SlideShare uma empresa Scribd logo
CIÊNCIAS COGNITIVAS: ASPECTOS TEÓRICOS E METODOLÓGICOS
BENJAMINBLOOM
- Cognitivismo
- Aprendizagem para Maestria
- Taxonomia dos Objetivos
Educacionais
- Problema dos 2 Sigma
- Avaliação da Aprendizagem
SUMÁRIODAAULA
COGNITIVISMO
- Reação ao behaviorismo: a mente e seus processos relevam no estudo
científico da faculdade de conhecer
- Mente como aparato processador da informação, que manipula
símbolos ou representações por meio de regras lógico-computacionais:
Software = mente / Hardware = cérebro
OS PROCESSOS MENTAIS IMPORTAM PARA O CONHECIMENTO E O COMPORTAMENTO
TEORIAS DESCRITIVAS E PRESCRITIVAS DA APRENDIZAGEM
COGNITIVISMO:LIMITESEREAÇÕES
- Protociência - Estudos Cognitivos
- Valores, filosofia, especulação
- Redes neurais e conexionismo: arquiteturas complexas e não lineares
- 4E Cognition: Embodied, Embedded, Extended and Enactive
- Consciência
TEORIASCOGNITIVISTASDAAPRENDIZAGEM
De que modo a informação é recebida, organizada, armazenada e
recuperada pela mente?
De que modo a instrução deve ser organizada, sequenciada e
apresentada a fim de que seja compreensível e significativa para o
estudante?
Como retemos (atenção) e como recordamos (memória)?
Atenção, memória, ganchos, subsunçores, estrutura, apresentação e recursos visuais e não visuais,
andaimento, esquemas, metáforas, bits, práticas, técnicas, carga cognitiva
BENJAMINBLOOM
1913, Lansford, Pennsylvania
Pennsylvania State University: bachelor’s and master’s degree
1999, Chicago, Illinois
University of Chicago: doctor’s degree under Ralph W. Tyler
Basic Principles of Curriculum and Instruction (1949)
1.What educational purposes should the school seek to attain? (Defining
appropriate learning objectives.)
2.How can learning experiences be selected which are likely to be useful
in attaining these objectives? (Introducing useful learning experiences.)
3.How can learning experiences be organized for effective instruction?
(Organizing experiences to maximize their effect.)
4.How can the effectiveness of learning experiences be evaluated?
(Evaluating the process and revising the areas that were not effective.)
"It is what he does that he learns, not what the teacher does" (Tyler p. 63).
APRENDIZAGEMPARAMAESTRIA(1968)
- Mais de 90% dos estudantes são capazes de dominar (master) o que os
professores têm a ensinar
- Cabe à instrução/ensino encontrar os meios de capacitar os alunos a
fazê-lo
- Determinar o que é maestria de um assunto ou matéria
- Buscar materiais e métodos para a maestria
- Encontrar estratégias que levem em consideração as diferenças
individuais como forma de desenvolver integralmente o sujeito
VARIÁVEISDAAPRENDIZAGEMPARAMAESTRIA
1) Aptidão para tipos de aprendizagem, concebida como a quantidade de tempo
exigida pelo aprendiz para atingir maestria da tarefa;
2) Qualidade da instrução, concebida em termos de aproximar-se do ótimo para cada
aluno;
3) Habilidade de entender a instrução, ou seja, entender a natureza da tarefa e os
procedimentos a serem seguidos;
4) Perseverança, a quantidade de tempo que a pessoa está disposta a passar
aprendendo;
5) O tempo dedicado à aprendizagem, a chave para a maestria.
- Quantidade de tempo exigida para atingir maestria em algo
- Aptidão é variável entre pessoas e em uma mesma pessoa ao longo do tempo
- É possível aumentar a aptidão, por meio de reforçamentos, do desenvolvimento de
habilidades cognitivas e comportamentais e por meio de mudanças nos níveis de
motivação
- Muitas tendências de aptidão são desenvolvidas em casa, na escola e na cultura
- Os anos iniciais da vida são fundamentais, pois implicam mais flexibilidade no
desenvolvimento de aptidão
- É possível desenvolver mudanças em termos de aptidão ao longo de toda a vida
APTIDÃO
- Não existe o melhor professor, o melhor método ou o melhor material didático
- Estudantes diferentes precisam de tipos e qualidades diferentes de instrução a fim de
alcançarem maestria
- Grau em que a apresentação, a explicação e a ordenação dos elementos da tarefa a ser
aprendida se aproxima do ótimo para um dado estudante
- Alguns alunos são mais independentes, outros precisam de estrutura; alguns precisam
de situações concretas, outros de abstrações; certos alunos aprendem com poucas
atividades de prática, enquanto outros precisam de muitas repetições.
- Tutorias (2 Sigmas)
- Individual X Group
QUALIDADEDAINSTRUÇÃO
- Entender a natureza da tarefa a ser aprendida e os procedimentos a serem seguidos para
aprender a tarefa
- Compreender o professor, os materiais e o processo
- Compreensão linguística oral e compreensão e interpretação textual
- Fonética e fonologia, morfologia, sintaxe, semântica e estilística
- Group learning: cooperation and competition
- Tutoria
- Material didático
- Livros de exercício e unidades de instrução programadas
- Métodos audiovisuais e jogos acadêmicos
- Materiais e métodos variados para diferentes momentos e passos do processo
- Feedbacks mútuos e contínuos
- Aprendizagem como centro
COMPREENSÃODAINSTRUÇÃO
- Tempo que o estudante está disposto a passar engajado aprendendo
- Interesse e atitude em relação à aprendizagem
- Esforço, recompensa e frustração
- Aumento de recompensas e evidências de sucesso tendem a aumentar a perseverança
- Efeito Mateus
- Se a instrução for apropriada, a necessidade de perseverança pode ser reduzida
- Foco maior na aprendizagem, não em disciplina ou perseverança
PERSEVERANÇA
- Cada aluno precisa de uma quantidade de tempo diferente para dominar um assunto
- Nem sempre é preciso muito tempo
- Em certos casos é preciso muito tempo
- Aptidão faz correlações, assim como perseverança
- Homework
- 1 x 6
- 1 x 3
- Mastery learning deve otimizar o tempo necessário para cada estudante, ao mesmo
tempo em que deve se ocupar de fornecer o tempo necessário
TEMPO
STRATEGIESFORMASTERY
Tutoria
Procedimentos diagnósticos + materiais e métodos alternativos
Precondições necessárias
Procedimentos operacionais
Resultados
“When the student has mastered the subject and when he receives both objective and
subjective evidence of the mastery, there are profound changes in his view of himself
and of the outer world.” (p. 11)
- Frequent and objective indications of self-development
TAXONOMIADOSOBJETIVOSEDUCACIONAIS(1956,2002)
Domínios
cognitivo,
afetivo,
psicomotor
PROBLEMADOS2SIGMA(1984)
- Sistema de tutoria (instrução individual) está 2 desvios padrão acima de outros métodos
- Professores e pesquisadores precisam encontrar modos de tornar a instrução em grupo
tão eficiente quanto a individual
"the average tutored student was above 98% of the students in the control class”
Variáveis:
- Aprendiz
- Material didático
- Ambiente sociocultural (família, grupo)
- Professor
AVALIAÇÃODAAPRENDIZAGEM
Avaliação formativa
Avaliação Somativa

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Reflexões iniciais sobre BNCC e Documento curricular do Tocantins
Reflexões iniciais sobre BNCC e Documento curricular do TocantinsReflexões iniciais sobre BNCC e Documento curricular do Tocantins
Reflexões iniciais sobre BNCC e Documento curricular do Tocantins
Deusirene Magalhaes
 
Cruzadinha vegetaçao
Cruzadinha vegetaçaoCruzadinha vegetaçao
Cruzadinha vegetaçao
Atividades Diversas Cláudia
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Dirce Cristiane Camilotti
 
Misturas homogêneas e Heterogeneas
Misturas homogêneas e HeterogeneasMisturas homogêneas e Heterogeneas
Misturas homogêneas e Heterogeneas
URCA
 
Setores economia
Setores economiaSetores economia
Setores economia
turmainformaticadegestao
 
Economia e Meio Ambiente
Economia e Meio AmbienteEconomia e Meio Ambiente
Economia e Meio Ambiente
lizsantana
 
Dia Mundial da Água - 22 de Março
Dia Mundial da Água - 22 de MarçoDia Mundial da Água - 22 de Março
Dia Mundial da Água - 22 de Março
Glauber Eduardo Aragon Pereira
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
Luciano Pessanha
 
Dissertação mestrado Ciência da Educação / Neldilene G. Soares
Dissertação  mestrado Ciência da Educação / Neldilene G. SoaresDissertação  mestrado Ciência da Educação / Neldilene G. Soares
Dissertação mestrado Ciência da Educação / Neldilene G. Soares
Secretaria de Educação e Cultura - SEMEC aAcari
 
Movimentos das placas tectônicas
Movimentos das placas tectônicasMovimentos das placas tectônicas
Movimentos das placas tectônicas
Cadernizando
 
Globalização
Globalização Globalização
Globalização
Herbert William Paulino
 
Tipos de avaliacao
Tipos de avaliacaoTipos de avaliacao
Tipos de avaliacao
Kajdy Ejdy
 
Avaliação Escolar
Avaliação EscolarAvaliação Escolar
Avaliação Escolar
Cursos Profissionalizantes
 
Slide revoluçao tecnologica
Slide revoluçao tecnologicaSlide revoluçao tecnologica
Slide revoluçao tecnologica
estudosacademicospedag
 
Escola tradicional e escola nova
Escola tradicional e escola novaEscola tradicional e escola nova
Escola tradicional e escola nova
Colégio Tiradentes III
 
slides da aula Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Práticas Educat...
slides da aula Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Práticas Educat...slides da aula Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Práticas Educat...
slides da aula Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Práticas Educat...
Instituto Consciência GO
 
Formação PIAF.pptx
Formação PIAF.pptxFormação PIAF.pptx
Formação PIAF.pptx
ELIESERPIRES1
 
Conhecendo a didática
Conhecendo a didáticaConhecendo a didática
Trajetória histórica da didática
Trajetória histórica da didáticaTrajetória histórica da didática
Trajetória histórica da didática
Universidade Salgado de Oliveira
 
ELETIVA GEOGRAFIA EM FOTOS - UM OLHAR, UM CLICK E MULTIPLAS REFLEXOES - OCLÉ...
ELETIVA GEOGRAFIA EM FOTOS - UM OLHAR, UM CLICK E MULTIPLAS REFLEXOES  - OCLÉ...ELETIVA GEOGRAFIA EM FOTOS - UM OLHAR, UM CLICK E MULTIPLAS REFLEXOES  - OCLÉ...
ELETIVA GEOGRAFIA EM FOTOS - UM OLHAR, UM CLICK E MULTIPLAS REFLEXOES - OCLÉ...
EEMAS
 

Mais procurados (20)

Reflexões iniciais sobre BNCC e Documento curricular do Tocantins
Reflexões iniciais sobre BNCC e Documento curricular do TocantinsReflexões iniciais sobre BNCC e Documento curricular do Tocantins
Reflexões iniciais sobre BNCC e Documento curricular do Tocantins
 
Cruzadinha vegetaçao
Cruzadinha vegetaçaoCruzadinha vegetaçao
Cruzadinha vegetaçao
 
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
 
Misturas homogêneas e Heterogeneas
Misturas homogêneas e HeterogeneasMisturas homogêneas e Heterogeneas
Misturas homogêneas e Heterogeneas
 
Setores economia
Setores economiaSetores economia
Setores economia
 
Economia e Meio Ambiente
Economia e Meio AmbienteEconomia e Meio Ambiente
Economia e Meio Ambiente
 
Dia Mundial da Água - 22 de Março
Dia Mundial da Água - 22 de MarçoDia Mundial da Água - 22 de Março
Dia Mundial da Água - 22 de Março
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Dissertação mestrado Ciência da Educação / Neldilene G. Soares
Dissertação  mestrado Ciência da Educação / Neldilene G. SoaresDissertação  mestrado Ciência da Educação / Neldilene G. Soares
Dissertação mestrado Ciência da Educação / Neldilene G. Soares
 
Movimentos das placas tectônicas
Movimentos das placas tectônicasMovimentos das placas tectônicas
Movimentos das placas tectônicas
 
Globalização
Globalização Globalização
Globalização
 
Tipos de avaliacao
Tipos de avaliacaoTipos de avaliacao
Tipos de avaliacao
 
Avaliação Escolar
Avaliação EscolarAvaliação Escolar
Avaliação Escolar
 
Slide revoluçao tecnologica
Slide revoluçao tecnologicaSlide revoluçao tecnologica
Slide revoluçao tecnologica
 
Escola tradicional e escola nova
Escola tradicional e escola novaEscola tradicional e escola nova
Escola tradicional e escola nova
 
slides da aula Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Práticas Educat...
slides da aula Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Práticas Educat...slides da aula Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Práticas Educat...
slides da aula Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Práticas Educat...
 
Formação PIAF.pptx
Formação PIAF.pptxFormação PIAF.pptx
Formação PIAF.pptx
 
Conhecendo a didática
Conhecendo a didáticaConhecendo a didática
Conhecendo a didática
 
Trajetória histórica da didática
Trajetória histórica da didáticaTrajetória histórica da didática
Trajetória histórica da didática
 
ELETIVA GEOGRAFIA EM FOTOS - UM OLHAR, UM CLICK E MULTIPLAS REFLEXOES - OCLÉ...
ELETIVA GEOGRAFIA EM FOTOS - UM OLHAR, UM CLICK E MULTIPLAS REFLEXOES  - OCLÉ...ELETIVA GEOGRAFIA EM FOTOS - UM OLHAR, UM CLICK E MULTIPLAS REFLEXOES  - OCLÉ...
ELETIVA GEOGRAFIA EM FOTOS - UM OLHAR, UM CLICK E MULTIPLAS REFLEXOES - OCLÉ...
 

Semelhante a Benjamin Bloom, Mastery Learning, Objetivos Educacionais

Técnicas ensino
Técnicas  ensinoTécnicas  ensino
Técnicas ensino
Quesia Matiello
 
Métodos de ensino
Métodos de ensinoMétodos de ensino
Métodos de ensino
Mara Salvucci
 
Competências e habilidades
Competências e habilidadesCompetências e habilidades
Competências e habilidades
Instituto SOS Professor
 
Novas formas de ensinar 06.03.2012
Novas formas de ensinar 06.03.2012Novas formas de ensinar 06.03.2012
Novas formas de ensinar 06.03.2012
SMEdeItabaianinha
 
10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar
pedagogia para licenciados
 
10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar
pedagogia para licenciados
 
10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar
pedagogia para licenciados
 
Metodologia de ensino
Metodologia de ensinoMetodologia de ensino
Metodologia de ensino
Deia Araujo
 
Vera 4
Vera 4Vera 4
Aula_ 20 planejamento, didatica ensinopptx
Aula_ 20 planejamento,  didatica ensinopptxAula_ 20 planejamento,  didatica ensinopptx
Aula_ 20 planejamento, didatica ensinopptx
DenisedeAmorimRamos
 
Aula_2019_Planejamento.pptx
Aula_2019_Planejamento.pptxAula_2019_Planejamento.pptx
Aula_2019_Planejamento.pptx
ManuelTalacuece
 
PLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptx
PLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptxPLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptx
PLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptx
MrciaAyala
 
Como escolher e organizar atividades de ensino bordenave
Como escolher e organizar atividades de ensino bordenaveComo escolher e organizar atividades de ensino bordenave
Como escolher e organizar atividades de ensino bordenave
Elisa Maria Gomide
 
Metodos tecnicas pedagogicas[1]
Metodos tecnicas pedagogicas[1]Metodos tecnicas pedagogicas[1]
Metodos tecnicas pedagogicas[1]
Cátia Elias
 
Palestra Tipos de Conteúdos
Palestra Tipos de ConteúdosPalestra Tipos de Conteúdos
Palestra Tipos de Conteúdos
louisacarla
 
PLANO DE AULA-PASSO A PASSO GRUPO 1.docx
PLANO DE AULA-PASSO A PASSO GRUPO 1.docxPLANO DE AULA-PASSO A PASSO GRUPO 1.docx
PLANO DE AULA-PASSO A PASSO GRUPO 1.docx
MelchiorS1
 
Métodos de Ensino e Aprendizagem
Métodos de Ensino e AprendizagemMétodos de Ensino e Aprendizagem
Métodos de Ensino e Aprendizagem
Joao Papelo
 
O papel da tutoria no desenvolvimento curricular
O papel da tutoria no desenvolvimento curricularO papel da tutoria no desenvolvimento curricular
O papel da tutoria no desenvolvimento curricular
Maria Casanova
 
Planejamento de ensino[1]
Planejamento de ensino[1]Planejamento de ensino[1]
Planejamento de ensino[1]
UNICEP
 
DIDÁTICA GERAL.pptx
DIDÁTICA GERAL.pptxDIDÁTICA GERAL.pptx
DIDÁTICA GERAL.pptx
Evaldo Pereira Merim
 

Semelhante a Benjamin Bloom, Mastery Learning, Objetivos Educacionais (20)

Técnicas ensino
Técnicas  ensinoTécnicas  ensino
Técnicas ensino
 
Métodos de ensino
Métodos de ensinoMétodos de ensino
Métodos de ensino
 
Competências e habilidades
Competências e habilidadesCompetências e habilidades
Competências e habilidades
 
Novas formas de ensinar 06.03.2012
Novas formas de ensinar 06.03.2012Novas formas de ensinar 06.03.2012
Novas formas de ensinar 06.03.2012
 
10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar
 
10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar
 
10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar10+novas+competências+para+ensinar
10+novas+competências+para+ensinar
 
Metodologia de ensino
Metodologia de ensinoMetodologia de ensino
Metodologia de ensino
 
Vera 4
Vera 4Vera 4
Vera 4
 
Aula_ 20 planejamento, didatica ensinopptx
Aula_ 20 planejamento,  didatica ensinopptxAula_ 20 planejamento,  didatica ensinopptx
Aula_ 20 planejamento, didatica ensinopptx
 
Aula_2019_Planejamento.pptx
Aula_2019_Planejamento.pptxAula_2019_Planejamento.pptx
Aula_2019_Planejamento.pptx
 
PLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptx
PLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptxPLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptx
PLANEJAMENTO DE ENSINO DIDÁTICA GERAL.pptx
 
Como escolher e organizar atividades de ensino bordenave
Como escolher e organizar atividades de ensino bordenaveComo escolher e organizar atividades de ensino bordenave
Como escolher e organizar atividades de ensino bordenave
 
Metodos tecnicas pedagogicas[1]
Metodos tecnicas pedagogicas[1]Metodos tecnicas pedagogicas[1]
Metodos tecnicas pedagogicas[1]
 
Palestra Tipos de Conteúdos
Palestra Tipos de ConteúdosPalestra Tipos de Conteúdos
Palestra Tipos de Conteúdos
 
PLANO DE AULA-PASSO A PASSO GRUPO 1.docx
PLANO DE AULA-PASSO A PASSO GRUPO 1.docxPLANO DE AULA-PASSO A PASSO GRUPO 1.docx
PLANO DE AULA-PASSO A PASSO GRUPO 1.docx
 
Métodos de Ensino e Aprendizagem
Métodos de Ensino e AprendizagemMétodos de Ensino e Aprendizagem
Métodos de Ensino e Aprendizagem
 
O papel da tutoria no desenvolvimento curricular
O papel da tutoria no desenvolvimento curricularO papel da tutoria no desenvolvimento curricular
O papel da tutoria no desenvolvimento curricular
 
Planejamento de ensino[1]
Planejamento de ensino[1]Planejamento de ensino[1]
Planejamento de ensino[1]
 
DIDÁTICA GERAL.pptx
DIDÁTICA GERAL.pptxDIDÁTICA GERAL.pptx
DIDÁTICA GERAL.pptx
 

Mais de Raquel Salcedo Gomes

Trajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdf
Trajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdfTrajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdf
Trajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdf
Raquel Salcedo Gomes
 
Trajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente Informatizado
Trajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente InformatizadoTrajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente Informatizado
Trajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente Informatizado
Raquel Salcedo Gomes
 
Cultura digital ou digitalização da cultura
Cultura digital ou digitalização da culturaCultura digital ou digitalização da cultura
Cultura digital ou digitalização da cultura
Raquel Salcedo Gomes
 
Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...
Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...
Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...
Raquel Salcedo Gomes
 
História das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionais
História das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionaisHistória das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionais
História das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionais
Raquel Salcedo Gomes
 
Desafios da educação na pandemia
Desafios da educação na pandemiaDesafios da educação na pandemia
Desafios da educação na pandemia
Raquel Salcedo Gomes
 
What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?
What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?
What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?
Raquel Salcedo Gomes
 
Cognição 4E - Evolução da cognição
Cognição 4E - Evolução da cogniçãoCognição 4E - Evolução da cognição
Cognição 4E - Evolução da cognição
Raquel Salcedo Gomes
 
Cognição enativa e linguagem
Cognição enativa e linguagemCognição enativa e linguagem
Cognição enativa e linguagem
Raquel Salcedo Gomes
 
Educação na cultura digital
Educação na cultura digitalEducação na cultura digital
Educação na cultura digital
Raquel Salcedo Gomes
 
Pesquisa em informática na educação e ciências cognitivas
Pesquisa em informática na educação e ciências cognitivasPesquisa em informática na educação e ciências cognitivas
Pesquisa em informática na educação e ciências cognitivas
Raquel Salcedo Gomes
 
Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?
Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?
Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?
Raquel Salcedo Gomes
 
O que é o virtual? Pierre Lévy
O que é o virtual? Pierre LévyO que é o virtual? Pierre Lévy
O que é o virtual? Pierre Lévy
Raquel Salcedo Gomes
 
Inteligência Coletiva - Pierre Lévy
Inteligência Coletiva - Pierre Lévy Inteligência Coletiva - Pierre Lévy
Inteligência Coletiva - Pierre Lévy
Raquel Salcedo Gomes
 
Pierre Lévy e as humanidades digitais
Pierre Lévy e as humanidades digitaisPierre Lévy e as humanidades digitais
Pierre Lévy e as humanidades digitais
Raquel Salcedo Gomes
 
Informática na educação baseada em evidências
Informática na educação baseada em evidênciasInformática na educação baseada em evidências
Informática na educação baseada em evidências
Raquel Salcedo Gomes
 
Pervasive Computing: Vision and Challenges
Pervasive Computing: Vision and ChallengesPervasive Computing: Vision and Challenges
Pervasive Computing: Vision and Challenges
Raquel Salcedo Gomes
 
Bergson e Maturana em minha tese
Bergson e Maturana em minha teseBergson e Maturana em minha tese
Bergson e Maturana em minha tese
Raquel Salcedo Gomes
 
Poesia - Modernistas (1945-1960)
Poesia - Modernistas (1945-1960)Poesia - Modernistas (1945-1960)
Poesia - Modernistas (1945-1960)
Raquel Salcedo Gomes
 
Mobilidade e tecnocultura: q linguajar é esse?
Mobilidade e tecnocultura: q linguajar é esse?Mobilidade e tecnocultura: q linguajar é esse?
Mobilidade e tecnocultura: q linguajar é esse?
Raquel Salcedo Gomes
 

Mais de Raquel Salcedo Gomes (20)

Trajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdf
Trajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdfTrajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdf
Trajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdf
 
Trajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente Informatizado
Trajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente InformatizadoTrajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente Informatizado
Trajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente Informatizado
 
Cultura digital ou digitalização da cultura
Cultura digital ou digitalização da culturaCultura digital ou digitalização da cultura
Cultura digital ou digitalização da cultura
 
Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...
Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...
Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...
 
História das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionais
História das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionaisHistória das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionais
História das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionais
 
Desafios da educação na pandemia
Desafios da educação na pandemiaDesafios da educação na pandemia
Desafios da educação na pandemia
 
What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?
What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?
What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?
 
Cognição 4E - Evolução da cognição
Cognição 4E - Evolução da cogniçãoCognição 4E - Evolução da cognição
Cognição 4E - Evolução da cognição
 
Cognição enativa e linguagem
Cognição enativa e linguagemCognição enativa e linguagem
Cognição enativa e linguagem
 
Educação na cultura digital
Educação na cultura digitalEducação na cultura digital
Educação na cultura digital
 
Pesquisa em informática na educação e ciências cognitivas
Pesquisa em informática na educação e ciências cognitivasPesquisa em informática na educação e ciências cognitivas
Pesquisa em informática na educação e ciências cognitivas
 
Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?
Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?
Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?
 
O que é o virtual? Pierre Lévy
O que é o virtual? Pierre LévyO que é o virtual? Pierre Lévy
O que é o virtual? Pierre Lévy
 
Inteligência Coletiva - Pierre Lévy
Inteligência Coletiva - Pierre Lévy Inteligência Coletiva - Pierre Lévy
Inteligência Coletiva - Pierre Lévy
 
Pierre Lévy e as humanidades digitais
Pierre Lévy e as humanidades digitaisPierre Lévy e as humanidades digitais
Pierre Lévy e as humanidades digitais
 
Informática na educação baseada em evidências
Informática na educação baseada em evidênciasInformática na educação baseada em evidências
Informática na educação baseada em evidências
 
Pervasive Computing: Vision and Challenges
Pervasive Computing: Vision and ChallengesPervasive Computing: Vision and Challenges
Pervasive Computing: Vision and Challenges
 
Bergson e Maturana em minha tese
Bergson e Maturana em minha teseBergson e Maturana em minha tese
Bergson e Maturana em minha tese
 
Poesia - Modernistas (1945-1960)
Poesia - Modernistas (1945-1960)Poesia - Modernistas (1945-1960)
Poesia - Modernistas (1945-1960)
 
Mobilidade e tecnocultura: q linguajar é esse?
Mobilidade e tecnocultura: q linguajar é esse?Mobilidade e tecnocultura: q linguajar é esse?
Mobilidade e tecnocultura: q linguajar é esse?
 

Último

PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
PatriciaZanoli
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 

Último (20)

PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 

Benjamin Bloom, Mastery Learning, Objetivos Educacionais

  • 1. CIÊNCIAS COGNITIVAS: ASPECTOS TEÓRICOS E METODOLÓGICOS BENJAMINBLOOM
  • 2. - Cognitivismo - Aprendizagem para Maestria - Taxonomia dos Objetivos Educacionais - Problema dos 2 Sigma - Avaliação da Aprendizagem SUMÁRIODAAULA
  • 3. COGNITIVISMO - Reação ao behaviorismo: a mente e seus processos relevam no estudo científico da faculdade de conhecer - Mente como aparato processador da informação, que manipula símbolos ou representações por meio de regras lógico-computacionais: Software = mente / Hardware = cérebro OS PROCESSOS MENTAIS IMPORTAM PARA O CONHECIMENTO E O COMPORTAMENTO TEORIAS DESCRITIVAS E PRESCRITIVAS DA APRENDIZAGEM
  • 4. COGNITIVISMO:LIMITESEREAÇÕES - Protociência - Estudos Cognitivos - Valores, filosofia, especulação - Redes neurais e conexionismo: arquiteturas complexas e não lineares - 4E Cognition: Embodied, Embedded, Extended and Enactive - Consciência
  • 5. TEORIASCOGNITIVISTASDAAPRENDIZAGEM De que modo a informação é recebida, organizada, armazenada e recuperada pela mente? De que modo a instrução deve ser organizada, sequenciada e apresentada a fim de que seja compreensível e significativa para o estudante? Como retemos (atenção) e como recordamos (memória)? Atenção, memória, ganchos, subsunçores, estrutura, apresentação e recursos visuais e não visuais, andaimento, esquemas, metáforas, bits, práticas, técnicas, carga cognitiva
  • 6. BENJAMINBLOOM 1913, Lansford, Pennsylvania Pennsylvania State University: bachelor’s and master’s degree 1999, Chicago, Illinois University of Chicago: doctor’s degree under Ralph W. Tyler Basic Principles of Curriculum and Instruction (1949) 1.What educational purposes should the school seek to attain? (Defining appropriate learning objectives.) 2.How can learning experiences be selected which are likely to be useful in attaining these objectives? (Introducing useful learning experiences.) 3.How can learning experiences be organized for effective instruction? (Organizing experiences to maximize their effect.) 4.How can the effectiveness of learning experiences be evaluated? (Evaluating the process and revising the areas that were not effective.) "It is what he does that he learns, not what the teacher does" (Tyler p. 63).
  • 7. APRENDIZAGEMPARAMAESTRIA(1968) - Mais de 90% dos estudantes são capazes de dominar (master) o que os professores têm a ensinar - Cabe à instrução/ensino encontrar os meios de capacitar os alunos a fazê-lo - Determinar o que é maestria de um assunto ou matéria - Buscar materiais e métodos para a maestria - Encontrar estratégias que levem em consideração as diferenças individuais como forma de desenvolver integralmente o sujeito
  • 8. VARIÁVEISDAAPRENDIZAGEMPARAMAESTRIA 1) Aptidão para tipos de aprendizagem, concebida como a quantidade de tempo exigida pelo aprendiz para atingir maestria da tarefa; 2) Qualidade da instrução, concebida em termos de aproximar-se do ótimo para cada aluno; 3) Habilidade de entender a instrução, ou seja, entender a natureza da tarefa e os procedimentos a serem seguidos; 4) Perseverança, a quantidade de tempo que a pessoa está disposta a passar aprendendo; 5) O tempo dedicado à aprendizagem, a chave para a maestria.
  • 9. - Quantidade de tempo exigida para atingir maestria em algo - Aptidão é variável entre pessoas e em uma mesma pessoa ao longo do tempo - É possível aumentar a aptidão, por meio de reforçamentos, do desenvolvimento de habilidades cognitivas e comportamentais e por meio de mudanças nos níveis de motivação - Muitas tendências de aptidão são desenvolvidas em casa, na escola e na cultura - Os anos iniciais da vida são fundamentais, pois implicam mais flexibilidade no desenvolvimento de aptidão - É possível desenvolver mudanças em termos de aptidão ao longo de toda a vida APTIDÃO
  • 10. - Não existe o melhor professor, o melhor método ou o melhor material didático - Estudantes diferentes precisam de tipos e qualidades diferentes de instrução a fim de alcançarem maestria - Grau em que a apresentação, a explicação e a ordenação dos elementos da tarefa a ser aprendida se aproxima do ótimo para um dado estudante - Alguns alunos são mais independentes, outros precisam de estrutura; alguns precisam de situações concretas, outros de abstrações; certos alunos aprendem com poucas atividades de prática, enquanto outros precisam de muitas repetições. - Tutorias (2 Sigmas) - Individual X Group QUALIDADEDAINSTRUÇÃO
  • 11. - Entender a natureza da tarefa a ser aprendida e os procedimentos a serem seguidos para aprender a tarefa - Compreender o professor, os materiais e o processo - Compreensão linguística oral e compreensão e interpretação textual - Fonética e fonologia, morfologia, sintaxe, semântica e estilística - Group learning: cooperation and competition - Tutoria - Material didático - Livros de exercício e unidades de instrução programadas - Métodos audiovisuais e jogos acadêmicos - Materiais e métodos variados para diferentes momentos e passos do processo - Feedbacks mútuos e contínuos - Aprendizagem como centro COMPREENSÃODAINSTRUÇÃO
  • 12. - Tempo que o estudante está disposto a passar engajado aprendendo - Interesse e atitude em relação à aprendizagem - Esforço, recompensa e frustração - Aumento de recompensas e evidências de sucesso tendem a aumentar a perseverança - Efeito Mateus - Se a instrução for apropriada, a necessidade de perseverança pode ser reduzida - Foco maior na aprendizagem, não em disciplina ou perseverança PERSEVERANÇA
  • 13. - Cada aluno precisa de uma quantidade de tempo diferente para dominar um assunto - Nem sempre é preciso muito tempo - Em certos casos é preciso muito tempo - Aptidão faz correlações, assim como perseverança - Homework - 1 x 6 - 1 x 3 - Mastery learning deve otimizar o tempo necessário para cada estudante, ao mesmo tempo em que deve se ocupar de fornecer o tempo necessário TEMPO
  • 14. STRATEGIESFORMASTERY Tutoria Procedimentos diagnósticos + materiais e métodos alternativos Precondições necessárias Procedimentos operacionais Resultados “When the student has mastered the subject and when he receives both objective and subjective evidence of the mastery, there are profound changes in his view of himself and of the outer world.” (p. 11) - Frequent and objective indications of self-development
  • 16. PROBLEMADOS2SIGMA(1984) - Sistema de tutoria (instrução individual) está 2 desvios padrão acima de outros métodos - Professores e pesquisadores precisam encontrar modos de tornar a instrução em grupo tão eficiente quanto a individual "the average tutored student was above 98% of the students in the control class” Variáveis: - Aprendiz - Material didático - Ambiente sociocultural (família, grupo) - Professor