SlideShare uma empresa Scribd logo
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia - IFBA
Cartografia no Brasil
Trabalho da disciplina de Geografia,
elaborado pelos alunos do curso de
Mecânica, da turma 6821, Pedro Leite,
Rennê Rudner, Rodrigo Giardino e
Rodrigo do Vale. Sob a orientação da
profª Carolina Corrêa.
Salvador
2014
Introdução
Basicamente, falaremos sobre a origem e o desenvolvimento da
cartografia no Brasil, o período retratado vai de 1500 até os dias atuais.
Definição - Cartografia
É a ciência que trata da concepção, produção, difusão, utilização e
estudo dos mapas.
Cartografia no Brasil
Origem:
A cartografia brasileira teve varias influencias das cartografias de outros
países. Mas foi de Portugal a influência marcante.
Sem dúvida, Portugal influenciou bastante essa atividade aqui no país
desde os primórdios da era colonial.
A expansão ultramarina e as navegações marcaram profundamente o
caráter utilitário da cartografia de Portugal da época colonialista.
Era enorme a produção de mapas que representava as ilhas e os
continentes, com poucos nomes mas ricos em detalhes, há vários mapas da
costa brasileira produzidos por Portugal nessa época, representando de forma
espetacular as belezas e diversidades do nosso país quando este foi
descoberto.
A cartografia própria brasileira surgiu com a chegada da Família Real ao
Brasil em 1808. Mas ainda sob influência das técnicas e do estilo europeu.
Desenvolvimento:
Brasil Colonial:
A primeira representação cartográfica do Brasil aparece no planisfério de
Juan de la Cosa, de 1500, mostrando a Costa Norte até as proximidades da
Ponta do Mucuripe (Ceará).
Posteriormente, foram feitas outras representações cartográficas, também por
cartógrafos estrangeiros, em que o Brasil aparece. Por exemplo:
• Planisfério de Cantino:
O Planisfério de Cantino tem esse nome em referência a Alberto Cantino,
espião italiano, que obteve uma cópia do mapa original, que pertencia a coroa
portuguesa, e a vendeu ao duque de Ferrara. Nota-se técnicas portulanas,
como as rosas dos ventos em vários pontos do mapa e interligadas.
• Universalis Cosmographia de Waldseemüller:
Primeiro mapa-múndi a utilizar o termo “América”¹. Nota-se em seu desenho
influências religiosas, como imagens de anjos assoprando, representando a
origem dos ventos.
• Terra Brasilis:
Primeira representação cartográfica do território brasileiro de forma integrada,
atribuída aos cartógrafos Lopo Homem, Pedro e Jorge Reinel, faz parte do
conhecido Atlas Miller de 1519. Terra Brasilis representa o escambo de pau-
brasil no séc. XVI, sendo considerada a primeira carta econômica do Brasil e a
primeira imagem do desmatamento do país.
¹
Brasil Imperial:
O Brasil começa a romper com o estilo luso-brasileiro em 1808 com
medidas para organizar-se administrativamente. Nesse ano, o governo imperial
cria o Arquivo Militar e a Academia de Artilharia e Fortificação. As duas últimas
seriam responsáveis em preparar técnicos que dariam continuidade aos
trabalhos geográficos e cartográficos.
Com a implantação da Imprensa Régia, começaram trabalhos de edição
de mapas nacionais enquanto que o Real Arquivo Militar era responsável em
armazenar e preservar nosso acervo. Com o apoio deles foi feita a planta de
São Sebastião do Rio de Janeiro em 1812, através do processo de gravura em
metal.
Em 1822, passou-se a usar a litografia no processo de impressão de mapas.
Vários estudos visando à criação de um órgão encarregado de executar
levantamentos geodésicos e topográficos e construir uma carta exata foram
mal sucedidos, e só na republica, a partir de 1901, viria surgir um plano sério.
Brasil República:
O país começava a crescer e se organizar, portanto dependia de uma
cobertura sistemática de mapa, e como o Brasil se comportava, apesar das
suas dimensões continentais, como um país ilha, a cartografia hidrográfica foi a
mais enfatizada e de grande valia.
A terrestre buscava, através do Estado-Maior do Exército, a construção
de uma carta básica, fato realizado e muito bem preparado.
Com a finalidade de coordenar as atividades estatística, censitária e
geográfica do país foi criado o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
(IBGE) em 1936.
Em 1939, iniciou a preparação do projeto Carta do Brasil ao Milionésimo,
concluída em 1960 com o fornecimento de documentação pelos Estados
Unidos que promoveu uma extensa cobertura aerofotogramétrica sobre áreas
pouco desenvolvidas cartograficamente como o norte e o centro oeste do
Brasil.
A carta do Brasil ao milionésimo faz parte de um plano mundial que teve
origem em convenção internacional na Inglaterra em 1909.
Foram estabelecidos padrões técnicos para a confecção de cartas na
escala de 1:1.000.000 - um por um milhão - daí o nome e expressão " ao
milionésimo " .
De 1970 a 1989, ocorre o desenvolvimento da engenharia cartográfica e
atuação dos grandes projetos nacionais como o Projeto RADAM.
Após 1990, com a introdução e um grande desenvolvimento das novas
tecnologias de sensoriamento remoto, cartografia digital e sistemas de
informação geográfica, ocorre uma grande dinamização e popularização da
cartografia no Brasil.
Principais instrumentos/técnicas:
Gravura em metal – É o processo de gravura de encavo feito numa matriz de
metal, geralmente o cobre. Pode também ser feita em alumínio, aço, ferro ou
latão.
Litografia – Essa técnica de gravura envolve a criação de marcas (ou
desenhos) sobre uma matriz (pedra calcária) com um lápis gorduroso. A base
dessa técnica é o princípio da repulsão entre água e óleo.
Aerofotogrametria – É o nome dado ao método de obtenção de dados
topográficos por meio de fotografias aéreas, geralmente, com o fim de
mapeamento.
Projeto RADAM – Radar da Amazônia, com a aplicação pioneira de sensores
aerotransportados radargramétricos, posteriormente o projeto foi estendido a
todo território nacional – RADAMBRASIL, extinto em 1985.
Conclusão
A partir deste trabalho, pudemos entender a origem da cartografia
brasileira e seu desenvolvimento, que, inicialmente, era realizada por
estrangeiros que exploravam uma nova terra. Posteriormente, houve um
desenvolvimento cartográfico nacional, com a criação de instituições e
formação de profissionais nativos. Com o passar do tempo, novas tecnologias
surgiram e foram incorporadas. Atualmente, a cartografia brasileira, há muito
independente e consolidada, se desenvolve cada vez mais.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O papel do clima na esculturação do relevo
O papel do clima na esculturação do relevoO papel do clima na esculturação do relevo
O papel do clima na esculturação do relevo
Lucelia Santos
 
Coordenadas geográficas
Coordenadas geográficasCoordenadas geográficas
Coordenadas geográficas
Prof.Paulo/geografia
 
Cartografia powerpoint
Cartografia powerpointCartografia powerpoint
Cartografia powerpoint
danielcpacheco2
 
Orientação e coordenadas geográficas
Orientação e coordenadas geográficasOrientação e coordenadas geográficas
Orientação e coordenadas geográficas
Professor
 
Quiz - 6º ano "D"
Quiz - 6º ano "D"Quiz - 6º ano "D"
Quiz - 6º ano "D"
Marcela Marangon Ribeiro
 
Cartografia
CartografiaCartografia
Cartografia
Suely Takahashi
 
Aula fontes históricas- 6º anos
Aula fontes históricas- 6º anosAula fontes históricas- 6º anos
Aula fontes históricas- 6º anos
Carlos Néri
 
Cartografia
CartografiaCartografia
Cartografia
Alexandre Sampaio
 
Evolução do pensamento geográfico
Evolução do pensamento geográficoEvolução do pensamento geográfico
Evolução do pensamento geográfico
Washington sucupira
 
História, fontes e historiadores
História, fontes e historiadoresHistória, fontes e historiadores
História, fontes e historiadores
Ivanilton Junior
 
Orientacao e localizacao no espaco
Orientacao e localizacao no espacoOrientacao e localizacao no espaco
Orientacao e localizacao no espaco
Prof. Francesco Torres
 
O Tempo e a História - 6o ano
O Tempo e a História - 6o anoO Tempo e a História - 6o ano
O Tempo e a História - 6o ano
Lucas Degiovani
 
Cap. 3 - Mapas (6º ano)
Cap. 3 - Mapas (6º ano)Cap. 3 - Mapas (6º ano)
Cap. 3 - Mapas (6º ano)
profacacio
 
REPRESENTAÇÕES CARTOGRÁFICAS, ESCALAS E PROJEÇÕES - NOÇÕES BÁSICAS
REPRESENTAÇÕES CARTOGRÁFICAS, ESCALAS E PROJEÇÕES - NOÇÕES BÁSICASREPRESENTAÇÕES CARTOGRÁFICAS, ESCALAS E PROJEÇÕES - NOÇÕES BÁSICAS
REPRESENTAÇÕES CARTOGRÁFICAS, ESCALAS E PROJEÇÕES - NOÇÕES BÁSICAS
Renata Rodrigues
 
Saresp história e geografia 2011 9º ano
Saresp história e geografia 2011 9º anoSaresp história e geografia 2011 9º ano
Saresp história e geografia 2011 9º ano
Alda Cavalcante
 
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
Geografia a estrutura geologica do brasil e sua relaçao com a formacao do r...
Geografia   a estrutura geologica do brasil e sua relaçao com a formacao do r...Geografia   a estrutura geologica do brasil e sua relaçao com a formacao do r...
Geografia a estrutura geologica do brasil e sua relaçao com a formacao do r...
Gustavo Soares
 
Geografia planeta terra - nave em que viajamos
Geografia   planeta terra - nave em que viajamosGeografia   planeta terra - nave em que viajamos
Geografia planeta terra - nave em que viajamos
Gustavo Soares
 
Paisagem, espaço e lugar
Paisagem, espaço e lugarPaisagem, espaço e lugar
Paisagem, espaço e lugar
André Luiz Marques
 
Avaliação 6º ano geografia
Avaliação 6º ano   geografiaAvaliação 6º ano   geografia
Avaliação 6º ano geografia
Luciano Cardoso Oliveira
 

Mais procurados (20)

O papel do clima na esculturação do relevo
O papel do clima na esculturação do relevoO papel do clima na esculturação do relevo
O papel do clima na esculturação do relevo
 
Coordenadas geográficas
Coordenadas geográficasCoordenadas geográficas
Coordenadas geográficas
 
Cartografia powerpoint
Cartografia powerpointCartografia powerpoint
Cartografia powerpoint
 
Orientação e coordenadas geográficas
Orientação e coordenadas geográficasOrientação e coordenadas geográficas
Orientação e coordenadas geográficas
 
Quiz - 6º ano "D"
Quiz - 6º ano "D"Quiz - 6º ano "D"
Quiz - 6º ano "D"
 
Cartografia
CartografiaCartografia
Cartografia
 
Aula fontes históricas- 6º anos
Aula fontes históricas- 6º anosAula fontes históricas- 6º anos
Aula fontes históricas- 6º anos
 
Cartografia
CartografiaCartografia
Cartografia
 
Evolução do pensamento geográfico
Evolução do pensamento geográficoEvolução do pensamento geográfico
Evolução do pensamento geográfico
 
História, fontes e historiadores
História, fontes e historiadoresHistória, fontes e historiadores
História, fontes e historiadores
 
Orientacao e localizacao no espaco
Orientacao e localizacao no espacoOrientacao e localizacao no espaco
Orientacao e localizacao no espaco
 
O Tempo e a História - 6o ano
O Tempo e a História - 6o anoO Tempo e a História - 6o ano
O Tempo e a História - 6o ano
 
Cap. 3 - Mapas (6º ano)
Cap. 3 - Mapas (6º ano)Cap. 3 - Mapas (6º ano)
Cap. 3 - Mapas (6º ano)
 
REPRESENTAÇÕES CARTOGRÁFICAS, ESCALAS E PROJEÇÕES - NOÇÕES BÁSICAS
REPRESENTAÇÕES CARTOGRÁFICAS, ESCALAS E PROJEÇÕES - NOÇÕES BÁSICASREPRESENTAÇÕES CARTOGRÁFICAS, ESCALAS E PROJEÇÕES - NOÇÕES BÁSICAS
REPRESENTAÇÕES CARTOGRÁFICAS, ESCALAS E PROJEÇÕES - NOÇÕES BÁSICAS
 
Saresp história e geografia 2011 9º ano
Saresp história e geografia 2011 9º anoSaresp história e geografia 2011 9º ano
Saresp história e geografia 2011 9º ano
 
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
 
Geografia a estrutura geologica do brasil e sua relaçao com a formacao do r...
Geografia   a estrutura geologica do brasil e sua relaçao com a formacao do r...Geografia   a estrutura geologica do brasil e sua relaçao com a formacao do r...
Geografia a estrutura geologica do brasil e sua relaçao com a formacao do r...
 
Geografia planeta terra - nave em que viajamos
Geografia   planeta terra - nave em que viajamosGeografia   planeta terra - nave em que viajamos
Geografia planeta terra - nave em que viajamos
 
Paisagem, espaço e lugar
Paisagem, espaço e lugarPaisagem, espaço e lugar
Paisagem, espaço e lugar
 
Avaliação 6º ano geografia
Avaliação 6º ano   geografiaAvaliação 6º ano   geografia
Avaliação 6º ano geografia
 

Destaque

Tecnologias modernas aplicadas à cartografia
Tecnologias modernas aplicadas à cartografiaTecnologias modernas aplicadas à cartografia
Tecnologias modernas aplicadas à cartografia
Ana Selma Sena Santos
 
Tecnologias modernas utilizadas pela cartografia
Tecnologias modernas utilizadas pela cartografiaTecnologias modernas utilizadas pela cartografia
Tecnologias modernas utilizadas pela cartografia
Renata Magalhães
 
Cartografia: A linguagem dos mapas
Cartografia: A linguagem dos mapasCartografia: A linguagem dos mapas
Cartografia: A linguagem dos mapas
Roberta Sumar
 
Geografia economica t.0.cartografia
Geografia economica t.0.cartografiaGeografia economica t.0.cartografia
Geografia economica t.0.cartografia
letiziatorres
 
A geopolítica no brasil
A geopolítica no brasilA geopolítica no brasil
A geopolítica no brasil
Larissa Silva
 
PRIVEST - Cap. 04 - Diferentes formas de regionalizar o espaço geográfico - 1...
PRIVEST - Cap. 04 - Diferentes formas de regionalizar o espaço geográfico - 1...PRIVEST - Cap. 04 - Diferentes formas de regionalizar o espaço geográfico - 1...
PRIVEST - Cap. 04 - Diferentes formas de regionalizar o espaço geográfico - 1...
profrodrigoribeiro
 
Ginástica acrobática
Ginástica acrobáticaGinástica acrobática
Ginástica acrobática
franciscaf
 
Regras de segurança no laboratório
Regras de segurança no laboratórioRegras de segurança no laboratório
Regras de segurança no laboratório
veronicasilva
 
Educação fisica ginástica acrobática
Educação fisica ginástica acrobáticaEducação fisica ginástica acrobática
Educação fisica ginástica acrobática
gltrindade
 
Trabalho e Energia Mecânica
Trabalho e Energia MecânicaTrabalho e Energia Mecânica
Trabalho e Energia Mecânica
Pibid Física
 
Brasil características gerais
Brasil características geraisBrasil características gerais
Brasil características gerais
Salageo Cristina
 
Cartografia 1° Ano
Cartografia 1° AnoCartografia 1° Ano
Cartografia 1° Ano
Débora Sales
 
Trabalho de geografia 9º ano
Trabalho de geografia 9º anoTrabalho de geografia 9º ano
Trabalho de geografia 9º ano
Ivonilde Lima
 
Capitanias Hereditárias
Capitanias HereditáriasCapitanias Hereditárias
Capitanias Hereditárias
Valéria Shoujofan
 
5 tipos de mapas
5 tipos de mapas5 tipos de mapas
5 tipos de mapas
Mayjö .
 
Evolução territorial do brasil em mapas (1534 atual
Evolução territorial do brasil em mapas (1534 atualEvolução territorial do brasil em mapas (1534 atual
Evolução territorial do brasil em mapas (1534 atual
Jailson Alves
 
GEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o Brasil
GEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o BrasilGEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o Brasil
GEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o Brasil
Dayane Cristine Leite
 
O império romano
O império romanoO império romano
O império romano
Fatima Freitas
 
Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escritoComo redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
Biblioteca Escolar Ourique
 

Destaque (19)

Tecnologias modernas aplicadas à cartografia
Tecnologias modernas aplicadas à cartografiaTecnologias modernas aplicadas à cartografia
Tecnologias modernas aplicadas à cartografia
 
Tecnologias modernas utilizadas pela cartografia
Tecnologias modernas utilizadas pela cartografiaTecnologias modernas utilizadas pela cartografia
Tecnologias modernas utilizadas pela cartografia
 
Cartografia: A linguagem dos mapas
Cartografia: A linguagem dos mapasCartografia: A linguagem dos mapas
Cartografia: A linguagem dos mapas
 
Geografia economica t.0.cartografia
Geografia economica t.0.cartografiaGeografia economica t.0.cartografia
Geografia economica t.0.cartografia
 
A geopolítica no brasil
A geopolítica no brasilA geopolítica no brasil
A geopolítica no brasil
 
PRIVEST - Cap. 04 - Diferentes formas de regionalizar o espaço geográfico - 1...
PRIVEST - Cap. 04 - Diferentes formas de regionalizar o espaço geográfico - 1...PRIVEST - Cap. 04 - Diferentes formas de regionalizar o espaço geográfico - 1...
PRIVEST - Cap. 04 - Diferentes formas de regionalizar o espaço geográfico - 1...
 
Ginástica acrobática
Ginástica acrobáticaGinástica acrobática
Ginástica acrobática
 
Regras de segurança no laboratório
Regras de segurança no laboratórioRegras de segurança no laboratório
Regras de segurança no laboratório
 
Educação fisica ginástica acrobática
Educação fisica ginástica acrobáticaEducação fisica ginástica acrobática
Educação fisica ginástica acrobática
 
Trabalho e Energia Mecânica
Trabalho e Energia MecânicaTrabalho e Energia Mecânica
Trabalho e Energia Mecânica
 
Brasil características gerais
Brasil características geraisBrasil características gerais
Brasil características gerais
 
Cartografia 1° Ano
Cartografia 1° AnoCartografia 1° Ano
Cartografia 1° Ano
 
Trabalho de geografia 9º ano
Trabalho de geografia 9º anoTrabalho de geografia 9º ano
Trabalho de geografia 9º ano
 
Capitanias Hereditárias
Capitanias HereditáriasCapitanias Hereditárias
Capitanias Hereditárias
 
5 tipos de mapas
5 tipos de mapas5 tipos de mapas
5 tipos de mapas
 
Evolução territorial do brasil em mapas (1534 atual
Evolução territorial do brasil em mapas (1534 atualEvolução territorial do brasil em mapas (1534 atual
Evolução territorial do brasil em mapas (1534 atual
 
GEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o Brasil
GEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o BrasilGEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o Brasil
GEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o Brasil
 
O império romano
O império romanoO império romano
O império romano
 
Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escritoComo redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
Como redigir a introdução e a conclusão de um trabalho escrito
 

Semelhante a Cartografia no brasil

Aula cartografia 1º ano ens. médio. CEFE Profª. Daiane Araújo
Aula cartografia 1º ano ens. médio. CEFE Profª. Daiane AraújoAula cartografia 1º ano ens. médio. CEFE Profª. Daiane Araújo
Aula cartografia 1º ano ens. médio. CEFE Profª. Daiane Araújo
Daiane ...
 
Grupo 07
Grupo 07Grupo 07
Cartografia
CartografiaCartografia
Cartografia
Bárbara Salgado
 
Cartografia - História (1º parte)
Cartografia - História (1º parte)Cartografia - História (1º parte)
Cartografia - História (1º parte)
O Geógrafo - Geociências
 
historia dos mapas.pptx
historia dos mapas.pptxhistoria dos mapas.pptx
historia dos mapas.pptx
HelenaSaitoAutuori
 
Cartografia aula 2 - conceito e histórico
Cartografia   aula 2 - conceito e históricoCartografia   aula 2 - conceito e histórico
Cartografia aula 2 - conceito e histórico
Fabrício Almeida
 
Cartografia elementos basicos
Cartografia elementos basicosCartografia elementos basicos
Cartografia elementos basicos
Leandro Silva
 
Cartografia
CartografiaCartografia
Cartografia
malugomes67
 
Cartografia
CartografiaCartografia
Cartografia
julio2012souto
 
publicado en slideshare
publicado en slidesharepublicado en slideshare
publicado en slideshare
Sencico
 
Cartografia aula 1 - definição e histórico
Cartografia   aula 1 - definição e históricoCartografia   aula 1 - definição e histórico
Cartografia aula 1 - definição e histórico
Kenia Diógenes
 
Cartilha Patrimonial Aqwa Corporate
Cartilha Patrimonial Aqwa CorporateCartilha Patrimonial Aqwa Corporate
Cartilha Patrimonial Aqwa Corporate
Erika Marion Robrahn-González
 
ProjeçõEs CartográFica, Mapas E Atividades Ulbra ConcóRdia
ProjeçõEs CartográFica, Mapas E Atividades Ulbra ConcóRdiaProjeçõEs CartográFica, Mapas E Atividades Ulbra ConcóRdia
ProjeçõEs CartográFica, Mapas E Atividades Ulbra ConcóRdia
alcidessf
 
Lucas montalvao rabelo
Lucas montalvao rabeloLucas montalvao rabelo
Lucas montalvao rabelo
André Freixo
 
Formas de representar a superfície terrestre.pptx
Formas de representar a superfície terrestre.pptxFormas de representar a superfície terrestre.pptx
Formas de representar a superfície terrestre.pptx
Ricardo Santos
 
Privest, 3º EM - Cartografia AP 01 MÓD 01
Privest, 3º EM - Cartografia AP 01 MÓD 01Privest, 3º EM - Cartografia AP 01 MÓD 01
Privest, 3º EM - Cartografia AP 01 MÓD 01
Rodrigo R Ribeiro
 
Slides de cartografia
Slides de cartografiaSlides de cartografia
Slides de cartografia
Dora Amarante
 
3 a abertura europeia ao mundo
3   a abertura europeia ao mundo3   a abertura europeia ao mundo
3 a abertura europeia ao mundo
Maria Cristina Ribeiro
 
História da cartografia e projeções cartográficas
História da cartografia e projeções cartográficasHistória da cartografia e projeções cartográficas
História da cartografia e projeções cartográficas
Sérgio Saribera
 
Cartografia e Mapas
Cartografia e MapasCartografia e Mapas
Cartografia e Mapas
Vinícius Pontini
 

Semelhante a Cartografia no brasil (20)

Aula cartografia 1º ano ens. médio. CEFE Profª. Daiane Araújo
Aula cartografia 1º ano ens. médio. CEFE Profª. Daiane AraújoAula cartografia 1º ano ens. médio. CEFE Profª. Daiane Araújo
Aula cartografia 1º ano ens. médio. CEFE Profª. Daiane Araújo
 
Grupo 07
Grupo 07Grupo 07
Grupo 07
 
Cartografia
CartografiaCartografia
Cartografia
 
Cartografia - História (1º parte)
Cartografia - História (1º parte)Cartografia - História (1º parte)
Cartografia - História (1º parte)
 
historia dos mapas.pptx
historia dos mapas.pptxhistoria dos mapas.pptx
historia dos mapas.pptx
 
Cartografia aula 2 - conceito e histórico
Cartografia   aula 2 - conceito e históricoCartografia   aula 2 - conceito e histórico
Cartografia aula 2 - conceito e histórico
 
Cartografia elementos basicos
Cartografia elementos basicosCartografia elementos basicos
Cartografia elementos basicos
 
Cartografia
CartografiaCartografia
Cartografia
 
Cartografia
CartografiaCartografia
Cartografia
 
publicado en slideshare
publicado en slidesharepublicado en slideshare
publicado en slideshare
 
Cartografia aula 1 - definição e histórico
Cartografia   aula 1 - definição e históricoCartografia   aula 1 - definição e histórico
Cartografia aula 1 - definição e histórico
 
Cartilha Patrimonial Aqwa Corporate
Cartilha Patrimonial Aqwa CorporateCartilha Patrimonial Aqwa Corporate
Cartilha Patrimonial Aqwa Corporate
 
ProjeçõEs CartográFica, Mapas E Atividades Ulbra ConcóRdia
ProjeçõEs CartográFica, Mapas E Atividades Ulbra ConcóRdiaProjeçõEs CartográFica, Mapas E Atividades Ulbra ConcóRdia
ProjeçõEs CartográFica, Mapas E Atividades Ulbra ConcóRdia
 
Lucas montalvao rabelo
Lucas montalvao rabeloLucas montalvao rabelo
Lucas montalvao rabelo
 
Formas de representar a superfície terrestre.pptx
Formas de representar a superfície terrestre.pptxFormas de representar a superfície terrestre.pptx
Formas de representar a superfície terrestre.pptx
 
Privest, 3º EM - Cartografia AP 01 MÓD 01
Privest, 3º EM - Cartografia AP 01 MÓD 01Privest, 3º EM - Cartografia AP 01 MÓD 01
Privest, 3º EM - Cartografia AP 01 MÓD 01
 
Slides de cartografia
Slides de cartografiaSlides de cartografia
Slides de cartografia
 
3 a abertura europeia ao mundo
3   a abertura europeia ao mundo3   a abertura europeia ao mundo
3 a abertura europeia ao mundo
 
História da cartografia e projeções cartográficas
História da cartografia e projeções cartográficasHistória da cartografia e projeções cartográficas
História da cartografia e projeções cartográficas
 
Cartografia e Mapas
Cartografia e MapasCartografia e Mapas
Cartografia e Mapas
 

Mais de karolpoa

Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticosAula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
karolpoa
 
Rochas metamórficas
Rochas metamórficasRochas metamórficas
Rochas metamórficas
karolpoa
 
Minerais
MineraisMinerais
Minerais
karolpoa
 
Os ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosferaOs ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosfera
karolpoa
 
Climatologia no brasil
Climatologia no brasilClimatologia no brasil
Climatologia no brasil
karolpoa
 
Sedimentos e rochas sedimentares 2014-2
Sedimentos e rochas sedimentares 2014-2Sedimentos e rochas sedimentares 2014-2
Sedimentos e rochas sedimentares 2014-2
karolpoa
 
Intemperismo e erosão
Intemperismo e erosãoIntemperismo e erosão
Intemperismo e erosão
karolpoa
 
4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológico4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológico
karolpoa
 
4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológico4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológico
karolpoa
 
5 fatores e elementos climáticos
5 fatores e elementos climáticos5 fatores e elementos climáticos
5 fatores e elementos climáticos
karolpoa
 
Agua nos solos
Agua nos solosAgua nos solos
Agua nos solos
karolpoa
 
Aula classificação dos solos
Aula classificação dos solosAula classificação dos solos
Aula classificação dos solos
karolpoa
 
Ciclodas rochas rochas magmaticas
Ciclodas rochas rochas magmaticasCiclodas rochas rochas magmaticas
Ciclodas rochas rochas magmaticas
karolpoa
 
3 atmosfera
3 atmosfera3 atmosfera
3 atmosfera
karolpoa
 
2 paleoclimatologia
2 paleoclimatologia2 paleoclimatologia
2 paleoclimatologia
karolpoa
 
1 noções de tempo e clima
1 noções de tempo e clima1 noções de tempo e clima
1 noções de tempo e clima
karolpoa
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Aula 2
karolpoa
 
3.1 análise granulométrica
3.1 análise granulométrica3.1 análise granulométrica
3.1 análise granulométrica
karolpoa
 
Aula 3 propriedades morfológicas
Aula 3 propriedades morfológicasAula 3 propriedades morfológicas
Aula 3 propriedades morfológicas
karolpoa
 
Aula 2 origem dos solos
Aula 2 origem dos solosAula 2 origem dos solos
Aula 2 origem dos solos
karolpoa
 

Mais de karolpoa (20)

Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticosAula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
Aula preocessos superficiais, conservação e uso de geossintéticos
 
Rochas metamórficas
Rochas metamórficasRochas metamórficas
Rochas metamórficas
 
Minerais
MineraisMinerais
Minerais
 
Os ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosferaOs ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosfera
 
Climatologia no brasil
Climatologia no brasilClimatologia no brasil
Climatologia no brasil
 
Sedimentos e rochas sedimentares 2014-2
Sedimentos e rochas sedimentares 2014-2Sedimentos e rochas sedimentares 2014-2
Sedimentos e rochas sedimentares 2014-2
 
Intemperismo e erosão
Intemperismo e erosãoIntemperismo e erosão
Intemperismo e erosão
 
4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológico4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológico
 
4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológico4 ciclo hidrológico
4 ciclo hidrológico
 
5 fatores e elementos climáticos
5 fatores e elementos climáticos5 fatores e elementos climáticos
5 fatores e elementos climáticos
 
Agua nos solos
Agua nos solosAgua nos solos
Agua nos solos
 
Aula classificação dos solos
Aula classificação dos solosAula classificação dos solos
Aula classificação dos solos
 
Ciclodas rochas rochas magmaticas
Ciclodas rochas rochas magmaticasCiclodas rochas rochas magmaticas
Ciclodas rochas rochas magmaticas
 
3 atmosfera
3 atmosfera3 atmosfera
3 atmosfera
 
2 paleoclimatologia
2 paleoclimatologia2 paleoclimatologia
2 paleoclimatologia
 
1 noções de tempo e clima
1 noções de tempo e clima1 noções de tempo e clima
1 noções de tempo e clima
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Aula 2
 
3.1 análise granulométrica
3.1 análise granulométrica3.1 análise granulométrica
3.1 análise granulométrica
 
Aula 3 propriedades morfológicas
Aula 3 propriedades morfológicasAula 3 propriedades morfológicas
Aula 3 propriedades morfológicas
 
Aula 2 origem dos solos
Aula 2 origem dos solosAula 2 origem dos solos
Aula 2 origem dos solos
 

Último

Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
Ailton Barcelos
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
EdimaresSilvestre
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
y6zh7bvphf
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 

Cartografia no brasil

  • 1. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia - IFBA Cartografia no Brasil Trabalho da disciplina de Geografia, elaborado pelos alunos do curso de Mecânica, da turma 6821, Pedro Leite, Rennê Rudner, Rodrigo Giardino e Rodrigo do Vale. Sob a orientação da profª Carolina Corrêa. Salvador 2014
  • 2. Introdução Basicamente, falaremos sobre a origem e o desenvolvimento da cartografia no Brasil, o período retratado vai de 1500 até os dias atuais.
  • 3. Definição - Cartografia É a ciência que trata da concepção, produção, difusão, utilização e estudo dos mapas.
  • 4. Cartografia no Brasil Origem: A cartografia brasileira teve varias influencias das cartografias de outros países. Mas foi de Portugal a influência marcante. Sem dúvida, Portugal influenciou bastante essa atividade aqui no país desde os primórdios da era colonial. A expansão ultramarina e as navegações marcaram profundamente o caráter utilitário da cartografia de Portugal da época colonialista. Era enorme a produção de mapas que representava as ilhas e os continentes, com poucos nomes mas ricos em detalhes, há vários mapas da costa brasileira produzidos por Portugal nessa época, representando de forma espetacular as belezas e diversidades do nosso país quando este foi descoberto. A cartografia própria brasileira surgiu com a chegada da Família Real ao Brasil em 1808. Mas ainda sob influência das técnicas e do estilo europeu. Desenvolvimento: Brasil Colonial: A primeira representação cartográfica do Brasil aparece no planisfério de Juan de la Cosa, de 1500, mostrando a Costa Norte até as proximidades da Ponta do Mucuripe (Ceará).
  • 5. Posteriormente, foram feitas outras representações cartográficas, também por cartógrafos estrangeiros, em que o Brasil aparece. Por exemplo: • Planisfério de Cantino: O Planisfério de Cantino tem esse nome em referência a Alberto Cantino, espião italiano, que obteve uma cópia do mapa original, que pertencia a coroa portuguesa, e a vendeu ao duque de Ferrara. Nota-se técnicas portulanas, como as rosas dos ventos em vários pontos do mapa e interligadas. • Universalis Cosmographia de Waldseemüller:
  • 6. Primeiro mapa-múndi a utilizar o termo “América”¹. Nota-se em seu desenho influências religiosas, como imagens de anjos assoprando, representando a origem dos ventos. • Terra Brasilis: Primeira representação cartográfica do território brasileiro de forma integrada, atribuída aos cartógrafos Lopo Homem, Pedro e Jorge Reinel, faz parte do conhecido Atlas Miller de 1519. Terra Brasilis representa o escambo de pau- brasil no séc. XVI, sendo considerada a primeira carta econômica do Brasil e a primeira imagem do desmatamento do país.
  • 7. ¹ Brasil Imperial: O Brasil começa a romper com o estilo luso-brasileiro em 1808 com medidas para organizar-se administrativamente. Nesse ano, o governo imperial cria o Arquivo Militar e a Academia de Artilharia e Fortificação. As duas últimas seriam responsáveis em preparar técnicos que dariam continuidade aos trabalhos geográficos e cartográficos. Com a implantação da Imprensa Régia, começaram trabalhos de edição de mapas nacionais enquanto que o Real Arquivo Militar era responsável em armazenar e preservar nosso acervo. Com o apoio deles foi feita a planta de São Sebastião do Rio de Janeiro em 1812, através do processo de gravura em metal.
  • 8. Em 1822, passou-se a usar a litografia no processo de impressão de mapas. Vários estudos visando à criação de um órgão encarregado de executar levantamentos geodésicos e topográficos e construir uma carta exata foram mal sucedidos, e só na republica, a partir de 1901, viria surgir um plano sério. Brasil República: O país começava a crescer e se organizar, portanto dependia de uma cobertura sistemática de mapa, e como o Brasil se comportava, apesar das suas dimensões continentais, como um país ilha, a cartografia hidrográfica foi a mais enfatizada e de grande valia. A terrestre buscava, através do Estado-Maior do Exército, a construção de uma carta básica, fato realizado e muito bem preparado. Com a finalidade de coordenar as atividades estatística, censitária e geográfica do país foi criado o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 1936. Em 1939, iniciou a preparação do projeto Carta do Brasil ao Milionésimo, concluída em 1960 com o fornecimento de documentação pelos Estados Unidos que promoveu uma extensa cobertura aerofotogramétrica sobre áreas pouco desenvolvidas cartograficamente como o norte e o centro oeste do Brasil.
  • 9. A carta do Brasil ao milionésimo faz parte de um plano mundial que teve origem em convenção internacional na Inglaterra em 1909. Foram estabelecidos padrões técnicos para a confecção de cartas na escala de 1:1.000.000 - um por um milhão - daí o nome e expressão " ao milionésimo " . De 1970 a 1989, ocorre o desenvolvimento da engenharia cartográfica e atuação dos grandes projetos nacionais como o Projeto RADAM. Após 1990, com a introdução e um grande desenvolvimento das novas tecnologias de sensoriamento remoto, cartografia digital e sistemas de informação geográfica, ocorre uma grande dinamização e popularização da cartografia no Brasil. Principais instrumentos/técnicas: Gravura em metal – É o processo de gravura de encavo feito numa matriz de metal, geralmente o cobre. Pode também ser feita em alumínio, aço, ferro ou latão.
  • 10. Litografia – Essa técnica de gravura envolve a criação de marcas (ou desenhos) sobre uma matriz (pedra calcária) com um lápis gorduroso. A base dessa técnica é o princípio da repulsão entre água e óleo. Aerofotogrametria – É o nome dado ao método de obtenção de dados topográficos por meio de fotografias aéreas, geralmente, com o fim de mapeamento. Projeto RADAM – Radar da Amazônia, com a aplicação pioneira de sensores aerotransportados radargramétricos, posteriormente o projeto foi estendido a todo território nacional – RADAMBRASIL, extinto em 1985.
  • 11. Conclusão A partir deste trabalho, pudemos entender a origem da cartografia brasileira e seu desenvolvimento, que, inicialmente, era realizada por estrangeiros que exploravam uma nova terra. Posteriormente, houve um desenvolvimento cartográfico nacional, com a criação de instituições e formação de profissionais nativos. Com o passar do tempo, novas tecnologias surgiram e foram incorporadas. Atualmente, a cartografia brasileira, há muito independente e consolidada, se desenvolve cada vez mais.