • Resulta do somatório de • Caracterizada alterações por modificações orgânicas, determinadas por funcionais e afecções que psicológicas frequentemente próprias do acometem a envelhecimento pessoa idosa. normal.
  • 30. Autonomia e Independência Autonomia • Capacidade de decisão, de Independência comando. • Estado de ser • Capacidade de capaz de realizar algo estabelecer e como os seus seguir as próprias próprios meios. regras (Evans, 1984).