SlideShare uma empresa Scribd logo
FISIOTERAPIA MUSCULOESQUELÉTICA
NA SAÚDE DO ADULTO
Prof.ª Msc. Lídia Lopes
2
Fisioterapeuta – Graduação pela Universidade Ceuma
Mestra em Meio Ambiente – Universidade Ceuma
Integrante no Núcleo de Pesquisa em Reabilitação Funcional (NUPERF)
Integrante do Núcleo de Pesquisa em Mecanismos de Modulação em Saúde
e Meio Ambiente
Coorientadora da Liga Acadêmica de Fisioterapia Esportiva - LAFESP
Atuação em Fisioterapia em Neurologia Adulto, Neuropediatria e Trauma-
Ortopedia
Docente da Faculdade Florence São Luís
Docente da Faculdade Pitágoras São Luís
Docente da Pós Graduação em Trauma Ortopedia com enfoque no
Tratamento da Dor – NacionalFisio
Docente da Pós-Graduação da Universidade Ceuma
Representante da NacionalFisio Maranhão
Prof.ª Mestra Lídia Lopes
3
Ensino Híbrido
Aulas expositivas
Aulas via TEAMS
Slides, animações e vídeos
Aulas práticas
Metodologia Ativa
4-
Unidade 1 | Fundamentos da fisioterapia em ortopedia
Seção 1.1 - Exame musculoesquelético
Seção 1.2 - Doenças ortopédicas ósseas e articulares
Seção 1.3 - Doenças ortopédicas musculotendinosa
Unidade 2 | Fundamentos da Fisioterapia em Traumatologia I
Seção 2.1 - Traumatismos da coluna vertebral
Seção 2.2 - Reabilitação fisioterapêutica dos traumatismos da
coluna vertebral
Seção 2.3 - Traumatismos do membro superior
5-
Unidade 3 | Fundamentos da fisioterapia em traumatologia II
Seção 3.1 - Reabilitação fisioterapêutica dos traumatismos de
membro superior
Seção 3.2 - Traumatismos do membro inferior
Seção 3.3 - Reabilitação fisioterapêutica dos traumatismos de
membro inferior
Unidade 4 | Fundamentos da fisioterapia em reumatologia
Seção 4.1 - Principais doenças reumáticas
Seção 4.2 - Avaliação do paciente reumático
Seção 4.3 - Tratamento das doenças reumáticas
6
FISIOTERAPIA MUSCULOESQUELÉTICA NA SAÚDE DO ADULTO
Diversas patologias que acometem o aparelho
locomotor no adulto
TRAUMATOLOGIA ORTOPEDIA REUMATOLOGIA
7
FISIOTERAPIA MUSCULOESQUELÉTICA NA
SAÚDE DO ADULTO
Garantirá a competência do conhecimento e da
compreensão dos principais conceitos
relacionados a abordagem da fisioterapia
musculoesquelética e na reumatologia para
atuar na saúde do adulto e permitira ao
profissional ter a habilidade de proceder da
maneira mais eficaz na avaliação e no processo
de reabilitação, garantindo, assim, a recuperação
mais rápida e efetiva, refletindo em melhor
qualidade de vida ao paciente.
8
Planejamento, prescrição e execução
Prevenção Diagnóstico Tratamento Prognóstico
9
FISIOTERAPIA MUSCULOESQUELÉTICA NA SAÚDE DO ADULTO
Sistemas
osseo,
Articular
Muscular
• Sustentação
• Movimento
10
Carbonato de cálcio Fosfato de cálcio Água Colágeno
60% a 70% do peso Rigidez
Resistência
compressiva
Magnésio
Sódio
Fluoreto
Funções metabólicas
vitais para o
crescimento e
desenvolvimento
Resistência Tensiva
11
Quanto mais poroso for o osso, menor a proporção de
fosfato e carbonato de cálcio
Porosidade baixa 5% a 30%
Tecido não mineralizado
Porosidade alta 30% a 90%
Tecido não mineralizado
Osso
trabecular
12
OSSO CORTICAL OSSO TRABECULAR
Elementos constituintes iguais
13
14
15
Osteócitos
OSTEOBLASTOS
Sensíveis as mudanças de fluxo no
liquido intersticial
OSTEOCLASTOS
Modelagem
Aumento da massa óssea
Remodelagem
Perda da massa óssea
16
As juntas de um dispositivo mecânico devem ser lubrificadas para
que suas partes móveis possam se movimentar livremente
Tecido conjuntivo denso
Lubrificação protetora
1 a 5mm de espessura
Espalha carga
Permitir movimentação com o
mínimo de atrito e desgaste
50%
17
18
Periósteo
Tecido conjuntivo fibroso
Folhetos: superficial e
profundo
Envolve e nutre o osso
Vascularização
Canais de
Havers
Canais de
Volkmann
19
20
LIGAMENTOS
Estruturas compostas de tecido conjuntivo denso e
organizado, que penetram nos ossos por meio das fibras de
colágeno
TENDÕES
Extremidade muscular
• Osso a osso
• Músculo a osso
21
LIGAMENTOS
Osso X Osso
Estabilizadores
estáticos
22
TENDÕES
Músculo X Osso
Estabilizadores
dinâmicos
Estruturas individualizadas que cruzam uma
ou mais articulações e pela sua contração
são capazes de transmitir-lhes movimento.
Único tecido do corpo humano
capaz de desenvolver tensão
ativamente.
AULA 1 - INTRODUC¦ºA¦âO A FISIOTERAPIA MUSCULOESQUELE¦üTICA NA SAU¦üDE DO ADULTO.pdf
25
Estriado esquelético
Estriado cardíaco
Liso
26
Multinucleadas
Estriadas
40% do corpo
Fibras com 10 a 80 micrômetros
Cada fibra = tamanho do músculo
Terminação nervosa no meio da fibra
SARCOLEMA
Membrana delgada que reveste a fibra
muscular esquelética
TIPO I TIPO II
Vermelhas
Mais mitocôndrias
Contração lenta
Resistência
Vermelhas (IIa) e Brancas (IIb)
Menos mitocôndrias
Contração rápida
Velocidade
TIPO I TIPO II
EXTENSIBILIDADE Capacidade de aumentar o seu
comprimento
ELASTICIDADE
Capacidade de retornar a seu
comprimento original após a
deformação
CONTRATILIDADE Capacidade do músculo se encurtar
ao receber estimulação suficiente
CONCÊNTRICA
EXCÊNTRICA
ISOMÉTRICA
ISOTÔNICA
Contração sem alteração no
comprimento do músculo e no
ângulo movimento
Encurtamento do músculo durante a
contração (dinâmica positiva)
Alongamento do músculo durante a
contração (dinâmica negativa)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Insulinoterapia
InsulinoterapiaInsulinoterapia
Insulinoterapia
Rodrigo Abreu
 
Modelos assistenciais
Modelos assistenciaisModelos assistenciais
Modelos assistenciais
Jairo da Silva
 
A real(idade) de saúde mental no sus
A real(idade) de saúde mental no susA real(idade) de saúde mental no sus
A real(idade) de saúde mental no sus
Dra. Ofélia De Castro Maia
 
0506 Luto - Daniela
0506 Luto - Daniela 0506 Luto - Daniela
0506 Luto - Daniela
laiscarlini
 
Projeto terapeutico singular
Projeto terapeutico singularProjeto terapeutico singular
Projeto terapeutico singular
CENAT Cursos
 
Epilepsia
EpilepsiaEpilepsia
Epilepsia
Anderson Santana
 
Regionalização, Pactos Interfederativos e regulação das redes de atenção à sa...
Regionalização, Pactos Interfederativos e regulação das redes de atenção à sa...Regionalização, Pactos Interfederativos e regulação das redes de atenção à sa...
Regionalização, Pactos Interfederativos e regulação das redes de atenção à sa...
Centro de Desenvolvimento, Ensino e Pesquisa em Saúde - CEDEPS
 
Assistencia domiciliar
Assistencia domiciliarAssistencia domiciliar
Assistencia domiciliar
jorge luiz dos santos de souza
 
Apresentação do caps
Apresentação do capsApresentação do caps
Apresentação do caps
Adriana Emidio
 
Fundamentos de fisioterapia - áreas de atuação do fisioterapeuta - capitulo 3
Fundamentos de fisioterapia - áreas de atuação do fisioterapeuta - capitulo 3Fundamentos de fisioterapia - áreas de atuação do fisioterapeuta - capitulo 3
Fundamentos de fisioterapia - áreas de atuação do fisioterapeuta - capitulo 3
Cleanto Santos Vieira
 
Saúde mental no sus os centros de atenção psicossocial
Saúde mental no sus   os centros de atenção psicossocialSaúde mental no sus   os centros de atenção psicossocial
Saúde mental no sus os centros de atenção psicossocial
Arley Melo
 
Marco Histórico Internacional da MTC
Marco Histórico Internacional da MTCMarco Histórico Internacional da MTC
Marco Histórico Internacional da MTC
comunidadedepraticas
 
A interferência da alteração de tônus sobre a reabilitação fisioterapêutica a...
A interferência da alteração de tônus sobre a reabilitação fisioterapêutica a...A interferência da alteração de tônus sobre a reabilitação fisioterapêutica a...
A interferência da alteração de tônus sobre a reabilitação fisioterapêutica a...
Fisioterapeuta
 
Apresentaçãoo PNPIC e PICs - histórico e conceitos
Apresentaçãoo PNPIC e PICs - histórico e conceitosApresentaçãoo PNPIC e PICs - histórico e conceitos
Apresentaçãoo PNPIC e PICs - histórico e conceitos
comunidadedepraticas
 
Paralisia Cerebral Atetóide – Revisão de Artigo
Paralisia Cerebral Atetóide – Revisão de ArtigoParalisia Cerebral Atetóide – Revisão de Artigo
Paralisia Cerebral Atetóide – Revisão de Artigo
Fisioterapeuta
 
A Política Nacional de Humanização e a Mudança de Paradigma na Humanização
A Política Nacional de Humanização e a Mudança de Paradigma na HumanizaçãoA Política Nacional de Humanização e a Mudança de Paradigma na Humanização
A Política Nacional de Humanização e a Mudança de Paradigma na Humanização
Associação Viva e Deixe Viver
 
Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...
Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...
Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...
Aroldo Gavioli
 
Farmacologia 13 anticonvulsivantes - med resumos (dez-2011)
Farmacologia 13   anticonvulsivantes - med resumos (dez-2011)Farmacologia 13   anticonvulsivantes - med resumos (dez-2011)
Farmacologia 13 anticonvulsivantes - med resumos (dez-2011)
Jucie Vasconcelos
 
Endocrinologia: Glândulas Adrenais e hormônios Corticosteroides.
Endocrinologia: Glândulas Adrenais e hormônios Corticosteroides.Endocrinologia: Glândulas Adrenais e hormônios Corticosteroides.
Endocrinologia: Glândulas Adrenais e hormônios Corticosteroides.
PauloHenrique350
 
Terapia Nutricional Enteral e Parenteral
Terapia Nutricional Enteral e ParenteralTerapia Nutricional Enteral e Parenteral
Terapia Nutricional Enteral e Parenteral
latnep
 

Mais procurados (20)

Insulinoterapia
InsulinoterapiaInsulinoterapia
Insulinoterapia
 
Modelos assistenciais
Modelos assistenciaisModelos assistenciais
Modelos assistenciais
 
A real(idade) de saúde mental no sus
A real(idade) de saúde mental no susA real(idade) de saúde mental no sus
A real(idade) de saúde mental no sus
 
0506 Luto - Daniela
0506 Luto - Daniela 0506 Luto - Daniela
0506 Luto - Daniela
 
Projeto terapeutico singular
Projeto terapeutico singularProjeto terapeutico singular
Projeto terapeutico singular
 
Epilepsia
EpilepsiaEpilepsia
Epilepsia
 
Regionalização, Pactos Interfederativos e regulação das redes de atenção à sa...
Regionalização, Pactos Interfederativos e regulação das redes de atenção à sa...Regionalização, Pactos Interfederativos e regulação das redes de atenção à sa...
Regionalização, Pactos Interfederativos e regulação das redes de atenção à sa...
 
Assistencia domiciliar
Assistencia domiciliarAssistencia domiciliar
Assistencia domiciliar
 
Apresentação do caps
Apresentação do capsApresentação do caps
Apresentação do caps
 
Fundamentos de fisioterapia - áreas de atuação do fisioterapeuta - capitulo 3
Fundamentos de fisioterapia - áreas de atuação do fisioterapeuta - capitulo 3Fundamentos de fisioterapia - áreas de atuação do fisioterapeuta - capitulo 3
Fundamentos de fisioterapia - áreas de atuação do fisioterapeuta - capitulo 3
 
Saúde mental no sus os centros de atenção psicossocial
Saúde mental no sus   os centros de atenção psicossocialSaúde mental no sus   os centros de atenção psicossocial
Saúde mental no sus os centros de atenção psicossocial
 
Marco Histórico Internacional da MTC
Marco Histórico Internacional da MTCMarco Histórico Internacional da MTC
Marco Histórico Internacional da MTC
 
A interferência da alteração de tônus sobre a reabilitação fisioterapêutica a...
A interferência da alteração de tônus sobre a reabilitação fisioterapêutica a...A interferência da alteração de tônus sobre a reabilitação fisioterapêutica a...
A interferência da alteração de tônus sobre a reabilitação fisioterapêutica a...
 
Apresentaçãoo PNPIC e PICs - histórico e conceitos
Apresentaçãoo PNPIC e PICs - histórico e conceitosApresentaçãoo PNPIC e PICs - histórico e conceitos
Apresentaçãoo PNPIC e PICs - histórico e conceitos
 
Paralisia Cerebral Atetóide – Revisão de Artigo
Paralisia Cerebral Atetóide – Revisão de ArtigoParalisia Cerebral Atetóide – Revisão de Artigo
Paralisia Cerebral Atetóide – Revisão de Artigo
 
A Política Nacional de Humanização e a Mudança de Paradigma na Humanização
A Política Nacional de Humanização e a Mudança de Paradigma na HumanizaçãoA Política Nacional de Humanização e a Mudança de Paradigma na Humanização
A Política Nacional de Humanização e a Mudança de Paradigma na Humanização
 
Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...
Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...
Politicas de saúde mental: organização da rede de assistência psicossocial no...
 
Farmacologia 13 anticonvulsivantes - med resumos (dez-2011)
Farmacologia 13   anticonvulsivantes - med resumos (dez-2011)Farmacologia 13   anticonvulsivantes - med resumos (dez-2011)
Farmacologia 13 anticonvulsivantes - med resumos (dez-2011)
 
Endocrinologia: Glândulas Adrenais e hormônios Corticosteroides.
Endocrinologia: Glândulas Adrenais e hormônios Corticosteroides.Endocrinologia: Glândulas Adrenais e hormônios Corticosteroides.
Endocrinologia: Glândulas Adrenais e hormônios Corticosteroides.
 
Terapia Nutricional Enteral e Parenteral
Terapia Nutricional Enteral e ParenteralTerapia Nutricional Enteral e Parenteral
Terapia Nutricional Enteral e Parenteral
 

Semelhante a AULA 1 - INTRODUC¦ºA¦âO A FISIOTERAPIA MUSCULOESQUELE¦üTICA NA SAU¦üDE DO ADULTO.pdf

Reacon 2009 ProgramaçãO Oficial
Reacon 2009 ProgramaçãO OficialReacon 2009 ProgramaçãO Oficial
Reacon 2009 ProgramaçãO Oficial
Adriana Quevedo
 
Divulgação eneft 2013
Divulgação eneft 2013Divulgação eneft 2013
Divulgação eneft 2013
Peroneo Centro Terapêutico
 
Acsm osteoporose e exercício
Acsm   osteoporose e exercícioAcsm   osteoporose e exercício
Acsm osteoporose e exercício
Leonardo De Almeida Pessoa
 
Exercicios de fortalecimento em idosos
Exercicios de fortalecimento em idososExercicios de fortalecimento em idosos
Exercicios de fortalecimento em idosos
Natha Fisioterapia
 
1122
11221122
Anatomia geral dos ossos e articulações
Anatomia geral dos ossos e articulaçõesAnatomia geral dos ossos e articulações
Anatomia geral dos ossos e articulações
Filipe Matos
 
A importância da fisioterapia motora em pacientes críticos
A importância da fisioterapia motora em pacientes críticosA importância da fisioterapia motora em pacientes críticos
A importância da fisioterapia motora em pacientes críticos
IAPES - Instituto Amazonense de Aprimoramento e Ensino em Saúde
 
tanto faz
tanto faztanto faz
tanto faz
Aj-power-people
 
Efeito da técnica isostretching no equilíbrio postural
Efeito da técnica isostretching no equilíbrio posturalEfeito da técnica isostretching no equilíbrio postural
Efeito da técnica isostretching no equilíbrio postural
Melissa Louyse Duarte
 
Funcional para Idosos.pptx
Funcional para Idosos.pptxFuncional para Idosos.pptx
Funcional para Idosos.pptx
CoachClaumerson
 
Cartilha curso - orientacao postural - posicao sentada - modulo ii - word
Cartilha   curso - orientacao postural - posicao sentada - modulo ii - wordCartilha   curso - orientacao postural - posicao sentada - modulo ii - word
Cartilha curso - orientacao postural - posicao sentada - modulo ii - word
Fernanda Anderle
 
VISÃO DO ESPECIALISTA BACLOFENO
VISÃO DO ESPECIALISTA BACLOFENOVISÃO DO ESPECIALISTA BACLOFENO
VISÃO DO ESPECIALISTA BACLOFENO
uniaoquimica
 
Fundamentos de anatomia para estudantes de odontologia
Fundamentos de anatomia para estudantes de odontologiaFundamentos de anatomia para estudantes de odontologia
Fundamentos de anatomia para estudantes de odontologia
Italo Gabriel
 
Aula cetrata 2
Aula cetrata 2Aula cetrata 2
Aula cetrata 2
Yngrid Bandeira
 
Osteporose revisão
Osteporose revisãoOsteporose revisão
Osteporose revisão
Natan Pires
 
Osteo
OsteoOsteo
Força
ForçaForça
Força
rodrigo_aqua
 
Osteopenia
OsteopeniaOsteopenia
Cartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdf
Cartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdfCartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdf
Cartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdf
beeatrizsilvaa567
 
Sarcopenia
SarcopeniaSarcopenia
Sarcopenia
Angela Dias
 

Semelhante a AULA 1 - INTRODUC¦ºA¦âO A FISIOTERAPIA MUSCULOESQUELE¦üTICA NA SAU¦üDE DO ADULTO.pdf (20)

Reacon 2009 ProgramaçãO Oficial
Reacon 2009 ProgramaçãO OficialReacon 2009 ProgramaçãO Oficial
Reacon 2009 ProgramaçãO Oficial
 
Divulgação eneft 2013
Divulgação eneft 2013Divulgação eneft 2013
Divulgação eneft 2013
 
Acsm osteoporose e exercício
Acsm   osteoporose e exercícioAcsm   osteoporose e exercício
Acsm osteoporose e exercício
 
Exercicios de fortalecimento em idosos
Exercicios de fortalecimento em idososExercicios de fortalecimento em idosos
Exercicios de fortalecimento em idosos
 
1122
11221122
1122
 
Anatomia geral dos ossos e articulações
Anatomia geral dos ossos e articulaçõesAnatomia geral dos ossos e articulações
Anatomia geral dos ossos e articulações
 
A importância da fisioterapia motora em pacientes críticos
A importância da fisioterapia motora em pacientes críticosA importância da fisioterapia motora em pacientes críticos
A importância da fisioterapia motora em pacientes críticos
 
tanto faz
tanto faztanto faz
tanto faz
 
Efeito da técnica isostretching no equilíbrio postural
Efeito da técnica isostretching no equilíbrio posturalEfeito da técnica isostretching no equilíbrio postural
Efeito da técnica isostretching no equilíbrio postural
 
Funcional para Idosos.pptx
Funcional para Idosos.pptxFuncional para Idosos.pptx
Funcional para Idosos.pptx
 
Cartilha curso - orientacao postural - posicao sentada - modulo ii - word
Cartilha   curso - orientacao postural - posicao sentada - modulo ii - wordCartilha   curso - orientacao postural - posicao sentada - modulo ii - word
Cartilha curso - orientacao postural - posicao sentada - modulo ii - word
 
VISÃO DO ESPECIALISTA BACLOFENO
VISÃO DO ESPECIALISTA BACLOFENOVISÃO DO ESPECIALISTA BACLOFENO
VISÃO DO ESPECIALISTA BACLOFENO
 
Fundamentos de anatomia para estudantes de odontologia
Fundamentos de anatomia para estudantes de odontologiaFundamentos de anatomia para estudantes de odontologia
Fundamentos de anatomia para estudantes de odontologia
 
Aula cetrata 2
Aula cetrata 2Aula cetrata 2
Aula cetrata 2
 
Osteporose revisão
Osteporose revisãoOsteporose revisão
Osteporose revisão
 
Osteo
OsteoOsteo
Osteo
 
Força
ForçaForça
Força
 
Osteopenia
OsteopeniaOsteopenia
Osteopenia
 
Cartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdf
Cartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdfCartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdf
Cartilha- Cinesioterapia para pessoas idosas (5).pdf
 
Sarcopenia
SarcopeniaSarcopenia
Sarcopenia
 

Mais de Andrei Cuzuioc

Aula 4.pptx
Aula 4.pptxAula 4.pptx
Aula 4.pptx
Andrei Cuzuioc
 
Aula+1.pdf
Aula+1.pdfAula+1.pdf
Aula+1.pdf
Andrei Cuzuioc
 
DECANULAÇÃO.pptx
DECANULAÇÃO.pptxDECANULAÇÃO.pptx
DECANULAÇÃO.pptx
Andrei Cuzuioc
 
ATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA NO CENÁRIO DE PRÁTICA EM UTI.pptx
ATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA NO CENÁRIO DE PRÁTICA EM UTI.pptxATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA NO CENÁRIO DE PRÁTICA EM UTI.pptx
ATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA NO CENÁRIO DE PRÁTICA EM UTI.pptx
Andrei Cuzuioc
 
ebook_protocolos-pos-cirurgicos_joelhoemevidencia.pdf
ebook_protocolos-pos-cirurgicos_joelhoemevidencia.pdfebook_protocolos-pos-cirurgicos_joelhoemevidencia.pdf
ebook_protocolos-pos-cirurgicos_joelhoemevidencia.pdf
Andrei Cuzuioc
 
caso clinico 2.pptx
caso clinico 2.pptxcaso clinico 2.pptx
caso clinico 2.pptx
Andrei Cuzuioc
 
caso clinico 1.pptx
caso clinico 1.pptxcaso clinico 1.pptx
caso clinico 1.pptx
Andrei Cuzuioc
 
Doc matematica _672929559
Doc matematica _672929559Doc matematica _672929559
Doc matematica _672929559
Andrei Cuzuioc
 
Corretor de Imoeis
Corretor de ImoeisCorretor de Imoeis
Corretor de Imoeis
Andrei Cuzuioc
 
folha de redacao
folha de redacaofolha de redacao
folha de redacao
Andrei Cuzuioc
 
Capital
CapitalCapital
Fale russo
Fale russoFale russo
Fale russo
Andrei Cuzuioc
 

Mais de Andrei Cuzuioc (12)

Aula 4.pptx
Aula 4.pptxAula 4.pptx
Aula 4.pptx
 
Aula+1.pdf
Aula+1.pdfAula+1.pdf
Aula+1.pdf
 
DECANULAÇÃO.pptx
DECANULAÇÃO.pptxDECANULAÇÃO.pptx
DECANULAÇÃO.pptx
 
ATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA NO CENÁRIO DE PRÁTICA EM UTI.pptx
ATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA NO CENÁRIO DE PRÁTICA EM UTI.pptxATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA NO CENÁRIO DE PRÁTICA EM UTI.pptx
ATUAÇÃO DA FISIOTERAPIA NO CENÁRIO DE PRÁTICA EM UTI.pptx
 
ebook_protocolos-pos-cirurgicos_joelhoemevidencia.pdf
ebook_protocolos-pos-cirurgicos_joelhoemevidencia.pdfebook_protocolos-pos-cirurgicos_joelhoemevidencia.pdf
ebook_protocolos-pos-cirurgicos_joelhoemevidencia.pdf
 
caso clinico 2.pptx
caso clinico 2.pptxcaso clinico 2.pptx
caso clinico 2.pptx
 
caso clinico 1.pptx
caso clinico 1.pptxcaso clinico 1.pptx
caso clinico 1.pptx
 
Doc matematica _672929559
Doc matematica _672929559Doc matematica _672929559
Doc matematica _672929559
 
Corretor de Imoeis
Corretor de ImoeisCorretor de Imoeis
Corretor de Imoeis
 
folha de redacao
folha de redacaofolha de redacao
folha de redacao
 
Capital
CapitalCapital
Capital
 
Fale russo
Fale russoFale russo
Fale russo
 

Último

Fluxograma adesiva na odontologia para a clínica
Fluxograma adesiva na odontologia para a clínicaFluxograma adesiva na odontologia para a clínica
Fluxograma adesiva na odontologia para a clínica
Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)
 
aula 1 urgência e emergência enfermagem.
aula 1 urgência e emergência enfermagem.aula 1 urgência e emergência enfermagem.
aula 1 urgência e emergência enfermagem.
larifacs
 
1º Simulado ENARE 2024 (100 questões de Legislação do SUS).pdf
1º Simulado ENARE 2024 (100 questões de Legislação do SUS).pdf1º Simulado ENARE 2024 (100 questões de Legislação do SUS).pdf
1º Simulado ENARE 2024 (100 questões de Legislação do SUS).pdf
limagomesmariadaconc
 
Os Riscos psicossociais no trabalho!!!!!
Os Riscos psicossociais no trabalho!!!!!Os Riscos psicossociais no trabalho!!!!!
Os Riscos psicossociais no trabalho!!!!!
Miguel Lopes
 
Exercícios sobre Riscos Psicossociais no Trabalho
Exercícios sobre Riscos Psicossociais no TrabalhoExercícios sobre Riscos Psicossociais no Trabalho
Exercícios sobre Riscos Psicossociais no Trabalho
Miguel Lopes
 
Hipoglicemia........................pptx
Hipoglicemia........................pptxHipoglicemia........................pptx
Hipoglicemia........................pptx
PaulaAndrade240290
 
Cuidad_Paliat_Temos_que_convers_22220pdf
Cuidad_Paliat_Temos_que_convers_22220pdfCuidad_Paliat_Temos_que_convers_22220pdf
Cuidad_Paliat_Temos_que_convers_22220pdf
SheylaAlves6
 

Último (7)

Fluxograma adesiva na odontologia para a clínica
Fluxograma adesiva na odontologia para a clínicaFluxograma adesiva na odontologia para a clínica
Fluxograma adesiva na odontologia para a clínica
 
aula 1 urgência e emergência enfermagem.
aula 1 urgência e emergência enfermagem.aula 1 urgência e emergência enfermagem.
aula 1 urgência e emergência enfermagem.
 
1º Simulado ENARE 2024 (100 questões de Legislação do SUS).pdf
1º Simulado ENARE 2024 (100 questões de Legislação do SUS).pdf1º Simulado ENARE 2024 (100 questões de Legislação do SUS).pdf
1º Simulado ENARE 2024 (100 questões de Legislação do SUS).pdf
 
Os Riscos psicossociais no trabalho!!!!!
Os Riscos psicossociais no trabalho!!!!!Os Riscos psicossociais no trabalho!!!!!
Os Riscos psicossociais no trabalho!!!!!
 
Exercícios sobre Riscos Psicossociais no Trabalho
Exercícios sobre Riscos Psicossociais no TrabalhoExercícios sobre Riscos Psicossociais no Trabalho
Exercícios sobre Riscos Psicossociais no Trabalho
 
Hipoglicemia........................pptx
Hipoglicemia........................pptxHipoglicemia........................pptx
Hipoglicemia........................pptx
 
Cuidad_Paliat_Temos_que_convers_22220pdf
Cuidad_Paliat_Temos_que_convers_22220pdfCuidad_Paliat_Temos_que_convers_22220pdf
Cuidad_Paliat_Temos_que_convers_22220pdf
 

AULA 1 - INTRODUC¦ºA¦âO A FISIOTERAPIA MUSCULOESQUELE¦üTICA NA SAU¦üDE DO ADULTO.pdf

  • 1. FISIOTERAPIA MUSCULOESQUELÉTICA NA SAÚDE DO ADULTO Prof.ª Msc. Lídia Lopes
  • 2. 2 Fisioterapeuta – Graduação pela Universidade Ceuma Mestra em Meio Ambiente – Universidade Ceuma Integrante no Núcleo de Pesquisa em Reabilitação Funcional (NUPERF) Integrante do Núcleo de Pesquisa em Mecanismos de Modulação em Saúde e Meio Ambiente Coorientadora da Liga Acadêmica de Fisioterapia Esportiva - LAFESP Atuação em Fisioterapia em Neurologia Adulto, Neuropediatria e Trauma- Ortopedia Docente da Faculdade Florence São Luís Docente da Faculdade Pitágoras São Luís Docente da Pós Graduação em Trauma Ortopedia com enfoque no Tratamento da Dor – NacionalFisio Docente da Pós-Graduação da Universidade Ceuma Representante da NacionalFisio Maranhão Prof.ª Mestra Lídia Lopes
  • 3. 3 Ensino Híbrido Aulas expositivas Aulas via TEAMS Slides, animações e vídeos Aulas práticas Metodologia Ativa
  • 4. 4- Unidade 1 | Fundamentos da fisioterapia em ortopedia Seção 1.1 - Exame musculoesquelético Seção 1.2 - Doenças ortopédicas ósseas e articulares Seção 1.3 - Doenças ortopédicas musculotendinosa Unidade 2 | Fundamentos da Fisioterapia em Traumatologia I Seção 2.1 - Traumatismos da coluna vertebral Seção 2.2 - Reabilitação fisioterapêutica dos traumatismos da coluna vertebral Seção 2.3 - Traumatismos do membro superior
  • 5. 5- Unidade 3 | Fundamentos da fisioterapia em traumatologia II Seção 3.1 - Reabilitação fisioterapêutica dos traumatismos de membro superior Seção 3.2 - Traumatismos do membro inferior Seção 3.3 - Reabilitação fisioterapêutica dos traumatismos de membro inferior Unidade 4 | Fundamentos da fisioterapia em reumatologia Seção 4.1 - Principais doenças reumáticas Seção 4.2 - Avaliação do paciente reumático Seção 4.3 - Tratamento das doenças reumáticas
  • 6. 6 FISIOTERAPIA MUSCULOESQUELÉTICA NA SAÚDE DO ADULTO Diversas patologias que acometem o aparelho locomotor no adulto TRAUMATOLOGIA ORTOPEDIA REUMATOLOGIA
  • 7. 7 FISIOTERAPIA MUSCULOESQUELÉTICA NA SAÚDE DO ADULTO Garantirá a competência do conhecimento e da compreensão dos principais conceitos relacionados a abordagem da fisioterapia musculoesquelética e na reumatologia para atuar na saúde do adulto e permitira ao profissional ter a habilidade de proceder da maneira mais eficaz na avaliação e no processo de reabilitação, garantindo, assim, a recuperação mais rápida e efetiva, refletindo em melhor qualidade de vida ao paciente.
  • 8. 8 Planejamento, prescrição e execução Prevenção Diagnóstico Tratamento Prognóstico
  • 9. 9 FISIOTERAPIA MUSCULOESQUELÉTICA NA SAÚDE DO ADULTO Sistemas osseo, Articular Muscular • Sustentação • Movimento
  • 10. 10 Carbonato de cálcio Fosfato de cálcio Água Colágeno 60% a 70% do peso Rigidez Resistência compressiva Magnésio Sódio Fluoreto Funções metabólicas vitais para o crescimento e desenvolvimento Resistência Tensiva
  • 11. 11 Quanto mais poroso for o osso, menor a proporção de fosfato e carbonato de cálcio Porosidade baixa 5% a 30% Tecido não mineralizado Porosidade alta 30% a 90% Tecido não mineralizado Osso trabecular
  • 12. 12 OSSO CORTICAL OSSO TRABECULAR Elementos constituintes iguais
  • 13. 13
  • 14. 14
  • 15. 15 Osteócitos OSTEOBLASTOS Sensíveis as mudanças de fluxo no liquido intersticial OSTEOCLASTOS Modelagem Aumento da massa óssea Remodelagem Perda da massa óssea
  • 16. 16 As juntas de um dispositivo mecânico devem ser lubrificadas para que suas partes móveis possam se movimentar livremente Tecido conjuntivo denso Lubrificação protetora 1 a 5mm de espessura Espalha carga Permitir movimentação com o mínimo de atrito e desgaste 50%
  • 17. 17
  • 18. 18 Periósteo Tecido conjuntivo fibroso Folhetos: superficial e profundo Envolve e nutre o osso Vascularização Canais de Havers Canais de Volkmann
  • 19. 19
  • 20. 20 LIGAMENTOS Estruturas compostas de tecido conjuntivo denso e organizado, que penetram nos ossos por meio das fibras de colágeno TENDÕES Extremidade muscular • Osso a osso • Músculo a osso
  • 23. Estruturas individualizadas que cruzam uma ou mais articulações e pela sua contração são capazes de transmitir-lhes movimento. Único tecido do corpo humano capaz de desenvolver tensão ativamente.
  • 26. 26 Multinucleadas Estriadas 40% do corpo Fibras com 10 a 80 micrômetros Cada fibra = tamanho do músculo Terminação nervosa no meio da fibra SARCOLEMA Membrana delgada que reveste a fibra muscular esquelética
  • 27. TIPO I TIPO II Vermelhas Mais mitocôndrias Contração lenta Resistência Vermelhas (IIa) e Brancas (IIb) Menos mitocôndrias Contração rápida Velocidade
  • 29. EXTENSIBILIDADE Capacidade de aumentar o seu comprimento ELASTICIDADE Capacidade de retornar a seu comprimento original após a deformação CONTRATILIDADE Capacidade do músculo se encurtar ao receber estimulação suficiente
  • 30. CONCÊNTRICA EXCÊNTRICA ISOMÉTRICA ISOTÔNICA Contração sem alteração no comprimento do músculo e no ângulo movimento Encurtamento do músculo durante a contração (dinâmica positiva) Alongamento do músculo durante a contração (dinâmica negativa)